Page 1

CENTRO DE MONITORIZAÇÃO E INTERPRETAÇÃO AMBIENTAL DE VIANA DO CASTELO

À LUP A Número 01 Março de 2014 Trimestral

DESTAQUE

ANO INTERNACIONAL DA AGRICULTURA FAMILIAR UM DIA COM

AROMÁTICAS VIVAS

+

+

+

NOTÍCIAS NOTÍCIAS

+

+

EXPOSIÇÕES + EV ENTOS EXPOSIÇÕES EVENTOS


FICHA TÉCNICA ANO I | n.º 01

Revista

“À Lupa”

Direção

José Maria Costa

Textos/Revisão

CMIA

Design

CMIA

Fotografia

CMIA

Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental de Viana do Castelo Rua da Argaçosa 4 9 0 0 -3 9 4 Viana do Cast elo Tel: 258 809 362

04

cmia@cm-viana-castelo.pt www.cmia-viana-castelo.pt

Município de Viana do Castelo

08

Passeio das Mordomas da Romaria 4 9 0 0 -8 7 7 Viana do Cast elo Tel: 258 809 300 cmviana@cm-viana-castelo.pt www.cm-viana-castelo.pt

10

14

18

Índice 04

Destaque

08

Notícias

10

Um dia com…

12

Sabia que … ?

14

Eventos

16

Exposições

18

Em foco


Nota de Abertura O Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental (CMIA) de Viana do Castelo foi concebido no âmbito do Programa Polis, procurando intervir na melhoria da qualidade de vida da cidade, dando a conhecer as ações de requalificação urbanística e ambiental desenvolvidas no espaço urbano e desafiando os cidadãos para uma reflexão sobre várias temáticas do ambiente urbano. Instalado no Moinho de Maré, conhecido pelos Vianenses como Azenhas de D. Prior, este é um espaço aberto a diferentes entidades, instituições e associações, com as quais estabelece parcerias de forma a responder aos diversos desígnios da promoção da educação para a sustentabilidade. As suas ações vão desde a preparação de exposições temáticas que estão patentes no CMIA de forma temporária, exposições itinerantes passíveis de serem requisitadas a título gratuito por qualquer entidade, dinamização de projetos pedagógicos com as comunidades educativas, realização de sessões temáticas a públicos organizados (independentemente da faixa etária), ou até mesmo a dinamização de atividades em contexto exterior como via de valorização e promoção do património natural. Desde o início da sua atividade, mais de 50 000 pessoas já usufruíram das valências do CMIA, sendo que cerca de 10 000 correspondem a alunos do concelho de Viana do Castelo e de outros locais que nos visitam frequentemente. Volvidos sete anos sobre o início da atividade do CMIA, um novo desafio se coloca - materializar e registar um conjunto de atividades de educação e sensibilização para o ambiente assim como informação ambiental, numa publicação trimestral em formato digital. O lançamento desta primeira edição decorre no Dia Mundial do Agricultor, 20 de março, e no ano em que a Assembleia das Nações Unidas proclamou 2014 como o Ano Internacional da Agricultura Familiar. Nas quatro edições do presente ano, será este o tema de destaque, contudo, não se descurará o registo de outras informações importantes na área do ambiente. O Presidente da Câmara José Maria Costa

À Lupa março 2014

.

3


D

ESTAQUE

MASTERCHEF, Lígia Santos, APOIA O ANO INTERNACIONAL DA AGRICULTURA FAMILIAR Pretende com a sua cozinha divulgar e explorar os sabores e as tradições de Portugal. E se a isto ainda conseguir juntar uma pitada de inovação e um toque de autor tanto melhor. Tem por onde pode um cantinho de ervas aromáticas, sempre por perto, sempre frescas sempre biológicas. É que a par da gastronomia tem uma outra paixão: a agricultura biológica.

E a sugestão da Lígia é ... Trouxas de Chèvre com compota de cebola roxa (4 pessoas)

Ingredientes 1 Alho francês (parte verde) Massa filo q.b. 4 Fatias de queijo de cabra (chèvre) 2 Cebolas roxas biológicas Azeite q.b. 1 Cardamomo verde 50 ml Vinho do porto 1 c. sopa vinagre balsâmico 3 c. sopa açúcar mascavado Sal marinho q.b.

Trouxas de Chèvre Cortar a parte verde do alho francês em tiras longitudinais e bringir. Passar rapidamente por água fria. Cortar o chèvre em fatias. Cortar as folhas de massa filo em quadrados e sobrepor duas a duas. No centro colocar o queijo. Fechar em forma de trouxa e atar com uma das tiras de alho francês. Levar a forno pré aquecido a 200ºC durante aproximadamente, 15 minutos (até ficarem douradas e estaladiças). Compota de cebola roxa Abra os cardamomos e retire as suas sementes. Torre-as numa frigideira. Reserve. Lamine as cebolas finamente. Aqueça um sauté com um fio de azeite e introduza as cebolas em lume baixo. Deixe cozinhar até começarem a amaciar. Junte o açúcar, as sementes de cardamomo e deixe caramelizar um pouco. Adicione o vinho do porto. Deixe cozinhar muito lentamente até formar uma compota. Tempere a gosto. No final, termine com o vinagre balsâmico. Sirva cada trouxa em cima de um pouco de compota.

À Lupa março 2014

.

4


D

ESTAQUE

“Da terra para a Terra” JÁ VIVE NAS ESCOLAS DO MUNÍCIPIO O projeto “Da terra para a Terra” é um projeto desenvolvido nas escolas do concelho de Viana do Castelo. Teve origem na agregação de dois projetos desenvolvidos anteriormente: “Compostagem nas Escolas” (iniciado pelos SMSBVC*) e Hortas Pedagógicas”. Foi em 2012 que o projeto “surgiu” tendo em conta o conceito de que “Na Natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma” (Lavoisier), congregando assim a temática dos resíduos e da agricultura biológica. Este projeto tem como principais objetivos transmitir conhecimentos acerca da gestão de resíduos, nomeadamente formas de tratamento e valorização, assim como permitir aos alunos refletir e analisar questões atuais como o consumo excessivo de produtos e a produção excessiva de resíduos. A inscrição no projeto pressupõe a entrega de um compostor, assim como material de apoio pedagógico, por parte do CMIA. A turma compromete-se a desenvolver uma horta e/ou jardim de aromáticas. O compostor irá ser usado para valorizar parte dos resíduos orgânicos produzidos pela escola, e assim produzir composto (adubo orgânico) para ser usado no espaço que a turma está a desenvolver.

Neste ano letivo (2013/2014), existem cerca de 30 escolas envolvidas, num total de 83 turmas e 1540 alunos das diferentes faixas etárias (desde o pré-escolar ao ensino secundário). * Serviços Municipalizados de Águas e Saneamento Básico de Viana do Castelo À Lupa março 2014

.

5


D

ESTAQUE

ANO INTERNATIONAL DA AGRICULTURA FAMILIAR ARRANCA A 22 DE MARÇO EM VIANA DO CASTELO

Viana do Castelo vai celebrar com uma grande festa dos alimentos frescos do nosso concelho. Venha conhecer quem produz os melhores sabores

da nossa terra.

À Lupa março 2014

.

6


D

ESTAQUE

“As flores dão cor e aroma ao mercado”

O Mercado Municipal de Viana do Castelo tem à sua disposição uma grande variedade de flores e a criatividade de floristas que preparam arranjos florais para todas as ocasiões. As flores dão cor e aroma ao mercado! Abundam nas bancas flores para todos os gostos: rosas, cravos, margaridas, tulipas, lírios, cravinas e até couves ornamentais.

Isabel Vaz, 42 anos, Deão, Viana

Maria de Fátima Costa, 59 anos,

Maria Filomena Carvalho, 57 anos,

do Castelo. Há 19 anos que produz

Meadela, Viana do Castelo. Possui

Fragoso, Barcelos. Vende flores no

e vende flores. Gosta muito do tra-

estufas onde produz as flores que

mercado municipal de Viana do Cas-

balho que faz, desde a produção

vende no mercado municipal. Co-

telo há cerca de 18 anos. Gosta de

das flores, até à sua venda. As flo-

meçou a produzir flores há já 40

vender flores pois tem oportunidade

res mais vendidas no período de

anos. Produz e vende uma grande

de comunicar e contactar com muitas

Inverno são as margaridas, tulipas

variedade de flores, desde tulipas,

pessoas. Gostaria que o mercado mu-

e cravos. Gostaria que mais pesso-

cravos, lírios, entre outras. Gostaria

nicipal tivesse mais serviços públicos

as optassem por comprar os pro-

que todos os vendedores de flores se

disponíveis para os munícipes, pois

dutos locais, disponíveis no merca-

unissem e vendessem as suas flores

seria uma forma de trazer mais gente

do municipal.

no mesmo espaço do mercado mu-

ao mercado.

nicipal.

Sabia que …

segundo um estudo da Flowers and Plants Association, rosas

e lírios frescos contêm feniletilamina. A substância, responsável pelo perfume destas flores, estimula o organismo a libertar endorfina, hormona que produz sensações de prazer. Por isso, manter um vaso com estas flores perto do sofá, na sala de estar, por exemplo, pode aumentar a sensação de relaxamento e bem-estar quando se chega em casa, após um dia de trabalho.

À Lupa março 2014

.

7


N

OTÍCIAS

1 700 alunos participam

NO PROGRAMA “UMA ESCOLA DA NATUREZA” O Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental (CMIA) de Viana do Castelo está a promover o projeto “Uma Escola da Natureza” que, neste ano letivo, integrar 1700 alunos de 29 estabelecimentos de ensino de Viana do Castelo. O programa, que vai já na sua terceira edição, visa oferecer a turmas de diferentes níveis de ensino, três temas base de trabalho – O Mar perto de Ti, O Rio perto de Ti e A Montanha perto de Ti. Estes projetos permitem dar a conhecer aos alunos do concelho os ecossistemas e valores naturais da região, assim como as suas principais ameaças e necessidades de conservação. Após dois meses de trabalho com estes alunos, já foram dinamizadas ações pedagógicas em contexto de sala que foram complementadas com saídas de campo e, ao longo dos próximos quatro meses, são muitas as ações que ainda serão dinamizadas por estes alunos como feirões na escola, exposições temáticas, atividades com o Gabinete de Arqueologia, criação de aquários, promoção de roteiros turísticos, momentos de culinária, visitas de estudo, saídas de campo entre muito outras.

Para marcar o arranque em 2014, duas turmas do projeto “O MAR PERTO DE TI” receberam na escola o canoísta olímpico Fernando Pimenta. Esta ação teve como principal objetivo mostrar ao público escolar como os recursos naturais podem ser potenciadores de diversas atividades que promovem a sua valorização e respeito como é o caso dos desportos náuticos .

À Lupa março 2014

.

8


N

OTÍCIAS

Insetos em Ordem

entrada livre

CMIA adere à Ação Saca –Rolhas..!! Seguindo o exemplo das Guias da Austrália, a Associação Guias de Portugal (AGP) lançou em 2005 o Projeto Ação Saca–Rolhas, que visa a recolha de rolhas

de cortiça

usadas, recuperando-as para uma nova utilização. O CMIA de Viana do Castelo aliou-se a esta campanha e em parceria com a região de guias de Viana do Castelo tem patente no seu espaço até ao próximo dia 31 de março a exposição “ Da bolota ao Projeto Ação Saca-Rolhas”. Será assim mais um ponto de receção de rolhas para reutilização. À Lupa março 2014

.

9


U

M DIA COM

...

No âmbito do Ano Internacional da Agricultura Familiar, o CMIA passou um dia na empresa Aromáticas Vivas! A visita à empresa foi realizada por Cristina Oliveira, responsável de marketing, que nos explicou o percurso desta empresa assim como todo o processo de produção, desde a sementeira até ao embalamento e comercialização das plantas aromáticas. A empresa Aromáticas Vivas instalou-se em 2009, através de Ziad Barazi, na freguesia de Carreço, Viana do Castelo, e dedica-se à produção de ervas aromáticas frescas disponíveis em vaso e cortadas. Ziad Barazi trocou a Síria por Portugal onde inicialmente instalou em Carreço uma empresa de produção de flores, dedicada, essencialmente, à produção de margaridas. “Por força das circunstâncias

houve a possibilidade de

mudar de ramo,

através de contactos estabelecidos com uma multinacional Sueca, a Swedeponic”.

A Swedeponic é a maior produtora de ervas aromáticas, em vaso, da Europa e a única empresa com produção em vários países europeus, contando com várias infraestruturas de produção: 1 em Portugal (Viana do Castelo), 1 na Polónia, 1 no Reino Unido, 1 na República Checa, 3 na Suécia e sócios locais. “Surgiu, então, a proposta de abrir uma

filial dessa multinacional em Portugal, utilizando a mesma tecnologia e o Know-how (conhecimento prático) da Swedeponic. Foi um investimento muito caro, mas teve a ajuda de sócios para a implementação das Aromáticas Vivas”. À Lupa março 2014

.

10


U

M DIA COM

...

O processo de produção tem início com as sementeiras. O substrato biológico é colocado em tabuleiros e de seguida é enviado para uma máquina que faz a colocação das sementes no substrato. De seguida,

“os

tabuleiros

passam para câmaras de germinação,

onde

são

simuladas as condições ideias de temperatura, humidade e luz, para uma maior eficiência de germinação”.

A empresa segue uma política e princípios de preocupação ambiental. “Não utilizamos qualquer tipo

de químicos ou pesticidas. Utilizamos produtos biológicos e insetos auxiliares para evitar a propagação das pragas”. As estufas possuem um sofisticado sistema de controlo ambiental que regula o ambiente interno de acordo com as condições ambientais mais adequadas para o cultivo, reduzindo assim perdas de energia e necessidades de aquecimento. Para além disso, todo o sistema de rega é realizado em circuito fechado, aproveitando a água da chuva e a água que não é absorvida pelas plantas, de forma a evitar desperdícios. Atualmente a empresa possui o Certificado de Modo de

Produção Biológico e o Certificado Global Gap (certifica as empresas que seguem as boas práticas agrícolas). Cristina Oliveira concluiu a visita com as três palavras que, para si, definem a Aromáticas Vivas: “qualidade”, “inovadora” e “fresca”!

Pode encontrar estas plantas à venda nas principais cadeias de hipermercados, na secção de frutas e legumes e também em algumas lojas de comércio tradicional.

À Lupa março 2014

.

11


S

ABIA QUE ..?

Agricultura Biológica! (AB) é um modo de produção em que são utili-

Tem crescido exponencialmente ao longo dos últi-

zadas práticas culturais respeitadores do meio-

mos anos, sendo praticada em mais de 164 países.

ambiente, baseadas no equilíbrio entre o solo,

A área cultivada mundialmente é de cerca de 37,5

plantas, animais, homem e ambiente. Este equilí-

milhões de hectares que

brio obriga a que seja necessário manter e promo-

são geridos por 1,9 milhões

ver a biodiversidade, protegendo os habitats da

de agricultores biológicos.

fauna e flora selvagens. Para isso utilizam-se mé-

O mercado da AB encon-

todos culturais, biológicos e mecânicos em detri-

tra-se em franco cresci-

mento da utilização de materiais sintéticos.

mento tendo sido estimado, em 2012, em 46,8 mil milhões de euros. www.agrobio.pt

Tarefas na HORTA ... A Primavera está a chegar e a azáfama na horta vai começar! Mês

Tarefas

Dicas

Semeie hortaliças de raiz como rabanetes Armazene a água da chuva para regar a

Abril

ou beterrabas mas também ervilhas, es-

sua horta e jardim nos dias mais secos.

pinafres e couves. Sob cobertura, plante tomates, pimentos e melões. É altura de sachar, mondar e, se necessário, regar, de preferências nas primeiras horas da manhã. Este é o mês em que se verifica uma profusão Proteja a sua horta de pragas e doenças.

Maio

de flores nas hortas e jardins. Plante os bol- Plante flores! O pólen e o néctar que elas bos e tubérculos que florescem já no verão produzem são o alimento de muitos insetos e animais auxiliares. O Girassol, por ou no próximo outono, assim como begóexemplo, atrai insetos auxiliares polinizanias, dálias, asteres, cravínas, crisântedores. Coloque alfazema nas bordaduras mos e zínias. Na horta, a lista de sementeida horta. Esta repele pulgões e traças . ras não varia muito em relação aos meses anteriores. À Lupa março 2014

.

12


S

ABIA QUE ..?

No mercado municipal de Viana do Castelo encontra variedade de produtos e serviços desde a venda de hortícolas e legumes, carne, peixe, flores e até mesmo um posto dos SMSBVC. Encontra ainda espaços como venda de têxteis, vestuário, sapateiro, cabeleireiro e café.

MERCADO MUNICIPAL MELHOR DO QUE TER PRODUTOS FRESCOS É CONHECER QUEM OS PRODUZ!

Segunda a sexta-feira: das 7h30 às 19h00 | sábado das 7h30 às 13h00 Dias principais: Terça e sexta-feira ( bissemanal) Avenida Gaspar de Castro / 4900-462 Viana do Castelo

À Lupa março 2014

.

13


E

VENTOS

ABRIL 05 | Roteiro pelos moinhos 6 e 7 | Cactus sonorus cactus workestrasom

7 a 11 | Páscoa na Horta

Oficina para Crianças

07 | Moinho de maré de portas abertas

Oficina para Crianças

12 | Reutilização de materiais

Oficina para Crianças

12 | Docinhos da Páscoa

Oficina de Aprendizagem

19 | Biodiversidade na zona entre marés Oficina de Aprendizagem

26 | Curso de criação de Hortas em pequenos espaços- Horta de Primavera Oficina de Aprendizagem

MAIO 03 | Plantas Silvestres comestíveis e flores comestíveis Oficina de Aprendizagem

03 | Mostra de produtos da terra 10 | Introdução à permacultura Oficina de Aprendizagem

17 | Dunas, mais do que montes de areia Oficina de Aprendizagem

13 a 18 | Eventos sobre jardins de Viana do Castelo

18 a 25 | Semana do mar 30 e 31 | Plantas invasoras em Portugal Oficina de Aprendizagem

Curso Prático “Crie a sua horta-jardim em modo biológico”

À Lupa março 2014

.

14


E

VENTOS

JUNHO 5 | II Ambiparque

Dia Mundial do Ambiente

6 | Exposição “Memórias do Mar Português” 7 | Estudar a Veiga de S. Simão Oficina de Aprendizagem

14 | Vem aí o Verão: frutos, batidos e gelados Oficina de Aprendizagem

21 | 7º aniversário do CMIA!! 21 | Hortas verticais

Oficina de Aprendizagem

21 | À descoberta do parque Oficina de Aprendizagem

21 | Apresentação do livro de aromáticas Projeto Escolar

23 a 27 | II Semana europeia da energia sustentável 28 | Construção e utilização de fornos solares Oficina de Aprendizagem

28 | Feirão do Verão “Sabores da Nossa Terra”

À Lupa março 2014

.

15


E

XPOSIÇÕES

TEMPORÁRIAS Entrada Livre

“Viana do Castelo, Cidade Náutica do Atlântico” patente até junho de 2014

“Energia a pedalar” Patente durante o mês de junho de 2014 À Lupa março 2014

.

16


E

XPOSIÇÕES

ITINERANTES

Requisição gratuita

Temáticas como o sistema dunar, estuário, praia rochosa e o mar são os focos centrais desta exposição. Descubra algumas curiosidades sobre as espécies que habitam estes ecossistemas marinhos. Para requisitar as nossas exposições itinerantes preencha o formulário disponível em

www.cmia-viana-castelo.pt > exposições itinerantes. À Lupa março 2014

.

17


E

M FOCO

“Hora do lanche!”

A aranha Argiope brunnichi, conhecida pelos nomes comuns de aranha-dejardim, aranha-do-milho, aranhatigre ou aranha-vespa, tem o seu abdómen às riscas amarelas e pretas, lembrando uma vespa ou abelha. A fêmea mede cerca de 18 mm e é 3 vezes maior que o macho. Constrói a sua teia junto ao solo, em ervas altas para melhor capturar o seu alimento preferido: gafanhotos e grilos. Quando a sua presa é apanhada na teia a aranha imobiliza-a rapidamente, rodeando-a por um invólucro de seda pegajoso e apertado. De seguida, morde a presa injetando-lhe um veneno paralisante, com enzimas digestivas, que lhe provocará a morte e a sua liquefação, sendo o suco resultante aspirado por ela.

Fotografia de Pedro Gomes

À Lupa março 2014

.

18


E

M FOCO

“Cool LOOK” O

Caboz

de

crista

(Coryphoblennius galerita) é um peixe de pequenas dimensões que pode atingir os 8 cm de comprimento. A sua cabeça possui uma franja de pequenos tentáculos e uma crista. Habita a zona do intertidal (zona-entre-marés), nas poças de marés, das praias rochosas de Viana do Castelo.

O intertidal é o habitat dos “resistentes”! Os seres que aqui vivem aguentam grandes alterações de temperatura, de concentrações de salinidade e a ausência temporária de água. Esta espécie de peixe não possui escamas e tem uma camada mucosa abundante o que lhe permite aguentar períodos de exposição ao ar relativamente prolongados.

À Lupa março 2014

.

19


Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental de Viana do Castelo Rua da Argaçosa 4 9 0 0 -3 9 4 Viana do Castelo T. 258 809 362 cmia@cm-viana-castelo.pt www.cmia-viana-castelo.pt

À LUPA 01 # Março 2014  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you