Issuu on Google+

Celeiro da Patriarcal de Vila Franca de Xira


No contexto de uma programação marcada pela diversidade das suas propostas estéticas e disciplinares, a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira orgulha-se de apresentar uma grande exposição colectiva de arte contemporânea em associação com a Galeria Paulo Nunes – Arte Contemporânea, espaço galerístico sediado na nossa cidade, com quem estabelecemos esta primeira parceria cultural. A actual apresentação de projectos artísticos de alguns dos melhores artistas portugueses, espanhóis e brasileiros da actualidade reflecte não só o profissionalismo da Galeria Paulo Nunes, como a necessidade de lhes conferir mais amplas condições de exposição e visibilidade. O Celeiro da Patriarcal recebe, por isso, um conjunto de intervenções e trabalhos específicos de oito artistas de renome, nomeadamente Ana Pimentel, José de Guimarães, Joana Rêgo, Gilvan Nunes, Marcela Navascués, Marta Strambi, Paulo Damião e Susana Pires, que em muito vêm enriquecer a oferta cultural da cidade. As diferenças de registos técnicos, estéticos e processuais registadas por cada uma das intervenções traduzem de alguma forma a abertura ao pluralismo que caracteriza a produção artística contemporânea. Todos os trabalhos aqui presentes revelam uma singularidade maior, entre a sensibilidade da pintura e a interdisciplinaridade objectual da instalação, todos eles nos lembram a complexidade criativa que nos rodeia. Esta é uma exposição que marca em termos culturais o final do ano 2010 no nosso Concelho, podendo ser apreciada pelos munícipes e pelo público em geral de 18 de Dezembro até 6 de Fevereiro de 2011. Estamos certos de que deste modo estaremos uma vez mais a contribuir para o aprofundamento da experiência estética e de receptividade artística de todos aqueles que nos honrarem com a sua visita. Por fim, aos artistas convidados, à Galeria Paulo Nunes – arte contemporânea, ao comissário da exposição Nuno Olim Marote e sua equipa técnica, gostaríamos de manifestar o nosso profundo reconhecimento pelo seu inestimável contributo para o sucesso deste evento cultural. A Presidente da Câmara Municipal Maria da Luz Rosinha


O Projecto1_Galeria Paulo Nunes – AC_Patriarcal VFX reúne uma selecção de artistas representados pela Galeria Paulo Nunes – arte contemporânea. Nesta 1ª exposição obras de Ana Pimentel, José de Guimarães, Joana Rêgo, Gilvan Nunes (Brasil), Marcela Navascués (Espanha), Marta Strambi (Brasil), Paulo Damião, Susana Pires e do convidado Tim Madeira são acolhidas no Celeiro da Patriarcal de Vila Franca de Xira, edifício de interesse público e de utilização cultural. Simultaneamente âncora e alavanca da Missão que pretende fazer itinerar artistas e obras por plataformas de visibilidade nacionais e internacionais (feiras, instituições e centros culturais), a Cidade de Vila Franca de Xira estabelece-se como ponto de partida e rótula de acesso à difusão do conhecimento. Esta parceria, selada com a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, permitirá proporcionar condições extraordinárias aos artistas, bem como elevar a ambição dos futuros projectos. De Vila Franca de Xira para o mundo e do mundo para Vila Franca de Xira fornece o mote que define o sentido maior do projecto e o objectivo de envolver artistas e curadores internacionais, também estes potenciadores da missão de intercâmbio a desenvolver no curto prazo com países como Espanha, Brasil, Cabo Verde, Angola. O não limite da Arte, a par com a interpretação singular do(s) artista(s), participa no desenvolvimento colectivo e sócio-cultural, mas não só. Reflecte, com liberdade de pensamento e de expressão, a riqueza do mundo na sua dicotomia entre plural e global. O Projecto1_Galeria Paulo Nunes – AC_Patriarcal VFX deverá ser lido como ponte conceptual não finita pois a sua génese e visão são na definição e substância agregadoras e não finitas. Distintas formas de expressão estão representadas na exposição de Projecto1_Galeria Paulo Nunes – AC_Patriarcal VFX, desafiando o início de um percurso em tríade, desde logo rico e participado, envolvendo Câmara Municipal, Galerista e Comissário. Condições extraordinárias foram reunidas para originar este objecto inovador, resultante de um olhar e pensamento colectivos, sendo de louvar (e alimentar) a dedicação e envolvimento formal e informal de todas as equipas. Só o empenho incansável e a coesão revelados pelos intervenientes e patrocinadores permitiram a realização desta primeira exposição e lançamento dos catálogos, num intervalo de tempo recorde. Aos artistas representados, ao João Bettencourt Bacelar e ao Pedro Pires Praça um cumprimento especial por terem aceite este primeiro desafio. Em nome do galerista Paulo Nunes e em meu próprio, um Muito Obrigado e até breve. O Comissário e coordenador da exposição, Nuno Olim Marote


Sobre o Celeiro da Patriarcal de Vila Franca de Xira O Celeiro da Patriarcal foi construído por iniciativa do 1º Patriarca de Lisboa, D. Tomás de Almeida, a sua construção foi iniciada a 13 de Novembro de 1747 e concluída a 28 de Agosto de 1751, tendo sido a despesa total da obra avaliada em 31.117$263 réis. O autor do projecto de construção foi o arquitecto José Custódio de Sá e Faria, estando a própria planta do edifício por ele assinada. O percurso do referido arquitecto, também mencionado como engenheiro, está intimamente ligado às obras de cariz militar, tendo desenvolvido também projectos de arquitectura civil, neste âmbito, embora o Celeiro da Patriarcal seja um projecto civil, a sua tipologia está directamente relacionada com o esquema programático vigente nas construções militares portuguesas que surgiram ao longo do século XVI, visando claramente a sua vertente funcional. As características desta construção, nomeadamente as calhas existentes em alguns elementos arquitectónicos no seu interior, que têm em vista a criação de diferentes áreas para o depósito de diversos cereais, numa mesma altura, testemunha que a sua edificação foi efectuada especificamente para esse fim, ou seja, com o intuito de assegurar o depósito dos cereais produzidos nos terrenos agrícolas localizados nas Lezírias, pertencentes à Igreja Patriarcal de Lisboa, ao mesmo tempo que marcava, na sua formulação de imponente construção arquitectónica e o prestígio e o estatuto daquela instituição. O seu aspecto decorativo mais significativo encontra-se presente no frontão triangular da fachada principal, com medalhão oval em cantaria no tímpano assente sobre uma base de enrolamentos, apresentando no interior com motivos vegetalistas que se cruzam e cercam uma esfera lisa e laço em baixo-relevo ladeado por volutas. O Celeiro da Patriarcal manteve o mesmo tipo de utilizações quando as propriedades da Igreja Patriarcal de Lisboa foram adquiridas pela Companhia das Lezírias do Tejo e Sado, em 1836. Integrando os diversos bens adquiridos em hasta pública. Posteriormente, na segunda metade do Século XX, foi parcialmente utilizado para a instalação de um estabelecimento de ensino. A cedência deste imóvel pela Companhia das Lezírias à Câmara Municipal de Vila Franca de Xira em 2000 e a consequente execução de obras de reabilitação e adaptação a novas funções como equipamento cultural, e a classificação como Imóvel de Interesse Público em 2009 (Portaria 1158/2009 de 02 de Novembro), conferem-lhe novas utilizações culturais e de marco históricocultural.


Ana Pimentel


Ana Pimentel, “Merry - Making�, 2008, mista sobre papel, 49x70cm


Ana Pimentel, “Wedding-Breakfast”, 2008, mista sobre papel; 49,5x68cm


Ana Pimentel, “On the Way Home”, 2008, mista sobre papel; 49,5x68cm


Ana Pimentel, “Rosacea”, 2008, mista sobre papel; 49,5x68cm


Ana Pimentel, “Day of Easter”, 2008, mista sobre papel; 49,5x68cm


Ana Pimentel, “Je t’Adore”, 2008, mista sobre papel; 49,5x68cm


Ana Pimentel, “The Banket�, 2008, mista sobre papel; 49,5x68cm


Ana Pimentel, “O Prazer de Cada Dia�, 2008, mista sobre papel; 49,5x68cm


Ana Pimentel, “Festive�, 2008, mista sobre papel, 70x70cm,


Gilvan Nunes


Gilvan Nunes, “Noturnos”, 2010,óleo sobre tela, 25x35cm


Gilvan Nunes, “Noturnos”, 2010,óleo sobre tela, 25x35cm


Gilvan Nunes, “Noturnos”, 2010,óleo sobre tela, 25x35cm


Gilvan Nunes, “Noturnos”, 2010,óleo sobre tela, 25x35cm


Gilvan Nunes, “Noturnos”, 2010,óleo sobre tela, 25x35cm


Gilvan Nunes, “Noturnos”, 2010,óleo sobre tela, 25x35cm


Gilvan Nunes, “Noturnos”, 2010, óleo sobre tela, 35x25cm


Gilvan Nunes, “Noturnos”, 2010, óleo sobre tela, 35x25cm


Gilvan Nunes, “Noturnos”, 2010, óleo sobre tela, 35x25cm


Gilvan Nunes, “Naturama Rosa”, 2010, óleo sobre tela, 113x146cm


Gilvan Nunes, “Naturama Fontana”, 2010, óleo sobre tela, 150x150cm


Gilvan Nunes, “Naturama”, 2010, óleo sobre tela, 170x200cm


Gilvan Nunes, “Jardim1”, 2010, óleo sobre tela,45x54cm


Gilvan Nunes, “Jardim2”, 2010, óleo sobre tela, 45x54cm


Gilvan Nunes, “Passeio em Lisboa”, 2010, óleo sobre tela, 45x54cm


Tim Madeira artista convidado a participar no Favel達o


Joana RĂŞgo


Joana Rêgo, “ S de Silêncio”, 2010, acrílico sobre tela, 166x120cm


Joana Rêgo, “ Q de Quase”, 2010, acrílico sobre tela, 166x120cm


Joana Rêgo, “ Pausa”, 2010, acrílico sobre papel, 166x120cm


Joana Rêgo, “ Azul”, 2010, acrílico sobre papel, 166x120cm


Joana Rêgo, “ Um Minuto”, 2010, acrílico sobre papel, 166x120cm


Joana Rêgo, Branco Memória”, 2010, acrílico sobre papel, 166x120cm


José de Guimarães


José de Guimarães, “Feitiço Relicário”, 1994, mista sobre tela, 92x73cm


402 José de Guimarães, ,” sem titulo “,1977,guache sobre papel artesanal,31x24cm


403 José de Guimarães, “ sem titulo “, 2008 guache sobre papel artesanal, 34x26cm


404 José de Guimarães, “ sem titulo “, 2009, guache sobre papel artesanal, 17x21,5cm


405 José de Guimarães, “Signes7”, 2002; colagem, técnica mista e néon, 42x42x10cm


Marcela NavascuĂŠs


Marcela Navascués, “La Buena Estrella”, 2005, mista/luz negra, 70x70x7cm


Marcela Navascués, “Piensa en Verde”, mista/luz negra, 30x40x7cm


Marcela Navascués, “Corazón Partido”, 2005, mista/luz negra, 40x40x7cm


Marcela Navascués, “Mini Mundos”, 2006, mista/luz negra, 130x40x7cm


Marcela Navascués, “Reunión en el Bosque II”. mista/luz negra,


Marcela Navascués, “Dia de Campo II”, 2007, mista/luz negra, 33x100x7cm


Marcela Navascués, “Habitat Básico”, 2006, mista/luz negra, 100x33x7cm


Marcela Navascués, “Somos Luz”, 2005, mista/luz negra, 70x35x7cm


509 Marcela Navascués, “En la Diana”, 2005, mista/luz negra, 50x50x7cm


Marcela Navascués, “A-Isla-Dos”, mista luz/negra, dimensão variável


Marta Strambi, “copos� Serie I ( 3 copos), 2007, vidro fundido, 10x7x2cm


Marta Strambi, “Forquilha� ( n2/3) 2007, silicone e chumbo, 17x17x10cm


Marta Strambi, �Sem I� 2007, aguada sobre papel, 39x27cm


Marta Strambi, �Edificio� 2007, aguada sobre papel, 39x27cm


Marta Strambi, “SEM”Serie II ( 28 tijolos), 2007, silicone, variável


Paulo Dami達o


Paulo Damião, “O Véu”, 2009, óleo sobre tela, 60x50cm


Paulo Damião, “Paisagem paralela”, 2009,óleo sobre tela, 60x50cm


Paulo Damião, “sem titulo”, 2009, óleo sobre papel, 70x60cm


Paulo Damião, “sem titulo”, 2009, óleo sobre papel, 70x60cm


Paulo Damião, “sem titulo”, 2009, óleo sobre papel, 70x60cm


Paulo Damião, “sem titulo”, 2009, óleo sobre papel, 70x60cm


Paulo Damião, “sem titulo”, 2009, óleo sobre papel, 70x60cm


Paulo Damião, “sem titulo”, 2009, óleo sobre papel, 70x60cm


Paulo Damião, “sem titulo”, 2009, óleo sobre papel, 70x60cm


Paulo Damião, “sem titulo”, 2009, óleo sobre papel, 70x60cm


Paulo Damião, “sem titulo”, 2009, óleo sobre papel, 70x60cm


Paulo Damião, “sem titulo”, 2009, óleo sobre papel, 70x60cm


Paulo Damião, “sem titulo”, 2009, óleo sobre papel, 70x60cm


Paulo Damião, “A novidade”, 2010,óleo sobre tela, 100x80cm


Paulo Damião, “Luto 1”, 2010,óleo sobre tela, 150x100cm


Paulo Damião, “Consumação”, 2010,óleo sobre tela, 130x160cm


Paulo Damião, “Encontro”, 2010,óleo sobre tela, 130x160cm


Susana Pires


Susana Pires, “ Por ouvir�, 2010, tinta-da-china sobre papel, 80x60cm


Susana Pires, “Funambulos�, 2010, tinta-da-china sobre papel, 80x60cm


Susana Pires, “Relacionalidades�, 2010, tinta-da-china sobre papel, 80x60cm


Susana Pires, “Saudades do Inevitável”, 2010, tinta-da-china sobre papel, 80x60cm


Susana Pires, “Confluências”, 2010, tinta-da-china sobre papel, 80x60cm


Susana Pires, “Encontros”, 2007, tecidos vários, dimensões várias


Susana Pires, “Encontros”, 2007, tecidos vários, dimensões várias


Susana Pires, “Encontros”, 2007, tecidos vários, dimensões várias


Susana Pires, “Encontros”, 2007, tecidos vários, dimensões várias


Susana Pires, “Encontros”, 2007, tecidos vários, dimensões várias


Susana Pires, “Encontros”, 2007, tecidos vários, dimensões várias


Celeiro da Patriarcal Vila Franca de Xira De 18 de Dezembro a 6 de Fevereiro 2011 Organização Galeria Paulo Nunes - arte contemporânea Nuno Olim Marote Comissariado e Coordenação Nuno Olim Marote Projecto Gráfico João Bacelar Fotografia João Bacelar Agradecimentos Bruno di Polto Renata de Amaral Contactos Galeria Paulo Nunes – arte contemporânea www.paulonunes-ac.com Paulo Nunes +351 966825174 geral@paulonunes-ac.com Nuno Olim Marote +351 91 875 74 77 nmsrote@hotmail.com



Lançamento dos catálogos da exposição colectiva de Arte Contemporânea