Page 1

3ยบ QUADRIMESTRE

VILA FLOR

2015

CULTURAL AGENDA DE ATIVIDADES CULTURAIS DE VILA FLOR

www.cm-vilaflor.pt


3º QUADRIMESTRE

2015

VILA FLOR

CULTURAL AGENDA DE ATIVIDADES CULTURAIS DE VILA FLOR FICHA TÉCNICA

ÍNDICE Editorial

Edição Município de Vila Flor Coordenação Geral Gracinda Peixoto e Adelina Teixeira Fotografias Arquivo do Município de Vila Flor www.facebook.com/vilaflor.pt Propriedade Município de Vila Flor Design Gráfico Município de Vila Flor Impressão: EXOTERRA Tiragem 2000 Exemplares

Agradecemos o envio de programação de eventos para o Município de Vila Flor

2

In’CANTOS do Lugar dos afetos do ilustre vilaflorense do Museu da saudade da poesia In’PULSO Produtores do Concelho In’PRESS Arquivo de notícias INFORMAÇÕES ÚTEIS Alojamento Restauração Telefones Transportes CURIOSIDADES

4 6 8 10 13 14 18 46 49 50 51 52

Destacavel central

ATIVIDADES CULTURAIS

Setembro/Outubro/Novembro/Dezembro Património do Concelho de Vila Flor SOLAR DOS AGUILARES


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

EDITORIAL

Vieram, finalmente, as primeiras chuvas a interromperem um longo e difícil período de seca que nos atingiu. As folhas das árvores estão a abandonar o verde e brindam-nos com uma bela palete de amarelos a que se juntam os tons de laranja e vermelho. Preparam-se para cair; as árvores vão-se despindo, abrindo caminho para a chegada do Inverno. Quando olhamos para trás e recordamos os acontecimentos ocorridos desde a última edição da Agenda Cultural, temos o sentimento do dever cumprido. Mas sentimos, sobretudo, uma enorme vontade de continuar a trabalhar, sempre com muita tranquilidade e confiança, em prol do bem-estar comum e de um futuro melhor para todos. De sublinhar um verão recheado de destacadas atividades culturais e desportivas, organizadas não só pela Câmara Municipal, mas também pelas diversas Associações e Coletividades a quem continuamos a apoiar das mais diversas formas; um destaque para a II Edição dos “Sons de Vila Flor”, com dois espetáculos realizados todos os finsde-semana, durante o mês de Julho, e a final da Supertaça Feminina de Voleibol, em parceria com a Federação Portuguesa de Voleibol, que teve transmissão televisiva em directo. Uma forte presença dos Emigrantes que, anualmente, regressam às terras de origem, assim como o considerável número de utilizadores do parque de campismo e piscina. O Cinema, agora digital em 2D e 3D, regressou ao Centro Cultural, com duas projeções regulares aos fins-de-semana. Congratulamo-nos pelo elevado aumento de espectadores que têm assistido às várias sessões cinematográficas disponibilizadas. A XII edição da Mostra TerraFlor, teve uma acentuada participação de expositores e visitantes e contou com a transmissão em direto de um programe televisivo para promover Vila Flor e os seus excelentes, apreciados e variados produtos. 4

Gostaria de deixar bem vincada a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima ao nosso concelho; teve uma forte e calorosa receção e um grande envolvimento das várias comunidades e Instituições Locais. Também promovemos o lançamento de obras de natureza diversificada em várias localidades do concelho. Algumas já foram concluídas, outras ainda em execução ou em fase inicial. Enfim, é o fruto de uma programação criteriosa e planeada de concursos que vão sendo lançados, tendo em vista a melhoria das infraestruturas que permitem potenciar o desenvolvimento económico e social do nosso Município. Realço as obras de requalificação funcional de antigas Escolas Primárias, arranjos urbanísticos, preservação do património religioso, de pavimentos e passeios, de redes infra-estruturais várias, da rede de iluminação pública, etc. As dificuldades económicas e financeiras que o País está a viver, têm fortes reflexos tanto nas autarquias como nas famílias. Recorda-se que o Quadro Comunitário de Apoio denominado por “Portugal 2020”, decorridos dois anos após o seu início, ainda não deu mostras de arrancar. Não se vislumbram tempos de grande estabilidade. Deixo, aqui, uma palavra de confiança aos Vilaflorenses. Com grande serenidade e uma visão realista da situação, vamos continuar a lançar intervenções variadas, ao ritmo que achamos apropriado, sempre com sentido de equilíbrio e equidade por forma a continuarmos a dotar o concelho de melhores condições nas diversas áreas. Estamos, também, a preparar vários projetos e instrumentos de gestão obrigatória para podermos ser opositores aos avisos de concursos que venham a ser lançados no âmbito dos diversos programas de apoio. Somos realistas, temos de ser pragmáticos e eficientes, sempre com o apurado e sábio sentido de que “é no meio das dificuldades que devemos encontrar as oportunidades”. O ano lectivo abriu normalmente. Assistimos ao regresso tranquilo dos nossos alunos às escolas. A toda a comunidade educativa desejamos um bom trabalho. De realçar a enorme coleção de Solares que fazem parte do nosso valioso património edificado e aqui destacados. A todos deve orgulhar.

O Presidente da Câmara Fernando Barros

5


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

In’ CANTOS ...lugar dos afetos

Um sereno “Largo da Igreja” de Candoso Eu não acredito! Esta senhora que acabo de ver, a primeira vez que me visitou era, ainda, bebé. Entrava ao colo dos pais nas casas do Sr. Camilo Cardoso e da Sra. D. Maria Almendra Machado…eram família; há para aí setenta anos! Bem-vinda amiga, posso tratá-la assim? Muito agradecido. Então o que a traz por cá? Ah, entendi… quer que eu fale de mim; do passado e do presente…sabe, para responder à sua pergunta, eu não sei dizer muito bem se o “Ontem” era melhor ou pior do que o “Hoje”. Só sei que é diferente, não tem “comparança”! Claro, havia mais gente; todos os casais tinham muitos filhos…a maior parte rumou para outras paragens…para as cidades e para o estrangeiro… regressam, ainda que temporariamente, quando a saudade aperta. 6

Chegam aqui de malas e bagagens, trazendo o coração e a alma cheios de alegria e, o mais importante é que não me esqueceram; voltam sempre ao Largo da Igreja para contarem aos amigos e, eu ouço, as aventuras passadas longe de nós e, avivamos juntos as nossas memórias, falando das vidas da nossa aldeia… uns sentam-se no adro da Igreja, outros nos bancos que ali estão e muitos ficam de pé… é tão saboroso este momento…eu todo me derreto! Gosto de os ver rir e chorar. Todas as emoções afloram aos seus rostos; Brilham os olhos, sorriem os lábios, soltam-se as lágrimas da alegria e da saudade e as palavras doces da ternura que não perderam quando resolveram partir para longe do seu torrão natal! Eu já sou muito velhinho…vê, não pareço, pois não? É melhor não falarmos em idade… não, não, eu nunca fui às clínicas, essas casas onde fazem massagens com dietas dolorosas, dizem, para as pessoas ficarem magrinhas. Vou confessar-lhe, se quiser ficar magrinha, só tem um caminho; deixe de comer, o que se torna impossível em Trás os Montes: bom presunto, bom queijo, bom pão e boa “pinga” e os enchidos e os folares…e as alheiras! Tudo o que é bom nós temos aqui na nossa aldeia. Porém, quero revelar-lhe que tenho muito cuidado com o meu corpo e o meu espírito. Ai não sabe? Pois, gosto de estar sempre limpo e arranjado. Gosto de ter o meu jardim bem regado e tratado, ando sempre em movimento…fujo a todas as iguarias; delicio-me ouvindo falar nelas e preencho o meu tempo ao serviço desta terra. Acolho as suas alegrias: as vindas à missa com as vestes domingueiras, as festas de batizado dos pequenitos, que na maioria das vezes, estes não acham graça nenhuma…eu ouço-os chorar… as festas de casamento…como eu gosto de ver os noivos…quero segredar-lhe que agora as noivas vão muito mais bonitas, mas não diga nada a ninguém…tenho pena que alguns casamentos se desfaçam quase sem terem começado! Também apoio a minha gente nas suas tristezas, aflições, ansiedades e angústias; a perda dos entes queridos, as doenças, a incapacidade de concretizarem os seus sonhos…tudo passa por aqui. Amiga, como ouviu, para ter vida longa e feliz é sermos atentos e disponíveis. É abrirmos todos os dias a gaveta das memórias para saborear as coisas boas do passado e escancararmos a porta do nosso coração para deixar entrar a “mudança”, vivendo os dias de agora, tal como são; nós estamos cá para sermos sempre felizes! E já é tarde. Tenho de ir dormir a sesta. Fez-me bem estar consigo. Um abraço amigo por Maria Isabel Cardoso 7


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

In’ CANTOS ...do Ilustre Vilaflorense António de Almeida

Nasceu a 16 de Março, na freguesia de Santa Maria, concelho de Celorico da Beira, em 1937. Casou com a Vilaflorense Maria Antónia Veloso de Almeida, em 30 de Janeiro de 1963. Incorporado em 1960 na Reserva Naval, frequentou o Curso Especial de Oficinas da Reserva Naval, na classe de Administração Naval (3ºCEDRN). Concluída a Licenciatura em Economia, na Faculdade de Economia da Universidade do Porto (1961), e terminadas as obrigações militares em 1962, ruma a Moçambique no ano seguinte. Aí permanece até à Revolução de Abril, sempre ao serviço da iniciativa privada e no exercício de funções públicas. Ocupa o cargo de Técnico de Direcção dos Serviços de Planeamento de Moçambique e Director Adjunto e Financeiro da Companhia de Cervejas e Refrigerantes Mac Mahon; de Administrador e Vice-Presidente do Instituto de Crédito de Moçambique, organismo responsável, durante a administração portuguesa daquele território, pela actividade bancária e seguradora. Simultaneamente, foi Encarregado de Curso na Faculdade de Economia de Lourenço Marques; Administrador não executivo da Texlon, (Texteis de Moçambique), do Comercial Bank of Malawi e dos CFM – Caminhos de Ferro de Moçambique; Administrador e Vicepresidente do Instituto de Crédito de Moçambique, Director Financeiro e Secretário Geral da Maragra – Marraquene Agrícola Açucareira. Regressa a Portugal em 1974, assumindo as funções de ViceGovernador e, posteriormente, de Presidente do Banco de Angola, cargo que exerceu até 1978. Paralelamente, foi Administrador não-Executivo

do “The Bank of Lisbon and South Africa”. Em Outubro do mesmo ano, assumiu as funções de Presidente do Conselho de Gestão da União de Bancos Portugueses, resultante da fusão de três bancos privados (Agricultura, Angola e Pinto de Magalhães) e nacionalizados pelo MFA. No final da década de 80 envolveu-se, seriamente, na implantação, em França, de uma sucursal da UBP, abrindo a primeira Agência em Paris. Em 1978,79 e 83 desempenha funções governamentais. Foi Secretário de Estado do Tesouro do IV, do V e do IX Governo Constitucional, nos governos de Mota Pinto, Maria de Lurdes Pintasilgo e de Mário Soares, respectivamente. Na década de 90 assumiu as funções de Consultor do Banco de Portugal e da Associação Industrial Portuense, tal como de professor convidado da Universidade Autónoma de Lisboa e em 2009 tornou-se Presidente do Conselho da Escola do ISEG. Na EDP, “a quem dedica parte da sua vida”, irá também desempenhar cargos ao mais alto nível, a partir de 1996: Presidente Executivo da Empresa, do seu Conselho Geral, de Supervisão e de liderança da Fundação EDP. Considerado por muitos como “gestor exemplar”, em todos os cargos “deixou uma marca de exigência, frontalidade e rigor. Tinha um espírito analítico, uma inteligência sibilina e um sentido de humor particularmente incisivo”. O Governo português atribuiu-lhe Medalha de Mérito Cultural dia 28 de Julho de 2015, pelo legado deixado à cultura portuguesa e pelo impulso que deu à concretização do projecto do Centro de Arte e Tecnologia da Fundação EDP, assim como pelo papel relevante que exerceu ao nível da dinamização da Produção Artística e Cultural em Portugal, nomeadamente da Companhia Nacional de Bailado. Escreveu artigos para vários jornais, tendo assinado, até 2011, a meias com João Duque, a crónica “O duque e o Plebeu” do Expresso. De origens humildes, este “Homem que viveu uma vida plena e que não deixou nada por dizer”, trabalhou, incansavelmente, até ao final da sua vida, apesar da luta constante que travou com a doença oncológica que o vitimou dia 14 de Agosto do corrente ano.

8

9


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

In’ CANTOS

Coleção de Cédulas de 1, 2, 3, 4, 5, 10 e 20 centavos, emitidas pelas Câmaras Municipais, Misericórdias, Bancos, Comércio e Indústria, entre os anos de 1919 a 1922, para suprir a falta de trocos que então se verificava. Entre aquelas, há 5 em porcelana, de 1, 2, 3, 4 e 10 cêntimos, emitidas pela Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, consideradas muito raras. Existem cerca de 700 exemplares. Estas relíquias podem ser apreciadas na Sala Pintor Manuel de Moura, no Museu Municipal Dra Berta Cabral.

...do Museu Dra. Berta Cabral “Dinheiros” de Outrora… Papel moeda emitido pelo Real Erário nos anos de 1798, 1799, 1805 e 1807 de 1.200R Rs, 2.400 Rs, 5.000 Rs, 6.400 Rs, 10.000 Rs, 12.800 Rs e 20.000 Rs. Papel Moeda emitido pelo Banco de Portugal, dos tempos da Monarquia, nos anos de 1891, 1900, 1904, 1909 e 1910 e da República, nos anos de 1917, 1918, 1920, 1925, 1959 e 1964. Papel Moeda emitido também na Casa da Moeda nos anos de 1891, 1917 e 1918. Muitos exemplares deste Papel Moeda circularam no ex-ultramar português emitidas também pelo Banco Nacional Ultramarino e pelo Banco de Angola, incluindo uma rúpia que circulava na que foi Índia Portuguesa.

10

Contactos: Museu Municipal Dra Berta Cabral Largo Dr Alexandre de Matos 5360-325 Vila Flor Tel:. 278512373 E-mail: museubertacabral@municipiovilaflor.pt Horário: Todos os dias excepto feriados 9.30h-12.30h; 14h-17.30h

11


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

In’ CANTOS ...da Saudade O CALDO PRETO Descia a estrada velha, a reta dos negrilhos de muros de pedra onde à noite no verão brilhavam pirilampos e amoras silvestres se debruçavam das silvas quase a tocarem o alcatrão já meio safado. Não era um acaso passar por ali, vindo da quinta do velhinho ou lá do alto, do talefe, com um molho de lenha ás costas, lábios grossos, moreno, cabelo rapado, pés rijos, nus, pés que nunca consentiram o “incómodo” de umas botas, mesmo no pico do inverno. Dizem-me dos seus calcanhares duros como aço e da facilidade com que esmagava ouriços pelo outono. Atarracado, tinha um olhar solitário, desamparado, um olhar incapaz de se cruzar com outro olhar. Mas ouvia, compreendia, sobrevivia. Lembro me de algumas expressões, sons que todos percebiam e que foram repetindo através dos tempos ao recordarem o Zé Maria. “Ulha, ulha”,” ulha bota”, “ nun foca”. Eram os seus quereres, as repulsas, os seus desejos. Do mais, nem um sorriso, uma lágrima, digo eu, um espanto. Por vezes, pelo Natal, mais pequenos os dias, com o sol a esconder-se por entre as oliveiras de Samões, ficava a olhar a manobra do carro de bois, carregado de sacos de azeitona, junto ao portão verde dos Araújos… e quanto ele gostava daquele chiar de fim de dia, quando o campo voltava á vila e as chaminés começavam a fumegar ondas cinzentas que se perdiam na noite. Era a vida do Zé Maria naquela vila de silêncios e de coisas modestas e simples. E foi numa tarde de Novembro, que o António sacristão, abriu a porta da sacristia, atravessou a igreja, passo largo, chaves penduradas no cinto,olhou a carreta preta dos mortos indigentes, com uma renda dourada e desbotada a dar solenidade à miséria, na hora de toda a solidão, de todas as bênçãos, da solidariedade necessária. A carreta descansava ao lado dos primeiros degraus da escadaria fria, por onde o António subiu, subiu ás torres para fazer melodiar os sinos no roxo toque a “sinais”. E logo o Chico Adriano deixou a oficina e ficou do passeio a olhar os sinos no meio duns miúdos que pararam o jogo da bilharda á procura da noticia. 12

O Chico nada sabia ainda, mas a sua frase de sempre nestas ocasiões, meia de pensante destas coisas da existência, meia de leituras apressadas do Almanaque Bertrand que levantava na Biblioteca Municipal, atraiu a atenção dos putos. “A vida é um A, um Z e um ponto final”. O Quim tirou a sacola do ombro, pousou-a no chão e olhou o sr. Chico cá de baixo. “ A vida é uma linha genial, torta ou reta, conforme o seu pendor. Começa sempre num prazer embriagado e termina numa lágrima de sal”. Era um soneto que um dia o Chico apanhou no almanaque, um “ verso” de que gostou muito, que recortou e passou a ser seu companheiro no bolso das calças de todos os dias. Sabia-o de cor, tantas vezes o lera e nestas ocasiões chamava-o, já o António sacristão descia das torres e os putos recomeçavam o jogo da bilharda. Não demorou muito que num jerico velho, dois sacos de lenha, um de cada lado, amparassem o corpo frio e lânguido do Zé Maria Bidão que entrava na vila rumo à Portela onde a partir dessa noite deixou de viver. Foi na encosta do Vale da Cal a dar para Sampaio e Roios que o Zé Maria deixou isto, no meio de fragas, um molhe de vides aos pés, o vale como pano de fundo, a meia légua da vila. E ainda nessa noite Maximina que trabalhava no Liz atirou para o lixo a malga que todos os dias cheia de café era um hábito do Zé Maria Bidão. O seu caldo preto. Hoje na vila já pouco se fala dele. A vida é mesmo assim. “Um A, um Z e um ponto final”. Fica aqui um pequeno flash de quem o recorda ainda, quase a fugir da memória, como uma imagem a arrastar-se no nevoeiro, como uma sombra a dobrar a esquina e a desaparecer num muro de pirilampos e amoras silvestres. A.P.

13


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

In’ CANTOS ...da Poesia Nostalgia. Maravilhas.

SOLAR DOS ARAÚJO LEITE | Vila Flor

I Lugar de encanto significa tanto a quem aqui mora, Aquece-nos a alma na tarde calma onde há tanto que chora.

IV Estes monumentos tantos valimentos da tua história, Pedaços de vida em ti contida és a nossa glória

II Lugar de história traz-nos à memória, relíquias quimeras, O Rei D. Dinis sempre assim quis, foi há tantas eras

V Ruas estreitinhas lembranças velhinhas um mar de saudade, Jardins em flor verdadeiro amor minha mocidade.

III Lugar de paixão, onde o coração bate sem parar, Em Vila Flor, de enorme esplendor é bom recordar.

Situado na Praça da República, este solar com pedra de armas, foi mandado construir no Séc. XIX por Acácio Alfredo de Araújo Leite. De fachada menos solene, mas de agradáveis linhas arquitetónicas, é atualmente pertença do General Baltazar de Morais Barroco e Irmãos.

SOLAR DOS VAZ | Sampaio

Autor: Fernando Silva In http://serenata-a-vilaflor.blogspot.pt

14

Situado em Sampaio, junto à capela do Santíssimo, ergue-se o solar dos Vaz, cujo brasão não é originário daquela aldeia. 15


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

In’ PULSO

FUMEIRO

Produtores do Concelho de Vila Flor PÃO

Cozinha da Maria Antónia - Rua D Dinis, Vila Flor

Tlf 933645367

Alheiras da Glória e Filho Lda - Largo do Terreiro, Vila Flor alheirasgloriafilho@gmail.com - Tlf 278516485 | 914552458 Maria Margarida Vieiro - Mercado Municipal, 5 - Vila Flor

Forno Tradicional da Mirinha - Rua da Portela, 15 r/c Vila Flor Tlf 918744943

Tlf 278516564

QUEIJO

Forno de Pão Caseiro - Travessa do Museu - Vila Flor Padaria da Misericórdia - Rua Nª. Sra. de Fátima www.misericordiavilaflor.com - Tlf 278511496 Padaria Fraga - Av. Vasco da Gama nº76 - Vila Flor Tlf 278512138 | 916432143 Padaria Vale da Vilariça - Zona Industrial lote 4 Santa Comba de Vilariça - Tlf 914552458

Casa de Queijo Artesanal - Mercado Municipal, Vila Flor

Padaria Santa Bárbara - Rua do Rascão - Seixo de Manhoses Tlf 278516267

Quinta da Veiguinha - Lugar do Barreal, Vilas Boas www.quintadaveiguinha.pt - geral@quintadaveiguinha.pt - Tlf 278511071

Pão Quente Mifaty - Av. Vasco da Gama, 60 - Vila Flor

Queijaria Artesanal - 100% Transmontano Lda Av. Vasco da Gama , Edif. Ótica Brás, 3º Dto, Vila Flor - Tfl 912084268

16

Tlf 278098024

17

Tlf 278512765


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

In’ PULSO Produtores de Vila Flor premiados em Concursos Nacionais e Internacionais

Internacional Wine Challenge,IWC 2015 / Londres Lupucinus Grande Reserva 2011 | OURO Lupucinus Selection 2013 | OURO Quinta de Lubazim Grande Reserva 2012 | PRATA In www.internationalwinechallenge.com

OLIVE JAPAN 2015 International Olive Oil Competition Award / Japão Azeite Acushla | OURO http://olivejapan.com

Vinalies Internationales / Paris Barão de Vilar, Vinhos S.A Colheita 1990 | OURO In www.vinalities-internationales.com

Mediterranean Internacional Olive Oil Competition Awards TERRAOLIVO 2015 / Israel Azeite Acushla | OURO In www.terraolivo.org

Decanter World Wine Awards 2015 / Londres Quinta de Lubazim Grande Reserva 2012 OURO Barão de Vilar, Vinhos S.A Grande Reserva 2011 | PRATA Lupucinus Selection de 2013 | BRONZE Quinta do Granjal/Reserva 2012 | BRONZE Barão de Vilar, Vinhos S.A Zom Reserva Tinto 2011 | BRONZE Barão de Vilar, Vinhos S.A Proeza 2013 | BRONZE In www.decanterawards.com

Premio Biol 2015 20Th International Prize / Itália Azeite Acushla | OURO In http://premiobiol.it Los Angeles Internacional Extra Virgin Olive Oil Competition 2015 Los Angeles / EUA Azeite Acushla | BRONZE In www.fairplex.com 5º Concurso Nacional de Queijos Tradicionais Portugueses Quinta da Veiguinha Queijaria Artesanal, Lda. | OURO In www.concursosnacionais.pt Concurso de Vinhos de Portugal 2015 Quinta do Couquinho Colheita 2012 “DOP” Douro | OURO Barão de Vilar, Vinhos S.A. Moscatel 2012/ “DOP” Douro | OURO Quinta de Lubazim Grande Reserva 2012/ “DOP” Douro | OURO Lupucinus Selection Branco 2013 | PRATA Barão de Vilar, Vinhos S.A Zom Reserva Tinto 2011 | PRATA In http://concursovinhosdeportugal.pt

18

Concurso de Vinhos do Douro Superior/Foz Côa Barão de Vilar, Vinhos S.A Porto Colheita Branco 2004 | OURO Porto Colheita 1982 | PRATA Grande Res. Tinto 2011 | BRONZE Quinta do Couquinho Couquinho Superior Branco 2013 | PRATA Holminhos Tinto 2012 | PRATA Grande Reserva Tinto 2011 | BRONZE Quinta de Lubazim Grande Reserva Tinto 2012 | PRATA In www.revistadevinhos.pt Concours Mondial / Bruxelas Barão de Vilar, Vinhos S.A Licor 1990 | PRATA Tinto 2013 | PRATA Zoom 2011 | PRATA Quinta do Granjal Grande Reserva 2012 | PRATA In www.concoursmondial.com

19


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

In’ PRESS

SOLAR DOS ARAÚJO BORGES | Freixiel

Teatro nas aldeias O Largo do terreiro de Benlhevai recebeu, dia 24 de Maio, a peça de teatro “O Saco das Nozes” de A. M. Pires Cabral, encenada pela Filandorra Teatro do Nordeste. Dia 14 de Junho, foi a vez do salão da Junta de Freguesia de Samões receber esta peça, baseada em três contos tradicionais, com a qual o autor, Pires de Cabral, pretendeu acima de tudo divertir e fazer teatro com base no quotidiano das zonas rurais nordestinas, capaz de ser imediatamente apropriado por aqueles de quem nasceu e a quem se destina. Santa Comba de Vilariça acolheu a Peça dia 5 de Julho, no Largo das Eiras. A Galeria de Exposições do Centro Cultural de Vila Flor recebeu, durante o mês de Junho, a Pintura em Tela e Vidro da autoria de Maria Lina Ambrósio, natural de Adeganha. Segundo a pintora, na sua obra pode encontra-se a visão do interior transportada para a tela através da sensibilidade que se dirige aos sentidos. Informalismo gestual que recorre à natureza como fonte de inspiração.

Exposição sobre Terras Transmontanas 20

Localizado na Rua Grande, este Solar possui brasão com armas dos Araújos e dos Borges. Aqui morou um Fidalgo da Casa Real, coronel das Milícias em Chaves. Viria mais tarde a pertencer aos Condes de Vinhais por motivo de casamento. Foi vendido pelos herdeiros mas atualmente continua a ser propriedade de uma família da freguesia.

SOLAR DOS CONDES DE SAMPAIO | Vila Flor Também conhecido por Casa do Paço, este belo exemplar do Séc. XVII situa-se no Largo dos Condes de Sampaio em Vila Flor. É armoriado com as Armas dos Condes de Sampaio. Escudo sob coronel de conde e assente numa carranca. Foi adquirido em 1855 por João Pedro Miller à Condessa de Sampaio e continua a ser propriedade dos seus descendentes. 21


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

Agrupamento 1055 de Vila Flor recebeu escuteiros da Região

Espetáculo Ana Prada

Teve lugar no dia 3 de Outubro, pelas 22 horas, no Centro Cultural de Vila Flor, o concerto muscial da Macedense Ana Rita Prada. Tendo ficado conhecida no programa “Uma canção para ti” da TVI em 2009, agora com 18 anos, a jovem apresentou o seu primeiro CD: “Primaveras”, uma coletânea de originais, editado pela “Saudade Records”. Os temas que cantou agradaram e animaram a plateia entusiasta que encheu o auditório para conhecer o trabalho discográfico desta artista transmontana. Nos passados dias 16 e 17 de Maio, Vila Flor acolheu perto de uma centena de escuteiros vindos dos vários concelhos do Distrito de Bragança. A atividade, inserida nas celebrações dos 90 anos da Região, teve como tema o ambiente, com crianças e jovens a aceitarem o desafio de se tornarem “Vigilantes da Terra”.

Lançamento de livro infantil

Texto do Mensageiro de Bragança

Caminhada do Dia do Coração

O Município de Vila Flor apoiou a Caminhada no âmbito do Dia do Coração que envolveu alunos do 1.º e 2.º ciclos do concelho de Vila Flor, no dia 29 de Maio. 22

Dia 11 de Outubro foi apresentado, em Vila Flor, o livro “Lara Caça Sonhos Maus”, de Cláudia Leal. A autora, de origens em Freixiel, é uma jovem psicóloga que tem acompanhado crianças com perturbações de sono. Este livro pretende alertar os pais para a importância de saber ver determinados sinais comportamentais dos filhos, antes que alguns medos evoluem para perturbações, evitando, assim, sofrimentos psicológicos. Esta sessão contou com a presença do Presidente da Câmara e da Vereadora da Cultura, além de inúmeros amigos, especialmente de Freixiel, que quiseram conhecer os dotes da escrita desta sua conterrânea. 23


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

Vilaflorense Jorge Sarmento distinguido na área da Fotografia

Além da distinção de “Documentary Award Of Humanity Photo Awards 2015”, o Vilaflorense Jorge Sarmento está nomeado para os Grand-Awards HPA/UNESCO 2015 com o seu documentário fotográfico: O Casal Pastor (2012-2015). Do curriculum de Jorge Sarmento destaca-se a colaboração com revistas de renome tal como a Photografic Society of América e em sites da especialidade. Destaque também para o trabalho fotográfico sobre Extração de Cortiça, a convite da reconhecida plataforma on-line SDN - Social Documentary Network, em colaboração com a APCOR – Associação Portuguesa da Cortiça. Ainda neste âmbito, foi convidado pelo Ministério da Cultura do Iraque (Bagdad) para fazer parte de uma exposição, através da cedência de 4 fotografias deste repertório.

Taça de Portugal de Cadetes Vila Flor recebeu, no domingo, dia 24 de Maio, pela primeira vez a Taça de Portugal Liberty Seguros de Cadetes. A segunda e última prova da Zona A contou com 67 participantes, que tiveram pela frente um percurso de 62 quilómetros. Artur Chaves (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel) superou com sucesso a etapa de Vila Flor, conseguindo o primeiro lugar no pódio. O jovem ciclista completou a etapa em 1h48m43s deixando para trás Pedro Lopes (Tensai/Santa Marta) e Diogo Vieira, vencedor da primeira etapa, que ficou na terceira posição. Concluída a fase inter-regional, será divulgada a classificação nacional, após somados os pontos dos ciclistas da zona A e B, onde são qualificados os participantes para a final marcada para o dia 5 de Julho, na Trofa. A Taça de Portugal de Ciclismo de Cadetes deverá voltar a Vila Flor no próximo ano. “Já estamos em negociações com a federação para trazer novamente esta prova ou outra de ciclismo para Vila Flor”, garante Nuno Palmeirão, presidente do Clube de Ciclismo de Vila Flor (CCVF). A prova segundo Nuno Palmeirão serviu ainda para cativar os mais novos para a prática da modalidade. “No distrito já temos as escolas mais direcionadas para o BTT, mas gostávamos que os mais novos também ganhassem o gosto pelo ciclismo”, conclui o presidente do CCVF. Texto do Jornal Nordeste, 28-05-2015

24

25


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

IrrigOlive ajuda a produzir mais e melhor azeite

Investigadores portugueses encontraram uma forma de melhorar a qualidade do azeite e de aumentar a sua produção, que permite, ao mesmo tempo, optimizar os recursos hídricos. O projecto chama-se IrrigOlive e resulta de uma parceria entre a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), a Escola Superior Agrária de Bragança, a Universidade de Évora e o Instituto de Ciências Tecnológicas Agrárias, e a empresa VIAZ. O IrrigOlive avaliou os efeitos de diferentes estratégias de rega. “O olival precisa de água mas é necessário racionar o uso desta para obter qualidade. Incentivamos a uma gestão sustentável, ao uso eficiente da água. Ainda há a ideia de que se o olival for mais regado a produção é maior, isso é mito”, explica Anabela Fernandes Silva, investigadora do Centro de Investigação e de Tecnologias Agro-ambientais e Biológicas da UTAD. A conclusão foi alcançada depois de os investigadores terem avaliado os “efeitos de diferentes estratégias de rega deficitária em comparação com a rega máxima nas relações hídricas da planta”, bem como “os efeitos da estratégia de rega na eficiência da colheita mecânica da azeitona e na erosão hídrica do solo”, explicou Anabela Fernandes Silva. O IrrigOlive foi aplicado a um olival de produção biológica na Quinta do Carrascal, no vale da Vilariça, entre 2013 e 2014. João Oliveira, sócio-gerente da quinta, garante a eficiência do projecto. “Uma coisa é regar outra é saber regar. Posso dizer que agora já sei regar. É impensável termos um perímetro de rega, ter água e não saber regar”, conclui João Oliveira Os resultados do projecto Rega Deficitária na Oliveira na Região da Terra Quente Transmontana foram apresentados em Vila Flor. In Rádio Brigantia, 09-06-2015 26

Conferência “A Escola face ao sucesso e insucesso escolar”

No passado dia 16 de Julho, o Auditório Adelina Campos recebeu uma conferência sobre educação que envolveu a Câmara Municipal, o Agrupamento de Escolas, técnicos, Professores, Educadores e Assistentes Operacionais numa tarde dedicada ao debate da temática. Organizada pelo Centro de Formação de Professores - Associação de Escolas do Tua e Douro Superior, o evento contou com a presença de David Justino, Presidente do CNE e Vítor Sil, Professor do Agrupamento de Escolas de Vila Flor.

Concerto 1 Hundred Voices

Cerca de 100 alunos do Conservatório de Música e Dança de Bragança subiram ao palco do Auditório Adelina Campos, dia 20 de Junho, um concerto coral. Foi com muito gosto que o Município de Vila Flor deu a conhecer os valores das artes disponibilizadas por aquela Instituição. 27


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

Primeiro distrital nasce de olho no nacional

Rebordelo vence primeira edição do Campeonato Distrital

Futebol de Praia Promoção da modalidade no distrito conta com o apoio da FPF e prevê, a curto prazo, a incursão do Nordeste Transmontano no calendário da I Divisão. «…» Uma iniciativa para desenvolvimento da região e com um outro objetivo: receber, a curto prazo, no distrito de Bragança, uma etapa do Nacional de Futebol de Praia. Esta garantia foi dada por António Ramos, presidente da AFB: “as etapas do nacional deste ano já foram atribuídas, mas no próximo ano existe a possibilidade de nós recebermos uma delas”, assume. «…» O presidente da autarquia, Fernando Barros, garante que a iniciativa tem o seu “apoio incondicional”. “Não foi preciso grande investimento, uma vez que já existiam infraestruturas”, revela o edil que garante alojamento na região a todos os participantes. O vice-presidente da FPF, Pedro Dias, e o selecionador nacional, Mário Narciso, estiveram em Vila Flor, conheceram as infraestruturas, dialogaram com André Morais, presidente do Vila Flor Sport Clube, António Ramos, presidente da AF Bragança e com Fernando Barros, presidente da Câmara Municipal de Vila Flor e contribuíram decisivamente para o impulso da prova, apoiada pela FPF.

O Rebordelo venceu a primeira edição do Campeonato Distrital de futebol de praia, que no passado domingo se disputou em Vila Flor. “É uma modalidade nova na região e é de louvar a lembrança de organizar um torneio destes. Inscrevemo-nos porque é uma experiência ímpar e única para jogadores que estão habituados a futebol noutros pisos. O principal objetivo foi proporcionar-lhes esta experiência, mereceram pela época que fizeram”, comentou o treinador do clube, Nuno Loureiro. Texto do Mensageiro de Bragança, 26-06-2015

Trabalhos de beneficiação no Complexo Turístico do Peneireiro Foram realizados trabalhos de beneficiação no Complexo Turístico do Peneireiro e zona envolvente da Piscina Municipal, designadamente arranjos exteriores, construção de telheiro e de muros, colocação de rede, pinturas e construção de passeios. Para melhorar o funcionamento do sistema de tratamento, filtragem e aspiração da água da Piscina, foram adquiridas e colocadas duas nova bombas na casa das máquinas do Complexo. Foram também concluídos os trabalhos de manutenção no Parque Infantil e os trabalhos na Estação de Serviço de Caravanas do Parque de Campismo.

In Mensageiro de Bragança, 11-06-2015 (adaptado) 28

29


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

Visita do Senhor Presidente do Supremo Tribunal de Justiça No passado dia 25 de maio, a Instância local de Vila Flor do Tribunal Judicial da Comarca de Bragança, onde exerce funções o Senhor Juiz de Direito André Xavier Rodrigues, recebeu um conjunto de ilustres visitantes que muito nos honrou: -Senhor Presidente do Supremo Tribunal da Justiça, Senhor Conselheiro António Silva Henriques Gaspar; Senhor Vice-Presidente do Conselho Superior da Magistratura, Senhor Juiz Conselheiro António Joaquim Piçarro; Senhor Presidente do Tribunal da Relação de Guimarães- Senhor Juiz Desembargador António Ribeiro; Senhor Vogal do Conselho Superior da Magistratura, Senhor Juiz de Direito Gonçalo Magalhães; Senhor Presidente do Tribunal Judicial da Comarca de Bragança, Senhor Juiz de Direito Fernando Vilares Ferreira; Senhor Procurador Coordenador do Tribunal Judicial da Comarca de Bragança, Senhor Procurador da República José Joaquim Remísio; Senhor Administrador Judiciário do Tribunal Judicial da Comarca de Bragança, Senhor António Falcão; A visita resultou de uma iniciativa do Conselho Superior da Magistratura em visitar diversos Tribunais de Comarca, contactando assim diretamente com as recentes alterações do novo mapa judiciário. Durante a visita foi dado conhecimento a Suas Exas do projeto de qualificação dos nossos Paços do Concelho e consequentemente do nosso Tribunal.

Douro-Duero Ibérico, Rota Património Mundial “Douro-Duero Ibérico, Rota Património Mundial” é a nova rota turística que a Fundação Rei Afonso Henriques propõe. A Rota agrega os onze sítios classificados pela Unesco como Património da Humanidade existentes ao longo da região da Bacia do Douro, do lado português, o Centro Histórico do Porto, o Centro Histórico de Guimarães, Alto Douro Vinhateiro, Sítios de Arte Rupestre do Vale do Côa e extensão Siega Verde e do lado espanhol, o Centro Histórico de Ávila e suas igrejas extramuros, o Centro Histórico de Salamanca, o Centro Histórico de Segóvia e o seu Aqueduto Romano, a catedral de Burgos e o Sítio de Arte Rupestre de Atapuerca e Las Medulas. Esta Exposição marcou presença no Centro Cultural em Vila Flor, de 3 a 31 de Julho de 2015.

II Festival de Música Sons de Vila Flor

Encontro de Cooperativas Olivícolas Realizado dia 9 de Julho no auditório do Centro Cultural de Vila Flor, este Encontro teve como finalidade tratar de assuntos relativos à fileira do azeite e contou com a participação da Federação da “Fenazeites” e com o convidado Arlindo Cunha, ex-Ministro da Agricultura. 30

Durante as Sextas e Sábados do mês de Julho, o auditório ao ar livre do Centro Cultural de Vila Flor recebeu os grupos de música e dança do Concelho para a realização do II Festival de Música. EIMI— Brass Gang Band, Academia Zécthoven, Our Stone, Grupo de Música Tradicional da ACR, Grupo de Cantares de Seixo de Manhoses, Os Barulhentos, Rancho Folclórico de Freixiel, Banda Filarmónica de Vila Flor, José e Beatriz Bragança, Gigantones de Valtorno, Troika, Skyline, Renascer e Inkógnito, foram alguns dos Grupos participantes. 31


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

Caminhada Solidária a favor da Liga Portuguesa Contra o Cancro Núcleo da Região Norte

Pelo terceiro ano consecutivo que o Município de Vila Flor colaborou com a Liga Portuguesa Contra o Cancro com o objetivo de ajudar esta Instituição no combate a um flagelo que a todos preocupa e responsabiliza enquanto cidadãos. Homens, mulheres e jovens, envergaram as t-shirts brancas da solidariedade e caminharam felizes pelas ruas de Vila Flor até ao Complexo Turístico do Peneireiro, regressando, depois, ao ponto de partida – Largo do Município. Este ano, o valor total angariado foi de 3,530.12€. Impõe-se, agora, reconhecer a particularidade do momento e agradecer a todas as Instituições e empresas, a todos quantos ajudaram e contribuíram para a realização e êxito deste evento, a todos os que participaram caminhando neste caminho de luta e solidariedade.

SOLAR DOS LEMOS Vila Flor É o mais representativo monumento civil da chamada arte joanina em Trás-os-Montes. Mandado construir pelo Dr. João de Seixas Caldeira da Fonseca e Lemos, corregedor de Bragança, por volta de 1700, ostenta o brasão dos Pinto de Lemos. Em 1914, por hipoteca a um banco, foi adquirido pelas irmãs D. Ernestina e D. Maria Delfina Miranda de Faria, as “senhoras médicas”, como eram vulgarmente conhecidas na terra, dada a profissão durante 18 anos de seu pai. Atualmente pertence aos seus descendentes.

Atividades Desportivas de Verão De 26 de Julho a 2 de Agosto realizouse o V Torneio de Futsal Interfreguesias, com os jogos distribuídos pelos vários ringues multiusos do Concelho. Com a participação de 12 equipas, a equipa da Carvatack sagrou-se campeã, tendo vencido a equipa de Sampaio, na final que teve lugar no Pavilhão Gimnodesportivo de Vila Flor. A VI Maratona de Futebol, realizada entre 8 e 9 de Agosto no Estádio Municipal, contou com a presença de 7 equipas do Concelho. A final atribuiu a vitória à Carvatack, após disputa pelo título com a equipa dos Galáticos de Vila Flor. 32

SOLAR DA CASA DA CÂMARA Vilas Boas É uma Casa setecentista onde terá funcionado a Câmara de Vilas Boas e também o Tribunal. Vendida em meados do Séc. XIX pelo outrora Município de Vilas Boas, este conjunto é atualmente propriedade de duas famílias, residentes em Vila Boas. 33


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

Supertaça feminina de voleibol 2015

Vila Flor orgulhou-se de ser o palco da realização da Supertaça Feminina de Voleibol, dia 3 de Outubro, disputada entre o Atlético Voleibol Clube, de Famalicão e o Porto Vólei 2014. 3-0 foi o resultado da luta pelo troféu, a favor da equipa famalicense, ao vencer o detentor da taça de Portugal (Porto Vólei), pelos parciais de 25-21 25-17 25-21. A Federação Portuguesa de Voleibol trouxe para o interior esta final com o objectivo de promover a modalidade e porque encontrou neste pavilhão todas as condições para a realização deste tipo de encontros, resultando, assim, uma parceria com o município para este e outros eventos de cariz desportivo. 34

O público assistiu ao jogo e encheu as bancadas, estando presentes as claques dos dois clubes que manifestaram, ruidosamente, o seu apoio. O jogo foi transmitido, em direto, pelo canal televisivo “A Bola TV”. Nesta final, para vincar a decisão de trazer o jogo para Vila Flor, estiveram presentes, para além do Presidente da Federação Portuguesa de Voleibol e outros dirigentes de topo, o Executivo Municipal.

35


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

Visita da Imagem Peregrina de Nª Srª de Fátima No início da noite de 13 de Julho, dia de aniversário da terceira aparição de Nossa Senhora de Fátima aos pastorinhos, que em Candoso, foi recebida calorosamente a Senhora Peregrina vinda da UP de Ansiães. Com Ela vinha o nosso Bispo D. José Cordeiro e a acompanha-La a equipa diocesana da organização da peregrinação liderada pelo Padre Bento, Vigário para a ação pastoral. Presentes para a acolher estavam os sacerdotes da UP de Vila Flor, Padre Delfim, Vigário do Clero, Padre Joaquim Leite e Padre Belmiro, Arcipreste de Moncorvo, assim como as autoridades civis, Senhor Presidente da Camara, Eng Barros, o seu vice-presidente e a vereadora da cultura, presidentes de junta, Forças de segurança, bombeiros voluntários de Vila Flor com a sua chefia e agrupamento 1055 dos escuteiros.

Do cruzamento de Vale Frechoso, onde populares a saudaram, continuou para Benlhevai e aí se meditou o primeiro mistério doloroso do Rosário e se fez a encenação da aparição do Anjo de Portugal aos pastorinhos. Seguiu depois para Santa Comba da Vilariça, onde se meditou o segundo mistério em frente da Igreja Matriz, toda engalanada, tal como pelas ruas onde passou. No cruzamento da Trindade, de Valbom, de Assares e de Lodões, rezou-se uma Avé Maria pelas intenções dos populares. Em Sampaio, foi acolhida pela população e no largo da capela de Nossa Senhora do Rosário meditou-se o terceiro mistério doloroso e foi benzida uma nova bandeira de Nossa Senhora de Fátima da paróquia. Com as ruas todas embelezadas, o cortejo seguiu para Vila Flor, onde na capela da Misericórdia se rezou o Ângelus e se fez um tempo de adoração eucarística.

Na comitiva da UP de Ansiães, estavam os sacerdotes daquela unidade e muitos peregrinos que em cortejo automóvel se integraram na comitiva de Vila Flor em direção ao Santuário de Nossa Senhora da Assunção. Pelas 21horas, a Senhora Peregrina passou pelas comunidades de Carvalho de Egas e de Samões, engalanadas para o efeito e onde muita a gente a esperava. Na rotunda dos evangelistas, esperava-a um mar de gente que se transformou em mar de luz depois de o senhor bispo abençoar as velas que os fiéis traziam nas mãos. Com as bandeiras de Nossa Senhora de Fátima das comunidades da UP e de todo o povo de Deus presente, deu-se início à procissão cantando e louvando a Senhora mais brilhante para a Praça Papa Pio XII do Santuário até à capela de Nossa Senhora da Assunção, onde durante toda a noite vários grupos paroquiais e movimentos fizeram vigília de oração até às 8horas em que se rezaram laudes. Na manhã do dia 14 de Julho, pelas 8 e 30, a Virgem peregrina despede-se do Santuário para descer à Vilariça, acompanhada sempre pelos sacerdotes, Presidente da Câmara e bombeiros.

36

37


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

Visita da Imagem Peregrina de Nª Srª de Fátima continuação

Pelas 13.30 deu- se o início do cortejo automóvel em direção ao santuário de Nossa Senhora do Castanheiro, onde as comunidades de Valtorno, Mourão e Alagoa se juntaram em procissão e aí meditou o quarto mistério doloroso. A Virgem Peregrina foi depois acolhida no santuário de Santa Cecília, onde crianças e jovens com t-shirts saudavam a Senhora com as palavras de” Bem Vinda”, “Salve Regina”, com uma largada de balões, com a representação de quadros ao vivo de algumas aparições de Nossa Senhora de Fátima aos pastorinhos; aí meditou-se o último mistério com gente de Candoso, Carvalho de Egas, Samões e de Seixo de Manhoses. Pelas 16 horas é acolhida no lar de Nossa Senhora da Lapa em Vila Flor, onde abençoou os doentes e idosos com uma celebração, seguindo depois para o largo da Câmara Municipal, toda decorada com flores, e daí dá-se início à procissão em direção à Igreja Matriz para a solene Eucaristia de ação de graças, presidida pelo Sr. Bispo, e de despedida à Virgem Peregrina. Pelas 19 e 30 cantou-se, emocionadamente, o Adeus à Virgem e o cortejo automóvel seguiu para a unidade pastoral da Senhora dos Montes Ermos, em Freixo de Espada à Cinta, levando no coração todas as intenções e orações dos fiéis da UP de Vila Flor. Padre Belmiro

38

SOLAR DOS VISCONDES DE LEMOS | Vila Flor Com uma elegante e sumptuosa frontaria tipicamente trabalhada em granito, este solar situa-se na Rua da Misericórdia e é do Séc. XIX. Mandado construir por António Pinto Seixas de Lemos, Visconde de Lemos, ostenta o brasão com a pedra de armas do Titular. Atualmente continua propriedade de seus descendentes.

SOLAR DOS REIMÃO DE MENEZES | Lodões Solar setecentista localizado na aldeia de Lodões. Destaque para o portal de entrada encimado por uma cruz e duas pirâmides. Integrou no passado capela particular. O brasão tem as armas dos Reimão de Menezes e Mello. 39


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

Freixiel - 500 anos do Foral

No passado dia 19 Freixiel esteve em festa. Comemoraram-se os 500 anos da atribuição do foral por D. Manuel I com um conjunto de atividades variadas que encheram por completo o dia e que transportaram os locais e os visitantes para outra época, relembrando a importância de Freixiel como vila e sede de concelho. Ao início da manhã a Banda Filarmónica de Vila Flor anunciou a festa. As pessoas foram-se concentrando no Largo do Pelourinho para o lançamento do livro “Forais de Freixiel”, da autoria de um filho da terra, Cristiano Morais, com patrocínio da Câmara Municipal. O salão utilizado foi pequeno para tanta gente, o que mostrou que a cultura também tem procura. A mesa integrava o Presidente da Junta, João Garcia, o Presidente da Câmara, Eng. Fernando Barros e o autor, Cristiano Morais. Estiveram também presentes todos os vereadores da Câmara Municipal. «...» Depois de autografado o livro lançado foi oferecido a todos os presentes. No edifício da Junta de freguesia foi descerrada uma placa evocativa da comemoração dos forais de Freixiel. No programa seguiu-se uma cerimónia religiosa, com a celebração da missa dominical.Ao início da tarde a aldeia começou a ganhar ambiente de festa com muitos visitantes a chegarem e a associarem-se às comemorações. «...» As personagens do Desfile Medieval vestiram os seus trajes. O som da gaita de foles e respectiva percussão dos Gaiteiros das Terras de Miranda alegravam o ar. «...» O grupo Filandorra - Teatro do Nordeste coordenava o processo e davam um toque de profissionalismo aos grupo de ac40

tores improvisados, habitantes de Freixiel que quiseram ter um papel mais activo nas comemorações. Ao cortejo juntaram-se também os elementos do Rancho Folclórico de S. Domingos (Gravelos -Vila Real), presença surpresa, mas bem-vinda, para dar mais brilho à festa. A Rua Grande e a Rua do Concelho assistiram, surpresas, à passagem de soldados, nobres, clérigos, bobos e população, num cortejo longo e animado. Depois de uma passagem pela Rua Nossa Senhora do Rosário e Rua do Moinho, o cortejo regressou ao Largo do Pelourinho. O povo queria espectáculo e foi isso que aconteceu. Os espectadores distribuíram-se em redor do largo do Pelourinho e a base deste serviu de palco para a leitura do foral pelo arauto e sua entrega aos homens bons. O grupo de teatro apresentou alguns quadros medievais que despoletaram espontâneas e prolongadas gargalhadas a novos e a menos novos, a quem o sol quente da tarde não afastou. «...» Actuaram, depois, dois ranchos folclóricos: O Rancho Folclórico de Freixiel teve uma actuação original, com os seus elementos envergando trajes medievais; o calor não foi entrave para que o rancho folclórico visitante mostrasse as suas danças com muita genica e alegria. As danças terminaram ao fim da tarde com os dois ranchos a dançarem juntos com a população. A festa mudou-se para o Largo das Fontes. O local foi bem escolhido. Já estava completamente à sombra, é um espaço verde, bonito, com duas fontes, uma delas muito antiga (fonte de mergulho). Entradas com chouriço e queijo, seguidas de carne assada no churrasco e a tão famosa sopa de pedra, prato de raízes nada transmontanas mas que é muito apreciada. Mais do que a comida, foi o convívio, a música, a alegria, o encontro de gerações que tornou o momento num dos principais das comemorações. Mais tarde, já com a barriguinha composta, a refeição foi terminada com belas e doces frutas da época, que só de ver apetece comer. O programa terminou com mais um momento musical, os Troika, um grupo jovem que animam arraiais com a sua música mexida bem portuguesa. Foi um dia em cheio. «...» Freixiel e as suas gentes, estão de parabéns. In http://descobrir-vilaflor.blogspot.pt

41


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL Mais do que vender, produtores procuraram mostrar-se junto de quem tem “algum poder de decisão”

XXI TerraFlor | feira de produtos e sabores 21 a 24 de agosto 2015 | Vila Flor A XII Edição da feira juntou 120 expositores no centro de Vila Flor Vila Flor recebeu no passado fim de semana a XII Edição da Terra Flor, um certame que juntou 120 expositores (90% deles provenientes do Concelho, segundo dados da Organização) e que apresentaram o que de melhor se produz na região, apesar de ter o azeite como produto âncora. Na inauguração do certame, além da presença habitual dos vários presidentes de Câmara da região e de algumas figuras ilustres, destacouse Jorge Nunes.

“Eu quero que os projetos dos produtores , sejam eles naturais daqui ou não, mas que queiram investir na nossa terra, sejam acarinhados por quem decide. Por isso, eu tive o cuidado de chamar aqui quem tem algum poder de decisão. A região tem de ser um todo. Não podemos estar isolados. Temos de ter um discurso positivo, de trabalho, e não de lamúria. Temos de defender os nossos interesses. E a Terra Flor é importantíssima nesse ponto”, referiu Fernando Barros, presidente da Câmara Municipal de Vila Flor. “É importante refletir sobre aquilo que lutamos. Existe uma batalha importantíssima, a da economia. Se não ganharmos aí, ganhamos no emprego. E se assim for conseguimos reter as pessoas na região. Dez empregos aqui é diferente de dez no Porto, onde pouca diferença faz”, analisa. No certame houve também espaço para o artesanato e para algumas instituições ligadas à agricultura. Foi também apresentada, à imagem de anos anteriores, uma nova marca de azeite e uma nova marca de vinho. “Há marcas de azeite e vinho com distribuição a nível nacional que foram aqui apresentadas, o que é muito importante para nós”, relembrou o presidente.

Testemunhos Hélder Abade | Mel do Abade “Sou solicitador. A apicultura é um extra que começou como um hobbie. Foi crescendo e cada vez me rouba mais tempo. Acima de tudo é a paixão que tenho pelas abelhas. Estar nesta Feira é importante. É ver reconhecido o nosso trabalho, que já tem 5 anos”. O agora presidente da Comissão Diretiva do Programa Operacional Regional do Norte, conhecido por «norte 2020», marcou presença no evento a convite do Eng Fernando Barros, o edil da Câmara de Vila Flor, com o intuito de melhor conhecer “a qualidade e as potencialidades da região, cuja atividade principal é a agricultura”.

Terra Flor como uma montra a pensar na economia da região 42

Maria Peixoto | Fumeiro Regional “É um projeto novo. Só desde Fevereiro que está em funcionamento. Antes já íamos trabalhando, mas só agora foi formalizado. A minha mãe, de 85 anos, foi a mentora. É a primeira presença na Terra Flor. Queremos mostrar o nosso produto, mais do que vender”. In Mensageiro de Bragança, 27/8/2015 43


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

XXI TerraFlor | feira de produtos e sabores 21 a 24 de agosto 2015 | Vila Flor

44

45


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

Ação Social Escolar O Município de Vila Flor assegura o acesso à educação a todas as crianças e jovens do Concelho. A Ação Social Escolar reflete-se nos seguintes apoios: Auxílios Económicos: ►Transporte escolar gratuito para todos os alunos do Concelho, desde o Pré-Escolar ao 12º ano; ►Transporte de jovens com Necessidades Educativas Especiais para Instituições especializadas; ► Atividades de apoio à família e prolongamento de horário; ► Atividades extra curriculares para o Pré-Escolar e 1º CEB, com o Ensino de Inglês, Música e Atividade Física e Desportiva; ► Oferta dos manuais escolares aos alunos do 1º CEB; Apoio Alimentar: ► Refeição do almoço aos alunos do Pré-escolar e 1º CEB. ► Adesão ao Regime da Fruta Escolar, com distribuição semanal de duas peças de fruta aos alunos do 1º CEB. Outros auxílios: ► Cedência de transporte para visitas de estudo; ► Peças de Teatro aos alunos, de acordo com os programas pedagógicos aprovados. ► Apoio nas diversas atividades realizadas durante o ano letivo.

A Câmara Municipal de Vila Flor aprova redução de IMI

In www.facebook.com/Portugal.em.Festa.SIC 46

Em reunião do Executivo Municipal de 7 de Setembro, por proposta do Sr. Presidente da Câmara, foi deliberado, por unanimidade, aplicar a taxa mínima de IMI, permitida por lei, em 0,3% para o ano de 2016. Igualmente foi aprovada a redução da taxa de IMI em função do número de dependentes do agregado familiar, nos seguintes termos: a redução de 10% para as famílias com um dependente, em 15% para as famílias com dois dependentes e em 20% para as famílias com três ou mais dependentes. Esta proposta vai ser remetida à próxima Assembleia Municipal para discussão e aprovação e produzirá efeitos no ano de 2016. Esta medida enquadra-se num conjunto de apoios às famílias do concelho de Vila Flor que Município tem defendido. 47


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL VALONQUINTA

INFORMAÇÕES ÚTEIS

QUINTA DO PALAME Turismo Rural Estrada de Folgares 13 5360-062 Freixiel Nº quartos: 6 Tel. 962 839 966 /278 549 037 http://quintadopalame.com info@quintadopalame.com

QUINTA DA PEREIRA Agro Turismo Av Vasco da Gama 5360 Vila Flor Nº quartos: 6 Tel. 916 798 456 / 278 512 289 www.quintadapereira.com quintadapereira@gmail.com

Agro Turismo EN Vila Flor-Roios 5360 Vila Flor Nº quartos: 8 Tel. 278516727; 915336575 www.valonquinta.com Ms.pinto@hotmail.com

PALACE

Alojamento Local Av. Vasco da Gama 5360 Vila Flor Nº quartos: 9 Tel. 278516727; 278512051; 915336575 http://palacevilaflor.com geral@palacevilaflor.com

CASA DAS AZENHAS

Turismo Rural Rua da Capela 5360 Vilarinho das Azenhas Nº quartos: 6 Tel: 278511532 www.casadasazenhas.com.pt casadasazenhas.com.pt@hotmail.com CASA DOS LAGARES DE VARA E PEDRA Turismo Rural Largo dos Sotos, nº4 5360-493 Vilas Boas Nº quartos: 6 Tel: 278 512 167 / 915 535 199 www.lagaresdevaraepedra.com geral@lagaresdevaraepedra.com

QUINTA DO REBOREDO Agro Turismo Quinta do Reboredo 5360 Vilas Boas Nº quartos: 4 Tel: 278 516 872 www.facebook.com/QuintaDoReboredo quintadoreboredo@sapo.pt

48

HOTEL PÓVOA D´ALÉM SABOR

Rua Timor Leste nº45 5360 Vila Flor Nº quartos: 16 Tel: 917596537; 917596532; 278511089 www.hotelpovoalemsabor.com info@hotelpovoalemsabor.com

HOTEL VILLA JÚLIA

Rua do Outão nº1 5360-150 Samões Nº quartos: 17 Tel 278511447 www.hotelruralvillajulia.com reservas@hotelruralvillajulia.com

49


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL QUINTA DO BARRACÃO DA VILARIÇA Agro Turismo EN 102-IP2 5360 Lodões Nº quartos: 17 Tel: 278536200 www.terra-sa.com agro-turismo@terra-sa.com

RESTAURAÇÃO Casa de Pasto “Piri-Piri” | E. N. Vila Flor. Tel: 278512460 Casa de Pasto “O Barracão” | Zona Oficinal, Vila Flor. Tel: 278511207 Churrasqueira “Ti Carlos” | Rua da Palma, Vila Flor. Tel: 278516244 Pastelaria“As-Sukkar” – Avª. Prof. Maximino Correia. Tel: 278512037 Pastelaria “Maria Farinha” | Av. Marechal Carmona, Vila Flor. Tel 278098097

ALOJAMENTO LOCAL SANTA LUZIA

Pastelaria/Pão quente “Mifaty” |Av.Vasco da Gama, Vila Flor. Tel: 278098024

Rua de Santa Luzia nº18 5360 Vila Flor Nº quartos: 10 Tel.916469171/919857737 www.facebook.com /alojamentolocal.santaluzia

Forno Tradicional da Mirinha | Rua da Portela, 15 r/c, Vila Flor. Tel. 918744943 Forno de Pão Caseiro | Travessa do Museu, Vila Flor Padaria da Misericórdia | Rua Nª. Sra. de Fátima, Vila Flor. Tel: 278511496 Padaria Fraga | Av. Vasco da Gama nº76, Vila Flor. Tel 278512138 | 916432143 Padaria Vale da Vilariça | Z Industrial lote 4, Sta Comba de Vilariça. Tel: 914552458

ALOJAMENTO LOCAL SANTA CECÍLIA

Santa Cecília 5360 Seixo de Manhoses Nº quartos: 7 Tel. 278512650/917334470 www.facebook.com /restaurante.santacecilia

Padaria Santa Bárbara | Rua do Rascão, Seixo de Manhoses. Tel: 278516267 Restaurante “D. Castro” | Quinta do Louseiro, Vila Flor. Tel: 278516532 Restaurante “D. Dinis” | Rua Dr Artur Vaz, Vila Flor. Tel: 278512034 | 915440015 Restaurante “Fumeiro da Brasa” | E.N. 102, Sta Comba da Vilariça. Tel: 278107405 Restaurante “Os Lázaros” | E. N. 214, Carvalho de Egas. Tel: 278511427 Restaurante “O Zéquinha” | Av Dr J. Noronha,Vila Flor, 56. Tel: 278511167

CASA DE CAMPO DAS SÉCIAS

Restaurante “Palace” | Av. Vasco da Gama, Vila Flor. Tel. 278512400 | 915336575 Restaurante “Santa Cecília” | Lg Sta Cecília, Seixo de Manhoses. Tel: 278512650

Largo da Lamela, nº 11 5360-493 Vilas Boas Nº quartos: 7 http://casasecias.blogspot.pt casasecias@gmail.com

Restaurante “Santo António” - Vilas Boas. Tel: 278511394 Restaurante “Sol da Noite” | E. N. Vila Flor. Tel: 278512503 Restaurante “Tony Campos” | Av. Marechal Carmona, Vila Flor. Tel: 278512397 Restaurante “Vilariça” | Santa Comba de Vilariça. Tel: 278536258

PARQUE DE CAMPISMO MUNICIPAL

Complexo Turístico do Peneireiro Capacidade: 520 lugares Tel:. 278512350 http://parquecampismovilaflor.pt

Snack Bar “Bar das Bombas” | Av. Lucinda de Oliveira, Santa Comba de Vilariça Snack Bar “Bocas” | Rua da Fonte Romana, nº12, Vila Flor. Tel: 278516083 Gelataria “Pôr do Sol” | Praça D. Dinis, Vila Flor. Taberna Regional “Spa, Sabores para Amar” | Av. Vasco da Gama. Tel: 967717374 Taberna Regional ”Toca do Rato” | Rua Sidónio Pais, Vila Flor. Tel: 935562629 Winehouse | Seixo de Manhoses. Tel: 916187690 | 278511559

50

51


VILA FLOR

VILA FLOR

CULTURAL

CULTURAL

TELEFONES ÚTEIS

Agrupamento de Defesa Sanitária C. Ansiães e Vila Flor. Tel: 278 516 452 Agrupamento de Escolas/Escola E B 2,3/S de Vila Flor. Tel: 278 518 200 Associação de Agricultores do Nordeste Transmontano. Tel: 278 518 220 Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Vila Flor. Tel: 278 518 150 Biblioteca Municipal de Vila Flor. Tel: 278 510 111 Câmara Municipal de Vila Flor. Tel: 278 510 100 Canil Intermunicipal da Terra Quente Transmontana. Tel: 278 945 333 Centro de Saúde de Vila Flor. Tel: 278 510 000 Centro Social e Paroquial S. Bartolomeu. Tel: 278 512 595 CPCJ. Tel: 278516624 / Atend.Permanente: 916 162 661 Conservatória do Registo Civil e Predial de Vila Flor. Tel: 278 518 090

TÁXIS Vila Flor José P. Santos e Cª Lda/Francisco Azevedo - Tel: 964 512 983 Auto Central Vilaflorense Lda/André Ferreira - Tel: 919 536 935 Basílio D. Sousa e Cª Lda/António J. Alves Albites - Tel: 914 293 902 Terraplanagens do Mourão Lda/Dinis Pinto Ramos - Tel: 912 217 408 João Augusto Chacim/Bruno Chacim - Tel: 926 101 222

Outros Locais

Benlhevai - António Manuel Fonseca Morais Tel: 969 043 428 Candoso - Terrapl. do Mourão Lda/Dinis P. Ramos Tel: 912 217 408 Freixiel - Maria Avelina Vaz / José Escaleira Tel: 967 862 562 Freixiel - Transportadora Madeirense/João Arnelas Tel: 933632761 Mourão - Auto Táxi Carraz. Lda/ Manuel J. Lopes Tel: 964 054 167 Nabo - Manuel João Gonçalves Fernandes Tel: 965 391 109 Sta. Comba - Soc. T. Car e VF/Francisco Santos Tel: 967 951 200 Vilarinho das Azenhas - Celestino A. Rodrigues Tel: 967 804 423 Vieiro - Horácio Luís de Castro Tel: 917 572 252 Vilas Boas - Dinis Pinto Ramos Tel: 912 217 408

TRANSPORTES RODOVIÁRIOS

Cooperativa Agrícola dos Olivicultores de Vila Flor e Ansiães. Tel: 278 518 300 Correios de Portugal as. Tel: 278 518 030 Farmácia da Misericórdia. Tel: 278 512 229 Farmácia Vaz. Tel: 278 512 305 Guarda Nacional Republicana. Tel: 278 518 130 Linha Verde (Nacional) Recados de Criança. Tel: 800 206 656 Museu Municipal Berta Cabral/Posto de Turismo. Tel: 278 512 373 Parque de Campismo. Tel: 278 512 350 Praça de Táxis de Vila Flor. Tel: 278 5163 33 Santa Casa da Misericórdia. Tel: 278 518 070 Serviço de Finanças de Vila Flor. Tel: 278 512 352 Serviço Local de Segurança Social de Vila Flor. Tel: 300 516 244 Tribunal Judicial da Comarca de Vila Flor. Tel: 278 510 010 SEPNA - Serviço de Protecção da Natureza e Ambiente da GNR. Tel: 213 217 291/2 Linha SOS Tel: 808 200 520 52

53


VILA FLOR

CULTURAL

CURIOSIDADES

85 Anos O Matadouro Municipal

Perdidos no tempo, porque ainda não soubemos dar-lhe o devido lugar nos anais da história rural em que nos inserimos ou de uso apropriado. Lugar de muitas histórias e de milhares de abates ao longo da sua atividade. Aqui foi abatida a famosa vaca do Corte Real, que ficou como lenda. Passa de geração em geração, a transmissão do ato para determinar se poderia ou não ser consumida, dada a longevidade e a doença (Tuberculose). Após o impasse entre os responsáveis sanitários e sem chegarem a um veredicto, o encarregado como a querer aliviar a pressão imposta, sentencia voltando-se para o “carrasco”: “Mata a vaca ó cagão, que o carimbo está na mão!”, aval para produto bom para consumo. Foi consumido e ninguém ficou doente. Bons ou maus tempos? Manuel João Rei 54


Património do Concelho de Vila Flor

SOLAR DOS AGUILARES

Localizado bem no coração de Vila Flor, é um edifício cuja traça original remonta ao Séc. XIII, tendo sido reconstruído na 2ª metade do Séc. XX. Em tempos idos, foi residência dos Aguilares, primeiros donatários desta Vila. É armoriado com as armas reais na fachada principal e a flor de Liz na fachada poente. Foi Domus Municipalis até 1937, tendo ali também funcionado outrora outros serviços, tais como Tribunal da Comarca, Cadeia, repartição das finanças e mais tarde, posto da GNR, Quartel da Legião Portuguesa e Comércio de Carnes verdes. Parte serviu de residência e de oficina de sapateiro. Em 1957 é ali fundado o Museu Dr.ª Berta Cabral e a Biblioteca Dr. Alexandre de Mattos pelo Vilaflorense Raúl de Sá Correia.

CÂMARA MUNICIPAL DE VILA FLOR Av. Marechal Carmona 5360-303 Vila Flor tel. 278 510 100 | fax 278 512 380 geral@cm-vilaflor.pt www.cm-vilaflor.pt

3ª Agenda 2015  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you