Page 1

Rosa Nunes |

Dias Felizes


Capa:

M

Execução Gráfica: GIRP|SDPG

Câmara Municipal de Vila Franca de Xira – Divisão de Ação Cultural – Impresso na Tipografia Municipal 2012

Para receber informação sobre as nossas iniciativas culturais, envie um e-mail para: iniciativas@cm-vfxira.pt com o assunto “INICIATIVAS”

Canson, colados sobre pranchas de madeira (pinheiro manso dos bosques do TorInstalação “Dias Felizes”, fragmentos de fotografia impressa em papel vegetal

rão) de construção naval, cedidas por Jaime Costa do Estaleiro Naval de Sarilhos Pequenos (Moita). Pormenor.

A Ç Õ E

Museu Municipal de Vila Franca de Xira Fotografia Christine Otsver 03 de novembro de 2012 a 13 de janeiro 2013 Rua Serpa Pinto, n.º 65 - Vila Franca de Xira Telefone: 263 280 350 3ª feira a domingo das 9h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h30 Encerra: 2ªs feiras e feriados

R

Galeria de Exposições da Biblioteca Municipal de Vila Franca de Xira Fotografia | “Memória” Pedro Machado 25 de outubro a 08 de dezembro de 2012 Telefone: 263 271 200 Travessa do Curral n.º 8, Vila Franca de Xira 3ª, 4ª e 6ª feira das 10h00 às 19h00; 5ª feira das 10h00 às 22h00; sábado das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h30; Encerra: 2as feiras, domingos e feriados

O

Galeria Municipal de Exposições Palácio Quinta da Piedade Fotografia |“Surrealismo” André Boto 27 de outubro a 15 de dezembro de 2012 Quinta Municipal da Piedade Rua Padre Manuel Duarte, Póvoa de Santa Iria Telefone: 219 533 050 3ª feira a sábado das 10h00 às 12h00 e das 14h00 às 19h00 Encerra: 2as feiras, domingos e feriados

F

Celeiro da Patriarcal BF12 - 12ª Bienal de Fotografia 17 novembro de 2012 a 20 janeiro de 2013 Rua Luis de Camões, n.º 130 - Vila Franca de Xira Telefone: 263 271 155 3ª a 6as feira das 14h00 às 19h00 | sábado e domingo das 15h00 às 19h00 Encerra: 2as feiras e feriados

N

OUTRAS EXPOSIÇÕES

I S

[Patente]

Galeria de Exposições Augusto Bértholo – Alhandra Fotografia “Dias Felizes” Rosa Nunes 03 de novembro a 02 de dezembro de 2012 4ª feira a domingo das 09h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h30 Encerra: 2as, 3as feiras e feriados Largo do Cais, nº3 - 2600-422 Alhandra Telefone: 21 950 36 45 GPS: 9º0’25,80”O | 38º 55’30,05 N


3

Arqueóloga de formação, área a que tem dedicado a sua vida profissional, Rosa Nunes possui igualmente formação na área da Fotografia, apresentando já um interessante e consolidado percurso, conforme atestam as inúmeras exposições individuais e coletivas que, a convite de diferentes entidades um pouco por todo o país, tem vindo a realizar. Nesta que é a sua primeira exposição individual no nosso Concelho, intitulada “Dias Felizes”, Rosa Nunes apresenta um conjunto de fotografias, mas também instalação e vídeo. Uma exposição a não perder.

A Presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira

Maria da Luz Rosinha

Editorial

Integrada na programação paralela da BF 12 – 12.ª Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira, é com prazer que apresentamos uma exposição individual de Rosa Nunes, no espaço da Galeria de Exposições Augusto Bértholo, em Alhandra, a convite da Associação de Artistas Plásticos do Concelho de Vila Franca de Xira, que integra o Comissariado da Bienal.


Rosa Nunes

Nasceu no Torrão, em 1955. Integrou a equipa fundadora do Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal (MAEDS), em 1974, onde permanece como arqueóloga, dedicando-se a estudos sobre a Época Romana. Possui licenciatura em Sociologia e pós-graduação em Museologia. Fez o curso de “Fotografia Profissional” e o curso de “Projecto Fotográfico” na APAF (Associação Portuguesa de Arte Fotográfica) e ainda os cursos de “Práticas Artísticas Videográficas” no AR.CO (Centro de Arte e Comunicação Visual). É sócia da Sociedade Nacional de Belas Artes.

Exposições individuais: 2012 a 2007: “Dias Felizes”, MAEDS, Setúbal; “Beyond the Grave”, MAEDS, Setúbal; “Chrysallis”, MAEDS, Setúbal; “Escalas”, MAEDS, Setúbal; “Saudades do mar”, Galeria 3 Reis, Estremoz; “Sombras”, Centro Cultural Emmérico Nunes, Sines, Museu Municipal da Fotografia João Carpinteiro, Elvas e MAEDS, Setúbal; “Mascarados para festejar”, Biblioteca Municipal de Sesimbra; “Águas de Silêncio”, Pólo de Animação Ambiental, Alcochete, Biblioteca Municipal de Peso da Régua, Conservatório de Vila Real e MAEDS; “Atravessar a diferença”, MAEDS, Setúbal. Exposições colectivas: 2012 a 2006: “Outros olhares sobre o Montijo”, Galeria Municipal do Montijo; “Arquitecturas”, MAEDS e Centro de Artes de Sines; “Do uno ao plural”, Galeria da Biblioteca Municipal Dr. Orlando Ribeiro, Lisboa; 11.ª Bienal de Fotografia em Vila Franca de Xira, Celeiro da Patriarcal; “Imagens que as palavras ditam”, MAEDS, Setúbal; ON EUROPE- Bienal Internacional de Artes Plásticas de Montijo; “Vestígios do sismo de 1755 em Setúbal e Sines”, Centro de Artes de Sines; “O Sismo de 1755 em Setúbal e Santiago do Cacém”, Santiago do Cacém; “Embarcações tradicionais do Sado. Um património com futuro”, AERSET e MAEDS, Setúbal. Representada: - Câmara Municipal do Montijo (colecção da Galeria Municipal); - Câmara Municipal de Vila Franca de Xira; - Câmara Municipal de Setúbal (Forum Luisa Todi); - Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal / Assembleia Distrital de Setúbal; - Coleções particulares.

4


5

Série cicatrizes | 50 x 70 cm. Foto digital, impressão C-Print em Lambda colada sobre PVC. Impressão das fotografias: Viragem Lab (António Costa).


IRONIA (...) Os registos que constituem a presente instalação (fotografias da série cicatrizes e objectos fotográficos) definem uma arquitectura alegórica e dialéctica, atravessada por forte tensão destruidora, despojada de “sentimentalismos”. À sua volta, desenvolve-se pela circularidade interna do projecto, uma envolvente de terra de ninguém, desprovida de “rugosidades”, plana e incolor, inodora, insípida, inútil e vazia, mas obstaculizadora de uma excessiva aproximação. Essa área de protecção obriga a um afastamento do observador, e a uma visão de conjunto, mas não impede que os olhos tropecem na dureza dos fragmentos de arestas vivas em que a árvore da vida foi retalhada, e nesse corpo abatido em morte sacrificial, disperso pelo chão, jaz em si transmutado o corpo feminino na plena juventude, na firmeza perfeita dos seus volumes, na helenística proporção do rosto, da nuca, do tronco, enfim na sensualidade luxuriante dos poros. Imposta a contemplação melancólica, a instalação fotográfica atinge o observador com a compaixão pelo sofrimento do outro e nosso, que são uma e a mesma coisa... E a ideia de futuro inquieta-nos, ao testemunharmos uma morte violenta e inútil, e começa a fazer sentido a impossivelmente romântica Sonata ao Luar de Beethoven, como se alguém chorasse ao carregar o seu próprio féretro, ou assistisse amordaçado ao colapso do seu mundo. Através do vídeo, uma necessariamente diferente abordagem da imagem criativa, a autora escolhe uma narrativa visual mais descritiva e pedagógica, apontando claramente para a extrema desigualdade social, ou mesmo para a bipolarização em que a aparente homogeneidade da sociedade global se resolve. E como diria o poeta Nicolás Guillén, entre a anorexia da abundância e a privação da miséria, não deixes que te iludam! Não claudiques, baixando os braços, a luta de classes desenha o caminho da revolução. No título, pedra de fecho da abóbada do edifício desconstruído por Rosa Nunes, reside o impulso para a acção. A sua profunda ironia constitui uma poderosa arma ao serviço da transformação social. As árvores devem morrer de pé e os seres humanos, no esplendor da sabedoria. Joaquina Soares

Directora do MAEDS e Professora de Arqueologia Pré-histórica da Universidade Nova de Lisboa • Março de 2012

A pedido da autora, este texto não cumpre as regras do novo acordo ortográfico.

Série cicatrizes | 50 x 70 cm. Foto digital, impressão C-Print em Lambda colada sobre PVC. Impressão das fotografias: Viragem Lab (António Costa).

6


7

Tiras vídeos - Frames do vídeo “Dias Felizes”. Realização: Rosa Nunes. Representação: Maria João Nogueira e Nuno Joanico. Edição: Ana Castela.

Instalação “Dias Felizes”, Fragmentos de fotografia impressa em papel vegetal Canson, colados sobre pranchas de madeira (pinheiro manso dos bosques do Torrão) de construção naval, cedidas por Jaime Costa do Estaleiro Naval de Sarilhos Pequenos (Moita).


Horário 4ª feira a domingo das 09h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h30 Encerra: 2as, 3as feiras e feriados

www.cm-vfxira.pt | cultura@cm-vfxira.pt

Galeria de Exposições Augusto Bértholo | Largo do Cais, nº3 2600-422 Alhandra | Telefone: 21 950 36 45

Fotografia “Dias Felizes”, de Rosa Nunes  

3 de novembro a 2 de dezembro Galeria de Exposições Augusto Bértholo, Alhandra