Page 1

IMPRESSO ESPECIAL

DEVOLUÇÃO GARANTIDA

www.ueg.br

Jornal da Universidade Estadual de Goiás - Ano I - Nº 006 - Outubro - 2013

Curso de Administração da UEG obtém nota 5 no Enade O curso de Administração, oferecido na Unidade Universitária de Ciências Socioeconômicas e Humanas, em Anápolis (UnUCSEH), foi o melhor curso avaliado da Universidade Estadual de Goiás (UEG) no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE) que teve as provas realizadas em 2012. A graduação manteve a nota 5, conceito máximo no Exame. P-3

Pesquisa de aluno de Ipameri é destaque em revista. P-5

Diretores das UnUs serão eleitos em novembro. P-5

CsU aprova fundação de apoio para a UEG. P-7

Alunos podem fazer intercâmbio em universidades da Europa. P-7

UEG Mostra Modas A criatividade rolou solta e agradou muitos presentes durante a VI UEG Mostra Modas, que aconteceu em 14 de setembro na Unidade Universitária da UEG de Trindade. O evento durou uma semana com várias discussões e foi encerrado com um desfile para que os acadêmicos do curso de Tecnologia em Design de Moda pudessem mostrar suas criações. Nesta edição o tema do desfile foi a cultura goiana e o vestir consciente, em que os acadêmicos levaram em conta na montagem dos looks metodologias de produção que não prejudicam o meio ambiente. P-6


02 ANÁPOLIS, GOIÁS OUT/2013

UEG.BR

Editorial

JORNAL DA UEG

Pesquisa

Produção científica em destaque

A comunidade acadêmica da Universidade Estadual de Goiás (UEG) participou de 15 a 18 de outubro de um dos mais importantes eventos de divulgação da produção científica e tecnológica da Instituição. Preparado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PrP) foram realizados a VIII Jornada de Pesquisa e Pós-Graduação e o XI Seminário de Iniciação Científica.

A manutenção da nota 5 no Exame Nacional de Desempenho do Estudante (Enade) pelo Curso de Administração oferecido na Unidade Universitária de Ciências Socioeconômicas e Humanas de Anápolis (UnUCSEH) é uma clara demonstração de que na Universidade Estadual há qualidade. Dos cursos avaliados em 13 unidades, apenas um ficou com nota 2. Os outros doze obtiveram notas que variam de 3 a 5, numa escala de 1 a 5. Isso mostra que, mesmo em cidades pequenas do interior do Estado, a qualidade é perseguida por diretores, coordenadores, professores, alunos e servidores técnicos administrativos. O resultado do Enade, divulgado recentemente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), foi recebido com alegria na UEG, uma vez que, do total de 1.556 cursos de Administração avaliados no Brasil em 2012, 96 obtiveram conceito 5, o que representa 6,16%. Isso significa que o Curso de Administração da UnUCSEH está entre os melhores do País. Outros cursos da Universidade aumentaram suas notas em relação à última avaliação e outros mantiveram.

Divulgação Os eventos são anuais e têm como princípio divulgar a produção da iniciação científica e tecnológica dos acadêmicos e os trabalhos produzidos pelos alunos e professores engajados nos programas de pós-graduação lato sensu e stricto sensu, tanto na UEG quanto em outras instituições de ensino superior. Na VIII Jornada de Pesquisa e Pós-Graduação foram apresentados 168 trabalhos produzidos pelos discentes e docentes inscritos em programas de pós-graduação. As discussões se concentraram na temática “A Interdisciplinaridade na Pós-Graduação Stricto Sensu” e o assunto foi apresentado pela professora da UFG, Agustina Rosa Echeverria. “A ideia da interdisciplinaridade deve vir desde a graduação para se chegar à pós-graduação”, disse Agustina Echeverria. Já no XI Seminário de Iniciação Científica (SIC) foram inscritos 638 alunos de todas as Unidades Universitárias com a apresentação de 310 trabalhos oriundos do Programa de Iniciação Científica e Tecnológica (PIC&T) da

UEG em todas as áreas do conhecimento, nas modalidades: Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – Ações Afirmativas (PIBIC-AF) e Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI), mantidos com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Programa de Bolsas de Iniciação Científica (PBIC) e Programa de Bolsas de Iniciação Tecnológica (PBIT), mantidos com recursos próprios, e Programa Voluntário de Iniciação Científica (PVIC). Intercâmbio Para o pró-reitor Ivano Alessandro Devilla, um dos pontos de destaque dos dois eventos é a possibilidade de intercâmbio entre os professores e os alunos pesquisadores e de crescimento da atividade de pesquisa já que “muitos desses projetos têm sido pontos de partida para projetos de pós-graduação e têm contribuído significativamente para a formação de recursos humanos para a pesquisa”, afirmou Ivano Alessandro. Como convidado para abrir os trabalhos da XI SIC, a PrP trouxe o geólogo e doutor em Ciências do Solo e Sensoriamento Remoto por Satélites, professor Laerte Guimarães Ferreira, da Universidade Federal de Goiás, para abordar o tema “O bioma Cerrado em tempos de mudanças: impactos, tendências e alternativas”.

Essa conquista é o resultado de um esforço da Administração Central e da comunidade universitária que desenvolvem ações voltadas para a melhoria do ensino, da pesquisa e da extensão na UEG. Um exemplo é a criação de bolsas que oportunizam aos alunos condições necessárias para se dedicarem mais aos estudos.

EXPEDIENTE Jornal da Universidade Estadual de Goiás

Produzido pela Coordenação Geral de Comunicação - CGCOM - (62) 3328-1403 Coordenador Geral - Antônio Dirceu Pinheiro de Souza Redação - Antônio D. P. Souza (GO n. 2272 JP), Cezar Marques (GO n.1673 JP), Marcelo Tavares (GO n.2331 JP), Moema Ribeiro (GO n. 2605 JP), Ana Flávia Caldas Ribeiro (estagiária) Diagramação e finalização: Odilon Alves (DRT-GO: 0860/86/Nabyla Carneiro Silva (estagiária) Fotografia: José Afonso Viana Colaborador: Eduardo de Oliveira Impressão: Ellite Gráfica - Tiragem: 25 mil

Universidade Estadual de Goiás

Administração Central da Universidade Estadual de Goiás

Reitor - Haroldo Reimer Vice-Reitora - Valcemia Gonçalves de Sousa Novaes Chefe de Gabinete - Juliana Oliveira Almada Pró-Reitora de Graduação - Maria Olinda Barreto Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação Ivano Alessandro Devilla Pró-Reitora de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis - Danúsia Arantes Ferreira Batista de Oliveira Pró-Reitora de Planejamento, Gestão e Finanças - Sueli Martins de Freitas Alves @uegoficial

Evento divulga a produção científica e tecnológica da UEG


JORNAL DA UEG UEG.BR

ANÁPOLIS, GOIÁS OUT/2013 03

Enade

Curso de Administração da UEG obtém nota 5 O curso de Administração, oferecido na Unidade Universitária de Ciências Socioeconômicas e Humanas, em Anápolis (UnUCSEH), foi o melhor curso avaliado da Universidade Estadual de Goiás (UEG) no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE) que teve as provas realizadas em 2012. A graduação manteve a nota 5, conceito máximo no Exame. Essa mesma nota já havia sido alcançada pelo curso na avaliação realizada em 2009. Do total de 1.556 cursos de Administração avaliados no Brasil em 2012, 96 obtiveram conceito 5, o que representa 6,16%. Isso significa que o Curso de Administração da UnUCSEH está entre os melhores do País. O resultado do ENADE foi divulgado no último dia 7 de outubro, pelo Ministério da Educação (MEC). A ferramenta é um índice que monitora a qualidade dos

(Sem Conceito) e Uruaçu concluintes na época em que (Sem Conceito); e Tecnolo- foram realizadas as provas. gia em Logística em Jataí (4) e Senador Canedo (3). Dos 14 cursos da UEG avaliados no Enade , um teve conceito 5, dois com 4 e oito com nota 3, o que representa, no total, 78,6%. Apenas Outros cursos O Curso de Administração um dos cursos obteve nota 2 também foi avaliado em e dois ficaram “Sem Conceioutras Unidades Universi- to (SC)” porque não tinham tárias. Na Unidade UniverConfira as notas dos cursos da UEG sitária da UEG de Luziânia a graduação manteve a nota 4 em 2012. Na UnU Goianésia, o curso teve melhor avaliação. Subiu de nota 1, em 2009, para 3, em 2012. Nas Unidades de Caldas Novas, Sanclerlândia, Santa Helena de Goiás e Silvânia os conceitos alcançados foram 3. Mais três graduações da UEG também foram avaliadas em 2012 pelo ENADE. Ciências Econômicas em Anápolis ( nota 3) e Itumbiara (3) ; Ciências Contábeis em Jaraguá (2), Morrinhos cursos de graduação, através de conceitos que vão de 1 a 5, e tem o objetivo de aferir o rendimento dos acadêmicos em relação aos conteúdos programáticos, suas habilidades e competências.

Extensão

Projeto da UnU Itumbiara debate saúde mental

Com o objetivo de realizar um trabalho preventivo, o projeto de extensão “A Psicologia Aplicada à Saúde”, realizado na Unidade Universitária da UEG de Itumbiara, discute o assunto saúde mental. O trabalho foi aprovado em agosto pela Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis (PrE), e agora, por meio de palestras, visitas a escolas, hospitais e abordagens de pessoas nas ruas e praças, serão abordados os mais variados assuntos que afetam psicologicamente o indivíduo. De acordo com a coordenadora do projeto, professora Divina Rita Gomes, psicanalista clínica e doutora em saúde coletiva, a psicologia, como ciência humana, permite um conhecimento abrangente do homem sobre suas emoções, seus sentimentos, inquietudes, angústias, questionamentos e aprendizagem sobre seu desenvolvimento e, com isso, um conhecimen-

to maior sobre a vida. E nesse sentido a realização do projeto implica em um trabalho preventivo, apontando estratégias para evitar o aparecimento de doenças, distúrbios de comportamento e orientação acerca do uso de medicamentos. Segundo Divina Rita Gomes, dentro das ações do projeto de extensão serão abordados temas como ansiedade e depressão; virtualidade e solidão: redes sociais e contato humano; dependência química; distúrbios alimentares; bullying - relacionamento no contexto escolar; pedofilia; perigo da automedicação; sono; alimentação saudável e prática de exercícios físicos; e interdisciplinariedade e saúde. Uma das primeiras atividades do projeto, que terá ações mensalmente, aconteceu no dia 27 de agosto, com a palestra “Ansiedade: a doença do século XXI” . Segundo Divina,

a intenção nesse primeiro ano do projeto é atender pelo menos 100 pessoas. Para ela, o envolvimento da comunidade no trabalho supre os déficits de conhecimentos acerca do trabalho preventivo em saúde emocional e qualidade de vida. Participantes Integram o projeto de extensão acadêmicos do sexto período do curso de Farmácia da UnU Itumbiara. Para eles, avalia Divina, é o momento de ampliarem os conhecimentos em atividades que

enriquecerão os seus currículos, fortalecendo a visão de mundo e uma atitude crítica. “A Psicologia da Saúde é uma das áreas que tem se destacado muito pelo objetivo de possibilitar aos discentes conhecer a dimensão desta atividade e compreenderem a atuação dos profissionais de saúde em trabalhos desenvolvidos em instituições de saúde e em grupo de apoio a dependentes químicos, crianças com câncer, adolescentes, gestantes, e pessoas da terceira idade”, destaca a psicanalista.


04 ANÁPOLIS, GOIÁS OUT/2013

UEG.BR JORNAL DA UEG

Entrevista Maria Olinda Barreto

“É necessário mudar a cultura acadêmica da Universidade para entender que também o aluno especial tem direito a aprender sem limites” O Curso de Administração de Anápolis obteve nota 5 no ENADE. Como a UEG pode tirar desse conceito caminhos para a melhor avaliação dos outros cursos? O bom desempenho do Curso de Administração, assim como dos demais cursos, é o resultado de um conjunto de fatores. A Pró-Reitoria de Graduação, para o Enade 2013, procurou dar suporte aos cursos que serão avaliados com orientações aos alunos, coordenadores e professores sobre a importância desse processo avaliativo. É nosso objetivo constituir uma política de acompanhamento, orientação sistemática aos cursos, principalmente àqueles cuja avaliação não foi satisfatória. Esse trabalho deverá ser realizado não somente tendo como foco o Enade, mas a melhoria da qualidade dos cursos. Outro desafio será o de buscar melhorar os aspectos que envolvem os cursos como infraestrutura, acervo bibliográfico e qualificação profissional, indicadores importantes na composição final do Conceito Preliminar de Curso (CPC) e no Índice Geral de Cursos (IGC). A PrG possui três GTs sobre oferta e demanda de vagas; desenvolvimento curricular e estágio supervisionado. Como coordenadora destes GTs, qual a sua avaliação sobre o envolvimento da comunidade universitária nestes assuntos? Procuramos envolver professores de diversas unidades e área de formação na constituição dos GTs. O grande desafio tem sido envolver o conjunto da Universidade nas discussões referentes à Oferta de Cursos, Desenvolvimento Curricular e sobre o Estágio, com os ciclos de debates que terão inicio no mês de novembro. Há a intenção de realizar um trabalho com ampla participação do conjunto da Universidade. No GT sobre a oferta e demanda de vagas, que mudanças poderão ocorrer nos cursos oferecidos? É necessário explicitar que o GT foi constituído no primeiro semestre deste ano e uma prioridade, a partir de então, foi a de fazer um levantamento geral da estrutura da Universidade nos aspectos do ensino, da extensão e da pesquisa, sendo também necessário recorrer a dados do Enade, da situação e da estrutura de outras instituições, como também mapear e relacionar os cursos de graduação da UEG com outras IES de Goiás, sistematizando assim, uma leitura sobre a quantidade de cursos

oferecidos pela UEG que se repetem e a interface destes com outras universidades de nosso Estado. A partir das discussões e sistemática, o GT elaborou e propôs um instrumento que possibilita a avaliação dos cursos de graduação da Instituição, intitulado Matriz de Indicadores para Avaliação da Oferta de Vagas, que foi enviado às 42 Unidades Universitárias para ser amplamente discutido. Pelas orientações, os colegiados de cursos e conselhos acadêmicos poderiam validar os indicadores a partir do debate destas instâncias colegiadas, a partir das quais o GT irá acolher e elaborar uma síntese que oriente os trabalhos e o diálogo estabelecido entre as UnUs e a PrG, para subsidiar os argumentos e propostas a serem discutidas e deliberadas no CsU a partir do desenvolvimento dos trabalhos deste GT. O Grupo se propõe a articular suas sínteses em conjunto com os demais GTs, compreendendo aqui uma dimensão relacional e integrada por concebermos que não há condições estanques e fragmentadas do trabalho. Sobre as mudanças ou possíveis desdobramentos deste trabalho é necessário entendermos que qualquer alteração passa pelo convite à ampla discussão acerca das orientações, desdobrando destes debates apontamentos fundamentais e consolidados para as futuras decisões de transformação dos rumos da Universidade, respeitando todas as instâncias colegiadas e órgão máximo de deliberação da instituição, o CsU. Os outros dois GT’s trabalham com a mudança nas matrizes curriculares e sua unificação e também a atuação dos alunos de Licenciaturas em estágios supervisionados. Que avanços a UEG poderá conseguir com esses estudos? O GT de Desenvolvimento Curricular não se ocupa exclusivamente do que entendemos como matriz curricular. O processo em curso busca intervir na consolidação de uma nova concepção curricular e espera que esta seja definidora de elementos comuns à formação oferecida na UEG. Esses elementos comuns pressupõem que garantamos também a manifestação das especificidades regionais e do potencial criador dos

nossos recursos humanos. Não temos falado em unificação curricular enquanto condição restritiva, mas em termos de elementos comuns na formação que oferecemos e que esses sejam indutores de um gerenciamento racional por parte da Universidade. A discussão acerca de aspectos pontuais e inerentes aos Projetos Pedagógicos de Cursos, por exemplo, está subordinada à intencionalidade política de garantir uma universidade pública e de qualidade. No que concerne ao Estágio Curricular Supervisionado, inicialmente serão realizados pela coordenação de estágio da PrG ciclos de debates que envolvam todos os agentes partícipes das UnUs, com o objetivo de discutir e refletir sobre essa questão, a fim de rever as práticas institucionais, visando subsidiar alternativas para atender às novas exigências da realidade contemporânea. Pretende-se conhecer as realidades do Estágio Curricular Supervisionado nos cursos de graduação nas diferentes unidades da UEG; identificar os avanços, os desafios e os obstáculos que comprometem a concretização dos objetivos do estágio e analisar as relações estabelecidas entre a UEG e os campos de estágio/empresas concedentes. Tais ações serão marco inicial para a elaboração de propostas e ações que permitam definir e consolidar a política de estágio na UEG. A UEG está inscrita em dois programas de apoio aos cursos de Licenciaturas, instituídos pela CAPES/ MEC: o PIBID e o LIFE. O que esses programas estão trazendo de benefícios para a UEG e para os alunos? Os cursos de licenciatura nos últimos anos têm sofrido uma queda considerável de demanda, não somente na UEG. A baixa demanda é reflexo da profissão docente que historicamente não tem sido valorizada. Por isso, o governo federal tem lançado uma série de incentivos à docência como os programas mencionados. A própria UEG implementou, em 2013, a bolsa Pró-Licenciatura com objetivo de propiciar às pessoas que desejam se dedicar à formação docente melhores condições para sua formação. São evidentes os benefícios desses programas. O PIBID é considerado uma proposta inova-

dora no campo das licenciaturas, por possibilitar aos alunos da graduação a inserção desde os primeiros anos nas escolas de educação básica. Sua implantação contribui para elevar o status das licenciaturas devido ao grande número de bolsas oferecidas. No primeiro ano de sua implantação ficou evidente que o Programa possibilitou boas oportunidades para a formação docente, no que concerne o conhecimento da realidade da escola, selecionar conteúdos, elaborar planos de aula. Foi destacada também a melhoria da produção escrita, oral e leitura dos bolsistas. Além disso, estreitou o laço entre a universidade e as escolas públicas de educação básica. O Programa LIFE veio ao encontro dos anseios e objetivos da UEG em proporcionar a formação docente na perspectiva da formação inicial investigativa, da interdisciplinaridade e do desenvolvimento de práticas pedagógicas inovadoras e está em consonância com o trabalho de vários grupos de pesquisa em educação presentes na Instituição. O recurso de R$ 150 mil, para a aquisição de bens e materiais permanentes, possibilitará a reestruturação de laboratórios existentes em duas unidades – UnUCSEH e UnU Iporá - transformando-os em laboratórios interdisciplinares de formação de educadores. Eles se encontram na fase de reforma das instalações físicas, aquisição e montagem de equipamentos. Quando começarem a funcionar promoverão a integração entre teoria e a prática pedagógica. Inicialmente, atenderão aos alunos do PIBID e aos graduandos dos diversos cursos de licenciatura dessas unidades e, em seguida, os professores e alunos da Educação Básica. Que objetivos a PrG espera alcançar e quando a Universidade começará a implantar as ações propostas pelo Núcleo de Acessibilidade Aprender sem Limites (NASLU)? A educação especial é uma modalidade da educação nacional e perpassa todos os níveis e etapas da educação básica e superior. Onde tiver um aluno com deficiência e/ou transtornos globais de desenvolvimento e/ou altas habilidades-superdotação, aí deverá haver um atendimento educacional especializado para esse aluno (Art. 58 da LDB). O objetivo da PrG é dar todas as condições para a aprendizagem desse aluno. É necessário mudar a cultura acadêmica da Universidade para entender que esse aluno tem direito a aprender sem limites.


UEG.BR JORNAL DA UEG

ANÁPOLIS, GOIÁS OUT/2013 05

Eleição

Novos diretores das UnUs serão escolhidos em novembro A Universidade Estadual de Goiás (UEG) realizará no dia 20 de novembro a eleição para o cargo de diretor educacional em 41 das unidades universitárias. A eleição para diretor na Instituição é prevista no artigo 45 do Estatuto da UEG e Lei Complementar 026/99. A Comissão Eleitoral Central (CEC) para organizar o pleito foi eleita nos dias 27 e 28 de agosto pelo Conselho Universitário (CsU) e nomeada por Portaria do Reitor. Lista tríplice A eleição se dará para constituição de uma lista tríplice, onde está assegurada a participação de todos os segmentos da comunidade acadêmica, com votações simultâneas nas 41 unidades universitárias. Os nomes indicados na lista tríplice por unidade serão homologados pelo Conselho Universitário e um deles será encaminhado pela Reitoria ao Governador para nomeação. De acordo com o Regimento Eleitoral da UEG, aprovado pela

76ª plenária do Conselho Universitário, atendendo a LDB – Lei 9.394/96 -, que define o peso eleitoral; o peso do voto dos professores corresponde a 70% e, dos alunos e servidores, a 15% cada categoria. A votação, no dia 20 de novembro, irá ocorrer entre às 9h e 21h30. O requerimento para registro de candidaturas deve ser feito junto à Comissão Eleitoral Local, em cada unidade universitária, no dia 29 de outubro, entre as 9h e as 17 horas. Pode ser candidato ao cargo de diretor qualquer professor efetivo do quadro da UEG, que deverá postular candidatura para a unidade de sua lotação principal. Toda documentação exigida para o registro, bem como as re-

gras para as candidaturas estão disponíveis no endereço eletrônico www.eleicoes.ueg.br.

Alteração em decreto Para esta eleição de 2013, o reitor Haroldo Reimer encaminhou ao Governo do Estado a Resolução CsU 055/2013, com proposta de alteração no decreto 7.441/2011, sugerindo a criação do artigo 71-B, que estabelece as regras para esta eleição e o registro de candidaturas. As alterações sugeridas na Resolução do CsU 055/2013, assinada pelo reitor, são: Que os titulares de direção do quadro temporário, que estavam na função de diretor antes da edição do decreto 7.441/2011, possam estar aptos a concorrer a

um novo período de gestão, respeitando o limite de oito anos à frente da direção ou dois períodos de gestão; Que no caso da unidade não possuir docente efetivo, ou em caso positivo, o docente efetivo não se candidatar e a UnU não tenha titular de direção do quadro temporário que queira concorrer, a Congregação da Unidade poderá indicar nomes de seu quadro interno docente, independente de seus vínculos funcionais com a UEG, para composição de uma lista tríplice que será encaminhada para escolha do reitor e posterior nomeação pelo Chefe do Executivo. A Resolução CsU 055/2013 prevê que a criação do artigo 71-B do decreto 7.441/2011 aconteça até 31 de dezembro próximo. Até lá, as eleições nas unidades que dependerem desta modificação serão sobrestadas até a efetiva alteração que deverá ocorrer via decreto. Este passo é fundamental para dar segurança jurídica ao pleito eleitoral deste ano.

Divulgação

Pesquisa de mestrando de Ipameri sai na Globo Rural Feno Tropical, foi divulgada pela primeira vez no 7º dia de campo realizado na Fazenda Santa Brígida, zona rural do município de Ipameri Goiás, em 2013.

Foi publicada, na edição de nº 334 da Revista Globo Rural do mês de agosto deste ano, uma ampla reportagem sobre os resultados de uma pesquisa realizada pelo aluno de Mestrado em Produção Vegetal, da Unidade Universitária da UEG de Ipameri, Alex da Silva. A matéria, com o título “Prato Feito”, aborda os principais resultados da pesquisa conduzida pelo acadêmico sobre a nova técnica, batizada como

Feno tropical Um dos idealizadores desta ideia é o pesquisador da Embrapa Cerrados, Dr. João Kluthcouski. Segundo João K., como é conhecido, o feno tropical é o cultivo de braquiária com feijãoguandu-anão, uma gramínea e uma leguminosa. O mestrando, e autor da pesquisa, Alex da Silva, explica que “a combinação entre as diferentes espécies proporciona feno de melhor qualidade com acréscimo no teor de proteína em 18%, devido à presença do feijão-guandu-anão, além de fibras proporcionadas pela braquiária, o que não seria possível com o uso somente da gramínea. Além disso, tais espécies possuem boa palatabilidade, o que permite, também, o pastejo direto pelos animais”. Com o principal objetivo atingido, ou seja, obtenção de feno de qualidade para suprir necessidade dos animais no período da seca, João K. enfatiza a

importância das leguminosas na recuperação de pastagens degradadas “uma vez que as mesmas têm capacidade natural de fixar nitrogênio ao solo, melhorando a capacidade produtiva da pastagem. Além disso, possibilita ao pecuarista menores investimentos com fertilizantes, os quais são caros. O feno tropical pode ser obtido por meio da semeadura das duas espécies a lanço, incorporando-as com grade niveladora fechada, para não cobrir demais as sementes. Sendo possível, também, semear em linhas, intercalando o feijão-guandu-anão com a braquiária”, ensina o pesquisador. Produtividade Alex da Silva comenta que o corte do feijão ocorre entre 80 e 100 dias após a semeadura. Já a secagem vai depender de insolação, sendo necessário controlar a umidade do material cortado, que deve estar entre 15% e 20% na hora do enfardamento. No final do trabalho os pesquisadores verificaram, ainda, que a produtividade do feno tropical foi de 10 a 14 toneladas de matéria seca por hectare no verão, com esti-

mativa de custo por tonelada da matéria seca de R$ 58,51. O trabalho de pesquisa foi realizado na Fazenda Santa Brígida, na zona rural do município de Ipameri, em Goiás, sob a orientação do professor da Universidade Estadual de Goiás, Vitor Corrêa de Mattos Barretto, e pelos doutores pesquisadores da Embrapa Cerrados, João Kluthcouski e Priscila de Oliveira. Parceria “A parceria entre a Embrapa e a Fazenda Santa Brígida tem possibilitado aos alunos da Universidade Estadual de Goiás vivenciar o Sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), bem como na área de criação animal, o que tem contribuído para a complementação do conteúdo ministrado em sala de aula de forma prática, proporcionando, assim, um aprendizado mais completo”, ressalta o coordenador adjunto de Pesquisa em Silvicultura (fertilização florestal, sistemas agroflorestais e reflorestamento) da Unidade Universitária da UEG de Pires do Rio, professor Vitor Corrêa de Mattos Barreto.


06 ANÁPOLIS, GOIÁS OUT/2013

Vestir consciente

UEG.BR

JORNAL DA UEG

Criatividade e inovação na UEG Mostra Modas A criatividade rolou solta e agradou muitos presentes durante a VI UEG Mostra Modas, que aconteceu em 14 de setembro na Unidade Universitária da UEG de Trindade. O evento durou uma semana com várias discussões e foi encerrado com um desfile para que os acadêmicos do curso de Tecnologia em Design de Moda pudessem mostrar suas criações. Nesta edição o tema do desfile foi a cultura goiana e o vestir consciente, em que os acadêmicos levaram em conta na montagem dos looks metodologias de produção que não prejudicassem o meio ambiente. Recicláveis As peças, expostas tanto pelos corredores da Unidade quanto as que foram mostradas no desfile, abusavam da criatividade em suas composições. Os visitantes puderam conhecer todo o processo que envolve o planejamento e produção dos vestuários e acessórios. Trabalhos de

Cora Coralina, Antônio Poteiro e o estilo Art Déco serviram de inspiração aos acadêmicos, que foram ecologicamente corretos ao reutilizar diversos materiais recicláveis ou reaproveitáveis. Logo na entrada vestidos longos, inspirados em vários poemas de Cora Coralina, já davam as boas-vindas aos convidados. Algodão cru, juta, cordas, saco de batatas, lona de caminhão e garrafas pets derretidas e transformadas em flores serviam de composição para os vestidos expostos. Logo mais à frente era possível encontrar peças feitas de moulagens de papéis. Em outro estande colares e braceletes encantavam. Somente um olhar mais atento percebia que as bijuterias eram compostas de sucatas de confecção, como bobina, pés de maquinas, parafusos e ruelas. Na exposição os sapatos e bolsas não podiam ficar de fora. Painéis mostravam a primeira fase de produção, com o desenho dos acessórios; depois, conheciam os protótipos, onde os criadores

avaliavam a viabilidade da fabricação do produto; e por fim, estavam expostos os produtos acabados de toda essa fase, já prontos para comercialização. Ponto alto Mas o ponto alto do evento aconteceu com o desfile realizado em passarela montada na entrada da Universidade, e foi acompanhado por uma plateia atenta. Os alunos do primeiro ano trabalharam vestuários alternativos, como o uso de algodão cru. A turma do 2° ano apresentou acessórios, como sapatos e bolsas, que entre os produtos empregados em sua produção tinham couro de peixe tratado. Os acadêmicos do terceiro ano apresentaram 50 peças completas. A professora Nélia Finotti, coordenadora do curso de Design de Moda e também responsável por organizar o UEG Mostra Modas, ressaltou que o objetivo do curso é inserir no mercado de trabalho profissionais altamente capaci-

tados, mas que também tenham a preocupação de inovar e contribuir para construção de peças ecológicas, menos prejudiciais ao meio ambiente. “Queremos promover a reflexão sobre a importância do design e sua aplicação no campo da moda, objetivando produtos competitivos em um mercado tão dinâmico e promissor”, completa Nélia.

Dança

Acadêmicos participam da construção de espetáculo deos e projeções, realizados anteriormente às apresentações. A estreia do espetáculo aconteceu no último dia 5 de outubro, com duas apresentações no Teatro Sesi, em Goiânia. Produção “Segundo” é uma obra interpretada pelos bailarinos-coreógrafos Gabriel Côrtes e Tainara Carareto. O espetáculo fala sobre a mulher moderna, a mulher múltipla e seus diversos papéis em uma sociedade que lhe presta homenagens, mas nem sempre a respeita. A participação dos acadêmicos da UEG e UFG começou cinco meses antes da estreia da peça, com reuniões para que eles pudessem explorar e construir quem ou o que é esta mulher contemporânea abordada na obra. Após o desenvolvimento e planejamento da peça, os alunos partiram para outra etapa, que foi a distribuição dos papéis de cada um no espetáculo. A trilha sonora da peça foi realizada com composições dos estudan-

tes de música Gabriel Araújo e Luiz Gonçalves e colaboração de Rui Bordalo, universitário do curso de Direção de Arte. O figurino é de Amanda Marques, estudante de Design de Moda da UFG. O material de divulgação foi elaborado por Shay Reis, aluno do curso de Design Gráfico, também da UFG. E a parte audiovisual foi elaborada e executada pelos estudantes da UEG, com a colaboração de Rui Bordalo e Lucienne Almeida, respectivamente estudantes de Direção de Arte e Psicologia na Universidade Federal de Goiás. Segundo Tainara Carareto, esta foi a primeira vez que um grupo de estudantes foi convidado

a criar um espetáculo cênico profissional. “O trabalho se tornou um projeto de extensão da UFG e com isso ganhou ares de pesquisa acadêmica. Mas a troca de ideias e informações foi o grande lance. É uma forma deles se expressarem fora do meio acadêmico. Aproveitar a teoria e partir para a prática e ter contato com pessoas de áreas diferentes. Outro propósito foi o de criar novas plateias para a dança. Parte desses estudantes nunca tinha assistido dança, e trazer gente nova para o meio garante que a cena goiana se torne perene. É um olhar globalizante sobre a produção artística regional”, afirma.

Foto: Lu Barcelos

Criatividade e iniciativa não faltam aos acadêmicos do curso de Cinema e Audiovisual em suas mais diversificadas realizações. Agora, essas características são colocadas em nome do teatro e da dança, com a participação de dois acadêmicos da graduação da Unidade Universitária da UEG Laranjeiras, em Goiânia, na produção do espetáculo de dança “Segundo”. O projeto foi construído de forma coletiva e multidisciplinar com a atuação de 13 universitários de nove cursos diferentes (Cinema e Audiovisual, Dança, Design Gráfico, Design de Moda, Música, Publicidade e Propaganda, Artes Cênicas, Direção de Arte e Psicologia) das Universidades Estadual (UEG) e Federal de Goiás (UFG). Os estudantes Paullo Fernando, que faz o 1° ano do curso de Cinema e Audiovisual, e Kássia Oliveira, que está no 3° ano, contribuíram no projeto com a captação de imagens e a criação de um roteiro das cenas e desenvolvimento dos elementos do espetáculo, já que “Segundo” é permeado de ví-

Acadêmicos captam imagens para o projeto


JORNAL DA UEG UEG.BR

ANÁPOLIS, GOIÁS OUT/2013 07

Fomento

UEG contará com fundação de apoio O Conselho Universitário, em sua 75ª Plenária, instalada no último dia 3 de setembro, em Formosa, deliberou a criação e aprovação do Estatuto da Fundação de Apoio à Universidade Estadual de Goiás (FAUEG). A Fundação será uma entidade com personalidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, vinculada à UEG, e terá sede e foro na cidade de Goiânia. A minuta do Estatuto prevê que a FAUEG gozará de autonomia administrativa, financeira e científica, conforme estabelecido em normas próprias e nos termos da Lei, sendo indeterminado o seu prazo de duração. Ainda de acordo com a minuta do Estatuto aprovado pelo CsU, a Fundação tem por finalidade apoiar, promover e fomentar as atividades de ensino, pesquisa e extensão, o desenvolvimento científico e tecnológico, bem como o desenvolvimento institucional da Universidade

Estadual de Goiás, por meio da prospecção científica e tecnológica, da identificação, busca e assessoramento à elaboração de projetos e da captação e administração dos recursos obtidos; exercer atividades científicas, culturais e artísticas; divulgar trabalhos científicos, culturais e artísticos de reconhecido valor; incentivar e apoiar a formação de recursos humanos para a ciência, tecnologia, inovação e artes; prestar serviços técnicos e científicos à comunidade; e participar no processo de desenvolvimento do Estado e do País.

controle interno da FAUEG, de caráter permanente, composto por cinco membros que exercerão seus cargos a título honorífico, por um período de dois anos, permitida uma recondução. A Diretoria Executiva é o órgão de execução que coordena e supervisiona todas as atividades da FAUEG, na forma do presente estatuto e do seu regimento. A Diretoria Executiva será exercida por um Diretor Executivo e um Vice-Diretor Executivo, indicados pelo Reitor da Universidade Estadual de Goiás, para um

mandato de dois anos, permitida uma recondução. Para o reitor Haroldo Reimer, a Fundação representa mais um avanço no processo de consolidação da UEG. “A fundação de apoio é um braço operacional importante para toda universidade pública, capaz de dar mais agilidade a demandas pontuais. A UEG precisa demonstrar a capacidade de gestão transparente e eficiente desta fundação como prova de sua credibilidade pública”, afirma o reitor Haroldo Reimer.

Composição A FAUEG será composta de Conselho Deliberativo, Conselho Fiscal e Diretoria Executiva. O Conselho Deliberativo é o órgão máximo de deliberação da Fundação composto por membros do quadro efetivo da UEG, que exercerão seus cargos a título honorífico. O Conselho Fiscal é o órgão de

Intercâmbio

Alunos têm oportunidades na Europa

Universidades de Portugal e Espanha são opções para alunos da UEG que têm interesse em fazer intercâmbio no exterior. As oportunidades estão sendo divulgadas pela Coordenação Geral de Relações Institucionais e Internacionais da UEG em http://www.cgri.ueg.br. Na Espanha, a mobilidade poderá ser feita na Universidad Católica “Santa Teresa de Jesus” de Ávila (UCAV), onde os estudantes da UEG têm prazo até o próximo dia 30 de outubro para se candidatarem às vagas oferecidas em cursos de graduação para o 1° semestre de 2014. Neste convênio é ofertada a gratui-

dade dos estudos e as despesas correm por conta dos alunos. Quem for aceito para o Programa de Mobilidade da UCAV terá sua matrícula trancada na UEG no período em que estiver em intercâmbio. Podem se inscrever na mobilidade acadêmica o aluno matriculado em qualquer unidade da UEG a partir do 2º período ou no 2º ano de curso de graduação, bacharelado, tecnólogo ou licenciatura. A duração do intercâmbio é de seis meses a um ano. Para candidatar-se o aluno deverá preencher formulário no site do Departamento de Relações Internacionais da UCAV (https://www.ucavila.es/ rrii/). Após preencher a candidatura on line, o aluno deverá comparecer à CGRI-UEG com a documentação necessária que pode ser conferida no endereço http://www.cgri.ueg.br/noticia/15500. A documentação será encaminhada ao Departamento de Relações Internacionais da UCAV para análise. De acordo com a Coordenação

Geral de Relações Internacionais da UEG, toda documentação de solicitação de visto é de responsabilidade do aluno, bem como as taxas que porventura forem cobradas para a solicitação da documentação. O aluno deverá retornar da UCAV ao término do semestre letivo e concluir sua graduação na UEG. As disciplinas cursadas naquela instituição terão créditos aproveitados na UEG, bem como aproveitamento de Atividades Complementares e Disciplinas Optativas. Portugal A Universidade de Porto, em Portugal, também está oferecendo oportunidade de intercâmbio. Os alunos da UEG interessados em cursar disciplinas na Instituição têm prazo até o próximo dia 30 de novembro para se candidatarem às vagas oferecidas em cursos de graduação daquela instituição no 1° semestre de 2014. O aluno deverá preencher o formulário de candidatura online no site da Universidade do

Porto (http://sigarra.up.pt/up/ pt/web_page.inicial). No link Candidatura online, disponível em http://sigarra.up.pt/up/pt/ web_base.gera_pagina?p_pagina=122272, estará o Manual de Candidatura Online, que indica todos os procedimentos que devem ser seguidos para a realização da candidatura. Já para os interessados em cursar disciplinas na Universidade de Coimbra o prazo vai até o próximo dia 1º novembro. A Universidade de Coimbra é uma das mais antigas em operação na Europa e no mundo e uma das maiores instituições de ensino superior e de pesquisa de Portugal. O aluno que se candidatar deverá preencher formulário no site do Departamento de Relações Internacionais da Universidade de Coimbra (http://www. uc.pt/driic/estudantesIN/CandidatIN/), no link Candidatura on line. Para saber quais as áreas de graduação, bem como as disciplinas compatíveis, pode-se acessar o link http://www. uc.pt/ects/catalogo/.


08 ANÁPOLIS, GOIÁS OUT/2013

Destaque

UEG.BR

JORNAL DA UEG

Adriano Marques

Formação na UEG garantiu espaço em multinacionais No ano de 2006 a Universidade Estadual de Goiás colocava no mercado mais um profissional que se tornaria referência na área de Sistemas de Informação. Adriano Marques, que entrou na Universidade em 2003, concluía o curso e trilharia um caminho que mais tarde o levaria a Chicago, nos Estados Unidos. Após a formatura, Adriano recebeu convites para trabalhar na Nokia, em Manaus, e na Belgacom, oitava maior telecom do mundo, na Bélgica. O egresso da UEG aceitou a proposta da Bélgica, e se mudou para Bruxelas, onde, com a esposa, residiu por mais de um ano. Na cidade aperfeiçoou o inglês e aprendeu um

pouco de francês. “Por Bruxelas ser a capital da União Européia ela é uma cidade puramente cosmopolita, e pude conhecer pessoas de praticamente todos os países. Este tipo de experiência é muito transformadora. Voltamos ao Brasil, mas continuei trabalhando remotamente para duas empresas em São Francisco, nos Estados Unidos”, destaca Adriano. Na sequência, ele recebeu a proposta para trabalhar para uma outra empresa de tecnologia, baseada em Chicago. “Trabalhei remotamente para eles por pouco mais de um ano e resolveram me promover a Gerente de Projeto e me transferir para Chicago e traba-

lhar presencialmente do escritório. De 2007 a 2012 também trabalhei como Orientador no programa Summer of Code do Google, onde pude orientar dezenas de estudantes de várias partes do mundo a desenvolver software livre pela organização que fundei em 2007. Dei palestras em inúmeros eventos, em português e em inglês, no Brasil, na Bélgica e nos Estados Unidos”. Para conseguir espaço no mercado internacional, Adriano salienta que a formação recebida por ele na UEG fez muita diferença. “A formação técnica que recebi na UEG foi muito importante na minha carreira, mas acredito que a formação

profissional e ética foram muito mais importantes. Na Universidade aprendi a cooperar, respeitar, contribuir em um time, organizar atividades, desenvolver trabalhos, compartilhar conhecimento, cultivar amizades, ajudar e deixar ser ajudado”, finaliza.

Fatos marcantes

Visita - O reitor da UEG, Haroldo Reimer, e o deputado estadual Lincoln Tejota (PSD) estiveram, no último dia 1º de outubro, na cidade de São Miguel do Araguaia, onde visitaram a Unidade da UEG na cidade. Durante encontro com a diretora educacional, Mary Soares de Almeida Reis, professores, alunos, servidores e diversas autoridades locais, foi tratado sobre a construção do prédio próprio da Unidade que possui 213 alunos matriculados nos cursos de Letras, Pedagogia e Tecnologia em Aquicultura. Física - Com os temas “20 anos do Teletransporte Quântico” e “100 anos do modelo atômico de Bohr”, o Curso de Física da Unidade Universitária de Ciências Exatas e Tecnológicas de Anápolis (UnUCET) realizou a VIII Semana da Física da UEG, entre os dias 4 e 6 de outubro, na Unidade Universitária da UEG de Pirenópolis. Erasmus Mundus - Estão abertas até o próximo mês de novembro as inscrições para o projeto Babel (Building Academic Bonds Betweem Europe and Latin America), um programa de cooperação in-

ternacional e mobilidade na área da educação superior financiado pela Comissão Européia e implementado pela Agência Executiva para a Educação, Audiovisual e a Cultura (EACEA) ligado ao Erasmus Mundus. O Programa oferece bolsas a estudantes, investigadores e pessoal acadêmico e administrativo da América Latina que desejem realizar um período de mobilidade, ou formação integral, em algumas das melhores e mais bem conceituadas universidades da Europa. Interessados poderão obter maiores informações na CGRI. Telefone: (62) 3328-1423.

Festival – A UEG começa os preparativos para a realização do Festival Internacional de Folclore e Artes Tradicionais, a ser realizado em agosto de 2014 em Pirenópolis, Goiás. Do primeiro encontro para tratar do assunto participaram a chefe de gabinete da Reitoria, Juliana Almada, a assessora Viviane Zamo, o coordenador geral de relações internacionais e institucionais, Gilson Scharnik, a diretora educacional da UnU Pirenópolis, Selma D´Abadia Oliveira, e os secretários municipais de Pirenópolis, João Luiz Teixeira Brandão Sobrinho (Cultura) e Sérgio Marcos Rady (Turismo). O Festival deve envolver grupos folclóricos regionais, nacionais e estrangeiros, na realização de seminários, oficinas, palestras e apresentações culturais em praças, escolas e espaços públicos na cidade. RENAC - Estão abertas até o próximo dia 13 de novembro as inscrições para o Mestrado em Recursos Naturais do Cerrado (RENAC), oferecido pela Universidade Estadual de Goiás (UEG), na Unidade Universitária de Ciências Exatas e Tecnológicas de Anápolis (UnUCET). Poderão se inscrever pessoas que tenham título de curso superior de duração plena dentro das grandes áreas de conhecimento do CNPq em Ciências Biológicas, Ciências da Saúde, Ciências

Humanas, Ciências Exatas e da Terra e Multidisciplinar. Maiores informações sobre o curso, linhas de pesquisa, corpo docente podem ser obtidas no endereço eletrônico www.prp.ueg.br/renac. CRUB - O reitor da UEG, Haroldo Reimer, foi eleito como suplente do Conselho Fiscal do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (CRUB) no dia 9 de outubro, em Brasília, durante a 84ª Reunião Plenária do Conselho, que teve como tema “Para a educação superior avançar, autonomia universitária”. No encontro, foi eleita a nova diretoria, com o reitor da PUC-Goiás, Wolmir Amado, sendo reeleito presidente do CRUB para o período de 20132015, com 25 votos de reitores de todos os setores e regiões do País. Curtas - Três membros do curso de Cinema e Audiovisual da Unidade Universitária da UEG Laranjeiras, em Goiânia, foram premiados durante a 13ª Goiânia Mostra Curtas, realizada de 8 a 13 de outubro. Da UEG foram premiados a professora Alyne Fratari com o filme “O Cartão de Natal de 1957”, melhor direção; o acadêmico Getúlio Ribeiro, menção honrosa pela produção “O que Aprendi com Meu Pai”; e o servidor técnico-administrativo Vasconcelos Neto, prêmio especial do Júri, pelo filme “A vida de Cada Um”.

Fica a dica

Por Márcia Costa

“Nada é tão contagioso como o exemplo”. (François La Rochefoucauld)

Há pessoas que são fonte de inspiração por apresentarem habilidades e posturas exemplares. São líderes na verdadeira essência da palavra por compreenderem que a melhor forma de influenciar pessoas é tornarem-se modelo de comportamento que desejam ver nos outros. O verdadeiro líder é capaz de promover um nível muito mais elevado de comprometimento, cooperação e engajamento. São pessoas que estão preocupadas em elevar não só a própria performance, mas de toda equipe, buscando a melhoria contínua de todos para alcançar a excelência. Cabe a cada um decidir como quer influenciar os colaboradores, a maneira como quer ser percebido.

Jornal UEG | Edição 6 | outubro | 2013  

Curso de Administração da UEG obtém nota 5 no Enade