Issuu on Google+

REVISTA SEMANAL

UIÇ DISTRIB A IT GRATU

0

ÃO

21 JANEIRO 2011

Nº 0 •


C01


C01


ÍNDICE

Grupo

Propriedade/Editora

BEIRASTEXTO, SA NIPC: 501640258 Capital Social: 750.000€ CRC Coimbra Conselho de Administração

António Abrantes (Presidente) Eugénia Abrantes Inês Abrantes Composição do Capital da Entidade Proprietária: 100% Beirastexto, SA - Rua 25 de Abril, 7 3045-501 Taveiro Telef 239 984 606 Fax 239 985 114 Email: geral@beirastexto.pt

CNotícias Diretor: Soares Rebelo Chefe de Redação: Mário Nicolau Redação: Bruno Vicente, Marco Roque,

Marta Varandas e Vasco Garcia Colunistas: António Pedro Pita,

Luís de Matos e Mira Lagoa Sobral Colaboradores: José Lorena, Márcia de Oliveira e Sílvia Diogo Fotografia: Pedro Ramos Direção de Arte:

Inês Abrantes e Jorge Caninhas Relações Públicas- Diretora:

Eugénia Abrantes Produção:

André Navega e Tiago Carvalho Serviços Comerciais Diretor Comercial: Luís Figueiredo Técnicos de Vendas:

Fernando Gomes e José Alberto Publicidade e Assinaturas

CNotícias Rua 25 de Abril, 7 - 3045-501 Taveiro Telef 239 984 606 - Fax 239 985 114 Diretor Marketing: Bruno Vale Diretor Multimédia: Fernando Moura Projeto Gráfico:

Pedro Góis/Góis Design e Bruno Vale IMPRESSÃO: IMPREJORNAL - Loures DISTRIBUIÇÃO:

VASP – MLP, MediaLogistics Park Quinta do Granjal – Venda Seca Tiragem Média: 10.000 ex. Periodicidade: Semanal, à quinta-feira Interdita a reprodução de todos os conteúdos editoriais, fotográficos, ilustrações para qualquer meio ou fim, mesmo comerciais.

Assine e divulgue a Assinatura anual 55€ Email: comercial@beirastexto.pt Telm: 916 355 014

6:

7 Editorial 8 Sete sóis, sete luas 14 Retrato falado 15 Debate 20 Via do leitor 66 Empresário de sucesso 72 Tributo ao espumante 88 À mesa 106 Casino 110 Bichos 113 Aldeia Global Colunistas 21 António Pedro Pita 37 Mira Lagoa Sobral 114 Luís de Matos

AO MICROSCÓPIO

16 Um dia com Marcelo Nuno. O ritmo diário do gestor da empresa Águas de Coimbra 18 Que é feito de si? Fomos ver o que faz atualmente Manuel Machado

ATUALIDADE

24 Eleições na Universidade de Coimbra Cristina Robalo Cordeiro e João Gabriel Silva são candidatos à substituição do reitor Seabra Santos. 26 Novo hospital pediátrico Rosa Reis Marques antecipa o futuro 30 FBI em Coimbra Duarte Nuno Vieira explica processo à C

Sociedade

38 In vitro era segredo de Estado Entrevista com Agostinho Almeida Santos 42 Divórcios Separação já atinge os famosos de Coimbra

Poder Local

54 Jorge Bento contra as intrigas e as manobras Entrevista com o presidente da câmara de Condeixa

Cérebros

58 Sandro Alves corre atrás do sonho em Paris O atual trabalho do cientista da Mealhada

DESPORTO

74 Judo da Académica: 50 anos a formar campeões

VIVER

80 Desfile de lingerie na Expofileno's 2011

SOCIAL

96 Casas A C visitou a residência da família Dias Ferreira, em Almalaguês 108 Carla Matadinho A modelo apresentou em Coimbra a peça “Os 39 Degraus” 21 JaneirO 2011


EDITORIAL

SOARES REBELO

A arte de comunicar

A marca C aí está, a partir de hoje, às quintas-feiras, no mercado. E com um anseio veemente: tornar-se referência na arte de comunicar

O SETOR da comunicação tem constituído um sedutor laboratório para ousadias que, em muitos casos, raramente foram além das intenções, quando não se saldaram em desastrosas consequências. A bondade, à partida, da expetativa legítima conduziu, não poucas vezes, à chegada, a realidades frustradas. Os jornais e as revistas aguentaram o aparecimento da Rádio, primeiro, da Televisão, em seguida, mas serão capazes, agora, de corresponder aos novos hábitos – e, consequentemente, às novas exigências de consumo dos portugueses? Não se terá tornado o papel, face à omnipresença da Internet, em lince da malcata, mero fóssil da informação global? A CONJUNTURA é difícil, complexa, até, nalguns casos, angustiante. Acreditamos, ainda assim, na capacidade do papel e da tinta continuarem a enfrentar, com êxito, o desafio do online. Por isso cá estamos. A fórmula implica, obviamente, opções drásticas. Quais? A mudança, desde logo, de paradigma; o negócio da imprensa escrita já não é vender papel; é assegurar a melhor informação. Também, a aposta empenhada, criativa, na novidade, na fiabilidade, na qualidade; só assim se captará a confiança – e a fidelização - de quem procura informar-se. Ainda, a reorientação de mentalidades; não é mais possível pensar apenas em função do velho jornal, mas em função de todas as plataformas de informação disponíveis. PERGUNTAR-SE-Á , entretanto – mas que jornalismo para este terceiro milénio, em que, no âmbito das tecnologias comunicativas, a galáxia de Guttenberg será irremediavelmente substituída pela galáxia de Pan? Não hesito na resposta: só

poderá ser aquele que, com a sua "flauta" informativa, melhor souber transmitir as mensagens imprescindíveis à compreensão do mundo de hoje, do nosso cada vez mais complexo dia-a-dia, dos sinais, frequentemente "codificados", da política, da cultura, do desporto, da religião. Jamais aquele em que se escreva a toda a velocidade sobre aquilo que geralmente se ignora. Não aquele onde se confunda uma gastrite com os grandes males da pátria. Não aquele que se tenha na conta de intérprete dos desígnios da história e fazedor de opinião. Muito menos aquele em que se pense que, com um simples artigo, será possível demitir um presidente de câmara ou o primeiro ministro. MAIS: porque nos tempos que correm não poderá ignorar-se, em circunstância alguma, a interatividade com os leitores, ousámos no lançamento, em simultâneo com a C (de Coimbra, C de Centro, C de Comunicação), de um portal digital, com sistemática atualização, acompanhando, em tempo real, o pulsar da região, do país e do mundo. O jornalismo do cidadão, os media sociais (com destaque para os blogues) ou ferramentas como o Twitter, mais do que ameaças, representam, pelo menos assim o entendemos, verdadeiras oportunidades para o jornalismo tradicional. Papel e Internet são apenas dois suportes diferentes, logo, o pago e o gratuito poderão conviver perfeitamente com a mesma marca, completando-se nos objetivos. A MARCA C aí está, a partir de hoje, às quintas-feiras, no mercado. E com um anseio veemente: tornar-se referência na arte de comunicar.

:7


ao microscópio

SETE SÓIS, SETE LUAS

há um ano

este país

frases

Seis na corrida a Belém

“Superfofinha é melhor do que o rótulo de Barbie do Bloco de Esquerda.”

Amanhã , sábado, é d ia de

JOANA AMARAL DIAS

ref lexão; domingo, iremos às urnas eleger o novo Presidente da República Portuguesa. É um direito, mas também um dever cívico. Portanto, ninguém deverá faltar à chamada. Cumprido, esta noite, o ritual da campanha, os seis candidatos a Belém (Cavaco Silva, Manuel Alegre, Francisco Lopes, Fernando Nobre, Defensor Moura e José Manuel Coelho) têm amanhã, ao fim de duas semanas na estrada, merecido dia de descanso. E, nós, de ref lexão. Domingo, todos às urnas.

CORREIO DA MANHÃ 24-01-2010

Cavaco Silva

Manuel Alegre

Francisco Lopes

“A Gripe A é um dos maiores escândalos da medicina deste século.” WOLFGANG WODARG NA COMISSÃO DE SAÚDE DO CONSELHO DA EUROPA 25-01-2010

Fernando Nobre

Defensor Moura

José Manuel Coelho

“Se não tivesse sido futebolista, tinha sido o maior bailarino do mundo.” EUSÉBIO TABU, 29-01-2010

A aproximação da data de alargamento da cobrança de portagens a todas as SCUT tem feito crescer os protestos por parte das populações atraves-sadas pelas concessões. As portagens nas antigas SCUT do Norte Litoral, Grande Porto e Costa de Prata começaram a ser cobradas em 15 de outubro. Dentro de três meses, em 15 de abril, o pagamento de portagens é alargado às concessões Interior Norte, Beiras Litoral e Alta, Beira Interior e Algarve.

SCUT: mais protestos 55 mil

é o número de automobilistas que já circularam nas antigas SCUT sem pagar

180 mil

veículos já aderiram ao sistema eletrónico de pagamento de portagem

PEDRO SILVA PEREIRA EXPRESSO, 30-01-2010

200 mil

condutores já pediram habilitação à chamada discriminação positiva

9,5 milhões de euros foi a receita total cobrada no primeiro mês e meio do novo regime

fatos Dia 20 António Filipe Pimentel é nomeado novo diretor do Museu Nacional de Arte Antiga. Dia 26 Morre, aos 75 anos, o guitarrista Jorge Fontes.

outros mundos

8:

“Falo ao telemóvel com a prudência com que todos os portugueses falam: digo o que acho que posso dizer, não digo o que acho que não devo dizer.”

14 mil sem abrigo no Rio de Janeiro

Temperaturas continuam a subir

316 mil mortos no sismo do Haiti

Mais de 14 mil pessoas ficaram sem abrigo na região montanhosa do estado do Rio de Janeiro, onde torrentes de lama causaram mais de seis centenas de mortos.

2010 foi o ano mais quente desde 1880, em exaequo com o de 2005, e também o mais húmido, segundo estimativas preliminares da Agência Oceânica e Atmosférica dos EUA.

O balanço é mais pesado do que o divulgado pelas Nações Unidas, que estima que o terramoto de 12 de janeiro de 2010 causou 200 mil mortes e 1,2 milhões de desalojados. 21 JaneirO 2011

Dia 27 Um sismo de magnitude 8,8 ocorre ao longo da costa da Região de Maule, no Chile . Dia 28 Apresentação do iPad, em São Francisco, pelo CEO da Apple, Steve Jobs.


A Ramos Catarino, empresa de Engenharia e Construção com mais de 30 anos de experiência, sabe dar resposta adequada a todos os desafios, por maior que seja a sua complexidade e a sua sofisticação.

Arquitectura Francisco Aires Mateus

Proporcionamos aos nossos Clientes uma proposta de valor absolutamente singular, aliando qualidade, competitividade e rigoroso cumprimento de prazos, graças a uma equipa de extraordinários profissionais e excelentes seres humanos. Respeitando inabalavelmente os valores que estiveram na nossa génese – Dedicação, Humildade, Ética e Profissionalismo – inovamos, em cada dia, para sermos sempre uma empresa de referência.

Great Professionals. Great People.

Ramos Catarino, SA · Engenharia e Construção Tel.: 231 467100 | Apartado 12 | 3061-906 Febres info@grupo-catarino.pt | www.ramoscatarino.pt

C04

COIMBRA | LISBOA | VILAMOURA | FUNCHAL | pONtA deLgAdA | MAdRId


AO MICROSCÓPIO

EX(SIC)TAÇÕES

toma lá dá cá Apelo aos juristas: avalanche de pedidos de indemnização cível. É evidente que a decisão do Governo de destruir o Ramal da Lousã e, agora, de não continuar as obras do Metro Mondego, causa sérios prejuízos e incomodidades aos utilizadores do sistema e a todos os potenciais clientes.

Caro Jaime Ramos, cuidado! Como dizem os brasileiros "muita calma nessa hora". Compreendo o seu objetivo e até percebo que esteja animado pela corrida aos tribunais dos sindicatos... porém o caso aqui é diferente: o ónus da prova cabe aos autores das ações.

JAIME RAMOS

frases desfeitas “Vou utilizar uma linguagem simples para me poder expressar e todos me poderem compreender, comparando o Estado a uma árvore.” NORBERTO CANHA, fundador da Escola Universitária Vasco da Gama Para a próxima, escreve sobre a transferência de conhecimento de Coimbra para a sua quinta transmontana?

“Escrever na areia ou na rocha?” JOÃO REBELO, ex-vereador da Câmara Municipal de Coimbra Escreva onde entender, desde que os terrenos permitam a implantação dum campo de golfe.

RICARDO CASTANHEIRA

“Qual a melhor solução? Traim-train, Comboio, Metro-Bus?”

“O iParque, tendo sido projetado para ser uma esperança de futuro para Coimbra, tem que ir além disso, porque, até agora, apenas funciona como uma boa pista para os mais diversos desportos aliada a uma escola de aprendizagem de condução automóvel e motorizada.”

ÁLVARO SECO, ex-Presidente da Metro Mondego Vamos jogar no Totobola? Pode ser que nos saiam uns trocos para o seu 1x2.

“Depois de um bucho recheado com grelos, venha a Briosa!”.

HORÁCIO PINA PRATA ex-candidato à presidência da CMC

RICARDO CASTANHEIRA, Legal & Corporate Affairs Lead na empresa Microsoft

Vamos esperar que Norberto Pires não se esqueça dos carrinhos de rolamentos e de linhas.

“É chocante que uma ligação de qualidade entre Coimbra e Viseu não exista”.

“O vandalismo (do Jardim da Sereia) tem sido impressionante e sistemático”

JOSÉ REIS, professor da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra

LUÍS PROVIDÊNCIA, vereador da Câmara Municipal de Coimbra

Já imaginou o trabalho que dava deslocalizar os restaurantes do IP3, para a prometida auto-estrada?

Fale com a sua colega Maria João. Peça um policia municipal de proximidade e resolve de imediato o problema.

Podia ter evitado a má digestão do resultado final. Na próxima jornada, acompanhe o seu bucho de Arganil com uma água de coco.

“Poiares não vai ficar agarrado à crise” JAIME SOARES , presidente da Câmara Municipal de Poiares Por falar em crise, quando é que vai tomar conta dos descendentes dos viscondes de Alvalade? Fontes: Diário de Coimbra, Diário As Beiras, Facebook

Anuncio-lhes a minha disponibilidade para me candidatar à presidência da Distrital de Coimbra do PSD

PEDRO MACHADO

10:

CASTANHEIRA BARROS

21 JANEIRO 2011

JAIME SOARES

Resposta certa: Castanheira Barros

quem foi que disse?


SE EU MANDASSE...

CONVIDADO a resolver o imbróglio do Metro Mondego, o empresário Álvaro Pereira corta a direito: “se eu mandasse fazia a vontade às populações, que querem o Metro a funcionar”. E PORQUE O POVO “tem sem-

“Acabava com a quadrilha democrática” Álvaro pereira, Presidente do Conselho de Administração da Fucoli - Somepal, SA

pre razão”, o patrão da Fucoli recomenda que neste, como noutros casos, seja escutada a “voz” da população dos três concelhos envolvidos no caso, Coimbra, Lousã e Miranda do Corvo. “As pessoas compraram apartamentos na Lousã e em Miranda e, agora, não têm transporte. Não se faz”, afirma. ÁLVARO PEREIRA considera que o “dinheiro fica todo em Lisboa”, existindo uma “quadrilha democrática” a que é necessário pôr fim. “Faz-se tudo em Lisboa. Coimbra não tem direito a nada”, sublinha.

PARA O EMPRESÁRIO não são necessários referendos para perceber as necessidades da população dos concelhos afetados pela medida do Governo de Sócrates. "ENQUANTO a cidade e a região marcam passo em muitos projetos, outras regiões do país asseguram financiamentos e conseguem níveis de desenvolvimento de acordo com as expectativas da população. Portugal tem duas velocidades", conclui o empresário. MN

Faz-se tudo em Lisboa e Coimbra não tem direito a nada

PUB


AO MICROSCÓPIO

ACREDITE SE QUISER

Limão fabuloso em Almalaguês

Bebeu e... matou tubarão

Engolem peixe vivo para combater a asma

DRAGAN Stevic é o novo herói do

Egipto. Numa longa noite de copos, ele e os amigos decidiram ir à praia. Dragan subiu a uma plataforma utilizada pelos banhistas e pulou. Os amigos não tiveram tempo de reagir e Dragan voou, atingindo, à chegada, um tubarão que havia morto uma pessoa e ferido quatro no resort El Sheikh. O resort distinguiu o herói com férias gratuitas.

Recuperou anel 30 anos depois

O PRESIDENTE da Junta de Freguesia de Almalaguês, Victor Costa, contou a "estória" no Facebook: "Ofereceram-me um limão a sério. Um limão nascido e criado na Senhora da Alegria, em Almalaguês. É realmente quase um milagre! O limão tem 20 centímetros de altura e 52 centímetro de diâmetro. Fabuloso", escreveu.

Stephen Iocco perdeu o seu anel de formatura em Nova Iorque. Incr ivelmente, recuperou-o num mergulho no Golfo do México. "Significa muito para mim", disse, enquanto festejava a recuperação da joia... 30 anos depois .

Ama, coleciona e come insetos GEORGES Brossard vive no

Canadá e nos últimos 35 anos colecionou cerca de 600 mil insectos. O escriturário e colecionador percorreu mais de 100 países para recolher os espécimes. Brossard confessa que "ama", dorme, sonha e come insetos, contando os dotes da esposa na cozinha. "A minha mulher é especialista em culinária de insetos," garante.

NA CIDADE de Hyderabad, na Índia, as pessoas comem peixe vivo para ateunar os efeitos da asma. O tratamento alternativo conquistou milhares de indianos.

Gato trancado um mês no frigorífico O FELINO esteve trancado durante

um mês num frigorífico e sobreviveu. Os -2ºC da câmara não foram problema e o gato comeu pêssegos congelados, bebendo o líquido que escorria dos alimentos.

Testículos pendurados dão para o torto

O CAVALEIRO da Meia-Noite é

uma limousine que pesa 22 toneladas e tem 21 metros de comprimento. Tem capacidade para 40 pessoas, que podem festejar num dos três ambientes lounge deste veículo de luxo. Possui, ainda, wc, bar, e cinco televisões, entre outro equipamento.

O PRODUTO chama-se "Bumpernuts", tem várias cores, é de plástico e imita os testículos. O chefe dos Bombeiros de Freeport, em Nova Iorque, foi suspenso por 30 dias ao não retirar um conjunto de testículos de plástico que apareceu pendurado numa viatura .

No inverno, as pessoas deixam ficar os guarda-chuvas, que depois nem se dão ao trabalho de recuperar. Às vezes até deixam roupas e malas de viagem, máquinas de filmar e de fotografar. Mas o mais normal é esquecerem-se dos telemóveis.

Há telemóveis esquecidos todos os dias. Nós tomamos conta da ocorrência e, normalmente, o cliente chama a central de táxis para recuperar o telemóvel. De noite também encontramos isqueiros e moedas que caem devido ao excesso de álcool.

Já deixaram no táxi muita coisa, como tabaco, pentes, telemóveis e roupa. Uma vez até deixaram uma carteira na parte de trás. Fui lá ver e estava vazia, sem dinheiro nem documentos. Aquilo foi alguém que a roubou e decidiu metê-la ali.

LEONEL PAIVA, 70 anos

JOSÉ GUERRA, 49 ANOS

LUÍS SILVA, 56 ANOS

"Pesado" muito especial no Brasil

praça de táxis De que mais se esquecem os clientes no carro?

12:

21 JANEIRO 2011


C03


ao microscópio

retrato falado

elevador do mercado

figura da semana

seabra santos teve o cuidado

Horácio Antunes

de não assumir, publicamente, a preferência por um dos candidatos à sua substituição na reitoria da UC. Um gentleman.

O PRESIDENTE da Associação de Futebol de Coimbra foi o dirigente escolhido pela maioria das distritais para suceder a Gilberto Madaíl na presidência da Federação Portuguesa de Futebol. Conta, à partida, com uma base eleitoral de 146 votos e o apoio de 15 associações – o que não é honra curta. Conseguiu juntar ainda na sua lista alguns dos elementos mais preponderantes do actual executivo federativo – o que revela fiabilidade e capacidade política, ou não se sentasse, desde há muito, como deputado, no hemiciclo de S. Bento.

HELENA ALBUQUERQUE

ganhou a aposta na qualidade: a APPACDM tornou-se a primeira IPSS portuguesa a ser certificada no setor.

As manobras de bastidores em curso poderão, eventualmente, frustrar-lhe os desígnios. O protagonismo entretanto conquistado não deixará, ainda assim, de ficar para a história desportiva nacional.

menções honrosas

14:

O bastonário dos

O sociólogo venceu o

Advogados decidiu proceder a cortes nas despesas da Ordem, que, nos últimos cinco anos, gastou, em honorários e vencimentos, segundo Marinho e Pinto, 35 milhões de euros, o que é, justificou, “manifestamente desproporcionado para os serviços que presta”. Em tempos de crise, haja, realmente, justiça… para todos.

Prémio México de Ciência e Tecnologia 2010, entregue pessoalmente pelo Presidente Felipe Calderón. O galardão, atribuído pela primeira vez a um português, releva o contributo do presidente do Centro de Estudos Sociais, da Universidade de Coimbra, para o desenvolvimento das ciências.

Luís de Matos

Miguel Portugal

O primeiro canal da

A Associação

BBC transmite, aos sábados, em horário nobre (19H30), um programa em que participam alguns dos melhores mágicos do mundo, entre eles, Luís de Matos. O ilusionista, proprietários dos Estúdios 33, em Ansião, volta a ter, assim, visibilidade no melhor dia e horário da semana e num dos melhores canais do mundo.

Académica de Coimbra associou-se ao movimento de cidadãos e autarcas que luta contra a suspensão do projeto Metro Mondego. O presidente da direcção geral da AAC, Miguel Portugal, termina o mandato com uma iniciativa de solidariedade para com aqueles que, diariamente, têm de deslocar-se entre a Lousã e Coimbra.

paulo júlio continua empenha-

do na inovação empresarial no concelho de Penela. O HIESE vai ser projeto âncora na estratégia.

a subir

Boaventura Sousa Santos

a descer

Marinho e Pinto

michael nk asu , do Bahrein,

queria ser reitor da Universidade de Coimbra, mas nem conseguiu apresentar a documentação mais básica. Inacreditável.


Debate

Incumbe-lhe, na sua qualidade de representante do país e da unidade nacional, identificar-se com os profundos anseios do povo e pugnar pelo prestígio de Portugal. Como símbolo da Pátria, impõe-se-lhe a defesa da História, da Língua e da Cultura nacionais e a ligação entre o passado e o futuro. Outra das suas funções essenciais é de domínio prático – a de cumprir e fazer cumprir a Constituição da República, o que significa, no contexto actual, que terá de pugnar pela construção da democracia política, social e económica, ou seja, pela construção do Estado social, defendendo a coesão entre todos os portugueses. O seu mandato deverá ser, em suma, parafraseando Sampaio Bruno, o de garante de um país como “comunhão de solidariedades”.

Evoco a resposta que há uns tempos ouvi de um jovem, quando dizia que o Presidente da República serve para proibir. Gostava que a minha resposta fosse a do cidadão comum. O direito de veto é, de facto, o que mais chega aos cidadãos comuns. O Presidente da República serve, entre todas as outras funções e encargos, para vetar. Tem um poder muito grande, pode proibir a promulgação de uma lei e fazê-la regressar ao Parlamento. É o órgão máximo da nação, a quem compete cumprir a Constituição da República Portuguesa, ser o nosso defensor no que compete às nossas liberdades e garantias. Recordo também, enquanto historiadora, que os primeiros presidentes da República tiveram relações muito estreitas com Coimbra.

Para que serve o Presidente da República?

ANTÓNIO ARNAUT Advogado. Antigo ministro dos Assuntos Sociais do PS

Maria José Azevedo Santos Vice-presidente da Câmara Municipal de Coimbra

C32

PUB

:15


ao microscópio

Um dia com...

MARCELO NUNO Presidente da Águas de Coimbra, EM

O gestor abriu-nos as portas do “seu mundo”, em que não falta algum tempo para si – e para a política TEXTO SÍLVIA DIOGO FOTOS PEDRO RAMOS

10H00 O primeiro momento do dia dedicado à análise da agenda

13H00 Almoço com Paulo Júlio e Maló de Abreu

08H25 Marcelo Nuno chega cedo e preparado para um dia de trabalho intenso

21H30 Participação em reunião do PSD, na Lousã

A rotina de Marcelo Nuno centra-se so-

Coimbra, onde nos dá a conhecer melhor o seu trabalho de gestor e nos leva a visitar os vários departamentos e nos elucida sobre as funções de cada um. Segue-se o Museu da Água, um projeto a cargo dele próprio, infraestrutura destinada a promover o universo da água e a oferecer espetáculos e exposições a todos os públicos. No regresso da viagem, revela-nos, finalmente, algumas das suas características. “Costuma-se dizer que os nossos defeitos são as nossas maiores virtudes. Considero-me teimoso, leal e dedicado”, sublinha. Marcelo Nuno não é só conhecido pela sua vida de gestor. É igualmente do domínio público a sua ligação à política e à forma como acredita nela. “Comecei a interessar-me pela política por ser escuteiro. É a forma ideal de melhorar o mundo e de deixar algo mais aos meus filhos”. Ao fim do dia, Marcelo Nuno viajou até à Lousã, para ali participar numa iniciativa política. É candidato à presidência da Comissão Política Distrital do PSD, de que é, desde há muito, destacado militante.

bretudo na gestão da empresa e no controlo de projetos que surgem para dinamizar a Águas de Coimbra. Consegue, ainda assim, arranjar sempre alguns momentos, exclusivamente, para si e para a política. Recebe-nos nas instalações onde trabalha, na Rua da Alegria, ao início de uma manhã chuvosa, a perspetivar um dia, no mínimo, desagradável. A primeira reunião leva até ao seu gabinete a técnica superior de comunicação da empresa, Ana Santos. Em cima da mesa, dois novos projetos direcionados para a educação e consciencialização do ambiente. A meio da reunião, o gestor faz uma pausa para tomar o pequeno almoço e beber um café. Nada melhor para continuar a rotina matinal. Depois do “break”, Marcelo Nuno volta ao escritório e participa em mais duas reuniões –a primeira com Nuno Silva, coordenador do Gabinete de Auditoria Interna, a segunda com Maria Prazeres, assessora do Conselho de Administração. Aproveitando o intervalo entre os encontros, revela-nos

16:

Interessei-me pela política por ser escuteiro

que em termos gastronómicos não tem uma preferência especial . No entanto, há "pratos" que dispensa. ”Não gosto de canja, peixe cozido e ananás. Não suporto os cheiros”, confessa. Sublinha, em contrapartida, a sua paixão pelo desporto. Jogo futebol aos fins de semana e costumo ir ao ginásio todos os dias, por volta das 19H00”, revela à C. Após três reuniões matinais é tempo de repor energias. Num restaurante da Baixa citadina, saboreia, então, um "delicioso" prato italiano, na companhia de dois amigos políticos. Concluído o repasto e a conversa, regressa, por volta das 14H30, à Águas de

21 JaneirO 2011


confidencial

PROFESSOR DOUTOR

De olho em você O JOGO DO BICHO - No Sul, jogou com a filha do presidente. No Centro, treinou com a companheira de um dos seus jogadores. Para não perder o Norte, saiu de campo. Com esta tática, evitou a transferência para o clube dos divorciados.  UM “TERÇO” DO DEPUTADO - Está nas

Cortes. Viu o seu ordenado penhorado. Tudo por causa de uma campanha que o levou à “bronca-rota”. “Mural da história”: Quem se mete com vilões, acaba afogado em dívidas. 

a cabra O casamento nunca a impediu de dormir com quem "pode". É tipo mosca de confeitaria. Desde que voltou a ser solteira e boa tia, tem tentado ir para Lisboa, onde anseia partilhar a paixão pelo poder. Não tem passado nas portagens. As pessoas certas, mostram-lhe as setas, mas não lhe dão a via verde. A vida é durex!

FORUM JUDICIAL - Era uma das maio-

res empresas de Coimbra. Foi protegida e favorecida por determinados poderes locais e nacionais. Chegou a ser acionista de referência do banco que se pensava que era dos ricos. Está à beira da insolvência, mas não vai acabar nas “obras”.  A INSTITUIÇÃO – É um dos mais conhecidos “doutores” da cidade. É daqueles que dobra o pijaminha e trata a mulher por “amore”. Mas, sempre que se senta na sua cadeira no camarote do estádio, diz mais asneiras que os adeptos daquele clube que tem um presidente fã de casas de alterne.  SONHO DE MULHER - Por trás de um grande homem, há sempre uma grande mulher? Claro que sim. Sempre foi uma boa esposa. Quando viu o marido condenado, resolveu levantar-lhe a moral. Não foi de modas. Fez uma produção ousada. Ninguém pode ser preso por elevar a auto-estima do seu parceiro!   CASAL MUNICIPALIZADO - A mulher foi fazer turismo municipal. O homem foi tratar dos quadros da autarquia. Na hora da separação de funções, ele não pode consumar o ato de a mandar para casa. 

PREDICTOR - Os hospitais unidos vão ser administrados por um ministro deste governo. O teste não engana. Depois de nascer, a mega estrutura vai conhecer um pai remodelado.  A ALEGRIA DO PAI - É Vice-Presidente de dois camaradas. Mas quer ser o presidente das duas entidades, onde entrou como filho do pai.Enquanto não vê passar o comboio, segue a estratégia do Magalhães.  REABILITAÇÃO CRISTÃ - É muito cristão. Frequenta os salões da Sé Velha. Faltou ao prometido. Não quis ser feliz para sempre. Só Deus o pode ajudar na sua reabilitação urbana, tanto no céu, como na terra que o viu crescer politicamente.  A DESREGULADORA - A entidade que desregula as ondas hertzianas tem dois pesos e duas medidas. Merece o nosso aplauso por ter mandado selar o emissor de uma “associação”. Exige a nossa critica por continuar a proteger a rádio de outra “associação”. Pelo que se ouve, o tamanho conta para protelar decisões, que dependem do ponto de vista jurídico e do espírito académico.  CONTACT CENTER - Toma conta de um elefante branco. Casou com uma fera. Não gosta do novo presidente da autarquia. Mandou-lhe dois shots mediáticos. Mas como precisa do tacho para alimentar a sua agenda política, não sai da cadeira do poder... virtual.  A TÉCNICA DA TÁTICA - Adorava o marido. Gostava de futebol. Estava apaixonada pelo amante. Na hora de passar ao ataque, ia para a cama com o segundo, enquanto via o primeiro… chegar pela televisão do hotel. Até ao fim da carreira, nenhum comentador a acusou de ser má jogadora.

:17


ao microscópio

O QUE É FEITO DE SI?

A exercer agora funções na CCDRC, manuel machado fala, pela primeira vez desde que deixou a câmara, da atualidade da cidade Texto Vasco Garcia Foto Pedro Ramos

Gostaria de ter inaugurado o metropolitano ligeiro de superfície, no projeto que estava idealizado

O que tem feito desde que saiu da Câmara de Coimbra? Dediquei-me a fazer outras coisas que gostava de fazer. Procurei organizar a minha vida e contribuir para, juntamente com a família, recuperar o tempo perdido com a minha ausência. Depois, fiz vários trabalhos e destaco um que me deu um gosto muito especial: foi participar no projeto de reinstalação dos municípios eleitos democraticamente em Moçambique. Tem alguns passatempos? Todos os possíveis, em especial a leitura. Gosto, particularmente, de conhecer coisas sobre Coimbra, porque é uma cidade enigmática. Por exemplo, eu olho para o Convento de S. Francisco e apreciaria que tivesse tido outro rumo. Em 2002, poderia ter sido feita a obra, mas houve um empanque. O trabalho do Dr. António Leça foi sumariamente desprezado, de forma ofensiva. Se isso não tivesse acontecido, o centro cultural de convenções e congressos no Convento de S. Francisco já estaria a funcionar. Mas a cidade tem estas características e isso faz parte da sua marca. Tem saudades do tempo em que era o Manuel Machado a decidir? Não diria saudades. Foi um tempo que vivi numa função que o povo me encarregou de desempenhar. Tentei desempenhá-la fazendo tudo o que em mim cabia para que ela fosse desempenhada de forma honrada e o mais eficaz possível. Gostaria de voltar? Neste momento, isso não é, sequer, uma questão. Passados dez anos, como vê a sua prestação à frente da Câmara de Coimbra? Seria injusto fazer essa análise. A avaliação qualitativa tem de competir aos outros. Eu não seria bom juiz em causa própria.

18:

Manuel Machado Houve alguma coisa que ficou por fazer? Gostaria de ter inaugurado o metropolitano ligeiro de superfície, no projeto que estava ideali-zado. Os estudos demonstravam a viabilidade do projeto, mas fomos sempre boicotados. Por quem? Pela CP. A CP sempre quis rasteirar o projeto, mas nós não deixámos. Como vê o desempenho do seu sucessor na Câmara de Coimbra? Para, deliberadamente, contornar a resposta direta à sua pergunta, eu digo que houve obras em que me empenhei e levei até ao ponto de execução e, por qualquer vicissitude ou maior ou menor vontade, passados 10 anos, ainda não estão realizadas. O que espera do novo presidente? Não conheço o projeto que ele apresenta, mas espero, sinceramente, que ele consiga realizar. Coimbra está, outra vez, uma bela adormecida. Depois do esforço e do tempo que se gastou, a energia despendida para acordá-la, voltou a adormecer...

Concorda com aqueles que dizem que o Governo não gosta de Coimbra? Coimbra tem um conjunto de dificuldades intramuros que tem de vencer. Uma delas é, uma vez assumida uma intervenção, realizá-la. O que tem sido preponderante é que qualquer intervenção planeada é discutida e volta a ser discutida e quando está para ser realizada aparece a última moda e volta tudo à estaca zero. É essa tal ambição da última moda que acaba por boicotar ou bloquear essas intervenções desencadeadas. E, frequentemente, uma parte do pau na roda é metida a partir de Coimbra. As funções que desempenha realizam-no, profissionalmente? Desempenho funções no Programa Operacional Regional do Centro. Coordeno uma das equipas da estrutura de missão do Mais Centro. No momento em que não me sentisse realizado, sairia. Mas, nesta fase, é um desafio importante. Onde gostava de estar daqui a 10 anos? Gostava de estar vivo, com saúde, a passear os netos. 21 JaneirO 2011


CONCESSIONĂ RIO PEUGEOT / Grupo MCoutinho

C05

Coimbra - Rua Manuel Madeira - Pedrulha - Tel.: 239 433 500 www.mcoutinhocentro.pt


ao microscópio

VIA DO LEITOR

espelho meu

estatuto editorial

20:

A revista C Notícias tem como objetivo primeiro tornar-se porta-voz dos anseios de progresso e desenvolvimento da região em que editorialmente se insere – o Centro de Portugal, onde vive e trabalha cerca de um quinto da população do país. Apostará, para isso, no merecimento da credibilidade tanto junto dos leitores como dos anunciantes – afinal, aquela que será a sua e exclusiva dependência. Apostará, ainda, na abrangência da globalidade dos seis distritos envolvidos (Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria e Viseu), através de uma cobertura garantida por jornalistas próprios. Não descurará, simultaneamente, aquilo que se passe no todo nacional e no resto

do Mundo. Contribuir com a sua quota-parte de massa crítica para a coesão regional e para a resolução dos grandes problemas económicos, sociais e culturais das populações é outra meta a atingir. Defensora da economia de mercado, a C Notícias definiu, tendo em vista tais pressupostos, o seguinte rumo editorial: 1. Manter independência de todos os poderes, sejam eles políticos, sociais ou económicos. 2. Identificar-se com as comunidades que pretende servir e fazer-lhes chegar uma informação rigorosa, objectiva e isenta. 3. Fomentar o debate democrático sobre as grandes questões da sociedade portuguesa, designadamente na região Centro.

Seja repórter C

A sua opinião importa

C, portal multimédia e revista semanal, assume a ligação aos seus leitores como principal objetivo

diga-nos, por email ou carta, as suas preocupações, fale-nos dos problemas do quotidiano

Sejam também repórteres C, enviando-nos notícias, testemunhos ou fotografias de figuras ou fatos da atualidade, por email ou carta, para redacao@beirastexto.pt ou C, Rua 25 de Abril, n.º 7, 3045-501 Taveiro - Coimbra. A interatividade com os nossos leitores é compromisso que assumimos. Todos quantos queiram ajudar-nos a enriquecer a massa crítica indispensável ao progresso da região e do país, terão nas nossas páginas o melhor acolhimento.

Conhecer a opinião dos nossos leitores sobre a vida política, económica e social da cidade e do mundo será importante. Exerça, também aqui, o seu direito de cidadania. Não publicaremos cartas assinadas com pseudónimo ou iniciais e reservamo-nos o direito de selecionar ou resumir aquelas que nos chegarem com indicação de nome, morada e telefone. No portal online serão publicadas na íntegra, se forem consideradas em conformidade com o nosso estatuto editorial.

4. Assegurar o primado dos critérios estritamente jornalísticos no desenvolvimento dos conteúdos e impedir eventuais confusões entre a notícia e a análise crítica ou o comentário. 5. Emitir opinião vinculativa sempre através de editoriais da direcção ou, então, artigos assinados pelos seus jornalistas, de acordo com os normativos da linha editorial em vigor. 6. Garantir o pluralismo e a liberdade de expressão. 7. Respeitar a Constituição da República, a Lei de Imprensa, o Estatuto e o Código Deontológico dos jornalistas e a ética profissional. 8. Privilegiar a inovação, investir na formação profissional, ousar no reforço constante da competitividade.

C cumpre acordo A C inicia a sua publicação no respeito pelas regras do novo Acordo Ortográfico, embora este só entre oficialmente em vigor em outubro próximo.

21 JaneirO 2011


OPINIÃO

ANTÓNIO PEDRO PITA

Museus, por exemplo

É necessário pensarmo-nos como território singular, qualificado, contemporâneo, cada vez mais capaz de responder às solicitações mais sofisticadas dos cidadãos mais exigentes

NOTICIAS.NET

Foram entregues no passado mês de dezembro os prémios atribuídos pela Associação Portuguesa de Museologia relativos a 2010. Os prémios abrangiam 16 áreas: Prémio Instituição, Prémio Mecenato, Melhor Intervenção em Conservação e Restauro, Melhor Trabalho de Museografia, Melhor Trabalho de Museologia, Melhor Transporte de Património, Melhor Aplicação e Gestão de Multimédia, Melhor Comunicação Online, Melhor Site, Melhor Trabalho Jornalístico, Melhor Trabalho sobre Museologia, Melhor Serviço de Extensão Cultural, Prémio Inovação e Criatividade, Melhor Catálogo, Melhor Exposição e Melhor Museu. Os seus objetivos e as suas consequências são claros: a elevação da qualidade do trabalho museológico português e a adoção de padrões de exigência profissional, técnica e estética cada vez mais elevados, em correspondência, aliás, com a maior exigência do público da cultura. Ora, é importante que se saiba que houve museus da nossa região distinguidos em sete destas 16 áreas: foi o caso do Moinho de Papel e do Agromuseu D. Julinha de Ortigosa, em Melhor Trabalho de Museografia; do Museu da Universidade de Coimbra para a Melhor Comunicação online; da Câmara Municipal do Fundão, que foi distinguida pelo trabalho realizado no Museu Arqueológico do Fundão com a revista científica EBVROBRIGA, na categoria de Melhor Trabalho de Museologia; do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra como Melhor Serviço de Extensão Cultural; do Museu dos Descobrimentos de Belmonte, distinguido na área da Inovação e Criatividade; do Museu da Cidade de Coimbra, cujo Catálogo da Coleção Telo de Morais foi considerado o melhor; da es-

trutura museológica do Mosteiro de Santa Clara a Velha, considerado como Melhor Museu. É um dado útil para desenvolver o tema da qualificação de pessoas e do território. É uma informação necessária para nos pensarmos como espaço cultural contemporâneo. É um elemento relevante para concebermos as políticas integradas necessárias à afirmação de uma região policêntrica de cidades pequenas e médias. Por outras palavras: em lugar de nos pensarmos, por simples demarcação, relativamente ao Norte e ao Sul, é possível e é necessário pensarmo-nos como território singular, qualificado, contemporâneo, cada vez mais capaz de responder às solicitações mais sofisticadas dos cidadãos mais exigentes. De fato, trata-se de um microcosmos onde a imensa variedade de paisagem humana e de paisagens naturais ocorre em pequeno cadinho historicamente importante, dotado de infraestruturas, de equipamentos e de uma criatividade cultural e artística cada vez mais consolidada, inventiva, arrojada. A distinção concedida aos museus da nossa região, ou melhor, o fato de a museus da nossa região terem sido concedidos prémios tão significativos, lá onde muitos de nós poderiam até ignorar a existência de museus, é unicamente um exemplo (um, entre outros possíveis) de que a nossa região dispõe de condições objetivas não só para afirmar-se decididamente na área da cultura e das artes mas, sobretudo, para tornar a cultura e as artes, em processo de aprofundado dinamismo regional, uma das suas mais eficazes condições de desenvolvimento.

21


ao microscópio

Cartas

texto elaborado pelo gabinete de produções fictícias da revista

Portugueses

22:

ra as medidas que tomei para debela Peço a vossa compreensão para penalizam, é certo, mas não havia teção crise e baixar o défice. Muito vos ciamento da nossa economia, a pro an fin o sa cau em ava Est er. faz mais nada a o social em que ado português e o próprio model Est do e ad ilid dib cre a go, pre em do queremos viver. uma ngar que o país poderá conhecer are a aí a par dam an as eir pid Algumas car o Aristóteles, que qual…). Embora reconheça, com em diz o (nã ” iva los exp ção tua umen“si har audiências, mesmo que os arg gan e pod o oçã em à la ape que um orador as – e não só por ções fúnebres ultimamente rezad ora as o tem o nã , eis déb m deixar seja tos , não sou de desistir, não sou de me em sab bem mo Co … pos bis sos parte dos nos is sinto a energia trário, é nestes momentos que ma con o Pel . des lda icu dif as pel cer ven interior e o sentido do dever. penhada, muito positivo para a for ma em dor ica ind um o, an do fim no Tive, aliás, a pelos por tusa pública. A palavra mais votad coi a ido ger ho ten o com sa, ento oro rig , SCUT, Rede Social, PEC, Orçam fice Dé go, pre sem De foi o nã 0 gueses em 201 graça, a palavra da constante dos arautos da des gan pa pro da r esa ap , Foi I. vaFM ou to, que decidi candidatar-me no pon tal a e -m ou im an ro, cla é o, Vuvu zela. Iss ública marcar as stro quando o Presidente da Rep ini -m iro me pri de go car ao r-vos, nte me grande notícia que tinha para da a to, res de a, est a Er as. tiv isla próximas leg – a trabalhar, nha visita aos árabes do petróleo mi a ós ap to, Ben S. a so res reg no obviamente, para todos vós. s não brilha sobre todas as coisas. Ma que sol o e ent lm rea sou o nã os: Eu entendo-v er de cada solução o de um político de car reira é faz ensina Woody Allen que a vocaçã um problema? o de 2011 Palácio de São Bento, 21 de Janeir

21 JaneirO 2011


AF_cartazSuper4_ (Converted)-10 12/28/10 6:21 PM Page 1

C06

C

Composite

M

Y

CM

MY

CY CMY

K


FRENTE A FRENTE

atualidade

NOME: João Gabriel Silva faculdade: Ciências e Tecnologia IDADE: 53 anos FUNÇÕES ATUAIS: Diretor da FCTUC

NOME: Cristina Robalo Cordeiro faculdade: Letras IDADE: 56 anos FUNÇÕES ATUAIS: Vice-reitora da UC

Qual é a principal bandeira do seu projeto eleitoral? Evoluir para uma Universidade que seja conhecida como a que tem maior qualidade em Portugal, seja no ensino, na investigação científica e na cultura. Quais são os principais problemas da Universidade de Coimbra? A situação financeira, a integração no espaço europeu de ensino superior e as dificuldades a nível demográfico. A eleição do novo reitor é uma guerra da cultura contra a ciência? Saberei defender a cultura e a Dra. Cristina Robalo Cordeiro defenderá a ciência.

Qual é a principal bandeira do seu projeto eleitoral? A nossa bandeira será sempre a que combine a excelência, a qualidade, a internacionalização e a cultura. Quais são os principais problemas da Universidade de Coimbra? Há muito a fazer na requalificação de infraestruturas. A UC tem que apostar na qualidade da sua investigação e fazer um balanço do Processo de Bolonha. A eleição do novo reitor é uma guerra da cultura contra a ciência? Não vejo as coisas assim. A cultura e a ciência devem ser uma única força.

especial eleições

REITOR UC a luta pelo trono de reitor da Univer-

sidade de Coimbra (UC) está mais viva do que nunca e os candidatos a suceder a Seabra Santos já estão no terreno. Cristina Robalo Cordeiro (vice-reitora) e João Gabriel Silva (diretor da Faculdade de Ciências e Tecnologia) têm personalidades e áreas de especialização distintas, mas a Academia reconhece, de forma geral, valor nos dois candidatos. Porém, há um "outsider" na corrida à reitoria, o polaco Krzysztof Sliwa, professor de Línguas e Culturas Mundiais nos Estados Unidos. A audição pública está marcada para 7 de fevereiro. As eleições são a 14 de fevereiro. BV

expetativas

24:

“A universidade do amanhã feita já hoje”

“UC vai sair reforçada do ato eleitoral”

“Os estudantes querem um reitor que esteja ao seu lado”

Einstein disse que não pensava no futuro, pois este chegava sempre mais cedo que pensava. A UC tem, agora, de pensar no futuro, para que este chegue ainda mais cedo. Do próximo reitor espero mais futuro já, espero a Universidade do amanhã feita já hoje...

Estou a encarar a eleição do novo reitor com serenidade. A Universidade de Coimbra vai sair reforçada do próximo ato eleitoral. Os dois candidatos portugueses, a Dra. Cristina Robalo Cordeiro e o Dr. João Gabriel Silva, são bem conhecidos de todos e têm qualidade e prestígio.

Felizmente há dois candidatos muito bons, o Dr. João Gabriel Silva e a Dra. Cristina Robalo Cordeiro. São pessoas que têm um grande trabalho feito na UC. Mas são os dois muito diferentes e a escolha é importante por isso. Os estudantes querem um reitor que esteja ao seu lado.

Carlos Fiolhais

CARLOS ASCENSO ANDRÉ

EDUARDO MELO

Diretor da Biblioteca Geral da UC

Diretor da Faculdade de Letras da UC

Presidente da Associação Académica Coimbra

21 JaneirO 2011


C25


atualidade

SAÚDE

Novo pediátrico, de Coimbra para a região Depois de trÊs anos de atraso e um custo de 92 milhões de euros, as novas instalações do pediátrico começam a funcionar no próximo dia 31 Texto Marco Roque Foto Pedro Ramos

O novo Hospital Pediátrico de Coimbra

(HPC) vai ser inaugurado a 26 de janeiro, numa cerimónia que conta com a presença da ministra da saúde, Ana Jorge. E entra em funcionamento no dia 31. O hospital, construído de raiz, serve as crianças e adolescentes de toda a região Centro. Dividido em quatro zonas, o HPC vai disponibilizar vários serviços de saúde especializados, desde a pedopsiquiatria até aos serviços de cirurgia, bem como o funcionamento de urgências. O novo complexo mantém todos os serviços hospitalares e valências do atual pediátrico, expandindo algumas delas. E continuará, assim, a servir toda a região, em particular na oferta de cuidados de saúde para a infância que não estão disponíveis noutros locais, como o serviço de cuidados intensivos pediátricos. Para além de apresentar uma evolução ao nível do espaço, o novo HPC

26:

representa uma aposta numa abordagem mais centrada na família (ver entrevista na página ao lado). O projeto do hospital tem como grandes objetivos oferecer melhores condições de atendimento, com acesso da família ao processo de vigilância e tratamento, aumentar a capacidade de atendimento, bem como o potenciamento da prestação de serviços aos utentes, que podem ter entre zero e 18 anos. A aposta ao nível da investigação vai ser, também, reforçada. A mudança começa no dia 28 de janeiro, num processo que ficará concluído a 31. A construção do hospital iniciou-se em 2005, mas sofreu sucessivos atrasos e acabou três anos depois do previsto. O projeto, da responsabilidade da Administração Regional de Saúde do Centro, custou cerca de 92 milhões de euros.

Velho edifício tem futuro O velho HPC estava sediado, desde a sua abertura, em 1977, no convento de Santa Maria de Celas, um edifício do século XII usado como sanatório para mulheres e crianças. O convento passou de local de tratamento da tuberculose a hospital pediátrico por iniciativa de Bissaya Barreto. O médico tomou a decisão perante a necessidade de criar uma assistência hospitalar pediátrica mais eficaz e ampla. Mantendo a tradição, o convento pode agora vir a ser adaptado para receber o centro de saúde e as unidades de saúde familiares de Celas.

21 JaneirO 2011


bi Público-alvo: 0 aos 18 anos Camas: 163 Gabinetes médicos: 145 Gabinetes enfermagem: 43 Enfermarias: 107 Blocos cirúrgicos: 10 Salas de diagnóstico e terapêutica: 188 Estacionamento: 600 lugares Abrangência: Região Centro (Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria e Viseu). Também pode receber doentes do resto do país e dos Países de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) Localização: junto aos Hospitais Universidade Coimbra

Rosa Reis Marques

"Os pais poderão pernoitar comodamente com os filhos" Presidente do CHC garante que orçamento está assegurado

Como poderá manter-se financeiramente um hospital pediátrico com dimensões gigantescas, em comparação com aquele que existia? Todas as questões estão devidamente acauteladas no orçamento do Centro Hospitalar de Coimbra, nomeadamente a cobertura do diferencial de encargos. Como irá articular-se o seu funcionamento com os restantes hospitais da região Centro, designadamente os de Viseu, Aveiro e Leiria? Como até aqui; ou seja, não é uma mudança de instalações que alterará o relacionamento com todas as unidades. Como irá integrar-se a administração do novo hospital no futuro Centro Hospitalar Universitário de Coimbra?

Tal como a questão financeira, a articulação a esse nível está devidamente acautelada. Dado tratar-se de uma infraestrutura fisicamente nova, moderna, dotada das mais sofisticadas tecnologias, qual o aumento previsto no número de utentes e que diferenciação se espera na qualidade dos serviços prestados? O novo hospital pediátrico vai aumentar a capacidade de resposta, reforçando a qualidade dos serviços de saúde. A assistência aos utentes na faixa etária entre os 12/13 anos e 18 anos terá efeitos positivos nas urgências quer dos HUC, quer do Hospital dos Covões, ao diminuir a procura. Este novo hospital permite, também, o aumento da dignidade no atendimento a crianças, jovens e familiares. No novo hospital pediátrico, os pais poderão pernoitar comodamente juntos dos filhos, o que é uma mais-valia. MN

Rosa Reis Marques Presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Coimbra, EPE

:27


REPORTAGEM

atualidade

Sem linha, vila sofre

16 de Dezembro de 1906 / 16 de Dezembro de 2006

Ramal da Lousã comemora cem anos Comemoração do Centenário do Ramal da Lousã

Fac-simile de “O Louzanense”, com reportagem da inauguração do Ramal

Cliché Rasteiro

Comboio a vapor à chegada a Coimbra (década de 1930)

Iniciativa da Cooperativa e jornal Trevim

Comemoração do Centenário do Ramal da Lousã A elaboração deste suplemento integra-se num conjunto de iniciativas programadas para comemorar o centenário do Ramal da Lousã. Conforme noticiado em devido tempo realizaram-se já: Junho, dia 17 - Sábado Visita de um grupo de conimbricenses, integrantes da LATA (Liga dos Amigos das Tabernas da Alta) que contou com passeio no ramal, visitas à estação da Lousã e Museu Etnográfico Dr. Louzã Henriques e almoço de convívio com lousanenses no restaurante “Porta Larga”. Outubro, dia 21 - Sábado Passeio no Ramal, com viagem de lousanenses a Coimbra. Visita à zona ribeirinha do Mondego, almoço no restaurante “O Convento” e passeio de barco no “Basófias” e visitas ao Mosteiro de Santa Clara-a-Velha e Exposição de Instrumentos Musicais, cedidos pelo Dr. Louzã Henriques, no edifício do Turismo. Dezembro, dia 14 - Quinta-feira Edição especial do jornal Trevim, com suplemento alusivo aos cem anos do Ramal da Lousã. Outras iniciativas, no início de 2007 – Passeio no Ramal até Serpins e visita ao túnel do Cabril de Ceira, utilizando o trilho que deveria ter levado a ferrovia até Arganil. – Debates públicos acerca da história e projecção para o futuro deste importante modo de transporte para a região.

A 23 de dezembro de 1906, o "Louzanense" saúda a inauguração da linha

28:

A Lousã viveu o primeiro ano sem a linha de comboio centenária que ligava a Coimbra. Há já quem pense em partir para outro lado Texto Marco Roque O "Louzanense" descrevia, há 105 anos, os "brilhantes festejos" organizados para a inauguração da linha da Lousã. "A velha Lousã, pacífica e sonolenta, acabou", escrevia o jornal. Hoje, corre-se ali o risco de retorno a esses tempos de sonolência. Um ano atrás, os carris eram levantados, como parte do projeto do Metro Mondego, pondo-se termo à circulação ferroviária. O Café XM situou-se durante anos no cruzamento da Rua General Humberto Delgado com a linha de comboio, a metros do apeadeiro que servia o interior da vila. Hoje, devido às obras, está num beco sem saída. "Estou a trabalhar num local de passagem", diz a proprietária, Luísa Leite. "Ora, se as pessoas não passam, não vêm cá de propósito para tomar café", acrescenta. Com o corte da estrada e o desaparecimento da linha, o negócio ressentiu-se. "O levantamento dos carris teve um grande im-

pacto neste café. Agora, dá-me metade do dinheiro que dava. Aliás, aquele papel diz tudo", conta Luísa., apontando para uma folha que diz, simplesmente, "trespassa-se". O dinheiro investido já não está em questão. Luísa Leite reconhece que com o trespasse não vai buscar nem metade do que gastou, há dez anos, mas considera ser essa "a melhor solução". E garante que, como ela, há muita gente a pensar deixar a Lousã. "As pessoas começam a fazer contas ao preço dos passes e tempo das viagens", explica, acrescentando que se fosse recém-casada, sem filhos, talvez não se importasse com o sacrifício mas nas actuais condições não vai obrigar o filho "a acordar às seis da manhã para ir para Coimbra". "Nós tentámos adaptar-nos à situação, mas começam a passar os anos e as coisas continuam na mesma… Neste momento, a minha melhor hipótese é vir alguém com os olhos 21 JaneirO 2011

PU


tapados e ficar com o café", desabafa Luísa. Conversas de café No estabelecimento “Manuel da Estação”, a perspetiva de negócio não é tão má. "Vamos andando devagar, mas andando", garante o proprietário. Mas isso não impede que a linha da Lousã, ou os autocarros que a vieram substituir, seja um tema de conversa fácil. José Guerra, que usou a linha regularmente durante 20 anos, diz que "o comboio tem outra comodidade, as pessoas podem levantar-se, esticar as pernas". Já para não falar da EN17, a via utilizada pelos autocarros. "Com tantas curvas, as pessoas sentem-se mal, ainda no outro dia o autocarro teve de parar para uma senhora vomitar". Júlio Carvalhinho junta-se à conversa. "Os autocarros", argumenta, "são sempre um totobola, nunca se sabe se vão apanhar trânsito ou não, podem demorar mais tempo". De trás do balcão, dona Tina conta que, quando a filha estudava em Coimbra, "mais do que uma vez teve de esperar, porque o autocarro ia cheio". No comboio, "isso nunca aconteceria; mesmo em pé, havia sempre lugar". Refere também uma questão que passa despercebida. "Perdeu-se muito turismo. Antes, vinham muitos escuteiros",

recorda. "Uns 40 ou 50 de cada vez. Agora não se vê nada disso", garante Júlio Carvalhinho. Na velhinha capa do “Louzanense” de 1905, saudava-se a linha como parte de "uma nova fase da vida da Lousã". Agora, para continuar a evoluir, a vila precisa de novas soluções.

etapas

da luta 31 dezembro 2010 - Marcha lenta na A1, com início em Condeixa, contra a suspensão das obras do metro. 16 janeiro 2011-No jogo de futebol entre Académica e Benfica, os jogadores da casa entram em campo envergando camisolas com a frase “Queremos o Metro”. 19 janeiro 2011-Viagem à Assembleia da República para assistir à votação da petição Metro Mondego/Ramal da Lousã.

PS promete e população descrê Mário Ruivo, do PS, tem sido uma das figuras do processo e garante que “até 2 de fevereiro, as obras voltam a arrancar”. No entanto, não está claro em que parte do projeto. Depois do reatar das obras, “o processo fica nas mãos dos presidentes da Câmara”, sublinha. Os representantes da população falam em indignação. “As pessoas não escolheram adaptar-se, tiveram de aceitar o levantamento da linha”, diz Jaime Ramos, do Movimento Cívico de Cidadãos de Lousã e Miranda do Corvo. “A população está revoltada, indignada”, garante. “É um completo disparate transformar esta linha de comboio numa linha de metro. Não faz sentido. O metro é criado para transportes urbanos e a linha passa por pinhais. Não faz sentido”, defende Orlando Reis, membro do Movimento de Defesa do Ramal da Lousã. “Alguns acreditaram no metro, mas o que se passou é que acabaram por destruir uma linha centenária. É um crime destruir esta linha”, destaca.

C34

PUB


atualidade

REPORTAGEM

Agentes do FBI regularmente e

colaboração vai muito além de uma "mera bASE DE DADOS NO COMBATE AO CRIME INTERNAC Mário Nicolau Fotos Pedro Ramos agentes do FBI estão em Coimbra regu-

Temos boa colaboração com as agências norte-americanas e com polícias e serviços de investigação criminal de todo o Mundo

30:

larmente. Duarte Nuno Vieira, presidente do Instituto Nacional de Medicina Legal (INML), afirma que a colaboração com as agências norte-americanas, nomeadamente com o FBI, é fundamental. Se assim não fosse, "muitos crimes ficariam no tinteiro". Se na questão dos dados biométricos o presidente do INML "não conhece" o acordo com as autoridades norte-americanas, que o Estado português tem em agenda, e considera, até, que “é uma decisão puramente governamental”, no que respeita à partilha da base de dados de ADN a situação é bem diferente. A base de dados sediada em Coimbra foi instalada no âmbito do tratado Prüm e envolve perfis que são inseridos pelo INML e pela Polícia Judiciária na sequência de ordem judicial e nos casos estipulados na lei. Para Duarte Nuno Vieira existem “muitos receios infundados” e outras tantas ideias feitas. “As pessoas pensam que ao terem o perfil de ADN inserido na base de dados que é possível conhecer as doenças ou o parentesco, o que não é verdade”, explica. Para tornar tudo “muito claro”, o presidente do INML descreve o que está guardado na base de dados de ADN instalada no Largo da Sé Nova, bem no coração da Alta universária: “estamos a falar de um conjunto de letras e de números que determinam cada perfil de ADN e que não permitem mais do que aquilo que permite uma impressão digital: identificar a pessoa”. cOMBATE AO TERRORISMO A utilidade das bases de dados de ADN está também presente na análise do presidente do INML e assume-se com um dos desafios do momento das autoridades portuguesas e das agências internacionais: o combate à criminalidade e, em particular, ao terrorismo. Uma base de dados de ADN só é útil, afirma Duarte Nuno Vieira, “se for possível o seu 21 JaneirO 2011

PU


Base de dados de ADN acusa e inocenta

BI e em Coimbra

a "mera moeda de Troca". INTERNACIONAL. Texto

FBI adaptou CODIS à lei portuguesa

cruzamento", um procedimento que serve para acusar, mas também para inocentar. “Ainda há pouco tempo um indivíduo que esteve 30 anos na prisão beneficiou deste procedimento”, recorda o médico. A colaboração com o FBI, afirma Duarte Nuno Vieira, é uma prática regular, pelo que a instalação gratuita do CODIS, pelos EUA, não fugiu à regra. “Foi necessário apoio na instalação e na adaptação à lei portuguesa”, conta. No caso português, as “inserções de perfis de ADN não têm sido fáceis pela lei ser tão restritiva”, mas o presidente do IML confessa que “tem de a aceitar, porque foi a Assembleia da República que decidiu”. Prevenir a criminalidade, salvaguardando os direitos dos cidadãos, é perfeitamente possível e Duarte Nuno Vieira “não compreende” declarações vindas a público na altura da instalação da base de dados de ADN de “pessoas com alguma responsabilidade” e cujas opiniões podem criar receios despropositados.O fato das autoridades norte-americanas cederem o CODIS ao Estado português vai muito além do que possa considerar-se uma “mera moeda de troca” quando chega a altura de

retribuir. O presidente do INML não limita a colaboração que considera “fundamental” aos EUA e coloca na mesa um argumento decisivo: “sem a cooperação internacional muitos crimes dificilmente seriam resolvidos. Não nos estamos a vender aos EUA. Se tivéssemos feito um acordo com um país de menor dimensão ninguém estaria preocupado com isso. Estabelecer acordos com os EUA não nos deve menorizar. Aliás, em termos periciais, estamos melhor do que a maior parte dos centros forenses que conheço nos EUA", conclui.

fatos Agente do FBI esteve em Coimbra quase um mês INML colabora, entre outras, com a ONU e a Cruz Vermelha

C35

PUB

Quinta da Torre de Bera Torre de Bera - Coimbra

Quinta de São Pedro

Cernache - Coimbra

Quinta Pinhal do Rei Vale de Marelo - Semide

Quinta do Sobral Alvorge - Ansião

www.filenos.pt :31


atualidade

REPORTAGEM

Sexolate

coimbra tem um novo franchising, que está a "despertar a marotice das pessoas". as mulheres SÃO AS MAIS CURIOSAS e as melhores compradoras Texto bruno vicente Fotos Pedro Ramos O "ELIXIR DO AMOR" , assim designado por Giacomo Casanova, o galã do século XVIII, chega agora a Coimbra em doses industriais. O franchising Chocolate Chocolate é especialista na arte de combinar prazeres, criando figuras eróticas e sexuais a partir do melhor chocolate. A cafetaria da chocolateria localizada na Rua do Brasil tem um ar bastante apresentável, mas são as "traseiras" do espaço que mais estão a entusiasmar os conimbricenses. "Chamamos-lhe a secção da bolinha vermelha", conta, sem receio, a responsável de Coimbra, Lisete Santos, 34 anos. Numa prateleira com mais de dois metros de altura é possível ver uma espécie de Kamasutra do chocolate, onde pequenos homens e mulheres partilham posições arrojadas. Também há figuras isoladas, eróticas. E os mais audazes podem até optar por comprar

32:

Sabor personalizado

Empresa criou mais de seis mil figuras de chocolate, mas os clientes podem escolher pormenores e adicionar frases

órgãos sexuais detalhados, masculinos e femininos, que ganham forma a partir de vários tipos de chocolate, provenientes de diferentes continentes do planeta. "Os bonecos de chocolate alusivos ao sexo despertam a curiosidade e a marotice das pessoas, ao ponto de serem das coisas que mais vendemos na loja. As pessoas até nos têm pedido outras posições sexuais para as figuras", esclareceu Lisete Santos, que nasceu no concelho de Ansião. Ao contrário das lojas da empresa Chocolate Chocolate em Aveiro, Gouveia e São João da Madeira, o espaço de Coimbra, que abriu no final do ano passado, atrai mais mulheres que homens para a secção da bolinha vermelha. As clientes explicam porquê. "A cidade dos estudantes é mais liberal, as mulheres sentem menos vergonha", defende Catarina 21 JaneirO 2011

PU


Pais, de 18 anos. "Somos mais curiosas que os homens e gostamos de apimentar as coisas", opina Adelaide Costa, de 33 anos. "O sexo e o chocolate são coisas naturais da vida. Gostamos e vamos por aí, não temos que ter receio", completou Aurea Afonso, com 24 anos. Três toneladas de prazer Para satisfazer os desejos, a Chocolate Chocolate produziu, na fábrica da Barra, em Ílhavo, mais de três toneladas de figuras de chocolate, apenas no mês de Dezembro. Os bonecos são feitos manualmente pela empresa que, no total, emprega cerca de 30 pessoas. Além dos produtos alusivos ao sexo, os corações, chupa-chupas e bombons de chocolate têm muita saída, bem como, na cafetaria, o chocolate quente. As figuras sexuais são muito utilizadas em despedidas de solteiros, em jantares de amigos onde existe troca de prendas e no "um-a-um", entre casais. "Queremos trazer algo positivo à cidade, queremos algo doce e muito bom, não queremos ouvir sempre más notícias", afirma Lisete Santos. A próxima aposta forte da empresa vai ser no

serviço de distribuição, com estafetas. Agora já sabe a quem recorrer da próxima vez que quiser enviar um órgão sexual de chocolate com 20 centímetros a um antigo patrão, ex-companheiro, amigo ou namorado.

top de vendas

A Chocolate Chocolate, na Rua do Brasil, está a fazer sucesso, graças à "secção da bolinha vermelha", que combina chocolate e sexo

. Figuras eróticas femininas . Chupa-chupas com bonecos em posições sexuais . Orgãos sexuais detalhados . Corações gigantes . Bombons feitos com chocolate de todo o mundo . Chocolate quente (na cafetaria)

C36

PUB

:33


atualidade

COIMBRA

religião

INAUGURAÇÃO

Fé Baha'i reúne crentes em Coimbra Os seguidores da crença reúnem-se todas as semanas para falar do além e da vida espiritual A consciênciA de que na vida contempo-

rânea não há tempo para refletir reúne, semanalmente, em Coimbra, os seguidores da fé Baha'i para ações de meditação e oração. "Estas reuniões ajudam-nos a ter inspiração para encarar o dia-a-dia", explica Carlos Jalali, membro da comunidade Baha´i. A fé Baha'í (o termo significa glória ou esplendor), nascida, no século XIX, no Médio Oriente, mais concretamente na Pérsia, chegou há cerca de 50 anos a Portugal. Tendo como objetivo o bem social e a união da diversidade, perfilha princípios como a eliminação dos preconceitos e a educação obrigatória universal. Sob o lema "a Terra é só um país e a humanidade os seus cidadãos", defende a tese de que o mundo se encontra num processo de evolução coletiva a caminho de uma civilização mundial e que as necessidades atuais centram-se, essencialmente, no estabelecimento gradual da paz, justiça e unidade a uma escala global. "O que mais me marca na crença baha´i é o amor que existe a vários níveis, não existe só amor entre amigos e companheiros, ama-se o próximo e Deus", argumenta Edite Rocha,

O AUDITóriO da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra vai receber amanhã, pelas 10H30, a sessão de inauguração e apresentação do Coimbra Toastmasters Club. O clube insere-se no Toastmaster International, uma organização sem fins lucrativos que contribui para o desenvolvimento da comunicação em público. A organização conta com mais de 250 mil membros e 12.500 clubes, por todo o mundo. A sessão vai ser aberta ao público e de livre acesso.

Empresa

Águas de Coimbra com qualidade certificada

Alguns templos baha'i são Património da Humanidade

membro do Concelho Nacional da Comunidade Baha´i. Em Coimbra, os baha´is divulgam os princípios da crença através de várias atividades. Preparam círculos de estudo que, de forma interativa, e em pequenos grupos, discutem temas do foro sobrenatural. Mas não são apenas os adultos que debatem questões e se reúnem em atividades deste tipo: crianças e jovens também têm oportunidade de assistir, porque para os baha´is é importante a formação do ser humano. Dos cerca de seis milhões de crentes desta fé O símbolo da fé em todo o Mundo, haverá atualmente perto para os Baha'is de oito mil em Portugal. Para estes seguidores daquela que é a mais jovem religião universal, fundada por Bahá'u'lláh, os princípios da humanidade foram ensinados por vários mensageiros de Deus, como Jesus Cristo, Báb e o próprio Bahá'u'lláh. princípios baha'i A comunidade baha’í pretende unir a huA unidade da humanidade manidade e criar paz universal. "Contudo, Investigação independente da verdade o homem não tem capacidade para compreender o que é a realidade de Deus", afirma A base comum de todas as religiões Carlos Jalali. "Os crentes baha´is acreditam A harmonia entre Ciência e Religião Igualdade de direitos entre homem e mulher na unidade de Deus, mas não acreditam na capacidade do homem para entender o Eliminação dos preconceitos sobrenatural. O homem apenas tem uma Educação obrigatória universal perceção, nada mais", conclui o membro da Paz universal comunidade. SD

34:

Toastmasters Club chega a Coimbra

A EmpresA municipal Águas de Coimbra recebeu no dia 20 o Certificado e a Bandeira da APCER - Associação Portuguesa de Certificação. Estas marcas representam o reconhecimento de que a empresa se rege pelas melhores práticas nacionais e internacionais. De acordo com o site da APCER, o certificado de qualidade "reconhece o esforço da organização em assegurar a conformidade dos seus produtos e serviços, bem como a satisfação dos seus clientes".

METRO

Académica pode vir a ser castigada pela Liga No jogO entre Académica e Benfica, no passado dia 16, os "estudantes" apresentaram, na disposição inicial, a frase "Queremos o metro" nas camisolas. Caso a Liga encontre uma ligação com a questão política, pode castigar a Académica. No final do jogo, o presidente José Eduardo Simões deixou claro que "não se trata de uma questão política, pois este protesto tem o apoio de todos os partidos da região". Caso o clube seja penalizado, "será uma dupla injustiça", lamenta o dirigente.

21 JaneirO 2011


C07


REGião PEDRO RAMOS

atualidade

ANADIA

Cântaro ainda vai à fonte É certo e sabido que caminhar faz bem

à saúde. Talvez por isso, Litério Marques, presidente da Câmara Municipal de Anadia, mantenha três aldeias do concelho sem distribuição pública de água potável, o que corresponde a um universo de mais de uma centena de pessoas, que são obrigadas a fazer uma romaria até ao chafariz mais próximo. "Não saímos do mesmo", desabafa Urbina Neves, natural da aldeia do Amieiro, freguesia da Moita, que com 72 anos ainda vai com o cântaro à fonte. Confessa que se não fosse o furo, que acaba por abastecer a casa, seria "ainda mais complicado". Mas há um senão: a fatura da electricidade, que chega aos 70 euros por mês... A vida não é fácil para os cerca de 45 habitantes do Amieiro, considerada uma das aldeias que regista menor número de emigração no distrito de Aveiro. E o chafariz que fica no Largo da Memória apenas traz uma recordação: a de que o abastecimento público de água tarda em chegar. A canalização está feita. E a prova disso são os contadores e canos que espreitam da terra ou das paredes, há sete anos. Mas Litério Marques apenas diz que está a colaborar com a população para fazer chegar a água, logo que possível, ao Amieiro. E salvaguarda que

Três aldeias do concelho continuam sem água potável

a água do chafariz serve apenas para rega, até porque "todos sabem que não é para abastecimento público", diz. Pesadelo pode terminar no Verão Já Guilherme Andrade, presidente da junta de freguesia da Moita, afirma que o problema está perto do fim. "Estamos à espera do orçamento para fazer um furo, solução encontrada para fornecer toda a aldeia com água potável. A obra já foi a concurso público, aguardamos o resultado", garantiu. O autarca tem esperança de que ainda antes do verão

os mais de 40 habitantes do Amieiro possam finalmente ter água em casa. Também na freguesia de Avelãs de Cima, tanto na aldeia de Ferreirinhos, 48 habitantes, como em Corgo de Baixo, 14, não há água potável. Manuel Veiga, presidente da junta de freguesia, explicou que as duas aldeias estão a ser abastecidas através de reservatórios de água, proveniente de nascentes. "Esta água não é controlada, mas alertamos a população para isso. É nossa intenção resolver este problema o quanto antes, com a ajuda da Câmara Municipal", rematou. MV

DR

Abate ilegal na Mata Nacional do Buçaco A Fundação Mata do Buçaco levantou polé-

mica, ao cortar 107 árvores numa área protegida, no Luso, concelho da Mealhada. O abate foi justificado pela "diminuição do fluxo de resina e descoloração da copa e murchidão de agulhas", conforme explicou o presidente da fundação, António Franco. No entanto, foram feitas queixas que chegaram às autoridades, especialistas e associações ambientais. Alegadamente, a operação pode ter incorrido num crime de natureza ambiental. As denúncias dizem respeito ao abate de espécies protegidas e também a uma operação que terá colocado em risco a perturbação de outras espécies. António Franco garante "não ter conhecimento que o corte tenha configurado qualquer crime ambiental".

36:

21 JaneirO 2011


CRÓNICA

Mira Lagoa Sobral

Nascer e renascer

Parece que por ora, por aqui, para estas gentes, sempre que um homem pensa e fala o mundo pára e atrasa-se

Nasce Janeiro. E com ele nasce novo ano, nova década. E com janeiro renascem aspirações antigas, reforçam-se aspirações adiadas, melhoram-se aspirações em curso. Mas precisamos, urgentemente de novos equilíbrios internos. Para que precisamos nós de quatro mil duzentas e tal freguesias? Modelo concebido em 1834, adaptado à realidade de comunicações da época, de um país saído das invasões francesas e em busca do seu próprio caminho, porque teimamos em ter um país, alegadamente vanguardista em comunicações de todo o género, e agora tão ultrapassado na forma como governa o seu território? Oito mil quatrocentos e uns tantos presidentes. Necessários? Eficientes? Gratuitos? Três nãos rotundos. Para que precisamos de ter em Lisboa, no Porto, em Coimbra, tantas freguesias? Que desequilíbrio é este que agora vem dar notícia que afinal entidades de saúde pública, designadamente hospitais, os seus serviços, os seus superiores, todos falharam na cobrança efectiva das taxas moderadoras e agora revelam que têm milhares, milhões de euros por cobrar e berram porque não têm dinheiro? Que desequilíbrio é este que leva a que os tribunais, depois de onze anos com o processo em mãos, deixem que os processos caduquem, expirem, morram de morte temporal? Que desequilíbrio é este em que na educação muda ministro e volta-se sempre à estaca zero, num experimentalismo constante, inacabado (mas bem longe da solidez e da beleza das Capelas Imperfeitas do Mosteiro da Batalha), a deixar os profis-

NOTICIAS.NET

sionais enredados numa teia de avanços e recuos, sem linhas de enquadramento, com meias regras, com "sem regras", com retorno de regras, que é como quem diz com fusão de regras, como se a educação fosse cozinha de fusão ao sabor de cada mestre de culinária? Que desequilíbrio é este que leva a CCDRN a publicamente alegar, sem desmentidos provados, que o expedidor de dinheiros públicos manda os dinheiros que haviam de ir para norte para o sul, os do sul para o sul e os do norte ficam assim a modos que feitos "voyeurs" ferroviários, ou abastecedores de combustível dos 2 CV a vê-los passar, e caladinhos… Ao nascer o ano, ao nascer a década, vale a pena todos recuarmos dez anos, em que então nasceu novo ano, nova década, novo século, novo milénio. E comparando esta infeliz infância de dez anos, surge uma pergunta: será que aos vinte anos de novo século, de novo milénio, vamos ainda estar assim, ou pior? Que queremos de nós à data em que o novo século e o novo milénio, à moda dos anos sessenta, for assentar praça? Vamos condenar-nos a mais do mesmo? É mesmo isto que queremos? São estes os nossos sonhos? São estes os nossos projectos? Volta Gedeão e traz de novo contigo a tua Pedra Filosofal. Sempre que um homem sonha o mundo pula e avança. Parece que por ora, por aqui, para estas gentes, sempre que um homem pensa e fala o mundo pára e atrasa-se. Usemos o direito à indignação. Façamos o Portugal que queremos. Não fujamos do que não queremos.

37


ORA DIGA Lá

sociedade

Terão nascido, com a minha ajuda, de casais que não tinham mas queriam ter filhos, para cima de 17 mil crianças

Agostinho Almeida Santos

In vitro era segredo de Estado Católico assumido, o envolvimento na procriação assistida, inicialmente, preocupou-o. Consultou um bispo e um sacerdote jesuíta: foi "absolvido". E avançou TEXTO SOARES REBELO FOTOS PEDRO RAMOS

Ainda se lembra do seu primeiro sucesso na procriação medicamente assistida? Como se fosse hoje. Foi no dia 24 de Junho de 1988, já no edifício novo dos Hospitais da Universidade de Coimbra. Nessa altura, a ecografia ainda não estava tão desenvolvida como está agora, não se sabia lá muito bem se era rapaz ou rapariga. No entanto, dias antes, como se estava na quadra sãojoanina, combinámos com os pais que se fosse rapaz seria João, se fosse rapariga seria Joana. Foi rapariga e a Joana é hoje uma distinta enfermeira, uma excelente profissional, a trabalhar numa unidade de saúde da região Centro. Depois da Joana, quantos mais “filhos” fez? Nenhum. Só tenho filhas, quatro e todas naturais… Bom, piada ultrapassada e contas feitas, terão nascido, desde então, com a minha ajuda, de casais que não tinham mas queriam ter filhos, para cima de 17 mil. Vai encontrando alguns por aí, muitos deles, agora, já adultos? Imensos – e pelo país todo. Sou frequentemente abordado, sobretudo nos centros comerciais, por rapazes e raparigas que aju-

38:

dei a nascer. Há até uma história curiosa. Um dia, por aí, veio ter comigo um dos actuais presidentes de câmara a agradecer-me a intervenção na procriação das suas duas filhas. Senti-me, naturalmente, muito feliz. Nunca teve dúvidas acerca do êxito das técnicas da procriação in vitro? De início, não acreditava mesmo nada. Mais: quando aluno, se o professor Ibérico Nogueira, que era o meu mestre, falasse nas aulas de reprodução que não faltaria muito para os bebés poderem nascer numa proveta, num tubo de ensaio, eu diria, coitado, o homem endoideceu. Há 50 anos, a procriação assistida era realmente inimaginável para mim. Então, quando começou a acreditar? Após o nascimento do primeiro bebé proveta em Inglaterra fiquei curioso. Os responsáveis pelo feito, os professores Steptoe e Robert Edwards (este último foi, de resto, galardoado no ano passado com o Prémio Nobel da Medicina), eram, no entanto, tidos como uma espécie de charlatães nas sociedades científicas internacionais, que os acusavam de se-

rem meros vendedores de sonhos e ilusões. Continuei, portanto, a duvidar. Depois? Depois, fui a Paris, a convite do professor Netter, com quem mais tarde trabalhei e que celebrou recentemente um século de vida, que, em jornadas sobre procriação por si organizadas, mostrou fotografias dos primeiros embriõ­ es humanos in vitro.

Como se “faz” um bebé proveta Estimulação hormonal

Ovário Óvulo

Transferência

Embrião

Como reagiu? A minha primeira reação foi pensar que se tratava de uma fantasia, que aquelas imagens eram fictícias. Mas a verdade é que uma 21 JaneirO 2011

Esperma

A técnica consiste em recolher ovócitos e espermatozóides, para os juntar num prato de laboratório e fazer com que a fertilização ocorra externamente ao corpo da mulher.


a is

ara as

Antigos obstetras eram verdadeiros artistas perdeu-se a capacidade manual. hoje recorre-se muito à cesariana

A morbilidade infantil tem aumentado em Portugal. Há alguma explicação para o fato? Há várias. Desde logo, ter-se destruído a rede, extremamente bem montada, que ligava as maternidades aos centros de saúde. Toda a gente sabia com quem trabalhava, o que era deveras importante. Cruzavam-se informações, equipas multidisciplinares deslocavam-se muitas vezes aos centros de saúde (integrei algumas), garantindo uma qualidade de prestação assistencial que agora não existe. A rede foi muito bem montada, mas está agonizante. Que outras razões? Perderam-se, simultaneamente, muitas das qualidades obstétricas que havia no passado. O obstetra do passado, e não é de um passado recente, sabia muito bem como fazer nascer as crianças. Era um verdadeiro artista. Não havia cesarianas – eram um risco e só se praticavam em última instância. Isso fazia com que os obstetras fossem excelentes parteiros e soubessem trabalhar com os instrumentos mais adequados, só recorrendo ao fórceps ou às ventosas em situações de emergência. Recorre-se em excesso à cesariana? Claro que sim. Quando se deteta um mínimo risco recorre-se à cesariana. Perdeu-se o ensino dessa arte que era partejar. O professor Albertino, por exemplo, era um parteiro fantástico. Com a sua calma, a sua fleuma, transmitia confianças às parturientes. Zelava por elas. Hoje não se zela? Zela. Porém, graças aos modernismos, e assumo inteiramente a palavra, em que se monitoriza tudo, ao mais pequeno sofrimento fetal, que às vezes é meramente episódico (baixa do ritmo cardíaco, frequência que se altera), intervém-se de imediato para salvar a criança. Está bem, mas pode não ser necessário. Daí, termos taxas de cesariana de trinta e tal por cento, o que era inimaginável no passado. Houve diminuição dessa capacidade manual, desse treino, de tal modo que o crescente recurso à cesariana vai ter como consequência que algumas das gravidezes levem a que o bebé não morra à nascença, mas morra mais tarde.

:39


atualidade

meia dúzia de anos depois nascia a primeira criança através desta técnica. E, finalmente, lá se convenceu… Sim, logo que me convenci que este sonho, este milagre, era efectivamente concretizável, não hesitei mais. Estávamos em 1973, trabalhava ainda no velho hospital, onde, nas instalações entretanto deixadas devolutas pelos serviços do professor Linhares Furtado, instalei, para o efeito, os primeiros equipamentos. Como reuniu e formou a equipa? Não foi nada fácil, diga-se. Primeiro, tive eu próprio de ir ver qual o material mínimo a adquirir, depois, visto tratar-se de técnicas extremamente difíceis de dominar, foi necessário mandar especializar lá fora os recursos humanos entretanto contratados. Simplesmente, em França, na Bélgica, nos países onde funcionavam os laboratórios mais avançados da Europa neste campo, ninguém queria colaborar. As técnicas in vitro eram guardadas como se de um grande, um enorme segredo de Estado se tratasse… Toda a descoberta científica era extremamente preservada. Mas lá conseguiu, apesar de tudo, avançar… É verdade, mas levantou-se de imediato uma questão: iríamos tratar de casais com problemas de esterilidade simples, casais novos, em que tudo era propício ao sucesso ou cuidar de casais mais idosos, já praticamente sem esperança de ter filhos e esta seria a última que lhes

Comercialização do humano tornou-se chorudo negócio

restava? Na intervenção simples, o êxito estava garantido, na complexa, levar-se-ia muito tempo a conseguir resultados. Optei, ainda assim, por esta.

Com que resultados? Durante dois anos andámos a marcar passo, até que, com a passagem para o novo hospital, com a consequente melhoria das nossas condições de trabalho e a opção pelo método da colocação dos óvulos e dos espermatozóides nas trompas, desde, evidentemente, que houvesse trompas ou, pelo menos, uma, seguindo, assim, as técnicas de um ginecologista norte-americano, os resultados começaram a aparecer. Colhia os óvulos e os melhores espermatozóides e colocava-os no local natural da fecundação. O método da transferência de gâmetas para a trompa pareceu-me, aliás, extremamente aliciante, pois era mais próximo do fisiológico e evitava a cumulação de embriões excedentários. Nessa altura ainda não havia congelação e ficava-me sempre a dúvida se, afinal, tinha transferido, realmente, os melhores. Já tinha entretanto nascido, em Lisboa, o Carlos Saleiro, hoje jogador profissional do Sporting. Não me parece que tivesse sido resultado, digamos, de uma situação de esterilidade devida a obstrução das trompas da mãe. A mamã-proveta engravidaria naturalmente tempos depois, vindo a gerar mais dois filhos.

Que poderá esperar-se da evolução das técnicas de procriação medicamente assistida? Não estou muito otimista quanto ao futuro. Convenceram-se as pessoas que há métodos infalíveis para resolver os problemas dos casais sem filhos, mas não é verdade. Atualmente, embora se tenham sofisticado as técnicas, a taxa de êxito da PMA ronda os 25 por cento, ou seja, praticamente a mesma taxa dos nascimentos naturais e não acredito que se possa aumentá-la significativamente, muito menos que se chegue algum dia aos 50 por cento. Porquê? Os casais estão a deixar cada vez para mais tarde o nascimento do primeiro filho, convictos de que, quando quiserem, faz-se um proveta num instantinho. Chega-se aos 30 anos, diz-se: agora é que é altura, já estou no conselho de administração da minha empresa, tu já atingiste

40:

A hierarquia da Igreja nunca viu com bons olhos a PMA. Teve pressões, tanto mais que é assumidamente católico? O meu envolvimento na procriação medicamente assistida, inicialmente, preocupou-me bastante. Decidi, por isso, pedir ajuda a duas

O crescente recurso à cesariana vai ter como consequência que algumas das gravidezes levem a que o bebé não morra à nascença, mas morra mais tarde

pessoas, um bispo e um sacerdote jesuíta. Deles, recebi esta mensagem – na verdade, a hierarquia católica não dá o seu beneplácito a tais métodos, pelo seu desfasamento entre o afectivo e o biológico, mas se o senhor, que garante respeito escrupuloso pela ética, o não fizer, outros o farão, se calhar, sem esses princípios. Portanto, não desista. Senti-me como se estivesse a deixar o confessionário com os pecados perdoados; e fui em frente.

o patamar a que aspiravas, temos um bom T4, vamos lá então ser pais. Mas ela já é trintona, os seus ovários já não estão a produzir óvulos com a capacidade que tinham antes. Então, depois dos 30, não há solução? Tudo se pode fazer, simplesmente, o facilitismo leva os casais a pensar que não precisam preocupar-se, que quando quiserem haverá solução. Ora, nem sempre resulta. Além disso, os tratamentos consecutivos poderão ter consequências perniciosas para a saúde da mulher. Mas não se tem avançado? Os tratamentos são hoje muito mais caros e já funcionam no país 24 clínicas resultantes, em boa parte, de investimentos estrangeiros, contra apenas seis centros públicos. Mais: há já por aí quem venda óvulos, os chamados óvulos de ouro e quem, por dinheiro alugue a própria barriga. A comercialização do humano tornou-se chorudo negócio. 21 JaneirO 2011


C08


DOSSIÊ

Divórcios Já não é a morte a separá-los

Um em cada dois casamentos acaba em divórcio. Nem os namoros mais duradouros resistem tEXto vASCO GARCIA Na Primavera de 2008, a vida era um conto de fadas. Numa cinzenta manhã de maio, o vestido branco, como manda a tradição, destacava-se, enquanto chegava, cheia de sonhos, à Sé Nova de Coimbra. Apenas era ofuscado pelo brilho do sorriso, que lhe refletia o estado de alma. Lá dentro, esperavam-na a família, os amigos (inusitadamente aprumados) e ele, com um fato brilhante, a fazer lembrar os artistas da música portuguesa. Os nervosos passos até ao altar foram dados num segundo. Mas a verdade é que, até ali se encontrarem, Sofia e Eduardo (nomes fictícios) percorreram um longo caminho. Um caminho de mais de 17 anos, que a estrada da vida se encarregou de transformar, poucos meses depois, numa bifurcação, separando os seus passos.

42:

Conheceram-se nos bancos da escola. Partiram juntos à descoberta da vida. Nas primeiras saídas à noite surgiram os primeiros beijos, as primeiras carícias… Foi a irreverência dos cabelos compridos, das botas e das roupas negras que a fascinaram. Aos poucos, o namoro de juventude foi-se tornando sério. Entre altos e baixos – como todos os outros – foi sobrevivendo aos anos e às circunstâncias. Nem os tempos de faculdade – e todos os seus chamamentos – os conseguiram separar. Houve períodos em que se afastaram, é certo, mas sempre voltaram ao ponto de partida e tornaram a caminhar lado a lado. Depois de uma década de namoro, com os dois já a trabalhar, estava na altura de dar o próximo passo. Foram viver juntos. Foi na casa dos pais de Sofia que juntaram os trapos. Eram tempos felizes. Convidavam

os amigos para jantares – Eduardo sempre teve muito jeito para a cozinha –, para noites de volta da PlayStation ou dumas garrafas de vinho. Ambos tinham sucesso, profissionalmente, e as coisas corriam conforme planeado. Estava na hora. O casamento aguardava-os. Afinal de contas, é esse o caminho que a sociedade traça para todos os casais. Como quem casa, quer casa, compraram um novo apartamento, decoraram-no a preceito e tinham, finalmente, o seu ninho de amor. Voltemos, então, àquela cinzenta manhã de Primavera. Perante família e amigos, Eduardo e Sofia juraram amor eterno. “Até que a morte vos separe”, disse o padre. Só que, como acontece em tantos outros casos, o amor eterno tornou-se demasiado efémero. Depois de 17 anos de namoro, de noites

21 JaneirO 2011


sociedade Separações também atingem famosos Os problemas conjugais são

transversais a toda a sociedade. E, claro está, nem as figuras públicas escapam. Em Coimbra, nos últimos meses, foram vários os notáveis e detentores de cargos públicos que se separaram dos seus cônjuges. O (ainda) reitor da Universidade de Coimbra, Fernando Seabra Santos, foi um deles. O mesmo aconteceu com Norberto Pires, presidente do Conselho de Administração do iParque, e Pedro Vaz Serra, presidente do Clube de Empresários de Coimbra. Quem também se separou recentemente foi o presidente do Conselho de Administração da Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU) de Coimbra, João Paulo Craveiro. Nuno Encarnação, deputado na Assembleia da República (eleito pelo PSD) e filho do ex-presidente da Câmara de Coimbra, Carlos Encarnação, passou pela mesma situação.

terapia de casal O último recurso tem cada vez mais procura os casais portugueses recor-

rem cada vez mais – e mais cedo – à terapia familiar, como forma de tentar evitar divórcios. “Cada vez mais aparecem casais jovens, com poucos anos de casamento, a pedir terapia de casal”, nota a presidente da Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar. Segundo Elisabete Ferreira, o número de terapeutas familiares em Portugal multiplicou-se por cinco nos últimos 12 anos, havendo atualmente 271. São rofissionais a quem os casais recorrem quando sentem que precisam de ajuda externa e técnica para poder sair dos impasses e dos conflitos vivenciados.

:43


sociedade

ao luar, de projetos em comum, de sonhos em que um não existia sem o outro, o casamento acabou por durar apenas… sete meses! No final de 2008 já estavam separados. De 200 para 26.464 O caso de Sofia e Eduardo é particular, pela longa duração da relação antes do casamento e pela rapidez com que o matrimónio a consumiu e ditou o seu fim. Mas a verdade é que, como eles, existem muitos milhares de portugueses e portuguesas. Cem anos depois de ter sido publicado o diploma que, pela primeira vez, admitiu o divórcio, Portugal é, neste momento, um país com um divórcio para cada dois casamentos. Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), houve, em 2009, uma média de 72 divórcios por dia em Portugal. Há 50 anos, essa média rondava dois casamentos terminados por dia. O que terá levado a uma tão profunda alteração de paradigma, nestas cinco décadas? Um momento de viragem essencial foi o fim da ditadura. Durante o Estado Novo, não era possível acabar, legalmente, com um casamento católico. Para a socióloga Sofia Aboim, investigadora do Instituto de Ciências Sociais, a primeira lei do divórcio teve a importância de fazer com que se assumisse que “o casamento é um contrato ao invés de um sacramento”.

Se não estão preparados, não se casem, pelo menos pela Igreja, defende Jorge Cotovio

Sobre o aumento continuado do número de divórcios, a investigadora acredita que será uma tendência a continuar. E explica porquê: “Houve uma transformação profunda na forma como as pessoas concebem o casamento. Não já como algo a que estão amarradas pelo peso da tradição, mas algo com que podem acabar se não se sentirem individualmente satisfeitas na relação”. Contundo, Aboim frisa que, apesar de haver mais divórcios, a conjugalidade não perdeu importância, havendo vários estudos que mostram que a maior parte das vezes os divorciados encetam novas relações.

40.391

casamentos em 2009

26.464 divórcios em 2009

7.773

44:

PEDRO RAMOS

divórcios em 1975

200

divórcios em 1914

agilizar processo de nulidade A Igreja Católica também está ciente desta tendência, que vê “com preocupação”. O responsável do Secretariado Diocesano da Pastoral da Família, Jorge Cotovio, explica que a diocese de Coimbra tem tentado “prevenir mais do que remediar”. Assim, aposta numa “melhor preparação para o casamento”, que começa logo nos jovens, na catequese, através das atividades da Pastoral Juvenil, e também da pastoral universitária. Ainda antes do casamento, os encontros de preparação para o matrimónio são mais uma ferramenta importante para preparar os casais para uma vida em conjunto. Depois da boda, a preocupação continua. Tem sido proposto às paróquias promoverem iniciativas tendentes a acompanhar os novos casais. E quando surgem os maiores conflitos, os cônjuges podem socorrer-se, por exemplo, do Centro de Acompanhamento Familiar (CAF) de Coimbra, que já acompanhou mais de três mil casais, em 12 anos, contribuindo para a solução de muitas crises. Apesar de “continuar a defender a indissolubilidade do casamento”, a Igreja “compreende e acolhe todas as pessoas que passam por estas situações de divórcio, tentando integrá-las nas comunidades”. Por outro lado, a Igreja tem procurado “agilizar o processo de nulidade do casamento”, para que – em casos específicos, devidamente comprovados – os cônjuges possam voltar a casar pela Igreja, uma vez que o seu casamento foi declarado nulo. Por outro lado, Jorge Cotovio defende que “quem não estiver preparado para assumir este compromisso para toda a vida” não deve casar, “pelo menos pela Igreja”. O responsável entende ainda que “o Estado tem um papel muito importante” nesta matéria, devendo “facilitar a vida aos novos casais” e não criar políticas fiscais (e outras) que os penalizem.


C09


sociedade

ENSINO

Estudantes mobilizados para surpreender Coimbra

PUB

Eduardo Melo (em primeiro plano) sucedeu a Miguel Portugal na presidência da Associação Académica de Coimbra

AAC procura a "ligação mais sólida de sempre aos conimbricenses", criando um programa específico para a cidade, que vai extravasar os muros da Academia e incluir atividades culturais, desportivas e, sobretudo, de solidariedade social TEXTO BRUNO VICENTE FOTOS PEDRO RAMOS A luta estudantil por uma ação social escolar mais justa e por um ensino superior com melhor qualidade não esmorece em 2011, mas os estudantes da Rua Padre António Vieira têm mais cartas na manga para o ano que agora começou. A Associação Académica de Coimbra (AAC), com o comando de Eduardo Melo, está empenhada em surpreender a cidade. "Não vamos só combater os ataques do Governo ao ensino superior. Vamos criar um programa próprio para os cidadãos e a ligação mais sólida de sempre aos conimbricenses ", garante o estudante, de 22 anos, natural de Vila Nova de Gaia. "Queremos limpar aquela imagem de os alu-

46:

nos só quererem sair à noite para se divertirem e embebedarem. Os estudantes são pessoas competentes e sabem ser extremamente sérios e responsáveis", acrescentou Eduardo Melo. Por isso, além de iniciativas culturais e desportivas que vão extravasar o meio académico, o novo presidente da Direção Geral da AAC promete "dar uma atenção especial" ao pelouro de Intervenção Cívica da estrutura estudantil. "Vamos chegar às pessoas sobretudo através da solidariedade social. Há muita gente que vive mal, em grande dificuldade, e que precisa da nossa ajuda. Felizmente, nós temos os meios para ajudar", afirma o aluno

de Bioquímica, filiado na Juventude Socialista. Instituição mais forte Nos primeiros anos de vida, a AAC era sobretudo o braço político dos estudantes, mas, em 2005, com a criação do pelouro de Intervenção Cívica, a estrutura ganhou um novo fôlego no xadrez social e institucional da cidade. "A Direção Geral da AAC é essencialmente um órgão político, de defesa dos interesses dos estudantes, mas é também uma instituição da cidade de Coimbra, que deve contribuir para uma sociedade mais justa", adianta Miguel Portugal, estudante de Gestão que terminou o mandato 21 JaneirO 2011


esta semana. O último presidente da Associação Académica de Coimbra reconhece que a política e a solidariedade social acabam por estar ligadas. "O engrandecimento da AAC enquanto instituição solidária vai contribuir para que, no futuro, os estudantes tenham mais força nas suas lutas políticas", explicou o aluno. Em 2010, o pelouro de Intervenção Cívica, liderado por Patrícia Damas, ajudou dezenas de instituições e milhares de cidadãos, através da realização de atividades solidárias nas áreas da saúde, ambiente, educação e economia, entre outras. A recolha de 6.500 euros para ajudar a Madeira na altura da tempestade, campanhas de recolha de medula óssea que salvaram vidas, a angariação e distribuição de livros a pessoas carenciadas e o fornecimento de cobertores e alimentos aos sem-abrigo são apenas alguns exemplos de iniciativas que resultaram de parcerias regulares com outras entidades da cidade e da região Centro. A aposta vai ser reforçada em 2011, com Eduardo Melo, que promete mobilizar os estudantes da Universidade de Coimbra para ajudar a cidade, e não apenas para a luta estudantil.

Quanto vale a solidariedade? Ajudar cidadãos e instituições em dificuldades, durante um ano inteiro, dá zero valores para a nota final da licenciatura, mas este é um cenário que os responsáveis da Associação Académica de Coimbra (AAC) querem mudar. "Vamos lutar pela implementação de um sistema de valorização das atividades extracurriculares, com créditos que contam para a média do curso. É algo que já está a ser falado com os docentes. Já estivemos mais longe de o conseguir", contextualiza o líder estudantil, Eduardo Melo, que considera que o trabalho cultural, desportivo e de solidariedade social desenvolvido fora das salas de aula também deve ser avaliado. A Universidade de Coimbra tem, para já, os estatutos atleta-estudante e trabalhador-estudante, bem como um documento para os alunos que desenvolvem ativi-

Patrícia Damas, coordenadora geral do pelouro de Intervenção Cívica em 2010, quer que a Universidade de Coimbra reconheça, com créditos escolares, o trabalho social desenvolvido pelos alunos

dades culturais. Estes diplomas oferecem uma série de "regalias", nomeadamente uma época especial de exames em setembro, prioridade na escolha de horários das aulas e a possibilidade de adiar a entrega de trabalhos. O sistema de valorização de atividades extracurriculares através de créditos escolares não existe em Portugal, mas já foi adotado por algumas universidades europeias, no âmbito do Processo de Bolonha.

C39

PUB

:47


atualidade

ensino ESEC

UNIVERSIDADE DE AVEIRO

Estudadas reações a medicamentos O instituto de Engenharia Eletrónica e Telemática de Aveiro está a trabalhar num projeto na área da deteção precoce de reações adversas a medicamentos, que envolve nove países e 18 parceiros. Os especialistas pretendem prever os efeitos secundários, através de um sistema tecnológico avançado que cruza a informação reportada pelos médicos e os conhecimentos da biomedicina. O financiamento, atribuído pela Comissão Europeia, ronda os 4,5 milhões de euros.

ENSINO COOPERATIVO

Docentes contra corte de verbas O MOVIMENTO “SOS”, que se

opõe aos cortes governamentais no ensino particular e cooperativo, dialogou esta semana, em Coimbra, com os candidatos presidenciais Cavaco Silva, Manuel Alegre e Fernando Nobre. Os responsáveis do protesto consideram que a redução de verbas para o ensino não tem justificação. Pais e professores têm reivindicado juntos, um pouco por todo o país. A degradação da qualidade do ensino e o fecho de escolas são os maiores receios.

De guarda-chuva na escola Se, num dia destes, passar na

Escola Superior de Educação de Coimbra (ESEC) e vir alunos com chapéus-de-chuva no interior das instalações, não se admire. É que a Associação de Estudantes (AE) está farta de esperar pela ampliação da escola e tratou de chamar a atenção para a falta de condições. Assim, apelou aos estudantes para usarem o guarda-chuva num espaço da escola onde chove no inverno. Decidiu ainda realizar uma aula encenada no atual parque de estacionamento, onde será, um dia, ampliada a escola. Estas e outras iniciativas serão fotografadas e a "reportagem" final será apresentada ao público e enviada à Assembleia da República. "É a última tentativa para sensibilizar os responsáveis", explica João Morgado, presidente da AE da ESEC. VG

fotolegenda A Universidade de Coimbra está empenhada em requalificar o Pátio das Escolas. A intervenção, superior a 500 mil euros, fica concluída em março. Os responsáveis acreditam que o projeto vai traduzir-se no aumento do fluxo de turistas.

COIMBRA

IPC ganha rede de antigos alunos A CRIAÇÃo de uma associação

de antigos estudantes é a aposta mais recente do Instituto Politécnico de Coimbra (IPC). A medida, que vai dar mais força à instituição, é um dos pilares das Opções Estratégicas do IPC/2010-2013.

48:

21 JaneirO 2011


C10


sociedade

SAÚDE

PARALISIA CEREBRAL

conselhos Como viver com diabetes

Crioestaminal participa em ensaio Os estudos começaram em 2005 no depar-

O número de portugueses com diabetes, doença metabólica caraterizada por um aumento anormal do açúcar ou glicose no sangue, ronda atualmente os 400 mil, mas estima-se que sejam, até 2025, perto de 700 mil. Trata-se de um problema preocupante de saúde pública, que se não for adequadamente tratado poderá causar, entre outras complicações, enfartes de miocárdio, derrames cerebrais, insuficiências renais, problemas visuais e lesões de difícil cicatrização.

tamento de pediatria da Duke University, nos Estados Unidos. Têm sido realizadas, em regime experimental, infusões autólogas de sangue do cordão umbilical em crianças com paralisia cerebral e traumatismo crânio-encefálico, tendo sido já efetuadas mais de 80 infusões, segundo a Parent’s Guide for Cord Blood Foundation. Joanne Kurtzberg, mundialmente reconhecida pelo trabalho pioneiro nos transplantes de sangue do cordão umbilical e diretora do Pediatric Blood and Marrow Transplant Program da Duke University, é a responsável pelo programa. Recorde-se que uma criança portuguesa com paralisia cerebral, cujos pais tinham armazenado à nascença o sangue do cordão umbilical na Crioestaminal, integrou o estudo pioneiro de Joanne Kurtzberg, recebendo

uma infusão autóloga de sangue do cordão umbilical. Dois meses mais tarde, uma segunda criança, de nacionalidade italiana, que também tinha criopreservado o sangue do cordão umbilical na Crioestaminal, foi considerada elegível para este mesmo estudo, tendo igualmente recebido uma infusão autóloga de sangue. Em modelos animais foi demonstrado que as células estaminais transplantadas migram para a zona da lesão, permitindo a regeneração dos neurónios e a recuperação da função motora. Estes resultados promissores, demonstrando existir uma ação, ainda que indireta, das células do sangue do cordão umbilical na regeneração neural, forneceram a base experimental para o início de ensaios clínicos em humanos.

Embora não haja ainda uma cura defini-

tiva, são recomendados diversos tratamentos que, quando seguidos de forma regular, proporcionam saúde e qualidade de vida para o paciente portador.

"Pesquisa medicamento" é muito útil

Deverá ter-se, por exemplo, um cui-

dado especial com a alimentação, para não se desenvolverem complicações agudas e crónicas. Uma dieta pobre em açúcar, rica em fibras e vegetais, com pouco sal, gorduras mono insaturadas e ácidos gordos ómega 3 é fundamental para o equilíbrio da doença. Leite meio-gordo, iogurte natural

ou magro e queijo fresco; pão integral ou bolachas sem sal; manteiga e azeite em quantidades moderadas; consumo frequente de hortaliças e saladas; carne de porco magra e vaca magra, aves sem pele e carnes de caça; todo o tipo de peixe, em especial os gordos; fruta, arroz ou massa, feijão ou grão em quantidades moderadas – eis alguns dos produtos em que deverá radicar a alimentação de quem é diabético. Não dever ão esquecer-se, ainda assim, o exercício físico e a abstenção tabágica.E, se necessário, tomar medicamentos para reduzir a pressão.

50:

A Autoridade Nacional do Me-

dicamento e Produtos de Saúde, Infarmed, disponibiliza, no seu site, a nova aplicação - Pesquisa Medicamento - que permite a consulta de informação sobre os medicamentos disponíveis em Portugal. Centralizar os conteúdos já existentes e permitir o acesso facilitado do cidadão à informação essencial sobre medicamentos, nomeadamente o seu preço, é uma das funcionalidades. Sempre que surjam dificuldades sobre o uso da pesquisa de medicamento ou dúvidas resultantes da consulta, mantém-se disponível ao cidadão a Linha do Medicamento (800 222 444). A linha esclarece dúvidas relacionadas com medicamentos e produtos de saúde, todos os dias úteis, das 09H00 às 13H00 e das 14H00 às 17H00. 21 JaneirO 2011


C01


CLUBE DA CRIANÇA

sociedade

DR

AMAMENTAÇÃO

Alimentar e proteger o bebé num só gesto O aleitamento materno é muito importante para o bebé até completar o primeiro ano de vida

O bebé deve mamar em regime livre, sempre que quiser

A imagem de uma mãe a amamentar o seu bebé não deixa ninguém indiferente. É um momento íntimo e único, partilhado pelos dois, que retrata uma experiência gratificante e traz benefícios para a saúde física e mental de ambos. Alexandra Seabra Dinis, assistente hospitalar de pediatria a exercer funções nos Cuidados Intensivos Pediátricos (CIPE) do Hospital Pediátrico de Coimbra, defende que a amamentação é considerada "a melhor forma de alimentar e proteger o bebé", devendo ser incentivada logo que "uma mulher pensa engravidar". Nos primeiros dias de vida do bebé, tanto ele como a mãe têm de passar por uma fase de aprendizagem.

nuais ou elétricas -, é possível "retirar o leite, colocá-lo num biberão ou congelá-lo, para dar posteriormente ao bebé. Este processo também ajuda a que o leite não seque e continue a ser produzido", explica a pediatra, advertindo que a ansiedade da mãe é inimiga do leite e que para "manter a sua produção é necessário estimulá-la". Podem surgir alguns problemas maternos, como os mamilos dolorosos/fissuras, mastites, mamilos gretados. Mas as bombas de extração ou outras soluções "resolvem estas questões". Alexandra Dinis lembra que a amamentação ajuda a mãe a recuperar o peso e o útero a voltar à forma, mas também protege do cancro da mama. MV

A amamentação, também designada por aleitamento materno, é "muito importante até ao primeiro ano de vida do bebé", sendo este o período "ideal". Se o bebé crescer bem, como explica a pediatra, até aos seis meses "basta o aleitamento materno exclusivo, com mamadas entre os 10 e os 15 minutos. O bebé não precisa de mais nada". Dos seis meses ao primeiro ano "podem juntar-se sopas, fruta, papas". O fator trabalho dificulta a continuação da amamentação. E a partir dos quatro meses, muitas mães recorrem ao leite em pó, "composto por leite de vaca adaptado, mais difícil para os bebés em termos de digestão". Contudo, através do recurso às bombas de extração - ma-

mimo Dodot Activity garante sono tranquilo O sistema de absorção integral, segundo a Dodot, absorve o xixi mais rapidamente, transformando-o em pérolas de gel e afastando-o da pele do bebé. Há que ter em conta, também, que o bebé está deitado a exercer pressão sobre a fralda. Por isso, é necessário que a humidade seja rapidamente absorvida.

52:

dicas & conselhos Não à chupeta Até o bebé aprender a mamar bem, não se deve dar chupeta. O contacto físico com o corpo da mãe acalma o bebé e as chupetas são uma imitação do peito da mãe, podem distrair um bebé que tenha fome.

Mamar quando? Depende do bebé. O ideal é deixá-lo mamar em regime livre, sempre que parecer que ele quer fazê-lo. Contudo, o bebé deve mamar pelo menos entre oito a 12 vezes, em cada 24 horas.

Corpo e rosto do bebé devem ser hidratados O cuidado a ter com a pele dos

bebés não deve ser descurado. Devem ser usados cremes com texturas fluidas e ligeiras, para permitir uma hidratação quotidiana do rosto do recém-nascido e também do bebé com pele delicada. Além de reforçar a barreira cutânea, este tipo de creme preserva 21 JaneirO 2011

a pele das agressões do dia a dia como a poluição e a água calcária, a presença de micróbios. No nascimento o ambiente do bebé muda, porque passa do mundo intrauterino para o exterior. A pele do bebé não está adaptada ao novo ambiente e é indispensável conhecer a sua especificidade para a proteger.


C18

MOBILIÁRIO DE ESCRITÓRIO – ESCOLAR – GERIÁTRICO – HOSPITALAR - HOTELARIA

Morada: Estrada Ribeira de Eiras, Armazém n.º 7 Santa Apolónia - Coimbra

Tel. 239 439 256 Fax. 239 439364 Email: geral@sesis.pt Site: www.sesis.pt


personalidade

poder local

Perante a conjuntura económica e as medidas tomadas pelo Governo, a fatura a pagar pelo Partido Socialista em próximos atos eleitorais deve ser alvo de uma análise cuidada, ainda que, segundo Jorge Bento, a Europa e o euro estejam "no meio de uma guerra cambial mundial”.

A resposta política, na análise do presidente da Câmara Municipal de Condeixa-a-Nova, depende do modo como Portugal “evoluir” numa guerra com dois caminhos possíveis: “se o ataque ao euro for sustido e se houver uma acalmia nos mercados financeiros, eventualmente, teremos recuperações da economia europeia, o que beneficiaria a nossa economia no médio prazo”. Jorge Bento confessa que “não acredita nos resultados a curto prazo”, mas antevê “sinais” de recuperação. “Se as pessoas acreditarem que os sacrifícios que estão a ser pedidos são realmente por uma boa causa, que as desigualdades estão a ser corrigidas e que a economia dá sinais de melhorar, o PS não será tão penalizado em termos eleitorais. Mas este é um cenário de grande otimismo”, alerta. Assim, o PS, considera, “tem pela frente um grande trabalho político, de comunicação e, acima de tudo, tem de reforçar a transparência das medidas que toma”. Para Jorge Bento não vale a pena escamotear os problemas, recomendando que o PS “abra o jogo o mais possível”, porque tentar iludir as dificuldades “tem o efeito de uma bomba relógio terrível”. No capítulo local e regional, afirma, as pessoas

Bento contra as intrigas e as manobras Para o presidente da Câmara de Condeixa-a-nova está por fazer "um grande trabalho de democratização dos partidos". Texto Mário Nicolau Fotos Pedro Ramos “têm uma leitura muito diferente” e só um descontentamento “fortíssimo” e o efeito “tabela” do contexto nacional poderá causar problemas de maior ao PS. O descontentamento dos cidadãos, na leitura do autarca, “é com toda a classe política”, pois “existe a sensação que este é um problema que se arrasta há muitos anos e que estamos perante o afloramento de uma crise anunciada, com responsabilidades históricas dos sucessivos governos e num contexto em que as oposições têm sido incapazes de traçar destinos alternativos coerentes”. O presidente da Câmara Municipal de Condeixa não arrisca um resultado nos próximos atos eleitorais e opta por um estratégico “vamos ver como se comporta o PS”. Está preparado para “atenuar” os efeitos ne-

“ 54:

Os partidos acantonaram-se num discurso fechado e quase esqueceram os problemas das pessoas

gativos e assume as boas práticas, o discurso positivo, o otimismo e a lucidez na análise dos problemas como parte da metodologia. “Os partidos acantonaram-se num discurso fechado e quase esqueceram os problemas das pessoas. São máquinas de conquista de poder em que os problemas das pessoas são meros assuntos para preencher a agenda. Há um grande trabalho de democratização dos partidos que tem de ser realizado”, argumenta. A experiência autárquica é um trunfo que coloca na mesa quando manifesta disponibilidade para participar no processo de mudança que defende, recusando continuar a viver “no mundo da intriga e da manobra política”. O PS/Coimbra pode contar com Jorge Bento. E sem nenhum cargo “à vista”, pois, assegura, “não são precisos cargos, é necessária humildade”. De acordo com as regras do PS, Jorge Bento está disponível para “dignificar a imagem do partido, principalmente em Coimbra”, num processo que inclui “mudança, autocrítica e procura de soluções para os problemas que afetam o relacionamento entre a política e as pessoas”. A cumprir o último mandato na presidência da Câmara Municipal de Condeixa-a-Nova, Jorge Bento deixa o concelho num invejável patamar de desenvolvimento e está convencido que o PS de Condeixa escolherá um candidato ganhador. Não sabe o que irá fazer após o adeus à presidência, mas revela-se determinado em reforçar a presença “dentro do partido”. Nos últimos anos, explica, “concentrei-me no concelho de 21 JaneirO 2011


Lá mais para a frente penso nas funções que tenho em lista de espera. Defendo uma estratégia de conquista do poder para servir as populações

Condeixa, pois não fui eleito para mais nada e o meu compromisso é com a população do meu município”. A federação e “outras funções” ficaram, por isso, numa lista de espera que Jorge Bento promete atualizar a seu tempo, “lá para finais de 2012”. A partir dai, assumirá “maior visibilidade e mais trabalho noutras áreas”, numa estratégia de “conquista do poder para servir as pessoas”.

"Não invento projetos" No ordenamento do território, o concelho de Condeixa-a-Nova atravessa um “momento de equilíbrio”. Possui infraestruturas de acordo com a escala que atingiu e financeiramente “não tem estrangulamentos comprometedores". Jorge Bento vive de consciência tranquila: "quando sair, deixarei a câmara numa situação confortável para quem vier a seguir e, em termos políticos, também posso dizer com algum orgulho que a Câmara Municipal de Condeixa-a-Nova tem sabido manter com as oposições e com a população um ambiente de diálogo e de tolerância que é saudável em termos de democracia”. A ligação a Coimbra é um "problema velho", mas Jorge Bento espera resolvê-lo até ao final do mandato. A utilização das verbas do Quadro de Referência Estratégico Nacional é um tema sensível para o autarca, que “não inventa” projetos para aproveitar financiamentos, optando por só realizar as obras que são fundamentais. Na comunidade intermunicipal do Baixo Mondego, os municípios executam os projetos e a comunidade monitoriza o desempenho finan-

ceiro de modo a assegurar uma taxa de execução positiva. “Neste momento, a Comunidade Intermunicipal do Baixo Mondego é uma das comunidades em que a taxa de execução do QREN é mais elevada”, sublinha. A burocracia inerente à regulamentação do QREN, considera, comprometeu os objetivos definidos pelos autarcas e obrigou o Ministério da Economia a intervir, alterando a regulamentação. Com consensos garantidos e “bom relacionamento” com todos os autarcas da região, Jorge Bento deseja que Barbosa de Melo “consiga que a Câmara de Coimbra assuma um papel de parceiro ativo no conjunto dos municípios”; ou seja, para além das políticas próprias, “assuma um papel mais ativo, mais destacado na definição de uma política regional”. Um dos desafios da comunidade intermunicipal, acrescenta, além da gestão dos fundos comunitários, “é criar um interlocutor político que seja o porta-voz dos municípios e de 350 mil habitantes, o que não é tão pouco quanto isso”. O êxito deste processo só será conseguido, ga-

rante Jorge Bento, “se Coimbra tiver uma visão política para a região e não se acantonar nas suas fronteiras administrativas”. E confessa: “sei que o novo presidente da Câmara de Coimbra tem este espírito e este processo tem condições para ter êxito”. Para discutir a divisão do “bolo orçamental”, a capital do distrito “não deve partir para a guerra sozinha, nem esquecer-se que se lutar em grupo representa 350 mil habitantes”.

Desejo que Barbosa de Melo consiga que a Câmara de Coimbra assuma um papel de parceiro ativo na política regional

:55


poder local

Por cá

Portugal "todo" em Penela

autarquia

DR

Coimbra fiscaliza plano estratégico O plano estratégico de Coimbra,

aprovado pela assembleia municipal sem qualquer voto contra e 13 abstenções, vai ser acompanhado por uma comissão constituída por representantes de todas as formações políticas com assento naquele órgão autárquico. A afirmação da cidade como “centro de referência na saúde”, a sua diferenciação, contexto internacional, como pólo de excelência na ciência, educação e investigação e como área metropolitana alternativa a Lisboa e Porto, enquanto espaço de fixação de pessoas e empresas, são os principais objetivos do plano.

Turismo

Região Centro em peso na FITUT A feira Internacional de Turismo

de Madrid (FITUR) foi inaugurada na quarta-feira, com a presença do presidente da Turismo Centro de Portugal, Pedro Machado. O setor hoteleiro de toda a região está presente no certame, promovendo a Marca Centro de Portugal no principal mercado externo emissor de turistas ­– o mercado espanhol. A FITUR decorre até domingo (dia 23).

O centro foi concebido tendo em conta a investigação, as novas tecnologias e o património. Em suma, a cultura está aberta a todos quantos queiram ler ou navegar na internet.

gestão

Alteração nas termas de S. Pedro do Sul A câmara de S. Pedro do Sul dissolveu o conselho de administração da Termalistur, empresa municipal responsável pela gestão das termas, mas com um elevado endividamento e uma preocupante acumulação de resultados negativos desde 2005. Segundo o presidente da autarquia, António Carlos Figueiredo, a medida foi tomada para acabar com a figura do administrador delegado e deixar a gestão do complexo entregue apenas aos eleitos, ou seja, a três vereadores.

56:

A historiografia regional está fortemente enraizada na cultura portuguesa, mas continua, infelizmente, muito pouco divulgada e escassamente compreendida no esforço feito para elencar as peculiaridades da vida secular das nossas terras. Muitos desses escritos panorâmicos requereram, de resto, anos de pesquisa, quase sempre alicerçada em documentos inéditos. De louvar, por isso, a abertura em Penela de um Centro de Estudos de História Local e Regional, único no país, onde passou a ser possível desenvolver teses de mestrado e doutoramento ligadas á história e ao desenvolvimento local e regional. Resultante de uma parceria entre a câmara e a Universidade de Coimbra, alberga dois importantes fundos bibliográficos:

o imenso e riquíssimo espólio de monografias da biblioteca particular do Professor Doutor Salvador Dias Arnaut, cedida, tal como o próprio edifício, pela família deste insigne académico, que foi catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, e algumas centenas de livros e publicações de praticamente todos os municípios portugueses. Possui igualmente um portal electrónico, instrumento fundamental no acesso à documentação pretendida, funcionando como ponto de partida para o trabalho e desenvolvimento de pesquisas e produção de conhecimento. A autarquia pretende transformar este centro numa "instituição de referência, a nível nacional, no estudo da temática histórica local".

Inscrição para estágios autárquicos na Internet O período de apresentação

de candidaturas para a quarta edição do Programa de Estágios Profissionais na Administração Local (PEPAL) vai decorrer entre 24 de janeiro e 4 de fevereiro, através do sítio da internet da Direcção-Geral das Autarquias Locais (www.portalautarquico.

pt). Apesar do programa ter sido concebido para a admissão até 2.00 estagiários, foram abertas apenas 1.330 vagas em estruturas municipais, de freguesia, de comunidades intermunicipais, de associações de municípios ou em empresas locais. Os estágios terão início até 4 de abril. Os 21 JaneirO 2011

estagiários licenciados vão receber uma bolsa correspondente a dois salários mínimos (atualmente o salário mínimo nacional é de 450 euros), ao passo que os estagiários de formação técnico-profissional recebem uma bolsa correspondente a um salário mínimo e meio.


C13


SELEÇÃO DE ESPERANÇAS

investigação cérebros

Sandro Alves corre atrás de sonho em P cientista da mealhada faz, em paris, investigação na área da neurociência Texto MARTA VARANDAS

O seu maior sonho é ver chegar o dia em que algum dos trabalhos por si realizados seja transposto para um ensaio clínico, de modo a poder oferecer uma maior qualidade de vida aos portadores das doenças que estuda. Aos 31 anos, Sandro Alves, da Mealhada, está em Paris a fazer pesquisa científica na área da neurociência, com especial atenção para a investigação da Doença de Machado-Joseph (DMJ), estando ligado a importantes descobertas relacionadas com esta patologia. A natureza aventureira sempre foi uma caraterística que fez parte do seu perfil. E em 2003 colocou-a à prova. Após concluir a licenciatura em Biologia, vertente científica, pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, começou o doutoramento - na Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra e no Centro de Neurociências e Biologia Celular de Coimbra, sob orientação de Luís Pereira de Almeida - voando até Paris, onde se encontra atualmente, enveredando pela neurociência, por considerar o cérebro "bastante complexo". A DMJ, sobre a qual se debruçou, uma do­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­en­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­ça neurodegenerativa e ainda sem tratamento, também designada por ataxia espinocerebelosa do tipo 3, "é uma patologia rara, podendo ser transmissível de forma hereditária. A sua sintomatologia clínica é caraterizada pela ataxia, uma descoordenação dos movimentos corporais, com perda do controlo dos movimentos voluntários, podendo afetar a força muscular, o equilíbrio e os movimentos básicos dos membros, estando associada a uma degeneração de áreas específicas do cérebro, nomeadamente o cerebelo", explica Sandro Alves. A pesquisa feita pelo cientista, numa primeira parte do projeto, levou ao desenvolvimento de um modelo animal da doença, que consistiu na replicação da mesma no cérebro

58:

21 JaneirO 2011


origens

e m Paris

Sandro Alves vive no centro da cidade da Mealhada, onde tem a família. Como bom mealhadense que é, não consegue resistir muito tempo sem comer um bom leitão à Bairrada. O Carnaval também tem um papel na sua vida, visto integrar uma das escolas de samba da Mea-lhada, a Sócios da Mangueira, onde era "mestre de bateria". Também pertence à Estudantina Universitária de Coimbra, tendo participado na gravação do CD comemorativo dos "25 Anos de Sonho e Tradição", no verão passado.

percurso do rato adulto, "permitindo estudar e aprofundar o conhecimento sobre a dinâmica do processo neurodegenerativo inerente à doença". Foi ainda descrita, "pela primeira vez, uma nova região afetada do cérebro - o estriado -, que poderá vir a ser utilizada para fins terapêuticos". Sandro Alves também demonstrou, na segunda e terceira partes do projeto, que através de um mecanismo designado "interferência de RNA", ao ser aplicado em ratos, sujeitos a uma cirurgia específica, dois meses depois os animais foram sacrificados e analisados, tendo-se constatado que a acumulação de proteína mutada tinha diminuído "drasticamente após o tratamento e os danos neuronais foram reduzidos, sendo os resultados promissores". Este estudo foi publicado na revista americana "Plos One", demonstrando, pela primeira vez, ser possível reduzir a expressão da cópia mutada de um gene num modelo animal, permitindo simultaneamente que a expressão do gene normal seja preservada. De momento, Sandro Alves está a fazer pós-doutoramento numa unidade de neurologia e de terapia experimental no Instituto do Cérebro e da Espinal Medula, no Hospital Pitié-Salpêtrière, no centro de Paris, onde estuda uma doença também rara, designada por ataxia espinocerebelosa do tipo 7 e transmissível de forma hereditária, igualmente fatal. O trabalho consiste em "desenvolver estratégias de terapia genética que visam diminuir a acumulação da proteína mutada, tóxica, que causa esta doença". Regresso à pátria? "Porque não? Mas para já sei que tenho de continuar a exercer a minha atividade científica no estrangeiro, porque tenho ainda muita coisa para aprender". E depois disso? "Regressar à terra mãe terá um gosto especial", conclui.

Entre 1998-2003, licenciatura em Biologia, vertente científica (17/20), na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Entre 2004-2008, grau de Doutor em Ciências e Tecnologias da Saúde, variante Biotecnologia, pela Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra, com a defesa da tese a 28 de novembro de 2008. De 2009 ao presente, pós-doutoramento no Instituto do Cérebro e da Espinal Medula, centro de investigação localizado no Hospital Pitié-Salpêtrière, em Paris.

publicações

à lupa Nome

Sandro José Paiva Fernandes Alves Data de nascimento

Prémio "Artigo de Destaque em 2008", pela Sociedade Portuguesa de Neurociências. O primeiro artigo científico de Sandro Alves, publicado na revista "Human Molecular Genetics", foi distinguido como o de maior impacto publicado em 2008, na categoria das doenças neurobiológicas. Prémio da Sociedade Portuguesa de Genética Humana, em 2008, para a segunda publicação do cientista, desta vez na revista "Plos One", que reconhece o primeiro autor do melhor trabalho português publicado na área.

3 de Fevereiro de 1979 Naturalidade

Coimbra

residência

Mealhada

Cor preferida

Azul

Para Sandro Alves, um cientista deve possuir um perfil muito persistente, deve ter espírito de sacrifício e ser, acima de tudo, honesto

livro preferido

A Moveable Feast Ernest Hemingway Filme preferido

007

:59


dinheiro

REPORTAGEM

dinheiro Região Centro é das que tem mais colecionadores

Ter um tesouro nas mãos é mais fácil do que parece Conheça três histórias sobre moedas antigas, em que os intervenientes agarraram verdadeiras fortunas e não deram por isso TEXTO BRUNO VICENTE

60:

Comprar a 1 euro, vender a 3 mil

Mobília antiga tinha ouro do Brasil

Criança brincava com relíquia

As feiras de antiguidades tor-

Paulo Almeida, de 40 anos, res-

naram-se célebres por serem espaços onde, muitas vezes, se compra gato por lebre, mas também é verdade que alguns vendedores não têm noção daquilo de que se desfazem, na ânsia de amealhar uns trocos. Ricardo Neto, de 32 anos, que o diga. O técnico de museologia, natural de Coimbra, decidiu passar pela Feira de Velharias da cidade, na Praça do Comércio, e descobriu "um achado". "Fui lá com um amigo que é colecionador e encontrámos um comerciante que estava a vender moedas antigas em grande quantidade, sem ter noção do que fazia", conta. E prosseguiu: "O meu amigo comprou duas moedas por um euro cada. Mais tarde cada uma dessas moedas foi avaliada em cerca de três mil euros". A sujidade que as cobria dificultou a identificação, mas depois de limpas, os dois colegas perceberam que tinham nas mãos uma moeda romana do século III, em ouro, e uma moeda portuguesa do século XVI, muito rara. Ou seja, um caso de "sorte grande".

taura móveis antigos, numa pequena oficina do Monte Formoso, Coimbra. O trabalhador garante que não vai esquecer o dia em que encontrou uma pequena moeda do reinado de D. João V (século XVIII), fabricada com ouro do Brasil. "Estava escondida entre a última gaveta e o fundo da cómoda, que tinha mais de 150 anos. Levei a moeda a uma ourivesaria e confirmaram-me que era ouro", explicou. Os dados levam a crer que a moeda esteve oculta durante gerações, até ser completamente esquecida. "Às vezes acontece. Tenho colegas restauradores que já encontraram fios de ouro escondidos em móveis antigos", conta Paulo Almeida. As moedas de ouro do reinado de D. João V costumam valer centenas ou milhares de euros. Por isso, o conimbricense ficou em pânico quando, há umas semanas, não encontrou o obje­to valioso, que tinha guardado no casaco. "O bolso estava roto por dentro. Entrei em pânico, peguei numa faca grande e rasguei parte do casaco. Felizmente, a moeda estava lá", concluiu.

Na década de 60 do século passado, Rui Augusto, com seis anos, brincava aos piratas no quintal da casa dos pais, na localidade de Praias do Sado, Setúbal, enterrando moedas antigas na terra e na areia. O que o setubalense não sabia é que estava a brincar com um tesouro de verdade. "Ia buscar as moedas, que estavam guardadas na gaveta de uma máquina de costura muito velha, e ia brincar com os meus amigos. Cada vez que brincava havia sempre uma que não voltava", recorda Rui Augusto, agora com 52 anos. No ano passado, o setubalense, que é operador de máquinas, descreveu as caraterísticas das moedas perdidas a um colecionador, que lhe assegurou que, algumas delas, valiam milhares de euros. "Eram moedas de séculos, formatos e materiais diferentes, lembro-me bem de algumas", afirma. A valorização das moedas antigas acontece com a conjugação favorável de uma série de fatores, como a antiguidade, a tiragem, o estado de conservação, o material de fabrico e o enquadramento histórico.

21 JaneirO 2011


Um terço das mulheres portuguesas tem peso a mais

Ginásios ignoram IVA A prática das actividades físicas e desportivas não está a ser afetada em Coimbra. A despeito da crise, frequentam-se os ginásios com a mesma regularidade, ninguém se importa de pagar mais por isso. Para quem aderiu à campanha do Ginásio “MyFit” até dia 15 de Janeiro, os preços não subiram, os utentes não foram penalizados pelo aumento do IVA e receberam desconto nas jóias de inscrição e uma oferta surpresa. No Ginásio Centro Activo de Coimbra, a rotina desportiva prossegue também sem quebras. Há quem defenda, no entanto, ser ainda cedo para notar diferenças. Nuno Figueiredo, proprietário do Ginásio Desportivo de Coimbra, asse-

ginásio desportivo de coimbra

2 x por semana – 34 – 39 euros (com aumento do IVA) 3x por semana – 38 - 44 euros (com aumento do IVA) Livre trânsito - 48 - 56 euros (com aumento do IVA)

my fit

Média é de 40 euros (ainda sem o aumento do IVA) Centro Activo 70 euros (não houve aumento)

holmes place

Média de 76,5 euros

ACM

25/30 euros por actividade (isenta de IVA)

A arte de trabalhar o corpo continua a estar na moda, mesmo com a subida da taxa do Iva de seis para 23%

gura que não conseguiu, por enquanto, avaliar a situação, mas mostra o seu desagrado com as medidas tomadas. A realidade do Holmes Place é um pouco diferente. “A medida aprovada no Orçamento de Estado 2011, obrigando as actividades desportivas e utilização de ginásios a pagar a taxa mais elevada de IVA, 23%, contra os 17% anteriores, terá certamente uma grande inf luência no sector”, frisa Sofia Sousa, directora geral das Holmes Place Portugal. Quem aderiu às propostas da Associação Cristã da Mocidade, uma organização sem fins lucrativos que se dedica à prática desportiva usufrui de actividades sem pagar o IVA.SD C33

PUB

:61


Censos 2011 exigem o recrutamento de 30 mil pessoas e um investimento superior a 40 milhões de euros. Resultados começam a ser divulgados em julho. Sindicalistas da UGT e da CGTP prometem novas greves nacionais para 2011, contra as injustiças sociais. Governo pretende arranjar solução para o caso do Sistema de Mobilidade do Mondego. Concurso para a quarta geração móvel em preparação até maio. Em fevereiro arranca o processo de substituição da televisão analógica por emissões digitais.

ECONOMIA Défice orçamental definitivo de 2010 deve ser conhecido em março. Salário mínimo nacional subiu para os 485 euros, desde 1 de janeiro. Objetivo é chegar aos 500 euros até ao final do ano. Recibo verde eletrónico passa a ser obrigatório a 1 de julho. Em 2011 é possível constituir uma empresa com apenas 1 euro (capital social).

POLÍTICA Eleições presidenciais portuguesas realizam-se a 23 de janeiro. No primeiro trimestre de 2011 vai-se aferir a credibilidade do cumprimento das metas orçamentais e as condições de governabilidade da maioria relativa socialista. Portugal regressa ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, em janeiro, para o biénio 2011-2012. CDS-PP nomeia novo líder do partido, a 12 de fevereiro.

Crianças têm de ter Cartão de Cidadão, com número fiscal, até março.

Agenda do ano é marcada pelas dificuldades económicas e financeiras, que alastraram a todos os setores da vida do país, mas Portugal não vai parar em 2011 TEXTO Bruno Vicente

A 9 de outubro assinalam-se os 750 anos do nascimento de D. Dinis, o sexto rei de Portugal, O Lavrador, aquele que estabeleceu a língua portuguesa como expressão da nacionalidade. O centenário é assinalado um ano depois da entrada em vigor do novo Acordo Ortográfico. Teatro Rivoli do Porto recebe, de 25 de fevereiro a 5 de março, o XXXI Fantasporto. A edição homenageia a obra do cineasta francês Jean Renoir e distingue o produtor português Paulo Trancoso. A Fundação Calouste Gulbenkian recebe, a partir de 21 de outubro, uma mostra dedicada à pintura europeia de 1840 a 1955. Courbet, Picasso e Van Gogh ocupam a Galeria de Exposições Temporárias.

O Velódromo Nacional de Sangalhos acolhe, em julho, os campeonatos europeus de sub-23 e de juniores em pista. A seleção portuguesa fica a saber, até outubro, se consegue ou não a qualificação para o Europeu de Futebol de 2012. Jogos de qualificação estão marcados para junho, setembro e outubro. Benfica, Porto e Sporting devem, em conjunto, 322,8 milhões de euros em empréstimos bancários e têm que pagar quase metade (156,2 milhões) antes do fim do ano.

Hospital Garcia de Orta, em Almada, vai criar, durante o ano, um banco de córneas para transplantes. O Centro Hospitalar Universitário de Coimbra, que resulta do processo de fusão dos três hospitais da cidade, enfrenta em 2011 o primeiro ano de vida e desafios de gestão que se adivinham difíceis. A aplicação do Plano Nacional de Saúde para os próximos cinco anos arranca em janeiro. A Direção Geral de Saúde coloca em vigor, no início do ano, o sistema de vigilância epidemiológica, para obter dados concretos sobre as doenças transmissíveis no país.

saúde desporto

CULTURA

62:

21 JaneirO 2011

PORTUGAL 2011

SOCIEDADE

PU


recorte pelo picotado e guarde

educação astroS Em 2011 vão existir quatro eclipses solares parciais (4 de janeiro, 1 de junho, 1 de julho e 25 de novembro) e dois eclipses lunares totais (15 de junho e 10 de dezembro). Esta combinação é rara e, segundo a NASA, só acontecerá seis vezes no século XXI.

Caso submarinos/contrapartidas: Tribunal Central de Instrução Criminal decide, a 25 de janeiro, se o caso vai ou não a julgamento.

O Encontro Internacional de Ensino do Português tem lugar em Coimbra, de 10 a 12 de fevereiro, nas instalações da Escola Superior de Educação.

Face Oculta: instrução do processo deve ficar concluída a 28 de fevereiro. A 7 de fevereiro arranca o julgamento de sete pessoas, entre as quais três médicos do Centro Hospitalar de Coimbra, pela prática de crimes de corrupção e de falsificação de documentos.

feriados & pontes 2011

Novo acordo ortográfico chega às escolas em outubro, com o início do ano letivo escolar 20112012.

justiça

Universidade de Coimbra elege, a 14 de fevereiro, o novo reitor da instituição.

Março Abril

5.ª 6.ª S D 2.ª 3.ª 4.ª 5 6 7 8 Carnaval

22 23 24 25

Sexta-feira Santa

Junho

Páscoa

10 11 12 Dia de Portugal

23 24 25 26 Corpo de Deus

Caso BPN: Recomeça o julgamento de Oliveira Costa, antigo presidente do banco, e de outros 15 arguidos. Sessões estão agendadas para janeiro, fevereiro e março.

Agosto

Outubro

13 14 15

Assunção de Nossa Senhora

1 2 3 4 5

Implantação da República

29 30 31

Dezembro

1

(Nov)

Dia de Todos os Santos

1 2 3 4 Restauração da Independência

8 9 10 11 Imaculada Conceição

C37

PUB

The Ford Standard. Começa o ano com uma proposta irrecusável: um Ford Fiesta por €12.700 com mais, muito mais equipamento de série. Mais conforto, mais tecnologia Começa o ano com uma proposta irrecusável: um e mais segurança. Não percas esta oportunidade.

The Ford Standard.

Ford Fiesta por €12.700 com mais, muito mais

Dirige-te já aMais umconforto, concessionário Ford. equipamento de série. mais tecnologia e mais segurança. Não percas esta oportunidade. Dirige-te já a um concessionário Ford.

Mais. Muito mais. De série.

Mais. Muito mais. De série.

126 126 €

PRESTAÇÃO/MÊS

ESP

PRESTAÇÃO/MÊS

FORD FIESTA 3.175 24 24 FORD FIESTA 3.175 €% € € € % 9.611 9.611 9,569,56 ENTRADA

ENTRADA

PRAZO

PRAZO

MESES

MONTANTE FINANCIADO MONTANTE FINANCIADO TAEG

12.700 12.700

MESES

TAEG

Inclui Ecoincentivo Ford*

Inclui Ecoincentivo Ford*

ESP Ar Condicionado Ar Condicionado Jantes de Liga Leve Jantes de Liga Leve Rádio CD/MP3 Rádio CD/MP3 Faróis de Nevoeiro Faróis de Nevoeiro Easy Fuel Easy Fuel

Preço válido para Fiesta 1.25 Trend 3p (Pack Estilo). Inclui Ecoincentivo Ford para veículos com 10 anos ou mais. Visual não contratual. Montante Total Imputado ao Consumidor de €11.261, VFMG €7.955 e TAN 7,25%. Campanha válida até 31/03/2011. Financiamento FCE Bank, plc. Acrescem despesas de contrato, de transporte Preço válido para Fiesta 1.25 Trend 3p (Pack Estilo). Inclui Ecoincentivo Ford para veículos com 10 anos ou mais. Visual não contratual. Montante Total Imputado e legalização. Consumo combinado de 5.6l/100km e emissões de CO2 de 129 g/km. Para mais informações, consulta o teu Concessionário Ford ou visita www.ford.pt

ao Consumidor de €11.261, VFMG €7.955 e TAN 7,25%. Campanha válida até 31/03/2011. Financiamento FCE Bank, plc. Acrescem despesas de contrato, de transporte e legalização. Consumo combinado de 5.6l/100km e emissões de CO2 de 129 g/km. Para mais informações, consulta o teu Concessionário Ford ou visita www.ford.pt

Auto Garagem de Coimbra Ponte de Eiras, 3020-324 Coimbra Tel: 239 433 804/5 comercial@autogaragem.com

Auto Garagem de Coimbra Ponte de Eiras, 3020-324 Coimbra Tel: 239 433 804/5

:63


dinheiro

VIDA ECONÓMICA

MÁRIO NICOLAU

marketeer JOSÉ CARLOS MARTINS

Comprar nacional é a solução

“O meu sonho é fazer uma revista" Lisete Oliveira nasceu na Figueira da Foz. Licenciou-se em jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social, em Lisboa. É a responsável de Comunicação e Imagem da empresa Águas do Mondego, SA

Terminado o curso, que percurso? Voltei a França, onde, durante uns meses, trabalhei no canal France 2, no programa Télématin, onde fui assistente de produção na rubrica de saúde. Voltou, então, a Portugal… Sim, regressei. Para fazer o quê? Exercer a minha profissão, a de jornalista. Onde? Inicialmente, no PortugalDiário (portal do IOL), depois, na revista de Hotelaria e Restauração, INTERmagazine, de que fui chefe de redacção.

64:

Um sonho? Abrir a minha revista… O que não suporta? Aquelas mensagens que me enviam e pedem para reencaminhar para não ser uma eterna infeliz... Irritam-me! Um vício que não pensa deixar? O café. E que marca não dispensa? Calvin Klein. Que música lhe dá vontade de cantar em voz alta? "Alive", de Pearl Jam.

De onde saiu em 2007... Para ir trabalhar para o Grupo Águas de Portugal, no Departamento de Marketing e Comunicação.

Com quem não jantava? Com Julio Iglesias.

E quando veio para Coimbra? Em Março de 2008, para assumir a função de responsável de Comunicação e Imagem da Águas do Mondego.

Último livro lido, cd ouvido, filme visto? Livro: História da vaca velha, Teoria da vaca nova (de Laura Zigman); CD: Rui Veloso (Acústico); Filme: O Turista.

Como gastou o primeiro ordenado? A renovar o meu guarda-roupa.

Lema de vida? Carpe Diem.

O presidente do conselho de administração da Matobra, José Carlos Martins, lança o alerta no editorial da revista da empresa: "é necessária uma nova atitude nos nossos hábitos de consumo. Seja numa ida ao supermercado, na escolha de uma peça de roupa ou em qualquer outra aquisição, comprar português (ou produzido em Portugal) deve ser sempre um critério", escreve. As 56 páginas da edição 22 da De coração incluem, ainda, entrevistas com Jorge Cravo, António Pereira da Silva e Vítor Almeida, além de secções com sugestões variadas.

REFLORESTAÇÃO

Oryzon Energias em campanha nacional A EMPRESA Oryzon Energias, do Grupo Catarino, juntamente com outros parceiros, promove uma campanha de reflorestação, a nível nacional, que visa o repovoamento da floresta com espécies lusas. Na compra de duas árvores (dois euros cada) ou conjunto de cinco saquetas de sementes de árvores Floresta Lusa (um euro cada), a empresa compromete-se a plantar uma árvore. Na compra de lotes (de floresta ou de biodiversidade), a empresa assume a gestão de um lote semelhante. O processo fica à vista em www.oryzonenergias.com.

21 JaneirO 2011


publireportagem

PRODUTOS

Profissionalismo explica sucesso no setor O principal objetivo da Ricópia é o aluguer e comércio de sistemas de Impressão e simultaneamente a prestação de serviços. Fidelizada à RICOH, Develop, Rex Rotary e Samsung, a Ricópia conjuga os conhecimentos das prestigiadas marcas que representa e aplica-os nas soluções de outsourcing de impressão para multifunções, impressoras, fotocopiadoras, gestão documental, scanners profissionais, equipamentos de grandes formatos, faxes e software de monitorização com controlo de custos de impressão. O profissionalismo e a experiência dos colaboradores explicam o sucesso da empresa.

Fundada pelo sócio principal, António Cra-

veiro, a Ricópia, com instalações na Rua Padre António Vieira, em Coimbra, promove soluções "mais" digitais. "O renting, em regime de tudo incluído, assegura economia e está presente na maioria dos nossos negócios", explica António Craveiro. O outsourcing de impressão, acrescenta o empresário, "continua a aumentar", pois a maioria dos clientes opta pelo “conceito chave na mão”, colocando "quase de parte" a compra de equipamentos. A Ricópia, recorde-se, está ligada há 24 anos ao Grupo Ricoh e, agora, reforçou a oferta nesta área com as novas parcerias com a Develop e Samsung. "O outsourcing de impressão da Ricópia é o nosso principal serviço. É proposto a todos os clientes numa solução que contemple quer um equipamento , quer vários equipamentos. De acordo com a necessidade das empresas, e

Assistência A assistência técnica da Ricópia é assegurada pela associada Aficicópia. Carlos Vieira e António Craveiro compõe a sociedade. Com cinco técnicos residentes, a empresa possui três técnicos freelancer em pontos estratégicos do país, já que neste momento assegura assistência a nível nacional. A formação contínua, profissionalismo e dedicação integram a estratégia da Aficicópia, que possui um serviço help desk de enorme eficácia. A segurança e a tranquilidade dos clientes está garantida.

tendo em conta o parque de máquinas envolvido, colocamos ao serviço dos nossos clientes técnicos residentes, o que melhora a eficácia", sublin ha António Craveiro. Na Ricópia, as vantagens da contratação do parque de impressão são claras: eliminam o custo dos equipamentos do imobilizado, reduzem os custos de impressão e o fornecimento de serviços especializados, que contemplam informática e redes. "A nossa oferta está baseada no portfólio de produtos das marcas Ricoh, Rex Rotary, Develop e Samsung, o que nos permite, garantir ao cliente a melhor escolha", sublinha. Em plotters, a Ricópia propõe equipamentos de grandes formatos laser a preto, com possibilidade de efetuar fotocópias, impressão e digitalização. A oferta destes equipamentos é também comercializada em regime de tudo incluído , ou seja através de outsourcing de impressão.

SOLUÇÕES

Consultoria proporciona avaliação personalizada COM mais de 2000 clientes, a Ricópia obteve boa parte (95%) a partir de 2005, altura em que os clientes adquiriram equipamentos e serviços em regime de tudo incluído. A Ricópia concretizou vários negócios em regime de outsourcing de impressão. O serviço de consultoria Ricópia proporciona uma avaliação personalizada sobre optimização do parque de equipamentos (sem compromisso de compra) totalmente gratuito para os clientes.

:65


Empresário de sucesso PEDRO RAMOS

dinheiro

Coimbra tem tudo para ser uma grande cidade Manuel Baptista prepara restaurante de leitão e novo conceito de gelataria

Manuel Baptista convive com uma cidade marcada pelo bom gosto e que possui um extraordinário património Nasceu em Braga e escolheu Coimbra para

estudar. A vida trocou-lhe as voltas e dedicou-se à restauração. Comprou o restaurante Itália e, nos últimos 14 anos, mudou o panorama da restauração da cidade do Mondego. Passou pela Alemanha e, recorda, o projecto Giuseppe & Joaquim começou junto à Makro, com um restaurante "pequenino", de nome Joaquim. Comprou um prédio na Rua das Azeiteiras, no coração da Baixa, e ampliou o negócio, dando forma ao atual Giuseppe & Joaquim. Foi o único que acreditou no êxito do restaurante, afirma, e garante que a cidade "excecional", que o apaixona desde os tempos de estudante, "tem tudo" para brilhar. Manuel Baptista desceu do Minho a Coimbra para "viver e casar" e considera que está na melhor cidade para o filho estudar. "É a cidade em que estou a fazer coisas que não faço na cidade em que nasci. São investimentos de grande dimensão. Faço-o porque é aqui que me sinto bem", assegura. Tranquilidade e amizade são uma combinação perfeita para o empresário que convive com uma cidade "marcada pelo bom gosto" e em que habitam pessoas que "muitas vezes não têm onde ir". Hoje em dia ninguém vai ao restaurante "só para comer". Fatores co-

66:

Renovação do Restaurante Itália avança em 2012

Escolheu Coimbra para estudar, mas o falecimento prematuro do pai obrigou-o a suspender o curso de engenharia. Dedicou-se à restauração. E construiu um pequeno império

mo o lazer e a conversa são essenciais. "Não é só vender comida", afirma. O Still Is é um exemplo da "filosofia" de Manuel Baptista: "funciona até mais tarde sem um porteiro e a porta está aberta a toda a gente, independentemente de consumir cinco ou 50 euros". O empresário, que "nunca abriria" um restaurante numa zona residencial, pois "gosta" que as pessoas "passeiem um bocadinho", elogia a renovação do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha e o projeto de recuperação do Convento de S. Francisco. "Há pessoas que antes da existência do Giuseppe & Joaquim não vinham à Baixa há um ou dois anos", sublinha. O projeto para a Discoteca Scotch, um restaurante dedicado ao leitão (com fornos próprios), e a gelataria, na ex-Hilda, na Portagem, são as ideias mais recentes do empresário. Se tudo correr pelo melhor, o conceito da gelataria será reproduzido em duas novas unidades em Celas e na Solum. O projecto de renovação "total" do restaurante Itália está aprovado e arranca em 2012. "Cultura, educação e saúde são marcas que Coimbra deve preservar", afirma Manuel Baptista, que atribui ao património um "valor decisivo" na construção de uma estratégia de competitividade para a cidade. "É a história e o património que tornam Coimbra tão especial", conclui. MN 21 JaneirO 2011


C15


VAI SER

cultura

Couple Coffee & Band

CULTURA

agenda da semana sex.21 Concerto Legendary Tigerman - Coliseu do Porto - 21H30

Salão Brazil. 29 de janeiro. 23H00. Bilhetes: 8€ A banda formada por Luanda Cozetti e Norton Daiello, brasileiros residentes em Portugal, está de regresso a Coimbra.

Bela Adormecida Teatro Viriato. 29 janeiro 21H30 Bilhetes: 5 a 10€ Versão contemporânea de um clássico que aborda a passagem do tempo, o renascimento e as segundas oportunidades.

Balla FNAC Coimbra. 29 de janeiro. 22H00. Gratuito. Armando Teixeira regressa com o projeto Balla, um dos seus mais aclamados alter egos. "Equilíbrio" é o título do quarto álbum.

Exibição do filme "Fugiu Peter Pan", de Luís Albuquerque - CAE/Figueira da Foz - 21H30

JP Simões

sab.22

ACERT. 22 de janeiro. 21H45. 7,5€

Common Fluid ao vivo - Fnac Coimbra - 17H00

seg. 24

Palco aberto a novos talentos artísticos (já sujeitos a seleção) - Centro Cultural D. Dinis- 21H30

ter.25 Atuação do Grupo Dançando com a Diferença - TAGV/Coimbra - 21H30 Concerto dos Lufa-Lufa - Oficina Municipal do Teatro/ Coimbra - 22H00

O músico de Coimbra apresenta, em Tondela, o seu novo trabalho, "Onde mora o mundo".

Encalhadas Teatro José Lúcio da Silva 3 de fevereiro. 21H30. Bilhetes: 15€ Uma comédia musical que satiriza as angústias e prazeres de mulheres de diferentes classes sociais.

Rodrigo Leão Teatro Aveirense. 22 de janeiro. 15€ O compositor promete um espetáculo baseado num repertório mais intimista, onde metade dos temas são novos.

Os 39 degraus TAGV. 21, 22 e 23 de janeiro. Bilhetes: 15€ a 22€

sex. 26 Choral Poliphónico Coimbra -Centro Cultural D. Dinis 21H30

Comédia a alta velocidade, adaptada do clássico de Hitchcock. Um gentleman inglês é procurado por um crime que não cometeu e vê-se enredado numa teia de espiões. Com Inês Castel-Branco, Joaquim Horta, João Didelet e Rui Melo.

sex.28 "A cabeça do Baptista" + "Último acto", pela Companhia de Teatro de Braga - Teatro da Cerca de S. Bernardo - 21H30

68:

21 JaneirO 2011


C16


cultura

confidências

"Não dispenso o diálogo olhos nos olhos"

Ana alcoforado Diretora do Museu Nacional de Machado de Castro

NOTÍCIAS livros de antónio arnaut

Contos e reflexões na Casa da Cultura A CA SA MUNICIPAL DA CULTUR A de Coimbra acolhe, a 29 de janeiro, o lançamento de dois livros da autoria de António Arnaut. A cerimónia, marcada para as 15H30, vai dar a conhecer aos conimbricenses as obras "Contos Escolhidos" e "Rosto e Memória – Exercício de Cidadania". "No primeiro caso, trata-se de uma antologia de contos. O segundo livro é uma coletânea de intervenções políticas, cívicas, culturais e maçónicas, feitas ao

Que livros está a ler? "As velas ardem até ao fim", de Sándor Márai. Mas tenho perto Gabriel Garcia Marques e Marguerite Yourcenar. Vai com que frequência ao cinema? Cada vez menos. Porque o tempo é curto e porque as edições em DVD são cada vez mais rápidas…

longo de 25 anos", explicou António Arnaut à C. As obras vão ser apresentadas por dois professores universitários, Amadeu Carvalho Homem e Carlos Reis. António Arnaut tem uma carreira multifacetada. Do ponto de vista cultural é autor de obras em áreas tão distintas como, por exemplo, a ficção, os ensaios e as antologias. O advogado ocupou o cargo de ministro dos Assuntos Sociais, em 1978, sendo considerado o "pai" do Serviço Nacional de Saúde. O trabalho social ganhou também forma através da Maçonaria Portuguesa. Em 2002, foi eleito grão-mestre do Grande Oriente Lusitano. BV

PU

"Rosto e Memória - Exercício de Cidadania" e "Contos Escolhidos" são apresentados a 29 de janeiro

E ao teatro? Acompanho a produção que é feita na cidade, pelas companhias profissionais, mas sobretudo por um crescente número de grupos amadores. Que preferências musicais tem? Desde o jazz à pop-rock, canções de autor, como a música latino-americana (Mercedes Sosa, Sílvio Rodrigues), brasileira (Chico Buarque, Caetano Veloso) e, entre nós, Zeca Afonso. E nas artes plásticas? Destaco a minha paixão pela arte africana e pela obra de Malangatana e dos portugueses Almada Negreiros, Amadeu Sousa-Cardoso e Vieira da Silva. Participa nas redes sociais? Apenas como instrumento de informação. Não gosto de "chats" e não dispenso o diálogo olhos nos olhos.

70:

"bombeiros culturais"

Teatro-Cine de Pombal

Associação d'Orfeu reforça programa cultural em 2011

Exposição reúne trabalho de 25 fotógrafos

A d´orfeu Associação Cultural vai soli-

A GALERIA DE EXPOSIÇÕES do Teatro-

dificar, em 2011, o trabalho desenvolvido em 15 anos de vida, sem abdicar de percorrer novos caminhos. A abrangência regional, a aposta editorial e a renovação formativa-criativa são apostas fortes. A equipa, que se define como "bombeiros culturais", já agendou os principais eventos: Festival i (20 a 22 maio), Festim (3 junho a 23 julho), OuTonalidades (23 setembro a 17 dezembro) e festival "O Gesto Orelhudo" (4 a 8 Outubro).

-Cine de Pombal recebe, até 6 de março, a exposição de fotografia "Sensibilidades 25", coordenada por José Luís Jorge. A mostra, organizada pelo Centro de Património da Estremadura (CEPAE), reúne trabalhos fotográficos inéditos de 25 fotógrafos do distrito de Leiria. O objetivo central é divulgar o panorama da fotografia na região, revelando simultaneamente as diferentes estéticas e tendências artísticas. 21 JaneirO 2011


"Final de Rascunho" é novo cd de Sérgio Godinho TAGV

Espetáculo dia 25

Marina e Carlos Cunha em comédia teatral

Joanna Newsom no Teatro Aveirense

O teatro académico de Gil

Vicente , em Coimbra, recebe a 29 e 30 de janeiro, respetivamente às 21h30 e 16h30, "3 em lua de mel", uma comédia teatral para maiores de 12 anos. A peça tem Marina Mota e Carlos Cunha como protagonistas.

O enredo conta a história de uma mulher que, ao ficar supostamente viúva, decide casar com um homem, em Marrocos. Eis que o primeiro marido, que ela julgava morto, decide reaparecer na noite de núpcias. Bilhetes à venda a partir de 15 euros.

A harpista, pianista, cantora

e compositora norte-americana Joanna Newsom tem espetáculo marcado para a sala principal do Teatro Aveirense, a 25 de Janeiro, às 22H00. Os bilhetes têm o preço único de 30 euros. A artista assumiu um projeto único, que tem esgotado concertos por todo o mundo. A mistura de música encantatória e textos muito trabalhados são a imagem de marca. Joanna Newsom, que já vendeu mais de dois milhões de álbuns, está regularmente nas listas de melhores do ano das principais publicações internacionais de música. A cantora apresenta em Portugal o álbum "Have one on me", depois dos sucessos "Milk-eyed mender" e "Ys".

C38

PUB

:71


Exposição DR

cultura

Tributo ao espumante na maior tela portuguesa Museu do Vinho Bairrada, em Anadia, recebe exposição de pintura e de escultura no dia 29 Pequena parte da tela e instalação de Mário Vitória, que ultrapassa os 30 m2 e que estará em destaque na mostra O Museu do Vinho Bairrada , em Anadia,

vai receber duas exposições temporárias, no dia 29 de janeiro, a partir das 15H30. O pintor Mário Vitória vai apresentar um tributo ao espumante, com a apresentação de uma tela e instalação, com dimensões que ultrapassam os 30 metros quadrados. Paulo Neves vai expor uma mostra de escultura, onde constam algumas peças nunca antes vistas. Para Pedro Dias, diretor do Museu do Vinho Bairrada, "é uma honra para Anadia poder apresentar neste espaço museológico tão valorosa obra artística", referindo-se a Paulo Neves, considerado um dos nomes maiores da escultura contemporânea portuguesa. O Museu do Vinho contará também com uma exposição inédita de pintura de Mário Vitória, com o tema "Erguendo o Sangue da Terra", projeto concebido de raiz, conforme garantiu Pedro Dias e que inclui a maior tela com instalação num tributo ao espumante. A tela mede mais de 30 m2, é a "maior tela portuguesa e porventura do mundo dedicada ao espumante" e surge no seguimento de uma outra, "Wine Jam", com 7,20 metros, dedicada ao vinho e realizada por sete artistas em 2009. Neste caso, "o desafio foi mais ousado", explicou Pedro Dias, referindo que

72:

a tela de Mário Vitória "vai ficar num local de elevado destaque", mas sem revelar onde. Paulo Neves, na sua exposição, "regista um natural diálogo entre as obras apresentadas, numa continuidade discursiva que deriva quer das próprias origens da matéria (árvores), quer da própria dimensão e afetuosidade intrínseca do artista", afirmou Pedro Dias. A organização é da responsabilidade do museu, em parceria com a Câmara Municipal de Anadia e quatro produtores-engarrafadores da Bairrada. As duas mostras ficam patentes no Museu do Vinho Bairrada até 31 de Maio de 2011.

CONTOS DE HELENA OSÓRIO Em simultâneo com a inauguração das duas exposições, a escritora Helena Osório vai apresentar no Museu do Vinho Bairrada o seu mais recente livro de contos infantis, "Viagens de José pelo Mundo dos Sonhos ", com ilustrações de artistas plásticos como Paulo Neves e José de Guimarães. O novo título de Helena Osório conta cinco histórias sobre um menino do Norte de Portugal, que dá a volta ao mundo através da descoberta da mitologia dos povos e dos cinco continentes. O lançamento vai ser seguido de sessão de autógrafos pela autora, também crítica de arte. MV

2 artistas Mário Vitória é pintor e nasceu em Coimbra, em 1983. Vive e trabalha no Porto, onde estudou Paulo Neves nasceu em Cucujães, Oliveira de Azeméis, em 1959. Frequentou um curso de pintura mas é escultor

ficha Museu do Vinho Bairrada Morada: Anadia Horário: De terça a sexta-feira das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 18H00. Sábado e domingo das 11H00 às 19H00 Destaque: Exposição permanente da maior coleção nacional de saca-rolhas

21 JaneirO 2011


C17

CJR MOTORS - R. Padre Estevão cabral, n.º 88 - 3000-316 coimbra (frente à Segurança Social) N 40º 12. 912' W008º 26. 1905º


MODALIDADES JUDO desporto

aniversário

Judo da Académica: 50 anos a formar campeões

A Secção de Judo da Associação Académica de Coimbra comemora 50 anos de existência. Ter um atleta nos Jogos Olímpicos de 2012 é o grande sonho Texto Vasco Garcia juu dou significa, em japonês, "caminho suave". Mas quem pratica este desporto sabe que suave não quer , necessariamente, dizer fácil. Pelo contrário. O caminho que a Secção de Judo que a Associação Académica de Coimbra (AAC) tem percorrido nas últimas cinco décadas é prova disso. E o ano passado o exemplo maior. 2010 deveria, de fato, ser recordado como um ano de sucessos. A aposta na alta competição está a dar frutos e a Briosa foi o clube mais medalhado nos campeonatos nacionais de seniores e juniores masculinos. Sagrou-se ainda vice-campeã nacional de seniores femininos, campeã nacional universitária e participou nas mais importantes provas internacionais. Só que a vida é maior que o desporto e, subitamente, o ano que deveria ser de glória ficou marcado pela dor. A morte de Tiago Alves, com apenas 18 anos, ficará para sempre na memória coletiva da secção, assim como o campeão nacional estará sempre no coração dos seus companheiros e treinadores. "Era um atleta de referência. Um exemplo de vida e de dedicação à AAC", lembra o presidente

74:

da secção, Rui Fonseca. Depois do choque, a "família" academista recompôs-se e concentrou-se naquilo que melhor sabe fazer: combater. As metas são ambiciosas. Em 2011, o judo comemora 50 anos de existência na Académica e toda a gente quer continuar a honrar os pergaminhos da instituição. Ou seja, "lutar pelos lugares cimeiros". O lugar mais alto a que a AAC ambiciona é

Em Portugal, a progressão do judoca faz-se desde o cinturão branco, amarelo, laranja, verde, azul, castanho, até ao preto

ter um judoca nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. Se tudo correr como previsto, João Neto será o primeiro atleta do clube dos estudantes a participar no maior evento desportivo do mundo. Aprender e ensinar O judoca faz também parte – como treinador – do Coimbra Elite Judo, um Centro de Alto Rendimento promovido pela Câmara de Coimbra, onde estão seis atletas que poderão vir a integrar a comitiva lusa nas Olimpíadas de 2016, no Brasil. Mas isso será só daqui a uma mão cheia de anos. Para já, 2011 será um ano de festa. O realce vai para o Torneio Internacional da Queima das Fitas, "o mais forte torneio de equipas realizado em Portugal"; e para o 22.º Estágio Internacional da Académica, "o maior evento do género no país e um dos maiores a nível europeu". As comemorações dos 50 anos do Judo na AAC incluem ainda uma gala comemorativa, em outubro, e exposições com os elementos que fazem a história da secção, atualmente com cerca de 200 praticantes, de todas as idades. 21 JaneirO 2011


C12


Pontos de vista

paulo novais / Lusa

desporto

o meu jogo André Oliveira * Académica-Benfica Em primeiro lugar, destacar que a

Académica tem vindo a ultrapassar o momento negativo que viveu nos últimos dois jogos do ano passado, com duas derrotas pesadas. Contra o Benfica, fez um bom jogo, mas é impossível ganhar quando se sofre um golo irregular e uma expulsão duvidosa. Para além das diferenças entre as duas equipas – que são de campeonatos diferentes – também não houve equilíbrio na arbitragem. Ainda assim, a Briosa deixou uma boa imagem e acabou o jogo a encostar o Benfica à sua baliza. Não fossem os erros da arbitragem e tenho a certeza que o resultado seria outro. Este foi o terceiro jogo de José Guilherme, que soma um empate, uma vitória e uma derrota. É evidente que está em fase de adaptação, mas acredito que poderá levantar a equipa deste momento negativo. Gostei ainda, muito, do cruzamento entre o futebol e a política. Foi uma Académica solidária com a cidade e os cidadãos, defendendo um projeto estratégico para a cidade e para a região: o Metro Mondego. * Deputado municipal e antigo presidente da DG-AAC

cromo da semana

Leal dos Santos 76:

à partida para o rali que agora se realiza na América do Sul, mas que mantém o nome de Dakar, o piloto de Coimbra afirmava que queria terminar a prova no top-10. O objetivo foi cumprido. E com distinção. Ricardo Leal dos Santos levou o seu BMW X3 CC de regresso ao ponto de partida, tendo chegado a Buenos Aires na sétima posição na classificação geral, demonstrando enorme consistência. E ainda teve disponibilidade – e engenho – para auxiliar os seus companheiros de equipa, sempre que estiveram em apuros. A estreia na Monster Energy X-Raid não poderia ter corrido melhor. A prestação portuguesa fica ainda marcada pelo brilhante terceiro lugar de Hélder Rodrigues nas motas. VG

1985

Estreia em Karting. Na altura, o mais jovem piloto federado

2000

Primeiro português a participar no Dakar, em Quad

2003

Vencedor da Taça do Mundo de Quad

2011

Termina o Dakar em 7.º, a melhor classificação de sempre

21 JaneirO 2011


C19


Dár

O n.º 1 é o primeiro

7

Pedro Roma

melhores

1

jogadores da AAC/OAF dos últimOS 10 anos

júri da semana

78:

Luís Santarino Fernandes Professor

João Santana Co-autor do livro “Académica-História do Futebol”

Ricardo Martins Realizador do documentário “Futebol de Causas”

JOÃO CAMPOS Adj. Presidência da Câmara Municipal de Coimbra

André Oliveira Ex-presidente da AAC

Braga da Cruz Presidente do Clube da Comunicação Social de Coimbra

Abeltino Pinto Co-Vencedor da Caderneta de Cromos da Académica

Pedro Roma Dário Lucas Nuno Piloto José Castro Paulo Adriano Joeano

Pedro Roma Dário José António Hugo Leal Dame N'Doye Lucas Nuno Piloto

Pedro Roma Nuno Piloto Zé Castro Xano Filipe Teixeira Dame N'Doye Markus Berger

Miguel Rocha Dario Pedro Roma Tonel Tó Sá Nuno Piloto Zé Castro

Zé Castro Dário Pedro Roma Rocha Roberto Brum Joeano Filipe Teixeira

Pedro Roma JoãoTomás Nuno Piloto Paulo Adriano Joeano Dário Roberto Brum

Pedro Roma Dário Rocha Tonel Filipe Teixeira Sougou Hélder Barbosa

21 JaneirO 2011

PU


Dário

2

3

Nuno Piloto

Rocha

A C vai eleger os (as) sete melhores em várias áreas. Começamos com a AAC/OAF e a escolha dos sete melhores jogadores dos últimos 10 anos. O júri constituído por Luís Santarino, João

4

Zé Castro

5

Tonel

Santana, Ricardo Martins, João Campos, André Oliveira, Braga da Cruz e Abeltino Pinto, entregou o 1.º lugar a Pedro Roma. Vestiu a camisola negra da Briosa durante 17 anos. Foi o guarda-redes mais utilizado

6

7

João Tomás

de sempre e referência incontornável da Académica. Dário, Nuno Piloto, Rocha, Zé Castro, Tonel e João Tomás recebem uma menção honrosa na votação do júri desta semana.

C40

PUB

Pavimentos e Revestimentos Cerâmicos Zona Industrial de Condeixa . 3150-194 Condeixa-a-Nova Tel.: 239 949 800 . Fax: 239 949 809 // 239 942 259 . email: domino@mail.telepac.pt www.domino.pt :79


tendências

VIVER

Lingerie Não interessa qual a estação do ano. A lingerie é e será sempre uma peça importante para a mulher, principalmente porque a deixa mais sensual e sedutora. Cada uma possui os seus atributos, porém nada como uma boa peça de lingerie para fazer a diferença. Aqui ficam algumas dicas da ExpoFileno’s 2011. fotos: Pedro Ramos

80:

21 JaneirO 2011


C20


viver

Cada modelo pode dizer muito de uma pessoa, de sua personalidade, se ela é delicada, extravagante, tímida, sexy, provocante. O importante é sentir-se bem e elevar a auto-estima.

Agradecimentos: Filenos; Quinta de São Pedro e Aragon Lingerie

82:

21 JaneirO 2011


C21


viver

Topo de Gama

Nissan Micra Mais citadino e consensual

NOVO bloco de três cilindros e 1.2 litros oferece 80 cv e um binário de 110 nm, com média de consumo, segundo a marca, de cinco litros aos 100 quilómetros. COMPLETAMENTE diferente do anterior, o no-

vo Micra exibe design arrojado e proporciona mais espaço habitável. Com mais dois centímetros na distância entre eixos, o avanço dos pedais e a configuração da secção traseira, o novo Micra reforça o caráter urbano. O design foi adaptado ao gosto do freguês europeu e acalma "a veia" criativa da marca - o Juke é um excelente exemplo... O diâmetro de viragem é dos mais curtos da classe: apenas nove metros entre passeios e o conjunto motor-caixa de velocidades foi pensado "à medida" do desafio urbano: o novo bloco de três cilindros e 1,2 litros de capacidade oferece 80 cv e um binário de 110 Nm. económico e bem equipado A versão turbo com injeção direta e start-stop automático é mais entusiasmante, pois debita

ficha técnica Modelo: Nissan Micra Motor: 1.2 litros Potência (cv): 80 Binário (Nm): 110 Consumo: 5 / 100 km Concessionário Ferreira Morais & Morais Rua Adriano Lucas - Monte de S. Miguel - 3020-430 COIMBRA

99 cv e um binário de 142 Nm. Os quatro litros aos 100 e a taxa de emissões de CO2 de apenas 95 gramas por quilómetro são outras mais-valias.O preço competitivo e o equipamento são argumentos a ter em conta na hora de decidir: a gama nacional inclui de série, em todos os níveis (Visia, Acenta e Tekna), o controlo eletrónico de estabilidade (ESP) e sete airbags, incluindo um de joelhos para o condutor. O novo Micra é espaçoso, bem insonorizado e possui um motor com desempenho equilibrado e suave. A solidez de construção não passa despercebida e a instrumentação inclui um pequeno computador de bordo. A consola central é outra das referências no interior do novo Micra e integra o módulo redondo com os comandos da ventilação e climatização. O porta luvas duplo e a possibilidade de guardar objetos debaixo do assento do acompanhante são muito úteis. MN

Volvo V6o na Auto Sueco Coimbra O design “pista de corrida” da

nova Volvo V60 promete convencer os indecisos. A tecnologia ajuda à causa: sistema de detecção de peões, capaz de detectar a presença de uma pessoa à frente do automóvel e de travar automaticamente se o condutor não reagir a tempo. Na fase de lançamento estão garantidas duas variantes diesel - D3 equipado com um diesel de 2 litros com 163 cavalos, e o D5, animado pelo 2.4 de 205 cavalos, além do novíssimo 1.6 GTDi de injecção directa com 180cv, a gasolina. A Volvo, como se prova, faz bem...

84:

21 JaneirO 2011


Ford Focus à vista no Salão de Detroit Com clara inspiração no mais re-

cente Fiesta, a nova geração Focus contará com novos motores EcoBoost de qua­t ro cilindros, turbocomprimidos, com injeção direta, incluindo um 1.6 com 180 cavalos, bem como, os diesel Duratorq TDCi, todos eles com reduções de consumos na ordem dos 10 a 20%.

Peugeot iON 100% e 100% elétrico

Litocar BI no mercado A empresa concessionária da

marca Nissan do Grupo Litocar tem uma nova denominação social. A Auto Jardim Automóveis, SA sofreu um profundo processo de reestruturação, que culmina agora com a alteração do nome para Litocar BI – Comércio Automóvel, SA. Está reforçada a qualidade do relacionamento com os clientes e a contínua melhoria dos serviços prestados. A empresa irá abrir novas instalações na cidade da Guarda no decorrer do primeiro semestre de 2011.

O primeiro automóvel 100% elétrico de nova geração da Peugeot é comercializado para empresas, instituições, clientes profissionais e particulares. O iOn, 100% elétrico, urbano, manejável, silencioso, seguro, ligado, confortável, permite viver a cidade de forma diferente. Conduzir o iOn é, segundo a marca, experimentar novas sensações e permite acelerações eficazes e lineares.

Nova Opel Astra Sports Tourer

Todas as qualidades para vencer:

excelente visual, corpo atlético e performance impressionante. Com inovações tecnológicas de última geração e a premiada linguagem de design da Opel, a Astra Sports Tourer tem preços a partir de 21.300,00 euros.

:85


Topo de Gama

viver

Hyundai Veloster sem compromissos

“O Dakar é o desafio supremo de resistência . Desta vez ganhei eu!”

Motor a gasolina 1.6 GDI acompanha nova caixa de seis velocidades de dupla embraiagem

Comentário de Hélder Rodrigues (Yamaha) após o feito histórico de tornar-se no primeiro português a subir ao pódio no Dakar.

Hélder Rodrigues Motard Com estreia mundial no Salão Internacional do Automóvel de Detroit, o Veloster de produção em série representa o novo pensamento da Hyundai em 2011. Equipado com o novo e eficiente motor de quatro cilindros a gasolina GDI com 1.6 litros, é um coupé sem compromissos, oferecendo diversão na condução, combinada com reduzidos consumos e baixas emissões de CO2. O Veloster apresenta várias pistas para o futuro, pelo que a Hyundai está, sem dúvida, no bom caminho em todos os capítulos... PUB

ADIP

Associação de Desenvolvimento Integrado de Poiares 15 anos a pensar em si

MISSÃO Proporcionar aos nossos utentes/clientes um acolhimento personalizado de qualidade, que lhes permita o acesso à educação, à formação e ao bem-estar pessoal e social, essenciais numa sociedade humanista e solidária.

Vectores Acção Social Formação Profissional Artes e Ofícios Tradicionais Economia e Desenvolvimento Desporto, Cultura e Tempos Livres Divulgação, Publicidade e Marketing

Formações Modulares Certificadas Hotelaria e Restauração; Segurança e Higiene no Trabalho; Comércio; Enquadramento na Organização / Empresa; Contabilidade e Fiscalidade; Gestão e Administração; Ciências Informáticas; Serviço de Apoio a Crianças e Jovens. CNO – Centro Novas Oportunidades da ADIP Equivalência escolar de nível Básico e Nível Secundário e equivalência profissional na saída profissional de Acompanhante de Crianças (nível II) e Técnico de Acção Educativa (nível III)

Contactos e inscrições: ADIP- Associação de Desenvolvimento Integrado de Poiares 86: Zona Industrial de S.Miguel - 3350 Vila Nova de Poiares Telef.239 429000/390 Fax: 239429009/399 mail: adip.geral@mail.telepac.pt Web Pag: www.adipoiares.org

Entidade acreditada 21 JaneirO 2011 C41

1996 - 2011


C22


viver

disto & daquilo Queijo da Serra só certificado

À MESA

ALIMENTAÇÃO

Hábitos medievais Um códice escrito, há mais de 400 anos, pela infanta D. Maria de Portugal, revela que mantemos praticamente inalterados os hábitos alimentares da Idade Média

Estamos em plena época de fabrico do magnífico - até "inultrapassável", pelo menos para alguns dos seus mais ferrenhos apreciadores - queijo Serra da Estrela. Anos atrás, não havia uma clara diferenciação entre os diversos produtores, mas, atualmente, apenas os queijos certificados podem usar, nos rótulos, a esta marca registada. Já sabe, então – sempre que lhe apeteça comprar queijo Serra da Estrela, certifique-se de que este tem selo de garantia e o respetivo "rótulo". Caso contrário, poderá estar a adquirir gato por lebre.

Vinho produzido há seis milénios Uma unidade de produção de vinho com 6.100 anos, a mais antiga de que há memória, foi descoberta numa gruta na Arménia. Antes desta descoberta, os vestígios de equipamento de produção vinícola datavam de há 5.000 anos.

Mais azeite para exportação A qualidade do azeite português está a ser cada vez mais valorizada no mercado internacional. A produção, que nos últimos 20 anos passou de 26 para 68 mil toneladas, deverá ultrapassar as 120 mil até à colheita de 2013.

88:

A leitura do Livro de Cozinha da infanta D. Maria de Portugal (1538-1577), à guarda, juntamente com seis outros manuscritos quinhentistas portugueses, da Biblioteca Nacional Vitorio Emanuele III, de Nápoles, e de que a Universidade de Coimbra mandou editar, em 1967, uma cópia, comprova que, a despeito da proliferação do fast-food, continuamos, de um modo geral, a alimentar-nos, ainda hoje, praticamente, como em tempos medievais. O pão já entrava, então, normalmente, nos repastos e recorria-se simultaneamente à carne, não só fresca como conserva-

da em sal. Recorria-se também frequentemente ao peixe, quer fresco ou seco, conservado no sal, mesmo fumado. Comiam-se igualmente mariscos e o vinho era também muito consumido. Dizia-se que dava força, alegria e não transmitia doenças. D. João II, por exemplo, tomava-o como remédio. À própria rainha D. Isabel mandaram que, estando doente, num dia 14 de Agosto, véspera, portanto, da Assunção, dia de jejum, bebesse vinho. "E ela não querendo, duas vezes se lhe fez de água vinho, no púcaro em que lho davam". Comia-se muita fruta, fresca ou

seca, sendo de destacar as castanhas, que desempenharam em grande parte o papel que viriam a ter as batatas na Idade Moderna. Leite, manteiga, queijo, ovos, legumes, hortaliças, azeite, vinagre, mel e açúcar eram outros tantos produtos de largo consumo nas três refeições medievais - o almoço, o jantar e a ceia, sendo as principais, as duas últimas. Naqueles tempos de cavalaria, de força muscular, ter " bom corpo", característica que Fernão Lopes tanta vez realça, era, de facto, imprescindível. A alimentação não podia, por isso, ser descurada. SR

receita a excelência do Manjar Branco "Tomareis o peito de uma galinha preta e pô-lo-eis a cozer sem sal, senão na água tal, e há-de ser não muito cozida, porque se possam tirar as fêveras inteiras; e depois de tiradas, deitá-las-ão numa escudela de água fria, e daí fá-las-eis em fios, porque os mais delgados são melhores. E para este peito é mister um arrátel de arroz muito bem limpo e lavado e seco, e limpo com um pano e pisado e peneirado por uma peneira de seda basta, e uma canada de leite deitada no tacho, e sete onças de açúcar. E tomareis a galinha e dar-lhe-eis três machucadas num gral, e deitá-la-eis no leite que já estará no tacho. Então deitar-lhe-eis a farinha do arroz e deitar-lhe-eis sal com que se tempere, muito bem mexido. Então pô-lo-eis o tacho no fogo de fogareiro,

e seja brando, e mexereis sempre; e como for basto, não já muito, começareis a bater rijo e tirá-lo-eis fora do fogo a tempos e batê-lo-eis sempre muito batido. E quando estiver muito cozido, deitar-lhes-eis o açúcar, e prová-lo-eis, e se não for muito doce poder-lhes-eis lançar mais; e, como for cozido, tirem o tacho fora e encham as escudelas e deitem-lhes açúcar pisado por cima".

21 JaneirO 2011

A receita retirada do códice da Infanta, que se tornou ícone da doçaria de Coimbra


vinhos

Carlos Lucas Enólogo

touriga nacional

sugestão

A casta portuguesa

Cabriz Touriga Nacional 2007

A Touriga Nacional, que foi em tempos a casta dominante na região do Dão e a responsável quase exclusiva pela fama dos seus vinhos, é, hoje, uma das mais utilizadas no Douro e tida como uma das mais nobres castas tintas portuguesas. A Touriga Nacional dá vinhos retintos, encorpados, poderosos e com excecionais qualidades aromáticas. Tem frequentemente notas de amora, mirtilo, esteva e rosmaninho. A sua fama tem vindo a espalhá-la por quase todas as regiõ­­­­­­­­­es vitícolas, do extremo Norte até ao Algarve, e está mesmo a aguçar a curiosidade de viticultores estrangeiros. Envelhece bem e ganha em complexidade aromática com estágio em madeira de carvalho.

Este vinho do Dão, elaborado 100 por cento com a casta Touriga Nacional, lembra-nos a floresta da Beira Alta, pelas notas que nos traz de amoras maduras, caruma de pinheiro e frutos silvestres. Intenso e fragrante, com notas de chocolate e alguma especiaria. Quando se bebe é volumoso, encorpado e pode guardar-se por muitos anos, porque os vinhos do Dão são duradouros como poucos em Portugal.

Preço: 12,5 €

C42

PUB

:89


viver

à mesa tendências

Hino à qualidade "A cozinha portuguesa é um dos nossos ícones culturais e um produto turístico de excelência que interessa preservar", afirma Luís Lavrador. O chef da seleção nacional de futebol e docente na Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra considera que existem dois tipos de cozinha que coexistem no nosso país: a cozinha tradicional, confeccionada e apresentada de acordo com a tradição e de acordo com as receitas originais, e uma outra que "reinventa e simplifica" a cozinha portuguesa, tornando-a um produto "mais moderno". Neste caso, ficam de fora ingredientes

Luís Lavrador, chef

muito do agrado dos portugueses (gordura, açúcar e sal) e entram no rol preocupações dietéticas. Na análise, às novas tendências da cozinha portuguesa, Luís Lavrador sublinha o "papel valioso" desempenhado pelas confrarias. "São fundamentais na preservação da genialidade da nossa cozinha", explica. A coexistência entre as duas tendências é um fato, mas, segundo o chef, quem nos visita opta por propostas mais simples e principalmente sem os três pecados originais: gordura, sal e açúcar. Ou seja, prefere uma ementa saudável.

receita do chefe Lombo de bacalhau cozido em caldo aromatizado sobre espinafres e vagens de ervilhas com chamuças de azeitonas e presunto, adornado com tosta de pimentos ingredientes

sugestão "Quer o segredo dos ossos? Nem pense". Jorge Ferreira, Mário Simões e Rui Ferreira escondem "o segredo mundial" do Zé Manel dos Ossos, em Coimbra. E até os japoneses já aprenderam o caminho até ao Beco do Forno. Há que provar!

90:

Mário Nicolau

Bacalhau Ervilhas Espinafres Pimentos Pão (quadrados) Pasta de azeitona Presunto Salsa, cebola, alho, louro e coentros Ervas aromáticas

modo de prepapração Cozer uma posta de bacalhau em água aromatizada com salsa, cebola, alho, louro e coentros. Cozer as vagens das ervilhas e os espinafres no mesmo caldo. Torrar quadrados de pão e colocar sobre eles tiras de pimentos salteadas em azeite e alho. Fazer as chamuças com recheio de pasta de azeitona e presunto picado. Empratar e polvilhar com ervas aromáticas picadas.

21 JaneirO 2011


C01


viver

VIAJAR

Uma equipa de nove voluntários da Associação Afetos com Letras, de Pombal, aproveitou as férias natalícias para visitar a Guiné-Bissau e levar, simultaneamente, a sua solidariedade às crianças da tabanca de Djoló JOANA BENZINHO Texto e fotos

África muda tudo

92:

Voltar, sempre! Marta Figueiral Custou-me adormecer na primeira noite... Acordei antes do despertador tocar. Estava ansiosa para que a nossa viagem pudesse, finalmente, ter início... Às sete horas já estávamos todos sentados a tomar o pequeno almoço e a água fria do banho dominava a conversa! A caminho da escola ia tentando imaginar o que nos esperava. Quando chegámos, os meninos começavam mais um dia no recém construído estabelecimento de ensino. Com tudo a postos para começarmos a trabalhar, ali estava eu preparada para dar o meu melhor. Não estava, ainda assim, preparada

para receber tantos sorrisos, tantas palavras de agradecimento, tanto amor. E foi tudo diferente do que eu esperava. E foi muito mais forte e foi muito melhor! De repente, encontrava-me num cenário totalmente inesperado a ver, fazer e sentir coisas que nunca tinha imaginado. Foram dias muito longos, intensos, completos e repletos de trabalho, mas também, e acima de tudo, de muitas emoções e partilha. Ali tudo é diferente. A vida, as pessoas, a entrega, os sentimentos. África é assim. Muda tudo. E da minha parte só posso dizer que quero voltar lá. Sempre!

21 JaneirO 2011 C43

A chegada a Bissau é talvez o primeiro choque para quem nunca visitou a Guiné. Não há luz pública e só onde a iluminação é mesmo essencial se liga o gerador para iluminar a noite, nos minutos estritamente necessários. À saída do aeroporto, o breu é total e a estrada de acesso à capital está toda em obras, o que, sem iluminação, torna ainda mais penoso o percurso. Na cidade, a azáfama de quem parece não distinguir a noite do dia constata-se nas gentes a passar, a conversar no escuro, a empurrar um táxi empanado ou a vender cartões de recarga do telemóvel. Um dentista, uma nutricionista, uma psicóloga e uma especialista em ambiente integraram a equipa de nove elementos da Missão Solidária da Associação Afetos com Letras, com sede em Pombal, que, durante as férias


natalícias, viajou até África, para visitar não só a Guiné-Bissau, mas para desenvolver, simultaneamente, na tabanca de Djoló, um programa de apadrinhamento de crianças com o objetivo de lhes assegurar o acesso à escola e a uma refeição diária. Ficámos alojados na Missão Católica, em camaratas sem luz e com um fio de água tépida, aquecida pelo sol, mas sempre fria ao nascer do dia. O banho da manhã, ainda o sol não rompeu, é tomado à luz da vela. A partir das 18H30, com o cair da noite, são as velas e os focos que nos guiam, pois o gerador só é ligado para a hora da refeição. Numa deslocação à costa no Norte do país, que faz fronteira com o Senegal, conhecemos um projecto que nos comoveu. Um casal de uma luso guineeense e um italiano, além de acolher crianças órfãs em casa, criou uma creche onde tem 70 meninos, a quem dá educação e alimentação. Falta-lhes leite em pó e roupas e nós, mais uma vez, sentimos a impotência de não ter ali à mão nada para lhes dar. Ficámos rendidos com tamanha força de vontade e dispostos a ajudar no que for possível.

C43

PUB

Voluntários desenvolveram na tabanca um programa de apadrinhamento de crianças

É difícil fazer um balanço dos 11 dias que ali passámos, mas é fácil reconhecer que valeu a pena o grande esforço financeiro que cada um dos voluntários fez para ir até lá dar um

pouco de si próprio. Ficou em todos, sem exceção, a vontade de voltar para fazer mais e melhor num futuro próximo. E o sentimento de missão cumprida.


viver

Turismo

DR

Oliveira de Azeméis

Os segredos do pão Três dezenas de padeiras de

Ul, pequena localidade do concelho de Oliveira de Azeméis, constituíram a Associação de Promotores do Pão (APPU) para salvaguardar a sua produção artesanal. Todas as etapas que levam ao pão são feitas ali por técnicas ancestrais, em que o trabalho manual impera, sendo cozido em forno de lenha. A massa "tem os seus segredos", que dão àquele pão um gosto especial e caraterísticas muito próprias.

Aveiro

Restaurante do futuro A Id Tour, empresa spinoff da

Universidade de Aveiro, está a desenvolver o projeto "Restaurante do Futuro", destinado a valorizar a gastronomia nacional e a fomentar as economias locais. O projeto foi desenvolvido a pedido da Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP).

Serra da Estrela

A atração da neve A Serra da Estrela continua

Compras

ASAE atenta à Internet A Autoridade de Segurança Ali-

mentar e Económica (ASAE) está atenta ao "mundo da net" e tem permanentemente uma brigada a controlar as vendas online. A comercialização de produtos – do "caseiro" mel, ao doce da avó, passando pelos colares e outras manifestações artesanais – sem o devido registo é "uma irregularidade" que a ASAE garante estar a seguir.

94:

a ser um dos destinos turísticos mais procurados no inverno. As pistas de esqui e snowboard atraem anualmente, nesta época do ano, muitos praticantes destas modalidades ou simples curiosos, atraídos pela neve. Jorge Patrão, presidente da Entidade de Turismo da Serra da Estrela, considera que “a marca está em crescimento” e que tem conseguido conciliar, progressivamente, atrativo turístico com o nível dos equipamentos. A gastronomia é variada (cabrito, caça, o tradicional queijo, enchidos, pão de centeio e vinhos fazem parte da carta dos restaurantes mais típicos) e o alojamento diversificado, quer ao nível da hotelaria, turismo em espaço rural

ou parques de campismo. A região tem também registado forte incremento na implantação de equipamentos novos de atra-

tivo turístico, como o Museu do Pão, em Seia e o Museu Judaico e Centro dos Descobrimentos, em Belmonte. MV

tome nota Localização A serra está localizada na região Centro do país, distando cerca de 300 km de Lisboa e 200 km do Porto. Como chegar É fácil atingir, de automóvel, o maciço central. As autoestradas A23, pelo sul e a A25, pelo norte, levam diretamente ao sopé da montanha.

21 JaneirO 2011

Alojamento As dormidas subiram, nos últimos anos, de 150 mil para 500 mil. Esqui A estância Vodafone, próximo da Torre, possui nove pistas, com um total de 7,7 km. OSkiparquedeManteigas,dotado com pistas de esqui artificiais, só não funciona no dia de Natal.


C24

tel. 239 438 469 路 tlm. 917 228 202 路 arnaudgrafica@gmail.com 路 www.arnaudgrafica.com

STRATEGIC PARTNERS


CASA DE FAMÍLIA

SOCIAL

Albano e Maria Isabel Dias Ferreira

52 anos de felicidade A quinta da família Dias Ferreira já acolheu várias gerações. Maria Isabel e Albano Dias Ferreira abriram as portas da sua casa à C texto márcia de oliveira fotos pedro ramos

H

omem de Direito e de uma filosofia de vida única. Foi essa filosofia que guiou a vida de Albano Dias Ferreira: quando optou pelo clube do coração - a Académica de Coimbra -, quando, ainda novo, decidiu casar-se e optou depois por seguir a profissão que o pai desejava e pela qual ainda hoje sente uma paixão imensa. É assim que se considera Albano Dias Ferreira, advogado, que mantém ligações es-

96:

treitas com algumas das maiores empresas e empresários de Portugal. Com Maria Isabel Bento Dias Ferreira teve três filhos – José Miguel Bento Dias Ferreira, Albano Bento Dias Ferreira e Sofia Bento Dias Ferreira – de quem sente muito orgulho. "O que eu queria mesmo era ter 11 filhos, uma equipa completa para a Académica, para ela não andar sempre a tremer como anda", diz o advogado, com o bom humor que lhe é característico. Maria Isabel fala dos filhos com emoção estampada no rosto. "Um dos

objetivos da minha vida era ver os meus filhos com espírito trabalhador. E realmente acho que atingi o máximo e regozijo-me muito disso. Claro que não fui só eu que os fiz assim, mas contribuí em grande parte", reconhece. Orgulhosa deles, acha que conseguiu ajudá-los a ter "o sentido do trabalho e a quererem vencer na vida". Casaram e tiveram filhos. Mas a advocacia continua na família, através do filho do meio, Albano Bento, que, inclusivamente, é "patrão" do pai. "É advogado, dá-me ordens

21 JaneirO 2011


mas… depois não me paga", realça o patriarca da família, em tom de brincadeira. A harmonia e felicidade reinam no seio familiar. Os netos – Filipa, Constança, Isabel, João, Bernardo, Edmundo e Carlota – comprovam isso. São os benjamins da família e os mais mimados por todos. A Quinta do Prazo, em Almalaguês, con-

tinua a ser o refúgio preferido dos Dias Ferreira. Por lá já passaram seis gerações. "O trabalho que isto dá é o menos, o pior é manter, porque isto tem custos muito elevados e, desde que herdei a casa, já fizemos muitas renovações", afirma o advogado. Mas tudo valeu a pena, porque hoje a casa é "um projecto da nossa vida".

O que eu queria mesmo era ter 11 filhos, uma equipa completa para a Académica

PUB

C44

:97


social

Maria Isabel fala dos filhos com emoção estampada no rosto

Na casa de Albano Dias Ferreira, construída pelo tetra avô, passaram momentos marcantes, desde as festas de aniversário dos netos aos casamentos dos filhos, bodas de prata e de ouro. É lá que tem o seu canto favorito: o escritório, local onde os filhos, quando visitam os pais, também passam algum tempo. Desporto sempre A caça é uma paixão que une pai e filhos. O "Albaninho das perdizes", como era conhecido, fala das caçadas que fazia com os dois filhos e lembra, com nostalgia, os tempos em que ia para o campo de Santa Cruz ver treinar o professor Branco. Aos 76 anos, ainda adora fazer snowboard e esqui aquático, assim como montar a cavalo. "Tenho quatro cavalos aqui na quinta. Os meus filhos montam a cavalo e os meus netos também já gostam de estar perto deles a lavá-los e acarinhá-los", conclui o advogado com orgulho.

A caminho das bodas de diamante Há dois anos atrás celebraram as bodas de ouro. "Nestes quase 52 anos de casados nunca tive um momento infeliz ao pé da minha mulher", afirma, convicto, Dias Ferreira. O segredo? "Trabalhamos muito a par um com o outro". Maria Isabel, hoje com 73 anos, dedicou a sua vida à família. Acompanhou o marido nas suas andanças pelo país e fora dele, mas nunca entregou os filhos a qualquer pessoa e, por isso, hoje tem uma ligação muito grande com eles. "É engraçado que os meus filhos ainda hoje telefonam aos pais duas e três vezes por dia", lembra. Quando perguntamos se já sabe o que é o melhor da vida, refere sem hesitar: "É haver um conforto familiar. É uma pessoa ter uma necessidade qualquer, física ou moral, e sentir o aconchego da família, sabendo que está alguém connosco que nos quer muito. É isso e termos a noção de dever cumprido", explica Maria Isabel, enquanto olha, emocionada, para as fotografias dos filhos e netos.

98:

21 JaneirO 2011


C49


evento

social

Coimbra solidária com a APCC Assunção Ataíde, Isabel Alves e Albertina Sousa

A Escola de Hotelaria e Turis-

mo de Coimbra recebeu cerca de uma centena de pessoas num jantar exclusivo. Confecionado pelos chefes Luís Lavrador e Hélio Loureiro, o repasto contou com um ingrediente muito especial partilhado por todos os convidados: a solidariedade. A iniciativa foi organizada pelos alunos do último ano de gestão e produção de cozinha – representados por Carina Matias e João Figueiredo – e a totalidade dos lucros reverteu a favor da Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC) que, segundo Teresa Paiva, responsável pela as-

sociação, "fica muita agradecida pela iniciativa dos alunos que, além de ser fantástica, não podia calhar em melhor altura". Luís Lavrador destacou o evento como uma forma de envolver os alunos em matéria de solidariedade. "Tudo isto vem ao encontro daquilo que tem sido a nossa postura enquanto estabelecimento de ensino, transmitindo valores aos nossos alunos no sentido de não serem apenas bons profissionais, mas também grandes cidadãos", realça o professor. Uma noite memorável que reflete que o espírito solidário continua vivo mesmo em altura de crise.

P e

Antonieta Abegoaria,

Eugénia Abrantes, Isabel Brito Amaral e Marisa Gonçalves

Dora Redruella

100:

Sara Lopez, Joaquina Fernandes e Emília Bigote

Salete Bastos, Teresa

Paiva e Paula Aveleira

José Luís Marques, Hélio Loureiro e Ana Paula Pais

Alberto Gradim, João Bigote de Almeida, Emília Bigote e Rogério Gonçalves

21 JaneirO 2011

Ros Dor Que


1º, 2º e 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO

Inscrições Abertas

Pedro Pereira, Domingos Grilo, Mário Brinca, Albano Cavaleiro e Fernando Barata

JUNTOS COM A FAMÍLIA A EDUCAR PARA OS VALORES, PARA A CIDADANIA, PARA A AUTONOMIA, PARA A D I S C I P L I N A E PA R T I C I PA Ç ÃO R E S P O N S ÁV E L

Margarida Ferreira, Francisco Ferreira e Palmira Pereira Coelho

Paulo Barradas e Ana Isabel Rebelo

Ana e Luís Alcoforado

Eduardo Alves e Rita Paiva

Rosário Quinta Ferreira, Teresa Paiva, Dora Alfaiate, Celeste Bento, António Queirós e Manuel Ferreira

Luís Lavrador e José Luís Marques

C46

Carlos Barata e Francisco Fidalgo

colégio privado de referência . ensino personalizado . enriquecimento curricular(inglês|espanhol|tecnologias de informação e comunicação|apoio ao estudo | ballet | danças latinas | teatro | judo| natação | footsal | educação musical | viola |clube de expressão plástica| atelier de culinária) . projecto educativo inclusivo (língua gestual portuguesa|coro para crianças ouvintes e não ouvintes | musicoterapia) . biblioteca . eco-escola galardoada (promoção de actividades e recreio ao ar livre | educação ambiental|clube do ambiente) . educação física . cursos profissionais de nível 3 . nutricionista . conforto, segurança e vigilância . instalações desportivas de excelência (piscina|pavilhão polidesportivo) . transporte escolar . bolsas de estudo . exigência | rigor | qualidade

www.cbbonline.pt


social

Académica Benfica

Área VIP Não chegou para roubar pontos ao campeão nacional, mas a Académica deu uma boa imagem e a exibição frente ao Benfica agradou aos notáveis, que estiveram em peso na zona VIP do Estádio Cidade de Coimbra. Já a do árbitro...

102:


C45

:103


social

Festa italiana no NB Club Itália serviu de inspiração para festa no NB Club, em Coimbra. Para além da habitual animação, foi sorteada uma viagem a Itália. O evento foi produzido pela agência Black@White.

104:

21 JaneirO 2011


Hugo M

em Miranda do Corvo A dança do ventre nasceu nas regiões do Médio Oriente e Ásia Meridional. Com movimentos semelhantes a uma serpente, foi praticada no Antigo Egipto, Índia, Grécia e Pérsia. Semanalmente, ao sábado, o Turbante Tea Bar no Estádio Cidade de Coimbra, promove sessões de dança do ventre. A C assistiu ao show de Dianna.

Dianna

no Turbante

C47

PUB

Hugo M , ex-concorrente da 1.ª edição da Casa dos Segredos, foi esperado por centenas de fãs na discoteca Teia, em Miranda do Corvo. Estava previsto que a namorada do ex-concorrente da Casa também estivesse presente, mas para decepção de alguns fãs, Joana não apareceu. No entanto, a emoção não diminuiu e Hugo M foi recebido com euforia pela juventude presente.


social

agenda Casino Figueira sáb.22.23H00

Marco Rodrigues

"Coimbra vista por Miguel Torga" No âmbito dos 16 anos da morte de Miguel Torga, o Casino Figueira evoca o romancista e poeta apresentando "Coimbra vista por Miguel Torga – O Livro em Palco". A exposição disponibilizada pela Fundação Inatel e o espectáculo de música e dança contemporânea constituíram os dois capítulos da homenagem, que, na vertente musical, contou com Rita Dourado (piano), José Santos Paulo (tenor) e Álvaro

Aroso (guitarra portuguesa) e a dança por Andreia Morado e Cláudia Afonso, num evento com apresentação e narração de Eduardo Aroso. Miguel Torga nasce em Trás-os-Montes e, para o definir, são sempre evocadas as suas raízes transmontanas, mas é Coimbra a cidade que Torga escolhe para viver e que marca profundamente a sua vida pessoal e literária.

Silêncio ensurdecedor da fraude Conferência de Carlos Pimenta e Jorge Negreiros

Com o título "Silêncio Ensurdecedor da Fraude", a conferência de Carlos Pimenta e Jorge Negreiros confirma a qualidade da programação do Casino Figueira na abordagem à atualidade. Doutorado em Economia pelo Instituto Superior de Economia de Lisboa, Carlos Pimenta é professor catedrático da Faculdade de Economia do Porto e director do Observatório de Economia e Gestão de Fraude. Jorge Negreiros é doutorado em Psicologia,

106:

especialidade em Saúde Mental (Universidade do Porto)e professor catedrático da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto e membro do Centro de Ciências do Comportamento Desviante. Dois intervenientes, um de formação em Economia e outro em Psicologia, que assinaram uma conferência de grande nível, abordando a diversidade de situações do tema central.

Depois de Fados da Tristeza Alegre (2006), o fadista Marco Rodrigues apresenta o seu segundo álbum, Tantas Lisboas. Um álbum que tem como convidados Carlos do Carmo e Mafalda Arnauth e, entre os compositores e letristas, Boss AC e Inês Pedrosa. 10 euros ou 100 pontos do Cartão Casino Club

sáb.28.23H00

Sérgio Godinho

Num espectáculo agora renovado e melhorado, Sérgio Godinho apresenta-se com o excelente grupo de músicos que o tem acompanhado nos últimos anos. Sérgio Godinho visita as canções do seu último disco, entrelaçando-as naturalmente com os seus escritos mais antigos (alguns já grandes clássicos da música portuguesa), num mosaico único de energia e emoção.


C28


social

Carla Matadinho A C foi encontrar Carla Matadinho no Meliá Palácio da Lousã. A modelo desfrutou do "espaço lindíssimo" com o namorado Paulo Costa, produtor executivo da peça "Os 39 degraus" texto Bruno Vicente fotos pedro ramos 108:


A área em que gosto mais de trabalhar é a moda, mas sei que não dura sempre”

Carla Matadinho e o namorado Paulo Costa

estão há três semanas no Meliá Palácio da Lousã. A equipa responsável por "Os 39 degraus", peça no TAGV de 20 a 23 de janeiro, montou o "quartel-general" no primeiro boutique hotel do país, que está inserido num edifício brasonado do século XVIII. O espaço deixou a modelo deslumbrada. "É lindíssimo e bastante agradável", garantiu a relações públicas de “Os 39 degraus”, natural de Évora. Mas esta não é a primeira vez que o casal está no hotel. "Já cá tinha vindo passar uma noite com a Carla", confessou o produtor-executivo da peça, Paulo Costa. Apesar do tempo que têm passado juntos, a palavra casamento ainda não é dita, para já, publicamente. "Não queremos comentar os nossos pla-

Sucesso da Broadway com estreia nacional em Coimbra O público de Coimbra vai ser o primeiro a ver a peça "Os 39 degraus", adaptada do clássico de Hitchcock. Paulo Costa, um dos dois produtores-executivos, explica que "a cidade merece a estreia". Já os lisboetas " vão ter que esperar para ver".

nos antes de serem postos em prática", explicou o antigo jornalista, que nasceu em Angola. "Faço o que gosto" A modelo, que se apresentou com um vestido sóbrio de linhas elegantes, diz que está bem com a vida. "Felizmente, faço o que mais gosto, a moda. Mas sei que não dura sempre", admitiu. Já o trabalho enquanto atriz "foi deixado de lado", para dar lugar a uma aposta redobrada na área da comunicação. A sagitário (nasceu a 16 de Dezembro) já terminou o curso de sociologia e está empenhada em avançar com um mestrado de psicologia. "Todos devíamos ter alguma formação nestas áreas", conta. O casal de namorados tem-se deslocado diariamente entre a Lousã e Coimbra e até admite

que dava jeito, para as deslocações, o Metro do Mondego. "Acho inadmissível terem arrancado as linhas com a promessa de fazerem o metro e, afinal, ficou a obra parada a criar enorme transtorno às populações", protesta Carla Matadinho. “Coimbra é muito bonita” Alojados na Lousã, Carla Matadinho e Paulo Costa têm aproveitado para passear por Coimbra, quando surge a possibilidade. "É uma cidade muito bonita", diz a modelo. Já o produtor destaca o "charme e o património" local, rejeitando a ideia de Coimbra ser uma "província". Paulo Costa foi jornalista durante 12 anos. Agora as lutas são outras. "O teatro continua a ser o parente pobre do entretenimento. É apaixonante mas não é fácil", concluiu.

Acho inadmissível terem arrancado as linhas com a promessa de fazerem o metro e, afinal, ficou a obra parada

:109


social

amigos de estimação

O Shih-Tzu é uma raça de cães originária da China. O porte altivo é a sua caraterística principal. A pelugem é comprida e sedosa. O nome vem de "cão leão", porque esta variedade de raça foi cruzada para se parecer com um leão em miniatura. Os Shih-Tzu têm expetativa de vida de 15 anos.

Marcia Cardoso é assistente de direção na Quinta das Lágrimas. A Chiara, 5 meses, é da raça Shih Tzu.

C48

PUB

110:

21 JaneirO 2011


C29


ALDEIA GLOBAL

destaques tv

destaques net

"5 Para a Meia-noite"

Benfica-Nacional

As noites são todos os dias diferentes, mas todos os dias divertidas, com Filomena Cautela, Fernando Alvim, Nilton, Pedro Fernandes e Luís Filipe Borges. O “5 Para a Meia-noite” está de regresso. De segunda a sexta-feira, às 00H25, na RTP2.

Dia 22, sábado, às 21H15, em direto na TVI.

CSI Nova Iorque Uma onda de crimes, cada vez mais sofisticados, está a assolar Nova Iorque. Um problema para Mack Taylor e companhia resolverem na nova temporada de CSI Nova Iorque, que começa dia 24. De segunda a sexta-feira, às 00H30, na SIC.

"Fá-las Curtas" O concurso pretende descobrir novos talentos na arte cinematográfica, através de pequenas curtas-metragens. Dia 22, sábado, às 21H00, na RTP2.

Final da Operação Triunfo IV

A RTP1 vai transmitir dia 21, às 00H13 "Atrás das Nuvens", um filme emocionante sobre uma relação especial entre o avô e o neto que mostra toda a fantasia que une esta relação. As personagens principais são Nicolau Breyner e Ruben Silva.

"A Chave" na TVI A TVI transmite, no dia 21, à 01H30, "A Chave". Uma enfermeira é contratada para ajudar a cuidar de uma senhora idosa. Desconfiada com os mistérios da casa, Caroline começa a explorar a mansão.

Um blogue sobre futebol portu-

guês, escrito em inglês, com nome francês. Se a descrição é estranha, mais estranha é a história do seu autor. Ben Shave apaixonou-se pelo futebol luso ao ver desafios do campeonato… italiano. Os toques de bola de Rui Costa ficaram-lhe na retina e, desde então, devora tudo o que é desporto rei no nosso país. Acompanhe em cahiersdusport. blogspot.com.

Diogo Leite, Lia e Jorge são os três finalistas da final da Operação Triunfo. Dia 22, sábado, às 21H15, na RTP1.

"Outra Face" "Atrás das Nuvens"

cahiersdusport

"Outra Face" é um filme de Castor Troy protagonizado por John Travolta, no papel de Sean Archer e Nicolas Cage. Dia 23, domingo, às 00H15, na RTP 1.

"O Mentalista" A série policial mostra o charme de Patrick Jane (Simon Baker) e a sua tendência em resolver casos difíceis. Dia 24, segunda-feira, às 22H45, na RTP 2.

Sporting-Marítimo

www.vipartfair.com A VIP Art Fair será o ponto de encontro das mais prestigiadas galerias e dos mais aclamados artistas do mundo. A partir de amanhã, e até dia 30, o site www. vipartfair.com será uma enorme montra da arte contemporânea. A feira, cuja sigla significa "Viewing in Private" (visualização privativa), é a primeira feira de arte a ser realizada exclusivamente via Internet, reunindo 139 das galerias de arte contemporânea localizadas em 30 países, num evento ao vivo sem precedentes.

Dia 24, segunda-feira, às 20H15, na SPORTV1.

http://roomle.com Na Internet pode encontrar-

Eleições presidenciais esmiúçadas em direto Ao fim de duas semanas de campanha, chega o grande dia. Todos querem conhecer os resultados, ver a festa do vencedor, as reações dos vencidos e saber a opinião dos comentadores políticos. Os canais generalistas preparam emissões especiais para a noite das eleições presidenciais. Domingo, na RTP1, a partir das 19H30 e na SIC e TVI com início às 20H00.

-se um pouco de tudo. É possível, inclusivamente, encontrar na rede formas de planeamento da nossa casa e respectivas divisões. As ferramentas deverão ser procuradas em http //www.roomle.com.

http://getsprouty.com Em plena época de crise é indis-

pensável ter atenção aos exageros. Para melhor controlar as despesas pode fazer-se um orçamento online, no site http://www.getsprouty. com.


C30


aldeia global

ideias dos outros

LUÍS DE MATOS

Ideias que vale a pena partilhar

É difícil fazer testes de ADN que permitam determinar a paternidade de uma ideia. É através da sua partilha, com a dos seus autores, que nos podemos tornar mais fortes

O Homem tem uma tendência natural para assumir a paternidade das ideias que acha boas, em lugar de apenas desejar tê-las tido e tudo fazer para ter outras igualmente surpreendentes. Todos achamos que temos grandes ideias, contudo, só a sua validação pelos outros lhes confere o desejado estatuto. É por isso que as boas ideias têm de ser partilhadas. Em vez de utilizar este espaço para “opinar” ao estilo dos “comentadores todo terreno”, que hoje em dia se multiplicam como cogumenlos, e que de tudo sabem, irei apenas trazer aqui ideias, projetos e criações que, pela sua singularidade, missão, contexto, repercussão ou natureza, são urgentes de conhecer e, quem sabe, aplaudir através da partilha continuada. Ao longo da história muitos mitos e carreiras se construiram com base em ideias de alguns que, afinal, eram de outros. É o caso da injustiça histórica que atribui a Bell a invenção do telefone, em vez do génio italiano Antonio Meucci, ou o mais recente caso do jovem Mark Zuckerberg, que terá roubado a ideia subjacente à criação da mais popular rede social da atualidade.

conduz a uma ligação à Internet, tendo como destino um endereço específico. Assim, em cada semana, as palavras que aqui encontrar serão nada mais que um apontador para uma “grande ideia”. Para começar, basta ligar-se à Internet e fazer uma pesquisa por “Leitor QRcode”. Aí encontrará tudo o que precisa para descarregar a versão da aplicação que funcionará no seu telemóvel. Se preferir, poderá decodificar o simbolo utilizando a webcam do seu computador de forma idência. Como esta é a primeira vez que aqui nos encontramos, o código desta semana indicará o endereço de correio eletrónico que encorajo a utilizarem, e antecipadamente agredeço, no sentido de comigo partilharem ideias que entendam ser dignas de aqui serem partilhadas. As ideias são contagiosas, se espalharmos as boas elas propagam-se e, num mundo ideal, acabarão por predomoniar em relação às outras. Em todo o caso, as boas ideias sempre acabam por estimular a nossa imaginação e enriquecer o nosso critério. Essa será a missão deste espaço.

Este espaço será interativo. Apontando a câmara do seu telemóvel para a ilustração (QRcode) que sempre estará presente nesta página ao canto inferior direito, viajará até aos conteúdos, protagonizará este espaço. É fácil, eu explico. As câmaras da maioria dos telemóveis hoje no mercado permitem, através de uma pequena aplicação gratuita, descodificar símbolos do tipo do que ao lado se reproduz. Tendo um plano de dados, isso

114:

21 JaneirO 2011


C26

12 x s/ Juros 337€ Com a oferta De 350 kg de café

Rua entre vinhas, lote 11 3020- Eiras Tel: 239433290 Fax: 239433299 Info.pt@bianchivending.com


C27


cnoticias_0