Issuu on Google+


Queridos Calouros

Este é o seu Macaco (Manual do Calouro de Comunicação)! Guarde-o com carinho, pois nele você encontrará preciosas dicas sobre a peculiar vida de universitário na UFMG – em especial a do aluno de Comunicação Social. Com uma leitura ligeira, você evitará ouvir “Calouro burro!” como resposta para várias perguntas que parecem esdrúxulas para quem já habita a Fafich e o campus há alguns meses. A seguir, apresentemos a vocês alguns detalhes do mundo da Comunicação e da vida na UFMG. Boas vindas! Torcemos pra que você não enlouqueça!

O Campus Explore nosso campus! Ele pode te revelar gratas surpresas. Não se prive de caminhar pelos intermináveis bosques da UFMG, fazer um pic-nic no gramado da Música ou de desvendar os labirintos do ICB. Perambule pelos prédios, dentro cada um deles há uma galera bem diferente. E quando for curtir um almoço calouro no bandejão voce ainda corre o risco de assistir a um show inesperado e grátis na Praça de Serviços. Mas em dias de chuva, cuidado pois existe alto risco de afogamento.

A FAFICH Com a chegada da Face ao campus, toda vermelhinha e suntuosa, a Fafich é um ótimo exemplo de desigualdade na Universidade. Faltam carteiras e papel higiênico. Cocô de gato, em compensação, tem de sobra corredores afora. Além disso, a Fafich treme e segue uma lógica totalmente bizarra de escadas e numeração de salas. Mas não se assuste: você vai amar esse prédio velhinho e capenga pelos próximos quatro anos.


Destaque para as atrações do 3o Andar O Hall

Também conhecido como Pátio Savassi, é o espaço de sociabilidade da Comunicação e lar da Márcia-baleira. Você ainda vai matar várias aulas de Mercadologia por lá;

DA Fafich

Do lado de lá da rua, pras bandas da CRIA, um espaço aconchegante pra se jogar sinuca, ouvir um reggae e relaxar. Tem sempre um violão e toda sexta-feira tem buteco na hora do almoço;

Cafca

No espaço dos filósofos da tem sempre alguém para um papo intenso e duradouro sobre questões existenciais. Lá tem um bom vinil para ouvir e muita fumaça no ar.

Capsi

Suco de inhame, pão integral, chás do diabo a quatro e o famoso pão da alegria. Não deixe de experimentar o comércio informal de comida tilelê no Capsi; Fica a dica que o biscoito com recheio de baunilha, não é baunilha, é requeijão. Apesar de não ser doce é bem gostoso.

Cacs

Ironia do destino ou não, é o grande centro capitalista da Fafich. Fique atento: eles sempre distribuem cerveja quando é aniversário do Lévi-Strauss;

Cahis

Ele não tem porta por isto elas estão sempre abertas! Tente inventar a sua versão para o significado da pintura na paredes do C.A. com as vinhadas mais fervorosas do noturno.


CA’s DA’s e DCE São órgãos de representação dos estudantes na Universidade em diferentes instâncias. O Centro Acadêmico (CA) é a ligação direta com o Colegiado e o Departamento do seu curso. Promove a eleição de representantes para as duas câmaras e deve acompanhar as decisões que afetam o andamento do curso. O Diretório Acadêmico (DA) é a instância de representação em cada escola ou instituto (como a Fafich, o Icex ou o ICB). Abrangendo toda a Universidade, tem o Diretório Central dos Estudantes (DCE). Nas três instâncias, os órgãos participam das discussões políticas e administrativas da Universidade – inclusive com poder de voto. Os CA’s, DA’s e o DCE também costumam promover ações pela integração entre os estudantes e por um melhor aproveitamento da vida acadêmica, como cursos, palestras, festinhas e eventos de mil outros tipos. Aproveite bastante, que tudo costuma ser de graça ou bem barato!

O ComuniCA Centro Acadêmico de Comunicação Social é o nome completo, mas pode chamar de ComuniCA! Fisicamente, o órgão é composto por um quadro cheio de recados, alucinações e tabelas do Torneio McLuhan; televisão, DVD e som; uma estante com banco de xerox e uma mesa pra galera de notebook. Mas o mais amado do espaço mesmo são os três sofás e os pufes, disputados para o cochilo pós-almoço. Para além da salinha no 3o andar, o ComuniCA é um grupo de estudantes da Comunicação responsável pela representação dos alunos no curso. Renovado anualmente por eleições o ComuniCA tem algumas ações de praxe


e outras eventuais: costuma organizar o Churrascom e outros eventos menos megalomaníacos, participa das reuniões de Departamento e Colegiado e acompanha os rumos do curso. Uma novidade que pegou semestre passado é o Curso de Softwares(Illustrator, Photoshop e InDesign) que, organizado aos sábados de manhã, tem um precinho excelente. Vale a matrícula!

CRIA UFMG Jr

Empresa júnior do curso, localizada na entrada do Labor. O processo de seleção da CRIA É feito todo semestre e vocês já podem se inscrever logo no 1° período. É possível que a cria roube os seus amigos e atole-os em trabalho. Se isso acontecer não há como vencê-la, acostume-se com isso ou junte-se a ela.

Xerox(es) Talvez, após comprar um pão de queijo na cantina, você se depare com um monte de computadores. Não, não é uma lan house. Trata-se do xerox moderninho da Fafich, usado para imprimir textos indicados pelos professores. Há um outro xerox, próximo a ele, ao lado dos caixas eletrônicos, usado para imprimir textos enviados por email ou projetos gráficos. Tem também o do 1o andar, ao lado da entrada, que é o único que realmente tira xerox.


4o andar É reservado aos professores, alunas não tem permissão para transitar por aquelas bandas. Lá ocorrem várias festinhas boca-livre, e ninguém quer estudantes “pançafunda” por perto. Eventualmente, quando estiver mais quebrado que o normal, é por lá que você encontra alguma grana com as bolsas de estudos. Corra na secretaria do curso e dê uma olhada na porta, é lá que ficam afixados os editais.

CEU Moramos num país tropical! A UFMG, além de um campus mágico, conta com um clube que fica aqui do lado e honra o nome de paraíso que tem. No Centro Esportivo Universitário (o CEU), todos têm ao seu dispor: 2 piscinas, muitas quadras, lanchonete, sauna, playground, pracinha de ginástica e gente de todo tipo com pouca roupa. Para fazer a carteirinha o preço é quase simbólico: R$10,00 por um semestre inteiro. É só entrar no site www.ufmg.br/ceu e se informar. E muita atenção com a papelada exigida pra confecção da carteirinha: você corre o risco de ter que voltar à Fafich só pra xerocar seu comprovante de matrícula.


McLuhan Os alunos da comunicação têm a oportunidade de mostrar toda sua habilidade com os pés num campeonato semestral de futsal. O Torneio McLuhan coloca todas as salas do curso lado a lado, calouros e veteranos passando um tempo no CEU, praticando o futebol-arte, ou o mais próximo disso possível. O campeonato, além de consagrar campeões, é um momento de interação fora da Fafich ou das festas. As meninas também têm seu momento esportivo: menos aguerrido, mas muito mais charmoso, o torneio tem sua versão feminina com a

Taça Vera França

Os jogos da mulherada podem não ser um espetáculo futebolístico, mas sem dúvida são garantia de momentos divertidos.

Baladas comunicólogas No semestre da Comunicação, incontáveis festas disputam espaço no calendário com provas, fichamentos e seminários. Vá preparando o fígado e desapegando dessa história de ressaca moral, porque calouros são especialistas em passar dos limites alcoólicos nessas ocasiões. Vai aí um pequeno resuminho do que se repete a cada semestre:

Festa de Recepção e Festa de Retorno

Os veteranos diretos (2o período) são os responsáveis pela Recepção e dizem que é para conhecer melhor os calouros. Na verdade, é só para obrigá-los a fazer a Festa de Retorno, de acordo com os preceitos da Boa Vizinhança e as ameaças de roubo de trote;


Festa à Fantasia Sexual

Musas de espartilho ou musas sem espartilho (!) capricham na performance. A festa, organizada pela turma do 8o período, sempre lota e é certamente das mais famosas de toda a UFMG;

Churrascom

Reclamam do preço, da distância, da quantidade de catuaba, da falta de água mineral... Mas no fim todo mundo volta feliz! Carne, samba, funk, piscina e vidros de carros embaçados: tudo no dia da final do McLuhan;

ButeCOM

Tradicional encontro alcoólico, em geral num bar mais barato da região centro-savassiana. Aparece gente de todo período e até uns dinossauros que obtiveram seu suado diploma na era mesozóica;

Festas de Comissões

Toda turma tenta engordar o porquinho para o baile de formatura. Disso surgem festas avulsas a cada semestre, mas algumas acabam vingando como A Primeira

Baladas no campus

Você está todo comprometido em sair da aula direto pra casa e se depara com uma mega-calourada no seu caminho com 3 cervejas a R$ 5,00 e quatro bandas de samba-funk-psicodélico-tilelê pra tocar madrugada afora. Relaxa e entra no clima, pois esses eventos são lembrados em 3 de cada 5 crises de nostalgia dos recém-formados. Os esquemas semanais são o Geoteco, quinta à noite no IGC, e o Boteco da Bio, sexta à noite no ICB. Outros cursos também têm suas calouradas de frequência semestral: a Farmácia tem vinhada com eleição do farma-gato e da farma-gata, a Veterinária já recebeu o Sérgio Malandro


em uma festa recente e o pessoal da Belas Artes promove a calourada mais falada e extravagante do campus. Um bom modo de se informar sobre essas e várias outras festas é dar uma olhada de vez em quando nos cartazes afixados nos murais da Fafich.

Onde Rangar A variedade de restaurantes, lanchonetes e espeluncas no campus é tanta que você não precisa repetir nenhum dia da semana, se não quiser. Do burguês ao pé-rapado, do salmão ao PFão, pode ficar tranquilo: você vai encontrar o arroz-com-feijão de todo dia. Fique com alguns destaques gastronômicos do campus:

Bandejão

O cardápio com nomes exóticos (com os inacreditáveis falso lombo e repolho búlgaro sem contar o refil do “suco de mistério”) tem o melhor custo-benefício: R$ 2,50. È a alegria da galera uma vez que atende também os “naturebas” com arroz integral e opções de comida sem glúten;

Face

Com carnes e saladas elaboradíssimas no esquema selfservice, é a alternativa mais fina do campus – e também a mais cara;

Belas Artes

Arroz, feijão, bife e salada (ou omelete) – o PF é simples, mas muito bem feitinho. Se a ideia é um lanche, lá também tem um açaí de responsa;

ICB

Muitas opções de salada para os vegetarianos, sobremesas gostosas para os viciados em glicose, em um selfservice mais barato que o da Face;


Letras

Sem muita badalação sobre o cardápio, é a alternativa pra quem está sem tempo entre a aula da manhã e o curso de línguas na hora do almoço;

Fafich

Com R$6,00 dá pra se fazer um banquete na Cantina: O preço é fixo, mas a comida é ilimitada. Saladinha, arroz, feijão, batata, carnes e variados tem um custo-benefício legal pros marmanjos, mas, péssimo pras mocinhas de regime.

+Dicas - Faça a sua carteirinha do DCE o quanto antes. Além de te garantir o direito da meia-entrada, ela permite que os dez primeiros estudantes da UFMG assistam de graça às primeiras sessões do Usiminas Belas-Artes, de 2a a 5a feira. Chegue cedo, principalmente nas férias; - Mantenha sua carteirinha sempre atualizada e carregue seu comprovante de matrícula para onde você for; - Não espere também para fazer a carteirinha do CEU, ela serve de meia-entrada em todos os lugares de BH; - Não se esqueça da senha do MinhaUFMG. Você vai precisar desse portal pra muita coisa; - Decore seu número de matrícula ou o Anderson(Colegiado) te fará decorar a força. Você vai precisar tanto dele que vai ser chato tirar o comprovante do bolso toda hora;


Circulando

Por mais que você possa querer se exercitar e manter a forma, andar a pé pelo campus pode não ser a melhor ideia, sobretudo no verão. Há muitas subidas e você perde sempre muito tempo. Existem algumas soluções possíveis para que esse deslocamento seja menos desgastante e mais rápido.

Ônibus Interno

Há quem diga que é uma lenda, mas você pode se orientar pelos horários que estão no MinhaUFMG. Os branquinhos(agora verdes) passam, sim, mas existem lacunas que podem te atrasar bastante. Por isso, não conte com a sorte. Há 3 linhas de internos. A e B circulam normalmente e passam por todos os prédios (incluindo o CEU), podendo haver pequenas diferenças no itinerário. A linha C circula durante as férias, em horário reduzido. Nos horários de pico, os internos podem estar bem cheios. Lembrando que você não paga pelo interno – e em alguns deles pode entrar pela porta de trás!

Caronas

Existe um verdadeiro sistema de caronas dentro do campus (visite o site http://www.caronasufmg.emasjr.com. br/). Além do clássico acordo entre amigos para economizar gasolina no trajeto casa-UFMG, é muito comum e fácil abanar a mão e conseguir uma carona com alguém que você não conhece. A entrada da Catalão é um ponto oficial de caronas para os países baixos (Fafich, Icex etc.). Pra subir, uma opção é ficar nas proximidades da reitoria e do ICB. Nos horários tradicionais de chegada e de saída, você não vai ficar nem cinco minutos esperando até que uma boa alma te deixe embarcar. Se demorar um pouco


mais, continue esperando. A carona vai chegar, uma hora ou outra. E você pode até fazer novos amigos. Há os que se aventuram com as caronas para fora do campus (entrada da Catalão e da Antônio Carlos). É um pouco mais difícil e pode ser perigoso, mas você pode tentar.

Linhas de ônibus: Mas como existe vida além da UFMG, é legal também saber das várias outras opções de transporte que envolvem o campus Pampulha. Nunca se limite ao 5102, ele é só uma entre muitas possibilidades. Das linhas que passam dentro do campus, há também o 9502 (que te leva a lugares como a Floresta, Santa Tereza ou o Horto) e o S50 (que é pequenininho mas desbrava bem as bandas do Cidade Nova, de um lado, e do Caiçara, de outro). Mas você não precisa se restringir nem mesmo a essas linhas. Nas proximidades da portaria da Catalão, passam o 64 (sempre vazio) e alguns bons vermelhões, que te levam ao centro. E a portaria da Antônio Carlos é um ponto de partida para toda a Belo Horizonte e RMBH. Os ônibus que passam por essa avenida te levam a lugares onde você nunca sonhou estar, como Jerusalém, Califórnia, Tony, Campina Verde ou Venda Nova. Quase todas as linhas começadas por 22 te levam à área hospitalar, e podem ser uma boa opção pra chegar rápido ao centro.


Fique por dentro também das siglas: ENECOS: Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social. É a entidade que representa os estudantes de comunicação do Brasil todo e ela tem alguns eixos de atuação, que são as bandeiras da Enecos: o combate às opressões, educação e democratização da comunicação. A executiva faz alguns encontros por ano – COBRECOS, ERECOM, ENECOM, CONECOM e CORECOM – todos estão no glossário: COBRECOS: Congresso Brasileiro dos Estudantes de Comunicação Social. É sempre em janeiro e é o encontro mais importante de ENECOS, pois é onde são tiradas todas as resoluções políticas e as ações da executiva pro ano todo. ERECOM: Encontro Regional dos Estudantes de Comunicação Social. Cada regional tem o seu. O nosso é o ERECOM SE3 (sudeste3), que junta Minas Gerais e Espírito Santo e acontece no primeiro semestre de cada ano. ENECOM: Encontro Nacional dos Estudantes de Comunicação Social. Cada ano é em um lugar do país. Ano passado foi realizado em João Pessoa. Este ano será em Belém. CONECOM: Congresso Nacional de Entidades de Base de Comunicação. É um encontro pros Cas e Das, geralmente quando tem que decidir alguma coisa importante. Não tem data definida, só o CONECOM do ENECOM, que sempre acontece. CORECOM: é quase a mesma coisa que o CONECOM. Só que o CORECOM é regional, ou seja, reúne só os CAs e DAs das regionais.


O Macaco é produzido pelo ComuniCA para ajudar os calouros a se adaptarem mais facilmente às suas novas vidas. Além de produzir esse estupendo e indispensável manual, o ComuniCA promove algumas outras ações – algumas delas já foram especificadas por aqui. Calouro ou veterano, todo mundo pode se inteirar e participar! É só comparecer às reuniões semanais. Neste semestre, elas ocorrem nas quintas-feiras, ao meio-dia, na sala do ComuniCA, 3084 (3o andar da Fafich).

Encontre o ComuniC.A. no Facebook e no Orkut também! E dê-nos um follow: twitter.com/comunicaufmg !

Gestão Mosaico - 2010/2011 comunicaufmg@gmail.com


MACACO