Page 1

CAMPOS NOVOS, QUINTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2014

O Celeiro

15


16

O Celeiro

CAMPOS NOVOS, QUINTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2014

Editorial Houve um tempo em que destinar as embalagens de agrotóxicos vazias era um ato de consciência por parte do produtor rural que tomava essa iniciativa com a finalidade de tornar a propriedade um ambiente sustentável. Hoje, a finalidade ainda é a mesma, porém essa prática não é apenas um apelo à consciência ambiental, mas é também um ato de responsabilidade e concordância com a lei. Isso mesmo, descartar adequadamente as embalagens é uma atribuição regulamentada por lei e, portanto precisa ser cumprida. Da mesma forma, as cooperativas também devem atender a essa norma, e assim, focar em ações que possibilitem e permitam esse processo. Da mesma forma, a conscientização e educação ambiental também é uma atribuição das Cooperativas nesse elo do sistema onde todos estão juntos, agricultor, indústria fabricante, cooperativas e poder público. E com isso, a Coocam tem buscado fazer a sua parte. Isso justifica a criação e o emprego de recursos e esforços em

João Carlos Di Domênico Presidente da Coocam

prol de um programa como a Semana do Campo Limpo da Coocam, onde através do recolhimento itinerante a cooperativa, dá oportunidade para que o produtor rural traga para a sede da entidade suas embalagens para serem destinadas de forma adequada. Assim, juntos, produtor e cooperativa cumprem com suas obrigações, utilizam, lavam, armazenam, recebem e comprovam o descarte de forma adequada das embalagens dos produtos que utilizam. E esse é nosso papel, fomentar esse processo e é para isso que estamos aqui. A Semana do Campo Limpo é mais uma das ações que fazemos em conjunto, cooperamos... E assim fazemos melhor. Por essa e por outras várias razões que acreditamos na força do cooperativismo!

Expediente O Caderno “Campo Limpo Coocam” é uma produção do “Jornal O Celeiro”; Informações: Instituto Nacional de Processamento de Embalagens (Inpev); Produção: Camila Bebber Gomes Arte/Diagramação/Design: Wilhiam Rodolfo Peretti

JORNAL O CELEIRO - Caixa Postal: 96 - CEP: 89620-000 - FONE: (49) 3541-0597 - Campos Novos/SC

Redação: celeiro@brturbo.com.br - Comercial: oceleirocomercial@gmail.com - Financeiro: oceleirofinanceiro@gmail.com

Fotos: Divulgação/Inpev, Assessoria de Imprensa/Cooocam; Impressão: Gráfica Araucária/Lages - Tiragem: 1500 exemplares. Agosto de 2014 Agradecimentos: Annie Binotto, ABM Comunicação Integrada, Camila Bebber, Ilsa Cristina Bilck, Instituto Nacional de Processamento de Embalagens (Inpev), João Carlos Di Domênico, Nelson Carvalho.


CAMPOS NOVOS, QUINTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2014

O Celeiro

17


18

O Celeiro

O que é o Inpev? O Instituto Nacional de Processamento de Embalagens (Inpev), foi criado para a concientização de um longo processo de amadurecimento sobre a questão da responsabilidade socioambiental e a sustentabilidade da agricultura brasileira. Desde que os defensivos agrícolas passaram a ser utilizados em larga escala no país, nos anos 1960, um conjunto de leis buscou regulamentar sua aplicação, sem, no entanto, dispor sobre a destinação das embalagens pós-consumo. Sem alternativas, o agricultor valia-se de prerrogativas como enterrá-las, queimá-las e até descartá-las em rios ou na própria lavoura, colocando em risco o meio ambiente. E também havia quem reutilizasse as embalagens para transportar água e alimentos, atentando, assim, contra a própria saúde. No fim da década de 1980 essa situação fez com que os diversos envolvidos na cadeia agrícola buscassem soluções adequadas. O debate culminou com a instituição da Lei Federal 9.974/00, promulgada em junho de 2000 e regulamentada em 2002, que atribuiu aos usuários de defensivos agrícolas a responsabilidade de devolver as embalagens vazias aos comerciantes que, por sua vez, teriam de encaminhá-las aos fabricantes. No entanto, para que esse processo fosse viável, era preciso criar uma entidade que integrasse todos os elos da cadeia e gerenciasse o sistema. A resposta foi a criação do Inpev, fundado oficialmente em 14 de dezembro de 2001. Hoje o Brasil destaca-se como um dos maiores produtores mundiais de alimentos, fibras e bioenergia, o que evidencia a importância do setor agrícola e, nele, do sistema de destinação das embalagens de defensivos agrícolas pós-consumo. Fazer frente a esse cenário tem sido o principal desafio do Inpev.

CAMPOS NOVOS, QUINTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2014

Dia Nacional do Campo Limpo O Dia Nacional do Campo Limpo foi idealizado pelo Inpev em 2005 como forma de mobilizar todos os envolvidos no programa de destinação final de embalagens vazias de defensivos agrícolas. O principal objetivo da data, celebrada todos os anos no dia 18 de agosto, é levar as comunidades do entorno das unidades de recebimento a refletirem sobre a preservação do meio ambiente. A iniciativa integra escolas, agricultores, distribuidores, indústrias, autoridades e comunidades, com a realização de atividades socioeducativas, como concurso de desenho e redação, peças teatrais, palestras, plantio de árvores e distribuição de materiais educativos. Além disso, as centrais de recebimento de embalagens são abertas à visitação pública. O foco dessas ações é questão da preservação ambiental no campo e os bons resultados do programa de destinação de embalagens vazias de defensivos agrícolas. Afinal, o Sistema Campo Limpo é referência no Brasil e exemplo para o mundo, promovendo a reciclagem de 94% das embalagens plásticas primárias. A repercussão das primeiras edições do Dia Nacional do Campo Limpo foi tão positiva que em 2008 foi sancionado o projeto de lei que incluiu a data no calendário oficial brasileiro de comemorações. O envolvimento das comunidades localizadas no entorno das unidades de recebimento de embalagens vazias tem sido crescente ano a ano, já tendo atingido mais de 600 mil pessoas.

O que é o “Dia do Campo Limpo” ? O Sistema Campo Limpo é a denominação do programa gerenciado pelo Inpev para realizar a logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas no Brasil. Abrangendo todas as regiões do país, o Sistema tem como base o conceito de responsabilidade compartilhada entre agricultores, indústria, canais de distribuição e poder público, conforme determinações legais, o que tem garantido seu sucesso. A importância desse programa se evidencia diante da performance da agricultura brasileira nas últimas décadas. Com a estabilização econômica, o agronegócio tem apresentado crescimento acima da média quando comparado aos setores industriais e de serviços, o que significa dizer que o uso de insumos, como fertilizantes e defensivos agrícolas, também teve grande crescimento. Sem a gestão dos resíduos daí resultantes, o impacto ambiental certamente seria gravíssimo. Quando as embalagens são abandonadas no ambiente ou descartadas em aterros e lixões, esses produtos ficam expostos às intempéries e podem contaminar o solo, as águas superficiais e os lençóis freáticos. Há ainda o problema da reutilização sem critério das embalagens, que coloca em risco a saúde de

animais e do próprio homem. Para que se tenha uma ideia da dimensão do problema, uma pesquisa realizada pela Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef) em 1999 indicava que 50% das embalagens vazias de defensivos agrícolas no Brasil naquela época eram doadas ou vendidas sem qualquer controle; 25% tinham como destino a queima a céu aberto, 10% eram armazenadas ao relento e 15% eram simplesmente abandonadas no campo. A partir de 2002, porém, quando o Sistema Campo Limpo entrou em funcionamento, a maior parte dessas embalagens passou a ter destinação correta – uma soma que, desde então, já ultrapassou 200 mil toneladas. Hoje, cerca de 94% das embalagens plásticas primárias (que entram em contato direto com o produto) e 80% do total de embalagens vazias de defensivos agrícolas que são comercializadas têm destino certo. Podem ser encaminhadas para reciclagem 95% das embalagens colocadas no mercado, desde que tenham sido corretamente lavadas no momento de uso do produto no campo. As embalagens não laváveis (cerca de 5% do total) e aquelas que não foram devidamente lavadas pelos agri-

Imagens:Divulgação/Inpev

cultores são encaminhadas a incineradores credenciados. Esses índices transformaram o Brasil em líder e referência mundial no

assunto. Em segundo lugar vem a França, com 77%, seguida pelo Canadá, com 73%. Os Estados Unidos vêm em 9º lugar, com 33%. Fonte: Site: Inpev - www.inpev.org.br/


CAMPOS NOVOS, QUINTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2014

Legislação no Brasil

Ao consultar a lei, você pode acessar o site do Palácio do Planalto, lá será exibida uma versão consolidada da lei, mostrando as modificações que foram incorporadas desde a versão original. Abaixo temos as principais referências: DECRETO Nº 4.074, DE 4 DE JANEIRO DE 2002 Regulamenta a Lei Nº 7.802, de 11 de julho de 1989, que dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de defensivos agrícolas, seus componentes e afins, e dá outras providências.

Elos do Sistema

19

O Celeiro

LEI Nº 7.802, DE 11 DE JULHO DE 1989 Dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de defensivos agrícolas, seus componentes e afins, e dá outras providências. RESOLUÇÃO Nº 334, DE 3 DE ABRIL DE 2003 Dispõe sobre os procedimentos de licenciamento ambiental de estabelecimentos destinados ao recebimento de embalagens vazias de defensivos agrícolas. ANTT A Diretoria da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, no uso de suas atribuições legais, fundamentada nos termos do Relatório DNO 036/2004, de 11 de fevereiro de 2004. Imagens:Divulgação/Inpev

Agricultor, Indústria, Cooperativas e poder público: Todos estamos incluídos

A Lei nº 9.974/2000 exigiu que cada um dos agentes atuantes na produção agrícola do Brasil cumprisse um papel específico no processo de recolhimento e destinação final das embalagens vazias de defensivos agrícolas, como elos de uma cadeia integrada. A responsabilidade compartilhada entre a indústria, os canais de distribuição, os agricultores e os poderes públicos é considerada o principal fator de sucesso do Sistema Campo Limpo. De acordo com a legislação, cabe aos produtores rurais a responsabilidade de devolver as embalagens devidamente lavadas e inutilizadas nos locais indicados pelos agentes de distribuição na nota fiscal de compra. Os estabelecimentos comerciais e as cooperativas, por sua vez, além de fazerem essa indicação, devem dispor de local adequado para o recebimento das embalagens. Aos fabricantes compete promover sua destinação final adequada, o que exerce por meio do Inpev,17 Já o governo responde pela fiscalização, pelo licenciamento das unidades de recebimento e pelo suporte aos fabricantes na promoção de ações de educação ambiental e de orientação técnica necessárias ao bom funcionamento do sistema. Fonte: Site: Inpev - www.inpev.org.br/


20

O Celeiro

CAMPOS NOVOS, QUINTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2014

Semana do Campo Limpo da Coocam tem programação completa A Coocam – Cooperativa Agropecuária Camponovense definiu seu calendário de atuação na Semana do Campo Limpo, programa que a Coocam realiza anualmente com o recolhimento itinerante de embalagens vazias de agrotóxicos, em todas as unidades da Cooperativa. O programa acompanha o Dia Nacional do Campo Limpo, instituído pelo Inpev, que se dá em 18 de agosto. Neste ano, o trabalho inicia no dia 16 de agosto e segue até dia 22 com inúmeras atividades destinadas a diversos públicos. Recolhimento de embalagens, conscientização ambiental e repasse de conhecimento então entre as atividades que serão desenvolvidas pela equipe de colaboradores da Cooperativa que tem como organizadora a engenheira agrônoma da Coocam, Ilsa Cristina Bilck. No dia 16 de agosto, a Coocam abre seu calendário de atividades com um pedágio de conscientização, em conjunto com a Central de Recolhimento de Embalagens de Agrotóxicos Vazias de Campos Novos, a ARARCAM, que vai acontecer no centro da cidade, com a distribuição de mudas de árvores nativas. No dia 18, Dia Nacional do Campo Limpo, a Coocam participa de evento promovido pela ARARCAM, lá mesmo na Central, onde recebe estudantes para

acompanhamento dos trabalhos feitos pela entidade e conscientização ambiental dos mesmos. No dia 19 é dada a largada do recolhimento de embalagens de agrotóxicos itinerante da Cooperativa. Neste dia é a filial de Barracão, no Rio Grande do Sul, que durante todo o dia que abre suas portas para receber as embalagens dos produtores rurais clientes ou associados da Coocam. Dia 20 é a vez de Curitibanos recolher as embalagens de agrotóxicos vazias de seus produtores e dia 21 o recolhimento acontece em Lebon Régis. Em Campos Novos, dia 22, o recolhimento das embalagens dos produtores e clientes da Coocam vai acontecer na Ararcam, e não nas instalações da matriz. Isso, para evitar um embarque e desembarque das mesmas, já que todas as embalagens arrecadadas com a campanha de 2014 serão destinadas a Central de Campos Novos. Segundo Cristina, é importante que os produtores tenham em mente que no momento da entrega, as embalagens de agrotóxicos vazias precisam estar tríplice lavadas, devidamente acondicionadas e com as tampas separadas dos vasilhames. Ao longo dos três anos de realização do projeto pela Cooperativa 63,4 mil embalagens de agrotóxicos já foram

Fotos:Divulgação/Coocam

Imagens:Divulgação/Inpev


O Celeiro

CAMPOS NOVOS, QUINTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2014

Fotos:Divulgação/Coocam

retiradas das lavouras. De acordo com o presidente da Coocam, João Carlos Di Domênico, essa é uma iniciativa importante, que ressalta a conscientização ambiental e a produção com o menor dano possível ao meio ambiente. “Nós da Coocam trabalhamos no sentido de gerar ao produtor a

consciência de sua responsabilidade frente a esse processo da entrega das embalagens. Através da Semana do Campo Limpo a Coocam dá os esclarecimentos necessários aos produtor e possibilita a entrega de forma correta das embalagens utilizadas em sua produção”, explicou João Carlos.

Nós da Coocam trabalhamos no sentido de gerar ao produtor a consciência de sua responsabilidade frente a esse processo da entrega das embalagens. Através da Semana do Campo Limpo a Coocam dá os esclarecimentos necessários aos produtor e possibilita a entrega de forma correta das embalagens utilizadas em sua produção.

João Carlos Di Domênico

21


22

O Celeiro

CAMPOS NOVOS, QUINTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2014

Recolhimento Itinerante:

Um incentivo a arrecadação das embalagens vazias de agrotóxicos Em apenas três edições, mais de 48 mil embalagens de agrotóxicos vazias foram retiradas do campo. Esse foi o somatório do recolhimento itinerante das Semanas do Campo Limpo da Coocam, realizadas em 2011, 2012 e 2013 pela Cooperativa. Uma semana dedicada à arrecadação das embalagens de agrotóxicos vazias dos produtores da matriz e das filiais da Cooperativa Agropecuária Camponovense - Coocam. Esse é um dos objetivos da Semana do Campo Limpo, que acontece sempre atrelada aos eventos do Dia do Campo Limpo, promovido pelo Inpev – Instituto Nacional de Processamento de Embalagens de Agrotóxicos Vazias, em 18 de agosto, do qual a Cooperativa tem o apoio. Além das arrecadações itinerantes, os eventos ainda visam conscientizar o produtor rural da importância da devo-

lução das embalagens, bem como de sua participação para que este processo, regulamentado por lei, aconteça de forma efetiva. O aumento dos números de uma edição para outra, sendo que em 2011 foram recolhidos apenas seis mil embalagens, em 2012 esse número quase triplicou, chegando a 17 mil, e em 2013 mais do somatório dos dois anos anteriores foi recolhido, chegando a marca de 25 mil embalagens, demonstra o envolvimento dos produtores rurais com o projeto, que já na segunda edição superou a expectativa inicial de recebimento, de 10 mil embalagens e na terceira edição duplicou essa marca. A Semana do Campo Limpo é realizada nos municípios de Lebon Régis, Curitibanos, Campos Novos, e Barracão, no Rio Grande do Sul, onde a Coocam tem instaladas suas sedes, porém se estende a

Depois da coleta as embalagens são destinadas a Ararcam, em Campos Novos Anualmente, depois de feita a coleta das embalagens de agrotóxicos vazias em todas as unidades da Cooperativa Agropecuária Camponovense – Coocam, elas são encaminhadas para a Associação de Revendas de Agrotóxicos da Região de Campos Novos (ARARCAM). A central, da qual a Coocam é associada, desde a fundação em 2002, trabalha para sensibilizar os produtores sobre a importância da destinação correta dos produtos utilizados nas lavouras e ainda faz a destinação dos vasilhames de forma correta, ou para reciclagem, ou para incineração, conforme necessário. A engenheira agrônoma da Coocam, Ilsa Cristina Bilck, que acompanha esse processo ressalta que de nada adiantaria proceder com o recolhimento itinerante se não houvesse um local apropriado para a entrega do material recolhido. “A Coocam por questões legais é associada da Ararcam junto com outras cooperativas da região. Lá as embalagens ganham a destinação de adequada e são acondicionadas com propriedade”, explicou. Já o engenheiro agrônomo encarregado da Central, Marcos A. Ubaldo Filho, destaca que o objetivo principal da entidade, além do destino correto do

material entregue é a defesa das questões ambientais, com a promoção, apoio e incentivo de ações, inclusive de caráter educacional, em prol de um mundo melhor. Nesse momento, da realização da Semana do Campo Limpo da Coocam, este

trabalho de transporte e entrega das embalagens na Central é feita pela Cooperativa, com exceção de Campos Novos, já que a arrecadação vai acontecer na sede da Ararcam mesmo, no dia 22. No entanto, em outras épocas do ano, o departamento técnico

Foto:Arquivo/OCeleiro

da Coocam recomenda que as embalagens, quando retiradas da propriedade e devidamente lavadas e acondicionadas, sejam entregues diretamente na Central em Campos Novos, que fica localizada na BR 282, KM 349.


CAMPOS NOVOS, QUINTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2014

todas as cidades nas quais a Cooperativa atua. Depois de recolhidas às embalagens, elas são transportadas para as Centrais de Arrecadação de Campos Novos. “Ficamos satisfeitos com o envolvimento que os produtores rurais tem demonstrado com a iniciativa. Haja vista que além de aumentarmos o número de embalagens recebidas, elas ainda se encontram em melhores condições, passando pelo processo de lavagem correto, e acondicionadas de maneira adequada”, explicou a Engenheira Agrônoma da Coocam e coordenadora da Semana do Campo Limpo, Ilsa Cristina Bilck. Em Campos Novos, o produtor Nelson Carvalho, associado da Coocam, entregou mais de mil embalagens de agrotóxicos na Cooperativa só no ano de 2011. Segundo Nelson, a rotina de entrega acontece anualmente, e durante todo o ano agronômico, as embalagens ficam devidamente acondicionadas na propriedade, tríplice lavadas, com tampas e rótulos separado, e dentro das caixas de papelão. “Tenho esse cuidado com as embalagens logo após a aplicação do produto. É uma rotina de trabalho que fazemos sempre, então não é difícil de se manter. Além disso, não reutilizamos nada que provenha dos defensivos, nem embalagens, nem papelão nada. Tudo é entregue para a reciclagem”, explicou. Segundo o Presidente da Coocam, João Carlos Di Domênico, o número expressivo do recebimento da Semana do Campo Limpo da Coocam, demonstra a preocupação dos produtores rurais em fazer sua parte para a manutenção do meio ambiente saudável. “Através dessa

O Celeiro

23 Fotos:Divulgação/Coocam

atitude, o produtor previne a contaminação da terra, das águas, da sua propriedade, e das pessoas que trabalham nela. É o homem do campo trabalhando em parceria com o Meio Ambiente, demonstrando que a sustentabilidade é possível e que se pode sim, produzir com o menor dano possível a natureza”, disse. E não apenas os produtores rurais são envolvidos nesse processo de arrecada-

ção. Em 2012 a Semana do Campo Limpo iniciou com uma palestra aos alunos da Escola Municipal Itinerante Estudando e Plantando, em Campos Novos, onde todos os adolescentes são filhos de produtores rurais do interior do município. Esta foi uma das maneiras encontrada pela Coocam para disseminar o conhecimento entre àqueles que podem fazer a diferença, e deixá-los inteirados de suas obrigações quanto

à produção rural e a necessidade de preservação do meio ambiente. “Incluímos essa ação no calendário deste projeto, por acreditar que a mudança acontece na base, ou seja, se formamos esses adolescentes adequadamente, dentro de poucos anos teremos uma mudança de consciência por completo, pois são eles que devem assumir as lavouras e plantações de seus pais”, finalizou João Carlos.


24

O Celeiro

CAMPOS NOVOS, QUINTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2014

Semana do Campo Limpo Coocam: um programa de incentivo a sustentabilidade

Objetivo:

Arrecadações itinerantes de embalagens de agrotóxicos vazias e conscientização do produtor rural da importância da devolução das embalagens, bem como de sua participação para que este processo, regulamentado por lei, aconteça de forma efetiva.

Metodologia:

Uma semana dedicada à arrecadação itinerante de embalagens de agrotóxicos vazias dos produtores da matriz e das filiais da Cooperativa Agropecuária Camponovense - Coocam. Esta é a ação da Semana do Campo Limpo, que acontece sempre atrelada aos eventos do Dia do Campo

Limpo, promovido pelo Inpev – Instituto Nacional de Processamento de Embalagens de Agrotóxicos Vazias, em 18 de agosto. Além da estrutura para o recolhimento e transporte das embalagens, de forma adequada, a Coocam promove ainda a conscientização dos produtores associados ou clientes, com a entrega de folders e materiais explicativos e conversas informais sobre os métodos de entrega, tríplice lavagem e a importância destes procedimentos. A Semana do Campo Limpo é realizada nos municípios de Lebon Régis, Curitibanos, Campos Novos, e Barracão, no Rio Grande do Sul, onde a Coocam tem instaladas suas sedes, porém se estende a todas as cidades nas quais a Cooperativa atua. Depois de recolhidas, as embalagens são destinadas as Centrais de Recolhimento da região.

Resultados atingidos até o momento Com envolvimento do Departamento Técnico, departamento de Comunicação e Marketing e Operacional da matriz e filiais, em apenas três edições, mais de 62 mil embalagens de agrotóxicos vazias foram retiradas do campo. Esse foi o somatório do recolhimento itinerante das Semanas do Campo Limpo da Coocam, realizadas em 2011, 2012 e 2013 pela Cooperativa. Em 2014 nova edição foi feita atrelada ao Dia de Campo da Coocam em Lebon Régis e 14,5 mil embalagens foram recolhidas.

Os números nos três anos 6 mil embalagens 2011 recolhidas e destinadas 2012

2013

2014

17,1 mil embalagens recolhidas e destinadas 21,5 mil embalagens e 4,3 mil tampas recolhidas e destinadas Total: 25,8 mil embalagens a menos de poluição nos campos Primeira Ação, feito no município de Lebon Régis no Dia de Campo da Coocam, com 14,5 mil embalagens recolhidas.

O aumento dos números de uma edição para outra, sendo que em 2011 foram recolhidos apenas seis mil embalagens, em 2012 esse número quase triplicou, chegando a 17 mil, e em 2013 mais do somatório dos dois anos anteriores foi recolhido, chegando a marca de 25 mil embalagens, demonstra o envolvimento dos produtores rurais com o projeto, que já na segunda edição superou a expectativa inicial de recebimento, de 10 mil embalagens e na terceira edição duplicou essa marca.


CAMPOS NOVOS, QUINTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2014

Tipos de Lavagem

25

O Celeiro

Tríplice Lavagem

Lavagem Sob Pressão

Como o próprio nome diz, a tríplice lavagem consiste em enxaguar três vezes a embalagem vazia, seguindo os seguintes critérios: Após esvaziar a embalagem, deve ser colocada água limpa até ¼ de seu volume (25%); A tampa deve ser recolocada e fechada com firmeza e o recipiente agitado vigorosamente em todos os sentidos, durante cerca de 30 segundos para que os resíduos do produto que estiverem aderidos às superfícies internas se dissolvam; A água de enxague deve ser despejada dentro do tanque do equipamento de aplicação (para ser reutilizada nas áreas recém-tratadas), com cuidado para não espirrar. A embalagem deve ficar sobre a abertura do tanque por aproximadamente mais 30 segundos, para que todo o conteúdo escorra; Depois de repetir esses procedimentos mais duas vezes, a embalagem deve ser inutilizada, perfurando-se o fundo com objeto pontiagudo.

Outro método para realizar a limpeza das embalagens é a lavagem sob pressão, sistema integrado ao pulverizador. Este equipamento utiliza a própria bomba do equipamento para gerar a pressão para o bico de lavagem. A água limpa utilizada para lavagem das embalagens é captada pela bomba do pulverizador de um tanque extra que pode ou não estar integrado ao equipamento. Nesse procedimento, devem ser observados os seguintes passos: Após o esvaziamento da embalagem, encaixá-la no funil instalado no pulverizador; Acionar o mecanismo para liberar o jato de água limpa; Direcionar o jato de água para todas as paredes internas da embalagem por 30 segundos; Transferir a água de lavagem para o interior do tanque do pulverizador; Inutilizar a embalagem perfurando o fundo.

Imagens:Divulgação/Inpev

Devolução das Embalagens Após o processo de lavagem, o agricultor deve armazenar as embalagens vazias com suas respectivas tampas, rótulos e caixas em um lugar adequado, separadas por tipo. Essas embalagens devem ser devolvidas na unidade de recebimento indicada pelo revendedor no corpo da Nota Fiscal até o prazo de um ano após a compra. Caso sobrem frações do produto na embalagem, a devolução deve ser feita até seis meses após o vencimento. A preparação das embalagens para a devolução também requer alguns cuidados, conforme o tipo: Embalagens flexíveis: devem ser esvaziadas completamente no momento do uso e guardadas dentro de uma embalagem de resgate* fechada e identificada. Embalagens rígidas: após o processo de tríplice lavagem ou lavagem sob pressão, devem ser tampadas e acondicionadas, de preferência na própria caixa de embarque que, por ser do tipo não lavável, não deve ser perfurada. Embalagens secundárias: devem ser armazenadas separadamente das embalagens contaminadas e podem ser utilizadas para acondicionar as embalagens rígidas. Imagens:Divulgação/Inpev

* A embalagem de resgate, ou saco de resgate, é uma embalagem plástica, encontrada nos tamanhos de 50 e 100 litros e utilizada para acondicionamento, transporte e destinação de embalagens flexíveis. Recomenda-se que a indústria fabricante e/ou canais de distribuição (revendas e cooperativas) disponibilizem na sua lista de preços essas embalagens. Fonte: Site: Inpev - www.inpev.org.br/


26

O Celeiro

CAMPOS NOVOS, QUINTA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2014

Profile for coocam

Semana do Campo Limpo 2014  

Semana do Campo Limpo 2014  

Profile for coocam
Advertisement