Page 40

Revisão da literatura

importante da planificação e periodização. Na perspectiva de Frade (1998, p. 3), o jogo de Futebol “não é um fenómeno natural, é um fenómeno construído e em construção”, em que o factor táctico é a sua “essência”. Neste sentido, Garganta et ai. (1996) salientam que a construção de um corpo de conhecimentos ao nível do ensino, do treino e da competição em Futebol, deve ser realizada a partir de uma matriz organizacional que considere a táctica como núcleo director, sem contudo descurar os restantes factores do rendimento. É neste contexto que Vítor Frade faz emergir o conceito “Periodização Táctica”. A partir do momento em que este autor fez alusão ao referido conceito, outros autores elaboraram trabalhos nos quais se constata uma certa aproximação a algumas das suas premissas e fundamentos. Entre esses autores, destacamos Oliveira (1991), Vieira (1993), Faria (1999), Carvalhal (2000), Rocha (2000) e Resende (2002). Contudo, verifica-se que a “Periodização Táctica” é um conceito acerca do qual subsistem muitas dúvidas e incertezas, não estando ainda muito claros quais os aspectos que a distinguem de outros modelos de treino. É por essa razão que (ainda) não é possível referirnio-nos á “Periodização Táctica” como uma tendência de treino implantada no contexto desportivo nacional e intemacional, tal como sucede em relação às três tendências anteriormente mencionadas. Embora os trabalhos anteriormente referidos possam ser considerados como um ponto de partida para dar a conhecer a “Periodização Táctica” e afirmá-la como uma forma alternativa de conceber o processo de treino, constata-se que muitas das suas premissas permanecem pouco claras, havendo, por isso, a necessidade de realização de mais trabalhos de investigação neste âmbito. Somente dessa forma será possível fazer da “Periodização Táctica” um modelo de treino reconhecido pelo facto das suas premissas possibilitarem a obtenção de bons resultados desportivos ao nível do Futebol e, quiçá, ao nível de outros jogos desportivos colectivos e dos próprios desportos individuais. Esperamos que a nossa entrevista a Vitor Frade ajude a tomar mais claros alguns aspectos referentes ao modelo de treino de que ele é pioneiro e percursor, ou seja, a “Periodização Táctica” e, ao mesmo tempo, a evidenciar os aspectos que a distinguem das demais concepções de treino. Assim, com a realização da análise e discussão da referida entrevista, pretendemos contribuir para que a “Periodização Táctica” seja, cada vez mais, um modelo de treino colocado em prática por todos aqueles que são responsáveis pela gestão do processo de treino de suas equipas.

Vitor Frade  
Vitor Frade  

fslafja;lfkjaslkfjs fsafaf

Advertisement