Page 1

Companheiros do Ano I.: Nº 11.: 1ª Quinzena

MAIO – 2010

VERDE

Informativo do Meio Ambiente e Cidadania

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, uma das 45 unidades da Embrapa, acaba de lançar um produto para controle biológico de percevejos (praga da soja), que foi desenvolvido com base em estudos de comunicação entre os insetos, além de lançar o inseticida biológico ´)im da 3icadaµ que promete dar um Àm js picadas de borrachudos que, além de doloridas podem causar alergias em seres humanos e animais. O “Fim da Picada” é o quarto inseticida biológico resultante da parceria entre os setores público e privado.

Pág. 6

420 cidades ainda não têm bibliotecas municipais

Pág. 5

Nutrição - Você é o que você come Pág. 10

Queimada no cerrado

Gastronomia – conheça a história da mostarda Pág. 11


Companheiros do Ano I.: Nº 11 – 1ª Quinzena

VERDE Foto: Jessé Vieira

EDITORIAL

Maio 2010

N

esta edição temos prazer em divulgar as novas tecnologias que o Cenargem/ Embrapa, através de seus pesquisadores tem desenvolvido, com o controle biológico de pragas e um bioinceticida, e, portanto, inofensivo à saúde humana, de animais e ao meio ambiente e capaz de controlar os borrachudos, que são também vetores de doenças. Produtos que contribuem para a redução de defensivos químicos e o aumento da produtividade das culturas agrícolas. Novidade na editoria Saúde e Bem Viver (página 10), com a coluna Sabores Saudáveis oferecimento Oba Hortifruti, aproveite as informações sobre frutas da época, neste período de calor e conheça o que temos de melhor para uma alimentação nutritiva. Também um artigo da nutricionista Juliana Pompeo “Você é o que você come”, da Academia Boca, ressaltando a importância de uma alimentação cuidadosa e os problemas causados por uma carência nutricional.

Aproveite esta edição e boa leitura!

Christina Pedra Diretora TELEFONES PÚBLICOS DE EMERGÊNCIA Corpo de Bombeiros..............................193 Defesa Civil..........................................199 Disque-denúncia...................................181 Polícia civil..........................................197 Polícia Militar.......................................190 Secretaria dos Direitos Humanos............100 Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher.................................................180

EXPEDIENTE

TELEFONES ÚTEIS Central De Serviços Alcoólicos Anônimos..................................3226.0091

CVI – Centro de Valorização do Idoso.................................0800 644 1401 Delegacia de Proteção ao Menor e Adolescente..............................3361.1049 Promotoria de Defesa do Consumidor.............................. 3343.9851 SERVIÇOS DE UTILIDADE PÚBLICA CEB....................................0800 61 0196 CAESB................................................115 PROCON.............................................151 DETRAN..............................................154

COMPANHEIROS DO VERDE companheirosdoverde@gmail.com

Publicação: Solução Audio Visual Ltda. End.: Condomínio San Diego, Lt. 15, sobreloja 03 Jardim Botânico - CEP 71.680-362 Fone/fax: (61) 3335 3584 / 9666 2947 Email: companheirosdoverde@gmail.com dircompanheirosdoverde@gmail.com Direção Geral: Olga Christina Pedra Direção Administrativa e Financeira: Evelynne Pedra Jornalista Responsável: Helen Assumpção - Registro nº: 7618/DF Projeto Gráfico / Diagramação: Sérgio Linhares

Brasília - Presidente Lula fala durante solenidade comemorativa aos 37 anos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) (José Cruz/ABr)

DEBATE

Helen Assumpção

O alimento nosso de cada dia

A

companhando a tendência mundial, o brasileiro passou a consumir mais alimentos de teor gorduroso e fast foods, e tem se tornado cada vez mais sedentário. É o que aponta um estudo do Ministério da Saúde realizado no ano passado com 54.367 entrevistados. Umas das explicações é a mudança no estilo de vida da população, como exemplo, a redução do número de pessoas que almoçam em casa e que acabam procurando alimentos mais práticos que, em sua maioria, são mais gordurosos, como os pré-cozidos e enlatados. Nesse universo de gorduras nocivas à saúde há um ponto positivo para se comemorar: a redução em 15,8% do consumo de carnes vermelhas gordurosas ou pele de frango. Em 2006, 39,2% dos adultos comiam carnes com excesso de gordura e em 2009, caiu para 33%. Se não bastasse a má alimentação, o brasileiro ainda convive com o sedentarismo. A prática de exercícios aliada a uma alimenta- ç ã o adequada contribui para a prevenção de doenças cardiovasculares, diabetes, câncer e hipertensão. E o melhor, se ganha muita disposição e energia para realizar as atividades diárias. Mas o impressionante é que apenas 14,7% dos adultos fazem atividades físicas com regularidade (30 minutos diários, cinco vezes por semana)! Como mudar isso? Mudando hábitos. Se deslocar para o trabalho ou faculdade a pé ou de bicicleta; descer escadas ao invés de elevador; brincar com as crianças no parque mais vezes e gastar energia; pular corda; cortar a grama do jardim. Existem muitas opções, escolha todas. Boa saúde.

Contatos para consultas sobre espaço publicitário: dircompanheirosdoverde@gmail.com Colaboradores: André Gubert e Leonardo Barreto. Webmaster: Felipe Gelbcke Fontes de pesquisas: Ag. Câmara, Ag. Senado, Ag. Brasil, Embrapa, Adasa e Ministério do Meio Ambiente.

A imagem do Tatu-canastra no quadro Vida em Extinção pág. 8 pertence ao Banco de Imagens do Ibama-CNIA. Distribuição gratuita: Órgãos do GDF, Administração do Lago Sul, Administração do Jardim Botânico, Câmara Legislativa, Câmara Federal e Senado, Esplanada dos Ministérios, Campus do Uniceub, Rodoviária do Plano Piloto e locais de grande circulação em Brasília e na cidade de Goiânia. *Os artigos assinados não traduzem a opinião do jornal ‘Companheiros do Verde’.

Foto: Jesse Vieira

2

$*(1'$(&2/Ï*,&$ 0$,2 3

Dia Mundial do Solo Dia do Pau-Brasil

5 7 8 10 11 13

Dia Internacional do Sol Dia do Campo Dia Nacional das Montanhas Limpas Dia Mundial das Aves Migratórias Dia do Guia de Turismo Dia da Mãe Natureza Dia do Zootecnista


Companheiros do

VERDE

&RPLVVmRDSURYDPHWDSDUDSURGXomRGHHQHUJLDVDOWHUQDWLYDV

A

ComissĂŁo de Desenvolvimento EconĂ´mico, IndĂşstria e ComĂŠrcio da Câmara dos Deputados aprovou, no dia 28 de abril, o estabelecimento do prazo atĂŠ o ano de 2018 para que pelo menos 10% do consumo anual de energia elĂŠtrica no PaĂ­s sejam provenientes de fontes alternativas, como solar, eĂłlicae aquela produzida a partir da biomassa. Atualmente, segundo a AgĂŞncia Nacional de Energia ElĂŠtrica (Aneel), essas fontes representam 6,18% da matriz de energia elĂŠtrica do Brasil, dominada pela produção hidrelĂŠtrica (68,09%). O dado da Aneel nĂŁo inclui a energia solar, cuja produção ĂŠ considerada insigniďŹ cante, sendo usada quase exclusivamente no aquecimento de ĂĄgua. Consumidor livre A medida estĂĄ prevista no Projeto de Lei 3986/08, do senador Renato Casagrande (PSB-ES), que recebeu parecer favorĂĄvel do relator, deputado Dr. Ubiali (PSB-SP). Conforme o texto aprovado, cada distribuidora e cada consumidor livre deverĂĄ comprovar anualmente ao poder concedente, no caso o MinistĂŠrio de Minas e Energia, o cumprimento da meta, conforme escalonamento que serĂĄ previsto na regulamentação do dispositivo. Consumidor livre ĂŠ aquele que, atendido em qualquer tensĂŁo elĂŠtrica, tenha exercido a opção de compra de energia elĂŠtrica, conforme as condiçþes previstas na Lei 9074/95. FĂĄbricas, shoppings e indĂşstrias que estĂŁo enquadrados nesta categoria, por exemplo, podem hoje escolher de quem comprar energia.

B

3DUD*UHHQSHDFHJHUDomRGHHQHUJLDOLPSDSUHFLVDFUHVFHUDLQGDPDLVQRSDtV

rasĂ­lia – Apesar de ter apresentado no ano passado o maior Ă­ndice de energia gerada por fontes renovĂĄveis dos Ăşltimos 18 anos, o Brasil ainda precisa avançar na geração de energia limpa, de acordo com a organização nĂŁo governamental (ONG) Greenpeace. Para o coordenador da campanha de energias renovĂĄveis da ONG, Ricardo Baitelo, apesar de positivo, o aumento da participação de energias renovĂĄveis na matriz brasileira nĂŁo pode ser considerado signiďŹ cativo. O balanço energĂŠtico nacional, divulgado pela Empresa de Pesquisa EnergĂŠtica (EPE), mostra que as fontes renovĂĄveis de energia, que incluem a geração por meio de hidrelĂŠtricas, biomassa e produtos da cana-de-açúcar, foram responsĂĄveis por 47,3% da geração de energia no paĂ­s no ano passado, o maior Ă­ndice desde 1992. Baitelo disse que o resultado estava previsto, jĂĄ que em 2008 houve um acionamento muito grande de termelĂŠtricas fĂłsseis, que diminuiu no ano passado devido Ă grande quantidade de chuvas, que permitiram o maior uso de energia gerada pelas hidrelĂŠtricas. Uma das maiores bandeiras defendidas pelo Greenpeace na ĂĄrea energĂŠtica ĂŠ a necessidade de aumentar o uso de energia eĂłlica no Brasil, considerado por Baitelo ainda pequena. Ele lembra que o governo irĂĄ realizar um leilĂŁo de energias renovĂĄveis ainda no primeiro semestre deste ano, mas as usinas movidas a vento vĂŁo demorar para entrar em operação. “Ainda vai levar um tempo apĂłs o leilĂŁo para que essas novas eĂłlicas sejam construĂ­das e terem um papel signiďŹ cativo na matriz brasileiras, como jĂĄ acontece em outros paĂ­sesâ€?, aďŹ rmou. Segundo a EPE, a participação de energia eĂłlica na matriz elĂŠtrica do paĂ­s seguiu a tendĂŞncia dos Ăşltimos anos, crescendo 5,1% em 2009 em relação ao ano anterior. Mesmo assim, essa fonte correspondeu a 0,2% do total de energia gerada no ano passado. Na opiniĂŁo do presidente do Instituto Acende Brasil, Claudio Sales, “a matriz elĂŠtrica brasileira ĂŠ de deixar qualquer paĂ­s orgulhoso no atual cenĂĄrio mundialâ€?. Segundo ele, o Brasil ĂŠ um dos paĂ­ses com a matriz elĂŠtrica mais limpa do mundo, graças ao seu potencial hidrelĂŠtrico, mas ainda precisa de energia tĂŠrmica para que nĂŁo ďŹ que totalmente sujeito Ă s oscilaçþes climĂĄticas. “O Brasil ĂŠ um dos poucos paĂ­ses do mundo que tem o privilĂŠgio de poder fazer as melhores escolhas sem ter que botar a carapuça de grande poluidor global, muito pelo contrĂĄrioâ€?, avalia. Segundo Sales, nĂŁo ĂŠ possĂ­vel gerar a quantidade de energia necessĂĄria para o crescimento do paĂ­s apostando apenas em fontes alternativas. “Se o Brasil precisa ter 3,5 mil megawatts novos de energia por ano, ĂŠ claro que ĂŠ inviĂĄvel imaginar isso sendo produzido apenas com painĂŠis solares ou com energia eĂłlica. Essas energias sĂŁo complementares e tĂŞm sua inserção viabilizadas em situaçþes especĂ­ďŹ cas. NĂŁo se deve imaginĂĄ-las como capazes de suportar a expansĂŁo da demanda de energia que o Brasil tem para poder suportar o ritmo de crescimento da nossa economiaâ€?, disse.

B

*RYHUQRTXHUIDFLOLWDUOLFHQFLDPHQWRVDPELHQWDLVSDUDD&RSDGH

rasĂ­lia – Os ministĂŠrios do Esporte e do Meio Ambiente jĂĄ assinaram acordo de cooperação para criar uma agenda sustentĂĄvel para a Copa do Mundo de 2014. O objetivo ĂŠ facilitar o licenciamento ambiental dos empreendimentos prioritĂĄrios dos eventos esportivos, evitando impasses que atrasem as obras. O acordo foi assinado pelo ministro do Esporte, Orlando Silva e a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. Entre as açþes previstas no termo de cooperação estĂŁo a exigĂŞncia de certiďŹ cação ambiental dos projetos de reformas de estĂĄdios para tomar emprĂŠstimos com o Banco Nacional de Desenvolvimento EconĂ´mico e Social (BNDES), a preocupação com meios de transporte mais limpos e a utilização de produtos orgânicos. Um grupo de trabalho ďŹ carĂĄ responsĂĄvel pela elaboração de uma agenda com propostas de polĂ­ticas sustentĂĄveis para a Copa e para as OlimpĂ­adas, em 2016. O grupo tambĂŠm vai buscar parcerias para aproveitar experiĂŞncias bem-sucedidas em ediçþes anteriores. Fazem parte do grupo de trabalho os representantes do MinistĂŠrio do Meio Ambiente, MinistĂŠrio do Esporte, Ibama, Instituto Chico Mendes, AgĂŞncia Nacional de Ă guas, entre outros.

Ano I.: Nº 11 – 1ª Quinzena

3

3ROtWLFDVXVWHQWiYHO 2FDQGDQJRTXHILFRXSHORFDPLQKR Leonardo Barreto – Cientista Político e autor do blog www.casadepolitica.blogspot.com

A

pergunta que mais se ouviu nos debates que marcaram o cinqĂźentenĂĄrio de BrasĂ­lia foi se, no ďŹ nal das contas, a nova capital havia cumprido seu papel. HĂĄ muitas maneiras de respondĂŞ-la, dependendo do que se deseja focar. Mas ĂŠ inevitĂĄvel notar que pelo menos uma promessa preciosa foi quebrada durante o caminho: a aproximação deďŹ nitiva entre o povo e o Estado. Quando vemos fotos da construção, sempre encontramos os candangos suados cortejados por um JK extremamente elegante. Por mais que o matuto e o polĂ­tico fossem bem diferentes, o fato ĂŠ que elas se complementavam. Ambos sentiam-se a vontade ao lado do outro. Parecia que havia uma conciliação em curso, representada de forma poĂŠtica nos canteiros de obra de BrasĂ­lia. Infelizmente, nĂŁo foi essa a imagem que ďŹ cou da capital. O golpe militar castrou o sonho brasiliense e consagrou as praças vazias, ao invĂŠs da animadas serestas dos peĂľes. O candango ďŹ cou perdido pelo caminho.

Foto: JessĂŠ Vieira

0(8%5$6,/ Maio 2010

Glossårio Ambiental Aeração do solo A presença de ar no solo Ê de importância fundamental para a vida das årvores. Todas as partes das årvores necessitam de oxigênio para a respiração. Quanto mais poroso e solto o solo, melhor a aeração.


,17(51$&,21$/

4

Companheiros do

Ano I.: Nº 11 – 1ª Quinzena

VERDE

0DQFKDQHJUDQR*ROIRGR0p[LFRSRGHUiVHWRUQDUDPDLRUFDWiVWURIH HFROyJLFDGRV(VWDGRV8QLGRV

O

afundamento da plataforma petroleira Deepwater Horizon, do grupo britânico BP, no dia 22 de abril, já ameaça a costa da Louisiana e Flórida, santuários de fauna especialmente aves marinhas e uma área de grande atividade pesqueira e turística. Os danos causados pelo vazamento são considerados sem precedentes na história do país e colocam em perigo a subsistência de milhares de americanos que ali residem e trabalham. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em visita à área afetada pelo vazamento, afirmou que a petrolífera BP é claramente responsável pelo grande vazamento de petróleo e deverá pagar pelas ações de limpeza. A plataforma ‘Deepwater Horizon’ continha 2,6 milhões de litros de petróleo armazenados e extraía cerca de 1,27 milhão de litros por dia. O presidente da petrolífera BP nos Estados

B

Unidos, Lamar McKay, disse estar utilizando todos os recursos a sua disposição para tentar vedar o poço submarino. Já o Secretário do Interior dos EUA, Ken Salazar, disse que uma solução definitiva poderá demorar três meses para ser obtida. Cronologia dos últimos desastres petrolíferos nos EUA: UÊ7 de novembro de 2007 – cargueiro sul-coreano Cosco Busan: foram derramadas mais de 132 toneladas de petróleo, num choque contra a base da ponte que une San Francisco à cidade Oakland, em decorrência de um nevoeiro. UÊ23 de janeiro de 2010 – colisão de duas embarcações que transportavam petróleo e um navio guindaste, causou o vazamento de 1.700 toneladas de petróleo em Port Arthur, a 150 quilômetros de Houston.

%UDVLOVHGLDUiIyUXPTXHEXVFDILPGDGLVFULPLQDomRDPXoXOPDQRVHODWLQRV

rasília – No fim deste mês, o Rio de Janeiro será o centro de uma série de discussões que dominam os debates na comunidade internacional. Em pauta, o tratamento discriminatório a muçulmanos e latinos nos países desenvolvidos, além da busca de um acordo de paz que encerre o impasse entre palestinos e israelenses. É o 3º Fórum Mundial da Aliança de Civilizações, que será realizado de 27 a 29 de maio no Museu de Arte Moderna (MAM). “A ideia é buscar a definição de metas e concretização de ideias que funcionem como prevenção à violência e a eventuais conflitos futuros”, disse o coordenador do fórum, embaixador José Augusto Lidgren Alves. “Com isenção e equilíbrio, é possível concluir que as culturas desejam o mesmo – ser respeitadas. O antagonismo pode ser bom, mas é fundamental acabar com estereótipos.” Os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Evo Morales, da Bolívia, a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Kin-moon, e o primeiro-ministro espanhol, José Luis Zapatero, são algumas das autoridades esperadas para os debates. Delegações de 105 países e 15 organizações não governamentais já confirmaram presença. “O objetivo é definir ações concretas nos campos político e social nas áreas de juventude, educação, mídia e imigração”, disse o embaixador. “A iniciativa é permanente e existe há seis anos. Mas desde 2008 ficou decidido que uma vez por ano deve haver uma reunião geral.” Em meio aos debates na Europa – França, Bélgica e Itália – a proibição dos trajes femininos muçulmanos e as queixas das comunidades latinas em vários países desenvolvidos deverão dominar as discussões. Segundo Lidgren Alves, a preocupação das autoridades é que determinadas ações isoladas levem a um conflito de grandes dimensões e de difícil controle. “As diferenças podem se traduzir em conflitos e estes conflitos podem se tornar ainda mais intensos em decorrência de fanatismos e violência”, afirmou o embaixador brasileiro. “Durante os debates, no Rio, serão discutidos projetos comuns que podem minimizar essas reações buscando o envolvimento ainda maior dos países das Américas do Sul e Central.”

A

3URJUDPDEUDVLOHLURYDLDMXGDU+DLWLQDiUHDGHHQVLQRVXSHULRU

portaria do Ministério da Educação que institui o programa emergencial Pró-Haiti em Educação Superior foi publicada no dia 29 de abril no Diário Oficial da União. O objetivo é contribuir para a reconstrução do país, devastado por um terremoto que matou mais de 200 mil pessoas em janeiro. Consequência de um memorando de cooperação firmado em fevereiro pelos governos do Brasil e do Haiti, em Porto Príncipe, o programa vai apoiar a formação de recursos humanos e a reestruturação das instituições de ensino superior haitianas. A gestão é da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), da Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação e do Ministério das Relações Exteriores. Haverá cooperação acadêmica nas modalidades de graduação, graduação-sanduíche (quando parte do curso é concluída em outro país por meio de convênios entre instituições de educação superior), pós-graduação plena e pós-graduação-sanduíche. O programa também vai custear bolsas de mestrado e doutorado para estudantes haitianos no Brasil e cursos de português em universidades brasileiras, além de oferecer programas acadêmicos de curta duração para que professores e pesquisadores brasileiros possam ministrar cursos e seminários no Haiti.

Maio 2010 OMI estabelece indenização para acidentes de navios com cargas tóxicas A Organização Marítima Internacional, OMI, aprovou mudanças nas regras para lidar com acidentes envolvendo navios que transportam cargas tóxicas ou perigosas. O protocolo com o regulamento havia sido aprovado em 1996, mas foi ratificado por apenas 14 países, já que os demais não concordavam com as regras. Para facilitar a adesão de outros membros da organização, agora foram estabelecidas normas para indenizações em casos de acidentes. Caso haja danos causados por substâncias tóxicas ou perigosas, a compensação será pedida primeiramente ao dono do navio, em um limite de até US$ 172,5 milhões. O secretário-geral da OMI, Efthimios Mitropoulos, disse que ficou satisfeito com o resultado das negociações e espera que as regras sejam adotadas pelo maior número possível de países. A organização trabalha para diminuir a poluição dos navios nos mares e também tenta diminuir a emissão de gases do efeito estufa pelas embarcações.


&,'$'$1,$ Maio 2010

Companheiros do

VERDE

Ano I.: Nº 11 – 1ª Quinzena

5

3HVTXLVDPRVWUDTXHFLGDGHVDLQGDQmRWrPELEOLRWHFDVPXQLFLSDLV

B

rasília - Pesquisa divulgada no dia 30 de abril pelo Ministério da Cultura revela que em 420 cidades brasileiras ainda não há bibliotecas municipais. O índice representa 7,54% dos 5.565 municípios em todo o país. O estado com o maior número de cidades sem esses espaços para leitura é o Maranhão (61). O 1º Censo Nacional das Bibliotecas Públicas Municipais foi realizado pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e encomendado pelo ministério. De acordo com o levantamento, em 79% das cidades há bibliotecas municipais em funcionamento. Em 12%, elas estão em processo de implantação e em 1%, em fase de reabertura. O estudo foi feito entre setembro e novembro do ano passado. Em 2007 e 2008, 660 cidades não tinham bibliotecas municipais. O perfil dos estabelecimentos indica uma média de 296 empréstimos por mês e uma frequência média de usuários de 1,9 vez por semana. A área física é de 177 metros quadrados,

em média, e a maioria das bibliotecas (99%) não abre durantes os finais de semana, só funciona de segunda à sexta, de manhã e de tarde. Os dados mostram ainda que 91% dos locais não oferecem serviços a pessoas com deficiência visual. O índice das bibliotecas que não dispõem de serviços para portador de necessidades especiais chega a 94%. Além disso, 88% dos estabelecimentos não têm nenhum tipo de atividades de extensão, como oficinas e rodas de leitura em escolas. Segundo a pesquisa, 64% das bibliotecas municipais do país têm computador, 39% têm televisão, 28% têm videocassete, 27% têm aparelho de DVD e 24% ainda usam máquina de datilografia. Entretanto, 25% delas não contam com nenhum desses equipamentos. Apesar do número razoável de estabelecimentos com computadores, nem a metade (45%) tem acesso à internet. Desses, apenas 29% prestam esse tipo de serviço aos usuários.

MAIS PR PRÁT CO DE O JEITO MAIS ÁTIIC O DE MA NTER SUA AIXA DE GORDURA M ANTE RS UA CA IXA D E GORDU OU FOSSA LIIMPA. MPA.

PRODUTO BIOLÓGICO • Elimina mau cheiro • Não é corrosivo • Fácil aplicação • Evita insetos • Evita entupimentos • Recupera o poder de permeabilidade de fossas e sumidouros Pontos de venda: Lago Sul: CIA DA TERRA - QI 15 - Bl E Lj 7/63, QI 29 - Bl A Lj 10 e QI 25 - Bl E Lj 21/66 . Lago Norte: CIA DA TERRA - QI 03/04 Conj. 2 Bl E Lj 6, QI 13 - Conj. 2 - Bl B Lj 7. Asa Norte: PHD - PRODUTOS DE HIGIENE E DESCARTÁVEIS - SHCN 314 - Bl C - Lj 25 Ss - FONE: 61-3340-2601 Leia mais, conheça e participe do COMPANHEIROS

DO VERDE também na Internet: www.companheirosdoverde.com.br

www.totallimp.com.br


Companheiros do

(175(9,67$

6

Ano I.: Nº 11 – 1ª Quinzena

VERDE

Maio 2010

Embrapa comemora lançamento de tecnologias

H

á muito que se comemorar além do 37º aniversário da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa celebrado no dia 26 de abril passado. A empresa acaba de lançar dois produtos inéditos no mercado brasileiro desenvolvidos pela Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, uma das 45 unidades da Embrapa. O primeiro é o inseticida biológico “Fim da Picada” que promete dar um fim às picadas de borrachudos que, além de doloridas podem causar alergias em seres humanos e animais. O produto é biológico e, portanto, inofensivo à saúde humana, de animais e ao meio ambiente, e capaz de controlar os borrachu-

dos, que são também vetores de doenças. O inseticida foi desenvolvido em parceria com a empresa do Distrito Federal, Bthek Biotecnologia, e já está em fase de registro, o que significa que deverá chegar ao mercado até o fim deste ano. O “Fim da Picada” é o quarto inseticida biológico resultante da parceria entre a Embrapa e a Bthek Biotecnologia. Em 2004, foi lançado o Sphaerus SC para controlar o mosquito da malária; em 2005 o Bt-horus eficaz contra o mosquito da dengue e em 2008, o “Ponto Final” para combater lagartas que atacam culturas agrícolas, como a soja, o milho e as hortaliças. Os primeiros três bioinseticidas já estão no mercado e vem sendo usados com sucesso em campanhas de saúde de diversos municípios brasileiros. O outro lançamento foi um produto para controle biológico de percevejos-praga da soja, que foi desenvolvido com base em estudos de comunicação entre os insetos. Na natureza, os percevejos se comunicam através de feromônios, principalmente cheiros, para se acasalar, demarcar território, avisar sobre a presença de predadores etc. Observando o comportamento desses insetos na natureza, os cientistas da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia conseguiram isolar esses feromônios em laboratório e inseri-los em pastilhas para serem usadas nas lavouras de soja. As pastilhas, que simulam a liberação de

feromônios, são colocadas nas culturas de soja, onde podem ficar por até 30 dias consecutivos. O objetivo é confundir os insetos e interromper a sua reprodução. Dessa forma, os produtores podem monitorar e controlar as populações de percevejos, reduzindo o uso de inseticidas químicos. O controle biológico de pragas contribui para a redução de defensivos químicos e aumento da produtividade das culturas agrícolas. O Brasil está entre os maiores produtores e exportadores de grãos no mundo e, por isso, é fundamental que esteja atento às demandas de mercado por produtos mais saudáveis e seguros. A tecnologia de feromônios para o controle biológico de pragas já está pronta. A Embrapa está selecionando parceiros para desenvolver produtos com perfil e características adequadas às demandas do mercado.


Maio 2010

22 CURSOS. VERDE

O MELHOR CENTRO UNIVERSITÁRIO * DO CENTRO-OESTE.

Ano I.: Nº 11 – 1ª Quinzena

INSCRIÇÕES ATÉ 25 DE MAIO NO SITE WWW.UNICEUB.BR PROVA 29 DE MAIO, SÁBADO, 18H.

* FONTE: INEP/MEC; MELHORES FACULDADES DO BRASIL - ED.ABRIL.

Companheiros do

7


Companheiros do

&2081,'$'(

8

Ano I.: Nº 11 – 1ª Quinzena

VERDE

Maio 2010

3DUTXHGR*XDUiJDQKDRUTXLGiULR

U

ma programação especial com apresentações artísticas e exposições marcou a inauguração do Orquidário no Parque Ecológico Ezechias Heringer (Parque do Guará), no dia 30 de abril. A construção do orquidário foi um dos projetos aprovados pela Comissão de Seleção e Avaliação do Programa Abrace um Parque, em novembro do ano passado. O evento é uma iniciativa do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) por meio da Diretoria de Administração de Parques da Superintendência de Gestão de Áreas Protegidas. Durante a inauguração houve o descerramento da placa do futuro museu e centro de pesquisa e educação ambiental Ezechias Heringer, o lançamento do cartaz comemorativo dos 50 anos de Brasília pelo Orquidário Nacional do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O Parque Localizado na QE 23, Área Especial do Guará II, ao lado do SESI, o Parque Ecológico Ezechias Heringer também é conhecido como “Parque do Guará”. Recebeu

0DUTXHQDDJHQGD 3URJUDPD6(6,&R]LQKD%UDVLOHPÈJXDV&ODUDV Desde o dia 3 de maio, o programa do SESI, Cozinha Brasil,está na Sede do Metrô da cidade. O programa surgiu em 2004 e desde então, oferece cursos gratuitos para todos aqueles que têm interesse em aprender a aproveitar melhor os alimentos e mudar os hábitos de vida de toda a família. O programa é uma tecnologia social para os problemas relacionados ao mau aproveitamento dos alimentos e a má alimentação. O objetivo principal do SESI Cozinha Brasil, é ensinar aos brasileiros a utilizarem melhor seus recursos naturais e mostrar que é possível se alimentar com qualidade sem gastar muito e principalmente sem tantos desperdícios. Aliás, este é um dos princípios básicos do programa, mostrar aos participantes que muito do que se joga fora, pode virar um prato muito saboroso e nutritivo. Por isso, sempre que possível, utiliza em suas receitas, aquilo que normalmente é dispensado, como talos, ascas, ramas, folhas e sementes. Os cursos são ministrados por nutricionistas, com carga horária de curta e média duração, tanto em unidades móveis como em unidades semi-fixas. O sucesso deste programa fez com que a cidade de Águas Claras ganhasse mais este presente para a comunidade. O SESI Cozinha Brasil é um dos modelos de investimento social privado, mais conhecido e respeitado do país e permite a articulação de diversos setores na garantia dos direitos dos cidadãos a uma alimentação mais saudável. Mais informações e inscrições, pelo telefone 3383-9612, falar com Fernanda.

BICHO AMIGO

o nome em homenagem ao pesquisador que identificou diversas espécies de orquídeas em todo o território do Distrito Federal. O local existe desde a década de 60, de acordo com o Relatório de Unidades de Conservação e Áreas Protegidas do Distrito Federal e do Plano Diretor do Parque do Guará. Após sucessivos decretos promovendo a destinação de áreas para o parque foi publicada a Lei n° 1826, de 13 de janeiro de 1998, que cria o Parque Ecológico Ezechias Heringer. Na área de 306.44 hectares do parque corre um trecho do Córrego do Guará, a mata ciliar de ambas as margens e áreas adjacentes. A mata de galeria encontra-se interrompida em diversos trechos, mas ainda compõe, em conjunto com as árvores exóticas plantadas na região, um maciço arbóreo. A mata é importante pela sua diversidade florística e pela sua ação como corredor ecológico para fauna entre duas Unidades de Conservação vizinhas ao Parque: a Reserva Ecológica do Guará e o Santuário de Vida Silvestre do Riacho Fundo. No parque já foram encontradas 51 espécies arbóreas, 72 espécies de orquídeas e 59 espécies de arbustos e ervas, incluindo espécies raras e quase extintas. Abrace um Parque O Programa foi criado em 2008 para garantir a implantação gradativa e planejada dos parques do Distrito Federal por meio de parcerias entre Governo, empresas públicas, instituições, organizações não-governamentais e voluntários. Até o momento, doze projetos foram aprovados e disponibilizarão mais de R$ 4 milhões em investimentos nos parques do DF.

&RQFXUVRVREUHELRGLYHUVLGDGHLQVFUHYHDWpGH VHWHPEUR

O

Ministério da Ciência e Tecnologia, o Museu de Ciências e Tecnologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, em parceria com Globinho e Megazine, lançam um concurso sobre a biodiversidade brasileira - já que 2010 é o Ano Internacional da Biodiversidade. O Brasil é um dos países com maior diversidade biológica no mundo. Com outras 16 nações, reúne 70% das espécies animais e vegetais do planeta. Os participantes serão divididos em duas categorias. A primeira, chamada Animais e plantas na ponta do lápis, é voltada a artistas de 7 a 12 anos e, nela, cada interessado pode concorrer com um desenho sobre a biodiversidade. Na segunda categoria, A biodiversidade por trás da câmera, jovens de 13 a 17 anos podendo enviar até três fotografias sobre o tema. A promoção faz parte das atividades da 7ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia e Inovação, que ocorre de 18 a 24 de outubro em todo o País, e tem como tema central Ciência para o desenvolvimento sustentável. Os trabalhos podem ser enviados até 1º de setembro (vale a data de postagem nos correios). Informações:

Site: www.museudavida.fiocruz.br/concursobiodiversidade E-mail: concursobiodiversidade@fiocruz.br

9,'$(0(;7,1d­2 TATU – CANASTRA

Meu nome é Brisa e sou uma pincher muito invocada, minha dona original é a Sarah mais quem me cria são meus avós. Gosto principalmente de ficar no pé do vovô e tenho ciúmes , meu iglu está sempre perto dele.

‡(QYLHDIRWRHDKLVWyULDGRVHX bicho amigo para companheirosdoverde@gmail.com

O

tatu-canastra (priodontes maximus) é mamífero e chega a medir até 1 metro de comprimento. Animal de hábitos noturnos, possui patas anteriores dotadas de garras enormes, a fêmea pode ter de 1 a 2 filhotes por parição. Pode ser encontrado na Floresta Amazônica e trechos de Mato Grosso, longe de zonas povoadas. Estão vulneráveis à extinção devido à caça para obtenção de carne e pelo desmatamento do habitat.

“É o sofrimento, e só o sofrimento, que abre no homem a compreensão interior.”

Gandhi


&,'$'$1,$ Maio 2010

Companheiros do

VERDE

,EUDPDUWLFXODHVWUDWpJLDVFRQWUDLQFrQGLRVIORUHVWDLV

O

Instituto Brasília Ambiental (Ibram, por meio da Coordenação de Prevenção e Controle de Riscos Ambientais (Copra), promoveu nos dias 28 e 29 de abril, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, o XII Fórum do Plano de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais do Distrito Federal. A iniciativa busca articular os diversos órgãos envolvidos no Plano de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais do DF com o objetivo de aperfeiçoar o emprego dos recursos disponíveis em ações de prevenção e combate a incêndios florestais em Unidades de Conservação, prioritariamente as Zonas Núcleo da Reserva da Biosfera do Cerrado – Fase I (Parque Nacional de Brasília, Jardim Botânico de Brasília, Estação Ecológica de Águas Emendadas, Reserva Ecológica do IBGE e Fazenda Água Limpa/UnB). O plano foi instituído pelo Decreto 17.431, de 11 de junho de 1996, para minimizar os impactos dos incêndios provocados pelo homem nos remanescentes de Cerrado no Distrito Federal. Em 12 anos de existência do plano, foram realizadas atividades como, por exemplo, formação de brigadas voluntárias das áreas prioritárias; atividades de educação ambiental em escolas; manutenção de aceiros; aquisição de equipamentos para as brigadas voluntárias; ações de combate a incêndios florestais com integração entre os órgãos envolvidos; edições do Fórum do Plano (que discute o tema com a comunidade) e produção de material gráfico informativo.

C

(0$7(5')EXVFDPHOKRULDGDSURGXomRGHKRUWDOLoDV

omo otimizar a produção de hortaliças e frutas, proporcionando mais qualidade dos alimentos e mais renda para o agricultor? Esse é o objetivo da EMATER-DF ao elaborar o Plano de Desenvolvimento Sustentável da Cadeia de Hortaliças no DF. De acordo com o coordenador do plano, Francisco Antonio Câncio de Matos, a ideia é desenvolver um instrumento que proporcione uma visão global do agronegócio de hortaliças no DF. “A partir desse trabalho, vamos encontrar soluções para os problemas identificados”, aponta. A meta principal é organizar a cadeia produtiva de olericultura. Entre os objetivos do plano, estão: melhorar a qualidade dos serviços; garantir segurança alimentar e nutricional; harmonizar as relações entre os setores. Para a elaboração do documento, a EMATER-DF adotou uma metodologia participava. São 31 órgãos dos governos federal e local envolvidos, além de associações e cooperativas de produtores. Ao todo, foram realizadas 10 oficinas, com participação de aproximadamente 300 agricultores. “O trabalho envolve desde a produção até a mesa do consumidor”, observa Câncio. O plano executivo será colocado em prática por meio de um comitê gestor, com representantes de todos os elos da cadeia produtiva. Fazem parte do grupo fornecedores de insumos, máquinas e serviços, integrantes do setor produtivo e agroindústrias, mercados atacadistas e varejistas, dos sistemas organizacional, institucional e sistema Sebrae e Senar. A produção de hortaliças no DF movimenta R$ 185 milhões por ano. São 4,5 mil produtores, dos quais 80% são agricultores familiares. A olericultura gera 30 mil empregos diretos e 10 mil indiretos e produz 161 mil toneladas de alimentos ao ano.

O

/DJR1RUWHJDQKDPDLVXPD$FDGHPLDGD0HOKRU,GDGH

s moradores do Lago Norte já podem usufruir de mais uma Academia da Melhor Idade, no Setor de Mansões, MI 07/08. Está é a quinta academia ao ar livre voltada para os mais experientes. As demais Academias da Melhor Idade estão localizadas no Parque Vivencial II – SHIN QL 02, no SHIN QI/QL 03/04, QI 16 e Setor Habitacional Taquari. O projeto foi lançado em novembro de 2008, uma parceria entre o GDF, representado pela Administração do Lago Norte, e o empresariado local. Outras benfeitorias A Administração Regional do Lago Norte informa mais benfeitorias para os habitantes do bairro. Recentemente, a QL/QI 02 da Península Norte recebeu o início da obra de recapeamento asfáltico, realizada pela Novacap, na via que liga os conjuntos. Já o Setor de Mansões e os Núcleos Rurais são contemplados com a restauração da DF- 005, desempenhada pelo DER, que vai da Península Norte à Barragem do Paranoá. A demanda é uma reivindicação antiga da comunidade. As obras do trecho já estão em fase de conclusão.

Ano I.: Nº 11 – 1ª Quinzena

9

3UrPLR-RYHP&LHQWLVWDUHFHEH LQVFULo}HVDWpGHMXQKR

O

24º Prêmio Jovem Cientista promovido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT) tem como tema Energia e Meio Ambiente – Soluções para o Futuro está com as inscrições abertas até 30 de junho e, irá premiar cinco categorias: graduado, estudante de ensino superior, ensino médio e orientador e mérito institucional. Há ainda uma menção honrosa para um pesquisador com título de doutor que se destaque por sua trajetória na área relacionada ao tema do prêmio. Ele é indicado pelas sociedades científicas selecionadas previamente pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT). O regulamento do prêmio e a ficha de inscrição estão disponíveis no site www. jovemcientista.cnpq.br Os interessados devem se inscrever até o dia 30 de junho. Na categoria Estudante do Ensino Médio a inscrição pode ser feita pelos Correios. Já nas demais categorias a inscrição deve ser feita pelo site do prêmio ou também pelos Correios.

O Prêmio O objetivo do Prêmio Jovem Cientista, uma iniciativa do CNPq, da Gerdau e da Fundação Roberto Marinho, é buscar, por meio dos diferentes temas abordados a cada ano, soluções simples e acessíveis para problemas diretamente ligados à população. Nesta edição, o foco será o estudo, desenvolvimento e uso de energias alternativas, estimulando a produção e o consumo dessas fontes de energia de uma maneira sustentável.

Glossário Ambiental Acidentes da navegação Naufrágio, encalhe, colisão, abalroação, água aberta, explosão, incêndio, varação, arribada e alijamento; avaria ou defeito no navio ou nas suas instalações que ponha em risco a embarcação, as vidas e fazendas de bordo


Companheiros do

6$Ă“'((%(09,9(5

10

Ano I.: Nº 11 – 1ª Quinzena

VERDE

9RFrpRTXHYRFrFRPH

Maio 2010

DICAS DE OFTALMOLOGIA <ebfZl^\hih]^\ZnlZk ikh[e^fZlh\neZk^l

O

s seres humanos sĂŁo formados por cerca de 100 trilhĂľes de cĂŠlulas, sendo que 50 milhĂľes destas sĂŁo renovadas todos os dias. Essas cĂŠlulas sĂŁo formadas por nutrientes e ďŹ toquĂ­micos que sĂŁo fornecidos pela nossa alimentação e ĂŠ exatamente a qualidade dessa matĂŠria-prima que irĂĄ determinar o resultado, bom ou ruim, do novo tecido formado. Dessa forma, uma alimentação inadequada pode gerar desequilĂ­brios funcionais, causados por carĂŞncias nutricionais, sobrecarga do sistema imunolĂłgico e diminuição da capacidade do organismo de eliminar toxinas. Esses desequilĂ­brios funcionais podem gerar sintomas fĂ­sicos (como constipação, diarrĂŠia, azia, dor de cabeça, cansaço, dores musculares, queda de cabelo, lĂ­ngua branca, aftas, infecçþes recorrentes, anemia, calafrios, tonturas e coordenação motora alterada), mentais (falta de concentração, de memĂłria, hiperatividade mental) e emocionais (ansiedade, depressĂŁo, irritabilidade). A manutenção desses desequilĂ­brios propicia o desenvolvimento das doenças crĂ´nico-degenerativas, como o diabetes, as dislipidemias (colesterol e triglicĂŠrides alto) e a obesidade. A alimentação balanceada, variada e adequada em vitaminas e minerais ĂŠ essencial para manter o corpo saudĂĄvel, juntamente com

outros aspectos. O meio no qual o indivĂ­duo vive, a poluição ambiental, o estresse (fĂ­sico, mental e emocional), o tipo de trabalho que exerce, a exposição Ă substâncias tĂłxicas, entre outros fatores, podem interagir com o organismo e inďŹ&#x201A;uenciar o seu funcionamento. Dessa forma, a saĂşde nĂŁo ĂŠ apenas a ausĂŞncia de doenças, mas sim o equilĂ­brio e bem estar fĂ­sico, mental e social. EnďŹ m, a alimentação tem a incrĂ­vel capacidade de prevenir e combater doenças ou de contribuir para o seu desenvolvimento. Diversos alimentos funcionais sĂŁo capazes de diminuir o risco de desenvolvimento de doenças como as do coração e o câncer, por exemplo, aumentar a disposição e a qualidade de vida. Assim como o consumo de determinados alimentos por uma pessoa pode aumentar o risco de inďŹ&#x201A;amação, alergia e desenvolvimento de doenças. Dessa forma, cabe a vocĂŞ decidir como quer viver sua vida daqui em diante... VocĂŞ ĂŠ resultado do que come e de como vive! Artigo escrito por Juliana Pompeu CRN/1 2478, nutricionista da Academia Boca Especializada em Nutrição Esportiva Funcional pela Universidade Ibirapuera â&#x20AC;&#x201C; SP/ Centro ValĂŠria Paschoal de Ensino e Pesquisa, em 2006. Graduada em Nutrição pela Universidade de BrasĂ­lia â&#x20AC;&#x201C; UnB, em 2002. Atendimento clĂ­nico-nutricional desde 2002.

Oba Hortifruti oferece: )DoDHPFDVD Receita da Farinha da casca do

Sabores saudĂĄveis! MARACUJĂ O maracujĂĄ ĂŠ uma fruta fonte de vitaminas A, C e do complexo B. AlĂŠm disso, apresenta boa quantidade de sais minerais como , ferro, sĂłdio, cĂĄlcio e fĂłsforo. Sua folhas ainda possuem propriedades que funcionam como calmante natural. A casca do maracujĂĄ transformada em farinha tambĂŠm traz EHQHItFLRVHODpULFDHPXPDVXEVWDQFLDFKDPDGDSHFWLQDXPDÂżEUD VRO~YHOTXHQRQRVVRRUJDQLVPRIRUPDXPJHOGLÂżFXOWDQGRDDEVRUomR de carboidratos, glicose e, tambĂŠm das gorduras. Portanto, tem efeitos SRVLWLYRVQDGLPLQXLomRGRQtYHOGHFROHVWHUROWULJOLFHUtGHRVQRERP funcionamento do sistema gastrointestinal, e atĂŠ mesmo no tratamento da diabetes. Ideal tambĂŠm para quem deseja perder peso. A farinha da casca do maracujĂĄ pode ser usada em sucos, vitaminas, frutas amassaGDVVRSDVFDOGRGHIHLMmRHWF

109 Sul...............61.3242-1736 306 Norte...........61.3349-9575 209 Norte...........61.3038-8159 302 Sudoeste......61.3341-4588 4,/DJR6XO61.3364-2625

MaracujĂĄ Lave os maracujĂĄs inteiros, depois de bem enxaguados em ĂĄgua corrente, corte-os, retire a polpa e sementes(use-as para fazer suco), deixando apenas a casca. Coloque numa assadeira e leve ao forno a casca inteira ou cortada em pedacinhos, coloque no forno PpGLRSRUFHUFDGHPHLDKRUDPH[HQGRGHYH]HPTXDQGRPDVÂżTXH GHROKRSDUDQmRTXHLPDU4XDQGRDVFDVFDVHVWLYHUHPPDUURQ]LQKDV e bem enrugadinhas, apague o forno. Deixe esfriar um pouco e bata QRPXOWLSURFHVVDGRUVHPQHQKXPOtTXLGRVHÂżFDUJUXPRVSDVVHSHOD peneira. Pode ser misturado ao prĂłprio suco da polpa.

Ligou, o Oba leva para vocĂŞ! Ligue para as nossas lojas HIDoDVHXSHGLGRSHOR DELIVERY

Baixa umidade do ar aumenta a evaporação da lĂĄgrima e ocasiona a SĂ­ndrome do Olho Seco (P%UDVtOLDKiDSHQDVGRLVSHUtRGRVFOLPiWLFRVRVHFRH RFKXYRVR(PDEULODVWHPSHUDWXUDVFRPHoDPDFDLUj QRLWHHDXPLGDGHGRDUILFDDEDL[RGRV$VHFXUD GXUDDWpVHWHPEURTXDQGRDXPLGDGHDWLQJHRVQtYHLV PDLV EDL[RV EHLUDQGR  $OpP GH UHVVHFDU D SHOH SURYRFDU GRUHV GH FDEHoD H VDQJUDPHQWR QR QDUL] R FOLPDVHFRSRGHDXPHQWDUDHYDSRUDomRGDOiJULPDH FDXVDUD6tQGURPHGR2OKR6HFR ´22OKR6HFRpDVHJXQGDPDLRUFDXVDGHDWHQGLPHQWR QRV FRQVXOWyULRV RIWDOPROyJLFRV GHSRLV GH UHIUDomR H TXDQGRQmRGLDJQRVWLFDGDHFRUUHWDPHQWHWUDWDGDSRGH HYROXLU SDUD OHVmR GD VXSHUItFLH RFXODU H HP DOJXQV FDVRV DWp j SHUGD GD YLVmRÂľ H[SOLFD R RIWDOPRORJLVWD +LOWRQ0HGHLURVGD&OtQLFDGH2OKRV-RmR(XJrQLR1R %UDVLO HVWLPDVH TXH FHUFD GH  PLOK}HV GH SHVVRDV VRIUHPFRPDGRHQoD 2ROKRVHFRpXPDGRHQoDFU{QLFDFDUDFWHUL]DGDSHOD GLPLQXLomRGDSURGXomRGDOiJULPDRXGHILFLrQFLDHP DOJXQVGHVHXVFRPSRQHQWHVRXVHMDSRXFDTXDQWLGDGH RXPiTXDOLGDGHGDOiJULPD2VVLQWRPDVVmRGHDUGRU LUULWDomRVHQVDomRGHDUHLDQRVROKRVGLILFXOGDGHSDUD ILFDUHPOXJDUHVFRPDUFRQGLFLRQDGRRXHPIUHQWHGR FRPSXWDGRUHROKRVHPEDoDGRVDRILQDOGRGLD $GRHQoDHVWiUHODFLRQDGDjH[SRVLomRDGHWHUPLQDGDV FRQGLo}HV GR PHLR DPELHQWH FOLPD SROXLomR  LGDGH DYDQoDGD PHQRSDXVD QDV PXOKHUHV PHGLFDPHQWRV DQWLKLVWDPtQLFRV DQWLKLSHUWHQVLYRV DQWLGHSUHVVLYRV  XVRLQFRUUHWRGHOHQWHVGHFRQWDWRWUDXPD TXHLPDGXUDV WpUPLFD H TXtPLFD  GRHQoDV UHXPDWROyJLFDV H RXWUDV GRHQoDVGRVLVWHPDLPXQROyJLFR 3HQILJyLGHVtQGURPH GH6WHYHQV-RKQVRQ  ´(PERUD SDUHoD XP DERUUHFLPHQWR LQRIHQVLYR D 6tQGURPH GR 2OKR 6HFR p SRWHQFLDOPHQWH VpULD SRLV SRGHFDXVDUSURFHVVRLQIODPDWyULRFU{QLFRSHUSHWXDQGR DIDOKDGDOXEULILFDomRSHORVFRPSRQHQWHVGDOiJULPD HVVHQFLDOSDUDDPDQXWHQomRGDYLWDOLGDGHGDVFpOXODVGD VXSHUItFLHRFXODUÂľHVFODUHFHRRIWDOPRORJLVWD2GLVW~UELR SRGHSURGX]LUiUHDVVHFDVVREUHDFRQMXQWLYDHFyUQHDR TXHIDFLOLWDRDSDUHFLPHQWRGHOHV}HV oferecimento: Centro MĂŠdico de BrasĂ­liaÂ&#x2021;6XOÂ&#x2021; EdifĂ­cio SabinÂ&#x2021;6XOÂ&#x2021; PĂĄtio Brasil ShoppingÂ&#x2021;7pUUHRÂ&#x2021; Gilberto SalomĂŁoÂ&#x2021;/DJR6XOÂ&#x2021; Churrascaria PorcĂŁoÂ&#x2021; AtualÂ&#x2021;6KRSSLQJ,JXDWHPLÂ&#x2021; MagrellaÂ&#x2021;/DJR6XOÂ&#x2021;

â&#x20AC;&#x153;Quem busca a verdade, quem obedece a lei do amor, nĂŁo pode estar preocupado com o amanhĂŁ.â&#x20AC;?

Gandhi


Companheiros do

(175(7(1,0(172 Maio 2010

VERDE

11

Ano I.: Nº 11 – 1ª Quinzena

CURIOSIDADES DA GASTRONOMIA

E

A História da mostarda

xistem referências que sementes de mostarda eram utilizadas na alimentação desde a era da pré-história. Historiadores acreditam que o alimento foi cultivado pela primeira vez em Portugal, cerca de 3.000 a.C., podemos também encontrar citações na Bíblia. Os gregos usaram-na tanto para condimento como na medicina, o matemático e cientista Pitágoras (Séc. V a.C.) prescrevia para picadas de escorpião, o médico Hipócrates (Séc. IV a.C.) também a usou como um remédio. A palavra mostarda provém do latim em uma contração das palavras mustum ardens, que faz uma referência a um mosto (sumo de frutas com alto teor de açúcar geralmente utilizado para fermentação, como a uva) ardente.

,QJUHGLHQWHV

QKDGHWULJR ‡ JGHIDUL WHLJDVHPVDO ‡ JGHPDQ O ‡ SLWDGDGHVD

DPHQWHIDWLDGDV ‡ FHERODVILQ WLDGRV LWRPDGXURV ID X P R m Q V WH D ‡ WRP MRHPPHQWDO ‡ JGHTXHL LMRQ RVWDUGDGHa' P H G D S VR a H ss G HV *Para m ‡ FROKHU

com André Gubert

andre.bistrot@gmail.com

Existem cerca de 40 espécies de mostarda como em folhas que é utilizada para saladas, refogados, entre outras receitas, e sua semente não é aproveitada para molhos de mostarda. Mostarda branca que produz sementes claras e é utilizada para produção de molho de mostarda amarela, mais comum no Brasil, e a mostarda de sementes pretas que é utilizada na produção de uma mostarda mais forte de cor marrom. A mostarda que conhecemos hoje, remonta da antiguidade de Roma, onde os italianos moíam as sementes e misturavam ao vinho, criando uma pasta que misturavam com diversos outros alimentos como carnes, pães entre outros. Os romanos trouxeram a mostarda para a Gália (atual região francesa), onde foi cultivada por monges, plantada nos vinhedos ao lado das uvas, onde a popularidade do condimento cresceu. Por volta do séc. IX, os mosteiros franceses adquiriram uma fonte de renda considerável com a comercialização do condimento. Já no séc. XIII, com o sucesso em toda França, a mostarda conquista seu maior admirador, o Papa João XXII, que pela paixão ao alimento, criou o cargo de “Grand Moutardier du Pape” (pessoa responsável pela confecção das mostardas do Papa) e nomeou para o cargo seu sobrinho que morava perto de Dijon, capital regional da Borgonha, cidade onde os Duques da Borgonha tinham suas residências. Em suas extravagâncias, os Duques requisitavam grandes quantidades de mostarda para suas festas, dessa forma, Dijon passou a produzir sua própria mostarda e no séc. XVIII, se tornaria o maior centro produtor de mostarda da França.


Companheiros do

(63$d2'$È*8$

12

VERDE

Ano I.: Nº 11 – 1ª Quinzena

3UrPLRGD$JrQFLD1DFLRQDOGDVÈJXDVWHP LQVFULo}HVDWpPDLR

Á

gua: o Desafio do Desenvolvimento Sustentável. Esse é o tema da terceira edição do Prêmio ANA 2010, que reconhece ações de governos, empresas, ONGs, pesquisa e inovação tecnológica, organismos de bacia, ensino e imprensa. Os interessados podem se inscrever, gratuitamente, até 31 de maio com iniciativas que estimulem o combate à poluição e ao desperdício e apontem caminhos para assegurar água de boa qualidade e em quantidade suficiente para o desenvolvimento e a qualidade de vida dos brasileiros. Para que vários públicos possam participar há sete categorias em disputa: Governo, Empresas, ONGs, Pesquisa e Inovação Tecnológica, Organismos de Bacia, Ensino, Imprensa. O Prêmio ANA 2010, que é concedido a cada dois anos, tem uma comissão julgadora composta de membros externos à Agência e com notório saber na área de recursos hídricos ou meio ambiente. Um representante da ANA preside o grupo, mas sem direito a voto. Os critérios de avaliação dos trabalhos levam em consideração os seguintes aspectos: efetividade; potencial de difusão/replicação; aderência social; originalidade; e impactos social, cultural e ambiental. Sendo assim, a comissão julgadora selecionará três iniciativas finalistas e a vencedora de cada uma das sete categorias, que serão conhecidas em solenidade de premiação marcada para 1º de dezembro próximo em local a ser definido. Os interessados podem enviar seus trabalhos pelo correio aos cuidados da Comissão Organizadora do Prêmio ANA 2010 no endereço: SPO, Área 5, Quadra 3, Bloco M, sala 222, Brasília-DF, CEP: 70610-200.

Glossário Verde

Bacia Depressão de forma variada ou conjunto de terras pouco inclinadas, podendo ser ocupada ou não por rios e lagos. Esta forma de relevo se opõe aos maciços, cadeias de montanhas, planaltos.

“O desejo sincero e profundo do coração é sempre realizado; em minha própria vida tenho sempre veriÀcado a certeza disto.

Gandhi

Maio 2010

Ano 1 número 11  

Informativo sobre o meio ambiente e cidadania