Page 1

FOLK AZORES 35º festival internacional de folclore dos açores

18 de AGOSTO’19 ILHA TERCEIRA

Praça de Toiros da Ilha Terceira


INTERNACIONAIS

ARGENTINA BULGÁRIA CHILE CROÁCIA ESLOVÁQUIA E. U. AMÉRICA FINLÂNDIA FRANÇA LETÔNIA MÉXICO POLÓNIA TAILÂNDIA

Ballet Cultural Argentino

TAIWAN

Joy Dance Culture and Art Group

Folkloren Ansambŭl “Bravo” Grupo de Cantos y Danzas Folclóricas Chamal KUD Hž Varaždin Folklórny Súbor Nadšenci Bailey Mountain Cloggers Kimurantti Ballet Martiniquais Tifermasc Tautas Deju Ansamblis Gatve Compañía de Danza México Vivo Zespół Pieśni i Tańca Lany Lampang Kalayanee Folkdance Group

NACIONAIS

Portugal Continental Região Autónoma dos Açores

Grupo Etnográfico Danças e Cantares do Minho Rancho Folclórico “As Cabacinhas” de Santiago Grupo Folclórico e Etnográfico de Pedro Miguel (Ilha do Faial)

COFIT

| Comité Organizador de Festivais Internacionais da Ilha Terceira Rua Cambalim, nº 153 / São Bento / 9700-037 Angra do Heroísmo | Tel./Fax: +351 295 212 975 Email: INFO@COFIT.ORG | Web: WWW.COFIT.ORG | FACEBOOK.COM/FOLKAZORES CERTIFICAÇÃO

ORGANIZAÇÃO

APOIOS


argentina Ballet Cultural Argentino Mestre Laura Franchini fundou em 1987 o grupo folclórico batizado de “Ballet Cultural Argentino”. Este grupo realizou atividades mostrando ao mundo, as tradições das danças nativas da Argentina. Começou por dançar nas suas atuações, danças tradicionais argentinas, como La Chacarera, El Gato, El Escondido, etc. Acrescentou ainda danças de outras regiões do país, tais como o carnavalito do norte do país, ou o El Gato Sureño, da Patagonia. No seu reportório consta, a dança especial efetuada com os pés dos gaúchos chamada Malambo, e ademais coreografias com ponchos, lanças e inclusive com as “boleadoras” (armas

de caça dos nativos) que devido a sua habilidade causam grande sensação. Incluiu ainda, a pedido do público internacional, a dança típica de Buenos Aires de grande difusão pelo mundo, o famoso Tango, como La Cumparsita, Taquito Militar, Norcturna e Libertango por Astor Piazzola. Desta forma, o Ballet Cultural Argentino é fiel representante das diferentes e coloridas danças de toda a Argentina. O ballet realizou o 12º tour de sucesso na Europa e América (Itália, Grécia, Bulgária, Sérvia, Romênia, Paraguai, etc.) e ganhou inúmeros prémios e distinções como “O Oscar do Folclore Mundial” em Gorizia, Itália em 2014.


BULGária Folkloren Ansambŭl “Bravo” Em 2004, na área de Sliven com o amor à dança e às músicas búlgaras, nasceu o Folkloren Ansambŭl “Bravo”. O grupo apresenta composições de dança de várias áreas do folclore tradicional da Bulgária, tais como: “Trácia Siuta”, “Leventi”, “Na megdana”, “Komitsko Libe” “Kukeri”, que são jogos de mascaras, danças específicas no ritual de perseguir maus espíritos, entre outros. Este grupo apresenta-nos uma orquestra com instrumentos musicais tradicionais búlgaros como instrumentos de sopro - kaval e gaida; instrumentos de cordas

- gadoulka, bem como tupã e acordeão. O grupo atua em espetáculos culturais, os dançarinos de “Bravo” orgulham-se de sua atuação no 12º encontro Staroplaninski “Balkanfolk 2006”, em maio, onde recebem 2 diplomas de honra e recomendações para novos espetáculos. Em 2007, o grupo apresentou-se na “Folkloriada da Juventude Europeia” onde foram feitas várias gravações. Este grupo já teve várias atuações na Turquia, Grécia, Roménia, Sérvia, Itália, França, Bélgica, Espanha, Coreia, México, Indonésia e outros países.


CHILE Grupo de Cantos y Danzas Folclóricas Chamal

Criado por um grupo de jovens dedicados a cantar e dançar juntos em Santiago, o Grupo CHAMAL, para um melhor desempenho foi dividido em dança e secção de música. O primeiro repertório da parte musical é composto pelos paradigmas folclóricos da zona central e de Chiloé. Mais tarde, incluíram a popular canção da raiz de autores contemporâneos como Violeta Parra, Rolando Alarcon, entre outros. O grupo CHAMAL é composto por 15 músicos, que não possuem nenhum tipo de apoio institucional para o desenvolvimento de suas atividades. Em 1976 gravou o seu primeiro

álbum, intitulado “Tierra de Alerces”, que foi reproduzido na Espanha, México e Bélgica. Em 1988, foi convidado pela Confederação Internacional de Organizações Folclóricas e Artes Populares (CIOFF), para participar do World Folklore Festival, em Confolens, na França. Em 1992 é novamente convidado para esse concurso. O CHAMAL é um grupo que realiza atuações e recitais em várias localidades de Santiago e regiões do país, desenvolvendo um importante trabalho de divulgação e projeção do folclore chileno.


croácia KUD Hž Varaždin O KUD Hž Varaždin foi fundado em 1931 e realizam inúmeras atuações em toda a Croácia e Europa, onde já ganharam inúmeros prémios. O mesmo já participou em diversos eventos culturais na cidade de Varaždin, na Croácia, e em muitas cidades europeias e festivais folclóricos em Inglaterra, Espanha, República Tcheca, França, Áustria, Suécia, Noruega, Turquia, Itália. Eslováquia, Hungria e outros. O seu repertório de coreografias provem de toda a Croácia, especialmente rico em músicas e danças do norte da Croácia, torna-se em um tesouro extremamente rico de trajes folclóricos que passaram de gerações em gerações, por muitos anos. Além de apresentarem e viajar pelo mundo, é de mencionar que também são organizadores bem-sucedidos do INTERNATIONAL FOLKLORE FESTIVAL “KUD HŽ AND FRIENDS”, que é realizado em Varaždin e que reúne cerca de 200 artistas de países vizinhos. O líder dos dançarinos é o Sr. Kristijan Farkaš e dos músicos o Sr. Krunoslav Drožđek, ambos membros de longa data do grupo.


eslováquia Folklórny Súbor Nadšenci O significado de Nadšenci é “Os entusiastas”. O Folklórny Súbor Nadšenci, foi fundado em 2007 na cidade natal de Trenčín. Nas diversas atuações que o grupo faz, eles apresentam-se com dois tipos de apresentações, primeiramente, a dança tradicional musical da região de Trenčín e outras regiões da Eslováquia e a segunda, é a criação de um próprio modo de expressão que inclui

o lado inovador e bem-humorado da arte popular. Já participaram em grandes festivais de folclore da Eslováquia como Myjava, Východná, Hrušov, Detva, Terchová e também participaram em vários festivais de folclore internacionais em países como República Checa, Roménia, Hungria, Polónia, Portugal, Chipre, Rússia, Equador.


E. U. AMÉRICA Bailey Mountain Cloggers Os Bailey Mountain Cloggers são compostos por jovens adultos da universidade que durante os anos 80, sentiram a necessidade de expandir seu repertório para incluir nas rotinas com mais precisão, tais como: Big Circle Smooth, Freestyle, Country Hoedown, Kentucky Running Set, Line Dance, entre outras. O nome Bailey Mountain é derivado da montanha adjacente ao campus universitário, originalmente de propriedade de uma família irlandesa. Esta equipa de universitários exerce a influência de uma equipe de

campeões mais antiga em Mars Hill, chamada Bailey Mountain “Square” Dance Team. Os Bailey Mountain Cloggers são membros do CIOFF USA. Durante os seus 45 anos de história, os Bailey Mountain Cloggers apresentaram-se em vaistoio estados do seu país, bem como a nível internacional com diversas digressões. A música tradicional é uma antiga banda de cordas do tempo, com foco no Banjo, Bass, Fiddle e Guitar. O grupo gosta de compartilhar culturas e fazer amizades em todo o mundo.


FINLÂNDIA Kimurantti Kimurantti é um grupo de dança folclórica finlandesa composto por 15 bailarinos, dos quais quatro são do sexo masculino e 11 do feminino. O grupo foi fundado em 2005 e opera sob a Associação Juvenil Rajan Nuoret. O diretor do grupo desde então é a senhora Merja Skyttä. Kimurantti vem da cidade de Lappeenranta, que fica perto da fronteira com a Rússia e a NE de Helsínquia, capital da Finlândia. O grupo tem raízes profundas na cultura de dança folclórica Karelian tradicional e a maioria de suas danças são baseadas nessa herança. Além das danças tradicionais, Kimurantti tem coreografias de estilo mais moderno no repertório. O grupo participa em festivais de dança folclórica e música em toda a Finlândia, e até agora, o grupo já participou 6 vezes e ficou entre os 3 melhores do seu país. Mais recentemente, na primavera de 2019, Kimurantti chegou ao campeonato nacional. Além de participar em competições de dança folclórica, Kimurantti também participou em outras competições de dança, que estão abertas a diversos estilos.

Já viajaram ao estrangeiro para diferentes festivais. Até agora visitaram a Noruega (2008), a Dinamarca (2011), a Turquia (2012), os EUA (2016) e a Bulgária (2018) e mais recentemente, participou no Festival Internacional de Folclore em Guam, em dezembro de 2018.


FRANÇA BALLET MARTINIQUAIS TIFERMASC

Fundada em 1991, a Associação Tifermasc criou um grupo de dança com o mesmo nome cuja abordagem é centrada na “pessoa” e consiste em ensinar a dança aos jovens, como era praticada pelos nossos antepassados, enfatizando as diferentes danças, instrumentos, figurinos, etc. Tifermasc é baseado em TROIS-ILETS no sul da Martinica, também chamado de “ilha das flores”. É uma região ultramarina da França, cuja cultura reflete uma mistura distinta de influências africanas, francesas e caribenhas. Com base nos valores humanos e morais (acolhimento, ajuda mútua, respeito ao outro, tolerância e coragem), o projeto associativo consiste num real aperfeiçoamento da herança cultural da Martinica transmitida às gerações jovens.

A Associação promove a mobilização de todos os seus membros de acordo com suas competências em relação às ações realizadas pela associação (Carnaval, Comemoração da abolição da escravidão, etc.). Através das suas danças, Tifermasc faz descobrir diferentes figuras da Besta, essência da cultura da Martinica ritmada pelo tambor a “tibwa” e a “Chacha” e as chamadas danças de salão (biguine, mazurka, quadrille) chegaram séc. XIX. Cada tipo de dança é reservado para uma roupa, um grande vestido cerimonial, o toureiro, o rio salgado, a coleira mahot, etc., e uma composição diferente da orquestra. Para bailes, os instrumentos utilizados são o acordeão, a gaita, o clarinete, o violão, o piano.


Letónia TAUTAS DEJU ANSAMBLIS GATVE O Tautas Deju Ansamblis Gatve da Letónia, tem 73 anos de história transmitindo sempre as suas próprias tradições. O grupo está baseado em Riga, capital da Letónia, e desde 1990 trabalha sob a liderança do Gunta Raipala. É um grupo que zela pelas tradições de dança através de gerações em diferentes faixas etárias e 2 grupos de dança de adultos. Gatve esteve sempre entre os melhores grupos de dança nacionais e grupos de dança que ganharam o direito de participar no maior evento de dança da Letónia - Festival da Canção e Dança - em que apenas

os melhores dançarinos da Letónia podem participar no mesmo. Muitos coreógrafos famosos da Letónia trabalharam com o grupo e, juntamente com os seus participantes, implementaram vários projetos de dança de sucesso. O Tautas Deju Ansamblis Gatve continua a mostrar a dança folclórica da Letónia a um grande número de pessoas, dando concertos e participando em festivais, tanto na Letónia como no estrangeiro. Nos últimos 20 anos, Gatve participou em festivais na Alemanha, França, Bulgária, Portugal, Lituânia, Rússia, Egito, Grã-Bretanha, Hungria, Grécia e Itália.


méxico COMPAÑÍA DE DANZA MÉXICO VIVO A Compañía de Danza México Vivo, desde a sua fundação, envolveu-se vigorosamente no campo da dança. Esta companhia, formada pelo mestre Sérgio Paredes Duran, tem como objetivo revitalizar as tradições, cultura e a dança folclórica mexicana. Com as suas próprias coreografias e não esquematizado, o grupo consegue a representar artisticamente os diferentes grupos étnicos, sem perder a essência da dança tradicional mexicana.

É objetivo da Compañía de Danza México Vivo e do seu Diretor Artístico, dar a conhecer os seus padrões sociais e culturais, suas tradições folclóricas através destes trabalhos coreográficos, levando a conhecer as diversas manifestações culturais e etnológicas que existem e têm se apresentado em todo o país. A natureza do dançarino e o intérprete mexicano que, graças a sua dedicação e os diferentes suportes, consegue transmitir este trabalho artístico, motivando outros criadores para que sua tradição coreográfica, estando assim o seu trabalho preservado. Esta companhia teve atuações nos melhores teatros do México, como o Teatro da Dança, Teatro Julio Castillo, Raúl Flores Canelo, Teatro das Artes, Teatro Ferroviário, Teatro Jiménez Rueda, entre outros. Também representou o México em diferentes festivais internacionais de dança, nomeadamente, em países como Bélgica, França, Holanda, Taiwan, Rússia, Portugal, Espanha, Colômbia e Itália, onde ganhou o Oscar de Folklor como melhor interpretação do folclore tradicional.


polónia ZESPÓŁ PIEŚNI I TAŃCA LANY

O Zespół Pieśni i Tańca LANY da Universidade de Ciências da Vida de Poznan, na Polónia, foi criado em 1974. No início, era um pequeno grupo de entusiastas do folclore polaco. Em 1977, o novo diretor artístico, Wiesław Kaszubkiewicz, cria um novo programa artístico com trajes tradicionais, danças e canções de diferentes regiões polacas. O diretor atual, Zenon Musiał, dirige o grupo desde 1981 e o diretor artístico Andrzej Tarnowski trabalha desde 2000.

O Zespół Pieśni i Tańca tem quase 100 membros, onde integra estudantes e graduados de todas as Universidades de Poznań. O grupo participa em muitos festivais internacionais na Europa, África, Ásia, América do Norte e do Sul, realizando muitos concertos de prestígio, em eventos e em apresentações de TV. Atualmente, o grupo apresenta músicas e danças de 15 diferentes regiões polacas e, claro, de danças nacionais polacas como Polonez, Mazur, Krakowiak, Kujawiak e Oberek.


portugal GRUPO ETNOGRÁFICO DANÇAS E CANTARES DO MINHO

Fundado por um grupo de minhotos residentes na Grande Lisboa tendo como objetivos recolher, preservar e divulgar a cultura tradicional minhota. Desde a sua fundação a 16 de maio de 1980, tem representado o Minho, não só em Portugal e Arquipélagos, como também em Espanha, França, Alemanha, Polónia, Hungria, Holanda, Marrocos, Japão, Brasil, Eslováquia, Lituânia, Turquia, Malta, Republica Checa e Suíça.

É Sócio Efetivo da Federação do Folclore Português, e está inscrito no INATEL, na Federação Portuguesa das Coletividades de Cultura e Recreio, e é atualmente o Presidente da “Associação do Distrito de Lisboa para Defesa da Cultura Tradicional Portuguesa”. Todos os anos, o grupo organiza o festival de folclore “CIDADE DE LISBOA”.


portugal GRUPO FOLCLÓRICO E ETNOGRÁFICO DE PEDRO MIGUEL A Junta de Freguesia e Casa do Povo, fundou a 23 de junho de 1977, o Grupo Folclórico da Casa do Povo de Pedro Miguel, tendo em março de 1994, sentindo vontade de se aperfeiçoar e de se afirmar, adicionou à sua denominação “Etnográfico”, como é atualmente designado. Os seus trajes procuram testemunhar um pouco do que as pessoas da Ilha do Faial vestiam nos finais do séc. XIX, princípios do séc. XX. Faz a sua 1ª digressão ao Continente português em 1991, nomeadamente, a Santarém, Loures e Almeirim. Posteriormente, efetuou diversas deslocações a várias regiões do Continente e 2 deslocações à

Madeira, para além de ter atuado em quase todas as ilhas dos Açores, com exceção da ilha de Santa Maria. Em 1999, o lançou um trabalho discográfico, intitulado “Manter Tradições” e em 2006 publicou o livro “Notas Soltas de uma memória coletiva”. Em 2012, edita um CD, intitulado “Ao toque da viola”. A 21 de junho de 2014, inaugura a sua Casa Etnográfica, que se encontra aberta ao público, onde estão expostos objetos e peças recolhidas ao longo do tempo que demonstram como viviam os seus antepassados. É considerado Instituição de Utilidade Pública desde 20 de dezembro de 2007.


portugal RANCHO FOLCLÓRICO “AS CABACINHAS” DE SANTIAGO

Num esforço de vivificação dos usos e costumes da comunidade de Santiago, que se localiza a nordeste de Viseu, visando perpetuar o que tende a extinguir-se por força da modernização, surgiu o Rancho Folclórico “As Cabacinhas”, fundado em 1989, efetuando a sua 1ª atuação, em Santiago a 29 de julho de 1990. A 16 de agosto de 1992 realiza o seu 1º Festival de Folclore, que o mantem atualmente, tornando-se membro efetivo da Federação do Folclore Português a 21 de novembro de 2000.

Com base na recolha efetuada, que situa-se na 1ª metade do século XX, os trajes são fundamentalmente de trabalho, romaria, e domingueiros, enquanto as danças são principalmente de trabalho, de romaria, de arremedo, de amor e de namorados. O Rancho tem representado, condignamente, o Folclore Beiraltino em todas as regiões do país, do Minho ao Algarve, incluindo a Madeira bem com a nível internacional.


tailândia LAMPANG KALAYANEE FOLKDANCE GROUP A escola de Lampang Kanlayanee situa-se no distrito de Muang, aproximadamente a 96 quilômetros da famosa cidade de Chiang Mai, na Tailândia. Nesta escola existem 3.077 alunos e 165 professores. É uma escola co educacional que é famosa pela dança tailandesa, música ocidental e idiomas. O grupo já teve distintas participações em diversos festivais

de folclore internacionais como: Songkran Festival na Austrália (1997); International Folklore Festival of Russia (1998); International Folklore Festival in E-Lan em Taiwan (2001); Festivais Internacionais de Folclore na França (2003), na Turquia (2007), na Holanda (2008), na Alemanha e Inglaterra (2009) e no 35th Folkmoot Festival nos Estados Unidos da América (2018).


taiwan

PORTUGAL

JOY DANCE CULTURE AND ART GROUP

“Joy Dance, Culture and Art Group” esta sobre a tutela a Associação de Promoção da Cultura Humana Chinesa Oriental , fundada por Wei, Qui-yen em 1997 em Taizhong, situada na parte central do Taiwan, em que os seus membros variam de crianças e adultos. Originalmente, era dedicado à caridade as suas atuações e com o passar do tempo estende-se à educação artística, criação e apresentação. A vida real e natureza é o tema principal para a criação deste grupo. Danças feitas pelo grupo variam do Kong-fu chinês, dança folclórica e danças modernas. Quanto ao estilo do tradicional e danças folclóricas

realizadas pelo grupo é aperfeiçoado com a criação na base na cultura local. O grupo já participou em vários festivais internacionais como, o Sonkrang Festival na Tailândia, XXIX edição do “Folk del Mundo” e o Festival Internacional de Folclore en el Mediterráneo em Espanha em 2015, 25º International Folklore Festival (Strzegom), World Folk Review “Integration 2016” (Poznan) na Polónia em 2016, Erau International Folklore & Folk Art Festival (Tenggarong) na Indonésia em 2017 e o XXI International Folklore Festival “Ceahlãul” na Roménia em 2018.


Profile for Cofit Cofit

FOLK AZORES 2019 - GRUPOS  

Grupos que participam no 35º Festival Internacional de Folclore dos Açores.

FOLK AZORES 2019 - GRUPOS  

Grupos que participam no 35º Festival Internacional de Folclore dos Açores.

Profile for cofit
Advertisement