Page 6

Homenagem

Mulheres: maioria do eleitorado, minoria nos cargos GUTE GARBElottO

Por Danilo Moreira e Karoline Carilli

Além de celebrar o Dia Internacional da Mulher, o mês de março também é marcado por uma conquista: a conquista do direito de voto pelas mulheres brasileiras. Em 2012 o voto feminino completa 80 anos. Apesar de a mulher ser maioria do eleitorado brasileiro (51,95%, de acordo com os os números exatos do Tribunal Superior Eleitoral), ainda é pequena a representação feminina nos cargos eletivos de todos os níveis. Na Câmara Municipal de São Paulo, há apenas cinco mulheres entre os 55 vereadores (9,09% do total): Edir Sales (PSD), Juliana Cardoso (PT), Marta Costa (PSD), Noemi Nonato (PSB) e Sandra Tadeu (DEM). Para a vereadora Edir Sales, o crescimento da atuação feminina na política reflete uma mudança de valores nas últimas décadas. “A conquista do direito ao voto é, com certeza, um dos marcos dessa transformação. A mulher também passou a ser mais valorizada no mercado de trabalho, assumindo cargos de liderança”. A lei eleitoral obriga os partidos políticos a darem pelo menos 30% das vagas de candidaturas para as mulheres. “Mesmo com essa obrigação, é praticamente impossível encontrar algum lugar no Brasil que atinja esse número”, lembrou a vereadora Juliana Cardoso.

Vereadoras formaram a mesa durante sessão solene em homenagem ao Dia da Mulher Para a vereadora Sandra Tadeu, essa baixa participação feminina na política deriva de vários fatores. “As mulheres têm mais dificuldades do que os homens para quase tudo na vida política: seja para conseguir recursos para a campanha ou para garantir apoio das famílias”. Apesar de o número ainda ser pequeno, a voz da mulher na política se faz forte. “A força da nossa opinião tem sido válida em nosso cenário político municipal e conseguimos grandes conquistas para a população”, disse a vereadora Marta Costa. “Cada vez que uma mulher assume um cargo público, ela mostra um diferencial de sensibilidade, capacidade de negociação e competência que credenciam as mulheres a assumir um papel cada vez mais decisivo na política do país”, reforçou a vereadora Noemi Nonato.

Mulher Eleitora

Mietta Santiago loura poeta bacharel Conquista, por sentença de Juiz, direito de votar e ser votada para vereador, deputado, senador, e até Presidente da República, Mulher votando? Mulher, quem sabe, Chefe da Nação? O escândalo abafa a Mantiqueira, faz tremerem os trilhos da Central e acende no Bairro dos Funcionários, melhor: na cidade inteira funcionária, a suspeita de que Minas endoidece, já endoideceu: o mundo acaba". Carlos Drummond de Andrade

P.6_

Jornal da Câmara Municipal de São Paulo MARÇO/2012

Transparência

Conferência vai escolher propostas para a 1ª Consocial Por Fábia Renata

Para dar transparência a sua administração, a Câmara Municipal de São Paulo (CMSP) criou, em 2011, o Programa de Dados Abertos, que colocou no portal www.camara.sp.gov.br todas as informações sobre contratos, gastos e trabalhos legislativos. Este exemplo de transparência foi apresentado pelo presidente da CMSP, vereador José Police Neto (PSD), na etapa preparatória da 1ª Conferência Nacional sobre Transparência e Controle Social (Consocial), realizada em São Paulo. Nos dias 16 e 17 de março, a Rede Nossa São Paulo vai realizar uma conferência livre na CMSP para escolher dez propostas que serão levadas à 1ª

Consocial. Para participar é necessário fazer inscrição pelo site http://consocialsplivre.com.br. Controle da gestão Organizada pela Controladoria Geral da União (CGU), a 1ª Consocial tem como tema “A sociedade no acompanhamento e controle da gestão pública”. O objetivo principal é promover a transparência pública e estimular a participação popular no acompanhamento e controle da gestão pública. “Fiquei surpreso com a participação popular na Consocial. A Conferência é um passo decisivo para a implantação de uma política de transparência, que vem ao encontro do nosso programa de dados abertos”, destacou o vereador Floriano Pesaro (PSDB). Nas etapas preparatórias municipais são eleitos os delegados que vão defender as propostas escolhidas sobre os quatro eixos temáticos: Promoção da transparência pública e acesso à informação e dados públicos; mecanismos de controle social, engajamento e capacitação da sociedade para controle da gestão pública; atuação dos conselhos

de políticas públicas como instâncias de controle; diretrizes para prevenção e combate à corrupção. Na capital paulista foram eleitos 53 delegados que participarão da etapa estadual entre os dias 30 de março e 1º de abril. A etapa nacional da Consocial será realizada em Brasília, entre os dias 18 e 20 de maio.

1ª Conferência Livre da Sociedade Civil de São Paulo sobre Transparência e Controle Social

Datas: 16/03 (sexta-feira) – das 17h30 às 22h e 17/03 (sábado) – das 9h às 17h. Local: Câmara Municipal de São Paulo

Jornal Câmara Aberta - Março 2012  

Jornal Câmara Aberta - Março 2012