Issuu on Google+

PROJETO REVISTA VIRTUAL Em dezembro de 2010, os professores dos 8os anos se reuniram e optaram pela elaboração de um projeto que refletisse um pouco das atividades e discussões realizadas, durante as aulas, ao longo do 8º ano.

Assim, definiu-se que o tema: Brasil: diversidades e heranças culturais contemplava, plenamente, parte dos conteúdos trabalhados, em todas as matérias. Afinal, é a partir do 8º ano, que muitas análises relacionadas à nossa formação como nação e como indivíduos começam a ganhar contornos mais críticos, próprios do ano. Ao longo de 2011, foram produzidas atividades que dialogavam com o tema e refletiam tais análises.

Com o objetivo de condensar esse trabalho em um suporte único, o grupo precisava de um veículo de comunicação dinâmico, capaz de contemplar todos os tipos de produções relacionadas a esse tema. Definiu-se, então, que esse veículo seria uma revista digital. Esta deveria conter, na forma dos gêneros próprios desse suporte, textos relacionados ao tema e às discussões realizadas em aula.

Dessa maneira, nasceu a revista digital dos 8os anos, as quais apresentam textos produzidos pelos alunos das salas e selecionados pelos professores. Esses textos dialogam com o tema do projeto Brasil: diversidades e heranças culturais, em maior ou menor escala, e refletem o ponto de vista dos alunos a respeito daquilo que temos (diversidades culturais) e daquilo que herdamos (heranças culturais).

Você verá agora, a versão disponível da Turma F8TC. Ela dispõe de alguns recursos de leitura interativa, tais como: - Sumário interativo: clique no número da página e vá direto ao conteúdo; - Nas setas localizadas no rodapé, é possível navegar para a página anterior ou para a próxima. Boa Leitura!


SUMÁRIO

CIÊNCIAS - DROGAS / MACONHA .......................................3 CIÊNCIAS - DROGAS / COCAINA.......................................4/6


A MACONHA

Nós adolescentes e jovens somos muito curiosos, e gostamos de nos aventurar com experiências novas, e uma dessas experiências, é o uso de drogas. Agora nós vamos falar um pouco mais sobre drogas e vou falar principalmente da MACONHA. Primeiro para conhecer melhor a maconha precisamos saber uma coisa fundamental. O que é a maconha? Maconha são folhas secas da planta CANNABIS SATIVA. Os cigarros são chamados de erva, pacau, baseado, charão, fininho ou finório. A maconha contém várias substâncias que têm efeitos cerebrais e têm substâncias que agem no cérebro. A maconha como todas ervas tem seus aspectos positivos e negativos. Alguns aspectos negativos são: psicose, problemas de memória, disfunção sexual. E alguns aspectos positivos são: reduz o estresse, relaxa, deixa a euforia leve, causa sensação de bem-estar. Se olharmos os aspectos positivos e os aspectos negativos, é mais saudável optarmos por não usar maconha. Essa droga também tem uma “certa” influência cultural, que aparece nas músicas. Por exemplo: no rap, reggae e funk. Essa droga também é usada como erva medicinal em outros países, tribos e religiões distintas. Por exemplo: Religião rastafári, Hindu entre outras. Nós dizemos para vocês hoje é a maconha amanhã é droga pior! Cuidado a maconha é a “porta” para outras drogas.

Grupo: Pedro Thomas, Maila, Alessandra, Daniel F, Gustavo, Renata, Ana Carolina, Jaiane, Rodrigo, Daniele, Marcos, Thyago Barbosa e Thiago Silva.


TEMA: Maconha Thyago Barbosa Em 1735, o botânico Carl Lineu nomeou a Maconha como Cannabis sativa. Foi chamada de Cannabis indica pelo biólogo francês Jean Baptiste Lamarck. Assim como outras plantas, a maconha possui dois gêneros: macho e fêmea. É possível encontrar ambas as estruturas sexuais em um mesmo pé. É a flor do macho que produz o pólen que fecunda a fêmea, quando a flor da fêmea é fecundada ela se enche de sementes e depois morre. Quando não ocorre fecundação da fêmea, ela excreta uma grande quantidade de resina pegajosa composta por dezenas de substâncias diferentes. Dentre as várias substâncias, existe a THC (delta-9-tetrahidrocanabinol), que serve de filtro solar para a planta, pois é de clima desértico. Apesar do THC estar presente em toda a planta, é na flor da fêmea que se encontra a maior concentração da substância. A real droga da maconha é essa flor. O THC tem uma propriedade bem curiosa, gruda em algumas moléculas das paredes dos neurônios de animais, até mesmo do homem, tais moléculas são conhecidas como receptores de canabinoides, quando ocorre a ligação o receptor opera sutis mudanças químicas dentro da célula, mas não se sabe dizer ao certo quais são elas. Em 1992, o pesquisador israelense Ralph Mechoulam descobriu o motivo pelo qual temos tal receptor. O receptor serve para ligar-se à outra molécula, a mesma fabricada pelo próprio cérebro, muito semelhante ao THC. A molécula foi batizada por Ralph de anandamida (ananda, em sânscrito, significa “felicidade”). Enfim, o cérebro produz uma substância com efeitos parecidos com os do THC, em doses bem menores. Não se sabe qual a finalidade da anandamida no cérebro, mas está relacionada ao controle da dor. Pelo fato de haver receptores de canabinoides em células fora do cérebro, leva a pensar que a anandamida desempenha um papel mais abrangente do que parece. Além das formas de uso mais conhecidas há uma especial, a do cânhamo, que é utilizado na produção de tecidos. Supostamente foi pelo fato de Cristóvão Colombo usar tecidos derivantes do cânhamo em suas velas e cordas, assim, juntamente com as embarcações as sementes da maconha também vieram. A ideia era de plantar as sementes, pois se tivesse que ser feita alguma reparação nas velas e cordas, eles teriam o material. Há indícios de que há muitos anos a maconha se faz presente em quase todo o mundo, sua disseminação se deu através de viajantes, esses levavam sementes da maconha, desse modo essa se fazia presente em quase todos os continentes. Por muitos anos a maconha foi considerada legal, sua ilegalidade em vários países, incluindo o Brasil, se deu por volta do século XX. Mas ainda existem países onde a maconha é legal, em outros ela é comercializada unicamente como remédio (auxiliando pacientes no tratamento de doenças, controlando a dor). No Brasil, a maconha se faz tão presente por existir muitas áreas sem qualquer tipo de vigilância. Com isso fica mais

fácil o escoamento da droga. Durante um bom tempo a maconha era comercializada com um preço insignificante. Vários países tentaram. mas nenhum conseguiu erradicar a maconha de seu território. A maconha é conhecida em muitos países como “marijuana”. Há boatos de que as tropas revolucionárias de Pancho Villa que chacoalharam as estruturas do poder em 1910, eram adeptos de um baseado no intervalo das batalhas; assim surgiram os conhecidos versos. O efeito causado pela maconha em pessoas que a fuma é variado. Para evitar problemas relacionados à saúde física e mental é recomendável que a pessoa não faça o uso de drogas (no caso em questão a cannabis), pois pode agravar os problemas relacionados à saúde.

Principais efeitos

Os efeitos causados pelo consumo da maconha, bem como a sua intensidade, são os mais variáveis e estão intimamente ligados à dose utilizada, concentração de THC na erva consumida e reação do organismo do consumidor com a presença da droga. Os efeitos físicos mais frequentes são avermelhamento dos olhos, ressecamento da boca e taquicardia (elevação dos batimentos cardíacos, que sobem de 60 - 80 para 120 - 140 batidas por minuto). Com o uso contínuo, alguns órgãos, como o pulmão, passam a ser afetados. Devido à contínua exposição com a fumaça tóxica da droga, o sistema respiratório do usuário começa a apresentar problemas como bronquite e perda da capacidade respiratória. Além disso, por absorver uma quantidade considerável de alcatrão presente na fumaça de maconha, os usuários da droga estão mais sujeitos a desenvolver o câncer de pulmão. O consumo da maconha também diminui a produção de testosterona. A testosterona é um hormônio masculino responsável, entre outras coisas, pela produção de espermatozóides. Portanto, com a diminuição da quantidade de testosterona, o homem que consome continuamente maconha apresenta uma capacidade reprodutiva menor. Os efeitos psíquicos são os mais variados, a sua manifestação depende do organismo e das características da erva consumida. As sensações mais comuns são bem-estar inicial, relaxamento, calma e vontade de rir. Pode-se sentir angústia, desespero, pânico e letargia. Ocorre ainda uma perda da noção do tempo e espaço além de um prejuízo na memória e latente falta de atenção. Em longo prazo o consumo de maconha pode reduzir a capacidade de aprendizado e memorização, além de passar a apresentar uma falta de motivação para desempenhar as tarefas mais simples do cotidiano.


TEMA: Cocaina Camila Ferreira

A Erythoxylon coca é uma planta encontrada na América Central e América do Sul. Essas folhas são utilizadas, pelo povo andino , para mascar ou como componentes de chás , com a função de aliviar os sintomas decorrentes das grandes altitudes . Entretanto, uma substância alcaloide que constitui cerca de 10% desta parte da planta, chamada benzoilmetilecgonina, é capaz de provocar sérios problemas de saúde e também sociais. Na primeira fase da extração do alcaloide, as folhas são prensadas em ácido sulfúrico, querosene ou gasolina, resultando numa pasta denominada sulfato de cocaína. Na segunda e última, utiliza-se ácido clorídrico, formando um pó branco. Assim, neste segundo caso, ela pode ser aspirada, ou dissolvida em água depois injetada. Já a pasta é fumada em cachimbos, sendo chamada, neste caso, de crack. Há também a merla, que é a cocaína em forma de base, cujos usuários fumam-na pura ou juntamente com a maconha. Atuando no Sistema Nervoso Central, a cocaína provoca euforia, bem estar, sociabilidade. Pelo fato de que nem sempre as pessoas conseguem ter tais sensações naturalmente, e de forma intensa, uma pessoa que se permite utilizar esta substância tende a querer usar novamente, e mais uma vez, e assim sucessivamente. O coração tende a acelerar, a pressão aumenta e a pupila se dilata. O consumo de oxigênio aumenta, e a capacidade de captá-lo diminui. Este fator , juntamente com as arritmias que a substância provoca , deixa o usuário pré-disposto a infartos. O uso frequente também provoca dores musculares , náuseas , calafrios e perda de apetite. Como a cocaína tende a perder sua eficiência ao longo do tempo de uso, fato este denominado tolerância à droga, o usuário tende a a utilizar progressivamente doses mais

doses mais altas buscando obter , de forma incessante e cada vez mais inconsequente , os mesmos efeitos agradáveis que conseguia no inicio de seu uso . Dosagens muito frequentes e excessivas provocam alucinações táteis, visuais e auditivas; Ansiedade, delírios, agressividade, paranoia. Este ciclo torna-o também cada vez mais dependente, fazendo de tudo para conseguir a droga, resultando em problemas sérios não só no que tange à sua saúde, mais também em suas relações interpessoais. Afastamento da família e amigos, e até mesmo comportamentos condenáveis, como participação de furtos ou assaltos para obter a droga são comuns. Além de provocar em longo prazo, comprometimento dos músculos esqueléticos, existem ainda os agravantes recorrentes da forma de uso. Cocaína injetável, por exemplo, pode provocar a contaminação por doenças infecciosas, como hepatite e AIDS, e infecções locais. No caso daqueles que inalam comprometimento do olfato rompimento do septo nasal e complicações respiratórias, estas últimas também típicas de fumantes, incluindo aí: bronquite, tosse persistente e disfunções severas. Gestantes podem ter bebês natimortos, com malformações, ou comprometimento neurológico. Romper com a droga é difícil, já que o individuo tende a se sentir deprimido, irritadiço, e com insônia. Assim , quando o usuário opta por deixá-la , deve receber bastante amparo e ser incentivado neste sentido. É necessária a ajuda médica, tanto no processo de desintoxicação quanto nos tempos depois desta etapa.


DEPOIMENTO DE USUÁRIO Por que você começou a usar? Porque meus amigos me incentivaram, falando que era bom, e que se eu não cheirasse iria ser menos que eles. E é realmente bom? Na verdade, é uma enganação, na hora, você se sente feliz, seus amigos estão ali. Mas depois que o efeito passa, é a pior sensação do mundo. Você se sente a pior pessoa do mundo. Você usa frequentemente? Agora eu uso. Antes eu usava só às vezes, mas agora, é todos os dias (SIC). Os efeitos são os mesmos desde o inicio? Não, hoje, pra eu sentir o que eu sentia antes, tenho que usar bem mais, uma quantidade muito maior do que antes. O que você sente hoje, quando usa? Eu não consigo respirar direito, fico com náuseas, não tenho vontade de comer, sinto calafrios, meu corpo dói, eu fico com a sensação como se meu coração fosse parar de bater. Eu tenho alucinações, e tenho delírios terríveis. Já que faz tanto mal, por que você não para? Hoje, parar, é quase impossível pra mim. Você tem alguma doença? Por usar seringas de outros usuários, eu estou com AIDS. Qual é seu conselho para os jovens? Que nunca entre nessa, é pura ilusão, seus amigos que te incentivaram a começar a usar, vão sumir, vão te deixar. Quando você estiver no fundo do poço, raramente alguém vai te estender a mão. Amigos de verdade estarão do seu lado, em todas as horas, e jamais, irão deixar você usar droga.


Revista TC