Issuu on Google+

Mala Direta Postal 9912270150 - DR/SPM Assoc. Paulista de Cirurgioes Dentistas

CORREIOS

Confira a reestreia da peça “O Filho da Mãe”, no Teatro APCD. // Página 28 //

Maio de 2012

Ano 47 - N 661 o

APCD - Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas

Jornal_APCD_Maio_661.indd 1

Rua Voluntários da Pátria, 547 - Santana - CEP 02011-000 - São Paulo - SP - Edição Nacional

DEVOLUÇÃO GARANTIDA

CORREIOS PARA USO DOS CORREIOS Mudou-se Desconhecido Recusado Endereço insuficiente

Falecido Ausente Não procurado Não existe o número

Reintegrado ao Serviço Postal em ....../....../............ Responsável

www.apcd.org.br

24/05/12 13:57


Jornal_APCD_Maio_661.indd 2

24/05/12 13:57


Jornal_APCD_Maio_661.indd 3

24/05/12 13:58


Jornal_APCD_Maio_661.indd 4

24/05/12 13:58


Confira a reestreia da peça “O Filho da Mãe”, no Teatro APCD. // Página 28 //

Maio de 2012

Ano 47 - No 661 APCD - Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas

Rua Voluntários da Pátria, 547 - Santana - CEP 02011-000 - São Paulo - SP - Edição Nacional

www.apcd.org.br

Ato Público Em 25 de abril, Cirurgiões-Dentistas e médicos fizeram passeata na Avenida Paulista contra condições impostas pelos planos de saúde e para reivindicar maior valorização dos profissionais. A APCD, o Crosp e a ABCD marcaram presença neste movimento. // Página 26 //

Fique por dentro da APCD

Estacionamento MultiPark

Dia a dia em notícia

Disfunção Têmporomandibular

Associados, visitantes e alunos da EAP APCD agora podem contar com estacionamento exclusivo, no subsolo da sede da associação. A novidade é uma parceria entre a empresa Multipark e a APCD. // Página 28 //

Pesquisa avalia DTM em crianças e adolescentes, e especialistas comentam alguns aspectos da disfunção. // Página 08 //

Odontologia em foco Iniciativa conjunta dos Ministérios da Saúde e da Educação oferece atendimento odontológico para alunos da rede pública de 20 estados do País. // Página 10 //

Jornal_APCD_Maio_661.indd 5

24/05/12 13:58


6 APCD Jornal // Maio 2012

Índice Dia a dia em notícia

20.

08.

22.

10. 12.

Pesquisa avalia DTM em crianças e adolescentes Iniciativa conjunta dos Ministérios da Saúde e da Educação oferece atendimento odontológico para alunos da rede pública Pesquisa aponta que chumbo pode causar problemas psicossociais

3x4: Odontologia e esporte: uma parceria que dá certo Comportamento: Por que decidi ser mãe?

Fique por dentro da APCD 26. 28.

Cirurgiões-Dentistas e médicos fazem manifestação na Avenida Paulista APCD tem estacionamento credenciado dentro da própria sede

38. 39.

APCD Resort - Alvenaria dos 50 apartamentos está concluída Laboratório de Anatomia Patológica é mais um benefício da EAP APCD para os associados

Cursos e carreiras 40.

Notícias da EAP

41.

EAP APCD

Acontece 42. 30. 13. 16. 18.

Odontologia Legal tem ampla área de atuação

32.

Falta de vitamina D pode acarretar diversos problemas, inclusive bucais

34.

Estudos comprovam que estresse causa diversas doenças

36.

Proposta de Relações Políticas Institucionais da APCD defende legítimos interesses da classe odontológica APCD Jornal está com layout mais moderno e atrativo Conoge - Nova Odontologia Coel - Confira a relação de candidatos ao Conselho Acadêmico da APCD

43.

Crosp presta homenagem ao patrono da Odontologia, Tiradentes Presidente da APCD participa do 1° CIMES

Lançamentos 44.

Confira as novidades das empresas do setor

Cultura e lazer 45.

Top 5: veja quais são as últimas novidades do universo cultural

ERRATAS Errata 1

Diferentemente do que foi publicado na matéria “Pesquisa aponta alta ocorrência de DTM em portadores de Fibromialgia”, do APCD Jornal nº 659 – Março/2012, a especialista entrevistada, Marcele Jardim Pimentel, é

mestre e doutoranda em Clínica Odontológica pela Unicamp e não pela PUC, conforme foi veiculado.

Errata 2

Diferentemente do que foi publicado na foto da ma-

téria “ABCD participa da entrega das Unidades Odontológicas Móveis do Ministério da Saúde”, na editoria Notícias da ABCD, do APCD Jornal n° 659 – Março/2012, Hêider Pinto é diretor da empresa Gnatus e não diretor da Atenção Básica do Ministério da Saúde, conforme foi veiculado.

Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas - Fundada em 1911 - Gestão 2010-2013 PRESIDENTE: Adriano Albano Forghieri 1o VICE-PRESIDENTE: Juscelino Kojima 2o VICE-PRESIDENTE: Wilson Chediek SECRETÁRIA GERAL: Maria Angela Marmo Favaro TESOUREIRO GERAL: Paulo Vianna Mesquita PRESIDENTE CORE: José Luiz Negrinho 1o VICE-PRESIDENTE CORE: Gilberto Gomes 2o VICE-PRESIDENTE CORE: Antonio Tadeu Martins SECRETÁRIO: Felipe Bedran PRESIDENTE COA: Adelson Barbosa de Oliveira VICE-PRESIDENTE COA: Ligia Maria Lima Andreatta PRESIDENTE CONOGE: Stephanie Alderete Feres Teixeira VICE-PRESIDENTE CONOGE: Thales Wilson Cardoso PRESIDENTE COCI: Maria Elizabete Carneiro de Saba VICE-PRESIDENTE COCI: Silvio Antonio dos Santos Pereira PRESIDENTE COFI: Reinaldo Brito Dias SECRETÁRIO: Ricardo César dos Reis PRESIDENTE CODEL: Ueide Fernando Fontana SECRETÁRIO: Waldyr Romão Júnior PRESIDENTE CEAP’S: Liris Silmar Jacintho Pereira VICE-PRESIDENTE CEAP’S: Richard Bulara Esper Kallas SECRETÁRIA: Ilka Maria Pantaleão Silveira Bonachella DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE COMPRAS E COTAÇÕES DE PREÇOS: Paulo Vianna Mesquita DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO: André Callegari DIRETOR DA REVISTA DA APCD: Marcelo Bönecker DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE CONGRESSOS E FEIRAS: Pedro Antonio Fernandes DIRETOR DA EAP: Artur Cerri DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE ESPORTES: Cláudio Darcie DIRETORA DO DEPARTAMENTO DE PREVENÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE: Helenice Biancalana DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS GERAIS: Moacyr Natale Macedo DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE DEFESA DE CLASSE: João Augusto Sant’Anna DIRETOR DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS: Everaldo Alves Nazareth Junior DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE PATRIMÔNIO: Luiz Lincoln Cristino Costa DIRETORA DO DEPARTAMENTO DE TURISMO: Silvia Sugaya DIRETORA DO DEPARTAMENTO SOCIAL E CULTURAL: Claudia Verônica Teizen ASSESSORA DA PRESIDÊNCIA: Ilka Maria Pantaleão Silveira Bonachella ASSESSOR DA PRESIDÊNCIA: Nilden Carlos Alves Cardoso ASSESSOR DA PRESIDÊNCIA: Airton Gottardo ASSESSORA DA PRESIDÊNCIA: Maria Cristina Dumit Sewell ASSESSOR DA PRESIDÊNCIA: Bráz Antunes Mattos Neto CONSULTOR DA PRESIDÊNCIA: Alcides de Souza CONSULTOR DA PRESIDÊNCIA: Admar Kfouri CONSULTOR DA PRESIDÊNCIA: Luiz Antonio Zamuner CONSULTOR DA PRESIDÊNCIA: Heber Luis Nogueira Fontão

Jornal_APCD_Maio_661.indd 6

24/05/12 13:58


Maio 2012 // APCD Jornal 7

Palavra do Presidente Adriano Albano Forghieri

Presidente da APCD

presidente@apcdcentral.com.br

www.twitter.com/adrianoforghieri

Pela valorização do trabalho odontológico e respeito aos profissionais Cirurgiões-Dentistas Na manhã de 25 de abril, com a presença da diretoria e do departamento de Defesa de Classe da APCD, fomos às ruas em protesto contra as condições impostas pelas empresas de planos de saúde e para apoiar o Dia Nacional de Advertência aos Planos de Saúde. O objetivo da manifestação foi chamar a atenção da opinião pública quanto à conflituosa relação entre profissionais de saúde e operadoras. Esta distância está a cada dia aumentando e dificultando os relacionamentos, podendo chegar a proporções indesejáveis e com um prejuízo direto à população. As justas reivindicações são para que as empresas apresentem propostas concretas sobre questões fundamentais, como a urgente valorização do trabalho médico e odontológico, remuneração digna, reajuste a cada 12 meses, contratos justos e respeito à relação entre profissionais e pacientes. Sabemos que quem se dedica a uma atividade, qualquer que seja, deseja a melhor remuneração possível, por isso, não podemos admitir que a Odontologia seja explorada de forma indevida, com grave prejuízo para os nossos colegas Cirurgiões-Dentistas. Há muitos oprimidos pelas empresas, que, atualmente, estão tendo lucros excessivos. Por sua vez, a população que ingressa nos planos odontológicos, com a ilusão de ser a melhor opção de atendimento para as

suas necessidades, muitas vezes, não dá conta de que o Cirurgião-Dentista responsável pela prestação do serviço acaba trabalhando com margem de ganho tão reduzida, a ponto de ter que conviver com uma pressão intolerável e, certamente, tendo um prejuízo final, comprometendo o rendimento familiar. O desrespeito e a remuneração aviltantes são antiéticos e amorais. Infelizmente, as operadoras de saúde desconhecem os princípios éticos, pois insistem em demonstrar que só lhes interessa o ganho financeiro, sempre crescente. Como são muitas as questões morais que envolvem o relacionamento dos Cirurgiões-Dentistas com os convênios e planos de saúde, manifestamos a nossa preocupação com o problema, convocando a classe a se posicionar e ter perseverança. Assista na TV APCD a matéria sobre esta manifestação. http://www.apcd.tv.br/.

APCD Jornal está com layout novo

A partir desta edição de maio, o APCD Jornal ganhou um novo layout, com o objetivo de tornar a publicação mais moderna e atrativa, e proporcionar uma leitura mais agradável e dinâmica, além de seguir as novas tendências do mercado gráfico. A diretoria da APCD fica cada dia mais feliz com os nossos colaboradores e diretores

dos nossos departamentos que não medem esforços para proporcionar o que há de melhor. Parabéns a todos!

Laboratório de Anatomia Patológica é mais um benefício da EAP APCD para os associados

Em abril, a EAP APCD firmou uma parceria com o Laboratório Plínio Santos para a realização de biopsia, citologia esfoliativa, imunohistoquímica e captura híbrida, exclusivamente para associados e pacientes das EAP’s. Este serviço, que consideramos de suma importância, já esta disponível. O Laboratório de Patologia Plínio Santos, localizado no 3° andar da EAP, esta à disposição de todos os associados da APCD e pacientes das nossas EAPs. (confira matéria completa na página 39)

11° EPATESPO

Entre 23 e 25 de maio, acontecerá o 11° Encontro Paulista de Administradores e Técnicos do Serviço Público Odontológico (EPATESPO) e o 10° Congresso Paulista de Odontologia em Saúde Coletiva (COPOSC), em Ribeirão Preto, promovidos pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e Secretaria Municipal de Ribeirão Preto. Um dos organizadores deste brilhante evento é o nosso amigo Pedro Bistane. Convidamos todos para participarem. Espero poder encontrar você lá!

Teatro APCD

O Teatro APCD já é um sucesso! E dando continuidade as peças teatrais, convidamos todos para assistirem a reestreia da peça “O Filho da Mãe”. O espetáculo teve sua estreia na cidade de São Paulo em outubro de 2010, e fala sobre a difícil, engraçada e açucarada relação entre Valentina e seu filho Fernando. A peça é recheada de situações hilárias vividas por mães e filhos de todas as classes sociais. Vale a pena assistir! Associados têm descontos exclusivos.

Parabéns às mamães

O Dia das Mães já está próximo! O dia tão especial para elas é sempre no segundo domingo do mês de maio. Neste ano, o Dia das Mães será no dia 13. As mães esperam que seja um dia especial, não importa o tipo de comemoração: se irá ter festa chique, com muitos convidados ou se será algo mais simples. O que importa é ser lembrado o dia do ano que é dedicado e que é especial para elas. No Dia das Mães, dê um presente lindo para ela: o seu carinho e amor. Este é o melhor presente que ela vai querer receber. Acredite! Um forte abraço! // Adriano Albano Forghieri //

EXPEDIENTE Diretor de Comunicação André Callegari Corpo Editorial Daniela Berci Luiz, Daniel Nuciatelli Pinto de Mello, Adelson Barbosa de Oliveira, Marco Antônio Manfredini, Maria Isabel Rodrigues, Maria Lucia Z. Varellis, Mário Botura, Mauricio Querido, Miguel Haddad, Patrícia L. Amélia Alpiovezza, Vitor Ribeiro, Victor Clavijo, Thales Wilson Cardoso, Wilson Chediek Coordenadora de Comunicação e Jornalista Responsável Bruna Oliveira (Mtb. 46.263)

Edição de Arte e Projeto Gráfico Thiago Lemos Editor de Arte Bruno Lopes Assistente de Criação Juliana Nunes da Costa Jornalistas Mariana Ramos Pantano (Mtb. 62.558) Swellyn França (Mtb. 45.564)

Redação Rua Voluntários da Pátria, 547 - Santana CEP: 02011-000 - São Paulo - SP Tel.: (11) 2223-2553 E-mail: redacao@apcdcentral.com.br Atendimento ao Associado Tels.: (11) 2223-2369 / 2370 / 2371 Impresso na Plural Indústria Gráfica

Periodicidade: Mensal Tiragem nacional: 170 mil exemplares As matérias publicadas passam pelo aval técnico do Corpo Editorial. O APCD Jornal é um órgão informativo da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas, entidade de utilidade pública pela lei no 1.051 de 12 de junho de 1951, e registrada no Conselho Nacional de Serviço Social, sob no 91.315, em 12 de junho de 1960.

Publicidade Comercial APCD Tels.: (11) 2223-2332 E-mail: marketing@apcdcentral.com.br

Aviso - As opiniões expres sas nas matérias publicadas no APCD Jornal são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, neces sariamente, as da diretoria da APCD, dos editores e dos anunciantes, podendo, inclusive, ser contrárias `as dos mesmos. É proibida a reprodução total ou parcial de matérias publicadas neste jornal por qualquer meio, sem autorização expres sa, por escrito, da redação, de acordo com o que dispõe a lei 5.988, de 14/12/73. A reprodução deve ser solicitada aos jornalistas-editores, para negociação da venda dos direitos de publicação. A APCD não tem qualquer responsabilidade pelos ser viços e produtos das empre sas anunciados em seu jornal. Todos os produtos e ser viços estão sujeitos às normas do mercado, do Código de Defesa do Consumidor e do CONAR - Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária. Serviços noticiosos: AUN - Agência Universitária de Notícias (USP).

Jornal_APCD_Maio_661.indd 7

24/05/12 13:58


8 APCD Jornal // Maio 2012

Dia a dia em notícia Alerta

Saúde

Ser mãe

Exposição ao chumbo pode causar danos psicológicos

Falta de vitamina D pode causar problemas bucais

Quando e por que decidir pela maternidade

// Página 12 //

// Página 16 //

// Página 22 //

Pesquisa avalia DTM em crianças e adolescentes Para compreender os fatores etiológicos e os efeitos do controle desta condição na qualidade de vida destes indivíduos, novos estudos ainda devem ser realizados // Texto Mariana Pantano e Swellyn França //

ma que se mostrou importante verificar o impacto dessas condições na qualidade de vida da população desta faixa etária. “Sendo assim, o objetivo da pesquisa foi validar os instrumentos CPQ para uso em crianças e adolescentes com sinais e sintomas de DTM”, explica Taís.

// Fotos Research Diagnostic Criteria /Temporomandibular Disorders //

Uma tese de doutorado sobre fatores associados à qualidade de vida na saúde bucal, defendida pela odontopediatra, Taís de Souza Barbosa, na Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP), na Unicamp, mostrou que alunos de nove escolas da rede pública de Piracicaba, interior de São Paulo, na faixa etária de 8 a 14 anos, podem estar sendo afetados por sintomas de disfunção têmporomandibular (DTM). O estudo ainda constatou que fatores emocionais, como ansiedade e depressão, medidos por meio de questionários, interferiram na qualidade de vida dos avaliados. De acordo com a odontopediatra, - que destaca que esta pesquisa se refere ao primeiro de quatro capítulos de sua tese de doutorado, feita com a orientação da professora da FOP, Maria Beatriz Duarte Gavião -, a ideia surgiu em continuidade ao seu projeto de mestrado. “No mestrado, traduzimos e validamos instrumentos desenvolvidos por pesquisadores canadenses que avaliaram o impacto da condição bucal na qualidade de vida de crianças e adolescentes, denominado Child Perceptions Questionnaires (CPQ),

Jornal_APCD_Maio_661.indd 8

Ainda de acordo com a pesquisadora, durante sua tese, percebeu-se que a sintomatologia dolorosa frequentemente observada nas crianças de 8 a 14 anos podem comprometer os aspectos emocionais desses indivíduos. “Observamos o relato de sintomas de ansiedade e depressão associados à DTM em crianças e adolescentes”, revela Taís. A conclusão da pesquisadora foi a de que a avaliação e o diagnóstico precoce da DTM

Avaliação da abertura bucal

em quatro aspectos da saúde: sintomas orais, limitações funcionais, bem-estar emocional e bem-estar social. Foram utilizadas duas versões específicas para cada grupo etário, de 8 a 10 anos e de 11 a 14 anos, respeitando o desenvolvimento cognitivo destes indivíduos. No mestrado, ainda validamos estes instrumentos utilizados em crianças e adolescentes com cárie, maloclusão, gengivite e fluorose.” Considerando a prevalência de DTM em crianças e adolescentes relatada na literatura - 34% de 99 crianças com dentição decíduas apresentaram pelo menos um sinal e/ou um sintoma de DTM (Castelo et al., 2005) e 2,19% dos meninos e 8,18% das meninas de 12 anos de idade apresentaram diagnóstico positivo de DTM, segundo o instrumento clínico de diagnóstico, Research Diagnostic Criteria (RDC/ TMD) -, a pesquisadora afir-

responsável pelo curso de especialização em Ortopedia Funcional dos Maxilares da Associação dos CirurgiõesDentistas de Campinas (ACDC – APCD Regional Campinas), José Lázaro Barbosa dos Santos, o estudo evidencia a possibilidade da relação entre sinais e sintomas da DTM, alterações de hábito (por exemplo, briquismo) e mudanças psicossociais. “Trata-se de um ótimo trabalho para relacionar consequências, porém, faltou esclarecer qual a causa da alteração do padrão funcional equilibrado do sistema estomatognático. Isto porque as consequências da DTM, antes, durante ou após a faixa etária apresentada são agravamento

Palpação articular

Durante a realização do estudo também foi utilizado o instrumento RDC/TMD para avaliar a presença de sinais e sintomas de DTM, bem como para realizar o diagnóstico desta condição. O impacto da DTM na qualidade de vida, por sua vez, foi medido utilizando-se as versões brasileiras para cada grupo etário: CPQ8-10 para crianças de 8 a 10 anos e CPQ11-14 para adolescentes de 11 a 14 anos. “Em nossos resultados, crianças e adolescentes com sinais e sintomas de DTM relataram maior comprometimento nos quatro aspectos: sintomatologia dolorosa referente à dor muscular, limitações funcionais relacionadas à abertura da boca, dificuldades de mastigação, e comprometimento emocional e social associado à dor”, relata Taís.

Palpação muscular extra-bucal

propiciam evitar maiores comprometimentos na fase adulta. “Por isso, ao se notarem os seus primeiros sinais nas crianças – dores de cabeça frequentes e dor muscular na face –, aconselha-se procurar ajuda profissional especializada. O relaxamento dos músculos com o uso da placa de silicone e o controle dos fatores psicológicos, quando for o caso, minimizam bastante os sinais e sintomas de DTM, favorecendo a melhora da qualidade de vida destes indivíduos.” Segundo o especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares e professor

Palpação muscular intra-bucal

do padrão funcional modificado e das alterações morfológicas do sistema estomatognático.” Na opinião de José Lázaro, a DTM é consequência de alteração de padrão funcional do sistema estomatognático iniciada pela quebra do equilíbrio oclusal. “Assim, as possibilidades terapêuticas são todas aquelas que visem à retomada e à manutenção do equilíbrio funcional do aparelho estomatognáti-

24/05/12 13:58


Maio 2012 // APCD Jornal 9

co, independentemente da faixa etária. Há sempre possibilidade de prevenção a partir do momento que houver oclusão dentária, ajustando-a ao equilíbrio funcional dos músculos relacionados direta ou indiretamente à relação crânio mandibular fisiologicamente equilibrada”, esclarece o especialista. Questionada sobre sua pretensão de realizar novas pesquisas para confirmar ou aprimorar o resultado obtido, Taís ressalta que “como o estudo foi transversal, ou seja, observacional, pretendemos realizar pesquisas longitudinais para melhor compreender os fatores etiológicos e os efeitos do controle desta condição na qualidade de vida destes indivíduos.”

Além de efeito, especialista também aponta fatores psicossociais e comportamentais como causa da DTM

Mais do que os efeitos como verificado na pesquisa de Taís, o ortodontista, coordenador da área de Reabilitação Oral

Jornal_APCD_Maio_661.indd 9

do programa de pós-graduação da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB/USP) e presidente da Sociedade Brasileira de DTM e Dor Orofacial, Paulo César Rodriguez Conti, acrescenta que fatores psicossociais e comportamentais também se fazem importantes na gênese desses sintomas de DTM. “Esses processos de DTM, que incluem dores na região da musculatura mastigatória, na articulação têmporomandibular (ATM), limitação de abertura da boca etc., considerados síndromes funcionais, são muito comparáveis hoje a doenças como a fibromialgia, a cefaleia tensional e a síndrome do intestino irritável. Ou seja, a DTM, atualmente, faz parte de um processo que extrapola as associações feitas pela Odontologia antigamente, como no caso da oclusão dentária etc.; as causas da DTM são vistas como um processo muito mais abrangente. As reações biológicas, sistêmicas do nosso organismo, o estresse e a depressão alteram uma série de receptores que fazem com que o organismo se manifeste com dor. Isso é muito

interessante do ponto de vista da gênese da DTM”. Para o presidente da Sociedade Brasileira de DTM e Dor Orofacial, no que se refere aos fatores psicossociais, o mais importante nessa faixa etária é

Crianças e adolescentes com sinais e sintomas de DTM relataram maior sintomatologia dolorosa referente à dor muscular, limitações funcionais relacionadas à abertura da boca, dificuldades de mastigação, e comprometimento emocional e social associado à dor

a identificação do problema o quanto antes para que seja instituída uma mudança comportamental. “Tenho certeza de que

grande parte da DTM nesta faixa etária, pela própria estatística mundial, ainda não é tão severa. Por isso, o segredo é o aconselhamento e a mudança comportamental. O que vejo atualmente – até pelos meus próprios filhos -, é que muitas crianças vivem em um ritmo alucinado, aficionadas por vídeo game, por computador, cheias de compromissos, como aulas de inglês e outras atividades extracurriculares, o que gera, por exemplo, uma piora na qualidade do sono, desencadeia problemas de ansiedade etc., interferindo no próprio ritmo de contração muscular, de sobrecarga ao sistema, o que pode acarretar dores e problemas no futuro.” Por esta razão, Conti acredita que ao estabelecer mudanças, mesmo que pequenas, no ritmo de vida, o comportamento desses jovens adolescentes podem se normalizar. “Se esses fatores, esse ritmo de vida muito agitado forem mantidos em longo prazo pode ser que na idade adulta o impacto seja muito maior, levando a algum tipo de lesão direta na

ATM e a dores mais crônicas.” Conti ainda explica que nosso organismo possui um processo chamado autorregulação do sistema trigeminal, do nervo trigêmeo, que modula essas dores de DTM, de cabeça, enxaqueca, entre outras. “A pessoa aprende a se policiar, evita roer unha, apertar os dentes - que é uma coisa comum, presente na criança e no adolescente quando está estudando, por exemplo -, dormir de maneira adequada e pelo tempo adequado, praticar exercícios aeróbicos; tudo isso faz com que o sistema responda de uma maneira benéfica a essa sobrecarga. Tudo isso sem necessidade de medicamento. Embora a indústria farmacêutica esteja avançada na questão dos medicamentos contra a dor, não costumo medicar nessa idade, porque é uma etapa em que ainda não há lesões teciduais e nem alterações neuronais no sistema nervoso central de dor crônica. Esses cuidados básicos comportamentais representam grande parte desse tratamento”, finaliza.

24/05/12 13:58


10 APCD Jornal // Maio 2012

Iniciativa conjunta dos Ministérios da Saúde e da Educação oferece atendimento odontológico para alunos da rede pública 34 consultórios itinerantes foram estruturados e adaptados para desenvolver ações de atenção à saúde bucal em 20 estados do Brasil // Texto Mariana Pantano //

A partir de abril, alunos de escolas públicas de 20 estados do país passaram a contar com consultórios oftalmológicos e odontológicos itinerantes. A iniciativa é uma parceria dos ministérios da Educação - responsável pela compra e manutenção dos caminhões que viram consultórios - e da Saúde, que entra com a manutenção dos consultórios e dos materiais que serão utilizados para os atendimentos. São 37 veículos com até dois consultórios oftalmológicos, e 34 caminhões onde o atendimento odontológico é feito. Uma das finalidades dos consultórios itinerantes oftalmológicos é oferecer gratuitamente aos estudantes do Programa Saúde na Escola (PSE) procedimentos de baixa complexidade em oftalmologia como consultas, medida de refração ocular, fornecimento de óculos, diagnóstico precoce de patologias relacionadas à retina ou ao estado dos vasos (exame de fundo de olho), retirada de corpo estranho, entre outros. Os estudantes também contarão com 34 veículos, cada um com dois consultórios odontológicos. A unidade móvel é estruturada em veículo devidamente adap-

Jornal_APCD_Maio_661.indd 10

tado e equipado para o desenvolvimento de ações de atenção à saúde bucal. Os consultórios são preparados para procedimentos simples, como restaurações e extrações, limpeza e aplicação de flúor, além do trabalho educativo com orientação para a escovação. De acordo com o coordenador nacional de saúde bucal do Ministério da Saúde, Gilberto Alfredo Pucca Junior, o PSE é uma parceria entre os Ministérios da Saúde e da

Queremos transformar a saúde bucal em mais um instrumento de promoção de saúde integral, juntamente com todas as áreas da saúde e da educação – Gilberto Pucca, coordenador nacional de saúde bucal do Ministério da Saúde Educação que tem o objetivo de reforçar a prevenção à saúde dos alunos brasileiros e construir uma cultura de paz nas escolas. “O programa está estruturado em dois blocos

principais. O primeiro consiste na avaliação das condições de saúde, que envolve estado nutricional, incidência precoce de hipertensão e diabetes, saúde bucal, principalmente o controle de cárie, acuidade visual e auditiva e, ainda, avaliação psicológica do estudante. O segundo trata da promoção da saúde e da prevenção, que trabalhará as dimensões da construção de uma cultura de paz e combate às diferentes expressões de violência, consumo de álcool, tabaco e outras drogas. Também neste bloco há uma abordagem à educação sexual e reprodutiva, além de estímulo à atividade física e práticas corporais.” Pucca ressalta que “a saúde bucal não pode ser separada da saúde geral e também não deve se limitar aos aspectos biológicos. Por isso, o PSE incorpora ações específicas de bem-estar, mas também se articula com conteúdos pedagógicos já desenvolvidos na realidade de cada escola e fundamentalmente com outros temas. Nos aspectos específicos da saúde bucal, não vamos apenas focar na prevenção da cárie, mas, também, congregar outros temas e preocupações emergentes em escolas como, por exemplo, o tabagismo. Educar contra o tabagismo é prevenir o câncer de boca, de pulmão, e doenças respiratórias etc”. Gilberto Pucca afirma que o Programa Saúde na Escola tem uma abordagem interdisciplinar de promoção da saúde. “Vamos atuar, também, nos problemas dentários. Todos os escolares identificados com necessidade de tratamento dentário serão encaminhados para profissionais de saúde bucal das equipes de saúde da família. Na maioria dos casos, o atendimento ocorrerá na Unidade de Saúde (posto) mais próxima à casa do estudante. Caso não haja uma unidade próxima a sua casa, o atendimento será feito na Unidade próxima à escola.” O Programa conta com atendimento da

equipe de saúde bucal da Estratégia Saúde da Família que atua tanto na avaliação e educação quanto no atendimento do PSE. Cerca de 14 mil equipes estão participando do programa em 2012. Desde o lançamento do Programa Brasil Sorridente, mais de 16 mil equipes de saúde bucal atuam em todo o país. Pucca ressalta que “o atendimento clínico não ocorrerá na escola. No ambiente escolar serão desenvolvidas atividades de educação em saúde e prevenção, além da avaliação clínica dos escolares. O atendimento acontecerá nas Unidades Básicas de Saúde onde as equipes de saúde da família estão credenciadas.” Todos os anos, o Ministério da Saúde publica uma Portaria definindo critérios de cadastro no Programa Saúde na Escola para os municípios. Para participar, o município precisa se comprometer com as metas mínimas de avaliação e atendimento de escolares, além de montar um comitê intersetorial de saúde e educação para fazer o gerenciamento do programa. “Em 2012, 2.495 municípios assinaram o Termo de Compromisso do Programa Saúde na Escola. Ao assinar o termo, o município recebe 70% do recurso destinado ao programa, e os 30% restantes são repassados após o cumprimento de todas as metas pactuadas”, afirma Pucca. O Programa Saúde na Escola não deve ser confundido apenas com atendimento dentário em escolas “porque incorpora ações clínicas-assistenciais, quando necessárias, nos escolares que demandam esse tipo de atendimento. No entanto, busca, fundamentalmente, promover saúde e não apenas curar doentes. Vamos transformar a saúde bucal em mais um instrumento de promoção de saúde integral, juntamente com todas as áreas da saúde e da educação. Essa foi a determinação do Ministro da Saúde, Alexandre Padilha”, ressalta Gilberto Pucca.

24/05/12 13:58


Jornal_APCD_Maio_661.indd 11

24/05/12 13:58


12 APCD Jornal // Maio 2012

Pesquisa aponta que chumbo pode causar problemas psicossociais Cirurgiã-Dentista analisou concentração da substância presente no esmalte dentário de adolescentes // Texto Mariana Pantano //

Uma pesquisa realizada na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP) mostra que a exposição ao chumbo leva ao aumento de atitudes transgressoras e causa prejuízos psicológicos como comportamento agressivo, atos de vandalismo e baixo desempenho escolar. A Cirurgiã-Dentista, Kelly Polido Kaneshiro Olympio, em seu trabalho de doutorado, analisou as concentrações de chumbo presentes no esmalte dentário de 173 adolescentes da cidade de Bauru, interior de São Paulo, que moravam em bairros de baixa condição socioeconômica, reconhecidos por altos índices de criminalidade. Para realizar a pesquisa, que contou com o auxílio da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), Kelly Olympio analisou a concentração de chumbo no esmalte dentário superficial por espectrometria de absorção atômica com forno de grafite (método de análise usado para determinar qualitativamente e quantitativamente a presença de

Jornal_APCD_Maio_661.indd 12

metais). Para avaliar a profundidade da biópsia, essencial para a interpretação correta da quantidade de chumbo no esmalte dentário, foi analisada a amostra da concentração de fósforo por espectroscopia de emissão ótica com plasma indutivamente acoplado (análise química qualitativa ou quantitativa de materiais). Também foram aplicados questionários a pais e filhos sobre o estabelecimento de comportamento antissocial, cometimento de atos infracionais, condições familiares e contexto socioeconômico. “Foi possível verificar uma forte associação entre exposição ao chumbo e

meros. Em crianças, a contaminação pode causar problemas de aprendizagem, déficit de atenção e de Q.I. (Quociente de Inteligência), comportamento antissocial, cefaleias e convulsões, problemas de audição e do crescimento, retardamento mental, dores abdominais, anemia, nefropatia, encefalopatia e, dependendo da dose, morte. “Os prejuízos cognitivos e comportamentais permanecem até a idade adulta. Um estudo do cientista americamo John Paul Wright, de 2008, mostra essa associação entre exposição ao chumbo durante o desenvolvimento e comportamento criminoso na vida adulta.”

Os vários efeitos deletérios causados pela contaminação por chumbo alertam para a necessidade de desenvolvimento de políticas públicas que previnam a contaminação da população brasileira por este metal – Kelly Olympio estabelecimento de morbidade psiquiátrica como problemas sociais, tendência a quebrar regras sociais, problemas externalizantes e queixas físicas com maiores níveis de chumbo no corpo.” Kelly explica que os efeitos do chumbo à saúde humana são inú-

A pesquisadora afirma que o chumbo é um metal pesado sem nenhuma função biológica aparente. Apesar da extensa literatura disponível sobre os efeitos tóxicos do chumbo na saúde humana, os mecanismos moleculares decorrentes do envenenamento por chumbo sobre o Sistema Nervoso Central (SNC), diretos e indiretos, ainda necessitam ser esclarecidos. “Dos muitos órgãos afetados pelo chumbo, o mais importante é o SNC. Muitas das propriedades tóxicas do chumbo são devidas à sua capacidade de mimetizar ou competir com o Cálcio e o Zinco coordenando as proteínas.”

Perspectivas futuras

Estes resultados corroboram com as pesquisas realizadas por grupos de pesquisadores americanos, mas foi a primeira desenvolvida no Brasil, portanto, está dentro de uma realidade socioeconômica e cultural bastante distinta da americana. Ao incluir na análise estatística os diversos fatores de risco sociais e familiares para o estabelecimento dos problemas encontrados, a exposição ao chumbo mostrou-se como um dos fatores de risco mais importantes. “Os vários efeitos deletérios causados pela contaminação por chumbo e confirmados pela presente pesquisa alertam para a necessidade de desenvolvimento de políticas públicas que previnam a contaminação da população brasileira por este metal, o que leva a sérias perdas individuais na inserção social e no rendimento profissional, contribuindo para prejuízos econômicos em âmbito populacional”, ressalta Kelly.

Medidas preventivas

A pesquisadora explica que não há um nível de exposição ao chumbo que seja seguro à saúde humana. “Estudos recentes têm demonstrado prejuízos neurocomportamentais ligados a concentrações muito baixas de chumbo no sangue. O chumbo é uma neurotoxina silenciosa e devastadora em crianças. A neurotoxicidade induzida pelo metal ocorre me-

diante exposição, ao longo do tempo, a baixas concentrações de chumbo oriundo, principalmente, da poeira e de tintas. Muitas fontes domésticas, ocupacionais e ambientais são de especial risco para a contaminação por chumbo, que está presente na poeira de regiões próximas a indústrias que o utilizam em seus processos produtivos.” A Cirurgiã-Dentista salienta que o metal também pode estar presente na composição de produtos como cabos elétricos, baterias, brinquedos piratas, persianas antigas, tintas, plásticos, cerâmicas de uso domiciliar, tinta zarcão utilizada como anticorrosivo em portões de ferro, e encanamentos antigos. “Assim, os pais podem minimizar o risco de exposição, evitando que seus filhos tenham acesso a produtos como copos plásticos, canecas, brinquedos e material escolar de procedência duvidosa, principalmente na fase em que as crianças são muito pequenas e levam os objetos à boca. Nesta fase, as crianças podem sofrer contaminação pela ingestão do metal presente nas superfícies destes objetos.” Kelly afirma que os fatores de risco domiciliares mais associados à exposição ao chumbo foram residir no entorno ou em região próxima de indústrias que utilizam o metal em seu processo produtivo e ter alguma pessoa que mora ou morou com o adolescente trabalhando em empresas que o utilizam. “Essas empresas devem evitar o arraste externo deste metal, efetuado pelos funcionários por meio das roupas, sapatos e corpos. É fundamental que haja um reforço na vigilância ambiental destas indústrias, visando minimizar a exposição da população circunvizinha e os consequentes efeitos à saúde.”

24/05/12 13:58


Maio 2012 // APCD Jornal 13

Odontologia Legal tem ampla área de atuação Dentes são fatores importantes na identificação de pessoas e no desvendamento de crimes e processos // Texto Mariana Pantano //

De acordo com a Lei Federal nº 12.030, de 17 de setembro de 2009, Odontologia Legal é a especialidade que tem como objetivo a pesquisa de fenômenos psíquicos, físicos, químicos e/ou biológicos que podem atingir ou ter atingido o homem, vivo, morto ou ossada, e mesmo fragmentos ou vestígios, resultando lesões parciais ou totais reversíveis e/ ou irreversíveis. A atuação da Odontologia Legal restringe-se à análise, perícia e avaliação de eventos relacionados com a área de competência do Cirurgião-Dentista, podendo, se as circunstâncias exigirem, estender-se a outras áreas, se disso também depender a busca da verdade, no estrito interesse da justiça e da administração. Segundo o artigo 64 da lei, as áreas de competência para atuação do especialista em Odontologia Legal incluem: identificação humana; perícia em foro civil, criminal e trabalhista; perícia em área administrativa; perícia, avaliação e planejamento em infortunística; tanatologia forense; elaboração de autos, laudos e pareceres, relatórios e atestados; traumatologia odontolegal; balística forense; perícia logística no vivo, no morto, íntegro ou em suas partes em fragmentos; perícia em vestígios correlatos, inclusive de manchas ou líquidos oriundos da cavidade bucal ou nela presentes; exames por imagem para fins periciais; deontologia odontológica; orientação odontolegal para o exercício profissional; e, exames por imagens para fins odontolegais. Essa especialidade não é tão divulgada e sua área de atuação ainda é desconhecida por alguns profissionais de Odontologia. A Cirurgiã-Dentista Mônica da Costa Serra, da Faculdade de Odontologia de

Jornal_APCD_Maio_661.indd 13

Araraquara - Unesp (Universidade Estadual Paulista) afirma que “é uma especialidade contagiante e que vem crescendo, sobretudo, com a abertura de concursos em vários estados brasileiros, que têm contratado peritos odontolegais para trabalharem nos Institutos Médicos Legais (IML’s), ao lado de médicos legistas. Tal expansão tende a aumentar com a carreira sendo criada em mais estados, além dos concursos para peritos em nível federal”. Apesar de estar presente em alguns estados, a carreira de odontolegista ainda não foi regulamentada no Estado de São Paulo. O Cirurgião-Dentista, Clemente Maia da Silva Fernandes, afirma que a maior dificuldade de quem trabalha com perícia cível são os valores estabelecidos pelo juiz. Ele explica que muitos odontolegistas trabalham como auditores na esfera administrativa, avaliando processos com pedidos de indenização, seja por responsabilidade profissional ou por danos sofridos em decorrências de outras causas (acidentes de trânsito, agressões etc.). Na segunda situação, com a presença de empresas de assistência privada à saúde, em Odontologia é cada vez mais cotidiana a realização de auditorias. “Quem contrata o Cirurgião-Dentista para atuar nesses casos cíveis são os juízes de direito que, muitas vezes, não tem consciência de quanto custa a perícia. Algumas classes profissionais desconhecem a importância do odontolegista. Também falta incentivo na pesquisa. Os IML’s não são valorizados, atuando de forma precária e até com falta de equipamento. Acredito que a Odontologia Legal está sendo muito mais valorizada pelos leigos do que pela nossa própria classe”, finaliza Clemente, com ressalva.

24/05/12 13:58


Jornal_APCD_Maio_661.indd 14

24/05/12 13:58


Jornal_APCD_Maio_661.indd 15

24/05/12 13:58


16 APCD Jornal // Maio 2012

Falta de vitamina D pode acarretar diversos problemas, inclusive bucais Especialistas consideram suplementação uma alternativa em casos de carência desta vitamina no organismo // Texto Swellyn França //

As influências negativas da carência de vitamina D têm sido verificadas em diversas pesquisas ao redor do mundo. Durante o encontro anual da Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos, em fevereiro deste ano, pesquisadores revelaram níveis baixos de vitamina D no sangue de pacientes adultos com fraturas, tratados no Centro de Traumatologia do Missouri (E.U.A) - os níveis de vitamina D no sangue eram “insuficientes” em 78% dos pacientes e “extremamente insuficientes” em 39% deles. Uma pesquisa publicada na revista Osteoporosis International, em 2009, investigou a deficiência de vitamina D em países como Brasil, Chile, México e Argentina, e mostrou uma prevalência alta da deficiência em torno de 50%. A Análise do Consumo Alimentar Pessoal no Brasil, feita em julho do ano passado, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), verificou que os brasileiros ainda sofrem de carência de vitamina D no organismo, corroborando a estatística apontada na pesquisa de 2009. Para o endocrinologista e diretor do Instituto Mineiro de

Jornal_APCD_Maio_661.indd 16

Endocrinologia, Geraldo Santana, os achados das pesquisas são compatíveis com o que se observa na prática clínica no Brasil. “Embora seja um país com abundância de dias ensolarados (o sol é a principal fonte de vitamina D), as características da vida moderna nas grandes cidades, o sedentarismo, o receio dos danos do sol à pele e o uso de protetor solar tem dificultado nossa exposição ao sol, comprometendo a síntese adequada de vitamina D. Em alguns grupos de pessoas - afrodescendentes, com insuficiência renal ou hepática, idosos e obesos -, o risco para a deficiência é ainda maior do que

matoide etc. “O principal efeito da vitamina D é aumentar a absorção intestinal de cálcio e promover uma mineralização adequada dos ossos, evitando baixa estatura nas crianças e osteoporose na terceira idade. Além disso, já estão bem conhecidas suas outras ações, sobretudo, na melhora do sistema imunológico, na apropriada secreção de insulina pelo pâncreas, na função muscular e na prevenção de tumores. Nos idosos, níveis adequados de vitamina D reduzem os riscos de fratura não apenas por melhorar a calcificação dos ossos, mas também por contribuir com a força muscular e o

Se o quadro de carência da vitamina se prolongar e agravar para a deficiência, de maneira que o organismo não consiga compensar a falta dela, pode surgir hipocalcemia severa, com prejuízos ósseos, musculares, imunológicos e metabólicos - Cristiane Mengatto na população em geral.” Outros estudos apontam que a falta da vitamina D acarreta uma série de enfermidades não apenas relacionadas aos ossos, mas também doenças autoimunes, cardíacas, artrite reu-

equilíbrio. Em homens, estudos demonstram que a carência de vitamina D está relacionada a uma menor produção de testosterona, podendo causar redução da libido e disfunção erétil”, explica Geraldo.

Deficiência de vitamina D também afeta saúde bucal

A deficiência desta vitamina também pode acarretar problemas para a saúde bucal. Segundo a especialista em Periodontia e Odontologia Estética, Maristela Lobo, que possui em seu currículo mais de 20 cursos sobre Odontologia Estética, incluindo uma residência em Implantes na Universidade de Harvard (EUA), “a vitamina D (calciferol) está intimamente ligada ao metabolismo ósseo, considerando os processos fisiológicos de modelação e remodelação, tão importantes para manter a vitalidade óssea e os níveis adequados de cálcio e fósforo sanguíneos. Se o nosso organismo não consegue adquirir por ingestão alimentar e digestão o cálcio de que precisamos, ele utiliza o osso como doador

desse elemento vital. A literatura científica aborda a má influência dos baixos níveis de vitamina D em pacientes submetidos à colocação de implantes dentários. Os implantes feitos em titânio cicatrizam no osso através de um processo de osseointegração, traduzido pelo íntimo contato do osso com a superfície do implante, em um processo totalmente biocompatível”. Um estudo de doutorado da professora da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Cristiane Machado Mengatto, publicado no ano passado, demonstrou que a falta de vitamina D pode comprometer procedimentos de implantes dentários, pois prejudica o processo de cicatrização do material de titânio ao redor do osso (osseointegração), levando até à perda precoce do implante. “Com o apoio financeiro da Capes e sob orientação dos professores Célia Marisa Rizzatti Barbosa (da Faculdade de Odontologia da Unicamp) e Ichiro Nishimura (da Universidade da Califórnia, em Los Angeles - UCLA), realizei um estágio ‘sanduíche’ no laboratório do Weintraub Center for Reconstructive Biotecnology (Los Angeles). Lá, inserimos um implante de titânio no fêmur de ratos de laboratório, que foram divididos em quatro grupos: sem implante e que recebeu dieta normal; sem implante e com dieta pobre em vitamina D; com implante e nível vitamínico normal; com implante e dieta vitamínica pobre. Após duas semanas da cirurgia, removemos o implante, juntamente com o osso ao seu redor. Do osso ao redor do

24/05/12 13:58


Maio 2012 // APCD Jornal 17

implante extraiu-se o RNA para se verificar a expressão gênica através de uma técnica denominada microarranjo de DNA. Fizemos o rastreamento da expressão de 41 mil genes dos ratos após 14 dias de osseointegração. O estudo permitiu determinar quais genes estavam significativamente ativos ou inativos nos animais normais e nos deficientes em vitamina D.” Além de verificar que aproximadamente 1.400 genes tiveram expressão diferente com relação à presença ou à ausência da vitamina D ao redor do implante de titânio, a pesquisa concluiu que a hipovitaminose D nos ratos influenciou negativamente a osseointegração. “A detecção desses genes favorecerá sua manipulação e alteração artificialmente no futuro, através da elaboração de uma nova superfície de implante ou de um medicamento local ou sistêmico que melhore a osseointegração”, revela Cristiane. Embora haja poucos estudos sobre a influência da deficiência de vitamina D na saúde bucal, Cristiane Mengatto lembra que, além de sua pesquisa, há algumas que apontam a associação entre a

Jornal_APCD_Maio_661.indd 17

carência da vitamina e o prejuízo na cicatrização óssea de cirurgias periodontais e de fraturas. “Quando há carência leve de vitamina D, o organismo pode reagir através da hipocalcemia leve, hiperparatireoidismo compensatório, perda de osso trabecular e redução na absorção intestinal de fosfato, gerando hipofosfatemia. Se o quadro de carência da vitamina se prolongar e agravar para a deficiência, de maneira que o organismo não consiga compensar a falta dela, pode surgir hipocalcemia severa com prejuízos ósseos, musculares, imunológicos e metabólicos. No caso de suspeita de deficiência de vitamina D, convém aos profissionais da saúde encaminhar o paciente ao médico, que analisará a existência real da hipovitaminose e a indicação de uma suplementação vitamínica, mudanças de hábitos alimentares, maior exposição ao sol, entre outras abordagens”. A especialista em Periodontia, Maristela Lobo, concorda e lembra de estudos laboratoriais que demonstram o impacto negativo da deficiência de vitamina D na formação de osso cortical perimplantar (Kelly et al., 2009: Dvorak

et al., 2011). Para ela, no entanto, ainda são necessárias muitas pesquisas, incluindo investigações clínicas, que possam elucidar melhor os mecanismos de ação da vitamina D nos processos de metabolismo ósseo e osseointegração. “Até que esse futuro torne-se presente, cabe a nós, Cirurgiões-Dentistas antenados com as tendências científicas mundiais, fornecer compensações

Suplementação vitamínica com supervisão médica é indicada

O endocrinologista, Geraldo Santana, diz que a vitamina D está presente na gema de ovo, manteiga, óleo de fígado de bacalhau, salmão e arenque. “Porém, estas fontes alimentares, além de escassas em nossa dieta habitual,

Ainda são necessárias muitas pesquisas, incluindo investigações clínicas, que possam elucidar melhor os mecanismos de ação da vitamina D nos processos de metabolismo ósseo e osseointegração - Maristela Lobo vantajosas aos nossos pacientes. Dentro desse contexto, a suplementação diária da vitamina D e do cálcio, além da recomendação da exposição solar nos primeiros horários da manhã (até às 10h e depois das 16h), torna-se de extrema importância para os pacientes que serão submetidos a implantes, ou para aqueles pacientes que ingerem bifosfonatos (alendronatos).”

contêm quantidades insuficientes para preencher a necessidade diária do organismo. Assim, a nossa principal fonte de vitamina D é a produção pela pele estimulada pelos raios solares. No Brasil, a oferta de alimentos enriquecidos - laticínios e cereais, por exemplo - com a vitamina D ainda é pequena, diferentemente de outros países, principalmente, aqueles de clima

mais frio e baixa incidência de sol.” Considerando essa escassez de vitamina D nos alimentos, os perigos da recomendação de um aumento sistemático à exposição solar e, ao mesmo tempo, a alta prevalência da carência desta vitamina nas pessoas, Geraldo Santana salienta a recomendação feita com o endosso de diversas pesquisas para que se estabeleça uma dosagem anual de vitamina D, sobretudo, em pessoas com maior risco de deficiência. “Confirmado o diagnóstico de deficiência (ou de insuficiência em crianças em fase de crescimento, ou pessoas de risco para fraturas, ou osteoporose) está indicada sua suplementação diária com medicação contendo vitamina D. Esta suplementação vitamínica, feita por via oral, é segura e não apresenta efeitos colaterais. O ajuste da dose é feito por exames periódicos de sangue. Após a normalização dos exames, doses semanais ou mensais de manutenção podem ser indicadas. A intoxicação por vitamina D é uma situação muito rara, causada por doses excessivas com duração prolongada e sem os exames regulares para ajuste de dose”, finaliza o endocrinologista.

24/05/12 13:58


18 APCD Jornal // Maio 2012

Estudos comprovam que estresse causa diversas doenças Especialistas explicam que estresse age como causador de doenças especialmente autoimunes // Texto Swellyn França //

Um estudo publicado no início de abril na revista da Academia Americana de Ciências, a PNAS, verificou que ficar constantemente estressado pode afetar a capacidade do organismo de combater inflamações. Este estudo complementa outros, confirmando que o estresse pode atuar sobre o organismo e afetar o sistema imunológico, tornando-o mais suscetível ao aparecimento e progressão de diversas enfermidades. De acordo com o psiquiatra, coordenador da equipe de Psiquiatria do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e ex-professor titular de Psiquiatria da Faculdade de Ciências Médicas de Santos, Vladimir Bernik, há inúmeras pesquisas que mostram a ação nociva do estresse sobre o organismo, tanto na parte orgânica quanto na psíquica. “No final da Segunda Guerra, Selye (Hans Selye, médico canadense criador da moderna conceituação de estresse), analisou os quadros clínicos do estresse em ex-combatentes e os documentou. Verificou-se que as ações agressivas do estresse se fazem sobre o quadro imunológico que determina a resistência do organismo às agressões; as alterações nas imunoglobulinas e nas séries T e B dos glóbulos brancos do sangue diminuem progressivamente a capacidade

de defesa e tornam o organismo vulnerável. Quando o corpo perde a capacidade de reagir a estas agressões - que pode ser uma inflamação -, mesmo fazendo uso de antibióticos, a pessoa pode morrer. Curiosamente, o óbito será registrado como causado por infecção, mas na verdade foi em função do estresse; o real agente causador”. O psiquiatra explica que o estresse é resultado final do desequilíbrio entre as agressões externas (o meio ambiente) e internas (as psíquicas, por exemplo) contra o organismo, sem suficiente capacidade para se defender destas agressões que, geralmente, são repetitivas e constantes. “É a consequência do combate pela vida que leva a uma das duas posições: fight or flight (lute ou fuja). O organismo combate ou tenta se esquivar como medida de defesa. Qualquer mudança no meio da pessoa, seja má ou mesmo boa, pode desencadear a reação de defesa, gerando o estresse. Fatores externos comuns são as perdas de emprego, familiares, pessoas e relações; de condições de vida, da saúde, das esperanças e das expectativas de vida. Ou internos, como fruto de doenças orgânicas, incluindo as psiquiátricas, entre estas, a depressão, que é a principal causadora do estresse. Estes fatores promovem uma ‘desadaptação’ dos sistemas de defesa. A percepção destas mudanças vai ao córtex cerebral, onde são entendidas e processadas, passando para o sistema límbico (o das emoções) e hipotálamo. Este, por sua vez, aciona a defesa através da produção de adrenalina pela glândula suprarrenal - esta é a vilã e a responsável pelas alterações funcionais nos diferentes

órgãos e sistemas, levando-os progressivamente ao colapso a médio ou longo prazo”, detalha Bernik.

Estresse também pode causar problemas bucais

Por todas essas características, o estresse ainda pode causar diversas manifestações orais que vão desde simples ulcerações aftosas até doenças de caráter autoimune, como o pênfigo vulgar e o líquen plano. “Dentre outras lesões, também pode ocorrer a língua geográfica, a gengivoestomatite herpética e herpes simples recidivante”, explica a Cirurgiã-Dentista, mestre em Odontologia Social, Mariana Trigueiro Viana Batista.

Cada pessoa deve instituir as medidas mais adequadas para si contra os problemas causados pelo estresse e buscar a sua origem - Vladimir Bernik

A Cirurgiã-Dentista reforça que vários estudos sugerem uma relação entre o aparecimento de determinadas condições da cavidade bucal e o estresse, pois ele é composto por um conjunto de reações fisiológicas, podendo afetar o organismo de diversas formas e seus sintomas podem variar de pessoa para pessoa. “Como outros distúrbios de comportamento, o estresse pode alterar as defesas do hospedeiro, aumentando a vulnerabilidade às doenças associadas a mecanismos imunológicos, como infecções e doenças autoimunes. Dessa forma, cada doença, com seus sinais e sintomas, deve ser tratada de maneira específica”, esclarece Mariana.

Diagnóstico precoce e tratamento adequado evita danos do estresse

O psiquiatra, Vladimir Bernik, esclarece que para que o estresse não chegue a causar um colapso no organismo é necessário fazer um diagnóstico a tempo e um tratamento adequado deve ser instituído. “Hoje existem recursos para que o estresse e suas consequências orgânicas e psíquicas sejam corrigidos. Cada pessoa deve instituir as medidas mais adequadas para si contra os problemas causados pelo estresse e buscar a sua origem. Portanto, entender-se e identificar as agressões a que está sendo submetido(a) é o primeiro passo para o diagnóstico. Um bom psiquiatra pode ajudar nesta busca das causas e

Jornal_APCD_Maio_661.indd 18

ajudar a traçar as soluções, quase sempre globais quanto ao estilo de vida, e particulares, corrigindo desde os problemas já causados pelo estresse. Então, o primeiro passo é livrar-se do preconceito de buscar este especialista e aceitar que haverá um tratamento com medicamentos (livrar-se do preconceito de que a medicação psiquiátrica leva à dependência) e entender a necessidade da ajuda interveniente através da psicoterapia cognitiva (entender-se) e comportamental (traçar suas diretrizes de cura). Estas duas medidas conjuntas promovem o equilíbrio perdido entre a resistência do organismo e a força de impacto das agressões.” Além disso, Bernik alerta que a depressão, principal aspecto do estresse, é a terceira causa de morte entre adultos e a segunda entre os jovens; tem uma prevalência em 20% da população e é mais comum entre as mulheres. Por isso, o psiquiatra reforça que “entender o processo, aceitar que ele existe e que não é fruto de ‘fraquezas’ pessoais e, sim, de doença, é essencial, assim como afastar o obscurantismo e os preconceitos, buscando o controle das causas desencadeantes e a recuperação dos prejuízos funcionais, sem visões preconceituosas que só retardam a recuperação e a cura, além de aumentarem e alongarem o sofrimento humano.” A Cirurgiã-Dentista, Mariana Batista, concorda e complementa: “Atualmente, como vivemos numa sociedade moderna e dinâmica, é inevitável que nos defrontemos com situações as quais não podemos controlar nem evitar, o que pode acabar gerando estresse. O estresse emocional é, na maioria das vezes, difícil de ser diagnosticado, por isso, uma avaliação específica e detalhada seria interessante através de testes psicológicos. Independentemente disso, devemos ter boa qualidade de vida, hábitos saudáveis, além de reservar um tempo por dia para fazer um relaxamento físico e mental, o que proporciona inúmeros benefícios em nossa saúde, já que o relaxamento tem efeitos profundos no sistema imunológico da pessoa, tornando-o mais resistente aos agentes etiológicos. Nós, CirurgiõesDentistas, como profissionais da saúde, ainda devemos entender o ser humano em todas as suas dimensões, pois nosso papel é proporcionar uma melhor qualidade de vida às pessoas. Através do reconhecimento de suas frustrações e tensões cotidianas, há a possibilidade de identificar doenças orais no consultório e relacioná-las com o estresse. Assim, podemos motivar o paciente a fazer o tratamento e educá-lo para a autoavaliação, aumentando as possibilidades de domínio do estresse e melhora do quadro clínico”, finaliza Mariana.

24/05/12 13:58


Jornal_APCD_Maio_661.indd 19

24/05/12 13:59


20 APCD Jornal // Maio 2012

3X4

Odontologia e esporte: uma parceria que dá certo Thiago Lobo, Cirurgião-Dentista e coordenador de Esportes Radicais e Alternativos, e da Virada Esportiva, da cidade de São Paulo, fala sobre como a prática de atividades esportivas pode ajudar no desempenho profissional // Texto Mariana Pantano //

A paixão e a dedicação pelos esportes fizeram com que o Cirurgião-Dentista, especialista em Odontopediatria, Thiago Lobo, tivesse um destino diferente de muitos profissionais de Odontologia. Conhecedor das necessidades e dificuldades que muitos praticantes de esportes radicais e alternativos enfrentam, em 2007, foi convidado para trabalhar na Secretaria de Esportes da Prefeitura de São Paulo como coordenador de Esportes Radicais e Alternativos e da Virada Esportiva. Desde então, Thiago trabalha na realização de inúmeros eventos no município para aumentar a interação da sociedade com a prática esportiva, e destacar a cidade de São Paulo no calendário mundial de grandes atrações turísticas ligadas ao esporte. Confira a entrevista concedida ao APCD Jornal: APCD Jornal - Há quanto tempo é Cirurgião-Dentista? E como foi que resolveu trabalhar com esporte? Thiago Lobo – Em 2001,

Jornal_APCD_Maio_661.indd 20

me formei em Odontologia pela Unip (Universidade Paulista); entre 2003 e 2004, morei em Santa Bárbara, Califórnia, E.U.A, onde "estagiei" em um consultório (não podia trabalhar por conta da falta de visto de trabalho); e, em 2006, me especializei em Odontopediatria. Sempre fui atleta. Frequentava o Clube Paineiras, em São Paulo, e lá pratiquei e competi por quase todos os esportes (tênis, natação, judô, ginástica olímpica, vôlei, atletismo, skate, bicicross, surf, além do futebol - quase deixei de seguir na carreira de Odontologia para me dedicar como goleiro, pois havia propostas naquela época para continuar a sério na modalidade). Sempre estive muito ligado ao esporte, até hoje pratico muita coisa e por conhecer bem as modalidades, as necessidades dos atletas, e a falta de estrutura médica/ odontológica na área esportiva, naturalmente me envolvi com isso, tanto é que uma das minhas especialidades é a Odontologia Desportiva. Em 2007, fui convidado para trabalhar na Secretaria de Esportes da Pre-

feitura de São Paulo, mas pelo meu envolvimento político (outra prática que sempre gostei e sempre participei desde a época acadêmica), me envolvi diretamente com o trabalho voltado ao esporte. APCD Jornal – Quais são os projetos esportivos que desenvolve para a cidade de São Paulo? Thiago Lobo – Por praticar esportes, sempre soube quais eram as carências dos esportes alternativos e radicais, diferentemente de um esporte profissional como o futebol, que tem mais atenção. Queria dar oportunidade para os esportes diferenciados, dessa forma, criei uma coordenadoria de esportes radicais e alternativos e comecei a promover grandes eventos que colocam São Paulo no calendário das grandes atrações turísticas ligadas ao esporte. Colocar a cidade nesse cenário mundial é muito importante. A partir do momento que realizamos grandes eventos, fomentamos o esporte de base, a cidade acaba se desenvolvendo mais, tendo mais arrecadação de verba e maior atração por parte da mídia. São Paulo é uma cidade inovadora onde se criam muitas modalidades esportivas pela necessidade de adaptação. O Parque do Ibirapuera, por

exemplo, é o centro dessas modalidades. Uma gama de atividades acontece lá, e as pessoas estão sempre antenadas. A partir da realização desses grandes eventos, criamos a Virada Esportiva que neste ano chega à 6ª edição e vai ocorrer em 30 de junho e 1º de julho, com mais de 2.500 eventos em diversos pontos da cidade. Contemplamos todas as faixas etárias e classes sociais com o objetivo de levar todas as modalidades esportivas para a população geral de São Paulo. Na Virada Esportiva as atividades acontecem na rua e sempre contemplamos os cartões postais da cidade como, por exemplo, o Museu do Ipiranga, o Pátio do Colégio, o Vale do Anhangabaú, a Represa de Guarapiranga, todos os parques, o Viaduto do Chá, a frente do Teatro Municipal, a Avenida Paulista. As pessoas gostam de se envolver e conhecer a cidade. APCD Jornal - Que ligação você vê entre a Odontologia e o esporte? Thiago Lobo - Sempre trabalhei muito com projetos sociais e

Odontologia Esportiva. Sou também lutador. Quando entrei na Secretaria Municipal de Esportes foi que surgiu a ideia de levar prevenção odontológica aos espaços esportivos em que a Secretaria promove ações esportivas. O projeto inicial acabou crescendo e hoje se chama “Saúde no esporte”, realizado em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde. É uma atividade multidisciplinar, que integra médicos, fisioterapeutas, nutricionistas, Cirugiões-Dentistas que acompanham e fazem a prevenção dos atletas e, depois, são indicados para os postos de saúde da prefeitura. APCD Jornal - Sabemos que a rotina do consultório é algo estressante. Como você consegue administrar as duas carreiras? Qual dica você dá para quem fica preso à rotina do consultório e não realiza uma atividade paralela? Thiago Lobo - O esporte é sinônimo de qualidade de vida e também ajuda na forma física. Continuo atendendo no consultório, mas com tempo reduzido. Ao realizar uma atividade esportiva você consegue descarregar as energias negativas. Para quem conseguir, aconselho praticar esporte de manhã antes de trabalhar, pois fica mais bem disposto. O resultado na hora de atender o paciente é melhor, pois também melhora a concentração.

24/05/12 13:59


Jornal_APCD_Maio_661.indd 21

24/05/12 13:59


22 APCD Jornal // Maio 2012

COMPORTAMENTO

Por que decidi ser mãe? No mês em que se comemora o Dia das Mães, Cirurgiãs-Dentistas compartilham com o APCD Jornal suas experiências ao escolherem vivenciar as dores e os prazeres da maternidade // Texto Swellyn França //

Parte de um desejo psíquico, a maternidade não está presente em todas as mulheres, necessariamente. A aspiração de ser mãe vai além do social. Evidentemente, que as demandas sociais estimulam a mulher desde cedo a pensar sobre a maternidade, e isso pode ser percebido na própria educação infantil, no ato de brincar de boneca, do ensinar a ninar, entre outros. No entanto, com grandes mudanças socioculturais, as lutas feministas favoreceram as mulheres no que diz respeito às escolhas e tais conquistas estimularam e quebraram antigos paradigmas. “Hoje, as mulheres ‘invadiram’ o mercado de trabalho e a relação com as múltiplas funções as sobrecarregaram. Por essa razão, o querer ou não ter filhos passa, agora, a ter uma importância muito maior”, avalia a psicóloga e psicoterapeuta Jacqueline Meireles. Costuma-se dizer que a mulher já nasce para ser mãe tanto biologicamente quanto anatomicamente, no entanto, não é o organismo que determina o ser materno, mas sim seus anseios, sonhos e idealizações. “A cultura ajuda, a sociedade reforça e o sujeito (mulher) é quem decide”, considera Jacqueline. A psicóloga salienta que dificuldades existem sim, principalmente, para muitas mães que deixam seus filhos e vão trabalhar. “Nos primeiros meses após o parto, é um processo doloroso. Surgem inúmeras dúvidas e questionamentos. A sensação inicial é de ruptura na relação mãe-filho, mas não se deve esquecer que mãe também é mulher e precisa de seu espaço, necessita viver. A autoexclusão não é saudável; a criança não pode ser vista como um fardo

Jornal_APCD_Maio_661.indd 22

ou obstáculo à vida, mas sim como parte da existência. Trabalho, família, lazer são momentos de importante valor pessoal e relacional. Saber organizar o tempo, bem como investir nesse tempo de forma qualitativa, objetivando melhorar os espaços no cultivo de bons relacionamentos familiares, favorece a interação e a construção do amor, que valida o contato mãe-filho. O fator presença constante não significa ser uma excelente mãe; a qualidade está na construção de um bom vínculo maternal. O mal-estar momentâneo provocado pela ausência é natural. A criança aprenderá desde cedo que a mãe vai, mas volta. A saudade originada por momentos de ausência é salutar, pois existem sentimentos. O segredo está no equilíbrio!” Sobre as mulheres que, por opção ou imposição, são mães sozinhas, a psicoterapeuta ressalta que elas aumentam ainda mais o seu nível de responsabilidade. Educação partilhada facilita muito, traz segurança, contudo, não significa que as mães ‘sozinhas’ serão menos capazes. Já em relação às mães adotivas, Jacqueline é taxativa: “Não é o corpo que simboliza o vínculo, mas o coração, o amor, os sentimentos. Mães adotivas são todas que escolhem adotar de coração, independentemente de terem seus filhos acolhidos no ventre. O vínculo do corpo é importante, entretanto, não é fundamental. Psiquicamente, a mulher não nasce mãe, ela se torna mãe, aprende a ser maternal por interferência da cultura e da sociedade. Os filhos são seres que ensinam essa arte com a construção do sentimento, do amor sem limites”. Para as mulheres que desejam tornar-se mães, mas têm receios, Jacqueline afirma

que cada uma deve procurar em si o sentido que tal desejo representa. “A maternidade não deve ser algo imposto, obrigatório, mas sim planejado, sonhado, idealizado e internalizado. A maternidade se inicia no psiquismo, antes mesmo da concepção. São os sonhos, os atributos que vão formar a primeira imagem do bebê idealizado. Reciprocamente, não é coerente colocar em questão os valores maternais em detrimento ao profissional, ambos devêm ser julgados de modo particular. É importante saber separar os momentos, dessa maneira, a mulher conseguirá realizar suas escolhas com maior segurança, tendo seus medos minimizados. Filho não é matemática, representa as relações, bem como o sentido de pertencimento, intimidade. A forma como cada sujeito encara os desafios diários sinaliza facilidades ou dificuldades em fazer escolhas.” Para Jacqueline, “na existência nada precisa ser abolido em absoluto, apenas é preciso saber que existem papéis, e a opção de desempenhá-los será sempre particular e essa é a grande conquista, bem como o grande desafio, pois um dia os filhos crescem e as mulheres que apenas se percebiam mães descobrem que também são profissionais, esposas, femininas, matriarcas e, ainda assim, mulheres”.

Cirurgiãs-Dentistas que escolheram ser mães

O APCD Jornal entrou em contato com algumas mulheres Cirurgiãs-Dentistas que compartilharam suas experiências e são exemplos da conciliação entre as duas tarefas: profissional e mãe. Confira: “Tive minhas filhas gêmeas com 24 anos. Eu não podia tomar pílulas anticoncepcionais, então aconteceu sem planejamento. Trabalhava meio período como Cirurgiã-Dentista em uma escola da prefeitura e meio período em meu consultório. A conciliação foi difícil nos primeiros anos, mas quando se tornou possível eu abri mão da prefeitura e passei a dispor de mais tempo para as meninas. O meu marido foi uma pessoa muito presente na criação de nossas filhas. Vejo a situação de duas formas: no caso da profissional registrada, a legislação atual protege melhor a mãe, possibilitando o período considerável na companhia do recém-nascido, tornando mais fácil desenvolver a carreira. No caso da profissional autônoma, o planejamento deve ser mais cuidadoso e pode levar até ao sacrifício da carreira se não houver suporte financeiro. Isso porque a ausência do profissional autônomo por longo tempo de seu consultório pode ser muito prejudicial à carreira. Com o passar do tempo, as Cirurgiãs-Dentistas que não puderem contar com a ajuda dos pais, se possível, contratem uma boa profissional para manter o filho em casa, ou pesquise um bom berçário. Como experiência própria, posso dizer, sem dúvida, que há enormes sacrifícios,

mas é possível manter a carreira e a boa educação com o amor dos filhos.” - Maria Tereza Barbosa Rolfsen, 57 anos. (São Paulo – SP) "Conciliar vida profissional com maternidade não é fácil, mas também não é algo complicado. Devemos estabelecer prioridades, tentar levar a vida sem prejuízo nas duas funções. O ideal seria sabermos qual o melhor momento para sermos mães, mas nem sempre isso é possível; a natureza faz suas artes. Além disso, se ficarmos planejando muito nunca acharemos o momento certo. Tive minha filha aos 25 anos; já queria engravidar fazia um tempo. Engravidei quando estava formada há dois anos e trabalhando em três turnos, levei um susto e me perguntei: E agora? Eu morava no interior de São Paulo e minha família na capital. Foi um sufoco no começo, a licença-maternidade naquele tempo era só por três meses, trabalhei até na véspera da minha filha nascer. Por sorte, contei com a ajuda preciosa da minha mãe nas primeiras semanas. Foi difícil retomar a profissão no final desses três meses; aleitamento, cólicas, banhos com hora marcada, aluguel vencendo... Uma loucura que só nós, mulheres, entendemos. Ainda bem que nós, mulheres, temos o dom da multiplicação das horas... Nesse processo, algumas coisas ficam prejudicadas, mas não se pode ter tudo ao mesmo tempo. Respeito quem escolhe a profissão e deixa a maternidade para segundo plano, mas acho isso ruim; às vezes, esquecemos que a natureza nos faz férteis, com vigor e garra para criar os nossos filhos por um tempo que acho pouco, a menopausa nos chega logo. Filhos e profissão convivem bem. Deixar de tê-los em função do sucesso profissional faz nosso futuro vazio. A profissão nos traz alegrias, faz massagem no nosso ego, nos dá poder, mas também nos desgasta. O tempo passa, envelhecemos, cansamos. Penso que a vida em família tem um peso maior. Para as colegas Cirurgiãs-Dentistas que trabalham e querem ser mães, digo para deixarem a vida levar; sejam felizes na vida pessoal e na profissional, lembrem-se que a profissão não é tudo, aproveitem a juventude, continuem estudando, sejam especialistas, mas tirem um tempo para serem mães. Somos capazes! Assim como eu, muitas mulheres conseguiram traçar um longo caminho na carreira, alcançaram sucesso, cargos importantes na

24/05/12 13:59


Maio 2012 // APCD Jornal 23

área, e o mais importante: conseguiram também criar seus filhos e serem ótimas mães." - Maria Elizabeth Ramos Martins, 58 anos. (Guaratinguetá – SP) “Minha primeira e única filha nasceu dois meses antes de eu completar 41 anos. Foi superplanejada e esperada! Durante os 20 anos de formada, tive praticamente dedicação exclusiva à minha carreira; um dos motivos de ter esperado tanto para ser mãe. Quando minha filha nasceu já estava profissionalmente estabilizada e tive o privilégio de poder organizar meus horários para estar com ela muitas horas por dia. Voltei a trabalhar quando minha filha tinha apenas 20 dias de nascida, porém, com horários bastante flexíveis. Ainda assim, meu ritmo de vida mudou muito. Abri mão dos cursos que ministrava, e passei a colocar na balança os convites recebidos para ministrar aulas e cursos. Em minha opinião, cada família tem suas metas e seu planejamento individual. Eu esperei muitos anos para ter minha filha. Hoje, posso dizer que não me arrependo da carreira que trilhei, dos muitos obstáculos que encontrei, e que o sucesso que tive é algo que me deixa um pouco mais confortável para concluir que seu eu soubesse o que era realmente a maternidade antes de ter sido mãe, teria tido mais três ou quatro filhos, porque ser mãe é, hoje, a melhor coisa que me aconteceu na vida. Não esperem muito tempo para conhecer o amor mais verdadeiro que alguém pode sentir. Mas, preparem-se para recebê-lo quando realmente estiverem prontas para dizer não a muitas oportunidades de trabalho em nome dele, para que essa escolha seja envolta em realização plena e prazerosa, e não gere frustrações. Também aprenda a usar cada minuto do seu dia, e cada minuto ao lado dos seus filhos, porque realmente a qualidade do tempo vivido ao lado deles é imensamente mais importante do que a quantidade. Não pode existir culpa em conciliar o trabalho com os filhos. Sinto que hoje minha filha com quase três anos de idade entende quando saio para trabalhar e é mais independente do que as crianças que ficam o dia todo com as mães. Ela valoriza cada minuto que estamos juntas e temos uma relação muito próxima. Respeito a idade dela e seu entendimento sobre o assunto, mas em sua linguagem abordo sempre minhas ausências para que ela desde cedo entenda que estarei sempre ao seu lado quando precisar, mas, principalmente, quando ela nem sentir que precisa. Acho que isso é ser mãe; é estar presente sempre, e construir uma base sólida de exemplos de amor e compreensão.” - Andrea Ashcar Cury, 43 anos. (São Paulo – SP)

Jornal_APCD_Maio_661.indd 23

Odontologia intra-uterina Assim como a medicina reconhece a importância do período gestacional, a Odontologia também busca valorizar esta fase, visando manter ou resgatar a saúde bucal da mulher, o que possibilita melhor saúde para o futuro bebê. “A Odontologia intra-uterina é o acompanhamento da mulher na gravidez e representa o pré-natal odontológico, cuidados e assistência à gestante com o olhar voltado para o bebê. A filosofia dessa abordagem antecipada é cuidar da mãe com o objetivo maior de construir a saúde bucal da criança, desmistificando, assim, as crenças relacionadas ao período gestacional e à Odontologia e mudando conceitos que contribuem para um novo olhar sobre a saúde bucal”, explica a odontopediatra, pioneira neste assunto no Brasil, Flávia Konishi. A especialista explica que durante o pré-natal odontológico as medidas preventivas e/ou curativas (quando necessárias) possibilitam que a mulher tenha um menor número de bactérias na cavidade bucal, minimizando, assim, a transmissão vertical de microrganismos patogênicos da mãe para o bebê depois que ele nascer, o que refletirá positivamente na saúde da criança. “Muitos dos problemas que são observados na criança e diagnosticados pelos pais ou pelos profissionais são alterações clínicas que tiveram origem na vida intra-uterina. O início da formação dos dentes ocorre numa fase muito precoce do desenvolvimento embrionário, aproximadamente na sexta semana de gestação. Assim, condições desfavoráveis durante este período, como o uso de medicamentos, de cigarros, do álcool, as carências nutricionais, as doenças, as infecções e a poluição intra-uterina podem influenciar no desenvolvimento do bebê e causar distúrbios na formação dos dentes. Os hábitos saudáveis da gestante, por sua vez, contribuem para a formação dos órgãos sadios e bem mineralizados da criança. Esta atenção antecipada permite ainda informar, educar e auxiliar as mães para melhor cuidarem de seus filhos”, esclarece Flávia. Desta forma, tão importante quanto o pré-natal com o obstetra, é o pré-natal odontológico. “Primeiramente, a mãe precisa aprender a ter saúde bucal. O fato de a mulher estar grávida não deve ser motivo para adiar um tratamento odontológico. É exatamente por estar grávida que ela precisa dos cuidados

de um Cirurgião-Dentista. A primeira medida de prevenção deve ser a educação. É necessário que as mães saibam que seus filhos podem crescer sem cárie, sem doença de gengiva e com uma boa oclusão. Sabemos que a mãe é determinante na formação dos hábitos e na educação dos filhos e, na maioria das vezes, nossas crianças são tão saudáveis quanto lhes permitimos ser. É responsabilidade do profissional da área odontológica, especialmente dos odontopediatras, informar e conscientizar ‘pais grávidos’ sob a importancia da saúde bucal como parte inalienável da saúde geral, pois a saúde começa pela boca”, enfatiza a odontopediatra. Flávia conta que, nos últimos anos, no cenário científico mundial, vê-se despontar estudos acerca da importância da vida antes de nascer. Muito do que a criança virá a ser está relacionado com o período primal: vida intra-uterina, nascimento e primeiro ano de vida. “Tais estudos, marcados pela contribuição de várias áreas, culminaram por atingir também o campo do saber odontológico, dando origem a um ramo da Odontopediatria denominado Odontologia intra-uterina. O prénatal odontológico transforma a Odontopediatria e nos traz a possibilidade de melhorar as chances oferecidas a toda uma geração de nascer, crescer em saúde bucal, sem ter que suportar o sofrimento dos tratamentos invasivos e curativos que sofreram as gerações anteriores”, finaliza.

24/05/12 13:59


Jornal_APCD_Maio_661.indd 24

24/05/12 13:59


Jornal_APCD_Maio_661.indd 25

24/05/12 13:59


26 APCD Jornal // Maio 2012

Fique por dentro da APCD Novidade

Política

Coa

APCD firma parceria com a empresa de estacionamentos Multipark

Parlamentares apoiam proposta da APCD de valorização da Odontologia

Eleições para o novo Conselho Acadêmico acontecem em 16 de maio

// Página 28 //

// Página 30 //

// Página 36 //

Cirurgiões-Dentistas e médicos fazem manifestação na Avenida Paulista Profissionais de saúde foram às ruas protestar contra condições impostas pelos planos de saúde

// Texto e fotos Mariana Pantano //

Na manhã de 25 de abril - Dia Nacional de Advertência aos Planos de Saúde, cerca de 500 profissionais de Medicina e de Odontologia de São Paulo realizaram uma manifestação na Avenida Paulista em protesto contra condições impostas pelas empresas de planos de saúde. A passeata se iniciou na Rua São Carlos do Pinhal, em frente da AMB (Associação Médica Brasileira), e depois os manifestantes caminharam no sentido da Rua Consolação (região central de São Paulo). O objetivo da manifestação foi chamar a atenção da opinião pública quanto à conflituosa relação entre profissionais de saúde e operadoras – só no Estado de São Paulo são 18,2 milhões de usuários e cerca de 660 operadoras e seguradoras. Médicos e Cirurgiões-Dentistas mostraram “cartão amarelo” às empresas para que apresentem propostas concretas sobre questões fundamentais como a urgente valorização do trabalho médico e odontológico, remuneração digna, reajuste a cada 12 meses, contratos justos e respeito à relação entre profissionais e pacientes. O presidente da Associação Brasileira de Cirurgiões-Dentistas (ABCD), Silvio Cecchetto, explica que, há muito tempo, as entidades de saúde vêm buscando uma melhor valorização profissional. “Percebemos, claramente, que as empresas de plano de saúde não valorizam nosso trabalho. São inaceitáveis os honorários pagos pelos procedimentos realizados pelos médicos e CirurgiõesDentistas. A união das entidades de

Jornal_APCD_Maio_661.indd 26

saúde nesse movimento é um alerta para mostrar que a Odontologia está insatisfeita com as condições impostas.” O membro do departamento de Defesa de Classe da APCD e 1º vice-presidente da APCD Regional Guarulhos, Marcos Antônio Martins, disse que a

manifestação teve o objetivo de avisar as empresas de convênios que todos os profissionais de saúde estão unidos e vão lutar por melhores condições de trabalho. “Queremos que exista um contrato que estabeleça os reajustes anuais dos índices e melhor relacionamento entre Cirurgiões-Dentistas e operadoras.” O presidente do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (Crosp), Emil Adib Razuk, afirma que essa manifestação é importantíssima “pois mostra aos planos de saúde que eles não existem sem a atuação do Cirurgião-Dentista. Queremos dar melhor atendimento e, para isso, precisamos de uma melhor valorização dos procedimentos. As operadoras de convênio só visam o lucro e não o benefício da população”. O vereador de São Paulo, Gilberto

Natalini, também esteve presente na manifestação para apoiar as reivindicações. “Participo da passeata não só como vereador, mas como médico que tem consultório e trabalha com convênios. Apoio essa manifestação feita pelos profissionais de saúde para que as categorias envolvidas tenham uma remuneração justa e, consequentemente,

Queremos que exista um contrato que estabeleça os reajustes anuais dos índices e melhor relacionamento entre Cirurgiões-Dentistas e operadoras – Marcos Martins tenham condições de realizar um atendimento melhor aos pacientes. Queremos receber em dia, e receber honorários condizentes com a nossa atuação.” O presidente da Associação Paulista

de Medicina (APM), Florisval Meinão, disse que “a manifestação pretende demonstrar para a opinião pública que as coisas não estão bem, a relação entre médicos e planos de saúde vive à base de conflitos. Os contratos que assinamos com as empresas não contêm cláusulas bem definidas sobre os critérios estabelecidos. Os reajustes aplicados nos últimos 10 anos estão muito aquém dos reajustes que aplicam nas mensalidades dos usuários do sistema. Os médicos estão muito insatisfeitos”. O presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), Renato Azevedo Junior, reforçou que médicos e Cirurgiões-Dentistas estão unidos, pois sofrem os mesmos problemas com os planos de saúde: baixos honorários e desaprovação de procedimentos. “As empresas de planos de saúde exploram o trabalho dos profissionais de saúde, por isso, queremos um contrato com reajustes anuais dos procedimentos médicos e odontológicos.” Além da APM, APCD, Cremesp, Crosp e ABCD, esse movimento teve a participação do Sindicato dos Médicos de São Paulo, Academia de Medicina de São Paulo, Sociedades de Especialidades Médicas e Associação Brasileira de Mulheres Médicas - Seção São Paulo.

24/05/12 13:59


Jornal_APCD_Maio_661.indd 27

24/05/12 13:59


28 APCD Jornal // Maio 2012

Peça “O Filho da Mãe” reestreia no Teatro APCD

// Texto Mariana Pantano //

Com direção do ator Eduardo Martini e texto de Regiana Antonini, a comédia é encenada pelo próprio Eduardo Martini como Valentina, e o ator Bruno Lopes, que encarna Fernando, o filho mimado dessa mãe tão doidamente apaixonada pelo seu rebento. E qual mãe não é? O espetáculo teve sua estreia na cidade de São Paulo em outubro de 2010, e fala sobre a difícil, engraçada e açucarada relação entre Valentina e seu filho Fernando. A peça é recheada de situações hilárias vividas por mães e filhos de todas as classes sociais. Valentina é uma mulher de 50 anos, de classe

média alta, publicitária e separada do pai de Fernando há mais de 15 anos. A partir daí, trava-se um diálogo, ou melhor, uma divertida lavação de roupa suja, recheada por quatro flashbacks que contam a história dos dois. Muita gente não tem filhos, mas todos já tiveram mãe! Venha se divertir e se emocionar com a reestreia da peça “O Filho da Mãe”, no Teatro APCD!

Temporada: de 05 de maio a 29 de julho de 2012 Dias: sábados, às 21h, e aos domingos, às 19h Local: Teatro APCD - Rua Voluntários da Pátria, 547 – Santana - SP Informações: Departamento Cultural da APCD: (11) 2223-2320 Bilheteria (11) 2223-2424. Ou pelo site www.apcd.org.br/teatroapcd Ingressos: Sábados - Inteira – R$ 60,00. Meia-entrada–R$ 30,00. Clientes Porto Seguro e Associados da APCD/ABCD- R$ 24,00.

Domingos – Inteira - R$ 50,00. Meia-entrada -R$ 25,00. Clientes Porto Seguro e Associados da APCD/ABCD - R$ 20,00. VIP - R$ 15,00 (para ambos os dias) Classificação: 12 anos Duração: 75 minutos

Como comprar: Teatro APCD Horário da Bilheteria: De quarta-feira a sábado: das 15h às 22h. Domingo: das 15h às 20h. End: Rua Voluntários da Pátria 547 – Santana – São Paulo /SP Pelo site Ingresso.com Televendas: das 9h às 21h Telefone: (11) 4003-2330 Confira os pontos de venda no site www.ingresso.com e escolha o mais próximo de você! Os valores estão sujeitos à taxa de serviço. Meia-entrada: Será necessária a apresentação do documento na retirada/entrada do evento.

APCD tem estacionamento credenciado dentro da própria sede // Texto Mariana Pantano //

Desde o dia 23 de abril, está em funcionamento, na sede da APCD, um estacionamento no

Jornal_APCD_Maio_661.indd 28

subsolo, gerenciado por um sistema informatizado, administrado por uma das maiores e mais experientes empresas de estacionamentos do Brasil, a MultiPark.

Os visitantes da associação terão maior comodidade e segurança, pois poderão estacionar seus veículos dentro do edifício da própria entidade. O estacionamento possui 120 vagas cobertas, asseguradas por uma apólice de seguro de primeira linha. O responsável pela área de marketing da MultiPark, Mário Coutinho, explica que a empresa de estacionamento tem 35 anos de atuação no mercado e opera mais de 240 unidades espalhadas por 35 municípios de 11 estados brasileiros. São mais de 75 mil vagas por onde circulam cerca de sete milhões de veículos por mês. “A empresa opera estacionamentos em shopping centers, aeroportos, hospitais, hotéis, bancos, universidades, edifícios comerciais, entre outros segmentos.” O diretor administrativo da APCD, Wagner Eduardo Ferlin, afirma que além do conforto e

Associados, visitantes da associação e alunos da EAP APCD terão mais comodidade, conforto e segurança na hora de estacionar seus veículos

da acessibilidade, os associados se beneficiarão, principalmente, da segurança com relação à guarda do veículo e à sua integridade física por estacionarem dentro da sede da entidade. “A

receita adquirida com a parceria será revertida na manutenção da própria área de estacionamento e em melhoramentos dos demais benefícios oferecidos aos associados pela APCD.”

Serviço O horário de funcionamento do estacionamento da APCD Multipark será das 6h30 até 1h. Os preços tabelados pela Multipark para uso do estacionamento são: 1ª hora, R$ 8,00; 2ª hora, R$ 4,00; diária de 12 horas, R$ 15,00; por hora adicional, R$ 2,00. Preços especiais para associados da APCD: 4 horas, R$ 7,00; 10 horas, R$ 8,00; 12 horas, R$10,00. Existe também uma tabela diferenciada para o período noturno; após as 18h, o preço passa a ser único no valor de R$ 20,00. O mensalista que for vinculado à APCD pagará 150 reais. Já o cliente externo, sem vínculo, pagará 200 reais.

24/05/12 13:59


Serviços exclusivos para associados da APCD/ABCD

Preparamos para você descontos especiais em produtos e serviços!

Acrous

Equipamentos

(16) 3011-4666

comercial@acrous.com.br

www.acrous.com.br

Active Ware

Equipamentos

(11) 6708-9874

alexandre@activeware.com.br

www.activeware.com.br

Americanas

Diversos

(11) 4003-1000

Armando Veículos

Veículos

(11) 7720-6441

supervisao.frotista@nissanfujijapan.com.br

www.armandoveiculos.com.br

Bilheteria.com

Entretenimento

(11) 3030-9544

faleconosco@bilheteria.com

www.apcd.org.br/clubedebeneficios

Casas Bahia

Variedades

(11)2223-2369

coordenação.ss@apcdcentral.com.br

www.apcd.org.br/clubedebeneficios

Click Sapatos

Odontológicos

(11) 2977-5005

tibetan.terrier@hotmail.com

www.clicksapatos.com.br

Compra Certa

Eletrodomésticos

0800 729 0019

CV Dentus

Odontológicos

(12) 3944-1126

comercial@cvdentus.com.br

www.cvdentus.com.br

Dell

Computadores

0800 970 0246

epp_programa_de_beneficio@dell.com.br

www.apcd.org.br/clubedebeneficios

0800774-2155

vendas@dentoflex.com.br

www.apcd.org.br/clubedebeneficios

contato@drbusca.com.br

www.drbusca.com.br

www.apcd.org.br/clubedebeneficios

www.apcd.org.br/clubedebeneficios

Dentoflex

Odontológicos

Dr. Busca

Agendamento de Consultas

Drogasil

Farmácia

(11) 3769-5691

drogasilconvenios@drogasil.com.br

www.drogasil.com.br

Dvdent

Odontologia

(11) 3057-2333

adm3@dvdent.com.br

www.dvdent.com.br

Editora Plena

Editora

(41) 3081-4052

editoraplena@editoraplena.com.br

www.editoraplena.com.br

Extra

Variedades

(11)2223-2369

coordenação.ss@apcdcentral.com.br

www.apcd.org.br/clubedebeneficios

Fastrackids

Escola Infantil

(11) 2533-0000

sp.moema@fastrackids.com

desenvolvimentoeducacionalinfantil.blogspot.com

Giuliana Flores

Produtos / Flores

(11) 3383-1700

Gutierre

Produtos Odontológicos

0800 7747 7900

Hartsystem

Produtos / Informática

(47) 3329-2772

Hoteis Jurerê Internacional

Hotel - Florianópolis

0800 644 3311

reservas@jiah.com.br

www.jiah.com.br

Hotel Engenho Eco Park

Hotel - Florianópolis

(48) 3269-7000

reservas@engenhoecopark.com.br

www.engenhoecopark.com.br

Hotel Gran Roca

Hotel - Estancia Atibaia

(11) 4414-7777

reservas1@granroca.com.br

www.granroca.com.br

Hotel Laje de Pedra

Serviços / Hotéis

0800 644 3311

reservas@jiah.com.br

www.hoteldepedra.com.br

Impacto Contabilidade

Contabilidade

(11) 4583-4343

Integritá

Farmácia de Manipulação

(11) 5575-8038

atendimento@integrita.com.br

www.integrita.com.br

Medicina do Trabalho

Serviços

(11) 2977-8899

vendas@institutopaulista.org

www.institutopaulista.org

MMO

Odontologicos

(16) 3411-5060

juliana.vizioli@mmo.com.br

www.mmo.com.br

Monte Castelo Eventos

Eventos / Buffet

(11) 4511-5032

antendimento@montecasteloeventos.com.br

www.montecasteloeventos.com.br

Netuno Saúde

Odontológico / Descartáveis

(11) 2312-4006

comercial@netunocomex.com.br/saude

Organização Contábil Motta

Contabilidade

(11) 2115-8899

Panorama Hotel & Spa

Hotel

0300 770 0448

anderson@hotelpanorama.com.br

www.hotelpanorama.com.br

Plínio Santos

Odontológico / Laboratório

(11) 5572-1100

labpsantos@uol.com.br

www.pliniosantos.com.br

Ponto Frio

Variedades

(11) 2223-2369

coordenação.ss@apcdcentral.com.br

www.apcd.org.br/clubedebeneficios

Pousada Iguatiba

Hotel - Paraíbuna

(12) 3974-7259

reservas@pousadaiguatiba.com.br

www.pousadaiguatiba.com.br

Shoptime

Diversos

(11) 4003-1020

www.apcd.org.br/clubedebeneficios

Submarino

Diversos

(11) 4003-2000

www.apcd.org.br/clubedebeneficios

Tempel

Odontológicos

(41) 3239-8899

atendimento@tempel.ind.br

www.apcd.org.br/clubedebeneficios

Toriba Veículos

Veículos

(11) 3977-2007

frotista@sampamotors.com.br

www.apcd.org.br/clubedebeneficios

Venda Brasil (VIVO)

Telefonia

(11) 2081-0619

geraldo.faria@vendabrasil.com.br

www.apcd.org.br/clubedebeneficios

Walmart

Produtos / Magazine

(11) 3003-6000

www.apcd.org.br/clubedebeneficios csoares@gutierreodonto.com.br

www.hartsystem.com.br/apcd

www.impactocontabilidade.com.br

Jornal_APCD_Maio_661.indd 29

www.netunocomex.com.br/saude www.mottasaude.com.br

Acesse o Clube de Benefícios da APCD: Mais informações:

www.gutierreodonto.com.br

11 2223-2369 ou 11 2223-2370

www.apcd.org.br/clubedebeneficios

www.apcd.org.br/clubedebeneficios coordenacao.ss@apcdcentral.com.br

24/05/12 13:59


30 APCD Jornal // Maio 2012

Proposta de Relações Políticas Institucionais da APCD defende legítimos interesses da classe odontológica Projeto que visa promover a saúde bucal da população e a valorização da Odontologia tem apoio de diversos parlamentares // Texto Mariana Pantano //

É missão da APCD defender, congraçar a classe odontológica, bem como promover convênios e intercâmbios com entidades do país e do exterior; oferecer assistência securitária; contribuir para a solução de problemas odontológicos em Saúde Pública; difundir junto à população a importância do Cirurgião-Dentista na preservação e promoção da saúde bucal e geral e lutar pela valorização da Odontologia. Neste sentido, com o objetivo de defender os interesses da categoria e da população, destacar a importância da valorização da Odontologia, e fomentar ações que beneficiam a sociedade, o presidente do Cdel/Codel da APCD (Comitê Deliberativo e Conselho Deliberativo), Ueide Fernando Fontana, apresentou nas reuniões do Cdel, do Codel e do Core (Conselho de Regionais), realizadas durante o 30º CIOSP, em janeiro deste ano, e na reunião de diretoria da APCD, que ocorreu em 12 de março, uma proposta de “Relações Políticas Institucionais da APCD”, aprovada pela maioria do plenário e pela diretoria executiva da entidade. Ueide conta que na primeira reunião do Cdel da gestão atual foi levantado o problema da formação de um departamento político para a APCD, que já tinha sido aprovado anteriormente pelo Codel, mas que havia sido esquecido. “Assim, mo-

tivado por essa solicitação do Cdel, assumi a responsabilidade de elaborar uma proposta política viável para a APCD que, depois de aprovada, deverá ser formada uma comissão para o seu desenvolvimento. A comissão que for formada poderá ter a certeza de que todo seu trabalho será traduzido em soluções para a nossa querida APCD e categoria profissional.” O presidente do Cdel/Codel afirma que ter influência e prestígio para defender os interesses da categoria e de sua cadeia produtiva é uma premissa óbvia de qualquer entidade representativa. “Ocorre que enxergar o óbvio não é tarefa simples, já que é necessário planejamento, trabalho organizado, recursos, disposição e capacidade de discernimento para atuar numa área que frequentemente está na berlinda: a política partidária. Apesar de a imprensa trazer quase que diariamente denúncias e escândalos, é por meio da política que assuntos importantes viram leis e podem determinar o futuro dos cidadãos, estejam eles organizados ou não em instituições representativas. Afinal, como já bem disse o historiador inglês Arnold Toynbee, ‘o maior castigo para quem não gosta de política é ser governado pelos que gostam’”. De acordo com a proposta apresentada, a APCD, na condição de entidade representativa dos Cirurgiões-Dentistas de São Paulo, sempre teve acesso às es-

feras do poder público. Entretanto, isso ocorre mais pelo prestígio pessoal de membros da diretoria do que pela sua onda de influência, já acima comentada. “Constatado isso, a nossa ideia é tratar a política dentro da entidade como parte de um processo deliberado, contínuo, transparente e com o objetivo único de defender os legítimos interesses da classe, da sua cadeia produtiva e da população, sobretudo, os menos favorecidos, que necessitam ter acesso a programas públicos de saúde bucal. Assim, em vez de termos um representante da classe no âmbito da política partidária para defender seus interesses, a entidade passaria a ter uma bancada inteira – formada por políticos

É por meio da política que assuntos importantes viram leis e podem determinar o futuro dos cidadãos, estejam eles organizados ou não em instituições representativas - Ueide Fontana, presidente do Cdel/Codel de partidos, ideologia e formações diferentes – que poderão ser identificados por afinidade, assunto ou região e nas diferentes esferas do poder público.” A proposta da criação do Grupo Executivo de Relações Políticas Institucionais da APCD é estreitar o relacionamento da associação com instituições governamen-

tais e parlamentares da Câmara Federal e Assembleia Legislativa de São Paulo para defender interesses da categoria e colaborar na elaboração de propostas de políticas públicas de saúde. À APCD, quando essa missão estiver sedimentada, cabe oferecer as experiências e resultados obtidos para outras entidades representativas da Odontologia no Brasil. Os eixos de trabalho se concentram em levantar necessidades da categoria e elaborar pautas de reivindicações, projetos e propostas para os Governos Federal, Estaduais e Municipais; identificar e promover a aproximação com parlamentares que tenham afinidade com a categoria ou que estejam à frente de assuntos de interesse da classe; criar canais de comunicação para divulgar os assuntos em tramitação com lideranças da categoria, empresas interessadas e parlamentares; acompanhar o que sai na imprensa e nos parlamentos sobre os assuntos de interesse; e definir critérios para eventuais apoios políticos e eleitorais a parlamentares da base de apoio. Alguns parlamentares já apoiaram a ideia e deixaram a sua opinião sobre a proposta. “Tivemos até deputados, que sabendo da nossa ideia, nos procuraram voluntariamente e também deram seu parecer por escrito, o qual, na realidade, passa a ser um documento de aceitação da parceria para apoio político. Perto do que tínhamos, podemos garantir que já temos um ótimo e maior número de políticos estaduais e federais do Estado de São Paulo apoiando a APCD. Quem sabe um dia conseguimos esse apoio para todo o Brasil”, ressalta Ueide Fontana.

Parlamentares que apoiam a proposta Alguns deputados federais e estaduais apoiam essa proposta de defender os interesses da categoria na esfera pública e já manifestaram sua opinião a respeito. Confira:

“Acredito que o caminho para o fortalecimento da categoria de CirurgiãoDentista na área política é exatamente este que está sendo proposto por Ueide Fontana, que leva em conta a regionalização e o conhecimento, aproximando líderes políticos e associados da APCD.” - Marcelo Barbieri – Prefeito de Araraquara (SP) – (PMDB)

Jornal_APCD_Maio_661.indd 30

24/05/12 13:59


Maio 2012 // APCD Jornal 31

“As instituições organizadas são o mais importante instrumento que uma classe profissional ou setor produtivo dispõem para defender seus legítimos interesses. Nesse sentido, necessariamente, o parlamento é o caminho para que o interesse coletivo possa se materializar em lei. Parabenizo a APCD e sua diretoria por essa lúcida visão, que enobrece a representatividade política e fortalece a democracia.” – Aldo Demarchi - Deputado Estadual – (DEM) – Rio Claro (SP)

“Como deputado estadual, quero colocar na Assembleia Legislativa os meus préstimos à disposição da APCD para defender as legítimas reivindicações de uma categoria profissional que tanto respeito e admiro.” - Welson Gasparini – Deputado Estadual (PSDB) – Ribeirão Preto (SP)

“É muito importante a APCD abrir um amplo debate com toda a sociedade, correntes políticas em todas as esferas do poder público, para elaborar ações e direcionamentos que possam beneficiar todos os profissionais da área, promover e fomentar ações que possam vir de encontro ao interesse comum e coletivo.” - Dimas Ramalho - Deputado Federal (PPS) – Araraquara (SP)

“Quero ratificar meu compromisso com a APCD, uma entidade que há 100 anos constrói uma belíssima história de defesa e valorização da Odontologia. Coloco meu mandato à disposição para colaborar com a entidade e ajudar na construção de uma sociedade onde todos tenham direito à saúde de qualidade, a uma vida digna.” - Edinho Silva - Deputado Estadual, presidente do PT – Araraquara (SP)

“Dar o meu apoio aos Cirurgiões-Dentistas do Estado de São Paulo e à APCD é, mais que uma defesa da categoria, um dever de homem público. É muito importante fortalecer a classe que luta para promover a saúde bucal da população e a valorização dos Cirurgiões-Dentistas. A APCD desempenha um papel fundamental nesse aspecto, pois incentiva o aprimoramento dos profissionais com cursos, palestras e atualizações. Faz a defesa da classe nos principais embates. Promove intercâmbio com entidades do País e do exterior. É, enfim, uma importante representante da categoria.” - Mauro Bragato – Deputado Estadual - (PSDB) - Presidente Prudente (SP)

“Estude bem como oferecer algum tipo de serviço e terá uma grande retribuição. Isso é política: profissional, humana, com ética e seriedade. Acredito que esse será o futuro dos políticos que irão sobreviver à crise.” - Roberto Massafera – Deputado Estadual – (PSDB) - Araraquara (SP)

Jornal_APCD_Maio_661.indd 31

“A saúde começa pela boca. Por isso, quero somar esforços com a APCD pela valorização e pelo fortalecimento profissional dos Cirurgiões-Dentistas para que tenham melhores condições de trabalho e que possam colaborar cada vez mais com a saúde da população.” – Reinaldo Alguz - Deputado Estadual – (PV) – Dracena (SP)

“Essa iniciativa promove uma produtiva aproximação entre deputados comprometidos com a Saúde e a APCD, e presta um vigoroso trabalho em defesa de sua categoria. Com essa convicção é que tomei a iniciativa de incluir em minha assessoria o Cirurgião-Dentista Antonio Tadeu Martins, que vem me permitindo ter melhor conhecimento das demandas da categoria e da entidade, especialmente, no assunto que diz a respeito à polêmica criada pela Anvisa sobre a manutenção dos equipamentos dos consultórios dentários. A esse respeito, atendendo à solicitação das lideranças da categoria, promovemos uma audiência pública na Câmara Federal, em 20 de setembro de 2011, onde aprofundamos o debate do assunto. E vamos continuar atentos aos desdobramentos do caso em defesa dos interesses dos CirurgiõesDentistas.” - Eleuses Paiva – Deputado Federal – (PSD) – São José do Rio Preto (SP)

Assim que outros parlamentares que se comprometeram com a proposta se manifestarem, divulgaremos uma nota nas próximas edições do APCD Jornal. A APCD agradece os deputados que já aceitaram fazer esta parceria e apoiar este projeto.

24/05/12 13:59


32 APCD Jornal // Maio 2012

APCD Jornal está com layout mais moderno e atrativo Veja as mudanças feitas para tornar um dos principais veículos de comunicação da Odontologia brasileira mais dinâmico e agradável de ler

// Texto Mariana Pantano //

Com mais de 45 anos de circulação ininterrupta, o APCD Jornal consagrou-se como o único meio de informação regular dos Cirurgiões-Dentistas. Criado e mantido pela Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD), hoje, o APCD Jornal é reconhecido como um dos maiores e mais importantes veículo de comunicação da Odontologia brasileira. Mensalmente, chega às mãos de seus mais de 160 mil leitores com uma linha editorial leve, grandes anunciantes e excelente qualidade gráfica. A partir desta edição de maio, o APCD Jornal ganhou um novo layout com o objetivo de tornar a publicação mais moderna e atrativa, e proporcionar uma leitura mais agradável e dinâmica, além de seguir as novas tendências do mercado gráfico. No topo da capa, você verá

uma chamada para uma das matérias da edição, com a cor correspondente à editoria que ela se encontra. Também foram inseridas na capa do jornal as editorias que revelam em qual caderno está a matéria indicada. Para ter mais destaque, as páginas referentes à Palavra do Presidente e ao Índice foram alteradas. Os contatos do presidente da APCD, Adriano Albano Forghieri, estão no topo da página. As imagens destacadas no Índice ficarão abaixo da chamada correspondente, e a numeração das páginas serão representadas pela cor correspondente à editoria, ligando, assim, a matéria ao caderno. Os topos das editorias foram alterados para chamarem mais atenção. As chamadas das matérias estão indicadas pelo símbolo ‘>>’, criando, assim, uma alusão ao botão forward (adiantar). A matéria indicada na chamada terá a indicação

do símbolo ‘>’, em referência ao botão play (início), para dar ideia de que o leitor saltou da chamada para a matéria. As fontes dos títulos e das linhas finas foram alteradas para modelos mais modernos. No caso dos títulos, são três fontes (da mesma família) diferentes, assim, as matérias não ficarão “repetitivas” (causando cansaço na leitura) e serão

destacados em textos distintos (veja como exemplo o caderno Acontece nas páginas 42 e 43 desta edição). As jornalistas responsáveis pela redação das reportagens estão indicadas no início da matéria de forma diferente, e o autor da imagem (quando necessário) está logo abaixo dos nomes delas. O símbolo que indica o final de texto foi modificado com

base no logo da APCD. Novos modelos foram criados para os chapéus (expressão designada para a palavra sempre sublinhada, usada acima do título e em corpo pequeno para caracterizar o assunto da notícia). A editoria Cursos e Carreira foi alterada, com um layout mais leve para apresentar os cursos e as notícias da EAP. No caderno Cultura e lazer, o Top 5 e o Espaço Culinário terão mais destaque. Também foi criado um selo para os 101 anos da entidade (na capa), com a finalidade de autenticar a longevidade bem sucedida da APCD. Em conjunto com o Departamento Comercial, foram definidos novos formatos de anúncios para o APCD Jornal, a fim de adequar as necessidades dos anunciantes e da própria equipe de vendas. Todas essas mudanças são para que você, leitor, tenha mais prazer na hora de ler o jornal que representa a classe odontológica e continue a prestigiar o APCD Jornal. Sugestões são sempre muito bem-vindas e devem ser enviadas para comunicacao. apcd@apcdcentral.com.br. Boa leitura!

INFORME DA DIRETORIA Por determinação judicial, a APCD foi obrigada a publicar o extrato da sentença condenatória abaixo, procedente de ação de indenização por danos morais proposta por Décio Paiola contra a APCD, em razão de uma matéria publicada no APCD Jornal de julho de 2001, ano 36, edição 531, na página 4, cuja diretoria à frente da entidade na ocasião é a da Gestão 2000-2002.

EXTRATO DA SENTENÇA CONDENATÓRIA CONTRA A APCD Poder Judiciário julga procedente ação de indenização por danos morais proposta por Décio Paiola contra a APCD Professor Doutor DÉCIO PAIOLA, acadêmico honorário da Academia Bra-

Jornal_APCD_Maio_661.indd 32

sileira de Odontologia, sócio, benemérito, sócio remido e membro do Conselho Deliberativo da APCD – ASSOCIAÇÃO PAULISTA DOS CIRURGIÕES-DENTISTAS durante os biênios de 1971-1972, 1989-1991, 1997-1999 e 1999-2001, ajuizou ação e indenização por danos morais contra a Associação em virtude de textos veiculados em junho e julho de 2001 no “ Informe da Diretoria” deste periódico. As matérias publicadas distorceram fatos e utilizaram termos ofensivos ao Prof. Dr. Décio Paiola, cirurgião dentista renomado com larga carreira acadêmica, referindo-se a ele como “irresponsável” e “oportunista”. O motivo dessas ofensas foi a inconformidade do Prof. Dr. Décio Paiola e de outros três membros do Conselho Deliberativo à época dos fatos com as eleições do Conselhos Eleitoral, Fiscal e

Deliberativo ocorridas em 30 de maio de 2001. Esta inconformidade foi manifestada através da propositura de ações judiciais. O Poder Judiciário considerou leviana e temerária a postura adotada pela APCD. Em trecho destacado da sentença proferida em primeira instância na ação de indenização, a MM. Juíza de Direito da 4ª Vara Cível do Foro Regional de Santana, Maria Pires de Melo, disse que: “em qualquer associação humana, o pensamento das minorias deve ser respeitado, ainda que dele se discorde, ou seja, ainda que sustente ponto- de- vista diferente e, até oposto. Observe-se que o direito de participar de atividade associativa não é sinônimo de cega submissão à vontade da maioria e nem de concordância com tudo que essa maioria define como certo. A divergência de opinião

sobre quaisquer assuntos ou de interpretação de quaisquer textos normativo não autoriza a ofensa à honra (objetiva ou subjetiva) de qualquer pessoa (física ou jurídica) e nem à represália ou à retaliação, mas, se necessário, o uso da ação judicial adequada, para quem (pessoa física ou jurídica) entender existir lesão a qualquer direito, que tenha legitimidade para defender”. Assim, a APCD foi condenada a pagar indenização de R$ 30.000,00 (trinta mil reais), devidamente atualizados, a título de indenização por danos morais ao Prof. Dr.Décio Paiola e a publicar o presente extrato de sentença neste periódico, em duas edições consecutivas, para que o resultado desta ação fosse comunicado a todos os associados da APCD pelo mesmo meio e forma que foram divulgadas as ofensas.

24/05/12 13:59


Jornal_APCD_Maio_661.indd 33

24/05/12 13:59


34 APCD Jornal // Maio 2012

CONOGE

Nova Odontologia A Nova Odontologia é a Odontologia praticada, principalmente, por profissionais formados até 12 anos, do ano 2.000 até os dias atuais, que não seguiram modelos tradicionais de perfil do Cirurgião-Dentista. São profissionais que fazem muitos cursos, que buscam diversas atualizações e, também, ministram cursos. Estes profissionais se formaram e encontraram um mercado abarrotado de colegas. A maioria destes profissionais iniciou a carreira trabalhando para colegas e recebendo um percentual sobre o serviço prestado, seja no atendimento particular, ou no atendimento de convênios. Uma boa parcela destes profissionais se sujeita a isto para “pegar mão” e, claro, ter uma certa liberdade financeira. Trabalham em consultórios de amigos, em grandes redes/franquias odontológicas, principalmente, os recém-formados. O profissional se sujeita a este tipo de trabalho normalmente quando é recémformado (até três anos), até concluir uma especialização, ou mesmo até montar o próprio consultório/negócio. Usualmente, a atuação destes profissionais é feita seguindo protocolos com grande atenção aos pacientes e muita cautela nos diagnósticos e tratamentos, uma vez que não possuem grande experiência clínica e é comum serem avaliados pelos pacientes, colegas e convênios. Steve Jobs disse: “quando és um carpinteiro a fazer um móvel bonito não vais usar um pedaço de madeira má na parte de trás, mesmo que esteja colada à parede e ninguém a veja. Tu sabes que está ali. Para dormir bem à noite, a estética e a qualidade têm de ser levadas até ao final.” Henry Ford dizia: “qualidade significa fazer certo quando ninguém está olhando.” E é isso que a Nova Odontologia faz. A situação de alta concorrência fez com que estes profissionais sentissem necessidade de inovar. Quem inventa é

inventor, quem inova é empreendedor. A Nova Odontologia é caracterizada por Cirurgiões-Dentistas empreendedores. De modo simples, inovação é algo que agrega valor social ou riqueza. É muito mais do que “inventar” um novo produto. Algo inovador pode estar por trás de avanços tecnológicos, novos processos operacionais, novas práticas mercadológicas, pequenas mudanças, adaptações, enfim, novidades que, de um modo ou outro, geram um ganho para quem as pôs em prática. Em termos econômicos – e para que fique bem claro - que gere lucro. A inovação se dá por meio de conhecimento pré-adquirido, tecnologias prévias, criatividade na busca de uma necessidade que possa gerar lucro. A inovação distingue um líder de um seguidor. Para entender melhor a realidade desta Nova Odontologia, no último dia 6 de abril, o CFO (Conselho Federal de Odontologia) apresentou 243.161 Cirurgiões-Dentistas ativos no Brasil. Destes, 78.043 encontram-se no estado de São Paulo, 29.436 estão em Minas Gerais e 28.348 no Rio de Janeiro. A cidade de São Paulo aparece com 24.333 profissionais ativos. O Brasil é, realmente, o “país dos Cirurgiões-Dentistas”. Existem 1.200.000 Cirurgiões-Dentistas no planeta e 20% deles estão no Brasil. Formamos mais de 11 mil profissionais por ano. A população brasileira é de 192 milhões de habitantes, logo, temos um Cirurgião-Dentista para cada 790 pessoas. Fazendo uma comparação com dados dos E.U.A que possuem uma população de 314 milhões e apresenta quase 180 mil Cirurgiões-Dentistas, temos 1.745 habitantes por profissional. O E.U.A formam 4.700 profissionais por ano. Com tanta concorrência, os novos Cirurgiões-Dentistas precisaram mesmo buscar seu caminho. Muitos não possuíam familiares na área e precisaram empreender para construir a sua história. Neste momento, houve um aumento considerável no número de especialistas, fazendo com que fosse praticamente uma obrigação

NÚMERO DE ESPECIALISTAS POR ÁREA se especializar em algo. O CFO possui 83.349 registros de especialidades, muitos desses profissionais com mais de uma especialidade. O Cirurgião-Dentista no Brasil pode se especializar em 24 áreas reconhecidas pelo CFO. Veja na tabela ao lado o número de especialistas em cada área. A Nova Odontologia foi gerada deste processo que engloba excesso de faculdades (profissionais) no país, pacientes cada vez mais exigentes, desenvolvimento tecnológico (materiais) e científico da profissão nos últimos anos, e um apelo estético em todas as áreas, o que resultou em uma melhora da qualidade da Odontologia oferecida. Agora, em 2012, após pouco mais de uma década, os bons ventos estão soprando a favor de uma Odontologia reconhecida e de sucesso. Seguindo a tendência dos últimos anos, as áreas que devem continuar com forte crescimento em porcentagem de profissionais especialistas são: Implantodontia, DTM e Dor Orofacial, Odontogeriatria e Odontologia Legal. Carlos Broens, fundador e presidente de uma bem-sucedida empresa australiana de fabricação de ferramentas de precisão, com registro de crescimento invejável diz: “nós sempre comemos elefantes...”. A sua empresa, Broens Industries, é de porte médio que emprega 130 colaboradores e sobrevive em um cenário extremamente competitivo, exportando mais de 70% de seus produtos e serviços para empresas que exigem tecnologia nos setores de aviação, médico-hospitalar e de outros mercados avançados. A citação não se refere a estranhos hábitos alimentares, mas à sua confiança no “enfrentamento de desafios normalmente encarados como impossíveis pelas empresas de nosso porte”. Seguindo esta linha, a Nova Odontologia conseguiu inovar e provavelmente nao precisará comer elefantes.

ENDODONTIA

11.764

PRÓTESE DENTÁRIA

8.931

PERIODONTIA

8.573

ODONTOPEDIATRIA

8.490

ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL

8.107

ORTODONTIA

7.715

IMPLANTODONTIA

6.462

CTBMF

4.198

DENTÍSTICA RESTAURADORA

3.893

RADIOLOGIA

3.489

ORTOPEDIA FUNCIONAL DOS MAXILARES

1.812

DENTÍSTICA

1.598

RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA E IMAGINOLOGIA

1.167

ODONTOLOGIA EM SAÚDE COLETIVA

1.014

SAÚDE COLETIVA

1.014

SAÚDE COLETIVA E DA FAMÍLIA

979

DTM E DOR OROFACIAL

936

ODONTOLOGIA DO TRABALHO

807

ESTOMATOLOGIA

740

ODONTOLOGIA LEGAL

480

ODONTOLOGIA PARA PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS

474

PATOLOGIA BUCAL

374

ODONTOGERIATRIA

266

PRÓTESE BUCOMAXILOFACIAL

TOTAL

66

83.349

Palestra promovida pelo Conoge Participe da palestra “Automotivação: como potencializar seus resultados”, no dia 12 de maio, das 10h às 12h, com José Carlos Carturan - Cirurgião-Dentista, especialista em Medicina Comportamental pela Unifesp -, na APCD Central.

// Texto Diretoria do Conoge da APCD //

COCI

Confira as palestras programas para o mês de maio pelo Conselho Científico da APCD. Participe!

Jornal_APCD_Maio_661.indd 34

GRUPO DE ESTUDO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR

DEPARTAMENTO DE ACUPUNTURA

Tema: “Acompanhamento tardio dos pacientes submetidos a transplantes”

Tema: “O microssistema dental como diagnóstico e tratamento na Odontologia”

Palestrante: Fabio Luiz Coracin

Ministradora: Marilena Rossi Carneiro

Data: 21/05/12

Data: 22/05/12

Horário: 20h

Horário: 19h45

Local: APCD Central

Local: APCD Central

24/05/12 13:59


Jornal_APCD_Maio_661.indd 35

24/05/12 13:59


36 APCD Jornal // Maio 2012

COEL

Confira abaixo a relação de candidatos ao Conselho Acadêmico da APCD (Coa) Gestão 2012/2013 – Eleições em 16 de maio de 2012 Araçatuba Presidente: Guilherme Sarauza Arsufi Vice-presidente: Bruno Wakayama Araraquara Presidente: Fagner Teixeira Santos Vice-presidente: Levi de Oliveira Baixada Santista Presidente: José Ponte Negrinho Vice-presidente: Stefan Tubel Barretos Presidente: Aline Bhianca Czorn Buch Vice-presidente: Cynthia do Nascimento Batista

Bauru Presidente: Gabriela Letícia Clavisio Siqueira Vice-presidente: Michele Alves Garcia Bragança Paulista Presidente: Gilmar Furquim de Souza Júnior Vice-presidente: Jéssica Noriko Kunitake Ribeirão Preto Presidente: Raphael Camargo Costa Vice-presidente: Danielli Fernanda Zingareti Santo Amaro Presidente: Enos Emerick Júnior

São José dos Campos Presidente: Karina Cavalheiro Vice-presidente: Fernanda Caroline Nogueira Vila Maria Presidente: Maria Geuzimar Alves Vice-presidente: Tais Roberta Tachote Vila Mariana Presidente: Maria Amélia Calandra Jugdar Candidatos a representantes de faculdade – gestão 2012/2013 Universidade do Sagrado Coração – USC Rafaela Maiolo Garmes

Universidade FMU Marina Themis Stroubiles Universidade Uniara Artur Gustavo Pinto Faculdade de Odontologia de Araraquara – FOAR/Unesp Arthuro Ameleto Riga neto FOB – USP - Bauru Brunna Mota Ferrairo Fundação Educacional de Barretos Aline Latorre Universidade de Odontologia de Ribeirão Preto – FOR-USP Amanda Cristina Raspa Universidade Unicastelo

Patricia Mitsuko Maihoshi Vazelino Faculdade de Odontologia de Lins – Unimep Richard Cardoso Santos Universidade de Santos – Unimes Fabricio Wardine Universidade do Vale do Paraíba – Univap Paula Carolina de Almeida Universidade Santa Cecília – Unisanta Arthur Henrique Marques Massarenti Universidade São Francisco – USF Kathy Fernanda C. V. Silva Universidade Unorp Sabrina Venturoli

Composição da mesa eleitoral – Eleições do Coa - Gestão 2012/2013 – Eleições em 16 de maio de 2012 Araçatuba – Conselho Acadêmico Presidente da Mesa: Estefan Fiuza de Carvalho Dekon Secretário: Marcelo Coelho Goiato Local: Na sede da Regional Araçatuba – Rua Altino Arantes, 49 Horário: das 8h às 12h Representante do Centro Universitário da Uniara e Conselho Acadêmico de Araraquara Presidente da Mesa: Caio Soares de Lacerda Silva Secretário: Edmar Gardim da Silveira Local: Faculdade Uniara - Av. Maria Antonia Camargo de Oliveira, 170 Jd. Nova América Horário: das 10h às 15h Representante da Faculdade de Odontologia da Unesp Araraquara e Conselho Acadêmico de Araraquara Presidente da Mesa: Welton Massato Arita Secretário: Vitor Bonetti Valente Local: Faculdade Unesp – Av. Espanha, 1.073 - Centro Horário: das 10h às 15h Conselho Acadêmico da Baixada Santista – Representante da Unimes e da Unisanta

Jornal_APCD_Maio_661.indd 36

Horário: das 10h às 14h Local: Na sede da Regional Baixada Santista - Av. Marechal Deodoro, 71 Urna Itinerante na Unimes Presidente da Mesa: Dr. Oswaldo Prats Secretário: Dr. Heitor Maraccini Membro suplente: Dr. Celso Fernando Palmieri Horário: das 11h às 12h Local: Na sala dos professores da Odonto da Unimes Urna Itinerante na Unisanta Presidente: Dr. José Geraldo Rosa Assunção Secretário: Dr. Ginez Garcia Fernandes Suplente: Dra. Irma Bason Horário: das 10h30 às 12h15 Local: No pátio de recepção dos pacientes da Odonto na Unisanta Representante da Universidade FOB/USP; Representante da Universidade do Sagrado Coração/Usc e Conselho Acadêmico de Bauru Presidente da Mesa: Ligia Maria Lima Andreatta Secretária: Marina de Souza Rolon Membro suplente: Raphaelli Porfírio Membro Suplente: Carolina Arrabal

Local: Na sede da Regional Bauru Rua Gerson França, 8-31 – Centro Horário: das 9h às 13h Representante da Universidade São Francisco – USF e Conselho Acadêmico de Bragança Paulista Presidente da Mesa: Marco Antonio Pazos Garcia Secretária: Luci Iumico Murata Yamamoto Membro Suplente: Bruno Neri Silva Santos Local: Na sede da Regional Bragança Paulista – Av. Dr. José Adriano Marrey Júnior, 359 Horário: das 12h às 16h Representante da Fundação Educacional de Barretos e Conselho Acadêmico Presidente da Mesa: Fernanda Graziele Amorim de Souza Bachelli Secretária: Gabriela Pastres Nicolau Mauad Membro suplente: Leticia Machado Thomazatti de Oliveira Membro Suplente: Larissa Bueno de Lacerda Local: Na sede da Regional Barretos – Rua 22,858 - Centro Horário: das 9h às 12h Representante da Universidade de Odontologia de Ribeirão Preto – FOR-USP e Conselho Acadêmico Presidente da Mesa: Miriam Lucia Lopes Baldim Secretário: Régis de Moraes Peporini Membro suplente: Ana Carolina Menezes Baldin Membro Suplente: Auro Tomio Nisiyama Local: Na sede da Regional Ribeirão Preto – Av. do Café, 1.080 - Vila Tibério Horário: das 8h às 12h Representante da Unisa e Conselho Acadêmico Santo Amaro

Manhã: Presidente da Mesa: Mauricio dos Santos Souza Secretário: Wagner Yasuo Okai Horário: das 8h às 12h Local: Na Faculdade Unisa Noite: Presidente da Mesa: Euripedes Antonio B. de Castro Secretária: Miriam Costa Moura Horário: das 19h às 22h Local: Na Faculdade Unisa Representante da FMU e Conselho Acadêmico de Santo Amaro Presidente da Mesa: Claudia Verônica Teizein Secretário: Paulo Hitoshi Ueda Horário: Manhã – das 9h às 11h. Noite - das 18h às 20h30 Local: Na Faculdade FMU Vila Mariana – Conselho Acadêmico Presidente da Mesa: Humberto Sonoda Secretária: Sandra Feijó Local: Na sede da Regional Vila Mariana - Rua Dr. Diogo de Faria, 66 - Vl. Clementino Horário: das 14h às 18h Vila Maria – Conselho Acadêmico Presidente da Mesa: Edson Luiz Machado Lima Secretário: José Tadeu Alves Membro suplente: Ricardo Nogueira Deodato Membro suplente: Nelson José Modesto Guidio Local: Na sede da Regional Vila Maria – Av. Conceição, 885 – Vila Guilherme Horário: das 13h às 17h São José dos Campos – Conselho Acadêmico Presidente da Mesa: Júlio de Moura Magalhães Local: Na sede da Regional São José dos Campos – Rua Egle Carne-

valli, 26 - Jd. das Indústrias Horário: das 9h às 13h São José dos Campos – Conselho Acadêmico Presidente da Mesa: Marcus Vinicius Alves Fonseca Local: Na Faculdade Unesp Horário: das 9h às 13h Representante Acadêmico - Universidade do Vale do Paraíba – Univap (São José Dos Campos) Presidente da Mesa: Regina C. Vieira Marcondes Morais Local: Na Faculdade Univap Horário: das 9h às 13h Representante da Faculdade de Odontologia de Lins - Unimep Presidente da Mesa: Maria Donizetti Domingos Fumió Secretária: Eliane Abirached Taddei de Barros Membro suplente: Antonio Xavier Matos Membro Suplente: Juliana Cortez Bolzoni Local: Na sede da Regional Lins – Av. Duque de Caxias, 616 - Centro Horário: das 13h30 às 17h30 Representante da Universidade Uniscatelo Presidente da Mesa: Roberto Miguita Secretária: Edmelia Barbaresco Local: Universidade Unicastelo Rua Carolina Fonseca, 584 - Itaquera Horário: das 8h às 12h Representante da Universidade de São José do Rio Preto - Unorp Presidente da Mesa: Manoel Cesar Vallejo Secretário: Sérgio Anovazzi Local: Na sede da Regional São José do Rio Preto - Av. Francisco Chagas de Oliveira, 875 Horário: das 8h às 12h

24/05/12 14:00


Jornal_APCD_Maio_661.indd 37

24/05/12 14:00


38 APCD Jornal // Maio 2012

APCD RESORT

Alvenaria dos 50 apartamentos está concluída Como os meses de fevereiro e março são normalmente chuvosos, os trabalhadores da empresa Gecon Engenharia e Empreendimentos, de Avaré, privilegiaram as obras de alvenaria no interior do bloco de apartamentos, levantando paredes que delimitam cada um dos 50 apartamentos do primeiro bloco a ser terminado. Dentro das previsões da Comissão de Construção do APCD Resort, a laje do último andar (laje forro) dos seis apartamentos maiores, as vigas e colunas da casa de máquinas do ar condicionado, bem como o concreto de cobertura de tubulações elétrica e hidráulica das três lages-piso foram executados nos meses de janeiro e fevereiro. No mês de abril, além da conclusão da alvenaria das paredes dos apartamentos, iniciaram-se as obras de fundação do elevador que vai realizar o acesso da recepção ao bloco de apartamentos. Essa recepção dará acesso à passarela que leva ao restaurante e à piscina, além dos apartamentos.

Cobertura do restaurante/apartamentos e início da piscina

Ainda em abril, a Gecon Engenharia, juntamente com a Hei-

Vista frontal do bloco de 50 apartamentos com as divisões em alvenaria

Vista interna do 1º andar de apartamentos

tor Couto Arquitetura, discutiu os projetos dos telhados do restaurante e do bloco de partamentos, e o tamanho da piscina. O orçamento do madeiramento do telhado e da telha já está sendo calculado, mantendo-se o projeto inicial, que é muito bonito. No projeto das piscinas, o tamanho inicial será mantido, mas a construção do tamanho original acontecerá somente quando o empreendimento todo estiver concluído, ou seja, os 200 apartamentos estiverem acabados. Isso se deve ao fato de que com 50 apartamentos inicialmente concluídos, o nú-

mero de pessoas que utilizarão o parque aquático será 25% do total do APCD Resort. Então, graças à maneira que o projeto foi concebido, será possível fazer o desmembramento da piscina em duas. Dessa forma, os custos iniciais serão diminuídos e haverá economia de água, energia e produtos de limpeza em um primeiro momento.

Associados precisam colaborar

A diretoria da APCD e a Comissão de Construção do APCD Resort conclamam os associados a continuarem colaborando com

Do 3º andar de apartamentos pode-se ver o restaurante e a represa

o mínimo de R$ 10,00 mensais para a conclusão da tão esperada área de lazer de nossa entidade. As obras entrarão em fase de acabamento e em contagem regressiva para a inauguração de mais um importante benefício

ao associado e sua família, nosso APCD Resort. Participe! Entre em contato pelos telefones (14) 3733-2169 ou 0800 55 86 76. // Texto e fotos Comissão de Construção do APCD Resort //

TURISMO

Está pensando em viajar e necessita retirar o passaporte e visto? SCHAMM’S Assessoria em Vistos e Legalizações, em parceria com APCD, presta um serviço diferenciado para você, associado.

Fique atento!

Plantão de Atendimento SCHAMM’S na APCD Central (Departamento de Turismo) Dia 23/05/12 (quarta-feira) Horário: das 9h às 12h Plantão especialmente elaborado para atender os associados da APCD.

Jornal_APCD_Maio_661.indd 38

Serviços

A SCHAMM’S está há 25 anos no mercado, assessorando os seus clientes na solicitação de vistos e passaportes para os Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, China, Índia e outras Embaixadas que requerem visto de entrada no País. Preencha o seu DS160 conosco e ganhe a foto. Desconto de 25% para ASSOCIADOS e familiares (pai, mãe, irmão ou filho).

Ligue e confira! Departamento de Turismo da APCD – (11) 2223-2318/2385

24/05/12 14:00


Maio 2012 // APCD Jornal 39

Laboratório de Anatomia Patológica é mais um benefício da EAP APCD para os associados // Texto Mariana Pantano //

Em abril, a EAP APCD firmou uma parceria com o Laboratório Plínio Santos para a realização de biopsia, citologia esfoliativa, imunohistoquímica e captura híbrida, exclusivamente para associados e pacientes das EAP’s. O responsável pela consultoria em patologia bucal, o Cirurgião-Dentista Haroldo Arid Soares, especialista em Patologia Bucal e Estomatologia, afirma que a instalação da unidade do Laboratório Plínio Santos dentro da APCD tem como objetivo facilitar a realização de biopsia e, consequentemente, o exame anatomopatológico (procedimento médico necessário para o diagnóstico de doenças), discussão de seus casos, consulta rápida, além de ser possível tirar dúvidas com profissionais da mais alta competência. Haroldo explica que também ocorreram benefícios na parte didática e pedagógica dos cursos, nos quais os recursos dos exames complementares se fizeram necessários, “além de que associados e alunos dos cursos da EAP estarão direta-

mente em contato com os exames e patologistas. Repito: com a instalação do Laboratório de Anatomia Patológica na EAP APCD, o Cirurgião-Dentista terá um suporte dentro da sua entidade de classe, onde o profissional deverá ficar muito à vontade para realizar procedimentos de coleta de biópsias e solicitação de exames para um diagnóstico definitivo, elucidar possíveis dúvidas, discutir diagnóstico e acompanhamento do paciente”. Inicialmente, serão realizados exames anatomopatológicos, citológicos (líquidos em geral), imunohistoquímico e exame de captura híbrida. “Depois, conforme as necessidades, outros exames poderão ser estudados. Isto dependerá da necessidade do profissional”, salienta Haroldo Arid. O especialista em Patologia Bucal e Estomatologia conta que os conteúdos de alguns exames complementares foram pouco explorados na graduação de Odontologia e, posteriormente, na clínica diária. “O Cirurgião-Dentista conhece a técnica da biópsia, sua importância e suas indicações, entretanto, não realiza estes procedimentos. Basicamente,

utilizamos procedimentos cirúrgicos nas biopsias de tecido duro e mole da boca, mas somos mais atentos a dentes e gengivas, o que nos foi embutido durante anos de graduação e de clínica, infelizmente. A utilização dos exames complementares tem mudado e nos últimos anos vimos crescer a imaginologia, os exames bioquímicos, o imunohistoquímico, porém, no diagnóstico definitivo das patologias de boca devemos somar os dados obtidos na clínica, nas imagens e na patologia. É nossa intenção desmistificar esses exames, principalmente, a biopsia.” Os patologistas do laboratório se disponibilizam para discutir os casos com os interessados, inclusive em aulas. Será utilizado equipamento que permite o compartilhamento de imagem das lâminas em grupo. “Também poderá ser exibido em sala de aula, o que torna mais eficiente e didático os resultados dos exames. Com aprendizado compartilhado, ganhamos todos: patologistas, cirurgiões, estomatologistas, demais especialidades e, principalmente, o clínico geral”, ressalta Haroldo. O Laboratório é composto por patologistas experientes e de reno-

me internacional, tendo como principal responsável o professor Plínio Santos, ex-professor de Patologia da Unifesp, além dos professores Rafael Gollet e James Cataet Junior, que estão na área de patologia há mais de uma década. São profissionais extremamente competentes na área de patologia. “O convite para ajudá-los, além de participar deste grandioso projeto, me trouxe alegrias e desafios. Trabalhar de maneira multiprofissional e de conhecimento compartilhado em busca do diagnóstico é emocionante. A discussão de casos com profissionais, alunos de especialização e aperfeiçoamento só tende a trazer benefícios e me faz querer continuar aprendendo e a estudar cada vez mais”, destaca Haroldo. Segundo o diretor da EAP, Artur Cerri, a parceria entre o Laboratório Plínio Santos e a EAP APCD é um grande benefício não só para o Cirurgião-Dentista como também aos pacientes, pois será oferecida a oportunidade de um diagnóstico precoce das doenças e, assim, favorecer o prognóstico. “Até onde se conhece, essa parceria é algo inédito envolvendo entidades de classe. Fazendo isso, a APCD deu um

grande passo em prol da classe e dos pacientes”. Para Cerri, outro fator importante é a disponibilidade da equipe de patologistas em discutir os casos com os colegas e em sala de aula. Nesse sentido, não se trata de um diagnóstico simples e sim de um cunho científico e cultural.

Como o fragmento da lesão deve ser encaminhado para a APCD

Primeiramente, os profissionais devem atentar para os fixadores, recipientes, solicitação de exames e relatórios. Os interessados poderão retirar pessoalmente o material coletor e a requisição de exames no laboratório localizado no 3º andar do prédio da APCD Central, ou solicitar o encaminhando do material pelo telefone (11) 5572-1100. Os patologistas estarão à disposição dos interessados para esclarecimentos e orientações todas as quintas-feiras, no período da tarde, pelo telefone (11) 22232470, ou pessoalmente na EAP. É importante esclarecer que os materiais para os exames somente serão aceitos mediante a ficha de requisição completa e coletor apropriado.

Como funciona a Aposentadoria Especial A aposentadoria especial é uma espécie de aposentadoria por tempo de contribuição com redução de tempo em razão de o trabalhador desempenhar sua atividade profissional com exposição a determinados agentes nocivos à sua saúde ou integridade física. O exercício dessas atividades, ditas especiais, dará direito ao segurado de se aposentar com 15, 20 ou 25 anos de contribuição. A concessão de aposentadoria especial é de todo excepcional, exigindo-se rígida comprovação de exposição a agentes nocivos. A Emenda Constitucional n° 20/98 instituiu o seguinte: “é vedada a adoção de requisitos e critérios diferenciados para a concessão de aposentadorias aos beneficiários do regime geral de previdência social ressalvados os casos de atividades exercidas sob condições especiais que prejudiquem a saúde ou integridade física, definidos em Lei Complementar”(art.201, § 1°).

Jornal_APCD_Maio_661.indd 39

A aposentadoria especial, uma vez cumprida a carência exigida, será devida ao segurado que tenha trabalhado durante 15, 20 ou 25 anos, conforme o caso, sujeita a condições especiais que prejudiquem a sua saúde ou integridade física (art.64, RPS - Recibo Provisório de Serviços). Sua concessão dependerá de comprovação pelo segurado, perante o INSS, do tempo de trabalho permanente, não ocasional nem intermitente, exercido em condições especiais que prejudiquem a saúde ou integridade física, durante um período mínimo de 15, 20 ou 25 anos (art. 64, parágrafo 1°, RPS). O segurado deverá comprovar, além do tempo de trabalho, efetiva exposição aos agentes nocivos químicos, físicos, biológicos ou associações de agentes prejudiciais à saúde ou à integridade física, pelo período equivalente ao exigido para a concessão do benefício (art.64. Parágrafo 2°, RPS). Considera-se tempo de traba-

lho especial os períodos correspondentes ao exercício de atividade permanente e habitual (não ocasional, nem intermitente), durante toda a jornada de trabalho, em cada vínculo, sujeito a condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física, inclusive férias, licença médica e auxílio doença decorrente do exercício dessa atividade. (art.65, RPS)

Caso específico do Cirurgião-Dentista

Até 28 de abril de 1995, o enquadramento por categoria mostra que é preciso apresentar provas de atividade para todo o período de exercício laboral. O enquadramento poderá ser caracterizado para trabalhadores em contato com doentes ou materiais infecto-contagiantes, de assistência odontológica até 05 de março de 1997, mediante apresentação do perfil profissiográfico previdenciário (PPP). A partir de 06 de março de 1997,

tratando-se de estabelecimentos de saúde, somente passaram a ser enquadradas as atividades exercidas em contado com pacientes portadores de doenças infecto-contagiosas ou com manuseio de materiais contaminados Decreto n.°2.172,05/03/1997, ou do anexo IV do RPS, aprovado pelo Decreto n° 3048/99. Os sindicatos de Odontologia impetraram no Supremo Tribunal Federal (STF) o mandado de injunção, no qual requerem contagem de tempo de serviço para efeito de aposentadoria dos profissionais Cirurgiões-Dentistas ocupantes de cargo público. (Federal, Estadual, Municipal) Segundo a ação, os profissionais têm direito a contagem diferenciada por exercerem atividades que prejudicam a saúde ou a integridade física. Por falta de norma que regulamente a aposentadoria especial dos servidores públicos, as entidades que possuem regime próprio de previdência vêm postergando

o direito à aposentadoria especial devida aos Cirurgiões-Dentistas. Desde 28 de abril de 1995, a categoria tem direito à conversão desde que prove o exercício da atividade. Após essa data até 05 de março de 1997, é preciso provar através de perfil profissiográfico previdenciário. A partir de 06 de março de 1997, tratando-se de estabelecimento de saúde, somente passaram a ser enquadradas as atividades exercidas em contato com pacientes portadores de doenças infecto-contagiosas ou com manuseio de materiais contaminados. É importante ressaltar que cada caso tem suas características próprias, que devem ser analisadas separadamente. Dúvidas, entre em contato conosco na APCD Central pelo telefone (11) 2223-2384, às segundas, quartas e sextas, das 9h às 18h. // Texto Marco Bueno - Serviços Gerais da APCD //

24/05/12 14:00


Confira os próximos cursos que a Notícias da EAP para você! EAP APCD preparou 40 APCD Jornal // Maio 2012

Artur Cerri

CONFRATERNIZAÇÃO PELA PARCERIA EAP/LABORATÓRIO PLÍNIO SANTOS No dia 4 de abril, o Laboratório Plínio Santos, parceiro da APCD, promoveu um Happy Hour em São Paulo. Além dos diretores do Laboratório e do professor Haroldo Arid Soares (consultor de Patologia Bucal do Laboratório), estavam presentes Artur Cerri, diretor da EAP; Pedro Antonio Fernandes, diretor do Departamento de Congressos e Feiras da APCD; e Maurício Chebat, coordenador clínico da EAP. LABORATÓRIO DE PATOLOGIA À DISPOSIÇÃO DOS ASSOCIADOS O Laboratório de Patologia Plínio Santos, localizado no 3º andar da EAP, esta à disposição de todos os associados da APCD e pacientes das EAPs. Os interessados poderão solicitar ou retirar os coletores e fichas de requisição diretamente na EAP, pelo telefone (11) 55721100 (falar com Esael) ou, ainda, pelo e-mail labpsantos@uol. com.br. O valor da biopsia e citologia para o associado APCD é R$ 60,00. O Laboratório Plínio Santos se disponibiliza a discutir os casos com os interessados.

Plínio dos Santos

Diretor da Escola de Aperfeiçoamento Profissional da APCD

PARCERIA APCD E KAVO Através de parceria entre a Kavo e APCD, foi montada uma van com tomógrafo i-CAT da Kavo. Essa van, em breve, irá prestar serviços as duas empresas.

CENTRO DE DIAGNÓSTICO BUCAL DA EAP (CDBE) Continua em pleno funcionamento e sucesso o CDBE, localizado na Sala de Procedimentos Especiais da EAP. O CDBE está voltado,

Nova Van da APCD em parceria com a Kavo

CURSO INTERNACIONAL DE IMPLANTODONTIA NA EAP Será realizado no dia 23 de maio (quarta-feira), das 8h às 12h, um curso sobre “Implantodontia Estética Gengival em Reabilitação Implantossuportada”, ministrado pelo professor Miguel Angel Coz da Universidade de San Martin – Lima - Peru). Investimento: R$ 60,00, com certificado. Informações: contato.eap@apcdcentral.com.br CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM CTBMF COM CIRURGIA ELETIVA HOSPITALAR Coordenadora: Ângela Alves de Aguiar Goto. O curso será realizado às segundas-feiras, das 8h às 18h. As cirurgias eletivas serão realizadas nos Hospitais Samaritanos e São Camilo. O curso inicia-se no dia 04 de junho e termina em 26 de novembro. Investimento único: 6X de R$ 350,00. Mais informações com a coordenadora pelo e-mail facialaguiargoto@ ig.com.br

principalmente, para o diagnóstico e tratamento de doenças e prevenção do câncer bucal. Os atendimentos são realizados às terças e quintas-feiras, através de agendamento pelos telefones (11) 2223-2312 e 2223-2482. Consultas e demais procedimentos com preços diferenciados.

arturcerri@uol.com.br

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PRÓTESE Foi iniciado em março o curso de especialização em Prótese da EAP, coordenado pelo professor Orlando Magalhães Filho e equipe. O professor Magalhães Filho é um dos grandes expoentes da área, com vários anos de experiência. O curso é realizado semanalmente, às quartas-feiras.

IMBATÍVEL A EAP fechou o mês de abril com 62 cursos no total, abrangendo as mais diversas áreas da Odontologia. Isso graças à credibilidade de seus professores, infraestrutura e tradição. Estudar na EAP é um privilégio! Venha conhecer a EAP antes de optar por um curso, afinal são 57 anos de experiência.

LASERTERAPIA NA EAP As pessoas interessadas em fazer Laserterapia podem procurar a EAP. As aplicações são feitas por sessão em casos de algias e lesões bucais. Esse serviço abrange também os casos de pacientes irradiados de cabeça e pescoço. Nesse caso específico, o atendimento é GRATUITO AOS PACIENTES DO SUS. Agendamento pelo telefone (11) 2223-2418.

NOVIDADES Em breve, teremos uma novidade exclusiva na EAP de cair o queixo. Aguarde!

CURSO CLÍNICO CIRÚRGICO DE IMPLANTODONTIA Ainda existem vagas remanescentes para o curso clínico cirúrgico de Implantodontia. Esse curso prioriza o módulo cirúrgico com as realizações de varias cirurgias convencionais. O curso é realizado todas as quintas-feiras, no período noturno. Informações: hidmiguel@bol.com.br. Investimento único: R$ 300,00

TWITTER DA EAP Siga a EAP APCD pelo twitter @eapapcd. Fale conosco!

MONITORIA NA EAP Os alunos de Odontologia interessados em fazer monitoria nos cursos oferecidos pela EAP devem procurar a Secretaria, preencher formulário de requerimento e guardar o aval do coordenador. A monitoria é gratuita e com direito a certificado.

MAIOR AGILIDADE NO ATENDIMENTO DOS PACIENTES Com a instalação dos letreiros de senha nas clínicas da EAP ficou muito mais ágil o atendimento dos pacientes.

IN

As fe ou

1 Jornal_APCD_Maio_661.indd 40

24/05/12 14:00


Maio 2012 // APCD Jornal 41

57 anos dedicados à Odontologia em ensino continuado de qualidade

Confira os próximos cursos que a EAP APCD preparou para você! REDUZA A QUANTIDADE DE PARCELAS E GANHE 10% DE DESCONTO NOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO *Os valores serão atualizados a cada 12 meses de curso (IPC-FIPE)

CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO CIRU/2012A – Especialização em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial

Ministradores: Henrique Camargo Bauer, Waldyr Antonio Jorge Nelson Colombini e equipe Seleção: 15/05/2012 – entrevista e análise de currículo – 13h Referências Bibliográficas: Andrade, Eduardo Dias de - Terapêutica Medicamentosa em Odontologia - 2002 Araújo, Antenor - Cirurgia Ortognática 1999 Barros, João Jorge de / Souza, Luiz Carlos Manganelo de -Traumatismo Bucomaxilofacial - 2000 Dingman, Reed O. - Surgery Of Facial Fratures - 1964 Cirurgia das Fraturas Faciais - 2001 Fonseca, Raymond J./Walker, Robert V. Oral and Maxillofacial Trauma - 1991 Gray, Henry - Tratado de Anatomia Humana - 1979 Graziani, Mario - Cirurgia Bucomaxilofacial - 1995 Kruger, Gustavo - Textbook of Oral Surgery - 1974 Medeiros, Paulo José - Cirurgia Ortognática para o Ortodontista - 2001 Neville, Brad W. - Patologia Oral e Maixolfacial - 1998 Peterson, Shailer Alvery - Cirurgia Oral e MaxilofacialContemporânea - 2000 Rowe and Willians - Maxilofacial Injuries - 1994 Souza, Luiz Carlos Manganello de Cirurgia Ortognática e Ortodontia - 1998

Topazian, Richard G. - Infecções Bucomaxilofaciais - 1997. Início: 07/08/2012 Término: 05/08/2014 Realização: terças-feiras – semanal – das 13h às 21h Investimento: 24X de R$ 1.375,00,00 ou 18X de R$ 1.650,00 wajorge@usp.br

SAUDE/2012 - Especialização em Saúde Coletiva

Ministrador: Vladen Vieira e equipe Início: 13/07/2012 Término: 10/02/2014 Realização: quintas, sextas e sábados – quinzenalmente - quintas e sextas, das 18h às 22h, e sábado, das 8h às 12h Carga horária: 612 horas – 18 meses Investimento: R$ 450,00 vladen@terra.com.br

IMPL/2012M – Especialização em Implantodontia

Ministrador: Maurício Teixeira Duarte e equipe Seleção: 14/09/2012 – 14h – entrevista e análise de currículo Início: 19/10/2012 Término: 20/10/2014 Realização: sextas-feiras - semanal – das 14h às 22h Carga horária: 1.044 horas - 24 meses Investimento: R$ 1.000,00 m.t.duarte@uol.com.br

CURSOS DE ATUALIZAÇÃO Cirurgia

TPC/100A14 – Capacitação em Cirurgia Ortognática

Ministradores: Elifas Levy Nunes, Luis Fernando Lobo e equipe Início: 11/05/2012 Término: 18/05/2013 Realização: sextas e sábados – mensalmente – sexta, das 14h às 22h30, e sábado, das 8h30 às 18h Aulas práticas no Hospital Santa Paula Investimento: Associado APCD - 12X de R$

2.000,00; Melhor Idade - 12X de R$ 1.000,00 Pré-requisito: Especialistas em Ortodontia e/ou Cirurgia Bucomaxilofacial levynunes@terra.com.br

TPC/152 A14 – Curso de Atualização em CTBMF com Cirurgia Eletiva Hospitalar Hospital Samaritano e São Camilo

Ministradora: Angela Alves de Aguiar Goto e equipe Início: 04/06/2012 Término: 26/11/2012 Realização: segundas-feiras – semanal – das 8h às 18h Investimento: Valor único – 6X de R$ 350,00 facialaguiargoto@ig.com.br

Mauricio Chebat Início: 07/05/2012 Término: 27/08/2012 Realização: segundas-feiras – semanal – das 19h às 22h Valor único: 4X de R$ 300,00 emukai@allnet.com.br

TPC/150 A15 – Curso Credenciamento de Zigomático – Apoio Conexão

Ministradores: Jamil Awad Shibli, Eduardo Mukai, Marcio Martins Realização: 05, 06 e 07 de novembro de 2012 - segunda, terça e quarta-feira – das 8h às 18h Valor único: R$ 2.500,00 emukai@allnet.com.br

Implante

Odontologia Legal

Ministrador: Miguel Angel Coz – Universidade San Martin – Lima - Peru Realização: 23/05/2012 - quarta-feira – das 8h às 12h Investimento: Valor único - R$ 60,00 Vagas limitadas Apoio: Conexão Sistema de Prótese e Equipes de Implantodontia da EAP

Ministradores: Moacyr da Silva, Fernando Jorge de Paula e equipe Início: 26/05/2012 Término: 23/06/2012 Realização: sábados – semanal – das 9h às 18h Carga horária: 45 horas Disciplinas: Odontologia Legal no Brasil e Aspectos Históricos, Lei nº 5.081/66, Perícia Odontolegal, Agentes Produtores de Lesões, Biotipologia, Estimativa de Sexo, Noções de Dactiloscopia, Crimes de Lesões Corporais, Documentação Odontológica, Marcas de Mordidas, Asfixia por Constrição de Pescoço, Asfixia por Sufocação e por Monóxido de Carbono, Sexologia Forense, Técnicas de Identificação utilizando o DNA, Genética de Populações, Técnicas de PCR, Biologia Molecular e Engenharia Genética, Organismos Geneticamente Modificados. O conteudo programático teve como fundamento o último concurso para a Polícia Federal, realizado em 2004. Alterações poderão ocorrer para a devida adequação, assim que o Edital foi publicado (previsão para maio de 2012). Investimento: 2X de de R$ 1.125,00

TEO/15 A14 – Curso Internacional de Implantodontia – Estética Gengival em Reabilitação Implantossuportadas

TPC/72A14 – Curso Clínico Cirúrgico de Implantodontia

Ministradores: Hid Miguel Junior, Mauricio Chebat e Shindi Nakajima O curso será eminentemente clínico cirúrgico. Início: 03/05/2012 Término: 30/08/2012 Realização: quintas-feiras – semanal – das 18h às 22h Investimento: Associado APCD, RecémFormado e Melhor Idade – 4X de R$ 300,00 Requisito: Experiência em Implantodontia hidmiguel@bol.com.br

TPC/149 A14 – Curso Básico Cirúrgico em Implantodontia Ministradores: Eduardo Mukai e

TEO/16 A14 – Curso Intensivo para Perito Criminal – Área Odontologia – Policia Federal - Disciplina Específica de Odontologia Legal

INSCRIÇÃO MAIS FÁCIL:

SECRETARIA DO CENTRO TÉCNICO - APCD:

As inscrições para os curso da EAP poderão ser feitas pelo e-mail secretaria1.eap@apcdcentral.com.br ou pelos telefones:

www.apcd.or.br/eap secretaria.cte@apcdcentral.com.br contato.cte@apcdcentral.com.br

11 2223-2307 / 2407

11 2223-2464 / 2465

Jornal_APCD_Maio_661.indd 41

24/05/12 14:00


42 APCD Jornal // Maio 2012

Acontece PL UTI

Passeio de Trem

Projeto de lei que estabelece a obrigatoriedade de Cirurgiões-Dentistas nas UTIs é aprovado

Departamento de Turismo da APCD promove passeio de trem pela Serra de Paranapiacaba

// Página 43 //

// Página 43 //

Crosp presta homenagem ao patrono da Odontologia, Tiradentes No dia 19 de abril, na Câmara Municipal de São Paulo, ocorreu uma sessão solene para comemorar o Dia de Tiradentes, Pró Mártir da Independência e Patrono da Nação Brasileira e da Classe Odontológica. A solenidade foi presidida pelo vereador Gilberto Natalini, e a mesa principal foi composta pelo presidente do Crosp, Emil Adib Razuk; pelo presidente da Associação Brasileira de Cirurgiões-Dentistas, Silvio Cecchetto; pelo presidente da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas, Adriano Albano Forghieri; pelo presidente da ADA (American Dental Association), Willian Robert Calnom; pelo presidente do CFO,

Ailton Diogo Morilhas Rodrigues; pelo presidente do Creci (Conselho Regional de Imóveis do Estado de São Paulo) e presidente do Conselhão (Câmara de todos os Conselhos de Classes do Estado de São Paulo), José Augusto Vianna Neto; pela Cirurgiã-Dentista, Leda Yeranuhy Kahtaian Spata, que representou todos os profissionais remidos; e pelo Cirurgião-Dentista, Marcio Martins, que representou todos os Cirurgiões-Dentistas especialistas. O presidente do Crosp, Emil Adib Razuk, afirmou que o evento foi dedicado à Odontologia paulista. “De uma maneira simples, porém, significativa e relevante, Ti-

radentes é a figura que representa a emancipação do povo brasileiro. Perdeu a vida pela defesa da liberdade em nosso país. Por ser o maior nome da Odontologia brasileira, tornou-se o patrono da nossa classe. Sua luta pela soberania nacional fez com que fosse reconhecido.” Durante a cerimônia, houve a entrega da Medalha e Comenda Tiradentes para o presidente da ADA, Willian Calnom, pelo vereador Gilbeto Natalini e pelo presidente do Crosp, Emil Razuk. Natalini disse que sempre é muito importante que as pessoas que ajudaram a construir a Odontologia sejam lembradas e

Presidente da ADA, Willian Calnom, recebe Medalha e Comenda Tiradentes das mãos do presidente do Crosp, Emil Razuk, e do vereador Gilberto Natalini

homenageadas. “A medalha ao presidente da ADA mostra o reconhecimento de São Paulo pelo

CFO promove solenidade em comemoração aos 48 anos dos Conselhos de Odontologia No dia 14 de abril, o Conselho Federal de Odontologia (CFO) organizou uma solenidade na cidade do Rio de Janeiro para comemorar os 48 anos da instituição dos Conselhos de Odontologia no país. O evento contou com a presença do coordenador nacional de saúde bucal do Ministério da Saúde, Gilberto Pucca – representando o ministro da Saúde, Alexandre Padilha -, bem como do plenário federal, presidentes e conselheiros dos 27 Conselhos Regionais de Odontologia. O 2° vice-presidente da APCD, Wilson Chediek, representou o presidente da entidade, Adriano Albano Forghieri, na ocasião, que também teve a presença do presidente da ABCD, Silvio Cecchetto. O presidente do CFO, Ailton Diogo Morilhas Rodrigues, aproveitou a ocasião para divulgar novidades relacionadas à área, como a edição do novo Código de Ética Odontológico que, segundo ele, deve ocorrer o mais breve possível. Durante o evento também foram homenageadas personalidades que se

Jornal_APCD_Maio_661.indd 42

destacaram por seu trabalho em prol da Odontologia e da saúde bucal da população brasileira. Ainda foi feita a entrega do Prêmio Brasil Sorridente/Conselhos de Odontologia aos municípios vencedores da edição 2011: Itanhandu/MG, na categoria relativa aos municípios com população inferior a 50 mil habitantes; Corumbá/MS, na categoria dos municípios com população entre 50 e 300 mil habitantes; e Curitiba/PR, vencedora entre os municípios brasileiros com população superior a 300 mil habitantes. O prêmio foi criado em 2004 por meio de uma parceria entre o CFO e o Ministério da Saúde, e homenageia os municípios que apresentam a melhor infraestrutura no atendimento odontológico à população. Todos os anos, além de receberem uma menção honrosa do CFO, os vencedores são premiados com um consultório odontológico integralmente fornecido e equipado pela empresa Dabi Atlante. Ainda no decorrer da solenidade, foi realizada a entrega anual da Medalha de

Honra ao Mérito Odontológico Nacional para profissionais que se destacaram pelo trabalho e contribuição à Odontologia em diversos campos de atuação. Na categoria, “Contribuição profissional nos campos da ciência (ensino ou pesquisa)”, a comenda foi concedida a três Cirurgiões-Dentistas: Léo Kriger (PR), Maria Eugênia Tollendal (MG) e Solon Galvão Filho (RN). Já em “Contribuição Honorífica no plano do desempenho social, político e nos serviços”, receberam a medalha os Cirurgiões-Dentistas Pedro Henrique Fernandes da Silva (RJ), e Rodolfo Cândia Alba Júnior (SP). Na categoria “Contribuição Benemérita na área de doação material e/ ou obras odontológicas altamente significativas para a sociedade”, o agraciado foi o senador José Barroso Pimentel (CE). Por fim, o CFO também prestou homenagem à técnica em saúde bucal, Filomena Barros, e ao técnico em prótese dentária, Toshio Uehara. Fonte: CFO

trabalho que tem feito em nível mundial. Tenho muito orgulho de servir aos Cirurgiões-Dentistas.”

11º EPATESPO Encontro Paulista de Administradores e Técnicos do Serviço Público Odontológico Entre 23 e 25 de maio, acontecerá o 11º Encontro Paulista de Administradores e Técnicos do Serviço Público Odontológico (EPATESPO) e o 10º Congresso Paulista de Odontologia em Saúde Coletiva (COPOSC), em Ribeirão Preto, promovidos pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e Secretaria Municipal de Ribeirão Preto. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas através do site www.ribeiraopreto.sp.gov.br/epatespo/i16principal.php. Confira a programação em www.apcd. org.br/anexos/noticia/Epatespo_cartaz.pdf

ENCONTRO DE TURMA Encontro 35 Anos - Fiube (Uberaba) Formandos - Julho de 1977 Contato: Luiz Carlos Saraiva Telefone: (11) 9649-2068

24/05/12 14:00


Maio 2012 // APCD Jornal 43

Projeto que obriga presença de Cirurgiões-Dentistas na UTI é aprovado No dia 18 de abril, a Comissão de Seguridade Social e Família – CSSF, da Câmara Federal dos Deputados, aprovou, por unanimidade, o Projeto de Lei 2.776/2008, com novo substitutivo, que estabelece a obrigatoriedade da presença de profissionais de Odontologia nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e demais instituições públicas e privadas que mantenham pacientes sob regime de internação, em médios e grandes hospitais do Brasil. A relatora do Projeto de Lei, a deputada federal (PT-DF) Érika Kokay, destacou o indispensável apoio das entidades odontológicas durante os encontros para viabilizar a conquista dessa decisiva etapa para a categoria. “A integralização da saúde bucal no ambiente de internação hospitalar combaterá a proliferação de bactérias e a possibilidade de infecção, via oral, como doenças bucais e sistêmicas. Em alguns casos, a assistência odontológica combaterá até o óbito do paciente internado. Sob uma ótica global, a Odontologia ganha e a sociedade brasileira é direta-

mente beneficiada por meio do parecer favorável apresentado sobre o PL”, explica Érika. O deputado federal Rogério Carvalho (PT-SE) realizou a negociação com o governo e garantiu que a presença dos CirurgiõesDentistas não oneraria custos aos cofres públicos. Com base na matéria original, foram retirados do PL 2.776/2008 os hospitais de pequeno porte, instalados em cidades do interior. Carvalho também viabilizou a ampliação do prazo da implantação da lei para 180 dias, contando a partir da data de aprovação para as instituições hospitalares se adequarem as novas normas e contratar as equipes odontológicas. O presidente da Frente Parlamentar de Saúde, Darcísio Perondi, apoiou a necessidade do profissional de Odontologia nas UTIs e garantiu que essa mudança trará grandes avanços para o ambiente hospitalar. Já a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) enalteceu o crescimento científico da Odontologia brasileira, por meio da união da categoria, e, evidenciou a carência da presença dos

Presidente da APCD participa do 1° CIMES

Nos dias 10 e 11 de abril, o ABIMO (Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios) promoveu o 1° CIMES (Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde), no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo. O presidente da APCD, Adriano Forghieri, foi convidado a participar do evento como moderador de uma das sessões temáticas paralelas, que discutiu os avanços em equipamentos e materiais para a Odontologia, com a presença de representantes das empresas Neodent, Gnatus e Angelus.

Jornal_APCD_Maio_661.indd 43

serviços odontológicos nos hospitais pelos mais variados aspectos positivos. Os deputados federais Geraldo Resende e Geraldo Thadeu, também atuantes nessa causa, citaram a economia que será gerada pela presença dos Cirurgiões-Dentistas em ambiente hospitalar, referente aos gastos existentes hoje com antibióticos de alto custo, destinados ao uso de pacientes que se contaminaram via oral nas UTIs. Além dos pacientes internados, o PL beneficiará, também, os portadores de doenças crônicas e os atendidos em regime domiciliar na modalidade home care. Agora, o PL 2.776/2008 tramita em caráter terminativo e não precisará passar pelo Plenário. A matéria passará pela apreciação da Comissão de Constituição e Justiça, e, em seguida, será encaminhada ao Senado Federal. Esse projeto teve o apoio desde o início da APCD. Para conhecer o PL na íntegra, acesse http://darcisioperondi.com.br/ wp-content/uploads/2012/04/ Tramitacao-PL-2776_2008.pdf.

Comitê do Centenário promove Trilha no Parque Estadual da Serra do Mar

O Comitê do Centenário da APCD promoveu, no dia 11 de março, uma trilha em São Luiz do Paraitinga, a trilha do Pirapitinga. A trilha percorreu 5.700 metros, a maior parte margeando o Rio Paraíbuna, onde é possível ver o peixe Pirapitinga, cachoeiras e muitas árvores de manacás, que com suas pétalas transformavam a trilha em caminho de noiva para o altar. Na Cachoeira do Salto Grande, o grupo teve a oportunidade de apreciar a força das águas na corredeira do Caixão, entrar na grande piscina natural de águas revigorantes (entenda-se gelada) e descansar apreciando uma paisagem indescritível. Apesar do calor, a trilha foi agradável, pois foi realizada dentro da mata. Após a trilha, o grupo almoçou em São Luiz do Paraitinga, e constatou-se que a cidade já está quase recuperada após a enchente que chegou a 4,5m de altura no ano passado. A Comissão Organizadora dos festejos dos 100 anos agradece todo o apoio de Silvia Sugaya, diretora do Departamento de Turismo da APCD Central, neste evento.

Fonte: CFO

APCD e Sociedade Brasileira de Endodontia firmam Protocolo de Reciprocidade No dia 04 de abril, o presidente da APCD, Adriano Albano Forghieri, e o presidente da Sociedade Brasileira de Endodontia (Sbendo), Manoel Eduardo de Lima Machado, firmaram um Protocolo de Reciprocidade, que estabelece as seguintes condições: • Associados de ambas as entidades terão inscrições em congressos, cursos, jornadas etc., nas mesmas condições; • Intercâmbio científico entre as entidades; • Frequência, nas mesmas condições, nos cursos patrocinados pelas entidades; • Divulgação dos eventos em jornais e/ ou revistas de ambas as entidades, quando solicitado; • Estande na área institucional dos eventos promovidos pelas entidades (sempre que haja interesse de uma das duas estarem presentes); • Os associados de ambas as entidades poderão frequentar as dependências das instituições, nos horários e nas condições determinadas pela direção e regulamento.

Passeio de trem pela Serra de Paranapiacaba O Departamento de Turismo da APCD promoverá no dia 19 de agosto (domingo), um passeio de trem pela Serra de Paranapiacaba, com duração de aproximadamente duas horas. O Expresso Turístico sairá da Estação da Luz e percorrerá uma paisagem bucólica pela serra até chegar à vila de Paranapiacaba onde poderá ser visto o patrimônio arquitetônico através de suas casas de madeira e o museu ferroviário. Haverá uma trilha pela Mata Atlântica Remanescente acompanhando o percurso do Rio Grande nas áreas do Parque Nascentes, principal formador da Represa Billings. Por meio da trilha da Pontinha, com 1.090 metros de extensão e de nível médio de dificuldade, poderão ser observadas bromélias, orquídeas, senhaços, tangarás, macucos, veado campeiro e muito mais.

No roteiro, ainda há uma nascente de águas onde quem quiser se arriscar pode tomar um banho revigorante. Ao final da trilha será possível apreciar parte do antigo sistema de captação de água construída em 1900 para o abastecimento das cinco máquinas fixas do segundo sistema funicular, inaugurado pela companhia SPR em 1901 e desativado em 1982. Após a trilha, um almoço será servido (bebidas e sobremesas não inclusas). Não perca este passeio tranquilo e relaxante! Inclui: passagem de trem Expresso Turístico, trilha, almoço, lanche de trilha, passagem de metrô e seguro. Mais informações e reservas no Departamento de Turismo. Telefones: (11) 2223-2318 / 2385, ou com Sílvia – (11) 2205-5351 / 9848-9457.

24/05/12 14:00


44 APCD Jornal // Maio 2012

Lançamentos Linha de compressores de Bráquetes ar Schulz isentos de óleo Morelli Prescrição Capelozza Max A inovação e alta tecnologia dos Compressores Schulz, asseguradas pelos 49 anos de tradição do maior fabricante de soluções em ar comprimido da América Latina, estão presentes na linha de compressores de ar isentos de óleo. Disponíveis nas potências de 1 a 15 hp, vazões de 6 a 60 pcm e pressão de 120 PSI, esta linha de compressores atende perfeitamente às necessidades dos profissionais e é indicada para as mais variadas aplicações do mercado, notadamente, médico-hospitalares, odontológicas, alimentícias, eletrônicas, farmacêuticas e no tratamento de efluentes. Montados com anéis de pistão em Politetrafluoretileno (teflon), sistema de arrefecimento integrado e equipado com reservatório com pintura externa e interna epóxi antimicrobacteriana, estes compressores são fabricados obedecendo as mais rigorosas certificações nacionais e internacionais (ISO 9001, NR13, CE, ASME),

Jornal_APCD_Maio_661.indd 44

visando oferecer garantia de qualidade e a mais alta confiabilidade aos clientes usuários dos compressores de Ar Schulz no mundo todo. Fonte: Schulz

Alta qualidade estética, precisão das angulações e conforto ao paciente obtidos através do sistema construtivo MAX estão presentes em uma linha nova de bráquetes. Perfil reduzido nos molares e prés: evitam os problemas do contato oclusal e resultam em bráquetes totalmente adaptados às necessidades dos ortodontistas. Bases jateadas: aumentam a performance de colagem, sem abrir mão da estética, precisão e conforto.

Para mais informações Site: www.morelli.com.br Telefones: 0800 121 455 0800 703 1455 Fonte: Morelli Ortodontia

24/05/12 14:00


Maio 2012 // APCD Jornal 45

Cultura e lazer

01

Twitter e Facebook Siga a APCD no Twitter: @apcdcentral e curta a APCD também no Facebook: facebook.com/apcdcentral

Confira as dicas culturais do momento Roxette em cinco shows no Brasil

Os suecos da dupla Roxette, formada por Marie Fredriksson e Per Gessle, apresentarão a turnê Neverending Tour em cinco shows no Brasil. A primeira apresentação acontece no dia 8 de maio, no Teatro Positivo, em Curitiba; dia 10 de maio, no Credicard Hall, em São Paulo; em 12 de maio, no Citibank Hall, no Rio de Janeiro; em 15 de maio, no Ginásio de Esportes Nilson Nelson, em Brasília; e, por fim, no dia 18 de maio, no Chevrolet Hall, no Recife. Mais informações pelo site http://www.t4f.com.br

Disney on Ice 2012 no Brasil: “100 anos de Magia”

Uma grande produção para os pais levarem seus filhos e se divertirem juntos, o espetáculo “Disney on Ice” é inédito no Brasil e contará com 60 personagens do mundo criado por Walt Disney que vêm mostrar suas coreografias sobre patins no gelo. Os shows, de duas horas e vinte minutos de duração ocorrerão do dia 6 a 10 de junho no Ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, e do dia 14 a 24 de junho no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

03

Faroeste Cabloco - O Filme estreia dia 25

Dia 25 de maio é o lançamento de “Faroeste Cabloco – O Filme”, adaptação ao cinema de uma das mais famosas canções da banda brasileira de rock, Legião Urbana. Assim como a canção, o filme conta a história de João de Santo Cristo (Fabrício Boliveira), que sai de Salvador e vai para Brasília traficar drogas. Na capital do País, o protagonista se apaixona por Maria Lúcia (Ísis Valverde) e se envolve em uma disputa com Jeremias (Felipe Abib), um traficante rival. Gênero: Drama.

Monólogo estrelado por Chico Diaz no CCBB SP

Em cartaz até o dia 5 de junho, no Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo (CCBB SP), o monólogo A “Lua vem da Ásia” é uma adaptação do livro homônimo de Walter Campos de Carvalho. Em forma de diário, o ator Chico Diaz conta a trajetória de um homem incomum em busca de um entendimento e justificativa perante a lógica do universo em que vive. Na direção, Moacir Chaves, e na supervisão de dramaturgia, Aderbal Freire-Filho. Acesse www.bb.com.br e informe-se!

05

Jornal_APCD_Maio_661.indd 45

02

16º Cultura Inglesa Festival traz Franz Ferdinand na faixa

04

Neste ano, o 16º Cultura Inglesa Festival contará com show da banda escocesa Franz Ferdinand no dia 27 de maio, no Parque da Independência, em São Paulo. O evento ainda traz as bandas britânicas The Horrors e We Have Band, além das brasileiras Garotas Suecas e Banda Uó. O Cultura Inglesa Festival é um festival de músicas promovido pela escola de Inglês Cultura Inglesa. Informações: http://festival.culturainglesasp.com.br

24/05/12 14:00


46 APCD Jornal // Maio 2012

Didรกticos

Jornal_APCD_Maio_661.indd 46

24/05/12 14:00


Jornal_APCD_Maio_661.indd 47

24/05/12 14:00


Jornal_APCD_Maio_661.indd 48

24/05/12 14:00


Maio de 2012 Ano 47 - N° 661