Page 1

ano xxii | nº 112 | Edição de Maio/Junho de 2014

Quais os caminhos para a aprendizagem no século XXI? Desaprender e reaprender a educação Novidades qualificam o processo de ensino e aprendizagem.

“A educação se sustenta na pesquisa”

Escola inventora de novo mundo

Viviane Mosé fala sobre as transformações da sociedade do século XXI.

Ensino deve priorizar a troca de aprendizados e valorizar a singularidade de cada aluno.


expediente Nº 112 - Edição de Maio/Junho de 2014 da Revista Farroupilha Presidente da Associação Beneficente e Educacional de 1858 – ABE 1858 Fernando Carlos Becker Diretora Pedagógica Marícia Ferri Diretor de Administração e Finanças Milton Fattore Jornalista Responsável Cláudia Oliveira MTB 8138 Coordenação Geral Tiago Schmitz Assessor de Criação e Design Marcelo Diehl Comunicação e Marketing comunicacao@colegiofarroupilha. com.br Diagramação Design de Maria www.designdemaria.com.br Revisão Textual Laboratório de Português Capa Professor Gentil Cesar Bruscato e alunos do Clube de Astronomia do Colégio Farroupilha Ouvidoria Farroupilha ouvidoria@colegiofarroupilha.com.br (51) 3455-1889 Tiragem 1.000 exemplares Versão Online www.colegiofarroupilha.com.br Como instalar o leitor de QR Code no seu celular Inventado no Japão em 1994, o QR Code foi criado para facilitar o acesso à informação por parte de usuários de celulares, podendo ler qualquer coisa de qualquer lugar. Para ler um QR Code ou Quick Response Code é preciso instalar um software em seu celular. Ele será responsável por decodificar a imagem capturada. Na internet, há muitos softwares gratuitos disponíveis. É preciso que se baixe um de acordo com o modelo do celular. Em português, o http://reader.kaywa.com é um dos melhores sites para baixar leitores de QR Code. Para aqueles que quiserem criar seus próprios QR Codes, em http://qrcoder.kaywa.com, é possível gerá-los facilmente.

2

editorial

Um novo professor para o Século XXI Em tempos de mudanças, a escola precisa construir, desconstruir, desapegar-se de alguns conceitos, aprender e reaprender a todo o instante para (re)pensar a sua prática diante de novos desafios sociais. Se considerarmos a história da Associação Beneficente e Educacional de 1858 e do próprio Colégio Farroupilha, sempre fomos empreendedores, ousados e inovadores. Buscamos aliar conhecimento e prática em um modelo educativo que tem como pilares os nossos valores. No século XXI muitos questionamentos surgem relacionados ao papel da escola e do professor no aprendizado de uma geração de alunos inquietos estimulados por um mundo novo de informação e tecnologias avançadas. Hoje a relação professor-aluno, aluno-aluno, aluno-sociedade trazem aprendizados diversos, não existe mais a concentração do saber, tornando todo o processo educativo mais democrático. São inúmeras as experiências criativas e oportunas que estão sendo realizadas nas escolas, em diferentes lugares do mundo, em uma rede que poderá se ampliar, forçando medidas e oferecendo novas oportunidades. Compete às instituições mantenedoras, como a Associação Beneficente e Educacional de 1858, fornecer respaldo para que essa transformação de realidades aconteça de forma coletiva e colaborativa. Por isso, em novembro de 2013 e abril de 2014 convidamos professores de escolas públicas e privadas para debater e compartilhar a formação docente a partir de relatos de experiências enriquecedoras e temas necessários para o professor do século XXI. Destes encontros nasce o mais novo projeto de nossa instituição em prol da qualidade na educação. A Escola de Professores Inquietos foi criada para oferecer cursos livres, workshops e palestras para educadores das redes pública e privada. Temáticas importantes como novas tecnologias, uso da internet em aula, reformulação do formato da sala de aula, postura do educador, entre outros temas serão abordados. Entendemos que a escola é o espaço que possibilita e sustenta sonhos, desejos e esperanças. Espaço que cria e desenvolve o pensar, que olha e escuta o indivíduo, respeitando as diferenças e as singularidades de cada um. Espaço que promove a troca intelectual e afetiva e que inclui os pais e se enlaça com a comunidade. Fernando Carlos Becker Presidente da Associação Beneficente e Educacional de 1858


Sumário 3

4

5

22

16

28

35

nesta edição | #112 4

Nova geração

5

Que tipo de pai ou mãe

de educadores

você quer ser?

10

Desaprender e reaprender

14

“A educação

16

Uma escola

20

Observadores

a educação

se sustenta na pesquisa”

para professores inquietos

do céu

22

Uma escola inventora

28

Desescolarizar é

30

Farroupilha entre

33

Magia na descoberta

34

Comunidade escolar

35

Cidadãos

de um novo mundo

quebrar paradigmas

os melhores do mundo

de novos espaços educativos

comemora oito anos do Correia Lima

de Porto Alegre


4

Opinião

Nova geração de educadores Por Augusto Gutierrez, fundador da Benfeitoria, plataforma digital de conteúdos e ferramentas voltada para a disseminação de projetos transformadores que fomentem uma cultura mais humana, colaborativa e realizadora no Brasil.

Sempre foi difícil para mim, como

A educação é um ato que nasceu

educador, participar de qualquer pro-

de uma necessidade, assumida e

cesso de aprendizagem “de mão úni-

não verificada, de igualar os sa-

ca”, que pressupõe um explicador e

beres de alguns — letrados —, aos

um público supostamente ignorante

de muitos — leigos. Até hoje é pos-

ou leigo. Entrar numa sala de aula e

sível, ao entrar em qualquer sala

ver tantos rostos imaginando o que

de aula, perceber que a crença na

será que vou acrescentar para seus

assimetria de conhecimentos é a

conhecimentos, até hoje me deixa

base do processo de aprendiza-

nervoso. Quebrar o protocolo de inte-

gem, assim como a hierarquia. Divi-

ração professor-aluno foi uma neces-

dir, sequenciar, ordenar, explicar e

sidade que surgiu logo nas primeiras

avaliar conhecimentos não são em

experiências que tive.

si atos que geram esta igualdade.

Apesar de ter temporariamente aban-

Os processos de aprendizagem

donado os espaços de ensino formal,

que de fato emancipam aconte-

intensifiquei minha atuação como

cem em ambientes em que se

educador e facilitador em espaços

verificam e respeitam os sabe-

não-formais de educação — ou seria

res presentes, considerando que

melhor dizer de aprendizagem? Prin-

tanto professores como alunos

cipalmente, fortaleci minha atuação

são potencialmente mestres e

junto a empreendedores e pessoas

aprendizes. Apenas respeitando

imbuídas da vontade de transforma-

a natureza dialógica do proces-

ção. Descobri o significado do termo

so de aprendizagem, criaremos

“empreendizagem”, um neologismo

condições para que nosso vasto

que busca qualificar este ato de em-

potencial imaginativo e infinita

preender aprendendo e aprender em-

inteligência coletiva sirvam a pro-

preendendo — juntos!

pósitos comuns.


CUIDAR é básico

Que tipo de pai ou mãe você quer ser? Para promover essa reflexão, o Farroupilha convidou o life coach e escritor Gabriel Carneiro Costa para a primeira palestra geral do ano do Cuidar é Básico, realizada na noite de 14 de abril. Pais inquietos e incomodados com tantas mudanças que ocorrem nos dias atuais começam a perguntar a si mesmos: “que tipo de pai ou de mãe quero ser para o meu filho?” Para auxiliá-los nessa reflexão, o Colégio Farroupilha convidou o life coach e escritor Gabriel Carneiro Costa para ministrar a palestra “Ser pai e mãe: poder e fazer”. Os filhos, de acordo com Gabriel Carneiro, observam o comportamento e as atitudes dos pais a vida inteira, independente da idade em que estejam. “O modelo de aprendizado está baseado no que é escutado, visto e sentido”, advertiu o palestrante ao lembrar que a presença é o maior presente que um pai e uma mãe podem dar ao filho. A opinião do palestrante é compartilhada pela médica Patrícia Bissacotti. “Quero continuar a ser uma mãe presente, amorosa

De acordo com Gabriel, o aprendizado dos filhos ocorre a partir da observação dos pais e esse modelo está baseado no que eles escutam, veem e sentem.

5


6

cuidar é básico

e atenta a tudo que estiver acontecendo com os meus filhos. Isso é um desafio diário que tenho conseguido cumprir ao conciliar o trabalho com

Para os pais refletirem:

a educação das crianças”, avaliou a

• Ser feliz dá muito trabalho, requer muita dedicação;

mãe de Leonardo e Isabela, ambos da

• Criança vê / criança faz;

Educação Infantil.

• A história dos pais é diferente da história dos filhos;

Para os pais que estão dispostos a mudar a relação com os filhos, Gabriel explica que não existe idade para mudar. Todo o processo de mudança, conforme o especialista, rompe conceitos e concepções, mas sempre é possível tornar o relacionamento mais feliz e saudável. “A gente se pergunta, todos os dias, que tipo de pais nós somos hoje. Tentamos colocar limites e, ao mesmo tempo, promover a criatividade, a liberdade e a autonomia dos nossos filhos. Nossa intenção é fazer com que eles aprendam a se cuidar sozinhos”, contaram Juliane Locks e Mauro Azeredo, pais de Lorenzo e Amanda, alunos do Ensino Fundamental.

• Saiba identificar quem está doente; • Lembrem-se: pais não podem dar felicidade, mas podem propiciá-la; • Gaste menos tempo pensando e mais tempo sendo bons pais; • Não é errando que se aprende, mas sim refletindo sobre o erro; • Proteger o filho do que não sabem. Cobrar do filho somente o que já sabem. Geralmente, pai e mãe fazem o contrário.


7

cALENDário escolar JUNHO 2

Todos

Início do Segundo Trimestre

3a6

EM (3ª)

Simulado UFRGS

Salas de aula

Manhã

4

EM

Simulado ENEM -1ª série

Salas de aula

Manhã

Conselhos de Classe da 1ª série

Sala da Coordenação

Manhã

Simulado ENEM -2ª série

Salas de aula

Manhã

Conselho de Classe da 2ª série

Sala da Coordenação

Manhã

AF (CL)

Atendimento a pais

Salas de aula

18h30 às 20h

EM (3ª)

Conselhos de Classe

Sala da Coordenação

Manhã

AI e AI (CL)

Divulgação dos resultados do Primeiro Trimestre

Salas de aula

Manhã e Tarde

7

Todos

Sábado Letivo: Festa Junina

9

AI

Atendimento a pais

Salas de aula

18h30 às 20h

EM

Divulgação dos resultados do Primeiro Trimestre

Portal dos alunos e salas de aula

Tarde

10 a 17

AI e AI (CL)

Período de Reavaliação

Salas de aula

Manhã e Tarde

10

AI (CL)

Atendimento a pais

Salas de aula

18h30 às 20h

11

AF

Divulgação dos resultados do Primeiro Trimestre com professores conselheiros

Salas de aula

18h30 às 19h30

EM

Atendimento a pais

Salas de aula

18h30 às 20h

EM (3ª)

Exames de Cambridge (CAE escrito)

Salas de aula

Manhã e Tarde

AF (CL)

Divulgação dos resultados do Primeiro Trimestre com professores conselheiros

Salas de aula

18h30 às 19h30

EM (3ª)

Exames de Cambridge (CPE escrito)

Salas de aula

Manhã e Tarde

13

EM

III Simulação Interna da ONU

Salas de aula

Conforme programação a ser divulgada

14

EM (3ª)

Sábado Letivo: aulas

Auditório e Sala 19

Manhã

17

EM (3ª)

Oficina Enem

Sala 19, Salas de Aula

18h30 às 21h

19

Todos

Feriado de Corpus Christi

20

AI e AI (CL)

Dia Letivo: Entrega dos resultados da Reavaliação

Salas de aula

Manhã e Tarde

5

6

12

EM


8

cuidar é básico

23 a 27

AI

Show de Talentos

Auditório

Manhã e Tarde

24

EI

Comemoração Junina

Educação Infantil

Manhã e Tarde

28

EM (3ª)

Sábado Letivo: Aulas

Auditório e Sala 19

Manhã

JULHO 1

EI

Envio dos Relatórios de Avaliação

AI (CL)

Show de Talentos

Área Coberta

Manhã e Tarde

2

EI

Atendimento a Pais

Salas de Aula

Conforme agendamento

3

EM (3ª)

Oficina ENEM

Sala 19 e Salas de Aula

18h30 às 21h

5

AI

Sábado Letivo: Ciranda de Ideias

Salas de Aula

Manhã

7 a 11

Todos

XXIX Feira do Livro

Conforme Programação

Manhã e Tarde

8

AF (CL)

Conselho de Classe

Sala da Coordenação

Tarde

9

EI

Atendimento a Pais

Salas de Aula

Conforme agendamento

AF (CL)

Atendimento a Pais com grupo de professores

Salas de Aula

18h30 às 19h30

AF

Conselho de Classe do 7° Ano

Sala da Coordenação

Manhã

10

AF

Conselho de Classe do 6° Ano

Sala da Coordenação

Manhã

11

AF

Conselho de Classe da 8ª Série

Sala da Coordenação

Manhã

12

EI

Sábado Letivo: Também Somos Autores

Salas de Aula e Auditório do Jardim

8h30 às 12h

AI

Sábado Letivo: Mostra de Saberes

Salas de Aula

Manhã

AF

Sábado Letivo: Atendimento a pais com grupo de professores - 6° ano, 7° ano e 8ª série

Salas de Aula

6° ano (8h30 às 9h30) / 7° ano (9h30 às 10h30) / 8ª série (10h30 às 11h30)

EM (1ª e 2ª)

Sábado Letivo: Pré-Mostra Científica

Salas de Aula do 3° Andar

Manhã

EM (3ª)

Sábado Letivo: Aulas

Auditório e Sala 19

Manhã

17

EI

N3, N4 e N5: Último dia letivo

Salas de Aula

Manhã e Tarde

18

EI

Atendimento a pais (N3, N4 e N5)

Salas de Aula

Conforme agendamento

21/07 a 1/08

Todos

Recesso Escolar

21/07 a 1/08

EI

Projeto Brincando nas Férias: B, N1 e N2

Educação Infantil

Conforme Inscrição - Manhã e Tarde


9

AGOSTO 4

Todos

Reinício das aulas

4

AI

Reunião com pais do 1° Ano

Salas de aula

18h30

5

AI

Reunião com pais do 2° Ano

Salas de aula

18h30

7

AI

Reunião com pais do 3° Ano

Salas de aula

18h30

8

EI

Homenagem aos pais (B, N1 e N2)

Salas de aula e Auditório do Jardim

Manhã e Tarde

AI (CL)

Reunião com pais de 1° a 3° Ano

Salas de Aula

18h30

EI

Sábado Letivo: Homenagem aos pais (N3, N4 e N5)

Salas de Aula e Auditório do Jardim

Manhã

AI (CL)

Sábado Letivo: Homenagem aos pais

Área Coberta

Manhã

AF

Sábado Letivo: Pré-Mostra do Conhecimento

Salas de Aula

8h30 às 11h

EM (3ª)

Sábado Letivo: Aulas

Auditório e Sala 19

Manhã

11

AI

Reunião com pais do 4° Ano

Salas de Aula

18h30

12

AI

Reunião com pais do 5° Ano

Salas de Aula

18h30

13

EM

Homenagem aos Pais

Auditório e Centro Cultural e Esportivo

19h30

14

AI (CL)

Reunião com Pais do 4° e 5° Ano

Salas de Aula

18h30

EM (3ª)

Oficina ENEM

Salas de Aula

18h30 às 21h

AI

Sábado Letivo: Homenagem aos Pais

Auditório, Centro Cultural e Esportivo e Salas de aula

Manhã

AF (CL)

Homenagem aos Pais

Área Coberta

Manhã

18

Todos

Cuidar é Básico Geral

Auditório do Colégio

18h30

18 a 29

AI e AI (CL)

Avaliações Finais

Salas de Aula

Manhã e Tarde

18 a 26

AF e AF (CL)

Provas Trimestrais A2

Salas de Aula

Manhã e Tarde

18 a 25

EM

Provas Trimestrais A2

Salas de Aula

Manhã e Tarde

23

EM

Sábado Letivo: Provas Trimestrais A2

Salas de aula

Manhã

23

AF

Homenagem aos Pais

Auditório

Manhã

27

EM

Pré-Conselho

Sala da Coordenação

Noite

28

EM

Divulgação dos resultados

Portal dos Pais e Alunos

Tarde

30

EM (3ª)

Sábado Letivo

Auditório e Sala 19

Manhã

9

16


10

novidades

Desaprender e reaprender a educação Inteligência Coletiva trouxe especialistas para debater, ao lado de professores de escolas públicas e privadas, temas da contemporaneidade. Novos espaços de aprendizagem

Mosé, psicanalista e filósofa, falou

com múltiplos olhares, possibilida-

sobre a importância da pesquisa na

des e caminhos, foram compartilha-

educação durante a palestra de en-

dos por especialistas com professo-

cerramento.

res de escolas públicas e privadas

Desaprender, desapegar e reapren-

durante o “Inteligência Coletiva:

der são verbos cada vez mais usa-

quais as inquietações e necessida-

dos nas relações de troca entre

des dos professores no século XXI?”.

professores, alunos e comunidade.

Realizado em parceria com a Funda-

A tecnologia, presente na nova con-

ção Maurício Sirotsky Sobrinho e o

figuração da sala de aula, serve de

Sindicato do Ensino Privado do Rio

ferramenta para a aprendizagem.

Grande do Sul, o evento reuniu edu-

Iniciativas inovadoras e criativas

cadores no Auditório do Colégio Far-

adotadas por escolas públicas foram

roupilha, no dia 12 de abril. Viviane

compartilhadas durante o evento.


11

Compartilhando experiências O aluno do século XXI, as novas tecnologias, a internet em sala de aula, as novas dinâmicas e os projetos interdisciplinares foram os temas debatidos no workshop proposto pela equipe de profissionais da Reali Hub for Innovation, no Ginásio do Colégio.

“Curiosidade é o que nos faz ter força para transformar a educação. Queremos contribuir proporcionando aos docentes novas experiências alinhadas à realidade contemporânea”,

Os participantes discutiram o significado do tema do grupo e falaram so-

explica a diretora pedagógica do Farroupilha, Marícia Ferri.

bre os exemplos práticos em que eles se inspiram para organizar uma aula. Após, foram convidados a sintetizar em três palavras-chave tudo o que foi debatido.  “É um desafio conhecer o aluno do século XXI, porque ele corre na frente. Tivemos aqui uma conexão com diferentes realidades e pudemos nos conhecer e ver que essa é uma das inquietudes dos educadores”, destacou a professora Rosaeli Borges, do Instituto Santa Luzia. Para Adriana Boeck, professora dos Anos Iniciais do Colégio Farroupilha, a proposta de workshop foi fundamental para a troca de experiências. “Vimos a importância da mediação do professor e do acesso a diferentes recursos na sala de aula”, disse.


12

novidades

Professor pesquisador Diante de um novo modelo de raciocínio construído em rede, compete à escola e ao professor, na avaliação da psicanalista e filósofa Viviane Mosé, ensinar aos estudantes métodos de pesquisa na Internet. O professor, conforme a palestrante, tem que se formar como um eterno pesquisador, aquele que compartilha a pesquisa e se interessa por tudo. “E educação se sustenta na pesquisa. É isso que vai dar empoderamento às crianças, não somente para se defenderem na Internet, mas também para encontrarem um rumo pessoal”, disse. Para estimular a pesquisa, o currículo escolar precisa passar por mudanças, principalmente no Ensino Médio. “O jovem pode sair do Ensino Médio e ir para um centro de pesquisa e trabalho”, exemplificou Viviane ao dizer que a universidade está ultrapassada na formação e capacitação de professores. “Temos que ensinar para a vida, para o desenvolvimento da inteligência, da cognição. Então, professor, seja você mesmo em sala de aula, desenvolva o seu talento. Use a sua maneira, faça a aula do seu jeito. O que importa é que os alunos gostem da sua aula. É através da afetividade e do relacionamento que você vai conquistar o seu aluno”, aconselhou Viviane. Quer acompanhar os relatos e conferir a cobertura completa do Inteligência Coletiva? Então, acesse o QR-Code ao lado (veja mais instruções na página 02).


13

“O segundo encontro do Inteligência Coletiva me despertou a certeza da necessidade de qualificação dos professores, dos gestores, dos tempos e espaços escolares para a construção coletiva de um processo de aprendizagem onde as novas tecnologias e os recursos não são a prioridade, mas sim aliado na busca por relações humanas mais afetivas e significativas para educandos e educadores!” Soraia Bertin, Colégio Estadual Florinda Tubino Sampaio.

“A intencionalidade do professor é o que torna as suas atividades significativas”.

“Sem amor, a educação não acontece”.

Leonardo Rocha, especialista em Alfabetização e professor da Escola Municipal Auralícia Chaxim Bes.

Nássara Scheck, diretora da Escola Estadual Aurélio Reis.

“Não há como ter acomodação/conformismo/resignação na educação/ escola /sala de aula onde temos seres em formação e que não estão só ocupados (se é que ouso dizer “só”) com seu futuro... mas com seu presente... Inspirado em Nietzsche, afirmo passionalmente a vida, com suas incongruências, transcursos e refluxos. Com João Guimarães Rosa aprendi ainda que, ‘o correr da vida embrulha tudo’. Ou seja, é muito movimento e muita vida à minha volta para me permitir serenidade enquanto professor”. Pierre Bedin, Colégio Militar de Porto Alegre.

“Percebi no relato de experiências dos convidados, o amor pelas suas escolas, seus alunos e pela profissão ‘professor’, desenvolvendo trabalhos que representam muito no contexto no qual estão inseridos, fazendo realmente a diferença como profissionais. Na história da humanidade, percebemos os movimentos sociais e culturais que clamaram por novas diretrizes educacionais e a importância de se fazer esta leitura para compreender o processo e encarar os desafios do século XXI”. Rosângela Paludo, Colégio Estadual Júlio de Castilhos.


14

novidades

“A educacao se sustenta na pesquisa” Convidada especial para a palestra de encerramento do “Inteligência Coletiva: quais as inquietações e necessidades dos professores do século XXI”, a psicanalista e filósofa, Viviane Mosé, acredita que a sociedade vive um período de transformações. “Devemos aproveitar esse momento de mudanças na educação como algo novo que possa nos estimular para o crescimento”, destaca. Na entrevista abaixo, a especialista fala que a educação se sustenta na pesquisa e que o professor bem-sucedido é aquele que usa a afetividade para estimular os alunos ao conhecimento.

- Estamos diante de uma nova relação com o saber, em que o modelo de raciocínio é construído em rede. O conteúdo que antes era disponibilizado via banco de dados, hoje, é compartilhado em redes sociais. Os alunos estão cada vez mais conectados. Tendo em vista essa nova realidade, os professores estão preparados para essa mudança impulsionada pela tecnologia? O professor é o vértice dessa questão e é quem mais sofre. Ele é vítima desse processo, ele tem a responsabilidade de fazer a mudança, mas ele também é vítima porque estudou em uma época diferente, na qual o aluno não era protagonista, na qual o professor era o centro do saber. Hoje, a discussão deve ser conduzida no sentido de que o professor não é mais quem sabe tudo, é quem se interessa por tudo. O professor deve se formar como um pesquisador constante e eterno, e a sala de aula, um lugar de pesquisa para todos. O professor deve deixar de ser o centro do conteúdo para ser aquele que compartilha o conteúdo e a pesquisa.

- Responsável pela formação do futuro professor, a academia está distante e não consegue acompanhar as demandas da sociedade contemporânea? A academia está se tornando inútil. Talvez, a educação seja uma das piores áreas da universidade porque a educação não tem investimento da academia, ninguém a valoriza. Ou ela entra no processo e se torna uma produtora e compartilhadora de conteúdo democraticamente, sai do castelo em que ela se enclausurou, ou ela vai desaparecer. No Brasil, o maior problema curricular hoje é a falta de mudança no Ensino Médio. A tendência é de que surjam novos centros de pesquisa e de trabalho para aonde irão os jovens depois que eles saírem do Ensino Médio. Então, para que serviriam as universidades?


15

- Você acredita que as escolas devem ensinar métodos de pesquisa na internet para os alunos. Essa seria uma forma de fazer com que os alu-

Sobre Viviane Mosé

nos aprendam a se defender nas redes sociais e a filtrarem informações

Psicóloga e psicanalista, forma-

relevantes que são publicadas a todo o instante?

da pela Universidade Federal do

O método de pesquisa é aquilo que vai dar poder ao aluno para se defender da invasão de conteúdo e do excesso de informação inútil e que vai ajudá-lo a encontrar um rumo pessoal. Hoje, um profissional é bom se ele é singular, se ele faz o seu trabalho do seu jeito, é uma contribuição pessoal, por isso somos seres diferentes. As novas tecnologias estão permitindo o desenvolvimento das singularidades. O professor tem que ser singular em sala de aula. Ele tem que encontrar um modo que lhe agrada de estar com seus alunos, uma maneira pessoal de fazer com que as crianças se interessem pelo conteúdo e o método de pesquisa é o que deve ser ensinado desde o princípio.

Espírito Santo, é mestre e doutora em filosofia pelo Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora há mais de 30 anos, iniciou sua vida docente aos 18 anos como professora do Curso de Formação para Professores da Educação Infantil. A partir daí, trabalhou em diversas instituições públi-

- As formas de aprendizado variam de aluno para aluno. O que o profes-

cas e privadas de graduação

sor pode fazer para tornar a aprendizagem um processo mais democrá-

e pós-graduação. Em 2005 e

tico que respeite a individualidade de cada estudante?

2006, desenvolveu e escreveu

Muitas vezes, não precisamos de aula porque não é na aula que a educação se sustenta. A educação se sustenta na pesquisa. O professor com talento lança temas, divide a turma por interesses e deixa que os alunos pesquisem na sua frente. O professor passa a ser o mediador do conhecimento e passa a ter o poder em sala de aula. O poder de estar de igual para igual com o aluno, mesmo errando. O poder do professor é aquele que o faz ser capaz de estimular os alunos ao conhecimento porque o docente que sabe trabalhar a afetividade tem o poder estimulador, ele é amado e adorado pelos alunos.

com Daniel Duarte o quadro Ser ou Não Ser, onde apresentou no Fantástico, da TV Globo, temas da filosofia em uma linguagem cotidiana. É autora de diferentes livros e comentarista da Rádio CBN no programa Liberdade de Expressão.


16

educação

Uma escola para professores inquietos Workshops e cursos livres com técnicas diferenciadas oportunizam novos olhares sobre a educação Usar a experiência, a troca e os múltiplos olhares como pilares para transformar a prática de profissionais da educação básica. Essa é a proposta da Escola de Professores Inquietos, lançada pelo Colégio Farroupilha durante segunda edição do Inteligência Coletiva. Seguindo a mesma linha de pensamento do filósofo francês Pierre Lévy, em que as inteligências individuais são somadas, compartilhadas e propagadas para toda a sociedade através das novas tecnologias de informação, como a internet, a Escola oferece workshops e cursos livres para quem está em busca de respostas para a nova realidade da educação no século XXI.


17

A empatia com os alunos da atualidade, o aprendizado experiencial e a aplicabilidade dos conteúdos abordados em sala de aula serão premissas básicas abordadas por profissionais de diferentes áreas do mercado que atuam como facilitadores durante as atividades. A metodologia da Escola de Professores Inquietos utiliza como base o conceito de que, assim como o aluno, o professor aprende a par-

Troca

Múltiplos olhares

Na qual o educador não tem mais

Em um mundo dinâmico e em

somente o papel de ensinar ou ser

constante transformação, o

transmissor de conhecimentos, mas

contato com a diversidade é

está em constante aprendizado a

fundamental. O educador do

partir da interação com o aluno, com

Século XXI precisa estar em

outros professores e com a sociedade.

contato com diferentes olhares

Da mesma forma, o educador precisa

sobre o mundo e o conhecimento

de feedback, reconhecimento e

oxigenando sua forma de

valorização por parte da sociedade, da

compreender e se relacionar com

escola, dos alunos e das famílias.

o processo educativo.

tir da interação com o meio em

Experiência

que está inserido. Os pilares dos

O aprendizado acontece a partir das

cursos livres e workshops são

experiências vivenciadas, sejam elas

trabalhados a partir de técnicas

dentro ou fora da escola. Os cursos

como design thinking, cocriação

e workshops são dinâmicos, com

e aprendizado experiencial, opor-

aprendizados que sejam aplicáveis à

tunizando a:

realidade do educador.


18

educação

>Cursos livres Acontecem durante quatro encontros de quatro horas totalizando 16 horas de aprendizado e cocriação.

>Coaching O trabalho de coaching é individual e inicia-se com a criação de uma meta desejada pelo educador podendo abranger as mais diversas áreas. Tem o objetivo de ajudar os professores a maximizar seu potencial e a trazer mais resultados para o próprio desenvolvimento pessoal e profissional.

>Incompany A Escola também organiza eventos educativos incompany para instituições educativas públicas e privadas com foco na formação docente, criatividade, inovação e motivação de equipes. Os projetos são desenvolvidos a partir da necessidade de cada instituição em reuniões prévias de cocriação e briefing.

>Workshops São realizados durante um turno de cinco horas com foco no aprendizado experiencial e na cocriação. Temáticas diversas são abordadas em dinâmicas com mediadores convidados que provocam os participantes, gerando inquietação, o que os faz repensar sua abordagem na escola.

>Palestras Pensadores locais e nacionais são convidados a estimular os participantes a compreender o processo educativo a partir de diferentes aprendizagens.


19

>Adote um professor

Nem todos educadores têm condições de investir em formação profissional em virtude das grandes dificuldades que enfrentam, principalmente quem atua na rede pública. Além de viabilizar atividades com valores acessíveis, a Escola de Professores Inquietos abre a possibilidade de pessoas, empresas e fundações investirem em cursos para educadores.

Ficou curioso para conhecer a Escola de Professores Inquietos? Acesse o QR Code ao lado (veja mais informações na página 02) e conheça essa proposta inovadora para a educação básica.


20

Novidades

Observadores do céu Alunos que integram o Clube de Astronomia têm oportunidade de participar dos principais eventos da área. Quem dá asas à imaginação conse-

Mostra Brasileira de Foguetes (MO-

gue transformar a aula em uma aven-

BFOG), figuram entre os principais

tura, ainda mais quando o objeto de

projetos do Clube. Coordenado pelo

estudo é o céu. Para aprender mais

professor Gentil Bruscato, o Clube

sobre esse rico cenário de paisagens

do Colégio foi a única instituição de

cósmicas, é que foi fundado, no dia 21

ensino do Brasil a participar do Glo-

de março, o Clube de Astronomia do

bal Astronomy Month (GAM) Asteroid

Farroupilha. Todas as sextas-feiras

Search Campaing, uma campanha de

à tarde, alunos do 6º ano do Ensino

busca de asteroides, realizada de 24

Fundamental à 3ª série do Ensino Mé-

de março a 28 de abril. O projeto foi

dio encontram-se para analisar ima-

coordenado pela Hardin Simonns Uni-

gens cósmicas no Laboratório de Fí-

versity, em Abilene, no Texas (EUA),

sica ou em outros pontos do Colégio.

em colaboração com os Astrônomos

A ocultação de Saturno pela Lua, em

sem Fronteiras. “Aprender mais so-

março passado, foi a primeira obser-

bre astronomia, fazer foguetes cada

vação a céu aberto feita pelo grupo.

vez mais elaborados e compartilhar informações com outros estudantes

Assuntos atuais da astronomia, como

e comunidades são ações que irão

a caça aos asteroides, poluição lumi-

contribuir muito para o meu cresci-

nosa, Projeto Erastóstenes, observa-

mento”, conta o aluno Lucas Borto-

ção da Lua, participação na Olimpíada

lanza Grazziotim, que se considera

Brasileira de Astronomia (OBA) e na

um apaixonado pela Física.

Construção de foguetes para a Olimpíada Brasileira de Astronomia e para a Mostra de Foguetes é uma das atividades do Clube.


21

Nova gestão do Grêmio Estudantil toma posse O Grêmio Estudantil Farroupilha tem nova gestão desde o dia 08 de abril. Nesse dia, também foram empossados os novos representantes de turma do 6º ano do Ensino Fundamental a 3ª série do Ensino Médio. A chapa 3 foi a vencedora, com 503 votos recebidos dos 951 alunos que votaram no dia anterior à cerimônia de posse.

A nova gestão do Grêmio Estudantil 2014/2015 é formada por:

Presidente: Gabriela Berwanger

Vice-presidente: Maria Augusta Galbinski

1º Secretário: André Ricardo

2ª Secretária: Elizabel Melo

1º Tesoureiro: Lorenzo Nicoletti

2ª Tesoureira: Marina Medeiros

Representante Social e Cultural: Francisco Saibro

Representante de Comunicação: Rafaella Coppetti

Representante Esportivo: Guilherme Pfitscher

Representantes da Unidade Correia Lima: Bárbara Milesi e Eric Lima de Souza.


22

especial

Uma escola inventora de um novo mundo Método de ensino deve voltar o olhar e a vivência educacional para a construção de relacionamentos integrados marcados pela troca intelectual e afetiva e que valorizam a singularidade de cada aluno.


23

“A escola deve preparar o aluno para saber ganhar, perder e somar esforços, lembrando-o de que todos nós temos limitações que devem ser respeitadas e possibilidades que podem ser desenvolvidas”, conta a especialista Arabela Oliven.

Trabalhar por uma escola engajadora,

todo de ensino a partir da singulari-

fazedora e inventora de um novo mun-

dade de cada um significa voltar o

do. Essa é a principal preocupação de

olhar e a vivência educacional para a

professores, alunos, pais e comunida-

construção de relacionamentos inte-

de que querem transformar realida-

grados. Essa deve ser a base de uma

des através da educação. Nesse fazer

escola que pensa e volta-se para o fu-

em parceria, onde mudanças surgem

turo, pois a educação pertence a um

a todo o momento, exigindo novas

contexto social. “Demonstrar afetivi-

atitudes e posturas, e a inquietação

dade é respeitar cada aluno nas suas

impulsiona a descoberta por novos

características pessoais, acreditar

caminhos, o relacionamento huma-

em suas capacidades, potencialida-

nizado e a tecnologia destacam-se

des e facilitar o seu desenvolvimento,

como protagonistas do processo de

fazendo com que o respeito este-

ensino e aprendizagem. Essas duas

ja presente no relacionamento em

visões sobre a educação do século

classe entre colegas e professores”,

XXI, apontadas por professores de

explica a pós-doutora em Sociologia

escolas públicas e privadas durante

pela University of California System,

pesquisa encomendada pelo Colégio

Arabela Campos Oliven.

Farroupilha e aplicada pela empresa Reali Hub for Innovation, comprova que a contemporaneidade requer maior flexibilidade e predisposição de todos para construir, desconstruir, pensar e repensar mudanças que tragam novos rumos a uma educação de qualidade e de inclusão para todos.

A sociedade e a escola contemporânea, na avaliação da professora titular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, vivem um paradoxo porque devem preparar os alunos tanto para a competição quanto para a colaboração. “Saber ganhar, saber perder e saber somar esforços. Ter

Espaço para a promoção de relações

claro que não se pode ganhar sem-

de respeito e de amor, a escola deve

pre e que todos nós temos limitações

ter como centro o relacionamento, a

que devem ser respeitadas e possi-

capacidade de convivência, de troca

bilidades que podem ser desenvolvi-

intelectual e afetiva. Repensar o mé-

das” é o que aconselha a especialista.


24

especial

“O aluno está nos sinalizando que há múltiplos espaços de aprendizagem com conexões e possibilidades. O professor deve perceber que a sala de aula precisa sair das quatro paredes que se encontra para interagir e dar voz a esses estudantes”, afirma a idealizadora do projeto iPad na Sala de Aula, Adriana Gandin.

Conhecimento em rede Se vivemos em rede, com uma sociedade cada vez mais interligada e conectada, por que não tornar a escola um ambiente semelhante a um laboratório, no qual a tecnologia é usada como aliada da educação? Um dos desafios da escola é justamente acompanhar o ritmo desse aluno contemporâneo que tem a vida 100% online. Para fazer com que a escola tenha sentido e desperte o interesse e a curiosidade dos alunos por novos aprendizados, ela precisa usar a tecnologia dentro e fora da sala de aula.

nexões e possibilidades. O professor deve perceber que a sala de aula precisa sair das quatro paredes em que se encontra para interagir e dar voz a esses estudantes que assimilam conhecimentos a todo o instante, seja nos relacionamentos com amigos, família e comunidade escolar, seja realizando passeios, assistindo a filmes e vídeos, ouvindo músicas, participando de saídas de campo e de discussões em pequenos grupos”, explica a idealizadora do projeto iPad na Sala de Aula (voltado para a formação e assessoria de professores para o uso de tecnologia no contexto

A interconectividade tem um papel

educacional), Adriana Gandin. É des-

fundamental para ajudar os estu-

ta forma, segundo a especialista em

dantes a se adaptarem em um mun-

Gestão de Pessoas, que serão cons-

do em constante transformação. “O

truídas e compartilhadas em forma

nosso aluno está nos dizendo que

de coautoria práticas diferenciadas

existem outros espaços de apren-

e atividades significativas entre pro-

dizagem, com múltiplos olhares, co-

fessores e alunos.


25

Diversificar é o caminho Educar as pessoas para saber decidir e usar as oportunidades advindas desse novo cenário, na avaliação da pós-doutora em Ciências da Computação pela Universidade do Texas, Lucia Giraffa, é o que dá sentido ao processo de ensino e aprendizagem. “A tecnologia é ótima para incentivar o trabalho colaborativo, a criatividade, a disciplina, também é ótima para despertar o método científico, o entendimento das etapas na resolução de um problema e a aprendizagem colaborativa. Mas esse processo de renovação também deve considerar os benefícios de práticas pedagógicas realizadas ao ar livre, no pátio da escola com materiais concretos, como a areia e o barro, bem como o benefício que há nas brincadeiras, no convívio social, nas conversas embaixo da sombra de uma árvore, no contato com a natureza”, diz a especialista em jogos educativos. Existem vários caminhos para uma educação de qualidade, e cada escola deve escolher aqueles que melhor se adaptem as suas realidades. Como bem fala a filósofa Viviane Mosé, “tudo está no chão, e coisas interessantes começam a brotar”.

Guia de Aplicativos Pensando em auxiliar pais, alunos, professores e quem se interessa no uso da tecnologia em favor da educação, o Colégio Farroupilha lançou o Guia de Aplicativos, uma iniciativa inédita entre as escolas do Brasil. Elaborado pela equipe do Setor de Tecnologia Educacional, o Guia traz sugestões organizadas por faixa etária. “Cada vez mais a educação está impactada pelo uso de aplicativos voltados para gerar conhecimento dentro da escola, de forma rápida e compartilhada. Nesse contexto, é fundamental que tenhamos um olhar mais apurado e crítico no momento de selecionar as ferramentas na hora de aprender e experimentar novos conceitos. Através do Guia, preenchemos uma lacuna entre o que é tecnologicamente possível em educação com o que é prático, contribuindo para que o aprendizado seja um processo de descobertas mais lúdico, criativo, autônomo e produtivo, no qual todos tenham condições de aprender, avaliar, criar, organizar, colecionar e compartilhar conhecimento de uma forma responsável e saudável”, explica a Diretora Pedagógica, Marícia Ferri. Integrar o uso de apps em sala de aula não é uma tarefa simples e requer alguns cuidados. Há vários modos de personalizar as atividades escolares através do uso de aplicativos, e todos devem ser analisados, validados e

“A tecnologia é ótima para incentivar o trabalho colaborativo, a criatividade e a disciplina, mas a escola deve considerar nesse processo de renovação também as práticas pedagógicas realizadas ao ar livre e baseadas no convívio social e no contato com a natureza”, destaca a pós-doutora em Ciências da Computação, professora Lucia Giraffa.


26

especial

aplicados pelo educador para que

flexão do valor e das possibilidades

possam promover múltiplas formas

que a tecnologia nos trás para auxi-

de aprendizagem, incentivando a

liar a educar as pessoas”, ressalta

autonomia e a criatividade, tornando

Lucia Giraffa, pós-doutora em Ciên-

o aluno capaz de desenvolver novas

cias da Computação e especialista

ideias e associações. “Verificar se o

em jogos educativos.

aplicativo está de acordo com a proposta educativa e a faixa etária e se o seu uso pode induzir a erros conceituais são questões fundamentais que devem ser sempre observadas”,

Quer conhecer o Guia de Aplicativos? Faça a leitura do QR Code ao lado (veja mais informações na página 02) e confira o material.

adverte Marícia. “Temos o grande desafio de edu-

Inteligência emocional

car as pessoas para o uso crítico e

Estratégias que ensinam profes-

adequado da tecnologia. O Guia de

sores e educadores a despertar

Aplicativos distribuído pelo Colégio

e trabalhar com as habilidades

Farroupilha é uma iniciativa mara-

emocionais dos alunos começam a

vilhosa, pois orienta pais e profes-

despertar a atenção das escolas.

sores a escolherem o que usar com

Especialista em usar uma linguagem

crianças e adolescentes. Ele é fruto

simples para trazer à tona temas

de um trabalho sério e bem intencio-

complexos da contemporaneidade,

nado no sentido de disseminar a re-

o coach David Baker acredita que


27

“A inteligência emocional gera maior motivação e liderança, ajudando a liberar e a melhorar talentos e habilidades, como a resiliência, o controle de impulsos, a canalização de emoções em situações apropriadas e na resolução de conflitos, contribuindo para que os alunos sejam mais equilibrados, autônomos e capazes de enfrentar o mundo”, enfatiza David Baker, professor da School of Life (Escola da Vida), de Londres. a inteligência emocional pode ser

o desenvolvimento emocional e cog-

mais equilibrados, autônomos e ca-

usada em benefício de uma melhor

nitivo do ser humano, e primordiais

pazes de enfrentar o mundo, aumen-

qualidade de vida não somente para

principalmente na primeira infância.

tando também a sua capacidade de

o aluno, mas para todas as pessoas.

Um trabalho dirigido nessa área irá

desenvolver a inteligência cognitiva

“A partir do momento em que domi-

fortalecer os alunos, deixando-os

de forma eficiente”, conclui David.

namos a arte de relacionamentos, aprendemos a agir com calma e a nos conhecer melhor, identificando o que precisamos mudar para alcançar a felicidade”, afirma o consultor e professor da School of Life (Escola da Vida), com sede em Londres. Através de cursos rápidos, David mostra o quanto é importante parar e refletir, de forma inteligente, sobre as preocupações emocionais centrais que, muitas vezes, interferem e comprometem a nossa qualidade de vida. A inteligência emocional ajuda a liberar e a melhorar talentos e está ligada a habilidades, como resiliência (capacidade de superar adversidades), controle de impulsos, canalização de emoções em situações apropriadas, resolução de conflitos, gerando maior motivação e liderança. Pesquisas comprovam que professores e educadores capacitados podem motivar os alunos a liberarem seus talentos em sala de aula através de jogos, vídeos, redes sociais, blogs e criando trabalhos em grupo que foquem e respeitem as características de cada aluno. “Atividades físicas e brincadeiras ao ar livre também são muito importantes para


28

tendências

Desescolarizar é quebrar paradigmas A educadora Ana Thomaz acredita que a aprendizagem mais colaborativa, humanizada e humanizadora é capaz de gerar novos valores, modos de pensar, agir e sentir a vida.

Defensora da ideia de que a escola precisa desescolarizar-se, ou seja, mudar paradigmas para envolver novas formas de aprendizado que respeitem e trabalhem com a singularidade de cada estudante, a professora Ana Thomaz espelha-se na sua experiência de vida enquanto aluna e mãe de três filhos para fazer um alerta para professores e pais: “O futuro não depende das crianças, mas da nossa coragem de fazer a mudança para que as crianças possam florescer e viver em um outro contexto”, explica. Na entrevista abaixo, Ana diz como a educação pode ser usada para gerar novos valores, modos de pensar, agir e sentir a vida em prol de uma aprendizagem mais colaborativa, humanizada e humanizadora.

Ana Thomaz (ao centro) diz que a educação deve quebrar paradigmas e proporcionar uma aprendizagem que respeite a singularidade de cada aluno e seja mais colaborativa.


29

Você acredita que o processo de desescolarização transforma os paradigmas escolares?

dizagem constante e o menos expe-

Desde que iniciei o processo de de-

incondicional da existência do outro,

sescolarização, que para mim signi-

mesmo sem concordarmos com as

ficou quebrar as crenças que a insti-

ações dos outros. A aceitação da

tuição escolar me fez crer, gerou-se

existência é incondicional. Na deses-

um processo de mudança de para-

colarização, existe a responsabilida-

digma do modo de pensar, sentir e

de pela criação de realidade, e não a

agir a vida. Ao olharmos de modo

vitimização de uma realidade injusta

geral a forma de vida que estamos

que acontece ao acaso.

sustentando, ao nos darmos conta

De que forma os pais-educadores podem aproveitar a educação dos filhos para se desenvolver, trabalhar, crescer e fazer crescer outra cultura?

dos processos antivida que estamos enraizando, das inversões de valores e de como nos desconectamos da natureza, não somente da natureza rural, mas da natureza humana, teremos uma percepção das crenças que temos, e essas crenças são ativadas em nós através de nossa cultura e do sistema social, e a escola está a serviço disso.

riente aprende junto. As relações se dão sem intermediários e sem condicionamentos. Existe a aceitação

Biologicamente, nunca nos estacionamos, estamos sempre em desenvolvimento. Ao convivermos com crianças e mesmo com bebês, temos a oportunidade de nos conhecermos

De que forma a desescolarização está em sintonia com os objetivos de vida dos estudantes?

de modo mais verdadeiro, pois as

Ao nos desescolarizarmos, vamos

dos, liberados e fluidos.

crianças nos provocam reações que não acontecem nas relações entre adultos, que precisam ser trabalha-

desinvestir tudo aquilo que sustenta a escolaridade nos dias de hoje. Vamos parar de alimentar esse sistema atual, vamos transformar nossa cultura, vamos criar outros valores, vamos ter outro modo de sentir, pensar e agir a vida. Essa outra cultura surge do encontro do ser humano com a sua potência de vida, a vida pulsante em cada um de nós, que é singular e a favor da vida.

A escola cresce com a desescolarização? Não existe o lugar do ensinar na desescolarização, é sempre um lugar de aprendizagem, onde se aprende ao ver o outro aprendendo. O mais experiente continua em sua apren-

Sobre Ana Thomaz Educadora, Ana Thomaz costuma ministrar cursos, workshops e palestras em todo o Brasil e também em outros países. Autora de artigos sobre educação, a exbailarina é mãe de três filhos e iniciou um processo próprio de desescolarização aos 30 anos.


30

fazemos a diferença

Farroupilha entre os melhores do mundo Instituição com examinadores capacitados e treinados pelo Centro Aberto de Cambrigde é uma das três finalistas de concurso mundial A excelência do trabalho realizado pelo Centro de Preparação do Colégio Farroupilha na capacitação de docentes do Cultural Santanense Institute, de Santana do Livramento, acaba de receber reconhecimento internacional. O Cultural Santanense Institute, que teve examinadores dos testes orais capacitados e treinados pelo Centro Aberto de Cambridge no Farroupilha, é um dos três finalistas do mundo na categoria “Best Teacher Support” – Melhor Apoio ao Professor. Instituído pela Universidade de Cambridge, o concurso Cambridge English Language Assesment Awards for Preparation Centres conta com 15 instituições finalistas. O resultado será divulgado em julho. Em abril passado, durante visita ao Colégio Farroupilha, o vice-reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rui Vicente Oppermann, elogiou o nível de qualidade no ensino de Língua Inglesa do Centro Aberto de Cambridge. “O Colégio tem um corpo docente extremamente qualificado e possui projetos voltados para um ensino de excelência”, disse o dirigente ao comentar o ótimo desempenho dos alunos que recebem a certificação expedida por Cambridge. “O aluno de hoje é desafiador, tem capacidade para entender e buscar conhecimento; enfrenta dificuldades, sabe atingir metas e tem pleno domínio da Língua Inglesa, o que lhe permite ter o domínio de um mundo global”, acrescentou o pró-reitor de Pesquisa, José Carlos Frantz.

Em visita à direção, comitiva da Universidade Federal do Rio Grande do Sul elogiou a qualidade no ensino de Língua Inglesa oferecido pelo Centro Aberto de Cambridge no Farroupilha.


31

Aprendizados longe de casa Durante um mês, grupo de alunos vai interagir com pessoas de todo o mundo e vivenciar novas culturas.

Cinco alunos da 2ª série do Ensino

porcionar a oportunidade de ter uma

Médio e um sonho em comum: estu-

ideia sobre a profissão que escolhi, de

dar em uma universidade no exterior.

realizar um sonho de criança, que é

Para vivenciar essa experiência, Bruno

estudar em Cambridge e de ter a opor-

Reis Conti, Letícia Koslowski Simões,

tunidade de conhecer pessoas bem

Aleska Neves Mendes, Isabella Beatriz

instruídas no assunto”, avalia Aleska,

Tonatto Pinto e Isabelle Moreno de Oli-

ao contar que escolheu os cursos de

veira Garcia embarcam rumo à Cam-

Medicina e Medicina e Cérebro.

bridge, em julho, para a temporada de estudos do Programa The Cambridge Tradition. O Colégio Farroupilha é a única escola no Brasil a oferecer esse programa. Durante três semanas, os estudantes vão realizar cursos no Jesus College, conceituada instituição de ensino localizada no Reino Unido, pela qual passaram célebres alunos ao longo da sua história de 518 anos, como Thomas Cranmer, Laurence Sterne, Samuel Taylor Coleridge e o membro da família real, príncipe Edward. Esses aprendizados vão contribuir para o crescimento pessoal e profissional desses estudantes. “Tenho certeza de que minha paixão é a Medicina. Esse programa vai me pro-

Para os colegas Bruno e Letícia, futuros advogados, os cursos de Criminologia e de Escrita Criativa vão agregar conhecimentos que serão usados na universidade. “Vamos vivenciar outras culturas e adquirir conhecimentos de mundo”, sintetiza Bruno.

Conheça alguns cursos do Programa The Cambridge Tradition: • • • • • • •

História da Arte Astronomia e Astrofísica Economia Negócios Internacionais Relações Internacionais Psicologia Medicina do Esporte


32

fazemos a diferença

Plano de Voo para o futuro Atividades relacionadas à escolha profissional são realizadas ao longo do ano com todos os alunos do Ensino Médio

Momento importante, a escolha da profissão, para os alunos do Colégio Farroupilha, é trabalhada dentro e fora da sala de aula, gerando reflexões que envolvem as famílias dos estudantes e a equipe de Orientação Educacional. Através do projeto Plano de Voo, são realizadas atividades para todas as turmas do Ensino Médio. Para cada série, o tema possui um foco diferente. “Ao longo da vida, fazemos planos e estabelecemos metas que desejamos realizar, e é a partir delas que escolhemos nossos caminhos. Entretanto, se elas não estiverem claras, podemos não reconhecer os percursos que nos afastam dos nossos objetivos ou ficar em dúvida em relação a qual caminho percorrer, justamente por não termos planejado antes o que realmente queremos”, explica a Orientadora Educacional, Sumaia Fuchs. Valores fundamentais para a vida, como a ética, o respeito e a solidariedade, são trabalhados em todas as etapas do projeto. O autoconhecimento, com atividades que conduzem os alunos a identificarem o que mais gostam, o que os deixa motivados, o que os desafia e qual a percepção que cada colega tem em relação ao outro, é o foco do trabalho realizado com as turmas da 1ª série. As fantasias, a diferença entre hobby e interesse e as variadas percepções sobre cada profissão são questões abordadas pelas turmas da 2ª série. Os grupos são convidados a realizar visitas a organizações e instituições de ensino superior e a conversar com profissionais de diversas áreas. Instrumentos, como a escala de maturidade e a Avaliação de Interesses Profissionais (AIP), são aplicados aos alunos da 3ª série com o intuito de traçar comparativos, checar e consolidar a escolha profissional de cada estudante.

Algumas ações previstas no projeto: • Dinâmicas em sala de aula para a troca de informações com as turmas; sobre o mercado de • Palestras sobre temas como trabalho e as profissões; ética na profissão, mercado • Atividades programadas que de trabalho, vestibular; envolvam as famílias e os • Palestras e atividades professores; vinculadas ao projeto • Aplicação de instrumentos Cuidar é Básico (Hábitos de que auxiliem os alunos a Estudo); perceber suas grandes • Criação de portais áreas de interesse e, assim, colaborativos, alimentados direcionar de forma mais por professores e alunos, acurada sua escolha;

• Jornada das Profissões, Mostra das Universidades, visitas guiadas às universidades; • Entrevistas individuais e com pequenos grupos de estudantes; • Trabalho com lideranças, incluindo a equipe do Grêmio Estudantil Farroupilha; • Palestra sobre universidade no exterior.


33

Magia na descoberta

de novos espaços educativos De uma forma lúdica, alunos da Educação Infantil são acolhidos em ambientes recém-inaugurados Apresentar os novos espaços da Es-

Durante a atividade, as crianças divi-

cola de uma forma mágica, lúdica e

dem suas fotos em um mesmo baú e

bastante criativa aos alunos da Edu-

entram em contato com o mundo das

cação Infantil é a base do projeto Ca-

letras, através da identificação de no-

çadores de Tesouros. A cada dia, as

mes por cores e letras. “Procuramos

turmas de Berçário e dos Níveis 1 e

desenvolver projetos variados; com

2 experienciam novas sensações e

uma diversificada sequência didáti-

possibilidades durante a descoberta

ca, trabalhamos diferentes lingua-

dos ambientes escolares. “Descobri-

gens que são abordadas diariamente

mos pistas, baús, mapas. Através do

através dos cuidados com o corpo,

faz de conta, navegamos em grandes

do conto e reconto de histórias, das

navios, avistamos papagaios que aju-

expressões criadoras e corporais, de

daram nas descobertas dos tesouros:

associações de som e movimento,

coisas de que as crianças gostam

de experiências práticas e concretas

muito, como o pátio, as cores azul

que ajudam a construir noções de

e rosa, os aviões, algumas músicas

dentro e fora, classificação, compa-

preferidas delas, como a da ‘Baleia’”,

ração e seriação, tudo isso de forma

explica a professora Luciana Jantsch.

muito prazerosa”, sintetiza a docente.

Com o intuito de tornar o espaço uma

Quer visitar os novos espaços da

referência acolhedora e que motive a

Educação Infantil? Faça a leitura do

integração e a aproximação entre os

QR Code ao lado (veja mais informa-

coleguinhas, conta Luciana, foi mon-

ções na página 02) e confira os am-

tada a “chamadinha dos tesouros”.

bientes educativos.

Adaptação a novos ambientes representa oportunidade de descobertas, sensações e possibilidades para os alunos da Educação Infantil.


34

fazemos a diferença

Comunidade escolar comemora oito anos do Correia Lima Semana teve programação especial e apresentações de alunos durante evento de aniversário. Autoridades, professores, alunos e colaboradores festejaram os oito anos de existência da Unidade Correia Lima, comemorados dia 24 de abril. Para marcar a semana de comemorações, o Colégio preparou uma programação especial entre os dias 22 e 25, com atividades lúdicas e recreativas, cinema e lanches especiais. Na cerimônia de aniversário, os alunos do turno da manhã, acompanhados da professora Giane Ramos, prestaram homenagem à escola cantando a música “Parabéns, Correia Lima”. O aluno Gabriel, do 2º ano do Ensino Fundamental, apresentou, na flauta, a nona Sinfonia de Beethoven. Dedicada exclusivamente à educação de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, a Unidade atende hoje 285 estudantes do 1º ano a 8ª série do Ensino Fundamental, nas dependências do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de Porto Alegre, no Morro Santa Tereza. Toda a alimentação e os livros didáticos são fornecidos gratuitamente pelo Colégio Farroupilha aos estudantes matriculados.


Pra toda vida 35

Cidadãos de Porto Alegre Alunos e formandos disseminam ações em Porto Alegre com o Movimento #daescolapravida . Protagonistas de intervenções que despertam a atenção

bilizar a população a caminhar mais e a deixar o carro em

de moradores e autoridades para os problemas de Porto

casa para fazer pequenos trajetos com duração máxima

Alegre, os alunos do Colégio Farroupilha comprovam que

de 30 minutos.

a educação está a serviço da cidadania com o Movimento #daescolapravida. Contando com o apoio de novos coletivos urbanos como parceiros, os estudantes executaram duas ações pela cidade durante os meses de março e abril.

Fotografias com curativos coloridos sinalizando buracos, desníveis e acúmulo de lixo e outros entulhos em calçadas de ruas do Bairro Três Figueiras estão sendo usadas para mobilizar a população para esse problema tão comum em

No dia do aniversário de 242 anos da Capital, alunos for-

Porto Alegre. Proposta pelos alunos do 4º ano B do Ensino

mados no ano passado foram às ruas para colocar em

Fundamental, a campanha pelo site iniciada no dia 11 de

prática a primeira ação viabilizada com financiamento co-

abril está sendo disseminada pelo Colégio Farroupilha e

letivo, inspirada no Walk your City, plataforma de sinaliza-

pelo Curativos Urbanos, coletivo paulista parceiro do Movi-

ção para pedestres. Com os R$ 3.600,00 arrecadados pelo

mento #daescolapravida.

Catarse, plataforma digital de financiamento de projetos colaborativos, o grupo confeccionou placas coloridas com indicações de tempo que uma pessoa leva para realizar a pé percursos a vários pontos da cidade. A intenção é mo-

Nas próximas semanas, novas intervenções devem ser feitas pela cidade com o apoio de integrantes dos coletivos Smile Flame, Projeto Vizinhança e Rastro Urbano de Amor.


36

pra toda vida

Intervenções que melhoram a mobilidade urbana em Porto Alegre e incentivam a cidadania da população são idealizadas e realizadas por alunos do Ensino Fundamental e Médio com o apoio de coletivos urbanos parceiros da Capital e de São Paulo.

Welcome to POA Adesivos com informações sobre itinerários e principais vias de trajeto que ligam o aeroporto Salgado Filho ao estádio Beira Rio foram criados por estudantes para as linhas de ônibus da Capital como forma de incentivar turistas a usarem o transporte público durante a Copa do Mundo. O Colégio está negociando com a Prefeitura de Porto Alegre a viabilização da adesivagem até junho. No final do ano passado, os alunos do 6º ano do Ensino Fundamental distribuíram um Guia para Taxistas com expressões e atitudes educativas em inglês para os profissionais adotarem com os turistas no dia a dia. Nessa mesma época, estudantes do 3º ano do Ensino Fundamental criaram e instalaram placas coloridas do projeto “Se essa rua fosse minha” com os nomes das ruas dos bairros Bom Fim e Cidade Baixa. Essas três ações integraram o projeto Welcome to POA, lançado pelo Farroupilha no primeiro semestre do ano passado. O público foi convidado a participar, sugerindo ideias em um aplicativo criado no Facebook do Colégio. Ao todo, 55 sugestões foram postadas. Uma comissão formada por autoridades, formadores de opinião, empresários, representantes de coletivos urbanos, alunos e lideranças escolheu as três ações que seriam executadas pelos alunos. Quer conferir as ações realizadas em 2013? Então acesse o QR Code ao lado (veja mais informações na página 2) e confira.

Curativos coloridos foram usados pelos alunos do 4º ano do Ensino Fundamental para sinalizar desníveis e acúmulo de lixo nas ruas do bairro Três Figueiras.


37

Fazer o bem olhando a quem

Entidades assistenciais são beneficiadas com o trabalho do Grupo de Voluntariado.

Ações de recreação para crianças,

“Com o trabalho voluntário, aprendo

portadores de deficiência e idosos

muitas coisas, em especial que as

e campanhas de arrecadação de do-

crianças (e as pessoas em geral),

nativos são os focos do trabalho do

mesmo sendo de distintas classes

Grupo de Voluntariado. Na primeira

sociais, são todas iguais. Entrei em

ação do ano, repassadas às entida-

contato com outra realidade de vida,

des Pé de Pilão e Associação Evan-

completamente diferente da minha.

gélica Luterana de Caridade, o Grupo

Crianças humildes me ensinaram

realizou a entrega de ovos de choco-

muitas coisas como, por exemplo, dar

late, bombons e chocolates em barra

valor para a simplicidade, a conhecer

doados por alunos de todos os níveis

a essência de pessoas diferentes, a

de ensino. A Associação de Assistên-

perder preconceito e, principalmente,

cia à Criança Deficiente também será

a olhar o mundo com outro olhar”,

beneficiada ao longo do ano com o

avalia a aluna Bruna Meyer, da 3ª sé-

trabalho dos alunos.

rie do Ensino Médio.

Com encontros quinzenais, o Grupo

O Grupo está aberto à adesão de

de Voluntariado propicia aos alunos

novos alunos. Interessados em par-

a convivência e a experiência a par-

ticipar, devem procurar a professora

tir de realidades sociais diferentes

e coordenadora Maria Aparecida de

de crianças, adolescentes e idosos.

Almeida.


38

agenda

VIII Show de Talentos Espetáculos artísticos serão apresentados pelos alunos dos Anos Iniciais durante a 8ª edição do Show de Talentos, que acontece de 23 a 27 de junho, no Auditório do Colégio. No dia 1º de julho, é a vez dos estudantes da Unidade Correia Lima apresentaremse na área coberta da escola.

Feira do Livro Uma programação especial está sendo desenvolvida para a comunidade escolar de 07 a 11 de julho, quando será realizada a XXIX Feira do Livro. Com atrações em vários espaços do Colégio, a Feira possui atividades de integração também para as famílias.


3ª Feira Verde No Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 05 de junho, o Colégio Farroupilha promoveu a terceira edição da Feira Verde. O evento integrou o Projeto de Sustentabilidade e buscou conscientizar a comunidade escolar sobre a importância do cuidado com o meio ambiente e da adoção de uma alimentação mais saudável e equilibrada. Durante todo o dia, foram comercializados produtos orgânicos, roupas e artesanato, entre outros itens.


40

agenda

Festa Junina As diferentes culturas típicas das Festas Juninas do Brasil foram apresentadas no dia 07 de junho, quando o Farroupilha promoveu a sua tradicional Festa Junina. Comidas e bebidas típicas, atrações e brincadeiras integraram a programação.

Ciranda de Ideias e Mostra de Saberes Trabalhos elaborados pelos alunos dos Anos Iniciais serão apresentados dia 05 de julho, nas salas de aula, durante a Ciranda de Ideias. Já no dia 12, será a vez dos estudantes da Unidade Correia Lima participarem da Mostra de Saberes.


Você é um Professor Inquieto?

CURSOS LIVRES 2014 BOAS PRÁTICAS DOCENTES NOVAS TÉCNICAS EM SALA DE AULA GESTÃO DE PROJETOS E GAMEFICAÇÃO USO DE TECNOLOGIA EM AULA FORMATOS VISUAIS DE APRESENTAÇÃO DAS AULAS

WORKSHOPS 2014 DO QUE MEU ALUNO GOSTA? COMO A INTERNET PODE AJUDAR NA SALA DE AULA? EDUC.AÇÃO – QUAIS AS TENDÊNCIAS NA EDUCAÇÃO DO SÉCULO XXI? ESCOLA E SOCIEDADE – COMO OS COLETIVOS URBANOS PODEM CONTRIBUIR PARA A FORMAÇÃO CIDADÃ? APRENDER BRINCANDO – OS DESAFIOS DA APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Confira no site www.professoresinquietos.com.br/cursos as informações de datas, mediadores, valores e possibilidades de participação nos cursos e workshops.


Alimentos saudáveis na cidade | Raíz Urbana

Calma e lixo no lixo | Movimento #daescolapravida

Aqui bate um coração | RUA

Corrida maluca de cadeirantes | Smile Flame

Estante pública | Estúdio Nômade

O QUE VOCÊ TEM FEITO COM O SEU TEMPO? TEM USADO ELE PARA MELHORAR A CIDADE? PARA TRANSFORMAR A VIDA DAS PESSOAS AO SEU REDOR? OU TEM USADO ELE PARA RECLAMAR?

Que tal doar um pouco de seu tempo em projetos legais para a cidade? É super fácil de participar! www.colegiofarroupilha.com.br/socialfunding

Que ônibus passa aqui? | Shoot The Shit

Curativos Urbanos | Movimento #daescolapravida

Haircut day | Smile Flame

Ação Vila Flores | Projeto Vizinhança

Porto Alegre precisa de mais | Shoot The Shit

Se esta rua fosse minha | Movimento #daescolapravida

Skate no asilo | Smile Flame

Serenata iluminada | RUA


Revista Farroupilha - Maio/Junho 2014  

Publicação do Colégio Farroupilha.

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you