Page 1


SUMÁRIO

12 9

TORNEIO DE INTEGRAÇÃO

ESPORTE

22

HOMENAGEM

4 6 10 14 16 18 19 21 24

BIBLIOTECA LÍNGUA ESTRANGEIRA EVENTOS TURNO INTEGRAL EDUCAÇÃO INFANTIL ENSINO FUNDAMENTAL ENSINO MÉDIO APM/GRÊMIO ESTUDANTIL MUSEU

EDITORIAL Desde o início do ano letivo, o Colégio Mauá – que este ano tem 1,6 mil estudantes da Educação Infantil ao Ensino Médio, 102 professores e 75 funcionários - já realizou diversas atividades e projetos envolvendo professores, funcionários, alunos e pais. São ações que reforçam a proposta pedagógica da escola e que promovem a integração da comunidade escolar. E estas atividades ganham destaque na primeira revista do ano, com a importante colaboração da direção, equipe pedagógica, professores e alunos.

grande show, coroado com a homenagem ao ex-professor Dirceu Dahmer, idealizador da competição.

A grande atração do primeiro semestre, sem dúvida, são os tradicionais Jogos de Integração, que este ano chegam a sua 30ª edição. Durante10 dias, as equipes Atlantis, Chaparral e Cometa, participaram de diversas competições artísticas e culturais. A exemplo de anos anteriores, a solenidade de abertura foi um

Mas, nosso ano letivo está apenas iniciando. Teremos ainda mais dois trimestres repletos de atividades internas e externas. Dia 9 de julho, por exemplo, temos o Dia do Ex-Aluno, mais uma grande oportunidade de rever colegas e histórias vividas no ambiente escolar.

Mais do que coroar os vencedores, os Jogos têm a proposta de integração da comunidade escolar, estimulando valores como a amizade, a parceria e o trabalho em equipe. A cerimônia de encerramento, neste contexto, foi repleta de emoção, premiando os atletas nas competições por equipes e também a Melhor Torcida e o Melhor Show Artístico.

A REVISTA DO COLÉGIO MAUÁ É UMA PUBLICAÇÃO QUADRIMESTRAL DESTA INSTITUIÇÃO,

TEXTOS: FOUR COMUNICAÇÃO, PROFESSORES, ALUNOS E COLABORADORES

INTEGRANTE DA REDE SINODAL DE EDUCAÇÃO.

PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO: ELEFANTE CREATIVE WORK

MANTENEDORA: SOCIEDADE ESCOLAR SANTA CRUZ

FOTOS: BANCO DE IMAGENS DO COLÉGIO MAUÁ

DIRETOR GERAL: NESTOR RASCHEN

IMPRESSÃO: LUPAGRAF

VICE-DIRETOR GERAL: MÁRTIN B. GOLDMEYER

TIRAGEM: 2.000 EXEMPLARES

COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA: MARISTELA FORTUNA, CLÁUDIA KNIPHOFF KROTH, MARIBEL

JORNALISTA RESPONSÁVEL: ANA CRISTINA SANTOS - MTb-RS 9072

CARVALHO, WALDY LAU FILHO E RAFAEL FETTER

COLÉGIO MAUÁ - CRISTÓVÃO COLOMBO, 366 - 51 3711-2144 / 3056-8300

SERVIÇO DE PSICOLOGIA: FERNANDA BERTAZZONI

MAUA@MAUA.G12.BR - WWW.MAUA.G12.BR

CONSELHO EDITORIAL: NESTOR RASCHEN, MÁRTIN B. GOLDMEYER E ANA CRISTINA SANTOS

FACEBOOK.COM/COLEGIOMAUA - INSTAGRAM.COM/COLEGIOMAUA


OPINIÃO

(Re)inventando a sociedade brasileira Sabrina Abed - Turma 233

É evidente que, no contexto brasileiro contemporâneo, a desigualdade social está veementemente inserida. Nesse prisma, é mister que seja realizada uma reflexão acerca das causas de tal fenômeno. Ademais: quais são os corolários advindos desse processo, os quais apresentam mitigações? No Brasil, há um exponencial aumento das taxas de desigualdade social, e, consoante a Organização das Nações Unidas (ONU), o país é um dos 10 com os mais acentuados índices de divergências. Tal cenário pode ser justificado majoritariamente pela concentração de privilégios sob o alcance de minorias. A sociedade estratificada, seja a partir de critérios econômicos, seja por questões biológicas, é oriunda de processos históricos, os quais contam com ideais aristocráticos no que tange à hegemonia de determinados grupos sociais. Tal corrente de pensamento, não obstante, foi influenciada, no decorrer dos anos, por novas ideologias, sobretudo pela mobilidade social. Assim, a modernidade é uma zona de intersecção entre o radicalismo histórico e o liberalismo emergente. Esse caráter explica a desigual distribuição escolar e tantas outras existentes hodiernamente.

Conforme ideais do filósofo Karl Marx, a luta de classes é resultado de uma interação entre opressores e oprimidos. Assim, é possível inferir que as divergências na ordem social vigente, embasada em conceitos milenares, promove à contemporaneidade inúmeras problemáticas. A mobilização e a revolta das camadas populares menos favorecidas, e principalmente o regresso de indicadores sociais da nação, são capazes de comprometer a dinâmica e o progresso interno. A queda da qualidade de índices, como o IDH e a expectativa de vida, afeta a vida da população, bem como a posição do Brasil em conceitos mundiais, sendo, assim, a mais expressiva vicissitude proveniente da desigualdade social. Por conseguinte, pode-se inferir que, para mitigar tal mazela social, é necessária uma ação conjunta do governo e da população, a fim de assegurar a harmonia das interações no Brasil. A interferência estatal deve se dar através da intensificação de programas de inclusão existentes - como as cotas raciais -, pela realização de campanhas de conscientização popular, assim como pela instauração de políticas sociais que beneficiem os desfavorecidos. À sociedade, cabe não deturpar o processo.

3


4

BIBLIOTECA

CANTINHO DA BIBLIOTECA

As Cores de Laurinha,

de Pedro Bandeira

“Eu gostei desse livro, porque ele falava sobre uma menina que fazia desenhos para vender, pois ela queria comprar uma bolsa de Dia das Mães para sua mãe. Eu aconselho você a ler esse livro, porque eu achei a atitude dessa menina muito bonita, e ele nos inspira.” Helena Pacheco Rockenbach – Turma 945

O Menino do Dedo Verde,

de Maurice Druon

“Recomendo a todos a leitura do livro “O Menino do Dedo Verde, a história é sobre um menino de 8 anos, Tistu, que não conseguia se adaptar à escola, por isso seus pais decidiram que ele teria aulas particulares em casa. Foi quando um jardineiro descobriu que o menino tinha o dedo polegar “verde”, pois onde ele tocava nasciam flores. Com isso, ele usava este dom para transformar a sua cidade, deixando-a um pouco mais bonita. Com um final surpreendente, o livro traz uma bela mensagem de amor ao próximo e à natureza.” Manuela Friedrich Kohls – Turma 963

Sherlock Holmes: Casos Extraordinários,

de Arthur Conan Doyle

“Achei o livro muito bom e divertido. Fiquei impressionado com Holmes que conseguia desvendar os casos, descobrindo coisas que ninguém conseguia. Recomendo a todos, pois é um livro muito legal que nos faz entrar na história e querer desvendar os casos.” Eduardo Henrique Muller – Turma 982

Corações Partidos,

de Luiz Antonio Aguiar

“Ao passar por sua primeira decepção amorosa , Crica decide ficar uma temporada no sítio de sua avó, Dona Glaura. Quando percebe a proporção do sofrimento de sua neta, ela resolve lhe contar o livro “Senhora”, de José de Alencar, uma tradição familiar que passa de avó para neta. No decorrer da narrativa, Erica se emociona e se identifica com os conflitos de Auréllia e Seixas, tentando entender seus próprios sentimentos, ao mesmo tempo em que Dona Glaura passa pela mesma situação com seu primeiro amor, Maurício. É uma maneira simplista e cativante de relatar uma obra literária tão importante para a literatura brasileira, que faz com que o leitor sinta-se dentro do enredo. É capaz de despertar interesse até mesmo nos jovens que não apreciam a leitura, por ser uma história atual. Além disso, contém as características contemporâneas da obra de José de Alencar.” Sofia Bueno – Turma 213


BIBLIOTECA

Poesia Faz Pensar

,de Olavo Bilac

“ Ao ler o livro “Poesia faz Pensar”, compreendemos que ele retrata uma linguagem antiga e formal, sendo muito comum a utilização de palavras não reconhecidas por jovens da nossa idade, mas, devido a isso, podemos ampliar o nosso vocabulário e nosso conhecimento. Escolhemos um poema do livro chamado “Tédio” para representar, através de um teatro de sombras, o sofrimento, a escuridão e a solidão descritos por Olavo Bilac.“ Thomás Raphael Wenzel, Luellen Zilio, Cassiane Thomas Guedes da Luz, Gabriel Mueller de Lara – Turma 991

Biblioteca Infantil: Dia Nacional do Livro Infantil O Dia Nacional do Livro Infantil, que é comemorado em 18 de abril, foi criado em homenagem ao escritor Monteiro Lobato, que nos deixou um legado de histórias que encantam gerações. Lobato gostava de escrever para o público infantil, pois tinha convicção de que as crianças sabiam como ninguém usar a imaginação e se surpreender no universo de suas histórias, convivendo com seus maravilhosos personagens. Em comemoração a essa data, na semana do dia 18, a programação da biblioteca infantil foi inteiramente planejada para que os alunos do Ensino Fundamental pudessem vestir as roupas da fantasia e contracenar com os moradores do Sítio do Picapau Amarelo.

Viajar pela leitura Viajar pela leitura sem rumo, sem intenção. Só para viver a aventura que é ter um livro nas mãos. É uma pena que só saiba disso quem gosta de ler. Experimente! Assim sem compromisso, você vai me entender. Mergulhe de cabeça na imaginação! Clarice Pacheco

5


6

LÍNGUA ESTRANGEIRA

Osterzeit na Semana da Língua e Cultura Alemã

Professores: Anneliese Strohm, Daiane Mackedanz, Marlise Müller

Entre 28 de março e 8 abril, foi realizada a Semana da Língua e Cultura Alemã, evento organizado pelas embaixadas da Alemanha, Áustria, Bélgica, Luxemburgo e Suíça, com o objetivo de oferecer ao público a oportunidade de conhecer a beleza e a diversidade do idioma alemão. Mais de 450 eventos são realizados em todo o Brasil, no intuito também de despertar o interesse dos brasileiros para o idioma. O alemão é a língua mais falada na Europa. No Brasil, hoje já são 135 mil brasileiros que aprendem a língua. Dentro desse cenário, a área de língua alemã do Colégio Mauá realizou atividades com os alunos de 5º a 9º anos sobre a língua e cultura alemã. Foi selecionada a temática Osterzeit (Páscoa), justamente para celebrar a data e evidenciar suas características culturais em ambos os países. Os alunos desenvolveram atividades diferenciadas relacionadas à Páscoa como Ostereier (ovos de Páscoa) e Osterbaum (árvore da Páscoa).


LÍNGUA ESTRANGEIRA

Alunos recebem certificados No início de abril, o Colégio Mauá entregou os certificados de proficiência em Língua Alemã. Mais de 80 alunos receberam o diploma, resultado de provas aplicadas no fim do ano passado. Os exames são ofertados pela Coordenação Geral de Língua Alemã RS/SC e custeado pelo governo Alemão. “A todos os alunos o reconhecimento e parabéns por esta importante conquista”, ressalta a professora de Alemão, Marlise Müller. Os estudantes do 8º e do 9º ano realizaram a prova Nível A1+, que englobava quatro competências: Leitura, Audição, Redação e Oral. Já a prova Nível A2 foi realizada por setes alunos do 1º ano do Ensino Médio, que atestaram conhecimentos básicos e intermediários do idioma alemão. “Eles estão aptos a seguirem seus estudos para alcançarem também o Nível B1 no Ensino Médio, quando recebem seu Diploma fundamental para estudar em universidades alemãs”,

detalha Marlise. Os diplomas do Nível B1 serão entregues pela coordenadora de Língua Alemã no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, Gabrielle Metz-Klein. Na mesma ocasião, o Colégio Mauá vai receber uma placa de bronze com o certificado Paschschule, que atesta a instituição como habilitada internacionalmente para a realização de provas que oferecem diplomas em Língua Alemã.

7


8

LÍNGUA ESTRANGEIRA

Certificação DELE No dia 28 de abril, dez alunos, concluintes do ano de 2016, receberam suas certificações de nível B1 em Língua Espanhola. Os diplomas recebidos são títulos oficiais outorgados pelo Instituto Cervantes em nome do Ministério da Educação da Espanha, que atestam o grau de competência e domínio do idioma espanhol. O Colégio Mauá é Centro Examinador do Diploma de Español como Lengua Extranjera (DELE), pois o certificado é reconhecido em todo o mundo por empresas privadas, câmaras de comércio e sistemas educacionais. A instituição está muito orgulhosa com mais esta conquista dos seus alunos.

Certificação Cambridge

Os alunos Natalia Kautzmann e Matheus Wohlenberg receberam, dia 8 de abril, os certificados de proficiência na língua inglesa, conferido pela entidade certificadora

da Universidade de Cambridge no Brasil. O diploma, fruto de prova realizada no final do ano passado, na cidade de Ivoti (RS), tem validade indeterminada.


ESPORTE

1º Encontro de Minivôlei

No dia 8 de abril, cerca de 60 crianças participantes das escolinhas de Minivoleibol do Colégio Mauá e Projeto Nosso Vôlei estiveram presentes no 1º Encontro

de Minivôlei 2017. A atividade aconteceu no ginásio principal do Colégio Mauá e contou com a participação de pais, familiares e amigos dos atletas envolvidos. Os alunos tiveram a oportunidade de aliar a diversão e a integração com a prática do voleibol, além de colocar em ação tudo aquilo que vem sendo aprendido nos treinamentos. De acordo com os professores responsáveis, Laura Cardoso, Eduardo Schuster e Odair Beck, momentos como esse são de extrema importância para o gosto da criança pelo esporte, nesse caso, o voleibol. “Através de atividades recreativas os alunos têm a oportunidade de desenvolver os fundamentos do jogo de forma lúdica e prazerosa. Fica o nosso convite para os demais eventos que serão realizados ao longo desse ano. Já contamos com a participação de todos”, convidam os professores.

20° Festival Mercosul de Voleibol O Colégio Mauá esteve representado por duas equipes no 20º Festival Mercosul de Voleibol Infantil e Infanto Feminino, realizado de 27 de abril a 1º de maio, na Sociedade Ginástica, em Novo Hamburgo (RS). Após cinco dias de competição, a equipe infanto feminina da instituição sagrou-se vice-campeã da Série Prata. “Ficamos felizes com este resultado, numa competição importante, que demonstra o grande potencial da equipe”, destacou o diretor geral, Nestor Raschen. De acordo com o professor Rafael Fetter, treinador da equipe infanto feminina, o evento é um dos maiores das categorias de base do Brasil e contou com a participação de grandes equipes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Argentina. “Foram jogos disputadíssimos e um excelente nível técnico, com a presença, inclusive, de atletas das seleções brasileiras de base”, salientou ele. A equipe infantil feminina, treinada

pela professora Laura Cardoso, também teve um bom desempenho. “É uma competição muito importante pela experiência adquirida e pelo nível dos atletas desta faixa etária”, completou a professora.

9


10

EVENTOS

Espaço Camarim Mauá

O Colégio Mauá e o Serviço Social do Comércio (SescRS) Santa Cruz promoveram duas apresentações da peça teatral Provocações: Um Inimigo do Povo. O espetáculo, que tem texto de Henrik Ibsen, iniciou na esquina da Praça da Bandeira e seguiu no Espaço Camarim Mauá, na rua Marechal Floriano, 332. O enredo, marcado pela imersão no texto “Um Inimigo do Povo”, publicado em 1882, discorre sobre contradições humanas e a falência do indivíduo diante da unanimidade, bem como fala

de conflitos e interesses. O elenco é composto pelos atores Ângela Pessoa, Cristiana Meininger, Eduardo Spall, Rogério dos Passos, Simone Bencke, e pelo músico Renato Sperb, que compôs a trilha sonora. A encenação, que é um processo criativo colaborativo e um experimento entre as diferentes linguagens teatrais, marcou o retorno da gestão do Espaço Camarim para o Colégio Mauá. “Foi uma retomada em grande estilo, com uma peça instigante e provocadora, que embora tenha sido escrita há mais de 130 anos, é bastante atual”, destaca o diretor geral do Mauá, Nestor Raschen.

Encontro Nacional de Equipes Pedagógicas Para agregar e compartilhar conhecimentos, o Colégio Mauá esteve representado no Encontro Nacional de Equipes Pedagógicas da Rede Sinodal de Educação. O evento aconteceu entre os dias 4 e 6 de abril, no Rio de Janeiro. Participaram das atividades, o diretorgeral Nestor Raschen e as coordenadoras pedagógicas Claudia Kniphoff Kroth e Maristela Possamai Fortuna. O encontro contou com uma palestra da psicóloga Claudia Gindre, que abordou a gestão pedagógica nas escolas. Na programação ainda teve avaliação, momento de oração e visitas às escolas Alemã Corcovado, Escola Sesc de Ensino Médio, Colégio Cruzeiro de Jacarepaguá, Colégio São Bento e Cruzeiro. O último dia foi reservado para atividades culturais e turísticas, como City Tour Panorâmico e visitação ao Museu do Amanhã, além de relatos sobre as visitas realizadas.


11

EVENTOS

genoma

O dia 9 de julho vai ser de reencontro para os exalunos do Colégio Mauá. A primeira reunião da Comissão Organizadora do Dia do Ex-Aluno do educandário aconteceu no dia 17 de abril e contou com a presença de representantes de quase todas as turmas concluintes de 1962 a 2012. A tarefa da Comissão é localizar os exalunos para participarem do evento que acontece no Clube União Corinthians. Além do almoço, os ex-alunos

vão participar de uma recepção no Teatro Mauá às 10 horas da manhã, onde vão receber homenagens. Em seguida vão visitar as dependências do colégio. “A partir deste primeiro encontro, a missão dos presentes é localizar seus ex-colegas para que possam se reencontrar num momento muito especial no dia 9 de julho”, explica o diretor do Colégio Mauá, Nestor Raschen. De acordo com o diretor, assim que os ex-alunos forem localizados, a comissão repassa o endereço ao colégio para que possam oficializar o convite. “Esperamos um grande número de pessoas”, comenta o professor. No Dia do Ex-Aluno serão homenageados os formandos de 1962, 1967 (Jubileu de Ouro), 1972, 1977, 1982, 1987, 1992 (Jubileu de Prata), 1997, 2002, 2007, 2012 e ex-alunos internos e internas da escola. Também estão convidados ex-professores, professores e funcionários do colégio, Associação de Pais e Mestres (APM) e a entidade mantenedora do educandário.

Matrículas abertas: 3056-3333 Rua Thomaz Flores, 830 /wsantacruzdosul


12

TORNEIO DE INTEGRAÇÃO

Equipe Chaparral é a grande campeã do 30º Torneio de Integração do Colégio Mauá Santa Cruz do Sul - Mais um grande Torneio de Integração do Colégio Mauá chegou ao fim no dia 2 de junho. Após 10 dias de competições e integração, a solenidade de encerramento da 30ª edição, realizada no ginásio do educandário, em Santa Cruz do Sul, consagrou a Equipe Chaparral como a grande campeã do evento, com 862 pontos. Em segundo lugar ficou a Equipe Atlantis, com 832 pontos, e em terceiro, a Equipe Cometa, que alcançou 777 de pontuação. Também foi agraciada como troféu de Melhor Torcida a equipe Atlantis e Melhor Show Artístico, a Cometa. “Todas as equipes, pelo empenho, dedicação e espírito esportivo

estão de parabéns. Estamos felizes e orgulhos de tudo que vivemos nestes últimos dias”, destacou o diretor geral do Mauá, Nestor Raschen, durante a cerimônia de premiação. Como tradicionalmente, as equipes Atlantis, Chaparral e Cometa disputaram a competição, que iniciou no dia 24 de maio, com diversas atividades artísticas, culturais, esportivas e beneficentes. Entre as modalidades esportistas do campeonato estavam futebol, vôlei, basquete, atletismo e xadrez. Mas, a programação foi muito além da participação dos alunos. Pais e ex-alunos disputaram jogos de basquete e futebol; e as disputas de voleibol envolveram pais, mães, professores, funcionários e ex-alunos. Além disso, um show artístico, no Teatro do Colégio Mauá, na noite de quarta-feira, abrilhantou ainda mais o evento. SOLIDARIEDADE - Neste ano, durante a tradicional Campanha de Alimentos, as equipes coletaram 2.357 quilos de mantimentos, entre farinha, feijão, óleo, leite, açúcar, massa, arroz e fraldas. Os produtos serão doados para o Hospital Beneficente de Vale do Sol, Associação de Auxílio aos Necessitados de Santa Cruz Sul (Asan) e Projeto Movida do Colégio Mauá. “Além de incentivarmos uma competição saudável, também instigamos o lado solidário dos alunos e suas famílias através do torneio”, ressaltou Raschen.


TORNEIO DE INTEGRAÇÃO

13

Atlantis Melhor Torcida

Cometa Melhor Show Artístico

Ortodontia Santé: cuidando do desenvolvimento do seu melhor

Estética - Odontologia

sorriso.

(51) 3902.7902 (51) 99545.7575

Rua Borges de Medeiros, 300/801 Santa Cruz do Sul - RS

contato@santesorriso.com.br www.santesorriso.com.br

ClinicaSanteSorriso santesorriso


14

TURNO INTEGRAL

Incentivar a autonomia é fundamental para o desempenho cognitivo das crianças Professora: Maria Luiza Cardoso - Coordenadora Turno Integral

Sabemos que, quando as crianças são estimuladas desde cedo a realizar atividades sozinhas, há uma melhora em sua capacidade cognitiva. A autonomia é um processo gradual, que vai se desenvolvendo à medida que a criança realiza novas conquistas e adquire condições que contribuem pouco a pouco para que ela se torne independente. No Turno Integral, depois de uma orientação prévia, sob supervisão das professoras, as crianças de 3 a 9 anos, durante o almoço, são desafiadas a servirem-se sozinhas. Este ano foi adquirido um bufê da altura das crianças da Educação Infantil, de 3 a 5 anos, e outro para crianças de 6 a 9 anos, onde podem realizar esta atividade sem intervenção de um profissional e com segurança. Logo após o almoço, cada criança leva seu prato, copo e talheres até a cozinha. Este é um dos pequenos gestos incentivados para que cada uma possa alcançar sua independência. Desenvolver a autonomia das crianças é um dos objetivos do Turno Integral. Outras atividades também estão presentes, como: colocar a pasta na sua escova de dente, amarrar os tênis depois do soninho, pentear os cabelos, passar repelente, tirar o lanche e agenda da mochila, organizar os brinquedos após atividades, vestir-se sozinhos, entre outros. Os pequenos sentem-se “grandes”, começam a observar os colegas e também a aprender com eles, aos poucos não querem mais ajuda das professoras. Neste momento, sempre estamos ao lado das crianças, orientando no que for possível, incentivando a experimentarem o que dizem “não gostar ou não saber”. Dar este espaço e oportunidade para as crianças, desde pequenas, é, para nós professoras, um ato de amor e cuidado. Estamos felizes e surpresos com o desprendimento das crianças.


TURNO INTEGRAL

Atividades de Páscoa O Turno Integral realizou atividades para deixar a Páscoa das crianças ainda mais divertida. Por isso, exploramos a criatividade das crianças através de coelhos e ovos feitos com papel reciclado, pintura de casquinhas, confecção de cestinhas com material alternativo, caça aos ovos no matinho da escola, bolo de cenoura, leitura de histórias e muitas brincadeiras com a Dona Coelha. As crianças adoraram!

Aprendendo a importância de reciclar Dentro do projeto que está em andamento Consumo sustentável e economia de recursos na escola, as crianças do Turno Integral reciclaram as sobras de papel utilizado no colégio. Aprenderam um conjunto de técnicas e procedimentos, que vão desde a separação do papel, que iria para o lixo, até sua transformação final: um painel com os símbolos da Páscoa, coelhos e um cartão para as mães. Com esta atividade tiveram a oportunidade de perceber que a reciclagem e o reaproveitamento de materiais contribuem para preservação do ambiente em que vivemos.

15


16

EDUCAÇÃO INFANTIL

Pais participam de reuniões Nos dias 20 e 21 de março, foram realizadas as reuniões de pais da Educação Infantil. No primeiro momento os pais foram recepcionados no Teatro. O encontro teve como principal objetivo o estabelecimento de um vínculo de comprometimento mútuo entre família e escola para o desenvolvimento integral das crianças firmado pelo constante diálogo. Ainda no Teatro, foi proposta a seguinte reflexão: “Se pensamos que mundo deixaremos para nossos filhos, precisamos pensar em que filhos queremos deixar para o mundo”. Após, os pais foram recebidos pelas professoras nas respectivas salas de aula e como dinâmica de apresentação foram convidados a representar seus filhos através de um desenho e apresentá-los a partir de suas características. Na sequência, foi apresentada a proposta pedagógica, normas de convivência e combinações específicas de cada grupo. Como encerramento do encontro, foi retomada a reflexão proposta no primeiro momento, enfatizando a importância da parceria entre pais e escola e após, cada família colocou a imagem de seu filho no planeta Terra que foi construído pelas turmas, firmando assim o comprometimento com a educação e desenvolvimento das nossas crianças e o seu envolvimento com o mundo.

Estímulo à criatividade A Educação Infantil do Colégio Mauá tem sua proposta embasada nos diferentes aspectos do conhecimento, proporcionando às crianças novas descobertas e possibilitando vivências que estimulam a criatividade, o imaginário e a busca pelo conhecimento, com o ensinar e o aprender interligados. Confira algumas fotos deste processo!


EDUCAÇÃO INFANTIL

Homenagem

Dia das Mães

17


18

ENSINO FUNDAMENTAL

Somos todos extraordinários Professora Sheila Bischoff Rocha

Durante o primeiro trimestre, os alunos dos sextos anos, na disciplina de Língua Portuguesa, realizaram duas leituras muito significativas, “O menino do dedo verde”, de Maurice Druon, e “Extraordinário”, de R. J. Palacio. O primeiro, já consagrado um clássico da literatura infanto-juvenil, apresenta a história de Tistu, menino rejeitado pela escola, pois não aprendia e não agia como os outros alunos, mas que demonstrou ser um grande aprendiz, com capacidade de transformar para melhor o ambiente em que vivia. O segundo, obra contemporânea, de uma escritora norte-americana, traz como personagem principal August Pullman, garoto de onze anos de idade, que passa a frequentar, pela primeira vez, a escola. Auggy, como é seu apelido, não foi à escola anteriormente, pois nasceu com uma síndrome facial, que lhe fez passar por muitas cirurgias no rosto. Assim, acompanhamos as dificuldades vividas pelo menino para se inserir no grupo, como foi recebido e tratado pelos colegas. August era um garoto

comum, porém com uma aparência incomum. As vidas e as experiências que esses garotos tiveram foram bem diferentes, entretanto, eles tinham algo em comum: não eram como “todo mundo”. A partir das histórias, os alunos foram levados a refletir sobre a diversidade e sobre o fato de sermos todos diferentes, cada qual com suas habilidades e dificuldades, mas com características em comum, entre elas o poder de fazer o bem. A trajetória dos dois meninos nos mostra como são extraordinárias as diferenças e o quanto podemos aprender com elas. Em uma das etapas do trabalho, os alunos criaram uma história em que Tistu e August são colegas de turma. Contaram como eles se aproximaram e de que forma venceram os preconceitos juntos.


ENSINO MÉDIO

19

Integração entre alunos, professores e idosos Professores: Marco Aurélio dos Santos, Manoela Panta Santos, Márcia Goettemes, Mérion Linck, Samuel Raschen e Douglas Faccin

A Olimpíada Científica é composta pelas disciplinas de Biologia, Química, Física e Matemática. Nesta atividade, os alunos do 1º ano do Ensino Médio participam de três atividades em cada trimestre: Gincana, Programa de Auditório e Simulado. A Gincana é uma atividade interativa com a participação de todos os alunos, com tarefas lúdicas e de conhecimento. Nesta etapa os mesmos são mobilizados a participar de campanhas, que possibilitam a inserção social e possível desenvolvimento de projetos extraclasse. No Programa de Auditório, ocorre a participação dos alunos em trios, respondendo questões das áreas do conhecimento (Ciências da Natureza e Matemática), envolvendo atividades artísticas e culturais, que possibilitam o descobrimento de novos talentos e lideranças. A terceira etapa, Simulado, são atividades de forma individual que testam os alunos nas habilidades e competências relacionadas ao Enem.

Uma das tarefas da Olimpíada Científica, organizada entre as turmas dos primeiros anos do Ensino Médio, foi a campanha do leite. Os 222 litros arrecadados foram doados para o asilo ASAN, onde a entrega ocorreu dia 21 de março de 2017. Muito além de pontos para as equipes, a visita proporcionou experiências de vida únicas. Ao chegarmos lá, os idosos nos receberam com um sorriso no rosto e olhos brilhando de uma maneira revivida. Entre as atividades propostas houve música, dança, pintura, maquiagem e manicure. Das histórias de dona Maria até o “baile” ao som de Roberto Carlos, certamente proporcionamos uma hora de muita alegria para os idosos. Foi muito gratificante perceber como podemos melhorar o dia das pessoas com uma coisa tão simples como um comprimento

e um sorriso. Até mesmo ouvir o que elas têm a dizer, histórias a contar, ou apenas dar um pouco de nosso tempo significa muito àquelas pessoas carentes de afeto. Gestos pequenos possuem grandes significados. Os idosos falaram muito sobre suas famílias, e isso me fez perceber o real valor de uma família. Naquela hora passada lá, o engrandecimento emocional ganho me fez ter outra perspectiva sobre nossa realidade, incomum a maioria das pessoas. A hora da despedida foi a mais difícil. Eles perguntaram várias vezes se iríamos voltar, e respondemos que sim. De fato, espero tornar a vê-los. Os idosos merecem muito a nossa atenção. Eles, que vivem sempre na esperança de continuar recebendo esse carinho. Relato da aluna Giovana Bagnara Luisi - Turma 213


20

ENSINO MÉDIO

Ação Solidária No dia 12 de abril, alunos das terceiras séries do Ensino Médio visitaram a Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Guilherme Hildebrand e a Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Santo Antônio para a Ação Solidária de Páscoa 2017. Os alunos do Colégio Mauá entregaram para todas as crianças bombons, os quais foram adquiridos mediante doação dos próprios alunos. Após a entrega dos chocolates, ocorreu uma significativa atividade de recreação com os pequenos alunos da EMEI Santo Antônio. Esta atividade já é uma tradição recente na escola e contou com o acompanhamento do professor Waldy Lau Filho.

Projetos de Biologia Professor: Marco Aurélio dos Santos

Como profissionais da educação, quando pensamos numa sala de aula, buscamos logo as soluções que sejam mais interessantes e viáveis para que os alunos tenham interesse e participação quanto aos conteúdos abordados. A proposta de se trabalhar com projetos é justamente a de proporcionar um ambiente favorável ao saber. Com certeza, com essa abertura, o sucesso acontecerá, pois um grupo ativo, motivado e envolvido produz muito mais do que os acostumados à passividade. Dentro deste contexto, 14 alunos do Ensino Médio no dia 22 de março de 2017, receberam os certificados referente a sua participação no projeto Bios-Fera realizado no segundo semestre de 2016. O projeto propôs atividades práticas, viagens de estudos para Foz do Iguaçu e visitas técnicas nos laboratórios da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) no intuito de proporcionar a contextualização de situações/problemas relacionados ao tema água, saúde e meio ambiente. Para manter-se em consonância com os documentos norteadores da educação brasileira e com os objetivos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) optamos pelo uso da resolução de problemas como metodologia norteadora do projeto.

Alunos participantes: Janaina Carine Beling, Manoella Vaz Bitencourt, Julia Helena Wegner, Giulia Gavião, Marilia Schuetz, Victor Vendrusculo, Isabelle Sa Teixeira, Pedro Juan Lawisch Rodriguez, Pedro Henrique Marion Spengler, Felipe de Moraes Alves, Natã Eduardo Ourives de Vargas, Fernanda Peiter, Sofia Pereira Staub, e Eduarda Brandão.


APM / GRÊMIO ESTUDANTIL

21

Nova diretoria da APM No mês de abril, foi eleita a nova diretoria da Associação de Pais e Mestres (APM) do Colégio Mauá para a gestão 2017/18. Na ocasião, foi reeleita para presidente Luciane Fogliatto Thaddeu Gassen, tendo como vice-presidente Milene Mello Monteiro. Também integram a nova diretoria: Carolina Staub Menezes (tesoureira), Janaina Lavouras (vice-tesoureira), Ângela Cristine Heinen (secretária), Cássia Marlei Rusch Brandt (vice-secretária), Fátima Rosali Kniphoff dos Santos e Glaura Xavier Hoppe (departamento de compras), Arlete Cristine Thomaz (departamento de esportes),

Andréa Wernz Gruendling e Janete Marlise Almeida (departamento social), Cristiana Hoppe (departamento cultural), Eleno Haussmann (professor representante), Giovana Pereira Staub e Marilaura Gonçalves como colaboradoras. No Conselho Fiscal, Janaina Halmenschlager Venzon e Maria Helena Hindersmann são as representantes da Educação Infantil até o 5º ano do Ensino Fundamental, Laudelino Ferreira Cadima é o representante do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e Andréia Valin é a representante do Ensino Médio.

Projeto Ler Mais - Doação de Livros No final do mês de abril, a APM do Colégio Mauá lançou o projeto Ler Mais – Doação de Livros. A proposta visa receber doações de livros dos mais diversos gêneros, da literatura adulta a infantil, inclusive livros que foram usados como leitura obrigatória dos alunos e colocá-los à disposição de toda comunidade escolar. Os livros coletados serão separados e catalogados pela bibliotecária da escola. A APM fará a compra de mais livros e de estantes que se façam necessárias para incrementar a biblioteca. A biblioteca escolar tem um papel muito importante como espaço educador e integrá-la ao ambiente escolar como um motivador e mediador da leitura se faz necessário. Quando se tem como meta a promoção da

leitura e da cultura, o que se pretende é formação do leitor e pesquisador do futuro. Assim, se as crianças, desde cedo, aprenderem a importância dos livros, da pesquisa e da biblioteca como fonte, o estudante de amanhã terá mais chances de se tornar um bom leitor e com muito mais subsídios para pesquisar e se desenvolver cultural e academicamente, estruturando um perfil crítico e continuar aprendendo continuamente.Com o avanço da tecnologia e com crianças cada vez mais conectadas, se faz necessária a criação de espaços criativos, e que atraiam crianças e jovens, com isso a APM conta com a colaboração de todos para que esse projeto seja um sucesso. O local de entrega dos livros é na secretaria da escola.

Grêmio Estudantil tem nova diretoria A nova diretoria do Grêmio Estudantil, eleita no mês de abril, é composta por Christopher Heling (presidente), Ana Carolina Viçosa (vice-presidente), Maria Eduarda Molz (secretária), Sofia Bueno (tesoureira). Também integram o grupo, Caroline Bianchini (vice-secretária), Heloisa Franke (vice-tesoureira), Maria Luisa Konzen e Luisa Hein (departamento social) e Camyla Piel (departamento artístico). Desejamos sucesso à nova equipe.


22

HOMENAGEM

Ex-diretor Wilson Griesang deixa o Mauá após 30 anos de dedicação Depois de três décadas de dedicação ao Colégio Mauá, o professor Wilson Ademar Griesang, 70 anos, dos quais 50 dedicados à educação, cumpriu seu último expediente no dia 31 de maio e recebeu uma homenagem da Associação de Pais e Mestres (APM), da Associação de Professores e Funcionários do Mauá (APF), da Associação de Ex-alunos e Amigos do Colégio Mauá e da Mantenedora pelos 30 anos e três meses de incansável trabalho realizado. Foram 27 anos como diretor e outros três como assessor de Desenvolvimento. Natural do interior de Lajeado, hoje município de Forquetinha, iniciou seus estudos no Colégio Alberto Torres, passando a frequentar o Curso Clássico (Ensino Médio) no Colégio Sinodal. Já voltado à área de Ciências Humanas, cursou Letras na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), em Porto Alegre. A carreira como professor de Português e Inglês iniciou no Ginásio da Paz, em Porto Alegre. Em seguida, passou a lecionar no Colégio Ipiranga, de Três Passos, onde foi professor por oito anos e diretor por outros nove. Em 1986, recebeu o convite da mantenedora do Colégio Mauá para ser diretor em substituição ao professor Osvino Toillier. Chegou a Santa Cruz do Sul no final daquele ano e assumiu a diretoria em 1987. “Foi um grande desafio assumir no lugar do Osvino, carismático e muito querido por todos”, lembra Griesang. Mas o professor destaca que foi muito bem recebido por todos e que nunca esteve sozinho. “Em todos esses anos, o que mais me marcou foi o comprometimento dos professores e dos funcionários”. Para Griesang, o Colégio Mauá sempre seguiu uma linha de trabalho firme e objetiva, com prioridade para a qualidade do ensino. “É um desafio manter o padrão alto, mas há um grande empenho em contratar bons professores e qualificar o quadro docente com cursos e seminários”, revela. Ele também ressalta a participação constante dos pais. “Já tivemos momentos de crise financeira, como na época da inflação alta no país, quando os pais entenderam que era importante manter a qualidade, mesmo pagando mais”.


HOMENAGEM BOAS LEMBRANÇAS Griesang tem ótimas lembranças do seu período à frente do educandário. Em 1995, o Colégio Mauá recebeu uma homenagem da Prefeitura de Santa Cruz do Sul e no dia de receber a honraria, o diretor estava hospitalizado para um transplante de rim, doado pela esposa Lora. “Pois transmitiram o momento pelo celular para que eu pudesse participar. Fiquei emocionado”, revela, lembrando que poucos tinham celular na época. Outro momento importante, segundo ele, foi a inauguração do Teatro do Mauá, em 2001. “Foram anos de trabalho, desde a negociação do terreno até a construção do prédio. A partir do teatro, o Mauá ganhou muita visibilidade, além de um espaço privilegiado para a escola e os alunos”. A construção do segundo ginásio foi outro investimento que qualificou o educandário, assim como os novos prédios que estão em andamento. O professor também destaca o Congresso da Rede Sinodal, em 2006, como marcante na sua trajetória. O evento reuniu 900 professores e o desafio foi montar a estrutura para receber todas as pessoas. “Fizemos um refeitório no ginásio e barracas na quadra de

23

cimento para os lanches nos intervalos. Mais uma vez o comprometimento de professores e funcionários me sensibilizou”. Nessa linha, o professor lembra de uma inundação das salas de aula do Ensino Infantil devido a grande quantidade de água represada no riacho que corta o terreno da escola. “Era uma quinta-feira santa e no sábado já estava tudo limpo, graças ao empenho dos funcionários e professores”. Nos 140 anos do colégio, a Câmara de Vereadores homenageou o Mauá, em 2010. Na ocasião, Griesang recebeu o título de Cidadão Santa-cruzense. “Foi um momento único, de muita alegria e emoção”. Muitos foram os colegas que se destacaram como grandes parceiros na trajetória do diretor no Colégio Mauá, o que auxiliou na realização de um bom trabalho. “Neste momento só tenho que agradecer a todos, sem citar nomes para não esquecer ninguém, mas estou feliz pelo que pudemos realizar juntos”. Aos 70 anos, casado com Lora Magna Griesang, com quem tem dois filhos, Cassiano e Carolina, Wilson vai cuidar da saúde e aproveitar a aposentadoria ao lado da família.


Museu apresenta exposição Colecionar e Aprender

As peças colecionáveis existentes são as mais variadas. Com o passar do tempo, diversos objetos passaram a fazer parte de coleções, como vidros de remédios, papéis de carta, lápis, caixas de fósforos, chaveiros, moedas, cédulas, selos, brinquedos, entre outros. Para mostrar e enaltecer estes materiais e a cultura que representam, o Museu do Colégio Mauá abriga, este ano, a exposição temporária: Colecionar e Aprender. Conforme a professora, pesquisadora e diretora do museu, Maria Luiza Rauber Schuster, não se sabe com quem e quando o costume de colecionar teve início. “Muitas coleções possuem valor somente para o proprietário, pois remetem a lembranças. Cada geração criou suas tendências de coleções voltadas para a cultura do momento”, explica. A exposição permanece no local até dezembro de 2017, sempre de terça-feira a sexta-feira, das 14 às 17 horas. Mais informações e agendamento de grupos pelo telefone (51) 3715-0496 ou pelo e-mail museu@maua.g12.br. PESQUISA: Por meio de pesquisas realizadas pela professora Maria Luiza, sabe-se que no Antigo Egito, o Faraó Amenhotep III, colecionava artes pintadas com esmaltes azuis. “O hábito de colecionar tornouse maior na Idade Média. Nobreza, realeza e clérigos possuíam coleções com os mais diversos temas, como itens da história natural, como por exemplo, fósseis, animais empalhados, borboletas, conchas e peixes de lugares distantes”, ressalta. Os colecionadores abriam as suas casas para que um público seleto admirasse suas coleções. “Muitas dessas acabaram tornando-se museus ou coleções expostas em museus”, comenta. Por volta de 1500/1750 ocorreu a maior produção

de livros, em torno de 130 milhões. Com isso, surgiu o hábito de guardar flores dentro das obras, que secavam e formavam coleções. “Esta mania de colecionar flores tornou-se popular, atingindo todas as classes sociais, homens e mulheres, adultos, adolescentes e crianças”, conta a pesquisadora. De acordo com a professora, no final da Idade Média, as coleções tinham itens com valores financeiros expressivos, como joias, vasos de luxo, moedas entre outros. Já na Idade Moderna, as obras de artes estiveram em evidência. No período da Segunda Guerra Mundial, na Europa, muitas coleções foram perdidas e afanadas por exércitos dominantes. MUSEU: O Museu do Colégio Mauá, fundado no dia 20 de setembro de 1966, é uma importante referência local e regional da preservação da história. O acervo de aproximadamente 80 mil peças é constituído por doações feitas pela comunidade regional e do Museu Escolar, antes usado nas aulas pelos professores do educandário. No local estão expostos: peças arqueológicas, objetos indígenas, materiais referentes aos imigrantes alemães, rara coleção de animais taxidermizados (empalhados), entre outros. O museu é cadastrado na 5ª Região Museológica do SEM/RS e mantido pela Sociedade Escolar de Santa Cruz. Há quase três anos, o espaço é dirigido pela professora Maria Luiza Rauber Schuster. SERVIÇO: Horário de funcionamento: terça-feira a sexta-feira, das 14 às 17 horas Ingressos: R$ 3,00 (inteiro) e R$ 1,50 (meio), para estudantes e aposentados Agendamento de visitas para grupos: (51) 3715-0496 ou museu@maua.g12.br

Revista do Colégio Mauá - Junho 2017  

Revista Colégio Mauá - Edição Junho de 2017

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you