__MAIN_TEXT__

Page 1

Ano Letivo 2015/2016- 1 Plátano

dezembro 2015

NATAL NO CORAÇÃO Lara Chinita, Carolina Baptista, Guilherme Guerra e Pedro Monteiro

O Caminho de um Sorriso

3

Experimento, logo Aprendo

4

Eco-Escolas

5

A Mensagem de Saramago

9

Que Grande Aventura

11

Uma Exposição muito Real

13

Ipad’s na Educação

15

Algazarra Silenciosa

17

Escrita Criativa

18

Ano Internacional da Luz

20

Vá para fora cá dentro

22

In English

24

Este Natal, os alunos do 2º e 3º ciclos envolveram-se numa missão 25 natalícia sem igual. Estão a preparar presentes personalizados para oferecer a cada uma das 29 meninas carenciadas da Obra Padre Gregório, 25 em Sintra. Toda a comunidade escolar está convidada a participar com a na 26 doação de alimentos, roupas e brinquedos e com isso contribuir para um Natal mais feliz de quem mais precisa.

Olímpiadas regionais de Física e Química Júnior Literacia 3D Ouvir a Gulbenkien

América

Pág. 2

Brincar com a Matemática

28

Kandinsky na Sala de Aula

29

Halloween

31

O Reino da Comilónia

33

Cantinho da Infantil

36 A empresa onde trabalha a

Sugestão de Leitura

39

Nesta edição incluímos publicidade. O contributo desta reverterá para a Viagem de Finalistas dos alunos do 9º ano, a realizar na interrupção letiva da Páscoa de 2016. Agradecemos a todos os que aderiram a esta iniciativa.

Ajudar os Doutores Palhaços mãe de um dos alunos do 4ºB fez um generoso donativo à organização Operação Nariz Vermelho. Os alunos tinham sido convidados a assistir a um teatro dos Doutores Palhaços. O menino sensibilizou-se com a causa e passou muito bem a mensagem. Parabéns! Pág. 2

Fizemos um livro Os alunos do 1º e 2º Ciclos realizaram um livro em conjunto, denominado O Caminho de um Sorriso. O mesmo será apresentado aos pais dia 17 e inclui um DVD que ilustra todo o processo criativo.

Pág. 3

Projeto «aulas de ciências experimentais» Com o objetivo de dinamizar as ciências experimentais, o 1.º ciclo implementou um projeto muito interessante que tem o apoio da professora de Físico-Química Maria José Sequeira. Todas as semanas temos tido uma experiência no laboratório. Pág. 4


2

Etc & Tal...

Destaques

ESTE ANO SOMOS NÓS O PAI NATAL! Os alunos do 2º e 3º ciclo estão empenhados numa verdadeira missão natalícia. Vão ajudar as

meninas da Obra Padre Gregório, em Sintra, a ter um Natal mais recheado. Esta iniciativa permite, em primeiro lugar, proporcionar momentos mais felizes às meninas carenciadas que têm na Obra Padre Gregório a sua casa, mas também despertar nos alunos o interesse pelo próximo e a vontade de ajudar. Em todas as ocasiões claro, mas sobretudo no Natal. A casa alberga 29 meninas carenciadas, com idades entre os três e os 18 anos e ajuda a construir um projeto de vida para cada uma delas. Nas várias turmas estão a ser preparados presentes personalizados para cada criança. Mas não só. Natal também é sinónimo de uma mesa mais recheada e por isso, estão a ser preparados cabazes de Natal com iguarias da época para uma ceia em cheio. De salientar Este tipo de iniciativa não é inédita no colégio, mas é que o pai de um aluno do 6º ano já se disponibilizou para a primeira vez que a solidariedade tem uma cara, neste doar uma refeição completa às meninas deste lar. Apesar de viverem num ambiente tão familiar quanto caso, 29 e muitas com idades semelhantes às das possível, a verdade é que falta sempre muita coisa, a nossas crianças. No dia 22 de dezembro alguns alunos irão conhecer a começar por alimentos, razão pela qual está também a ser desenvolvida em toda a comunidade escolar uma instituição, entregar o resultado da campanha e partilhar campanha de doação de alimentos. Brinquedos e roupa um lanche com as meninas. de menina também são bem vindos, desde que estejam Bom Natal para todos!!! em bom estado.

SORRISOS QUE FAZEM DIFERENÇA Em outubro, fomos convidados pela Operação Nariz Vermelho a assistir a um teatro de promoção do trabalho desenvolvido pelos Drs. Palhaços e fomos muito bem recebidos! Fizeram-nos rir imenso, tal como fazem às crianças hospitalizadas, que infelizmente têm menos motivos para sorrir… Fomos para casa e passámos a mensagem desta organização, pois a sua missão é muito importante. Um par de semanas depois, chegou uma excelente notícia! A administração da empresa da mãe do Francisco Cascais do 4ºB decidiu, e após a intervenção desta, enquanto administradora, doar um valor muito considerável a esta organização. O valor permitirá fazer chegar CENTENAS DE SORRISOS a CENTENAS DE CRIANÇAS! “Francisco, a Operação Nariz Vermelho pulou de alegria e enviaram mil sorrisos para ti e para a tua mãe. Eu, enquanto tua professora, estou orgulhosa por te teres envolvido nesta causa, espelhando tão bons sentimentos. Bem-haja também à tua família por te saber ouvir, e contigo, fazer a diferença!” Prof.ª Cátia Rodrigues


3

Colégio dos Plátanos

Em destaque

O CAMINHO DE UM SORRISO Todos os alunos do 1º e 2º ciclos participaram neste projeto que vai ser apresentado aos pais já no dia 17. A elaboração da história foi da responsabilidade das turmas do 6.º ano, o vídeo de animação ficou a cargo das turmas do 5.º ano, as ilustrações das turmas do 1.º, 2.º e 3º anos e as músicas das turmas do 4.º ano. Durante o primeiro período, realizaram-se sessões quer de escrita criativa quer de ilustração. Os alunos contaram também com a ajuda dos professores titulares das turmas, no caso do primeiro ciclo, bem como da professora de Educação Musical, e dos professores de Português e de Educação Visual, no caso do 2.º ciclo. Os alunos mostraram-se entusiasmados com a elaboração não só do livro em si como também do making off, do filme de animação e da interpretação das canções. O Caminho de um Sorriso é uma parceria com a “Cabeçudos – Fábrica de Histórias” –, no âmbito do Serviço Educativo de Promoção de Leitura, promovido pelo Plano Nacional de Leitura.

Alunos do 3º Ano

Alunos do 4º Ano


4

Etc & Tal...

Em destaque

EXPERIMENTO, LOGO APRENDO! Alunos no laboratório é sinal de interesse e entusiasmo. É sinal de curiosidade, motivação e uma aprendizagem muito mais eficaz. É com este propósito que este ano, todos os alunos do 1º ciclo, do 1º ao 4º ano, visitam o laboratório de Físico-química todas as semanas para fazer experiências, sob a orientação da professora Maria José Sequeira. Segundo os professores, o entusiasmo é notório e as crianças adquirem conhecimentos com uma facilidade muito maior do que se trabalhassem o tema apenas na sala de aula. Foram já vários os temas alvo de experiência. O 1º ano trabalhou o tema “As cores escondidas”, o 2º ano, o “Presépio Químico”, o 3º ano quis saber “Como ficam os pulmões de um fumador” e o 4º ano “As impurezas da pele” e também fez um teste de condutividade, para saber que materiais são bons condutores de eletricidade. Neste projeto os alunos observam, classificam, elaboram hipóteses, preveem, experimentam, organizam e interpretam dados, comparando as várias hipóteses. Um pouco aquilo que faziam no Fastrackids, (os que frequentam o colégio desde a Infantil), só que numa escala muito diferente, adequada à faixa etária, ao discernimento e sentido crítico, que também é outro. Uma “experiência” a repetir!!! Experiências “As Cores Escondidas” - 1º Ano

Experiência “Como funcionam os pulmões de um fumador” - 3º Ano

Experiência “Presépio Químico” - 2º Ano Experiência “Circuitos Elétricos - Materiais condutores e não condutores” - 4º Ano

Rita Lopes, Marta Moreira, Madalena Martins e Guilherme Dias


5

Colégio dos Plátanos

Eco-Escolas Mais um ano letivo que começou e mais um ano em que os projetos do programa Eco escolas são levados muito a sério por todos. Os mais pequeninos dão os primeiros passos na reciclagem, mas os mais crescidos já participam em reuniões de conselho.

HASTEAR DA BANDEIRA VERDE Uma vez mais, foi atribuída ao Colégio dos Plátanos a Bandeira Verde, tal é o reflexo do trabalho, dedicação e empenho de toda a comunidade escolar. Em representação desta, no passado dia 14 de outubro, Dia das Bandeiras Verdes 2015, os eco delegados foram buscá-la a Torres Vedras. Na semana seguinte decorreu o Hastear da Bandeira Verde. Este acontecimento representa não só o orgulho de todos, mas o reconhecimento que nos é dado por parte deste apaixonante programa internacional, que promove a Educação para o Desenvolvimento Sustentável. A cerimónia foi apresentada pelos alunos João Coelho e Marta Brígido, em representação dos seus pares e contou com as presenças do diretor do colégio Dr. Rui Curica, do presidente da Junta de Freguesia Dr. Bruno Parreira, da representante dos encarregados de educação Luísa Guerra e da professora Sofia Lima. Ouvido o hino eco-escolas, cantado pelos elementos do coro, sob a orientação da professora Raquel Elói, foram enaltecidos os factos de ser já a nona bandeira verde para o colégio e da importância da entrega dos diplomas de mérito

aos eco representantes das turmas do programa Ecoescolas do ano passado. Prof.ª Sofia Lima

Prof. Nuno Bacalhau

SENSEBILIZAR PARA EDUCAR! Um momento importante para todos, e a que os mais pequeninos começam a estar atentos. Estão ainda a aprender o que é isso de reciclar. Participaram numa atividade em que se juntaram todos numa sala para ouvir e ver projetada a história do “Xico, o Campeão da Reciclagem”, um menino que não separava o lixo e mandava tudo para o contentor, mas que aprendeu com a sua amiga Anita que o papel, vidro, pilhas e plástico vão para os contentores certos para depois serem reutilizados e darem origem a coisas novas. Depois da história, os meninos fizeram um exercício de separação do lixo e pintaram um grande cartaz. As turmas da Pré


6

Etc & Tal...

Eco-Escolas A HORTA DA PRÉ Os meninos da Educação Pré-Escolar têm uma horta biológica. Um cantinho onde foram plantados legumes, como cebola, alho francês, couves, alfaces e semeadas muitas ervas aromáticas como a salsa, manjericão ou coentros. A horta é cuidada pelos meninos da Pré, que são mais crescidos. Sempre que é preciso, os alunos regam e arrancam as ervas daninhas. Quando já estão prontos a ser consumidos, são colhidos e vão para o refeitório do colégio, para tornar a sopa ainda mais saborosa. A redação

BANCO DE MANUAIS ESCOLARES Este ano letivo o Colégio está a organizar um Banco de Livros. Todos os alunos podem doar os manuais escolares de que já não precisem ao Colégio. Os que tenham nova utilização vão para um banco de livros que beneficia outros alunos. Os restantes são encaminhados para a campanha “Papel Por Alimentos”, do Banco Alimentar, no âmbito do Programa Eco-Escolas. Desde o início do ano letivo já foram doados 181 quilos de papel para esta iniciativa. Nos outros casos, os livros podem ter nova vida nas mãos de outros colegas que venham a precisar deles.

Esta medida visa incentivar a reutilização dos manuais e com isso ajudar os encarregados de educação nas despesas escolares. De referir, ainda, que se dará prioridade, na escolha de livros no Banco de Livros, aos alunos que contribuíram para o mesmo, sendo esta proporcional ao seu contributo. Todos os manuais podem ser entregues na secretaria ou na biblioteca. A Redação

REUNIÕES CEE Foram já duas as reuniões do conselho Eco escolas em que os alunos participaram. Tomaram decisões importantes para a continuidade do desenvolvimento deste programa internacional apaixonante. Foi também concluída a primeira auditoria ambiental do ano letivo para melhor evidenciar os progressos alcançados, mas também o diagnóstico das situações a corrigir e/ou a melhorar. Rita Lopes, Marta Brígido e Alícia Guerra

Definiram-se as metas anuais e as áreas de intervenção prioritárias quer para o colégio quer para as famílias em suas casas.

Prof.ª Sofia Lima


7

Colégio dos Plátanos

Eco-Escolas - Dia Mundial da Alimentação UM COPO CHEIO DE ENERGIA!!! O Dia da Alimentação comemorou-se no dia 16 de outubro. Nessa semana, e no âmbito da disciplina de Estudo do Meio, os alunos do 1.º ano falaram não só de alimentação saudável, mas também relembraram algumas regras de higiene alimentar. Depois da teoria passou-se à prática e, no dia 16, as atividades começaram logo de manhã, com a confeção de um belo sumo de fruta (pera, maçã e laranja) que serviu de lanchinho da manhã. Todos se deliciaram! À tarde, os alunos trabalharam em grupos e construíram a nova pirâmide alimentar com recortes de folhetos de supermercado! Esta pirâmide está agora exposta no refeitório do 1.º Ciclo para relembrar aos alunos a importância de uma alimentação saudável, variada e equilibrada.

Turma do 1ºA

PALHINHAS MÁGICAS PARA HERÓIS DA FRUTA !!! O concurso interno “Heróis da Fruta” continua a incentivar os nossos alunos a adquirem hábitos de alimentação mais saudável, começando pelo hábito de ingerirem fruta ao lanche. Na turma do 4ºB presenteámos, em outubro, os campeões da fruta Marta Sanches e Guilherme Dias. Receberam uma palhinha mágica, que lhes permitirá beber sumos ou batidos de fruta de uma forma divertida. Prof.ª Cátia Rodrigues

O R G AN I I Cosmética Biológica

Marta Sanches Guilherme Dias


Etc & Tal...

8

Eco-Escolas A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO Há muito tempo que a alimentação é um dos grandes problemas na adolescência. Ou porque comem bastante e acabam por ficar com problemas de obesidade, ou comem muito pouco para ficarem com o corpo ideal. A obesidade e o baixo peso são um problema sério de saúde pública. A adolescência é um período de grandes mudanças, desde as físicas até às comportamentais, por isso é tão importante ter uma boa alimentação, pois além de satisfazer as elevadas necessidades de nutrientes, ela serve também para criar e manter bons hábitos alimentares para o resto da vida. Diversos fatores estão associados ao desencadeamento da obesidade, no entanto, o estilo de vida das pessoas, como não praticar exercício físico e padrão alimentar inadequado, podem explicar o crescente número de adolescentes com excesso de peso. Esta época de vida também é caracterizada pela autoafirmação e pelo questionamento da autoridade e dos valores dos pais. A opinião do grupo passa a ter maior importância nas decisões, por isso o consumo de alimentos do tipo “fast food” é mais frequente e pode

facilitar o ganho de peso. Estudos internacionais apontaram que, em Portugal, em 30 anos o excesso de peso nos adolescentes aumentou o quádruplo, fazendo com que Portugal esteja na posição seis em 25 países analisados. Por exemplo, os indicadores da obesidade concluíram que em 2002, 19% dos rapazes tinham excesso de peso e em 2010 21,34% e as raparigas em 2002, 13,54% e 2010 15,87%, logo os rapazes têm mais tendência para o excesso de peso. Estes adolescentes, no futuro podem ficar com problemas graves, por isso devem passar por um estilo de vida saudável, principalmente as crianças de seis a nove anos. No entanto, a anorexia também é um problema muito preocupante, mais comum nas raparigas que querem ter o corpo ideal, mas acabam por ter problemas com o equilíbrio nutricional. Maria Beatriz Luís, 8º A

A MAIOR FLOR DO MUNDO! “A Maior Flor do Mundo” é uma obra de José Saramago, escrita para um público muito especial: as crianças. Nesta obra, o autor fala sobre a história de um menino que tem como missão salvar uma flor que estava a morrer, mas não era uma flor qualquer. Para o menino, era a maior flor do mundo. As professoras lançaram um desafio aos alunos, o qual consistiu em que cada aluno construísse a sua “maior flor do mundo” com material que já não precisassem. Foram utilizadas caixas de ovos, cápsulas de café, papel, cartão, tampinhas, paus, latas, garrafas de água, entre outros. Da inspiração e da criatividade dos alunos, com a ajuda dos pais, nasceram flores maravilhosas e muito originais. Ano após ano superam as expectativas apresentando trabalhos magníficos. Estes estiveram expostos no edifício central que dá acesso ao ginásio.

Pedro Fernandes, 4º A

Laura Gameiro, 4º A Marta Sanches, 4º B

Matilde Conchinha, 4º B


Colégio dos Plátanos

9

Estudo de Obras Literárias A MENSAGEM DE SARAMAGO Após a leitura desta fantástica obra, debruçámo-nos sobre as palavras que o autor nos deixou: “(…) e fez uma coisa muito maior que o seu tamanho (…)”.

Rita Lopes, 4ºB

Que mensagem nos deixou este livro? Discutimos ideias e chegámos à conclusão de que o amor cria coisas maravilhosas, entre as quais, bons sentimentos e boas ações. De seguida transpusemos para o papel esta “invasão de amor”, que teve lugar em cada um de nós.

Clara Antunes, 4ºB

Marta Moreira, 4ºB

ARTE COM LÁPIS DE CERA Durante a leitura da obra “A Maior Flor do Mundo” de José Saramago, a turma do 4ºB foi realizando algumas atividades no plano artístico. Uma delas foi usar a técnica de cobertura com lápis de cera. Os alunos pintaram manchas de cor sobre uma folha, depois cobriram-na com lápis de cera preto, e por fim, com a utilização de um palito desenharam a sua “maior flor do mundo”. Foi-lhes explicada a metáfora deste título e que o importante não era o tamanho da flor, mas sim a quantidade de amor que atribuem às diferentes coisas da vida. O resultado foi muito bonito!

Miguel Coelho, 4ºB A Turma do 4º B

Joana Videira, 4ºB

Guilherme Dias, 4ºB


Etc & Tal...

10

Estudo de Obras Literárias UMA BALEIA QUE COME PALAVRAS... A nossa professora leu-nos um livro muito divertido sobre uma baleia, a Iole! Ela é uma baleia muito especial. Não se alimenta de outros animais, mas sim de palavras que um poeta solitário deixa cair no mar. Com as palavras que come, ela inventa belíssimas histórias não só para ela, mas também para os seus amigos do mar. Depois da leitura deste livro decidimos fazer o mesmo. Trouxemos esta baleia para a sala do 1ºB e todos os dias escrevemos uma palavra para ela comer. No final do período vamos criar uma história com todas as palavras! Temos a certeza que vai ficar genial! A Turma do 1º B

ESTRELAS COM SABOR A PÊSSEGO Os alunos do 2º ano estão encantados com a história d’ “A Girafa que Comia Estrelas”, do José Eduardo Agualusa. O livro conta a história de Olímpia, uma girafa de cinco anos que gostava de enfiar a cabeça nas nuvens. A mãe ralhava com ela, porque não queria que se constipasse, porque isso é demasiado perigoso para uma girafa, Mas ela não lhe dava ouvidos, porque queria encontrar anjos. Nunca os encontrou, e à noite comia estrelas. Ardiam-lhe um bocadinho na garganta e ainda por cima, por ser uma girafa, era enorme, mas o que fazer, se as estrelas eram doces e sabiam a pêssego? No meio de uma nuvem, a girafa um dia viu uma galinhado-mato, preta, cheia de pintinhas brancas, como são as galinhas do mato e perguntou-lhe se ela era um anjo.

Não era. Era só a Dona Margarida e as duas ficaram amigas. Os meninos adoraram a história e fizeram bonitos desenhos que retratam a amizade entre as duas. Parabéns! As Turmas do 2º

Ano


Colégio dos Plátanos

11

O Início de um Novo Ciclo QUE GRANDE AVENTURA! A entrada no 1.º ano gera sempre alguma ansiedade nos novos alunos (e também nos seus papás e mamãs). É um novo desafio que marca o início da caminhada no 1.º Ciclo. Os primeiros dias foram de adaptação a uma nova sala e uma professora nova, a novas aprendizagens e uma forma de trabalhar diferente. Treinámos muito a motricidade fina com atividades como a modelagem com plasticina, os grafismos e a pintura, a picotagem e o recorte… Fizemos muita “ginástica de mãos” para elas ficarem bem preparadas para iniciar a aprendizagem da escrita. Também trabalhámos as regras de sala de aula e construímos cartazes sobre elas. As primeiras letras que aprendemos foram as vogais. Com elas aprendemos a formar ditongos. Depois vieram as primeiras consoantes! E, como por magia, começámos a formar as primeiras palavras e as primeiras frases! O 1.º ano está a ser uma aventura! A Turma do 1º A

PRIMEIROS PASSOS NA LEITURA E NA ESCRITA Os alunos do 1.º ano já aprenderam as vogais e também algumas consoantes: P, T, D, L, M e C. Com as letras aprendidas, já são capazes de ler e escrever pequenas frases. Aqui ficam algumas frases escritas pelos alunos:

Lara Belela e à Zara Truta do 1º ano B – 1.º B Martim Santos e Mariana Figueiredo – 1.º A

Afonso Albuquerque e Maria Albuquerque – 1.º A

Pedro Oliveira e Catarina Simões – 1º B


12

Etc & Tal...

O início de um novo ciclo SER ESTAGIÁRIA Todos os dias de estágio foram e continuam a ser experiência é, sem dúvida, o trabalho em equipa. Apesar relevantes e importantes para a minha formação, pois de ser um estágio avaliado com carácter individual, não proporcionam-me novas aprendizagens e permitem-me deixei, nem deixo de estar inserida numa equipa, de contactar e ter uma maior perceção da realidade docentes e não docentes, com quem aprendi e continuo profissional.

a aprender muito. Consegui compreender o quão

É de salientar a oportunidade que tive na convivência importante é estarmos acompanhados por pessoas que e intervenção com a turma do 1º B desde o pré-escolar, nos

ajudam,

apoiam

e

nos

fazem

melhorar

permitindo-me assim observar as várias etapas que as constantemente. Queria agradecer à Educadora Sara crianças atravessam ao longo das suas aprendizagens e Antunes e à professora Cátia Freitas pelo tempo crescimento.

Para

mim,

tudo

isto

é

bastante disponibilizado para me ajudar a melhorar e a evoluir. O

enriquecedor, pois foi possível ver todo o trabalho meu agradecimento também ao colégio que me recebeu realizado na infantil e ver a sua continuidade no 1º ciclo. tão bem! Durante

o

estágio,

procurei

sempre

desenvolver

Em relação ao 1ºB, será sempre uma turma especial,

atividades dinâmicas e lúdicas, de forma a estimular o pois foi com ela que aprendi muito e cresci. Em suma, o envolvimento dos alunos no processo de aprendizagem, estágio é sem dúvida uma experiência que me fez tentando criar vários materiais manipuláveis apelativos. É crescer tanto como educadora como professora. importante referir que, em todas as atividades que

Daniela Ferreira

realizei, pude pôr em prática e testar os meus

Estagiária do 1º B

conhecimentos, mas acima de tudo refletir sobre o meu desempenho.

Outro

aspeto

fundamental

desta

É TÃO BOM APRENDER! Levo ao ombro a minha sacola, livros, cadernos, todo o saber! Saio de casa para a escola, Com alegria quero aprender! A Turma do 1º B


13

Colégio dos Plátanos

Visitas de Estudo UMA EXPOSIÇÃO MUITO REAL Bem diferente do que estudar os órgãos do corpo e os vários sistemas, é vê-los ao vivo e a cores. As duas turmas do 3º ano foram, no dia 19 de novembro, visitar a exposição Real Bodies, que já percorreu várias cidades no mundo inteiro e que agora chega a Lisboa. A visita proporciona uma viagem incrível e verdadeira (Real) pelo corpo humano. O que os alunos viram não foram “bonecos”, mas sim órgãos e corpos reais de cadáveres, possível graças à sofisticada técnica de polimerização que permite que os corpos e órgãos humanos reais permaneçam inalterados ao longo do tempo. O objetivo da visita foi compreender a importância do nosso corpo e respeitá-lo. Note-se que a exposição mostra órgãos saudáveis e outros muito doentes, como é o caso dos pulmões dos fumadores. “Não importa a raça, não importa a sua religião, não importa se é rico ou pobre, não importa a sua orientação política…todos partilhamos um elemento comum: O Corpo Humano.”

Os Professores do 3º Ano

No dia 11 de novembro, fui a Lisboa ver a exposição Na exposição Real Bodies vimos pessoas reais, Real Bodies. É uma exposição com órgãos verdadeiros, mortas, com os seus órgãos verdadeiros. Havia muitas ossos, nervos, músculos e muitas mais coisas. salas, cada uma abordava um sistema, e alguns eu já A primeira sala era sobre a anatomia. Nessa sala sabia. havia um corpo seco e viam-se os músculos e os ossos. Na sala do sistema respiratório mostravam a A seguir, fomos a outra sala que tinha músculos e alguns diferença entre os pulmões de uma pessoa não corpos. Depois fomos a uma sala sobre o sistema fumadora e outros pulmões de uma pessoa fumadora. As digestivo, onde vimos um vídeo. Também vimos um diferenças eram assustadoras. fígado com um tumor e um fígado de um alcoólico. Na sala do sistema urinário, vimos rins, ureteres, Também assistimos a um pequeno vídeo sobre o bexigas e uretras. sistema reprodutor. A seguir, vimos como é que os bebés Na sala do desporto, vimos desportistas em diferentes se desenvolvem no ventre da mãe. Alguns dos meus modalidades. colegas estavam impressionados. Na sala do sistema reprodutor, vimos gémeos que Depois fomos a uma sala do sistema cardiovascular morreram no ventre da mãe e não se sabe porquê. onde vimos todos os vasos sanguíneos da cada parte do Nessa sala, também havia a explicação de como nasce o corpo. Por fim, fomos a uma grande sala com corpos a bebé. fazer desporto. Na exposição, observámos muitos órgãos saudáveis, Eu gostei muito! mas também podemos ver outros com doenças, como Dinis Baptista, 3.ºB por exemplo o cancro. A exposição já passou por vários países e cidades. Vai ficar em Lisboa até ao final do ano, não percam esta oportunidade de visitar uma exposição maravilhosa. Tiago Domingues, 3.º A


Etc & Tal...

14

São Martinho QUENTES E BOAS!! No dia de Dia de São Martinho, os alunos do Colégio provaram as deliciosas castanhas assadas, feitas pelo Sr. Manuel, num enorme assador. Como manda a tradição, São Martinho tratou de nos dar um radioso dia de sol, pelo que os alunos se puderam deliciar a comer as castanhas… quentes e boas, como diz o pregão.

Turma do 4.ºano A no dia de S. Martinho


Colégio dos Plátanos

15

Ipad’s na Educação JORNAL DE TURMA!! É inquestionável que vivemos na era tecnológica e que as crianças e os jovens de hoje são nativos digitais. Neste sentido, é crucial recorrer às novas tecnologias como um recurso pedagógico, tendo sido esta a aposta do colégio, no presente ano letivo, ao ter introduzido o Ipad como apoio às aulas. Os contemplados foram os alunos das três turmas do 7º ano. No âmbito da disciplina de português as professoras decidiram recorrer ao Ipad para desenvolverem o projeto Jornal de Turma. Este está associado ao estudo dos textos jornalísticos e desenvolver-se-á ao longo do ano letivo. Dividida a turma em triplas, cada uma criará textos jornalísticos (notícias, reportagens, entrevistas, etc) sobre as disciplinas que escolheram. Aqui fica o exemplo de duas capas do Jornal. 29 DE SETEMBRO DE 2015

CURABITUR LEO

AULAS COM IPAD Este ano o Colégio dos Plátanos adotou uma nova ferramenta para as aulas do sétimo ano: o iPad.

No ano 2015/2016, o 7 ano do Colégio dos Plátanos irá utilizar o iPad em aula. No ano letivo [2014-2015] uma turma do terceiro ciclo (o atual 8ºC), teve como apoio nas aulas o recurso do iPad. O uso deste equipamento foi novidade tanto para os alunos como para os professores, bem como para os encarregados de educação. Todos deram a sua opinião relativamente ao método de ensino e sobre os resultados atingidos. A opinião geral dos pais e dos alunos foi muito positiva, por isso todos os alunos do atual 7º ano adquiriram o iPad com o objetivo de melhorar a sua aprendizagem. Este método de ensino é mais eficaz, e contribui para um melhor funcionamento das aulas e incentiva os alunos a terem mais motivação para estudar. Além disso, o iPad contribui muito para o cumprimento do programa Eco-escolas, uma vez que os alunos realizam exercícios, minitestes e trabalhos neste equipamento, diminuindo assim o uso de fotocópias. Contribuindo para a preservação do ambiente. Apesar das vantagens do iPad, como por exemplo facilitar os trabalhos de pesquisa, apresentações, jogar jogos educativos etc., também há algumas desvantagens tais como: causar distração, poder causar má visão e desviar os alunos doutros métodos de estudo e aprendizagem igualmente importantes.

É IMPORTANTE QUE OS ALUNOS ACOMPANHEM AS NOVAS TECNOLOGIAS DE UMA FORMA RESPONSÁVEL MELHORANDO AS SUAS COMPETÊNCIAS. LAURA GALVÃO

ANA RITA FERREIRA

CONSTANÇA FERNANDES


16

Etc & Tal...

Ipad’s na Educação Colégio dos Plátanos

Setembro de 2015

Jornal de Turma Inês Ferreira, Leonor Castanheira, Matilde Pedreira Regras de utilização Os alunos poderão utilizar o iPad noutras ocasiões, mas com algumas regras (estas estão afixadas nas respetivas salas de aula).

Reações perante a iniciativa Adriana Cardoso, de 12 anos, aluna de uma das turmas do sétimo ano, diz o que achou desta iniciativa: "Fiquei feliz. Acho que foi uma boa ideia. Acho também que é uma excelente oportunidade para conhecermos outras formas de trabalhar e abrir os horizontes a outras possibilidades."

iPad's motivam apr endiza gem

No ano de 2015/2016 o Colégio dos Plátanos deu aos seus presentes alunos do sétimo ano a oportunidade de usar iPad's nas aulas como um instrumento de trabalho. Estes instrumentos facilitam a aprendizagem e promovem a tecnologia num bom sentido. Os alunos usá-los-ão diariamente na sala de aula, recorrendo facilmente a consultas de informação, ao dicionário e também para fazer alguns trabalhos de grupo. Eles serão usados para todas as disciplinas com intenção de ubstituir alguns manuais. Já havia sido feita uma experiência com uma das turmas do atual oitavo ano para testar como funcionaria a utilização desta nova ferramenta de trabalho na sala de aula.

João Reis

Na nossa sala de aula são bem-vindas novidades sobre as ICT e os nossos alunos, que se interessam por aprender de uma forma inovadora e lúdica, costumam trazer novas aplicações para sistemas Android e IOS. Deste modo, podemos expandir o conhecimento referente a Apps e seu conteúdo. Durante este período tivemos a apresentação de duas apps diferentes, o “Little Alchemy” pelo João Reis e a “DAQRI 4 elements” pelo Gonçalo Gomes, ambos do 4ºB.

Vieram a revelar-se aplicações muito interessantes, uma delas a 4dimensões, o que fez as delícias de todos na sala. Estão ambas relacionadas com as Gonçalo Gomes ciências e permitem-nos explorar os componentes químicos e resultados de junções de alguns elementos da tabela periódica. Para saberem mais, basta descarregarem as apps e partirem à aventura!


17

Colégio dos Plátanos

Textos Jornalísticos ALGAZARRA SILENCIOSA

A “DESIMPORTÂNCIA” DO IMPORTANTE

Já se tornou hábito fecharmo-nos todos naqueles edifícios enormes, cheios de inúmeros e pequenos compartimentos. E estes de certa forma, quer estejamos em crise, ou não, estão sempre cheios, sempre com movimento. Adoro o facto de todos nos queixarmos que a vida está difícil, mas o certo é que quando lá entramos não conseguimos sair de mãos vazias. E este ato, de certa forma, já se tornou viciante.

Todos os dias vou para casa sozinha. Não são mais do que 15 minutos, mas hoje está a parecer uma eternidade. Estou a pensar em tudo e em nada.

Até nos dias mais bonitos do ano combinamos sair, mas em vez de irmos passear ou de ir à praia... não! Saímos de um edifício acolhedor para outro muito mais barulhento que, curiosamente, já se tornou silencioso.

De repente, vejo o que parecem ser uma mãe e um filho que me despertam a atenção. A mãe está ao telemóvel, provavelmente ocupada com trabalho, e o filho, que nem reparou nela, continuava alegremente a contar-lhe como tinha sido o seu dia. O filho pede-lhe para ela o ouvir. A mãe dá-lhe um berro e o menino baixa a cabeça e segue o seu caminho calado. Continuo a andar. Aquele comportamento chocou-me bastante. Como pode uma mãe responder assim com um filho? Podia apenas ter-lhe dito para esperar que ela acabasse o telefonema, calmamente. Mas não. Isso fezme pensar. O mais importante na vida de uma mãe deveriam ser os filhos e não o trabalho. O trabalho muda -se, muda e é mudado. Um filho não. É sempre o mesmo. Por isso mesmo é que deveria ser especial. Ser tratado como único.

O aspeto mais intrigante é a forma como o nosso corpo e mente já se habituaram a tal confusão. A luz artificial, forte e branca, que já passa despercebida pelos nossos olhos, o barulho de fundo que já não é sentido pelos nossos ouvidos e a constante algazarra que não Passo pelo meio dos prédios e reparo numa paisagem nos afeta. que nunca tinha visto. Observo-a. É uma das paisagens Literalmente, trocamos a beleza da natureza por uma mais belas que já vi. Tem o campo e a cidade prisão como esta. Para além de nos manter fechados, misturados. É lindo. Pequenas coisas do dia-a-dia que já obriga-nos a despertar o sentido consumista que há em nem sequer nos damos ao trabalho de observar. Tomo todos nós... São quase ínfimas as vezes que saímos uma resolução naquele momento: vou dar importância sem um saco na mão. ao que realmente o é. Quando chegar a casa Todos nós fizemos a nossa escolha, estúpida e cruel vou abraçar os meus escolha... Escolhemos o consumo e o isolamento à irmãos e não os largar. liberdade, escolhemos desperdiçar o nosso tempo, escolhemos também... cortar de relações para com o Eles são a importância Planeta e desperdiçar, desvalorizar, toda esta aventura do realmente que é a vida. importante. Madalena, 9º A Catarina Guita, 9º A

HOMO NALEDI – UM ANTEPASSADO POR DESCOBRIR Toda a nossa vida ouvimos falar que o ser Humano, antes de se desenvolver e chegar até a um grau de inteligência e independência para criar tecnologias e inovações, passou por várias aprendizagens, descobertas e mudanças físicas que o habilitaram a chegar aos dias de hoje como “o Homem”. Já passou pelo baixo Austrolopitecus, o descobridor do fogo Homo Erectus, o manuseador Homo Habilis, o inventor de aldeias Homo Sapiens e recentemente o misterioso Homo Naledi descoberto na África do Sul. Ele vai conduzir-nos a uma viagem enorme e fantástica sobre um hominídeo que esteve escondido da Humanidade até ao dia 10 de Setembro de 2015. Mas quem é afinal o Homo Naledi? Infelizmente, ainda não tem uma época específica em que viveu na fase da evolução humana, pois os 1500 fósseis encontrados ainda não foram datados. O hominídeo tinha 1,50 metros, pesava 45 quilos e tinha o cérebro do tamanho de uma laranja. As suas mãos eram parecidas com as do ser humano. Foram encontrados ossos de, no mínimo, 15 “Homo Naledi” numa gruta sul-africana a 40 metros da zona de entrada da gruta. O Homo Naledi foi uma descoberta para a humanidade, que tem benefícios culturais. Permitiu saber que o Homem tem mais um antepassado, que se desenvolveu e evoluiu até ao ser humano que somos hoje. Tomás Figueiredo 8º A


18

Etc & Tal...

Escrita Criativa EU COMEÇO E TU ACABAS! A escrita criativa é um exercício que expõe a concretização de muitas ideias e organização do pensamento. Contudo, este nem sempre é um exercício fácil para muitas crianças. Logo, a nossa professora criou os desafios de escrita criativa, em que todos iríamos aprender com todos e por conseguinte, aperfeiçoarmos a nossa competência de escrita.

outros, e assumem vocábulos novos, e ainda se empenham mais na sua caligrafia e ortografia. Como diz a nossa professora, “Quando escreves, escreves para ser lido por ti e pelos outros!”. A Turma do 4º B

E como funciona? Todas as segundas-feiras é-nos dada metade de uma folha A4 e um tema. Cada aluno escreve a Introdução e Metade do Desenvolvimento, até deixar em suspense a missão a concretizar. No final da semana, cada aluno recebe aleatoriamente, uma dessas histórias, e terá que acabar o Desenvolvimento e elaborar a Conclusão da mesma. Após cada história estar concluída, a professora corrige-as e os pares apresentam a história que foi criada em conjunto, analisando o que correu bem ou menos bem. De um modo geral, o balanço tem sido bastante positivo, dado que os alunos se inspiram em ideias já criadas por

ONOMATOPEIAS DO 4ºA “Co co ro có có”, canta o galo de manhã.

Alguém agarra numa revista e “zás”, já foste! A chuva Há quem não o ouça e acorde com o “triiiim” do passou e o sol voltou. “Piu, piu, piu”, ouvem-se os despertador. Desliga e já só ouve o “tic-tac”, “tic-tac” do passarinhos lá fora. “Rrrrrrr”, “rmmmmm”, ronrona um relógio. “Ão-ão”, chama o cão da rua. “Glup-glup”, bebe o gato que do parapeito fita as crianças. Viva a primavera! leite de um trago e vai de carro para a escola “vrum, vrum, vrum”. Há sempre muito trânsito de manhã. “Pi-pi”, buzinam os mais apressados. Chega à escola outra vez atrasado: “triiim”, está a dar o toque, a aula vai começar. Escada acima “catrapum, catrapum” e “truz truz”, bate para entrar. Apressado, nem repara que bate a porta com força “Pum!”. A professora não gosta e faz um “Ahhh”, de admiração. Procura o seu lugar e tropeça numa mochila: “Pow”, cai ao chão. “Xiu”, faz alguém que se quer concentrar. Mas bateu com o joelho na cadeira e começa a chorar: “Buá, buá”. A professora acalma-o e vai ao armário buscar uma pomada. “Iiiiiiiiiii”, - a porta precisa mesmo de óleo. Já tudo mais calmo, o silêncio regressa à sala do 4ºA, onde se estudam as onomatopeias. Lá fora começa a chover “ping, ping”, “ping, ping”. O vento também se ouve pelas frestas “Vuuu”, “vuuuu”. Está frio na sala. “Cof, cof”, alguém tosse. “Snif, snif”, alguém funga. “Brr”, está frio, diz a professora e “tchic”, liga o aquecedor. A aula prossegue com a apresentação de trabalhos de grupo. “Clap, clap, clap”, os alunos batem palmas aos colegas. De repente “zzz”, “zzz”, uma mosca a chatear.


Colégio dos Plátanos

19

Escrita Criativa TRAVALÍNGUAS A vida é uma sucessiva sucessão de sucessões que se sucedem sucessivamente sem suceder o sucesso. Mariana Limpo, 6.º B Uma roda começa a rodar, e diz que roda mais depressa que a outra roda, mas a roda diz que rodar não é para ela, porque as rodas rodam da forma que as rodas querem rodar. Guilherme Timula, 6.º B O pai perguntou ao Pedro se o Pedro partiu o pé, o Pedro respondeu ao pai que pensou que o pé partiu, por pôr o pé no pedal da bicicleta do pai do Paulo. Rita Abraços, 6.º B O Rui ralhou com o Renato na rua dos Ramos e o Ramalho fez um ramo robusto de uma árvore ramalhada. Ana Rita Martins, 6.º B

ACRÓSTICO DAS PROFISSÕES

Não é facto nem verdade Não é verdade nem facto A verdade é que isto é um facto E o facto é verdade. Pedro Silva, 6.º C O primo perguntou à prima Quantos primos a prima tem. A prima respondeu ao primo, Que não tinha nenhum primo, Pois mais ninguém era irmão da sua mãe. Filipe Noutel, 6.º C O que está dito não pode ser mais dito porque dito, dito está. As coisas não ditas, ditas não estão. As coisas ditas, ditas estão. João Caldeira, 6.º C

SER ESTUDANTE É...

Filmar, gravar e fotografar O que eu quero é isto Tanta coisa para fotografar, a primeira vai ser o mar Oliveiras e olivais, tudo misto! Golfinhos e outros animais! Ramos com bananas e macacos a comer, Ao molho todos irão encontrar Favor não ter medo, não há nada a temer! As fotografias mais tarde vão amar! Marta Moreira, 4ºB

Para mim a escola É a minha segunda casa Onde a minha inteligência Nos testes arrasa.

Vitelas, cães , golfinhos … E muito mais Todos são fofinhos E alguns vivem em quintais Ratos e leões Inteligentes todos são Na selva não há portões A natureza é o seu coração Rotas vão criar, Invernos vão passar Amigos todos são !!!

Podia ser famosa Ou ser uma beleza, Mas com esta escola Tenho um bom trabalho de certeza!

Para mim ser estudante É bestial E se boas notas tenho Aí vem uma prenda divinal.

Temos os amigos Sempre prontos para ajudar, E se alguma coisa nos acontece Logo nos vêm apoiar. Mariana Caldeira, 4º B

Professora vou ser Rimas vamos fazer, Ou desenhos p’ra oferecer! Fazer trabalhos eu gosto, Ensinar também! Sempre vou adorar os meus alunos! Se ganhar mos concursos, Os prémios vamos receber! Rir juntos, isto é que vai ser, A minha profissão eu gosto de ter! Madalena Martins, 4ºB

E depois vêm os bailes Que animação! Um grande momento Vamos lá à diversão. Inês Louro, 6.º B


Etc & Tal...

20

Ano Internacional da Luz LUZ - FONTE DE VIDA!! A Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou 2015 como o Ano Internacional da Luz e Tecnologias baseadas na Luz. Ao proclamar um Ano Internacional dedicado às ciências da luz e às suas aplicações, a ONU reconhece a importância de aumentar a consciência global sobre a forma como as tecnologias baseadas na luz promovem um desenvolvimento sustentável e fornecem soluções para desafios globais tais como a energia, a educação, a agricultura e a saúde. No âmbito desta Comemoração os alunos do 8º A, 8º B e 9ºB fizeram poemas sobre o tema “A Luz” Eis alguns exemplos. A luz é tudo

Posso ver a luz

Sem luz na minha vida

Tudo o que se vê

Que vem do alto

Não conseguia viver

Tem infinitas formas

A luz do Sol que mostra

Pois dela preciso

E ninguém sabe porquê

Que a vida tem calor

Para ler e escrever.

Exala energia Viaja rapidíssimo

Exprime ardor.

A milhões de quilómetros à hora

Sem luz na minha vida Não iria aguentar

Quando a tentamos apanhar

Posso ver a luz

Pois dela preciso

Ela vai-se logo embora

Pálida da lâmpada

Para cozinhar e lavar.

Que movimenta, aquece e ilumina A luz pode ser artificial Foi o que Edison descobriu Revolucionou o mundo E a lâmpada surgiu

O nosso dia a dia Posso ver a pequena luz Da vela ou da lamparina Que vacila, não ilumina mas brilha

Sem luz na minha vida Nada faria sentido Pois dela preciso Para falar com o meu amigo.

2015 é o Ano da Luz

Posso ver a luz

Sem luz na minha vida

Ano em que vamos comemorar

Que vem do coração

Tudo seria sem cor

Tudo o que esta nos dá

A luz do sorriso e do olhar

Pois dela preciso

E ainda o que nos vai dar.

Para encontrar o meu amor. Posso ver a luz que nos une

Ricardo Rocha, 9º B

Num abraço maternal. Margarida Mesquita, 8º B

Matilde Amaral, 9º B


21

Colégio dos Plátanos

Ano Internacional da Luz LUZ - FONTE DE VIDA!! A luz é infinita Brilhante e bonita Grandeza espacial Para ela fiz Este poema especial.

Todos sabemos A importância da luz, Sem esta luz, Muito dificilmente vivemos.

Vejo-a a toda a hora E se se fosse embora Não seríamos o que Somos agora.

A luz natural, Na rua ao meio-dia Beneficiamos do sol Durante para do dia. A falta desta luz faz mal.

Luz em todo o lado Lâmpadas, arco-íris, trovões É pacífica Não arranja confusões.

A luz artificial, Na sala, no quarto, no hall, Sempre que nos apetecer Podemos apagar ou acender.

Intocável, refletível Um raio invencível Nasceu do Sol Não é um caracol.

A luz natural Só durante o dia a vemos A luz artificial A qualquer momento nela mexemos.

A luz é importante Para sobreviver Pois sem ela não conseguimos Ler nem escrever. Mas para luz ter Vamos ter de aprender A poupar Se não esta vai acabar. E para finalizar Vamos recordar Que a luz temos sempre De apagar.

É rápida e ágil Nada frágil A luz não tem fim A luz é assim.

Não é fácil imaginar A sua velocidade. Acreditam na sua capacidade? São 300 mil quilómetros por segundo Mais rápida do que um foguetão a Tomás Figueiredo, 8º A voar. Carlos Moisés, 8º B

UM PRESÉPIO LUMINOSO!! O Colégio dos Plátanos associou-se Comemorações do Ano Internacional da Luz.

às

Os alunos do 2º ano aproveitaram por isso as experiências que têm feito no laboratório de Físicoquímica, para, com a preciosa ajuda da professora Maria José Sequeira, criar um Presépio Químico, em exposição junto à secretaria. Uma lâmpada de luz U.V. ao incidir em substâncias químicas emite luz, dando-se a fluorescência. Ficou espetacular e muito original. Recorde-se que o Ano Internacional da Luz é uma iniciativa da Organização das Nações Unidas que destaca a importância da luz e das tecnologias óticas em tudo o que fazemos.

As Turmas do 2º Ano

Inês Policarpo, 8º A


Etc & Tal...

22

Vá para fora cá dentro DE CAMINHA A VIANA DO CASTELO

DOURO UMA REGIÃO A VISITAR

A região do Minho localiza-se no Norte de Portugal, entre os rios Douro e Minho, fazendo fronteira com Espanha. É constituída pelos distritos de Viana do Castelo e Braga. As principais cidades são: Barcelos, Braga, Caminha, Guimarães, Ponte da Barca, Ponte de Lima, Vila de Conde e Viana do Castelo. Pode começar a sua viagem em Caminha e visitar a Torre do Relógio e os Passos do Concelho. Seguindo para sul em direção a Viana do Castelo terá a hipótese de desfrutar da paisagem no Monte de Santa Luzia e visitar a Capela da Nossa Senhora da Agonia. Saindo em direção a Ponte de Lima, poderá atravessar uma ponte romana com arcos originais. No centro da cidade poderá visitar o Museu dos Terceiros (arte sacra) e o Palácio dos Marqueses. Seguindo na direção a este, chegará à bonita cidade de Ponte da Barca, onde poderá contemplar a Ponte do Séc. XV e a Igreja de Bravães. Prosseguindo a nossa viagem em direção à cidade Braga, terá a oportunidade de visitar o Bom Jesus do Monte, onde poderá subir o escadório dos cinco sentidos. Mais tarde, no centro da cidade poderá visitar o Palácio do Raio e o Palácio dos Biscainhos. A oeste de Braga temos a cidade de Barcelos, conhecida pela sua lenda do famoso “Galo de Barcelos”. Mas se em Braga seguir para sul, encontrará a cidade de Guimarães, o berço da nossa Nação. Terá a hipótese de visitar o Castelo de Guimarães e o Passo dos Duques. Na região do Minho terá a oportunidade de visitar o Parque Nacional Peneda-Gerês. Este parque é uma das maiores atrações naturais de Portugal. Foi criado em 1971 e tem uma área de 700km². Tem uma rica fauna e é conhecido por se poder observar lobos, águias douradas e cavalos selvagens. Outra das riquezas naturais é o Vilarinho das Furnas, onde poderá encontrar paisagens maravilhosas e nadar no rio Homem. Esta região é conhecida pela sua maravilhosa gastronomia, onde poderá provar o típico Caldo Verde, o Bacalhau à Minhota, Papas de Sarrabulho, Rojões à Minhota e para sobremesa poderá optar entre o Pudim Abade de Priscos e a famosa Aletria. Falando de riquezas, em Viana do Castelo poderá assistir, durante o mês de agosto, ao Desfile da Mordomia que faz parte da romaria da Nossa Senhora da Agonia. Nele desfilam apenas mulheres com trajes tradicionais (de noiva, festa ou mordoma) e usando peças de ouro que vão transitando de geração em geração. Estas são algumas sugestões para conhecer a região do Minho. Aproveite também para desfrutar da simpatia e hospitalidade das pessoas desta região.

O Douro é uma província portuguesa situada a norte no litoral de Portugal, recebendo este nome devido ao rio que a atravessa. A sua capital é o Porto. O Douro abrange uma grande área vinícola, a zona histórica do Porto e vários parques naturais. Também apresenta montanhas e planaltos, lindas praias fluviais e diversos monumentos como as catedrais e palácios, miradouros para o rio Douro e as afamadas quintas que produzem um dos mais procurados e requintados vinhos do mundo.

Gonçalo Almeida e Margarida Sotana 8ªB

Do Porto destacam-se os pratos de bacalhau e de carne e uma doçaria secular de grande sabor e riqueza. Comer “à moda do Porto” é comer em abundância. Os pratos principais são: Caldo Verde, Broa, Bacalhau à Gomes de Sá, Cabrito Assado, Tripas à moda do Porto, Francesinha, Pão de Ló, Biscoito da Teixeira e claro, o Vinho do Porto. Do património histórico destacam-se o Castro de São João das Arribas, a Igreja do Antigo Convento dos Frades Trinos / Biblioteca Municipal de Miranda do Douro, a Ponte dos Canos, Vestígios do Castelo de Miranda do Douro ou Sé de Miranda do Douro / Igreja de Miranda-Antiga Sé de Miranda do Douro. Para se visitar o Douro pode optar por percursos terrestres ou cruzeiros. De cruzeiro aconselha-se fazer uma viagem pelo rio acima, a apreciar as maravilhosas paisagens e plantações vinícolas. Os percursos terrestres são os mais procurados, como por exemplo, a Rota do Vinho, um percurso pelas quintas do Douro que oferece um excelente acolhimento e restauração. Aconselha-se visitar a cidade de Lamego, capital cultural do Douro devido aos vários monumentos e os seus miradouros fantásticos; Peso da Régua, a capital comercial do vale do Douro de onde eram recolhidos os bidões de vinho do Porto ao longo do tempo; Pinhão, uma vila pitoresca lindíssima com vista sobre o rio Douro; e por fim Vila Nova de Foz Côa, onde se destacam as pinturas rupestres em grutas perto do rio. Duarte Silva e Margarida Prazeres, 8ºB


23

Colégio dos Plátanos

Vá para fora cá dentro UM RURAL ENESQUECÍVEL Trás-os-Montes é uma magnífica província a Norte de Portugal, onde pode disfrutar de uma experiência rural inesquecível. Corresponde aos distritos de Vila Real e Bragança e a alguns concelhos a Norte de Viseu e Guarda. É uma das províncias portuguesas com maior emigração e consequente despovoamento, o que lhe assegura momentos de paz e silêncio com a natureza em redor. O relevo é formado por altas montanhas que contrastam com vales profundos e espantosas bacias hidrográficas. O clima é temperado continental o que o torna mais frio nas zonas montanhosas e nos planaltos, e mais quente nas encostas do rio Douro voltadas a Sul. Para aproveitar a visita a Trás-os-Montes, poderá visitar a típica vila do Pinhão, considerada património mundial da humanidade pela UNESCO devido à sua fabulosa panorâmica. Além de algumas das mais famosas quintas produtoras do vinho do Porto e do Douro, a vila também inclui uma reconhecida estação dos caminhos-de-ferro com 24 famosos painéis de azulejos, que retratam paisagens do Douro e aspetos das vindimas. Mais tarde, para descontrair, sente-se num confortável lugar do comboio histórico da CP que segue a Linha do Douro e descubra uma das mais belas paisagens ao longo do rio Douro. Para apanhar o comboio, e realizar um percurso de até 200 quilómetros sobre o Douro, dirija-se a uma das estações, como por exemplo a estação do Pinhão. Também aconselhamos a visita a duas pitorescas cidades: Mirandela e Vidago. Ou, se preferir a arquitetura românica, dirija-se a Chaves que, além da Ponte de Trajano, também inclui bons restaurantes para apreciadores da comida transmontana. Outra região bastante aconselhada é Vila Nova de Foz Coa, vulgarmente denominada de Foz Coa, uma cidade classificada de Património Mundial da Humanidade pela UNESCO devido ao património histórico que inclui as mundialmente conhecidas pinturas rupestres situadas no Vale do Coa/Parque arqueológico. Para quem não tem vertigens, porque não visitar Pitões das Júnias? Situada na cota dos 1100 metros de altitude é uma das povoações mais altas de

Portugal e a povoação mais alta do Barroso. A fauna e a flora riquíssima também podem constituir outra razão para a visitar. Um local imperdível é a Ponte de Misarela que, erguida na Idade Média e reconstruída no século XIX, tem uma notável inclinação devido ao facto de, segundo a lenda, ter sido construída pelo Diabo… Não deixe de visitar a Cidadela de Bragança, um reconhecido recinto fortificado por uma muralha, que inclui a elegante Torre de Menagem, a Domus Municipalis, o Pelourinho e um grande passado histórico. Caretos no Carnaval Caso se queira divertir, não falte às tradicionais festas de Trás-os-Montes como a Romaria da Senhora dos Remédios e a Romaria da Senhora da Lapa. Também poderá visitar as Festas dos Rapazes pelo São Silvestre, onde, em aldeias vizinhas de Bragança, homens de todas as idades saem à rua, fugindo às habituais rotinas e às respetivas mulheres. Outra das festas conhecidas é o Entrudo dos Compadres em Lazarim (Lamego), onde o povo ocupa as ruas com máscaras, maioritariamente de madeira, com o objetivo de celebrar o final da Quaresma. Mas a festa mais importante e mais reconhecida na região é a Festa dos Caretos que acontece em Podence pelo Carnaval. Nesta festa, figuras diabólicas correm pelas povoações assustando as pessoas e ao mesmo tempo brincando com elas. Sabores característicos Se for apreciador de vinhos poderá desfrutar dos vinhos do Douro e do Porto ou deliciar-se com alguns dos saborosos enchidos da região. Também poderá provar da melhor carne portuguesa, nomeadamente as suculentas postas Maronhesa, Mirandesa ou Barrosã. Se preferir doces, tem como exemplo os deliciosos Pastéis de Santa Clara. Laura Santos e Miguel Domingues, do 8ºB


24

Etc & Tal...

In English ACTIONS SPEAK LOUDER THAN WORDS

O

s alunos do 4.ºA desenvolveram um projeto muito interessante na disciplina de Inglês. O tema do projeto é «Actions speak louder than words», ou seja, as ações valem mais do que as palavras. Este trabalho consistiu na realização de um photobook da turma com os alunos a realizarem diferentes ações: individuais e de grupo. Inicialmente, cada aluno elaborou a sua cover (capa) e posteriormente, no exterior registaram as ações com os respetivos materiais para representar cada ação. Vejam o resultado!

They are setting the table.

They are shopping.

They are cooking.

They are studing.

They are singing.

They are sleeping.


25

Colégio dos Plátanos

Eventos OLIMPÍADAS REGIONAIS DE FÍSICA E QUÍMICA JÚNIOR

R

ealizaram-se nos dias 13 e 20 de Novembro, no Laboratório do Colégio, as Provas de Seleção a nível de escola das Olimpíadas de Química Júnior e das Olimpíadas Regionais de Física. A equipa apurada para representar o nosso Colégio nas Olimpíadas de Química Júnior é constituída pela aluna do 9º ano Turma A Eva Carolina Coelho Silva e pelos alunos do 9º ano Turma B, Ana Catarina Aguiar e Ana Rita dos Santos Faria. Para representar o nosso Colégio nas Olimpíadas Regionais de Física, ficaram apurados os alunos David Duarte Elias, do 9º ano Turma A, Ana Catarina Aguiar e Hélio Daniel Patrício do 9º ano Turma B. Prof.ª Maria José Sequeira

LITERACIA 3D

N

os dias 23, 24 e 25 de novembro, alguns alunos do 5.º, 7º e 8º anos participaram numa iniciativa, “LITERACIA 3D”, no âmbito das disciplinas de Português, Matemática e Ciências, que consiste num desafio nacional, da responsabilidade da Porto Editora. Os alunos do 5.º ano de escolaridade foram desafiados a participar na Literacia de Leitura, os alunos do 7º ano na Literacia da Matemática e os do 8º ano na Literacia das Ciências. De entre os alunos que se inscreveram nesta iniciativa, foram selecionados cinco de cada turma. Na semana de 23 a 27 de novembro realizaram-se as provas individuais, numa área específica da plataforma online da Escola Virtual, e que servirão para apurar o melhor aluno de cada nível de competição. As provas foram constituídas por um conjunto de perguntas sobre a dimensão da literacia (no caso do 5.º ano, de leitura; do 7º ano, de matemática e do 8º ano, nas ciências). Depois desta primeira fase, a de Escola, seguir-se-ão as fases Distrital e Nacional. Os alunos estavam empolgados e realizaram todas as questões com muita concentração. Desejamos boa sorte a todos os que participaram e que representaram o nosso Colégio! Prof.ª Sara Alves Prof.ª Andreia Sénica


26

Etc & Tal...

Educação Musical OUVIR A AMÉRICA NA GULBENKIAN No dia 30 de outubro, os alunos dos 4.º e 5.º anos foram ver a Orquestra Gulbenkian, dirigida pela maestrina Joana Carneiro, num concerto chamado “Bem-vindos à América” com peças musicais dos compositores: Arturo Márquez, Leonard Bernstein e Maurice Ravel. Foi uma experiência bastante interessante. Também pudemos ver e ouvir ao vivo todos os instrumentos da orquestra, que aprendemos na aula de Educação Musical. Comentários dos nossos colegas: Bruna Rodrigues e Carolina Baptista, 5.º B «Foi impressionante»; Margarida Mota, 5.º A - «Foi o máximo. Tinha melodias excelentes. Tinha músicos espantosos e histórias muito interessantes»; Rita Passos, 5.º C – «Gostei muito, principalmente de tentar distinguir os sons dos instrumentos»; Diogo Anjos, 5.º B - «Muito engraçado. Gostei da música». Filipe Churrito, 5.ºB - «Gostei de todas, especialmente da 1.ª e 2.ª músicas»; Matilde Silva e Matilde Figueiredo, 5.º C - «Gostámos muito de ouvir as Harpas»; Inês Guerreiro, 5.º B - «Gostei muito»; Lara Chinita, 5.º B - «Achei engraçado eles conseguirem tocar ao mesmo tempo sem se baralharem»; Alice, 5.º B - «Adorei»; Tomás Ferreira, 4.º B - «Gostei muito dos instrumentos»; Ana Filipa, 5.º B - «A orquestra estava bem apresentada. Foi uma boa experiência».

LEONARD BERNSTEIN Leonard Bernstein nasceu a 25 de agosto de 1918 em Nova Iorque. Foi maestro, compositor e pianista americano. Vencedor de vários Emmys, Bernstein foi o primeiro compositor nascido nos Estados Unidos no século XX a receber reconhecimento mundial. As

suas

composições, como

West

Side

Story,

Candide, e On the

Town,

foram inspiradoras de carreiras de uma geração de novos músicos. É uma das figuras mais influentes na história

da

música

clássica

americana. Mª Eduarda Santos Matilde Figueiredo, 5.ºC


27

Colégio dos Plátanos

Educação Musical ARTURO MÁRQUEZ Arturo Márquez nasceu em Álamos, no dia 20 de dezembro de 1950, e tem agora 64 anos. Irmão mais velho de 9 filhos, foi o único que seguiu a música. É um reconhecido compositor de música orquestral que incorpora nas suas composições as suas raízes e cultura mexicana. Filho e neto de músicos, desde cedo teve contacto com o meio artístico e musical, o que viria a ser o impulso para o seu reportório. Na sua adolescência ouvia Javier Solis, sons de mariachi, os Beatles, os Doors, Santana e Chopin. Aprendeu a tocar trombone, violino e piano. Começou a compor aos 16 anos, integrou o Mexican Music Conservatory, onde estudou piano e teoria musical entre 1970 e 1975. Estudou composição entre 1976 e 1979 com Federico Ibarra, Joaquim Guiérres Heras e Héctor Quintanar. O governo francês atribuiu-lhe uma bolsa para estudar composição em Paris com Jacques Casterede e, posteriormente, os EUA premiaram-no com uma bolsa de estudos Fulbright, tendo obtido um mestrado em composição em 1990 no California Institute of Arts. Aí teve a oportunidade de estudar com Morton Subotnick, Mel Powell, Lucky Mosko e James Newton. As suas obras são fundidas através da música latina, jazz e contemporânea. As suas primeiras composições foram Moyolhuica e Enigma em Cité des Artes. Apesar de ser um compositor amplamente conhecido no México, a internacionalização da sua música surgiu com a sua série de Danzones no início de 1990. Os Danzones baseiam-se na Música Cubana e na região de Veracruz e foram incluídos no programa da Orquestra Juvenil Simón Bolívar, conduzido por Gustavo Dudamel na sua tournée da Europa e dos Estados Unidos em 2007.

Como resultado da forte resposta do público ao desempenho da peça, Danzones 2 estabeleceu-se como uma das principais peças executadas pela orquestra. Foi também o ponto de partida para a descoberta de outras peças do compositor que foram sendo gravadas em todo o mundo por uma variedade de conjuntos de câmara, orquestras sinfónicas e solistas. Compôs numerosas partituras para obras de cinema e dança. Ao longo da sua carreira, foi por diversas vezes homenageado e premiado. Fez “história” ao ser o primeiro músico a receber “La Medalla de Oro de Bellas Artes do México”, um dos prémios mais cobiçados no México. Em 2005, realizou-se o Festival Internacional de Música de Arturo Márquez em homenagem ao compositor. Em 2014 foi novamente homenageado como Compositor-inResidence durante o Tour do Caribe da Orquestra YOA das Américas. Os seus Danzones, neste momento, podem ser ouvidos no grande auditório da Gulbenkian num concerto comentado para escolas. Arturo Márquez é um compositor muito popular entre o público latino-americano e é amplamente reconhecido como um dos compositores mexicanos mais importantes e admirados da sua geração.

Marta Coelho e Stella Dupim, 5.º A

MAURICE RAVEL Maurice Ravel nasceu a 7 de março de 1875, em Ciboure, Paris, e faleceu no dia 28 de dezembro de 1937, em Paris, com 62 anos. Era muito conhecido por ser um excelente compositor e pianista, tocava principalmente música clássica. As suas principais obras foram Daphnis et Chloé; Bolero; Gaspard de la nuit.

Bruna Rodrigues e Lara Chinita, 5.º B


28

Etc & Tal...

Matematicando “BRINCAR COM A MATEMÁTICA” Os alunos do 2º ano foram ao Museu das Crianças, em Lisboa, brincar com a Matemática. Isso mesmo! Para mostrar que afinal os números não são um bicho-de-sete-cabeças. E parece que resultou! Os alunos vibraram com as patetices do personagem Chico Mateus, um menino que não gosta de fazer contas nem de números. Isto, até ao dia em que ele sonha com o Espírito da Matemática, altura a partir da qual passa a tratar a disciplina por “tu”. Os alunos tiveram direito a fazer contas no quadro e interagiram bastante com o monitor da atividade, percebendo que é possível e divertido brincar com os números!

Camila Sanches, 2ºA

Alunos do 2ºB

COM PALHINHAS FIZEMOS UM SÓLIDO Os alunos do 2º ano estão a dar os sólidos geométricos em Matemática. Já sabem que, apesar de terem alguma coisa em comum, um cubo é diferente de um quadrado, uma esfera diferente de um círculo e um retângulo também é diferente de um paralelepípedo. Daí que, com a ajuda de palhinhas e plasticina, tenham feito, cada um o seu sólido. Agora nunca mais se vão esquecer do que é uma face, um vértice, uma aresta, um prisma ou uma pirâmide. Boa!!!

As Turmas do 2º Ano

Duarte Faísco, Sofia Veiga, Sofia Sereno, Helena Antunes, Gabriel Afonso, Rita Silva, Sara Branco e Madalena Neves


Colégio dos Plátanos

29

Matematicando KANDINSKY NA SALA DE AULA Inspirados no artista plástico russo Kandinsky, os alunos do 4º A fizeram desenhos utilizando apenas formas geométricas, tal como fazia o pintor. A criatividade não se fez esperar e o resultado são paredes super coloridas e com muita energia. Os trabalhos foram feitos no âmbito da disciplina de matemática. E o seu ritmo e movimento não engana: círculos, ovais, triângulos, riscas, umas ascendentes outras descendentes, utilizando sobretudo cores primárias... É sem dúvida uma parede Kandisky! Este senhor não foi um matemático, pois não, e sim um pintor russo, mas deu o mote a que os alunos do 4º A explorassem a sua criatividade utilizando apenas formas geométricas, as que quisessem, tal como fez em tempos, o pintor, considerado como um dos nomes chave do abstracionismo. Os trabalhos ficaram muito originais. Eis alguns exemplos! Madalena Silva, 4.ºA

Afonso Silvestre, 4º A

Alice Veiga, 4.ºA

JÁ SABEMOS UTILIZAR O COMPASSO!

D

esde o início do ano que este material aguardava o dia de ser utilizado. Nós bem tentámos colocá-lo em cima da mesa e depois a professora dizia: “Ainda não é para usar o compasso!”. Enfim, o tempo foi passando até que finalmente chegou o grande dia de utilizarmos o nosso querido compasso! Ao início, a mão ainda não estava flexível como o desejado, mas, por fim, lá conseguimos, com treino, produzir as nossas rosáceas. Portanto, o 3.º ano já sabe utilizar o compasso! A Turma do 3.ºB

Gonçalo Oliveira

Alexandre Rodrigo

António Ramos

Thiani Almeida


30

Etc & Tal...

O poder da meditação A MEDITAR, AS EMOÇÕES VAMOS TRABALHAR Os alunos do 1.º ano têm participado em sessões de meditação para crianças e respiração consciente, com a mediadora Andreia Saraiva, da HappyFeelings. Como a própria explicou, os principais objetivos destas sessões quinzenais são ajudar as crianças no seu desenvolvimento consciente e pleno, através da respiração, da introspeção, do silêncio e do sentir a ser. Estes momentos de tranquilidade e reflexão irão com certeza ajudar as nossas crianças em vários aspetos, tais como a melhoria da concentração, capacidade de lidar com a ansiedade, maior autoestima e maior capacidade de expressar e lidar com as suas emoções. E a avaliar pela opinião dos alunos, nota-se que estão a adorar! “Estas sessões são boas para ficarmos calmos”. Maria Fonseca, 1.º A “Gosto destas sessões porque fico mais calmo”. Bernardo Pinto, 1.º A “As sessões ajudam a relaxar e a acalmar”. Mariana Figueiredo, 1.º A “A Andreia ensina-nos regras para nos acalmarmos”. Samuel Alves, 1.º A “Eu gosto quando a Andreia põe músicas muito calmas”. António Filipe, 1.º A “Ensina-nos a ficar concentrados e atentos”. Raquel Nogueira, 1.º A

“Fazemos atividades divertidas e que nos ajudam a estar com atenção”. Fausto Fonseca, 1.º A


31

Colégio dos Plátanos

Halloween UM DESFILE MESMO HORRÍVEL!!! Bruxas, vampiros, homens sem cabeça, dráculas e zombies. O Halloween nos Plátanos é levado muito a sério e a cada ano que passa, há máscaras cada vez mais horríveis. Na Infantil não é tanto assim, claro, onde alguns monstros e bruxinhas ainda andam de chucha... Pequenos e mais crescidos, uma coisa é certa, todos estão entusiasmados com o desfile, mesmo que não se ganhe... Acompanhados pelos alunos do 3.º ciclo, não fossem eles os organizadores da festa, seguem dois a dois na passarela, com esperança de assustar os membros do júri e conquistar o tão desejado troféu de máscara mais horrível. À tarde, decorreu um baile para os mais crescidos, que decoraram o refeitório a preceito. O segundo ciclo festejou o Halloween até às 20h00 e terceiro até às 23h00.

Vencedores 1º Ciclo: Cloe Kellen(3º B), Marta Sanches (4ºB), Afonso Ferreira e Dinis Silva (3º A)

Vencedores Infantil: Matilda Santos, Benjamim Furtado e Guilherme Francês No Halloween doces vamos buscar Se não nos derem Partidas vamos pregar No desfile vamos arrasar Se no pódio queremos ficar Um bom fato teremos de arranjar A câmara dos horrores queremos ultrapassar Quando chegarmos à sala não vamos chorar E a professora vai-se admirar! Muitos doces não podemos comer Pois os nossos dentes estão a crescer. Enfeitar a sala é o nosso dever Para depois fazermos uma festa a valer! Matilde Rua, Martim Malagueta, Rodrigo Pires, 4º A


32

Etc & Tal...

Diversos OS NOSSOS ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO Alguns alunos do 1º ano B, a Zara com o seu gato, a Lara com o seu coelho e a Leonor Peneda com o seu hamster, quiseram mostrar os seus animais de estimação à turma e também à professora! Todos quiseram saber o que cada um comia, como tomavam banho… estavam tão curiosos e felizes! Gostámos muito desta partilha! Prof.ª Cátia Freitas

Lara Belela, 1º B

Leonor Peneda, 1º B

PROTEU: CINCO ANOS SEM COMER A nossa professora foi à Eslovénia, no âmbito do projeto Lifelearnig Erasmus + e no regresso, mostrou-nos algumas coisas típicas daquele país. Falou-nos de umas grutas que tinha visitado e que eram lindíssimas. Quando nos mostrou um postal, com a fotografia de um animal, prontamente disse: “É um proteu!”. O meu gosto pelos livros fez-me ter a resposta na ponta da língua e no dia seguinte expliquei aos meus colegas alguns factos sobre este animal. O proteu é uma salamandra cega que vive cerca de 100 anos nas cavernas da Eslovénia e da Croácia. É o anfíbio com a vida mais longa por isso os cientistas querem descobrir por que razão o proteu vive tanto tempo já que seres vivos mais pequenos normalmente vivem menos tempo. É branco em todo corpo e consegue estar até cinco anos sem comer.

Diogo Matos, 4ªB


Colégio dos Plátanos

33

Diversos O REINO DA COMILÓNIA O professor do 3.º A desafiou os seus alunos a ilustrar a “História do Reino da Comilónia” de Gianni Rodari. Os alunos trabalharam em grupo e cada um tinha que ilustrar um rei da história.

O primeiro rei foi o “Digestor”, assim chamado por trincar o prato, depois de comer o esparguete, e digerir tudo maravilhosamente.

Sucedeu-lhe ao trono o Três Colheres, dado que comia a sopa utilizando simultaneamente três colheres de prata: duas que ele próprio agarrava com as suas mãos e uma que a Rainha segurava.

Depois subiu ao trono o “Sopas”, o” Costela à Parmesã”, o “Esfomeado”, o “Trinca-perus” e o “Não há Mais?”, que acabou por devorar a coroa.

Seguiu-se no trono o “Côdea de Queijo”, o qual não achando mais nada que comer em cima da mesa, deu em engolir a toalha. Por fim, subiu ao trono o “Queixada de Aço”, que devorou o trono juntamente com as almofadas. E assim acabou a dinastia. A Turma do 3º A


Etc & Tal...

34

Diversos O PRIMEIRO DIA DE AULAS O meu primeiro dia de aulas foi fantástico, pois pude

tinha de me esforçar e seguir em frente porque sei que,

reencontrar-me com os meus amigos e apagar as

se realmente quisermos alcançar alguma coisa, a

saudades que tinha por eles. Diverti-me imenso,

iremos conseguir.

conheci pessoas novas e adorei.

As minhas expectativas para este ano são muito

Quando entrei na minha sala nova, estive com a minha diretora de turma e com alguns dos professores que

nos

ajudaram

a

organizar

os

boas e espero ter ótimas notas. Resumindo, este foi e será o melhor dia deste ano!

materiais.

Inês Cançado, 6.º C

Conversámos sobre o ano letivo, preenchemos os novos cadernos e o nosso cartão de aluno. Mas, como a escola não é um mundo cor-de-rosa, quando cheguei, tinha algum receio pois os exames estão a chegar, os testes, as provas… enfim, sabia que

UM DIA DIFERENTE NUMA ÉPOCA ESPECIAL No dia 10 de dezembro, os alunos do 3.º A tiveram uma manhã especial. A mãe do André, a Srª Raquel Reis, disponibilizou este dia para criar com a turma um postal de Natal. Partilhando assim, com toda a turma, o seu entusiasmo e habilidade para a realização deste tipo de trabalho. Escusado será dizer que na turma reinou o entusiasmo, a euforia e sobretudo a vontade de aprender para fazer tudo direitinho. E não é que quando a mãe do André explicava os vários passos todos os alunos tinham os olhos bem abertos e os ouvidos à escuta. Uma vez que, no final do dia, todos queriam levar para casa o seu postal de Natal demonstrando, assim, orgulho pelo trabalho realizado. Obrigada Raquel pelo excelente trabalho, ora vejam:

A Turma do 3º A


35

Colégio dos Plátanos

Diversos

JÁ CHEIRA A NATAL! É sem dúvida a quadra mais bonita do ano. As salas da Infantil, Pré Escolar e 1º ciclo estão lindas! Pinheirinhos, estrelas, Pais Natal e até presépios, tudo tendo em conta a reutilização dos materiais, claro. No 1º ciclo destaca-se o 2º ano, que fez uma árvore com palavras, ou seja, o significado do Natal para os alunos (amizade, família, férias, etc) e o 4º B, que fez uma árvore com estrelas muito sofisticadas. Os alunos estão todos de parabéns! 4º B

2º B

Inf. 3

Inf. 3


36

Etc & Tal...

Cantinho da Infantil

PREPARADOS PARA APRENDER Os meninos aprendem coisas novas a cada dia. Alguns já sabem escrever os números até 10 e identificar muitas formas geométricas. Tanto é que fizeram bonitos desenhos só com retângulos, quadrados, círculos ou semicírculos. Já aprenderam a ordem crescente e decrescente e adoram a sua parede espacial, onde há o sol, as estrelas, meteoritos e a noite e o dia, como dois opostos. Parabéns! Inf. 2 Inf. 3

Nuno

Gabriela

Filipe - Inf. 1

Tiago Lopes - Inf. 1

Pré A


37

Colégio dos Plátanos

Cantinho da Infantil

QUE LINDA ESTÁ A NOSSA HORTA! A horta da pré está um mimo. Os meninos adoram cuidar dela e ver como cresce a cada dia que passa: alfaces, morangos, cebolas, salsa ou manjericão é tudo tratado com muito carinho. Até nos desenhos. A redação Francisco Vaz - Pré B

Mariana Videira - Pré B

Matilda Santos - Pré B

AS MÃOS NÃO SÃO PARA BATER! Os meninos da sala verde estão ainda a aprender a lidar com as suas emoções. E já sabem que as mãos servem para muita coisa, menos para bater. Para pintar, para fazer festinhas, dizer adeus, pegar, lavar, pintar, saudar, acenar, dizer olá ou desenhar. Os meninos fizeram um cartaz para a sala, onde colaram as suas mãos pintadas e as coisas boas que as mãos podem fazer. Quando as mãos de repente querem fazer coisas más aos colegas, é importante ir ter com a educadora que, com a ajuda dos cartões das emoções, os ajuda a identificar os sentimentos negativos: porque “estou triste”, porque “tenho ciúmes”, porque “estou zangado” ou “assustado”.

Trabalho Coletivo - Inf. 1


38

Etc & Tal...

Cantinho da Infantil

QUE BOAS SÃO AS CASTANHINHAS! Este ano, os alunos da Infantil prepararam uma bonita surpresa no Dia de São Martinho. Os meninos da Pré fizeram dois teatros para apresentar aos coleguinhas mais novos: o da Maria Castanha e o da Lenda do São Martinho. Por sua vez, os da sala dos quatro anos cantaram-lhes uma bonita canção do outono. Depois de comerem castanhas assadas no grande assador pelo Sr. Manuel, fizeram trabalhos muito bonitos do outono, onde não faltaram, claro, as castanhas.

Inf. 1

Margarida Rodrigues - Inf. 3

Rodrigo Santos - Pré A

Inf. 3


39

Colégio dos Plátanos

Sugestão de Leitura

TRÊS HISTÓRIAS DO FUTURO Três Histórias do Futuro foi escrito por Luísa Ducla Soares e as maravilhosas ilustrações são de Alexandre Vieira. É um livro de literatura infantil, recomendado para 1.º e 2.º ciclos. Contém três histórias do futuro. Não de um futuro longínquo, mirabolante, difícil de imaginar, mas aquele que nós próprios temos vindo a preparar. Como? Com a poluição, o consumo desenfreado e a substituição dos homens por máquinas. São três histórias divertidas, mas que nos levam a pensar nos grandes problemas do indivíduo, da sociedade e do planeta.

Constança Costa, 6.º A

GRANDES CLÁSSICOS PORTUGUESES CONTADOS ÀS CRIANÇAS

E

sta é uma coleção adequada para crianças que reconta histórias dos melhores e mais notáveis escritores portugueses: Camilo Castelo Branco, Eça de Queirós, Júlio Dinis, entre outros. Esta coleção, que tem o nome de “Clássicos da literatura portuguesa contados às crianças”, foi lançada pelo jornal Sol. Os Maias, Amor de Perdição, Mensagem, Auto de Mofina Mendes, Uma Família Inglesa, Carta a El-rei Dom Manuel sobre o achamento do Brasil, e O Bobo, estão aqui adaptados e ilustrados da melhor forma para que jovens comecem a ter prazer de ler e, para quando forem mais velhos, terem curiosidade em comparar as duas versões, a verdadeira e a adaptada. Eu já li alguns livros e acho que é uma grande aventura descobrir as histórias que os mais notáveis escritores portugueses escreveram. Inês Alenquer, 5.º B

FELIZ NATAL LOBO MAU Feliz Natal Lobo Mau, conta a história do LOBO MAU, que na noite de Natal andava à procura da Capuchinho Vermelho, mas não a encontrou. Quem ele viu foi o Pai Natal, que estava escondido da casa da Avozinha, e que por pouco não o apanhou a comer as bolachinhas. O lobo olhou para a roupa toda vermelha, mas achou que ele não era a Capuchinho Vermelho. Mas que chatice, não adivinhava quem era! Uma bonita fábula natalícia que nos lembra da necessidade de sermos bons em qualquer circunstância, mas também de darmos aos outros uma nova oportunidade. Será que o Lobo Mau ganhou um presente? Texto: Clara Cunha Ilustração: Natalina Cóias Edição: Livros Horizonte

A Redação


Natal

ACRÓSTICOS DE NATAL

PALAVRAS CRUZADAS

Na época natalícia faremos troca de presentes A melhor parte do Natal é abrir as prendas Todos juntos à lareira A comer guloseimas Lemos histórias e fazemos brincadeiras. Martim Costa, 3.º A

Pinheirinho, pinheirinho, de Ramos verdinhos

Pré A e B

Estrelinha no topo Sininhos e luzinhas a enfeitar Este Natal Tem de ser Especial Sentindo amor no ar. Afonso Ferreira, 3.º A

Solidariedade vamos ter com os outros Imaginação vamos ter a pensar nas nossas prendas Nesta época natalícia O nascimento de um menino vamos festejar. Tiago Gonçalves, 3.º A FICHA TÉCNICA Direção:

Santos batem à porta

Infantil - Educadora Sara Antunes

Irei abrir

1º Ciclo - Prof.ª Patrícia Timóteo

Novo presente

2º Ciclo - Prof.ª Sara Alves e Prof. ª Diana Damião

O Natal chegou.

3º Ciclo - Prof.ª Judite Centeno e Prof. ª Gracinda Alves

Este Natal vai ser mágico Sempre com muita alegria

Inês Vaz, 3.º A Redação: Alunos e professores do Colégio Paginação: Prof.ª Altina Sousa Revisão: Ana Catarina Guerreiro Ilustração: Alunos do Colégio

Terá muitos presentes

Edição: Colégio dos Plátanos

Recheados de muita magia

Tiragem: 200 exemplares

Enchemos a árvore de Natal com

Propriedade: Colégio dos Plátanos Avenida dos Plátanos, nºs 2, 4, 6

Luz, fé, esperança

Rinchoa

Amor e muita harmonia.

2635-544 Rio de Mouro

Joana Duarte, 3.º A

Telefone: 219178200 Fax: 219171820 www.colegiodosplatanos.com

Profile for Colégio dos Plátanos

ETC&TAL 1ªEdicao-2015/2016  

ETC&TAL 1ªEdicao-2015/2016  

Advertisement