Page 1

CONT AINERS P28


17JUN >17JUL 17JUN >17JUL

LOADING 24JUL>28AGO 24JUL>28AUG

2SET>2OUT 2SEP>2OCT

14OUT>31OUT 14OCT>31OCT

12NOV>31DEZ 12NOV>31DEC


G


ÍN DI CE


IN DEX


#10 // APOIOS E PATROCÍNIOS SPONSORS AND PARTNERSHIPS #14 // P28 #18 // CONTENTORES CONTAINERS #24 // PROGRAMAÇÃO SCHEDULE #28 // ARTISTAS ARTISTS #38 // LUISA CUNHA&BRUCE NAUMAN “UMA PERFORMANCE E UMA CONVERSA”

+ FERNANDO RIBEIRO (EXPOSIÇÃO) “TELL ME MY NAME”

LUISA CUNHA&BRUCE NAUMAN “ONE PERFORMANCE AND ONE CONVERSATION”

+ FERNANDO RIBEIRO (EXHIBITION) “TELL ME MY NAME”

#56 // R2 “TEMOS QUALIDADE A BAIXO PREÇO” “WE’VE GOT QUALITY AT LOW COST”

#66 // SUSANNE THEMLITZ “4 CONTENTORES, 1 DESENHO E UMA PAISAGEM” “4 CONTAINERS, 1 DRAWING AND ONE LANDSCAPE”

#82 // PEDRO CABRITA REIS “DEPOSIÇÃO #2” “DEPOSITION #2”

#92 // JOSÉ PEDRO CROFT “SEM TÍTULO 2010” “uNTITLED 2010”

//CLIPPING


APOIOS +PATRO CÍNIOS


SPONSORS + PARTNERS


ORGANIZAÇÃO ORGANIZATION

10 |


PARCERIAS PARTNERSHIPS

APOIOS SPONSORS

| 11

MEDIA PARTNERS

COMUNICAÇÃO COMMUNICATION


P 28


P 28


P 28 14 |

ASSOCIAÇÃO DE DESENVLVIMENTO CRIATIVO E ARTÍSTICO Explora a relação entre a cidade, espaços “não lugares” e cultura. Promove o desenvolvimento artístico no máximo das suas vertentes, reabilita mentalidades e aposta numa acção de responsabilidade social direccionada para a doença mental. A P28 também é Artista, alguém que defende uma posição singular e crítica, confrontando com o que nos é exterior. A P28 serve de intermediário entre o artista e o público, reunindo e disponibilizando espaços para encontros artísticos e, consequentemente, de partilha. As suas funções distribuem-se pela produção de projectos artísticos internos e fora de muros, quer a nível nacional como internacional.


ASSOCIATION FOR CREATIVE AND ARTISTIC DEVELOPMENT P28 explores the relationship between the city, “non-place� spaces and culture. It promotes artistic development to its utmost extent, rehabilitates mentalities and invests in social responsibility actions focused on mental illness. P28 is also an Artist, someone who takes a unique and critical stand, confronting what is exterior to us. P28 serves as a bridge between the artist and the public, gathering spaces and making them available for artistic meetings and, consequently, sharing events. Its roles include the development of inhouse and beyond-walls artistic projects, at national and international level.

| 15

P 28


CONT ENTO RES


CON TAIN ERS


O PRO JEC TO 18 |

O projecto CONTENTORES pretende assumir um papel dinamizador ao adoptar um formato pouco convencional na arte pública contemporânea, que se replica em manifestações de artistas reconhecidos no panorama artístico português e internacional mas sob uma vertente Site Specific – obra específica para o espaço. Esta solução conceptual -Site Specific - compreende a necessidade de reabilitar e reavivar espaços urbanos, sem perda de identidade ou transformação da sua forma mas, sim, como uma reorientação ou redefinição das prioridades na sua génese e propósito naquela localização específica. Pretende-se o reaproveitamento de um espaço por objectos já previamente aí existentes, mas processando-os ao reorganizá-los e aprestando-os como um elemento tão importante para a obra como os próprios objectos artísticos. Ao interiorizar as premissas anteriores e equacionar a localização do CONTENTORES nas docas de Alcântara, este projecto visa também extravasar a arte dos seus espaços tradicionais e ainda promover a utilização de lugares anteriormente alheios de propósitos museais, ao concorrer para a promoção na equidade ao acesso à cultura, elemento fundamental nas sociedades modernas de incremento de cidadania. Sem cultura não pode haver plena cidadania. Com esta orientação estética (mas também pragmática) acreditamos atingir um ideal conotado com a massificação do acesso à Arte, numa verdadeira manifestação do conceito de arte-pública na qual esta entra em contactocom o espectador de modo espontâneo. Para queisso suceda, é necessário que exista um mínimo de esforço consciente da parte deste último. Essa é, também, a percepção da Administração do Porto de Lisboa (APL) que, desde a primeira hora, encarou a iniciativa como uma oportunidade para estreitar os laços entre a comunidade portuária e a população e, simultaneamente, chamar a cidade à zona ribeirinha de Alcântara. Dando seguimento a uma longa tradição de apoiar projectos de cariz artístico/cultural, a APL considera que o projecto CONTENTORES encontra no território portuário um espaço perfeito para a dinamização da arte pública. As exposições calendarizadas são extremamente bem-vindas na comunidade portuária, dado envolverem alguns dos maiores nomes nacionais e internacionais da arte contemporânea. A nível temático há um abandono dos temas clássicos como conteúdo comemorativo, e uma nova incursão pelas poéticas pessoais e assuntos do quotidiano, abrangendo em alguns casos situações sociais (new genre public art). A multidisciplinaridade torna-se numa prática cada vez mais comum na arte pública contemporânea, observa-se uma simbiose e apropriação da linguagem de disciplinas como a arquitectura, design de equipamento, publicidade, sociologia, ecologia entre outras.


Project CONTENTORES aims to play a dynamic role by embracing a non-conventional format in contemporary public art. This role translates into promoting the artistic manifestations of acclaimed artists in the Portuguese and international arts scenario, focusing on sitespecific artworks – compositions specifically created to exist in a given place. This conceptual solution – site-specific - targets the need to rehabilitate and revitalize urban spaces, without losing their identity or altering their nature, by redirecting or redefining their core priorities and their purpose, focusing on that given location. The project aims to recycle a space through already existing objects, reorganizing and presenting them as elements that are as important as the artistic objects themselves. By internalizing these notions and taking into consideration the location of the project, in the Alcântara docks, CONTENTORES aims to expand art into non-traditional spaces and promote the use of places that previously lacked museum-like characteristics, by promoting a more equitable access to culture, which is a fundamental element to increase civic consciousness in modern societies. Without culture, societies cannot have a true civic consciousness. Thanks to this aesthetic (but also pragmatic) approach, we believe the project will be able to achieve an ideal associated with making art accessible to the masses, as a true manifestation of the concept of public art, and through which art comes into contact with the spectator in a spontaneous way. In order for this to happen, some conscious effort is needed from the spectator’s side. This is, also, the perception of the Administration of the Port of Lisbon(APL) that, since the beginning, has faced this initiative as a chance to narrow the bonds between the port community and the population, while simultaneously calling the city to the marginal zone of Alcântara. Following a long tradition in supporting projects of cultural / artistic nature, the APL considers that project CONTENTORES finds in the port territory the perfect spot for developping public art initiatives. The schedulled exhibitions are extremely welcome in the port of Lisbon,due to the participation of some of the biggest names in the national and international contemporary art world.

| 19

THE PRO JE CT


20 |


Pormenores técnicos: 4 contentores de carga marítima Cor: cinzento Dimensões Internas: 12030 x 2350 x 2390mm Dimensões Externas: 12190 x 2438 x 2590mm

Technical aspects: 4 shipping containers Interior Dimensions: Length (39,47ft), Width (7,71ft), High (7,84ft) Exterior Dimensions: Length (39,99ft), Width (8ft), High (8,5ft) Colour: grey

| 21


PRO GRA MA


SCH EDU LE


24 |

TER-Sテ。 TUE-SAT 10H-22H


T

17JUN >17JUL 17JUN >17JUL

LUISA CUNHA BRUCE NAUMAN FERNANDO RIBEIRO R2

24JUL>28AGO 24JUL>28AUG

2SET>2OUT 2SEP>2OCT | 25

SUSANNE THEMLITZ PEDRO CABRITA REIS JOSÉ PEDRO CROFT

14OUT>31OUT 14OCT>31OCT

12NOV>31DEZ 12NOV>31DEC


AR TIS TAS


AR TIS TS


LU ISA

CUNHA

28 |

Vive e trabalha em Lisboa. Inerente ao seu trabalho está uma consciência clara e emocional da relatividade da vida e, consequentemente, das convenções, da interacção entre interior e exterior, privado e público e da natureza fragmentada do «não-lugar», do poder, das dimensões de espaço e tempo, e da do discurso. Esta convicção tem origem numa prática que a artista, desde cedo, desenvolveu, habituando-se a observar sem qualquer objectivo em mente, deixando apenas as coisas fluir, num estado de completa receptividade, não impondo quaisquer fronteiras ou julgamentos (tanto quanto possível). Primeiro encontrando as coisas, depois procurando-as. Esta disponibilidade emocional e mental leva em muitos casos, ao caos e, por isso, os estímulos e as conexões que ocorrem são inúmeras. A excitação e a ansiedade coexistem quase sempre. E tenho que andar, fisicamente, longas distâncias até que tudo se acalme e então possa ser capaz de sintetizar ideias de forma a captar as emoções que senti no primeiro impacto. Para mim, a arte é totalmente sistema nervoso: respira quando eu respiro, ao ritmo das minhas emoções, pensamentos, do que eu leio e vejo, das pessoas que amo, das raivas que tenho. A minha visão e a minha mente trabalham em forma de `zoom in/out´: uma espécie de máquina fotográfica visual/mental. Não conseguindo suportar fronteiras e convenções - qualquer que seja a sua natureza - os seus trabalhos situam- se num espaço `intermédio´, o espaço do `não-dito´, do `silêncio falado´, da repetição da linguagem visual. Assim, os media utilizados variam de acordo com as exigências da ideia: i.e. reprodução de voz em actos de discurso (Drop the bomb, 1994; Do what you have to do, 1994; Words for Gardens, 2004); fotografia com ou sem texto (The thing, 2006; It´s all in your head, 2008);objectos («readymade», com ou sem texto; vídeo; objectos com texto sonoro (Hello!, 1994, Dirty Mind, 1995, The Red Phone, 2007); performance; desenho; e textos escritos ou desenhos em paredes. Não posso negar que no cerne da minha prática artística está a interpelação do espectador através de textos vocalmente enunciados. Tem sido (e provavelmente será sempre) uma estratégia que utilizo para explorar o meu interesse pela linguagem enquanto instância, socialmente codificada, da mediação da experiência e da percepção da realidade. Convoca a consciência auto-reflexiva do espectactador no acto da percepção estética, tal como, com enorme acuidade, identificou, e escreveu, o comissário português Miguel Wandschneider. De facto, eu faço uma distinção entre linguagem `real´, que são aquelas palavras que não significam absolutamente nada para mim, e uma linguagem `com sombra´. Esta não é uma linguagem do meio-dia, mas antes uma para todo o tempo antes e depois do meiodia. Contudo, o rigor que procuro é aquele da linguagem do meio-dia. Nos últimos 6 anos assistiu-se a uma multiplicação no número de exposições em que Luisa Cunha participou. A exposição individual e retrospectiva no Museu de Serralves (2007) constituiu uma oportunidade para re-pensar uma parte significativa do seu trabalho e para consolidar a sua relação com a arte portuguesa.


Luisa Cunha was born in Lisbon in 1949, where she lives. She studied sculpture at Ar.Co – School of Visual Arts, Lisbon. She has been developing her creativity by using text, sound, drawing, photography, video, sculpture, performance, intensly using words under most variable perspectives. She has been exhibiting since 1993. Her solo exhibitions include amongst others Hot Red Hot, at the space Um Certa Falta de Coerência, Porto, 2010; Red Shoes, Espaço ao Cubo, Centro Alegro, Alfragide, 2009; Luisa Cunha – anthological exhibition, Fundação de Serralves, Porto, 2007; Luisa Cunha - Fundação de Serralves, Porto, 1998/99; Luisa Cunha, CGD-Culturgest, Porto, 2007; Words for Gardens, Chiado 8, Fidelidade Mundial, 2006. She has participated in several group exhibitions which include amongst others Entre Muros, Óbidos, 2010; I’m Not Here. An Exhibition Without Francis Alÿs, De Appel Arts Centre, Amesterdam, 2010; IV Bienal de Jafre, Spain, 2009; A luz, por dentro, ART ALGARVE, 2009; Cinco Estrelas, Escola Arte Ilimitada, Lisbon, 2009; Oh!, Galeria Miguel Nabinho, Lisbon, 2008; Stream, Whitebox, New York, 2007; Partitura, Casa da Música, Porto, 2007; Por entre as Linhas / Between the Lines, Museu das Comunicações, Lisbon, 2007; The Invisible Show, itinerant exhibition at Center for Contemporary Art, Tel Aviv, Israel, 2007, at Centro José Guerrero, Spain 2007 and at MARCO – Museo de Arte Contemporánea, Vigo, Spain 2006; Caminos: Arte Contemporáneo Portugués – Colección Caixa Geral de Depósitos – últimas adquisiciones Círculo de Bellas Artes, Madrid, 2006; Bienal de Sydney 2004, Australia; Sonoro, Galeria ZDB, 2000; Bienal da Maia 2001 e 2003, Maia; Experimenta Design 2001, FIL, Lisboa; Passos 2000, Lyceu Passos Manuel, Lisbon, 2000; Initiare, Centro Cultural de Belém, Lisbon, 2000; Jornadas de arte contemporânea, Palácio do Freixo, Porto, 1996; Greehouse Display, Estufa Fria, Lisbon, 1996; 20000 Minutos de Arte, Instituto Superior Técnico, Lisbon, 1994; Peninsulares, Galeria de Antoni Estrany, Barcelona, 1995; O papel, Sociedade Nacional de Belas-Artes, Lisbon 1993. She was awarded a hounorable mention by Ernesto de Sousa Scholarship, having also been nominated to several awards. She regularly participates in projects and conferences. Luisa Cunha’s work is represented in the following collections in Portugal: Ministério da Cultura; Caixa Geral de Depósitos; Fundação de Serralves; Museu das Comunicações; Fundação PLMJ and private collections. Artist represented by Galeria Miguel Nabinho, Lisboa, Portugal.

| 29

LU ISA

CUNHA


R2

30 |

Lizá Defossez Ramalho e Artur Rebelo, são licenciados em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e têm um DEA pela Facultat de Belles Arts Universitat de Barcelona. Em 1995 criam o atelier R2, onde têm desenvolvido projectos de design de comunicação visual, colaborando com artistas, arquitectos e curadores. Desde 1996 o seu trabalho também tem incluído o ensino de design em várias escolas portuguesas, actualmente são professores convidados pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Integraram diversos júris internacionais, coordenaram workshops e apresentaram conferências em várias universidades e congressos europeus. Os seus projectos integraram inúmeras exposições em todo o mundo e foram publicados em livros e revistas de design da especialidade. O seu trabalho tem sido objecto de diversas distinções e prémios internacionais, destacando- se Premier Award, ISTD/ International Society of Typographic Designers, Reino Unido, 2009; Certificate of Excellence, ISTD/International Society of Typographic Designers, Reino Unido, 2009; Icograda Award, Trnava Poster Triennial, República Eslovaca, 2009; Red Dot Award, Alemanha, 2009; Certificate of Excellence, 365: Aiga Annual Design Competitions 30, EUA, 2009; Nomination, D&AD/Design&Art Direction Awards, Reino Unido, 2009; Silver e Bronze, ED/ European Design Awards, Suíça, 2009; Honor e Merit, SEGD/Society for Environmental Graphic Design, EUA, 2009; Judge’s choice by Tina Roth Eisenberg, TDC/ Type Directors Club, EUA, 2009; Red Dot Award, Alemanha, 2008; Jury award, 9th Tehran International Poster Biennial, 2007; Honorable Mention, Hong Kong International Poster Triennial, 2007; 3rd Prize, 14th Chaumont International Poster and Graphic Arts Festival; GoldPrize, IPT–7th International Poster Triennial Toyama, Japão, 2003 e judge’s choice em 2005 e 2008 pelo Type Directors Club of New York, EUA. Na sequência do Grand Prix obtido no International Biennial of Graphic Design Brno 2006, vai realizar-se em Junho de 2010 uma exposição antológica da R2. Lizá Ramalho e Artur Rebelo são membros da AGI - Alliance Graphique Internationale.


Lizá Defossez Ramalho and Artur Rebelo both graduated in Communication Design from the Faculty of Fine Arts of the University of Porto and also have a Diploma of Advanced Studies (DEA) from the Faculty of Fine Arts of the University of Barcelona. In 1995, they co-founded the R2 studio, where they have been developing projects in the field of visual communication design, in collaboration with artists, architects and curators. Since 1996, their work has included teaching design in several Portuguese colleges. They are currently invited lecturers at the Faculty of Science and Technology of the University of Coimbra. Lizá and Artur have served on various international juries, coordinated workshops and presented conferences in several European universities and congresses. They have been invited to exhibit in a wide array of international exhibitions and their work has been featured in various specialized books and design magazines. They have been awarded several international honours and prizes, including the ISTD Premier Award of the International Society of Typographic Designers, United Kingdom, 2009: Certificate of Excellence, ISTD/International Society of Typographic Designers, United Kingdom, 2009; Icograda Award, Trnava Poster Triennial, The Slovak Republic, 2009; Red Dot Award, Germany, 2009; Certificate of Excellence, 365: Aiga Annual Design Competitions 30, USA, 2009; Nomination, D&AD/Design&Art Direction Awards, United Kingdom, 2009; Silver and Bronze, ED/European Design Awards, Switzerland, 2009; Honour and Merit, SEGD/Society for Environmental Graphic Design, USA, 2009; Judge’s choice by Tina Roth Eisenberg, TDC/ Type Directors Club, USA, 2009; Red Dot Award, Germany 2008; Jury award, 9th Tehran International Poster Biennial, 2007; Honourable Mention, Hong Kong International Poster Triennial, 2007; 3rd Prize, 14th Chaumont International Poster and Graphic Arts Festival; Gold Prize, IPT–7th International Poster Triennial Toyama, Japan, 2003 and judge’s choice in 2005 and 2008 by the Type Directors Club of New York, USA. Following the Grand Prize awarded at the International Graphic Design Biennial, in Brno, 2006, an anthological exhibition of R2 will be held in June 2010. Lizá Ramalho and Artur Rebelo are also members of the Alliance Graphique Internationale (AGI).

| 31

R2


SU SAN NE

THEMLITZ

32 |

Nasceu em Lisboa em 1968. Vive em Lisboa e Colónia. Em 1993, concluiu os estudos de Desenho e Escultura no Ar.Co, em Lisboa, tendo passado o ano de 1992 no Royal College of Art, em Londres. Em 1995, concluiu um mestrado na Kunstakademia de Düsseldorf. A artista tem explorado com extraordinária versatilidade diversos mediums, em especial a escultura, o desenho e o vídeo. O seu trabalho resulta frequentemente em instalações que tanto podem centrar-se na escultura como combinar vários mediums. Desde 1996, realizou numerosas exposições individuais em Lisboa (entre as quais, na Galeria Luís Serpa, no Museu do Chiado e na Fundação Carmona e Costa) e na Alemanha (na Galerie Schneiderei e na Galerie Carla Stützer, ambas em Colónia, e na Flottmannhallen, em Herne). Em 2001, foi-lhe atribuído o Prémio de Escultura City Desk.


Born in Lisbon in 1968. Lives in Lisbon and Cologne. In 1993, she completed her studies in Drawing and Sculpture at Ar.Co, in Lisbon, having spent the previous year at the Royal College of Art, in London. In 1995, she completed a Master’s degree at the Kunstakademie of Düsseldorf. The artist has explored several media with an extraordinary versatility, particularly sculpture, drawing and video. Her work is very often presented as installations, which can just as easily focus on sculpture or combine several media. Since 1996, she has held several individual exhibitions in Lisbon (including at Galeria Luís Serpa, at Museu do Chiado and at Fundação Carmona e Costa) and in Germany (at Galerie Schneiderei and Galerie Carla Stützer, both in Cologne, and at Flottmannhallen, in Herne). In 2001, Susanne was awarded the City Desk Sculpture Prize.

| 33

SU SAN NE

THEMLITZ


PE DRO

CABRITA

REIS

34 |

Nasceu em Lisboa, em 1956. Pintor formado pela ESBAL, expõe a sua obra desde o início dos anos 80. Ficou conhecido no meio artístico pelas suas numerosas instalações, próximas da arquitectura, construídas a partir de materiais recuperados e de néons. Representou Portugal na Bienal de Veneza de 2003, com a sua obra “Longer Journeys” e no ano de 2004 teve os seus trabalhos expostos em numerosas exposições internacionais, com destaque para: Le Grand Café, Saint-Nazaire; Kunsthalle Berne, Berna; Frac Bourgogne, Dijon e Camden Arts em Londres. Cabrita Reis continua a interrogar o espaço com materiais extraídos da arquitectura que tornam o real mais poético.


Born in Lisbon in 1956. Graduated in Painting at the Fine Arts School of Lisbon (ESBAL), he has been exhibiting his work since the early 80’s. His numerous installations, on the verge of architecture, built from recycled materials and neon tubing, won him recognition in the artistic scene. He represented Portugal at the 2003 Venice Biennale with the installation “Longer Journeys”. In 2004, his work was featured in several international exhibitions, such as Le Grand Café, in Saint-Nazaire; the Kunsthalle Bern, in Bern; the Frac Bourgogne, in Dijon and the Camden Arts Centre in London. Cabrita Reis continues to question the concept of space by making use of materials traditionally used in architecture, making reality more poetic.

| 35

PE DRO

CABRITA

REIS


JO SÉ PE DRO CROFT 36 |

Pintor e escultor expressionista, dado a intensa deformação do real. Nasceu no Porto, Portugal, em 1957. Ao longo de vinte e cinco anos, desenvolveu uma obra que o faz, hoje, um dos mais destacados artistas portugueses. Transitando, sem hierarquias, entre o desenho e a escultura, os seus trabalhos fazem parte de algumas das principais colecções públicas e privadas europeias, tendo sido recentemente objecto de mostras antológicas em duas importantes instituições ibéricas: uma no Centro Cultural Belém, em Lisboa (2002), e a outra no Centro Galego de Arte Contemporânea, em Santiago de Compostela (2003). Vive e trabalha em Lisboa.


Expressionist painter and sculptor, who strongly distorts reality. Born in Oporto, Portugal, in 1957. Considered one of the most prominent Portuguese artists, José Pedro Croft has a body of artistic work spanning 25 years. Crossing over between drawing and sculpture, his work is part of some of the most important public and private European collections. Recently, his body of work has been presented in anthological exhibitions in two important Iberian institutions: one at the Belém Cultural Centre (CCB), in Lisbon (2002) and another at the Galician Centre for Contemporary Art (CGAC), in Santiago de Compostela (2003). He lives and works in Lisbon.

| 37

JO SÉ PE DRO CROFT


LUISA CUNHA Luisa Cunha&Bruce Nauman “Uma Performance E Uma Conversa”

+ FERNANDO RIBEIRO “TELL ME MY NAME”


LUISA CUNHA Luisa Cunha&Bruce Nauman “One Performance And One Conversation”


EX PO SI ÇÃO 40 |

Luisa Cunha// Luisa Cunha&Bruce Nauman “Uma performance e uma conversa” A performance foi iniciada a 20 de Março de 2010, às19h32. A conversa terá início no dia 17 de Junho de 2010 à hora da abertura do projecto Luisa Cunha e Bruce Nauman vão estar neste projecto em conversa, numa performance cujo resultado estará patente na face de dois contentores. +Fernando Ribeiro// "Tell me My Name" Tell Me My Name é uma performance executada pelo artista em dois contentores de carga marítima. Dela ficarão vestígios materiais e sensoriais, vestígios esses que remetem para questões relacionadas com a sensualidade e a identidade, e ainda para a (in) determinação sexual, que decorre quer do facto de ambos os contentores terem a mesma iluminação, quer da informação presente.


Luisa Cunha// Luisa Cunha&Bruce Nauman “One performance and one conversation� The performance took place on March 20, 2010, at19h32. The conversation will take place on June 17, 2010, at the projects opening time Luisa Cunha and Bruce Nauman will converse as part of a performance whose result will be exhibited in two containers. +Fernando Ribeiro Tell Me My Name Tell Me My Name is a performance undertaken by the artist in two shipping containers. It will leave behind material and sensorial traces which evoke themes related to sensuality and identity and also sexual (in)determination, deriving not only from the fact that both containers have the same lighting, but also from the information enclosed in the traces left by the performance.

| 41

EX HI BI TION


42 |


| 43

LUISA CUNHA Luisa Cunha&Bruce Nauman “Uma Performance E Uma Conversa” “One Performance And One Coversation”


44 |


| 45

LUISA CUNHA Luisa Cunha&Bruce Nauman “Uma Performance E Uma Conversa” “One Performance And One Coversation”


46 |


| 47

LUISA CUNHA Luisa Cunha&Bruce Nauman “Uma Performance E Uma Conversa” “One Performance And One Coversation”


48 |


| 49

LUISA CUNHA Luisa Cunha&Bruce Nauman “Uma Performance E Uma Conversa” “One Performance And One Coversation”


50 |


| 51

+ FERNANDO RIBEIRO “TELL ME MY NAME”


R2 “Temos Qualidade A Baixo Preço


R2 “We’ve Got Quality At Low Cost”


EX PO SI ÇÃO 54 |

«Temos qualidade a baixo preço» é uma frase que encontrámos num cartaz vernacular, fixado na montra de uma loja de Vila Nova de Gaia. Um cartaz promocional provalvelmente desenhado pelo proprietário do estabelecimento, num papel fluorescente e com marcador colorido de ponta larga. A frase é transportada para outro contexto, escala e suporte, despida das suas referências cromáticas e formais originais. Inscreve-se em quatro contentores vindos do Brasil, Russia, India e China (BRIC) que a transportam em português, cirílico, hindi e mandarim. A leitura faz-se circundando as peças. Cada uma destas escritas, com características formais específicas, encarrega-se de quebrara uniformidade do conjunto.


“We’ve got Quality at a low price�, a sentence we discovered on a poster, in a shop window, in Vila Nova de Gaia. A poster most likely drawn by the shop owner, basic florescent paper and a coloured marker. We borrow this sentence but strip it bare of its original meaning and chromatic context, we then introduce the sentence to another world, another context, scale and shape. We paste the sentence on the containers which originally come from Brazil, Russia, India and China, each in their corresponding language; Portuguese, Cyrillic, Hindi and Mandarin. The full appreciation is accomplished by circling the individual pieces. The specific characteristics of each sentence break the uniformity which usually involves the containers.

| 55

EX HI BI TION


56 |


| 57

R2 “Temos Qualidade A Baixo Preço” “We’ve Got Quality At Low Cost”


58 |


| 59

R2 “Temos Qualidade A Baixo Preço” “We’ve Got Quality At Low Cost”


60 |


| 61

R2 “Temos Qualidade A Baixo Preço” “We’ve Got Quality At Low Cost”


62 |


| 63

R2 “Temos Qualidade A Baixo Preço” “We’ve Got Quality At Low Cost”


SUSANNE THEMLITZ 4 Contentores 1Desenho E Uma Paisagem A Bordo De Victor Hugo


SUSANNE THEMLITZ 4 Containers 1Drawing And One Landscape On Board Of Victor Hugo


EX PO SI ÇÃO

“Quatro Contentores, Um desenho e Uma Paisagem / a bordo de Victor Hugo” é o título da mais recente instalação de Susanne Themlitz, a inaugurar nos CONTENTORES, dia 2 de Setembro, às 21H00, nas Docas de Alcântara. Depois da exposição “Silêncio / 5 elementos em bronze e alumínio provavelmente desprendidos de um grafite e óleo, ainda a realizar”, na Ermida da Nossa Senhora da Conceição, em Lisboa, a artista apresenta no projecto Contentores uma obra que se caracteriza por quatro intervenções, todas com uma ligação à costa Lisboeta e margens do rio Tejo. Nos quatro contentores as intervenções distinguem-se por: Primeiro: Ilhas brancas e um castelo, a partir de uma aguarela de Victor Hugo. Segundo: Objectos com história incerta testemunhos de um naufrágio. Terceiro: Um mergulhador em bronze sem rosto. Quarto: Recanto habitável, instável. A residir em Colónia, na Alemanha, Susanne Themlitz marca o terceiro dos cinco momentos expositivos do projecto Contentores, que contam ainda com as intervenções de Pedro Cabrita Reis e José Pedro Croft até ao final do ano.


“Four containers, one drawing and a landscpae / on board of Victor Hugo” is the title of Susanne Themlitz’s latest intallation to be presented at the art project “Contentores”, next September 2 at 9 p.m., placed by the river Tagus, under the main bridge of the city. After the exhibition “ Silêncio / 5 elementos em bronze e alumínio provavelmente desprendidos de um grafite e óleo, ainda a realizar” presented this year at Ermida da Nossa Senhora da Conceição, the artist living in Cologne, returns to Lisbon to show at “Contentores” white islands and a castle, objects with an uncertain history, habitable and phantasmagoric corners, and a faceless and bronze diver. The installation is based in fragments of Victor Hugo’s novel “Toilers of the Sea” (“Les Traveilleurs de la mer”), published in 1886. Therefore Susanne Themlitz will recreate a kingdom of absence, a frozen time, a landscape and a drawing at the four shipping containers, in a parallel dialogue with Victor Hugo’s novel.

EX HI BI TION


SUSANNE THEMLITZ “4 Contentores, 1 Desenho E Uma Paisagem - A Bordo De Victor Hugo” “4 Containers, 1 Drawind And One Landscape - On Board Of Victor Hugo”


SUSANNE THEMLITZ “4 Contentores, 1 Desenho E Uma Paisagem - A Bordo De Victor Hugo” “4 Containers, 1 Drawind And One Landscape - On Board Of Victor Hugo”


SUSANNE THEMLITZ “4 Contentores, 1 Desenho E Uma Paisagem - A Bordo De Victor Hugo” “4 Containers, 1 Drawind And One Landscape - On Board Of Victor Hugo”


SUSANNE THEMLITZ “4 Contentores, 1 Desenho E Uma Paisagem - A Bordo De Victor Hugo” “4 Containers, 1 Drawind And One Landscape - On Board Of Victor Hugo”


SUSANNE THEMLITZ “4 Contentores, 1 Desenho E Uma Paisagem - A Bordo De Victor Hugo” “4 Containers, 1 Drawind And One Landscape - On Board Of Victor Hugo”


SUSANNE THEMLITZ “4 Contentores, 1 Desenho E Uma Paisagem - A Bordo De Victor Hugo” “4 Containers, 1 Drawind And One Landscape - On Board Of Victor Hugo”


PEDRO CABRITA REIS “Deposição #2”


PEDRO CABRITA REIS “Deposition #2”


EX PO SI ÇÃO

Na continuidade de peça “Deposição”, desenvolvida para o Projecto Octógono Arte Contemporânea da Pinacoteca do Estado de São Paulo, “Deposição #2”, segue a mesma linha de inspiração da escultura apresentada no Brasil. A peça aborda o “(...) tema da deposição do Cristo crucificado, muito explorado pelos pintores a partir do Maneirismo e do Barroco, no século XVI. Trata-se de um corpo morto, sobre uma mesa e desprovido de toda a sua divindade, humano.” O suporte utilizado em Deposição #2 não será uma mesa, mas sim os próprios contentores, onde as dimensões duplicam face à primeira versão. A escultura, feita em viga de ferro, tem dezasseis metros de comprimento e oito de largura.


Following the previous sculpture “Deposição” (“Deposition”) developed for the Contemporary Art Octagonal Project of the Pinacoteca do Estado de São Paulo, “Deposição #2” has the same source of inspiration comparing to the one presented in Brazil. The piece addresses the theme of the deposition of “(...) Christ crucified, topic highly approached by the painters from the Baroque and Menneirism in the sixteenth century. This is a dead body laying on a table, devoid of all its divinity.” “Deposição #2” is made of iron beam and has 16 meters long and 8 meters wide. It doubled its size comparing to the first version.

EX HI BI TION


PEDRO CABRITA REIS “Deposição #2” “Deposition #”2”


PEDRO CABRITA REIS “Deposição #2” “Deposition #”2”


PEDRO CABRITA REIS “Deposição #2” “Deposition #”2”


JOSÉ PEDRO CROFT “Sem Título,2010”


JOSÉ PEDRO CROFT “Untitled,2010”


EX PO SI ÇÃO

“Sem título, 2010” é uma intervenção que consiste no empilhamento dos quatro contentores, que consistem no próprio espaço expositivo. Tanto o tecto como o chão serão previamente retirados de modo a unificar os contentores e construindo um só elemento, transformando o conjunto numa coluna/“torre”. No interior das portas, ligeiramente entreabertas, serão colocados espelhos bem como na face oposta às mesmas. A intervenção de José Pedro Croft no projecto CONTENTORES subverte a ideia de contentor como receptor de imagens do exterior, tornando-o também objecto de comunicação com o espaço envolvente. Na qualidade de polarizador que recebe e expande, o contentor torna-se passagem de uma corrente contínua de estímulos que absorve e reflecte. A peça apela aos sentidos, a uma observação fragmentada e por conseguinte demorada.


“Untiltled, 2010” is an intervention which consists on piling up four containers, that are the exhibition space itself. The floor and the ceiling will be previously removed in order to unify the containers, building one single element, and transforming the set in a column / “tower”. The artist will hang mirrors in the interior side of the doors as well as on their opposite side. José Pedro Croft’s intervention in the art project Contentores subverts the idea of container as a receptor of images from the outside, transforming it as well in a communication object with its surroundings. As a polarizer that receives and expands, the container becomes a continuous stream of stimuli that absorbs and reflects. The work appeals to the senses, to a fragmented observation and therefore delayed.

EX HI BI TION


JOSÉ PEDRO CROFT “SEM TÍTULO,2010” “UNTITLED,2010”


JOSÉ PEDRO CROFT “Sem Título,2010” “Untitled,2010”


JOSÉ PEDRO CROFT “Sem Título,2010” “Untitled,2010”


JOSÉ PEDRO CROFT “Sem Título,2010” “Untitled,2010”


CLIP PING


CLIP PING


CLIPPING DATA//

TÍTULO// Um ovni nas docas

PUB//

TIPO// Revista Cultural

por//


CLIPPING DATA// 16 JUN 2010

TÍTULO// Nauman em projecto mistério

PUB//

TIPO// Suplemento Cultural do Jornal Público

por//


CLIPPING DATA// 24 MAI 2010

TĂ?TULO// Projecto Contentores traz Bruce Nauman a Lisboa

PUB//

TIPO// Suplemento Cultural do DN

por//


CLIPPING DATA//

TÍTULO// P28 | Contentores Lisboa

PUB//

TIPO// Guia de Arte

por//


CLIPPING DATA//

TĂ?TULO// P28 presents Project CONTENTORES

PUB//

TIPO// Revista bimensal internacional

por//


CLIPPING DATA// TÍTULO// 27 JUN 2010 O artista boémio está, felizmente, em decadência

PUB// Pública

TIPO// Revista do Jornal Público

por//


CLIPPING DATA// 24 JUL 2010

TรTULO// P28| R2 nos contentores com qualidade a baixo preรงo

PUB//

TIPO// Blog

por//


CLIPPING DATA//

TÍTULO// R2 nos contentores com qualidade a baixo preço

PUB//

TIPO// Divulgação Cultural on-line

por//


CLIPPING DATA//

TรTULO// Contentores: Temos qualidade a baixo preรงo

PUB//

TIPO// Guia Cultural

por//


CLIPPING DATA// 14 JUL 2010

TรTULO// R2 nos contentores com qualidade a baixo preรงo

PUB//

TIPO// Blog

por//


CLIPPING DATA// 23 JUL 2010

TÍTULO// Uma questão local levada à escala global

PUB//

TIPO// Suplemento Cultural do Jornal Diário de Notícias

por//


CLIPPING DATA// 23 JUL 2010

TÍTULO// R2 na alta roda do “design” mundial

PUB//

TIPO// Suplemento Cultural do Jornal Diário de Notícias

por//


CLIPPING DATA//

TรTULO// Qualidade a baixo preรงo

PUB//

TIPO// Revista urbana semanal

por//


CLIPPING DATA// 09 AGO 2010

TÍTULO// Contentores

PUB//

TIPO// Programação cultural Antena 2

por//


CLIPPING DATA//

TÍTULO//

21 AGO 2010

Contentores

PUB//

TIPO// Revista on-line

por//


CLIPPING DATA// 04 SET 2010

TĂ?TULO//

PUB//

Contentores

Atual

TIPO// Suplemento Cultural do jornal Expresso

por//


CLIPPING DATA// 11 SET 2010

TĂ?TULO// 4Contentores, 1Desenho e uma Paisagem

PUB// Atual

TIPO// Suplemento Cultural do jornal Expresso

por//


CLIPPING DATA// O2 SET 2010

TÍTULO// Susanne Themlitz

PUB//

TIPO// Programção cultural antena2

por//


CLIPPING DATA// O8 SET 2010

TÍTULO// Fragmentos de solidão

PUB//

TIPO// Revista Cultural

por//


CLIPPING DATA// 02 SET 2010

TĂ?TULO// 4Contentores, 1Desenho e uma Paisagem

PUB//

TIPO// Revista Cultural

por//


CLIPPING DATA// 01 SET 2010

TĂ?TULO// As paisagens costeiras de Victor Hugo nos Contentores

PUB//

TIPO// Suplemento Cultural do DN

por//


CLIPPING DATA// 07 SET 2010

TĂ?TULO// art notes: lisbon

PUB//

TIPO// Revista Cultural

por//


CLIPPING DATA//

TĂ?TULO//

10 SET 2010 4Contentores,1Desenho e uma Paisagem

PUB//

TIPO// Revista Cultural

por//


CLIPPING DATA// 08 SET 2010

TรTULO// Contentores

PUB//

TIPO// Diรกrio Cultura

por//


CLIPPING DATA// 12 SET 2010

TรTULO// Contentores

PUB//

TIPO// Diรกrio Cultural

por//


CLIPPING DATA//

TĂ?TULO//

10 SET 2010 4Contentores,1Desenho e uma Paisagem

PUB//

TIPO// Revista Cultural

por//


CLIPPING DATA// 08 SET 2010

TรTULO// Contentores

PUB//

TIPO// Diรกrio Cultura

por//


CLIPPING DATA//

TĂ?TULO//

10 SET 2010 4Contentores,1Desenho e uma Paisagem

PUB//

TIPO// Revista Cultural

por//


CLIPPING DATA// 08 SET 2010

TรTULO// Contentores

PUB//

TIPO// Diรกrio Cultura

por//


CLIPPING DATA//

TĂ?TULO//

10 SET 2010 4Contentores,1Desenho e uma Paisagem

PUB//

TIPO// Revista Cultural

por//


CLIPPING DATA// 08 SET 2010

TรTULO// Contentores

PUB//

TIPO// Diรกrio Cultura

por//


CLIPPING DATA//

TĂ?TULO//

10 SET 2010 4Contentores,1Desenho e uma Paisagem

PUB//

TIPO// Revista Cultural

por//


CLIPPING DATA// 08 SET 2010

TรTULO// Contentores

PUB//

TIPO// Diรกrio Cultura

por//


CLIPPING DATA//

TĂ?TULO//

10 SET 2010 4Contentores,1Desenho e uma Paisagem

PUB//

TIPO// Revista Cultural

por//


CLIPPING DATA// 08 SET 2010

TรTULO// Contentores

PUB//

TIPO// Diรกrio Cultura

por//


CLIPPING DATA//

TĂ?TULO//

10 SET 2010 4Contentores,1Desenho e uma Paisagem

PUB//

TIPO// Revista Cultural

por//


CLIPPING DATA// 08 SET 2010

TรTULO// Contentores

PUB//

TIPO// Diรกrio Cultura

por//


CLIPPING DATA//

TĂ?TULO//

10 SET 2010 4Contentores,1Desenho e uma Paisagem

PUB//

TIPO// Revista Cultural

por//


CLIPPING DATA// 08 SET 2010

TรTULO// Contentores

PUB//

TIPO// Diรกrio Cultura

por//


CLIPPING DATA//

TĂ?TULO//

10 SET 2010 4Contentores,1Desenho e uma Paisagem

PUB//

TIPO// Revista Cultural

por//


CLIPPING DATA// 08 SET 2010

TรTULO// Contentores

PUB//

TIPO// Diรกrio Cultura

por//


CLIPPING DATA//

TĂ?TULO//

10 SET 2010 4Contentores,1Desenho e uma Paisagem

PUB//

TIPO// Revista Cultural

por//


CLIPPING DATA// 08 SET 2010

TรTULO// Contentores

PUB//

TIPO// Diรกrio Cultura

por//


CLIPPING DATA//

TĂ?TULO//

10 SET 2010 4Contentores,1Desenho e uma Paisagem

PUB//

TIPO// Revista Cultural

por//


CLIPPING DATA// 08 SET 2010

TรTULO// Contentores

PUB//

TIPO// Diรกrio Cultura

por//


Contentores 2010 - emag  

Contentores e-mag

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you