Page 1

MONTE CARMELO Província São José Revista da OCDS

Jul/Ago de de 2014 2014 -- N° N° 135 135 Jul/Ago

ENTREVISTA com Frei Pierino, OCD Pag. 04 CONGRESSO TERESIANO - Londrina Pag. 06 NOTÍCIAS das Comunidades Pag. 18

X - Encontro de Jovens da Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares Mira que te Mira Pag. 09

X I CONGRESSO DA OCDS N / NE

~

~

AS FLORES DA ORACAO

Pag. 13


SUMÁRIO

03 Entrevista 04 Congresso Teresiano 06 Entrevista 08 X Encontro de Jovens 09 XI Congresso N/NE 13 Notícias 18 Notícias 20 Notícias 20

Agosto - Mês Vocacional

DIA DO PADRE, ‘‘MEU DIA’’

FREI PIERINO ORLANDINI, OCD

Prezados leitores, Neste número, estamos dando destaque a três importantes eventos que ocorreram nesse período de julho e agosto de 2014: O X Encontro de Jovens da OCDS, ocorrido de 25 a 27/07 em Tremembé-SP, o Congresso Teresiano 2014, realizado em Londrina-PR, de 11 a 15/08, e o XI Congresso da OCDS Norte/Nordeste, acontecido em Fortaleza de 14 a 17/08. Além disso, nossa revista traz três entrevistas exclusivas com personalidades de destaque: Frei Pierino Orlandini, Delegado Provincial para a OCDS nas regiões Centro-Oeste e Sudeste; Frei Marcos Juchem, Definidor para a América La na e Caribe; e Frei Javier Sancho, Diretor do Centro Internacional Teresiano-Sanjuanista (Cites) - Universidade de la Mís ca, com sede em Ávila (Espanha). A revista contém ainda ar gos, no cias das comunidades, das a vidades dos conselheiros e informações sobre os próximos eventos da Província São José. Peço que divulguem e compar lhem o link de nossa revista, imprimindo em suas comunidades para os membros que não tem acesso à internet.

Boa leitura a todos! Abraços!!! Luciano Dídimo Presidente Provincial da OCDS – Província São José

2014 - LONDRINA

FREI FRANCISCO JAVIER SANCHO, OCD

2014 - TREMEMBÉ - SP

2014 - AS FLORES DA ORAÇÃO

COMUNIDADES

CONSELHEIROS EM MISSÃO

EVENTOS

MONTE CARMELO


Agosto - Mês Vocacional Dia do Padre, quer dizer, “meu dia!” Foi um dia muito especial ou, melhor, um tempo especial, quando Deus me olhou de maneira especial. Foram vários olhares ternos e amorosos e convincentes de Deus em minha vocação sacerdotal. Várias vezes Deus deu-me a entender que ser sacerdote de Cristo era o meu caminho. Insis u progressivamente, talvez para que deixasse de lado minha midez e minha pequenez, antes; mais tarde, para eliminar minhas dúvidas existenciais; ainda mais tarde, para fortalecer-me na decisão de seguir o chamado de Jesus, sempre misterioso, mas, aos poucos, sempre mais claro. Eu era ainda um menino, quando percebi os primeiros sinais de minha vocação especial. Foi um primeiro olhar especial, que mudou minha vida, pois me sen chamado, escolhido desde este primeiro “piscar de olhos” amoroso de Deus. Escolhido para servir, do jeito de Jesus Servo e Sacerdote! Eu era ainda tão pequeno, para discu r com Ele, com o próprio Deus, sobre o mistério do porque de sua chamada! Discu r com Deus? Tentei fazer perguntas a Ele, ao próprio Deus que me chamava a seguir deu Filho. E dá para discu r com Ele sobre sua vontade? Hoje penso – com certeza – que com Deus não se discute. Para Deus não se fazem perguntas sobre o porquê das coisas da vida. Ele sabe o porquê de tudo. O tempo foi passando e, na longa caminhada de estudos, oração, silêncio, discernimento e entrega, Jesus foi-me convencendo e Ele mesmo foi forjando em mim, sempre do seu jeito, uma alma de Apóstolo e quis que eu fosse um Profeta, um “outro Cristo”. Hoje, depois de 44 anos de grandes alegrias e realização, dificuldades, sofrimentos, desafios e lutas constantes, con nuo percebendo seu olhar convida vo que me chama de novo e me percebo dizendo a cada dia um novo “Sim”. Aqui, neste campo do Senhor, no Brasil, onde o próprio Deus me colocou, procuro semear o bem, com simplicidade, com palavras e gestos, e testemunhar com alegria o amor recebido, cumprindo o mandato de anunciar o seu Reino, com a força que me vem exclusivamente Dele, que me chamou para servir, consciente de minha pobreza e de sua graça – “minha graça te é suficiente!”- Ele me assegura -, e com a força da oração e do carinho do povo que o próprio Jesus me confiou. O mundo, isto é, a humanidade toda, crianças, jovens, adultos, idosos, os pobres, os pecadores, as famílias inteiras necessitam ou, melhor, não podem viver sem a presença do sacerdote, representante de Cristo, de suas mãos ungidas que perdoam, de suas palavras e gestos que encorajam e transmitem a graça do Sacramento, que levam a Palavra e a presença real do próprio Cristo. Deus me chamou para isso e o povo necessita de minha presença, para que tudo isso aconteça. Que graça! Aqui estou, indignamente, Senhor! Dá-me teu coração, teu amor, teus lábios, tuas mãos, tua sabedoria, teus pés, tua paixão, tua vida e faze de mim um fiel transmissor da vontade do Pai, que quer a salvação e a vida em abundância para todos. E que meu Sim pronunciado um dia alegremente, seja renovado ainda mais alegremente hoje, depois de infinitas provas de amor tuas e do povo que me confiaste, nas alegrias e nas lutas e dificuldades do dia a dia. Se o povo te agradece, Senhor, por esta “invenção” – a ins tuição do Sacerdócio Ministerial – a invenção mais preciosa e original do teu amor criador, eu, chamado a ser teu instrumento e canal de tua graça neste ministério, embora me reconheça um “canal meio furado”, te agradeço ainda mais, com imensa gra dão. Peço-te, Senhor Jesus, tua graça constante, para que eu seja fiel à missão que, com infinita misericórdia, a mim confiaste. Faze que minha existência se renove no dia a dia, tornando-me Evangelho vivo. Tu que me chamaste para o teu seguimento neste nosso tempo faze que eu, contemplando o teu rosto, saiba responder com alegria à maravilhosa missão que me confiaste, para o bem do povo e de todos os homens. Eu creio, Senhor, mas aumenta minha fé. Eu espero, Senhor, mas aumenta minha esperança. Eu amo, Senhor, mas aumenta meu amor. Amém.

Frei Pierino Orlandini - OCD

MONTE CARMELO

3


Entrevista

CD O , i n i d n a l r oO n i r e i te do Brasil P s e i O e o r r t n e C F / e Sudest a OCDS para o incial d

Delegado Prov

Em primeiro lugar, quero agradecer a oportunidade que você, Danielle, me oferece para eu poder apresentar-me aos que não me conhecem e, no mesmo tempo, responder às suas perguntas que, certamente, irão elucidar melhor tanto o papel do Delegado, quanto - o que é mais importante - as propostas de vida do Carmelita Descalço Secular na atualidade.

1. Gostaria que nos falasse um pouco sobre a sua historia de vida. Sua família, seu país de origem e como se tornou Frade Carmelita. Quais funções ocupou na Ordem? De qual gostou mais? Apresento-me: meu nome é Pierino Orlandini, sou frade Carmelita Descalço. Atualmente resido em Belo Horizonte na Casa “São João da cruz” e exerço a função de Delegado Provincial da OCDS no sudeste e Centro Oeste do Brasil. Nasci na Itália, num povoado de mais ou menos 3.000 habitantes, na Província de Viterbo, chamado CANEPINA, em 23 de outubro de 1944. Canepina é uma cidadezinha bem perto de Roma, em montanha, cercada toda ela do verde das castanheiras, oliveiras e aveleiras. Meus Pais, Maria e Felice, deram vida a seis filhos: três mulheres e três homens, todos vivos, graças a Deus. Eu sou o úl mo dos irmãos. Uma família simples e modesta, de princípios cristãos profundamente enraizados. Entrei no Seminário dos Carmelitas Descalços da Província Romana na Itália, em Anzio, nas cercanias de Roma, com apenas 12 anos, atraído pelo exemplo e pela alegria de vários Padres e estudantes de filosofia Carmelitas, presentes frequentemente na minha cidade, pois o convento deles distava apenas 15 quilômetros de minha cidade natal. Deus se serve de tudo para fazer sen r seu chamado! É claro que, sendo ainda criança, não nha bem claras as mo vações do meu “querer ser Padre” e, tanto menos, “ser Padre Carmelita”. Mo vações que foram-se esclarecendo, purificando e firmando durante o longo tempo de formação: seminário menor, seminário maior, Colégio de filosofia e Faculdade de teologia. Lembro ainda que, quando entrei para o Seminário de Anzio, acompanhado por meu pai, era a primeira vez que eu usava calça cumprida, a primeira vez que eu viajava de trem, a primeira vez que eu vi o mar (e fiquei deslumbrado!), a primeira vez que eu saia de casa e a primeira vez que me vi sozinho (depois da par da de meu pai) mesmo estando em companhia de uns 50 outros seminaristas! Mas tudo era novo, diferente demais, em comparação com meus costumes familiares! Não faltaram lágrimas na hora da despedida do meu pai! Mas Deus, em seu projeto misterioso e amoroso – agora eu vejo claro isso – soube sustentar minha fraqueza e me segurou, fazendo-me vencer os momentos di ceis de minha formação, até chegar- por causa de Deus e por sua graça – à Profissão solene (08 de dezembro de 1965) e à Ordenação Sacerdotal (17 de maio de 1970). Meus estudos e etapas forma vas fiz nos conventos da Província Romana. Teologia fiz na Faculdade Teológica dos Carmelitas Descalços – Teresianum - de Roma. Terminada a teologia, fui ordenado sacerdote por Paulo VI em 1970 e, um ano depois, exatamente o dia 14 de agosto de 1971, cheguei ao Brasil. E aqui estou – já se foram 43 anos – feliz e trabalhando neste campo do Senhor. E, olhando para trás, posso concluir, hoje com a intuição e o entendimento da fé, que Deus fez tudo bem, que em tudo Ele teve razão, embora meus planos fossem diferentes. Meu projeto pessoal era par r em missão à África, na atual República do Congo, projeto que alimentava correspondendo-me com um dos missionários da Província Romana que lá estava feliz e na espera de outros missionários. Mas Deus, que tem seus projetos, que nem sempre coincidem com os nossos, me surpreendeu com uma nova, inesperada proposta do Provincial da Província Romana, Frei Eduardo Raspini: BRASIL! Proposta que eu aceitei com tranquilidade e alegria. E aqui estou ainda, feliz. Funções exercidas: sinto-me feliz, não pelas funções jurídicas de responsabilidade exercidas na Província – na formação, como Mestre de noviços, na direção de casas, como superior, no governo da Província, como Provincial e na administração, como Ecônomo Provincial – mas pelo fato de poder ajudar a construir, como religioso simplesmente nossa “Província São José” do sudeste do Brasil. Sinto-me feliz sendo Carmelita (ainda aprendendo a sê-lo de modo autên co e coerente) e poder fazer parte desta grande Família, fundada por Santa Teresa, por aquilo que ela representa na Igreja de Cristo, pelo seu carisma contempla vo-apostólico, tão atual em nossos dias. E não me canso de agradecer o nosso Deus pelo dom da vocação. Quanto a gostar ou não gostar de funções exercidas, penso que tudo o que a gente faz com amor para o crescimento da própria família, mesmo contrariando as próprias tendências naturais, faz com que a gente se sinta bem, em qualquer função, pois está fazendo a vontade de Deus, que é o melhor que a gente pode fazer. Mas, posso confessar, com simplicidade, que o que mais me custou, por ser contrário à minha índole, ao meu jeito de ser (eu dizia: é contrário de mim!) foi o exercício da função de Ecônomo da Província. Mas tentei exercê-la com responsabilidade e como um serviço à Província, embora não me trouxesse nenhuma gra ficação humana.

4

MONTE CARMELO


Entrevista 2. Como se sente sendo designado para ser Delegado provincial do Sudeste e de que forma poderá ajudar as Comunidades Seculares? É com muita alegria que aceitei a designação como Delegado Provincial da OCDS, Os Carmelitas Descalços Seculares são irmãos e irmãs que amo muito, pois são membros da mesma Família a qual eu pertenço, que vivem com seriedade e alegria o carisma teresiano, que é meu também. Irmãos e irmãs que eu quero ajudar a crescer, a se tornarem fermento bom no ambiente em que vivem, trabalham e são presença a va do Reino. O carisma do Carmelo ele deve aparecer mais pelo testemunho de vida, do que propriamente pelas palavras. Deve-se expandir “por contágio”, como diz o Papa Francisco. Desejo visitar as comunidades a mim confiadas, não tanto para ensinar, mas para par lhar e aprofundar com alegria o carisma carmelitano, por reciprocidade. E, confesso, em minhas visitas – já fui Delegado Provincial durante um triênio alguns anos atrás - sou eu que mais aprendo nesta par lha de vida. Par lhamos doutrina e vivência. Sei que, juntos, nos animamos a viver com coerência e alegria nossa vocação carmelitana, cada qual conforme o próprio estado de vida. 3. Como é ser um frade carmelita no Brasil? Qual o desafio maior? Não penso que haja muita diferença em ser frade carmelita aqui no Brasil ou em qualquer parte do mundo, se formos conscientes da especificidade do nosso carisma e de nossa missão. O carisma é o mesmo aqui ou na Indonésia, ou no Japão ou na Itália. Digo, carisma, valores teresianos, como sejam a união com Deus, como meta de um “caminho de perfeição” que devemos percorrer com determinação e confiança, a insistência na oração como “diálogo com Quem nos ama e de Quem nos sen mos amados”, o amor de Deus que se manifesta na “humanidade de Cristo” e o nosso amor para com Ele, que se manifesta em sermos “amigos fortes de Cristo”, a vida de fraternidade na simplicidade e na amizade, o amor pela Igreja, que devemos amar como filhos e filhas, a prá ca das virtudes humanas e teologais, não perdendo de vista nunca o obje vo de nossa vocação ao Carmelo. Este é o essencial, que não pode ser deixado nunca; o resto é tentar viver estes valores reves dos da cultura própria de cada Pais, na qual o Evangelho de Jesus e os carismas da Igreja se encarnam. O desafio principal consiste exatamente em ser fiel ao mandato de S. Teresa, sem confundir o que é valor passageiro do que é valor permanente, ou como disse uma vez com bom humor um Frade Carmelita espanhol: dis nguir o “con nente” do “conteúdo”, pois o conteúdo teresiano não muda; o que muda são as formas e os tempos, o exterior que, sem o interior, é vazio de tudo. 4. Por qual Santo ou Santa tem uma devoção em especial e por quê? Com certeza, ocupa um lugar importante em minha vida Santa Teresinha, pois ela me acompanhou sempre, desde o noviciado – todos os dias eu lia a “História de uma alma”quando ainda não entendia muito a fundo o “Carmelo” e nha uma noção bastante errada de Deus. Ela me ensinou a confiar em “Deus Misericordioso” e, na sua simplicidade, foi me explicando o caminho da san dade, que é caminho do amor. Até hoje, que entendo um pouco mais de Carisma Carmelitano, (mas não cheguei à meta, estou em caminho) ela me acompanha, pois preciso constantemente voltar às fontes de minha vocação, para não perder o rumo certo. 5. Gostaria que deixasse uma mensagem especial para todos os Carmelitas Descalços Seculares que estão lendo essa entrevista. Queridos irmãos e irmãs no Carmelo, que é de Teresa de Jesus, de João da cruz, de S. Teresinha, de muitos outros santos e santas e, hoje, nosso também. Sintamos verdadeiramente o Carmelo como nosso, mas aberto a todos; como fonte de água cristalina, de onde todos podem saciar sua sede de Infinito, que é a vocação de todo ser humano. Bebamos abundantemente desta fonte, que é a união com Cristo, e levemos generosamente esta água benfazeja – água regeneradora da contemplação – a todos os que a buscam. Seja esta nossa ação missionária: levar Jesus a todos, como Maria, Mãe do Carmelo. Porque somente Ele é o bastante, o suficiente para a felicidade do ser humano: “Só Ele basta!”. Sem Ele, é noite funda. “Nós somos filhos da luz, filhos do dia. Não somos da noite, nem das trevas” (1Ts 5,5). Peçamos ao Senhor a graça de tornar-nos corajosos exploradores dos caminhos do Espírito, “certos que o Espírito que habita em nós e que recebemos no Ba smo, nos impulsiona a anunciar Jesus Cristo com nossa vida, com nosso testemunho e também com as palavras” (Papa Francisco). Que a Virgem San ssima, nossa Mãe e Irmã, nos guie nessa caminhada de conhecimento e de anúncio de Jesus.

Danielle Meireles, OCDS Comunidade Rainha do Carmelo - Fortaleza - CE

MONTE CARMELO

5


Congresso Teresiano

A Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares do Brasil, através de uma parceria das Províncias Nossa Senhora do Carmo (Sul) e São José (Sudeste), realizou o Congresso Teresiano 2014 de 11 a 15/08/2014 no Centro de Espiritualidade Monte Carmelo, em Londrina-PR. O evento teve como finalidade a preparação para a celebração do V Centenário de Nascimento de Santa Teresa, tendo como tema: “Com Teresa, guardemos Cristo em nossa vida” e contou com a par cipação dos três ramos da família carmelitana: frades, monjas e seculares, além de vários Ins tutos filiados. Conferencistas de renome como Frei Lucas Elias Rodrigues de Almeida, Frei Marcos Juchem Júnior, Frei Francisco Javier Sancho Fermín, Frei Miguel Ángel Dáz Granados e Dra. Lúcia Pedrosa de Pádua, abordaram diversos aspectos da vida, da pessoa e da obra de Santa Teresa de Jesus. Além das diversas colocações que centraram a atenção no congresso, também foram desenvolvidos diversos trabalhos em grupos, seminários e testemunhos sobre a importância de Teresa de Jesus em diversos âmbitos da espiritualidade e da pastoral que se realizam em diversas regiões da América La na, destacando-se o papel nas regiões de missão. Os par cipantes, quase 200 pessoas no total, eram procedentes em sua maioria de todas as partes do Brasil, mas também houve par cipantes oriundos da Colômbia, Equador, Paraguai e Espanha, entre outros. A OCDS da Província São José foi representada, através de seu presidente Luciano Dídimo, o qual par cipou do bloco: Testemunhas Incansáveis de Deus, onde deu seu testemunho sobre a experiência da vivência do carisma teresiano como Carmelita Secular. O evento contou ainda com a presença de alguns membros das comunidades da OCDS de Patos de Minas, Uberaba, São Roque e outras.

6

MONTE CARMELO


Congresso Teresiano Apreciação do nosso definidor Frei Marcos Juchen sobre o Congresso Brasileiro Teresiano O Congresso Brasileiro Teresiano de 11 a 15 de agosto em Londrina foi muito bom. Nele constamos três pontos importantes: 1- A preparação. As nossas duas Províncias do Brasil se uniram para este evento, e convocaram a conferencistas que deram profundidade aos temas teresianos apresentados. Isto fez com que os par cipantes sen ssem a Madre Teresa muito próxima, como pessoa, ao seu carisma e na compreensão das linhas mestras do seu ensinamento. 2. A cria vidade, antes e durante o Congresso fez com que os congressistas fossem envolvidos num ambiente totalmente fraterno, de confiança, diálogo, e conhecimento mútuo. Para cada tema diferente, por exemplo, foram pintados quadros que representaram ao tema, com umas expressivas e vigorosas posturas de uma Teresa decidida, determinada, formadora de novas comunidades, escritora e mís ca. 3. Par cipação. O que nos chamou atenção, foi a presença do grande número de jovens monjas carmelitas, o que nos diz que nossas comunidades estão de fato Fr. Marcos Juchem, OCD dando prioridade a formação das suas jovens vocações, o que fará que estas jovens sejam as transmissoras do carisma e vida de Teresa as novas vocações que teremos. As novas vocações necessitam ser muito bem acolhidas e formadas. Dentro disso também, foi importante a presença de algumas comunidades das irmãs que antes não par cipavam. Que bom, que conseguimos o máximo possível nos encontrar todos ao redor e sob a égide da nossa Madre e Mestra Teresa, dando prioridade ao essencial, o que ela tanto fazia e pedia: “aqui todas hão de se amar, se querer.... “Quer dizer no aqui, no Carmelo Teresiano, em cada comunidade e que bom que imitamos também a Teresa, inquieta e andarilha.... Ninguém está assim dispensado, enquanto possa, de imitar a Teresa andarilha, de enfrentar alguma viagem sobretudo para estas finalidades de amar, de conhecer aos membros da família, da formação... e como diz o Papa Francisco, que não nos roubem a alegria e a necessidade de nos amarmos...

MONTE CARMELO

7


Congresso Teresiano - Entrevista D ho Fermin, OC nc a S er vi a J co Frei Francis 1. Ávila tornou-se um manancial de onde brota uma fonte límpida de doutrina espiritual sanjuanista e teresiana, onde está a Universidade da Mís ca, em contraste com a realidade da Europa, tão árida de fé. Como essa fonte pode regar essa aridez? É verdade que se constata uma grande aridez na vida de fé dos europeus, mas, no fundo, eu estou convencido de que a sede ainda é muito presente no coração do homem. O problema é que não sabem onde saciar sua sede. Há muita desconfiança e rejeição da igreja como ins tuição, e isso impede que dentro do cris anismo se busque as fontes de vida. O grande desafio da Universidade de mís ca é fornecer estas fontes a todo o mundo, ultrapassar as barreiras do ins tucionalismo, e favorecer todos os que buscam que tenham a oportunidade de conhecer o testemunho vital e autên co dos nossos mís cos que podem ajudar nesse caminho. 2. Como é ser o anfitrião desta fabulosa festa do V Centenário de nascimento de Santa Teresa e quais são os principais eventos programados? A verdadeira anfitriã do Centenário tem quer ser Teresa mesma, e assim está acontecendo. Nós só queremos ajudá-la a ser a protagonista principal, favorecendo o encontro com sua vida e sua doutrina espiritual. Para isto, além dos muitos cursos que oferecemos durante todo o ano, e recepção de grupos de peregrinos (alojamento, orientação, acompanhamento, etc...), ofereceremos re ros espirituais com Teresa de Jesus .... Os eventos de maior par cipação, em ordem de importância são: - Congresso Teresiano: Teresa de Jesus Património da humanidade (21-27 setembro de 2015), onde se apresentará Teresa de todos os âmbitos do saber e do conhecimento, juntamente com uma FEIRA INTERNACIONAL Teresiana, onde esperamos contar com todas as famílias, grupos, etc... que nasceram na história inspirados pelo espírito de Teresa. E que será um encontro forma vo e fes vo de toda a Família teresiana; - Encontro da Família Carmelita (9-14 agosto de 2015); - Encontro da Juventude da Europa (5-9 agosto); - E se o Papa vier se fará algo muito especial ??? Mas, não se sabe a data. Haverá muitos eventos culturais: teatro, cinema, música, concertos... tudo com uma ma z teresiana. 3. Como a Espanha de forma geral está vivenciando este momento de celebração dos 500 anos de nascimento de Santa Teresa? Do ponto de vista ins tucional tem sido aceita como um acontecimento internacional. Portanto, o Estado espanhol criou a Comissão Nacional, presidido pelos Reis de Espanha e a vice-Presidente de governo. E a sede é o CITES-Universidade de Mís ca. Em todos os lugares estão acontecendo eventos, passeios culturais, exposições, etc... 4. Qual a importância deste Congresso Teresiano em Londrina, onde a família carmelitana se reúne em seus três ramos? É sem dúvida é o primeiro grande passo na celebração do centenário no Brasil. Si nós que formamos a família do Carmelo tomássemos maior consciência da riqueza da Teresa e tudo que ela pode oferecer, nós também incen varíamos ainda mais entre o povo, a família, etc... essa riqueza espiritual. 5. Na sua visão, como o Carmelita Secular pode vivenciar a espiritualidade de Santa Teresa no mundo atual? Totalmente. Teresa fala não só para as monjas. Seu grande desejo sempre foi o de dar a conhecer a grandeza do nosso Deus e que todos nós podemos nos tornar amigos de Deus. Isso con nua a ser o projeto de Teresa, mas também é o de Deus e o de Jesus Cristo. A história da salvação consiste nisso. E Teresa soube entender muito bem e não pode deixar de anuncia-lo e de nos ensinar o caminho para vivê-lo. Cada um em seu estado. Mas Deus oferece o seu amor e amizade a todos os seus filhos e filhas. Como Teresa dizia: "Deus não faz acepção de pessoas, a todos ama”.

Tradução: Moisés Rocha

8

MONTE CARMELO


Capa - Encontro de Jovens

X X -- Encontro Encontro de de Jovens Jovens da da Ordem Ordem dos dos Carmelitas Carmelitas Descalços Descalços Seculares Seculares No período de 25 a 27 de julho, na cidade de Tremembé- SP, no Colégio Municipal "Pequeno Príncipe", ocorreu o X Encontro de Jovens da Província São José, com o Tema: "Mira que te mira" (olha quem te olha) e o lema: "O essencial não é pensar muito, mas, amar muito" (IV Moradas 1,7). O evento foi montado e organizado pela Comissão de Jovens de nossa Província, composta pelos seguintes membros: Esther Pires (Comunidade Alegria da Sagrada Face, de Itape ninga, SP), Wilderlânia (Comunidade São José de Santa Teresa, Fortaleza - CE), Karine Ascenção (Comunidade da Santa Face, de Tremembé - SP), Henrique Pio o (Comunidade Santa Teresinha e Sagrada Face, PassosMG) e por Danielle Cabral (Comunidade Rainha do Carmelo, de Fortaleza - CE) e contou com o apoio de nosso es mado Delegado Provincial para as Comunidades e Grupos do Norte/ Nordeste, Frei André Severo, ocd, e do Conselho Provincial, ali representado pela Sra. Rose Pio o, vice-presidente, e por Carmelita Maria, tesoureira. Tivemos também o apoio de nossas queridas monjas do Carmelo Santa Face e Pio XII de Tremembé, que ofereceram sua ines máveis orações e meios para que o evento se realizasse. Foram dias memoráveis e inesquecíveis! Cerca 80 jovens, vindos de Fortaleza (CE), Sete Lagoas (MG), Passos (MG), Patos de Minas (MG), Itape ninga (SP), Rio de Janeiro (RJ), Petrópolis (RJ) Guareí (SP), Mococa (SP), Campinas, Cuiabá (MT), Aparecida (SP), Tremembé e Taubaté (SP), foram acolhidos e receberam uma verdadeira formação sobre a espiritualidade carmelitana, tudo feito com muito amor, dedicação e competência. Os temas abordados deram uma boa mostra do que é o Carmelo Descalço (os três ramos) e em que consiste a espiritualidade de nossos santos doutores e mís cos, obviamente, adaptada ao nível e es lo dos jovens. Tudo foi feito de uma maneira tal que, até mesmo os membros mais experientes de nossa Ordem ficariam maravilhados e enriquecidos em seu conhecimento sobre o carisma e formação carmelitana. O Encontro teve os seguintes eventos Na sexta - feira, dia 25 de julho (à noite) 1) Missa com Vésperas, presidida por Frei André e concelebrada por Padre Alberto. 2) Abertura do Encontro: palavras de Rose Pio o e Frei André. 3) Palestra: Introdução às Moradas (José Eduardo Manfredini, ocds) 4) Palestra com o Padre Alberto Aparecido Ferreira, ocds, sobre o tema e o lema do Encontro. No sábado, dia 26 de julho (manhã) 1) Missa com Laudes, presidida por Frei André. 2) Palestra: "Com a Virtude de Deus pra caremos melhor a virtude do que vivendo atadas ao nosso barro" - I Moradas 2,8 (Giovani Carvalho, ocds) 3) Palestra: "Pensai bem: muito nos importa não colocar barreiras de nossa parte" - III Moradas 2,11 (Frei André) No sábado, dia 26 de julho (tarde) 1) Visita à Basílica do Bom Jesus - guia turís co: Eduardo Manfredini, ocds. 2) Palestra: As relações novas geradas por Jesus Cristo - Alegria do Evangelho (Marcelo Pio o) 3) Oficina dos Santos: amigos fortes de Deus: Santa Teresa (Rose), São João da Cruz (Danielle e Giovani), Sta Teresinha (Henrique Pio o), Elisabete da Trindade (Wilderlânia) e Santa Teresa de Los Andes (Karine), com apresentação das oficinas. 4) Momento Mariano na capela do Carmelo. No sábado, dia 26 de julho, à noite: 1) Workshop: A beleza específica de uma vocação: frade, monja e secular (Frei André, Eduardo Manfredini e Danielle). No domingo, dia 27 de julho (manhã) 1) Palestra: Amor e Revolução de Santa Teresa (Eduardo Manfredini). 2) Momento Oracional: As Moradas do Castelo Interior (Esther, Danielle, Rose e Giovani). 3) Missa de Encerramento e palavras da vice-presidente provincial.

MONTE CARMELO

9


Capa - Encontro de Jovens

Os intervalos entre uma palestra foram sempre animados com cantos e até com dança, para "espantar" o sono e "agitar" a "galera". Os jovens cantaram e vibraram bastante, sempre num clima de muita alegria salutar e santa. Aqui, abro um parêntese para agradecer mui ssimo, no Senhor e em Maria San ssima, a dedicação, lutas e esforços de nossas verdadeiras "heroínas": Esther, Wilderlânia (Wil), Karine e Danielle! Meu Deus! Pareciam "formiguinhas" do Senhor, trabalhando ininterruptamente para que tudo ocorresse da melhor forma possível. Obrigado! Obrigado! Deus lhes pague tudo que fizeram. Falo isso em nome de toda a Província. O trabalho de vocês, certamente, será recompensado por nosso Senhor e por nossa Mãe do Carmo. Agradecemos também a dedicação e abnegação do Sr. Tonini, da Comunidade Santa Face de Tremembé. Um homem generoso, gen l, alegre e sempre disponível para o que fosse necessário. Deus lhe pague, "Seu" Tonini! Agradecemos também a presença e o trabalho sempre alegre, de verdadeiras "mãezonas", de nossas amadas Rose Pio o e Carmelita Maria. Agradecemos aos palestrantes: Frei André Severo, ocd, Padre Alberto Ferreira, ocds, Marcelo Pio o, ocds, José Eduardo Manfredini, ocds, Giovani Carvalho, ocds e Danielle Cabral, ocds, pelas ricas palestras ministradas e pelo amor que tem pelo Carmelo e pelas a vidades da Província São José. Destaco aqui, a dedicação de nosso amado Padre Alberto Ferreira, que, mesmo estando com seu paizinho muito doente (inclusive, vindo a falecer durante o evento), fez o que pôde para nos apoiar. Que Deus o console em sua dor e saudade. Deus lhe pague, Pe. Alberto! Agradecemos às senhoras da Comunidade Santa Face pelo importante e fundamental apoio "nos bas dores" da cozinha, nos brindando com deliciosos cafés da manhã, lanches, almoços e jantares. Deus lhes pague o amor e dedicação. Agradecemos à Prefeitura Municipal de Tremembé, ao Departamento de Educação e à Diretoria da Escola Municipal Pequeno Príncipe por terem cedido o espaço (muito bom, diga-se de passagem) para o evento. Finalmente, e o mais importante, agradecemos a Deus por sua Graça, ali derramada abundantemente! Muitos foram os jovens tocados pelo "cautério suave" e "toque delicado". Não poucos vimos derramando lágrimas de emoção. Os sorrisos e os olhos atentos a tudo que se passava demonstraram a alegria e o contentamento dos quais estavam cheios. Obrigado, Senhor, por vossa imensa bondade e misericórdia para conosco. Amém! Um "recado" fraterno: Pedimos, em nome do Senhor, a cada Comunidade e a cada Grupo que enviou seus jovens para Tremembé, que promova o acompanhamento desses jovens para que as sementes lançadas tornem-se "plan nhas" e, depois, "árvores" e produzam muito fruto. Sem serem "regadas" ou "adubadas", logo "secarão", o que seria uma lás ma... Nem a Comissão Jovem e nem o Conselho Provincial podem estar em cada cidade e nem acompanhar a cada um desses jovens. Somente vocês, irmãos e irmãs da OCDS da Província São José, é que podem e devem fazer esse trabalho, um trabalho belíssimo e que não ficará sem a recompensa do Céu. Contem sempre com nosso apoio. COMISSÃO JOVEM OCDS - Província São José

10

MONTE CARMELO


Capa - Encontro de Jovens Em todas as circunstâncias dai graças porque esta é a vontade de Deus em Jesus Cristo (1Ts 5,18). Durante os dias 25 a 27 de julho de 2014, cerca de oitenta jovens, procedentes de várias localidades de norte a sul do Brasil encontraram-se na cidade de Tremembé/SP para conhecer e par lhar um pouco mais do carisma teresiano-carmelitano no X Encontro de Jovens OCDS cujo tema foi “Mira que te mira” (Vida 13,22) e o lema, “O essencial não é pensar muito, mas amar muito” (4Moradas 1,7; Fundações 5,2). Foram apenas três dias de convivência, porém, vividos com uma intensidade tal que, passados já mais de trinta dias do Encontro, ainda temos a impressão de que nos “vimos” ontem! De fato, nesse X Encontro de Jovens OCDS, buscamos todos nós que lá estávamos ter esse encontro com Deus, uns com os outros e conosco mesmos. E Deus se manifestou, segundo a sua ternura, a cada um de nós, de maneira simples, singela, como uma brisa suave (1Rs 19,12)! Considerando o tema “Mira que te mira” (“Olha quem te olha”), coisa melhor não poderia ter acontecido, além dessa experiência bonita e gratuita que fizemos do amor de Deus manifestado a nós. Só Deus pode atrair-nos para Ele e fazer com que saiamos de nossas casas, cidades, Estados, enfim, de nós mesmos, de nossas comodidades, para encontrarmo-nos com “Aquele que nos olha” (Vida 13,22; Sl 123 [122],2)! E as graças que Ele nos concedeu por essa ocasião foram tão ricas e, ao mesmo tempo tão numerosas — a julgar pelos vários testemunhos de que temos lido e ouvido falar —, como só Deus mesmo poderia fazer! Mas a graça de Deus vem também com seus desafios! O sinal da Cruz do Senhor precede todas as bênçãos (cf. Mc 10,28-30; 1Cor 1,18.22-25). E foram muitos os obstáculos encontrados, desde antes da elaboração desse evento até o “pós-encontro”: dificuldades da Comissão de Jovens OCDS da Província São José para reunirem-se, len dão e desistências repen nas na confirmação de par cipantes inscritos, mudanças “de úl ma hora” no cronograma, que necessitaram de remanejamento da programação do Encontro etc. Todavia, se Deus permite que passemos por situações assim, é para que possamos crescer com elas e con nuarmos adiante! É a graça de Deus desinstalando-nos de nós mesmos... Os temas abordados nas palestras do X Encontro de Jovens OCDS privilegiaram o autoconhecimento. Quando queremos nos encontrar com Deus na oração, é muito importante saber quem é Deus — este Deus criador, amoroso, que me ama incondicionalmente —, e quem sou eu — criatura, com minhas virtudes e con ngências, e que anseia pelo Criador. Daí a importância do conhecimento próprio, como atesta Santa Teresa: “o próprio conhecimento é o pão com o qual se devem comer todos os alimentos” (cf. Vida 13,15), e “é maior mercê um dia de conhecimento próprio do que muitos de oração” (cf. Fund. 5,16). No Encontro houve espaço para oração, recreação, descanso (só um pouquinho rsss!), confissão, passeio pela cidade de Tremembé/SP (com direito a guia turís co!!!) ... Quem fez a experiência do vinde e vede (Jo 1,39) retornou para sua casa levando não apenas conteúdos na bagagem, mas aquela experiência de fraternidade expressa pelo Salmista: Como é bom e agradável irmãos viverem unidos (Sl 133 [132] 1), que con nua a ressoar até o momento no estreitamento de amizades, nas redes sociais, nas saudades, numa palavra, na comunhão de vida! Encerrando o X Encontro de Jovens OCDS, embora não es vesse na programação oficial, fomos visitar a Basílica de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida/SP. Para muitos, era aquela ocasião, a primeira vez que visitavam o Santuário. Ali as graças de Deus con nuaram a ser derramadas sobre nós, como que um afago divino. Na contemplação da linda arquitetura da Basílica, na visita à imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, na imensidão daquele templo que nos recorda o amor de Deus e o carinho de nossa Mãezinha do Céu e que nos convida ao recolhimento! As graças vividas durante o X Encontro de Jovens OCDS con nuavam a se prolongar ali, chancelando tudo o que foi vivido e experimentado durante o Encontro. Diante de tantas graças recebidas e que ainda estão por vir, a a tude que devemos tomar é de em todas as circunstâncias dar graças porque esta é a vontade de Deus em Jesus Cristo (1Ts 5,18). Frei André Severo de Araújo, OCD Assistente para a Comissão de Jovens OCDS - Província São José

TESTEMUNHOS Ályssen Andressa, Cuiabá - MT Como se torna di cil escrever aquilo que vai profundo ao coração... Como Santa Teresinha fala em História de uma alma, às vezes as palavras evaporam o perfume da experiência por não traduzirem exatamente aquilo que foi vivido. Considero um ato de caridade para animar ainda mais a todos nós jovens a con nuar no "Caminho", em busca "dAquele que sabemos que nos ama". Com a alma maravilhada, posso dizer que encontrei (a exemplo da nossa San nha das rosas), Aquele que me olha no olhar de meus irmãos e é esse meu testemunho maior... Meu testemunho são vocês que estão lendo agora, especialmente aos que convivi nesse X Encontro da Juventude Carmelitana. A alegre par lha, o santo convívio, as ricas trocas de experiências e anseios, foi isso que mais tocou meu coraçãozinho sedento dEle. A Missa com o recolhimento e amor no momento Mariano; cada gesto para mim foi único e me deu novo ânimo, por isso posso dizer que encontrei Aquele que me olha no olhar de vocês.

MONTE CARMELO

11


Capa - Encontro de Jovens Stefany Guedes, Taubaté - SP Fui convidada para ajudar no encontro, e para ser bem sincera, eu não sabia ao certo o que era a Ordem Secular. Fui conquistada, é lindo como todos amam o Carmelo. No úl mo dia do encontro, em uma dinâmica sobre as moradas que Santa Teresa fala, fui surpreendida. Frei André ficava andando para lá e para cá. Teve um momento que ele parou do meu lado, sen meu coração disparar, minhas pernas tremerem, olhei para ele e pedi que ele me atendesse em confissão depois que acabasse a dinâmica, e ele me disse sim. Não estava entendendo a minha reação, e no final, eles (os dirigentes da oração) pediram para entrar em uma sala. Entramos, e lá estava o Senhor Sacramentado, em um ostensório. Descobri que também o Senhor Sacramentado estava o tempo todo no nosso meio, pois, o frei também estava com o Senhor na parte de dentro do hábito! Desabei, não conseguia parar de chorar, sen o amor do Senhor de uma forma que nunca nha sen do! Percebi que a todo tempo Ele fica sinalizando: "Ei, estou aqui, eu te amo"! Tenho muito agradecer por tudo que o Carmelo me ensinou. Ensinou-me a amar verdadeiramente a minha Igreja, e todos os dias me faz viver esses momentos, e me faz sen r o amor.

Eu já fui a mais jovem da Província... Par cipar do X Encontro de Jovens da OCDS em Tremembé, neste ano de 2014, foi para mim em especial uma grande graça! Por vários mo vos. Pra começar vou contar uma estorinha, verdadeira! Era uma vez uma mocinha de 18 anos que queria muito conhecer o Carmelo e depois de perceber que seu lugar não era na clausura, ficou sabendo por um frei barbudo que ia sempre em Passos visitar as monjas, que estava começando a exis r em São Roque um Congresso de uma tal Ordem do Carmelo Descalço Secular. Esse frei barbudo, Frei Patrício Sciadini, convidou essa mocinha, no caso EU, para par cipar então do II Congresso da OCDS que iria acontecer. Nesse tempo, em 1985, já começavam algumas reuniões da minha Comunidade Santa Teresinha e, muito empolgada, aceitei o convite junto com mais uma amiga, a Sandra Regina. Chegando em São Roque pela primeira vez, creio que não preciso descrever todo o encantamento que ve! Aos 18 anos vendo aquele pedaço de céu na terra! Foi aí que conheci também em 1985 Frei Pierino, hoje nosso Delegado Provincial do Sudeste e vários outros frades de nossa Província que na época eram noviços. Mas voltando à OCDS, qual não foi minha surpresa que o grupo de pessoas que representava a Ordem Secular era composto TODO por pessoas com mais de 55 anos de idade... E eu pensei: “Meu Deus! Será que aqui existe lugar pra jovens? Será que existe lugar pra mim neste Carmelo Descalço?” No decorrer do encontro eu sen a que o meu lugar era e seria sempre o Carmelo. Mas como seria isso no meio onde só havia pessoas com mais de idade? A mais jovem e na verdade a única jovem era eu. Sem saber eu me perguntava: QUE MANDAIS FAZER DE MIM? E eu perguntava daqui e dali se na cidade deles nham mais jovens e a resposta era sempre NÃO! Minha reação era de desânimo quase total. Mas no meu coração só ba a aquilo: O Carmelo é o meu lugar! Se o Carmelo foi o lugar de Teresinha, Elisabete, Teresa de Los Andes... Então era o meu também, só que aqui fora, no mundo! E eu saí desse II Congresso Nacional com a certeza de que nunca mais seria a mesma Rose. Como realmente nunca fui. Um vírus me contaminou, sem cura, sem remédio! E pensava sem parar: O Carmelo é o meu lugar! Nesses anos todos de vida carmelitana muitos jovens foram se unindo aos meus sonhos e ao de outros que sonharam comigo e como eu. Tantos que encontraram aqui “a fonte, eterna fonte que estava escondida...” E neste X Encontro de Jovens OCDS da Província ve uma enorme emoção ao ver mais de 80 jovens reunidos ao redor desta Fonte! Mais de 80 jovens rezando e bebendo desta espiritualidade que tem me alimentado há mais de 32 anos! E entre todas as emoções que ve foi ver os meus três filhos: Henrique -25 anos, Marina 22 anos, e Marcele-19 anos par ciparem dele. Eu me sentava lá e me lembrava de mim mesma, tantos anos atrás pensando se o Carmelo nha lugar pra jovens... Haa, como tem!! E como eu chorei neste encontro e como minhas lágrimas foram de alegria e de desejo que todos pudessem ver os frutos de sonhos meus e de tantos outros se realizando ali. Levando juntos a espiritualidade teresiana, o Evangelho de Jesus, e ver concretamente a realização de uma pergunta e uma resposta: “Vossa sou pra vós nasci. Que mandais fazer de mim?” Rose Pio o, OCDS

12

MONTE CARMELO


Capa - Congresso N/NE

X I CONGRESSO DA OCDS N / NE Tema: Lema:

AS FLORES DA ORAÇÃO

“Farei cair uma chuva de rosas”

(Santa Teresinha)

O Nordeste é conhecido por suas belezas naturais, praias exuberantes, coqueirais e sol o ano todo. Mas não é só em riquezas naturais que se destaca. Ao longo de 11 anos a Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares tem realizado o Congresso Norte/Nordeste, evento de grande importância, que promove o encontro das Comunidades dessas regiões e possibilita o aprofundamento na doutrina da Igreja e da espiritualidade carmelitana, sendo uma grande oportunidade de exercer concretamente a vivência fraterna, gerando assim valiosos frutos individuais e comunitários. As comunidades e grupos corresponderam ao chamado e compareceram ao evento. O XI Congresso da OCDS Norte/Nordeste aconteceu na Cidade de Caucaia, distrito de Fortaleza, de 14 a 17 de agosto de 2014. O tema foi: ''As flores da Oração” e o lema: ”Farei cair uma chuva de rosas”. O tema escolhido dá con nuidade à sequencia ao longo doa anos, desde a preparação da terra, passando pela água, plan o da semente, raízes, ramos, e agora flores! O congresso contou com a par cipação de 113 pessoas vindas das várias comunidades e grupos da OCDS do Norte e Nordeste: - Comunidade São José de Santa Teresa, de Fortaleza - CE (Anfitriã); - Comunidade Rainha do Carmelo, de Fortaleza - CE; - Comunidade Beata Teresa Maria da Cruz, de Macapá - AP; - Comunidade Santa Teresa dos Andes, de Belém - PA; - Comunidade São João da Cruz, de São Luís do Maranhão - MA; - Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus, de Teresina - PI; - Comunidade Santa Teresinha, de Camaragibe - PE; - Grupo Maria, Mãe e Mestra do Carmelo, Parnaíba - PI; - Grupo São João da Cruz, de Ibiapina – CE; - Grupo Flos Carmeli, de Bananeiras – PB. Contamos também com as presenças de nosso delegado provincial, Frei André Severo, ocd, de Frei Alysson, ocd, do presidente provincial Luciano Dídimo, da vice-presidente Rose Pio o, dos conselheiros provinciais Gustavo do Passo, Ana Stela Almeida e Haidê Zakaib, bem como da tesoureira Carmelita Sampaio e da secretária provincial Ruth Leite, OCDS. Foram momentos enriquecedores para todos os par cipantes. O evento iniciou-se com a celebração da Santa Missa na capela do Carmelo Sta Teresinha (Fortaleza), tendo como celebrante o Frei André Severo, ocd, nosso delegado provincial. A liturgia foi das Vésperas da Solenidade da Assunção de Maria, padroeira da cidade de Fortaleza. Após a Santa Missa, saíram os ônibus para a Casa de Re ro das Irmãs Filhas do Imaculado Coração de Maria (Cordimarianas), no município de Caucaia, pertencente à região metropolitana de Fortaleza, onde vemos a solenidade de abertura com apresentação das Comunidades.

MONTE CARMELO

13


Capa - Congresso Norte/Nordeste Segue abaixo a sequência de palestras, dinâmicas, reflexões e a vidades realizadas durante o Congresso: 1ª palestra: “O cuidado de regar o jardim”, com Frei André Severo, ocd. Em sua palestra, Frei André fez uma abordagem sobre como perseverar na oração, bem como nos recordou os quatro graus de oração ensinados por nossa Santa Madre Teresa de Jesus. 2ª Palestra: “As Ervas Daninhas”, Ana Stela Almeida, OCDS. Ana Stela nos lembrou que no caminho da oração podem exis r várias “ervas daninhas” que podem matar as “flores” que começam a brotar.

Mesa Redonda com o tema: “O agradável perfume das flores em mim” (abordagem sobre os efeitos da oração na vida pessoal) – Na ocasião, ouvimos os belos testemunhos de Teresinha (Macapá), Patrícia (Teresina), Rosário (Parnaíba), Márcia (Ibiapina) e Dorinha (Teresinha). Ouvimos também o testemunho de dois casais: Lauride e Lenon (Bananeiras), vinte e sete anos de casados (com dez filhos) e de Simone e Moisés (Fortaleza), sete dias de casados. Momento Mariano – Maria, Flor do Carmelo – Grupo Flos Carmeli, de Bananeiras (PB). Momento muito lindo, onde meditamos a importância, missão e humildade de Maria em sua união com a missão de seu amado Filho e Senhor Jesus Cristo. O Grupo Flos Carmeli conduziu de forma muito bela e singela a meditação sobre Maria. Escolheram lindos textos que nos emocionaram e enlevaram as almas na contemplação da beleza sem par de nossa Mãe Maria San ssima. Ela é a mais bela Flor de Deus, que quer embelezar as almas com “flores” de graças para que todos seus filhos e filhas sejam santos e felizes.

3ª. palestra: “O agradável perfume das flores no Carmelo Secular” – Giovani Carvalho Mendes, OCDS – Comunidade Rainha do Carmelo – Fortaleza – CE. Na ocasião, o palestrante fez uma abordagem sobre a vida de alguns santos carmelitas leigos: 1. Beata Josefa Naval Girbés, virgem da OCDS; 2. Beato George Häfner, presbítero e már r da OCDS; 3. Venerável Anita Can eri, virgem da OCDS; 4. Venerável Anicka Zelickova, virgem da OCDS; 5. Servos de Deus Ulisses Amendolagine, OCDS e Lélia Amendolagine, da Confraria do Escapulário (esposos); 6. Servo de Deus Luís Gaston, Leigo da OCDS; 7. Serva de Deus Cunegundes Siwiec, virgem da OCDS; 8. Serva de Deus Isabel Morfini, virgem da OCDS. 4ª. Palestra: “O agradável perfume das flores na Igreja” – Gustavo de Passo Castro, OCDS - Conselheiro Provincial para o Norte/Nordeste – Comunidade Santa Teresinha de Camaragibe, PE. Sempre fazendo uso de palavras extraídas de documentos dos Papas Francisco, São João Paulo II e outros Papas, Gustavo fez uma abordagem sobre os efeitos da oração na Igreja, enfa zando o trabalho pastoral, evangelização e missionariedade que competem a essa mesma Igreja e, de forma especial, aos leigos. O palestrante fez menção, especialmente, à missão dos leigos no mundo de hoje, em locais e momentos onde somente eles podem estar. 5ª.Palestra: “O agradável perfume das flores o mundo” (abordagem sobre os efeitos da oração no mundo, enfa zando a missão do carmelita secular) – Frei Alysson Cássio, ocd. Em sua palestra, Frei Alysson nos lembra que neste mundo nós devemos ser “soluções” para os problemas do mesmo. Temos que reconhecer nosso papel, como carmelitas leigos, no mundo. Temos que trazer para a Ordem e para o mundo a “riqueza própria de sua secularidade” (Cons tuições da OCDS). Somos chamados, desde o Ba smo, a evangelizar. Somos chamados a “perfumar” o mundo com o nosso jeito próprio de ser, em nossa paróquia, diocese, etc. Levar a espiritualidade do Carmelo onde nós estamos. 6ª Palestra: A Chuva de Rosas de Santa Teresinha. Abordagem sobre o lema do congresso: “Farei cair uma chuva de Rosas” (Santa Teresinha) – com Ir. Maria da Paz, monja do Carmelo Santa Teresinha, em Fortaleza, que falou sobre o poder da intercessão, a misericórdia de Deus, as bênçãos, graças e milagres

14

MONTE CARMELO


Capa - Congresso N/NE Momento Mariano com a Oração da Coroa da Imaculada, devoção carmelitana em honra da Imaculada Conceição de Maria. O momento foi dirigido pela Comunidade Rainha do Carmelo, de Fortaleza – CE. Na ocasião, diante de Nossa Mãe do Carmo, intercedemos por diversas necessidades: pela paz do mundo, pela Igreja, por nossa Ordem, pelas vocações, pelas famílias, etc. Ao som de cân cos em honra de Nossa Senhora, nos emocionamos, pois, sen mos o quão próxima de nós está a Mãe de Deus, que a todos nos envolve em seu manto e abraço maternos. Recreios Carmelitanos - Na sexta feira a noite vemos um passeio na praia, onde jantamos em frente ao mar. Praia do Cumbuco, famosa e turís ca praia do litoral cearense, situada no município de Caucaia, região metropolitana de Fortaleza. No sábado vemos um segundo recreio, que o aconteceu em uma quadra poliespor va, em um colégio próximo à Casa de Re ros. Vários de nossos irmãos e irmãs ves ram-se com trajes picos de sua região e fizeram apresentações ar s cas e de danças folclóricas.

Encerramento: A missa de encerramento foi celebrada pelo bispo auxiliar de Fortaleza, Dom Rosalvo. O encerramento oficial do congresso foi feito pelo nosso presidente provincial Luciano Dídimo e pela vice-presidente Rose Lemos Pio o, que apresentaram a estrutura da Ordem Carmelita a nível mundial e provincial, deram informes sobre os próximos eventos, sendo anunciado que o próximo Congresso Norte Nordeste será em 2016, na cidade de Ibiapina, no Ceará.

MONTE CARMELO

15


Capa - Congresso Norte/Nordeste

PARTILHA SOBRE O CONGRESSO As Flores da Oração “Eis, meu Bem-Amado, como se consumará minha vida… Não tenho outros meios para te provar meu amor, a não ser lançar flores, isto é, não deixar escapar nenhum pequeno sacri cio, nenhum olhar [4v], nenhuma palavra, aproveitar as menores coisas e fazê-las por amor…” (História de uma Alma - Manuscrito A) Se caso eu vesse que resumir o congresso e o trabalho da Comunidade São José de Santa Teresa, a qual eu fui me unir alguns dias antes do X Congresso Norte –Nordeste, esta frase acima seria o resumo de tudo. O que eu vi e deixo como testemunho foi um aprendizado de total doação de aproveitamento de tudo, e do todo tempo de todos. Na realidade o que fiz foi aprender!! Aprender com o antes do congresso nos prepara vos com a Comunidade São José, que se doou completamente. No durante o Congresso com a par cipação de outras comunidades que se desdobraram em ajudar nas pequenas coisas, como a dupla maravilhosa de Maria Luiza e Regina, que nem se eu quisesse poderia deixar de citar! Com a Comunidade São José de Santa Teresa de novo, que se empenhava em fazer com que cada detalhe programado fosse cumprido com leveza e sem transparecer a preocupação que todos estavam em dar tudo certo. E DEU TUDO CERTO! É um consumir-se a vida por amor d'Aquele que amamos! Sem esperar nada em troca. Somente para ter-se o prazer em lançar flores sobre a nossa Igreja, sobre a nossa Ordem Carmelita, sobre a nossa OCDS. É um orar sem cessar! Não deixando escapar nada, nenhum olhar, nenhum sorriso sem ser oferecido. Aproveitar tudo por amor! E o depois que começou já na palestra final da Ir. Maria da Paz, ocd, onde ela nos falou da chuva de rosas, da intercessão e do dar-se sem medidas. Neste ponto, entrou dentro de mim a consciência da loucura que vivemos no Carmelo, da doação que se faz e que não faz sen do sen ndo algum para o mundo e nem mesmo para as pessoas com quem convivemos diariamente. Diz a pequena, mas grandíssima e sábia

16

MONTE CARMELO


Capa - Congresso N/NE Ir. Maria da Paz: ” Não ter medo da cruz, eis ai o segredo da doação! Ai meu Deus, eis aí a loucura maior do amor!” Isso me tocou tão profundamente que tem refle do em todos os meus atos desde o memento em que ouvi. Tem-me feito silenciar. E muitas vezes só chorar. Acho que só as lagrimas podem dizer o que o meu coração não sabe expressar. Santa Teresinha diz no mesmo capítulo de Historia de uma Alma , no manuscrito A: “dessa forma lançarei flores diante do teu trono, não encontrarei uma só sem desfolhá-la para Ti… e, ao jogar minhas flores, cantarei. Caberia chorar fazendo uma ação tão alegre? Cantarei, até mesmo quando for preciso colher minhas flores no meio dos espinhos e meu canto será mais melodioso na medida em que os espinhos forem longos e pungentes.” Eu, na verdade não sei se caberia chorar, só que na minha fraqueza, só sei mesmo me manifestar assim! Deixo aqui o meu profundo agradecimento ao nosso presidente Luciano Dídimo que me confiou a missão de ajudar neste encontro dentro dos bas dores. Mas agradeço por ter feito isso como portador da graça de Deus para comigo, em me fazer receber do céu uma chuva de rosas! Eu não as vejo todas ainda, com meus olhos embaçados que estão, mas tenho certeza delas por tudo que vivi e vi. Deus lhes pague a todos, e abençoe as Comunidade e Grupos nascentes e crescentes dessas regiões do nosso Brasil.

Rose Lemos Pio o, OCDS

O Congresso N/NE e a Comunidade São José de Santa Teresa A Comunidade São José de Santa Teresa, de Fortaleza, é uma jovem comunidade que nasceu há quase três anos a par r do desmembramento da Comunidade Rainha do Carmelo, pois esta já havia crescido e precisava mul plicar para melhor servir a Deus. Somos em 13 membros, dos quais apenas 4(quatro) têm promessas defini vas e a maioria é iniciante. Fomos convidados, quando do Congresso N/Ne de 2013, para sediar o Congresso deste ano. Sabendo que Deus capacita seus escolhidos, dissemos sim ao desafio e hoje par lhamos com alegria os frutos desta experiência de amor comunitária. Com o tema “As flores da oração” e lema “Farei cair uma chuva de rosas! ( Santa Teresinha)”, pusemo-nos a serviço, fazendo tudo com muito amor e dedicação e tropeçando muitas vezes em nossos limites e fraquezas. Porém, vimos cada membro se esmerar em dar o melhor e presenciamos a ação de Deus em nós. É que, ter um obje vo comunitário comum faz-nos crescer em vida fraterna, exercitando o amor e a paciência diante das nossas dificuldades. Por isso agradecemos a Deus esta oportunidade. De uma forma impressionante podemos contemplar agora o crescimento espiritual e humano de cada membro. As dificuldades de ordem financeira foram superadas com esforço comum. Cada um segundo suas ap dões se doou e saboreamos o desenrolar do evento, cada palestra, oração, adoração recreio percebendo que nos foi dada a alegria de corresponder ao chamado Deus para a OCDS, que é servir à Ordem, à Igreja e a sociedade humana. (C.OCDS,25-27). Para nossa grande alegria, na primeira reunião após o congresso, o Senhor nos presenteou com a presença de quatro novos iniciantes, crescemos, então, para 17 membros. Estas quatro irmãs vieram atraídas pelo que o congresso deixou de flores em suas almas. Foi incon da, portanto, nossa alegria! Que grande graça! Que resposta amorosa de Deus! Pois, não obstante toda nossa miséria, age segundo Seu querer, transformando toda fraqueza em força. Humanamente sabemos que a realização de um evento desse porte é impossível para uma comunidade como a nossa, mas Deus não se detém em nossos parâmetros e nos surpreende, fazendo-nos capazes de coisas inimagináveis.

Como fruto, enfim, em nossas almas, está a interpelação de navegar em águas ainda mais profundas. Ficou-nos o desejo de viver muito mais radicalmente o Evangelho, de conseguir ter uma vida de oração autên ca, de servir à Ordem, à Igreja e à sociedade com toda a força e determinação inspirada neste congresso. Deus nos presenteou com a oportunidade de sair de nós mesmos e amar mais, agora não queremos menos que isso, queremos muito mais, queremos tudo!

Ruth de Santa Maria,OCDS MONTE CARMELO

17


Notícias COMUNIDADES Re ro da Comunidade Santa Teresa dos Andes de Belém - PA Neste fim de semana 01.a 03.08.2014, com a direção do Frei César Cardoso - OCD, realizamos nosso Re ro com Imposição de Escapulário, Renovação de Promessas, Promessas Temporárias, Promessas Defini vas, e Eleição do Conselho da minha querida Comunidade Santa Teresa dos Andes - OCDS, O Centro Mariápolis Glória e o Carmelo Santa Teresinha, localizados no Município de Benevides, próximo a Belém do Pará, foram palco desses acontecimentos. Graça e Socorro Neves, fizeram as Promessas Defini vas e Socorro Freitas, as Promessas Temporárias por 3 anos. Deus nos conceda a Graça de prosseguirmos com perseverança no seguimento de Jesus Cristo, Amém! Graça Ewerton, OCDS

Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus de Cara nga - MG Festa de Nossa Senhora do Carmo. No dia 16 de julho de 2014, Solenidade de Nossa Senhora do Carmo, ocorreu na cidade de Cara nga, Minas Gerais, a comemoração solene de nossa San ssima Padroeira, Nossa Senhora do Carmo. A festa contou com a par cipação da Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus, de Cara nga, de nossos amados frades, noviços e aspirantes, bem como dos paroquianos, em suas variadas associações e pastorais. Foi grande presença e a par cipação na novena. Depois da Santa Missa, saímos em procissão à Igreja Catedral, visto que nossa diocese está comemorando seus 100 anos de existência, que culminarão em 2015 (coincidindo com os 500 anos de nossa Santa Madre Teresa de Jesus). Nossa paróquia foi a primeira a peregrinar até a Sé Catedral, fazendo sua visita, que aconteceu no 9º dia da novena a Nossa Senhora. A par cipação e envolvimento das comunidades foi muito bonita, envolvente e edificante em todos os dias da novena, especialmente neste, no qual se deu a visita à Catedral. Ana Scarabelli - OCDS

Eleição do novo Conselho da Comunidade Santa Face, de Tremembé - SP Caríssimos irmãos e irmãs no Carmelo Descalço, que a paz e o amor de Cristo Jesus, nosso Senhor, esteja com vocês. Paz e alegria! Vimos, por meio deste, lhes comunicar que hoje, 23 de agosto de 2014, a Comunidade Santa Face da cidade de Tremembé – SP realizou a eleição do seu novo conselho, sendo eleitos para: PRESIDENTE: Antonio Carlos Tonini CONSELHEIRAS: Angela Maria Tonini, Mara Lúcia Crispim, Vera Lúcia de Assis S. Rossi E escolhidos para ocuparem os seguintes cargos: ENCARREGADO DA FORMAÇÃO: Glauco Paiva Cunha SECRETÁRIA: Andréa Noronha Maffetano TESOUREIRA: Charlene Aparecida Vieira Cunha Contamos com a oração de todos. Que Deus os abençoe e que a Virgem Maria, Rainha e Formosura do Carmelo, os acompanhem. Amanhã, dia 24 de agosto, celebraremos doze anos de fundação! Deus seja louvado! José Eduardo, OCDS

Celebração dos 17 anos da Comunidade Santa Teresa de Jesus de Petrópolis - RJ Neste úl mo dia 15 de Agosto, Assunção de Nossa Senhora, a Comunidade Santa Teresa de Jesus celebrou seus 17 anos de fundação junto com as Monjas Carmelitas Descalças do Carmelo São José em Petrópolis - RJ. ‘‘Pedimos que a Virgem Maria con nue nos abençoando e concedendo a graça de permanecermos fiéis na Missão de Carmelita Secular, sobretudo vivendo uma verdadeira unidade - Um só coração e uma só alma." Sonia Castro - OCDS.

18

MONTE CARMELO


Notícias A OCDS - Província São José tem sua primeira par cipação no Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB) Aconteceu em Fortaleza, de 01 a 03/08/2014, em Fortaleza-CE, a XXXIII Assembléia Geral Ordinária do CNLB, com o tema “CRISTÃO LEIGO E LEIGA, SUJEITO ECLESIAL”, que contou com a par cipação de cerca de 130 representantes de diversos Regionais e associações filiadas. A Assembléia teve como um dos seus principais obje vos a análise do documento nº 107: “Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e navSociedade – Sal da Terra e Luz do Mundo”, aprovado para estudo na 52ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil – CNBB, celebrada em Aparecida-SP, de 30/04 a 09/05/2014. Esse texto busca aprofundar a par cipação dos leigos na Igreja, animando-os na compreensão de sua atuação como sujeitos eclesiais nas diversas realidades em que se encontram inseridos. O documento agora será estudado nas Igrejas par culares, nas comunidades, grupos, movimentos e associações. Em sua primeira par cipação no CNLB após o aceite do seu pedido de filiação, a ORDEM DOS CARMELITAS DESCALÇOS SECULARES DA PROVÍNCIA SÃO JOSÉ foi representada pelo seu presidente Luciano Dídimo Camurça Vieira e pela Conselheira Provincial Ana Stela de Almeida e Silva. O CONSELHO NACIONAL DO LAICATO DO BRASIL é um organismo vinculado à CNBB, através da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato, cujo presidente é Diom Severido Clasen, bispo de Caçados-SC. Trata-se de uma associação de fiéis leigos e leigas católicos de direito público, que congrega e representa o laicato brasileiro na sua diversidade e riqueza de movimentos, pastorais, e associações dos mais variados pos.

Estão filiadas 16 Equipes de Ar culações Regionais. Cada Regional reúne várias dioceses através dos Conselhos de Leigos locais. Há ainda mais 17 Organizações filiadas como Equipes de Nossa Senhora, Legião de Maria, Movimento dos Focolares, Ordem Franciscana Secular, Renovação Carismá ca Católica, entre outros. O CNLB possui Comissões para algumas a vidades específicas, como a Comissão de Assessoria Permanente, Comissão de Comunicação, Comissão de Fé e Polí ca, Comissão de Formação e Comissão de Juventude. Conheça mais sobre o CNLB no site: h p://www.cnlb.org.br

Admissão ao período forma vo e eleição do conselho do Grupo Nossa Senhora do Carmo, de Paulínia - SP. DETERMINADA DETERMINAÇÃO No úl mo dia 09 de agosto de 2014, durante a Santa Missa presidida por Frei Hudson Barcelos, na Igreja de Santa Teresinha em Paulinia/SP, foram admi dos ao período de Formação seis membros do Grupo Nossa Senhora do Carmo: - Evaldo Pacheco - Elainy de Fá ma Oliveira - Lázara Falciolli Dian

- Luiz Antonio Parra - Rosa Ângela Maria S. Crepaldi - Waldi Dian.

Tudo foi preparado com carinho e muita alegria sob a supervisão da nossa Conselheira, avSra. Haidê Zakaib Mezzalira, que esteve reunida com o grupo anteriormente em 22 de julho,vpara uma vivência e conhecimento mútuo. Nesta mesma ocasião, após a Missa, vemos a oportunidade de realizar mais uma eleição para novos conselheiros e presidente, ficando estabelecido a seguinte formação: - Rosa Angela - Presidente - Sandra Cris any - Formadora - Waldir Dian - Conselheiro - Luiz Antonio Parra - Conselheiro - Elainy de Fá ma Oliveira - Conselheira - Magali Teresinha - Secretária - Márcio Alexandre Muller - Tesoureiro Sandra Cris any R. Muller, OCDS

MONTE CARMELO

19


Notícias CONSELHEIROS EM MISSÃO Visita do Conselheiro Gustavo do Passo Castro ao Grupo Nossa Senhora do Monte Carmelo, em Maceió-AL A visita foi bastante frutuosa, tanto pelas irmãs como principalmente pelo Grupo Nossa Senhora do Monte Carmelo, pela convivência, aprofundamento do conhecimento mútuo, acompanhamento do grupo em detalhe, abertura para acolher sugestões. A Madre Celina esteve duas meias-horas conosco, de manhã e ao final da tarde do dia 03/08. Ficou muito agradecida pelo cuidado da OCDS de ajudar a fundação em Maceió. Con nua: - Luiz Carlos na coordenação, - Secundado pelo Fábio, secretário, - Tesoureira a Rosilene. - Orientadora: Madre Celina - atualmente, estará passando à Ir. Maria do Carmo a responsabilidade de acompanhar o Grupo na formação. O Grupo está com 11 par cipantes com freqüência regular. Iniciou pela manhã do domingo: das 7h30 às 9hs (Laudes, com Evangelho compar lhado, início da formação, seguida da Missa Conventual, 10h30 cafezinho; 10h45 retomada da reunião até 12hs, com minha visita, teve almoço comunitário lá mesmo no convento e prosseguimos com todos, das 14hs30 até 16hs. Gustavo do Passo Castro, OCDS

Visita da Conselheira Provincial Haidê Zakaib e de Francisco Reinaldo à Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus Doutora. Na manhã do dia vinte sete de julho, recebemos a visita da nossa conselheira provincial,Haidê Zakaib, acompanhada do nosso irmão Francisco Reinaldo Costa, que nos presenteou com ó mas palestras sobre o livroMoradas ou Castelo Interiore sobre a Lec o Divina. Essas palestras nos foram de muito proveito. A Comunidade de Santa Teresinha do Menino Jesus Doutora, de Jundiaí, agradece a ambos. Maria de Lurdes, ocds

EVENTOS CENTRO TERESIANO E ESPIRITUALIDADE Caríssimos(as) Com muita alegria queremos comunicar que o nosso Curso de Espiritualidade retorna no mês de janeiro de 2015. Ele foi todo reformulado e atualizado e já está sendo acompanhado, como Curso de Formação Teológica, pela Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, da Pon cia Universidade Católica de São Paulo, PUC-SP. O nosso curso será ministrado em 3 módulos, sempre nos meses de janeiro/julho/janeiro. Os interessados poderão se inscrever e começar o curso em qualquer um dos módulos. Ao final do curso aqueles que possuem diploma de nível superior receberão o cer ficado de Curso de Extensão Universitária; aqueles que não possuem diploma de nível superior receberão o cer ficado de Curso de Extensão Cultural, ambos emi dos pela Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, da PUC-SP. Maiores detalhes na nossa página www.centroteresiano.com.br; na nossa rede social www.facebook.com/centroteresiano ou através do telefone (11) 4712-2270. Flávia (Aux. Administra vo) - Centro Teresiano de Espiritualidade Caixa Postal 57 / Rodovia Raposo Tavares, Km 64 - Bairro Marmeleiro CEP: 18130-970 - São Roque – SP - Tel: (11) 4712-2270 - Fax (11) 4712-6976

h p://ocdsprovinciasaojose.blogspot.com.br/ h ps://www.facebook.com/pages/Ordem-Dos-CarmelitasDescal%C3%A7os-Seculares/132884536754686?ref=hl

20

MONTE CARMELO

Envie o seu número de celular com DDD por SMS para (15) 997282767 ou para: estherpiress@yahoo.com.br.

h ps://www.youtube.com/user/OCDSSJ


Notícias

Tema: Dos profetas a Teresa, um caminho a seguir Lema: Eu estarei con go; e este será o sinal de que eu te enviei-(Ex 3, 12) Caríssimos irmãos em Cristo e no Carmelo JM+JT Impulsionados pela missão que nos é conferida neste tempo queremos convidar e convocar para nosso encontro de formação de 20 a 23 de novembro em São Roque. Como membros do conselho de sua comunidade (seja presidente, encarregado da formação ou conselheiro) faz se de fato imprescindível a par cipação neste encontro forma vo com o obje vo de sermos de fato uma só família nesta Província São José. As inscrições necessitarão serem feitas pelo Presidente da comunidade, sabendo se que este Encontro é para Presidente, Encarregado da formação e Conselheiro. O número de vagas é como de costume três para comunidade e duas para grupos. Inscrever-se com Carmelita Sampaio- tesoureira da nossa Província até dia 15/10 por favor. E-mail: carmelita_ocds@yahoo.com.br. (informações na ficha de inscrição) Agradecemos e contamos com a par cipação e oração de cada um. A comissão agradece: Ana Maria Eymard, Beatriz Zahn, Hercílio Junior, Márcia Andrade, Sidnei Paiva

Comissão de Intercessão Dir-se-ia que na oração és como uma rainha que tem livre acesso ao Rei e que dele podes alcançar tudo o que pedires!" (Santa Teresinha) A Comissão de Intercessão da OCDS - Província São José, a qual tem a finalidade de interceder e promover a intercessão junto às Comunidades e Grupos por todos os nossos eventos, pelas nossas dificuldades, pelos nossos membros mais necessitados, pelas nossas autoridades, pela Ordem.

O e-mail para o envio dos pedidos de oração é: intercessaoocds@gmail.com.

MONTE CARMELO

21


Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares Província São José

ASSOCIAÇÃO DAS COMUNIDADES DA ORDEM DOS CARMELITAS DESCALÇOS SECULARES NO BRASIL DA PROVÍNCIA SÃO JOSÉ CNPJ: 08.242.445/0001-90 EXPEDIENTES Revista Virtual Monte Carmelo, nº 135 (Julho/Agosto de 2014) Edição: Comissão de Comunicação da OCDS - Província São José Conteúdo e Revisão: Rose Lemos Pio o Arte e Diagramação: Wilderlânia Lima do Vale

Colabore com a edição da nossa Revista enviando suas no cias, testemunhos, ar gos e poesias para: no ciasocds@gmail.com

Revista+Monte+Carmelo  

Revista+Monte+Carmelo

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you