Page 1

Informativo Interno nº 141 - março de 2014

Seminário debate o Golpe de 64

Novos técnicos administrativos participam de integração

Em entrevista ao Comunicare, pró-reitor de Graduação fala sobre os projetos e desafios na nova gestão Instalação da Cátedra Sérgio Vieira de Mello na UFABC em 31 de março

Acontece o primeiro Congresso promovido pelo SinTUFABC

Reitoria promove encontros temáticos de capacitação dos novos dirigentes da Instituição


Informativo Interno da Fundação Universidade Federal do ABC nº 141 – março de 2014

Pró-reitor de Graduação busca aprimoramento de gestão José Fernando Queiruga Rey, o novo pró-reitor de Graduação (Prograd), ressalta em entrevista o papel central dessa área na UFABC, lembrando a responsabilidade dela de colocar em prática os princípios do projeto pedagógico. Ele destacou como um desafio realizar o aprimoramento da gestão, sempre guiado pelas demandas da comunidade acadêmica. Para alcançar as metas, José Fernando diz que “conta com a colaboração de servidores muito bem formados e capacitados, que vêm nos dando um apoio imprescindível, tanto no processo de ambientação dos novos dirigentes, quanto na institucionalização de um novo fluxo de trabalho”. Comunicare — Como você descreve o principal papel da Prograd na Universidade? José Fernando Queiruga Rey — A Pró-Reitoria de Graduação é um dos órgãos centrais da Universidade, pois a ela compete a gestão de todos os cursos de graduação, nos mais variados aspectos: pedagógico, administrativo, de apoio aos discentes, de regulação junto ao Ministério da Educação (MEC), entre outros. No caso da UFABC, em que há um projeto pedagógico inovador, o qual envolve a integração de todos os cursos por meio dos bacharelados interdisciplinares e a ampla liberdade de escolha das disciplinas pelos alunos, a Prograd tem um papel ainda mais relevante, sendo responsável por possibilitar que esse modelo seja integralmente cumprido, garantindo os princípios preconizados em seu projeto pedagógico inicial. Comunicare — Quais os desafios da Pró-Reitoria nesta gestão? José Fernando — Dada a abrangência da atuação da Prograd, os desafios são também imensos. Hoje, um dos principais, em termos administrativos, é o aprimoramento – que deve ser constante – da gestão da Universidade, tornando-a mais ágil, eficiente e responsiva, isto é, preocupada com o atendimento das necessidades internas, de gestão, mas sempre guiada pelas demandas da comunidade acadêmica. Lembramos, ainda, que a UFABC tem como um dos seus pilares a inclusão. A nossa meta é a inclusão com excelência, para a qual vislumbramos mecanismos de acompanhamento e apoio contínuo dos alunos. Comunicare — Quais ações da Prograd estão planejadas para um futuro próximo e a longo prazo?

Envie suas sugestões para comunicacao@ufabc.edu.br

José Fernando — Uma das prioridades será a adoção de um novo sistema de gestão acadêmica. Além disso, buscamos também a consolidação da Coordenadoria dos Laboratórios Didáticos (CLD) como um órgão que vincula a infraestrutura disponível ao projeto pedagógico, de modo a atender à comunidade da melhor forma possível. Em termos pedagógicos, não são menores os desafios. Parecem-nos primordiais: o processo de revisão pedagógica do BC&T e do BC&H, tendo como norteador o Projeto Pedagógico Institucional; o diálogo constante com os cursos pósBIs, dada a imprescindibilidade do cumprimento integral da proposta interdisciplinar da Universidade; a introdução efetiva de novos instrumentais de ensino na graduação, de acordo com as atuais disponibilidades tecnológicas; e, por fim, mas não menos importante, o fortalecimento dos cursos de licenciaturas, proporcionando maior adesão e integração dos alunos. Destaco ainda o contato com o Ensino Médio, em parceria com outras pró-reitorias, gerando novas contribuições para a sociedade, para além daquelas tradicionalmente geradas pela universidade pública. Comunicare — Como essas ações serão efetuadas? José Fernando — A Prograd conta com a colaboração de servidores muito bem formados e capacitados, que vêm nos dando um apoio imprescindível, tanto no processo de ambientação dos novos dirigentes, quanto na institucionalização de um novo fluxo de trabalho que atenda a contento os desafios de gestão já mencionados. Também, contamos com a colaboração da professora Virgínia Cardia Cardoso, que exercerá um papel fundamental no apoio e articulação junto às licenciaturas. Comunicare — Qual maior legado você acredita que deixará à frente da Prograd? José Fernando — Providos de bastante determinação e ousadia, ao final de quatro anos esperamos dar uma contribuição importante para a construção da UFABC, com a concretização dos desafios estabelecidos e de todos os demais que se apresentem durante a gestão.


Informativo Interno da Fundação Universidade Federal do ABC nº 141 – março de 2014

Técnicos administrativos participam de integração A UFABC recebeu 82 novos técnicos administrativos para realização de um treinamento de integração no Câmpus Santo André de 10 a 14 de março. Durante essa semana, pró-reitores, dirigentes, a Coordenação Geral de Recursos Humanos (CGRH) e lideranças sindicais abordaram assuntos como a organização da Universidade, projeto pedagógico, plano de carreira, direitos e deveres dos servidores, políticas de desenvolvimento, etc. O objetivo da ambientação foi acolher e integrar os novos servidores, apresentando a eles o funcionamento da UFABC, setores e dirigentes. A abertura e o encerramento dos trabalhos contaram com a presença do reitor Klaus Capelle. Liliane Morgado da Silva, assistente em administração, achou ótima a oportunidade de participar do treinamento: “As palestras deixaram claro que a UFABC está em crescimento e que é possível crescer junto com ela.” A assistente disse ter percebido que na Universidade existe a inclusão do servidor no planejamento da instituição: “tive a impressão de que eu não era apenas uma formiga.”

Envie suas sugestões para comunicacao@ufabc.edu.br

Aluno da UFABC desde 2008 e agora também empossado como assistente em administração, Guilherme Afonso Gomes dos Santos avaliou as apresentações como bem didáticas e um exemplo de atenção aos técnicos administrativos. Ele conta que é uma realização especial estudar e trabalhar na UFABC, pois é oriundo de uma família militante e o pai sempre foi um entusiasta da criação de uma universidade pública no ABC. “Vai ser uma satisfação passar o dia todo na Universidade.” Segundo Rodrigo Cabrera, chefe da divisão de ingresso e treinamento de pessoal, essa foi a maior integração já realizada pela CGRH e envolveu aprovados em concurso realizado no segundo semestre do ano passado. Outro treinamento acontecerá em abril para o ingresso de um grupo de 74 novos técnicos administrativos. Veja momentos do acolhimento no canal da UFABC no You Tube: https://www.youtube.com/watch?v=R1Tqq2x0eUs


Informativo Interno da Fundação Universidade Federal do ABC nº 141 – março de 2014

ESAF apresenta o XIX Prêmio Tesouro Nacional 2014 A Escola de Administração Fazendária (ESAF) deu início no último dia 20 de fevereiro ao XIX Prêmio Tesouro Nacional. Idealizado pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN), o concurso de monografias tem como objetivo estimular a pesquisa na área de Finanças Públicas. Os participantes, de qualquer nacionalidade e formação acadêmica (graduação e pós-graduação), poderão concorrer por meio de trabalhos individuais ou em grupo e optar entre três temas que deverão ser abordados na monografia: política fiscal, economia do setor público e tópicos especiais.

As inscrições acontecem até o dia 15 de setembro e podem ser feitas pelo site da ESAF: http://www.esaf.fazenda.gov.br/premios/premios-1/xix-premiotesouro-nacional-2014-pagina-principal

Para mais informações sobre o prêmio, entre em contato pelo telefone (61) 3412-6286 ou envie um e-mail para: premio-stn.df.esaf@fazenda.gov.br .

Também serão aceitos trabalhos de estudantes que estejam no último ano da graduação. Os três primeiros colocados em cada tema do concurso serão premiados com uma quantia em dinheiro, além de certificado de vencedor e publicação da monografia.

Seminário debate golpe de 1964 O Bacharelado em Ciências e Humanidades promove de 1º a 3 de abril o seminário “1964 Nunca Mais!”. Essa iniciativa, com apoio do Núcleo de Ciências, Tecnologia e Sociedade (NCTS) e da PróReitoria de Extensão (ProEx), vai promover debates sobre o golpe militar de 1964, que completa 50 anos no final de março. Participarão das discussões ex-militantes políticos que vivenciaram o período de ditadura e o presidente do Conselho Estadual de Defesa da Pessoa Humana. Em paralelo às sessões do evento, haverá uma exposição de charges sobre o golpe militar com trabalhos dos cartunistas Claudius, Jaguar e Fortuna. 1964 Nunca Mais! Câmpus São Bernardo — Bloco Beta. De 1º a 3 de abril, às 16 horas. Outras informações: tinyurl.com/o2kvtzx

Envie suas sugestões para comunicacao@ufabc.edu.br


Informativo Interno da Fundação Universidade Federal do ABC nº 141 – março de 2014

UFABC instalará Cátedra Sérgio Vieira de Mello A UFABC instalará a Cátedra Sérgio Vieira de Mello no próximo dia 31, às 16h30, no auditório do Bloco Beta do Câmpus São Bernardo. A instalação contará com a presença do representante do ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados) no Brasil, Andrés Ramirez, além do reitor da Universidade, Klaus Capelle. Na ocasião, Ramirez fará uma palestra sobre a atuação do ACNUR no Brasil e a importância da Cátedra Sérgio Vieira de Mello. O ACNUR é a agência da ONU com mandato de proteção dos refugiados em todo o mundo. A Cátedra Sérgio Vieira de Mello foi criada pelo ACNUR, em 2003, em memória do diplomata brasileiro morto em atentado terrorista no Iraque. O objetivo de sua criação é envolver as universidades na divulgação do direito dos refugiados, discutindo formas de protegê-los e integrálos social e economicamente ao país de acolhimento. Com base em convênio com o ACNUR, a nova cátedra da UFABC engloba ações que passam por ensino, pesquisa e extensão. No primeiro, a disciplina Direitos Humanos, Minorias e Refugiados será ministrada para alunos do mestrado e doutorado em Ciências Humanas e Sociais. Os estudantes do curso da graduação em Relações Internacionais entrarão em contato com o tema do refúgio tanto por meio da disciplina Fluxos Migratórios Internacionais quanto da disciplina relacionada a Direitos Humanos.

No campo da pesquisa, a UFABC vai desenvolver trabalhos voltados a direitos humanos e refugiados por meio de grupo que congrega professores que integrarão a cátedra. Em relação ao âmbito de extensão, a universidade vai dialogar com prefeituras da região para debater o tema da integração local de refugiados. A cátedra será gerida na UFABC por uma comissão formada por quatro professores vinculados aos cursos de Relações Internacionais e Políticas Públicas: Adriana Capuano de Oliveira, atual coordenadora, Julia Bertino Moreira, Gilberto Rodrigues e José Blanes Sala. Instalação da Cátedra Sérgio Vieira de Mello na UFABC

Participantes:

Dirigentes da nova gestão participam de ciclo de treinamento e capacitação A Reitoria está promovendo uma série de Reuniões Temáticas para capacitação dos novos dirigentes (gestores e adjuntos) das mais diversas áreas da instituição. A cada encontro, são expostos e debatidos temas imprescindíveis para o funcionamento dos setores da universidade.

debatidos temas como orçamento, a função dos conselhos e os espaços físicos da Universidade. Para as próximas reuniões estão previstas discussões sobre a parceria da Advocacia Geral da União com as IFES; os projetos e avaliações institucionais e, ainda, as relações governamentais.

A organização das reuniões é conduzida pela professora Rosana Denaldi. A coordenadora geral de Transição entre Reitorias e ex-pró-reitora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional foi responsável por levantar assuntos essenciais para o exercício da função dos novos gestores da Universidade.

“A pedido do professor Klaus Capelle, a atividade foi planejada com o objetivo de oferecer ao dirigente que está assumindo o cargo um amplo conhecimento dos principais temas da instituição para que todos possam conduzir suas atividades com uma visão mais abrangente e completa da instituição”, afirma Rosana Denaldi.

Os primeiros encontros aconteceram no mês de fevereiro e seguirão até o final de abril. Já foram

Envie suas sugestões para comunicacao@ufabc.edu.br


Informativo Interno da Fundação Universidade Federal do ABC nº 141 – março de 2014

SinTUFABC promove primeiro congresso O Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Federais do ABC (Sintufabc) realiza, até o dia 28 de março, seu primeiro congresso com encontros que se dividirão nos câmpus de Santo André e São Bernardo. O objetivo é avaliar a situação atual da entidade, perspectivas e traçar um plano para os próximos dois anos. As discussões focam temas como carreira, capacitação, gestão democrática, greve, organização sindical e combate ao racismo, machismo e homofobia. Além de dirigentes do Sintufabc e de outras organizações sindicais, há participantes da Comissão Nacional de Supervisão da Carreira do PCCTAE, da Coordenação Geral de Recursos Humanos da UFABC e de especialistas em Educação e Direito do Trabalho. A programação completa com informações sobre inscrições, locais e horários está disponível em www.sintufabc.org.br/congresso.

Saiba como cuidar da sua voz No próximo dia 16 de abril será comemorado o Dia Mundial da Voz. A data, que é celebrada desde 1999, serve como lembrete para os cuidados que são necessários para manter a saúde do aparelho vocal. A voz é ferramenta essencial para a comunicação, seja social ou profissional. Na maioria das vezes, sua importância só é notada em casos de incômodo ou perda por tempo indeterminado, o que para algumas pessoas acontece com frequência. Rouquidão por mais de 15 dias, tosse, voz entrecortada, pigarro e dificuldade para engolir, são alguns dos sintomas que podem indicar que a saúde vocal está prejudicada. Apesar de parecer um problema oriundo das mudanças climáticas ou de um algum descuido, os incômodos com a voz podem ser ocasionados por diversos fatores e evitados de diversas formas. Para manter o bem estar e a boa qualidade do aparelho vocal são necessárias algumas medidas. É recomendável falar sem esforço, além de evitar gritar, sussurar ou pigarrear. Segundo especialistas, beber bastante água, articular bem as palavras e manter uma boa postura corporal são alguns dos fatores que ajudam nos cuidados com a voz. Boa parte da população não sabe, mas alguns alimentos e produtos consumidos também podem

Envie suas sugestões para comunicacao@ufabc.edu.br

se tornar prejudiciais à saúde vocal. O cigarro, por exemplo, agride o aparelho vocal por meio da fumaça e do calor. Já a bebida alcoólica diminui a sensibilidade, o que pode fazer com que uma pessoa exagere ao falar e acabe desgastando a voz. Entre os alimentos, o café colabora na produção de maior secreção no cordão vocal, fazendo com que uma pessoa comece a pigarrear. Comidas gordurosas, condimentadas e cítricas também podem provocar alterações na voz. O leite e o chocolate, por exemplo, também criam uma secreção, que dificulta a movimentação das pregas vocais durante a produção de som. Por outro lado, a maçã, assim como a água, desde que em temperatura ambiente, é fundamental para manter a saúde vocal. Fontes: h t t p : / / w w w. b r a s i l . g o v. b r / s a u d e / 2 0 1 3 / 0 4 / d i a - m u n d i a l da-voz-e-comemorado-nesta-terca-feira-16 http://g1.globo.com/sao -paulo/itapetininga-regiao/noticia/2012/04/cuidados-com-voz-podem-evitar-doencasnas-pregas-vocais.html http://www.sintelmark.org.br/index.php?option=com_ content&view=article&id=103&Itemid=41


Informativo Interno da Fundação Universidade Federal do ABC nº 141 – março de 2014

Auditorito Olá, pessoal!

Participação societária

Na edição anterior falamos a respeito de acúmulo de cargos. Agora, o objetivo é um melhor entendimento sobre o assunto de participação societária. De acordo com a Lei nº 8112/1990 é proibido ao servidor (docente e técnicoadministrativo): participar de gerência ou administração de sociedade privada, personificada ou não personificada, exercer o comércio, exceto na qualidade de acionista, cotista ou comanditário.

No caso dos docentes existe ainda a dedicação exclusiva (DE), segundo a qual não pode exercer outra atividade remunerada, pública ou privada, ressalvadas as hipóteses previstas na legislação. UFABC

Dessa forma, ao ingressar na UFABC, o docente sócio de empresa precisa se retirar da condição de gerente ou sócioadministrador, de modo a não realizar quaisquer funções administrativas, uma vez que o Regime DE não permite o exercício de outra atividade remunerada. Estar regular perante as normas evita questionamentos dos órgãos de controle. Por isso, é melhor prevenir! Curtiram o assunto? Falando em curtir, não deixem de conferir a minha página no Facebook. Até breve! Auditorito Auditoria Interna

Pró-Reitoria de Extensão apresenta o projeto “Professores que fazem a diferença” A Universidade Federal do ABC, por meio da PROEX (Pró-Reitoria de Extensão), em parceria com o CEAP Pedreira (Centro Educacional Assistencial Profissionalizante), lançou na terça-feira, dia 11, o projeto “Professores que fazem a diferença”, tendo o Dirigente da Diretoria de Ensino Sul-1, prof. Sandoval Cavalcante, convocado 15 diretores das Escolas Estaduais próximas ao CEAP para o evento. A iniciativa foi apresentada pelo professor responsável Mário Minami, em cerimônia realizada no auditório do CEAP, na zona sul de São Paulo. Também participaram do lançamento o Pró-Reitor de Extensão da UFABC, Daniel Pansarelli, a gestora do projeto, Kelly Ferreira, o Diretor do CEAP, prof. Marcos Fernando, e os docentes colaboradores do CEAP: Carlos Alberto, Gilson Eduardo, Ronaldo César e Sérgio Tavares. O “Professores que fazem a diferença” aborda a visão que os docentes da rede pública de ensino na zona sul de São Paulo possuem sobre a educação. Os profissionais participarão por meio de vídeos, em que irão contar e

Envie suas sugestões para comunicacao@ufabc.edu.br

mostrar um pouco de suas rotinas. A ideia é que o material seja publicado nas redes sociais, e posteriomente, de acordo com a aceitação do público, se transforme em um livro. Os trabalhos, que começaram em fevereiro, devem se estender até o mês de dezembro. Ao todo, serão realizadas 40 entrevistas com professores. Todo o material será gravado e produzido pelos discentes da UFABC Adriana Miranda e Davi Monteiro.


Informativo Interno da Fundação Universidade Federal do ABC nº 141 – março de 2014

Os anos de chumbo nas livrarias Livros de ex-guerrilheiros retratam a ferocidade luta contra a ditadura Livros de ex-guerrilheiros retratam a ferocidade da lutada contra a ditadura Houve na história do Brasil uma noite que nunca acabou. Ao final do dia 31 de março de 1964, muitos foram dormir sonhando com a construção de um país mais justo e igualitário. Era um sonho acalentado em um contexto de profundas transformações que se materializavam no Brasil nas reformas de base do governo João Goulart. Mas o sonho virou pesadelo. Quem acordou cedo no dia 1º de abril logo percebeu que os generais haviam assumido o poder. Seguiu-se ao golpe uma ditadura feroz e sangrenta que mergulhou o país numa espiral de dúvidas até a década de 1980, quando restauramos a democracia. O brasileiro médio pouco sabia do que se passava nos porões da ditadura. O assassinato covarde de militantes de esquerda, evidentemente, não ganhava as capas dos jornais. Mas, aos poucos, à medida que caminhávamos para abertura, chegavam a um público mais amplo relatos sobre sessões de tortura e toda sorte de desmandos do regime militar. Nesse quesito, o pioneirismo coube a Fernando Gabeira. Lançado em 1979, “O que é isso, companheiro?” narra a militância política do jornalista mineiro até chegar à luta armada. Gabeira integrava uma organização responsável pelo sequestro do embaixador norte-americano no Brasil. Ao relatar

sua experiência na clandestinidade, ele põe em perspectiva o debate político que se travava na época e analisa as próprias motivações que o lançaram no combate à ditadura de peito aberto. Seguindo a mesma linha, Alfredo Sirkis lançou “Carbonários”, obra na qual relata as transformações acarretadas por passar de garoto de classe média a guerrilheiro urbano. Anos mais tarde, parte da história de Sirkis seria adaptada para a televisão em “Anos Rebeldes”, minissérie de Gilberto Braga sobre os anos de chumbo. O livro foi um sucesso e rendeu até uma continuação, “Roleta Chilena”, obra que aborda a vida no exílio. Mais focado nas sessões de tortura e no período na cadeia, “Memórias do Esquecimento” traz ao leitor um relato sombrio sobre a vida de um preso político. Flávio Tavares, o autor, também é um ex-guerrilheiro. Tocante, o livro ganhou o prêmio Jabuti na categoria melhor reportagem e chegou a ser elogiado por José Saramago, que o classificou como “magistral”. A noite que nunca acabou teve inúmeros desdobramentos. Como se vê, alguns deles ganharam as páginas dos livros, lançando luz sobre um dos períodos mais controvertidos da história recente do país.

Expediente Produção Assessoria de Comunicação e Imprensa Edição, Redação e Revisão Alessandra de Castilho, Bruno de Carvalho Souza, Danilo Gustavo, Denilson R. de Oliveira - MTb: 54421, Gabriela do Prado, Mayara Bini, Maria Eunice R. do Nascimento, Marcela dos Santos, Mariella Mian, Marcelo Hideki, Renato Vitorino, Vanessa do Carmo Editoração Edna Atsué Watanabe, Isabel B L Franca, Sandra Felix Santos, Vanessa Ferreira

Envie suas sugestões para comunicacao@ufabc.edu.br

Comunicare servidores 141  

Comunicare Servidores 141

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you