Catálogo de experiências exitosas da 16ª Mostra "Brasil, aqui tem SUS"

Page 1

CATÁLOGO DE EXPERIÊNCIAS EXITOSAS 2019

16A MOSTRA

BRASIL AQUI TEM SUS CATÁLOGO DE EXPERIÊNCIAS EXITOSAS 2019



16A MOSTRA

BRASIL AQUI TEM SUS CATÁLOGO DE EXPERIÊNCIAS EXITOSAS 2019


SUMÁRIO CARTA DE ABERTURA

3

AGRADECIMENTOS

5

SOBRE A MOSTRA BRASIL AQUI TEM SUS

10

SOBRE O PATRONO DA MOSTRA

13

SOBRE O CATÁLOGO

16

PREMIAÇÕES

23

A. Premiação por Região Geográfica

24

B. Premiação por Estado – 4a temporada Webdocs “Brasil, Aqui tem SUS”

31

C. Premiação por Temática

58

Modalidade 1

59

Temática 1. Planejamento Local do SUS

60

Temática 2. Participação da Comunidade na Saúde

64

Temática 3. Financiamento e o Fundo Municipal de Saúde

67

Temática 4. Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde

70

Temática 5. Judicialização da Saúde no Município

73

Temática 6. Atenção Básica

76

Temática 7. Vigilância em Saúde nos Municípios

83

Temática 8. Regulação do SUS no Município

87

Modalidade 2

90

Temática 1. Governança Regional

91

Temática 2. Cooperação Interfederativa para Regionalização e Hierarquização

92

Modalidade 3

93

Temática 1. Linhas de Atuação dos COSEMS

94


D. Prêmio Atenção Primária Forte: Caminho para a Saúde Universal

95

E. Premiação JÚRI POPULAR

99

F. Premiação dos COSEMS

EXPERIÊNCIAS SELECIONADAS PARA A MOSTRA NACIONAL

102

104

Modalidade 1

105

Temática 1. Planejamento Local do SUS

106

Temática 2. Participação da Comunidade na Saúde

132

Temática 4. Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde

138

Temática 5. Judicialização da Saúde no Município

163

Temática 6. Atenção Básica

166

Temática 7. Vigilância em Saúde nos Municípios

285

Temática 8. Regulação do SUS no Município

306

Modalidade 2

314

Temática 1. Governança Regional

315

Temática 2. Cooperação Interfederativa para Regionalização e Hierarquização

322

Modalidade 3

327

Temática 1. Linhas de Atuação dos COSEMS

328


SOBRE O CATÁLOGO Esta é a quinta edição do catálogo de experiências exitosas da Mostra “Brasil, aqui tem SUS”. Nesta publicação apresentamos as ações em saúde selecionadas para serem apresentadas na 16ª edição da Mostra. A proposição de mantermos a Mostra num processo contínuo de melhoria se estende aos produtos gerados a partir dela. Neste ano, o catálogo da Mostra tem o intuito de ampliar a experiência do leitor em relação às publicações de outros anos. Reunimos e organizamos as 500 experiências apresentadas nessa edição da Mostra a partir de uma visão temática, que permita ao leitor sair da superfície da leitura e se aprofundar em uma fonte de consulta e estudo que tenha como linhas disparadoras as temáticas e categorias nas quais as experiências foram inscritas. Quem conhece nossos catálogos anteriores sabe que a divisão era feita por região geográfica do país (centro-oeste, nordeste, norte, sudeste e sul), e então as experiencias eram agrupadas por estado em ordem alfabética. Essa organização disponibilizava a visualização do projeto dentro de uma lógica territorial. Esse formato, de alguma maneira, facilitava os autores encontrarem seus trabalhos, mas não despertava o leitor para uma reflexão sobre os temas e um olhar sobre o conjunto desses trabalhos. O intuito de agrupar essas iniciativas por temáticas neste catálogo segue o mesmo princípio da organização adotada na 16ª Mostra, potencializando as discussões e reflexões críticas sobre as ações e experiências em saúde realizadas dentro dos mais distintos contextos, heterogeneidade que caracteriza nossos municípios. Essa forma de organizar permite tanto autores quanto demais profissionais de todo país se aproximarem das boas práticas, o que elas possuem em comum, no que se diferem entre si, quanto à criatividade e originalidade, singularidade e apropriação de conceitos e práticas a partir das lógicas socioeconômicas, culturais e biopsicossociais de onde elas se originam e são implementadas. Para dar visibilidade aos projetos premiados, eles serão agrupados por tipo de premiação e serão apresentados no início do catálogo. Após apresentarmos todas as experiências premiadas, as demais experiências selecionadas para a Mostra Nacional serão agrupadas e divididas por modalidade e temática. Pelo sumário, a visualização dessa divisão fica mais clara.

16

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019


Neste catálogo, cada experiência apresentada segue acompanhada por uma ficha técnica com dados sobre o autor, município/estado, a modalidade e a temática em que aquela experiência foi inscrita pelo autor. A referência explicativa de cada modalidade, temática e categoria pode ser consultada

MODALIDADE 1 MODALIDADE 2

no quadro a seguir. Para exemplificar e deixar mais claro ao que nos referimos, vamos supor

MODALIDADE 3

que na ficha técnica da experiência esteja registrado: “Modalidade 1, Temática 1A”. Isso quer dizer que a experiência está associada à Modalidade 1 (Experiências das Equipes de trabalhadores do município (Saúde da Família, Núcleos de Apoio à Saúde da Família, Unidades Municipais de Saúde, unidades gestoras do nível central, etc.) realizadas com sucesso nos respectivos territórios), Temática 1 (Planejamento Local do SUS), Categoria A (Ferramentas do Planejamento da Saúde, que inclui relatos sobre práticas na elaboração e acompanhamento dos Instrumentos: Plano Municipal de Saúde / Relatório Anual de Gestão (RAG) / Programação Anual de Saúde (PAS) / Relatório Detalhado do Quadrimestre Anterior (RDQA). Experiências nos processos de acompanhamento, análises de resultado e execução do planejamento e seus instrumentos.). Essa orientação se aplica a todas as experiências apresentadas neste catálogo.

Município Quixeré/CE Secretário de Saúde João Urânio Nogueira Ferreira Responsável pelo projeto Márcia Lúcia de Oliveira Gomes Contatos (85) 3101-5444 mlo_19@hotmail.com MODALIDADE

Aproveite a leitura e registre pelo e-mail mostra@conasems.org.br seus

1

Temática 1A

elogios, críticas ou sugestões de melhoria para este catálogo.

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

17


Experiências das Equipes de trabalhadores do município (Saúde da Família, Núcleos de Apoio à Saúde da Família, Unidades Municipais de Saúde, unidades gestoras do nível central, etc.) realizadas com sucesso nos respectivos territórios.

MODALIDADE 1 MODALIDADE 2 MODALIDADE 3

TEMÁTICAS 1 Planejamento Local do SUS

1A 1B 1C

2 Participação da Comunidade na Saúde

2A 2B

3 Financiamento e o Fundo Municipal de Saúde

3A

4 Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde

4A 4B

5 Judicialização da Saúde no Municipio

5A 5B

6 Atenção Básica (AB)

6A 6B 6C 6D 6E 6F

7 Vigilância em Saúde no Município

7A 7B 7C

8 Regulação do SUS no Municipio

8A 8B

Experiências de atuação da gestão municipal de forma cooperada, por consórcios ou outros meios, realizadas com sucesso na execução conjunta de ações e serviços de saúde e cumprimento da diretriz constitucional de regionalização e hierarquização da rede de serviços. TEMÁTICAS 1 Governança Regional

1A 1B

2 Cooperação Interfederativa para

2A

Regionalização e Hierarquização

Experiências dos Cosems nas ações desenvolvidas no apoio à gestão, colaboração especializada e cooperação aos municípios de seus respectivos territórios, incluindo também parcerias com as SES e NEMS. TEMÁTICAS 1 Linhas de Atuação do COSEMS

18

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

1A 1B 1C


PREMIAÇÃO POR

REGIÃO

U

m Plano de enfrentamento da Sífilis no município de Várzea Grande (MT), na região Centro-Oeste, foi capaz de qualificar profissionais no diagnóstico da doença, ampliar a oferta de exames e investir na educação popular. Em Castelo do Piauí (PI), na região Nordeste, um projeto de enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes reuniu esforços de diversos setores e resultou no aumento das denúncias de abuso sexual. Em Campinas (SP), na região Sudeste, um projeto da Farmácia Viva do SUS desenvolveu quatro capacitações voltadas à população, com o intuito de aprimorar o uso de plantas medicinais. O projeto Menina do Laço de Fita superou limites geográficos em Abaetatuba (PA), na Região Norte, para garantir cuidados voltados à saúde reprodutiva da população, envolvendo distribuição de material contraceptivo, implantação do pré-natal do parceiro e educação em saúde contra o preconceito. O aplicativo “Saúde Já”, adotado em Curitiba, tem possibilitado o acesso da população a informações sobre os serviços, garantido o agendamento de consultas e ampliando a eficiência do cuidado e o controle do desperdício. As cinco experiências premiadas entre as melhores por região do país demonstram a diversidade de iniciativas desenvolvidas nos municípios para garantir atenção à saúde de qualidade. São ações que envolvem a prevenção de agravos, o uso de tecnologias para facilitar o acesso, a educação permanente dos profissionais, o compartilhamento de conhecimento. Iniciativas que revelam a diversidade e riqueza do SUS nos municípios. Veja as melhores experiências regionais.

24

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019


REGIÃO NORTE

Projeto Menina do Laço de Fita: integralidade do cuidado reprodutivo Abaetetuba (PA) é um município dividido por 72 ilhas, o que dificulta o desenvolvimento de ações preventivas para enfrentar desafios como a alta taxa de mortalidade de mulheres em idade fértil e a grande incidência de gravidez na adolescência. Para fortalecer o cuidado na garantia dos direitos sexuais e reprodutivos da população, a Secretaria Municipal de Saúde criou então, em 2018, o Projeto Menina do Laço de Fita. A iniciativa abrange ações de educação permanente para equipes de trabalho e atividades como palestras, rodas de conversa e caminhadas em praças, abordando temas sobre sexualidade, valorização e respeito. No projeto estão contempladas também atividades educativas sobre temas como diversidade sexual, bullying, homofobia, cidadania e cultura de paz. O projeto qualificou todas as 21 equipes sobre saúde sexual e reprodutiva dos indivíduos, respeitando as diversidades e singularidades ao logo do ciclo de vida. Além disso, promoveu o aumento da oferta de DIU de cobre em duas UBS e no Hospital Santa Rosa. A gestão local implantou o pré-natal do parceiro em 100% das Unidades de Saúde e a oferta de teste rápido de gravidez, HIV e Sífilis. Houve ainda aumento de 40% da cobertura vacinal de HPV e Hepatite B em adolescentes, e aumento de 60% na oferta de métodos contraceptivos e outros insumos para os diversos públicos envolvidos.

28

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

Município Abaetetuba/PA Região Norte Secretária de Saúde Maria Lucilene Ribeiro das Chagas Responsável pelo projeto Kellen da Costa Barbosa Contatos (91) 98215-4393 keki.c@hotmail.com MODALIDADE Temática 6C

1


PREMIAÇÃO POR

ESTADO

WEBDOCS “BRASIL, AQUI TEM SUS”

C

om uma câmera na mão e muita criatividade, a equipe de comunicação do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS) tem percorrido todos os Estados do país para revelar histórias sobre o SUS que dá certo. A série de Webdocs “Brasil, aqui tem SUS” está mostrando ao país a grandiosidade de um sistema de saúde que poucos conhecem. Iniciados em 2016, os documentários disseminam de forma inédita experiências desenvolvidas por gestores e profissionais de saúde nos municípios, com grande alcance e repercussão. Os Webdocs foram criados como premiações destinadas às experiências de maior destaque nos Estados. Veja a seguir as histórias que compõem os documentários da 16ª Mostra Brasil, aqui tem SUS. Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

31


AMAPÁ

Copinho do amor: projeto apoia puérperas na amamentação de recém-nascidos Nos primeiros dias após o nascimento de um bebê, muitas mulheres enfrentam problemas com a amamentação. Nessa fase, orientação e apoio são fundamentais para estimular o aleitamento materno. No município de Macapá (AP), o projeto “copinho do amor” é parte do acolhimento oferecido a gestantes e puérperas atendidas pela Estratégia Saúde da Família (ESF) 038. Além das consultas de pré-natal, das rodas de conversa e orientações para a mulher e o parceiro, a equipe de saúde faz uma visita domiciliar à puérpera, em até cinco dias após o parto, para oferecer apoio e orientações complementares sobre a amamentação. Nessa visita, a equipe avalia a mamada, incentiva e ressalta os benefícios do aleitamento exclusivo até os seis meses de idade e, conforme as necessidades e particularidades de cada família, entrega um copinho para aleitamento, orientando os pais quanto ao manejo da lactação. O copinho do amor, como foi batizado, oferece alternativa para a amamentação exclusiva. Com encaixe perfeito na cavidade oral do bebê, ele evita que haja algum tipo de lesão e se soma a outras ações de atenção integral à gestante e ao bebê. Até o momento, o projeto atendeu 16 recém-nascidos e suas mães. Além do acompanhamento inicial, no momento em que o bebê começa a introdução de outros alimentos, é agendada consulta com o nutricionista da ESF.

34

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

Município Macapá/AP Secretária de Saúde Silvana Vendovelli Responsável pelo projeto Elen Maria da Silva Santos Contatos (96) 99144-3501 elenmaria.ap@gmail.com MODALIDADE Temática 6B

1


PARAÍBA

Integração entre Vigilância e Atenção Básica reduz infestação de Aedes aegypti O Ministério da Saúde preconiza que a integração entre a Vigilância em Saúde e Atenção Básica é condição essencial para o alcance de resultados que atendam a necessidades de saúde da população. Entendendo a importância de fortalecer a intersetorialidade, a Secretaria Municipal de Saúde de Barra de Santana (PB) decidiu organizar a atuação conjunta e concentrou as coordenações da Atenção Básica e da Vigilância em Saúde no mesmo espaço físico, o que permitiu vincular as informações recebidas diariamente sobre as doenças e os agravos identificados nos territórios. Com o acesso conjunto aos dados dos sistemas é possível elaborar de forma rápida um perfil epidemiológico e traçar as melhores estratégias de atuação compartilhada. Além disso, reuniões de planejamento são realizadas de forma mensal com a presença das duas coordenações, bem como são promovidas reuniões entre agentes comunitários de saúde e agentes de combate a endemias. O vínculo entre a Atenção Básica e a Vigilância em Saúde produziu resultados positivos para o município, evidenciando a redução da infestação de Aedes aegypti e chegando ao menor Levantamento de Índice Amostral (LIA) em sete anos.

Município Barra de Santana/PB Secretária de Saúde Francisca Eudezia Damaceno Nunes Responsável pelo projeto Francisca Eudezia Damaceno Nunes Contatos (83) 98800-7781 eudeziadamaceno@yahoo. com.br MODALIDADE Temática 6D

1

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

45


PREMIAÇÃO

TEMÁTICA

58

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019


MODALIDADE

1

TEMÁTICA

1

PLANEJAMENTO LOCAL DO SUS

60

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019


Requalificação do fluxo de atendimento a gestantes humaniza pré-natal Sem garantia de realização de exames laboratoriais, ultrassonografias e avaliação médica especializada, a assistência ao pré-natal em Riachão do Jacuípe (BA) era marcada por vazios assistenciais e peregrinações de gestantes em busca de acesso. Para qualificar e humanizar a assistência pré-natal e organizar o fluxo de atendimento, a Secretaria Municipal de Saúde implantou um sistema de regulação que permitiu a oferta dos exames laboratoriais básicos e um número mínimo de exames de ultrassonografia sem fila e com agilidade. Em seguida, a gestão firmou contrato com a maternidade local e conseguiu com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia ampliação da equipe multiprofissional, maior investimento em ambiência, com aquisição de leitos para quarto pré-parto, parto e puerpério (PPP) e outros equipamentos para estimular e apoiar à mulher no trabalho de parto normal. Entre os resultados alcançados estão o fim das filas, com garantia de atendimento em tempo hábil, maior controle e qualidade dos serviços ofertados, criação de vínculos com as gestantes, maior atuação das enfermeiras obstetras e doulas na assistência ao parto e constituição de ambiente humanizado e preparado exclusivamente para as gestantes. Com isso foi possível inverter a proporção entre partos normais e cesáreos.

Município Riachão do Jacuípe/BA Secretária de Saúde Juliana da Silva Carneiro Responsável pelo projeto Juliana da Silva Carneiro Contatos (75) 99231-0974 julyriachao@hotmail.com MODALIDADE

1

Temática 1C

Projeto Colo de Mãe reorganiza rede materno infantil O projeto Colo de Mãe foi criado pensando em melhorias no pré-natal das gestantes do município de Anchieta (ES). A iniciativa parte de um olhar mais sensível às necessidades em saúde de futuras mamães, desde o diagnóstico precoce da gestação até a realização das consultas de pré-natal, dos exames laboratoriais e de imagem preconizados durante essa fase. O maior foco do projeto foi reorganizar a rede materno infantil do município. O Programa Saúde da Mulher passou a acompanhar e coordenar, em parceria com as equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF), o cuidado de cada gestante, de forma a atender a todas as demandas deste público-alvo, com o recebimento e agendamento das requisições de exames e de consultas demandadas pelas ESFs, Centro de Especialidades Unificadas, Maternidade e prestadores de serviço. Cada gestante recebe uma ligação informando data, local e horário de sua consulta ou exame, com acompanhamento criterioso dos casos de alto risco. A iniciativa proporcionou uma mudança de visão, principalmente no que tange ao trabalho em equipe e entre os diferentes níveis e pontos de atenção à saúde do município, de forma coordenada. A reorganização da rede materno infantil permitiu identificar falhas e construir melhorias, resultando em uma cobertura de sete ou mais consultas de pré-natal e o aumento do número de partos vaginais.

Município Anchieta/ES Secretária de Saúde Jaudete F. Silva de Nadai Responsável pelo projeto Alana Alves Araújo Contatos (28) 99981-5978 alanaenfermagem@yahoo. com.br MODALIDADE

1

Temática 1C

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

61


MODALIDADE

1

TEMÁTICA

4

GESTÃO DO TRABALHO E DA EDUCAÇÃO NA SAÚDE

70

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019


Coapes Regional integra ações de ensino e serviço em diversos municípios Em 2016, a Secretaria de Saúde de Bragança Paulista (SP) assinou com os municípios e instituições de ensino da região o Contrato Organizativo de Ação Pública Ensino-Saúde (Coapes Regional). Trata-se de uma estratégia dos ministérios da Saúde e da Educação para o fortalecimento da integração ensino-serviço-comunidade (IESC) e melhoria dos indicadores e da qualificação dos trabalhadores da Saúde. A gestão direcionou esforços para fortalecer o Comitê Gestor Local (CGL) e as relações regionais. Com a organização e os resultados positivos, o Coapes Regional passou a atender outros municípios e regiões que buscavam orientações e apoio para desenvolver a iniciativa. Assim, o Núcleo de Educação Permanente e Integração Ensino-Serviço-Comunidade (NEP-IESC) da Saúde incluiu em sua agenda ações de cooperação, como visitas técnicas, palestras e discussões. O trabalho resultou em uma melhor percepção sobre a necessidade de construção coletiva e cotidiana do IESC e na realização do I Simpósio Regional e da I Mostra de Experiências Exitosas sobre IESC, em 2018, com mais de 400 participantes e mais de 40 experiências apresentadas. As ações de cooperação desenvolvidas entre 2017 e 2019 atingiram mais de 50 municípios de diversas regionais do estado. Hoje o Coapes Regional inclui oito instituições de ensino e 11 municípios.

Município Bragança Paulista/SP Secretária de Saúde Marina de Fatima de Oliveira Responsável pelo projeto Lisamara Dias de Oliveira Negrini Contatos (11) 96834-6730 lisamaranegrini@gmail.com MODALIDADE

1

Temática 4B

Secretaria cria protocolo de solicitações e zera fila de espera por ultrassonografia A Secretaria de Saúde de Mairiporã (SP) decidiu regular o acesso aos exames ultrassonográficos, qualificando as solicitações feitas pela equipe médica, para reduzir a fila de espera pelo procedimento. Em janeiro de 2018, a alta demanda sobrecarregava toda a rede: havia 2.476 solicitações aguardando agendamento. Acredita-se que essa demanda se relacionava a diversos entraves identificados na atenção à saúde e os motivos da grande quantidade de pedidos começaram a ser estudados. Durante o ano, os profissionais envolvidos relataram sua experiência à equipe gestora, cuja conclusão foi que 60% dos exames de rotina realizados nos pacientes poderiam ser dispensados sem qualquer risco ao usuário. Além disso, qualquer alteração detectada poderia ser vista na avaliação clínica. Dessa forma, iniciou-se um processo de revisão das solicitações, que deveriam estar acompanhadas de uma justificativa plausível. Ao mesmo tempo, começou a ser desenvolvido um protocolo de solicitação de exames complementares, avaliação da demanda existente e aumento da oferta do procedimento. A estratégia se mostrou eficaz: a demanda reprimida após essas ações é zero, mas ainda é possível avançar no que diz respeito à qualificação das solicitações.

72

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

Município Mairiporã/SP Secretária de Saúde Grazielle Cristina dos Santos Bertolini Responsável pelo projeto Glaucia Aparecida dos Santos Fernandes Contatos (11) 4419-6758 sms.casadamulher@ mairipora.sp.gov.br MODALIDADE Temática 4A

1


PRÊMIO

ATENÇÃO PRIMÁRIA FORTE: CAMINHO PARA A SAÚDE UNIVERSAL

J

á em sua segunda edição, o Prêmio “Atenção Primária Forte: Caminho para a Saúde Universal” é uma parceria entre a Organização Pan-Americana de Saúde/Organização Mundial de Saúde (OPAS/OMS) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). O seu intuito é reforçar a Atenção Básica como estratégia central para a organização de redes de atenção à saúde, com vistas à saúde universal. Três experiências inscritas na Modalidade 1 - Temática Atenção Básica - foram selecionadas. As experiências premiadas são apresentadas a seguir.

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

95


PREMIAÇÃO

júri popular

O

incentivo à participação do público levou o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) a criar uma premiação do júri popular, que consiste na escolha de três melhores trabalhos segundo a avaliação dos participantes do Congresso. Os escolhidos recebem um certificado de Honra ao Mérito. Segue a lista dos premiados da 16ª Mostra Brasil, aqui tem SUS. Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

99


Saúde na Comunidade leva cuidado para a prática cotidiana Conhecer os hábitos de uma comunidade, se avizinhar de seu cotidiano, traz resultados incontestáveis à saúde da população. O município de Flor do Sertão (SC) implementou em 2009 o programa “A saúde vai à sua comunidade”, cujo objetivo é facilitar o acesso aos serviços de saúde e aproximar a equipe dos usuários, levando os profissionais a conhecerem a realidade local e as condições de saúde individuais. O programa segue um calendário semanal, nas comunidades da zona rural, com atividades diversas: aferição de pressão, palestras educativas, dispensação de medicamentos de uso contínuo, dinâmicas para estimular a prática de atividade física e consulta médica domiciliar. A iniciativa tem resultado em uma experiência de troca de saberes e aproximação, com o fortalecimento dos vínculos entre indivíduos e profissionais de saúde proporcionado pelo trabalho em rede e a educação em saúde. As visitas domiciliares trouxeram impactos significativos nos dados epidemiológicos do município, bem como na diminuição do fluxo de atendimento nas unidades de saúde. As visitas retratam também a busca por um atendimento humanizado, ético e multidisciplinar, que olha o indivíduo na sua integralidade.

Município Flor do Sertão/SC Secretária de Saúde Maristela de Fátima Valler Responsável pelo Projeto Adriano Pereira Contatos (49) 99841-47292 adrianop@mhnet.com.br MODALIDADE

1

Temática 6C

Imagem ilustrativa não correspondente à experiência Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

101


MOSTRA BRASIL, AQUI TEM SUS

EXPERIÊNCIAS SELECIONADAS PARA A MOSTRA NACIONAL

R

eunimos e organizamos as 500 experiências apresentadas nessa edição da Mostra a partir de uma visão temática, que permita ao leitor sair da superfície da leitura e se aprofundar em uma fonte de consulta e

estudo que tenha como linhas disparadoras as temáticas e categorias nas quais as experiências foram inscritas.

MODALIDADE 1 Experiências das Equipes de trabalhadores do município (Saúde da Família, Núcleos de Apoio à Saúde da Família, Unidades Municipais de Saúde, unidades gestoras do nível central, etc.) realizadas com sucesso nos respectivos territórios.

MODALIDADE 2 Experiências de atuação da gestão municipal de forma cooperada, por consórcios ou outros meios, realizadas com sucesso na execução conjunta de ações e serviços de saúde e cumprimento da diretriz constitucional de regionalização e hierarquização da rede de serviços.

MODALIDADE 3 Experiências dos Cosems nas ações desenvolvidas no apoio à gestão, colaboração especializada e cooperação aos municípios de seus respectivos territórios, incluindo também parcerias com as SES e NEMS.

104

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019


MODALIDADE

1

TEMÁTICA

1

PLANEJAMENTO LOCAL DO SUS

106

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019


BAHIA

Fluxograma com microrregulação melhora acesso a consultas de nutrição Ao analisar as filas de espera e a taxa de absenteísmo nas consultas de nutrição das equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF), a gestão em saúde do município de Porto Seguro (BA) decidiu qualificar os encaminhamentos e elaborar ações para melhorar o acesso aos serviços ofertados. Foi implementado um fluxograma de nutrição por meio da microrregulação, criando critérios e fluxos de encaminhamento para outros pontos de atenção. A experiência se deu a partir de reuniões com os atores da Rede Intersetorial para elaboração do fluxograma; coleta de dados e indicadores para aplicação da metodologia com a ESF; busca ativa dos pacientes da lista de espera; além da realização de consultas coletivas para inserção dos usuários em grupos terapêuticos; estratificação do risco para classificação deles e ainda monitoramento e avaliação do fluxograma e da microrregulação em cada território. Entre os resultados alcançados estão a conscientização da equipe quanto ao processo implementado, encaminhamento dos pacientes para os atendimentos corretos e ainda redução de encaminhamento geral no período de maio a outubro de 2018.

Município Porto Seguro/BA Secretário de Saúde Kerrys Costa Ruas Responsável pelo projeto Andréia Heliodoro Tupy Contatos (73) 99981-87353 andreiaheliodoro@yahoo. com.br MODALIDADE

1

Temática 1C

Ambulatório multidisciplinar garante dignidade à travestis e transexuais A implantação do ambulatório multidisciplinar em saúde de travestis e transexuais em Salvador (BA), em janeiro de 2016, foi uma conquista importante dessas populações. O equipamento foi criado em uma unidade especializada, com a oferta inicial de serviços diferenciados em infectologia, oficinas de percepção e voz para pessoas trans, ginecologia para homens trans e atendimento em endocrinologia para hormonização. As ações desenvolvidas são separadas em três eixos: informativas (palestras, seminários ou documentos impressos), formativas (oficinas, capacitações e treinamentos) e integrativas (encontros, rodas de conversa e celebrações das datas significativas e alusivas ao público-alvo). Nos anos de 2017 e 2018 foram realizadas oficinas com diferentes categorias profissionais, incluindo trabalhadores de enfermagem, serviço social, psicologia, recepção, higienização, algumas especialidades médicas (ginecologia, dermatologia, proctologia, infectologia, clínica médica), laboratório e farmácia. Nesse sentido, o equipamento tem assumido, para além da função de atendimento, também o papel de ser um Centro de Referência, capacitando profissionais para atuar em outras unidades de saúde. Isso demonstra que o ambulatório consegue prestar uma assistência livre de preconceito para garantir atenção integral a um público historicamente discriminado.

108

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

Município Salvador/BA Secretário de Saúde Fabio Vilas Boas Pinto Responsável pelo projeto Alexandro dos Santos Miranda Contatos (73) 99998-57834 alexandro.miranda@ saude.ba.gov.br MODALIDADE Temática 1C

1


MODALIDADE

1

TEMÁTICA

5

JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE NO MUNICÍPIO

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

163


SANTA CATARINA

Organização da Assistência Farmacêutica reduz judicialização da saúde São grandes os desafios da Assistência Farmacêutica (AF) diante do fenômeno crescente da judicialização da saúde. No município de Orleans (SC), o problema vem sendo enfrentado com ações mais eficazes de gerenciamento, desenvolvidas pelo setor de judicialização da Assistência Farmacêutica. A começar por promover o uso racional dos medicamentos, dispor de mais recursos financeiros para aquisição dos mesmos e organizar os serviços da assistência farmacêutica, consolidando os vínculos com a população. Desde 2017, as atividades são desenvolvidas pelas farmacêuticas, sob a supervisão de uma profissional responsável pela judicialização. Há um rigoroso controle da documentação, conferência dos medicamentos e digitalização de recibos das dispensações. O monitoramento dos pacientes é realizado via acompanhamento da prescrição médica e busca ativa dos que não retirarem os remédios. Essas iniciativas resultaram na redução no número de processos judiciais e na ampliação da oferta de alternativas terapêuticas equivalentes. A redução dos custos se refletiu na diminuição das perdas por vencimento e no acompanhamento da Farmacoterapia em uso, além da garantia de manter a população melhor assistida.

Município Orleans/SC Secretária de Saúde Luana Debiasi Mattei de Oliveira Responsável pelo Projeto Kenia Alberton Morgan Contatos (48) 9931-2257 keniamorgan@bol.com.br MODALIDADE

1

Temática 5B

SÃO PAULO

Implementação de comissão intersetorial reduz gastos com ações judiciais Uma articulação entre as secretarias municipais da Saúde e da Justiça em Bastos (SP) tem permitido a redução de ações judiciais relacionadas à demora ou ao não-cumprimento de demandas de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). No segundo semestre de 2017, foi instituída a Comissão de Avaliação Técnica (CAT), composta por um advogado, um médico e um farmacêutico do município. O objetivo é prestar contas à população quanto a solicitações e garantir a integralidade da assistência, evitando o aumento das demandas judiciais. A Comissão tem como função avaliar e responder cada solicitação requerida por usuários do SUS, sobretudo no que diz respeito a medicamentos, insumos e tratamentos não ofertados pelo sistema ou que tenham um tempo de espera prolongado. A CAT apresenta, então, alternativas de tratamento, orientações ou indicações de profissionais de referência na área em questão. A iniciativa proporcionou melhor organização e fluxo no processo de trabalho, assim como permitiu a atualização da lista municipal de itens básicos de saúde. Além disso, os gastos do município com ações judiciais foram bastante reduzidos: em 2017, eles contabilizavam cerca de R$ 285 mil. Já em 2018, com a implementação do projeto, foram gastos R$ 229 mil.

Município Bastos/SP Secretária de Saúde Amanda Ramos Berti Guilhen Calvo Responsável pelo projeto Rafael Teixeira Sebastiani Contatos (18) 99761-2735 rafael.teixeira.sebastiani @gmail.com MODALIDADE

1

Temática 5B

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

165


MODALIDADE

1

TEMÁTICA

6

ATENÇÃO BÁSICA

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

167


Estratégias criativas disseminam hábitos saudáveis na zona rural O alto índice de mudanças comportamentais nas crianças da zona rural de Apodi (RN), como atraso na fala, dificuldade de aceitação de alimentos saudáveis e perda de sono, chamou atenção da Secretaria Municipal de Saúde. Associada ao uso precoce de aparelhos smartphones como estratégia de entretenimento e ao consumo de alimentos industrializados oferecidos pelos responsáveis, a alteração no comportamento tornou-se foco da ação de uma equipe multiprofissional composta por dentista, nutricionista, enfermeira e agentes comunitários de saúde. Os atendimentos realizados com 27 famílias do distrito de Melanciais visavam fortalecer o vínculo familiar, a cognição e a psicomotricidade das crianças. Entre as estratégias criativas traçadas pela gestão, estavam a elaboração de livros com receitas baratas, fáceis e saudáveis para auxiliar a produção de alimentos, além de orientações voltadas para o desenvolvimento psicomotor infantil. Também foram disponibilizadas consultas com atividades educativas para garantir o acesso e o cuidado no contexto da zona rural. Além da boa aceitação das receitas e avanços no comportamento das crianças, foi possível constatar diminuição das queixas das famílias e incorporação de novos hábitos de higiene, alimentação, sono e prevenção de quedas.

Município Apodi/RN Secretário de Saúde Luiz Sabino da Costa Neto Responsável pelo projeto Thallita Monalisa Sizenando Souza Lima Contatos (84) 99182-7929 thallita_monalisa@ hotmail.com MODALIDADE

1

Temática 6C

Grupo de Trabalho reorganiza Assistência Farmacêutica A assistência farmacêutica tem uma importância fundamental para garantir a integralidade do acesso às ações e serviços no Sistema Único de Saúde. A aprovação da Política Nacional de Assistência Farmacêutica, em 2004, trouxe o desafio para as gestões municipais de garantir a qualidade da atenção nessa área. Em Caicó (RN), além de as farmácias localizadas nas 21 Unidades Básicas de Saúde (UBS) não possuírem ambientação necessária para o correto armazenamento de medicamentos e insumos e conviverem com o desabastecimento, os profissionais lotados estavam destinados à operacionalização do Hórus, o Sistema Nacional de Gestão da Assistência Farmacêutica. A fim de melhorar o cenário, a gestão instituiu o Grupo de Trabalho Permanente de Assistência Farmacêutica, composto por profissionais da área e representantes da Secretaria Municipal de Saúde, que entre outras ações sugeriram a criação do Projeto das Farmácias Distritais. Para a contratação de profissionais foi realizada seleção pública e um Decreto foi editado para regulamentar a Prescrição e Dispensação de Medicamentos. As farmácias distritais foram implantadas em UBSs geograficamente estratégicas e 100% dos computadores foram conectados ao Hórus. Com isso, o problema de desabastecimento foi superado e 90% da lista de medicamentos passou a estar disponível de forma permanente.

Município Caicó/RN Secretária de Saúde Leiliane de Albuquerque Dantas Responsável pelo projeto Redianne Medeiros da Fonsêca Contatos (84) 99193-6838 redianne@hotmail.com MODALIDADE

1

Temática 6F

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

247


MODALIDADE

1

TEMÁTICA

7

VIGILÂNCIA EM SAÚDE NO MUNICÍPIO

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

285


MATO GROSSO DO SUL

Projeto Cuidar de Quem Cuida oferece apoio às trabalhadoras da saúde A atenção humanizada e de boa qualidade implica o estabelecimento de relações entre sujeitos, seres semelhantes, ainda que possam apresentar-se muito distintos em suas condições sociais, raciais, étnicas, culturais e de gênero. Dentro da perspectiva de buscar compreender essa heterogeneidade, a gestão de saúde de Bataguassu (MS) implantou o projeto Cuidar de Quem Cuida. Voltado para as trabalhadoras da saúde do município, ele visa a diminuir a taxa de adoecimento dessas profissionais, contribuindo para a redução da morbidade devido a doenças psicossomáticas. São realizados encontros quinzenais com até 50 trabalhadoras, nos quais são aplicados exercícios em grupo e em duplas, jogos, trocas de experiências, palestras, workshops, meditação, automassagem, dança e outras atividades que promovem o prazer e o resgate da autoestima. As participantes interagem também por meio de grupos de whatsapp, conversas com o facilitador, discussões e tarefas a serem realizadas entre os encontros para complementar o aprendizado. Cada encontro tem duração de duas horas. Durante um final de semana os participantes são convidados a fazer parte de uma imersão com o facilitador, cuja metodologia é centrada na atenção em um determinado tema. O projeto tem contribuído para humanizar e qualificar a atenção à saúde, graças a esse compartilhamento de saberes e experiências.

Município Bataguassu/MS Secretária de Saúde Maria Angélica Benetasso Responsável pelo projeto Aline Abott Contatos (67) 3541-1466 saudebataguassu@ hotmail.com MODALIDADE

1

Temática 7C

MINAS GERAIS

Projeto de castração canina contribui com o controle populacional de cães O número de cães de rua tem aumentado significativamente nos últimos anos em Cachoeira da Prata (MG). Sendo tal questão um problema de saúde pública, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) criou um projeto de cadastramento para a futura castração desses animais. O objetivo principal, além de controlar a população canina e diminuir o número de cães abandonados nas ruas, é controlar também várias zoonoses, principalmente a leishmaniose visceral canina (LVC), transmitida ao cão por mosquito contaminado com o protozoário Lutzomyia longipalpis. Por meio de informativos e publicações nas redes sociais, em especial o Facebook, a Secretaria convocou a população para realizar o cadastro de seus cães. Foram coletados dados como cor, tamanho e sexo dos animais, assim como nome, endereço e telefone para contato dos proprietários, aos quais foram entregues os respectivos números de cadastramento, informando o lugar na fila de castração. Até o momento, 525 cães de 260 proprietários já foram cadastrados, o que facilita o trabalho de triagem e o estabelecimento de um fluxograma para a execução do projeto. Em breve, os proprietários serão contatados para agendamento de avaliação, teste de LVC e castração. Espera-se, dessa forma, contribuir com o controle populacional de cães e consequentemente de zoonoses.

Município Cachoeira da Prata/MG Secretária de Saúde Carina Candida Miranda Responsável pelo projeto Darlan Araújo Fernandes Contatos (31) 3716-1510 saude@cachoeiradaprata. mg.gov.br MODALIDADE

1

Temática 7A

Mostra Brasil, Aqui tem SUS 2019

291



CATÁLOGO DE EXPERIÊNCIAS EXITOSAS 2019

16A MOSTRA

BRASIL AQUI TEM SUS CATÁLOGO DE EXPERIÊNCIAS EXITOSAS 2019