Page 137

117  |  Iatrogenias, Manifestações Oculares de Doenças Sistêmicas e ... Lesões das vias lacrimais baixas decorrentes de cirurgias de estruturas vizinhas A correlação topográfica facilita a lesão das vias lacrimais baixas nos procedimentos que se seguem: 1. Rinoplastias: durante a manipulação da parte superior do osso maxilar. 2. Acesso mediofacial à base do crânio: os ossos maxilar e etmoidal, assim como as conchas média e inferior, podem ser envolvidos nesse acesso, com risco de lesão do ducto lacrimonasal. 3. Operação de Caldwell-Luc e antrostomias endonasais do meato inferior: a abertura do seio maxilar na fossa nasal pode afetar a extremidade inferior do ducto lacrimonasal. 4. Descompressão maxiloetmoidal para tratamento do exoftalmo endócrino. 5. Implantes para fraturas de órbita mediais inferiores (Fig. 6). 6. Cantopexias transnasais.

Fig. 6 Tomografia computadorizada de crânio com reconstrução tridimensional em que se detectou a presença de fixação de fratura medial da órbita direita entre a fossa lacrimal e a entrada do ducto lacrimonasal.

A fisiopatogenia da epífora envolve vários mecanismos. Nem sempre ocorre apenas por traumatismo direto das estruturas de drenagem. Por vezes, há edema reacional dos tecidos vizinhos que, normalmente, causa disfunção temporária das vias lacrimais. Se há fibrose progressiva secundária à inflamação crônica local, há estenose parcial ou total definitiva desse sistema.

Iatrogenias durante a dacriocistorrinostomia A dacriocistorrinostomia externa (DCRE) é um procedimento com poucas complicações, a maioria delas evitável com cuidados e conhecimento da anatomia da região manipulada. A seguir serão descritas as iatrogenias mais frequentes, de acordo com os tempos cirúrgicos:

Incisão da pele O cirurgião deve preocupar-se com a demarcação da incisão, que pode comprometer a estética final do procedimento, com o aparecimento de epicanto (Fig. 7) ou ectrópio. Incisões no

Iatrogenias  
Iatrogenias