Page 1

Informe Publicitário

Grupo em visita ao Hotel de Gelo

Lazer Além da programação técnica os convidados tiveram a oportunidade de visitar um hotel feito de gelo em Quebec, passear de snowmobile (uma espécie de moto para a neve), conhecer as cataratas geladas de Niágara e ainda experimentar a sensação de jantar a 300 metros de altura no restaurante giratório da CN Tower, em Toronto.

Depoimentos Para Carlos Alberto Freitas, da Cosuel, a experiência do projeto Vamos Quebrar o Gelo serviu ainda para reafirmar a parceria de anos com a Genetiporc. “Sou cliente da Genetiporc há 12 anos e decidimos ser parceiros pelo que vimos

Grupo reunido em Toronto

Suínos & Cia

46

na época. Cada vez que voltamos aqui na sede do Canadá, assistimos à evolução e ao desenvolvimento de novas tecnologias. O avanço da qualidade no trabalho feito aqui nos dá a certeza de estarmos evoluindo, pois estamos ligados a uma empresa que investe em desenvolvimento, evolução, aumento de produtividade e redução de custos. Isso nos dá tranquilidade”. Para a consultora Maria Nazaré Lisboa, conhecer diferentes modelos de produção ajuda no dia a dia da granja. “Não há muitas diferenças nas instalações, apenas, claro, que são granjas adaptadas às condições climáticas daqui. A diferença é realmente no número de funcionários por fêmea, mas a genética se comporta bem em qualquer lugar do mundo quando bem manejada. Sempre é bom participar desse tipo de visita, pois levamos para casa estra-

tégias de manejo que eles adotam aqui no Canadá e que facilitam o trabalho de quem faz o dia a dia dentro de uma granja”. Para o produtor independente Ivanir Martelli, da Suinocultura Martelli, uma lição de tecnologia e persistência. “Apesar da temperatura baixa, percebemos que eles conseguem tanto uma fêmea quanto um leitão de boa qualidade. Pudemos observar um bom tamanho de leitegada desmamada e tamanho de leitão, de padrão excelente”, definiu Martelli. Para Glademir Mecca, da Cooperativa Santa Clara, uma oportunidade para ampliar o conhecimento. “Foi uma experiência muito válida, com toda essa troca de informações com a equipe Genetiporc e demais integrantes do grupo, importantes representantes de cooperativas, agroindústrias, técnicos e produtores que atuam na suinocultura. Para nós, da Cooperativa Santa Clara, valeu a pena no sentido de fazer parte de um grupo tão seleto, que teve acesso em primeira mão ao lançamento de um novo produto, e poder presenciar essas melhorias na prática, da granja ao frigorífico. Vamos levar essas novas informações daqui para os associados”, completa. Carlos Maggioni, da Mig Plus, reforçou a importância das novidades e troca de experiências dentro do grupo. “Aqui tem produtor, diretor de cooperativas, técnicos. Uma experiência que todo mundo aprende.” revelou. Já para Jair Cepera, da Fazenda São Paulo, as características físicas da fêmea chamaram a atenção. “O destaque para mim foi o número de nascidos elevado e o estado corporal da fêmea. Observamos um animal longo e bonito. O número de nascidos é importante, além da uniformidade de peso e tamanho”. Wlademir Paravisi, da Master Agropecuária, elogiou o evento. “Uma programação adequada e equilibrada, uma apresentação bastante profissional por parte da Genetiporc, atendendo plenamente ao objetivo do evento”. Mauro Donin, da Boehringer, relatou que foi uma experiência incrível. “Desde o primeiro momento, quando a Genetiporc nos consultou, aceitamos de imediato o convite. Foi uma oportunidade para conhecer a suinocultura no Canadá, estreitar relacionamentos e conhecer a Fertilis 25. O evento esteve bem representado e, provavelmente, de 60% a 70% da suinocultura do Brasil esteve lá. Produtores, presidentes de empresas e cooperativas, técnicos e consultores. Foi um bom clima, um clima de amizade” acrescentou. Fonte: Eliana Panty Assessora de Imprensa Ano VII - nº 43/2012

pg_0046  
pg_0046  

Lazer Além da programação técnica os convidados tiveram a oportunidade de vi- sitar um hotel feito de gelo em Quebec, passear de snowmobile...

Advertisement