Page 1

Centro Novas Oportunidades (CNO)

Nº11/2011

O Centro Novas Oportunidades do Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-Nova continua a ser uma porta aberta para os que, sendo maiores de 18 anos e, por qualquer motivo, não concluíram a escolaridade de nível básico ou secundário, querem elevar os seus níveis de qualificação, bem como para todos os que querem apostar numa verdadeira aprendizagem ao longo da vida. O Blogue do Centro Novas Oportunidades pretende ser um espaço de informação, divulgação e partilha da Iniciativa Novas Oportunidades. Visite o nosso blogue e participe! http://cnofernandonamora.blogspot.com/

IV Sessão Pública de Entrega de Diplomas No dia 11 de Fevereiro, realizámos, no Auditório da Escola Básica nº2 do Agrupamento de Escolas de Condeixa, a IV Sessão Pública de Entrega de Diplomas aos 75 certificados que obtiveram, desde Maio de 2010, a certificação no 9º e 12º anos, através do Processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências, do Curso de Educação e Formação de Adultos e ao abrigo do decreto Lei 357/2007. O auditório foi pequeno para receber os candidatos certificados, suas famílias e representantes das entidades parceiras que colaboram com o nosso Centro Novas Oportunidades e que, com a sua presença, quiseram testemunhar a importância deste evento. Na abertura da sessão, a Presidente da Comissão Administrativa Provisória, Dra. Anabela Lemos, Avaliador Externo, Dr. Rui Prata, Presidente da Câmara, Eng. Jorge Bento e Director do Centro Novas Oportunidades, Dr. Paulo Amaral, felicitaram todos os diplomados pelos sucessos alcançados e pela vontade em investir na sua valorização pessoal, dotando o concelho de cidadãos mais responsáveis e mais aptos para agir na sociedade. Foi com alguma emoção que José Nunes, candidato certificado com o 9º ano, e Luísa Pires, candidata certificada com o 12º ano, partilharam com todos os presentes a sua caminhada pelo Centro Novas Oportunidades e a vontade de prosseguir a sua formação. Para além da apresentação de um filme, recordando alguns momentos da passagem pelo CNO dos candidatos certificados, a cerimónia contou com a participação da Big Banda da Escola Básica, que nos brindou com um excelente momento musical, espelhando o intercâmbio de gerações que actualmente se vive no Agrupamento de Escolas de Condeixa. A alegria, satisfação e alguma emoção foram constantes ao longo da noite, que terminou com um Porto de Honra servido a todos os participantes. O nosso obrigado a todos os que contribuíram para o sucesso deste evento.


OS NOSSOS CERTIFICADOS

“… Por aqui têm passado adultos com elevado nível de conhecimentos, de saberes e de competências que, seria injusto que todo este conjunto de competências não passasse para o domínio da esfera pública; autênticas Sessões culturais onde se aprende, se partilha e se interage; onde o tempo não tem tempo porque … simplesmente se está, com toda a disponibilidade física e interior para acolher cada adulto no seu melhor…” Luísa Silva, Avaliadora Externa

NÍVEL BÁSICO

NÍVEL SECUNDÁRIO

Sessão de Júri - 17 de Dezembro

Sessão de Júri - 22 de Dezembro

Sessão de Júri - 10 de Março

Sessão de Júri - 5 de Abril

Certificação Parcial Nível Secundário

Sessão de Júri - 21 de Dezembro

Aprender compensa

Aos candidatos, Joaquim Fontes, Paulo Ramalho e Cecília Cardoso que vão integrar a turma do curso EFA escolar para conclusão do seu percurso formativo, a equipa do CNO deseja os maiores sucessos escolares e profissionais.

Página 2

A todos, os nossos PARABÉNS!


A palavra é dos nossos adultos: “Comunicação no Atendimento” Comunicar é fácil, mas Comunicar bem exige conhecimentos e competências dos quais nem todos somos detento-

Aprendizagem ao longo da vida

res. Foi neste âmbito que frequentámos o curso de “Comunicação no Atendimento”. Apesar de todas nós termos profissões diferentes, comunicamos diariamente com colegas, chefes e clientes, e se Comunicarmos bem, além de proporcionarmos melhores relações interpessoais, contribuímos também para uma melhor imagem da instituição onde trabalhamos. Durante a formação adquirimos conhecimentos que irão ser muito úteis no nosso dia-a-dia, além de termos aprendido técnicas verbais e não verbais para comunicar, aprendemos também a identificar diferentes tipos de personalidades e as formas mais adequadas de nos relacionarmos com elas em determinados contextos. Abordámos ainda nesta formação, técnicas de atendimento telefónico, gestão de reclamações, como assumir uma escuta activa e até aprendemos a dar um aperto-de-mão correctamente, porque tudo isto é comunicar. Durante a formação foram desenvolvidas algumas dinâmicas de grupo relacionadas com a temática, as quais foram recebidas de forma entusiástica, não só por serem uma forma diferente de aprender mas porque apelavam a uma intervenção mais activa e pessoal de cada uma de nós. Deixamos aqui a nossa foto de grupo, com a última dinâmica que fizemos, “O Nosso Barco”. Cada formanda escreveu no seu Barco uma mensagem significativa, decorou-o e, por fim, posicionou-o em direcção ao Farol, que simboliza o nosso objectivo a atingir no futuro. O Grupo de Formandas

Sessões de (in)formação Nos tempos controversos que correm, em que o tema das conversas é a crise que atravessamos, não poderemos deixar, mais uma vez, de louvar o esforço e empenho que a Equipa do Centro Novas Oportunidades da nossa Escola tem desenvolvido no sentido de proporcionar a todos os seus formandos o máximo de informação e formação, sempre com o objectivo de promover a sua qualidade de vida. Neste contexto, organizou o CNO uma sessão de esclarecimento e um workshop sobre Empreendedorismo com o intuito de familiarizar, incentivar e motivar para a noção do empreendimento, a quantos assistiram. Igualmente, e sempre com o mesmo objectivo, na sessão de esclarecimento e informação da DECO, proferida pela Dr.ª Carolina Silva, foram abordados os temas do Sobreendividamento das famílias e as suas causas, bem como o aconselhamento para uma melhor gestão do orçamento familiar, redução nos gastos mensais e a importância da poupança. Estas e outras sessões têm sido marcantes, não apenas pela transmissão de informação e conhecimentos que estes profissionais nos têm fornecido, mas também pela actualidade dos seus teores. Por todas estas oportunidades que nos têm sido facultadas por esta magnífica equipa do CNO, aqui fica o nosso mais sincero agradecimento público.

Olinda e José Nunes (Formandos do curso EFA)

O meu percurso… Quando me inscrevi no Centro Novas Oportunidades, tinha uma perspectiva diferente daquela que tenho actualmente, porque pensava que seria mais fácil obter o certificado do 12.º ano de escolaridade. Ao longo deste meu percurso, fui-me apercebendo das dificuldades que tenho, a nível da expressão escrita e oral, na língua materna e na língua estrangeira (Inglês). É ainda de referir que, apesar de já ter frequentado uma formação de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), tenho ainda algumas dificuldades nesta área. Estes obstáculos foram sendo superados com a minha experiência pessoal e profissional, com pesquisas na internet e com a frequência de uma Unidade de Formação de Curta Duração de Inglês. Neste percurso, do que gostei mais foi de transmitir as minhas ideias relativamente à bricolage, agricultura e ao meu trabalho, porque me dá muito prazer realizar estas actividades. Considero que a minha maior dificuldade foi a falta de disponibilidade para cumprir as tarefas de acordo com o que me era proposto porque, por vezes, tinha de adiá-las para dar prioridade a compromissos pessoais. Relativamente ao Curso de Educação e Formação de Adultos (EFA) que irei integrar, após a certificação neste processo, tenho boas expectativas, porque pretendo adquirir novos conhecimentos, aqueles que a vida ainda não me proporcionou…

Página 3

Paulo Ramalho (candidato certificado parcialmente no Nível Secundário)


Processo de RVCC- Início de novos grupos Cerca de 60 candidatos, distribuídos por cinco grupos, deram início ao Processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências. Cabe às profissionais RVC Maria João Vieira, Vera Alfaiate e Vânia Cavaleiro transmitir o entusiasmo necessário para motivar os candidatos nesta nova caminhada. A todos desejamos os maiores sucessos para a concretização dos seus objectivos!

Processo de RVCC- Profissional para Auxiliares de Acção Educativa O Centro Novas Oportunidades da Escola Secundária Fernando Namora, em parceria com o Centro Novas Oportunidades da Associação Comercial e Industrial de Coimbra (ACIC), promoveu uma sessão de divulgação e informação sobre a importância do processo de RVCC Profissional para Auxiliares de Acção Educativa - percurso que permite reconhecer, validar e certificar as competências adquiridas pela experiência do trabalho e de vida, através da atribuição de um Certificado de Formação Profissional. Na sequência desta sessão, cerca de 30 funcionárias do Agrupamento de Escolas de Condeixa e de outras instituições do Concelho já iniciaram o diagnóstico a fim de verificarem se possuem o perfil adequado ao desenvolvimento do RVCC Profissional. O início do Processo está previsto para o mês de Setembro e funcionará sob a responsabilidade do CNO da ACIC nas instalações da Escola Secundária Fernando Namora.

O Profissional de RVC é um facilitador de aprendizagem A aprendizagem autodirigida possui, de facto, uma particular importância nos dias de hoje, caracterizados pela constante mudança e exigência aos níveis social, tecnológico, científico, entre outros. Cada vez mais, cada um de nós deverá ser capaz de traçar projectos de vida, escolhendo e redefinindo, sempre que necessário, estratégias para a sua consecução. Nesta caminhada é necessário realizar aprendizagens, umas com mais autonomia que outras, promotoras de mudança. O profissional de Reconhecimento e Validação de Competências (RVC), pode contribuir para a mudança dos adultos com quem trabalha, quer ao nível da sua auto-estima, portanto, na mudança da perspectiva de si próprio, quer ao nível do reconhecimento e/ou fortalecimento de competências e da capacidade de perspectivarem e planificarem projectos para o futuro. Estes técnicos norteiam a construção de Portefólios que são espelhos de vidas dando reforço positivo, incentivando a melhoria da narrativa e da reflexão crítica, no fundo, ajudam cada adulto a construir o seu puzzle, a reviver e a reconstruir a sua vida e a atribuir-lhe novos significados! São, como não podiam deixar de ser, facilitadores da aprendizagem. Construir um Portefólio Reflexivo de Aprendizagens implica que os adultos descrevam o seu autoconhecimento e a forma como o adquiriram/desenvolveram. Para que esta tarefa seja bem sucedida é necessário que acreditem e tenham consciência do valor das suas experiências e do saber delas resultante, o que nem sempre se verifica. A falta de autoconfiança pode, portanto, ser prejudicial ao adulto num processo de Reconhecimento e Validação de Competências (RVCC) e, neste contexto, a valorização das experiências de cada adulto e a sua aceitação incondicional, pelo Profissional de RVC, é fundamental. Considero que um dos grandes desafios que se colocam aos profissionais de RVC consiste em compreender os adultos com quem trabalham tendo em conta o seu contexto. Trata-se, também, de conseguir estabelecer empatia com os adultos e antecipar dificuldades, criando um ambiente protector, de suporte, tolerância a aceitação. Isto só pode acontecer se os profissionais de RVC e os formadores das áreas de competências-Chave se conhecerem verdadeiramente e se afastarem de qualquer estatuto que lhes confira autoridade. Quando isto se verifica, os adultos sentem-se à vontade para solicitar apoio e apresentam maior motivação para a construção do seu Portefólio pois sabem que não há lugar nem para o julgamento nem para a penalização. O profissional de RVC tem um papel crucial na desocultação de competências mas deve confiar na capacidade dos adultos de se responsabilizarem pela construção do seu Portefólio. Naturalmente, uns necessitam mais do seu apoio, da sua presença e feedback devido à sua insegurança, ao seu baixo nível de autonomia ou, até por vezes, devido à necessidade de atenção; outros, recorrem a ao profissional, essencialmente, para clarificar as etapas do caminho a percorrer pois são criativos, independentes. Ora, um dos seus principais objectivos é promover o reconhecimento e até a aprendizagem autodirigida. Não é fácil e nem sempre se consegue fazê-lo. No entanto, é possível verificar, em alguns adultos, um crescimento admirável, quer no nível de autonomia, que normalmente acompanha a crescente confiança em si próprios, quer na capacidade de perspectivarem mudanças e estratégias para as alcançar. Este crescimento é, normalmente, também constatado pelos adultos e impulsiona-os a continuar a investir em si próprios. Vânia Cavaleiro - Profissional de RVC

Candidatos bloguistas A candidata à certificação de nível secundário, Isabel Cardoso, criou e dinamiza um blog (http://isabelcardosono.blogspot.com/) com o objectivo de partilhar experiências obtidas no processo de RVCC e também com o objectivo de encorajar todas as pessoas que tenham a oportunidade de se inscrever neste percurso. Convidamos todos e todas a visitar este blogue!

Página 4


Uma “nova oportunidade” em Bruscos

No mês de Janeiro, quinze candidatos iniciaram o Processo de RVCC de Nível Básico e Secundário, em Bruscos (Freguesia de Vila Seca), dando, assim, nova vida à Escola Básica do 1º ciclo, desactivada há cerca de um ano. Este grupo integra pessoas com percursos de vida distintos, mas que apresentam algo em comum… as suas experiências a nível pessoal, profissional, formativo e social permitiram-lhes adquirir e desenvolver aprendizagens significativas em várias áreas, tais como construção civil, serralharia, agricultura e mecânica. Em todas as sessões, há momentos de partilha de vivências e de saberes, em que cada um apresenta e ensina aquilo que melhor sabe fazer, aquilo que aprendeu ao longo da vida e com a vida… E como a alegria que se tem em pensar e aprender faz-nos pensar e aprender ainda mais (Aristóteles), alguns dos candidatos deste grupo estão a frequentar uma Unidade de Formação de Curta Duração de Processador de Texto, ministrada pela INWEB. Até ao momento, a vontade de aprender tem sido notória e o computador começa já a fazer parte das suas vidas.

Maria João Vieira Profissional de RVC

“O Sobreendividamento das Famílias” Foi no passado dia 30 de Março que, uma vez mais e à semelhança de iniciativas anteriores, o Centro Novas Oportunidades da Escola Fernando Namora levou a efeito uma palestra, desta vez, subordinada ao tema “O Sobreendividamento das Famílias ”, que contou com a colaboração da Jurista da Associação Portuguesa da Defesa do Consumidor (DECO), Dra. Carolina Silva, Coordenadora do Gabinete de Apoio ao Sobreendividamento. Afirmar que esta iniciativa foi um êxito não será um exagero, uma vez que estiveram presentes cerca de 70 adultos, o que, se, por um lado, nos deixa bastante satisfeitos, por outro, nos preocupa, pois um número tão elevado de participantes numa palestra sobre este tema só pode denotar alguma preocupação e alguma vontade de saber mais sobre o mesmo. A Jurista convidada começou por fazer uma breve apresentação da DECO, passando, depois a falar da importância da “poupança”, as “motivações da poupança” e os “destinos da poupança”, concluindo que “a melhor forma de poupar será sempre a diminuição do consumo” e o controle das despesas. Aproveitou para salientar a urgência de possuirmos “bons hábitos de consumo”, frisando a necessidade de “não vivermos acima das nossas possibilidades” e de nunca, mas nunca, procurarmos novos créditos para fazer face a créditos anteriormente contraídos, uma vez que tal gera uma espiral quase sem fim. Lembrou também a necessidade de sabermos dizer não à “tentação de fazermos compras”, à necessidade de elaborarmos constantemente listas de compras e de preferimos os artigos da chamada “linha branca”. Apontou a elaboração de um orçamento familiar mensal como a melhor estratégia para o controlo das despesas. Acabou por relatar algumas situações de casos que diariamente chegam à delegação da DECO, em Coimbra, e informar que o Gabinete de Apoio ao Sobreendividamento está sempre disponível para particulares, independentemente de serem sócios ou não da DECO. Agradecemos a colaboração da Dra. Carolina Silva que, de uma forma clara, precisa e concisa prendeu a atenção de todos os participantes, esclarecendo de uma forma prática todas as questões colocadas.

Victor Nunes Formador de Cidadania e Profissionalidade

Página 5


8 de Abril - Dia do Patrono

A Equipa do Centro Novas Oportunidades tem o prazer de convidar V. Exa. a participar na Tertúlia Literária “Um Livro Mil Leituras”, no âmbito da comemoração do Dia do Patrono, no Museu do Moinho das Lapas em Cernache.

FORMAÇÃO MODULAR CERTIFICADA Promovida pelo Centro Novas Oportunidades em parceria com Talentus, Inweb e Agrupamento de Escolas, está a decorrer, na Escola e na Escola Básica de Bruscos, Formação Modular (UFCD) nas áreas de: - Higiene e Segurança no Trabalho - Processador de Texto - Língua Estrangeira Continuação - Inglês

Estão abertas as inscrições no Centro Novas Oportunidades para: ♦ RVCC de Nível Básico ♦ RVCC de Nível Secundário ♦ Cursos EFA de Nível Básico e Secundário ♦ Formação Modular Certificada ♦ Português para Estrangeiros ♦ Curso de Alfabetização

- TIC - Internet Telefone - 239 940 200/ 239 940 206

Brevemente, iniciará formação modular nas áreas: - Administrativa - Informática - Gestão Inscreva-se no Centro Novas Oportunidades

Página 6 Composição, revisão e processamento de texto/Equipa do CNO

Fax - 239 940 209 E-mail: cno.fernando.namora@gmail.com

Folha do CNO - Abril de 2011  

Folha do CNO no Jornal da Escola Secundária Fernando Namora, Abril de 2011