Page 1

Recicle informação. Passe este jornal para outro leitor.

995-75-4545

www.conectabaixada.com.br

2016

BAIXADA FLUMINENSE

16 a 31 de Julho ANO 2 - N° 18 Distribuição gratuita

A INFORMAÇÃO VAI ATÉ VOCÊ

Fotos:Lélio Neto/Conecta Baixada

PIT STOP ILEGAL

BANDALHA NO DETRAN Na fila do Posto de Nova Iguaçu, motoristas alugam pneus para Página 7 passar em vistoria FRAUDE INVESTIGADA

CAÇA-FANTASMAS EM MESQUITA JUSTIÇA SUSPENDE CONTRATO ENTRE A PREFEITURA E A COOPSEGE POR SUSPEITA DE IRREGULARIDADES COMO Página 3 O PAGAMENTO DE SALÁRIOS DE ATÉ R$ 15 MIL PARA ALIADOS DO PREFEITO GELSINHO GUERREIRO.

PERFIL

ESPORTES Reprodução

FLA X VASCO NA BAIXADA

BAIXADA

Página 12

ROUBO A ÔNIBUS AUMENTOU 135%

CAXIAS LÚDICA Reprodução

Página 2

FICOU NA PROMESSA

A BELA ESCULPIDA EM OURO E BRONZE Sarah Furman, a modelo de Nova Iguaçu que venceu a Copa Caxias Página 4 2015 de fisiculturismo

CALAZANS E A SUA FLORESTA DE PAPEL O prefeito que planejava transformar Nilópolis na cidade mais arborizada do País, com o plantio de 40 mil mudas, terPágina 6 mina o governo com fama de derrubar árvores.

MARATONA TEATRAL COM PEÇAS GRATUITAS Teatro Raul Cortêz recebe espetáculos de todo o país duPágina 10 rante cinco dias.


GERAL

2

BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Julho WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR

INSEGURANÇA PÚBLICA

ROUBO A ÔNIBUS DOBRA NA BAIXADA Marcelle Bappersi

marcelle.bappersi@conectabaixada.com.br

T

odas as vezes que a estudante Vanessa Veloso, de 25 anos, entra em um ônibus ela relembra os momentos em que ficou sob a mira de uma arma. Vanessa ia à faculdade na companhia de um amigo quando um homem entrou no coletivo e anunciou o assalto. O drama vivenciado pela universitária se repetiu 318 vezes dentro de coletivos na Baixada em maio desse ano, segundo dados do Instituto de Segurança Pública. Os roubos a coletivos aumentaram 135,5% em relação ao mesmo mês do ano passado. “Ele entrou no ônibus em Nilópolis, por volta das 15h. Anunciou o assalto em Olinda, mas só desceu em Deodoro. Nós fizemos tudo certo, registramos a queixa, mas o medo conti-

nua. Agora, qualquer pessoa que entre no ônibus eu já fico atenta, e quando acho que é suspeito, desço do veículo. Já fiz isso duas vezes”, relatou a estudante, moradora de Nilópolis. O município mais afetado foi Duque de Caxias, onde foram registrados 163 casos, 123 a mais do que foi registrado em maio de 2015. Esse salto representa um crescimento de 307%. Já Nova Iguaçu, Mesquita e Nilópolis, áreas policiadas pelo 20º BPM (Mesquita), registraram 50 ocorrências em maio desse ano, cujo aumento foi de 42,8%. Em comparação ao mesmo período de 2015, os três municípios tiveram 26 casos. O roubo a coletivos também disparou em São João de Meriti no mês retrasado, Patrulhada pelo 21º BPM (Meriti), computou 66 registros. Já em

Divulgação

Assalto coletivo: o número de roubos a ônibus nas cidades da Baixada Fluminense teve aumento de 135,5%

maio do ano passado, o município teve 26 vítimas de roubo dentro de transportes coletivos. Com isso, pode-se observar que a região teve um aumento significativo de 153,8%. No entanto, o medo dos passageiro não passa perto do prejuízo que muitos

MESQUITA SEM REMÉDIO Marcelle Bappersi

Lélio Neto/Conecta Baixada

marcelle.bappersi@conectabaixada.com.br

Após peregrinar por sete unidades de saúde, o auxiliar de serviços gerais Márcio Queiroz Ferreira, de 34 anos, está prestes a interromper o tratamento da esporotricose (fungo que afeta humanos e animais, especialmente gatos) por falta de remédios. Como os medicamentos não são distribuídos em Mesquita, o município onde mora, ele é obrigada a gastar metade de seu salário para tentar prosseguir com o tratamento. “Quando cheguei à secretaria a funcionária disse que não podia fazer nada porque o medicamento não faz parte da grade de remédios distribuídos pelo município.

Paciente de esporotricose depende de doações de amigos para continuar tratamento

Eu só sei que estou gastando muito. Cada caixa custa R$ 45 e só dá para usar por cinco dias", diz. Márcio precisa usar a medicação por três meses e só não parou o tratamento porque amigos vêm ajudando. O morador de Jacutinga levou quase um mês até a doença ser diagnosticada. Ele conta que

deu entrada na Unidade Mista Mário Bento, no início de maio, onde o médico avaliou os caroços que surgiram em seu braço esquerdo e disse que seriam abcessos. Depois, pediu para que ele comprasse benzetacil, pois as unidades de saúde do município não contam mais com esse tipo de medicamento.

trocadores e os motoristas, que já exercem a dupla função, dessas conduções levam após os assaltos. Além de saberem os pontos críticos do trajeto, na grande maioria, os funcionários são obrigados a pagar os valores levados pelos assaltantes.

“Nosso ônibus já foi assaltado duas vezes na Avenida Brasil, ele faz Cabuçu e Central. A sorte é que eles investigaram internamente e viram que não tinha porquê de eu pagar o valor roubado”, conta o trocador Michael de Carvalho, de 37 anos.


BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Julho WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR

CIDADES

3

FRAUDE INVESTIGADA

Conecta Baixada

À esquerda trechos da decisão da Justiça, que havia determinado busca e apreensão do contrato na prefeitura de Mesquita

FANTASMAS DE GG NA MIRA DO MP Após Justiça determinar suspensão do contrato entre a prefeitura e a Coopsege, o Ministério Público investiga o pagamento de salários a aliados políticos do prefeito

A

liados políticos do prefeito de Mesquita, Rogelson Sanches Fontoura, estão sendo investigados por suspeita de receber salários de até R$ 15,8 mil sem trabalhar. Os "fantasmas de GG" estão na mira de promotores do Ministério Público estadual, que apuram irregularidades no contrato firmado pela administração municipal com a Coopsege. A investigação foi iniciada a partir da suspensão do contrato determinada pela Justiça no último dia 12. Na decisão, a juíza Alessandra Cristina Tufvsson

Peixoto aponta indícios de fraude e frisa a ausência de controle público no desenvolvimento e na forma de execução quanto aos serviços prestados. A decisão da juíza foi tomada após a prefeitura ter encaminhado à Vara Cível de Mesquita uma relação com os nomes de 3.253 pessoas, que supostamente prestariam serviços à administração municipal por meio da Coopsege. No documento, que só foi anexado ao processo após a prefeitura ter sido intimada por duas vezes num prazo de 51 dias, não constam

os CPFs de 535 dos terceirizados. Há ainda 83 CPFs duplicados na relação. O que reforça a hipótese da existência de funcionários fantasmas entre os cooperativados. Na relação aparecem ainda nomes de aliados políticos do prefeito, alguns com salários de até R$ 15,8 mil. Em média, a prefeitura repassou R$ 60 milhões por ano à Coopsege. A suspeita de irregularidades no contrato foi levantada numa ação popular. O autor do processo questiona a legitimidade da licitação, que resultou na escolha da cooperativa pela

administração municipal e, sobretudo, o volume de dinheiro que saiu dos cofres da cidade para pagar à Coopsege. No primeiro semestre foram transferidos R$ 40,8 milhões à cooperativa. No texto em que determina a suspensão do contrato, a juíza ressalta que o número de funcionários terceirizados é cinco vezes maior do que o de servidores concursados, que é de 630. Desde o início do contrato, em 2014, o número de terceirizados saltou de 2.255 para 3.253. Um aumento de 44,2%. Os salários dos terceirizados varia

de R$ 2.126 à R$ 15.899,79. Ainda segundo a juíza, durante o processo licitatório não houve publicação em diário oficial, conforme determina a Lei de Licitações. Para o advogado Felipe Fonte, que representa o autor da ação popular, a decisão atende aos interesses da municipalidade em função das irregularidades. O teria gerado um prejuízo de ao menos R$ 12 milhões aos cofres de Mesquita apenas no primeiro semestre deste ano. Procurada pela reportagem, a prefeitura não se manifestou sobre a decisão da justiça.


PERFIL ESCULTURA VIVA

BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Julho

4 Divulgação

WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR

BELEZA ESCULPIDA

A FERRO

Rodrigo Melo

de fotos para ajudar na divulgação de seu trabalho. Além disso, a fisiculonita, jovem e sau- turista tenta conciliar a dável. Essa é Sa- vida pessoal, os estudos e rah Furman, de 23 as competições. anos, que encontrou no “Fiz algumas sessões fisiculturismo uma forma de fotos para uma loja de de manter a boa forma e, roupas e isso foi bom para futuramente, se tornar também divulgar meu traPersonal Trainer. Recém- balho. Tenho sorte de tra-formada em Educação Fí- balhar com educação física sica, a moradora de Nova e isso me dá retorno fiIguaçu foi campeã da nanceiro. Terminei minha Copa Caxias 2015 de Bo- licenciatura e já comecei dyfitness e começou a se o bacharelado. Não posso destacar no esporte. Para ficar parada. O fisicultuajudar com a visibilidade rismo é um esporte caro e a atleta também trabalha exige suporte para mancomo modelo. ter os bons resultados. Até os 19 anos, Sarah não Infelizmente, atualmente fazia qualestou sem paquer tipo de trocínio”, desaAté os 19 dieta. Não bafou a atleta. se importa- anos eu não De acordo va com alicom a atleta, m e n t a ç ã o fazia dieta ou como o fisiculbalanceada exercício turismo exige ou em fazer uma dieta rigoexercícios. rosa, o apoio da Porém, ao família e de amise matricular em uma gos é essencial. Em “Pré academia voltada para o Contest” (Período antes da fisiculturismo, em pouco competição em que o atlemais de um ano, a jovem ta se dedica a perder goratleta já estava apaixonada dura), Sarah admite ficar pelo esporte. de mau humor, mas man“Eu não treinava e nem tém o foco e consegue adfazia dieta até os 19 anos. ministrar tudo isso apesar Tinha muita gordura loca- das dificuldades. lizada como qualquer outra “Época de pré contest é mulher. Em 2012, quando a mais complicada. A dimiiniciei na musculação, aca- nuição de carboidrato me bei me apaixonando pelo deixa cansada e de mau fisiculturismo. Felipe Ri- humor. É normal. Porém, boura, meu treinador até tenho uma família e amihoje, foi uma grande in- gos maravilhosos. Eles me fluência para que eu se- apoiam e me ajudam muiguisse no esporte”, disse. to. Meu namorado tamAtualmente sem pa- bém é muito importante trocínio, Sarah Furman nessa fase. Sozinha seria começou a fazer sessões impossível”, finalizou. rodrigo.melo@conectabaixada.com.br

B


BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Julho

GERAL

5

WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR

CONEXÃO GERAL Davi de Castro

davi.castro@conectabaixada.com.br

MAIS SEGURANÇA PARA O BAIRRO CAONZE O antigo prédio da 52ª DP (Nova Iguaçu), na rua Capitão Gaspar Soares, 301, dará lugar a um Posto da Policia Militar. Os serviços de perícia criminal e secretaria de acervo cartorário irão para o velho prédio da Polícia Federal, na avenida Marechal Floriano, no Centro. Defensores da ideia, dentre eles o ex deputado federal Jorge Gama e o comerciante Anderson da Margareth, sugerem ainda a construção de uma cabine da PM na cabeceira do viaduto do Caonze para aumentar a segurança na região.

Lélio Neto/Conecta Baixada

HOSPITAL DA POSSE Nelson Bornier, prefeito de Nova Iguaçu, quer devolver o Hospital da Posse ao governo federal. Ele foi a Brasília no inicio do mês para tratar do assunto. Municipalizado na década de 90, a unidade atende à Baixada, mas não recebe verba suficiente para sua gestão.

VIRA-CASACA

ATÉ TU, SERRA?

"DORNÊLLES"

ATÉ TU, TEMER?

"Mudei porque pensei que palavra de politico valia. Mas o que vale são os acordos”. Assim o vereador de Nova Iguaçu Artur Legal (ex PT e atual PSC), justificou o voto em favor da redução das cadeiras da Câmara (já foram 29) para 17 vereadores.

Alguém teria coragem de acreditar que o ex-líder estudantil, ex-ministro da Saúde e ex-governador de São Paulo José Serra, atual ministro das Relações Exteriores de Michel Temer, teria recebido propina das empreiteiras OAS e Odebrecht? Eu também.

Essa é do mestre Evanildo Bechara. Ele ensina duas formas de se pronunciar o nome do governador do Rio: “Dornélles” e “Dornêlles”. Com a pitada de ironia do jornalista Anselmo Góes (O Globo), a segunda é mais popular entre os servidores do Estado.

O presidente Temer quer acabar com a gratuidade de bagagens nos aviões, com assentos marcados, bancos reclináveis e serviços de bordo. E permitirá 100% de capital estrangeiro nas empresas aéreas. Alega que isso estimula a concorrência. Hahaha...

O

TEMER QUER DESTRUIR OS PARTIDOS PEQUENOS

presidente interino da Presidência da República, Michel Temer (PMDB), está trabalhando para promover quatro itens que afetam a vida politica do País: reduzir o número de partidos (atualmente 36), implantar a cláusula de barreira (que reduz os direitos dos que obtiverem menos de 5% dos votos nacionais - cuja lei já fora rejeitada em 95 pelo STF); acabar com as coligações partidárias, criar a federação de partidos (união de partidos com a mesma afinidade) e instituir o voto distrital misto (eleitor tem direito a dois votos). As medidas já contam com o apoio de 308 dos 513 deputados e 49 dos 81 senadores. O fim das coligações seria agora e as demais medidas em 2020.

CHORO DE PERDEDOR Roberto Dinamite, ex do Vasco, não irá pagar R$ 10 mil de indenização ao árbitro Wagner dos Santos. O juiz, em 2012, foi xingado ao marcar pênalti em favor do Mengão, aos 47 minutos do segundo tempo. A justiça concluiu que foi apenas choro de perdedor.


CIDADES

6

BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Julho WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR

Lélio Neto/Conecta Baixada

FICOU NA PROMESSA

FLORESTA IMAGINÁRIA Promessas de plantar 40 mil mudas e fazer hospital não foram concretizadas

Marcelle Bappersi

marcelle.bappersi@conectabaixada.com.br

A

promessa de plantar 40 mil mudas e tornar Nilópolis a cidade mais arborizada do país ficou no papel. E pior, enquanto o projeto de ampliação da área verde não floresceu, a prefeitura desmatou dezenas de árvores para transformar o terreno, onde funcionou um posto de saúde, em um estacionamento privado. O plantio de mudas está na lista de projetos citados no plano de governo do então candidato a prefeito Alessandro Calazans (PMDB), que a seis meses do fim do mandato não passam de promessas. Em 2013, o Diário Oficial do estado publicou a parceria entre o Governo do Estado e a prefeitura, onde previa a liberação

R$ 18,1 milhões para a execução de obras do convênio Somando Forças, e dentre os planos estava o plantio de milhares de mudas, a construção do Hospital Municipal Juscelino Kubitschek, que também não foi concluído.

Vi o desespero de muita gente

O ritmo lento das obras do hospital municipal causa agonia e revolta à população, que é carente de saúde. A pouco menos de três meses para as eleições, ainda há movimentação de operários nos retoques finais da unidade. Segundo moradores, o antigo prédio foi fechado no primeiro dia da posse do prefeito

Alessandro Calazans, e, em seguida, demolido. “Lembro como se fosse ontem, ele fechou o hospital assim que assumiu a prefeitura. Eu vi o desespero de muita gente, que chegava aqui e dava de cara com o portão fechado”, lamenta a comerciante Sara Vale, de 40 anos. Já estudante Larissa Medeiros, de 23 anos, afirma não acreditar que a unidade será entregue à população em 45 dias, que, segundo ela, foi o prazo dado pela prefeitura. “O antigo prédio estava ruim e realmente precisava de reformas. Mas ele foi demais. Demoliu tudo, e está enrolando com a obra. Tenho ciência de que isso vai se estender até próximo das eleições”, afirma a estudante. Enquanto isso, no cora-

ção da cidade, cerca de 50 mil pessoas sobem e descem degrau por degrau da escada rolante que esta parada do Calçadão de Nilópolis. Segundo o ambulante Glauber Duarte dos Santos, de 32 anos, a revolta aumenta quando ele precisa subir as escadas com o isopor cheio de gelo e refrigerantes.

Para descer todo santo ajuda

“Para descer todo santo ajuda. O maior incoveniente é desviar das pessoas que "engarrafam" a subida. E não vem dizer que ela parou agora não, porque essa escada nunca funcionou. Mas agora, que esta perto das eleições ela deve funcionar", ironizou.

Para justificar o defeito, a prefeitura pendurou faixas informando que as escadas tinham sido danificadas três vezes por pessoas ligadas aos opositores de Calazans. Em resposta ao Conecta Baixada, a prefeitura confirmou que o convênio feito com o Estado em 2014, mas alegou que “nenhum centavo foi depositado para a realização dos projetos do Somando Forças”, e por isso, as árvores não foram plantadas. Nilópolis ainda garantiu que as obras do Hospital Juscelino Kubitschek estão no prazo e afirma que o Estado ainda não depositou as três parcelas de R$1,8 milhões. Quanto à escada rolante parada, o município alega que devido a ato de vandalismo no dia 30 de maio, as engrenagens pa-

raram de funcionar.


BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Julho WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR

GERAL

7

Fotos: Lélio Neto/Conecta Baixada

NEGÓCIO ILEGAL

PIT STOP DA FRAUDE NO DETRAN

Para burlar a fiscalização no posto de vistoria de Nova Iguaçu motoristas alugam kit com pneus e macaco por até R$ 100 Davi Boechat

davi.boechat@conectabaixada.com.br

A

s imagens remetem a um pit stop de pista de corrida. Homens correm empurrando rodas por entre os carros enquanto outros realizam as trocas de pneus. A fila anda e o serviço tem que ser rápido para o motorista não perder a vaga. Não no grid de largada, mas na fila para fraudar a vistoria no Posto do Detran de Nova Iguaçu. Motoristas de veículos que não atenderiam aos requesitos necessários para aprovação na vistoria, realizada anualmente, alugam equipamentos obrigatórios

como macaco hidráulico, triângulo de sinalização e até pneus para que os automóveis fiquem aptos ao teste. Logo após a vistoria, as peças são devolvidas. Aprovados, os carros voltam às ruas assim como chegaram para que o teste forjado que foram submetidos: sem condições de circular e oferecendo risco ao trânsito, pedestres e demais motoristas. Um usuário do esquema, que prefere não se identificar, tenta justificar a fraude dizendo que são muitas as exigencias impostas pelo Detran. "É muito difícil ser aprovado na vistoria. As vezes, pneus em bom estado são condenados. Em um car-

ro como o meu, com quase vinte anos, são muitos os problemas. Consertá-los significaria gastar mais que o seu valor de mercado", revelou. Outro motorista ouvido pela reportagem revela que há um esquema entre os borracheiros e funcionários do posto. "Eles ficam instalados a metros da entrada do posto de vistoria. Estão lá todos os dias, desde a abertura até a finalização dos trabalhos. São conhecidos por funcionários e têm livre acesso às áreas internas, que são restritas ao veículos agendados para vistoria e funcionários. O valor dos aluguéis

dos kits fraude varia de acordo com o valor de mercado dos veículos. O custo médio por um kit com pneu, macaco e

triângulo fica em torno de R$ 100. Procurado pela reportagem, o Detran não se pronunciou sobre a fraude.


EMPREENDEDORISMO

8

BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Julho WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR

BAR DA AMENDOEIRA

VIDA DE UM EMPREENDEDOR

A SOMBRA DA BOEMIA

Fotos: Lélio Neto/Conecta Baixada

Jorge Eduardo

jorge.eduardo@conectabaixada.com.br

E SE PINTAR AQUELA DÚVIDA QUANDO ALGUÉM TE FIZER UMA PROPOSTA PARA A TURQUIA? Empreendedores no início do negócio podem receber convites muito atraentes, como propostas que, à primeira vista, podem render um bom dinheiro. Mas temos que tomar cuidado com esse tipo de oferta pois elas podem nos tirar do foco e, ao invés de dar lucro, trazer problemas que podem atrasar seus objetivos. Sei que no início o dinheiro para tocar o negócio é curto e essas propostas acabam sendo irrecusáveis, mas cuidado para isso não ser um "convite irrecusável para a Turquia". Com a falta de dinheiro no início do projeto os processos ficam mais lentos, nós ficamos mais ansiosos. Mas não podemos ir contra nosso planejamento, por mais tentadora que seja a proposta. Ela pode ser determinante para matar nosso projeto logo no início. Para os extremistas de plantão, não estou comparando um sequestro aceitar uma proposta de trabalho. Só usei esse exemplo para mostrar que se você aceitar qualquer proposta sem antes conhecer muito bem onde está pisando pode ser muito prejudicial. Com o planejamen-

to definido, procure segui-lo. Não procure andar mais do que suas pernas podem suportar, mas se a proposta for realmente boa, vale a pena ao menos estudá-la. Antes de analisar a proposta reveja seu planejamento empresarial e veja qual a sua disponibilidade para fazer o projeto. Depois de saber quanto tempo semanal você pode dedicar ao projeto, veja se com esse tempo irá conseguir cumprir os prazos. Planeje também quanto de dinheiro você vai gastar para realizar o projeto. Isso serve para você avaliar se ele será realmente viável. Planeje o que você vai fazer com o dinheiro recebido para não se vislumbrar e gastar com coisas que não agregarão em seu plano empresarial. Depois de ter feito isso, se o projeto valer a pena, encare que ele irá se transformar em uma ótima captação de recursos financeiros e intelectuais para você e sua empresa. Agora, se for inviável, cuidado, veja se não é algum louco que está te oferecendo esse projeto.

WhatsApp 995-75-4545

Seu Manoel , dono do bar Ponto Certo, decidiu não cortar a amendoeira que tem mais de 50 anos e viu a clientela aumentar

Leilane Oliveira

leilane.oliveira@conectabaixada.com.br

S

e você acha que o contato com a natureza e uma cerveja gelada não combinam, provavelmente nunca foi no bar Ponto Certo, mais conhecido como Amendoeira, em Mesquita. Apelido que pegou graças à árvore, que impressiona os clientes pelo tamanho, imponência e pelo estiloso bar erguido ao seu redor. Manoel de Souza , de 58 anos, proprietário do bar diz que faz de tudo para preservar a árvore como

se fosse um patrimônio “Ela que deu origem o meu bar”, diz Manoel . A árvore que tem mais de 50 anos possui mais de dois metros de circunferência. O bar foi fundado em 1958 e atualmente e administrado pela família de seu Manoel. “Eu não esperava essa repercussão toda porque existe outras amendoeiras por aí. Foi uma supressa em tanto. Não sei se é por causa do meu trabalho ou se é por conta da árvore“ O bar é considerado um dos mais antigos da cidade e atende mais de

200 pessoas por semana, tem como prato principal para degustação a deliciosa feijoada. Manoel também aposta nos petiscos variados para chamar atenção da clientela. O proprietário que trabalhou a 26 anos como garçon profissional conta com a ajuda da esposa para elaborar os pratos do dia-a-dia. Av. Dr. Manoel Duarte, 1121 - Sta Terezinha Tels: 2660-5088 99580-6210


BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Julho Maio WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR

RELIGIÃO E FÉ

9

PROFESSOR

CLÁUDIO DUARTE evangelho@conectabaixada.com.br

ADVERTÊNCIA AOS PASTORES "Pastoreai o rebanho de Deus que está entre vós, cuidando dele não por obrigação, mas espontaneamente, segundo a vontade de Deus; nem por interesse em ganho ilícito, mas de boa vontade". I Pedro 5:1 Neste versículo deste livro, e ainda também no versículo 2, há uma dura advertência bíblica aos que pastoreiam vidas para Jesus. E em outros textos de Sua Palavra, Deus faz iguais severas advertências sobre como um pastor ou outra liderança necessita compor-

tar-se neste importante e difícil mister de servir ao Reino de Deus como pastor. Primeiramente, jamais deve ignorar-se o tamanho imenso desta responsabilidade, e ter a plena certeza de que o Dono da Igreja, Jesus Cristo, irá requerer dos pastores cada vida que lhe foi confiada. Aos pastores verdadeiros, e que realmente foram constituídos por Deus, cabe uma permanente posição de serviço às ovelhas, guiando-as para Jesus, orientando-as para Jesus, e jamais

dominando e manipulando sobre vidas como muitos tentam fazer. Belíssimo ofício escolheu aquele a quem Deus entregou parte de seu rebanho para cuidar e alimentar, mas jamais deve ser esquecido que se tratam de vidas, importantíssimas para quem por elas deu a Sua própria vida para resgatá-las do inferno, que foi Jesus Cristo. Sempre é oportuno lembrar, e jamais deve ser esquecido, quem é o Dono da Igreja, que virá em tempo oportuno, para ar-

FEIRA DA ROÇA DE JAPERI CELEBRA 5 ANOS Uma grande festa vai comemorar os 5 anos da Feira da Roça da Agricultura Familiar de Japeri, nos próximos dias 28 e 29. No dia 28 a ação será na quadra de esportes da Rua Arruda Negreiros, no Centro de Japeri. Já no dia 29 será a vez dos feirantes se reunirem na Praça Olavo Bilac, em Engenheiro Pedreira. Já estão confirmadas as participações de produtores de Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Queimados, Nilópolis, Belford Roxo, Mesquita, Paracambi, Seropédica e do Rio de Janeiro (Campo Grande), além de representantes da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ).

rebatar aos céus a Sua Igreja, o Seu povo, para com Ele reinar por toda eternidade. O nome dele

não está em placa alguma terrena. O Nome dele é Jesus, o Nome sobre todo outro nome.

GIRO PELAS IGREJAS Sempre às 9 da manhã, acontece a Escola Bíblica Dominical na Primeira Igreja Batista de Mesquita, na rua Paraná, 224. Todos os domingos, 19 horas, culto de louvor e adoração a Deus na Igreja Ministério Altar em Chamas, no bairro de Santo Elias. A liderança é do pastor Tiago Gomes. Mande para nossa coluna a programação e eventos de sua igreja, e divulgaremos GRATUITAMENTE. O endereço do e-mail é claudio.duarte@conectabaixada.com.br.


CULTURA E SOLIDARIEDADE

CAXIAS TEM MARATONA TEATRAL GRATUITA Fotos: Divulgação

10

BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Julho WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR

JUVENTUDE DO BEM

AMIGOS SE UNEM PARA AJUDAR NECESSITADOS Divulgação

Uma das atrações da maratona cultural será a peça "A Cabaça da Existência"

A quinta edição do Festival Cenáculo começa no dia 19 de julho, com a apresentação de 16 espetáculos no Teatro Raul Cortez. A mostra que faz parte do calendário da cidade de Duque de Caxias, chega com uma novidade: a volta alguns dos campeões de 2015. A seleção deste ano traz grupos dos estados de São Paulo, Espírito Santo, Pernambuco e de diversas cidades do Rio de Janeiro. A grade do evento contempla os mais variados perfis de espetáculos, como dramas,

comédias, infantis e monólogos. Tendo a alcunha de "Teatro Cristão e Social", em tempos de intolerância religiosa, a curadoria do festival optou por selecionar também espetáculos de religiões de matriz africana e espírita para compor sua grade, em uma tomada de posição a favor do respeito à diversidade. Além da religiosidade, o social ganha espaço em textos com temáticas políticas, de cultura popular e autores consagrados, como Pirandello, Ibsen, Mateis Visniec, entre outros.

PROGRAMAÇÃO 19 de julho 20h - Humanus- Cia Huper; 20 de julho 20h - Oficina da Criação - Cia Tudo Encena; 21 de julho, 20h - Joio - Cia Cerne; 22 de julho 20h - Corpos com Flores - Cia Urim & Tumim; 23 de julho 10h - O Doente Imaginário Cia Depois do Ensaio; 11h30 - Precisa-se de Velhos Palhaços; 13h45 - Inimigo do Povo Cia. Código; 15h30 - A Flor que Nele Habi-

tava - Espaço Núcleo; 16h50 - De Tudo um Pouco Cia. Huper; 18h - Maria Madalena - Cia Teatro Vivo; Dia 24 de julho 10h - Kê Gracinha Núcleo Artístico Gema; 11h.: Reco Lhendo HIstórias - Grupo Anima de Teatro Espírita; 13h30 - Frei Molambo - MF Produção Independente; 14h40 - A Farsa do Amor Acabado - Cia. de Arte Popular; 16h - A Cabaça da Existência - Cia. Artêros Angra dos Reis, RJ

SERVIÇO Atividade: Festival Cenáculo Período: 19 a 24 de julho Local: Teatro Municipal Raul Cortez (Praça do Pacificador, s/nº - Centro)

Os jovens se reúnem para arrecadar alimentos e roupas que são distribuídos a pessoas em situação de risco social

Leilane Oliveira

leilane.oliveira@conectabaixada.com.br

U

m grupo de amigos, certo dia despertou e percebeu que podia contribuir para melhorar o mundo. Inconformados com a falta de amor ao próximo e a política de favorecimentos, os jovens de Belford Roxo criaram o projeto ‘Juventude do Bem’, com objetivo é conscientizar o cidadão a se envolver com iniciativas semelhantes. Uma das iniciativas é realizada com moradores de rua em Nova Iguaçu e Belford Roxo, em parceria com a Assembleia de Deus Ministério Resgatando Vidas em Vila São Luiz, do pastor Humberto Alves. “Entregamos cobertores, distribuímos alimentos, água e o mais importante: amor. Além de suprir

as necessidades de fome e frio, trabalhamos para incluir essas pessoas na sociedade novamente, através de abrigos”, afirma Caio Santana, um dos idealizadores do projeto. Além da ajuda a pessoas em situção de risco social, o grupo também promove ações pontuais, como o ‘Sonho Solidário’, em favor do jovem atleta Carlos Júnior, que sonhava virar atleta universitário. O dinheiro arrecadado em um bazar

beneficente ajudaram Carlos a pagar a faculdade e realizar seu sonho. O grupo espera ver seu trabalho sensibilizando outras pessoas. “Venha fazer parte dos projetos. Venha unir forças em prol de fazer o bem. Vamos unir forças em defesa de um país melhor”, convida Caio.  Outras informações sobre o trabalho do grupo podem ser encontradas em facebook.com/ Juventude do Bem.

Juventude do Bem reúne jovens enganjados em ajudar os menos favorecidos


BAIXADA FLUMINENSE, 1 a 15 de Julho WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR

11

PASSATEMPO

EXPEDIENTE: Presidente: Ricardo Lucena Consultor Editorial: Sérgio Ramalho Coordenador Editorial: Marco Antonio Canosa Projeto Gráfico : Daniel Souza e Renato Ferreira Diagramação: Renato Ferreira Tecnologia: Ronald Henrique Tiragem: 20 mil exemplares Distribuição Gratuita Edição Quinzenal Impressão: NewsTech - (21) 3552-0580 O Jornal Conecta Baixada não se responsabiliza pelas opiniões emitidas por colunistas e colaboradores. Redação: Rua Dr. Mário Guimarães . Nº 428, SL. 308 . Centro, CEP: 26255-230, Nova Iguaçu, RJ. Tel: (21) 3765-3423 Comercial: (21) 3765 3423 WhatsApp: 995-75-4545 Email: contato@conectabaixada.com.br


ESPORTES

12

BAIXADA FLUMINENSE, 16 a 31 de Julho WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR

Fotos: Lélio Neto/Conecta Baixada

VASCO DE MESQUITA

O SONHO DE SER GIGANTE

Time da Vila Emil treina no campo do Louzadão para jogo amistoso com o Nova Geração

Rodrigo Melo

rodrigo.melo@conectabaixada.com.br

C

riado no ano do centenário e de um dos títulos mais importantes da história do Vasco da Gama, um grupo de amigos de Mesquita resolveram criar um “xará” do Gigante da Colina para disputar amistosos pela Baixada Fluminense. Inicialmente batizado como “Empoli FC”, o Vasco da Vila Emil nasceu em 1998, ano em que a equipe de São Januário venceu a Copa Libertadores da América. Formado por 23 jogadores, o objetivo do clube era reunir amigos de

infância para disputar amistosos nos fins de semana. De acordo com Allan Silva, presidente e um dos fundadores da equipe amadora, nenhum dos jogadores recebe salário e trabalham diariamente nas mais diversas profissões. “Jogamos uma vez por semana e não treinamos. Não temos tempo. Todos nós temos empregos e não recebemos nada para representar a nossa equipe. Temos policiais, técnicos em telefonia, profissionais de transporte e até advogados. Por ser um time amador, temos variações no elenco constantemente, mas a base

inicial continua firme e forte”, disse o presidente do clube. Ainda sem participações oficiais em campeonatos, o clube, com quase 20 anos de existência, tem uma série invicta de 19 jogos e uma vitória expressiva contra o Flamengo de Xerém. No clássico dos homônimos, deu Vasco por 4 a 0. “A vitória contra Flamengo de Xerém foi muito importante para o nosso clube. Uma goleada sobre rival motivou os jogadores. Depois disso, emplacamos 19 jogos invictos”, afirmou o presidente. Antes sem nenhum patrocínio, a dificulda-

de dos atletas amadores para conseguir amistosos já estava se tornando rotina. Além disso, conciliar trabalho e esporte sempre foi um obstáculo para os jogadores e diretoria. “Ter o Conecta Baixada como parceiro pode ter sido nossa maior conquista. Foi mais um

objetivo alcançado. Nos tornaremos mais conhecidos e conseguiremos mais amistosos. Manter os jogadores em atividade é muito importante para conseguirmos bons resultados. Queremos nos tornar referência entre os times amadores por todo o Estado”, finalizou.

18ª edição/ Conecta Baixada  
18ª edição/ Conecta Baixada  
Advertisement