Page 1

JUSTIÇA

Ministério Público realiza audiências públicas em todas as cidades da comarca

EDUCAÇÃO

Edição 008 - Ano ll - Dezembro/2019 a Março/2020

Construção de nova creche em Corbélia se arrasta por mais de três anos

IMÓVEIS

Mercado imobiliário volta a dar sinais de crescimento e procura por imóveis aumenta

cidades empreendedoras Como os municípios podem atrair grandes empresas para impulsionar a economia local e gerar renda e emprego à população.


2

JAN. A MAR. 2019 CONEXÃO REVISTA


FALE COM A

EDITORIAL AO LEITOR

EMPREENDER E ARRISCAR DEZEMBRO/2019 A MARÇO/2020 Periodicidade Edição 008 - Ano ll 2.000 exemplares Tiragem Oeste do Paraná Circulação Lindiagane M. Silveira MTB 009930/PR Jornalista Editora Chefe Bruno Maurício de Carvalho Arquiteto Editoria Cores

Jeferson Wruck Colunista Opinião Gabrielli Oliveira Estagiária de Jornalismo

LS COMUNICAÇÃO E MARKETING CNPJ: 27.771.297/0001-45 Corbélia - Pr

CORRESPONDÊNCIA

Comente sobre o conteúdo editorial da Conexão Revista, envie sugetões e críticas: jornalismo@conexaorevista.com.br

Todas as mensagens enviadas devem conter nome completo, endereço e telefone do autor. Por questões de espaço ou clareza elas podem ser publicadas de forma reduzida.

PRÉVIA CONEXÃO REVISTA

Anuncie em Conexão Revista, e fale com o público leitor mais qualificado do médio oeste: vendas@conexaorevista.com.br Tel.: (45) 9 9958-3996 (WhatsApp)

www.conexaorevista.com.br 4

SET. A NOV. 2019

CONEXÃO REVISTA

C

om as férias tão próximas nós só pensamos em descansar e relaxar. Por isso saímos em busca de lugares aqui pertinho que proporcionam isso, e muito mais. A tranquilidade que a vida no campo oferece é o grande atrativo das férias em família, e nós fomos conhecer dois lugares para repouso, descanso e ainda para diversão. Em Nova Aurora a Pousada Braun nos recepcionou com um café da manhã delicioso. Por lá provamos o pão de queijo recheado, queijo de vinho e temperado, além de um café cremoso bem tradicional. Por ali conhecemos a família da Edimara que dedica a vida a cuidar da pousada com cara de “casa de vó”. Quem busca um lugar calmo para celebrar o casamento, fazer uma festa de aniversário ou um evento de família a Pousada também é o lugar. Já quem busca aventura precisa conhecer o Recando das Águas que fica em Braganey. Com uma cachoeira de uma queda de 8 metros, além de garantir boas fotos em família, a diversão é a assinatura. Messias é o responsável por proporcionar atividades como a tirolesa, passeio a cavalo e até o camping e pesca são autorizados. Está com dinheirinho na poupança e quer investir? O mercado imobiliário começa a dar sinais claros de reaquecimento. Preparamos uma reportagem com especialistas na área que abordam a nossa realidade local. O Castramóvel vem sendo uma incógnita para a prefeitura de Corbélia. Para entrar em funcionamento o Prefeito, Dr. Giovani, alega precisar de um altíssimo investimento. Na contra-mão encontramos a cidade de Ponta Grossa que já colhe os frutos da excelente aplicação e utilização do trailler equipado para castração. E na nossa reportagem de capa trazemos uma ampla abordagem sobre o empreendedorismo, e os fatores que o influenciam diretamente. Descobrimos aspectos culturais, estruturais e principalmente burocráticos que refletem nesses investimentos empresariais que nossas cidades tanto anseiam. Fique atento, algumas de nossas reportagens tem conteúdo extra no site. E as notícias continuam todos os dias no nosso site!

www.conexaorevista.com.br

2019 está se encerrando finalmente! Por aqui desejamos que 2020 seja muito melhor, e nos traga boas notícias, junto com deliciosos abraços, e principalmente muito amor, compreensão e resiliência. Esta última, vamos precisar de uma dose extra.

Lindiagane Silveira Editora Chefe conexaorevista.com.br

3


Por Estagiária Gabrielli Oliveira Sob Supervisão da Jornalista Lindiagane Silveira

Fotografia: Assessoria

construir e vivenciar atitudes e valores A educação cooperativa do Programa União Faz a Vida que age no ambiente escolar com projetos e iniciativas capazes de transformar a sociedade

C

ooperação e cidadania foram os ingredientes principais para que nascesse o programa que oferece uma opção “fora da caixa” para a educação tradicional. Foi assim que o projeto União Faz a Vida chegou a Jesuítas, por meio da Cooperativa de Crédito Sicredi, a pouco mais de 60 quilômetros de Corbélia, há dez anos, e mudou a vida de alunos da rede municipal. A atual Secretária de Educação do município, Elaine Pasti, ainda era professora quando o programa foi implantado, e viu o plano nascer cumprindo o objetivo inicial. “Ele é um programa que proporciona o engajamento de todo mundo. A gente vê a diferença nas crianças, na contribuição que da, e quando eu trabalho em sala, a gente vê a união de todo mundo, o comportamento das crianças, desperta a curiosidade, todo mundo quer participar. A união dos alunos e comunidade, todos envolvidos”.

“Ele é um programa que proporciona o engajamento de todo mundo. A gente vê a diferença nas crianças, na contribuição que dá, e quando eu trabalho em sala, a gente vê a união de todo mundo. O comportamento das crianças, desperta a curiosidade, todo mundo quer participar, esse engajamento de todo mundo. A união dos alunos e comunidade, todos envolvidos”.

4

conexaorevista.com.br

O programa seguiu colhendo frutos e mostrando resultados na região. A Assessora de desenvolvimento do cooperativismo na Sicredi de Cafelândia, Cassia Salvalaggio, contabilizou que em 10 anos, foram mais de 10 mil alunos que tiveram a oportunidade de participar do projeto na competência da região do Sicredi Nossa Terra, que atende 23 escolas com o União Faz a Vida. “A gente vê um brilho nos olhos dos professores que desenvolvem o programa, e o orgulho que eles têm quando recebem o aluno com o conhecimento. Queremos que a escola seja um local atraente, que a criança queira ir, e é necessário que a escola mude e então o professor que atende o programa, agarre esse conteúdo. Esse brilho nos olhos pra mim não tem pagamento, não tem remuneração”. O programa atraiu olhares de professores de outras cidades, como a Marlene Gulhak de Cafelândia. Ela conta que o programa mudou sua forma de atuação em sala de aula e na abordagem de cada tema estudado com os alunos.“Eu sentia que precisava


O projeto ele vai muito além porque ele proporciona a socialização de todos os alunos, a interação, e é muito visível a felicidade que os alunos ficam ao levar a “Abelhinha” para a casa pois a mesma proporciona um momento de união entre as famílias, e com isso ocorre a contação de história ou a produção de um desenho. Poder falar sobre isso então é muito gratificante pois tive as duas visões sobre esse Programa, por isso parabenizo á todos que participam e colaboram para o desenvolvimento do mesmo, vocês fazem a diferença na vida de cada aluno. Inspirei-me nesta profissão porque vocês vão além da sala de aula, se preocupam de verdade com o alunos,. Por isso digo que o programa é um momento único e inexplicável, o qual deixa uma lembrança linda e satisfatória na vida de todos os envolvidos e participantes. O programa é uma história de aprendizado, magia, amor e felicidade. Camila Santos, foi aluna do Programa em 2009, na Escola Concheta Ricci Braga, da turma do 4º ano.

O programa a união faz a vida é mais do que um simples projeto. Incentiva a melhorar a educação, abre portas e da oportunidades para as crianças conhecerem o mundo. Faz com que descubram seus talentos e habilidades, colocando em prática os valores do cooperativismo, o qual transforma pequenas ações, em grandes gestos, que fazem a diferença. O programa teve grande influência na formação da pessoa que sou hoje, a quase 10 anos atrás, participei dessa incrível iniciativa do Sicredi, mal sabia eu, que depois de tanto tempo, me tornaria colaborador, ajudaria outras crianças a sentirem a mesma alegria e responsabilidade em transformar o mundo. Valores estes, que contribuem para o crescimento pessoal e também social. O sentimento que fica é gratidão por ter feito parte deste programa e por contribuir mostrando a todos, o quanto foi importante em minha vida! Andrei Piekarczik da Trindade, foi aluno do Programa União Faz a Vida há 10 anos, em Jesuítas.

mudar a forma como ensinava em sala de aula. E veio o programa e o meu olhar mudou totalmente. Tenho muito o que agradecer ao União Faz a Vida.” O brilho nos olhos não é exclusividade dos professores. O projeto fez a diferença nos valores na vida adulta de alunos que puderam participar. Camila Cristina dos Santos de 19 anos, moradora de Jesuítas, fez parte do União Faz a Vida em 2009, quando estava no 4º ano, na Escola Concheta Ricci Braga. Hoje, é acadêmica do primeiro ano de Pedagogia, na Unioeste de Cascavel, e a futura profissão foi inspirada diretamente no programa. “Inspireime nesta profissão porque o programa vai além da sala de aula, se preocupam de verdade com os alunos. Por isso digo que o programa é um momento único e inexplicável, o qual deixa uma lembrança linda e satisfatória na vida de todos os envolvidos e participantes. O União Faz a Vida é uma história de aprendizado, magia, amor e felicidade”.

Prêmios por agência 1 Honda Bros 160, 1 Drone DJI Mavic Pro e 1 Smart TV Samsung UHD 55” Prêmios entre todas as agências 1 Fiat Toro Diesel 4x4 e 1 Fiat Mobi Like

M A IS CHA N CES , M A IS PR ÊM I OS

2

Prêmio por agência 1 Honda Biz Prêmio entre todas as agências 1 Kit Apple com: 1 iPhone XS Max 256 GB 1 Apple Watch Series 4 GPS 1 AirPods

CERTIFICADO DE AUTORIZAÇÃO nº 06.003423/2019. Promoção válida durante o período de 01/07/2019 a 10/02/2020, para os associados da cooperativa Sicredi Nossa Terra PR/SP. A cada R$ 250,00 em depósito a prazo, com carência acima de 360 dias, o associado receberá 01 cupom. Para cada aplicação no valor de R$ 250,00 em depósito a prazo, com trava acima de 360 dias, o associado receberá 02 cupons. Consulte regulamento completo da promoção e condições de contratação nas unidades de atendimento participantes e no site sicredi.com.br/promocoes. Este produto/serviço pode não estar disponível para associados conta Woop Sicredi. Contate o atendimento no seu app para maiores informações. Imagens meramente ilustrativas. SAC - 0800 724 7220 / Deficientes Auditivos ou de Fala - 0800 724 0525. Ouvidoria - 0800 646 2519.

CERTIFICADO DE AUTORIZAÇÃO nº 06.004154/2019. Promoção válida durante o período de 05/08/2019 a 10/02/2020, para os associados da cooperativa Sicredi Nossa Terra PR/SP. A cada R$ 250,00 em depósito a prazo, com carência de até 360 dias, o associado receberá 01 cupom. Consulte regulamento completo da promoção e condições de contratação nas unidades de atendimento participantes e no site sicredi.com.br/promocoes. Este produto/serviço pode não estar disponível para associados conta Woop Sicredi. Contate o atendimento no seu app para maiores informações. Imagens meramente ilustrativas. SAC - 0800 724 7220 / Deficientes Auditivos ou de Fala - 0800 724 0525. Ouvidoria - 0800 646 2519. CONEXÃO REVISTA SET. A NOV. 2019

5


JUSTICA

Audiências Públicas dão voz à população Promotoria de Justiça proporcionou aproximação maior entre os poderes públicos e os cidadãos de toda Comarca de Corbélia

Fotografia: Lindiagane Silveira

Por Estagiária Gabrielli Oliveira Sob Supervisão da Jornalista Lindiagane Silveira

+

LEIA

CONFIRA A ENTREVISTA COM A PROMOTORIA NA ÍNTEGRA EM: CONEXAOREVISTA.COM.BR

6

conexaorevista.com.br

O

Ministério Público por meio da Promotoria de Justiça da Comarca de Corbélia, procurou uma forma de estar mais próximo da população dos municípios da região, abrindo espaço para reinvindicações e dúvidas que acrescentam o desenvolvimento da sociedade local. Por meio de um circuito de audiências públicas, autoridades do poder executivo, legislativo e judiciário, se reuniram com os moradores, frente a frente, nos espaços cedidos pelos municípios, em busca de melhorias e também, apresentar uma prestação de contas do que já foi feito até o momento dentro das pautas de saúde, educação, segurança e meio ambiente. Empresários e trabalhadores puderam dividir o mesmo espaço, como cidadãos, e fazer o circuito que passou por Corbélia, Iguatu, Braganey e Anahy um local também de discussão do futuro dos municípios. Cobélia foi uma das cidades que recebeu a audiência, no dia 8 de outubro. O Promotor de Justiça do Ministério Público, Teilor Santana da Silva expôs o objetivo do projeto do Ministério Público. “A ideia da audiência pública, é ter o ambiente mais informal possível, trazendo a população para dentro da câmara de vereadores para que possamos discutir o que a comarca de Corbélia quer para os próximos dois anos, e o que nós enquanto gestores podemos fazer para melhorar”.

Com grande presença da população nos auditórios, o circuito foi realizado também em Anahy, Iguatu e Braganey. A população de cada município acompanhou o antes e depois, do que foi realizado, e o que ainda será feito, de acordo com as demandas. Em Braganey, as pautas discutidas envolviam tratamento médico para acumuladores de lixo, com acompanhamento psicológico e assistência do município, os protocolos de dispensa de medicamentos e leite NAN para as crianças, e questões pontuais de educação e segurança. Em Iguatu, houve a sugestão de um projeto de reutilização dos uniformes do município, incentivando os pais a doarem uniformes que não servem mais para os filhos, mas que estão em boas condições. A ideia partiu de um pai que estava presente na audiência, e caixas já seriam disponibilizadas para doação dos uniformes nas escolas. O Promotor Teilor completa que as audiências não se limitam apenas ao plano setorial, que é realizado a cada dois anos. A população é livre para expor as demandas, que ficam a cargo do Ministério Público e do município. “O fato de não estar no plano setorial não significa que a demanda do cidadão não seja importante. Se for uma demanda de ordem individual, esse cidadão será atendido em sua individualidade, se for uma demanda que não pode ser executava em 2 anos, que é o prazo do plano setorial, nada impede que essa demanda tenha um projeto, um inquérito civil, para investigá-la, apurar ou concretizar de forma isolada do plano setorial. Essas audiências públicas do plano setorial funcionam basicamente como um mecanismo democrático, por isso muitas vezes as demandas são direcionadas a fatores que podem ser resolvidos e estimulados em políticas públicas de curto período”.


POR QUE FAZER SEU PROJETO CONOSCO?

n o v o

e n d e r e c o

conexaorevista.com.br

7


CORBELIA EDUCAÇÃO

DEMORA CMEI está em construção há mais de dois anos: burocracia está de mãos dadas com contingenciamento de despesas do Governo Federal

J

Por Lindiagane Silveira

Fotografia: Lindiagane Silveira

á se passaram quase 36 meses desde que foram licitadas as obras do Centro de Educação Infantil na Rua Magnólia em Corbélia. A previsão de entrega, que consta também na placa do Governo Federal, era de 04 de dezembro de 2018. Da licitação até o início das obras, se passou quase um ano. Mas, o que dificulta tanto o desenvolvimento e o andar da construção de um espaço tão importante para o desenvolvimento humano do município de Corbélia? A burocracia de mãos dadas com ocontingenciamento de despesas. O CMEI é uma obra do Governo Federal, com uma contrapartida mínima do município, mas que está saindo caro para a população que aguarda na fila de espera. No levantamento fornecido pela Secretaria Municipal de Educação 130 crianças, de 0 a 3 anos aguardam uma vaga em um dos centros de educação infantil da cidade. Os números são do fim do mês de novembro deste ano, e a Secretária, Silvia Mara Skottki Pinto, explica que essas crianças são acolhidas com prioridade no período de matrículas. “A gente tem uma demanda hoje que não conseguimos atender, que agora com as matrículas que vamos atender este grupo. Mas daí as matrículas novas vão ter que aguardar, por um certo período. Porque a demanda aumentou muito nos últimos tempos.” A obra está paralisada desde o fim de fevereiro deste ano. No canteiro de obras não havia mais material para se trabalhar. O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE, interrompeu os pagamentos ainda no ano passado, o último havia sido realizado em outubro. Foram 12 meses sem realizar nenhum repasse, mesmo com três solicitações de desembolso aprovadas, o dinheiro do Governo Federal custava chegar ao caixa da prefeitura de Corbélia. Sem os pagamentos e com dinheiro em caixa, o município passou a adiantar sua contrapartida financeira à espera de que os repasses voltassem à acontecer e evitando a paralização da obra. Contudo, mesmo depois de disponibilizar todo o montante estipulado em contrato, R$228 mil, o FNDE continuou sem previsão de novas transferências federais. De acordo com a Secretária, a saída naquele momento foi continuar arcando com os pagamentos à empreiteira.

O CMEI segue o modelo padrão do FNDE Projeto Convencional Tipo 2, contando com 890 m² de área construída e capacidade de atendimento de até 188 crianças em dois turnos (matutino e vespertino). Dos valores já repassados, ainda faltam quase R$1 milhão para a conclusão da obra.

8

conexaorevista.com.br


+

LEIA

PREPARAMOS UM CONTEÚDO EXTRA SOBRE O TEMA NO SITE! Fotografia: Lindiagane Silveira

CONEXAOREVISTA.COM.BR

A porcentagem de execução da obra é de 36,62%, e a próxima etapa é a cobertura. A obra está paralisada desde o fim de fevereiro deste ano por atraso nos pagamentos realizados pelo FNDE. Mesmo com os valores já depositados em caixa, os serviços não podem ser retomados, a empreiteira cancelou o contrato no mês de outubro deste ano.

Assim, além dos R$ 228.033,26, que já foram pagos à P.R.P Empreendimento e Construção Civil LTDA – EPP outros R$ 100.018,82 foram depositados com recursos próprios do Município. Um valor que poderia ter sido direcionado à outra área. “Quando você tem um planejamento para o ano, e você tem que retirar, com certeza em alguma parte ele vai fazer falta. Só que é um bem que a gente não pode deixar de fazer, porque se a prefeitura deixa de fazer e para, fica aquilo ‘A prefeitura não fez nada para colaborar.’ Então assim, a nossa parte nós fizemos.” Mesmo com os esforços não houve outra solução se não a paralização da obra em março deste ano. A empreiteira ainda manteve dois funcionários diariamente na obra, mas sem material não havia o que pudesse ser feito. No fim de outubro, ambos foram dispensados. A porcentagem de execução da obra é de 36,62%, e a próxima etapa é a cobertura. Contudo, no momento, a falta de dinheiro já não é mais o problema, já que no mês de outubro o FNDE realizou finalmente três pagamentos atrasados. O prefeito Dr. Giovani Miguel Wolf Hnatuw precisou ir à Brasília em busca de dar continuidade nas obras. Com o problema resolvido era só esperar os depósitos. Mas, o entrave agora são os problemas financeiros enfrentados pela construtora responsável pela

obra que solicitou o cancelamento do contrato com esta justificativa. Nas últimas semanas de novembro o distrato já havia sido solicitado. “Vai ser aberta uma nova licitação para que essa nova empresa assuma e continue com as obras” explica Silvia. O município esgotou seus esforços, e o valor pago, além da contrapartida, precisa voltar para o caixa da prefeitura de Corbélia. Do total depositado pelo FNDE, em outubro, R$190.137,71 mais da metade não poderá ser utilizado nas obras. Somente o restante R$90.118,89 é que deve ir para a nova empresa que vai ser licitada nos próximos meses e dará o andamento nas obras. O CMEI segue o modelo padrão do FNDE Projeto Convencional Tipo 2, contando com 890 m² de área construída e capacidade de atendimento de até 188 crianças em dois turnos (matutino e vespertino). Dos valores já repassados ainda faltam quase R$1 milhão para a conclusão da obra, mas de acordo com Silvia, o Governo Federal sinalizou que não deve haver mais atrasos. A pressa agora é para a realização da licitação. “Pra nós a intenção era que no fim deste ano a ela já estivesse concluída. Mas, do jeito que está, eu acredito que até o final do ano que vem, se for retomada realmente a obra. Acredito que em 2021 ela já esteja em funcionamento.”

conexaorevista.com.br

9


CORBELIA

Por Lindiagane Silveira

CONTROLE DE ANIMAIS É

DESAFIO

Castramóvel recebido pelo município de Corbélia se torna desafio para entrar em funcionamento: recursos financeiros e humanos são apontados como principais problemas. Em Ponta Grossa, o trailer equipado com centro cirúrgico já traz resultados positivos, principalmente pela abordagem multidisciplinar em sua atuação com os moradores.

D

epois de mais de um ano de espera, desde que foi anunciado, Corbélia recebeu o trailler apelidado de Castramóvel. O veículo tem objetivo único, oferecer o serviço de castração animal, para o controle de natalidade de cães e gatos. O último levantamento realizado pelas Agentes Comunitárias de Saúde de Corbélia, há pouco mais de três meses mostraram pelo menos mil cães de rua no município. Sem donos esses animais perambulam pelo município, procriam, transmitem doenças e ainda colocam em risco a vida de motoristas no trânsito. O vereador Volmir Gronefeld Reis foi o responsável por garantir o veículo ao município. “O castramóvel foi um pedido da ONG de Corbélia, dado um meio mais fácil de castrar os animais, e através do Deputado Osmar Bertold, recebeu no valor de R$120 mil pro município” Com o veículo entregue no mês de setembro, parece ainda ser uma incógnita como será utilizado pela prefeitura de Corbélia. Para o prefeito Dr. Giovani Miguel Wolf Hnatuw, os custos para a manutenção são altíssimos, principalmente pela mão-de-obra necessária em comparação ao número de animais que precisam ser castrados. Para ele a estrutura ficaria obsoleta com a finalização da castração em 100% dos animais de rua, e domésticos de moradores de baixa renda. Mesmo que a Secretaria de Saúde opte por montar a equipe, o município não possui médicos veterinários disponíveis para atuar diretamente na castração, e precisariam ser contratados exclusivamente para a função. 10

conexaorevista.com.br


Fotografia: Lindiagane Silveira

C A S T R A M Ó V E L J Á T R A Z R E S U LTA D O S P O S I T I V O S E M P O N TA G R O S S A

Entre tantas intempéries, cogitou-se pelos corredores da prefeitura a recusa da verba, mas por insistência do vereador Nene, o prefeito aceitou o vinda do veículo e precisou pensar em um saída. Uma das soluções, que está sendo estudada, é o compartilhamento do veículo com outros municípios por meio do Consórcio do Piquiri, e consequentemente seus custos. “A proposta é que o consórcio utilize para que ele seja melhor aproveitado. A gente consegue a otimização do uso para que ele não fique ocioso, e também resolve a questão do custo, para que a gente rateie esse custo para a cirurgia no castramóvel” explica o prefeito. O veículo, apesar de ter sido entregue, não veio totalmente equipado para a realização das cirurgias, e de acordo com o prefeito, é necessário um alto investimento para a adequação. “Vai um investimento de mais de R$80 mil para adequar a estrutura, os custos mensais dependem de quanto movimento a gente vai ter. Mas, a demanda do município ela não suporta, o município é pequeno, e de repente não suporta. A gente quer disponibilizar para os demais municípios, para a gente ter a otimização do equipamento e de recursos, o consórcio pode angariar recursos de outras formas que o município não consegue sozinho, e a gente pretende aumentar a solução do equipamento com o consórcio. O consórcio serve justamente para isso, para otimizar ações, reduzir custos e atender uma região maior do que só a localidade do município”.

Ponta Grossa é uma das cidades que já possuem o Castramóvel em pleno funcionamento, e seguindo sua principal função: castração de animais. O Doutor em Ciências Veterinárias e professor na Universidade Federal de Ponta Grossa, Carlos Eduardo Coradassi, realizou um estudo sobre os resultados alcançados com o trabalho desenvolvido pelos médicos residentes, que segundo ele, demoram a aparecer. “O Castramóvel não traz um resultado rápido, a gente trabalha aqui diretamente nas situações primárias. Nos baseamos no número quantitativo de animais que estão naquela região, por exemplo, na nossa cidade a gente faz uma avaliação com os núcleos de saúde que fazem visitas e sabem quantos animais cada família tem. O castramóvel se desloca para a região, e fica por lá até castrar 70% dos animais. As pessoas manifestam a vontade e desejo de colocar seu animal no programa de castração, diretamente na unidade de saúde, ao fazer inscrição lá.” As famílias beneficiadas precisam estar inscritas em programas municipais ou federais, como Bolsa Família para conseguir a castração gratuita. Por ano são castrados em média 700 animais entre machos e fêmeas. “O número de animais castrados são de 5 a 6 animais por dia, de segunda a quinta-feira. No nosso município já estamos no 5º bairro, é mais um dispositivo de controle populacional, ajuda bastante no sentido de conscientização e controle.”

A proposta já foi apresentada aos prefeitos que compõem o consórcio, mas como ela será trabalhada vai depender dos próximos passos que a legislação permite, e principalmente das possibilidades do próprio consórcio. “Trazemos a proposta, o consórcio assume isso, e a partir daí começam as discussões de que formato, modalidade, de como vai ser feito, se vamos terceirizar com clínicas veterinárias, se vamos contratar pessoal o que não é um caminho adequado, porque recursos humanos colocar dentro de um consórcio ele é sempre oneroso para o consórcio, então a tendência é discutir a terceirização.” A mão-de-obra é a principal preocupação e ela pode vir por meio de uma segunda parceria, desta vez com universidades. “O município deixa o equipamento para o consórcio, e o consórcio faz o convênio com a universidade. O formato em si de como vai ser a solução e de como a universidade vai utilizar o equipamento dependerá da universidade.” O prefeito vê que o Castramóvel precisa ser tratado como um incremento nos trabalhos já realizados pelo próprio município e pela ONG Corbélia de proteção animal, que recebe uma verba de auxílio para custeio de castrações e atendimentos. Os valores

Os recursos disponibilizados para os trabalhos estão distribuídos entre recursos humanos e materiais, mas os valores não ultrapassam os R$100 mil anuais. “Nós temos o programa de residência, implantado pelo Ministério da Saúde, que atua no castramóvel. Temos 3 profissionais que trabalham em dias escalonados, um sendo coordenador. Por ano vai dar uns R$70 mil em recursos humanos, em média é um custo baixo.” O custo por castração é de R$25 por animal em média. “Da uns R$30 mil por ano, fazendo um cálculo grosseiramente. Nosso custo é menor porque temos a residência, a bolsa é paga pelo ministério”. Com uma população muito baixa em comparação à de Ponta Grossa, o castramóvel se apresenta sim com uma grande viabilidade segundo Carlos. “São 700 animais por ano, e fazendo comparativo com Corbélia com 17 mil habitantes, o Castramóvel é viável, mas precisamos de recursos humanos. Um veterinário não atua só no castramóvel, e sim na vigilância também do município”. Para o professor alcançar bons resultados com a utilização do castramóvel demanda muito mais que recursos financeiros, mas mais ainda planejamento. “Tem que ter um diagnóstico populacional, planejamento financeiro, contagem dos animais na cidade, isso é uma questão política e muitas vezes, nem é técnica.”

repassados vêm através de um convênio, e não deixarão de existir com o início dos trabalhos do castramóvel. “A ONG tem outras ações que não só castração, e por isso participa com o fomento, então a ONG vem prestar contas desse recurso, e dentro do plano de trabalho dela, constam outras castrações, tanto que o município também faz castrações por modalidade de pregão para atender a demanda que é bem maior do que só a ONG consegue atender. O município ainda faz frente para tentar atender essa demanda, e isso tem sido equacionado de forma segura para manter a população mais controlada neste formato”. Nene aponta que apesar de ter lutado para sanar um problema de saúde pública, ele não chegou a ser consultado para o desenrolar das situações apontadas, mas concorda que o Castramóvel será melhor aproveitado se compartilhado com o restante dos municípios, já que também evitaria que animais de outras cidade sejam abandonados em Corbélia. “Sim, porque no meu ponto de vista, muitos cachorros dessa cidade são largados em ruas de cidades vizinhas, então nada mais justo, usar o castramóvel em outras cidades também.” +

LEIA

PREPARAMOS UM CONTEÚDO EXTRA SOBRE O TEMA NO SITE! CONEXAOREVISTA.COM.BR

conexaorevista.com.br

11


CAPA

cidades

empreendedoras Como os municípios podem atrair grandes empresas para impulsionar a economia local e gerar renda e emprego à população.

O

12

primeiro Centro de Distribuição fora do Rio Grande do Sul, e também o terceiro da rede de materiais de construção Quero-Quero, vai ser instalado em Corbélia. Mas, para que a cidade das flores fosse a escolhida para receber um investimento de mais de R$ 25 milhões, ela precisou ter indicadores que farão a diferença não só quando ele estiver funcionamento, mas também no futuro que a rede quer seguir pelo país. O Gerente de Logística da rede, Vinícius Kieling conta que as regiões oeste e sudoeste do Estado estão recebendo os olhares atentos dos investidores. A loja inaugurada em Corbélia há pouco mais de um ano, faz parte de uma série de novas lojas abertas ao longo dos últimos anos. Somente em 2019 foram 50 novas lojas, e em 2020 o planejamento é crescer ainda mais, serão 70. Mas, para que isso seja possível, é necessário fazer ainda um maior

conexaorevista.com.br

investimento. Para que as lojas sejam abastecidas com produtos de qualidade, e com preços atrativos, a logística de distribuição precisou ser repensada. Instalar o Centro de Distribuição em um ponto estratégico que possibilite ainda mais o crescimento da rede se tornou um desafio. Corbélia faz parte de um importante corredor para a distribuição dos produtos da rede, que quer expandir para o Mato Grosso do Sul e São Paulo. As obras de duplicação, a localização da cidade, e o apoio recebido do poder público foram cruciais. “Porque


A infraestrutura oferecida com a duplicação da BR-369 se tornou um dos grandes motivadores para a instalação do Centro de Distribuição de produtos da rede Quero-Quero. A obra entregue em dezembro/2019 vai auxiliar em todo o transporte viário para escoamento de produtos.

para abrir uma unidade desse porte precisa ter uma infra forte. A gente acaba utilizando uma circulação forte de veículos, e se você não tem uma infra adequada inviabiliza. A infra ela realmente contou bastante a favor a nossa decisão.” Características de infraestrutura como essas, que foram decisórias para a instalação do CD da rede no município, estão entre os sete fatores determinantes mapeados pela Endeavor Brasil em um estudo de 2017 no Índice das Cidades Empreendedoras, em que realizou estudos em 32 cidades brasileiras. Nele, o Ambiente regulatório, Infraestrutura, Mercado, Acesso a Capital, Inovação, Capital Humano e Cultura Empreendedora são indicadores que pesam na decisão de qualquer empresa no momento de expandir e investir. Partindo desta premissa é possível analisar como pequenas cidades como Corbélia, ou qualquer outro município da região pode atrair grandes investidores, e futuramente se tornarem grandes polos industriais, com geração de emprego e renda. Os municípios podem usar de estratégias mercadológicas e da simplificação de processos burocráticos para chamar a atenção de investidores externos, e consequentemente se tornarem mais atrativas e com vantagens competitivas maiores, como explica o Gerente da Regional Oeste do Sebrae/PR, Augusto Stein. “Alguns municípios tem um arcabouço legal, geralmente por meio de uma lei, ou um conjunto de leis que favorecem determinado tipo de empreendimento ou negócio no seu município.” Muitos municípios, de acordo com Augusto, tentaram criar distritos industriais, aliados à reduções fiscais, ou em alguns casos, até isenção. Esse movimento tinha unicamente um objetivo, atrair empresas. Com o passar dos anos e alterações na lei, alguns desses incentivos se tornaram ilegais, e novamente foi preciso adaptação. “Hoje o que estamos vendo mais, são as chamadas Leis de Inovação. Em que o município tem leis próprias que dão um incentivo para um determinado grupo de empresas. Geralmente empresas da área de tecnologia. Isso por que os municípios entendem que trazer tecnologia para o seu território, além da geração de empregos, gera mais riquezas.” A localização de qualquer empreendimento também está ligado

BENEFÍCIOS Com base na Lei nª 722/2010, o município estará concedendo incentivos fiscais e econômicos para a construção do Centro de Distribuição da Rede Quero-Quero - Isenção do Alvará de Construção; - Isenção da taxa de localização e funcionamento; - Isenção da taxa de vigilância sanitária (se houver); - Isenção do Imposto sobre serviços de qualquer natureza – ISSQN, sobre o custo de mão-de-obra nas construções; - Isenção do Imposto predial e territorial urbano; - Isenção das tarifas de protocolo; De acordo com a lei, a isenção será concedida apenas uma única vez, e se estende às suas empresas e sociedades. Entre os incentivos estão ainda a o serviço de terraplanagem que será subsidiado pelo município.

conexaorevista.com.br

13


ao o que o Gerente da Regional Oeste do Sebrae/ PR, Augusto Stein chama também de Mercado, e é um dos pontos determinantes que podem favorecer ou prejudicar. “Se estamos falando de empresas mais robustas, que precisam de um mercado mais abundante, os nossos municípios geralmente não tem boas condições, porque são municípios pequenos, ou seja, pouca população e pouco mercado. Agora, mesmo um município pequeno, que tenha uma localização geográfica próximo de um mercado maior, favorece. Então mesmo os municípios menores, quando olham pra Cascavel ou Toledo, o mercado consumidor já é um pouco maior.” Uma realidade confirmada pelo Consultor Financeiro e Professor Gilnei Saurin que atua diretamente em consultoria de negócios realizando o planejamento para crescimento e expansão de empresas. Segundo ele o mercado é analisado como um todo, desde o nível de consumo, até o financeiro da população na região. “Quem são os consumidores pra àquele produto, qual é o tamanho desse mercado consumidor, as condições socioculturais desse consumidor e basicamente o poder aquisitivo.”

ACESSO AO CRÉDITO Augusto explica também que acesso é crédito é totalmente impactante, os recursos financeiros disponibilizados é o oxigênio para que essa expansão aconteça, e a região Oeste saiu na frente com uma das maiores empresas garantidoras de crédito do País. “Hoje nos temos um exemplo na região, que é a GarateOeste, que é uma garantidora de crédito. Ela trabalha com cartas de garantia pra que o banco que está fornecendo o investimento, tenha uma garantia e possa baixar um pouco sua taxa de juros. É um bom case, e é a principal garantidora do Brasil.”

INOVAÇÃO E para crescer também é preciso inovação, que para o Augusto está totalmente ligada ao empreendedorismo, mas mais ainda na capacidade da empresa agregar valor aos seus produtos. “Pra uma empresa pode inovar mais ela precisa de um ambiente mais propício. Por exemplo: se o município tem uma lei de inovação que beneficia a tributação é um ambiente mais propício.”

CAPITAL HUMANO A inovação também leva à um outro gargalo, que está entre os indicadores da Endeavor, o Capital Humano. Para o Gerente do SEBRAE, é preciso uma mão-de-obra altamente capacitada, que geralmente não estão em cidades menores. “As empresas pra inovar, geralmente precisam de um bom capital humano e normalmente o capital humano com essas características está concentrado nos grandes centros, o que também pode ser um dificultador.” O capital humano é entrave em praticamente todos os segmentos, principalmente se houver a necessidade que ele seja mais qualificado, para Augusto é também um limitador de crescimento. “Capital humano é o maior limitador do desenvolvimento de uma empresa ou o contrário, é o que pode gerar mais condições de uma empresa ser competitiva.”

CULTURA EMPREENDEDORA No mercado, empresas impulsionam a abertura de novas empresas, a cultura empreendedora é o último indicador apontado pela pesquisa da Endeavor. E é por isso que o Sebrae aposta tanto em educação empreendedora “Desde as crianças, pra que já na escola, aprendam conceitos do comportamento empreendedor. E isso não é aprender a fazer negócios, é aprender conceitos de como ter um comportamento

INDICADORES AMBIENTE REGULATÓRIO

INFRAESTRUTURA

MERCADO

ACESSO À CAPITAL

INOVAÇÃO

CAPITAL HUMANO

CULTURA EMPREENDEDORA

Tempo de Processos

Transporte Interurbano

Desenvolvimento Econômico

Capital Disponível via Dívida

Inputs

Mão de Obra Básica

Potencial para empreender com alto impacto

Condições Urbanas

Clientes Potenciais

Acesso a Capital de Risco

Outputs

Mão de Obra Qualificada

Imagem do Empreededorismo

Custo de Impostos Complexidade Tributária

FICHA TÉCNICA Índice de Cidades Empreendedoras - Brasil 2017 | Relatório de pesquisa Endeavor Brasil – 2017/02

14

conexaorevista.com.br


empreender onde vive

CORBELIA população estimada [2019]

17.071 pessoas

Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2017]

2,1 salários mínimos

NÚMERO DE EMPRESAS ATUANTEs

636 15,6 %

Urbanização de vias públicas [2010] instituições bancárias

6

INSTITUIÇÕES PROFISSIONALIZANTES ou de GRADUAÇÃO

6

Infraestrutura viária distâncias: Corbélia fica a 22,4 km de distância de Cascavel, via BR 369. Fica a 32 km da Ferroeste em Cascavel Corbélia fica a 890 km de São Paulo, via BR 369 Corbélia fica a 251 km de Maringá, via BR 369 e PR 317

cafelandia população estimada [2019]

18.120 pessoas

Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2017]

2 salários mínimos

NÚMERO DE EMPRESAS ATUANTEs

593

Urbanização de vias públicas [2010]

44,9 %

instituições bancárias

5

INSTITUIÇÕES PROFISSIONALIZANTES ou de GRADUAÇÃO

4

Infraestrutura viária distâncias: Cafelândia fica a 49,3 km de cascavel via BR 369 Cafelândia fica a 888 km de São Paulo via BR 374 Cafelândia fica a 249 km de Maringá via PR 369 e PR 317 Dados coletados no IBGE

empreendedor, e isso permeia da escola até a vida adulta. Quanto mais empresas a gente tiver, mais empregos e mais riqueza teremos. Isso que dá o dinamismo da economia nos municípios.”

INFRAESTRUTURA Gilnei, conta que em um planejamento de crescimento e expansão a realidade das cidades é estudada em cada detalhe, e a infraestrutura não inclui apenas estradas, mas também energia e tecnologia. “As empresas buscam toda a infraestrutura que envolve os transportes, por exemplo, novas tecnologias, e a forma de se chegar até o consumidor, bem como, do fornecedor chegar até a empresa. Num segundo momento, também tem a questão de energia que a região fornece.”

E energia foi o gargalo no investimento de mais de R$5 milhões realizado pelo empresário Valdir Feltrin em Cafelândia. O Centro Comercial das Palmeiras inaugurado em Maio deste ano está em um dos principais pontos comerciais da cidade, mesmo assim, ele precisou trabalhar intensamente quando descobriu que a energia disponibilizada pela Copel era insuficiente para a carga de empresas que iam se instalar no local. “Nenhum dos padrões tinham energia suficiente para conseguir atender. Eu tive que comprar, e pagar um transformador para por na rua. Porque não tinha essa energia. E com a Copel teve uma burocracia muito grande. E isso acaba gerando aquele stress. Não que desanima, mas atrapalha.” O fator determinante que o levou Valdir investir em Cafelândia, uma das cidades que mais cresce exponencialmente em número de habitantes no oeste, envolveu seu emocional. A paixão pelo município onde nasceu e cresceu foi determinante. “Sempre tive propostas para investir em Cascavel, Toledo, que são cidades também que estão se desenvolvendo. Mas, Cafelândia é uma cidade nova, e que se desenvolveu muito. Então tem futuro eu investir aqui e ter empresas aqui”. Para a construção e instalação do centro comercial, Valdir não solicitou nenhuma isenção fiscal, ou se utilizou de benefícios públicos que pudessem auxiliar no seu empreendimento. O empresário prefere cobrar do setor público melhorias na infraestrutura da cidade, que para ele é a motriz para novos investidores. “Nem precisa ter lei de incentivo, desde que não atrapalhe. As vezes você está construindo um negócio, e tem a burocracia atrapalhando. Mas, quem tem vontade de fazer alguma coisa, vai fazer. Você não pode querer montar um negócio e ficar esperando que o município vá bancar para você.” O centro comercial não será seu último empreendimento, principalmente, quando dialoga com outros grandes investidores da cidade. O impulsionador para Valdir é mesmo a estrutura econômica das empresas que já atuam na cidade “Uma cidade para ir super bem, ela precisa ter várias empresas fortes, e não depender de uma só. Mas, se nós temos uma grande empresa ela vai impulsionando outras e alavancando o crescimento do município.” O cenário das pequenas cidades no oeste do Paraná, são praticamente iguais segundo o Gerente Regional do SEBRAE/PR. Para Augusto, "municípios com Corbélia, Cafelândia, Anahy, Braganey ou Nova Aurora possuem um processo de certificação similar, tributação similar, então não vai mudar muito pra apontar exatamente seria o melhor município para empreender".

+

LEIA

PREPARAMOS UM CONTEÚDO EXTRA SOBRE O TEMA NO SITE! CONEXAOREVISTA.COM.BR

conexaorevista.com.br

15


ECONOMIA Por Lindiagane Silveira

COMPRA-SE IMÓVEIS

As expectativas para o mercado imobiliário já eram positivas no início de 2019. O cenário promissor com o novo governo deixou os investidores, e consequentemente o mercado, animados, mas até o fim do primeiro semestre a construção civil andou a passos muito lentos, mesmo os indicadores apontando para a retomada do crescimento no mercado. O déficit de imóveis disponíveis para a venda é um dos fatores que continuam apontando para a recuperação. Após anos de baixa, o mercado imobiliário começou a dar sinais de recuperação em meados de 2018. Passando por um período de transição, o setor volta a enxergar oportunidades de crescimento, com a baixa da taxa Selic e a redução de juros nas linhas de financiamento. O primeiro sinal veio depois de cinco anos seguidos de queda. O Índice de Confiança da Construção (ICST), da Fundação Getulio Vargas, subiu 0,4 ponto em outubro, para 87,5 pontos, após ter recuado 0,5 ponto no mês passado. Em médias móveis trimestrais, o índice aumentou 0,7 ponto, mantendo a tendência ascendente pelo quinto mês. O presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (AdemiPR) Leonardo Pissetti, explica que a crise econômica dos últimos anos e aumento na população gerou uma demanda reprimida. “O estoque de imóveis está abaixo da média de mercado, o que também implicará numa atualização do preço de vendas dos imóveis novos.” 16

conexaorevista.com.br

Fotografia: Lindiagane Silveira

Economia volta a reaquecer e investimentos em imóveis começam dar os primeiros sinais de retomada E essa busca por um imóvel novo para investir já voltou a ser sentida com ainda mais força pelas imobiliárias do Oeste do Paraná. A Gerente Comercial da Lokatell de Cascavel, Silvana Selvo, recebe diariamente investidores que decidiram direcionar as reservas que estavam apenas em aplicações bancárias para imóveis, e o objetivo é único: obter renda. “Tem essa procura principalmente se o imóvel já estiver locado, a gente tem muita procura por imóvel comercial, porque como é um imóvel de pouca rotatividade e alto valor agregado, tem muita procura. A gente incentiva os proprietários a investir em comercial e também construir para os comerciais, porque estamos com um mercado com déficit de sala comercial. Então quem consegue comprar um terreno e construir sala comercial, consegue o valor muito bom” conta. Em busca aumentar a lucratividade com imóveis, os compradores também estão migrando para um novo formato de locação, com contrato BTS (build to suit). O formato surgiu nos Estados Unidos há mais e uma década, e nele o investidor constrói o empreendimento imobiliário de acordo com os interesses do locatário. O locatário por sua vez se compromete em ocupá-lo por um longo período, alguns contratos chegam ultrapassar os 25 anos. Mas, esse tempo é calculado de forma que os valores pagos de aluguel cubram os custos da construção do empreendimento. Os investidores que apostarem nessa

modalidade garantirão, além do contrato de locação maior, o lucro acrescido. “Normalmente a locação gira em torno de 0,5% do valor do imóvel, então quando vale R$200 mil, 0,5% é o valor da locação. No comercial a gente consegue um pouquinho mais. Nessa modalidade BTS consegue chegar um pouco mais, em torno de 0,7%. E o bom é que é em longo prazo essa locação, então por muitos anos você vai ter essa locação ali. O imóvel valoriza, então além do 0,5% que você ia ganhar do imóvel guardado na poupança, você ainda tem a valorização do imóvel”. Se a busca por imóveis comerciais é alta, a procura por moradia também já é sentida, principalmente pela frequência de lançamentos de novos condomínios e apartamentos feitos por incorporadoras e Leonardo Pissetti confirma “Todas as nossas construtoras e incorporadoras associadas estão com novos empreendimentos programados para o próximo biênio.” Silvana também comemora essa crescente, e paralelamente a evolução de melhorias realizadas pelo próprio mercado em busca do diferencial na hora da venda. “O mercado voltou a crescer e os construtores estão apostando nisso, porque semanalmente nós recebemos convite para lançamento e o que está acontecendo aqui é que os imóveis estão melhorando o perfil, mesmo que Minha Casa, Minha Vida, os imóveis estão caprichados, com acabamento melhor, e os juros diminuiram”.


+

LEIA

Para Silvana essa valorização não fica restrita a grandes centros urbanos, e todas as cidades em torno de Cascavel também estão alcançando altos patamares por diferenciais únicos e tradicionais de cidade pequena, a segurança e tranquilidade que oferecem, e Corbélia é uma delas. “Ela está muito próxima da gente. Temos construtores de Cascavel que investem lá também em condomínios, que agregam muito valor. Aquele viaduto que saiu na entrada, a cidade está ficando com uma cara boa. Temos clientes comprando imóveis em Cascavel que tem imóveis em Corbélia também.” E estar próxima à Cascavel vai ser o grande impulsionador de investimentos imobiliários no município. “Corbélia tem pessoas que vem de fora. Não tem tanto investimento ainda, mas vai ter, e o que teve vendeu. Está valorizando, e que o padrão está melhorando, a cidade melhorando muito, a tendência é valorizar e cada vez mais gente procurando para investir. Vão procurar Corbélia porque já da para morar lá e ir para Cascavel trabalhar. Temos pessoas em Corbélia que tem filhos que estudam em Cascavel, então vai valorizar”. Em um levantamento realizado na Secretaria de Obras do município de janeiro à 20 de novembro deste ano foram solicitados 61 alvarás de construção e reforma. O mês que mais houve solicitações foi em junto, em que 14 foram solicitados. Apesar do reaquecimento do mercado, os números apontam por uma oscilação entre o meses.

PREPARAMOS UM CONTEÚDO EXTRA SOBRE O TEMA NO SITE! CONEXAOREVISTA.COM.BR

ALVARÁS DE CONSTRUÇÃO E REFORMA SOLICITADOS NA SECRETARIA DE OBRAS DA PREFEITURA DE CORBÉLIA

7

Jan.

6

Abr.

6

Jul.

3

Out.

7

Fev.

1

Mai.

5

Ago.

5

Nov.*

3

Mar.

14

Jun.

4

Set.

*Dados disponibilizados pela Secretaria no dia 20 de Novembro de 2019

Quer conquistar

NOVOS CLIENTES? PARE DE ANUNCIAR EM VELHOS LUGARES.

#SomosConexão

Um si te de notícias diárias e uma revista com reportagens exclusivas disponíveis para fomentar suas vendas e impactar seus clientes em Corbélia e região.

ANUNCIE www.conexaorevista.com.br

45 9 9958 3996 | v e n d a s @ c o n e x a o r econexaorevista.com.br v i s t a . c o m 17. b r |


TURISMO RURAL Por Lindiagane Silveira

Tranquilidade é o

Destino

A vida no campo e as características culinárias são atrativos no turismo rural

“Na rua, na chuva, na fazenda. Ou numa casinha de sapê” já dizia o bom e saudoso Tim Maia. E é numa casa de madeira bem cuidada, com detalhes que relembram a década de 50 que muitas famílias escolhem repousar. A Pousada Braun em Nova Aurora preza pelos detalhes, mas, mais ainda pela experiência que envolve um misto de lembranças de casa de vó e a culinária. Para muitos as férias se resumem na tranquilidade que o campo oferece, e para outros, essa tranquilidade e atividades que são tão simples no dia-a-dia se tornaram um negócio. O Turismo Rural já é fonte de renda para diversas famílias que vivem do agronegócio, como na família da Edimara Braun. A pousada já recebe visitantes em busca de tranquilidade e uma boa culinária há 10 anos, e ao longo do tempo foi ampliada e teve alto investimento no turismo que hoje representa 50% da renda da família, mas ainda não é a atividade principal. Na pousada toda a família se envolve em atender os turistas, a mãe de Edimara, o pai, a irmã e até a filha de três anos que leva os pequenos para um banho na fonte que decora uma das entradas. Todos se envolvem nas atividades oferecidas para aqueles que escolheram ficar longe do movimento das grandes cidades. E por ali a tecnologia chegou em poucos itens “Mas tem ar condicionado, Wi-fi e o bebedorouro de água, tem isso de moderno”. Na cozinha, nada passa despercebido e cuidar das receitas também faz parte dos afazeres. No café da manhã que nos foi servido provamos queijos de vinho e temperado, todos feitos na propriedade: o pão de queijo com salame, que também está entre os preferidos dos hóspedes, os sucos naturais com frutas colhidas na propriedade também ganham um espaço especial na farta mesa de café colonial. E foi pela boca que ela ganhou outros visitantes. Ao menos uma vez ao mês, a família organiza um tradicional “Café Colonial” ou uma noite de comida típica com sopas e caldos, ou mesmo a chamada galinhada. Por apenas R$30,00 o visitante saboreia pães, broas, salame, bolos, salgados, queijos tradicionais e tantos outros itens que são fabricados com itens colhidos no sítio, e que trazem a sensação de “lembrança de casa da vó”. O leite de búfala está entre as honrarias da casinha que recebe hóspedes de diversos estados brasileiros, e até do exterior. Edimara conta que os hospedes daquela semana eram especiais. Uma família alemã veio à cidade para um casamento, e se hospedaram na pousada em busca de aproveitar a estadia para descanso e conhecer a região. A pousada que recebe quem busca tranquilidade é também o mesmo espaço que ganha histórias de amor. Todos os meses ao menos um casamento é celebrado, ou comemorado nas grandes salas, com cucos na parede, um rádio antigo, e uma roda de carroça como lustre da sala principal. E qualquer parede dá espaço para a criatividade dos fotógrafos. Ao longo dos anos, a pousada direcionou seu atendimento à hospedagem. Por isso não são oferecidas atividades rurais, mas Edimara conta que muitos hóspedes se encantam com os animais. “Quem vem de fora muitas vezes nunca viu um animal de perto. Lembro que teve um senhor de 50 anos que queria pegar um porco no colo, e nunca tinha visto. Tem muita gente que não tem aquele contato com a parte rural.” 18

conexaorevista.com.br

Fotografia: Lindiagane Silveira


O contato com o rural é o que o Messias Schilienwe proporciona para quem aluga o chalé de madeira à beira de uma lagoa em seu sítio no interior de Braganey. O Recanto das águas surgiu há pouco mais de dois anos, e além da hospedagem, Messias proporciona atividades rurais como pescar, andar a cavalo ou de charrete, tirolesa e banho de cachoeira. “Eu tinha um pesque-e-pague, aí fazia uma friturinha ali, ficava meio corrido para mim. A esposa engravidou, parei com tudo. Deu a ideia de alugar, comecei a alugar, começou a ter muito pedido, fiquei só alugando, porque é mais viável para mim. O pessoal vem e eu não me envolvo muito com o serviço, fico acompanhando com charrete, preparando os cavalos e colocando eles na tirolesa.” No Recanto, o Messias conta que as famílias se reúnem para conversas, rodas de viola, camping e churrascos, mas o que mais chama a atenção dos pais é a liberdade que o local proporciona aos pequenos. “É gratificante ver os pais falarem que o filho até esquece o celular e internet, esquece do mundo, fica andando de cavalo, esquece a correria da cidade. Vejo criança com medo de montar em cavalo, e na hora de ir embora, perdeu o medo e já queria levar o cavalo embora”. O espaço conta com um chalé que pode acomodar em média até trinta pessoas, dois espaços exclusivos para churrasco com mesas e churrasqueira, três represas para pesca, espaço para camping, seis cavalos disponíveis para os visitantes andar e ainda três pôneis para as crianças. Mas, a grande atração do Recanto, é mesmo a bela cachoeira de oito metros de queda no Rio das Antas que corta a propriedade. “Tem passeio de cavalo, charrete, cachoeira, o pessoal vai lá, esquece e fica a tarde toda lá. Tem tirolesa, pescaria, peixinho que pega ali pode fritar aqui”. Atualmente Messias divide o tempo do trabalho como servidor público com o atendimento aos hóspedes a partir das 17h, mas o sonho de estar unicamente dedicado ao turismo rural também o acompanha. “Sempre tive na mente um negócio desses: turismo, pousada. Penso em aumentar, construir mais chalés para atender mais pessoas ao mesmo tempo”.

Fotografia: Lindiagane Silveira

AVENTURA COM TIROLESA, CAMPING, ANDAR À CAVALO OU CHARRETE E AINDA PODER DESFRUTAR DE UM BANHO DE CACHOEIRA

+

LEIA

PREPARAMOS UM CONTEÚDO EXTRA SOBRE O TEMA NO SITE! CONEXAOREVISTA.COM.BR

turismo rural é fonte de renda sustentável e de valorização da cultura local A Agência de Desenvolvimento Turístico do Oeste do Paraná (Adeturoeste) foi criada justamente para impulsionar e auxiliar empreendedores rurais como a Edimara e o Messias. O presidente Carlos Eduardo Rocha da Silva conta que o Oeste do Paraná ainda vive o chamado turismo de eventos, em que os visitantes vêm para a região para participar de eventos realizados aqui como o Show Rural por exemplo. No entanto o turismo rural e o ecoturismo vêm se destacando, principalmente quando se trata de proporcionar experiências aos visitantes. “É um potencial que nós temos, uma coisa que ainda não está sendo explorada como deveria ser. Ela pode ser uma atividade muito sustentável para todos e acaba injetando na economia valores de outros lugares, o turismo não é uma renda circulante do próprio local. Isso acaba deixando a região mais rica.” Atualmente, o Paraná possui rotas do turismo subdivididas. As 14 Regiões Turísticas oferecem ao visitante uma estimulante jornada, seja qual for seu perfil. São elas: Campos Gerais - Cataratas do Iguaçu e Caminhos ao Lago de Itaipu - Corredores das Águas - Ecoaventuras Histórias e Sabores - Entre Matas, Morros e Rios - Lagos e Colinas - Litoral do Paraná - Norte do Paraná - Norte Pioneiro - Riquezas do Oeste - Rotas do Pinhão - Terra dos Pinheirais - Vale do Ivaí - e Vales do Iguaçu. “Quase todos os nossos municípios fazem parte da rota do turismo, e isso é muito bom. Significa que ao menos um empreendimento na cidade tem registro no Ministério do Turismo.” Esse registro no site Ministério do Turismo é crucial para que as agências de viagens incluam as atividades, ou hospedagens nos pacotes de viagem, mas também para é importante para que o empreendedor tenha acesso à benefícios exclusivos ao turismo. “Isso é importante porque nós vamos criando um inventário do turismo, como levantamento de quantas pousadas tem no município, quantos hotéis e quantos atrativos naturais a região possui. Mas as pessoas ainda não conhecem toda essa estrutura. Tem locais que nem mesmo a própria prefeitura ou a população não se dá conta que tem um atrativo turístico.” Para que o turismo rural se torne fonte de renda para famílias de regiões como a de Corbélia, Braganey, Nova Aurora ou Cafelândia é preciso que se crie uma identidade cultural que valorize a história local e preserve os hábitos, mas principalmente que os moradores conheçam a própria região e a valorizem. “Ainda é uma coisa muito empreendedora o turismo rural na nossa região. É uma região nova, e é difícil que cada município tenha sua identidade. Se você perguntar o prato típico da região eles vão te dizer um, mas se a pessoa quiser comer aquele prato é difícil ela conseguir. São essas coisas que nos vamos ter que ir resolvendo.” conexaorevista.com.br

19


ULTIMAS | NOTAS CAFELÂNDIA

Prêmio Gestor Público

Fotografia: Assessoria

Mais uma vez Cafelândia foi destaque estadual. O prefeito Dr.Franus esteve em Curitiba no início de novembro para receber pela segunda vez, o Prêmio Gestor Público Paraná 2019, com o programa Cidade Limpa com Inclusão Social e Responsabilidade Ambiental. Mais de 80 municípios concorreram ao prêmio. O prefeito destacou o orgulho de receber o título. “O Cidade Limpa foi muito bem elaborado e a ideia da inclusão social com a responsabilidade ambiental ajudou Cafelândia em diversas áreas. Estou realmente muito orgulhoso por estar novamente aqui recebendo este prêmio. Só tenho a parabenizar e agradecer a equipe que está envolvida e trabalha diariamente deixando a nossa cidade ainda mais linda. Vocês são os grandes responsáveis por esta conquista”.

Cafelândia e Nova Aurora inauguram a Ponte Enio Luiz Pianessa No dia 25 de outubro foi inaugurada a Ponte Enio Luiz Pianessa, obra de parceria dos governos municipais de Cafelândia e Nova Aurora. Em homenagem a família Pianessa, os poderes executivo e legislativo sancionaram a lei em que a ponte fica nomeada como Enio Luiz Pianessa (in memoriam), filho do pioneiro Alberto Pianessa. A obra foi realizada com recursos próprios dos dois municípios no valor de R$ 96 mil. Os moradores Alberto Pianessa e Vilson Salvalaggio discursaram e agradeceram o empenho dos prefeitos e das equipes dos municípios para a construção da ponte.

NOVA AURORA

Palestra Novembro Azul supera expectativas com recorde de público em Nova Aurora

20

conexaorevista.com.br

No início e Novembro, Nova Aurora contabilizou um recorde de público na palestra sobre o Novembro Azul no município. Centenas de homens participaram do evento que foi proferido pelo diretor da Uopeccan, Wilson Ridlinger, que falou sobre a prevenção do câncer de próstata, que acomete milhares de brasileiros anualmente. Na oportunidade houve ainda a distribuição de senhas para a realização dos exames de PSA na unidade do Posto Central. Junto a programação do Novembro Azul, aconteceu a caminhada na Praça dos Pioneiros, junto a celebração de Graças ao encerramento das campanhas.

Fotografia: Assessoria

SAÚDE

Nova Aurora promove I Mostra Regional de Ginástica Rítmica A I Mostra Regional de Ginástica Rítmica foi realizada em outubro no município de Nova Aurora. Com a presença de 190 ginastas dos municípios de Jesuítas, Quarto Centenário, Terra Roxa, Quatro Pontes, Nova Santa Rosa e Goioerê, Nova Aurora ginastas de 04 a 15 anos estiveram participando da Mostra em apresentações solo ou em conjunto com mãos livres, maças, arcos e bolas. Para a secretária, os municípios estão investindo cada vez mais em atividades de contra turno, como é o caso da GR que ajuda a melhorar a coordenação motora, melhora o equilíbrio, maior consciência corporal, melhora a flexibilidade, melhora o desenvolvimento cognitivo, trabalha em equipe e ajuda na autoestima, confiança e perseverança, entre outros inúmeros benefícios. Ao fim do evento todas as ginastas ganharam uma medalha de participação.


Prefeito Carlão assume interinamente Departamento de Educação de Anahy No início de outubro, o prefeito Carlão assumiu interinamente o Departamento de Educação do município de Anahy. Em reunião com a equipe de educação, ele traçou o trabalho conjunto visando ações, metas e diretrizes de trabalho para o final do ano. Carlão assume o lugar da secretária de Anahy, Maria de Loudes Alves, que já havia sido exonerada em outra gestão.

BRAGANEY

Novo terminal rodoviário de Braganey está em construção Braganey vai receber um novo terminal rodoviário. O prédio que estava em situação precária foi demolido e interditado pela 10ª regional e defesa civil. O novo local terá cerca de 300m² e um investimento de mais de R$400 mil reais para a construção, com recursos próprios do município. O proprietário da empresa vencedora do certame licitatório, Marciano Guaripuna, promete que a obra será entregue já no início de 2020.

Fotografia: Assessoria

ANAHY

CORBÉLIA

Fotografia: Divulgação

CORBÉLIA AMPLIA ATENDIMENTO EM CLÍNICA DE FISIOTERAPIA MUNICIPAL Junto a Unidade Básica de Saúde da Vila Unida, agora os moradores tem a opção de um próprio espaço de fisioterapia que atende todo o município. Desde o fim de agosto, o novo espaço já recebe pacientes em tratamento. O investimento para modernização e compra de novos equipamentos girou em torno de mais de R$40mil. No novo espaço os pacientes são atendidos na auriculoterapia, aculpultura, grupos de dor crônica, triagem de regulação de fisioterapia como os casos de tratamento contínuo e grupos especiais que precisam de encaminhamento. Além disso, existem os prestadores de serviços com a clínica vinculada ao SUS e ao Cisop com as especialidades.

conexaorevista.com.br

21


CORES Por Arquiteto Bruno Carvalho F5 Arquitetura, Interiores e Consultoria

C

Com o fim de ano se aproximando, muita gente gostaria de fazer aquela reforma ou renovar os ambientes, ainda antes das festas, mas se você ainda não começou, provavelmente vai ter que esperar para o ano que vem. Porém, no próximo ano, o que está na moda hoje, ainda vai ser usado? O mundo da decoração já vem se atualizando pra começar 2020 com o pé na porta, mas fique tranquilo, porque nós vamos te contar o que aguarda logo depois da contagem regressiva.

Muito Além do Azulejo Português O uso de azulejo no revestimento das paredes já não é novidade pra ninguém, mas o que vem com força na próxima temporada, é a utilização de azulejos coloridos. Vendo isso, as empresas de revestimentos já vêm lançando ano após ano, novidades cada vez mais ousadas nesse seguimento, mudando formatos, cores e acabamentos. Cozinhas e banheiros vão se aproveitar da tendência, deixando os ambientes mais vivos e alegres.

Imagem: Divulgação

Cor é Atitude O monocromatismo já vem a algum tempo tomando conta do mundo da arquitetura de interiores, mas em 2020, a aposta principal é nas cozinhas de uma única cor. Mas não pense que estamos falando de branco, preto ou amadeirado. A ideia aqui é dar o máximo possível de personalidade aos seus móveis. Armários verdes, azuis, alaranjados e até vermelhos estarão em alta e os contrastes ficam por conta do revestimento das bancadas, que podem variar das pedras naturais até o porcelanato.

Imagem: Divulgação

2

22

conexaorevista.com.br

3

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

1

2020

O que vem?!

Mobília é Multiuso Você se lembra daquele canivete suíço com mil e uma utilidades que todo mundo tinha há um tempo? Essa é a pegada do mobiliário no próximo ano. Com ambientes cada vez menores e mais integrados, a praticidade e funcionalidade são indispensáveis, fazendo com que os móveis se tornem cada vez mais multitarefas. Além do bom e velho sofá-cama, também podemos citar a cama com baú embaixo, mesas modulares que aumentam conforme a necessidade, escrivaninhas retráteis que viram estantes e os nichos embutidos que além de otimizar o espaço ainda fazem parte da própria decoração.


OPINIÃO F j d

RESILIÊNCIA AS CAUSAS DO SOFRIMENTO SÃO ESPECÍFICAS E PARTICULARES, ASSIM COMO AS FORMAS DE ENCARÁ-LO E SUPERÁ-LO. JEFERSON WRUCK

Resiliência, à princípio, é um conceito da Física. Descreve como alguns corpos são capazes de retornar ao seu estado original depois de terem sofrido alguma alteração provocada por ação externa. Um conceito muito interessante que tem sido adaptado por outras áreas do conhecimento, como as ciências da saúde. Para a Psicologia, resiliente é o indivíduo que consegue passar pelos traumas e dificuldades da vida se mantendo o equilíbrio emocional e mental. Em outras palavras, é a capacidade de se adaptar aos percalços, “sacudir a poeira e dar a volta por cima.” Estamos chegando ao fim de mais um ano e se há um momento propício para falar de resiliência, é agora. Entre os séculos XVI e XVII, viveu na Espanha um homem chamado Miguel de Cervantes. Quando jovem, ele sonhava em ser um grande dramaturgo, conhecido e ovacionado pelo mundo. Na casa dos vinte anos, enquanto servia na marinha espanhola, perdeu um braço durante a batalha naval de Lepanto. Quatro anos depois, foi capturado por piratas e escravizado. Em 1580, após cinco longos anos como escravo em Argel, foi resgatado e retornou para sua pátria, onde enfim pode se dedicar à sua paixão, o teatro. Escreveu quase vinte peças, e praticamente todas foram um fracasso. Enquanto via seu rival, Lope de Vega, lançar um sucesso após o outro, lotando audiências e enchendo seus bolsos, Cervantes caía numa situação financeira calamitosa. Em desespero, conseguiu trabalho como arrecadador de impostos para sobreviver. Acusado por má conduta no serviço, foi preso em 1597, e outra vez em 1605. Cercado pelas grossas paredes de pedra de sua cela, Cervantes teria tempo suficiente para enumerar e remoer a longa coleção

de derrotas que acumulara na vida. Mas consta que ele preferiu usar esse tempo para escrever. Talvez por estar um pouco desencantado com o teatro, decidiu escrever em forma de romance a história de um triste senhor que sonhavam em ser um cavaleiro andante. A conclusão da obra, em dois volumes, levou dez anos, mas o resultado final foi o livro O engenhoso fidalgo Dom Quixote de la Mancha, aclamada pelos críticos até hoje como a maior realização literária de todos os tempos. Neste ano, cada um de nós teve seu quinhão pessoal de dificuldades, e isso nos custou energias físicas, mentais e emocionais. Como continuar se erguendo após cada rasteira que a vida nos dá? Uns procuram conforto na fé religiosa, outros alimentam sua determinação mantendo o foco em ambições materiais. Compartilhei a história acima por que para mim a História e a Literatura são a principal fonte de consolo e inspiração nessa estrada sinuosa da existência. Mas creio que todas as alternativas são válidas (desde que funcionem para você). As causas do sofrimento são específicas e particulares, assim como as formas de encará-lo e superá-lo são individuais e pessoais. Enfim, considero que a definição mais precisa do que é resiliência não está em nenhum manual técnico, mas numa obra cinematográfica. Numa das principais cenas de Rocky Balboa (2006), o protagonista está dando um sermão em seu filho: “Ninguém vai bater tão duro como a vida, mas não se trata de bater duro. Se trata do quanto você aguenta apanhar e seguir em frente. O quanto você é capaz de aguentar e continuar tentando. É assim que se consegue vencer”. Isso é ser resiliente.

Bacharel em Jornalismo. Graduado em História e Filosofia. Especialista em História, Arqueologia

“Ninguém vai bater tão duro como a vida, mas não se trata de bater duro. Se trata do quanto você aguenta apanhar e seguir em frente. O quanto você é capaz de aguentar e continuar tentando. É assim que se consegue vencer”. Rocky Balboa (2006),

conexaorevista.com.br

23


SOCIAL

ENVIE SUA FOTO PARA A NOSSA COLUNA SOCIAL. PODE SER NO TRABALHO, COM A FAMÍLIA OU NA FESTA: jornalismo@conexaorevista.com.br JOCORBS 2019 - E a taça de equipe campeã foi para o Colégio Duque de Caxias. Os atletas se empenharam e garantiram o topo do pódio. Já o título de vice-campão ficou com a equipe Boniatti que garantiu a prata após 23 dias de competição. A equipe dos distritos também se destacou entre as oito equipes participantes e pegou o 3º Lugar no pódio no Jocorbs! Parabéns à todos os atletas envolvidos nas competições, aos organizadores e toda equipe que atuou fortemente para que esta edição fosse um sucesso.

O 6º Batalhão de Cascavel da PMPR completou 50 anos. Para comemorar a data realizou a 8ª prova de tiro policial masculino e feminino. E as policiais de Corbélia Nathali ficou em 2ª lugar e a Jaqueline em 5º. Parabéns e obrigada por zelar da nossa cidade com tanto amor. A Lorena Silveira, de 21 anos, acaba de concluir a graduação em Biomedicina pela Unipar. E recebe os Parabéns de toda a família, em especial da irmã Lindiagane e cunhado Bruno. Desejamos muito sucesso, e que você trilhe um caminho de amor e muitas descobertas na ciência. Post especial para os recém casados Talita e Paulo, que se casaram em Corbélia no dia 09 de Outubro. O fotógrafo Gabriel Schmitt registrou cada detalhe em um ensaio emocionante. Felicidades 24

conexaorevista.com.br

No dia 19 de Outubro foi a vez do fotógrafo Gabriel Schmitt eternizar todos os momentos do casal Mylena e Fernando em Corbélia. Felicidades!


Nas lentes do fotógrafo Wallyson Avancini o casal Ana Vieira e Deividi Schwendler se casaram no dia 03 de agosto em Cafelândia. Desejamos muitas felicidades ao novo casal <3

25ª Miniolimpíada chega ao fim e a Escola André Luiz é a grande campeã. Parabéns à todos atletas e organizadores.

Mais um clique apaixonado por aqui! A Thayse Trevisoli e o Clau Borges se casaram no dia 18 de Outubro em Cafelândia, e o Fotógrafo Wallyson Avancini eternizou acada momento Enviamos muitas felicidades.

No dia 5 de novembro os empreendedores de Cafelândia ganharam do Sala do Empreendedor uma palestra show com o Juca Bala! Irreverente o humorista tratou de temas importantes do dia-a-dia dos empreendedores.

Cafelândia tem uma nova Miss 2020, Mariana Claudino garantiu o 1º lugar com muita elegância e simpatia na noite do dia 10 de novembro no anfiteatro Casa da Cultura.

A lindíssima Rafaela Zatta A pequena Ana Clara ficou em 1º lugar no TOP 3 Ferreira levou o título Miss Teenager Cafelândia. de Mini Miss Cafelândia Letícia Dutra e Maria Luiza 2020. Lívia Skura e Julia Mezzonomo foram eleitas Mariani ficaram com o 1ª e 2ª princesa. 2º e 3º lugar. conexaorevista.com.br

25


AGENDA

WORKSHOPS

NA REGIÃO OESTE

CURSOS

DO PARANÁ

PALESTRAS

PARA VOCÊ SE

EVENTOS

ATUALIZAR

dezembro CORBÉLIA 06 a 8/12 - Expobélia 11/12 – noite de natal, Distrito da penha 19h30 12/12 – noite de natal, Distrito ouro verde 19h30 31/12 – Show da Virada com atrações - Praça Guadalajara

CAFELÂNDIA

01/12 – Festa na Comunidade Bela Vista 03/12 Janta dos Funcionários Públicos Aposentados – ASMUCA 06,07 e 08/12 – Natal na Praça Brasília 07/12 - Feira da Terra 7/12 - 5ª Cervejada C&C - OPEN BAR, Recanto Eu Sou 25 de Janeiro/2020 - Baile do Kerb - Igreja Luterana Do Bem anahy 7/12 – Baile do Chopp - Central Santa Cruz 22/12 - 5º Edição Projeto Coração Infantil, Central 31/12 Centro da cidade, Show, Queima de fogos Santa Cruz 24/12 - Cacio e Marcos Véspera de Natal, Recanto eu 14/12 - Cervejada Planeta Errado, Avenida Brasil Sou do Bem 31/12 – Sorteio de um New QQ 0 KM + caminhão de prêmios, Praça Brasília AS INFORMAÇÕES QUE CONSTAM NA AGENDA SÃO FORNECIDAS POR ORGANIZADORES E PODEM SOFRER ALTERAÇÕES. 31/12 - Show da Virada com Banda Hora Nacional SUGERIMOS QUE REALIZE CONTATO PRÉVIO PARA CONFIRMAÇÃO. – Praça Brasília

TEM GENTE MORRENDO DE

INVEJA

PORQUE VOCÊ ESTÁ SABENDO DE TUDO O QUE ACONTECE!

O maior site de Notícias de Corbélia, feito por jornalistas com informação connável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o que acontece na sua cidade.

CO N EXAO R EVI STA .CO M . B R NOTÍCIA AQUI, TEM TODO DIA! 26

conexaorevista.com.br

NOVA AURORA 27/12 - Sorteio na Praça Vale Compras - ACINA 27/12 - Último Sorteio do Cidadão Bom De Nota braganey 14/12 Praça - Abertura Natal de Luz Missa Ação de Graças coral Sicoob 15/12 Natal de luz com presença do Papai Noel – apresentação escola maestrina 21/12 Praça - Papai Noel e Festival de Música Sertaneja 22/12 Praça - Folia de Santo Reis 24/12 Praça – entrega de presentes para as crianças com o Papai Noel 31/12 Praça - Show da virada com apresentações


conexaorevista.com.br

27


Profile for Conexão Revista

Conexão Revista - 8ª Edição  

Confira a 8ª Edição da Conexão Revista, que traz notícias de Corbélia e região. www.conexaorevista.com.br

Conexão Revista - 8ª Edição  

Confira a 8ª Edição da Conexão Revista, que traz notícias de Corbélia e região. www.conexaorevista.com.br

Advertisement