Page 1

CataVento Informativo Interno da Embrapa Meio Ambiente Nº 89 - ANO 6 - 16 a 30 de Novembro de 2013

reunião de chefes de P&D da região sudeste

sensibilidade do agente de biocontrole do causador da ferrugem do cafeeiro a radiação ultravioleta-B

Nº 89 - ANO 6 - 16 a 30 de Novembro de 2013

1 


SUMÁRIO

Sensibilidade do agente de biocontrole do causador da ferrugem do cafeeiro a radiação ultravioletavioleta-B .....................................................................................3 Pesquisadores da Embrapa Meio Ambiente apresentam trabalhos no Congresso Brasileiro de Agroecologia...........................................................................................4 Chineses vêm ao Brasil conhecer tecnologias da Embrapa ..................................... 6 Reunião de Chefes de P&D da região Sudeste.............................................................7 Correção de viés em modelos climáticos......................................................................8 Embrapa & Escola .........................................................................................................9 Rede Agrohidro ...........................................................................................................10 I Seminário de Pragas Exóticas em Ribeirão Preto ...................................................11 Encontro de Clima Organizacional ............................................................................ 12

CataVento

Chefe Geral Celso Vainer Manzatto Chefe Adjunto de Administração Marcos Antônio Vieira Ligo Chefe Adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento Marcelo A. Boechat Morandi Chefe Adjunto de Transferência de Tecnologia Ladislau Araújo Skorupa Núcleo de Comunicação Organizacional - NCO Alexandre Rita da Conceição Cristina Tiemi Shoyama Edislene Ap. Bueno Ruza Eliana de Souza Lima Maria Cecília Valadares Zitto Maria Cristina Tordin Silvana Cristina Teixeira

Pesquisa de Clima ....................................................................................................... 13

EXPEDIENTE

Natal com Arte e Cidadania ........................................................................................ 14

Jornalistas Maria Cristina Tordin Eliana de Souza Lima Texto Maria Cristina Tordin Eliana de Souza Lima Projeto Gráfico & Diagramação Alexandre Rita da Conceição Periodicidade Quinzenal

Fórum do leitor Este espaço é reservado para publicação de comentários, críticas e sugestões enviadas por você, leitor. Sua participação é fundamental! escreva para cristina.tordin ou eliana.lima@embrapa.br

2  •  Informativo Interno CataVento

Publicação de responsabilidade do Núcleo de Comunicação Organizacional - NCO da Embrapa Meio Ambiente, Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Contatos e sugestão de matérias: cristina.tordin@embrapa.br ou eliana.lima@ embrapa.br


SENSIBILIDADE DO AGENTE DE BIOCONTROLE DO CAUSADOR DA FERRUGEM DO CAFEEIRO A RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA-B

J

osé Abrahão Galvão em sua dissertação de Mestrado em Agronomia e Proteção de Plantas, pela Faculdade de Ciências Agronômicas da Universidade Estadual Paulista, analisou a sensibilidade de Lecanicillium lecanii, agente de biocontrole de Hemileia vastatrix, que causa a ferrugem, principal doença do cafeeiro, a radiação ultravioletavioleta-B. “Esse agente, parasitado de forma natural por Lecanicillium lecanii, indica a potencialidade desse fungo para controle biológico”, informa Galvão. “Um dos fatores que comprometem a eficiência de bioagentes é a radiação ultravioleta-B (UV-B), que aumentou com a diminuição da camada de ozônio, podendo afetar os processos naturais de controle de doenças de plantas e os programas de manejo com uso de bioagentes. Os estudos evidenciaram a efetividade biológica da radiação UV-B sobre os conídios de Lecanicillium”. O Brasil é o maior produtor e exportador mundial de café, com uma área plantada de 2,3 milhões de hectares e cerca de 5,7 bilhões de pés. São cerca de, 287 mil produtores em 15 Estados, gerando cerca de 8,5 milhões de empregos na cadeia produtiva. Em 2012, segundo estimativas da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) , a produção nacional foi de aproximadamente 50 milhões de sacas. A planta é exigente em condições adequadas de umidade e temperatura, luz e a radiação solar, que influenciam, em maior ou menor intensidade, o desenvolvimento, intensidade e severidade de doenças. A principal doença do cafeeiro é a ferrugem, causada por Hemileia vastatrix, responsável por prejuízos de até 50% em todas as regiões produtoras. O uso de cultivares resistentes é o método de controle mais eficiente. No entanto, a maioria das variedades

plantadas é suscetível à doença e o seu controle é baseado na aplicação de fungicidas. “Com a intensificação das restrições ao uso desses produtos, sugere-se o controle biológico como uma alternativa”, enfatiza Galvão. Foram realizados experimentos para estabelecer metodologias para a avaliar o efeito da radiação sobre a germinação de conídios de L. lecanii, para selecionar os isolados mais tolerantes, avaliar a sensibilidade do bioagente em diversos estádios da germinação de conídios e a interação da radiação UV-B com temperaturas e concentrações de CO2 e o seu efeito no estabelecimento de Lecanicillium em pústulas de ferrugem, além de estabelecer a curva de sobrevivência dos isolados expostos.

pedeiros, afetando os ecossistemas e a agricultura. Nas plantas, a radiação UV pode causar alterações morfológicas criando um microclima favorável às infecções por microrganismos. No entanto, a exposição de esporos de fungos à radiação UV-B pode danificar essas estruturas nas fases de desenvolvimento e infecção de plantas. A radiação solar é um dos fatores ambientais que interferem no estabelecimento desses bioagentes no hospedeiro e, na perspectiva de aumento da incidência dessa radiação, deve-se buscar agentes de biocontrole tolerantes a essa mudança.

As radiações UV-B e UV-A que atingem a superfície da Terra são biologicamente ativas, podendo ser nocivas a diversos seres vivos, inclusive ao homem, a patógenos, vetores e hosNº 89 - ANO 6 - 16 a 30 de Novembro de 2013

3 


PESQUISADORES DA EMBRAPA MEIO AMBIENTE APRESENTAM TRABALHOS NO CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROECOLOGIA

O

tema central para a oitava edição do VIII Congresso Brasileiro de Agroecologia é “Cuidando da saúde do planeta”, que aconteceu de 25 a 28 de novembro, em Porto Alegre. A programação foi dividida em eixos temáticos: Agroecologia e saúde humana, reinventando a economia, diversidade como condição fundamental da saúde do Planeta, Agroecologia como base para a educação e saúde do agrossistema. Em 2013, o VIII CBA ocorreu concomitantemente com os Seminários Estadual e Internacional sobre Agroecologia, em suas XIII e XII edições, respectivamente, com o objetivo de fortalecer o debate em torno do papel fundamental da Agroecologia no cuidado com a saúde do planeta. Trabalhos da Embrapa Meio Ambiente Transição agroecológica em sistemas de pecuária leiteira A transição agroecológica em sistemas de pecuária leiteira em assentamentos rurais do Pontal do Paranapanema é o tema do trabalho dos pesquisadores Mário Urchei, Robert Macedo, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Joel de Queiroga e Francisco Corrales, Ana Laura Carrili, agrônoma do projeto Pontal Agroecológico, Roberto Shirasaki, da Coordenadoria de Assistência 4  •  Informativo Interno CataVento

Técnica (Cati), José Agostinho da Silva, José Maurício de Araújo e Valdemar Lopes, agricultores e Henrique da Silva, bolsista do Projeto Pontal Agroecológico. Nos assentamentos do Pontal, a pecuária leiteira é o sistema de maior importância, constituindo-se na principal fonte de renda dessas famílias. Contudo, a maioria desses sistemas ainda fundamenta-se no modelo agroquímico convencional. Este trabalho teve por objetivo contribuir, de forma participativa, com a geração e o desenvolvimento de conhecimentos e tecnologias voltadas à transição agroecológica da pecuária leiteira. Para isso, foram implantadas, em 2011, três Unidades de Referência em lotes de Agricultores Familiares. As ações desenvolvidas trabalharam processos e tecnologias visando aumentar a biodiversidade funcional dos sistemas por meio da inserção de espécies consorciadas, do pastejo rotacionado e do componente arbóreo, dentre outras tecnologias. Os resultados obtidos até o momento indicam a melhoria e equilíbrio dos sistemas, com reflexos no aumento da produtividade e qualidade da produção de leite, evidenciando a viabilidade tecnológica e ambiental da pecuária leiteira de base ecológica. Contribuições da pesquisa-ação para o desenvolvimento rural territorial:

estudo de caso da rede de Agroecologia do Leste Paulista Francisco Corrales, Mário Urchei, Katia Malagoli Braga, Ricardo Camargo, João Canuto,Joel Queiroga e Myrian dos Santos Ramos apresentam nesse trabalho as fases de consolidação da rede de Agroecologia do Leste paulista. Em cooperação com parceiros locais, ocorrem ações de geração e intercâmbio de conhecimentos em Agroecologia. Para tal estão sendo implementadas metodologias participativas junto aos agricultores de referência e outros agricultores rurais na região do Leste Paulista, com o intuito de apoiar o processo de transição agroecológica. Assentamento Sepé Tiaraju Joel Queiroga aborda o processo de aproximação das metodologias científicas modernas à realidade do agricultor familiar e de como os seus sistemas de produção perpassam pelo desafio de colocá-lo no papel de protagonista deste processo, participando da aplicação dos métodos e compreendendo os seus resultados. Neste sentido, o objetivo do trabalho foi desenvolver metodologias a partir da análise conjunta, combinação e adequação de procedimentos de avaliação da diversidade florística, biometria e serapilheira acumulada, em cinco lotes de agricultores do Assen-


tamento Sepé Tiaraju. As metodologias desenvolvidas utilizam conceitos e procedimentos de fácil aplicação e compreensão por parte dos agricultores, constituindo-se em ferramentas aplicáveis ao monitoramento participativo e capazes de subsidiar o agricultor na tomada de decisão para o manejo mais eficiente dos seus Sistemas Agroflorestais (SAFs). Produção e de mercados dos sistemas agroalimentares Lucimar Abreu apresenta um estudo da produção e de mercados dos sistemas agroalimentares de base ecológica de Vitória, Espírito Santo, feito em parceria com Elaine Sposito da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Conforme a pesquisadora, o objetivo do trabalho é mostrar uma análise preliminar sobre a atual situação da produção de base ecológica no Estado. Para tanto, são apresentados o histórico da emergência e expansão da agricultura de base ecológica e a identificação dos produtores cadastrados junto ao Ministério da Agropecuária, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Por um lado discute-se a produção, por meio de uma análise comparativa dos diferentes canais de comercialização e os elementos motivadores desta expansão. Por outro lado, os obstáculos são apontados à luz do contexto atual. As feiras mostraram uma forte diversidade de produtos e também elementos que permitem esses espaços se relacionarem à Agroecologia. Entretanto, verificou-se a necessidade de uma política que fortaleça a inserção dos produtores nos diferentes mercados locais. Lucimar participa de discussões de trabalho sobre a certificação participativa e organização social e cooperativismo, além de apresentar trabalho sobre o papel de cientistas e de lideranças do movimento social na construção da Agroecologia no Brasil e na França, em parceria com Claire Lamine, Stéphane Bellon, Alfio Brandenburg e Guillaume Ollivier, do Inra (Avignon, França). Conforme a pesquisadora, “na década de 70 na França e no Brasil emergem novos estilos de produção ecológica

denominados de agricultura alternativa, em oposição ao modelo de agricultura convencional, apoiados por Ongs que evoluem progressivamente para a denominação de Agroecologia. O objetivo é analisar as interações entre cientistas, movimento social e a construção de políticas públicas, uma vez que essas interações e diálogos intensos podem desempenhar um papel chave para a legitimidade da Agroecologia nesses dois países”. Assim essas inter-relações são comprovadas por meio da análise de trajetórias de um conjunto de atores-chaves (entrevistas e curriculum vitae). Essas trajetórias demostram que a Agroecologia pode ser entendida, classificada e diferenciada em três aspectos principais: concepções sobre processos de transição da agricultura, público alvo fundamental para Agroecologia e, por último, a visão sobre a inserção da produção no mercado. Os autores concluíram que as diferenças de entendimento da Agroecologia estão diretamente relacionadas a distintas formações teóricas e trajetórias sócio profissionais específicas. Relações de gêneros em congressos brasileiros Maria de Cléofas Alencar apresentou, junto com Sheyla Iyusuka, aluna de mestrado do Programa de Pós-graduação em Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, da UFSCar trabalho sobre a abordagem das relações de gênero nos congressos brasileiros de Agroecologia e oferece oficina sobre uso e gestão de fontes bibliográficas de Agroecologia em trabalhos técnico-científicos, em parceria com Pascal Aventurier, em 27 de novembro. Potencial melífero e polinífero A avaliação do potencial melífero e polinífero de Crotalaria juncea L. e Crotalaria spectabilis Roth. (Fabaceae, Papilionoideae), é o tema do trabalho desenvolvido por Ana Paula Marques e E. Ono, da Unesp, Ricardo Camargo, Kátia Malagoli Braga e Mário Urchei. As leguminosas, pela fixação de nitrogênio no solo, são utilizadas como adubos verdes, em sistemas orgânicos

e agroecológicos de produção. A disponibilidade de recursos florais para as abelhas reforça o caráter da integração e multifuncionalidade dessas plantas em sistemas biodiversos de produção. Nesse trabalho estudou-se a biologia floral da C. juncea e C. espectabilis para detectar seu potencial melífero e polinífero. A oferta de pólen foi caracterizada pelo volume liberado e a oferta de néctar, pelo volume e concentração em açúcares. Os resultados demonstram que C.juncea e C. espectabilis podem ser fontes importantes de recursos para abelhas, pois a concentração do néctar está dentro do padrão de coleta destes insetos e o pólen é disponibilizado em grande volume pela flor, fatores de importância para a atratividade das abelhas e de outros visitantes florais. Levantamento econômico para implantação e renda direta oriunda de Unidade de Referência em Sistema Agroflorestal baseado em horticultura Ricardo Camargo e João Canuto e Piero Oliveira e Aline Galvão, bolsistas da Embrapa Meio Ambiente, relatam que a discussão sobre produção rural sustentável no campo vem ganhando espaço nos últimos anos, devido aos impactos ambientais gerados pelos sistemas convencionais de produção agrícolas, baseados na aplicação intensiva de agrotóxicos e fertilizantes químicos. O Grupo de Pesquisa em Agroecologia da Embrapa Meio Ambiente no trabalho de fortalecimento da Agroecologia tem utilizado a instalação de Unidades de Referência-UR no Estado de São Paulo como ferramenta metodológica para o desenvolvimento e disseminação de práticas e processos agroecológicos. Na região de Franca (Restinga-SP), foi instalada uma UR que integra um sistema agroflorestal, com a produção de hortaliças e de vermicompostagem. Tal modelo de produção tem sido monitorado com a utilização de indicadores de sustentabilidade (ambientais, econômicos e sociais) e tem demonstrado ser uma alternativa viável de geração de renda no campo, preservação ambiental e melhoria da qualidade de vida dos agricultores envolvidos. Nº 89 - ANO 6 - 16 a 30 de Novembro de 2013

5 


VISITA

ARGENTINOS

A visita, em 26 de novembro, a pedido do Consulado Geral da República Argentina, foi composta por autoridades e empresários: Santiago Villa, Diretor do Departamento de Vinculação Tecnológica do Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (Conicet), Javier Martorell, da Estación Experimental Obispo Colombres (Coniset), Claudio Dunan, Diretor da empresa Bioceres Produtos Agrícolas e um representante do Consulado Argentino. Visitaram os Laboratórios de Microbiologia Ambiental, de Quarentena Costa Lima e o FACE.

U

CHINESES VÊM AO BRASIL CONHECER TECNOLOGIAS DA EMBRAPA

ma delegação composta de dirigentes de instituições de pesquisa da China visitou a Embrapa Meio Ambiente em 22 de novembro, para troca de experiências quanto às alternativas ao brometo de metila para tratamento de solo no Brasil. Estiveram presentes o diretor do Departamento de Ciência, Tecnologia e Educação do Ministério da Agricultura, Wang Yan Liang; a chefe de Divisão da Agência Rural de Energia e Meio Ambiente, também do Ministério da Agricultura, Sun Yufang; o professor, pesquisador e diretor do Departamento de Ciências de Pesticidas, Instituto de Proteção de Plantas, da Academia Chinesa de Ciência Agrícola, Cao Aocheng; e demais membros Xy Zhao Chien e Gao Ling Yun.

Os chineses também têm interesse em projetos relacionados com os impactos das mudanças climáticas sobre problemas fitossanitários, mais especificamente o FACE (Free-Air Carbon Dioxide Enrichment), experimento que mede os efeitos do aumento da concentração de gás carbônico (CO2) na atmosfera e a relação destes efeitos com a ocorrência de problemas fitossanitários da cultura do café. 6  •  Informativo Interno CataVento

Na parte da manhã o chefe adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento, Marcelo Morandi apresentou aspectos da Ciência e Tecnologia no Brasil, as principais linhas de pesquisa da Embrapa e os projetos em andamento da Unidade. Depois a pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente Raquel Ghini ministrou a palestra “Eliminação do brometo de metila para tratamento de solo no Brasil”. Também o pesquisador Wagner Bettiol apresentou a eles o panorama atual do controle biológico no Brasil. Depois das apresentações eles foram conhecer o FACE e o equipamento para tratamento de solo denominado Coletor Solar, uma das tecnologias alternativas ao brometo. Os coletores solares são utilizados pelos agricultores para aquecer o solo e o substrato e assim eliminar as pragas que destroem a cultura. O brometo de metila, tradicionalmente utilizado, além de produzir danos à camada de ozônio prejudica também a saúde dos agricultores. Com a sua eliminação, o Brasil que desde 2007 não importa mais o produto com fins agrícolas, se antecipa à Convenção de Montreal, que prevê prazo para o banimento da substância para 2015.

VISITA

EPAMIG

Trazilbo de Paula Júnior, Diretor de P&D da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), visitou a Unidade em 25 de novembro, com o objetivo de conhecer a forma como é feita a gestão das informações das atividades de pesquisa & desenvolvimento na Unidade. Conforme Margarete Crippa, foi apresentado um rápido histórico da Análise e Melhoria do Processo de Gestão da Informação de P&D (1999/2003), os motivos e o envolvimento dos empregados no processo, bem como [e principalmente], como foi a construção e evolução do Plano Anual de Trabalho (PAT) na Unidade. Também foi mostrada a sua interação e inter-relação com diversos sistemas da unidade e da Embrapa e enfatizadas as últimas melhorias - consolidação de todos os resultados de um projeto, auxilio no monitoramento do planejamento estratégico, matriz de parcerias, entre outros. O diretor conheceu também o Ideare e o SISGP. Victor Simão apresentou o Ainfo e demais sistemas corporativos de “guarda” dos resultados para divulgação externa.


REUNIÃO DE CHEFES DE P&D DA REGIÃO SUDESTE

T

erminou em 26 de novembro a reunião de chefes de P&D da região Sudeste, na Embrapa Informática Agropecuária, em Campinas, SP. O objetivo foi nivelar conceitos e procedimentos associados aos processos de pesquisa e desenvolvimento na Embrapa e discutir temas de interesse comum das Unidades. Kleber Sampaio de Souza, chefe geral da unidade anfitriã, fez a abertura da reunião, agradecendo a presença de todos. A seguir, Ladislau M. Neto, Diretor Executivo de P&D, disse que essa iniciativa é muito importante para nossa Empresa, principalmente nesse momento de transição, com a instalação de portfólios e arranjos. O diretor ressaltou a importância da região Sudeste, com 7 unidades temáticas e que protagoniza vários portfólios importantes e redes de grande sucesso que geram inovação e impactos na produção agropecuária Destacou ações estratégicas para o futuro como os laboratórios multiusuários, as unidades mistas de pesquisa e iniciativas como o FACE. Três laboratórios multiusuários da Embrapa estão na região. Sobre a Helicoverpa, Ladislau acredita que a Caravana Embrapa tem uma grande oportunidade para divulgar o manejo integrado de pragas (MIP). O diretor terminou dizendo que é importante a participação de todos nesse novo modelo de avaliação institucional, onde a estratégia é a cooperação e não a competição. E para 2014, o diretor espera a consolidação dos projetos de pesquisa e gestão de P&D que possam desenvolver tecnologias de impacto para a sociedade. Celso Moretti, chefe do DPD, agradeceu o apoio de todos para a organização do encontro. Falou sobre o processo de produção da Embrapa, tema

importante no momento e convidou a todos a participar do debate que, inicialmente teria apenas a presença dos chefes de P&D e secretários executivos do CTI de cada Unidade. “O SEG já tem mais de 10 anos e é necessário dar mais agilidade na busca por soluções para os reais problemas da agricultura brasileira”, disse. Moretti ressaltou que 2013 irá terminar com 11 portfólios instalados– iniciou com 3, e 6 estão sendo avaliados. “Estamos em um processo de aproximação com as Unidades. Visitei 14 nesse ano”. E sobre o novo modelo de avaliação institucional, acredita que o forte da Empresa é que cada unidade tem o seu protagonismo. “Nossa força está na nossa individualidade”.

A programação também contou com mesa redonda sobre o processo de produção da Embrapa: participação das unidades centrais DPD, DTT, SNE, SRI, Cecat (Agropensa), Coordenadoria de Gestão da Programação, Coordenadoria de Integração e Articulação e Coordenadoria de Gestão da Informação. No segundo dia foi formado grupos de trabalho para apresentação em plenária para discussão e debates.

Para o chefe do DPD, 2014 será um ano interessante, com oportunidades para novos arranjos. “Será um momento de consolidação e avaliação dessa estratégia de validação de uma série de ferramentas de acompanhamento da carteira de projetos. Quais serão os resultados?”, enfatizou. Rui Verneque, chefe de P&D da Embrapa Gado de Leite espera que em 2014 haja uma consolidação de todo esse processo e organização da gestão da Empresa. É necessário um direcionamento dos temas estratégicos. A Embrapa passou e passa pelo processo de renovação de pessoal. É um desafio para a Empresa consolidar um alinhamento maior entre as unidades. Nº 89 - ANO 6 - 16 a 30 de Novembro de 2013

7 


CORREÇÃO DE VIÉS EM MODELOS CLIMÁTICOS

Gestores da Embrapa reúnem-se em Brasília A Diretoria-Executiva, seus assessores e chefes das Unidades Centrais e Descentralizadas se reuniram de 18 a 21 de novembro para a etapa final do mais importante encontro gerencial da Empresa: a Reunião de Gestores da Embrapa 2013, que este ano foi realizada na sede da Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), em Brasília. A abertura do encontro teve a participação de quatro ex-presidentes da Embrapa, Carlos Magno Campos da Rocha, que mediou a mesa de abertura, Eliseu Alves, Alberto Duque Portugal e Silvio Crestana, além do atual presidente, Maurício Lopes, que abriu os debates da noite ressaltando a importância de ouvir e refletir sobre a história da Empresa a partir da experiências desses convidados. Novidades “Nosso objetivo é promover o alinhamento de estratégias e ações entre as Unidades Descentralizadas, as Unidades Centrais e a Diretoria-Executiva para que o processo de mudança seja conduzido de forma compartilhada entre os gestores da Empresa”, enfatizou Alexandre Barcellos, assessor do Presidente e membro da equipe organizadora do evento. A busca e encaminhamentos de soluções para problemas hoje enfrentados na instituição também foram abordados. As Unidades indicaram temas que serão aprofundados nesta semana. São eles: a modernização e o alinhamento dos instrumentos de governança e gestão corporativa; a organização e a estrutura das Unidades de pesquisa; e a automação de campos experimentais. Serão discutidos também assuntos que foram apresentados nas videoconferências: Laboratórios Multiusários; Unidades Mistas – UMIP; EmbrapaTec; Portfólios e Arranjos de Projetos; Projetos Especiais da DE; Revisão do Processo de Capacitação; e retomada do Processo de Avaliação Institucional.

8  •  Informativo Interno CataVento

complexas como distâncias entre distribuições de probabilidade simuladas e observadas das variáveis de interesse”, diz.

A

line Maia apresentou os aspectos relacionadas à correção de viés de projeções de modelos climáticos no evento conjunto 58ª Reunião Anual da Região Brasileira da Sociedade Internacional de Biometria/15º Simpósio de Estatística Aplicada à Experimentação Agronômica em Campina Grande, Paraíba em julho de 2013. O tema do evento foi Modelagem estatística em áreas multidisciplinares: impactos causados pelas mudanças climáticas na Região Nordeste. Conforme a pesquisadora, “no mundo inteiro, há uma crescente demanda por estudos de impacto que utilizam projeções de variáveis climáticas (chuva, temperatura, velocidade de vento) considerando diferentes cenários de emissão de gases de efeito estufa. Os modelos climáticos globais e regionalizados que geram essas projeções, apesar dos contínuos aperfeiçoamentos das últimas décadas, ainda apresentam discrepâncias na representação presente do clima, especialmente para a variável precipitação pluviométrica, uma das mais importantes em estudos de impactos de mudanças climáticas”. “As divergências sistemáticas entre projeções retrospectivas dos modelos e séries de dados observados de variáveis climáticas são denominadas vieses. Os vieses podem ser mensurados de várias formas, desde uma simples diferença entre médias anuais até métricas mais

Assim, a correção de viés é uma etapa relevante do pré-processamento de dados para uso em estudos de impacto. No entanto, existem ainda importantes problemas metodológicos a serem elucidados, já que na maioria dos métodos atualmente propostos para correção de viés, o processo é feito isoladamente para cada variável sem considerar a correlação entre elas. Dessa forma, há um questionamento sobre o processo de correção, principalmente porque os métodos não preservam a relação entre chuva e temperatura, uma das principais vantagens dos modelos utilizados. Esse tema será objeto de estudo do Projeto Agrohidro, um projeto da Embrapa de abrangência Nacional, liderado pelo pesquisador Lineu Rodrigues, da Embrapa Cerrados (Planaltina, DF), que estudará impactos de mudanças climáticas sobre recursos hídricos no Brasil. A pesquisadora também analisou recomendações de um grupo de pesquisa da Alemanha (http://www.hydrol-earth-syst-sci.net/16/3391/2012/hess-163391-2012.pdf), sobre a importância da transparência em qualquer estudo de impactos de mudanças climáticas. Segundo os autores, é necessário descrever os métodos de correção de viés utilizados, caracterizar sua magnitude e padrão espacial, explicitar como foram combinados os resultados de vários modelos, além de apresentar medidas de incerteza associadas às projeções.


EMBRAPA & ESCOLA

Agroecologia, sustentabilidade e Embrapa

J

oel Leandro de Queiroga, Kátia Braga, Luiz Guilherme Wadt e Waldemore Moriconi receberam, em 18 de novembro, 110 alunos da 2ª série do Ensino Médio da Fundação Bradesco de Campinas. Foram apresentas as pesquisas da Embrapa como um todo e a agroecologia como forma de vida sustentável, com visita ao Sítio Agroecológico.

Geoprocessamento, Emilia Hamada fala sobre mapas e geoprocessamento. Depois, seguem para o Laboratório de Tecnologia de Aplicação, onde Aldemir Chaim irá mostrar vários motores. Raquel Ghini ira acompanhá-los ao Face, onde apresenta pesquisas em mudanças climáticas e sobre o FACE. Wagner Bettiol encerra com visita a Flora Cantareira e plantio de mudas.

Ciência, mudanças climáticas e geografia Em 2 de dezembro haverá a visita de 70 alunos do Colégio Progresso Campineiro, das 8 às 15h. Os estudantes querem conhecer diversas atividades de pesquisas que envolvem a área de ciência, mudanças climáticas e geografia. Assim, serão recebidos em diversos laboratórios da Unidade. Wagner e Raquel farão a recepção no Laboratório de Microbiologia Ambiental. Logo após, Rodrigo Mendes fala sobre biologia molecular e Rosely Nascimento sobre interações dos microrganismos agentes de biocontrole. No Laboratório de Ecossistemas Aquáticos, serão recebidos por Marcos Losekan, que abordará a pesquisa feita com peixes. No Laboratório de Nº 89 - ANO 6 - 16 a 30 de Novembro de 2013

9 


REDE AGROHIDRO

REUNIÃO TÉCNICA A equipe do Projeto Horta Solidária para Capacitação Técnica Comunitária, coordenado por Ladislau Skorupa e Fagoni Calegario, se reuniu em 21 de novembro para discussão de um projeto junto à Prefeitura de Jaguariúna, representada pela Secretaria de Assitência Social. Conforme Ladislau, “é importante o envolvimento da equipe de pesquisa e demais representantes da comunidade interna, pois trata-se de uma excelente oportunidade de interação pesquisa-transferência”.

X CAMPANHA DE CAMPO DO PROJETO FURNAS

E

m 19 de novembro, na sala de apoio 4 do XX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, que aconteceu em Bento Gonçalves (RS), pesquisadores da Rede AgroHidro e convidados estiveram reunidos para tratar do andamento do Projeto MP1 Rede AgroHidro que estuda bacias agrícolas presentes nos diferentes biomas do País, no contexto das mudanças climáticas e de uso da terra. Durante a reunião ocorreram discussões sobre algumas dúvidas quanto à nova forma de avaliação de projetos na Embrapa, assim como as providências relacionadas à organização do II Seminário da Rede AgroHidro a realizar-se em Campinas em março de 2014. Outro item importante relacionou-se às parcerias que estão sendo consolidadas junto à Rede, com destaque para ações no estado de Sergipe, já que esteve presente na referida reunião um representante do governo sergipano responsável pela política de recursos hídricos.”

SEMINÁRIO

O

controle biológico clássico de pragas e a quarentena de bioagentes brasileira será apresentado em 6 de dezembro por Luiz Alexandre Sá a estudantes de Graduação e de Pós da Universidade Federal de Viçosa - Campus de Rio Paranaíba. A disciplina conta com a participação dos professores Flávio Lemes Fernandes e Maria Elisa de Sena Fernandes. Estas atividades são importantes, que cursam as disciplinas de Fitossanidade (graduação) e de Manejo Integrado de Pragas (Mestrado). Os estudantes também farão uma visita ao Laboratório de Quarentena.

10  •  Informativo Interno CataVento

Fernanda Garcia Sampaio e Ana Paula Packer, realizam, de 19 a 21 de novembro, em Guapé, MG, em parceria com a UFSCar, Unicamp e Inpe, diagnóstico sócio produtivo e campanha de campo para coleta de material biológico para análise de resíduos de pesticidas, tetraciclina, análises fisiológicas, além de medição de emissão de GEE e realizar diagnóstico sócio produtivo e coleta de material biológico.

XI CAMPANHA DE CAMPO DO PROJETO FURNAS Marcos Losekann e Mariana Guerra Moura e Silva, estarão em Capitólio e Guapé, MG, de 4 a 6 de dezembro para realizar diagnóstico por meio da coleta de amostras de peixes, bivalves, água e sedimento, em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas (Emater) e piscicultores de Capitólio e Guapé. Essa campanha faz parte das ações de pesquisa do Projeto Furnas, para coleta de amostras de peixes, bivalves, água e sedimento nas áreas onde estão fundeadas as plataformas flutuantes de coletas de dados para avaliação de variáveis limnológicas e meteorológicas, as quais compõem o conjunto mínimo de indicadores a serem utilizados como ferramentas no monitoramento ambiental. Além destas coletas, serão realizadas visitas técnicas para acompanhamento zootécnico e ambiental da produção.


I SEMINÁRIO DE PRAGAS EXÓTICAS EM RIBEIRÃO PRETO

MÉTODOS DE CRIAÇÃO COLETIVA DE CONHECIMENTOS E INOVAÇÕES Será transmitido via youtube, em 17 de dezembro, das 8h30 às 16h05, o encontro de nivelamento de informações sobre conceitos, métodos, processos e tecnolohias de informação sobre criação de conhecimentos e inovações no mundo em rede. Servirá para a Embrapa planejar e executar iniciativas que visem desenvolver e validar modelos de geração de inovações baseados na ação coletiva e colaborativa e agentes inter e extra-institucionais.

S

imone Prado e Luiz Alexandre estiveram neste evento importante para a agricultura Brasileira. Mais detalhes na página: http://www.infobibos.com/pragasexoticas/ Auditório da Cana-de-açucar, Ribeirão Preto, no Recinto Agrishow.

Os pesquisadores participaram das discussões sobre o manejo estratégico de pragas exóticas - o caso da Helicoverpa armigera, representando a Embrapa Meio Ambiente. O objetivos foi fomentar debates e treinamento sobre questões de ameaças fitossanitárias, barreiras, bem como foco especifico do novo problema enfrentado por grande parte dos cultivos brasileiros, a lagarta Helicoverpa, recentemente confirmada no Brasil, causando vultuosos prejuízos à agricultura.

SEMINÁRIO DE SOCIALIZAÇÃO ORGANIZACIONAL - socializando saberes e experiências

S

erá realizado em 6 de dezembro das 9 às 16h, no Auditório, o Seminário de Socialização Organizacional. O evento faz parte das ações do Projeto especial da empresa Gestão Estratégica de Pessoas como fator diferencial ao desempenho global da Embrapa, liderado pelo Departamento de Gestão de Pessoas (DGP/Sede). O coordenador de Gestão Institucional da Secretaria de Gestão Estratégica – SGE da Embrapa, Sávio José B. Mendonça, será um dos palestrantes. Mendonça fará uma contextualização da Embrapa e seus modelos de gestão ao longo dos anos. Ladislau Skorupa e Rodrigo Mendes vão falar sobre a Embrapa Meio Ambiente, seu histórico e Planos Diretores na palestra “Embrapa Meio Ambiente: resgatando a história”. Ao final, será apresentado o vídeo “Socializando saberes e experiências”, feito com empregados da Unidade. Além disso, haverá na parte da tarde um bate papo interativo entre gerações, para compartilhar experiências sobre o trabalho na Embrapa Meio Ambiente, com apresentação de empregados com maior e menos tempo de empresa. Todo o evento é patrocinado pelo DGP, dentro das ações já previstas no projeto especial.

VIAGEM INTERNACIONAL Rodrigo Mendes está em Medelim, na Colômbia, de 24 a 30 de novembro, com o objetivo de realizar visita técnica à Universidad de Antioquia e Universidad Nacional de Colombia, em Medelin e ao International Center for Tropical Agriculture (CIAT), em Palmira, para reunião com pesquisadores colaboradores no Projeto Back to the Roots:assessing and accessing microbial diversity in the origino of plant species - Phaseolus vulgaris as the model plant, realizado em colaboração com o Centro de Energia Nuclear na Agricultura da Universidade de São Paulo e Wageningen University, Holanda.

OFICINA DE MONTAGEM DE ENFEITES DE NATAL Dentro das ações do ArtEmbrapa e da Comissão de Clima Organizacional, será realizada em 3 de dezembro (tarde), uma oficina para montagem de enfeites de Natal, ministrada por Lilia Salgado. O SGP pede a todos que, caso tenham potes vazios de vidro (geleia, patê) e queiram doar, entreguem para Katy, Sandra ou Lilia para montagem de lindos suportes de velas natalinas. Tragam também pedaços de tecidos, de preferência com motivos natalinos, agulha, linha e tesoura. Parte dos enfeites será utilizada na ornamentação de Natal da Unidade. Nº 89 - ANO 6 - 16 a 30 de Novembro de 2013

11 


ENCONTRO DE CLIMA ORGANIZACIONAL

A

Comissão de Clima Organizacional realizou em 12 de novembro, como parte das ações da Comissão, o I Encontro Anual de Clima Organizacional. Na ocasião foi afixada em uma das paredes do Auditório a árvore das percepções do clima organizacional, onde cada empregado deixou sua percepção atual sobre o clima (em vermelho) e as expectativas para 2014 (em verde). Após o término do evento, no mesmo dia a árvore foi afixada no Prédio da Administração e a partir do dia 13 de novembro ficou nos demais prédios até o dia 14. De acordo com Katy Anne do SGP, os empregados participaram ativamente, tanto do encontro quanto da colagem de suas percepções. As análises serão divulgadas em 2014, após a realização da pesquisa do clima, programada para a semana de 25 a 29 de novembro, que terão suas respostas agregadas às opiniões coladas na árvore do clima.

12  •  Informativo Interno CataVento


PESQUISA DE CLIMA

C

onforme anunciado no I Encontro, a Comissão informa que a primeira parte da pesquisa para percepção sobre o clima da Unidade ficou disponível no período de 25 a 29 de novembro.

Considerando a descontinuidade da pesquisa corporativa aplicada pelo DGP, a comissão de Clima Organizacional da Unidade optou pela sequência das ações e formatará o planejamento de 2014 a partir do resultado desta pesquisa. Disponível no link abaixo deve ser acessada com uso do login do usuário e da senha da rede interna e poderá ser respondida inclusive fora do ambiente de rede da Unidade. http://www.cnpma.embrapa.br/sgq/pesquisa_interna/chk_login/

H

SEMINÁRIO TÉCNICO

elicoverpa armigera: o que devemos saber? foi o tema do seminário apresentado por Simone Prado em 28 de novembroem seminário técnico realizado no Auditório Paulo Kitamura.

NÓS NA MÍDIA Projeto Embrapa Escola na EPTV Joel Queiroga e Kátia Braga participam do dia de campo. h t t p : / / g l o b o t v. g l o b o . c o m / eptv-sp/jornal-da-eptv-1a-edicao-campinaspiracicaba/v/ projeto-embrapa-escola-leva-alunos-para-um-dia-de-campo-e-orienta-sobre-agricultura/2967278/

Magda na Terra Viva Estudo acompanha alterações climáticas na pecuária em cada região do país. http://tvterraviva.band.uol.com.br/ noticia.aspx?n=692010…

Magda e Raquel também deram entrevista para a produção do programa Conexão Ciência da TV Cultura, em reportagens vinculadas a Fapesp.

Nº 89 - ANO 6 - 16 a 30 de Novembro de 2013

13 


NATAL COM ARTE E CIDADANIA Semana de 10 a 13 de dezembro de 2013 Vejam a programação:

10 de dezembro Bazar das entidades sociais e sarau musical 10h - Abertura da exposição ArtEmbrapa de pinturas (quadros) de Maria Conceição Pessoa 10h - Abertura do Bazar com entidades sociais de Jaguariúna e região - Boldrini, Xodó do Bicho, Lar dos Velhinhos de Jaguariúna, Apae de Jaguariúna e Lar Feliz, além de artesanatos de empregados e de seus familiares, que estarão à venda neste dia. O bazar ficará aberto das 10h às 16h. 10h30 -11h30 - Sarau musical ArtEmbrapa - durante a exposição, com diversas apresentações de empregados e familiares (voz e violão, piano, canto lírico). 14h30 - Sarau musical (2a parte) e continuação da exposição do bazar.

14  •  Informativo Interno CataVento

12 de dezembro Oficina de cupcakes artesanais natalinos - a oficina, aberta a todos os interessados, será ministrada pela empregada Márcia Parma e os cupcakes serão enfeitados e entregues no café natalino de 13 de dezembro.

13 de dezembro Confraternização de Natal dos empregados 8h- 9h - Café natalino com entrega dos cupcakes 9h - Apresentação do Coral Harmonia 9h30 - Celebração Natalina - algumas palavras sobre o Natal - Padre José (Igreja Sagrado Coração, Jaguariúna) 10h - Palavras da chefia 10h15 - Entrega das cestas de Natal aos 28 empregados terceirizados 11h30 - Encerramento 12h - Festa da AEE


CataVento

Nº 89 - ANO 6 - 16 a 30 de Novembro de 2013

15 


CataVento - 2º quinzena de novembro 2013  

Informativo interno da Embrapa Meio Ambiente, que é uma Unidade de Pesquisa de Tema Básico, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária -...

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you