Issuu on Google+


Editorial NacMov, é Nacional Movie que significa Filmes Nacionais. Sabemos que parece estranho a união de duas palavras com origens diferentes. Isto foi feito propositalmente, afinal o significado da palavra movie é conhecido por todos. Este foi o tema escolhido para a produção deste fanzine. Somos estudantes de jornalismo e unimos nossa paixão pelo cinema para a criação dessa publicação. Um dos nossos programas favoritos é ir juntos ao cinema. Fazemos isso com frequência. Durante a criação, percebemos que o mercado cinematográfico nacional, mesmo que pouco falado, possui uma gama de grandes produções. Vimos que normalmente, o cinema nacional é pauta para blogs, jornais de circulação nacional e revistas semanais. Porque não juntar o tema em um único produto? Não foi uma tarefa fácil, afinal, surgiram diversos filmes que poderiam ilustrar nossas páginas. Mas chegamos ao um bom senso e separamos um conteúdo diversificado, que vai desde a comedia até o suspense. Nossa publicação pretende fugir do papel. Nossa ideia é que você fotografe nossos QR Codes e assista a trailers, making-ofs e filmes completos que estão disponíveis no Youtube. Isso porque, não podemos negar que a internet veio para dominar as publicações impressas e as novas mídias. Por isso, vá ao cinema, baixe, assista em casa, no trabalho, no celular, não importa. Prestigie o cinema nacional e compartilhe nossa publicação com amigos, vizinho, tia, avó e papagaio. O nacmov foi feito com muito amor, carinho, dedicação e noites em claro. Um grande abraço, Camila Creace e Cléverton Santana

2

O nacmov é uma produção desenvolvida para a disciplina Gestão, Empreendedorismo e Eventos, do curso de jornalismo do Centro Universitário Módulo, ministrada pelo Prof. Ms. Paulo Rogério Arruda. Criação, Diagramação e Produção: Camila Creace (camilacreace@mail.com) e Cléverton Santana (clesantana@live.com) Agradecemos a colaboração de Leandro Sousa, que apoiou e contribuiu com o nosso projeto. Valeu! :)


Leis e projetos Ancine (Agência Nacional deoCinema) O Programa de Incentivo à Qualidade do Cinema Brasileiro é um mecanismo de fomento à indústria cinematográfica brasileira, que concede apoio financeiro às empresas produtoras em razão da premiação ou indicação de longas-metragens brasileiros, de produção independente, em festivais nacionais e internacionais. Podem concorrer à premiação os produtores que receberam prêmios concedidos por júri oficial nas categorias de melhor filme e melhor direção, ou participaram com obras cinematográficas na principal mostra competitiva dos festivais. O apoio indireto a projetos audiovisuais se dá por meio de mecanismos de incentivo fiscal dispostos na Lei 8.313/91 (Lei Rouanet), na Lei 8.685/93 (Lei do Audiovisual) e na Medida Provisória 2.228-1/01. Esses dispositivos legais permitem que os contribuintes, pessoas físicas e jurídicas, tenham abatimento ou isenção de determinados tributos, desde que direcionem recursos, por meio de patrocínio, coprodução ou investimento, a projetos audiovisuais aprovados na ANCINE. Polo Cinematográfico de Paulínia Idealizado pela Secretaria da Cultura da Prefeitura de Paulínia, concentra um dos maiores investimentos na produção audiovisual brasileira. São quatro estúdios, escritórios temporários, motor-home (casa motorizada), trailer (camarim móvel), e uma escola completa e bem equipada de formação técnica na área, a Escola Magia do Cinema. Lei Rouanet A Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei nº 8.313 de 23 de dezembro de 1991) é a lei que institui politicas públicas para a cultura nacional, como o PRONAC - Programa Nacional de Apoio à Cultura. Essa lei é conhecida também por Lei Rouanet (em homenagem a Sérgio Paulo Rouanet, secretário de cultura de quando a lei foi criada. As diretrizes para a cultura nacional foram estabelecidas nos primeiros artigos, e sua base é a promoção, proteção e valorização das expressões culturais nacionais. O grande destaque da Lei Rouanet é a politica de incentivos fiscais que possibilita as empresas (pessoas jurídicas) e cidadãos (pessoa fisíca) aplicarem uma parte do IR (imposto de renda) devido em ações culturais. Programas de Patrocínio Vale lembrar que diversas empresas apoiam o cinema nacional. Atualmente, o Brasil possui grandes produtoras como a Globo Filmes e o Telecine Produções que movimentam o mercado cinematográfico nacional. Diversos editais são abertos para programas de patrocínio por empresas estatais e privadas como Banco do Brasil, Correios, Petrobras, Oi, dentre outras.

3


Assista! Em casa, no trabalho, no celular, não importa! Selecionamos alguns filmes que você não pode deixar de assistir e comentar depois com os amigos. Prepare a pipoca e o refrigerante!

CAZUZA, O TEMPO NÃO PARA (2004)

4

Instável e desafiador, mas também extremamente sedutor, Cazuza vivia sua confortável vida de garoto da Zona Sul sob a cerrada vigilância da mãe. Mas Cazuza queria muito mais. Ele queria tudo, ao mesmo tempo, em um agora permanente. Descobriu que a música era a melhor maneira de expressar essa urgência que não tinha começo, não tinha fim, não tinha foco. Junto com os Barões, Cazuza viaja, conhece o Brasil, vive novos afetos. Para atenuar a intensificação de conflitos familiares, é intimado a trabalhar com o pai, diretor de uma gravadora. Mas ele sempre quis viver cada vez mais intensamente, romper limites. O diagnóstico de que era portador do vírus HIV foi recebido pelo jovem artista com desespero, seguido da busca de novas formas de tratamento para uma doença que na época representava uma sentença de morte em curtíssimo prazo. E foi justamente sob esta condenação que Cazuza deu provas de uma coragem sem precedentes no país: expôs a doença e sua deterioração física, apresentou-se em público em shows comoventes, não abriu mão dos poucos prazeres que lhe restavam, disposto a viver o tempo que tivesse como sempre quis: fiel a si mesmo e aos seus sentimentos. No curto futuro duvidoso que viveu, Cazuza nunca mentiu para si mesmo ou para as pessoas que amava. Cazuza morreu em 1990 aos 32 anos. (Fonte: cinepop.com.br)


TROPA DE ELITE (2007)

OLGA (2004) Realizado pelo diretor Jayme Monjardim, inspirado na biografia escrita por Fernando Morais sobre a alemã, judia e comunista Olga Benário Prestes. Com Camila Morgado como a protagonista, Caco Ciocle como Luís Carlos Prestes e Fernanda Montenegro como Dona Leocádia Prestes, mãe de Luís Carlos Prestes. Olga foi um grande sucesso de bilheteria; 385 mil pessoas o assistiram apenas no fim de semana de estréia no Brasil. A obra também recebeu três prêmios no Grande Prêmio Brasileiro de Cinema de 2005, mas teve recepção negativa das imprensas alemã. Olga Benário (Camila Morgado) é uma militante comunista desde jovem, que é perseguida pela polícia e foge para Moscou. Em Moscou, Olga faz treinamento militar. Lá ela é encarregada de acompanhar Luís Carlos Prestes (Caco Ciocler) ao Brasil para liderar a Intentona Comunista de 1935, se apaixonando por ele na viagem. Com o fracasso da revolução, Olga é presa com Prestes. Grávida de 7 meses, é deportada pelo governo Vargas para a Alemanha nazista e tem sua filha Anita Leocádia na prisão. Afastada da filha, Olga é então enviada para o campo de concentração de Ravensbrück. (Fonte: adorocinema.com.br)

Filme policial brasileiro, dirigido por José Padilha, que tem como tema a violência urbana na cidade brasileira do Rio de Janeiro e as ações do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Baseado em elementos presentes no livro Elite da Tropa, de André Batista e Rodrigo Pimentel. É estrelado por Wagner Moura, André Ramiro, Caio Junqueira, Milhem Cortaz, Fernanda Machado, Paulo Vilela, Fernanda de Freitas, Maria Ribeiro e Fábio Lago. Foi objeto de grande repercussão antes mesmo de seu lançamento, por ter sido o primeiro filme brasileiro a, meses antes de chegar aos cinemas, vazar para o mercado pirata e a internet. Uma pesquisa feita pelo Ibope chegou a estimar que mais de 11 milhões de brasileiros teriam visto o filme de forma ilegal . Isso, entretanto, não impediu o filme de ter sido bem-sucedido nas bilheterias. O filme recebeu o prêmio Urso de Ouro de melhor filme no Festival de Berlim 2008. Em 2010 foi lançada a continuação, Tropa de Elite 2: O Inimigo Agora é Outro. (Fonte: adorocinema.com.br)

Assista ao filme Olga pelo youtube! Fotografe o código ao lado com um leitor QR Code! Simples. Fácil e Rápido.

5


O QUE É ISSO COMPANHEIRO? (1997) Dirigido por Bruno Barreto, com roteiro parcialmente baseado no livro homônimo de Fernando Gabeira, escrito em 1979. Produzido por Luiz Carlos Barreto, é estrelado por Pedro Cardoso, Fernanda Torres, Cláudia Abreu, Matheus Nachtergaele, Luiz Fernando Guimarães e tem uma participação especial de Fernanda Montenegro e do ator norteamericano Alan Arkin no papel de Charles Burke Elbrick, entre outros. Lançado nos Estados Unidos com o título de Four Days in September, concorreu ao Oscar de melhor filme estrangeiro daquele ano. O enredo conta, com diversas licenças ficcionais, a história verídica do sequestro do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Charles Burke Elbrick, em setembro de 1969, por integrantes dos grupos guerrilheiros de esquerda MR-8 e Ação Libertadora Nacional, que lutavam contra a ditadura militar do país na época e pretendiam trocar o embaixador por companheiros presos. Alguns nomes dos personagens ligados à guerrilha foram trocados em relação a seus nomes verdadeiros no livro e na vida real. (Fonte: cinepop. com.br)

Assista ao filme O que é isso companheiro pelo youtube! Fotografe o código ao lado com um leitor QR Code!

6

MINHA MÃE É UMA PEÇA (2013)

Sabe aquela história de que “Mãe é sempre igual, só muda o endereço”? Pois bem, Minha mãe é uma Peça, afirma este velho ditado. Adaptação da peça de teatro, criada pelo comediante Paulo Gustavo (aquele, do 220 Volts), o longa conta a história de Dona Hermínia (Paulo Gustavo), mãe, divorciada, dedicada, que está sempre preocupada com os filhos. Dona Hermínia é mãe de dois adolescentes, Marcelina (Mariana Xavier) e Juliano (Rodrigo Pandolfo) e tenta a todo custo controla-los. Marcelina é a filha rebelde. Gorda, viciada em presunto, o que deixa a mãe e os demais personagens indignados. Juliano, é gay (mas ainda não saiu do armário). A mãe finge que não sabe a opção sexual do filho, mas desconfia isso desde que ele era criança. (Alguém conhece alguma história parecida?) Depois de um mal-entendido com os filhos, Dona Hermínia sai de casa e se instala no apartamento da tia Zélia (Suely Franco), que ama beber um whisky ao som de Sidnei Magal. Com a mãe longe, Juliano e Marcelina, precisam ficar sozinhos no apartamento, onde afirmar que : Não conseguem viver sem os berros e as loucuras de sua mãe. Um dos momentos mais engraçados do filme é quando ele termina: enquanto sobem os créditos, surge uma gravação caseira de Dona Deia (mãe de Paulo Gustavo). No vídeo, ela aparece vestida exatamente igual à Dona Hermínia, com uma roupa florida e bobes nos cabelos. E, pelo diálogo que tem com o filho, feito aos berros, dá para perceber de onde o comediante tira inspiração para as melhores de suas piadas. (Fonte: pescadordesonhos. wordpress.com)


Vem coisa boa

por aí...

O ano está acabando, mas com ele, muitas novidades irão chegar nas salas do cinema. Que tal aproveitar nossas super dicas, reunir os amigos e curtir um bom filme?

EU NÃO FAÇO A MENOR IDEIA DO QUE EU TÔ FAZENDO COM A MINHA VIDA (2013) Clara (Clarice Falcão) não faz a menor ideia do que está fazendo com a sua vida. Escolheu fazer medicina na faculdade pelo simples fato de que toda a sua família é formada por médicos respeitados. Não era o que queria, mas ela também não sabe se existe alguma profissão específica com a qual realmente se identifique. Começa, então, a matar aulas e inicia uma nova vida paralela durante as manhãs, na qual acaba conhecendo um jovem rapaz que a incentiva a fazer experiências práticas para descobrir, do jeito dela, do que realmente gosta e qual é o seu talento. Estreia prevista para 20 de dezembro. (Fonte: omelete.uol.com.br)

Assista ao trailer do filme Eu Não Faço... (ok, você entendeu) pelo youtube! Fotografe o código ao lado com um leitor QR Code!

7


GATA VELHA AINDA MIA (2013) Um dos filmes exibidos no Festival do Rio de Cinema deste ano, Gata Velha Ainda Mia é um filme de suspense/terror brasileiro, dirigido por Rafael Primot. Estrelado por Regina Duarte e Bárbara Paz, o longa conta a história da reclusa escritora Gloria Polk (Duarte) que está voltando a publicar, anos depois de seu último romance. Ela aceita dar uma entrevista em casa para a jornalista Carol (Bárbara Paz), e em um fluxo de consciência em voz alta a escritora prontamente explica seus dramas e motivos: ficou velha, caducou seu feminismo, odeia mulheres jovens, ressente-se da solidão. Produzido com um baixo orçamento (apenas R$ 150 mil), o filme foi rodado em apenas uma semana. O longa ainda não tem data de estreia, mas estamos ansiosos. (Fonte: festivaldorio.com.br)

Assista ao Making Of do filme Gata Velha Ainda Mia. Fotografe o código abaixo 'com um leitor QR Code!

CONFISSÕES DE ADOLESCENTE (2014)

8

Confissões de Adolescente é um filme de comédia brasileiro com estréia prevista para 10 de janeiro de 2014. Dirigido por Daniel Filho e estrelado por Sophia Abrahão, Isabella Camero, Malu Rodrigues e Clara Tiezzi. Fenômeno nos palcos, best-seller nas livrarias e sucesso de audiência na TV, “Confissões de adolescente”, originada no teatro, em 1992, com a montagem dos diários da atriz Maria Mariana, vai desbravar agora mais uma fronteira pop: o cinema. (Fonte: oglobo.globo.com)


nacmov #1 | novembro de 2013