Page 1

1ยบ QUADRIMESTRE

VILA FLOR

2016

CULTURAL AGENDA DE ATIVIDADES CULTURAIS DE VILA FLOR


1º QUADRIMESTRE

VILA FLOR

2016

CULTURAL AGENDA DE ATIVIDADES CULTURAIS DE VILA FLOR

FICHA TÉCNICA Edição Município de Vila Flor Coordenação Geral Gracinda Peixoto e Adelina Teixeira Fotografia Arquivo do Município de Vila Flor www.facebook.com/vilaflor.pt Propriedade Município de Vila Flor Impressão EXOTERRA Tiragem 2000 Exemplares

ÍNDICE Editorial In’CANTOS ...do Lugar dos afetos ...do ilustre vilaflorense ...do Museu ...da saudade ...da poesia In’PULSO Produtores do Concelho In’PRESS Arquivo de notícias INFORMAÇÕES ÚTEIS Alojamento Restauração Telefones Transportes CURIOSIDADES

2 4 6 8 10 12 13 15 30 32 34 35 36 46 49 50 51 52

Agradecemos o envio de programação de eventos para o Município de Vila Flor www.cm-vilaflor.pt


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL

EDITORIAL

Terminado o período do ano que carrega mais fortes sentimentos de harmonia, de solidariedade e de tolerância entre os homens, as instituições e as nações, registamos que o espírito de Natal, a magia da passagem do ano e a festa da Epifania ou do dia de Reis, continuam bem vincados em Vila Flor. São sentimentos enraizados, respeitados e celebrados com muito entusiasmo por todos. Foi um período de grande envolvimento da sociedade e das Instituições. O Concelho ficou mais brilhante, carregado de luz, de magia e muita alegria, bem expressa nos onze grupos da XXII Gala de “Cantar os Reis”, na numerosa participação no concurso das Montras e Presépios, para além de outras manifestações solidárias e de confraternização que ocorreram por todo o lado. O inverno veio carregado de chuvas fortes que, para além de terem provocado algumas inundações, quedas de muros e deslizamentos de terras, também foram repostas as reservas nos aquíferos, albufeiras e linhas de água. Ficou, mais uma vez, garantida a vida animal e vegetal nas nossas terras.

Recentemente, assistimos a mudanças na “página” da vida política portuguesa. Desejo a todos os altos responsáveis do país um bom trabalho, carregado de êxitos e resultados positivos para que, principalmente os mais desfavorecidos e os que vivem nas periferias da sociedade, vejam o seu nível de vida melhorado. Nós, nas novas madrugadas que aí vêm, vamos continuar a percorrer o caminho que traçamos, conscientes de que o poderemos melhorar, mas sempre concertado com as circunstâncias socioeconómicas e financeiras que atravessamos. Continuaremos a ser responsáveis para não corrermos riscos de hipotecar o futuro e mantermos a saudável estabilidade que o nosso Município, ao longo de muitos anos, nos tem pautado com muito orgulho. Seremos inexoráveis, realistas com certeza, mas também audazes, para atingir os objetivos que nos permitam colher os melhores resultados em prol desta adorável e amada terra, de xistos e granitos, que nos viu nascer e onde todos vivemos.

Também, nesta Agenda Cultural, continuamos a dar nota dos vários eventos ocorridos e preconizados para os próximos meses, que pretendemos de qualidade e dirigidos aos Vilaflorenses. Uma palavra para o excelente trabalho apresentado em várias páginas da Agenda, embora sendo apenas uma parte do levantamento efetuado. As “Alminhas” são um património de enorme valor artístico-religioso, espalhado por todo o Concelho, que não pode ser esquecido. Este património merece ser registado, conhecido e divulgado, pois tem lugar próprio na nossa cultura e está imbuído de manifestações, de misticismo e religiosidade popular, particularmente no Norte de Portugal. Aqui deixo votos sinceros de um bom ano, carregado de êxitos pessoais e profissionais, sobretudo com muita saúde, a todos os Vilaflorenses. O Presidente da Câmara Fernando Barros

“...os melhores resultados em prol desta adorável e amada terra, de xistos e granitos, que nos viu nascer e onde todos vivemos.”


VILA FLOR CULTURAL In’ CANTOS ...lugar dos afetos

- Bom dia…está a olhar para mim ou para a água que brota dessa torneira e que me enche mesmo até ao cimo. Já ultrapassou o “Lavadoiro”… não está surpreendida…pois, tem chovido com fartura. Foi sempre assim nos invernos de outros tempos… ultimamente nem tanto… ás vezes nem chove; até parece que as nuvens não têm água…devem ser das modernas, de plástico, talvez… cada vez que me lembro de ver a chegada à lua de pessoas cá do nosso planeta…eram lá da América é verdade… mas…eu vi! Foi no outro século em mil novecentos e sessenta e nove. Sabe, já tenho pouca serventia e sinto muitas saudades… quase toda a gente tem máquinas para tudo e até para lavar e secar a roupa, “modernices.” É só colocar as peças dentro de um tambor com umas pastilhas; não, não são comprimidos, são assim uns bolinhos retangulares ou redondos ou mesmo uma farinha especial que servem de sabão… ligam à eletricidade e pronto. Passado um tempo sai a roupa lavada e quase seca…tudo feito! Agora diga-me: isto tem alguma graça, lavar-se a roupa sozinha? Era tão lindo ver chegar aqui as moças casadoiras com as canastras cheias de

VILA FLOR CULTURAL

Auscultar os segredos das gentes de um lugar, de uma aldeia ou de um povo é sempre uma aproximação difícil…mas é sem sombra de dúvida um exercício aliciante e enriquecedor. roupa para lavar…retirar as peças e separálas por cor e tamanhos…ver aproximar os rapazes novos com ar de desinteressados olhando de soslaio para as suas conversadas e combinarem por sinais o encontro no regresso a casa, ou nos estendais mais próximos, longe dos olhares das mães e das gentes curiosas e maldizentes. Às vezes, quando não estavam familiares, até cantavam ao desafio, revelando os seus segredos em quadras bem ajustadas harmoniosamente. Eu tenho saudades dos mexericos e desabafos das moças e mulheres que traziam a alma cheia de emoções; enumeravam um a um os desgostos que sentiam quando a vida lhes era madrasta…lavavam a roupa na minha água; para compensar a que ficava retida na blusa, avental ou lençol, deixavam cair de seus olhos tristes, grossas lágrimas que iam, assim, repor a água que estava faltando! Mas também me confidenciavam as suas vivências saborosas que as envolvia em canções alegres e gargalhadas sonoras. Eu era mesmo o lugar preferido dos afetos…aqui tudo chegava… namoros, casamentos, uniões desavindas, notícias de morte, disto, daquilo…o quotidiano desta aldeia.

Os homens…eram sempre mais comedidos nas manifestações dos afetos; estava-lhes vedado o revelar dos seus sentimentos, sobretudo depois de constituírem família. Tornavam se donos da casa, dos seus campos, do dinheiro, das suas mulheres, dos filhos que tinham… falar das suas emoções não fazia parte de “Um Homem”.Não podiam nem deviam ser “piegas”! No adro da Igreja, ao Domingo, antes e depois da Missa, os homens falavam dos negócios, das fainas agrícolas, dos animais que tinham para as realizar e podiam eventualmente comentar uma ou outra notícia, quase sempre ditada pelos piores motivos, que tivesse acontecido nas redondezas, mas só aquelas que não pusessem em causa a honra dos comentadores, seus familiares ou amigos.

Amiga, falei de mim; do meu passado glorioso. Do que eu representava para a gente de Samões e, apesar de manter bem vivas estas recordações, não posso deixar de dizer que estamos noutros tempos. São tempos diferentes…mais abertos aos outros, mais solidários e muito mais atentos ao que se passa para além de nós, do nosso cantinho de conforto. Eu tenho uma história rica; a partir de hoje sou um “Tanque Imortal”. Esta oportunidade que me deu de lhe poder transmitir estes tesouros do meu passado, deixa-me eternamente feliz. Um abraço, bem fresquinho, repleto de gratidão, de um tanque cheio de água que alimenta vivências e saudades de outrora. Samões. M.ª Isabel Cardoso


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL In’ CANTOS ...do Ilustre Vilaflorense

“TINO NAVARRO”

Constantino Alberto Fernandes mais conhecido por Tino Navarro, nasceu em Vila Flor, a 28 de Fevereiro de 1954, filho de Manuel António Navarro e de Idalina Augusta Fernandes. Em 1987, Tino Navarro funda a Produtora MGN Filmes, que produziu e coproduziu 37 longas metragens de ficção e, ainda, uma mini-série de ficção (Até Amanhã, Camaradas). Os filmes produzidos pela MGN fizeram, até hoje em Portugal, mais de 1.900.000 espectadores nas salas de cinema, foram um enorme sucesso em home vídeo, tendo vendido mais de 500.000 exemplares; em televisão, de acordo com dados oficiais, foram vistos por mais 14.000.000 de telespectadores. Também no estrangeiro, os filmes produzidos pela MGN, tiveram um grande sucesso, com mais de 4.000.000 de espectadores só nas salas de cinema. Estiveram em selecção oficial em mais

de 700 Festivais e Mostras de Cinema em todo o mundo, entre os quais Berlim, San Sebastian, Shanghai, Moscovo, Karlovy Vary, Montreal e Cairo. Os filmes da MGN ganharam, ainda, 79 Prémios, com particular destaque para 6 Prémios Goya em Espanha, 3 Prémios do Cinema Brasileiro no Brasil, 14 Globos de Ouro e 13 Prémios Sophia, em Portugal. Na impossibilidade de pormenorizar cada uma das suas produções, destacase o filme “Tentação”, da dupla Joaquim Leitão/ Tino Navarro. Vila Flor orgulha-se de ser palco da sua rodagem, juntamente com Lisboa, Porto e Vila do Conde (Praia do Mindelo). Integrando mais de 35 atores de nome nacional, entre eles Joaquim de Almeida, Cristina Câmara, Diogo Infante, Ana Bustorf, Sofia Leite, João Lagarto, José Eduardo e Francisco Nicholson contou, também, com figurantes dessas localidades. Tendo como protagonistas um padre e uma toxicodependente, estreou em 30 salas da Lusomundo dia 26 de Dezembro de 1997 e em vários países de expressão portuguesas, como Cabo Verde, Moçambique, Angola, território de Macau e Brasil, tendo sido um grande sucesso de bilheteira. Este Vilaflorense vive atualmente em Lisboa onde continua a produzir filmes.

FILMES DE LONGA METRAGEM


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL

In’ CANTOS ...do Museu Dra. Berta Cabral

“Dinheiros” de Outrora… Coleção de 60 medalhas, com banho de prata, alusivas aos grandes monumentos portugueses. Foi oferecida ao Museu Municipal Dra Berta Cabral, em Janeiro de 2008, pelo Vilaflorense José Guerra dos Santos. Estas medalhas fazem parte de um vasto repertório de coleções oferecidas por

este filho da terra, que quis manter o seu legado na família mas, a pedido de seus filhos que tão bem conhecem o carinho do pai pelo Museu, prontamente se decidiu partilhar este espólio com todos os amigos desta casa de cultura. Esta coleção pode ser apreciada na Sala Pintor Manuel António de Moura.

Museu Municipal Dra Berta Cabral Largo Dr Alexandre de Matos / 5360-325 Vila Flor / Tel:. 278512373 E-mail: museubertacabral@municipiovilaflor.pt Horário: Todos os dias, excepto feriados, 9.30h-12.30h; 14h-17.30h


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL

In’ CANTOS ...da Saudade “E os números fluíam no silêncio estático do Albano, pasmado de tão difusas evidências.”

Foi há muitos anos, tempo de infâncias já adormecidas, tempos circunscritos à Vila, a verões de grilos e pirilampos, a invernos de neves doces e ventos a varrerem amendoeiras e madrugadas. Mas foi na primavera que o circo se instalou no Largo de Santa Luzia, numa manhã de sexta-feira com a malta de sacola aos ombros a caminho da escola, a trincar o último naco de côdea, abismada, tentando decifrar cada trave, cada mastro, cada lona… coisas que se erguiam ali aos olhos de todos, num templo de mistério e espanto. O “Flecha Circo Monteiro” ia dar o seu primeiro espetáculo naquela noite. Anunciava-o o altifalante roufenho pela voz cava do Sr. Monteiro, o palhaço da minha memória, o meu ídolo desses dias de Abril, pai do Gasparito, da Teresa e da Manuela. Pilar era a mãe e o regaço daquela família ambulante de acrobatas, trapezistas, palhaços e ternura. As pessoas iam entrando, cadeiras lá à frente em volta do espaço possível para o delírio. Lá atrás tomavam lugar a Portela, a Rua Nova, a Rua do Saco, as ruas entrelaçadas de tormentos e solidão. A por-

FLECHA CIRCO MONTEIRO ta definhando de tanto uso fechava-se então e o Sr. Monteiro de laço preto coçado de tempo, ia anunciando, “a honra de vos apresentar Gasparito, o mais jovem artista português no arriscado número da sua autoria”. Depois por detrás da cortina despia a camisa branca e tingia-se de palhaço pobre, a tocar boleros nostálgicos e a espalhar fios de graça pelo recinto vibrante de luz e cor. Ele, sempre ele, a apresentar “com o maior prazer e emoção a internacional contorcionista Pilar”. “Para todos vós nesta simpática Vila D. Pilar no arame”. E as palmas eclodiam rasgando na noite gestos de fogo e eram mais fortes ainda quando D. Pilar e sua filha Teresa na “ escada da morte” pareciam abraçar o impossível e tocavam quasi o infinito. Aí o Sr. Monteiro de novo no seu laço de veludo, vibrava mais fundo e de micro a tocar os lábios sentenciava emocionado, “reparem Senhoras e Senhores a audácia destas duas artistas portuguesas”. E rematava patriótico: “Isto é Portugal”. E os números fluíam no silêncio estático do Albano, pasmado de tão difusas evidências. As lantejoulas de Pilar incendiaramlhe o peito de desejo e ciúme quando

a atriz nos seus cabelos negros e soltos veio entregar a bandeira das quinas ao comandante do posto da guarda, sentado na primeira fila com a família em riste. Era um número em que Pilar dançava serpenteando pela pista e com as suas mãos mágicas ia transformando folhas de papel de seda, em bonecos, flores, animais e por fim a bandeira verde e rubra. Gasparito, nos poucos dias de passagem pela Vila frequentou a escola. Tinha tido quasi tantos professores como noites de espetáculo em cima do rolo ou parceiro do pai, escondido no seu dominó de palhaço rico. E era nos intervalos dessas manhãs de escola que o sentíamos nosso, pedindo-lhe que quando partisse, nos deixasse ali, metade do esplendor da sua vida de glória, mistério e encanto.

Anos mais tarde num parque qualquer perto da costa, à beira-mar lá estava o “Flecha Circo Monteiro”. Comprei um bilhete e corri a sentar-me la atrás, na geral, no lugar da Portela, da Rua Nova, da Rua do Saco. Agora Manuela, a mais nova, era a companheira da mãe na “escada da morte”. Teresa tinha partido numa madrugada de amor à descoberta de outros oceanos. Gasparito cresceu também e libertava elegância em cima do rolo, chamuscando corações mais adormecidos. O pai Monteiro mantinha ainda o laço de veludo preto e Pilar rendilhando ainda folhas de papel de seda, serpenteando pela sua pista de sempre, sentia-se a passar, resignada na voragem do seu Outono.


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL

In’ PULSO Produtores do Concelho de Vila Flor

In’ CANTOS ... da Poesia

IBERENSIS Rua do Ribeiro nº4 Nabo | Tlf 938 136 172 / 924 082 525 | www.iberiensis.pt MEL DO ABADE Rua da Capela nº66 Sampaio | facebook.com | apicultura.mel.do.abade MEL MONSANTO EN214, Candoso | Tlf 966441964 MEL BIOLÓGICO ACUSLHA Quinta do Prado Lodões | Tlf 278 107 372 | www.acushla.pt MEL DE ROSMANINHO - OURO DE VILA FLOR Rua do Cruzeiro nº2 Samões | Tlf 916 573 621 / 912 128 031 facebook.com/Ouro-de-Vila-Flor

Eu quero a Paz... Eu quero a Paz; Quero sentir que há sentido, Nos sonhos que acalento E na vida que vivo. Eu quero a paz; Quero a paz no meu país, A paz no mundo inteiro… Eu quero ser feliz! Quero escutar nas noites da minha terra, Os sons da Natureza dormindo.

Quero viver os dias da minha aldeia, Ouvindo os pássaros cantando E ver as crianças sorrindo… Eu quero esta paz e hei-de tê-la; Vou lançá-la do alto de uma montanha, Numa manhã de vento bem forte, Para que com força corte, As barreiras que encontrar… E a paz que eu quero, Vai nascer, vai crescer…podeis acreditar! M.Isabel

SOUSACAMP Estrada Nacional 214 Benlhevai | Tlf 278 538 010 | www.sousacamp.com MICELLIUM COGUMELOS Benlhevai | Tlf 278 536 070 | www.micellium.com FUNGISOUSA - PRODUÇÃO DE COGUMELOS PLEUROTUS E REPOLGAS Lugar do Prado Benlhevai | Tlf 278 536 001 | 919 219 487 e-mail: fungisousa@sapo.pt


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL

In’ PULSO Produtores do Concelho de Vila Flor

MANUEL CORTINHAS GONÇALVES | Assares | Tlf 914352730 ANTÓNIO CARPINTEIRO | Nabo | Tlf 278516102

In’ PRESS

Assinatura de contratos de trabalho no domínio educativo

ELIZEU DOS SANTOS CALVO | Nabo | Tlf 278516242 JOSÉ DIOGO CALVO | Nabo | Tlf 278512079 JOSÉLIA FONSECA | Nabo | Tlf 278516219 SÉRGIO EDUARDO TEIXEIRA | Nabo | Tlf 278516774 CÂNDIDA SANTA COMBA | Nabo | Tlf 278516366 FRUTAS VILARIÇA | Santa Comba de Vilariça | Tlf 968897091 GIL FREIXO | Santa Comba de Vilariça | Tlf 918409733 FRUTAS S. PEDRO | Santa Comba de Vilariça | Tlf 917508639 ABÍLIO PEREIRA | Santa Comba de Vilariça | Tlf 918476060 DUARTE BRÁS | Santa Comba de Vilariça | Tlf 278536052 FRANCISCO SILVA | Santa Comba de Vilariça | Tlf 963454395 JOSÉ A.BRÁS | Santa Comba de Vilariça | Tlf 919784793 M. BARROS E J. GANHÃO |S.Comba de Vilariça |Tlf 278535079 MOISÉS F. BRÁS | Santa Comba de Vilariça | Tlf 278536122 CARLOS FREIXO | Santa Comba de Vilariça | Tlf 938488320 CRISTIANO FREIXO | Santa Comba de Vilariça | Tlf 935878829 ALÍPIO FERNANDES | Trindade | Tlf 962782473 HUMBERTO SARMENTO | Trindade | Tlf 962860948 JORGE BARROS MORAIS | Trindade | Tlf 967788439 JOSÉ MORAIS | Trindade | Tlf 961861491 PEDRO VILARES | Valbom | Tlf 933373982 O SOTO DA VILARIÇA | Vila Flor | Tlf 925749458/967729770

Sendo o ensino um pilar base da formação de uma sociedade e a educação a essência da formação cívica, social e emocional do ser humano e uma das atribuições dos municípios consagrada na alínea d) do nº 2 do artigo 23.º da Lei nº 75/2013, foram celebrados, no âmbito do arranque do ano letivo em curso, 23 contratos de trabalho com Assistentes Operacionais (13 a tempo parcial para acompanhamento de crianças durante a hora de almoço, prolongamento de horário no final do dia e serviços de limpeza das escolas do 1º ciclo do Ensino Básico; 2 a tempo inteiro, no âmbito da componente educativa do Jardins de Infância e acordo de cooperação; 8 a tem-

po parcial para apoio aos alunos com necessidades educativas especiais, durante as aulas, nas refeições e tempos livres e apoio à cozinha e limpeza das salas e áreas envolventes das escolas do concelho); 8 Professores de Atividades de Enriquecimento Curricular nas escolas do 1º ciclo e Jardins de Infância do Concelho (3 professores de Educação Física, 3 de Inglês e 2 de Educação Musical). De salientar que, por decisão do Executivo Camarário, tanto os custos com o prolongamento de horário como das atividades de enriquecimento curricular, são assumidos, na íntegra, pela Câmara, sendo desta forma de frequência gratuitas para os alunos.


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL In’ PRESS

Teatro para as escolas: “Auto da Índia” Comemoração do S. Martinho Dia 11 de Novembro, Vila Flor celebrou a festa das castanhas, antecedida de uma divertida peça de teatro “O Saco das Nozes” de A. M. Pires Cabral. Encenada pela Filandorra-Teatro do Nordeste, aqui terminou a sua digressão que animou algumas freguesias de Vila Flor nos meses de verão. Com esta ação, a Câmara Municipal, no âmbito do protocolo celebrado com aquela Companhia de Teatro, pretendeu dinamizar e sensibilizar as populações rurais para a importância do teatro, que aos domingos à tarde encheu os largos ou outros espaços públicos das localidades, num encontro entre gerações com grande cumplicidade entre atores e público. No final da peça, seguiu-se um Magusto convívio com os atores e os Vilaflorenses, onde reinou a castanha assada.

No âmbito da iniciativa “Teatro e Património IN – Interior Norte”, uma parceria entre a Filandorra-Teatro do Nordeste e a Direção Regional da Cultura do Norte, Vila Flor recebeu, dia 6 de Novembro, no Centro Cultural, a peça de teatro “Auto da Índia” de Gil Vicente e poemário de Torga, Pessoa e Camões, uma apresentação gratuita direcionada aos alunos do 9º ano e

Ensino Secundário do concelho. Este projeto, que conta com o apoio do Município de Vila Flor e do Agrupamento de Escolas, tem como objetivo consciencializar o público escolar para a importância da riqueza do nosso património imaterial, enquanto matriz identitária da nossa cultura.

Parque de Campismo de Vila Flor, um dos melhores de Portugal A Vortex Magazine é um portal de língua portuguesa dedicado à divulgação de temas relacionados com a Sociedade, Cultura, Viagens, Tecnologia e Vídeos. Na sua edição de 7 de Novembro, são eleitos os 9 melhores Parques de Campismo de Portugal, entre os quais encontramos o de Vila Flor. Em www.vortexmag. net, lia-se: «Parque de Campismo de Vila Flor. O

encanto transmontano pode ser particularmente apreciado no Parque de Campismo de Vila Flor. Localizado num complexo que inclui piscinas e um interessantíssimo mini zoo, entre outras instalações. O parque, não sendo propriamente do tipo rural, proporciona um contacto com a natureza que inspira relaxamento, calma e sobretudo repouso. » In www.vortexmag.net


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL

Reabertura da Piscina Municipal coberta

Exposição dos trabalhos do Curso de Costureiro/Modista No âmbito da Ação de formação Modular - Vida Ativa - Costureiro/Modista, promovida pelo Centro de Formação de Bragança, com o apoio da Câmara Municipal, o Centro Cultural de Vila Flor recebeu, entre 19 e 24 de Janeiro, uma mostra das várias peças de vestuário confecionadas pelas formandas.

Este equipamento, de utilização livre e gratuita, reabriu ao público no passado dia 3 de Dezembro. Situada na Rua do Olival, em Vila Flor, a Piscina apresenta um conjunto de vertentes de utilização individual e colectiva, procurando assim servir todos os interessados nesta prática desportiva de lazer, saúde e bem estar.

Celebração de Protocolo Derrama de IRC e Taxa de Participação no IRS Por proposta do Presidente da Câmara, foi deliberado em reunião do executivo do dia 16 de Novembro, que o Município não cobre derrama sobre o IRC das empresas. Foi, igualmente, deliberado que a taxa de 5% do IRS a receber pelo Município seja dividida em 2% para o Município e 3% como dedução à coleta do IRS, a favor dos contribuintes com residência fiscal no Concelho.

Em reunião de câmara do dia 30 de Novembro foi deliberado assinar o protocolo a celebrar entre a Direção Regional de Cultura do Norte e o Município de Vila Flor que transfere para a edilidade 200.000 euros, destinados ao programa museológico do Centro Interpretativo de Assares e requalificação do Museu Berta Cabral. Este financiamento surge no âmbito

do protocolo assinado em 2013 entre a Direção Regional da Cultura do Norte e a Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Tua, em que a EDP irá financiar ações de Realização e Valorização do Património Cultural localizado no concelho de Vila Flor, sendo mais uma das contrapartidas que o Município de Vila Flor irá receber pela construção do Aproveitamento Hidroelétrico do Foz Tua.


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL

Exposição de Presépios

O Centro Cultural recebeu, nos meses de Dezembro e Janeiro, a coleção de Presépios, oferecida pelo Vilaflorense José Guerra dos Santos, ao Museu Municipal Dra. Berta Cabral. Esta coleção integra 22 presépios, alguns deles elaborados pelo próprio.

Lançamento do Livro de Pedro Macedo Foi dia 13 de Dezembro, pelas 15 horas, que “O Caso Michael Cross” foi apresentado em Vila Flor. O autor, Pedro Macedo, com origens no Concelho de Vila Flor, é professor de Violino no Conservatório de Música e Dança de Bragança e conta

já com três livros editados, também eles apresentados em Vila Flor. Este livro, envolto em mistério e ação, retrata a perseguição alucinante de Edward White a um assassino de 2 agentes do MI6.

Concertos de Natal Em Vila Flor o Natal também se festeja com música. E foi para comemorar esta quadra, que o Centro Cultural recebeu, no dia 20 de Dezembro, a Banda Filarmónica da Associação Cultural e Recreativa de Vila Flor e o Grupo de Cantares de Carrazeda de Ansiães, num concerto muito apreciado pelo público presente. Dia 21 de Dezembro, foi o Grupo de Cantares da Associação Cultural e Recreativa de Vila Flor que subiu ao palco, assim como a Banda Filarmónica de Vilarinho da Castanheira.

Projeto “Direito a ser Idoso” Dia 18 de Novembro reuniu o Executivo Municipal com técnicos de várias instituições do concelho de Vila Flor e de Bragança, no sentido de programar a implementação do Projeto “Direito a ser Idoso”. Esta iniciativa, que consta de Ações de sensibilização/ informação às diferentes comunidades, abertas ao público em geral, terá lugar em diversas localidades do concelho de Vila Flor, nas seguintes datas, horários e locais:

30 de Janeiro:

Lodões | 14,30h | Junta de Freguesia Freixiel | 18h | Centro Cultural de Freixiel 6 de Fevereiro:

Vilas Boas | 15h | Junta de Freguesia 7 de Fevereiro:

Seixo de Manhoses | 14h | Junta de Freguesia Valtorno | 14h | Junta de Freguesia 18 de Fevereiro:

Vale Frechoso | 16h | Junta de Freguesia 21 de Fevereiro:

Santa Comba de Vilariça | 15h | Edifício da antiga escola Vila Flor | 15h | auditório pequeno do Centro Cultural


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL

Concursos de Natal 2015 No sentido de promover o espírito natalício nas várias localidades do Concelho, a Câmara Municipal promoveu, como tem vindo a acontecer há alguns anos, os concursos de montras e presépios, abertos à população, instituições, associações e aos estabelecimentos comerciais. A decoração das montras e feitura dos presépios foi da exclusiva responsabilidade dos concorrentes, que foram avaliados por um júri que teve em conta critérios como a originalidade/criatividade, a inovação nos materiais usados, a iluminação e visibilidade ao público e a relação com a área comércio/freguesia/instituição.

Exposição “Mensageiro de Bragança 75 anos ao serviço da Região”

1º LUGAR PRESÉPIOS

1º LUGAR MONTRAS

Mostra de artesanato de Natal De 18 a 23 de Dezembro, o Centro Cultural recebeu uma mostra de artesanato sob a temática do Natal. Mais de uma dezena de artesãos do Concelho de Vila Flor puderam expor, mostrar e vender, as suas peças elaboradas pelos próprios. Presépios feitos em fimo ou lã, bijuterias, pratos decorativos, velas pintadas à mão, cachecóis, rendas e bordados típicos desta quadra, foram alguns dos artigos que marcaram presença.

A Exposição esteve patente, desde o dia 21 de Dezembro, nos Paços do Concelho para homenagear os 75 anos de publicações ininterruptas do jornal diocesano, “ Mensageiro de Bragança”, fundado a 1 de Janeiro de 1940, por D. Abílio Vaz das Neves. Esta ação propicia um olhar sobre o labor de um jornal que, sempre atento aos acontecimentos e realidades do nosso concelho, nos oferece a possibilidade de recordar momentos e acontecimentos da vida e da História dos Vilaflorenses.

Nos termos do Decreto-Lei 306/2007, de 27 de agosto, o Município de Vila Flor, enquanto Entidade Gestora do Serviço de Abastecimento de Água para consumo humano, procedeu à elaboração do Programa de Controlo da Qualidade da Água (PCQA) para o ano de 2016 que, após submissão na plataforma eletrónica da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR), foi aprovado face ao cumprimento das disposições legais. O PCQA constitui num plano de monitorização da qualidade de água distribuída, cujo objetivo é verificar o cumprimento dos valores paramétricos previstos na Lei, visto que a sua implementação ga-

rante o efetivo controlo da qualidade da água consumida na área de influência e permite a adoção das medidas corretivas que eventualmente se imponham, sempre que se verifiquem incumprimentos à qualidade. O Município de Vila Flor garante o máximo rigor na definição da frequência de amostragem e respetiva calendarização, de forma a ficarem uniformemente distribuídos no tempo e no território, assim como a descrição da lista de parâmetros a analisar.


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL

Visita da Biblioteca aos Jardins de Infância No âmbito da celebração da quadra natalícia e com o intuito de promover o gosto pelo livro e pela leitura, a Biblioteca Municipal de Vila Flor visitou os Jardins de Infância do concelho de Vila Flor. Nestas visitas, leu-se o conto de Natal: “Sabes, Maria, o Pai Natal não existe” de Rita Taborda Duarte e Luís Henriques, seguida da atividade de exploração plástica - a decoração do pinheiro de Natal.

Município renova protocolo com Equipa de Sapadores Florestais No âmbito da Defesa da Floresta Contra Incêndios no Concelho de Vila Flor, foi renovado, a 11 de Janeiro de 2016, o protocolo anual, entre o Município de Vila Flor e a Associação Agroflorestal Silvidouro. Este protocolo, comparticipado pela Autarquia em 30 mil euros, visa o exercício de funções na defesa da floresta contra incêndios (DFCI), traduzidas em ações de Silvicultura preventiva, vigilância de áreas florestais, primeira intervenção em incêndios florestais e ações de sensibilização da população.

Obras, acessibilidades e melhoramentos no Concelho Apostar nas acessibilidades, promovendo a mobilidade e a segurança dos cidadãos das freguesias, é um objetivo do executivo da Câmara Municipal. Sendo assim, decorrem pelo Concelho as seguintes intervenções: -Para melhoria da segurança de bens e pessoas, foi levada a efeito uma empreitada que consistiu na proteção dos Taludes no Loteamento da Amendoeira – Bairro do Pinheiro Manso, através da construção de muros, vigas e escadas em betão armado com gradeamentos metálicos; -No sentido da melhoria da qualidade da água, foi construído um reservatório em betão armado, com cerca de 40m3, na povoação de Vilarinho das Azenhas; -No sector da melhoria das condições fisícas dos Edifícios escolares, foi construída uma nova sala na Escola EB1 de Seixo de Manhoses; Como apoio à População em Geral, foi construído o Centro de Valorização de Recursos em Seixo de Manhoses e Santa Comba da Vilariça; -Ao nível de Arranjos de Largos no Concelho, estão a ser levadas a efeitos obras de alargamento e beneficiação na povoação de Candoso, que se encontram praticamente concluídas;

-Ao nível do Património Religioso, está a ser construído um Centro de Receção de Visitas no Santuário de Nossa Senhora da Assunção, na povoação de Vilas Boas; -Ao nível da Recuperação Funcional das Antigas Escolas Primárias do Concelho foram concluídas as empreitadas das escolas do Arco e Ribeirinha e estão em concurso as Escolas de Macedinho e Valtorno; -Estão a ser levadas a efeito as obras que consistem na Ampliação do Cemitério de Vila Flor; -No âmbito da construção de arruamentos e reconstrução de muros, estão a ser concluídas as obras em Santa Comba da Vilariça, Freixiel e Folgares e estão em concurso empreitadas para as freguesias de Samões e Vale Frechoso; -Estão a decorrer empreitadas de beneficiação de gabinetes no Edifício dos Paços do Concelho e encontram-se em concurso as obras de beneficiação no Tribunal; -Foi concluído, também, o processo de concurso com as peças escritas e desenhadas para a empreitada de conservação e beneficiação do Centro Cultural de Vila Flor, que consistem basicamente na impermeabilização das coberturas.


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL

Abertura do Gabinete de Inserção Profissional (GIP) em Vila Flor, em parceria com o IEFP, IP O GIP é uma estrutura que presta apoio a jovens e adultos na definição e desenvolvimento do seu percurso de inserção ou reinserção no mercado de trabalho, bem como às empresas que necessitem de recrutar novos funcionários. Criado ao abrigo da portaria 140/2015 de 20 de Maio, o GIP de Vila Flor é um espaço que funciona a partir de uma parceria com o IEFP (Instituto de Emprego e Formação Profissional) e a Câmara Municipal de Vila Flor, surgindo com o grande objetivo de combater a situação de desemprego dos munícipes, com base na promoção da formação, recolha de ofertas de emprego, orientação e reencaminhamento na procura de emprego e ofertas de qualificação.

Local de funcionamento:

GIP - Gabinete de Inserção Profissional Av. Marechal Carmona 5360-303 Vila Flor Horário:

De Segunda a Sexta 09h00 – 12h30 14h00 – 17h30 Contactos:

Telefone: 278510100 e-mail: joana-gip-flor@sapo.ptV


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL

Nova App Informativa Sobre Cancro da Mama Como detetar precocemente um Acidente Vascular Cerebral O Acidente Vascular Cerebral ou AVC acontece quando o sangue não consegue chegar ao cérebro devido a uma ininterrupção por causa de um bloqueio ou de uma rutura de um vaso sanguíneo. Quando isto acontece dá-se um derrame, ou seja o sangue sai do vaso. É através do sangue que o oxigénio seja às células. Quando fluxo do sangue fica bloqueado, o oxigénio não chega às células e elas morrem, o que pode causar sequelas permanentes. Em muitos casos é possível detetar a tempo o risco de um AVC, diminuindo os riscos de sequelas ou morte. Os seguintes sinais podem indicar que está a sofrer um AVC :

A Liga Portuguesa Contra o Cancro, em parceria com a Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal, a Coligação Europeia Contra o Cancro da Mama – Europa Donna e apoio da Fundação EDP, desenvolveu uma aplicação sobre Prevenção do Cancro da Mama no âmbito do projeto: “Educação para a Saúde sobre Cancro da Mama para Mulheres Cegas e Amblíopes”. A Câmara Municipal de Vila Flor, solidária e sensível a este flagelo, colabora com esta campanha através da divulgação desta App, junto de toda a população.

Esta aplicação que, com acesso gratuito, pode ser consultada em smartphones, tablets e numa versão web, informa sobre cancro da mama de forma simples e acessível, focando aspetos relativos à epidemiologia, prevenção, tratamento e apoio à mulher com cancro da mama, pode ser utilizada por toda a população. Em Portugal, anualmente são detetados cerca de 6.000 novos casos de cancro da mama e 1.500 mulheres morrem com esta doença. Esta nova app quer ajudar a preveni-la.

É importante referir que se pode minimizar o risco de vir a sofrer um AVC, seguindo as seguintes recomendações:

·Dormência repentina ou fraqueza em alguma parte do rosto, perna ou braço. Geralmente, a dormência aparece apenas num lado do corpo ·Dificuldade para falar, compreender ou para se concentrar ·Dificuldade para fazer movimentos com a perna ou com o braço ·Tontura repentina ·Dificuldade para caminhar ·Dor de cabeça intensa sem causa aparente ·Deixar de ver de um ou nos dois olhos.

·Controlar da pressão arterial alta ·Fazer exercício físico com regularidade, como uma caminhada diária de 30 a 40 minutos ·Não fumar ·Controlar o colesterol ·Eliminar o excesso de peso · Viver calmamente, longe do stress quer físico quer mental ·Evitar emoções fortes como o medo, a raiva, o ódio ·Controlar a diabetes ·Manter uma dieta saudável.

PERANTE UMA SITUAÇÃO DESTAS DEVE LIGAR PARA O 112

Anabela Cordeiro Fisioterapeuta e Osteopata 28

29


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL

INFORMAÇÕES ÚTEIS CASA DE BENLHEVAI Casa de Campo 5360-021 Benlhevai Nº quartos: 2 Tel. 918966658 www.casadebenlhevai.com

ALOJAMENTO LOCAL QUINTA DO PALAME Agro Turismo Estrada de Folgares 13 5360-062 Freixiel Nº quartos: 6 Tel. 962 839 966 /278 549 037 http://quintadopalame.com info@quintadopalame.com

VALONQUINTA Agro Turismo EN Vila Flor-Roios 5360 Vila Flor Nº quartos: 8 Tel. 278516727; 915336575 www.valonquinta.com Ms.pinto@hotmail.com

QUINTA DA PEREIRA Agro Turismo Av Vasco da Gama 5360 Vila Flor Nº quartos: 6 Tel. 916 798 456 / 278 512 289 www.quintadapereira.com quintadapereira@gmail.com

PALACE Alojamento Local Av. Vasco da Gama 5360 Vila Flor Nº quartos: 9 Tel. 278516727; 278512051; 915336575 http://palacevilaflor.com geral@palacevilaflor.com

HOTEL VILLA JÚLIA Rua do Outão nº1 5360-150 Samões Nº quartos: 17 Tel 278511447 www.hotelruralvillajulia.com reservas@hotelruralvillajulia.com

CASA DAS AZENHAS Turismo Rural Rua da Capela 5360 Vilarinho das Azenhas Nº quartos: 6 Tel: 278511532 www.casadasazenhas.com.pt casadasazenhas.com.pt@hotmail.com

QUINTA DO BARRACÃO DA VILARIÇA Agro Turismo EN 102-IP2 5360 Lodões Nº quartos: 17 Tel: 278536200 www.terra-sa.com agro-turismo@terra-sa.com

CASA DE CAMPO DAS SÉCIAS Largo da Lamela, nº 11 5360-493 Vilas Boas Nº quartos: 8 http://casasecias.blogspot.pt casasecias@gmail.com

HOTEL PÓVOA D´ALÉM SABOR Rua Timor Leste nº45 5360 Vila Flor Nº quartos: 16 Tel: 917596537; 917596532; 278511089 www.hotelpovoalemsabor.com info@hotelpovoalemsabor.com

ALOJAMENTO LOCAL SANTA LUZIA Rua de Santa Luzia nº18 5360 Vila Flor Nº quartos: 10 Tel.916469171/919857737 www.facebook.com /alojamentolocal.santaluzia

PARQUE DE CAMPISMO MUNICIPAL Complexo Turístico do Peneireiro Capacidade: 520 lugares Tel:. 278512350 http://parquecampismovilaflor.pt

CASA DOS LAGARES DE VARA E PEDRA Turismo Rural Largo dos Sotos, nº4 5360-493Vilas Boas Nº quartos: 7 Tel: 278 512 167 / 915 535 199 www.lagaresdevaraepedra.com geral@lagaresdevaraepedra.com QUINTA DO REBOREDO Agro Turismo Quinta do Reboredo 5360 Vilas Boas Nº quartos: 4 Tel: 278 516 872 www.facebook.com/QuintaDoReboredo quintadoreboredo@sapo.pt

30

ALOJAMENTO LOCAL SANTA CECÍLIA Santa Cecília 5360 Seixo de Manhoses Nº quartos: 7 Tel. 278512650/917334470 www.facebook.com /restaurante.santacecilia

31


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL

INFORMAÇÕES ÚTEIS

RESTAURAÇÃO

Casa de Pasto “Piri-Piri” E. N. Vila Flor. Tel: 278512460

Restaurante “Santa Cecília” Lg Sta Cecília, Seixo de Manhoses. Tel: 278512650 Restaurante “Santo António” Vilas Boas. Tel: 278511394

Casa de Pasto “O Barracão” Zona Oficinal, Vila Flor. Tel: 278511207 Churrasqueira “Ti Carlos” Rua da Palma, Vila Flor. Tel: 278516244 Pastelaria“As-Sukkar” Avª. Prof. Maximino Correia. Tel: 278512037 Pastelaria “Maria Farinha” Av. Marechal Carmona, Vila Flor. Tel 278098097

Padaria Vale da Vilariça Z Industrial lote 4, Sta Comba de Vilariça. Tel: 914552458

Restaurante “Sol da Noite” E. N. Vila Flor. Tel: 278512503

Padaria Santa Bárbara Rua do Rascão, Seixo de Manhoses. Tel: 278516267

Restaurante “Tony Campos” Av. Marechal Carmona, Vila Flor. Tel: 278512397

Restaurante “D. Castro” Rua João Paulo II, Vila Flor. Tel: 278516532

Restaurante “Vilariça” Santa Comba de Vilariça. Tel: 278536258

Restaurante “D. Dinis” Rua Dr Artur Vaz, Vila Flor. Tel: 278512034 | 915440015

Pastelaria/Pão quente “Mifaty” Av.Vasco da Gama, Vila Flor. Tel: 278098024

Restaurante “Fumeiro da Brasa” E.N. 102, Sta Comba da Vilariça. Tel: 278107405

Forno Tradicional da Mirinha Rua da Portela, 15 r/c, Vila Flor. Tel. 918744943

Snack Bar “Bar das Bombas” Av. Lucinda de Oliveira, Santa Comba de Vilariça Snack Bar “Bocas” Rua da Fonte Romana, nº12, Vila Flor. Tel: 278516083 Gelataria “Pôr do Sol” Praça D. Dinis, Vila Flor.

Forno de Pão Caseiro Travessa do Museu, Vila Flor

Restaurante “Os Lázaros” E. N. 214, Carvalho de Egas. Tel: 278511427

Padaria da Misericórdia Rua Nª. Sra. de Fátima, Vila Flor. Tel: 278511496

Restaurante “O Zéquinha” Av Dr J. Noronha,Vila Flor, 56 Tel: 278511167

Taberna Regional ”Toca do Rato” Rua Sidónio Pais, Vila Flor. Tel: 935562629

Padaria Fraga Av. Vasco da Gama nº76, Vila Flor. Tel 278512138 | 916432143

Restaurante “Palace” Av. Vasco da Gama, Vila Flor. Tel. 278512400 | 915336575

Winehouse Seixo de Manhoses. Tel: 916187690 | 278511559

32

Tab. Regional “Spa, Sabores para Amar” Av. Vasco da Gama. Tel: 967717374

33


VILA FLOR CULTURAL

VILA FLOR CULTURAL

TELEFONES ESSENCIAIS

INFORMAÇÕES ÚTEIS Agrupamento de Defesa Sanitária C. Ansiães e Vila Flor. Tel: 278 516 452

Vila Flor José P. Santos e Cª Lda Francisco Azevedo Tel: 964 512 983 Vila Flor Auto Central Vilaflorense Lda André Ferreira Tel: 919 536 935

Correios de Portugal Tel: 278 518 030

Vila Flor Basílio D. Sousa e Cª Lda António J. Alves Albites Tel: 914 293 902

Farmácia da Misericórdia Tel: 278 512 229

Vila Flor Terraplanagens do Mourão Ld Dinis Pinto Ramos Tel: 912 217 408

Farmácia Vaz Tel: 278 512 305

Vila Flor João Augusto Chacim Bruno Chacim Tel: 926 101 222

Guarda Nacional Republicana Tel: 278 518 130

Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Vila Flor Tel: 278 518 150

Benlhevai Ant. Manuel Fonseca Morais Tel: 969 043 428

Linha Verde (Nacional) Recados de Criança Tel: 800 206 656

Candoso Terrapl. do Mourão Lda Dinis P. Ramos Tel: 912 217 408

Biblioteca Municipal de Vila Flor Tel: 278 510 111

Museu Municipal Berta Cabral/Posto de Turismo. Tel: 278 512 373

Câmara Municipal de Vila Flor Tel: 278 510 100

Parque de Campismo Tel: 278 512 350

Canil Intermunicipal da Terra Quente Transmontana Tel: 278 945 333

Praça de Táxis de Vila Flor Tel: 278 5163 33

Agrupamento de Escolas Escola E B 2,3/S de Vila Flor. Tel: 278 518 200 Associação de Agricultores do Nordeste Transmontano Tel: 278 518 220

CPCJ Tel: 278516624 Atend.Permanente: 916 162 661 Conservatória do Registo Civil e Predial de Vila Flor Tel: 278 518 090

Sta. Comba Soc. T. Car e VF/Francisco Santos Tel: 967 951 200 Vilarinho das Azenhas Celestino A. Rodrigues Tel: 967 804 423 Vieiro Horácio Luís de Castro Tel: 917 572 252

Freixiel Mª Avelina Vaz/José Escaleira Tel: 967 862 562

Vilas Boas Dinis Pinto Ramos Tel: 912 217 408

TRANSPORTES RODOVIÁRIOS partida: 06:15 chegada: 09:10  de segunda a sexta - exceto feriados

partida: 08:40 chegada: 14:55  diariamente - enlace em Vila Real

partida: 08:40 chegada: 10:55  de segunda a sexta - exceto feriados

partida: 14:00 chegada: 20:55  de segunda a sexta - exceto feriados

partida: 08:40 chegada: 11:25  sábado, domingo e feriados

Serviço Local de Segurança Social de Vila Flor. Tel: 300 516 244

partida: 14:15 chegada: 20:55  de segunda a sexta - exceto feriados

partida: 14:00 chegada: 17:00  de segunda a sexta - exceto feriados

Tribunal Judicial da Comarca de Vila Flor Tel: 278 510 010

partida: 17:15 chegada: 23:50  domingo - ou segunda se feriado

partida: 14:15 chegada: 17:25  de segunda a sexta - exceto feriados

VILA FLOR / BRAGANÇA

partida: 17:15 chegada: 20:25  domingo - ou segunda se feriado

partida: 14:00 chegada: 15:15  de segunda a sexta - exceto feriados

partida: 18:30 chegada: 21:25  domingo - ou segunda se feriado

partida: 18:30 chegada: 20:45  domingo - ou segunda se feriado

partida: 19:05 chegada: 21:45  domingo - ou segunda se feriado

Linha SOS Tel: 808 200 520

34

Nabo Manuel João Gonçalves Fernandes Tel: 965 391 109

partida: 06:15 chegada: 12:40  de segunda a sexta - exceto feriados

SEPNA - Serviço de Protecção da Natureza e Ambiente da GNR Tel: 213 217 291/2

Cooperativa Agrícola dos Olivicultores de Vila Flor e Ansiães Tel: 278 518 300

Mourão Auto Táxi Carraz. Lda/ Manuel J. Lopes Tel: 964 054 167

VILA FLOR / PORTO

Serviço de Finanças de Vila Flor Tel: 278 512 352

Centro Social e Paroquial S. Bartolomeu Tel: 278 512 595

Freixiel Transportadora Madeirense/João Arnelas Tel: 933632761

VILA FLOR / LISBOA

Santa Casa da Misericórdia Tel: 278 518 070

Centro de Saúde de Vila Flor Tel: 278 510 000

TÁXIS

35


VILA FLOR CULTURAL CURIOSIDADES

As Alminhas

Portugal é o único país do mundo que possui no seu património cultural, estes pequenos monumentos saídos da imaginação e da devoção do povo. Anjos, santos, Cristo crucificado, a Virgem Maria e o Espírito Santo na forma de pomba, são representações habituais nas alminhas, onde nunca se encontra uma criança, já que vão diretas para o Céu, pois, símbolos de pureza, nada têm para limpar no Purgatório. Habitualmente localizadas à beira dos caminhos ou em encruzilhadas, estas representações populares das almas do purgatório que suplicam esmolas para se poderem purificar e subir ao céu, caracterizam-se como micro-capelinhas, padrões, nichos, incrustações em muros, paredes ou painéis de azulejos. A origem das alminhas surge na Idade Média, pois no cristianismo primitivo só havia Céu e Inferno. A ideia do Purgatório só surgiu na Idade Média, quando a Igreja, na sequência do Concílio de Trento de 1563, o impõe como dogma, numa lógica de resposta católica à Reforma levada a cabo pelos protestantes. Em vez do dualismo do Céu, para os bons, e do Inferno, para os impuros, criou-se um estado intermédio, um local onde durante algum tempo as almas ficariam a purificar. As alminhas são a forma específica como em Portugal se interpretaram as indicações de Trento, fruto do reflexo eventual de uma forma religiosa, emocional e sentimental tão própria dos portugueses. Ainda há poucas décadas era comum,

a quem passasse junto às alminhas, parar, curvar-se e tirar o chapéu em sinal de respeito, pôr flores, acender uma vela ou lamparina de azeite, fazer o sinal da cruz e rezar o Pai Nosso e Ave Maria, correspondente à sigla P.N.A.M., existente como relembratório junto a muitos nichos e capelinhas que apelam às rezas cristãs. As alminhas acabam também por se inspirarem e serem um legado das civilizações clássicas de Roma e da Grécia, que nas suas deambulações já haviam erguido monumentos junto às estradas para devoção aos seus deuses. Confrontar os vivos que passam, apontando-lhes a relativa fragilidade da vida e o peso inevitável da morte é uma marca comum a praticamente todas as alminhas dispersas pelo país; “Ó tu mortal que me vês Repara bem como estou Eu já fui o que tu és E tu serás o que eu sou”. “As alminhas são de todos Pois quem é que lá não tem Um parente ou um amigo Um bom pai ou santa mãe”? No concelho de Vila Flor existem cerca de 50 alminhas, espalhadas pelas 27 localidades. Símbolos da religiosidade popular e da identidade de um povo integram, também, estas manifestações genuínas, o património cultural da nossa terra.

F o n t e : w w w. s n p c u l t u r a . o r g ( S e c r e t a r i a d o N a c i o n a l d a P a s t o r a l d a Cu l t u r a ) 36


Património do Concelho de Vila Flor ALMINHAS DO CONCELHO Este monumento com incrustações, localiza-se na Estrada Nacional entre Vila Flor e Roios, no cimo de um pequeno monte, onde se pode ler: “Orai pelas benditas almas, PNAM” (Pai Nosso e Avé Maria), como relembratório e apelo às rezas cristãs. No concelho de Vila Flor existem cerca de 50 alminhas, espalhadas pelas 27 localidades. Símbolos da religiosidade popular e da identidade de um povo integram, também, estas manifestações genuínas, o património cultural da nossa terra. CÂMARA MUNICIPAL DE VILA FLOR Av. Marechal Carmona 5360-303 Vila Flor tel. 278 510 100 | fax 278 512 380 geral@cm-vilaflor.pt www.cm-vilaflor.pt

1ª Agenda 2016  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you