Page 1


De características urbanas e rurais, a localização do concelho de Vila Franca de Xira, a 20 km da Capital e com cerca de 23 km de frente ribeirinha, permite uma oferta rica em património natural, histórico e cultural. Da beleza do rio Tejo à Reserva Natural do Estuário do Tejo, do esplendor das Lezírias aos núcleos antigos dos centros urbanos ou das Quintas Municipais a um calendário recheado de eventos, são inúmeros os motivos para nos visitar e conhecer um Turismo com Identidade. Tourism with identity For its rural and urban characteristics, 20 km away from Lisbon and with a river front of nearly 23 km long, the location of Vila Franca de Xira offers a rich natural, historical and cultural patrimony. From the beauty of the Tagus River to the Tagus Estuary Natural Reserve, from the splendorous Lezírias to the ancient urban centers or from the Municipal Estates to a full-of-events-calendar, there are several reasons for you to visit us and make acquaintance to a Tourism with identity.

Cultura e lazer A rede de espaços museológicos é vasta e a par do Museu Municipal, diversos núcleos museológicos dão continuidade à memória identitária local com a apresentação de exposições de reconhecido interesse. Nascida no final dos anos 30, a corrente literária neorrealista tem a sua homenagem no Museu do Neo-Realismo, um dos ex-libris de Vila Franca de Xira. Encontramos neste um vasto conjunto de coleções museológicas, espólios literários, acervos iconográficos, obras de arte, bibliotecas particulares e uma biblioteca especializada na temática. Para além das paisagens urbanas e campestres há agora uma frente ribeirinha para descobrir… um caminho pedonal que o põe lado a lado com o rio Tejo. Passear a pé ou de bicicleta, fazer jogging, piqueniques ou simplesmente apreciar a paisagem são algumas das possibilidades, desde Alhandra até ao Jardim Municipal, em Vila Franca de Xira. A passagem superior junto ao acesso deste Caminho funciona como miradouro, mas pode ainda usufruir de outro, onde a vista é igualmente privilegiada e apreciar o contraste das margens do rio; o bulício da cidade e a tranquilidade dos campos cultivados: o Miradouro do Monte Gordo. Com excelentes condições para a prática de atividades ao ar livre, como caminhadas, BTT ou canoagem. Cachoeiras, Calhandriz e S. João dos Montes oferecem diversos percursos rurais. Visitando estas zonas de predominante paisagem agrícola é natural encontrarmos igrejas e capelas, ruínas que nos contam a história do Concelho, num ambiente de quietude. A não perder são as visitas pelas Quintas Municipais em Subserra, no Sobralinho e na Póvoa de Santa Iria. Culture and leisure A wide net of museums perpetuate the identity of local memories by means of interesting exhibitions. The Neo-Realistic movement was payed tribute through the edification of its own Museum in Vila Franca de Xira. A wide range of museum collections, literary assets, pieces of art and a specialized library compose this city ex-libris. Besides urban and rural landscapes, the river front is a place to discover… a walking path that puts you side by side with the Tagus River, by walking, bike riding or jogging. Picnicking and sightseeing are some other of the possibilities of this route that links Alhandra to the Municipal Park of Vila Franca de Xira. The footbridge and the Monte Gordo Belvedere allow you to see the contrast of the river’s


banks, the city haste and the calmness of the rural fields. The villages of Cachoeiras, Calhandriz and S. João dos Montes offer you several rural trails that can be used to practice many open-air activities. When visiting these mainly agricultural areas, it is usual to find churches and chapels, ruins that silently tell the council’s history. You also mustn’t miss the Municipal Estates of Subserra, Sobralinho and Póvoa de Santa Iria.

Alie a marcha à história Desfrute do percurso pedestre na 1.ª Linha de Torres

No início do século XIX, Vila Franca de Xira ficou marcada pelas invasões francesas, iniciando-se então o sistema defensivo construído em grande sigilo, para fazer face ao invasor francês e que haveria de ficar conhecido por Linhas de Torres Vedras. Um passeio pela crista dos montes, ao longo destas linhas, permite visitar alguns dos redutos militares, como os moinhos de vento usados como pontos de tiro. O percurso inicia-se na bonita Quinta Municipal de Subserra (datada de 1633), atravessa as históricas estradas militares, apresenta a Ermida de S. Romão, igreja notabilizada pelos seus painéis de azulejos seiscentistas, terminando na Quinta do Bulhaco noutros tempos aproveitada como quartel general do Estado-Maior dos exércitos. Join the pleasure of walking to history and enjoy the Route of the 1st Defensive Line of Torres Vedras In the beginning of the 19th century, Vila Franca de Xira was marked by the French invasions, thus starting the secretly building of a defensive system, aiming to stop the French invader and that would later be known as The Defensive Line of Torres Vedras. A walk through the hills along these lines introduces some of the military constructions, such as the windmills, formerly used as shooting lines. The trail starts in the beautiful Municipal Estate of Subserra (1633), crosses the historical military roads, presents the Ermida of S. Romão (chapel known for its 16th century tiles) and ends in Quinta do Bulhaco, formerly used as Army Head-Quarters.


Estuário do Tejo Ermida de Alcamé, Ponta d’ Erva, Lezírias Sendo um tesouro natural, composto por um ecossistema diversificado, o valor biológico do Estuário do Tejo é traduzido na sua classificação como Área Protegida. Composta por águas estuarinas, zonas de lama e sapal, mouchões (Póvoa, Alhandra e Lombo do Tejo), salinas, pastagens e terrenos agrícolas (Lezírias), a área da Reserva Natural do Estuário do Tejo distribui-se pelos concelhos de Alcochete, Benavente e Vila Franca de Xira. De toda a biodiversidade da fauna existente, são as aves que atribuem um valor incomensurável a esta área protegida, que encontram aqui um local ideal para repouso, nidificação e alimento, nos seus percursos de migração da Europa para a África Ocidental. A sua observação, atividade por excelência do Turismo de Natureza, é possível no Espaço de Visitação e Observação de Aves – EVOA - que integra um Centro de Interpretação Ambiental com salas de exposições e multiusos, cafetaria e loja. É comum observar nos Mouchões, Flamingos, Garças, Patos, Alfaiates, Maçaricos e Pilritos, entre mais de 70 espécies. Ainda o gado bovino, nomeadamente touros bravos, assim como cavalos, são presença habitual nas nutritivas pastagens da Lezíria e uma referência nacional no que concerne à produção pecuária. Também ali a Ermida de N.ª Sr.ª de Alcamé, datada do Séc. XVIII, outrora local de culto para os trabalhadores das planícies Vila-franquenses é atualmente objeto de romaria.

Tagus Estuary Alcamé Church, Ponta d’Erva, Lezírias Natural treasure composed by a diversified ecosystem, the biological value of the Tagus Estuary translates into its nomination of Protected Area. Composed by estuarine waters, mud lands and a salt marsh, marshlands (Póvoa, Alhandra and Lombo do Tejo), pastures and agricultural lands (the Lezírias), the Natural Reservation of the Tagus Estuary is distributed along the councils of Alcochete, Benavente and Vila Franca de Xira.

Among all the existing biodiversity, water birds give the estuary an invaluable importance. During periods of migratory passage, water birds rest in this place, where they nidify and get food and then they migrate to Africa. It is possible to observe the birds activity in EVOA, which is a place where you can find an Environmental Interpretation Center, several exhibition rooms, a cafeteria and a shop. In the marshlands it is usual to watch flamingos, little egrets, mallards, avocets, black-tailed Godwits and lapwings, among more than seventy different species. Bulls and horses also mark the green Lezírias pastures. Still in there, you find the Church of N. Sra. de Alcamé, built in the 18th century, a former place of pray for the workers of Vila Franca de Xira’s.


Rio acima no barco varino Liberdade O barco Varino “Liberdade”, uma das muitas embarcações que faziam parte de um intenso tráfego fluvial de transporte de mercadorias, é hoje uma referência, transformado num Núcleo Museológico do Museu Municipal de Vila Franca de Xira. De maio a outubro, mediante marcação prévia, o “Liberdade” segue os contornos do rio ao encontro das paisagens e das histórias que fizeram as gentes da zona ribeirinha de Vila Franca de Xira. Percorre o Rio do cais de Vila Franca aos Mouchões do Lombo do Tejo e da Póvoa de Santa Iria ou de Vila Franca até Valada do Ribatejo. As zonas ribeirinhas de Vila Franca de Xira e Alhandra constituem pontos obrigatórios pela sua singularidade. Up the River aboard the “Liberdade” Boat Agent of development due to its navigability, the Tagus River has decisively contributed to the human settling in the area, determining at the same time their way of life. “Liberdade” is nowadays a reference, since the Municipality of Vila Franca de Xira has named it a museum center belonging to the Municipal Museum of Vila Franca de Xira. Operating with organized groups from May to October by previous booking, “Liberdade” sails the river meeting the landscapes and the stories that gave birth to Vila Franca de Xira’s inhabitants. It sails from the city’s harbor to the marshlands of Lombo do Tejo and Póvoa de Santa Iria or from Vila Franca de Xira to Valada do Ribatejo, where the river is known for its single beauty.


Pertencente à Confederação Mundial das Cidades Taurinas, Vila Franca de Xira tem uma fama atestada pela criação de cavalos e toiros de lide, pela manutenção da figura ímpar do Campino, pelas gerações de forcados, pelo entusiasmo popular nas esperas e pela arte de cavaleiros e matadores de toiros que levaram longe o nome do Município. As tradições na arte tauromáquica estão bem patentes no património e nos eventos levados a cabo pela Câmara Municipal. Na sede de Concelho encontramos monumentos de homenagem ao forcado, ao toureiro e ao campino. Refira-se a Casa-Museu Mário Coelho que proporciona uma viagem pelos 40 anos de carreira do Maestro e destaque para a afamada e centenária Praça de Toiros Palha Blanco. As tertúlias, as coudelarias e ganadarias têm ainda forte presença na restante área do Concelho. A Semana da Cultura Tauromáquica e a festa do Colete Encarnado, realizados em junho e julho respetivamente, representam o expoente máximo da celebração da afición.

Fiesta Being a member of the International Confederation of Tauromachic Villages, Vila Franca de Xira is well known for the breeding of horses and wild bulls (toros de lide), for keeping the special role of the Campino (herdsman) and the different generations of forcados, for the popular enthusiasm shown when watching the bulls running in the streets, as well as for horse riders and bullfighters, who have far taken the name of Vila Franca de Xira. The tauromachic art traditions are shown both in patrimony and in the events organized by the Municipality. In Vila Franca de Xira you’ll find monuments which pay tribute to the forcado, the bullfighter and the herdsman. Mário Coelho Museum-House offers the visitor a voyage through the Maestro’s 40-year-old career. The recognized centenary Palha Blanco Bulring, the peñas, stud farms and bull farms still have a strong presence throughout the whole council. The Tauromachic Culture Week and the Red Waistcoat Festival, in June and July, respectively, represent the maximum exponent of aficion.


Um dos principais atrativos turísticos do nosso Concelho é a Gastronomia, cujo sabor está associado à pesca e ao trabalho rural. O Tejo foi, e ainda hoje é, fonte de riqueza e subsistência para muitas famílias, que encontram na faina e nas artes de pesca a sua forma de vida. Numa representação da cultura da beira-rio, nada mais natural do que privilegiar, numa campanha de gastronomia, o sável. Este peixe, que na primavera escolhe o Rio Tejo para a desova, foi o principal responsável pelas migrações de Varinos e Avieiros para esta região. Assim, de março a abril, os restaurantes do Concelho, participantes na Campanha, inserem na sua ementa o sável nas suas diferentes formas de cozinhar. Já em novembro é tempo de provar os sabores campestres da cozinha tipicamente ribatejana, com diversos pratos: Cozido de Carnes Bravas, Torricado com Bacalhau Assado, Galinha de Cabidela, Enguias à Pescador, Caldeirada Mista, Dobrada à Vila Franca, Coelho da Horta, Ensopado de Borrego. A sopa de bacalhau, os linguadinhos, o melão da Lezíria e os bolos regionais - “Garraios” e “Lezírias” - são outras das especialidades mais saborosas. A tasteful patrimony One of Vila Franca de Xira’s attraction points is gastronomy, which taste comes from both fishing and agriculture. The Tagus River has always been a source of well-being and subsistence for many families, who earn their lives from fishing. Representing the cult of the river, a gastronomic campaign is named after the shad. During Spring, this fish- which chooses the Tagus for spawning- was the main responsible for the migration of several groups of fishermen (avieiros and varinos) into the region of Vila Franca de Xira. During March and April the council’s restaurants participating in the campaign present several shad recipes in their menus. In November, it’s time to taste the typical rural dishes of the Ribatejo region: boiled meats, grilled codfish with olive oil toasts, codfish soup or fish stew are some of the most tasty specialties that can be found in Vila Franca de Xira, as well as the melon from the Lezírias or the regional cakes “Garraios” and “Lezírias”.


Vila Franca de Xira