Page 1

ESCOLA REGIONAL DR. JOSÉ DINIS DA FONSECA CERDEIRA DO CÔA

Dezembro de 2011 Ano VIII

EXAMES NACIONAIS, 2011 PARABÉNS, COLÉGIO DA CERDEIRA! FOMOS A 1ª ESCOLA DO DISTRITO DA GUARDA, 92ª POSIÇÃO A NÍVEL NACIONAL DE 1294 ESCOLAS, A MELHOR ESCOLA DA BEIRA INTERIOR!

Nº 3

(50 CEREJAS)


Índice EDITORIAL

Pág. 2

OS OITENTA ANOS DO COLEGIO

Pág. 3

EDUCAÇÃO FINANCEIRA

Pág. 3

VISITA AO POLITÉCNICO

Pág. 4

MAGUSTO

Pág. 4

FEIRA DO LIVRO

Pág. 4

DEFICIENCIAS

Pág. 5

BANDA DESENHADA

Pág. 6

O HINO NACIONAL

Pág. 8

DIREITOS HUMANOS

Pág. 8

RACISMO

Pág. 9

O MEU SONHO…

Pág. 9

CIVISMO

Pág. 9

EXAMES NACIONAIS

Pág. 9

O NATA É…

Pág. 10

NO COLÉGIO GOSTO DE...

Pág. 10

ACTIVIDADE DE ENRIQUECIMENTO EXTRACURRICULAR NO COLÉGIO

Pág. 11

A VIDA

Pág. 11

“O CEREJINHAS”

Pág. 11

CURIOSIDADES, HUMOR E

Pág. 12

Interessante constatar que empresas estrangeiras procuram, em Portugal, jovens, cuja formação se distancie da maioria dos profissionais, para recrutarem para os seus países de origem. E encontram-nos, porque existem, e nos mais variados campos: saúde, investigação, direito, engenharia, ensino/educação e outros. Aqui, o seu verdadeiro valor como que se apaga e acabam por ser descobertos por estranhos. Até neste âmbito nos deixamos invadir pela crise!... Força, jovens! A vida já vos deu muitas lições. É mais uma. Dos fracos não reza a história. O sucesso será o vosso futuro! Matéria prima para jovens dessa índole existe bastante, nesta escola. Mas moldála, dar-lhe forma, quem consegue? Desviar todos os obstáculos do seu caminho é tarefa que eles esperam ver exercida pelos adultos, neste caso os docentes e auxiliares de acção educativa. E, no fundo, eles até são bons colaboradores, disponíveis, simpáticos, solidários, desde que não se trate de estudar. Será que pretendem ser homens/mulheres a meias, com a parte física e humana desenvolvida (demasiado, em alguns casos), e a parte intelectual atrofiada? Ó jovens, tendes potencialidades: desenvolvei-as! Tendes qualidades humanas: sublimai-as! Tendes inteligência: mostrai-a! Dentro de alguns anos, sereis vós os jovens qualificados que hão de revolucionar o mundo! Apesar de tudo, eu quero acreditar em vós! Bom NATAL! Nesta época festiva, refleti uns momentos, sobre o Deus que quis fazer-Se Menino para, mais próximo de nós, nos ensinar a dar tudo pela verdade, pela justiça, pela paz!... Tentai aprender a lição! Felicidade Ramos

PASSTEMPOS

2


OS OITENTA ANOS DO COLÉGIO

um aluno do então ensino primário. Houve ainda tempo para alguns momentos lúdicos de declamação de poemas, pequenas peças de teatro e, claro, a atuação de alguns alunos atuais, com temas que a todos agradaram! No final do dia, reinavam os sorrisos e a satisfação, embora aqui e além se notasse alguma nostalgia! A verdade é que o Colégio não é indiferente a ninguém que por cá passa, e marcou a vida de muitas pessoas, claramente, de forma bastante positiva. Para algumas, o momento do adeus foi difícil. Não

Realizou-se no passado dia 1 de Outubro, mais uma festa de comemoração das oitenta primaveras do nosso querido colégio. Desta vez, a festa realizou-se aqui mesmo na escola, e teve a participação de muitas ex-alunas que não quiseram perder a oportunidade de matar saudades e rever amigas de longa data. A festa teve inicio com uma visita, à vontade, às instala-

tinham vontade de sair. Nós por cá, felicitamos, mais uma vez, esta escola e todos os que contribuem, diariamente, há largos anos, para que ela continue a dar cartas no contexto sócio-educativo da região, e esperamos continuar a cantar-lhe os parabéns por vários anos! Bem-haja Colégio da Cerdeira.

ções, para matar saudades ao espaço físico,...seguida da celebração da santa missa. Após a eucaristia, os presentes puderam desfrutar de um maravilhoso almoço, que os participantes fizeram questão de partilhar, do qual fazia parte o habitual bolo de aniversário. A tarde continuou com alguns depoimentos muito interessantes, e o relato de várias peripécias de pessoas que assistiram ao ‘nascimento’ desta nossa instituição, incluindo duas das primeiras alunas que por cá passaram, e A equipa do jornal

EDUCAÇÃO FINANCEIRA

sempre em conta em que estação do ano estamos e não devemos

No dia 13 de Outubro de 2011, o 8ºano realizou uma visita de

comprar roupa, por exemplo, só porque está na moda, pela cor ou

estudo ao Sabugal. Nesta visita de estudo, que foi realizada pela

pelo estilo. É preciso saber ver o preço e ter sempre isso em conta.

Universidade de Aveiro e pela Caixa Geral de Depósitos, falamos sobre a educação financeira. Vimos um pequeno filme para sabermos como íamos fazer as atividades seguintes e para saber mais sobre aquilo de que íamos falar. O filme esclarecia-nos sobre como devemos gastar o nosso dinheiro da melhor forma e sobre quais as escolhas ideais para pouparmos dinheiro. Todos nós, no dia-a-dia, gastamos dinheiro, mas, muitas gastamo-lo mal ou de forma desnecessária. Se não comprássemos aquilo que não nos faz falta, talvez conseguíssemos poupar mais. O filme visionado falava, ainda, sobre a forma como reagimos perante as nossas escolhas, ou seja, quando vamos comprar algo

Ana Catarina e Elisabete, 8º ano

que nos faz falta não fazemos as melhores opções. Devemos ter 3


nharia civil, etc., sempre muito atentos às explicações que nos iam sendo dadas. A sala que nos despertou mais interesse foi a de robóNo dia 18 de outubro deste ano, os alunos de 9º e 7º ano desloca- tica, por ser a mais dinâmica e por podermos ver carros que ram-se ao Instituto Politécnico da Guarda, na companhia do pro- andam com o menor consumo de energia possível. A todos cativou a atenção. Por fim, tivemos uma espécie de aula de TIC, com o fessor Gabriel e da menina Celine. Como sempre, começámos a professor que nos acompanhou toda a manhã, na qual pudemos ver nossa viagem com um pequeno discurso do professor Gabriel, sobre o nosso futuro. Com muito entusiasmo nos deslocamos até á sites importantes. No final do almoço, regressámos à escola, um pouco cansados, cidade, num autocarro que o Instituto nos disponibilizou. mas contentes com o que tínhamos visitado. Fomos acolhidos por um professor que nos levou a conhecer as Laura, 9º ano instalações. Vimos os laboratórios, as salas de engenharia informática, o ginásio, a sala das línguas, a sala de robótica, a sala de enge-

VISITA AO POLITÉCNICO

O Outono chegou, pé ante pé, e trouxe consigo o cheiro das castanhas. E, como já vem sendo habitual, no passado dia 11 de Novembro realizouse, no ginásio do Colégio, um agradável magusto. Como o tempo pregou uma partida, pois a chuva teimava em cair, não foi possível assarem-se as castanhas na caruma e prepararem-se as mãos para ,depois, enfarruscar as caras. Mesmo assim, foi engraçado vê-los correr, saltar e cantar! Sim, porque as castanhas já estavam descascadas e era só comer… Estavam deliciosas! A tarde terminou com um lanche, oferecido pela Diretora do Colégio, onde todos se deliciaram com sandes, sumos, e iogurtes. Esta foi mais uma actividade que se repete anualmente, sempre com o objectivo de manter as tradições e de promover o convívio e o são divertimento, entre toda a comunidade educativa. Professora Paula Tavares

importância da leitura e para a promoção da literacia, dando também um contributo para a valorização do livro como instrumento de aprendizagem. A leitura é uma atividade de extrema importância,

LAVADOC HA

pois permite ampliar e integrar conhecimentos, enriquecer o vocabulário, facilitar a comunicação, entre outros benefícios. Entre os dias 5 e 16 de Dezembro decorreu, na Biblioteca, a Feira do Livro. Esta iniciativa, dirigida a toda a comunidade escolar, pretendeu despertar o interesse para a

Contamos com uma grande variedade de livros, para todos os gostos. Prof. Sandra Silvestre 4


DEFICIÊNCIAS "Deficiente" é aquele que não consegue modificar a sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedde em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino. "Louco" é quem não procura ser feliz com o que possui. "Cego" é aquele que não vê o seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para os seus míseros problemas e pequenas dores. "Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão pois, está sempre apressado para o trabalho e quer garantir os seus tostões no fim do mês. "Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia. "Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam da sua ajuda. "Diabético" é quem não consegue ser doce. "Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer. E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois: "Miseráveis" são todos os que não conseguem falar com Deus. "A amizade é um amor que nunca morre. "

REFLEXÕES SOBRE O POEMA Muitas vezes, dizemos “Ah! aquele é deficiente…” e rimonos, mas todos nós podemos ser deficientes, um dia. Será que sabemos o verdadeiro significado dessa palavra? Lucinda, 9º Ano. Ser deficiente é duro. Essas pessoas precisam dos outros para ir a qualquer lado ou fazer qualquer coisa. Apesar de terem alguma deficiência devem ter os mesmos direitos que as pessoas que são saudáveis. Não se deve gozar, pois, um dia podemos ficar nós com algum tipo de problema. Devemos, sim, ajudá-los, e, acima de tudo, contribuir para a sua felicidade. Não devemos deixar de lado as pessoas portadoras de deficiência, pois, no fundo, somos todos iguais e todos diferentes. Marisa, 9º Ano.

Mario Quintana (escritor gaúcho 30/07/1906 -05/05/1994)

“Ser deficiente” tem dois significados para mim: Deficiente é o que sofre de algum problema mental ou físico e que não pode modificar isso, mas também é aquele que não tem sentimentos e se mostra insensível, ou seja, aquele que não tem amor no coração e que não deixa crescer os seus sentimentos. Sabrina, 9º Ano. Por vezes, as pessoas saudáveis são bem mais “deficientes” do que as que são portadoras de deficiência: - Somos “cegos” porque só sabemos olhar para nós e não olhamos para o outro que precisa da nossa ajuda; - Somos “surdos” porque não ouvimos um amigo que precisa de desabafar; - Por vezes, somos “anões” porque não deixamos que o amor cresça dentro de nós. Inês Alves, 7º Ano.

5


Banda desenhada realizada pelo 6Âşano de escolaridade : Catarina, Filipa Alves, InĂŞs Carreira, Jacinta Almeida, Marco Dias, Paulo Rocha e Telmo Paredes

6


7


cutado. Nessa altura, todos devemos ouvi-lo com respeito e O Hino Nacional Hino nacional, também chamado de “A Portuguesa”, é a

dignidade. Heróis do mar, nobre povo

composição poética e musical com que exprimimos o brio da Nação valente, imortal, nossa existência como nação livre. Em 1956 existia mais de

Levantai hoje de novo

uma versão do hino. Por isso, o governo nomeou uma comis- O esplendor de Portugal são encarregada de estudar uma versão oficial de “A Portu-

Entre as brumas da memória,

guesa”. Essa comissão elaborou uma proposta que seria apro- Ó pátria, sente-se a voz vada em Conselho de Ministros a 16 de Julho de 1957, man- Dos teus egrégios avós tendo-se o hino inalterado deste então. São autores da música Que hão de guiar-te à vitória Alfredo Keil, e da letra Henrique Lopes de Mendonça, que,

Às armas! Às armas!

numa feliz combinação de inspirações, fizeram um Hino tão

Sobre a terra e sobre o mar,

vibrante e entusiástico que, ao cantá-lo, sentimos o patriotis- Às armas! Às armas! mo que herdámos dos nossos heróicos ancestrais e que have- Pela pátria lutar! Contra os canhões, marchar, marchar! mos de passar às gerações futuras. Em qualquer cerimónia,

(Com consulta da wikipédia)? Inês Nobre, 6º ano

civil ou militar, em que se renda homenagem à pátria, à bandeira nacional ou ao Presidente da República, o hino é exedecorrer do tempo.

OS DIREITOS HUMANOS

Com a idade moderna, os racionalistas dos séculos XVII e XVIII, reformularam as teorias do direito natural, deixando

Os direitos humanos são os direitos e

de estar submetido a uma ordem divina. Para os racionalis-

as lliberdades básicos de todos os seres humanos. Normal-

tas, todos os homens são, por natureza, livres e têm certos

mente o conceito de direitos humanos também contem a

direitos inatos de que não podem ser despojados, quando

ideia de liberdade de pensamento e de expressão, e a igual-

entram em sociedade. Foi esta corrente de pensamento que

dade perante a lei. Os direitos humanos são o resultado de

acabou por inspirar o actual sistema internacional de protec-

uma longa história e foram debatidos, ao longo dos séculos, ção dos direitos do homem. por filósofos e juristas . O início desta caminhada, remete-nos para a área da religião, quando o Cristianismo, durante a Idade Média, sustenta a afirmação da defesa da igualdade de todos os homens numa mesma dignidade. Foi também durante esta época que os matemáticos cristãos recolheram e desenvolveram a teoria do direito natural, em que o indivíduo está no centro de uma ordem social e jurídica justa. Mas a lei divina tinha prevalência sobre o direito laico, tal como era definido pelo imperador, o rei ou o príncipe.

Marco Dias, 6º ano

Logo, foram desenvolvidas muitas ideias no 8


outras. Mas felizmente, esse tipo de pensamento está a modi-

RACISMO

O racismo é uma teoria que afirma a superioridade de certas ficar-se. raças e nela acerta a defesa do direito de dominar ou mesmo O Ser Humano é muito egoísta e quer sempre ser melhor suprimir os outros. É uma atitude preconceituosa e discrimi- que o seu irmão, mesmo os judeus, que na minha opinião, são o povo mais descriminado em toda a história da humaninatória contra indivíduos de determinadas raças ou etnias. Nas escolas, o racismo é um divertimento para os alunos dade, também têm preconceitos contra árabes e outros viziagressores, porque se têm um elemento na turma que é nhos do médio oriente. Todos deviam ser mais tolerantes. “chinês”, “africano” ou simplesmente “cigano” gozam-no por NUNCA DEVEMOS JULGAR ninguém, devemos ajudar as pessoas como elas são e sem obrigação de sermos retribuídos a cor do seu corpo ser diferente da deles. Não é só nas escolas que isto se passa mas, também nos cen- com outra oferta. Filipa Dara, 8º ano

tros de saúde, nos centros comerciais ou nas ruas. Algumas pessoas ainda pensam que são melhores que as

Civismo O meu sonho…

O Civismo mostra-se nas atitudes e comportamentos que,

Eu tenho duas grandes “paixões”: o atletismo e a música.

no dia a dia, se apresentam nos diferentes cidadãos, na

Logo, os meus sonhos estão ligados a estas duas paixões.

defesa dos seus valores. Essa prática, desenvolvida ao longo

No que diz respeito ao atletismo, eu queria vir a conhecer a

da vida, permite-nos adquirir educação.

Naíde Gomes e o Nelson Évora, que são dois grandes atle-

A falta de civismo manifesta-se, por exemplo, em actos de

tas portugueses. No que se refere à música, já tive muitos

vandalismo (destruição de edifícios da sociedade) ou falta

sonhos que já foram concretizados, entretanto. Mas tenho

de educação.

um outro que é poder assistir a um concerto dos The Gift.

As atitudes que devemos tomar estão relacionadas com a

Espero que, com o passar do tempo, tudo isto se possa rea-

higiene a boa educação, as regras de etiqueta e o respeito.

lizar…

Devemos tomar sempre as atitudes corretas, nas alturas Sónia, 8ºano

certas.

Marco e Telmo, 6º ano

Exames Nacionais A nossa escola ficou em 1º lugar a nível distrital e da Beira Interior. Estamos orgulhosos pelos nossos amigos. Este ano lectivo, nós, os alunos do 6º ano, vamos tentar fazer ainda melhor. Tudo isto só foi e será possível com o apoio dos professores, aos quais temos de agradecer, e, com os quais temos de colaborar estreitamente.

Ricardo Carvalho e Hugo Alves 6ºA 9


presentes de Feliz Natal” (Angélica, Carla e Carolina) - “É uma época muito feliz, que se vive num ambiente de O NATAL É…

alegria, paz e amor.” (Eva) - “O nascimento de Jesus” (Beatriz, Cassandra, Diogo e Leonor)

Para os mais pequenos, a quadra natalícia resume- - “Uma festa em que convivemos com toda a família” (Laura se, praticamente, às férias, aos doces, aos presentes e ao Pai e Verónica) Natal, claro! Mas, o Natal é muito mais do que isso. Marca - “É estar em harmonia com a família” (Leonardo) uma época especial de celebração do nascimento de Jesus - “Uma época de felicidade e tolerância” (Mª Luísa) - “Uma festa cheia de felicidade” (Miguel)

Cristo.

Ficam aqui algumas frases que pretendem explicar o - “A reunião da família” (Fabien e João) - “Uma festa muito importante” (Sara) significado do Natal para os nossos alunos do 5ºA: O espírito de Natal está assente no amor e na entre- “Uma quadra especial, onde toda a família se reúne e con- ga ao próximo. Votos de um Natal solidário muito feliz! vive” (Alexandre) - “Um dia muito importante, pois celebra-se o nascimento

Professora Paula Tavares

de Jesus e recebemos NO COLÉGIO GOSTO DE...

Fomos ao encontro dos alunos do 7ºA para sabermos qual a sua opinião sobre o que mais gostam no Colégio. - Do tipo de educação que me é dada (Alexandra) - Das brincadeiras nos intervalos (Alexandre) - Das amigas que aqui fiz (Ana Catarina) - Das atividades das aulas de Educação Física (Ana Gabriela) - De jogar matraquilhos e de jogar à bola (André) - Das aulas de Introdução às Tecnologias de Informação e Comunicação (Carlos) - Da minha turma (Carolina) - Da alegria que me fazem sentir (Catarina Leal) - De aprender, de pintar e de brincar (Catarina Miguel) - De tirar boas notas (Cátia) - Da forma como as Irmãs me acolhem (Célia) - De tocar guitarra (Fábio Galhano) - De conviver com os meus colegas/amigos (Fábio Janela) - Da actividade extra-curricular - natação (Inês Alves) - De conviver com as minhas amigas (Inês Martinho) - De estudar e de desenhar (Jéssica) - De conviver com as minhas amigas (Mariana Fonseca) - De ter criado novas amizades (Mariana Aguiar) - Das vigilantes (Melissa) - De jogar matraquilhos (Miguel) - Da forma como os professores ensinam (Sara) - De estudar com as minhas colegas (Vanessa)

Professora Paula Tavares 10


ACTIVIDADE EXTRA-CURRICULAR NO COLÉGIO Neste ano letivo, o Colégio proporciona aos alunos a possibilidade de frequentarem uma nova Atividade ExtraCurricular: a Natação. Funciona à terça-feira para os alunos do 5º, 6º e 7º anos e à quarta-feira para os do 8º e 9º anos, nas Termas do Cró. A disponibilização desta Atividade prende-se com o facto de se tratar de uma das atividades físicas mais completas. Para além de ser divertido brincar na água, nadar faz bem. “A natação ajuda a aumentar a resistência cardiovascular e cardiorespiratória, reforça a circulação de oxigénio por todo o corpo, ao mesmo tempo que fortalece braços, pernas, costas, ombros e trabalha os músculos abdominais e dorsais”, sublinha Paulo Lacerda, professor de Educação Física do Colégio. Fazendo o balanço deste primeiro período, o saldo foi amplamente positivo.

Professora Paula Tavares

A VIDA Vivo com paixão

A vida é uma corrida

A vida vale a pena

Viver é viver

e emoção

Que temos de empreender

Basta acreditar

Se riscos não corres

E vamo-nos lembrar

Nunca irás vencer

dou a volta às coisas Vivemos com lazer com uma canção

De um desafio superar Alegria e prazer Inês Nobre e Inês Carreira 6º ano

“O CEREJINHAS” Realizar o nosso jornal é muito mais do que divulgar trabalhos, fazer passatempos e produzir um trabalho em grupo. Também é isso, mas vai mais além. Pretende desenvolver a expressão oral e a expressão escrita, a criatividade, o espírito crítico, bem como ser um instrumento de comunicação e divulgação da escola para a comunidade educativa. Assim, entre o fim de um ano letivo e o início do seguinte, aqui está mais uma edição do jornal “O Cereji-

nhas”, para vos proporcionar uns momentos de leitura e poder divulgar os trabalhos realizados pelo corpo vivo desta Escola. Procuramos editar o máximo possível de notícias, trabalhos, passatempos e outros assuntos, mas reiteramos o pedido: queremos mais gente a participar na elaboração deste jornal escolar, sejam eles alunos, Irmãs, professores ou funcionários. Todos são bem-vindos. Neste tempo de mudanças aceleradas e de incertezas absolutas, dediquemos então um pouco do nosso tempo a uma leitura repousante do nosso jornal. E tentemos ser felizes… Aqui, na Escola que é de todos nós, e lá fora, no mundo que nos pertence! Professora Paula Tavares 11


Publicidade: Ficha técnica: Diretora: Felicidade Ramos Redatores: Professores e alunos Equipa coordenadora, edição e design gráfico: Daniel Pires, Sílvia Brites e Paula Tavares Tiragem: 250 exemplares

Direcção Técnica Caracol Real Cerdeira do Côa, 6320-131 Sabugal Tel.: 271 581 552 Fax: 271 581 549 * Telms.: 966 107 335 e 963 053 661 Email: caracolreal@sapo.pt

Dr. Edgar Filipe Antunes Fernandes E.N. 324, Nº 42, 6320-131 Cerdeira do Côa Tel.: 271 585 182 * Fax: 271 580 170

12

jornal cerejinhas 1 2011 2012  

jornal 1 2011 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you