Issuu on Google+

HIPERSENSIBILIDADE DENTINÁRIA Conheça causas e tratamento para a dor aguda e súbita que pode tirar o prazer de saborear pequenas delícias


Editorial ENTREVISTA

&om& dôibfaã&âWUM,ctounadoú pauâadte, ao

ttteúmo- (^aíÂo-, iHtimammte- <zmiyo&, o eyo- e » o meâmo confio-. 0fctámevio-útyene

eu hzfcfam

04- factor doceú, e azedos dn ãnwne da vida; o éeyuetdo- tudo- vê em &eu

cUUawUammto-.

Mundaka Upanishad

N o d i a 16 d e abril, o Dr. Admir Belmonte Gavira foi convid a d o a dar uma entrevista a o programa Hipermídia c o m a n d a d o por C e l s o Freitas da G N T

(Globo

NewsTelevision). A matéria foi a o ar na primeira semana d e maio pelo canal 5 3 d o sistema Multica-

Caras cumadres e caros cumpadres.

Tamos aqui

O nosso presidente é caipira.

nal, mostrando no-

traveis.

vidades em softwa-

disse que o povo

Não se dando por satisfeito,

brasileiro e

extravasando

erudição, FHC disse que o paulista

é provinciano.

Ora.í Ele está na política há três

décadas. Antes dele e dos demais políticos da atualidade,

os problemas

sociais e

educacionais

eram menores. Se eles fossem capacitados eficientes,

e

não haveria esse comentário pejorativo

sobre o comportamento do brasileiro; haveriam professores

ganhando

faxineiros analfabetos; superfaturadas

não

menos que

não haveriam

obras

e o dinheiro do contribuinte não

seria mal administrado.

E, quem sabe,

recebendo

e mandando nossos bons alunos de todas as para

estudarem em outras universidades

tais como

Oxford,

mandarmos

Harvard.

E, porque não,

mais um mulato para sensibilidade

que aparece

dentinária. Falaremos,

em quase toda

também, do curso de

Enquanto escrevo este editorial,

melhoramos em relação à Polónia, Costa Rica, Nicarágua, República Dominicana, Honduras, Jamaica e Peru. Fonte: ABOPREV março/abri! de 1 9 9 6 .

BUCAL

O Brasil está tomando consciência d a prevenção de doenças dentagengivais. N o s últimos cinco anos, o crescimento de consumo d e escovas dentais foi d e 8 , 5 % no Brasil e 4 , 9 % nos EUA. Q u a n t o aos cremes dentais, o crescimento no Brasil foi d e 6 , 0 % enquanto que nos EUA foi d e 2 , 4 %. Fonte: Clinics - News Letter - A g o s t o / 9 6 .

está

passando

insípido e intoxicante

de "santo" promete tirar as crianças da rua em 7 80 dias. O outro promete fazer o

paulistano

. A outra promete

alimentos e teto para todos os carentes . Bahl Eta fuminho forte

cumpadrel

Num compromisso constante com a última palavra em ciência Dr. Admir Belmonte G a v i r a , está participando d e um curso d e pós-graduação em estética na N e w York University (NYU). O grupo foi formado pela iniciativa d a Escola d e Aperfeiçoamento

eleitoral gratuito. Um político com cara

feliz (por decreto?)

4 , 9 ainda é alto, mas a tendência é diminuir c a d a vez m a i s . Já

e tecnologia, um grupo d e 4 0 dentistas brasileiros, entre eles o

hipersensibilidade

brasileiros estão fazendo na New York University.

programa

Este índice é medido pela quantidade d e dentes cariados, perdidos e obturados em crianças d e 1 2 anos . O índice d e

P Ó S - G R A D U A Ç Ã O EM N E W Y O R K

especialização em estética que dentistas

na TV o malfadado,

mundo em índice d e cárie .

Sorbone?

Nesta edição, vamos falar de uma população adulta: a

A organização mundial de saúde relatou em seu anuário de 1 9 9 5 , que o Brasil já não se encontra entre os maiores d o

HIGIENE

alunos de outros países

raças, brancos, negros e amarelos,

O BRASIL N Ã O É M A I S O CAMPEÃO MUNDIAL

hoje

teríamos mais condições de intercâmbios educacionais,

re que auxiliam no dia-a-dia d e um consultório odontológico moderno.

Profissional (EAP) d a Associação Paulista d e Cirurgiões Dentistas tendo c o m o responsáveis pela formação deste grupo, os Drs. Antônio S. Fonseca e Dra. Alicia M a r u j o , em conjunto c o m o Dr. N e w t o n Cardoso, representante d a " N Y U " no Brasil.


EspeciaL

SENSIBILIDADE DO COLO DENTAL m

jantar estava transcorrendo c o m o

l a d o e até a escovação. O s i m p l e s t o q u e

p o l p a d e n t a l ( o n d e se e n c o n t r a o n e r v o

m n u m s o n h o . Luz d e v e l a s , v i o l i n o s

das cerdas d a escova no local p o d e causar

d o dente).

e a m b i e n t e f l o r i d o q u a n d o f o i servido a sobremesa.

U m a suave m o r d i d a ,

um g e m i d o .

Q u a n d o o c o r r e o estímulo e x t e r n o (ali-

dor. Existem v á r i a s t e o r i a s q u e e x p l i c a m essa

Dor n o d e n t e ? C o m o ? Dentes perfeitos, b e m higienizados e e x a m i n a d o s c o m regularidade, duas vezes por a n o .

desagradável

sensibilidade.

No

m e n t o s frios o u q u e n t e s , d o c e s o u e s c o v a ção),

há u m a rápida movimentação d o s

entanto, a teoria mais aceita na a t u a l i d a d e

f l u i d o s d e n t r o destes túbulos,

é a hidrodinâmica.

o n e r v o p u l p a r e p r o v o c a n d o a d o r . Essa

Q u a n d o a g e n g i v a retrai expõe u m a

estimulando

sensibilidade d o c o l o dental p o d e variar

momento

p a r t e q u e já não é m a i s p r o t e g i d a p e l o

d e dente p a r a dente numa mesma

q u e p o d e ter e s t r a g a d o t o d o um agradável

e s m a l t e d e n t a l (o t e c i d o m a i s d u r o d o cor-

Essa variação d e s e n s i b i l i d a d e d e p e n d e

O

q u e aconteceu naquele

e romântico j a n t a r ?

d o número d e túbulos n a q u e l a região d o

Foi a s e n s i b i l i d a d e

c o l o , d o c o m p r i m e n t o e d o r a i o d o s túbu-

dentinária . A hipersensibilidade

pessoa.

los e d a pressão a p l i c a d a s o b r e o s mes-

dentinária p o d e

ocorrer c o m qualquer pessoa.

mos.

E uma dor

originária d a dentina exposta q u a n d o pro-

C O M O EVITAR

v o c a d a p o r estímulos mecânicos, térmicos e osmóticos a p l i c a d o s d i r e t a o u i n d i r e t a -

Pessoas q u e c o n s o m e m m a i s açúcares

m e n t e n o s c o l o s d o s d e n t e s q u a n d o estes

ou refrigerantes (que geralmente

não têm o u t r a s p a t o l o g i a s tais c o m o cárie,

ácidos e s t a b i l i z a d o r e s ) , s o f r e m m a i s d e s t e

pulpites, etc.

incómodo.

Esta d e n t i n a d o c o l o f o i e x p o s t a a o meio bucal d e v i d o a traumas,

levam

O i d e a l é evitar frutas ácidas, d o c e s e

retração

p o h u m a n o ) . Essa p a r t e d e s p r o t e g i d a é a

refrigerantes entre a s refeições. Se isso não

g e n g i v a l fisiológica (normal c o m o avançar

c h a m a d a dentina e é c o m p o s t a d e mais

for possível, e s c o v e os dentes i m e d i a t a m e n -

d a i d a d e ) , abrasão c a u s a d a p o r agentes

o u m e n o s 7 0 % d e m i n e r a i s e o restante d e

te o u faça u m b o c h e c h o c o m u m a c o l h e r

a b r a s i v o s , doenças g e n g i v a i s , técnica d e

matéria orgânica e água. E u m a estrutura

d e chá d e b i c a r b o n a t o d e s ó d i o e m m e i o

h i g i e n i z a ç ã o i n c o r r e t a , cárie, abfração,

m u i t o b e m f o r m a d a c o m um número d e

c o p o d a g u a l o g o após o c o n s u m o

canalículos v a r i a n d o d e 1 0 mil a 7 0 mil

ses á c i d o s .

etc. Q u a n d o existe h i p e r s e n s i b i l i d a d e ,

a

por m m . C a d a c a n a l i c u l o desses n a d a 2

des-

Peça a o seu dentista u m a orientação

d o r é a g u d a , súbita e d e curta duração,

mais é d o q u e um p r o l o n g a m e n t o d o c i -

s o b r e a c o r r e t a e atraumática higienização

p o d e n d o i m p e d i r a mastigação d a q u e l e

t o p l a s m a d a célula q u e s e e n c o n t r a n a

dos colos

dentais.

TRATAMENTO Q u a n d o o caso é severo, c o m p r o -

u m a p e q u e n a restauração c o m r e s i n a d a

m e t e n d o o p r a z e r d e u m a s a b o r o s a re-

cor d o dente, a c a b a n d o d e v e z c o m o

f e i ç ã o , o t r a t a m e n t o d e v e ser f e i t o n o

desconforto.

consultório. D e p e n d e n d o d o caso, o profissional

Em c a s o s b r a n d o s , o d e n t i s t a i r á o r i entá-lo s o b r e a c o r r e t a e l i m i n a ç ã o d a

poderá o p t a r p o r u m t r a t a m e n t o l o c a l

placa

bacteriana

(que gera

ácido e

c o m produtos químicos q u e vão d i m i -

m u i t a s e n s i b i l i d a d e ) d o l o c a l e receitá-

nuir a l u z d o s c a n a l í c u l o s o u , e m c a s o

lo u m c r e m e d e n t a l q u e v a i a j u d á - l o a

m a i s g r a v e , haverá a n e c e s s i d a d e d e

evitar essa desagradável situação.

G

6

3


Odonto 10 - Setembro 1996