Page 1

Recurso Pedagógico Escolhas “CORAÇÃO NA BOCA”

Coimbra, 2012 Financiado por:

Co-financiado por:


Recurso Pedagógico Escolhas “CORAÇÃO NA BOCA”

ÍNDICE I – Introdução……………………………………………………………………3 II – Enquadramento Teórico Conceptual………………………………………...5 III – Narrativa da Prática…………………………………………………………9 IV – Instrumentos, ferramentas e outros materiais utilizados……………………15 V – Avaliação do Recurso……………………………………………………….16 VI – Considerações Finais………………………………………………………20 VII – Bibliografia………………………………………………………………..22 Anexos

Financiado por:

Co-financiado por:


I – Introdução O Projecto Trampolim, inserido no Programa Escolhas – 4ª Geração, resulta da iniciativa de várias organizações, reunidas em Consórcio, nomeadamente Câmara Municipal de Coimbra, Cáritas Diocesana de Coimbra, Cearte, Inovinter, Agrupamento de Escolas da Pedrulha, O Teatrão e Cooperativa Mandacaru. Este Projecto destina-se a crianças e jovens desfavorecidos socialmente (dos 6 aos 24 anos), dos Bairros Municipais do Ingote e da Rosa, em Coimbra. Tem como objectivo responder às necessidades, motivações e expectativas deste público em matéria de Ocupação de Tempos Livres e acompanhamento de inserção na vida activa, através da dinamização de Espaços, Serviços e Actividades que contribuam para o desenvolvimento e/ou reforço de competências pessoais, sociais e profissionais essenciais à melhoria da qualidade de vida e ao seu processo de Inclusão. Desta forma, os objectivos centrais da sua actuação são: Promover o Sucesso Escolar e Integração Profissional e Promover a Participação Cívica e Capacitação dos Jovens. O presente Recurso Pedagógico, denomina-se de “Coração na Boca” e surge de uma proposta por parte do Programa Escolhas (E4G) lançada a todos os Projectos ao nível nacional. O Recurso Pedagógico “Coração na Boca”, insere-se na actividade com o mesmo nome, dinamizada pelo Projecto Trampolim, enquadrada na área estratégica de intervenção Inclusão Escolar e Educação Não Formal. A tipologia de suporte deste recurso é o Blog (www.coracaonabocacoimbra.wordpress.com). Este Recurso Pedagógico surge como proposta de resposta a dois problemas principais: escassez de informação, por parte dos destinatários e beneficiários, ao nível da Educação para a Saúde e escassez de recursos variados para discussão, obtenção de conhecimentos e apoio on line, havendo possibilidade de envio de questões anonimamente. Desta forma, os principais objectivos deste Recurso Pedagógico, são: - Proporcionar condições para a criação de uma Comunidade Virtual de Prática e Aprendizagem ao nível de Educação para a Saúde (Educação Sexual); - Fomentar a participação em fóruns on line de discussão aberta para esclarecimento de dúvidas e propostas de eventuais soluções, bem como, partilha de experiências e boas práticas ao nível da educação para a Saúde; - Contribuir para a prevenção da gravidez na adolescência de doenças sexualmente transmissíveis e de comportamentos desviantes associados; - Fomentar, através de um espaço virtual, bem-estar pessoal, social e espírito de cidadania activo. Financiado por:

Co-financiado por:


Este documento do Recurso Pedagógico “Coração na Boca”, permite aos interessados ter uma visão sobre todo o processo de reestruturação de um Blog, criado pelo Projecto Trampolim, sendo possível aceder através do endereço: www.coracaonabocacoimbra.wordpress.com. Esta reestruturação prevê a colaboração de parceiros locais, envolvimento de destinatários, beneficiários e participação da comunidade local, de forma a proporcionar condições para a criação de uma Comunidade Virtual de Prática e Aprendizagem ao nível da Educação para a Saúde, muito centrada na Educação Sexual e Reprodutiva. Para promover a sua divulgação e dinamização, fomentando um espaço on line mais dinâmico e com maior participação local, têm vindo a ser realizados alguns eventos, em estreita articulação com entidades parceiras locais.

Financiado por:

Co-financiado por:


II – Enquadramento Teórico Conceptual O recurso pedagógico “Coração na Boca”, que está a ser desenvolvido pelo Projecto Trampolim, consiste num blog sobre Sexualidade na Adolescência e tem como principal objectivo promover a vivência de uma sexualidade mais responsável e saudável por parte dos jovens, através da divulgação de informação relativa a diferentes dimensões do desenvolvimento bio-psico-social. Trata-se, portanto, de um instrumento de Educação Sexual, que pode ser utilizado por jovens e educadores para esclarecer dúvidas, partilhar experiências e aprender mais sobre saúde sexual e reprodutiva. Face ao exposto, consideramos importante explicitar brevemente os conceitos de Sexualidade e Adolescência, bem como abordar os principais modelos teóricos de Educação Sexual e reflectir sobre a utilização das novas tecnologias da informação e comunicação nesta área. Definição de Sexualidade A Sexualidade é um conceito multidimensional, na medida em que engloba vários factores que interagem entre si, podendo ser definida como um processo de aprendizagem que ocorre ao longo da vida. De facto, a Sexualidade tem início após o nascimento e prolonga-se até ao fim da vida, incluindo diferentes dimensões do desenvolvimento humano, entre as quais se destacam a biológica, a psicológica e a social (Carvalho, 2010; Vieira, 2009). A dimensão biológica da Sexualidade está relacionada com a aquisição da capacidade de reprodução, a qual depende da maturação dos órgãos sexuais e, portanto, de aspectos anatómicos e fisiológicos. A dimensão psicológica refere-se ao papel que as emoções, pensamentos, atitudes e comportamentos desempenham na expressão da sexualidade humana. Por último, a dimensão social diz respeito à influência que os agentes de socialização (família, vizinhos, pares, escola, comunidade, meios de comunicação social, entre outros) têm no desenvolvimento sexual (Carvalho, 2010). Segundo Vieira (2009), o modo como o indivíduo vivencia a sua sexualidade vai influenciar a relação que estabelece com os outros e consigo próprio, podendo ter repercussões na sua saúde física e mental. Desta forma, é importante promover o desenvolvimento de competências pessoais e sociais que permitam ao indivíduo lidar de forma mais adaptativa com as várias dimensões da sexualidade ao longo de todo o ciclo vida.

Financiado por:

Co-financiado por:


O conceito de Adolescência A Adolescência é um período marcado por várias mudanças, o que implica que o indivíduo seja capaz de se adaptar às exigências decorrentes das transformações físicas e psicológicas que têm lugar nesta etapa da vida (Anastácio, 2010). Em termos etimológicos, a palavra adolescência deriva do vocábulo latino adolescere, que significa crescer. Assim, a Adolescência pode caracterizar-se como uma fase de crescimento ou de desenvolvimento, que coloca o indivíduo perante uma nova forma de se ver a si próprio, os outros e o mundo (Vieira, 2009). A Adolescência prolonga-se por vários anos, estando compreendida entre a infância e a vida adulta. Vários autores dividem a adolescência em três fases: inicial (dos 10 aos 13 anos), intermédia (dos 14 aos 16 anos) e tardia (depois dos 16 anos). O início da adolescência caracteriza-se pelo surgir da puberdade. A fase intermédia caracteriza-se pela centração na relação com os colegas e o final da adolescência pela formação da identidade (Vieira, 2009). Durante a adolescência, a personalidade está em fase de estruturação e, por isso, a sexualidade assume grande relevância na construção da identidade do adolescente (Vieira, 2009). Relativamente ao percurso sexual do adolescente, consideram-se geralmente duas fases: a fase inicial, em que se assiste a uma forte identificação com os pares do mesmo sexo, e a fase final, em que ocorre uma identificação com os pares do sexo oposto. A aproximação ao sexo oposto juntamente com a maturação do aparelho reprodutor conduz às primeiras relações amorosas, por vezes acompanhadas das primeiras experiências sexuais (Anastácio, 2010). Torna-se, então, essencial acompanhar os jovens durante esta etapa do ciclo de vida, de forma a promover experiências positivas da sexualidade e a prevenir eventuais comportamentos de risco. Educação Sexual: modelos e metodologias O Relatório Preliminar do Grupo de Trabalho de Educação Sexual (2005) define a Educação Sexual como “o processo pelo qual se obtém informação e se formam atitudes e crenças acerca da sexualidade e do comportamento sexual. Tem como objectivo fundamental o desenvolvimento de competências nos jovens, de modo a possibilitar-lhes escolhas informadas nos seus comportamentos na área da sexualidade, permitindo que se sintam informados e seguros nas suas opções” (p. 6). A Educação Sexual é um processo que não tem início nem fim, estando intrinsecamente associado às aprendizagens que ocorrem, ao longo da vida, em diferentes contextos. Geralmente, considera-se que existem três tipos de Educação Sexual: Informal, Formal e Não Formal (Vieira, 2009). A Educação Sexual Informal é aquela que ocorre de forma espontânea e não intencional, assentando nas vivências do quotidiano, proporcionadas por figuras significativas (pais, amigos, família alargada, entre outros). Financiado por:

Co-financiado por:


Desta forma, a Educação Sexual Informal está sempre presente e baseia-se, essencialmente, na aprendizagem por modelagem (Ministério da Educação, 2005; Vieira, 2009). No que diz respeito à Educação Sexual Formal e Não Formal, caracterizam-se ambas por serem processos intencionais e desenvolvidos por profissionais em contexto escolar. No entanto, enquanto a Educação Sexual Não Formal ocorre em horário extra-curricular ou paralelamente ao sistema educativo, a Educação Sexual Formal está programada no currículo, realizando-se de modo sistemático e coerente ao longo dos diferentes níveis de ensino. A Educação Sexual Formal pode constituir-se como uma disciplina ou assumir uma forma inter e transdisciplinar, o que está mais de acordo com a natureza multidimensional do conceito de sexualidade (Vieira, 2009). Existem vários modelos de Educação Sexual, entre os quais podemos referir o Modelo Impositivo Conservador, o Modelo Liberal e Revolucionário, o Modelo Médico Preventivo e o Modelo de Desenvolvimento Pessoal. No primeiro, a sexualidade tem como fim a procriação e só é aceite dentro do casamento, pelo que este modelo impõe regras de comportamento sexual rígidas e limitadoras das decisões pessoais. O segundo modelo surge como reacção à moral sexual tradicional, encarando a educação sexual como uma forma de libertação das pessoas. No terceiro modelo, a educação sexual centra-se, essencialmente, na dimensão biológica da sexualidade e tem como principal objectivo prevenir comportamentos de risco. Por último, o Modelo de Desenvolvimento Pessoal perspectiva a sexualidade como uma construção pessoal, tendo em conta as suas diferentes vertentes (Vieira, 2009). De salientar que, dos modelos referidos, só o Modelo Liberal e Revolucionário está actualmente menos presente. O Modelo Médico Preventivo também já não é visto como um modelo de aplicação exclusiva, uma vez que é consensual que a educação sexual não é apenas a prevenção de riscos, mas ainda reúne grande aceitação. Ultimamente, o Modelo Impositivo Conservador tem vindo a ganhar mais força, defendendo a abstinência sexual como forma de evitar problemas na esfera sexual e reprodutiva. De sublinhar ainda a expansão do Modelo de Desenvolvimento Pessoal, que considera que a sexualidade pode ser vivida de forma saudável de várias maneiras, existindo diferentes biografias sexuais (Sánchez, s.d.). Relativamente às diversas metodologias que podem ser usadas em Educação Sexual, desde Jogos de “quebra-gelo”, “Brainstorming”, Debates “pró e contra”, Dramatizações, entre outras (Vilar, 2005), destacam-se cada vez mais as novas tecnologias da informação e comunicação, tais como os blogs, que podem ser um espaço de divulgação e partilha de diversa informação (Gomes, 2005). Os blogs são páginas na Web, actualizadas por norma com grande frequência através da colocação de mensagens, que se designam por posts e são apresentadas de forma cronológica (Gomes, 2005).

Financiado por:

Co-financiado por:


De acordo com Gomes (2005), a utilização dos blogs em contexto educativo justifica-se pelo facto destes promoverem o desenvolvimento de múltiplas competências associadas à pesquisa e selecção de informação, à produção de texto escrito e ao domínio de diversos serviços e ferramentas da Web (Gomes, 2005). De referir que, a exploração dos blogs pode ser vista enquanto recurso pedagógico e enquanto estratégia pedagógica. No primeiro tipo de exploração, os jovens assumem um papel mais passivo, sendo que a sua participação limita-se muitas vezes à leitura dos posts, recorrendo aos blogs para obterem informação. Na segunda abordagem de exploração dos blogs, os próprios jovens são os autores ou co-autores dos blogs e nesse sentido realizam várias actividades associadas à publicação de posts, o que promove o desenvolvimento de competências, tanto a nível da informática como da comunicação escrita (Gomes, 2007). Assim, na perspectiva de exploração dos blogs como recurso pedagógico, estes são essencialmente utilizados como fonte de informação, ao passo que no segundo tipo de exploração, os blogs são vistos como facilitadores da aprendizagem, na medida em que envolvem os jovens em actividades de pesquisa, selecção, análise, síntese e publicação de informação, as quais estão inerentes à criação e dinamização de um blog (Gomes, 2007). De salientar, no entanto, que apesar de distintas, estas duas abordagens de exploração dos blogs podem ser perspectivadas como um continuum, sendo por vezes parcialmente coincidentes (Gomes (2007). O blog “Coração na Boca” é um exemplo claro disso mesmo, uma vez que é apresentado como um recurso pedagógico, mas também pode ser encarado como uma estratégia pedagógica. É um recurso, porque disponibiliza informação actualizada e especializada no domínio da Sexualidade, abordando temas tão diversificados como as relações afectivas, o corpo, a saúde sexual e reprodutiva, a gravidez, entre outros. Também constitui uma estratégia, pois os destinatários e beneficiários do Projecto Trampolim participam activamente na (re)construção do blog, estando envolvidos na sua dinamização através da pesquisa, selecção e inserção da informação, assim como na melhoria do aspecto visual e gráfico e na sua divulgação.

Financiado por:

Co-financiado por:


III – Narrativa da Prática Ao longo do processo de experimentação, foram desenvolvidas actividades que deram origem ao Recurso Escolhas “Coração na Boca”. Consistiram em sessões de carácter quinzenal (ver Anexo III), nas quais as destinatárias envolvidas colaboraram na reconstrução do Blog, através da recolha de informações sobre diversos temas.

Recursos e requisitos técnicos, materiais e humanos necessários a uma boa utilização/replicação do recurso noutros contextos: Técnico/formador em construção de Blogs; Técnico do Projecto responsável pela actividade “Coração na Boca” (acompanhamento das destinatárias no processo de reconstrução do Blog).

Problemas e dificuldades encontradas em sede de experimentação: Ao nível do técnico responsável pela actividade, manter a atenção e motivação das destinatárias, ao longo das sessões de reconstrução do Blog, em relação aos temas da pesquisa; Ao nível das destinatárias, serem capazes de seleccionar quais as informações mais pertinentes para introduzir no Blog; Os temas inicialmente eram distribuídos individualmente por cada participante, no entanto, tendo em conta a ausência pontual de alguns elementos da actividade, optou-se por trabalhá-los em grupo, o que favorece também a atenção e a motivação.

Méritos e potencialidades identificados e formas de os potenciar: Esta actividade possibilita o contacto com as novas tecnologias e permite às destinatárias que nela participam melhorar as suas competências no uso das mesmas. Para além disso, com a realização das pesquisas, poderão melhorar os seus conhecimentos acerca dos diversos temas alvo de pesquisa. De seguida apresentaremos, passo a passo, como se pode construir um Blog. Financiado por:

Co-financiado por:


CRIAR UM BLOG Introdução Existem vários servidores que permitem criar blogs. Vamos exemplificar o caso do Blog “Coração na Boca” que é da Wordpress. Os outros terão um funcionamento muito semelhante.

Como Criar um Blog? 1. Aceder à Pagina www.wordpress.pt 2. Clicar em “ENTRE AGORA!”

De seguida é necessário escolher o nome do blog que queremos, e fazer o nosso registo.

coracaonabocacoimbra

Trampolim

……..

……..

trampolim.pe@gmail.com

3. De seguida faça atualização dos seus dados e confirme o seu perfil. Financiado por:

Co-financiado por:


4. Vá à sua caixa de email e aceda ao link na mensagem da wordpress para validar o seu blog. O link leva-o directamente para a página de manutenção do blog.

Nota: Sempre que se queira aceder à pagina de administração do blog é necessário colocar na barra de endereços o nome do blog seguido de /wp-admin Exemplo: (http://coracaonabocacoimbra.wordpress.com/wp-admin) De seguida é pedido o nome de utilizador e senha para entrar.

Financiado por:

Co-financiado por:


1º Contacto com a criação do blog No início é necessário estruturar o blog para a imagem que idealizámos. Fundo, páginas, conteúdos, etc... Como se faz então? Do lado esquerdo da página de Administração do Blog existe um painel com as opções para construção e manutenção do blog (representado na imagem ao lado). As principais e que serão utilizadas agora no início são:

Apresentação Podemos aqui escolher os temas, fundo, cabeçalhos, ordem dos menus

Páginas Aqui criamos novas páginas ou sub páginas, e ou então aceder às páginas que já temos criadas para fazer atualizações.

Financiado por:

Co-financiado por:


Opções Nesta lista, que é importante usar no início, é aqui que podemos definir algumas opções de gestão do blog como e-mail de notificações, administração de comentários e posts do blog.

Colocar informação Para colocar informação podemos inserir um POST (comunicação rápida) que fica inserido na página inicial do blog. Os POST vão sendo substituídos uns pelos outros à medida que vão sendo inseridos. Para colocar um POST basta estar no Separador do Painel, onde diz QuickPress, colocar a informação e depois publicar.

Financiado por:

Co-financiado por:


Se a informação que queremos colocar for para manter, ou for uma informação mais fixa, então aquilo que teremos que fazer será: a) Criar uma nova página no separador (Páginas)

b) Dar um título à página e colocar a informação. c) Quando criamos páginas é importante definir os atributos da página. Onde diz página superior podemos escolher o local onde a página será inserida, se na raiz do blog se numa página já criada (ficando assim como sub página). Onde está Modelo não é preciso alterar, e onde está Ordem podemos definir a ordem pela qual as páginas vão aparecer no blog. Por exemplo se escolher três páginas: inicio; contactos; e noticias. Posso definir que a ordem que quero para aparecer no blog é início (0), noticias (1) e Contactos (2), independentemente da ordem pela qual as crio.

Financiado por:

Co-financiado por:


d) Ao colocar informação podemos escolher a forma como ela fica através da barra de ferramentas. Assim como colocar informação como imagens, vídeos ou outros conteúdos.

e) Por último sempre que seja feita alguma intervenção nas páginas ou no blog não esquecer que é necessário Publicar

Espero que a informação seja útil para a criação do vosso blog!

Financiado por:

Co-financiado por:


IV - Instrumentos, ferramentas e outros materiais utilizados e validados pela equipa no decurso do processo de experimentação O

principal

instrumento

do

Recurso

Pedagógico

“Coração

na

Boca”

é

o

Blog

(http://www.coracaonabocacoimbra.wordpress.com), cuja criação constitui o primeiro passo do processo de desenvolvimento do recurso. No Anexo I apresenta-se a sua estrutura. Entre as ferramentas utilizadas no decurso da experimentação do recurso, podem-se salientar as seguintes: - Computador com acesso à Internet; - Alguns sites de interesse para recolha de informações que constam no Blog (Ver Anexo II). Foram utilizados diversos materiais, ao longo das sessões de reconstrução do Blog, nomeadamente, fichas de trabalho, revistas, vídeos, jogos pedagógicos e letras de músicas (Anexo III).

Financiado por:

Co-financiado por:


V – Avaliação do Recurso Na sequência dos eventos dinamizados pelo Projeto Trampolim (Anexo IV), em articulação com algumas escolas, para divulgação do Blog, foi possível avaliar alguns aspetos relacionados com o Blog, através do preenchimento, por todos os participantes, de questionários de avaliação (Anexo V). Os resultados poderão ser analisados mediante os gráficos, efetuados através das respostas às seguintes perguntas, num universo de 89 alunos:

Consideras o Blogue Coração na Boca Importante? 8% Sim Não

92%

De acordo com o que está espelhado no gráfico, 92% dos inquiridos considera o Blog “Coração na Boca” importante, ao contrário de 8% que não lhe atribui importância.

Classifica o grau de importância que atribuis ao Blogue:

33%

7% Muito Pouca Pouca 60%

Muita

Muitíssima

Financiado por:

Co-financiado por:


Mediante a análise do gráfico, pode-se constatar que a maior parte dos inquiridos considera o Blog muito importante, seguindo-se 33% que lhe atribui muitíssima importância e, por último, 7% com pouca importância.

Achas que o Blogue "Coração na Boca" é útil para esclarecer dúvidas? 8% Sim Não

92%

No que concerne ao esclarecimento de dúvidas, 92 % dos alunos considera que o Blog “Coração na Boca” é útil para esclarecer dúvidas e apenas 8% consideram que não.

Classifica o grau de utilidade que atribuis ao Blogue 5%

7%

29%

Muito pouca Pouca 59%

Muita Muitíssima

Com base na leitura do gráfico, pode-se observar que 59% dos inquiridos, atribuem muita utilidade ao Blog, seguido de 29% para muitíssima utilidade e cerca de 12% para pouca ou muito pouca utilidade.

Financiado por:

Co-financiado por:


Consideras que o Blogue "Coração na Boca" poderá contribuir de alguma maneira para o teu desenvolvimento? 18% Sim

82%

Não

Perante a questão se consideravam que o Blog Coração na Boca poderia contribuir para o desenvolvimento, 82% responderam que sim e 18% que não.

Financiado por:

Co-financiado por:


VI – Considerações Finais O blog “Coração na Boca” constitui um instrumento de Educação Sexual, visando promover o desenvolvimento de atitudes positivas face à sexualidade, de forma a combater problemas como a gravidez na adolescência, a transmissão de doenças por via sexual e a violência nas relações. Este recurso destaca-se de outras respostas na mesma área por reunir um conjunto diversificado de informações que habitualmente se encontram disponíveis separadamente e por permitir o esclarecimento de dúvidas de uma forma anónima. Tem ainda a mais-valia de envolver os jovens no processo de ensinoaprendizagem, uma vez que eles participam ativamente na reconstrução do blog, sendo esta a sua característica mais inovadora. Apresenta-se como um espaço de partilha de experiências na área da sexualidade, pretendendo dar resposta à escassez de informação por parte dos destinatários e beneficiários ao nível da Educação para a Saúde, no geral, e da Educação Sexual, em particular, bem como para a escassez de recursos variados para a discussão, obtenção de conhecimentos e apoio on-line ao mesmo nível. Este recurso, ao utilizar as novas tecnologias da informação e da comunicação, facilita a inclusão social, na medida em que possibilita que os jovens tenham contacto com crenças, valores e perspetivas diferentes sobre a sexualidade, tendo também a oportunidade de expressar e dar a conhecer as suas próprias ideias, o que promove a aproximação de realidades social e culturalmente distintas. O blog “Coração na Boca” tem uma vertente educativa, proporcionando a aquisição e consolidação de conhecimentos na esfera sexual e reprodutiva. As novas aprendizagens refletem-se nas atitudes e comportamentos dos jovens, os quais demonstram maior consciencialização dos riscos associados à sexualidade, maior responsabilidade na tomada de decisões e maior capacidade para lidar com situações-problema. De salientar que as mudanças a nível atitudinal e comportamental são maximizadas pelo facto deste recurso incentivar a participação ativa dos jovens, os quais podem, de forma autónoma, e se quiserem de forma anónima, pesquisar, questionar e esclarecer dúvidas associadas à sua saúde e educação sexual. O blog “Coração na Boca” pode ser conceptualizado como uma atividade promotora do desenvolvimento psicossocial, dotando os jovens de competências que lhes permitem responder de forma mais adequada e autónoma aos desafios que surgem durante a adolescência. Este recurso potencia também o desenvolvimento da cidadania, na medida em que estimula os jovens a desempenhar um papel mais ativo no seio da comunidade em que estão inseridos. Está estruturado de forma acessível, podendo ser facilmente utilizado e explorado por qualquer pessoa que possua competências básicas de informática. Este recurso também pode ser replicado, sem dificuldade, em Financiado por:

Co-financiado por:


outras situações de intervenção, uma vez que as sessões que lhe dão origem estão devidamente planificadas, sendo disponibilizado um documento orientador, em que é descrito o modo com as sessões são dinamizadas e os seus objetivos. Esse documento contém igualmente a caracterização da população-alvo, bem como a explicitação dos materiais e dos métodos de avaliação utilizados durante as sessões. Considera-se que o blog “Coração na Boca” reúne os principais requisitos de um Recurso Escolhas, constituindo-se como um guia de boas práticas de Educação Sexual, que pode ser utilizado em diferentes contextos de intervenção para promover competências nos jovens, possibilitando-lhes fazer face às exigências provocadas pelas mudanças físicas e psicológicas que ocorrem durante a adolescência.

Financiado por:

Co-financiado por:


Bibliografia Anastácio, Z. (2010). Sexualidade na fase intermédia da adolescência: relacionamentos, comportamentos e conhecimentos. Retirado a 10 de Agosto de 2011 em: http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/10567/1/Texto_INFAD2010_ZeliaAnastacio.pdf Carvalho, E. P. N. (2010). Educação para a Sexualidade no Primeiro Ciclo do Ensino Básico. Retirado a 16 de Agosto de 2011 em: http://repositorioiul.iscte.pt/bitstream/10071/2583/1/Disserta%C3%A7%C3%A3o_set_2010.pdf Gomes, M.J. (2005). Blogs: um recurso pedagógico e uma estratégia pedagógica. Retirado a 10 de Agosto de 2011 em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/4499/1/Blogs-final.pdf Gomes, M.J. & Lopes, A.M (2007). Blogs escolares: quando, como e porquê? Retirado a 10 de Agosto de 2011 em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/6487/1/gomes2007.pdf Ministério da Educação (2005). Relatório Preliminar – Grupo de Trabalho de Educação Sexual. Retirado a 9 de Agosto de 2011 em: http://www.netprof.pt/pdf/Relatorio_EduSexual.pdf Sánchez, F.L (s.d.). Educação sexual hoje. Retirado a 8 de Agosto de 2011 http://www.apf.pt/cms/files/conteudos/file/Anexos%20EDS/Educacao%20sexual%20hoje.pdf

em:

Vieira, O.C.B.F (2009). A educação sexual na escola pública portuguesa: um olhar a partir da experiência de alunos do 10.º ano. Retirado a 10 de Agosto de 2011 em: http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/11138/1/Tese.pdf Vilar, D (2005). Metodologias em Educação Sexual. Retirado a 18 de Agosto de 2011 em: http://www.apf.pt/index.php?area=002&mid=001&sid=002&ssid=009

Financiado por:

Co-financiado por:


Recurso Pedagógico Escolhas “CORAÇÃO NA BOCA” Anexos Anexo I – Estrutura do Blog Anexo II – Sites relacionados com o Blog Anexo III – Planificação das Sessões Anexo IV – Eventos de Divulgação do Blog Anexo V – Questionário de Avaliação

Financiado por:

Co-financiado por:


ANEXO I – ESTRUTURA DO BLOG RELAÇÕES AMOROSAS Paixão e Amor Pilares das Relações Violência nas Relações: o Violência no Namoro o Violência Doméstica o Violência Sexual – Crimes Sexuais o Violência de Género O CORPO O Corpo Masculino O Corpo Feminino Padrões de Beleza Imagem Corporal e Auto-estima VIVER A SEXUALIDADE Masturbação Orientação Sexual o Homossexualidade o Bissexualidade o Heterossexualidade o Parafilias Pressão dos Pares Pressão da Família A 1ª Vez Riscos Associados à Sexualidade Descoberta do Corpo

Financiado por:

Co-financiado por:


SAÚDE SEXUAL E REPRODUTIVA Serviços de Atendimento Consulta Ginecológica Métodos Contraceptivos o Reversíveis o Irreversíveis o Contracepção de Emergência IST´s o Infecção Bacteriana o Infecção Viral o Infecção Parasitária Disfunções e Problemas Sexuais Resposta Sexual Humana GRAVIDEZ Planeamento Familiar Gestação Problemas Associados Gravidez Indesejada o Aborto o Adopção O Parto Amamentação DIREITOS SEXUAIS E REPRODUTIVOS Carta de Direitos

Financiado por:

Co-financiado por:


ANEXO II – SITES RELACIONADOS COM O BLOG http://juventude.gov.pt/ http://www.educacao.te.pt/ http://www.apf.pt/ http://www.saudereprodutiva.dgs.pt/?cpp=1 http://www.sexualidades.com

Financiado por:

Co-financiado por:


ANEXO III – PLANIFICAÇÃO DAS SESSÕES O Projecto Trampolim propôs-se criar uma Comunidade Virtual de Prática e Aprendizagem ao nível de Educação para a Saúde Sexual e Reprodutiva no âmbito da actividade “Coração na Boca”, que consiste na dinamização de um blog sobre Sexualidade na Adolescência. Os conteúdos do blog foram trabalhados em conjunto com os destinatários e beneficiários do Projecto, os quais recolheram e seleccionaram informação sobre os diversos temas.

Sessões de dinamização do blog Tema

Conteúdos

“O que deve existir numa relação amorosa?”

 

“O que caracteriza uma relação violenta?”     “Existem diversas formas de amar?”

4 horas

Paixão e Amor Pilares das Relações Violência nas Relações

4 horas

Violência no Namoro Violência Doméstica Violência Sexual Violência de Género Orientação Sexual

    “Como viver a sexualidade de forma saudável?”

4 horas

Homossexualidade Bissexualidade Heterossexualidade Parafilia Viver a Sexualidade

 

Duração

Relações Amorosas

4 horas

Descoberta do Corpo Masturbação A 1ª Vez

  “Porque razão a resposta sexual humana é diferente dos outros animais?”

Pressão dos Pares Pressão da Família O Corpo Masculino

4 horas

O Corpo Feminino Resposta Sexual Humana Disfunções e Problemas Sexuais

Tema

Conteúdos

“O corpo perfeito existe?”

O corpo Padrões de beleza

Financiado por:

Co-financiado por:

Duração 4 horas


Imagem corporal e auto-estima “Como cuidar da saúde sexual e reprodutiva?”

Saúde Sexual e Reprodutiva

4 horas

Serviços de Atendimento Consulta Ginecológica “Como prevenir uma gravidez indesejada?”

Métodos Contraceptivos

4 horas

 Reversíveis - Métodos Naturais - Métodos de Barreira - Métodos Químicos - Métodos Hormonais - Métodos Intra-Uterinos 

Irreversíveis - Laqueação Tubária - Vasectomia

Contracepção de Emergência

“O que são infecções sexualmente transmissíveis?”

Riscos Associados à Sexualidade

4 horas

IST´s    “Qual a importância do planeamento familiar?”

Infecção Bacteriana Infecção Viral Infecção Parasitária Planeamento Familiar

4 horas

Gravidez Indesejada    “Quais as implicações de decidir prosseguir com a gravidez?”

Aborto Adopção Gravidez

   

“O que são direitos sexuais e reprodutivos?”

Gestação Problemas Associados O Parto Amamentação Direitos Sexuais e Reprodutivos

Carta de Direitos Crimes Sexuais

Financiado por:

Co-financiado por:

4 horas

4 horas


Sessão “O que deve existir numa relação amorosa?” Descrição da sessão Esta sessão foi dividida em duas partes: na primeira foi realizado um debate sobre o tema “relações amorosas” e na segunda procedeu-se à dinamização do blog. O debate, que teve lugar no início da sessão, centrou-se essencialmente em três questões: Existem várias conceções de amor? Em que medida essas conceções influenciam as expectativas em relação ao parceiro? De que forma é que as relações amorosas devem ser vivenciadas? Após o debate, solicitou-se aos participantes que elaborassem um texto sobre o tema abordado durante a sessão para colocar no blog. Objetivos: Esta sessão teve como principais metas: - Explorar as conceções de amor dos jovens e as suas expectativas face a uma relação amorosa - Promover a vivência de relações amorosas baseadas na afetividade e no respeito pelo outro Avaliação: A avaliação desta sessão incluiu os seguintes indicadores: - Grau de adesão (medido através do nº de participantes na sessão) - Grau de interesse (avaliado pelo técnico através de uma grelha de observação) - Grau de satisfação (percecionado pelos participantes numa escala de 1 a 5) - Grau de aquisição dos conhecimentos (apreciado de forma subjetiva pelos intervenientes na sessão) Material Nesta sessão foram utilizados os seguintes recursos: - Computadores com acesso à internet Anexos: - Questionário - Grelha de Observação de Comportamentos e Atitudes

Financiado por:

Co-financiado por:


Sessão “O que caracteriza uma relação violenta?” Descrição da sessão Esta sessão foi composta por dois momentos distintos: o primeiro momento centrou-se na análise e discussão do tema “violência nas relações” e o segundo consistiu na recolha e seleção da informação para colocar no blog. No início da sessão foi abordado o conceito de maus-tratos e os diferentes tipos de abuso, bem como discutidas as causas da violência nas relações e formas de lidar com uma possível situação de vitimação. Após o debate procedeu-se à dinamização do blog, tendo-se envolvido os participantes em atividades de pesquisa na internet e elaboração de textos escritos. Objetivos: Esta sessão teve como principais metas: - promover a aquisição de conhecimentos acerca do fenómeno da violência dentro dos relacionamentos - capacitar os jovens para saberem reconhecer situações íntimas abusivas e gerir uma situação de violência Avaliação: A avaliação desta sessão incluiu os seguintes indicadores: - Grau de adesão (medido através do nº de participantes na sessão) - Grau de interesse (avaliado pelo técnico através de uma grelha de observação) - Grau de satisfação (percecionado pelos participantes numa escala de 1 a 5) - Grau de aquisição dos conhecimentos (apreciado de forma subjetiva pelos intervenientes na sessão) Material Nesta sessão foram utilizados os seguintes recursos: - Computadores com acesso à internet Anexos: - Questionário - Grelha de Observação de Comportamentos e Atitudes

Financiado por:

Co-financiado por:


Sessão “Existem diversas formas de amar?” Descrição da sessão Esta sessão foi estruturada em duas partes: na primeira foi realizada uma reflexão em torno do conceito de orientação sexual e na segunda procedeu-se à atualização da informação no blog. No início da sessão foi colocada a seguinte questão: “Só existe amor entre homem e mulher?”, de forma a abordar o tema da homossexualidade e distinguir os conceitos de orientação sexual e preferência sexual. Foi explorado também o tema da discriminação com base na orientação sexual. Objetivos: Esta sessão teve como principais metas: - Dar a conhecer as várias orientações da sexualidade, distinguindo-as dos transtornos da preferência sexual (parafilias) - Promover o respeito pela orientação sexual de cada um Avaliação: A avaliação desta sessão incluiu os seguintes indicadores: - Grau de adesão (medido através do nº de participantes na sessão) - Grau de interesse (avaliado pelo técnico através de uma grelha de observação) - Grau de satisfação (percecionado pelos participantes numa escala de 1 a 5) - Grau de aquisição dos conhecimentos (apreciado de forma subjetiva pelos intervenientes na sessão) Material Nesta sessão foram utilizados os seguintes recursos: - Computadores com acesso à internet Anexos: - Questionário - Grelha de Observação de Comportamentos e Atitudes

Financiado por:

Co-financiado por:


Sessão “Como viver a sexualidade de forma saudável?” Descrição da sessão Esta sessão foi composta por dois momentos diferentes: o primeiro momento consistiu na partilha de opiniões em torno do tema da sexualidade e o segundo envolveu os participantes em atividades de pesquisa na internet. Inicialmente solicitou-se aos participantes que dissessem o significado de sexo e anotou-se numa folha de papel. Depois, pediu-se que dissessem o que significava sexualidade e registou-se na mesma folha. A partir do que foi dito pelos participantes, iniciou-se um debate sobre a diferença entre sexo e sexualidade. Durante o debate, questionou-se também os participantes sobre os principais mitos e tabus associados à sexualidade, tendo sido abordado os conceitos de masturbação e virgindade. Perguntou-se também aos participantes com quem eles se sentiam mais à vontade para falar sobre sexo, de forma a refletir sobre a influência da família e dos pares nos comportamentos sexuais. Por último, foi solicitado aos participantes que procedessem à atualização do blog, sistematizando a informação que pesquisaram na internet sobre o tema. Objetivos: Esta sessão teve como principais metas: - Promover o debate sobre os mitos e tabus associados à sexualidade, de forma a desmistificar algumas ideias erróneas - Contribuir para a reflexão sobre a importância e o significado da família e do grupo de pares na vida dos jovens e sobre as dificuldades que podem surgir nessa convivência. Avaliação: A avaliação desta sessão incluiu os seguintes indicadores: - Grau de adesão (medido através do nº de participantes na sessão) - Grau de interesse (avaliado pelo técnico através de uma grelha de observação) - Grau de satisfação (percecionado pelos participantes numa escala de 1 a 5) - Grau de aquisição dos conhecimentos (apreciado de forma subjetiva pelos intervenientes na sessão) Material Nesta sessão foram utilizados os seguintes recursos: - Papel e caneta - Computadores com acesso à internet Anexos: - Questionário - Grelha de Observação de Comportamentos e Atitudes Financiado por:

Co-financiado por:


Sessão “Porque razão a resposta sexual humana é diferente dos outros animais?” Descrição da sessão Esta sessão foi constituída por duas partes: na primeira procedeu-se ao estudo da anatomia e funcionamento do sistema reprodutor humano e na segunda foram levadas a cabo atividades de pesquisa na internet, de forma a atualizar a informação no blog. No início da sessão, foi pedido aos participantes que preenchessem a ficha “Constituição dos aparelhos reprodutores feminino e masculino”. Após o preenchimento da ficha, solicitou-se aos participantes que corrigissem a ficha com recurso à internet e comparassem o sistema reprodutor humano com o de outros animais mamíferos. Foram, então, explicado que o mecanismo de reprodução dos mamíferos é semelhante, mas que a resposta sexual humana é diferente dos outros animais, porque transcende a mera componente biológica. Abordou-se ainda as etapas da resposta sexual humana e os problemas que podem surgir durante cada uma dessas etapas. Por último, foi solicitado aos participantes que sistematizassem a informação recolhida sobre a morfologia e fisiologia da resposta sexual humana, a fim de colocar no blog. Objetivos: Esta sessão teve como principais metas: - Proporcionar a aquisição e consolidação de conhecimentos sobre os aparelhos reprodutores feminino e masculino - Promover a compreensão dos processos envolvidos na resposta sexual humana Avaliação: A avaliação desta sessão incluiu os seguintes indicadores: - Grau de adesão (medido através do nº de participantes na sessão) - Grau de interesse (avaliado pelo técnico através de uma grelha de observação) - Grau de satisfação (percecionado pelos participantes numa escala de 1 a 5) - Grau de aquisição dos conhecimentos (apreciado de forma subjetiva pelos intervenientes na sessão) Material Nesta sessão foram utilizados os seguintes recursos: - Ficha “Constituição dos aparelhos reprodutores feminino e masculino” - Computadores com acesso à internet Anexos: - Questionário - Grelha de Observação de Comportamentos e Atitudes Financiado por:

Co-financiado por:


Ficha Constituição dos aparelhos reprodutores feminino e masculino - Efetua a legenda das figuras representadas abaixo. Sistema Reprodutor Feminino

Sistema Reprodutor Masculino

Órgãos genitais externos Legenda: 123-

Legenda: 123-

91011-

9-

6 7 4 8

5

2

1 Vista de Frente Órgãos genitais internos

8

7

5

4

7

6

4 1 2

3

1 6 2

Vista de Lado Legenda: 1234Financiado por:

Co-financiado por:

5678-

Vista de Lado Legenda: 1234-

5678-

3


Sessão “O corpo perfeito existe?” Descrição da sessão Esta sessão foi dividida em duas partes: a primeira centrou-se na elaboração de cartazes e a segunda consistiu numa atividade de pesquisa na internet. Inicialmente, foi solicitado aos participantes que selecionassem e colassem imagens numa folha, tendo como tema "o corpo". Após a elaboração dos cartazes, foram debatidas as razões da escolha das imagens, de forma a refletir sobre os padrões de beleza ditados pelos meios de comunicação social e sobre os estereótipos de perfeição física. No final, os participantes procederam à dinamização do blog, tendo-se envolvido na recolha e seleção de informação sobre o tema abordado na sessão. Objetivos: Esta sessão teve como principais metas: - Favorecer o desenvolvimento de uma atitude positiva face ao seu corpo - Promover a autoestima e a aceitação das mudanças associadas ao crescimento físico Avaliação: A avaliação desta sessão incluiu os seguintes indicadores: - Grau de adesão (medido através do nº de participantes na sessão) - Grau de interesse (avaliado pelo técnico através de uma grelha de observação) - Grau de satisfação (percecionado pelos participantes numa escala de 1 a 5) - Grau de aquisição dos conhecimentos (apreciado de forma subjetiva pelos intervenientes na sessão) Material Nesta sessão foram utilizados os seguintes recursos: - Revistas e tesoura - Papel e cola - Computadores com acesso à internet Anexos: - Questionário - Grelha de Observação de Comportamentos e Atitudes

Financiado por:

Co-financiado por:


Sessão “Como cuidar da saúde sexual e reprodutiva?” Descrição da sessão Esta Sessão dividiu-se em duas partes diferentes: a primeira apoiou-se numa atividade de completamento de frases e a segunda surgiu a partir da recolha de informações que os participantes fizeram na internet. No início da Sessão foi pedido aos participantes que terminassem as seguintes frases: “A minha melhor amiga disse-me que tem a menstruação muito irregular e eu…” - “Uma colega do meu grupo perguntou-me onde podia ir a uma consulta de ginecologia e eu…” - “A minha irmã disse que já iniciou a sua vida sexual e eu…” - “Uma amiga disse-me que tem dúvidas sobre a sua sexualidade e eu…” Foram dados alguns minutos para completar as frases e depois procedeu-se à leitura e debate das mesmas. A segunda parte consistiu na pesquisa e seleção de informação sobre o tema para colocar no blog. Objetivos: Esta sessão teve como principais metas: - Aumentar e consolidar conhecimentos acerca dos recursos existentes para a resolução de situações relacionadas com a saúde sexual e reprodutiva - Desenvolver competências que permitam adotar comportamentos informados em matérias relacionadas com a saúde sexual e reprodutiva Avaliação: A avaliação desta sessão incluiu os seguintes indicadores: - Grau de adesão (medido através do nº de participantes na sessão) - Grau de interesse (avaliado pelo técnico através de uma grelha de observação) - Grau de satisfação (percecionado pelos participantes numa escala de 1 a 5) - Grau de aquisição dos conhecimentos (apreciado de forma subjetiva pelos intervenientes na sessão) Material Nesta sessão foram utilizados os seguintes recursos: - Papel e lápis - Computadores com acesso à internet Anexos: - Questionário - Grelha de Observação de Comportamentos e Atitudes Financiado por:

Co-financiado por:


Sessão “Como prevenir uma gravidez indesejada?” Descrição da sessão Esta Sessão foi constituída por dois momentos distintos: um de debate de ideias e outro de pesquisa de informação na internet. Antes do início do debate foram distribuídos aos participantes três cartões com uma das seguintes expressões: “Concordo”, “Discordo” e “Não Sei”. Posteriormente, solicitou-se aos participantes que manifestassem a sua opinião, recorrendo aos cartões, acerca das seguintes ideias: - “Já ninguém engravida sem querer” - “A interrupção voluntária da gravidez é uma decisão difícil” - “O aborto deve ser evitado” - “É importante que a gravidez seja desejada pelo casal” Após a apresentação dos cartões, incentivou-se os participantes a justificarem a sua opinião, apresentando as razões para a escolha do cartão. No final da sessão, pediu-se aos participantes que atualizassem o blog com base na informação que recolheram na internet sobre métodos contracetivos. Objetivos: Esta sessão teve como principais metas: - Sensibilizar os jovens para a utilização dos métodos contracetivos - Promover o debate entre vários pontos de vista relativamente à prevenção da gravidez e desenvolver a capacidade de tomar decisões Avaliação: A avaliação desta sessão incluiu os seguintes indicadores: - Grau de adesão (medido através do nº de participantes na sessão) - Grau de interesse (avaliado pelo técnico através de uma grelha de observação) - Grau de satisfação (percecionado pelos participantes numa escala de 1 a 5) - Grau de aquisição dos conhecimentos (apreciado de forma subjetiva pelos intervenientes na sessão) Material Nesta sessão foram utilizados os seguintes recursos: - Cartões - Computadores com acesso à internet Anexos: - Questionário - Grelha de Observação de Comportamentos e Atitudes Financiado por:

Co-financiado por:


Cartões

CONCORDO

DISCORDO

NÃO SEI

CONCORDO

DISCORDO

NÃO SEI

CONCORDO

DISCORDO

NÃO SEI

CONCORDO

DISCORDO

NÃO SEI

CONCORDO

DISCORDO

NÃO SEI

Financiado por:

Co-financiado por:


Sessão “O que são infeções sexualmente transmissíveis?” Descrição da sessão Esta Sessão foi estruturada em dois momentos distintos: no primeiro recorreu-se a um vídeo para promover o debate e no segundo envolveu-se os participantes na dinamização do blog. A sessão iniciou-se com a visualização de um vídeo do Youtube intitulado “História de todos nós”, que apresenta vários depoimentos e aborda de uma forma educativa o tema das infeções sexualmente transmissíveis. Posteriormente, procedeu-se à análise do vídeo e centrou-se a discussão na questão da prevenção. No final da sessão, foi solicitado aos participantes que pesquisassem sobre o tema na internet, de forma a completar a informação no blog. Objetivos: Esta sessão teve como principais metas: - Informar os jovens sobre os riscos associados a práticas sexuais desprotegidas - Prevenir a transmissão de infeções sexualmente transmissíveis através da mudança de atitudes Avaliação: A avaliação desta sessão incluiu os seguintes indicadores: - Grau de adesão (medido através do nº de participantes na sessão) - Grau de interesse (avaliado pelo técnico através de uma grelha de observação) - Grau de satisfação (percecionado pelos participantes numa escala de 1 a 5) - Grau de aquisição dos conhecimentos (apreciado de forma subjetiva pelos intervenientes na sessão) Material Nesta sessão foram utilizados os seguintes recursos: - Vídeo do Youtube “História de todos nós” - Computadores com acesso à internet Anexos: - Questionário - Grelha de Observação de Comportamentos e Atitudes

Financiado por:

Co-financiado por:


Sessão “Qual a importância do planeamento familiar?” Descrição da sessão Esta sessão foi estruturada em dois momentos: no primeiro procedeu-se à leitura e discussão de dois textos e no segundo momento à atividade de dinamização do blog. Após a distribuição das fotocópias do excerto da notícia do Jornal Público, solicitou-se aos participantes que refletissem sobre as causas do elevado índice de gravidez na adolescência em Portugal. Em seguida entregou-se a letra da canção “Toma e Utiliza”, de sensibilização para a dupla proteção, e centrou-se o debate no tema da gravidez indesejada, tendo sido abordado os vários modos de lidar com o problema ao nível da tomada de decisão. Durante o segundo momento da sessão, as participantes fizeram pesquisas na internet sobre o tema e sintetizaram a informação recolhida para colocar no blog. Objetivos: Esta sessão teve como principais metas: - Promover competências responsáveis sobre contraceção e planeamento familiar - Sensibilizar os jovens para a problemática da gravidez na adolescência Avaliação: A avaliação desta sessão incluiu os seguintes indicadores: - Grau de adesão (medido através do nº de participantes na sessão) - Grau de interesse (avaliado pelo técnico através de uma grelha de observação) - Grau de satisfação (percecionado pelos participantes numa escala de 1 a 5) - Grau de aquisição dos conhecimentos (apreciado de forma subjetiva pelos intervenientes na sessão) Material Nesta sessão foram utilizados os seguintes recursos: - Excerto de uma notícia do Jornal Público - Letra da canção “Toma e Utiliza” - Computadores com acesso à internet Anexos: - Questionário - Grelha de Observação de Comportamentos e Atitudes

Financiado por:

Co-financiado por:


Notícia Uma média de 12 adolescentes dão à luz todos os dias em Portugal O número de adolescentes que dá à luz em Portugal está a diminuir, embora continue alto, quando comparado com outros países da União Europeia (UE). De acordo com dados da ONU de 2009, relativos a 2007, Portugal tem das mais altas taxas de fertilidade em adolescentes da Europa. Na tabela dos 27, Portugal surge em oitavo lugar, com uma taxa de fertilidade em adolescentes de 16,5. Em 2009, o número de nados vivos de mães com idades entre os 11 e os 19 foi o mais baixo desde finais da década de 70, mas mesmo assim ultrapassou os quatro mil, o que significa que, por dia, 12 adolescentes tiveram bebés.

Fonte: Jornal Público, de 21/01/2011

Financiado por:

Co-financiado por:


De menina à mulher Tens caminhado em Confusões, incertezas, receios Tens passado e ultrapassado, Transformações no teu corpo E na tua mente. Pensas que já chegou A hora de ter uma Relação íntima com o Teu companheiro?

Canção “Toma e Utiliza”

Por isso escuta o meu Conselho… Utiliza a pílula Que vai ajudar-te A proteger-te contra Gravidez indesejada. Mas não te vai proteger Contra as IST’s Jovem não queiras por Um momento de prazer Ver a tua vida estragada Por isso escuta… Utiliza o preservativo Porque é o melhor Método contracetivo Camisinha tens que usar A pílula tens que tomar As IST andam por aí E filhos indesejáveis tens que evitar Já foste alertado Isto tudo foi improvisado E muito suado Ficaste alertado A IST anda por aí Podes queimar-te Nas chamas Deste ato Sexo sim Mas só se for seguro. yo! IST infeções sexualmente transmissíveis ela anda por aí mas não é visível Fonte: Revista Educação Sexual em Rede, Janeiro 2008, Nº 3 Financiado por:

Co-financiado por:


Sessão “Quais as implicações de decidir prosseguir com a gravidez?” Descrição da sessão Esta sessão foi dividida em dois momentos distintos: no primeiro momento foi realizado um exercício de reflexão individual e no segundo teve lugar a atividade de dinamização do blog. No início da sessão, solicitou-se aos participantes que pensassem na forma como um filho afetaria a suas vidas através do preenchimento da tabela “Maternidade/Paternidade: O que muda?” Posteriormente, abordou-se também as mudanças que ocorrem no corpo da mulher durante a gravidez, tendo sido explicado como é gerado um bebé e o que acontece durante o parto, bem como debatido os riscos associados à gravidez e a importância da amamentação. Por fim, foi solicitado aos participantes que recolhessem informação sobre o tema da gravidez, de forma a introduzir novos conteúdos no blog. Objetivos: Esta sessão teve como principais metas: - Contribuir para o aumento e consolidação dos conhecimentos relativamente ao processo de gestação e parto - Ajudar os jovens a refletirem sobre o impacto que um bebé teria nas suas vidas Avaliação: A avaliação desta sessão incluiu os seguintes indicadores: - Grau de adesão (medido através do nº de participantes na sessão) - Grau de interesse (avaliado pelo técnico através de uma grelha de observação) - Grau de satisfação (percecionado pelos participantes numa escala de 1 a 5) - Grau de aquisição dos conhecimentos (apreciado de forma subjetiva pelos intervenientes na sessão) Material Nesta sessão foram utilizados os seguintes recursos: - Tabela “Maternidade/Paternidade: O que muda?” - Computadores com acesso à internet Anexos: - Questionário - Grelha de Observação de Comportamentos e Atitudes

Financiado por:

Co-financiado por:


Tabela “Maternidade/Paternidade: O que muda?” Escreve, na tabela, quais as mudanças que achas que ocorrem na vida dos pais após terem um filho. Mudanças positivas

Educação/Emprego

Amigos/Vida social

Finanças/Dinheiro

Rotina Diária

Financiado por:

Co-financiado por:

Mudanças negativas


Sessão “O que direitos sexuais e reprodutivos?” Descrição da sessão Esta sessão foi constituída por duas partes: na primeira parte foi realizada uma reflexão conjunta e na segunda tiveram lugar as atividades de pesquisa e recolha de informação para colocar no blog. A sessão iniciou-se com a leitura de um texto, no qual é formulada a seguinte questão: “Assédio sexual devia ser crime?” Solicitou-se aos participantes que emitissem uma opinião e em seguida explorou-se os conceitos de crime sexual e assédio. Abordou-se também o tema dos direitos sexuais e reprodutivos, a partir da análise do 3º artigo da Declaração Universal dos Direitos Humanos (“Todo indivíduo tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal”), tendo sido pedido aos participantes que transpusessem esse artigo para a área da sexualidade. No final da sessão, envolveu-se os participantes na elaboração de um texto sobre os conteúdos abordados, a fim de completar a informação do blog. Objetivos: Esta sessão teve como principais metas: - Promover a compreensão dos princípios que sustentam os direitos sexuais e reprodutivos - Sensibilizar e motivar os jovens para a defesa dos seus direitos Avaliação: A avaliação desta sessão incluiu os seguintes indicadores: - Grau de adesão (medido através do nº de participantes na sessão) - Grau de interesse (avaliado pelo técnico através de uma grelha de observação) - Grau de satisfação (percecionado pelos participantes numa escala de 1 a 5) - Grau de aquisição dos conhecimentos (apreciado de forma subjetiva pelos intervenientes na sessão) Material Nesta sessão foram utilizados os seguintes recursos: - Texto “Assédio sexual devia ser crime?” - Computadores com acesso à internet Anexos: - Questionário - Grelha de Observação de Comportamentos e Atitudes

Financiado por:

Co-financiado por:


IV – EVENTOS DE DIVULGAÇÃO DO BLOG Tema

Público Alvo

“Também quero um final feliz!”

Alunos da Escola EB 2,3 Rainha Santa Isabel

Conteúdos Apresentação Oprimido

do

Duração Teatro

Desenvolvimento do “Relações Amorosas”

do

2 horas

tema

Divulgação do blog “Bem me quer…Mal me quer…”

Residentes do Centro de Estágio Habitacional de Coimbra (Parque Nómada)

Abordagem do tema “Violência nas Relações”

2 horas

Apresentação do blog “Cuida da tua saúde… Previne-te!”

Jovens Destinatários do Projeto Trampolim

Visualização do vídeo do You Tube “História de Todos nós”

2 horas

Discussão do tema “Infecções sexualmente transmissíveis” Exploração do blog “Violência Escolar!”

Alunos da Escola EB 2,3 Rainha Santa Isabel

Visualização da sinopse do filme “Mentes Perigosas” Discussão Escolar”

do

tema

Apresentação do blog

Financiado por:

Co-financiado por:

“Violência

2 horas


V – QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO Questionário A tua opinião sobre a atividades em que acabas de participar é muito importante para que possamos avaliar a sua eficácia. Gostaríamos então que respondesses às seguintes questões, assinalando a tua resposta com uma (X): 1

2

3

4

5

O tema abordado foi:

Pouco interessante Os materiais usados Pouco foram: adequados A atividade teve: Pouca duração A atividade agradou-te Pouco

Muito interessante Muito adequados Muita duração Muito

Gostaríamos ainda que respondesses às seguintes questões sobre o blog “Coração na Boca”: 1. Conheces outros blogs sobre Saúde Sexual e Reprodutiva?

□ Sim

□ Não

2. O blog “Coração na Boca” é diferente daqueles que tu conheces?

□ Sim

□ Não

3. Consideras o blog “Coração na Boca” importante?

□ Sim

□ Não

Em caso negativo passa para a questão 3

Em caso negativo passa para a questão 5 4. Classifica o grau de importância que atribuis ao blog numa escala de 1 a 4 □ Muito pouca

□ Pouca

□ Muita

□ Muitíssima

5. Achas que o blog “Coração na Boca” é útil para esclarecer □ Sim dúvidas? Em caso negativo passa para a questão 7 6. Classifica o grau de utilidade que atribuis ao blog numa escala de 1 a 4 □ Muito pouca Financiado por:

□ Pouca Co-financiado por:

□ Muita

□ Muitíssima

□ Não


7. Consideras que o blog “Coração na Boca” poderá contribuir de □ Sim alguma maneira para o teu desenvolvimento?

□ Não

Em caso negativo passa para a questão 9 8. Em quais dimensões achas que o blog poderá ajudar-te a crescer? □ Cognitiva

□ Afetiva

□ Social

□ Sexual

□ Moral

9. Achas que poderás aplicar no teu dia-a-dia o que aprenderes no □ Sim blog?

□ Não

Em caso negativo passa para a questão 11 10. Em que situações é que achas que poderás aplicar o blog “Coração na Boca”? _________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________ 11. Queres deixar alguma sugestão para o blog “Coração na Boca”? □ Sim

□ Não

Em caso positivo utiliza o espaço em baixo _________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________

Data: ___/___/___

Obrigada pela tua colaboração!

Financiado por:

Co-financiado por:

Coração na Boca  

Projeto Trampolim

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you