Page 1

232

junho, julho 2015

SOMOS TODOS

CORRUPTOS? Por que condenamos  a corrupção pública, mas perdoamos o “jeitinho brasileiro”. V E J A + PÁ G . 2 0

Os embates da ética pública x a desonestidade na vida privada.


Maquiagem e dire巽達達o n達o combinam.


EDITORIAL A importância da ética no dia a dia

O que seria de nossa vida sem fortes princípios éticos a nos reger? Como

seria nossa existência em sociedade sem os balizadores mínimos de respeito ao próximo? Difícil imaginar. Por mais que muitas vezes surjam questionamentos acerca de nossa sociedade e do momento atual em que vivemos, seja nas esferas políticas ou até mesmo privadas, sabemos quais são os princípios morais que devemos seguir.

Muitos caem na armadilha fácil da corrupção, não falando apenas do

desvio de milhões, mas também das pequenas infrações cotidianas: furar fila, estacionar em vagas reservadas a deficientes e idosos, roubar sinal de TV a cabo, colar na prova... são tantas as tentações diárias...

No entanto, é imperativo que nos atenhamos a nossos princípios éticos

e morais para que possamos efetivamente ter uma sociedade mais justa e exigir essa mesma postura de nossos governantes. Como ir às ruas exigir lisura de nossos representantes se não conseguimos ser honestos em nosso dia a dia?

É esse tema tão importante e atual que a Vida Universitária aborda

na matéria de capa desta edição. Esperamos que cada leitor reflita sobre o seu papel na construção de um país mais justo por meio de sua conduta diária. É muito importante protestar por um Brasil melhor, mas também é fundamental entender nosso papel nessa construção.

Ainda nesta edição, falamos com muito orgulho de dois egressos do curso

de Direito que lutam diariamente no Ministério Público Federal para que nosso país tenha justiça e puna de forma adequada os criminosos que dilapidam o patrimônio da nação.

Também damos um breve mergulho no passado, ao contar um

GRÃO-CHANCELER Dom José Antônio Peruzzo Vida Universitária é uma publicação bimestral da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, registrada sob o nº 01, do livro B, de Pessoas Jurídicas, do 4º Ofício de Registro de Títulos, em 30/12/1985 – Curitiba, Paraná. CONSELHO EDITORIAL – PUCPR Reitor Waldemiro Gremski Vice-Reitor Paulo Otávio Mussi Augusto Pró-Reitor de Graduação Vidal Martins Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação Paula Cristina Trevilatto Pró-Reitor Comunitário José Luiz Casela Pró-Reitor Administrativo e de Desenvolvimento Paulo de Paula Baptista Diretora de Relacionamento Silvana Hastreiter COORDENAÇÃO Diretoria de Marketing e Comunicação do Grupo Marista Eduardo Correa Vivian Lemos CONTEÚDO

pouco da história da construção da logomarca da PUCPR. Será que você sabe todo o significado que ela carrega? Outros temas atuais e relevantes, como a vigilância que sofremos rotineiramente na internet, estão em pauta. Esperamos que apreciem mais uma edição da Vida Universitária! Não se esqueçam de compartilhar suas impressões e acompanhar nosso conteúdo online em www.pucpr.br/vidauniversitaria.

Boa leitura a todos! Waldemiro Gremski Reitor

Coordenação Iraisi Gehring Edição Andrea Ferraz MTB 94394/025/RS Projeto Gráfico Brainbox Diagramação Sacha Bezrutchka Revisão Fabiane Lima Ferreira Paula Mosimann ANUNCIE Tailor Media Content & Media Projects (41) 3153-1919 www.tailormedia.com.br Impressão Serzegraf 15 mil exemplares Contato Rua Imaculada Conceição, 1155 – 2º andar Prado Velho – Curitiba – Paraná CEP: 83215-901 Fone: (41) 3271-1515 www.pucpr.br/vidauniversitaria conteudo@grupomarista.org.br


NESTA EDIÇÃO 20 Capa _

A corrupção está enraizada em nosso DNA?

08

Filhos da PUC _

12

Mercado de Trabalho _

18

Nanoatitudes _

A rotina do procurador Roberson

Profissões da área ambiental

A mensagem de esperança

Henrique Pozzobon nas

estão em alta

por trás dos origamis do

investigações da Operação Lava Jato

projeto Dobrando Alegrias


28

32

36

Uma visita ao Laboratório de

É possível manter o contato com a

Alunos contam a sua experiência

Anatomia da PUCPR

espiritu­alidade em uma sociedade

nos cenários gélidos da Finlândia

Diário de Bordo _

Ao Infinito e Além _

Mundo Afora _

que prioriza o consumo?

40

44

48

O sociólogo David Lyon fala

Começam a sair do forno os

A história da criação da

sobre os desafios de viver em um

primeiros produtos do Centro de

logomarca da PUCPR

mundo conectado e sob vigilância

Inovação da Microsoft em Curitiba

Vírgula _

Search Lab _

Raízes _


FILHOS DA PUC

08

POR DANIELA LICHT

Paixão pela justiça social Egresso da PUCPR refaz sua trajetória profissional e revela como conquistou o sonho de ser Procurador da República e de colaborar com a justiça e a democracia nacionais Desde a época da universidade, a Procu-

que é a sua grande paixão: a promoção da

radoria da República estava no foco de

justiça social e de ações penais a quem comete

Roberson Henrique Pozzobon. Egresso do

crimes federais. O procurador fala a seguir

curso de Direito da PUCPR, ele assumiu

sobre sua história, preparação profissional e

o cargo de Procurador da República em

os principais desafios da carreira:

2012 e, atualmente, integra a força-tarefa responsável pelas investigações da Ope-

Como a escolha do Direito aconteceu em sua

ração Lava Jato, que apura o esquema de

vida?

lavagem de dinheiro na Petrobras.

Estudei a maior parte do ensino fundamental e médio no Colégio Militar de Curitiba. No

Entre pilhas e pilhas de documentos e às

“terceirão”, estava em dúvida entre Engenharia

voltas com uma grande equipe formada

Civil e Direito. Gosto da lógica da matemática,

por procuradores, assessores e analistas,

mas também queria trabalhar com o exercício

Roberson põe em prática diariamente aquela

da argumentação e do convencimento.

“Nossa equipe quer investigar e responsabilizar aqueles que praticaram crimes e outros atos ilícitos em detrimento da população brasileira e da União.”

Roberson Henrique Pozzobon


09

© LA PHOTO

Formado pela PUCPR, Roberson constrói uma sólida carreira na Procuradoria da República, atuando na Operação Lava Jato.


Fiz o vestibular para os dois cursos e fui aprovado,

Como é a sua rotina? Que aprendizado a

chegando a cursá-los simultaneamente por um

Lava Jato está trazendo para sua carreira?

tempo. Quando as possibilidades profissionais

Na força-tarefa nem é possível falar em uma

que cada curso me proporcionaria ficaram mais

rotina. A cada dia surgem novas frentes de

claras, me identifiquei mais com o Direito e

investigação, novas prioridades, novos fatos a

resolvi mergulhar de cabeça. Fiz então diversos

serem elucidados e processados.

10

estágios acadêmicos: em departamentos A dinâmica dos trabalhos é interessante, pois

escritórios de advocacia e, no último ano de

envolve outros órgãos e instituições públicas,

faculdade, no Ministério Público Federal.

como a Receita e a Polícia Federal, o Tribunal de Contas da União, entre outros. Nossa equipe

Como foi esse primeiro contato e quando

é grande e formada por pessoas com diversos

você decidiu que queria ser procurador?

perfis, mas todas com o mesmo propósito de in-

Durante o estágio, aprendi as importantes

vestigar e responsabilizar aqueles que pratica-

missões do Ministério Público Federal e

ram crimes e outros atos ilícitos em detrimento

ficou claro que tinha encontrado minha

da população brasileira e da União. A experiên-

vocação. Essa é uma profissão que

cia de atuar lado a lado com colegas

possibilita aos seus membros iniciativa e

mais experientes e par-

independência para promover a justiça

ceiros de outras ins-

social. Atuar como Procurador da

tituições tem sido

República virou meu sonho profissional e,

absolutamente

ao mesmo tempo, meu desafio.

fantástica.

SAIBA Conheça mais sobre a trajetória do Procurador da República e egresso da PUCPR em www.pucpr. br/vidauniversitaria.

Legado familiar Os laços que unem a família Castor de Mattos são

eu cum-

de afeto – e de uma paixão singular pelo Direito. O

pri minha

Procurador da República no Paraná Diogo Castor

promessa em

de Mattos, nascido em Curitiba, em 1986, tem dois

2013, quando tomei

irmãos advogados, mãe procuradora e pai também

posse como Procurador da República”, diz.

procurador falecido. Esse ambiente familiar tornou a escolha pela profissão quase natural.

Atualmente, Diogo, além de docente da PUCPR, é colega de Roberson, com quem atua na Operação Lava

Formado em Direito pela PUCPR em 2009, Diogo optou

Jato. Para ele, a principal qualidade de um procurador

pela Procuradoria dois anos antes, quando o pai adoeceu.

é jamais perder a capacidade de indignação com o

“Prometi que um dia eu seria Procurador da República.

sistema. “Lidamos diariamente com injustiças sociais

Achava que era uma forma de trabalhar para tornar a

e trabalhamos para melhorar questões de interesse de

sociedade mais justa. Meu pai faleceu no mesmo ano e

toda a sociedade”, resume.

© DIVULGAÇÃO - MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ

jurídicos de empresas públicas e multinacionais,


VOCĂŠ PASSA MUITO TEMPO EM CASA ESTUDANDO. Mais um bom motivo para decorar sua casa com as melhores marcas do Brasil.

/moveiscampolargo | moveiscampolargo.com.br


MERCADO 12 DE TRABALHO POR ADRIANA MUGNAINI

Empregos verdes em alta A economia verde oferece uma grande oportunidade para a abertura de novas frentes no mercado de trabalho

O mercado ambiental pode trabalhar de forma multidisciplinar, agregando conhecimento.


13 Existem

Para Renato, o mundo começa a valorizar as profissões ligadas ao meio ambiente.

cerca

de

3

milhões

de

correspondam a apenas 6% do total de postos de trabalho formais, a projeção do Banco Mundial e da Organização

© DIVULGAÇÃO

empregos verdes no Brasil. Embora eles

Internacional do Trabalho (OIT) é de que o aumento da oferta desses empregos no país não pare até 2030. Eles devem crescer a uma taxa de 1,13% ao ano, alavancados por diferentes atividades econômicas, cada uma delas comprometida com a melhoria e a conservação do meio ambiente. O potencial desse mercado é reconhecido por diversas empresas e instituições de ensino que formam profissionais para atuar na área. Todas aquelas atividades que têm alguma ligação com o impacto ambiental são consideradas verdes – de produção e manejo florestal à energia renovável e até ecodesign. Mas onde estão esses empregos? Das 675 classes de atividades econômicas da Classi© SHUTTERSTOCK

ficação Nacional de Atividades Econômicas do IBGE (CNAE), a OIT selecionou 76. São funções do segmento ambiental: produção e manejo florestal, geração e distribuição

NA PUCPR A PUCPR vem formando engenheiros ambientais há mais de dez anos. Esses egressos buscam estudantes em formação para compor suas equipes de trabalho. Um exemplo é Renato Muzzolon Júnior, formado na sexta turma do curso da universidade. Diretor da Avistar Engenharia, ele emprega 18 profissionais da área ambiental. Em seu currículo, Muzzolon atuou como consultor ambiental de obras em rodovias, prestou serviços de supervisão ambiental nas obras de adequação viária das Marginais Tietê (SP) e Pinheiros (SP) e fez a gestão ambiental de shoppings e estádios de futebol. As ações de sustentabilidade do curso de Engenharia Ambiental da PUCPR podem ser acessadas no site https://pucsustentabilidade.wordpress.com. Em 2015, os estudantes desenvolverão sistemas econômicos de energia e uma compostagem domiciliar.


de energias renováveis, saneamento, gestão

um dos maiores grupos de recrutamento e

de resíduos e riscos ambientais, construção,

seleção do país. Segundo ela, empresas do

comercialização, manutenção e uso de

setor químico, de agronegócios, petroquímico,

edifícios, fabricação de álcool, transmissão

de papel e celulose, de metalurgia, de

de energia elétrica, gestão de redes de

siderurgia e de bens de capital, além da cadeia

esgoto, tratamento e disposição de resí-

automotiva, seguida das indústrias de bens de

duos, construção de redes de abastecimen-

consumo, são todas interessadas em recrutar

to, defesa civil, entre outras. Atividades

profissionais verdes.

14

que envolvem profissionais das áreas de Engenharia Ambiental, Civil, Florestal e

O estudo da OIT, que foi produzido em

Química, geógrafos, geólogos, biólogos,

2009, por Paulo Muçouçah, coordenador

consultores ambientais, sanitaristas, polici-

de programas na instituição, informa que

ais, consultores de qualidade e advogados.

a oferta de empregos verdes no Brasil será ainda maior à medida que os setores

“A cada ano ampliam-se os segmentos

econômicos forem se “esverdeando”, ou seja,

industriais e de bens de consumo que buscam

introduzindo tecnologias ambientalmente

esses profissionais”, diz Mariciane Gemin,

sustentáveis. “O mundo passa por um

vice-presidente e regional head da ASAP Brasil,

processo de valorização de profissões

Elas vieram pra ficar!

Conheça as profissões do futuro na área ambiental: LIXÓLOGO: é o gestor de resíduos, que irá propor soluções inteligentes para os detritos do meio urbano, como, por exemplo, a transformação do lixo em fontes energéticas.

FAZENDEIRO VERTICAL: profissional que mistura planejamento urbano com agronomia, projetando fazendas verticais para a produção de hortifrutigranjeiros em edifícios.

que monitora empresas e órgãos governamentais para fazer alterações meteorológicas, como, por exemplo, fazer chover em áreas secas. Loucura? Na China, o governo já está recrutando camponeses para a tarefa.

© SHUTTERSTOCK

FISCAL DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS: profissional

SAIBA Conheça o livro “Empregos Verdes no Brasil: quantos são, onde estão e como evoluirão nos próximos anos”, no link www.oitbrasil. org.br/node/256, e o último censo do Brasil, de 2010, com os números de todos os profissionais da área ambiental em www.ibge.gov.br.


15 ligadas ao meio ambiente. Isso acontece não só pela necessidade de preservação dos recursos naturais, mas também porque

© DIVULGAÇÃO

Guilherme: é preciso ter outras habilidades além da formação técnica.

o investimento na área gera retorno financeiro e economia de recursos para as empresas”, explica o engenheiro ambiental Renato Muzzolon Júnior, que é presidente da associação paranaense da categoria. A expectativa, de acordo com o relatório da

gestão de pessoas, planejamento, captação

OIT, que mapeia os trabalhos verdes no Brasil

de recursos, políticas públicas e aspectos

e aponta sua evolução nos próximos anos, é de

socioeconômicos relacionados ao meio

acrescentar novos argumentos ao debate em

ambiente”, explica.

torno dos rumos do desenvolvimento do país. Segundo a organização, a adoção de padrões

A postura dos consumidores, as obrigatoriedades

de produção e consumo mais sustentáveis do

legais e o mercado global incentivam a

ponto de vista ambiental não é contraditória

contratação de profissionais da área ambiental.

com a geração de empregos, a produtividade e

Nesse contexto, quem souber trabalhar com

a competitividade das empresas e o progresso

redução de consumo, eficiência energética

econômico e social dos países.

ou mitigações de impactos vai garantir seu emprego.

MERCADO DE OPORTUNIDADES

Esse cenário favorável pode ser comprovado,

O biólogo Guilherme Karam nunca teve

por exemplo, com o Pacto Global, desenvolvido

dificuldade para encontrar emprego na sua

pela Organização das Nações Unidas (ONU)

área. Atualmente, ele é coordenador de

para promover o crescimento sustentável das

Estratégias de Conservação da Fundação

instituições. Segundo o site www.pactoglobal.

Grupo Boticário de Proteção à Natureza e

org.br, o Brasil possui 650 signatários,

credita os diversos estágios e voluntariados

entre empresas, ONGs, sindicatos e demais

feitos na Graduação como fatores positivos

parceiros. No mundo, são mais de 5,2 mil

para a carreira. “Apenas a boa formação técnica

organizações.

não é suficiente. É preciso habilidades com


COM QUAL BRASIL VOCÊ QUER FALAR?

O Grupo OM é especializado em comunicação regional. Porque entende que regionalização é muito mais do que mudar o sotaque ou comprar mídia localmente. É conhecer a realidade das marcas em cada mercado e desenhar estratégias vencedoras para superar metas. Com empresas independentes, mas que trabalham de forma sinérgica, o Grupo OM oferece a força da especialização com o poder da integração.


NANOATITUDES

18 © SHUTTERSTOCK

POR LUCIANA ZENTI

O tsuru simboliza felicidade, boa sorte e saúde.

Origamis que transformam A milenar arte japonesa de fazer dobraduras ajuda a recuperar pacientes internados em hospitais de Curitiba e Itajaí

No origami, cada dobradura traz uma

em 2013 pela professora Lina Saheki, do

mensagem. O tsuru, uma das figuras mais

Núcleo de Línguas da PUCPR, e é promovido

tradicionais, é uma ave sagrada no Japão,

pelo Tomodachi – Centro Ásia (instituição que

que representa felicidade, boa sorte e saúde.

tem como missão disseminar a cultura oriental

Recebê-lo das mãos de alguém tem um

em Curitiba). A proposta da ação voluntária

significado muito importante para os japoneses:

é visitar hospitais e mostrar a crianças e

é um pedaço de amor materializado em papel.

adultos internados que é possível acreditar nas pequenas coisas e transformar-se em

Esse é o espírito que move os 70 voluntários

um agente da beleza. Cada um deles recebe

do projeto Dobrando Alegrias, que foi criado

das mãos de um voluntário uma dobradura


19

para ser doada a alguém especial ou em sinal

TODOS SÃO BEM-VINDOS

de agradecimento. Quem se interessa em

O Dobrando Alegrias é realizado em

aprender a técnica recebe orientações e um kit

seis hospitais de Curitiba e, desde abril

com dois diagramas (que são o passo a passo

deste ano, está presente em Itajaí (SC).

da montagem) e três folhas de dobradura.

A iniciativa também faz parte do Projeto

Recentemente, o Dobrando Alegrias recebeu

Comunitário da PUCPR. Cerca de 1.500

um importante reconhecimento: ficou em

pessoas são beneficiadas por mês. No

terceiro lugar no Prêmio Elas Fazem, do

Dia da Gentileza e em outras datas

Grupo Gonzaga.

comemorativas, também são entregues dobraduras, que representam um coração

Lina aprendeu a transformar a dor em amor

com asas, às pessoas nas ruas, para que

a partir de sua experiência pessoal. Em

doem a alguém querido.

2005, quando fazia Doutorado na Espanha, precisou ser internada às pressas para tratar

Para ser voluntário não é preciso ter

uma doença do coração. Passou 44 dias por

conhecimento de origami. Basta ter

lá e percebeu que os momentos solitários

vontade de participar. A cada três meses,

eram os mais difíceis. “Comecei a distribuir

são

dobraduras para todo mundo. Eles deixavam

interessados. A próxima está programada

de me ver como paciente e me viam como

para o segundo semestre de 2015.

realizadas

capacitações

com

os

transportadora da beleza”, lembra.

Qual a probabilidade de você estar andando na rua e receber um presente de um estranho, sem que ele peça algo em troca? A atitude, improvável para a maioria de nós, faz parte de uma ação realizada pelo Dobrando Alegrias pelo menos quatro vezes ao ano: no Dia da

© GIULIANO GOMES

Aceita uma gentileza?

Gentileza e em outras datas comemorativas. Dobraduras que representam um coração com asas são entregues às pessoas que estão nas ruas para serem doadas a alguém querido. No dia 29 de maio, o grupo mobilizou voluntários em sete cidades (Curitiba, São Paulo, Campos do Jordão, Santos, Barretos, Vitória e Itajaí) e fizeram uma grande distribuição de origamis. A próxima ação está prevista para julho. Gentileza gera gentileza.

Lina em ação: projeto Dobrando Alegrias leva esperança a pacientes em recuperação.


CAPA

20

POR ANA MARIA FERRARINI

A corrupção nossa de cada dia Os mesmos brasileiros que exigem um estado ético são também aqueles que atropelam as normas mais simples da convivência em grupo Falsificar a carteirinha de estudante. Fazer “gato” de TV a cabo. Comprar produtos falsificados. Furar fila. Tentar subornar o guarda para evitar multas. Colar na prova. Bater ponto para outro colega de trabalho. Apresentar atestado médico falso. Esses são exemplos de má conduta e comportamentos desonestos praticados no dia a dia e que afetam a legitimidade do grito contra a corrupção que se ouve

“Os cidadãos devem agir corretamente, não somente pela certeza da punição, mas, sobretudo, porque rejeitam a corrupção.” Maria Cecília Barreto Amorim Pilla

© SHUTTERSTOCK

nas ruas do Brasil.


21 Colar na prova vale? Não existe corrupção grande ou pequena, é preciso respeitar as normas.


© SHUTTERSTOCK

22 O “jeitinho brasileiro” de querer levar vantagem em tudo é um comportamento inaceitável.

“Todos os índices apontam que o nosso principal problema é a ‘grande corrupção’, ou seja, os contratos de milhões de dólares que são concedidos a quem paga propina.” Mariana Mota Prado

Mas não estaríamos, então, praticando os

devem agir corretamente, não somente pela

mesmos desvios tão alardeados pelo país,

certeza da punição, mas, sobretudo, porque

ainda que em proporções menores?

rejeitam a corrupção”, diz. Para ela, essas pequenas falhas éticas também devem ser

A historiadora Maria Cecília Barreto Amorim

repudiadas para que possamos viver melhor

Pilla afirma que não existe grande ou pequena

em sociedade.

corrupção. “Respeitar as normas é uma questão de civilidade”, observa a coordenadora

De acordo com Maria Cecília, julgar como

do curso de História da PUCPR. “Os cidadãos

normais essas atitudes ilícitas inviabiliza


23 Uma questão de ética A disciplina de Ética é oferecida aos

de reflexão autônoma, para que sejam

estudantes de todos os cursos da PUCPR por

capazes de se questionar sobre os valores

meio do Eixo Humanístico, do qual também

atrelados ao ‘politicamente correto’ ou

fazem parte a Filosofia e a Cultura Religiosa.

ao ‘socialmente aceitável’”, define Carlos

Atualmente, só no Câmpus Curitiba, a

Renato. Os ensinamentos ajudam o aluno a

disciplina é ministrada semestralmente a 63

superar o senso comum no campo da moral e

turmas, totalizando quatro mil estudantes.

a formular novos argumentos para a tomada

São 24 docentes com formação em Filosofia,

de decisões em situações de conflito ético.

todos mestres ou doutores. Durante a realização da disciplina, os O

coordenador

do

Eixo

Humanístico,

estudantes são desafiados a sair da “bolha”

professor Carlos Renato Monteiro, diz que

e conhecer a realidade local. Por meio de um

a disciplina aborda modelos éticos que

projeto de intervenção, os alunos conhecem

orientaram o agir humano ao longo da

outros universos e registram as situações e

história ocidental, além de tópicos como

os depoimentos por meio de fotos, vídeos

direitos humanos, alteridade, tolerância,

ou gravações de áudio. Esse material é

sustentabilidade, responsabilidade, consumo

apresentado para a turma como parte da

e cidadania.

avaliação e, em seguida, disponibilizado na internet via redes sociais ou canais de vídeo.

“A proposta é desenvolver nos estudantes

Os melhores trabalhos de cada turma são

as habilidades de senso crítico e construção

apresentados na Semana de Ética.


24 o direito de nos escandalizarmos com a

A doutora em Direito e diretora do Programa

corrupção no poder público. “Não praticar

de Pós-Graduação da Faculdade de Direito

esses desvirtuamentos éticos é exercitar a

da Universidade de Toronto (Canadá),

cidadania”, fala, enfatizando que é preciso

Mariana Mota Prado, avalia que a chamada

ter consciência de que o “jeitinho brasileiro”,

“pequena corrupção” não é tão presente

de querer levar vantagem em tudo, não é

no Brasil como em outros países. “Todos

mais um comportamento aceito.

os índices apontam que o nosso principal problema é a ‘grande corrupção’, ou seja,

SAIBA

Segundo ela, uma criança com acesso à

os contratos de milhões de dólares que são

educação e capaz de valorizar as ações

concedidos a quem paga propina”, fala.

Participe do quiz online em www.pucpr.br/ vidauniversitaria.

de cidadania também será um adulto mais propenso a evitar os “jeitinhos” diários,

Estudiosa do tema, Mariana afirma que

esses maus hábitos e pequenas infrações

o Brasil precisa investir agora em um

que desrespeitam os direitos humanos.

sistema institucional robusto para punir a

Derrapadas

comuns e reprováveis

• Não emitir nota fiscal

• Estacionar veículos, utilizar

• Andar com o veículo

• Vender ou comprar produtos

filas prioritárias e assentos

pelo acostamento

falsificados e/ou contrabandeados

destinados exclusivamente

• Evitar uma multa

• Não declarar produtos comprados

para idosos e deficientes

oferecendo dinheiro ao policial

no exterior, evitando

• Vender seu voto ou trocá-lo

• Furar fila

o recolhimento de impostos

por algum benefício pessoal,

• Fazer ligação ilegal de serviços

• Não declarar rendimentos

como emprego, material de

como TV a cabo e energia elétrica

extras no Imposto de Renda

construção, cesta básica

• Apresentar atestado médico falso

• Usar o vale-refeição para

• Na escola, dar uma olhada na

• Falsificar carteirinha de estudante

fazer compras no supermercado

resposta do colega (a famosa “cola”)

para obter descontos e benefícios


© SHUTTERSTOCK

25

corrupção. “Todas as maneiras de medir

lá, mas ao mesmo tempo não estamos tão

esse mal são imprecisas, pois não há

mal quanto a Somália, o último no ranking”

uma forma direta de calcular quanto de

(veja lista na próxima página).

corrupção existe em um determinado país”, salienta.

Segundo Mariana, o Brasil possui um arcabouço legal impressionante para lidar com

A

ONG

Transparência

Internacional

a corrupção, mas falha na aplicação dessas leis.

divulgou um ranking dos 175 países mais

“Temos todo o aparato legal para monitorar,

corruptos do mundo. O Brasil ocupa a

investigar e punir atos de corrupção, mas

69ª posição da lista. “O menos corrupto

precisamos aprimorar as instituições que

é a Dinamarca. Estamos longe de chegar

executam e aplicam essas leis”, reforça.

O acesso à educação valoriza as ações corretas e colabora para evitar maus hábitos, como jogar lixo na rua.


© SHUTTERSTOCK

26

O ranking dos melhores

Não praticar os pequenos desvirtuamentos éticos é uma maneira de exercitar a cidadania.

Posição

País

1ª ...............

Dinamarca

2ª ...............

Nova Zelândia

3ª ...............

Finlândia

4ª ...............

Suécia

5ª ...............

Noruega

Ela acredita que o principal obstáculo ao

6ª ...............

Suíça

combate à corrupção é esperar que os

7ª ...............

Cingapura

valores morais de cada indivíduo o induzam

8ª ...............

Holanda

à postura correta. “Isso não funciona em

9ª ...............

Luxemburgo

nenhum lugar. A corrupção acontece porque

10ª ..............

Canadá

o benefício é alto e o custo é baixo”, explica.

17ª ..............

Estados Unidos, Barbados,

69ª .............. 174ª ...........

Hong Kong e Irlanda

Assim, para combater a corrupção, é

Brasil, Bulgária, Grécia,

necessário reduzir os benefícios – como o

Itália, Romênia,

financiamento de campanhas políticas – e

Senegal e Suazilândia

aumentar os custos – como a punição efetiva

Coreia do Norte e Somália

de quem se envolve com corrupção.

Fonte: ONG Transparência Internacional.


O CONSUMO CONSCIENTE COMEÇA QUANDO VOCÊ ENTENDE O PROBLEMA.

Ajude a preservar nosso planeta. Faça uma doação: maternatura.org.br


DIÁRIO DE BORDO P O R R A FA E L A N T U N E S E L U C I A N A Z E N T I

A vida de quem lida com a morte Conheça o profissional que está por trás de todos os cuidados que envolvem o Laboratório de Anatomia da PUCPR

São nove horas por dia trabalhando em

Luiz tem 47 anos e entrou na PUCPR há

um ambiente que muitos não se arriscam

uma década, no Setor de Áudio e Vídeo,

a visitar. Logo na entrada do Bloco Verde,

flertando de longe com a saúde. Ficou por

um corredor pouco iluminado conduz à

lá até que a universidade abriu um concurso

porta verde em cuja placa se lê a inscrição:

interno para anatomista. Não teve dúvida

Laboratório de Anatomia. É ali que, há seis

e, meses depois, veio para o Laboratório de

anos, Luiz Aparecido Bueno das Dores –

Anatomia para ficar. Desde então, Luiz virou

um velho conhecido de todos no Setor de

especialista em corpo humano. Articulações,

Saúde da universidade – passa boa parte

tendões, músculos... bisbilhotou tudo. Aos

do seu tempo.

poucos aprendeu do que é feita uma pessoa.

28


29

© LEANDRO TAQUES

O Laboratório de Anatomia fica no final de um longo corredor escuro, no Bloco Verde. Mas quem entra se surpreende: o ambiente lembra muito um hospital.

HORA DE COMEÇAR O trabalho inicia cedo. Às sete horas,

estruturas que mostram o sistema arterial.

Luiz já está a postos. Toma um cafezinho

Tudo é organizado e disposto em uma

na pequena sala dos funcionários e

das seis salas reservadas para as aulas.

professores, que fica a cerca de dois metros

Terminado o estudo, Luiz guarda as peças

de um tanque com membros mergulhados

em seus devidos lugares.

em formol. Energia recarregada, é hora

SAIBA Quer conhecer algumas histórias curiosas do trabalho do Luiz? Acesse www.pucpr.br/ vidauniversitaria.

de buscar o material de estudo. São 12

FORMOL, OSSOS E CADÁVERES

cursos atendidos e há muito a fazer. Na

Duas salas guardam os materiais. Na do

sala de preparo, ele seleciona as peças

Ossário ficam as chamadas peças secas –

que constam em uma relação do professor

ossos e estruturas anatômicas feitas de resina.

da disciplina. Em uma aula sobre sistema

Em outro espaço, estão os tanques grandes,

cardíaco, por exemplo, cabe a ele separar

onde estão os cadáveres inteiros. Já os

um coração aberto, outro fechado, troncos

membros são mantidos em caixas dentro do

e ramificações que saem do órgão e

formol, que serve para conservar os corpos.


© LEANDRO TAQUES

30 Além de membros e cadáveres, os alunos e professores utilizam peças de resina durante as aulas realizadas no Laboratório de Anatomia.

Recentemente, a PUCPR tem utilizado outra

7h e 22h para estudar. Quase todos os dias

técnica de conservação, à base de glicerina.

também recebe grupos de escolas que visitam

Com isso, as articulações são preservadas,

o local e outras instalações da universidade.

garantindo que seja possível fazer o chamado

Uma vez por ano, ajuda a fazer o inventário

“movimento de dobradiça” em braços e pernas,

das peças. Tudo é contado: materiais já

por exemplo.

existentes, peças e corpos que chegaram. É o momento também de descartar o que não

SEGURANÇA

tem mais condição de uso. A universidade é

No trabalho, ele utiliza alguns equipamentos

comunicada e os cadáveres encaminhados

de segurança individual obrigatórios. Para

para a correta destinação, que é feita junto

fazer a retirada dos corpos do tanque, é

com o lixo hospitalar produzido na PUCPR.

necessário um avental de silicone e luvas que vão até os ombros. Uma bota de couro impermeável protege os pés e uma máscara

NADA DE TEMPO LIVRE

#semselfies

Quando não está preparando os materiais

Se um dia você for visitar o Luiz no Laboratório de Anatomia da

para as aulas, Luiz usa o seu tempo para se

PUCPR, nada de câmeras fotográficas ou filmadoras. Entre as regras

dedicar a uma série de outros cuidados que

de conduta por lá, uma é a mais rígida: nada de fotos para alunos e

fazem parte da rotina do Laboratório de

visitantes.

de carvão evita que ele aspire os químicos.

Anatomia. Entre suas responsabilidades estão a manutenção das peças e dos corpos e o apoio

A publicação de imagens é proibida por lei. O respeito com os

aos alunos que podem ir ao laboratório entre

cadáveres de estudo também é assegurado. Desrespeitar a integridade dos corpos é crime previsto no artigo 212 do Código Penal Brasileiro, podendo levar o infrator à prisão por até três anos.


/NootzOficial

Nootzz! é o lançamento de La Vio que você le oletera va para a todo lu prático, é n u g a r . A léém de utrritiv vo, saboros o e você co sem culpa q me uando batee r aquela a fome.


AO INFINITO E ALÉM POR LEANDRO OLIVEIRA

A complexa equação entre ser e ter A busca de sentido em uma sociedade de cultura consumista é uma tarefa que passa pelo resgate da visão mais social, coletiva e cooperativa O cotidiano abarrotado de tarefas a cumprir

ao fazer uma distinção entre o stress e o

e informações a processar tem deixado pouco

cansaço. O primeiro resulta de um trabalho

– e cada vez menos – espaço para reflexões

cuja razão não se compreende. O cansaço,

existenciais. Qual o sentido das coisas que

por sua vez, é fruto de um trabalho intenso,

faço? Que significado essas ações trazem para

mas com sentido. A incompreensão está

a minha vida? Esses e outros questionamentos

exatamente na falta de reflexão sobre a

se perdem na poeira do dia a dia.

rotina e as expectativas de vida.

E o resultado dessa falta de autoanálise

Parte dessa frustração se volta para o

são pessoas angustiadas, estressadas e

consumo. Esse problema é ampliado nas

até frustradas por verem seus esforços

redes sociais, em que o status adquirido pelo

direcionados a um vazio existencial.

consumo promove uma falsa sensação de

Alguns filósofos, entre eles Mario Sergio

conquista e de pertencimento.

Cortella, ilustram bem esse sentimento

32


33

© SHUTTERSTOCK

Ter, ter, ter e ter: isso é mesmo necessário?


O professor do Programa de Pós-Graduação

O PAPEL DA ESPIRITUALIDADE

em Filosofia da PUCPR, Jelson Oliveira,

A espiritualidade seria uma forma de dar

diz que o consumismo é um dos males da

sentido à vida. Mas engana-se quem pensa

sociedade contemporânea. “Na falta de

que ela está diretamente ligada a religiões

sentido, ‘o ser’, enchemo-nos de coisas, ‘o

e crenças. Nossa espiritualidade pode se

ter’, na esperança de preencher esse vazio.

manifestar no convívio social, na partilha, em

No entanto, o ‘eu’ permanece em crise. Algo

forma de agradecimentos e, eventualmente,

lhe falta. Ou seja, mesmo com todo o ter,

se institucionalizar em forma de ritos, aos

continuamos despidos de nosso ser”, fala.

quais denominamos “religião”.

Mas é possível manter o contato com a

“É preciso romper com esse modelo de

espiritualidade imerso em uma sociedade

espiritualidade individualista e resgatar uma

que prioriza o consumo? Fábio Novo é ex-

visão mais social, coletiva e cooperativa.

diretor de Marketing da MTV e deixou para

Precisamos promover um encontro do

trás 15 anos de uma bem-sucedida carreira

‘eu’ com o mundo, com os outros, com os

após uma profunda crise existencial. Um

diferentes”, acredita Jelson Oliveira.

34

período sabático de três anos em busca de autoconhecimento rendeu a Fábio um

Assim, a espiritualidade seria uma forma de

livro e a mudança de vida. Atualmente ele

dar sentido à vida ao conectar o ‘eu’ com o

trabalha como coach e terapeuta, ajudando

todo e favorecer o autoconhecimento.

“Estarmos conectados a quem realmente somos é uma boa forma de nutrir nossa vida com verdade, beleza e significado.”

Fábio Novo

as pessoas que, como ele, desejam fazer a transição para um estilo de vida mais conectado, consciente e espiritualizado. “O excesso do ‘ter’ é uma etapa do caminho de aprendizagem que leva ao ‘ser’. O consumo exagerado leva a um vazio existencial, pois nem todas as conquistas materiais garantem felicidade e realização. Vejo a espiritualidade como uma próxima tendência”, diz.


35 Nunca é tarde para dar uma pausa no dia a dia, respirar e pensar no que queremos de verdade.

PARA NUTRIR A VIDA Existe uma maneira de fazer essa conexão? Qual o caminho para o autoconhecimento? “Os jovens estão muito abertos para essa experiência e podem encarar a espiritualidade em todas as suas vivências diárias”, explica Jelson. Para Fábio Novo, a experiência impulsiona a transformação ao estimular a autoconsciência e a vontade de buscar o verdadeiro sentido. “Estarmos conectados a quem realmente somos é uma boa forma de nutrir nossa vida com verdade, beleza e significado”, diz. A autoanálise e a reflexão são boas práticas e podem ser incluídas no seu dia a dia. Essas ações nos conectam com nosso “ser” e nos ajudam a entender nossas prioridades e a enfrentar nossas angústias. Que tal abrir

© SHUTTERSTOCK

esse espaço na sua vida?


MUNDO AFORA

36

POR DANIELA LICHT

Na terra do sol da meia-noite Estudantes elegem a Finlândia para aprimorar os estudos, conhecer uma nova cultura e ampliar horizontes Um levantamento divulgado no final de

gente, no entanto, que escolhe um país

2014, feito pela Associação Brasileira de

longínquo para complementar os estudos,

Organizadores de Viagens Educacionais

aprender outro idioma e viver uma experiência

e Culturais em parceria com as principais

internacional.

agências de intercâmbio do Brasil, apontou o Canadá, os Estados Unidos, a Inglaterra, a

Veja por que algumas pessoas elegeram

Austrália e a Nova Zelândia como os destinos

(e aprovaram!) a Finlândia, país que para

preferidos de brasileiros que querem estudar

muitos é apenas sinônimo da terra do Papai

inglês. Os números são impressionantes:

Noel, frio, neve e do inverno mais longo e

mais de 300 mil intercambistas brasileiros

rigoroso do mundo.

© DIVULGAÇÃO

circularam pelo mundo no ano passado. Tem

Guilherme escolheu a Finlândia pela sua excelência em educação.

Luis Eduardo sempre foi fã dos países nórdicos e realizou o sonho de conhecer a Finlândia.


© SHUTTERSTOCK

37

Aurora boreal: fenômeno que encanta turistas e habitantes.

ESCOLHA NATURAL

Entre as boas lembranças estão a música fin-

A escolha pela Finlândia sempre pareceu mais do

landesa e a oportunidade de conferir a aurora

que natural para o estudante de Licenciatura em

boreal, fenômeno natural observado na região.

Física Guilherme Henrique Schinzel. Afinal, como não fazer intercâmbio no país que é conhecido

CRAQUE NO HÓQUEI NO GELO

por ter um dos melhores sistemas de educação

Os países nórdicos sempre encantaram o estudante

básica do mundo?

do nono período de Engenharia de Produção, Luis Eduardo Abib. Fã desde pequeno de Fórmula 1 e

Assim, com a mochila nas costas, Guilherme

do piloto finlandês Mika Häkkinen, Luis sempre

desembarcou em Oulu, maior e mais importante

quis conhecer a terra natal do ídolo.

cidade no norte da Finlândia e a sexta maior do país, onde permaneceu por quase um ano.

Em Lappeenranta, no sudeste, próximo à fronteira com a Rússia, dividiu apartamento por um

Hospedado no andar térreo de um prédio

ano com um nepalês e com outro brasileiro.

ocupado por 18 intercambistas, ele lembra com

SAIBA Que tal conhecer um pouco mais sobre a rotina do Luis? Veja a galeria em www. pucpr.br/vidauniversitaria.

muito carinho de um período que considera

Luis conta que o começo foi difícil, prin-

enriquecedor. “O aprendizado que tive lá fez

cipalmente entender o idioma. “Imagine

de mim um professor melhor. Além de um

ter que escolher entre naudan jauhelihaa,

país fantástico, tudo parece funcionar e a

nauta-sikajauhelihaa e broilerin jauhelihaa,

qualidade de vida é perfeita”, elogia.

sendo que as três são carnes moídas e todas aparentemente iguais?”, lembra.


Finlândia: um dos maiores índices de democracia, segurança, acesso à saúde e qualidade de vida do mundo.

38

As pequenas dificuldades do dia a dia foram recompensadas com o aprendizado no curso de Industrial Engineering and Management. “O nível do Mestrado foi excepcional. A experiência também me fez respeitar mais as diferenças, por conviver com pessoas de outras culturas”, diz. Outro ponto positivo foi aprender a jogar hóquei no gelo, uma novidade para o menino que só estava acostumado às peladas de futebol de

© SHUTTERSTOCK

final de semana. “Já tinha feito um intercâmbio na Califórnia e quero ainda ter mais experiências internacionais, pois são muito valiosas para o futuro profissional”, recomenda.

Otto: um finlandês em solo verde e amarelo.

Desde agosto do ano passado, o finlandês Otto Norrgård experimenta hábitos e costumes curitibanos. Ele mora atualmente no Centro da cidade, mas passa a maior parte do tempo na PUCPR, onde divide a sala de aula com colegas do curso de Economia. A possibilidade de conhecer a cultura do Brasil foi determinante na escolha do destino do intercâmbio. Para Otto, uma característica que marca o brasileiro é a forma como encara os fatos cotidianos. “Assim como o clima, bem

mais ameno que na Finlândia, tudo aqui é tratado de forma mais zen, mais relaxada”, comenta. A experiência em solo tupiniquim será guardada entre as boas lembranças de Otto. “Aprendi a falar e entender português e hoje me viro muito bem. Vir para o Brasil abriu novas perspectivas em minha vida”, assegura.

Fontes da pesquisa: Experimento Intercâmbio Cultural; CI Central de Intercâmbio Viagens; EF Education First.

© DIVULGAÇÃO

Made in Finland


VÍRGULA POR DANIELA LICHT

Vida privada sob vigilância

Existe uma forma de estar conectado e garantir a privacidade em um mundo em que todos os nossos dados são públicos? A vigilância global e o monitoramento de

Os jovens são muito mais envolvidos com o

dados da internet ganharam destaque

mundo das mídias sociais e é lá que o controle

mundial em 2013, com as revelações do

mais acontece. Mesmo depois do escândalo

ex-agente de Segurança Nacional norte-

que expôs as atividades ilegais de vigilância do

americano Edward Joseph Snowden. Desde

governo, reveladas por Snowden, os jovens não

então, preocupamo-nos com a privacidade

se intimidaram. Eles continuam a utilizar essas

e como nossos dados são utilizados pelas

mídias para divulgar muitas coisas sobre suas

empresas e pelo governo.

vidas, bem como para se conectar com outras pessoas. Embora seja um ambiente de muita

Essa foi a temática da palestra “Vigilância

vigilância, ao mesmo tempo é um espaço muito

Global no Mundo Pós-Snowden”. Promovida no

atraente devido ao network que proporciona.

final de abril pelo Programa de Pós-Graduação em Gestão Urbana (PPGTU) da Escola de

Assim, não devemos ser negativos em

Arquitetura e Design, em projeto coordenado

relação às mídias sociais. É importante

pelo professor Rodrigo Firmino, foi conduzida

perceber que elas podem nos conduzir em

pelo sociólogo David Lyon, professor da

uma direção especial e podem ser usadas

Queen’s University, no Canadá. Diretor do

para abordagens mais positivas.

Centro de Estudos sobre Vigilância e envolvido com o tema desde a década de 80, Lyon falou

Na palestra, o senhor citou o conceito de

à Vida Universitária sobre privacidade e os

“filter bubble”. Pode explicar o que seria isso?

desafios de viver em um ambiente digital.

As mídias sociais frequentemente reforçam opiniões já existentes. Isso foi citado pelo

Nossos leitores são, em grande parte, muito

autor Eli Pariser, que chamou o fato de filter

jovens. Os jovens estariam mais expostos à

bubble (filtro-bolha). Tudo o que os usuários

vigilância por serem fortes usuários das redes

dizem sobre um evento, esporte, política ou

sociais e das novas tecnologias?

o que quer que seja, é reforçado pelo sistema

40


41

© DIVULGAÇÃO

Para David Lyon, a questão da vigilância está totalmente inter­ligada a um prisma ético.

“Digo que a tecnologia não é neutra. É uma atividade humana, e como tal está aberta a questionamentos éticos e contestações políticas.” David Lyon

e enviado de volta. Assim, é criado um

filtro e achar outros caminhos de engajamento,

filtro com a personalização dos gostos do

saindo dessa bolha.

usuário, excluindo-o de novas perspectivas e pontos de vista.

O senhor diz que não existe motivo para pânico e que precisamos achar alternativas para nos

Ou seja, o mundo está envolto e submerso

proteger. Como fazer isso?

nesse filtro-bolha, e a internet esconde

Queremos achar formas de nos resguardar

quem discorda de você. Isso é muito

da vigilância e do que julgamos inadequado ou

antidemocrático e anti-humano, por nos

indesejado. Existem caminhos, como sistemas

impedir de compreender como outras

de segurança gratuitos que aprimoram a nossa

pessoas vivem e pensam, por só sabermos

comunicação.

do nosso pequeno e particular estilo de vida. Mas o próprio Snowden responde a essa Por isso, os usuários das mídias sociais

pergunta dizendo: “É claro que existem caminhos

carregam em si a possibilidade de quebrar esse

técnicos de proteção, mas sempre devemos


considerar como eu e o outro cidadão estamos

como estão sendo usadas; nosso estoque

envolvidos politicamente.” Esse é um problema

elétrico

de toda a sociedade e deve ser respondido de

inteligentes que revelam o modo de vida e

forma coletiva. É importante dizer que existem

de consumo de uma casa; e os veículos que

opções técnicas de proteção, mas elas devem

possuem sistema de navegação GPS e que

ser pensadas e alinhadas à nossa contribuição

dependem da biometria para funcionar.

residencial,

com

medidores

42

e às nossas posições políticas. Ou seja, as construções em que vivemos, Que outras ferramentas, além da internet e do

nossas casas, as ruas por onde andamos e os

celular, são usadas para fazer vigilância, seja

carros que dirigimos estão tornando o mundo

pelos governos ou por companhias privadas?

mais orientado por sensores conectados

Existe um senso comum de que o mundo

entre si e com a internet.

está ficando cada vez mais vigiado, na medida em que dependemos de equipamentos que

O sistema está cada vez mais integrado

monitoram o ambiente em que vivemos.

e a chamada “internet das coisas” está se

Por exemplo, as modernas

tornando uma realidade. Esse novo cotidiano

lâmpadas de rua que

exige formas apropriadas de vender esses

registram

sistemas, impor limites e modos para que sejam usados para promover o desenvolvimento humano e não apenas eficiência, lucratividade, produtividade ou capacidade de coletar dados. Precisamos questionar os padrões éticos desse uso e penso que estamos apenas começando a enfrentar os desafios de viver nesse ambiente digital. É correto dizer que viramos prisioneiros do conhecimento desenvolvido por nós mesmos? Qualquer

sistema

tecnológico

pode

se

transformar em um modo de aprisionamento e redução da liberdade humana. Isso não significa que a prática da tecnologia em si seja negativa, inapropriada ou malévola. Mas, obviamente, pode tanto reduzir a liberdade de outros quanto aprimorá-la. A tecnologia © DIVULGAÇÃO

não é neutra, é uma atividade humana, e como tal está aberta a questionamentos éticos e contestações políticas.

SAIBA

+

Entenda o que é o filtrobolha: youtube.com/ watch?v=HKtvkvPNAsw.


David Lyon

“Não devemos ser negativos sobre as mídias sociais, mas aprender a usá-las em abordagens mais positivas.”

43

Penso também que a privacidade em si pode ser ambígua: o que eu faço dentro de casa é privado e o que faço na rua é público? Mas e a violência doméstica? Ela acontece dentro de casa, mas deve ser tratada como um problema da comunidade. Como o senhor entende o conceito de

Sempre existirão ambiguidades e exceções à

privacidade?

regra, mas nós podemos usar a privacidade

Tradicionalmente, a palavra “privacidade” está

de maneiras mais fortes para auxiliar minorias,

conectada a uma visão individualista dos seres

grupos menos fortalecidos e marginalizados

humanos, que se colocam como o centro da

da sociedade.

questão. Isso tende a ser bastante abstrato no mundo em que vivemos.

A vigilância diz respeito basicamente a uma questão ética?

O uso das mídias sociais, por exemplo,

O desenvolvimento da vigilância está

é complicado. Um post visto por uma

interligado a um prisma ético. Por exemplo,

determinada pessoa me deixa muito feliz, mas

muitas pessoas culpam os computadores

não acho relevante para aquela outra pessoa.

e sua consequente emergência. Discordo

Ou seja, temos sensos complicados do que é

plenamente, porque antes mesmo dos

privado ou público, o que não é reconhecido

computadores já existiam organizações

nem previsto na legislação contemporânea.

burocráticas e a burocracia, um produto da modernidade altamente vigilante.

De uns 20 anos para cá, as pessoas clamam por privacidade como um conceito diferente,

Também temos histórias da literatura e

como um bem público que suporta a

direitos religiosos, em livros como a Bíblia,

participação democrática. Minhas próprias

a Torá, o Corão, todos com maravilhosas

considerações sobre o assunto têm mudado.

descrições de vigilância em suas metáforas.

Eu era conhecido como um crítico severo de ideias sobre privacidade, especialmente

Ou seja, não existe uma pergunta sobre

na legislação, mas agora percebo que

vigilância ou privacidade que possa evitar

temos que ver o tema sob um novo aspecto,

as questões éticas. Em outras palavras, é

conectado aos direitos, à dignidade e ao

sempre necessário trazer a questão ética

desenvolvimento humanos.

para nossas práticas cotidianas, nosso discurso político, para o que fazemos e para quem somos em um mundo público.


SEARCH LAB POR ANA MARIA FERRARINI

Tecnologia e funcionalidade

As regras da ABNT, o monstro de qualquer trabalho acadêmico, têm agora uma plataforma online de uso funcional para os estudantes Volta e meia, o engenheiro de produção Daniel

ABNT (Associação Brasileira de Normas

Alon Antar se deparava com a dificuldade em

Técnicas) fáceis de serem aplicadas em

padronizar seus textos e trabalhos científicos

trabalhos acadêmicos.

conforme as normas técnicas. Certo de que esse seria um problema recorrente e comum

“O objetivo é tornar o sistema rápido de

a outras pessoas, ele criou o Menthor, uma

usar, sem excessos. Queríamos causar real

plataforma online que torna as regras da

impacto no cenário universitário. Assim, o

“Queríamos causar real impacto no cenário universitário. Assim, o estudante foca mais no conteúdo, sem se preocupar com a apresentação.” Daniel Alon Antar

44


45

© LA PHOTO

Com o Menthor, Daniel quer revolucionar o cenário universitário, facilitando a formatação de trabalhos acadêmicos.


estudante foca mais no conteúdo, sem se

na sigla em inglês). A estrutura é resultado

preocupar com a apresentação”, afirma o

de uma parceria entre a maior fabricante de

autor da ideia.

softwares do mundo com a PUCPR e o estúdio

46

de games Signum. Inaugurado em março deste O aplicativo foi desenvolvido no ambiente da

ano, o MIC tem foco na produção de jogos

aceleradora de startups Hot Milk, que agora

digitais e projetos de computação em nuvem

abriga o Centro de Inovação da Microsoft (MIC,

(cloud computing).

© LA PHOTO

MIC de Curitiba: foco em jogos digitais e cloud computing.

Centro em inovação O MIC tem como escopo capacitar estudantes,

da PUCPR, mas para toda a comunidade em

ampliando as oportunidades de empreendedorismo

seu entorno, pois não é restrito aos estudantes

e de sucesso no mercado de trabalho. Com 13

da universidade.

centros de inovação no Brasil, o MIC de Curitiba é o primeiro alinhado aos novos objetivos da Microsoft:

“Essa parceria impulsionará o trabalho que

criação de dispositivos móveis com computação

vem sendo feito na incubadora de startups

em nuvem e jogos digitais.

Hot Milk, pois tem como proposta agregar empreendedorismo e formação”, diz José Pugas,

O laboratório acena como uma possibilidade

gestor de parques tecnológicos e ambientes de

de transformação não somente para os alunos

inovação na empresa da PUCPR .


É FAST, MAS É FOOD.

NOVAS EMBALAGENS

Os produtos Vapza são embalados a vácuo, sem conservantes. Por isso, são mais saudáveis, gostosos e dispensam refrigeração. É a refeição prática e rápida para quem não tem tempo a perder.

vapza.com.br • facebook.com/vapza


RAÍZES POR DANIELA LICHT

48

Você sabe o que significa a logo da PUCPR? Entenda os elementos que, juntos, deram vida à logomarca da instituição

e contemporâneo. “Onze anos depois, a

logomarcas têm a função de transmitir o

PUCPR recebeu o título de Pontifícia, e o

conceito e a filosofia de uma empresa ou

então Pró-Reitor, Clemente Ivo Juliatto,

instituição. Combinação certeira de cores,

pediu que a logomarca recebesse os

formas e elementos, as “logos” nos remetem

elementos do brasão da Santa Sé do Estado

imediatamente à marca que elas representam.

do Vaticano”, lembra o arquiteto.

A busca pela construção de uma marca forte

Depois de vários estudos, foi escolhido

norteou o trabalho do arquiteto Manoel

aquele que sintetizou as linhas do brasão

Coelho, a mente criativa por trás de todo o

e compôs um conjunto harmonioso com a

processo de criação da logomarca da PUCPR.

logomarca já existente. Em 2011, Coelho recebeu mais um pedido: acrescentar o

Era 1974 e Manoel recebeu a missão de criar

lema da instituição em latim, finalizando,

a nova logomarca da Universidade Católica

dessa forma, o conjunto visual atual que

do Paraná, com um arranjo mais dinâmico

representa a PUCPR.

“Este conjunto representa bem uma tradicional instituição de ensino que possui enorme conceito.”

SAIBA Logos de outras Pontifícias têm os mesmos elementos, mas com algumas diferenças. Veja em: www. pucpr.br/vidauniversitaria.

O arquiteto Manoel Coelho assina a logomarca da PUCPR, que passou por atualizações desde sua concepção inicial.

© DIVULGAÇÃO

Muito mais do que um belo símbolo, as


49

Identidade desmontada A junção da antiga logomarca com o brasão do Vaticano deu origem a uma marca nova e forte

LIVRO

BRASÃO

Os livros abertos ao centro da

Com o título de Pontifícia,

logomarca representam a fé, o

recebido em 1985, o símbolo

conhecimento e a criatura.

incorporou os elementos do brasão da Santa Sé do Estado do Vaticano.

ASSINATURA Nova assinatura acrescentada em 2011: SCIENTIA, VITA ET FIDES (Ciência, vida e fé).

A CRUZ , A ÁRVORE E O HOMEM A cruz (fé), a árvore (base, solidez e a universidade) e suas ramificações (expansão, cursos) sintetizam o que representa o homem, o centro de tudo. A fusão do saber, na forma de um livro dobrado parcialmente, resulta em um símbolo de linhas ascendentes

ENDOSSO

e simétricas, caracterizando

Em 2013, recebeu o endosso

equilíbrio e seriedade.

do Grupo Marista.


NO YOUTUBE

50

Educação, mobilidade urbana e manifestações artísticas também pautam o Canal PUCPR. Confira abaixo os destaques do canal

Estou sempre tentando encaixar minhas poesias no ritmo que a vida me coloca.”

Pesquiso o quanto a estrutura urbana das cidades influencia a atividade física dos jovens.”

© DIVULGAÇÃO

© DIVULGAÇÃO

MC CABES, rapper e produtor musical, para o Programa CAFEÍNA, sobre o significado da música e da cultura do rap em sua produção artística.

RODRIGO REIS, professor de Educação Física, para o Programa SEARCH LAB, sobre o levantamento que identificou características dos municípios que podem colaborar para tornar os jovens mais ativos.

Eles só querem ir à escola... Com 200 reais por ano, você garante a educação de uma criança na África...” MAYARA DE SOUZA, psicóloga, para o Programa PLURAL, sobre o Projeto Nó Misti Bai Escola, que está mudando a realidade de crianças africanas, garantindo o acesso à educação de base e abrindo um horizonte de esperança e dignidade.

Acesse o Canal PUCPR no YouTube e inscreva-se: www.youtube.com/ canalpucpr.


Dia dos Namorados R$ 400

em compras = 1 cupom para concorrer a

6 scooters

Motorino para você curtir com seu amor.

Isabeli Fontana

Certicado de Autorização CAIXA nº 6-0827/2015. Imagens meramente ilustrativas. Serão três sorteios, nos quais cada contemplado ganhará um par de scooters Motorino. Consulte o regulamento completo em www.shoppingmueller.com.br ou no Posto de Trocas.

Vida Universitária #232 - junho/julho  

Por que condenamos a corrupção pública, mas perdoamos o "jeitinho brasileiro".

Advertisement