Issuu on Google+

Consórcio realiza reunião extraordinária para preparar remoção preventiva de famílias de áreas de risco


Articulação do Consórcio permite remoção preventiva O Consórcio Intermunicipal Grande ABC realizou, no auditório da entidade, uma reunião extraordinária para encaminhar os detalhes operacionais da remoção das 375 moradias instaladas em áreas de altíssimo risco na região. Em resposta a pleito da assembleia de prefeitos de novembro, pela remoção preventiva e imediata das famílias antes do período de chuvas de verão, o governador Geraldo Alckmin anunciou, na segunda-feira (23), que o governo estadual arcará com 50% do custeio do auxílio aluguel para as famílias afetadas, enquanto os municípios ficarão responsáveis pelos outros 50%.


Articulação do Consórcio permite remoção preventiva Os detalhes dos procedimentos para a remoção foram discutidos no encontro, que contou com a participação do Grupo Temático Gestão de Riscos e de representantes da Defesa Civil do Estado. De acordo com o Secretário Executivo do Consórcio, Luis Paulo Bresciani, “a orientação é que todos os municípios estejam organizados para conduzir as remoções preventivas que foram mapeadas”. Os municípios de São Bernardo do Campo, Mauá e Diadema já começaram as remoções, enquanto as demais cidades se preparam para iniciar os procedimentos na primeira semana do ano.


Foto aĂŠrea


Iniciativa inédita regional O pedido de remoção preventiva fora encaminhado pelo Consórcio às Secretarias da Casa Militar, responsável pela Defesa Civil do Estado, e do Planejamento e Desenvolvimento Regional. Diante da resposta estadual, o presidente do Consórcio e prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, reafirmou a decisão dos municípios em levar adiante a iniciativa regional inédita de remoção preventiva, visando reduzir os riscos da população no período de chuvas.

O número final de moradias em altíssimo risco foi atualizado após mapeamento feito pelo GT Gestão de Riscos do Consórcio, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), vinculado ao governo estadual. Das 375 moradias, 150 estão em Mauá, 94 em Santo André, 54 em São Bernardo do Campo, 40 em Diadema, 7 em Ribeirão Pires e 30 em Rio Grande da Serra. São Caetano do Sul é a única cidade que não possui áreas de risco de deslizamentos. O Consórcio também solicitou à Secretaria de Habitação a construção de unidades habitacionais destinadas a receber os moradores transferidos das áreas de altíssimo risco, reivindicação que será rediscutida junto ao governo estadual no inicio de 2014.


Consorcio realiza reunião extraordinária para preparar remoção preventiva de famílias de áreas de ri