Panorama 690

Page 1

ANO 13 - N° 690 | DEZEMBRO DE 2021

Pequi na pele Cientistas brasileiros desenvolveram dois novos produtos a partir dos resíduos da fruta: um creme anti-inflamatório e um protetor solar | Pág. 5

Glitter vegano Alternativa sustentável ao glitter comum é criada de celulose, material encontrado em plantas, vegetais e frutas. | Pág. 3


2

ANO 13 - Nº 690 - DEZEMBRO DE 2021

ONU

CONCURSOS PÚBLICOS

Campanha coibe violência de gênero

A

ONU Mulheres começou na semana passada uma campanha internacional contra a violência de gênero para marcar o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres. Segundo a Organização das Nações Unidas, o Brasil é o quinto na lista de países com mais crimes de gênero. As ações serão realizadas até 10 de dezembro, Dia dos Direitos Humanos. Desde 1991, essa campanha atua para prevenção e eliminação da violência contra mulheres e meninas. Conheça a

agenda global da iniciativa. Durante a pandemia de covid-19, os números de violência doméstica dispararam no mundo. Relatório da ONU Mulheres mostra que duas em cada três mulheres relataram sofrer ou conhecer alguém que sofre algum tipo de violência. Apenas 10% denunciaram as agressões. No Brasil, dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos revelam mais de 100 mil casos de violência contra mulher desde o início da pandemia.

No Brasil, durante a pandemia, foram mais de 100 mil casos de viôlencia contra a mulher

Comitê

Mulher no comando da Cruz Vermelha

Mirjana Spoljaric Egger

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) anunciou que será comandado por uma mulher pela primeira vez: a suíça Mirjana Spoljaric Egger será a presidente do comitê da instituição, uma das mais prestigiosas organizações humanitárias do mundo. Egger substituirá Peter Maurer em 1º de outubro de 2022. Atualmente, ela é diretora do escritório regional para a Europa e a Comunidade de Estados Independentes do Programa de Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Maurer decidiu que deixará o cargo em setembro de 2022, depois de presidir o CICV durante 10 anos. O mandato do presidente é de quatro anos, com possibilidade de renovação. Spoljaric Egger é uma diplomata renomada e teve diversos cargos no ministério das Relações Exteriores da Suíça.

Fóssil

Descoberta coloca o Ceará em destaque Um fóssil da Kaririavis Mater, considerada a ave mais antiga da América do Sul, foi encontrado na Mina da Pedra Branca, em Nova Olinda, Ceará. A descoberta coloca o Estado no radar de pesquisadores como região candidata da origem da espécie. A pesquisa diz que a ave, que é do período Cretáceo, tinha sido encontrada apenas na China e na Mongólia. Agora, o encontro da parte de um pé direito do pássaro com garras pode mudar essa compreensão da paleontologia. Com os estudos realizados por cientistas da Saúde do Estado do Ceará, novos dados também foram catalogados sobre a Kaririavis mater. Examinando a estrutura do pé, ela tem semelhança grande com as emas e os avestruzes e por essa semelhança, os paleontólogos apontam que a ave provavelmente não tinha o hábito de voar. O fóssil está na coleção do Instituto de Geociências da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde deve continuar para pesquisa e, talvez, para exposição. Ele ainda passará por outros estudos, como a análise das penas (uma possibilidade é tentar descobrir as cores reais da penugem) e da própria geologia da rocha na qual o material foi encontrado.

Foto reconstrói a “Kaririavis mater”, a ave mais antiga da América do Sul

Faders - A Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência e Pessoas com Habilidades no Estado anunciou um novo Concurso Público para a contratação de Agente Institucional e Intérprete de Libras. Quando contratado, o profissional será beneficiado com salário no valor de R$ 2.515,87, em jornada de 40 horas semanais. As inscrições devem ser feitas até o dia 16 de dezembro, no site do Instituto Nacional de Qualificação e Capacitação (INQC), mediante o pagamento de taxa de R$ 92,64. FURG/RS - A Universidade Federal do Rio Grande anunciou a realização de um novo Concurso Público para o preenchimento de nove vagas destinadas à contratação de profissionais de Nível Superior. Os profissionais irão desempenhar funções em carga horária de 20 a 40 horas semanais, com salários de R$ 4.180,66 ao mês. As inscrições devem ser efetuadas a partir das 9h do dia 29 até às 23h59 do dia 10 de dezembro, por meio do site da universidade, mediante o pagamento de taxa de R$110, que deve ser efetuado até o dia 13 de dezembro. Os candidatos serão avaliados mediante aplicação de prova teórica e de títulos. PANORAMA - GRÁFICA E EDITORA JORNALÍSTICA SENTINELA LTDA. CNPJ: 87.657.854/0001-23 E-MAIL: panorama@jornaldamanhaijui.com Impressão: ITS Gráfica e Editora Jornalística Ltda. | Tel.: 55 3331 0316 | 55 3331 0318 | Ijuí-RS Circulação: Jornal da Manhã (Ijuí, Ajuricaba, Augusto Pestana, Catuípe, Coronel Barros), Classificadão RS (Santo Ângelo, Santa Rosa, Entre-Ijuís, Giruá, São Miguel das Missões, Vitória das Missões), Expresso Minuano (Alegrete, Bagé, Barra do Quaraí, Cacequi, Dom Pedrito, Itaqui, Manoel Viana, Maçambara), Folha de Catuípe (Catuípe), Folha Popular (Tenente Portela, Vista Gaúcha, Barra do Guarita, Redentora), Gazeta dos Pampas (Cacequi, São Vicente do Sul, São Francisco de Assis, Manoel Viana, Mata, Rosário do Sul), Gazeta Regional (Santa Rosa, Alecrim, Cândido Godói, Tucunduva, Tuparendi, Porto Mauá, Santo Cristo, Campina das Missões) Gazeta do Povo (Cândido Godói, Porto Xavier, Porto Lucena, São paulo das Missões, Pirapó), Jornal Integração Regional (Eugênio de Castro, Entre-Ijuís, Joia, São Miguel das Missões, Vitória das Missões), Notícia (Catuípe), RS Norte (Frederico Westphalen), Tribuna das Cidades (Cruz Alta, Boa Vista do Cadeado, Fortaleza dos Valos, Boa Vista do Incra, Ibirubá, 15 de Novembro, Lagoa dos Três Cantos, Selbach, Tapera, Pejuçara), Tribuna da Produção (Palmeira das Missões, Cerro Grande, Jaboticaba, Pinhal, Sagrada Família, Boa Vista das Missões, Novo Barreiro, Lajeado do Bugre, Dois Irmãos das Missões, São Pedro das Missões, São José das Missões), Tribuna Livre (Santo Cristo, Alecrim, Porto Vera Cruz, Santa Rosa), Folha Popular ( Tenente Portela, Derrubadas, Vista Gaúcha, Miraguaí, Barra do Guarita).


ANO 13 - Nº 690 - DEZEMBRO DE 2021

Invenção

Aquecimento

Os principais responsáveis pelas mudanças climáticas

Cientistas criam o glitter vegano Muito utilizado na decoração, em trabalhos artísticos e nas festas de Carnaval, o glitter é composto por microplásticos, alumínio e óxidos metálicos nem um pouco benéficos para a saúde, e menos ainda para o meio ambiente. Recentemente, uma opções – 100% biodegradável e “vegana”, – foi apresentada pela Universidade de Cambridge, no Reino Unido, feita de celulose, um material encontrado nas células de plantas, vegetais e frutas. Os pesquisadores do departamento explicaram em um artigo que o processo de criação do glitter vegano é feito através de nanocristais, permitindo que a camada semelhante a um filme passe por um processo conhecido como “coloração estrutural”. Trata-se de um fenômeno visto nas asas brilhantes das borboletas, que força a luz que entra no nanocristal para se espalhar de maneiras diferentes, cada uma emitindo uma cor única.

3

Desde o início da Revolução Industrial, as sociedades emitiram cerca de 2.500 bilhões de toneladas de CO²

A

emissão de gases que contribuem para agravar o efeito estufa vem de longa data. A quantidade acumulada de dióxido de carbono (CO2) emitida desde o início da Revolução Industrial está diretamente ligada ao aquecimento do planeta. No total, as sociedades colocaram na atmosfera cerca de 2.500 bilhões de toneladas de CO2 (GtCO2) desde 1850. Isso significa que, no final de 2021, o mundo terá queimado, coletivamente, cerca de 86% do orçamento de carbono para manter o aquecimento global abaixo de 1,5º C, segundo uma análise publicada pela CarbonBrief, plataforma do Reino Unido que gera informações sobre ciência do clima com base em dados.

Além de ser ecologicamente correto, ele também consome menos energia para ser produzido do que a versão “tradicional”

África do Sul

Brasileiro ajuda a rastrear nova variante da covid O cientista brasileiro Tulio de Oliveira é diretor do Ceri, o Centro para Resposta à Epidemias e Inovação da África do Sul, país onde foi identificada a nova variante do novo coronavírus, com um alto número de mutações. A cepa é identificada como B.1.1.529 e, se for considerada como uma variante de preocupação pelo Organização Mundial da Saúde (OMS), deve ser chamada de Nu, a próxima letra grega – esse alfabeto é usado para nomear essas mutações. Em uma tentativa de conter esse novo risco, Reino Unido e Israel já barraram visitantes da África do Sul e a expectativa é de que a União Europeia proponha restrições

A cepa é identificada como B.1.1.529 e, se for considerada como uma variante, deve ser chamada de Nu

semelhantes. A OMS, porém, recomendou cautela na criação dessas novas barreiras. O continente se tornou outra vez o epicentro da pandemia, com a explosão de infecções, o que também fez países como a Áustria a apertar o cerco contra não vacinados. “Estimamos que 90% dos casos em Gauteng pelo menos mil por dia, são desta variante”, disse o cientista, que estuda epidemias de vírus, como dengue e HIV, há mais de 20 anos. Segundo a Rede para Vigilância Genômica da África do Sul, a variante já foi identificada em amostras coletadas de 12 a 20 de novembro em Gauteng, Botswana e em Hong Kong, de um viajante sul-africano.

O levantamento mapeou, ainda, os principais responsáveis pelas emissões de gases causadores do efeito estufa. No topo do ranking aparecem os Estados Unidos, que liberaram mais de 509 GtCO2 desde 1850 e são responsáveis pela maior parcela das emissões históricas, de acordo com a análise da Carbon Brief, com cerca de 20% do total global. A China ocupa o segundo lugar, mas relativamente distante do primeiro, com 11% do total global emitido. Na sequência aparecem a Rússia (7%), o Brasil (5%) e a Indonésia (4%), que surge entre os dez maiores emissores históricos devido ao CO2 de suas terras. Países com as maiores emissões acumuladas ( 1850 e 2021 )* EUA: 509,1 | China: 284,4 | Rússia: 172,5 | Brasil: 112,9 | Indonésia: 102,5 | Alemanha: 88,5 Índia: 85,7 | Reino Unido: 74,9 Japão: 66,7 | Canadá: 65,5


4

ANO 13 - Nº 690 - DEZEMBRO DE 2021

Carros

Escolha de pneus interfere no consumo São quatro os tipos mais convencionais de pneus: os tradicionais (ou on-road), os offroad, os mistos e os radiais e a diferenças físicas entre eles podem interferir na frenagem do veículo

O

s pneus off-road possuem sulcos mais largos, bandagem de rodagem maior e uma estrutura mais resistente. Os pneus convencionais, por sua vez, são projetados para rodar nas ruas. Os mistos são indicados para estradas de terra e asfalto, eles conseguem absorver mais o impacto do solo, mas não encaram com tanta tranquilidade pedras e lama e os pneus radiais são aqueles com tecnologia voltada para quem vai rodar em alta velocidade. Um pneu misto em um veículo urbano, por exemplo, gera maior ruído – prejudicando o conforto do motorista – e reduz a velocidade de resposta de direção, além de aumentar significativamente o consumo de combustível e as distâncias de frenagem. Da mesma forma, o uso de pneus on-road em veículos fora de estrada (off-road) traz a desvantagem óbvia de

reduzir o poder de tração e propicia um risco pouco lembrado: um eventual aumento na aderência lateral que poderá até ocasionar uma tendência ao capotamento. É fundamental respeitar a medida, os índices de carga e o símbolo de velocidade do pneu, optando sempre por modelos com índices iguais ou superiores aos originais, pois uma escolha inadequada pode aumentar em muito o risco de acidentes. O atrito dos pneus no solo altera o consumo dos veículos. A lógica é a mesma utilizada pelo Boris para explicar a questão da calibragem: quanto maior o atrito a ser vencido pelo motor, maior é consumo de combustível. Por outro lado, quanto menor o atrito, menor a estabilidade do veículo. A indicação mais correta para a escolha de pneus é, então, respeitar os limites descritos no manual do seu veículo.

Corpo

Médicos implantam o menor marca-passo do mundo

O Micra, considerado o menor marca-passo do mundo, foi implantado com sucesso

A

equipe de cardiologistas da BP – Beneficência Portuguesa – em São Paulo implantou o menor marca-passo do mundo num paciente. O médico responsável, o cardiologista Carlos Eduardo Duarte, realizou a cirurgia no último sábado, 20, num homem de 56 anos, de Carapicuíba, na Grande São Paulo. O paciente tinha arritmia com batimentos elevados, um risco, já que apenas 25% do coração estava funcional. Ele também havia sofrido um infarto e tinha implantados dois stents, pequenas molas que abrem as artérias. Desta vez, o dispositivo escolhido para ajudar a corrigir essa disfunção do paciente foi o Micra, da Medtronic, considerado o menor marca-passo do mundo, pesando quatro gramas. De fato, ao colocar na mão, o dispositivo impressiona pelo tamanho, equivalente ao de uma cápsulas de remédio – e pela leveza, já que pesa apenas duas gramas. Um marca-passo “convencional” é um pouco menor que uma caixa de fósforo e tem, em média, de 20 g a 30 g. O marca-passo minúsculo é destinado a pacientes críticos que, por conta de complicações de saúde (câncer, doenças renais etc.), não poderiam recorrer ao marca-passo convencional.

Tecnologia

E se a Internet acabasse? Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), cerca de 3,9 bilhões de pessoas possuem acesso à internet, o que representa mais da metade da população mundial. Se ficássemos sem internet, o impacto seria bem grande nos locais em que há a maior concentração de riqueza: metade do PIB de muitas nações iria por água abaixo, já que a ausência da internet prejudicaria muito as produções e vendas de produtos. O sistema de telefonia poderia sofrer um colapso e as companhias aéreas e os hotéis seriam os mais afetados. Empresas como o Google ou o Facebook deixariam de existir e a bolsa de valores sofreria muita instabilidade em um cenário tão dramático quanto este. Muitos dos ídolos youtubers, instagrammers e influencers, precisariam iniciar uma corrida contra o tempo para se reinventarem.

A economia, no entanto, não entraria em colapso total, pois os registros de contas bancárias estão em servidores de uma rede interna privada. O uso do papel também aumentaria por conta dos jornais e revistas, que seriam vendidos a preços mais altos. Ao passo que o preço do papel aumentaria, os celulares e PCs teriam seu valor em queda, já que serviriam apenas como máquinas de escrever e imprimir fotos. Lojas de departamentos voltariam com toda força. A vida voltaria a ser como na década de 1980 e, em poucos meses, as empresas se ajustariam em um modo de compra e venda de recursos. Todavia, quem mais sofreria com a falta de internet seria o cidadão comum: perderíamos nossas fotos e contatos pessoais nas redes sociais e a socialização voltaria a ser como antes. Nos encontraríamos pessoalmente em casa ou na rua, com mais frequência.

Para quem tem acesso ilimitado à internet, ficar alguns minutos sem poder se conectar pode ser uma verdadeira tortura


ANO 13 - Nº 690 - DEZEMBRO DE 2021

5

Novidade

Pequi é base para novo protetor solar Mais conhecido por suas aplicações culinárias, o óleo de pequi já é utilizado na indústria farmacêutica e de cosméticos

C

onhecido por suas aplicações na indústria farmacêutica, de cosméticos e na culinária, o óleo de pequi (Caryocar brasiliense) é extraído a partir da polpa e da amêndoa do fruto originário do Cerrado. No entanto, o que sobra após esse processo (cerca de 90% da massa) geralmente é descartado, gerando um desperdício que pode chegar a centenas de toneladas por ano. Foi esse cenário que motivou pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) a encontrar uma forma criativa, sustentável e barata de aproveitar os restos do fruto. Em Assis, no interior de São Paulo, os cientistas desenvolveram dois novos produtos a partir dos resíduos de pequi: um creme com atividade anti-inflamatória e um protetor solar com propriedades antioxidantes, capazes de retardar o envelhecimento da pele. Com as inovações, o fruto poderá ser mais bem aproveitado economicamente, aumentando o nível de vida das pessoas que dependem dele para sobreviver, além de colaborar com o meio ambiente. As formulações apresentaram resultados promissores em testes farmacológicos. As novidades, já patenteadas pela Agência Unesp de Inovação (Auin), atendem a uma grande demanda do mercado por medicamentos e cosméticos mais naturais.

Com as inovações, o fruto poderá ser mais bem aproveitado economicamente

ONDE TUDO COMEÇOU A ideia inicial da pesquisa surgiu a partir de estudo desenvolvido pelos cientistas que trabalhava para aumentar o rendimento da extração de óleo do pequi, cuja produtividade é muito baixa – a quantidade de óleo extraído é inferior a 10% da massa de polpa. Para avaliar a ação do creme contra inflamações, os cientistas injetaram na pata de camundongos uma substância irritante chamada carragenina, que gerou um processo inflamatório na região, causando inchaço, vermelhidão e aumentando a temperatura do local. Após a aplicação do creme, os pesquisadores mediram o volume da lesão e monitoraram o quanto ela regrediu nos roedores com o passar do tempo. Em apenas duas horas, já foi possível notar a diferença. Em três dias, a área estava completamente recuperada. Já a análise das propriedades do protetor solar foi feita com o mesmo aparelho utilizado por grandes fabricantes do setor. O equipamento emite um feixe de luz intenso e uniforme que ilumina as amostras do material e, a partir da interpretação dos dados que são gerados, ele mede o fator de proteção do produto. A tecnologia segue as exigências de regulação da Food and Drug Administration (FDA, a

agência de vigilância sanitária norte-americana), da Agência Federal de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos e da Associação Europeia de Cosméticos. VALORIZANDO O MEIO AMBIENTE Com o aproveitamento da enorme quantidade de pequi que é desprezada, é possível agregar valor à biodiversidade. Os frutos são coletados intensamente para consumo nos centros urbanos, mas ninguém planta o pequizeiro de forma ordenada. A produção acontece de forma predatória. Na maioria das vezes, são famílias que trabalham nessa cultura sem nenhum tipo de orientação técnica. Os estudos foram realizados em parceria com uma cooperativa de Minas Gerais, que ajudou os pesquisadores a entender a dinâmica da produção do pequi no País. Só em São Paulo, cerca de 12 mil famílias, de 170 municípios, dependem economicamente da fruta. Encontrado no Cerrado, em regiões de boa luminosidade e de menor fertilidade natural do solo, o pequi corre o risco de ser extinto pela própria agricultura predatória e pela pecuária desordenada. Além disso, com esses novos produtos pode-se melhorar a condição econômica e social das famílias que dependem desse fruto para a sua subsistência.

Audiovisual

Incêndio na Kiss vira minissérie O incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria, que matou 242 pessoas e deixou mais de 600 feridos em janeiro de 2013, será tema de uma minissérie da Netflix. O anúncio foi feito pela própria plataforma de streaming em uma lista de lançamentos previstos para 2022 e 2023. A obra audiovisual terá produção da Morena Filmes e direção da cineasta Júlia Rezende, sendo baseada no livro “Todo Dia a Mesma Noite”, da jornalista Daniela Arbex. O livro foi lançado em 2018 e traz depoimentos de familiares de vítimas e outras pessoas envolvidas com a tragédia que chocou o País. A previsão é que a série comece a ser gravada em janeiro de 2022, mês em que se completam 9 anos do incêndio. A notícia de que o caso da Boate Kiss será tema de uma série vem a poucos dias do júri popular de 4 réus apontados como responsáveis pela tragédia. O julgamento começou ontem, dia 1º. Os empresários e sócios

da boate, Elissandro Callegaro Spohr e Mauro Londero Hoffmann, e os músicos da banda Gurizada Fandangueira, Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Bonilha Leão, respondem por homicídio. As chamas tiveram início por conta do disparo de fogos de artifício durante o show da banda e, ao longo de toda a investigação, ao longo desses quase 9 anos, foi constatado que a falta de sinalização, obstrução das saídas e falta de extintores de incêndio contribuíram para o agravamento da tragédia e o alto número de mortos. Daniela Arbex, autora do livro que vai basear a série na Netflix, afirmou que futura obra audiovisual representa “um passo importante na construção da memória coletiva do Brasil”. “Meu desejo é que a série nos conscientize sobre a dor do outro e sobre a necessidade de jamais abrirmos mão do exercício permanente da cidadania”, declara ainda a jornalista.

Série será baseada no livro de Daniela Arbex, que traz depoimentos de familiares de algumas das 242 vítimas do incêndio que chocou o país em 2013


6

ANO 13 - Nº 690 - DEZEMBRO DE 2021

HUMOR

Marcélia Cartaxo protagoniza o longa vencedor

HORÓSCOPO

NAVIO DE GUERRA

ÁRIES - É importante ter consciência de aonde quer chegar com suas metas e objetivos ou pode se perder, fazendo mil coisas e não chegando a lugar nenhum. Tome cuidado com mentiras e ilusões.

O Manuel vai visitar um velho navio de guerra. Em um dos compartimentos, tropeça numa placa de bronze, onde esta escrito: “Aqui tombou o Almirante Barroso”. E comenta: - Não é de admiraire. Eu também quase cai aqui.

TOURO - Conseguir ter foco e discernimento é importante, assim como saber colocar limites e usar seu poder de liderança.Paixões podem acontecer, assim como términos que já não estavam indo muito bem.

ASSALTO Chega o assaltante, apontando uma arma por debaixo da roupa, e grita pro Manuel: - Pare! - Impare! E o assaltante, sem entender nada: - Mas eu estou te roubando... - Ah! Então não brinco mais!

Pacarrete vence o 20º Grande Prêmio de Cinema Brasileiro

F RESUMO DAS NOVELAS Nos tempos do Imperador – Globo – 17h30 Gastão e Isabel chegam ao Brasil, e o conde se ressente por não ter sido avisado sobre a guerra. Isabel pede que Luísa convença Gastão a não ir para a guerra. Tonico provoca Samuel, que afirma a Augusto que o deputado tem algum interesse na guerra. Nélio encontra uma carta comprometedora para Tonico. Justina e Guebo se beijam. Quanto mais vida melhor– Globo – 18h40 Nedda passa mal com a briga de Neném e Roni. Odaílson chama Deusa para sair. Celina faz intriga de Rose para Guilherme. Tigrão oferece carona para Soraia. Jandira se desespera ao saber que Roni vai morar com elas quando sair da cadeia. Paula e Marcelo se beijam. Flávia passa a noite com Murilo. Betina treina passos de pole dance às escondidas. Um lugar ao sol – Globo –21h Lara resolve refazer os passos de Christian na noite de sua morte para chegar até o irmão do ex-namorado. Bárbara fica constrangida na frente de Janine, quando Christian/Renato a surpreende com um convite para comemorar o texto que ela supostamente escreveu. Bárbara e Santiago deixam o show de Nicole depois que a humorista ironiza a irmã e o pai.

oram anunciados no último domingo os vencedores do 20º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. O filme mais premiado da noite foi “Pacarrete”, de Allan Deberton, em seu longa de estreia como diretor, com oito troféus Grande Otelo, incluindo o de Melhor Filme do Júri Popular. “A Febre”, de Maya Da-Rin, ganhou o prêmio de Melhor Longa-Metragem de Ficção, e, nas categorias Melhor Atriz e Melhor Ator, quem levou os troféus foram Marcélia Cartaxo e Marcos Pal-

meira, por “Pacarrete” e “Boca de ouro”. Por conta da pandemia, a cerimônia – que é realizada anualmente pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais – aconteceu de forma remota pelo segundo ano consecutivo, com apresentação das jornalistas Adriana Couto e Renata Boldrini, com transmissão direto dos estúdios da TV Cultura, em São Paulo. O grande homenageado da noite foi Ruy Guerra, cineasta, poeta e compositor moçambicano radicado no Brasil, que completou 90 anos em 2021.

Fagner e Elba Ramalho juntos em novo álbum

Fagner e Elba cantam Forró nº 1 em Festa, álbum em que abordam o repertório de Luiz Gonzaga com produção musical do sanfoneiro Zé Américo. Com lançamento programado para 13 de dezembro, dia do 109º aniversário de nascimento de Gonzaga, o álbum Festa marca a estreia do selo fonográfico Bônus Track e, além do Forró nº 1, também traz no repertório músicas como A morte do vaqueiro (Nelson Gonzaga e Nelson Barbalho, 1963), Baião da Penha (Guio de Moraes e Davi Nasser, 1951), Danado de bom (Luiz Gonzaga e João Silva, 1984) e O cheiro da Carolina (Luiz Gonzaga e Amorim Roxo, 1956). Cabe lembrar que tanto Fagner como Elba já têm dois álbuns, cada um, com o repertório de Gonzaga nas respectivas discografias.

GÊMEOS - Vale a pena se isolar um pouco para conseguir resolver suas tarefas e fazer pausas. Podem acontecer vários cancelamentos ou desafios relacionados a horários e agendas. CÂNCER - Momento de conseguir acolher as pessoas em geral. Você pode fazer muita caridade e ajudar as pessoas próximas — e até a desconhecidos. Isso pode te fazer muito bem, inclusive. LEÃO - As suas relações podem ajudar ou atrapalhar suas emoções, por isso pode ser uma semana mais reflexiva, em que estar com as pessoas pode ser uma escolha muito consciente; ou seja, você estará mais seletivo, abrindo-se apenas para algumas pessoas. VIRGEM - As relações familiares estão potencializadas: saber acolher e construir um ambiente mais amoroso pode ser uma tarefa difícil. A relação amorosa pode ser sufocante se não estiver sendo satisfatória, então vale a pena dialogar e abrir o coração. LIBRA - Sua intuição pode ser grande, mas se pensar demais pode acabar dando um nó na mente, portanto saiba sentir e não crie caraminholas que vão gerar apenas medos e dúvidas. ESCORPIÃO - É importante conseguir economizar e se manter precavido para questões futuras. Manter seu espaço privado e ter tempo para si mesmo será sagrado e imprescindível para não explodir. SAGITÁRIO - A vida vai abrir novos caminhos e vale a pena não sentir medo das mudanças que estão por vir, porque elas poderão ser como bênçãos, ainda que sejam desafiadoras. Avance! CAPRICÓRNIO - A sua mente pode estar fantasiosa e, ao mesmo tempo, criativa, então saiba usar essa segunda opção nas suas relações, levando alegria e leveza para seus diálogos. Tome cuidado com ideias amalucadas demais. AQUÁRIO - As amizades podem ser o ponto mais positivo desta semana. Saber lidar com pessoas diversas pode abrir portas. As relações mais íntimas podem trazer alegria e diversão se você souber ouvir o outro comunicar o que deseja sem dramas. PEIXES - A família pode trazer boas notícias e situações novas para serem resolvidas em conjunto. Mudança de residência ou alguma viagem podem acontecer. Para quem está namorando, passeios românticos podem fazer sucesso e aproximar mais o casal.


ANO 13 - Nº 690 - DEZEMBRO DE 2021

7

GUARDA-ROUPA

oversized

Peças se firmam na moda em 2022 A modelagem oversized é destaque nas semanas de moda, mantendo-se como predileção dos designers em peças como blazer, jaquetas, casacos, moletons e calças jeans

A

s peças oversized seguem em alta na moda. Elas marcaram presença em quase todas as passarelas europeias e americanas este ano e também estiveram na São Paulo Fashion Week (SPFW). A tendência tem se mantido nas peças queridinhas dos últimos anos nas coleções de casas inovadoras como Yves Saint Laurent. Por seu impacto icônico nas décadas de 1980 e 1990, a modelagem oversized deve continuar compondo as coleções em 2022, mantendose como predileção dos designers em peças como blazer, jaquetas, casacos, moletons e calças jeans. Nos desfiles da SPFW a tendência oversized figurou na apresentação de peças inspiradas no estilo rock dos anos 1980 e 1990, usando cores escuras e proporções geométricas. Os desfiles trouxeram proposta de conforto e leveza com tricôs, assimetrias e plissados. A tendência se fortaleceu nas passarelas nos últimos anos por traduzir o estilo desapegado,

irreverente e empoderado da moda de rua. A moda oversized se tornou muito presente em razão de representar a juventude, a provocação e assim, as marcas de luxo encontraram uma forma de se conectar às novas gerações. Começou com os moletons e, aos poucos, as peças foram ficando mais sofisticadas, A nostalgia associada às peças devem figurar nas coleções de 2022: Os famosos ‘80’s neons’ devem voltar com força nas novas coleções no próximo ano, lembrando os tons pink, limão e amarelo populares há pouco mais de 40 anos. Tem muito a ver com a expectativa das pessoas de que tudo fique mais colorido após a pandemia. Um outro fator apontado pelas marcas também tem como motivo a pandemia: o conforto. O confinamento trouxe a necessidade de peças mais respiráveis, largas que oferecessem uma modelagem mais confortável e, com isso, as coleções se inspiraram para trazer de volta o oversized.

Prolongando a maquiagem • Tudo começa pela hidratação Sabemos que antes de maquiar, a pele precisa estar completamente limpa. Mas não para por aí.As etapas de limpeza retiram a oleosidade da pele, ou seja, precisam ser seguidas de hidratação para repor água e nutrientes. Inclusive, rotinas de skincare mais profundas podem deixar o rosto com aquele aspecto repuxado — cenário ideal para craquelar base e corretivo. Capriche no hidratante, principalmente em pontos mais secos. • Primer Que tal adicionar um produto antes da cobertura? O primer é usado justamente para preparar a pele e torná-la melhor para receber a maquiagem. Além de estar disponível em diferentes formatos e acabamentos, ele confere uma textura mais aveludada, disfarça os poros, controla a oleosidade e faz sua make durar mais.

• Versão à prova d’água Seguir as etapas corretas e entender a forma de aplicação de cada produto, obviamente, ajudam no resultado. No entanto, saber escolher os cosméticos certos também é importantíssimo para o sucesso da maquiagem. Se a intenção é maior durabilidade, as versões à prova d’água serão as suas preferidas. Isso porque elas entregam o mesmo visual das normais, mas são mais resistentes. Ou seja, nem chuva nem suor a deixarão borrada. • Não esqueça de finalizar Lembra daqueles sprays finalizadores? O jato gelado serve para unhas, cabelos e também maquiagens, afinal, a intenção é fixar e secar. Ainda que esses produtos sigam existindo e sendo úteis, o mercado de beleza não para de inovar e agora você encontra essa mesma funcionalidade em fórmulas diferentes. A ideia segue sendo espirrar o produto no rosto após a maquiagem, mas de outro jeito: com pequenos jatinhos e em uma espécie de bruma ou água de beleza com poder fixador. Algumas têm até brilho.


Ilha das

ONÇAS Área de conservação, que foi criada há 40 anos, recebe cientistas e se estrutura para visitas de turistas

N

o Nordeste do Amapá, a chamada “Ilha das OnçasPintadas” é uma das regiões mais remotas do Brasil. Com mais de 58 mil hectares de terra e cerca de 40 indivíduos do maior felino da América Latina, a área é protegida e dá condições para a conservação da espécie no País. A Ilha das Onças Pintadas fica na Estação Ecológica MaracáJipioca (EEMJ), uma unidade de conservação criada há 40 anos que se tornou berçário, abrigo e área de alimentação para manter vivas diversas espécies, algumas até ameaçadas, como a própria Panthera onca. A estimativa populacional é de 38 animais dessa espécie vivendo na Maracá-Jipioca, mas o número pode ser maior. A vida e o movimento na ilha é regido pelas marés, que alcançam 10 a 12 metros de amplitude. As espécies se adaptam a essa dinâmica, inclusive as onças, que são vistas nas margens ou nas praias, em busca de alimentos. Os estudos demonstram que elas se alimentam principalmente de pei-

xes, sendo mais de 50% da dieta. Isso pode ser um dos motivos para que um grande número de onças-pintadas possa conviver na região, levando em conta que é uma espécie altamente territorialista. Unidade de conservação de proteção integral, não são permitidas práticas de uso direto dos recursos naturais na Maracá-Jipioca, como a pesca. Pesquisadores, fotógrafos e estudantes de iniciação científica podem visitar a região com autorização prévia do ICMBio, no entanto, por enquanto, não é uma área aberta para o turismo. A visitação só é permitida para fins educacionais, o que não significa que seja só para estudantes, mas para qualquer atividade que tenha foco na sensibilização ambiental. Maracá-Jipioca: a 12 quilômetros do continente, com acesso pelo município de Amapá, a estação tinha originalmente 72 mil hectares e era composta por duas ilhas: a Maracá e a Jipioca. Com o processo erosivo da região costeira, a unidade possui 58 mil hectares, e uma das ilhas, a Jipioca, foi submersa em 2006 pelas águas do rio e do oceano que cercam a região. A ilha de Maracá é dividida em duas porções pelo igarapé do Inferno, em Maracá Norte e Maracá Sul. É essa a região que passou a ser chamada popularmente de Ilha das Onças-Pintadas, devido à quantidade de indivíduos que abriga dessa espécie.

ONG clona árvores antigas para reflorestar o mundo

David Milarch criou a Archangel Ancient Tree Archive com o objetivo de replantar a genética de mudas milenares e espalhálas por florestas para ajudar no combate ao aquecimento global

“Cada vez que entro em uma floresta antiga, tenho a mesma sensação de quando entro em uma catedral. É uma reverência automática.” É com esse misto de fé e conexão com a natureza que o norteamericano David Milarch vê aquilo que considera sua missão: mostrar ao mundo a importância das árvores e agir para espalhá-las pelo mundo. A organização sem fins lucrativos que fundou, batizada de Archangel Ancient Tree Archive, tem como objetivo pesquisar algumas das árvores mais antigas do mundo e cloná-las usando seu DNA. David criou a ONG em 1994 para clonar as árvores mais antigas do mundo, principalmente sequoias

gigantes. Ele estuda a genética de árvores para, depois, cloná-las e plantá-las em novos lugares. O objetivo é reflorestar o planeta com árvores que atravessaram ilesas séculos e mais séculos na Terra e, com a força delas, ajudar a combater o aquecimento global. Ele acredita que, com apoio de governos, empresas, sociedade e diversos laboratórios, seria possível clonar até 5 milhões de árvores em quatro anos – tudo a partir de um pequeno pedaço de uma árvore antiga saudável. As amostras vêm dos ramos superiores, que são então adicionadas a uma solução feita em laboratório que torna possível sua clonagem.