__MAIN_TEXT__

Page 1

INDÚSTRIA DE PLÁSTICOS E O PROJETO DE IMPLANTAÇÃO DO SAP S4/HANA Entrevista exclusiva com Cristiano Baez, Gerente de TI e Rolf Haar, Gerente Administrativo Financeiro

PROCESSOS Teletrabalho – uma tendência? Não, uma realidade irreversível.

COMO FOI NOSSO 2019? Uma retrospectiva especial sobre o ano de 2019 da ConsulPaz

INOVAÇÃO Conexões Vitais – a década para se “perpetuar”

AUTOMAÇÃO Uma reflexão sobre o The Filter Bubble no buscador google e nas redes sociais

ANO NOVO

EXPECTATIVAS RENOVADAS

CSC E GESTÃO Os desafios para implantação do modelo de gestão de Serviços Compartilhados

EDIÇÃO #11 / OUT NOV DEZ / 2019


IDEALIZAÇÃO Eden Paz CEO e Sócio Fundador ConsulPaz CGP Associates

COLABORAÇÃO Clairton Braun CEO e Fundador C.BRAUN Branding e Especialista em Marketing e Branding Cleo Carneiro Ex- Presidente e atual Diretor de Relações Internacionais SOBRATT | Diretor GCONTT Cristiano Baez Gerente de TI HERC Eden Paz CEO e Sócio Fundador ConsulPaz CGP Associates Pedro Bocchese Diretor Núcleo IT e Diretor Pedagógico FAP Rolf Haar Gerente Administrativo e Financeiro HERC Roni Braun Diretor HERC Rubimar Gehlen da Silva Diretor HERC

DIAGRAMAÇÃO E CRIAÇÃO Marketing - ConsulPaz CGP Associates

APOIO C.BRAUN Branding


EDIÇÃO #11 / OUT NOV DEZ / 2019

EDITORIAL

Missão cumprida, um ciclo que se encerra e novos desafios, assim encaramos o término de um ano e o início do próximo. O exercício de escrever um editorial para uma revista de negócios e que, de forma contínua, busca agregar visões e conhecimentos diversos e de qualidade, é um prazer e ao mesmo tempo um desafio. Escrever de forma resumida (não chega a ser um texto do Twitter) e que contemple toda a mensagem que desejamos passar também exige dedicação e cuidados especiais, e esperamos atender a estes requisitos em nossos editoriais. Como descrito no título, 2019 foi mais um ano desafiador e, para a ConsulPaz, como poderá ser explorado com mais detalhes em nossa matéria sobre a retrospectiva, terminamos o ano, com muito esforço, dedicação e com a sensação de dever cumprido, afinal, foram projetos entregues, projetos iniciados, participação em eventos importantes, palestras, visitas de benchmarking, com muito aprendizado e troca de experiências, enfim, conquistas e realizações que tornaram nosso ano intenso e completo. Já, em 2020, começamos com toda energia, novos projetos iniciando, novos desafios, como a realização de 4 (quatro) encontros de negócio denominado “CoffeeNet”, organizados pela ConsulPaz e por parceiros especiais, nos quais temos a oportunidade de apresentar casos de sucesso, aprendizados, erros e de trocar experiências com nossos convidados, executivos de negócio, tomadores de decisão. Além deste desafio, estamos crescendo em várias frentes, trouxemos novos sócios e vamos trazer ainda mais, assim, poderemos chegar a outras localidades e levar nossa qualidade para um número ainda maior de empresas.

Também decidimos manter nossa estratégia de apoiar iniciativas importantes, dentre elas, a ABSC – Associação Brasileira de Serviços Compartilhados, e o investimento em nossos associados, aumentando nossa qualificação nos serviços em que atuamos, seja na frente de Processos, PMO, Gestão da Mudança e em Migrações de ERPs.


EDIÇÃO #11 / OUT NOV DEZ / 2019

EDITORIAL

Como já sabem, o conteúdo da nossa revista busca a atender alguns pilares de negócio, e nossos artigos, entrevistas, notícias e programação de eventos certamente estão alinhados a estes pilares. Destaco a entrevista com os Sócios e os líderes do projeto da Herc, com a qual contribuímos em frentes importantes, como Desenho de Processos, PMO e Gestão da Mudança, vale conferir a entrevista. Em um ambiente onde inovar é tarefa diária, espero que nossa revista, com matérias como Teletrabalho e Home Office, do nosso amigo Cleo Carneiro, ou o artigo sobre The Filter Bubble no buscador Google e nas redes sociais de outro amigo especial, Pedro Bocchese, possa agradar tanto aos nossos leitores como nos agradou, e lembramos que este espaço também é seu, portanto, participe da campanha de temas para artigos e newsletter da ConsulPaz.

Um abraço fraterno,

CEO e Sócio Fundador da ConsulPaz CGP Associates Membro do Conselho da ABSC – Associação Brasileira de Serviços Compartilhados


NESTA EDIÇÃO

07

ARTIGO

Teletrabalho – uma tendência? Não, uma realidade irreversível.

19

ARTIGO

Conexões Vitais – a década para se “perpetuar”

24

ENTREVISTA

HERC e o Projeto de Implantação do sistema SAP S/4 Hana

29

ARTIGO

Uma reflexão sobre o The Filter Bubble no buscador google e nas redes sociais

35

ARTIGO

Os desafios para implantação do modelo de gestão de Serviços Compartilhados 5


A CONSULPAZ

13

MATÉRIA DE CAPA COMO FOI NOSSO 2019? Relembramos alguns dos mais importantes momentos para a ConsulPaz em 2019.

41

Consultoria focada em Gestão Empresarial, especializada na identificação de cenários e relações nas empresas, com soluções e serviços inteligentes, práticas inovadoras e que entregam valor ao cliente. Priorizamos a busca de oportunidades e ganhos para nossos clientes, Gerando Valor, Reduzindo Custos e implantando Melhorias Eficientes e Contínuas.

#EventosConsulPaz

PORTO ALEGRE / RS (51) 3026 0070 SÃO PAULO / SP (11) 2348 5395 RIBEIRIÃO PRETO / SP (16) 3505 0804 ITAJAÍ / SC (47) 3349 7280

contato@consulpaz.com consulpaz.com

6


PROCESSOS

Teletrabalho – uma tendência? Não, uma realidade irreversível

7


TELETRABALHO – UMA TENDÊNCIA? NÃO, UMA REALIDADE IRREVERSÍVEL!

Teletrabalho, com suas demais O diferentes denominações – Home Office, Trabalho Remoto, Trabalho à distância – já de há muito tempo, não se constitui em tendência; de fato, é uma realidade irreversível, da qual as organizações que pretendem sobreviver não terão como fugir. Artigo publicado no Jornal “O Globo” em 13/12/2019 Home office’ cada vez mais presente nas empresas, refere que recente pesquisa realizada pela Consultoria Talenses revelou *que em uma amostragem de 1.167 profissionais de diferentes níveis hierárquicos, 42% dos respondentes já trabalham no modelo home office,

pelos benefícios que o mesmo traz para os colaboradores e para as próprias empresas. Por outro lado, pesquisa de abrangência nacional, realizada em 2018 pela SAP – Consultoria em Recursos Humanos, com o apoio da SOBRATT- Sociedade Brasileira de Teletrabalho e Teleatividades e do GCONTT – Grupo de Consultoria em Teletrabalho, evidenciou que em um universo de 327 empresas participantes, 45% delas praticavam o Teletrabalho; esse percentual representava um aumento de 22% em relação aos resultados obtidos na pesquisa anterior, de 2016. 8


TELETRABALHO – UMA TENDÊNCIA? NÃO, UMA REALIDADE IRREVERSÍVEL!

Estes são, entre muitíssimos outros estudos, levados a efeito em todas as partes do mundo, uma confirmação de que o Teletrabalho, juntamente com as demais formas de flexibilização do trabalho, veio para ficar. Esses números têm uma razão de ser - os resultados que o Teletrabalho traz para os colaboradores, para as empresas e para a comunidade, se enquadrando no conceito de sustentabilidade – resultados para as organizações, as pessoas e para o meio ambiente. De tato, os benefícios para as empresas são patentes – melhora do engajamento dos colaboradores, aumento da produtividade, atração e retenção de talentos, redução de custos com espaço físico e despesas correlatas, impacto na imagem institucional, pela aderência às modernas práticas de gestão. Para os colaboradores, os benefícios são incontestes – melhoria na Qualidade de Vida, utilização do tempo evitado com o deslocamento para atividades mais importantes do que tempo no trânsito – mais tempo

com a família, repouso, atividades físicas, lazer, estudo. A comunidade e o meio ambiente também recebem um impacto positivo, com a melhoria da mobilidade urbana, e a redução da emissão de poluentes trazida pela redução do número de deslocamentos. A utilização de PCD´s também está entre esses benefícios.

Apesar de todos esses fatos e números apontados pelas pesquisas e estudos (também presentes em todas as demais partes do mundo) e pelas evidências dos resultados obtidos, a implantação do Teletrabalho ainda encontra resistências, dentre as quais destacam-se: •

A adoção de um estilo de gestão baseado no comando e controle, ao invés do estilo que privilegia as entregas e resultados, que é o que verdadeiramente conta. Na realidade, o fato de o colaborador ser comandado e controlado colide totalmente com a existência de um clima organizacional favorecedor do bom desempenho dos colaboradores, que precisa


TELETRABALHO – UMA TENDÊNCIA? NÃO, UMA REALIDADE IRREVERSÍVEL!

ser fundamentado na confiança e no respeito pelas pessoas.

segurança jurídica trazida pela Reforma Trabalhista.

A crença, por parte de muitos gestores, de que as pessoas só produzem se estiverem ao alcance do seu campo visual. “Como vou saber se, estando em casa, meu funcionário está de fato trabalhando? ” Embora sem sentido, essa pergunta ainda passa pela cabeça de muitos gestores.

Entretanto, todas essas resistências, que acabam por impedir que as empresas colham os inúmeros e relevantes frutos do Teletrabalho, caem por terra na medida em que as mesmas implantem o Teletrabalho de maneira estruturada. Essa estruturação, na realidade, é fator fundamental para uma implantação de sucesso.

O entendimento de que a produtividade decrescerá pelo fato de o colaborador estar trabalhando em casa. As evidências mostram exatamente o contrário.

Dessa maneira, quais são os fatores críticos de sucesso, que asseguram uma implantação apropriada, que traga resultados concretos para as empresas?

A preocupação com riscos trabalhistas – algumas empresas ainda entendem que pode trazer riscos o fato de o colaborador estar trabalhando em outro local que não o escritório da empresa – controle de jornada, horas extras, exposição a acidentes e doenças profissionais, etc; preocupação essa totalmente descartada, em razão da

O desenho e a implantação propriamente dita contando com a participação das áreas da empresa envolvidas – Recursos Humanos, Tecnologia da Informação, Jurídico Trabalhista, bem como as áreas ligadas ao negócio e as de back office.

Uma Política de Teletrabalho, para explicitar os objetivos e as regras do jogo – regime de dias


TELETRABALHO – UMA TENDÊNCIA? NÃO, UMA REALIDADE IRREVERSÍVEL!

fora da sede da empresa, critérios de elegibilidade, papéis e responsabilidades dos gestores e teletrabalhadores, aditivo ao Contrato de Trabalho, orientação quanto a TI e Segurança da Informação, bem como com relação à Ergonomia e Segurança do Trabalho.

A sensibilização e capacitação dos gestores e teletrabalhadores, através da qual os atores envolvidos se sintam comprometidos com as regras do jogo e capacitados para exercerem seus papéis no Programa.

Monitoramento, com base em indicadores de desempenho, e uma avaliação constante, também são decisivos, pois como qualquer atividade estratégica, há que se medir e acompanhar, para que os resultados sejam assegurados.

Os próprios conceitos que embasam esse segmento - maior produtividade com melhor qualidade na prestação de serviços, apoiada por uma força de trabalho mais qualificada e engajada, melhoria dos processos, redução de despesas com espaço físico, estão totalmente alinhados aos propósitos do Teletrabalho. O momento é, pois, de menos discussão e mais ação. Já existem argumentos em quantidade suficiente e adequadamente robustos, para passarmos da discussão para a ação. Mãos à obra, pois!

Cleo Carneiro Ex- Presidente e atual

Diretor de Relações Internacionais

Diretor •

Nessa ordem de ideias, o segmento de Serviços Compartilhados tem todas as condições de se beneficiar da implantação do Teletrabalho.


INTEGRAÇÃO DE ROBÔS, ESTUDOS DE APLICAÇÕES E INÚMERAS SOLUÇÕES PARA UMA AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL EFICAZ. Uma empresa do Grupo

@RoboticsAMIT | @amitrobotics | (51) 3026 0070 | amitrobotics.com

A AMIT Robotics atua desenvolvendo projetos com soluções tecnológicas para automação industrial, beneficiando seus clientes com o aumento da agilidade garantindo qualidade na produção.

www.amitrobotics.com


COMO FOI NOSSO 2019? Para começar, gostaríamos de compartilhar nossa alegria com nossas conquistas, realizações e aprendizados. 2019 foi um ano muito importante para a ConsulPaz e a melhor forma que encontramos para demonstrar este crescimento é relembrar algumas destas realizações. Logo no início do ano, começamos com uma importante visita de benchmarking no CSC da Algar junto com nossos clientes. Ao longo do ano fizemos outras visitas também muito importantes, como ao CSCs da AMBEV, Renault e Nestlé, que nos permitiram demonstrar os ganhos e as vantagens de se implementar o modelo de gestão de CSC.


COMO FOI NOSSO 2019? Tivemos a oportunidade de compartilhar nossa visão sobre os 10 anos da evolução do CSC, onde destacamos principalmente a mudança de um CSC operacional, para um CSC Digital, com CoEs em suas estruturas e um papel cada vez mais importante junto as áreas de negócios das empresas.

Também no início do ano, tive a grande satisfação de passar a direção da ABSC Associação Brasileira de Serviços Compartilhados para a nova diretoria. Foi gratificante entregar uma associação com recursos em caixa, diversas iniciativas implantadas e em andamento, um número crescente de associados e vários projetos endereçados. Poder ter contribuído diretamente para o crescimento do segmento de CSC no país, foi um privilégio e uma experiência única.


COMO FOI NOSSO 2019? Nossos projetos também foram especiais, tivemos a implantação dos CSCs da FSFX, Auxiliadora Predial, projetos de desenho de processos, PMO e Gestão da Mudança, com destaque para o projeto da Herc 4.0, onde inclusive fizemos parte do case de sucesso da implantação do SAP S/4 Hana no evento do SAP Fórum deste ano, junto com nosso cliente e a implementadora ITs. [fotos projetos FSFX, AP, Herc, Viacredi, Ailos, COFCO, Usaflex …]


COMO FOI NOSSO 2019? Para conseguir manter a ConsulPaz atualizada e conectada com todas as novidades, participamos de eventos nacionais e internacionais, sobre os mais diversos temas, mas sempre relacionados as nossas atividades de CSC, PMO, Gestão da Mudança, Migração de sistemas/ERPs. Além da atualização nos temas, também conseguimos construir alianças e parcerias que aumentam nossa capacidade de entrega, com maior valor, para nossos clientes.


COMO FOI NOSSO 2019? Novos associados, a ConsulPaz continua crescendo, neste ano, três novos associados passam a incorporar nossa equipe, Camila Bordon e Cristina Hamada, na filial de Ribeirão Preto e Ronaldo Prado em Porto Alegre, todos trazem experiências que complementam nossas competências e ampliam nossa capacidade de atendimento. Ainda em relação aos nossos associados, é muito gratificante ouvir de cada associado “Eu sou mais ConsulPaz”, onde cada um faz um depoimento dizendo da importância e do prazer de fazer parte da nossa equipe. Além destes registros todos, destacamos que na prática a ConsulPaz vem atuando de forma virtual na sua gestão, atividades como Marketing e Comunicação são desenvolvidas de forma remota, com fuso horário de 13h, atividades administrativas e comerciais, executadas em outro estado, tudo isso, dentro de uma integração perfeita e com excelentes resultados. Isso só é possível, pois colocamos na prática os conceitos utilizados, temos processos definidos, utilizamos soluções e tecnologias de mobilidade, dentre outros, trazendo ganhos e oportunidades para toda ConsulPaz. Por fim, nos é gratificante compartilhar que mesmo em momentos difíceis, sejam econômicos, sem políticos, com trabalho sério, muita determinação e coragem, é possível crescer e construir resultados sólidos e consistentes, e tem sido assim com a ConsulPaz. Estamos prontos para mais um ano de desafios, oportunidades e crescimento, que venha 2020 - Crescendo e contribuindo SEMPRE!

PRIORIZAMOS A BUSCA DE OPORTUNIDADES E GANHOS PARA NOSSOS CLIENTES.

REALIZAR É O QUE NOS MOVE. TENHA RESULTADOS REAIS HOJE.


VENHA TRABALHAR CONOSCO! Buscamos profissionais empreendedores, que gostem de trabalhar em projetos e tenham mobilidade para desempenharem funções de Analistas e Consultores de Processos com regime de contratação PJ, atuando em nossos projetos nas regiões de São Paulo/Região Metropolitana e Porto Alegre/RS, com experiência em: ✅ Desenho e redesenho de processos; ✅ Serviços Compartilhados; ✅ Procedimentos operacionais; ✅ Indicadores; ✅ Lean Office, e ✅ Ferramentas da qualidade. Consultores com certificações serão um diferencial. Se você se encaixa nesse perfil, cadastre seu currículo no banco de talentos do nosso site www.consulpaz.com.


INOVAÇÃO

Conexões vitais

A década para se “perpetuar” 19


CONEXÕES VITAIS - A DÉCADA PARA SE “PERPETUAR”

O ano de 2020 é o início da O década da confirmação para todos os tipos de produtos, serviços e marcas. Nunca estivemos tão conectados como antes. Tudo está na palma de nossas mãos, menos a estratégia das empresas com os consumidores. Quem não perceber a mensagem e não souber se estabelecer na revolução digital vai ficar de mãos vazias. Por outro lado, aqueles que planejam, se antecipam e conseguem estar conectados nas tendências do ritmo frenético do mundo digital vão sobreviver e ganhar fôlego no mercado global. Quando se inicia uma década, nós profissionais de branding e marketing

analisamos muito o que foi tendência na década anterior e o que vai perpetuar disso na próxima. Nesse sentido, as marcas devem estar preparadas, pois nunca foi tão difícil convencer o consumidor, convencer a pessoa, convencer o usuário. Seja em qualquer tipo de “tela”: smartphone, televisão, computador, tablet, neste display espalhado pelo mundo conectado da internet como agora. Existe infinitas ofertas de informação a respeito de tudo. Tudo que o nosso desejo de consumo pode nos ativar, soluções corporativas, pessoais, produtos personalizados, facilitadores, serviços dedicados. Ou seja, a guerra entre oferta, tendência, 20


CONEXÕES VITAIS - A DÉCADA PARA SE “PERPETUAR”

necessidade, preço e valor nunca foi tão forte. Existe uma frase de Albert Einstein que diz o seguinte: “Se esforce não para ser um sucesso, mas para ser valioso.” Não que o sucesso não seja importante, mas o valor é perpétuo, temos que ser verdadeiros em nossa mensagem de marca e acompanhar essa revolução digital. Do contrário, você sofrerá um desgaste na sua marca, no seu valor e se perder tempo poderá ficar para trás num caminho quase sem volta.

do indivíduo, mas também na disseminação desta satisfação entre os seus amigos, família e mundo através da internet. As redes sociais são os principais canais de comunicação direta do indivíduo com o mundo e ali sempre estão expostas opiniões positivas e negativas sobre nosso dia a dia, sobre nosso comportamento. Então, será uma década onde as pessoas vão estar cada vez mais buscando a qualidade e satisfação de consumo, onde a busca de informação antes do consumo será eminente.

Hoje é fácil disseminar e ter sucesso com um bom investimento de marketing, mas ele pode não se perpetuar se não existir uma gestão de marca focada no conteúdo, informação, entrega e satisfação total do consumidor. Vale para produtos e principalmente serviços. As marcas que não entregarem o que realmente prometem com excelência serão descartadas. A cada dia, as gerações estão se transformando em grandes consumidores, grandes críticos, em grandes avaliadores e o mais importante em grandes indicadores. Hoje, o valor da marca não está somente baseado na satisfação única

As marcas devem fazer muito mais do que entregar boas campanhas de mídia. Elas precisam focar em ter valor no dia a dia das pessoas e das corporações do mundo onde se relacionam. Uma marca que entra com valor na vida do consumidor se perpetua. Este será o grande desafio da década. Temos que saber nos comunicar, com uma mensagem verdadeira e única, nos mais diferentes displays, plataformas, veículos e canais de comunicação. Instigar a curiosidade, a busca do consumo e o principal: entregar o que realmente está prometendo e num rápido espaço de tempo. A velocidade


CONEXÕES VITAIS - A DÉCADA PARA SE “PERPETUAR”

da informação faz com que as escolhas também tenham que ser velozes. Hoje é possível consumir e influenciar muitas pessoas pegando carona no testemunho e avaliação delas. A opinião do consumidor passou a ter muito mais velocidade de transmissão e muito mais valor. Gostou, curtiu, compartilhou ou o contrário. E a avaliação deste produto ou serviço na era digital, na era da conexão pode se refletir em aumento de consumo ou descarte. Às vezes, em segundos. Iniciamos uma década onde marcas, consumidores e avaliações nunca tiveram tão conectados. Somos avaliados o tempo todo, em nossas organizações, nos aplicativos de mobilidade, em nossas redes sociais e em nossos hábitos e estilos de vida. E porque isso? Pois também estamos entrando em uma era de questionamentos e transformação. Profissionais de marketing e branding, estudam como as marcas e como as empresas vão ser importantes na vida das pessoas e “perpetuar” será a grande palavra da década. Como vamos perpetuar dentro de um ambiente onde o conteúdo, a informação, a oferta e a avaliação são

fatores fundamentais para a escolha e o crescimento da marca? O fator principal é a “verdade”, pois em segundos a informação está na palma de nossas mãos. E ninguém pode prometer o que não cumpre. O consumidor mundial tem conexão, tem opinião e tem a avaliação. A grande estratégia da década será a interação da marca com o consumidor com verdade, entrega e satisfação. Será uma década onde promessas serão como mantras para o consumidor e se a entrega não for satisfatória, as opiniões, as avaliações irão ditar os fatores de valor das marcas. Você está preparado?

Clairton Braun @clairtonbraunoficial

CEO e Fundador da C.BRAUN – Branding I Especialista em Marketing e Branding


ENTREVISTA O ano de 2019 trouxe, para a ConsulPaz, novos clientes, novos desafios e ainda mais vontade de realizar o nosso melhor. Foi nesse momento em que assumimos o compromisso em oferecer os melhores serviços e realizar uma importante mudança em um cliente que já tem seu nome consolidado no mercado.

A Indústria de Plásticos HERC, empresa pioneira na fabricação de produtos plásticos no Brasil possui mais de 50 anos de história e tem como a ConsulPaz, a vontade de sempre se renovar e oferecer os melhores produtos e serviços aos seus clientes. Desta forma, tivemos o prazer em entrevistar dois de seus importantes líderes, Cristiano Baez (Gerente de TI) e Rolf Haar (Gerente Administrativo e Financeiro) para contarem um pouco de sua experiência com o projeto realizado.

O que levou a empresa a decidir pela implantação do S/4 Hana? “Em primeiro plano o entendimento de que a solução existente havia esgotado. Após avaliação, entendemos que entre as diversas soluções existentes, o SAP traz às empresas robustez na sua arquitetura, sendo uma solução testada e que traz no seu bojo boas práticas. Quanto ao S/4Hana, optamos pela versão mais atual do sistema, adequada a conceitos de IOT e Cloud, itens que eram importantes para a HERC.

Cristiano Baez Gerente de TI

Rolf Haar Gerente Administrativo e Financeiro

24


Quais foram os primeiros passos na decisão? O que foi pensado? Como decidiram quais processos migrariam para o novos ERP?

também algumas empresas e conversamos com duas. O perfil da ConsulPaz teve maior aderência com a HERC.

Por princípio trabalhar com sistema standard, e customizar o essencial. Caberia a empresa adaptar seus processos ao ambiente standard.

Como foi o início do processo de implementação?

Tínhamos a clareza de que o processo de migração deveria ser intenso e com prazos determinados, dessa forma, a migração deveria ser completa. Como foi a decisão pelos parceiros? Como chegaram até a ConsulPaz? Como foi a decisão pelo time que trabalharia no projeto? Durante o processo de escolha da integradora, procuramos entender o funcionamento adequado de uma transição de SW e veio em voga a atuação de empresas de gestão de mudanças.

Para nós clientes, é um processo completamente novo. A última troca de SW de gestão ocorreu há 19 anos, consequentemente, não é uma atividade que tenhamos expertise assim como não trabalhamos com o SAP para sabermos quais procedimentos considerados críticos. Em contrapartida sabemos que a transição de SW é um processo de alta criticidade e riscos. Porque e como decidiram por ter um parceiro cuidando do PMO e da Gestão da Mudança? Essencialmente redução do risco de um processo com alta criticidade onde a empresa não tem a expertise necessária para gerir esse processo.

Pesquisamos sobre a atividade e o impacto no resultado, pesquisamos 25


Qual foi a importância de ter os processos mapeados e documentados antes do início da implantação? Trouxe ganhos para o projeto? Serviu como acelerador?

customizar o mínimo possível. Dessa forma, se fez necessário a empresa redesenhar seus controles internos visando estar alinhado com as melhores boas práticas.

O mapeamento prévio subsidiou sobremaneira o desenvolvimento do projeto em dois momentos:

Nas atividades tradicionais como contabilidade, financeiro, custos e folha de pagamento, isso foi possível. Na área produtiva a mudança foi mais intensa.

Primeiro no desenvolvimento das soluções durante o projeto, de forma a avaliar se o procedimento atual é adequado ou não e com isso a solução desenvolvida contemplar as necessidades existentes. Ainda no projeto, avaliar se os procedimentos atuais são coerentes e procedentes com a necessidade do negócio.

Jean Rosales PMO AESC

Em segundo, no momento de planejar o go-live. Criando condições de avaliar quais processos críticos e como minimizar o impacto. Quais foram os desafios encontrados dentro da empresa durante a implementação? Como grande desafio, existia o propósito de não customizar ou

Roni Braun Diretor

Rubimar Gehlen da Silva Diretor

Quais ações a empresa julga que foram essenciais na implantação do novo ERP e na sensibilização dos participantes? Em primeiro plano, a determinação dos investidores na mudança. Em segundo plano, o conjunto formado 26


pela consultoria de gestão de mudanças a metodologia de implementação, onde os multiplicadores tiveram dedicação exclusiva – integral. Estes, os multiplicadores, encerraram o projeto diferentes do seu início. É nítida a evolução dos participantes. Como está funcionando o período pós-implementação? Quais foram os resultados já observados pela empresa? Quais são os aprendizados?

Jean Rosales PMO AESC

Em relação ao funcionamento, nas áreas administrativas e de expedição, tivemos poucos problemas. Na área comercial, o SW que gerencia a emissão dos Pedidos de Venda apresentou muita instabilidade, vindo a entrar em um estado mais próximo do adequado quatro meses após implementação – esse foi um ponto crítico. Na área produtiva, existe um grau de dificuldade maior do que as demais, visto que o volume de controles implementados foi comparativamente maior do que as demais áreas.

Qual o feedback deixado pelas lideranças após o período de implementação do modelo? Quais os pontos positivos enxergados? Primeiro foi quebrada a mística de que o SAP é complexo. Muitos usuários tiveram pouca dificuldade na utilização. Ainda reflete o impacto positivo da migração: tempo recorde e com ocorrência de problemas considerado baixa, e muito localizado – alguns dos quais previamente mapeados. Naturalmente, muitas facilidades construídas no antigo ERP deixaram de existir, causando alguma dificuldade e desconforto inicial, mas em construção as soluções consideradas factíveis. Trabalha-se muito identificar uma solução nativa do sistema. Qual é o feedback deixado pelos clientes? O que já observam como pontos de melhoria?

Ainda é cedo para avaliarmos todas as melhorias. Mas observamos a uniformidade do conhecimento já que 27


agora trabalhamos com um único sistema, o que nos traz a médio prazo redução de custos e alinhamento. O uso do SAP Analytics também nos trouxe confiabilidade nas informações gerenciais, assim como toda a informação que obtemos do S/4 Hana.

Agora precisamos nos adaptar à nova forma de trabalho e assim perseguir outros ganhos como maior velocidade nos processos.

Confiabilidade é a palavra que descreve o sistema, portanto o principal problema que tínhamos, que era não ter certeza das informações acabou.

VOCÊ CONHECE A HERC? Essa história de pioneirismo e perseverança começa com o sonho de quatro amigos em fabricar uma torneira de plástico. Era uma ideia visionária, inédita no mundo, e o sonho começou a virar realidade em 12 de setembro de 1963, com a fundação da Indústria de Plásticos HERC Ltda. De lá para cá, muita coisa aconteceu. Além da torneira novos produtos foram desenvolvidos e, embora a HERC já possua mais de 55 anos, continua em sintonia com a sua época e, atenta ao mercado, pauta sua atuação pela inovação. Inovação que, aliada à experiência e à credibilidade alcançada ao longo do tempo, faz a empresa ser líder e experimentar um crescimento constante. Com a visão e determinação de seus fundadores e posteriormente da segunda geração à frente da empresa, a HERC superou as dificuldades naturais inerentes ao lançamento de um produto inovador, tornando-se uma empresa com tecnologia de ponta. Tudo isso sem deixar de lado a sua essência de valorizar os colaboradores. Esse é o principal legado deixado pelos seus fundadores. •

Saiba mais em http://www.herc.com.br

28


AUTOMAÇÃO

Uma reflexão sobre o The Filter Bubble no buscador Google e nas redes sociais

29


UMA REFLEXÃO SOBRE O THE FILTER BUBBLE NO BUSCADOR GOOGLE E NAS REDES SOCIAIS

m um cenário onde as relações se E baseiam principalmente em um mundo virtual, tanto no que tange a busca por conhecimento como nos processos de colaboração e relações humanas, a sociedade está utilizando mecanismos de busca para adaptarse nesse novo universo de interesses. Assim, devemos cada vez mais selecionar e tentar atribuir significação àquilo que identificamos como interessante para os nossos interesses. Se refletirmos sobre o comportamento dos algoritmos do buscador Google e nas redes sociais Facebook e Instagram com certeza perceberemos que há algo de “estranho”. Esse estranhamento está

baseado no que aparece de retorno das nossas consultas e em nossas linhas do tempo, ou seja, cada vez mais os algoritmos estão trazendo o conteúdo que mais se aproxima do que “queremos”. Esses mecanismos receberam um título de The Filter Bubble, ou traduzindo para o português, não literalmente, o Filtro Invisível. Esse conceito foi originado no TED por Eli Pariser. O TED (acrônimo de Technology, Entretainment, Design; em português: Tecnologia, Entretenimento, Design) traz uma série de conferências realizadas na Europa, na Ásia e nas Américas destinadas à disseminação 30


UMA REFLEXÃO SOBRE O THE FILTER BUBBLE NO BUSCADOR GOOGLE E NAS REDES SOCIAIS

de ideias. Suas apresentações são limitadas a dezesseis minutos, e os vídeos são divulgados na internet. Eli Pariser trouxe uma reflexão a respeito da forma que os algoritmos criados pelos buscadores e redes sociais retornam registros. Para ele, o processo de personalizar o indivíduo, gerado por esses mecanismos de busca faz com que as pessoas não tenham ciência do que não está retornado, e sim, acredita que tudo que está visível é o que existe. Atualmente, quando queremos realizar uma consulta na internet, provavelmente iremos utilizar o buscador Google, pois ele consegue a partir de palavras-chaves buscar conteúdos em páginas da internet e retorná-las para que possamos selecionar qual queremos visualizar. E quando o Google consegue trazer o conteúdo na qual estávamos buscando em primeiro lugar, temos a ciência que estamos com sorte ou que o buscador já está entendendo o que estamos pensando e o que queremos encontrar. Como isso é possível? Para Vise e Malseed (2007), A busca por informação imediata sobre toda e qualquer coisa é associada através de um

computador ou de um telefone celular, em que, homens, mulheres e crianças passaram a confiar tanto no Google que hoje não conseguem imaginar como era o mundo antes dele. E quando acessamos uma rede social, como por exemplo o Facebook ou o Instagram, podemos navegar entre as postagens das pessoas na qual estão conectadas a nós, utilizando uma relação digital denominado como “amigo”. Isto parece bem interessante, pois o sentimento de estarmos sendo conectados e tudo que está postado lá é o que está acontecendo neste exato minuto, trazendo um sentimento de que tudo é em tempo real, ou melhor, online. E será que isso é verdade? Todos os nossos amigos que possuímos na rede social que postam conteúdos aparecerem na nossa linha do tempo? Realmente é muito interessante, pois tenho mais de 4 mil amigos e minha linha do tempo tem sempre postagens em média de 100 a 200 amigos. Será que os demais amigos não postam nada? Não, se buscarmos pelo buscador da rede social um amigo que não está na nossa linha do tempo, veremos que ele tem postagens. Então, como isso


UMA REFLEXÃO SOBRE O THE FILTER BUBBLE NO BUSCADOR GOOGLE E NAS REDES SOCIAIS

é possível? De acordo com Pariser (2012), o Facebook verifica quais publicações são clicadas mais vezes, e oculta as publicações de pessoas nas quais você menos visualiza e clica. Podemos entender que esses comportamentos, que são oriundos dos algoritmos, querem que tenhamos o sentimento de ver o que queremos mais visualizar, mas basta selecionarmos um outro “amigo” ou enviarmos uma mensagem para esse outro “amigo” que logo o Facebook entende que queremos ter uma relação mais próxima com ele, assim, ele começará a aparecer mais vezes na nossa linha do tempo. Em “O Filtro Invisível”, Pariser (2012) mostra que não temos tanta autonomia quanto pensamos em nossas navegações pela internet. O autor destaca que os filtros criados pelas empresas impedem que se tenha acesso ao conteúdo total da rede digital, mostrando apenas aquilo que elas acham que desejamos que seja exibido. Para corroborar com isso, Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, descreve que: “[...] a morte de um esquilo, na frente de sua casa, pode ser mais importante para você do que pessoas morrendo na África.” (PARISER, 2012, p.7).

Para corroborar com isso, a Revista Time classificou a Google como a empresa mais inteligente do ano de 2006, e os fundadores Larry Page e Sergey Brin receberam o título de “Thomas Edisons da Internet” (OCAÑA, 2013). Os buscadores mudaram a forma como a internet funciona hoje, segundo Pariser, Sheryl Sandberg (diretora de operações do Facebook) e Tapan Bhat (vice-presidente do Yahoo), “o futuro da internet é a personalização”. A partir de agora a rede irá girar em torno do “eu”, criando uma forma de entrelaçar a rede de forma tão inteligente e personalizada para o usuário. Eric Schmidt, presidente da Google, identifica que o produto que eles querem projetar tem como objetivo adivinhar o que iremos escrever, e após isso, o Google irá dizer o que deverá ser feito em um único conteúdo retornado (PARISER, 2012). O buscador Google e as redes sociais Facebook e Instagram baseiam-se nessa enorme quantidade de dados pessoais que foram compilados, que segundo Ocaña (2013), a fonte de riqueza, dentro do âmbito empresarial, está nas informações


UMA REFLEXÃO SOBRE O THE FILTER BUBBLE NO BUSCADOR GOOGLE E NAS REDES SOCIAIS

indexadas e organizadas e que estamos em uma mudança de paradigma, “da internet das páginas à internet das pessoas”. Na briga pela informação, temos uma visão em que o Facebook está pela primeira vez na frente do Google, pois tem por meio de seus cliques saber identificar por exemplo tipos de filmes ou produtos que preferimos, ou seja, ele conhece melhor os usuários (OCAÑA, 2013).

Contudo, por fim, deixo como uma reflexão mais profunda para quem trabalha nas áreas de tecnologia comercial ou negócios, que sempre tivemos a ideia de que a tecnologia ia nos dar mais liberdade e controle sobre o mundo, com mecanismos e equipamentos que permitissem focar nossa atenção apenas no que nos interessa de modo que não necessitemos nos dar trabalho. No entanto a ironia apresenta-se agora, nos dando a liberdade de nos fornecer um controle remoto cheio de botões que nos impeça de fazer algo básico como, por exemplo, trocar de canal, e para piorar, esse controle remoto controla nossas vidas.

Referências: OCANÃ, Alejandro Suárez. A verdade por trás do Google. Trad. Sandra Martha Dolinsky. São Paulo, 2013. PARISER, Eli. O filtro invisível: o que a internet está escondendo de você. Trad. de Diego Alfaro. Rio de Janeiro: Zahar, 2012. VISE, David A.; MALSEED, Mark. Google: a história do negócio de mídia e tecnologia de maior sucesso dos nossos tempos. Editora Rocco, 2007.

Dr. Pedro Augusto Bocchese Diretor Núcleo IT e Diretor Pedagógico FAP


&

ÁREAS DE NEGÓCIO Consultoria focada em Gestão Empresarial, especializada na identificação de cenários e relações nas empresas, com soluções e serviços inteligentes, práticas inovadoras e que entregam valor ao cliente.

PRODUTOS SERVIÇOS Diagnóstico e Análise de Cenários ▫ Advisory ▫

Negócios

▫ ▫

Serviços Compartilhados

Priorizamos a busca de oportunidades e ganhos para nossos clientes, Gerando Valor, Reduzindo Custos e implantando Melhorias Eficientes e Contínuas.

▫ ▫ ▫ ▫

Gestão de Projetos (PMO) Projeto, revisão e implantação de serviços compartilhados (CSC) Modelos de governança, gestão e atendimento Arquitetura organizacional Gestão da mudança e impactos organizacionais Programa de Excelência Operacional (PEO)

Redesenho e implantação de processos Soluções integradas e automação de processos ▫ Matriz de Avaliação da Maturidade dos Processos ▫

Processos

PORTO ALEGRE / RS

SÃO PAULO / SP

RIBEIRÃO PRETO / SP

ITAJAÍ / SC

Rua Tobias da Silva, 120 6° andar – Cj 603 Moinhos de Vento CEP 905570-020 (51) 3026 0070

Rua George Ohm, 206 – Torre B 10° andar – Cj 1018 Cidade Monções CEP 04576-020 (11) 2348 5395

Avenida Presidente Vargas, 1527 Jardim Irajá CEP 14020-277 (16) 3505 0804

Rua Samuel Heusi, 190 10° andar Centro CEP 88301-320 (47) 3349 7280

@ConsulPaz (51) 9 9767 0709 | 0800 000 11 12 | contato@consulpaz.com

ALGUNS CLIENTES

www.consulpaz.com


GESTÃO E CSC

Os desafios para a implantação

do modelo de gestão de Serviços Compartilhados 35


OS DESAFIOS PARA IMPLANTAÇÃO DO MODELO DE GESTÃO DE SERVIÇOS COMPARTILHADOS

imples e rápido, sem ruídos e com S adesão total... é o que todas as empresas projetos.

desejam

para

seus

Implantar um novo modelo de gestão como Serviços Compartilhados (CSC) é algo que altera significativamente o jeito de ser, de fazer, de controlar, de prestar contas e de se relacionar com as demais áreas de negócio das empresas. É um modelo que, devido a sua longevidade e os resultados que vem apresentando nas últimas décadas, mais do que justifica e o credencia para ser utilizado por todo tipo de empresa, dos mais diversos segmentos e tamanhos.

Em quase 20 (vinte) anos de vivência direta, como executivo responsável por implantações e operações de CSC, ou atuando como Consultor, pude registrar alguns aprendizados que entendo importante compartilhar para que, se devidamente aplicados, permitirão alcançar os resultados pretendidos de forma segura. Dentre eles, posso citar: •

Entender o modelo, suas vantagens, riscos e impactos;

Validar com todo time diretivo, stakeholders e fazer parte da estratégia da empresa:

36


OS DESAFIOS PARA IMPLANTAÇÃO DO MODELO DE GESTÃO DE SERVIÇOS COMPARTILHADOS

o Segundo o PMI (2013 p. 14): Em um ambiente de projeto, mudanças nos objetivos do projeto afetam a sua eficiência e sucesso. Quando o negócio tem um alinhamento constante com o projeto, suas chances de sucesso aumentam consideravelmente porque o projeto permanece alinhado com a direção estratégica da organização. Caso haja mudanças, os projetos devem mudar de acordo. o Lidar com stakeholders significa conciliar os interesses conflitantes e influenciá-los em benefício do projeto, o que de certo modo, amplia a complexidade do gerenciamento e se torna crucial para o sucesso. (SABBAG, 2013)

Definir uma equipe dedicada ao projeto, com as competências necessárias;

Mapear os processos;

Mapear os riscos;

Fazer análise econômica;

Aplicar Gestão da Mudança, desde a fase de planejamento:

de

viabilidade

ESTADO

o Segundo Trentim (2014): A definição de sucesso do projeto é alcançar ou superar as expectativas das partes interessadas, principalmente do cliente. Mesmo que as entregas tenham sido feitas e os objetivos satisfeitos, se as partes interessadas não estiverem satisfeitas, o projeto fracassou em algum ponto.

TEMPO

o A implantação de um novo modelo de gestão, com ou sem automatização, gera um impacto grande na forma como ele é executado pelas pessoas, o que acaba impactando diretamente na forma como as pessoas realizam suas atividades e suas relações dentro da empresa e com seus clientes e fornecedores, portanto, alterando seu padrão de comportamento. o Como a organização é composta de pessoas, é natural


OS DESAFIOS PARA IMPLANTAÇÃO DO MODELO DE GESTÃO DE SERVIÇOS COMPARTILHADOS

que o comportamento dos participantes seja um fator crítico a ser gerenciado na implantação de um novo processo. •

Definir objetivos e métricas claras para o projeto;

Ter orçamento definido e gerenciado frente às entregas e prazos;

Ter um PMO independente;

Envolver a(s) área(s) de tecnologia e parceiros necessários para execução do projeto;

Ter escopo definidos:

e

robusto

e

papéis e responsabilidades; •

Satisfação das partes;

Comunicar,.comunicar, comunicar, comunicar,... Interessante compartilhar o resultado da pesquisa PMSurvey (2014) que só reforça os pontos acima apresentados, como fundamentais para o sucesso da implantação de um novo modelo de gestão, como Serviços Compartilhados.

abrangência

o Identificação dos requisitos; o Adaptação às diferentes necessidades, preocupações e expectativas das partes interessadas à medida em que o projeto é planejado e realizado;

• Balanceamento das restrições conflitantes do projeto. • Definir estrutura organizacional,

Buscando outras explicações para ajudar no processo de implementação de um CSC, entendo que os fatores destacados por Lopes e Bezerra (2008) ao investigarem lições aprendidas na implantação da gestão de processos em unidades de de petróleo e gás, agregaram as seguintes lições:


OS DESAFIOS PARA IMPLANTAÇÃO DO MODELO DE GESTÃO DE SERVIÇOS COMPARTILHADOS

Neste artigo, no qual busquei compartilhar algumas das lições aprendidas, diante da demanda por implementações de sucesso, tenho plena convicção de que, quando executadas as atividades acima, de forma consistente, com disciplina e com o envolvimento de todas a partes, o sucesso de uma implementação de um novo modelo de gestão está assegurado. O objetivo do artigo foi compartilhar algumas das lições aprendidas na gestão de projetos e destacar, dentre elas, alguns dos fatores mais relevantes apontados no texto acima

e nas bibliografias referenciadas, nas quais destacamos que os fatores do grupo de liderança e do grupo organizacional (apontados por Lopes e Bezerra 2008), que seguramente permitem o alinhamento estratégico e também as boas práticas de gestão e controle. Portanto, para uma implementação “Simples e rápida, sem ruídos e com adesão total......“ será necessário que as empresas entendam a importância de cada um dos fatores e lições apresentadas neste artigo.

Além disso, ter um time de projeto com


OS DESAFIOS PARA IMPLANTAÇÃO DO MODELO DE GESTÃO DE SERVIÇOS COMPARTILHADOS

as competências necessárias e dedicado [como mencionado acima], completam os itens necessários para o SUCESSO e para a obtenção de todos os ganhos previstos no modelo de gestão de Serviços Compartilhados. Não bastam “templates prontos”. São necessários uma leitura e o entendimento do cenário de negócio onde o modelo será implementado, de uma adaptação e de eventuais ajustes necessários ao tipo de negócio e cultura e de muita disciplina. Desejo sucesso para todos que ainda irão implementar e espero que estas anotações sejam úteis para seus projetos. Fontes / Referências: PMI, Project Management Institute. Guia PMBOK: Um guia do conhecimento em gerenciamento de projetos. 5a edição. PMI, 2013. PMI Survey, 2014. Disponível em: <www.pmsurvey.org>. Acesso em: 20 ago. 2015. SABBAG, Paulo Yazigi. Gerenciamento de Projetos e Empreendedorismo. 2a edição. São Paulo: Saraiva, 2013. TRENTIM, Mário Henrique. Gerenciamento de Projetos: Guia para as certificações CAPM e PMP. 2a edição. São Paulo: Atlas, 2014. LOPES, Marco Aurélio Brum; BEZERRA, Marlene Jesus Soares. FATORES QUE INFLUENCIAM O SUCESSO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO DE PROCESSOS EM UNIDADES DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS. In: IV CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO - Responsabilidade Socioambiental das Organizações Brasileiras Niterói, RJ, Brasil, 31 de julho, 01 e 02 de agosto de 2008 Disponível em: <http://www.excelenciaemgestao.org/Portals/2/documents/cneg4/anais/T7 _0079_0091.pdf>

Eden Paz é CEO e Fundador da ConsulPaz CGP Associates, Membro do Conselho de Administração da ABSC – Associação Brasileira de Serviços Compartilhados e Sócio Diretor da AMIT Robotics - projetos com soluções tecnológicas para automação industrial. Revisão: Ari Pellicioli, Fabio Pesaro e Juliana Bossardi

Arte e diagramação: Muriã Ferri

Eden Paz CEO & Founder


A ConsulPaz é uma empresa que busca estar sempre atenta às novidades do mundo dos negócios, Centros de Serviços, Projetos, Processos, Gestão da Mudança, Gerenciamento de Projetos (PMO) e migrações de sistemas (ERPs), imersa em discussões sobre tecnologia e antenada ao que há de novo no mundo digital. Para este ano, reservamos uma surpresa especial: a realização de quatro encontros do evento CoffeeNet, uma grande oportunidade de atualizar conhecimento e estabelecer networking de qualidade. Confira mais sobre os encontros.

O evento CoffeeNet contará em 2020 com quatro edições confirmadas, em grandes capitais e importantes cidades do país, com o objetivo de reunir executivos de empresas, negócios, do ramo de Tecnologia da Informação, Serviços Compartilhados e Negócios. MARÇO RIBEIRÃO PRETO

AGOSTO FLORIANÓPOLIS / SC

MAIO PORTO ALEGRE / RS

OUTUBRO SÃO PAULO / SP

Fique atento à nossas redes sociais, em nosso site www.consulpaz.com e no site do próprio evento que estará disponível nos próximos dias www.eventocoffeenet.com.br e saiba mais detalhes sobre esses importantes eventos. Não perca!

41


www.consulpaz.com

Profile for ConsulPaz CGP Associates

Ed 011_Out Nov Dez 19_Conteúdo Compartilhado  

Ed 011_Out Nov Dez 19_Conteúdo Compartilhado