Issuu on Google+


A

legria e realização são os principais sentimentos no momento em que apresentamos a você, nosso leitor, a segunda edição da Revista Manhattan. Desenvolvida para informar e entreter toda a família, essa edição traz matérias variadas, abordando temas como decoração, culinária, tecnologia e arte. Os principais projetos desenvolvidos e assinados pela Construtora Manhattan, em Fortaleza e Teresina, também são destaque na Revista. Continue sugerindo temas e tirando suas dúvidas através do e-mail canal@revistamanhattan.com.br. Afinal, esse canal foi feito por você e para você. Boa leitura! Bernardo Barbosa Borges Superintendente da Manhattan

co dicas importantes para transformar os almoços em momentos ainda mais especiais; • o Diretor Presidente na empresa Transnordestina Logística Tufi Daher Filho, que abriu as portas de sua empresa para nos falar um pouco de suas preferências e filosofia de vida; • o Sommelier e Empresário Rodrigo Moraes, que nos ensinou as combinações ideais de alimentos a serem feitas com o vinho; • a Empresária Lia Freire, que nos guiou em uma viagem gastronômica por Londres; • a Gerente Comercial em Teresina Lya Orsano, que nos repassou informações importantes sobre o evento de Lançamento do Manhattan River Center; • a Nutricionista Midiã Saraiva, que nos mostrou a importância da nutrição funcional para o equilíbrio do corpo; • a Superintendência e a Equipe de Marketing da Manhattan, responsáveis pela realização desse projeto.

Agradecemos a todos que contribuíram para que a segunda edição da Revista Manhattan fosse produzida com tanto carinho e dedicação.

• o Arquiteto Francisco Vidal Jr., que dividiu conosco todo o seu conhecimento sobre História da Arte; • a Chef cearense Louise Benevides, que nos recebeu em seu espaço e nos contou sua experiência profissional no Brasil e na França; • o Paisagista Sergio Santana, pelas dicas simples de como transformar a varanda em um local ainda mais agradável; • o Diretor Administrativo-financeiro da Manhattan Paulo Facchini, que nos falou sobre o desenvolvimento de sua carreira; • a Designer de Eventos Geórgia Fontes, que compartilhou conos-

Construtora Manhattan Superintendente Gerente de Marketing Assistente de Marketing Analista de Marketing

Bernardo Barbosa Borges Keli Simões Raquel Amarante Vanessa Passos

revista manhattan Diretora executiva Renata Nobre Coordenação da publicação Melina Abu-Marrul Jornalista responsável Mirtila Facó MTb 2803/CE Revisão Ana Luiza Martins Fotografia Chico Gadelha Direção de arte Wiron Teixeira Impressão Tecnograf Tiragem 5.000 exemplares

85 3261 5066

Para anunciar e/ou receber esta publicação: e-mail: comercial@revistamanhattan.com.br Fones: (85) 3261.5066 / (85) 9673.1155


Rua Barbosa de Freitas, 1583 Fortaleza - (85) 3023.6446

Aldeota -


8 Decoração e Tendência Paisagismo na varanda

Mundo aFora 10 Piano House-China

12 Você Fazendo Arte

34 Manhattan Recomenda

14 Nossa Manhattan

38Turismo

Paulo Facchini: experiência e crescimento no trabalho

16 Arte e História

Alfredo Volpi – a combinação inventiva das cores

Uma viagem gastronômica por Londres

40 Gastronomia e História Descobrindo a história do vinho no Brasil

42 Mais Felicidade por M

2

Manhattan Beach Riviera: um paraíso à sua espera

18 Entrevista

Brasil e USA: em perfeita conexão

20

Dicas Culturais

44 Mundo High-Tech

Funcionalidade e design moderno

DESTAQUE

46 Design de Luxo

Spring Live Park

Requinte e beleza inspirando suas escolhas

22 Perspectiva

48 In Foco

Tufi Daher Filho

24 In Casa

Lançamento do Manhattan River Center em Teresina

Dicas para transformar os almoços em momentos especiais

50 Viver Bem

Nutrição Funcional: equilíbrio para o organismo

28 Cozinha com Amor

Louise Benevides Técnica e simplicidade: receita de sucesso

30 Brasil na Copa 52 Cronograma de Obras 6

Castelão moderniza-se para a Copa do Mundo de 2014

Acompanhe seu imóvel

A Revista Manhattan é uma publicação trimestral da Editora Bookmaker. A revista não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios e seus conceitos emitidos.

Latinhas de alumínio transformam-se numa bela Luminária


Seja grande ou pequena, aberta ou fechada, com toques decorativos a varanda pode se transformar em um dos locais mais especiais do seu im贸vel.


9

B

astante versátil, com ela é possível ampliar, modificar e até mesmo criar um novo espaço no imóvel. Inicialmente, você deve pensar no tipo de uso que deseja dar à varanda. Será uma área contemplativa, de convivência ou de relaxamento? A partir daí, passe a escolher os materiais, as plantas e os móveis mais adequados. A grande maioria das pessoas busca objetos de decoração e plantas que criem um ambiente aconchegante para o convívio da família e dos amigos. Outra preocupação diz respeito à luminosidade. Uma varanda bem iluminada pode favorecer a ambientação do restante da casa e, até mesmo, passar uma ideia de amplitude. Por esse motivo, deve-se pensar no porte das espécies vegetais usadas, garantindo que não impeçam a passagem de luz e dos ventos.

A grande maioria das pessoas busca objetos de decoração e plantas que criem um ambiente aconchegante para o convívio da família e dos amigos.

Atualmente, há uma grande procura por sofás, mesas, futons, plantas com flores, espécimes frutíferas e pequenas fontes. Essas escolhas criam um ambiente harmonioso e muito aconchegante. Em varandas pequenas, por exemplo, pode-se utilizar muro verde - também chamado de parede verde - vasos com árvores frutíferas ou hortas verticais, que acrescentam o frescor e a suavidade do verde e precisam de pouco espaço para se desenvolverem. Já nas varandas grandes, pode-se fazer uma composição de vasos de diferentes tamanhos, com plantas de variadas cores, texturas e formatos. Além disso, ainda existe a opção de se criar desenhos com materiais diversificados e fáceis de serem encontrados como pedriscos, pedras e madeiras. Antes de optar pela utilização de plantas, é essencial, entretanto, verificar

a ocorrência de insolação e a incidência de ventos. Desta forma, garantimos que as espécies escolhidas serão as mais adequadas e conseguirão se desenvolver. Em alguns imóveis existem varandas no quarto do casal. O ideal, nesses casos, é pensar em maneiras que possibilitem o melhor aproveitamento desses espaços para a satisfação a dois. Algumas dicas são introduzir uma fonte de água, que crie um ambiente relaxante e refrescante; espécies vegetais mais altas, que proporcionem privacidade, e, dependendo do tamanho da varanda, até mesmo o requinte e o conforto de um ofurô. revista


C

Foto: http://unusualplaces.org

om o passar dos anos, a arquitetura chinesa ganhou ares de modernidade e, porque não dizer, de excentricidade. Prova disso é a Piano House, localizada na província chinesa de Anhui e construída pelos engenheiros da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hefei. O edifício tem as formas de um piano e de um violino e foi todo construído em vidro. Os dois ambientes, que são interligados por escadas em formato de violoncelo, abrigam salas para o estudo dos alunos da Universidade de Huainan City. Para aproximá-los ainda mais do seu ambiente de aprendizagem, os estudantes também têm a opção de morar temporariamente no prédio. Completando o ar de magia e encanto, à noite, LEDs instalados em toda a estrutura oferecem um grande e bonito espetáculo luminoso. A união da música com o vidro emite um som que se assemelha muito ao barulho da água, proporcionando efeito relaxante e meditativo.

10

Sobre a província de Anhui Com aproximadamente 139.400 km² e população composta por 64.610.000 habitantes, Anhui é uma das províncias da República Popular da China. A capital Hefei localiza-se no vale do rio Yangtzé e foi fundada no século XI. A população de Anhui é constituída por habitantes das etnias Han (99%) e Hui (1%). A província também abriga a Montanha Fênix, que de tão íngreme, os homens não conseguiam subi-la e somente macacos eram avistados ao alto. A montanha ficou bastante conhecida por dar nome ao chá verde do macaco, um dos mais conhecidos e apreciados da China.


V

árias são as maneiras de deixar um cantinho da casa mais agradável e bonito. Seguindo a linha da sustentabilidade, ou seja, preservando os recursos naturais e mantendo a saúde do nosso planeta, é possível aproveitar objetos simples, de maneira fácil, rápida e criativa, e dar cara nova aos ambientes. Já pensou em fazer uma luminária decorativa com alguns itens que você tem em casa e outros que, provavelmente, após a utilização, iriam para o lixo? Certamente, algum cantinho da sua residência - seja quarto, sala, varanda ou mesmo cozinha - combina exatamente com esse tipo de iluminação eventual. Além de dar um charme ao espaço, a iluminação indireta é ideal em jantares, com a família inteira ou a dois, happy hours ou um descontraído open house com os amigos. A seguir, ensinamos o passo a passo de todo o processo de confecção do artefato.

12


13

1

Junte algumas latinhas de alumínio pequenas, retire suas tampas e higienize-as.

2

Decore com materiais que possam se ajustar ao formato das latinhas. Você pode utilizar tecido, adesivo ou mesmo papel de presente.

Fonte: http://www.panelaterapia.com

3

Passe um barbante ao redor das latas e dê um nó na parte superior. Se preferir, você também pode utilizar cola para prender o barbante na parte de cima das latas.

Por fim, coloque pequenas velas dentro das latinhas.

5

4

Em um cabide amarre as pontas dos barbantes presos às latinhas e posicione pequenos prendedores em cima dos nós espalhados ao longo dele. Você pode cobrir o cabide com tecido, se preferir.

revista


Q

ualidade e dedicação aos produtos que elabora e comercializa, projetos sempre inovadores, credibilidade comprovada e solidez financeira. São estes os principais pontos destacados por Paulo Facchini, Diretor Administrativo-financeiro da Manhattan, como grandes diferenciais da empresa. Facchini iniciou sua trajetória profissional em São Paulo, cidade onde nasceu. “Tudo começou com a experiência adquirida enquanto ainda estudava economia na Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP)”, revela. Após a formatura, Paulo passou por grandes e importantes empresas brasileiras e internacionais, entre as quais: Arthur Young (hoje Ernst & Young), Grupo J. Macêdo, Grupo Vicunha, Têxtil Bezerra de Me-

14

nezes, Termaco Logística e, finalmente, o Grupo Pibb-Manhattan, do qual faz parte desde outubro de 2009. Sobre o início na Manhattan, Facchini assevera: “Fui muito bem recebido, em um clima de extremo profissionalismo e cordialidade. Como todo executivo, houve um tempo de adaptação até compreender os negócios”. E completa: “Com o tempo, percebi e aprendi que objetividade e rapidez nas decisões estratégicas são marcas registradas dos proprietários”. De acordo com Facchini, o crescimento da Construtora Manhattan é facilmente perceptível. Por esse motivo, ao vislumbrar a empresa daqui a cinco anos, é enfático: “Eu a imagino líder do segmento nos mercados onde atua, à frente da concorrência, tanto em volume negociado quanto em imagem institucional”.


D

esde muito pequeno, Alfredo Foguebecca Volpi adorava brincar com tintas, misturando-as para criar diversas outras cores. Nascido na cidade de Lucca - Itália, em 14 de abril de 1896, Volpi era dono de imaginação e criatividade invejáveis. No ano seguinte, mudou-se para o Brasil juntamente com os pais. Para manter-se financeiramente, a família montou um pequeno comércio na região do Ipiranga, na cidade de São Paulo. O talento com as tintas, percebido ainda quando criança, o levou a trabalhar como pintor de florões, painéis e frisos nas mansões das mais tradicionais famílias paulistanas da época. Os estudos na Escola Profissional Masculina do Brás também deram-lhe conhecimentos suficientes para exercer as funções de entalhador, encadernador e marceneiro. Com apenas 16 anos, pintou sua primeira aquarela e, aos 30, começou a participar de mostras coletivas. Autodidata, Volpi passou a trabalhar com óleo sobre a madeira.

16


Em 1940, tornou-se membro do Grupo Santa Helena, composto por artistas paulistas que se reuniam no Palacete Santa Helena para desenvolver variadas pinturas, retratando cenas do cotidiano e das paisagens encontradas nos arredores de São Paulo. Foi nessa época que conheceu o pintor paulista Ernesto de Fiori, que iria influenciar de forma decisiva o seu trabalho. É importante dizer que apesar de fazer parte do Grupo, a identificação estética de Volpi era destoante das demais, já que o artista, diferente dos outros, não seguia a linha conservadora. Nesse mesmo período, a esposa do artista, Judite Volpi, adoeceu. Esse fato obrigou a família a mudar-se para Itanhaém, litoral paulista, onde ela receberia todo o acompanhamento médico necessário. Com a gravidade do estado de saúde da mulher, Alfredo Volpi começa a realizar uma série de questionamentos a respeito da vida. Esses pensamentos também atingem seu trabalho e o fazem rever suas obras e as concepções até então utilizadas. É nessa época que Volpi começa a pintar uma série de belas paisagens marinhas. No início dos anos 1950, o artista enveredou pelo caminho do abstracionismo geométrico e passou a retratar bandeirinhas multicoloridas, que se tornaram sua marca registrada e foram fundamentais para o desenvolvimento da arte brasileira moderna. No ano de 1953, após a participação em diversas mostras e exposições, Volpi recebe o prêmio de Melhor Pintor Brasileiro, durante a 2ª Bienal de São Paulo.

Seguindo um costume típico dos pintores renascentistas, Volpi criava suas próprias tintas diluídas em uma emulsão de verniz e clara de ovo, nas quais acrescentava pigmentos naturais purificados (terra, argila colorida por óxido de ferro, ferro, óxidos) e ressecados ao sol. Ao longo de quase um século de existência, Alfredo Volpi passou por diferentes fases, recebendo influência de pintores clássicos e impressionistas, entre os quais Giotto di Bondone, Paolo Uccello e Paul Cézanne. O mais importante de tudo isso, a ressaltar, é que Volpi conseguiu encontrar o seu caminho e imprimir uma linguagem própria ao seu trabalho. Pelo fato de sua trajetória ser extremamente pessoal, ele recusava qualquer tipo de teorização estéril, porém, estava sempre muito bem informado a respeito das correntes artísticas do seu tempo, embora não se filiasse explicitamente a nenhuma delas. O artista morreu no dia 28 de maio de 1988, aos 92 anos, na cidade de São Paulo.


E

dizan Pinto Gonçalves é Administrador e sócio da OnTime Pinturas, empresa terceirizada que presta serviço aos empreendimentos da Manhattan. Conheça um pouco da sua história na entrevista a seguir. Você morou nos Estados Unidos durante 14 anos. Como foi essa experiência? Logo que terminei o curso de Administração em Fortaleza, decidi que iria para os Estados Unidos aperfeiçoar o meu inglês e começar um curso de Engenharia. A adaptação foi super tranquila, pois já tinha parentes e amigos morando lá. Aprendi bastante durante todo esse tempo, adquiri bagagem pessoal e, principalmente, profissional. E com relação as oportunidades profissionais? Em meados de 2001, juntamente com um amigo, criamos a U.S Concrete Pavers Corp. Inicialmente, atuávamos somente no ramo da construção. Fazíamos salas comerciais, casas e prédios. Além disso, fazíamos também a fundação dos terrenos, ou seja, preparávamos a base para que o imóvel fosse construído. Com o advento da

18

crise americana, passamos a atuar somente no ramo de reformas e na construção de muros de contenção. O que o fez voltar ao Brasil? Vimos que o Brasil apresentava uma grande deficiência na área da Construção Civil. Somado a isso, havia o fato de que, desde 2004, trabalhávamos para a família Borges. Eles sabiam da minha capacidade, da qualidade e responsabilidade dos meus serviços, e me fizeram um convite para trabalhar com a Manhattan, como empresa terceirizada no ramo de pinturas. Foi nesse momento que decidi criar a OnTime Pinturas. Fale-nos um pouco sobre a OnTime Pinturas. Estou há seis meses no Brasil e, nesse tempo, acreditei que a empresa deveria ter grandes diferenciais a serem apresentados aos clientes. Entre os principais, posso destacar: rapidez e agilidade, mão de obra qualificada e automatização, com todo o maquinário sendo trazido dos Estados Unidos. Somando todos esses diferenciais com a qualidade dos empreendimentos da Manhattan, o mercado só tem a ganhar e a se desenvolver.


E

m meio à correria do dia a dia, a Manhattan criou um ambiente para que você e sua família possam desfrutar de toda a tranquilidade. Afinal, nada melhor do que ter a oportunidade de morar em um lugar que reúna as mais variadas sensações e percepções, aliadas à exclusividade, qualidade de vida e conforto.

20


21

BREVE LANÇAMENTO Garça da espécie Ardeídea, típica da fauna do Parque do Cocó

Situado no bairro Guararapes, uma das regiões que mais crescem na capital cearense, o Spring Live Park (Rua Gontran Giffoni) é garantia de conforto e sofisticação. Sua localização nas proximidades da Avenida Rogaciano Leite, possibilita acesso rápido e fácil aos maiores e melhores shoppings, universidades, supermercados, bancos, hospitais, padarias e escolas. Além disso, fica bem próximo aos Centros de Convenções Fortaleza. Tudo isso, somado à beleza e à paisagem

Mais um empreendimento com a qualidade e a credibilidade da Construtora Manhattan. Antecipe-se ao lançamento. Cadastre-se e receba maiores informações:

natural do Parque do Cocó.

www.construtoramanhattan.com.br/springlivepark

e Eventos, importantes pontos culturais e artísticos de

revista


T

ufi Daher Filho é Engenheiro Civil, formado pela Universidade Católica de MG. Atualmente, trabalha como Executivo e Diretor Presidente na empresa Trans-

nordestina Logística. Casado com Adriana e pai de dois filhos, Marcus Felipe e Carolina, Tufi é bastante apegado à família e diz que seu único ídolo é Jesus Cristo. Constantemente, o Executivo realiza viagens turísticas, uma de suas maiores paixões. A mais inesquecível, aponta ele, aconteceu em 1990. Na época, Tufi teve a oportunidade de conhecer o Japão e observar o contraste entre a tecnologia e a tradição daquele lindo e rico país. “Em breve, conhecerei Dubai, todos falam que é um lugar mágico”. Em Fortaleza, cidade onde mora e que tanto ama, os programas preferidos são as manhãs na praia do Beach Park e as idas a restaurantes especializados em frutos do mar - seus pratos preferidos são sushi e filé de peixe com legumes - como o D’belle e o New York. Entre as marcas Preferências de Tufi Daher: estilo e sofisticação

que mais gosta estão: Carolina Herrera, Brooksfield, Richards e CSN. Apesar da sofisticação que permeia o seu dia a dia, uma das maiores características do Executivo é a simplicidade e a maneira educada e cordial de tratar a todos que estão ao seu redor. “Não olho se é rico ou pobre, preto ou branco, o que importa verdadeiramente é a intenção das pessoas. Lealdade e sinceridade são as características que mais admiro.” Ao ser questionado sobre sua maior realização até hoje, Tufi é rápido na resposta: “ter podido ajudar as pessoas é a maior realização de qualquer ser humano. Se eu puder e Deus me der força e saúde, continuarei a ajudar ainda mais, até o fim da vida!”

22


O

s almoços são momentos em que podemos desfrutar da companhia de amigos e pessoas que gostamos. Em pettit comitê, quando queremos algo mais íntimo, ou em grandes grupos para comemorarmos momentos especiais. Para os grupos pequenos, a palavra-chave é informalidade. Seus convidados devem sentir-se acolhidos em todos os sentidos, perceberem que você preparou tudo com carinho, mas que não fez maiores esforços para recebê-los. Monte um apoio com petiscos, comidinhas finger food (para comer com a mão) e bebidas variadas para que todos possam servir-se à vontade. Coloque em uma bandeja grande e larga os copos e as taças das bebidas que irá servir. Disponha também o gelo e as jarras com água e suco. É interessante colocar os refrigerantes, cervejas e bebidas geladas em grandes baldes (coolers abertos) com gelo. Nesse apoio, você

24

pode ainda arrumar um vaso com flores jogadas na água e vasinhos de plantas pequenas, tipo manjericão, hortelã etc. Na hora do almoço, capriche na mesa. Lance mão de cores ou estampas em composée para a base dos pratos, em jogos americanos, suplats ou toalhas. Estampas florais em composée com listras e os guardanapos em uma das cores, estampa de bandana e a de paisley são boas opções e nunca saem de moda. Taças coloridas, em composição com o restante da decoração, também são uma boa ideia. Uma dica: se for usar taças coloridas, nunca as utilize para servir o vinho. Um apreciador de vinho tem de observar a cor do que está bebendo, faz parte do ritual. Para usar as estampas ou cores, escolha sempre os pratos brancos ou monocromáticos, que serão valorizados pela base.


25

Para o porta-guardanapos você pode optar por um elemento natural, uma flor ou um raminho de alecrim que pode ser comprado em qualquer supermercado. Pegue o guardanapo, faça uma dobradura simples em formato retangular e o disponha sobre o prato, deixando as pontas caírem. As flores também fazem parte desse acolhimento; sem muita produção, podem ser apenas jogadas dentro de vidros com água e as cores devem combinar com o que se está usando, duas ou três cores no máximo. Flores artificiais nem pensar! O almoço deve ser servido em um aparador próximo à mesa, onde as pessoas sirvam-se à vontade sem atrapalhar umas as outras. A mesa ficará bem mais bonita com arranjos centrais e baixos. Não esqueça de dar um toque no seu lavado também, com aromas e flores. O cardápio deve ser pensado em cima do que os convidados podem comer. Tem gente que não come carne nem camarão, então é sempre importante ter duas opções de prato principal para que seu convidado não se sinta excluído. Para os acompanhamentos não esqueça de incluir as saladas, as de folhas verdes sempre caem bem, além de serem lindas. Como sobremesa, tenha sempre duas opções: uma de dar água na boca e outra

menos calórica. Uma terceira opção, é servir frutas cortadas com raspas de limão e hortelã. Para os almoços comemorativos em que estejam reunidos a família e os amigos, conte com a ajuda de um ou dois garçons – o ideal é ter um garçom para cada quinze convidados. Eles ficariam responsáveis por servir as bebidas e os volantes e recolher todo o material, o que deixaria você mais à vontade para dar atenção aos convidados. Para a decoração, aposte em 2 ou 3 arranjos que podem ser encomendados numa floricultura, incluindo as flores e aromas para o lavabo. Na hora de servir o almoço, a melhor opção é o serviço americano, pois resolve de forma simpática o problema da falta de espaço. Para enfeitar a mesa onde será servido o buffet, pode-se usar trilhos ou passadeiras, intercalados com jogos americanos, onde estarão dispostos os talheres e os pratos em pilhas pequenas (no máximo, 12 unidades por pilha), repondo-os se necessário. Os guardanapos também deverão estar em pilhas. Para finalizar, use flores naturais sem aroma somente nos guardanapos de cima para decorar. revista


As comidas devem ser colocadas nessa mesa, de forma que os convidados circulem ao seu redor, seguindo o fluxo da arrumação. Comece sempre com os pratos e talheres. Em seguida, as saladas, os pratos principais, os acompanhamentos e os guardanapos. É importante ter certeza de que todos têm lugar para sentar, não importa se em cadeira, sofá ou em pufes. Portanto, não convide mais pessoas do que sua decoração permite. Seria desagradável ter um convidado em pé, após servir-se. Deve-se orientar os garçons para que, após acomodação dos convidados, sejam oferecidos refrigerantes ou sucos. A sobremesa deverá ser servida depois que todos terminarem. Não se esqueça de finalizar com um café. Outra dica essencial: tenha sempre um licor para acompanhar. Os homens adoram o Cointreau gelado e as mulheres, algo mais suave, como o Amarula ou Bailey’s. O importante, ao final de tudo, é que você também curta esse momento e aproveite sua festa; assim, seu convidados se sentirão muito bem recebidos.

26


“Largar tudo e partir em busca de um sonho.” Esta frase define bem a história de Louise Benevides, uma das mais renomadas Chefs da cozinha cearense. No início de 1999, já tendo na cabeça (e no coração) a certeza de que o trabalho com a culinária iria acompanhá-la durante toda a vida, a jovem, então com 22 anos, decidiu viajar rumo à França.

28


29

C

hegando lá, iniciou um curso de francês para aprimorar o idioma e foi convidada a trabalhar em hotéis da cidade – antes da viagem, havia enviado currículo para alguns hotéis franceses. Depois de um tempo, e tendo obtido experiência na cozinha parisiense, ingressou na Le Cordon Bleu, uma das mais tradicionais escolas de culinária do mundo. “Quando fui para a escola já tinha uma visão do mercado, o que foi essencial para minha formação. É diferente ingressar em um curso quando você já tem vivência na cozinha, sabe como é a rotatividade e todo o procedimento para atender um restaurante lotado”, revela Louise. O fato de já possuir alguma experiência, rendeu a Louise um convite para trabalhar na Le Cordon Bleu. Com isso, além do aprendizado como aluna, adquiriu toda uma bagagem como ajudante do Chef. O curso se dividiu em três etapas: básica, intermediária e superior. Para Louise, ao contrário dos outros estudantes, o curso foi diferente: “Quando eu estava no nível básico, já tinha noções do superior com o Chef que eu ajudava em sala de aula. Tudo isso me permitiu grandes saltos de conhecimento”, arremata. Ao retornar ao Brasil, trabalhou em grandes hotéis de Fortaleza e, em 2005, assumiu a coordenação do Núcleo de Gastronomia do Senac-Ce, onde passou a

dar consultorias na área. Em janeiro de 2012, juntamente com a empresária Luana Bittencourt, decidiu começar um projeto na cidade: a Casa de Moá, espaço que reúne loja, café e bistrô. Segundo Louise, todo começo é desafiador. A seu favor, no entanto, pesava o fato de ter adquirido toda a técnica em um dos berços da gastronomia. “Com esse trabalho aprendi a ter a percepção de todo o processo, desde o entendimento correto na utilização dos ingredientes até a melhor maneira de administrar o negócio”. Em seus pratos, Louise utiliza elementos regionais. De acordo com ela, o Ceará é celeiro de bons ingredientes; o grande segredo é saber fazer as escolhas e combinações mais indicadas. “Obviamente, minha prioridade é trabalhar com o que temos aqui. Dessa forma, abasteço-me melhor, já que sei que é um produto que sempre vou ter, que nunca vai faltar no meu cardápio”. Louise, porém, pondera: “Mas eu também não posso me prender somente aos produtos regionais. O bom Chef entende que os melhores pratos são feitos a partir da miscigenação de sabores e texturas”. A cada ano, Louise viaja à França em busca de aperfeiçoamento. “O estudo não pode parar nunca. Não aposto em ingredientes que ainda não tenha exercitado seu uso em todas as possibilidades que conheço ou pesquiso. É o aprendizado constante que diferencia o profissional preparado dos outros”.

revista


P

ara adequar-se às exigências técnicas internacionais da FIFA, para a Copa do Mundo de 2014, as instalações do Estádio Castelão, em Fortaleza, passam por reforma, ampliação e modernização. Buscando entender melhor o processo, conversamos com Ronald Werner, Arquiteto do escritório Vigliecca&Assoc, responsável pelas obras de Arquitetura e Urbanismo. Alguns dos arquitetos responsáveis pela reforma do Castelão visitaram a África do Sul meses antes da abertura da Copa do Mundo de 2010. Quais as principais inspirações percebidas a partir da viagem e como elas estão sendo implantadas na reforma do Estádio, em Fortaleza? Ronald Werner - O escritório Vigliecca & Associados tem uma larga experiência em projetos de arenas de futebol e complexos esportivos, mantendo-se sempre atualizado e buscando as melhores referências técnicas e tecnológicas que existem no mundo. Acreditamos, porém, que a implementação dessas técnicas e tecnologias mais modernas

30

são complementos à necessidade de se ter, primordialmente, uma estratégia arquitetônica sólida de atuação sobre a realidade local, o que não se pode emprestar de outras situações aleatoriamente. Quais as principais diferenças arquitetônicas se compararmos o Castelão a outros estádios brasileiros? Ronald - O Castelão é um dos poucos estádios grandes dos anos 1970 que não possui formato oval, o que permite uma visibilidade melhor do que a de outros estádios concebidos à mesma época. A concentração de todas as áreas VIPs,


31

de jogadores, administração e imprensa em um único setor/edifício, trouxe maior rapidez à construção, menores custos e otimização das distâncias. Outros destaques também podem ser percebidos na fachada em vidro e aço inox e no fato de o projeto prever a integração a uma Secretaria do Governo dentro do complexo do Estádio. Outro aspecto peculiar no projeto é o aproveitamento de grande parte da estrutura existente, o que norteou o partido adotado. A arquibancada superior, que foi mantida, tem uma das melhores geometrias dos estádios antigos do Brasil. A concepção dos pórticos externos metálicos tem uma dupla função, inédita no mundo: a de sustentar a cobertura e, ao mesmo tempo, anular as oscilações das arquibancadas superiores. A questão da sustentabilidade e, consequentemente, a preocupação com as gerações futuras, está em constante evidência. Existe essa preocupação sustentável nas obras do Castelão? Em que aspectos? Ronald - O Estado do Ceará já é um dos maiores produtores de energia eólica do Brasil. Além disso, o Governo do Estado está estudando a viabilidade do uso de energia fotovoltaica na cobertura do Estádio; por isso, a cobertura da Arena Castelão já foi dimensionada para poder receber as células fotovoltaicas. A água captada pela cobertura do Estádio será direcionada para reservatórios com capacidade de armazenamento de 400m³. Antes de chegar ao reservatório, a água passará por um filtro para que seja reaproveitada na irrigação do campo. Como a certificação LEED pede que pelo

menos 50% da necessidade de irrigação seja atendida com a água captada durante o verão, não optamos por esse crédito em específico no nosso projeto, já que em Fortaleza temos um regime de chuvas muito concentrado. Ainda que não estejamos contemplando o crédito, por conta do tamanho exigido, o reservatório para captação vai ser feito, porém, em tamanho menor. A quantidade de esgoto gerado pelo Estádio será reduzida substancialmente, devido à adoção do sistema de esgoto a vácuo. O Castelão não contará, porém, com uma estação de tratamento de esgoto; será feito o tratamento pela CAGECE, como era feito anteriormente. Todas as lâmpadas do projeto possuem eficiência acima da média. Na Secretaria de Esportes, que integra a obra, estão instaladas luminárias fluorescentes tipo T5 com reatores eletrônicos de alto fator de potência e fluorescentes compactas. Segundo o Instituto de Engenheiros Elétricos (IEEE), que comparou a dissipação de calor e eficácia da degradação térmica entre as lâmpadas T5 e LED, as lâmpadas T5 têm desempenho significativamente melhor do que as LED. Nos banheiros do grande público será adotado o sistema de esgoto a vácuo, que gera uma economia de 90% no consumo de água, em comparação com o comum. Nos mictórios públicos, será adotado o sistema de acionamento por sensores de presença, gerando uma economia de 89% no consumo de água. Em todos os outros banheiros (Secretaria de Esportes, área vip, jogadores), serão colocadas descargas de duplo acionamento. Nesse sistema, o usuário pode revista


escolher o acionamento de 3 ou 6 litros de água. A princípio, espera-se uma economia de água no total de 58%, devido principalmente ao sistema de esgoto a vácuo. Estima-se que a economia com energia chegue a 14%, precisando ainda dos últimos projetos para lançar no programa de modelo energético e confirmar esse valor. Qual o traço mais marcante do projeto e por que ele se destaca? Ronald - Um dos seus traços mais marcantes é a concepção dos pórticos externos de função dupla, que ao mesmo tempo definem a nova imagem do Estádio. O interessante é notar que esta imagem não surge

aleatoriamente, mas sim do resultado de uma problemática e da análise de uma situação pré-existente. Outro traço marcante é a praça elevada ao redor do estádio, que surge naturalmente da leitura de topografia local e será suporte para múltiplos usos futuramente. A antiga estrutura de concreto foi “repaginada”. Como essa nova estrutura foi pensada e quais suas vantagens? Ronald - A principal vantagem da estrutura existente é que, do ponto de vista funcional e de conforto visual do espectador, a antiga estrutura já havia uma condição muito boa, comparável aos melhores estádios do mundo, não havendo necessidade de uma demolição completa.

32

A acessibilidade é um tema bastante difundido na atualidade. Sob esse contexto, como o Castelão está se adequando a este novo momento? Ronald - Há muito tempo que a acessibilidade é parte intrínseca do leque de problemáticas que o arquiteto tem que resolver em seus projetos. No Castelão, haverá mais de 1.700 lugares especiais para atender a cadeirantes e idosos, distribuídos em todos os seus setores, que serão devidamente sinalizados e contarão com sanitários adaptados. Outro ponto que merece atenção em Fortaleza se deve às elevadas temperaturas e ao

incômodo ocasionado nestas situações. O projeto arquitetônico prevê algum cuidado com relação a isso? De que forma? Ronald - Buscando amenizar o problema do desconforto do espectador, é que foi projetada uma cobertura para 100% dos assentos. O tipo de cobertura com telhas trapezoidais, coberta por uma camada espessa de isolante térmico com um acabamento superior de membrana tipo TPO, foi escolhido por proporcionar um ótimo conforto térmico aos espectadores. Além disso, para garantir as soluções pensadas no projeto, o Castelão foi o único estádio a realizar um teste de túnel de vento para verificação do conforto térmico do espectador.


33

revista


A Surpreendente Arte de Amar Esta obra pretende trazer reflexões feitas pela autora e psicoterapeuta Rosângela Rossi, referentes ao modo como a filosofia pode ajudar as pessoas a repensarem suas vidas, a aprenderem a escutar o coração, a identificarem as armadilhas da ‘paixão triste’, a entenderem como amor e sexo podem levar à plenitude da alma, ou evitarem que a repressão sexual acarrete frustrações e até doenças, e a compreenderem a necessidade do carinho e do toque e o reencontro com o prazer. Editora Fundamento Preço sugerido: R$ 19,60

João Gilberto Esta obra é resultado de uma pesquisa que propõe uma abordagem diferenciada sobre a obra e a imagem do cantor, compositor e violonista baiano João Gilberto. O livro reune textos e depoimentos de Dorival Caymmi, Vinicius de Moraes, Ferreira Gullar, Caetano Veloso, Nara Leão, José Miguel Wisnik e outros. Conta ainda com uma cronologia de vida e obra, discografia e bibliografia selecionada, passando em revista toda a trajetória do artista. Editora Cosac Naify Preço sugerido: R$ 215,00

Adultérios O livro reune três histórias de Woody Allen, todas sobre infidelidade, passadas em Nova York e arredores. Os personagens, típicos novaiorquinos, surgem em cena de forma insuspeita, mas as coisas mais inesperadas acontecem - ou são reveladas. Várias temáticas recorrentes na obra do autor são aqui abordadas - é o caso das pessoas que tentam racionalizar as próprias ações, que se debatem com as possibilidades e as angústias da arte e, é claro, com a tentação dos casos extraconjugais. Editora L&PM Editores Preço sugerido: R$ 18,00

34


O Module Compact é uma solução de automação wireless que oferece uma perfeita integração total sem precisar quebrar nada!

Visite nossa loja no Salinas Casa Shopping e confira todos nossos produtos e serviços.

B&W

Av. Washington Soares, 909, Loja 96B Tel.: (85) 3241-0104 / 3257-2032


João Bosco – 40 Anos Depois O consagrado cantor, compositor e violonista mineiro João Bosco está completando 40 anos de carreira. Para comemorar, a gravadora Universal acaba de lançar um CD contendo seus maiores sucessos, alguns deles com participações especiais de Chico Buarque, Milton Nascimento, Toninho Horta, entre outros artistas. Gravadora: Universal Preço sugerido: R$ 29,90 Caetano Veloso and David Byrne – Carnegie Hall O CD Caetano Veloso and David Byrne Live at Carnegie Hall finalmente ganha edição no Brasil via Universal Music. O disco ao vivo perpetua o show de 2004, que uniu os dois cantores e compositores no palco do Carnegie Hall, em Nova York (EUA). Caetano e Byrne tocam juntos em cinco dos 18 números do roteiro da apresentação. Gravadora: Nonesuch Records Preço sugerido: R$ 20,00 Reza Após um jejum de nove anos sem lançar um álbum inteiro de canções inéditas, a veterana Rita Lee finalmente nos apresenta “Reza”, seu trigésimo quarto álbum. Toda essa espera foi recompensada, pois seus fãs poderão se deleitar com 14 faixas especialmente interpretadas para eles, por uma artista que parece se renovar a cada lançamento. Gravadora: Biscoito Fino Preço sugerido: R$ 29,90

Precisamos Falar sobre o Kevin Eva coloca suas ambições e sua carreira de lado para ter um filho. A relação entre mãe e filho é difícil desde o início. Quando Kevin completa 15 anos, ele faz algo irracional e imperdoável aos olhos de toda a comunidade. Eva terá então que lidar com seus próprios sentimentos de tristeza e responsabilidade. Lançamento: Paris Filmes Preço sugerido: R$ 59,90

As Aventuras de Tintim Tintim é um jovem repórter que, junto com Milu, seu cão fiel, ganha vida neste filme de animação. Depois de descobrir que um navio modelo contém um segredo explosivo, Tintim e seus amigos acabam cruzando com um vilão diabólico. Desde o alto-mar até os desertos do norte da África, a cada virada é uma nova emoção, um novo perigo e uma nova aventura. Lançamento: Sony Pictures Preço sugerido: R$ 79,90

36


É

preciso dizer que Londres ferve de novo, da mesma maneira que ferveu nos swinging sixties, só faltam símbolos como Mary Quant e os Beatles. Agora, esta capital disputa com Berlim o título de cidade mais vibrante e moderna da Europa, cada uma em seu estilo. Londres está cada vez mais linda e alegre. Vamos passear por lugares que nunca estarão na moda, outros que ficaram por certo tempo e outros que sempre estiveram na moda e sempre estarão. Nada como sentir Londres como um típico inglês! Primeiro ponto encantador: a elegância é absolutamente discreta. Começamos a passear e já

38

nos habituamos à elegância londrina, com facilidade “pegamos” o dress code. Sem medo de errar, escolher o Dukes Hotel foi esplêndido! Fica em St. James’s Place, em pleno coração de Mayfair. Como disse o garçom – “This is a hotel, miss”, o melhor bar da cidade. Atenção à cena: veio o garçom, impecável, empurrando um carrinho, e tirou um copo de martini congelado por fora, o maior que já vi, jogou dentro um mínimo de Noilly Prat, só para umedecer, rodou o copo, jogou fora o que sobrou e preparou o melhor martini com limão siciliano, fez um “twist, of course!” Você agradece e ele te diz: “My Pleasure!


39 No almoço, deve-se escolher algo tipicamente inglês, como o Simpson’s-in-the-Strand, no 100, Strand. Bem longe da nouvelle ou fusion cuisine. Lá, encontramos a estabilidade da cozinha inglesa. O Simpson’s foi aberto em 1828, começou como clube de xadrez, tornou-se restaurante em 1848. Provavelmente, o único em Londres que serve a genuína boa comida inglesa, num décor totalmente britânico. Um carrinho de prata passeia pela sala servindo o tradicional rost rib, de carne escocesa angus, considerada a melhor do mundo, rodeado de batatas assadas e o tradicional yorkshire pudding. Segundo dizem, todo o rebanho Angus pertence ao Príncipe Charles. Mas não deixe de provar também o melhor salmão defumado que existe: o escocês.

com vontade de comprar nada - o que eu duvido -, vá se divertir na luxuosa seção de alimentação, uma das mais importantes do mundo. Na Harrods se pode encontrar desde um elefante a uma Ferrari, desde um jatinho a cem gramas do melhor presunto do planeta. Ela é tão inglesa que foi considerada um ultraje quando o milionário Mohamed Al Fayed comprou a loja com 5 mil empregados e 28 restaurantes. Mas o que eu sugiro como dica para realmente se sentir inglês é o Brunch da Fortnum & Mason! Uma loja de departamentos que está na Picaddily desde 1707. Lá, podemos fazer um autêntico brunch inglês, começando com ovos benedict com salmão e sauce holandaise. Nunca esquecer: uma taça de champanhe para acompanhar. Para encerrar, o chá das cinco com certeza tem que ser no Ritz! Vale lembrar que precisa de uma reserva com três meses de antecedência. O hotel é espetacular, o salão onde é servido o chá, o Palm Court, é esplêndido, tal o décor, as cadeiras, as mesas, as flores, as porcelanas, as bandejas de prata de três andares colocadas na mesa. No andar de baixo, por onde se deve começar, sanduíches bem fininhos; no segundo, bolinhos para comer com creme, e no andar de cima, os docinhos. Antes de qualquer coisa, nos trouxeram uma taça de champanhe, e só depois começou o ritual do chá. Para fazer bonito com os ingleses, faça como eles: sirva-se primeiro de um pouquinho de leite frio e, só depois, de chá – de preferência sem açúcar. E sabe de onde veio o hábito do leite frio? Como em outros tempos as xícaras eram de porcelana finíssima, havia o medo de que o chá muito quente as quebrasse.

No jantar, uma excelente pedida é o Nobu; para quem ama japonês, não deixe de pedir Toro tartar (a parte mais valiosa do atum) com caviar Beluga on the top, yellowtail sashimi e Kobe beef. Também tem o bistrô do famoso Jamie Oliver, onde tudo é orgânico, politicamente correto. Mas como a proposta é sentir-se como um inglês, recomendo o Wiltons, em Jermyn Street, um restaurante muito elegante, sem os frus-frus dos franceses. Se a escolha for um elegantérrimo restaurante londrino, a pedida é Dover Sole – linguado de Dover - o melhor de Londres. Falar de Londres e não falar na Harrods é impossível. Lá se pode comprar tudo que quiser e se não estiver

Well, well, well... London is London!

Serviço Wiltons – 120 libras (duas pessoas) Simpson’s – 29 libras (duas pessoas) Brunch Fortnum – 40 libras (por pessoa) Chá no Ritz – 37 libras (por pessoa)

revista


A

trajetória do vinho no Brasil confunde-se com o início da colonização. Desde as épocas mais remotas, a bebida conquistou o paladar do brasileiro e ganhou espaço cativo na mesa e no coração de seus admiradores. Para que você conheça melhor todo esse universo, faremos uma viagem por momentos marcantes que contribuíram para que o país fosse hoje um dos maiores produtores vitivinícolas do Hemisfério Sul.

Entre os anos 1625 e 1640 O padre Roque Gonzales de Santa Cruz introduz as videiras no RS e conta com a ajuda de índios guaranis para manter as plantas e elaborar o vinho. O Brasil começa a realizar degustações orientadas da bebida na tentativa de padronizar sua comercialização. Entre os anos 1530 e 1550 Martim Afonso de Souza traz de Portugal as primeiras mudas de Vitis vinifera e planta-as na capitania de São Vicente. As condições desfavoráveis de clima e solo impedem que a experiência prossiga. Brás Cubas transfere as plantações do litoral para o Planalto Atlântico e consegue extrair o caldo das uvas, elaborando o primeiro vinho brasileiro.

40

Entre os anos 1730 e 1790 Imigrantes portugueses, principalmente açorianos, trazem mudas das ilhas dos Açores e da Madeira e instalam-se na zona litorânea do RS. A falta de incentivo e de técnicas corretas, faz com que as plantações não ganhem expressão. A corte portuguesa proíbe o cultivo de uva no Brasil, o que inibe a comercialização do vinho na colônia.


41 Entre os anos 1805 e 1825 Com a chegada da Família Real Portuguesa, é derrubada a proibição do cultivo da uva. Manoel Macedo, produtor gaúcho, recebe da Junta do Comércio do RJ a primeira carta-patente para a produção de vinho no Brasil. A colonização alemã aumenta o número de imigrantes interessados no cultivo da uva. Entre os anos 1840 e 1880 O comerciante inglês Thomas Messiter introduz nas lavouras gaúchas as uvas Vitis lambrusca e Vitis bourquina, mais resistentes a pragas e doenças. A Família Real Portuguesa começa a perceber o destaque da produção enológica no sul do país e dá início às exportações, em quantidades pequenas. Entre os anos 1910 e 1930 Oswaldo Aranha, então Secretário Estadual do Governador Getúlio Vargas, articula a criação do Sindicato do Vinho. Os agricultores retomam o associativismo e, em um período de dez anos, 26 cooperativas são fundadas, algumas delas atuando até hoje. Entre os anos 1950 e 2002 A vinícola Georges Aubert transfere-se da França para o Brasil e dá início a um período de destaque da vitivinicultura nacional. O acesso a diferentes tipos de vinhos e a concorrência com os importados fazem com que os produtores nacionais aumentem sua qualidade.

Nos dias de hoje... O Brasil se consolidou como o quinto maior produtor de vinhos no Hemisfério Sul. Seis principais regiões vinícolas estão espalhadas por 83,7 mil hectares. Destas, a Serra Gaúcha é a maior e mais importante região, sendo responsável por cerca de 85% da produção de vinhos do país.

Vinho e as combinações ideais Para cada tipo de alimento, um tipo específico de vinho. De acordo com o Sommelier e Empresário Rodrigo Moraes, uma das principais dicas é combinar a bebida com a cor da proteína do alimento. Ao optar por carne branca com molho mais encorpado ou uma carne mais escura e mais Rodrigo Moraes calórica, dê preferência ao vinho tinto leve e ao consumir uma carne rosada, opte pelo vinho rosé. Rodrigo conta que, no Ceará, devido ao clima, o ideal seria consumir vinho branco. “Os cearenses, no entanto, optam mais pelo vinho tinto. Nesse caso, o ideal é escolher aqueles com teor de álcool em torno de 12,5% a 13%”, ressalta. O Sommelier ainda dá uma dica: durante um evento para várias pessoas, prefira um vinho mais leve e de duas ou mais uvas diferentes. “O vinho mais leve agradará até mesmo àqueles que não estão muito acostumados com a bebida; já o fato de ser feito a partir de duas uvas será intrigante para os especialistas, que terão o prazer e o desafio de desvendar os sabores”, conta Rodrigo.

revista


A

42

Foto: Chico Gadelha

maior costa litorânea do Brasil está localizada na Região Nordeste. Desse total, mais de 570 quilômetros correspondem ao litoral cearense, conhecido por sua natureza quase intocável. A praia da Marambaia, em Aquiraz, uma das mais bonitas e paradisíacas do Estado, foi a escolhida para a instalação do Aquiraz Riviera, o maior empreendimento turístico de padrão internacional do país. Além da beleza, uma das razões para a escolha da praia foi a localização privilegiada. O complexo fica situado a 35 quilômetros de Fortaleza e bem próximo ao Beach Park, o maior parque aquático da América La-

tina. Estimado em US$ 350 milhões, o Aquiraz Riviera possui área total de 285 hectares, sendo 1.800 metros de frente para o mar e área hoteleira dividida em oito lotes de quatro hectares em primeira linha da praia. Além da tranquilidade, as pessoas que escolherem o empreendimento como destino terão à sua disposição o Dom Pedro Laguna - Beach Villas & Golf Resort, unidade hoteleira que se estende por uma lagoa com 15 mil metros quadrados, e o Ocean Golf Course, primeiro campo de golfe do Ceará e primeiro do país a utilizar 100% da grama Seashore Conquista (Paspalum Vaginatum), grama costeira nativa do Brasil.


43

Manhattan Beach Riviera É neste cenário paradisíaco que a Construtora Manhattan oferece um projeto dotado de beleza e estrutura de alto requinte: o Manhattan Beach Riviera, que possui 51.852 metros quadrados de área total e 200 metros de frente para o mar. O arrojado empreendimento possui apartamentos tipo e duplex, de 81,50 e 163 metros quadrados, respectivamente, e bangalôs tipo e duplex, de 101, 50 e 203 metros quadrados, respectivamente. A localização privilegiada e a sofisticação à beiramar do empreendimento somam-se aos modernos design e ambientação. Com elevadores em todos os blocos e bangalôs, complexo aquático, heliponto, piscinas adulto e infantil, academia de ginástica, quadra oficial de tênis, quadra poliesportiva, home cinema e salão de festas, é uma excelente opção para toda a família. O projeto arquitetônico é de Daniel & Isidro Arquitetos, com paisagismo de Sérgio Santana e ambientação de interiores de Ana Melo e Juliana Melo.

revista


S

e você é apaixonado por tecnologia, sabe exatamente a reação sentida a cada novo lançamento de produto. São essas novidades tecnológicas que estabelecem gostos e padrões e que sempre apresentam possibilidades para o futuro. Pensando nisso, preparamos uma seleção especial para você. Confira!

Smart Ebike Com motor de 250W, localizado no cubo da roda traseira, a Smart Ebike alcança entre 30 e 90 km a cada carga total na bateria e, ao atingir 25 km/h, o motor é desligado. Além de bonita, ajuda a preservar o meio ambiente. Preço: € 2.900,00 www.mercedes-benz.com.br

Modern Record Console Com concepção inspirada nos anos 1950, o Modern Record Console, fabricado pela Symbol Audio, é feito com madeira de nogueira americana. O console possui um amplificador de válvulas personalizadas e um braço de fibra de carbono. Além de funcional, ainda decora o ambiente. Preço: sob consulta www.blackcard.com.br

Wilkhakhn Desenhada por Andreas Storiko, a mesa interativa e sensível ao toque possui capacidade de 16,7 milhões de cores e resolução de imagem de 1280x768. Com ela, os trabalhos em equipe ficam mais rápidos e práticos. Preço: sob consulta www.webluxo.com.br

44


45

Air Camera Inspirada na Apple e funcionando pelo controle de apenas dois dedos, a Air Camera possui em sua estrutura de silicone, uma lente e um botão do obturador com sensor de movimento. Além de funcional, possui design bastante moderno. Preço: sob consulta www.blackcard.com.br

iXoost Idealizado pelo inventor Matteo Panini e pelo designer Micro Pecorari, o iXoost, um docking station para iPod e iPhone é um amplificador equipado com oito, dez ou 12 escapes de cilindro. Todas as peças são elaboradas à mão e personalizadas ao gosto do cliente. Preço: entre US$ 6,5 e US$ 8 mil. www.blackcard.com.br

HydroView Com iluminação em LED e tecnologia de controle do movimento, a HydroView é uma opção excelente para quem ama aventuras subaquáticas. O controle de navegação destes olhos submarinos pode ser feito via iPad, iPhone, aparelhos Android ou notebook. Preço: sob consulta www.blackcard.com.br

revista


O

conceito de luxo é muito subjetivo mas, na grande maioria das vezes, está relacionado a fatores como raridade, nobreza, preço e qualidade. A seguir, selecionamos carros e motos, enquadrados na categoria de Veículos de Luxo, para inspirar suas escolhas!

Audi R8 GT Spyder Um dos modelos mais caros da Audi no Brasil, o superesportivo é inspirado nas pistas de corrida, fato comprovado pelas rodas de liga-leve de 19 polegadas e pneus de alta performance. A produção é limitada a 333 unidades em todo o mundo. Preço sugerido: R$ 1,2 milhão Motor: 560 cv Torque máximo: 55,06 kgf.m Peso: 1.715 kg Velocidade máxima: 317 km/h

BMW F 800 GS Com motor vigoroso, ABS e computador de bordo é um dos mais completos do mercado. O modelo, terceiro da marca alemã produzido no Brasil, é ideal para quem deseja versatilidade e aventuras off-road, devido às rodas raiadas e os pneus com câmara. Preço sugerido: R$ 43 mil Motor: 84.48 cv Torque do motor: 8,47 kgf.m Peso em ordem de marcha: 207 kg Velocidade máxima: acima de 200 km/h

46


47

Fat Boy Harley – Davidson Luxuosa e inspirada nas motos hardtail dos anos 60 e 70, possui um estilo nostálgico, não apenas no cromado e no visual old school, mas também, na confortável e relaxada posição de pilotagem, um pouco inclinada para trás. Preço: em média R$ 60 mil Motor: 62 cv Torque do motor: 12,1 kgf.m Peso em ordem de marcha: 330 kg Velocidade máxima: acima de 160 km/h

Lamborghini Gallardo Superleggera LP 570-4 Em comparação com os companheiros de série, possui mais potência, velocidade e aceleração. O Superleggera é um carro de alta-performance desenvolvido especialmente para as ruas, no entanto, com tecnologia vinda das pistas. Preço sugerido: R$ 1,6 milhão Motor: 570 cv Torque máximo: 55,1 kgf.m Peso: 1.340 kg Velocidade máxima: 325 km/h revista


O

lançamento do Manhattan River Center, ocorreu dia 2 de junho, no estande do empreendimento em Teresina-PI, e consagrou o sucesso do projeto, que mesmo antes do evento já somava 100% das salas comerciais vendidas. O momento foi organizado para que clientes, potenciais clientes, parceiros e colaboradores pudessem conhecer as salas modelo (individual e dupla) decoradas, como também a maquete. Para prestigiar as cerca de 300 pessoas que passaram pelo local durante todo o dia, a Manhattan organizou um coquetel. Além disso, os compradores foram surpreendidos com a exposição de um Mercedes C180, que será sorteado entre eles. O resultado será divulgado através de e-mail, correspondência e site da empresa.

1

2

1- Bernardo Borges, Lya Orsano, Andira Chaves, Deusimar, Júnior Nogueira, Dr.Hélio Galliza. 2 - Viana Neto, Hélio Galliza, Rivanildo Feitosa e Keli Simões 3 - Ely Lopes, Dra.Lúcia Cavalcanti, Dr.Moura e esposa( Nileide)

3

4

4 - Eduardo Barreto, Dr.Francisco Cavalcante, e Esposa - Aurea Castelo Branco 5 - José Carlos, Eliane Carrera, Lya Orsano 6 - Pedro Primo, Eva Ribeiro Santos, Dra.Mila Oliveira Santos e Leandro Vieira

5

6

Sobre o Manhattan River Center Com espaços sofisticados e diferenciados, o empreendimento exclusivo fará da capital piauiense um importante ícone de excelência na construção civil. O cronograma foi antecipado e as obras, que iriam começar em agosto, foram iniciadas em julho. Serão duas torres comerciais equipadas com salões de convenções, open mall com 12 lojas, café com vista panorâmica, área de lazer, salas comerciais a partir de 33 metros quadrados e 748 vagas de estacionamento.

48


SV ILUMINAÇÃO Consultoria em projetos de iluminação para clientes e parceiros

Grande variedade de produtos, Novas tecnologias em LED e lâmpadas especiais, Distribuidor de grandes marcas, Alta disponibilidade em estoque, Atendimento a todos os setores: residencial, comercial e industrial.


V

ocê sabia que alterações simples no cardápio, a partir do levantamento detalhado das características individuais, físicas e metabólicas de cada paciente, podem melhorar a disposição, tratar problemas como enxaqueca e evitar a ocorrência de doenças crônicas tais como a obesidade e o diabetes? É nesse contexto que a Nutrição Funcional está inserida. Priorizando a individualidade de cada pessoa, a ciência dos nutrientes procura manter ou restabelecer o equilíbrio e o bem-estar do organismo, pelo diagnóstico feito a partir da relação entre as células e os nutrientes. Para definir a dieta mais adequada para o paciente, é necessário conhecê-lo profundamente, avaliando sinais e sintomas e indicando exames complementares para um melhor diagnóstico. Observando, por exemplo, detalhes como o aspecto das unhas, é possível indicar deficiência ou excesso de nutrientes. Somos formados por trilhões de células que compõem os tecidos, que, por sua vez, formam os órgãos, e que, finalmente, integram os aparelhos e sistemas do organismo humano. Cada célula do nosso corpo é uma unidade viva que depende, para o seu funcionamento

50

pleno, de determinados nutrientes, em doses que variam de pessoa para pessoa, dependendo de suas características genéticas. Os desequilíbrios nutricionais geram sobrecarga ao sistema imunológico e desencadeiam “processos alérgicos” tardios. Fato esse, que acaba por provocar doenças crônicas como obesidade, depressão, fibromialgia, artrite reumatoide, síndrome do pânico, osteoporose, diabetes, distúrbios de comportamento e hiperatividade infantil, entre outras. Os suplementos são nutrientes que contribuem para uma dieta saudável, complementando a ingestão de alimentos que não foram consumidos, seja pelo motivo que for. Porém, esses suplementos só devem ser utilizados em casos realmente prescritos. Por isso, é fundamental ter o acompanhamento do clínico ou nutricionista, que além da suplementação irá elaborar um plano alimentar adequado e relacionado com o histórico do paciente.


51

revista


San Francisco Condominium PREPARAÇÃO DO TERRENO

100,00%

FUNDAÇÃO

100,00%

ESTRUTURA

100,00%

ALVENARIA

IMPERMEABILIZAÇÃO

90,00%

90,00%

REVESTIMENTOS ESQUADRIAS

INSTALAÇÕES

LOUÇAS E METAIS

100,00%

59,00% 86,00

25,00%

PINTURA

40,00%

EQUIP. ESPECIAIS

ACABAMENTO

LIMPEZA

96,00%

75,00% 62,00%

Beverly Hills PREPARAÇÃO DO TERRENO FUNDAÇÃO

100,00%

100,00%

ESTRUTURA

99,00%

ALVENARIA

IMPERMEABILIZAÇÃO

93,00%

28,00%

REVESTIMENTOS

47,00%

ESQUADRIAS

3,00%

INSTALAÇÕES

44,00%

LOUÇAS E METAIS

00,00%

PINTURA

00,00% 6,00%

EQUIP. ESPECIAIS ACABAMENTO

00,00%

LIMPEZA

00,00%

Los Angeles Condominium PREPARAÇÃO DO TERRENO FUNDAÇÃO ESTRUTURA

100,00%

99,80%

7,50%

ALVENARIA

00,00%

IMPERMEABILIZAÇÃO

00,00%

REVESTIMENTOS

00,00%

ESQUADRIAS

00,00%

INSTALAÇÕES

00,00%

LOUÇAS E METAIS

00,00%

PINTURA

00,00%

EQUIP. ESPECIAIS

00,00%

ACABAMENTO

00,00%

LIMPEZA

00,00%


Acompanhe em nosso site o andamento das obras do seu imóvel: www.construtoramanhattan.com.br

Square Garden PREPARAÇÃO DO TERRENO FUNDAÇÃO ESTRUTURA ALVENARIA IMPERMEABILIZAÇÃO REVESTIMENTOS ESQUADRIAS INSTALAÇÕES LOUÇAS E METAIS PINTURA EQUIP. ESPECIAIS ACABAMENTO LIMPEZA

13,40% 2,63% 00,00% 2,31% 00,00% 00,00% 00,00% 00,00% 00,00% 00,00% 00,00%

93,65% 97,23%

Manhattan Beach Riviera PREPARAÇÃO DO TERRENO FUNDAÇÃO ESTRUTURA ALVENARIA IMPERMEABILIZAÇÃO REVESTIMENTOS ESQUADRIAS INSTALAÇÕES LOUÇAS E METAIS PINTURA EQUIP. ESPECIAIS ACABAMENTO LIMPEZA

18,00% 2,00% 00,00% 00,00% 00,00% 0,50% 00,00% 00,00% 11,00% 00,00% 00,00%

PREPARAÇÃO DO TERRENO FUNDAÇÃO ESTRUTURA ALVENARIA IMPERMEABILIZAÇÃO REVESTIMENTOS ESQUADRIAS INSTALAÇÕES LOUÇAS E METAIS PINTURA EQUIP. ESPECIAIS ACABAMENTO LIMPEZA

20,00% 00,00% 00,00% 00,00% 00,00% 00,00% 00,00% 00,00% 00,00% 00,00% 00,00% 00,00%

100,00% 89,00%

Summer Park 90,00%

Manhattan River Center PREPARAÇÃO DO TERRENO FUNDAÇÃO ESTRUTURA ALVENARIA IMPERMEABILIZAÇÃO REVESTIMENTOS ESQUADRIAS INSTALAÇÕES LOUÇAS E METAIS PINTURA EQUIP. ESPECIAIS ACABAMENTO LIMPEZA

0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%

95%



Revista Manhattan 2ª Edição