Page 1

Créditos: Arthur Salles, Rozielen Santos, Vanessa Lima e Wagner de Souza

Jornal Mural do Curso de Comunicação Social da Uninter Número Ano

65

Foto: Vanessa Lima

IX

Prof. Orientador: Eugênio Vinci de Moraes

O ponto que brilha em Curitiba Profissionais

engraxam calçados há mais de 18 anos no mesmo lugar TEXTO: Vanessa Lima FOTO: Rozielen Santos

A Boca do Brilho é um lugar de engraxates e lustradores situado na Boca Maldita, no centro de Curitiba. Funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, e, aos sábados, das 7h às 17h. Foi inaugurada em 29 de março de 2001, pelo então prefeito Cassio Taniguchi, no aniversário de 308 anos da capital paranaense. Os trabalhadores da Boca do Brilho receberam um espaço fechado, já que antes traba-

lhavam na cancha de esportes da Praça Osório. São 28 cadeiras para acomodar os clientes. Todos que trabalham ali possuem alvará de autônomo e pagam uma taxa de R$ 46,00 por mês para a regulamentação do serviço. Segundo eles, o dinheiro pago vai para a Associação dos Lustradores de Calçados de Curitiba e é utilizado para melhorias no local, como a limpeza dos vidros e a manutenção das cadeiras. O valor dos serviços varia de R$ 13,00 (engraxar) até R$ 45,00 (tinta ou mudança de cor do calçado). Além do dinheiro recebido pelo serviço, um valor mensal tem sido repassado a quem atua no local. Isso porque uma loja de calçados da cidade – a Omar Calçados – patrocina o em-

preendimento. A marca da loja estampa o uniforme dos lustradores. Os clientes procuram além do brilho dos sapatos uma boa conversa. Os assuntos que mais circulam na Boca são fu-

Políticos ilustres “caem” na Boca Atendimento a “personalidades” ocorre há décadas

O mais antigo e mais feliz Lustrador é

TEXTO: Wagner de Souza FOTO: Wagner de Souza

O senador e ex-governador Alvaro Dias e o deputado e ex-ministro da saúde Ricardo Barros são clientes de Aparecido Rodrigues Silva, o Chaveirinho, de 60 anos, que trabalha como lustrador e engraxate em Curitiba há 25 anos. Como outros engraxates, ele começou trabalhando nas ruas da cidade até ganhar sua cadeira na Boca do Brilho, “lugar seguro e confortável para trabalhar”. Silva conta que a maioria dos seus clientes são fiéis e gostam de serem atendidos por ele por sua simpatia e alegria.

tebol, política, mulher e economia, que mostra também a diversidade dos frequentadores, variando entre empresários, funcionários públicos, advogados e comerciantes da região.

reconhecido como a alegria do local TEXTO: Rozielen Santos

Manuel Antunes da Silva, mais conhecido como Tico, é o lustrador mais antigo da Boca do Brilho, começou a lustrar em 1963. Em Curitiba, está desde 1988, quando teve de passar por um procedimento cirúrgico e decidiu permanecer na cidade. O funcionário público James Portugal, de 51 anos, frequenta a Boca Chaveirinho, o engraxate favorito de políticos da região

O brilho da Boca: mais que um local de trabalho, o espaço é ponto de encontro para bate-papo entre os frequentadores

do Brilho há mais de 20 anos. Gosta de ser atendido sempre pelo mesmo lustrador, justamente o Tico, que para ele é o homem mais “espirituoso e feliz da Boca”. A arte de lustrar sapatos e engraxar foi aprendida durante a infância com seu irmão mais velho. “Tenho clientes fiéis, que vêm aqui há mais de 40 anos”, conta o engraxate. Tico até tentou outras funções, de eletricista a auxiliar de indústria, mas sempre voltou aos sapatos. Ele costuma chegar à Boca do Brilho, todos os dias, próximo às seis e meia da manhã, meia-hora antes do serviço. Segundo ele, para se atualizar e conversar com clientes e colegas, ler jornais já virou rotina em suas manhãs.

Profile for ComunicArte

Comunicarte Semi - presencial - 2019  

Comunicarte Semi - presencial - 2019  

Advertisement