Issuu on Google+


1.

Introdução

2.

Instalando Carolus

3.

Iniciando e Configurando Carolus

4.

Efetuando o Login

5.

Formulário Principal

6.

Cadastrando Registros (Herbário)

7.

Atualizando Registros (Herbário)

8.

Cadastrando Usuários

9.

Atualizando dados e bloqueando Usuários

10.

Cadastrando Dependências

11.

Gerando Etiquetas (Herbário)

12.

Efetuando Consultas Simples

13.

Efetuando Consultas Avançadas

14.

Exportando dados

15.

Importando Dados

16.

Backup de dados

17.

Gerando Estatísticas Simples e Avançadas

18.

Banco de imagens

19.

Consultando dados de usuários

20.

Guias de Remessa

21.

Atualização em massa

22.

Normalizando dados

23.

Carolus GIS e o Banco de Dados

24.

Configurando o aplicativo

25.

Como gerar relatórios?

26.

Removendo o programa


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Saber como prosseguir com este manual; - Conhecer um pouco da linguagem e dos softwares utilizados por este programa; - Conhecer a compatibilidade do software; - Conhecer os requisitos mínimos de sistema; - Conhecer os termos da licença do software e seus recursos.

SUB-SEÇÕES: - Bem vindo ao manual do usuário - Sobre este programa - Tecnologia utilizada - Sistemas requeridos - Uso legal


SOBRE ESTE MANUAL Seja bem vindo(a) ao manual do usuário do banco de dados do Herbário Vale do São Francisco - HVASF. Esta documentação foi escrita com o intuito de auxiliar os usuários do software Carolus na soluções de dúvidas referentes ao uso do mesmo e para fornecer prováveis respostas a resolução de eventuais problemas que possam ocorrer durante a execução deste programa. O manual está dividido em seções para uma melhor organização e visualização do mesmo. Dentro de cada seção você encontrará várias sub-seções. Se você não conseguiu encontrar a resposta para seu problema, ou encontrou um defeito (bug) no programa, envie um email para hvasf.contato@gmail.com e a solução para esse problema será retornada em breve, caso exista uma. Os termos técnicos utilizados neste manual são explicados detalhadamente no glossário.

O QUE É CAROLUS? Carolus é um software desenvolvido com o objetivo de facilitar e automatizar um conjunto de atividades realizadas dentro do Herbário HVASF, cujas principais funcionalidades são tornar transparente o gerenciamento de ações de um SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados) e fornecer ferramentas de apóio às atividades botânicas. Essas características podem ser traduzida em segurança, facilidade e agilidade na execução de tarefas para o usuário final, possibilitando um completo controle sobre o conjunto de dados disponível sem a necessidade de qualquer conhecimento referente à administração de banco de dados ou funcionamento de um SGBD.

TECNOLOGIAS UTILIZADAS O programa aqui descrito faz uso da linguagem de programação C++, tirando vantagens das mais relevantes características dessa linguagem - como desempenho, eficiência, produtividade e portabilidade. Afim de construir uma interface gráfica agradável, moderna e altamente compatível com a maioria dos sistemas operacionais mais utilizados no mundo, este software foi desenvolvido utilizando a API WIN 32 - Application Programming Interface Windows™ 32 bits. A API pode ser traduzido como o conjunto de funções que o sistema operacional exporta para serem utilizados pelos programas (aplicações). Essa API também foi implementada na linguagem C++, contribuindo para que o software mantenha compatibilidade com as versões do Windows™ de 32 bits (98, XP, 2003, Vista e Seven). O armazenamento das informações é feito no Sistema Gerenciador de Banco de dados PostGreeSQL™ , o banco de dados Open Source mais poderoso do mundo. O uso dessa ferramenta permite o armazenamento ilimitado de informações e escalabilidade do sistema, isto é, a capacidade de crescer e continuar funcionando da mesma forma que quando o volume é pequeno.


SISTEMAS REQUERIDOS Para que o programa seja executado corretamente e seja capaz de assegurar todas as suas funcionalidades, devem ser atendidas as especificações mínimas de sistemas, tanto em termos de software quanto de hardware.

Softwares: ►Sistema operacional: - Windows 98 ™, Windows XP ™, Windows Vista ™ ou Windows Seven ™

Hardware: ►Requerimentos mínimos de sistema: - Pentium III 800 ou compatível; - 64 MB de memória RAM; - 4 MBs Placa de vídeo (On-Board ou Off-Board); - 150 MB de espaço livre em disco rígido; - Monitor com resolução de vídeo mínima de 1024 x 768 pixels. ►Requerimentos recomendados de sistema: - Pentium III 1.1 ou superior - 128 MB de memória RAM ou mais - 8 Mbs Placa de vídeo (On-Board ou Off-Board) - 150 MB de espaço livre em disco rígido - Monitor com resolução de video mínima de 1024 x 768 pixels.

Observações: Este software foi testado em algumas distribuições do sistema operacional Linux, sendo executado com todas as suas funcionalidades. Para que isto seja possível, Carolus deve ser executado sobre o software WINE, uma implementação independente de bibliotecas Windows™, e este deve possuir todas as dependências externas instaladas corretamente.

LICENÇA CAROLUS Ao instalar, copiar ou utilizar este programa você está concordando em vincular-se aos termos do contrato de licença de usuário final que acompanham este software, estabelecidos pelo autor do mesmo, Alisson Amorim Siqueira. Se você não concordar com estes termos e condições, não instale, copie ou use os componentes deste software.


CONDIÇÕES DE USO Se você não tem permissão para uso deste software, concedido somente a integrantes do Herbário Vale do São Francisco que utilizam o referido programa dentro das dependências da Universidade Federal do Vale do São Francisco, e instituições parceiras, não estará autorizado a instalar, copiar ou utilizar de qualquer outra forma os componentes deste software. A reprodução ou distribuição não autorizada deste programa, ou ainda qualquer parte dele, poderá resultar em severas punições civis e criminais e os infratores serão punidos dentro do máximo rigor permitido por lei.

ISENÇÃO DE GARANTIA: Na extensão máxima permitida pela legislação aplicável, o autor deste software não fornece qualquer serviço de suporte para o mesmo, no estado em que se encontra e com todas as falhas, e por meio deste documento se isenta de todas as outras garantias e condições, expressas, implícitas ou estatutárias, incluindo quaisquer (se houver) garantias implícitas, obrigações ou condições de distribuição, adequação a um propósito específico, respostas completas e corretas, resultados, esforço de aprimoramento, ausência de vírus e ausência de negligência.

EXCLUSÃO DE DANOS INCIDENTAIS, CONSEQÜENCIAIS E OUTROS: Na extensão máxima permitida pela legislação aplicável, em hipótese alguma o autor deste software será responsável por qualquer dano especial, incidental, indireto ou conseqüencial, incluindo, perda de informações confidenciais ou outras, interrupção nos negócios, danos pessoais, perda de privacidade, falha no cumprimento de qualquer obrigação, negligência e qualquer outra perda financeira ou de qualquer natureza, resultantes de qualquer forma com o uso ou a incapacidade de utilizar o software em questão, incluindo falhas no fornecimento de serviços e suporte.

ÍCONES UTILIZADOS NO SOFTWARE: VISTA HIGH PX CREATED BY MICROSOFT AND MODIFIED BY CRYSTALXP.NET URL: http://www.crystalxp.net/

The present internet site and the totality of its contents, including texts, images and animation, data base, etc., Hereinafter the internet site, is copyright protected. The editor only authorizes strictly personal use of the data, information or content that the user accesses, limited to temporary recording on his computer for the sake of showing it on a screen as well as reproducing it in one single copy, as a saved copy or printed on paper.

LOGO 3D DA UNIVASF Remodelado para 3d por Joel Ladislau (estudante de medicina da UNIVASF).


LICENÇA OBRIGATÓRIA POSTGRESQL: POSTGRESQL IS RELEASED UNDER THE BSD LICENSE. POSTGRESQL DATABASE MANAGEMENT SYSTEM (FORMERLY KNOWN AS POSTGRES, THEN AS POSTGRES95) PORTIONS COPYRIGHT (C) 1996-2008, THE POSTGRESQL GLOBAL DEVELOPMENT GROUP. PORTIONS COPYRIGHT (C) 1994, THE REGENTS OF THE UNIVERSITY OF CALIFORNIA PERMISSION TO USE, COPY, MODIFY, AND DISTRIBUTE THIS SOFTWARE AND ITS DOCUMENTATION FOR ANY PURPOSE, WITHOUT FEE, AND WITHOUT A WRITTEN AGREEMENT IS HEREBY GRANTED, PROVIDED THAT THE ABOVE COPYRIGHT NOTICE AND THIS PARAGRAPH AND THE FOLLOWING TWO PARAGRAPHS APPEAR IN ALL COPIES. IN NO EVENT SHALL THE UNIVERSITY OF CALIFORNIA BE LIABLE TO ANY PARTY FOR DIRECT, INDIRECT, SPECIAL, INCIDENTAL, OR CONSEQUENTIAL DAMAGES, INCLUDING LOST PROFITS, ARISING OUT OF THE USE OF THIS SOFTWARE AND ITS DOCUMENTATION, EVEN IF THE UNIVERSITY OF CALIFORNIA HAS BEEN ADVISED OF THE POSSIBILITY OF SUCH DAMAGE.

THE UNIVERSITY OF CALIFORNIA SPECIFICALLY DISCLAIMS ANY WARRANTIES, INCLUDING, BUT NOT LIMITED TO, THE IMPLIED WARRANTIES OF MERCHANTABILITY AND FITNESS FOR A PARTICULAR PURPOSE. THE SOFTWARE PROVIDED HEREUNDER IS ON AN "AS IS" BASIS, AND THE UNIVERSITY OF CALIFORNIA HAS NO OBLIGATIONS TO PROVIDE MAINTENANCE, SUPPORT, UPDATES, ENHANCEMENTS, OR MODIFICATIONS. 

PALAVRAS FINAIS

Nas próximas seções serão apresentados todos os aspectos relevante do software Carolus, desde sua instalação e manutenção, até a resolução de problemas e características avançadas. Espera-se que este manual suficientemente claro e objetivo para todos os tipos de usuários, permitindo a obtenção de dados e recurso visuais de forma rápida e precisa referido programa. Você poderá ajuda no desenvolvimento do manual, adicionando a ele características relevante que ficaram de for a do texto presentes na seções seguintes, através do e-mail citado.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Instalar Carolus no Windows ™ ou Linux ™; - Iniciar o software Carolus; - Configurar Carolus para acesso ao banco de dados PostgreSQL ™;

SUB-SEÇÕES: - Como instalar? - Como instalar no Linux? - Como iniciar este programa? - Como configurar o acesso ao banco de dados PostgreSQL™


INSTALANDO CAROLUS Para instalar automaticamente Carolus em seu computador você deverá Inicialmente localizar o ícone do setup de instalação, que tem o formato da imagem abaixo.

Após isto, dê um clique duplo neste ícone ou pressione [ENTER] no mesmo para poder visualizar a tela abaixo. Nesta tela você deverá escolher a linguagem que deseja utilizar durante a instalação e pressionar [OK].

Clique em avançar na Tela seguinte, para visualizar o termos de instalação. Leia atentamente o contrato de licença com o usuário final e caso concorde com todos os termos expostos no mesmo selecione a opção [Eu aceito os termos do contrato] e clique em [Avançar >], como ilustrado a seguir:


Informe a senha de instalação que você recebeu e clique me [Avançar >]. Na tela seguinte o usuário poderá modificar o diretório de instalação. Contudo, é aconselhado manter o diretório default. Em seguida clique em [Avançar >].

Marque a opção ‘Não criar uma pasta no Menu Inicial’ caso deseje efetuar esta ação e clique em [Avançar >].

Recomenda-se manter a opção desmarcada, para que o usuário possas desinstalar este programa sem precisar ir até sua pasta de instalação. A pasta de instalação do programa contém o desinstalador do software, que irá remover todos os arquivos criados, exceto os modificados pelo o usuário.


A exemplo do item anterior marque as opções de preferência, como ilustrado a seguir e clique em [Avançar>]. Verifique se as suas escolhas estão condizentes com sua vontade e clique em [Instalar] para iniciar a instalação de Carolus em seu computador. Aguarde alguns instantes para que a instalação seja concluída.

Após a instalação, a tela abaixo será exibida. Mantenha a opção para executar o programa selecionada. O programa deverá iniciar automaticamente, exibindo uma tela com uma breve animação, como segue abaixo:

Se você decidiu por não executar automaticamente o programa, localize um ícone de atalho ou o próprio programa dentro do diretório de instalação e dê um clique duplo no mesmo.


 INSTALANDO CAROLUS NO LINUX Para rodar este programa no Linux você precisará instalar o software WINE™, que funcionará como uma implementação independente de bibliotecas Windows™. A seguir será listado algumas formas de fazer isto. 

Instalando através de um pacote RPM 1 - Baixe o arquivo RPM contendo o WINE™ 2 - Use o comando "rpm -ivh wine-x.x-x.rpm" para instalá-lo, onde x.x-x representa a versão do WINE™.

Instalando através de um pacote Tar.gz 1 - Baixe o arquivo contendo o código fonte do WINE™ 2 - use o comando "tar xzvf wine-x.x-x.tar.gz" para descompactá-lo 3 - Entre no diretório recém-criado (algo como wine-x.x-x) e digite: ./configure make depends make make install Ou entre na pasta tools e use os comandos abaixo: ./wineinstall ./winesetup

Instalando através do terminal (Não suportado por todas as distribuições) Digite: sudo apt-get install wine [Tecle Enter]. Informe: [Senha de root]

Outras depedências Após instalar o WINE™ você deverá instalar as outras dependências, discutidos na Introdução deste manual. Isto não é extremamente necessário, contudo o programa perderá alguns recursos, caso não o faça.


 CONFIGURANDO O ACESSO AO BANCO DE DADOS POSTGRESQL Para o programa Carolus funcionar corretamente é necessário uma única configuração, que é informar onde está localizado o servidor de banco de dados PostgreSQL ™ . Após abrir o programa você verá o formulário de Login, explicado na seção seguinte. Neste formulário têm 3 botões. Clique no primeiro botão, Opções para visualizar o formulário de configuração.


No formulário que foi aberto, na parte central superior, existe um bloco chamado ‘Configurações de acesso do SGBD’, contendo 5 campos. Explicado a seguir. Após preenche estes campos siga para a próxima seção, onde será cadastrado o primeiro usuário. 

Host: Refere-se ao endereço do banco, que pode ser um IP ou um endereço web. Ex.: 192.168.138.111, www.bancoxyz.com.br, bd-universidade.edu.br, etc.

User: Nome do usuário com conta válida dentro do servidor de banco de dados; Ex.: jose.augusto, herbario, etc.

Password: Senha do usuário informado no campo anterior Ex.: 123456.

Porta: Informar um IP não é suficiente para descrever um serviço dentro de um servidor. Lembre-se que vários serviço podem estarem funcionando em um mesmo servidor e que eles são diferenciados pela porta.

Ex.: 5432 (Porta Default), 8888, 32147.

Database: Nome da base de dados para onde foi importado as tabelas de relacionamento do software Carolus. Ex.: tabelas, base_dados_herbario.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Cadastrar o primeiro usuário do banco de dados (Administrador) - Identificar-se no formulário de Login - Ser capaz de entender as mensagens de erro e começar com o Carolus

SUB-SEÇÕES: - Cadastrando o primeiro usuário - Identificando-se no Carolus


CADASTRANDO O PRIMEIRO USUÁRIO Ao abrir o programa e clicar no botão de ‘Opções’, na parte inferior do formulário de Login (Imagem de abertura da seção), você será levado ao formulário de configurações do software.

Neste formulário localize o bloco de ‘Configurações de acesso do SGBD’ e clique no botão Cadastrar Administrador. Se o banco de dados não tiver nenhum usuário cadastrado, você será levado ao formulário de cadastro de usuários. Se isto não acontece, a base de dados já tem algum administrador cadastrado ou não foi possível estabelecer uma conexão com o servidor. No último caso, verifique as possibilidades sugeridas e tente novamente.

Para cadastrar um usuário siga para a seção Cadastrando usuários. Nesta seção serão expostos os detalhes do cadastro e como proceder de forma correta.

Quando terminar de cadastrar o administrador, siga para a sub-seção seguinte, que ensina como se identificar no programa.


IDENTIFICANDO-SE NO CAROLUS Para acessar o banco de dados Carolus você deve possuir um registro de usuário, ou conta no banco de dados. Esta conta poderá ser criada pelo administrador do sistema, através da opção ‘Cadastro de Usuários’. Após a criação da conta, informe o CPF, somente os números, e a senha que o administrador lhe passou, nos campos da figura a seguir.

Ao terminar de digitar o CPF, seu nome e o tipo de usuário serão exibidos no bloco acima, juntamente com sua imagem de exibição.

Se isto não aconteceu, 2 problemas podem ter acontecido. Seu CPF não está cadastrado na lista de usuários ou não foi possível encontrar o banco de dados. No primeiro caso, contate o administrador, no segundo verifique as possibilidades informadas. Após informar o CPF, informe a senha e clique no botão ‘Efetuar Login’. Se os dados informados estiverem corretos, o formulário principal será apresentado, conforme detalhado na próxima seção. Se a senha informada não for a correta você poderá tentar novamente quantas vezes for necessário. Se você esqueceu a senha, contate o administrador e peça-o para modificar sua senha.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Entender o significado das imagens e dos dados mostrados no formulário principal - Selecionar base de dados e seguir para opções específicas - Acessar opções e ferramentas tanto por imagens quanto pelo menu principal - Atualizar e modificar os dados e imagens deste formulário.

SUB-SEÇÕES: - Significado das imagens - Menu principal - Outras funções do formulário principal - Modificando as imagens da instituição


DIVISÕES DO FORMULÁRIO PRINCIPAL: Após efetuar o Login, você estará na Tela principal do Software, de onde é possível executar todas as suas ferramentas e opções. Para efeitos práticos, este formulário foi dividido em seis partes distintas, apresentadas a seguir.

MENU PRINCIPAL

Ícones de acesso rápido Seleção de banco de dados Informações do Formulário Informações gerais Links e atualização de versão 

MENU PRINCIPAL: - Menu Principal: Todas as ferramentas do software e opções do mesmo podem ser escolhidas através deste menu. Ele está organizado por bancos - banco de usuários, Exemplares, Xiloteca, Rede de sementes, etc. A descrição do menu deve ser clara e explicitar sua funcionalidade. Ao lado do item do menu, tem seu atalho do teclado.


ÍCONES DE ACESSO RÁPIDO: A seguir a descrição dos ícones de acesso rápido. Note que apenas algumas funcionalidades são contempladas por estes ícones e que as demais somente são acessadas pelo menu principal.

Cadastro de registros (Exemplares) Permite armazena o registro de algum exemplar na base de dados. Após cadastrado, o registro poderá ser visualizado por outros usuários da mesma rede, gerar etiquetas, gráficos ou relatórios.

Atualização de registros (Exemplares) Permite atualizar os dados de algum registro na base de dados, desde que ele tenha sido previamente cadastrado.

Consulta de registros (Exemplares) Consulta simples e avançada de dados. Permite também a visualização de detalhes do registro.

Impressão de etiquetas (Exemplares) Impressão de etiquetas com os dados cadastrados.

Backups, Importação e Exportação de dados Permite efetuar o backup, importação e exportação de dados cadastrados de todas as tabelas de relacionamento do herbário.

Estatísticas do Herbário Geração de gráfico dos mais variados tipos (Barras, Pizza, Linhas, 3D, etc.) dos dados do herbário. Algumas consultas pré-formatadas para geração de gráficos


Geração de relatórios Permite formatar, gerar e imprimir relatórios com os dados cadastrados.

Cadastro de usuários Permite cadastrar usuários que terão permissão de utilizar o sistema. Durante o cadastro dos usuário deve-se restringir o nível de acesso deles.

Atualização de dados dos usuários Permite atualizar os dados de algum usuário, modificar os níveis de acesso deles ou bloquear o acesso ao banco de dados.

Consulta de dados dos usuários Consulta geral sobre os usuários cadastrados no sistema, com informações sobre acessos, cadastro e atualizações.

Manual do usuário Versão do manual do usuário que acompanha o programa.

Cadastro de dados Auxiliares Permite cadastrar dados auxiliares que irão facilitar o cadastro de outros dados. Cadastre Coletores, Determinadores, Expedições, Novas Cidades, etc.

Carolus GIS Sistema de informações geográfica embutido no software. Permite a geração de mapas temáticos, comunicação com o banco de dados, consultas, plotagens e atualizações em massa.


Configurações do software Configura os dados de acesso ao SGBD, links utilizados no programa, endereços de aplicativos, temas do software, além dos diretórios de configuração.

Fecha o programa Fecha o programa, encerrando as ativadades.

Planilha do controle de saída (Coleções vivas/carpoteca) Gera planilhas com a lista de mudas que saíram do viveiro, ou sementes que saíram da carpoteca. Disponível para Rede de Sementes, Viveiro e VIVASF.

Controle de germinação, beneficiamento e saída Consulta simples e avançada de dados. Permite também a visualização de detalhes do registro. Disponível para Rede de Sementes, Viveiro e VIVASF.

Cadastro de registros (Xiloteca) Permite armazena o registro de algum exemplar na base de dados. Após cadastrado, o registro poderá ser visualizado por outros usuários da mesma rede, gerar etiquetas, gráficos ou relatórios.

Cadastro de registros (Rede de sementes) Permite armazena o registro de algum exemplar na base de dados. Após cadastrado, o registro poderá ser visualizado por outros usuários da mesma rede, gerar etiquetas, gráficos ou relatórios.

Cadastro de registros (Viveiro) Permite armazena o registro de algum exemplar na base de dados. Após cadastrado, o registro poderá ser visualizado por outros usuários da mesma rede, gerar etiquetas, gráficos ou relatórios.


Cadastro de registros (VIVASF) Permite armazena o registro de algum exemplar na base de dados. Após cadastrado, o registro poderá ser visualizado por outros usuários da mesma rede, gerar etiquetas, gráficos ou relatórios.

Atualização de registros (Xiloteca) Permite atualizar os dados de algum registro na base de dados, desde que ele tenha sido previamente cadastrado.

Atualização de registros (Rede de Sementes) Permite atualizar os dados de algum registro na base de dados, desde que ele tenha sido previamente cadastrado.

Atualização de registros (Viveiro) Permite atualizar os dados de algum registro na base de dados, desde que ele tenha sido previamente cadastrado.

Consulta de registros (Xiloteca) Consulta simples e avançada de dados. Permite também a visualização de detalhes do registro.

Consulta de registros (Rede de Sementes) Consulta simples e avançada de dados. Permite também a visualização de detalhes do registro.

Consulta de registros (Viveiro) Consulta simples e avançada de dados. Permite também a visualização de detalhes do registro.


Consulta de registros (VIVASF) Consulta simples e avançada de dados. Permite também a visualização de detalhes do registro.

Impressão de etiquetas (Xiloteca) Impressão de etiquetas com os dados cadastrados.

Impressão de etiquetas (Rede de sementes) Impressão de etiquetas com os dados cadastrados.

Impressão de etiquetas (Viveiro) Impressão de etiquetas com os dados cadastrados.

Impressão de etiquetas (VIVASF) Impressão de etiquetas com os dados cadastrados.

Banco de imagens Permite consultar, visualizar e salvar imagens cadastradas em qualquer banco de dado do software.

SELEÇÃO DE BANCO DE DADOS Para selecionar outro banco de dados que não seja a base principal (exemplares), clique nas caixas de seleção com o nome correspondente a base de dados que você deseja utilizar. Note a mudança dos ícone na parte superior e mudança de informações específicas da base de dados.


INFORMAÇÕES DO FORMULÁRIO Ao movimentar o mouse sobre o formulário principal ,note que a ‘’Descrição do item’ muda sua informação, dizendo que o que significa a área na qual o mouse esta com o cursor e os tipos de usuário que podem acessar aquela funcionalidade.

INFORMAÇÕES GERAIS Estas duas tabelas mostram os dados gerais (esquerda) e específicos (direita) do herbário. Para atualizar os dados gerais clique no botão na parte superior direta da tabela a esquerda. Para atualizar ou visualizar os dados específicos de uma base de dados, apenas clique na caixa de seleção do banco desejado.

LINKS E ATUALIZAÇÃO DE VERSÃO Nesta área do formulário principal você poderá colocar as imagens e os links dos sítios web das instituições correspondentes. Esta área também é responsável por informar se o software está desatualizado. Caso esteja, clique sobre o nome desatualizado para baixar a versão mais recente. Ao clicar sobre o rótulo ‘desatualizado’, será exibido a lista de atualizações.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Cadastrar Registros na base do Herbário - Utilizar as ferramentas de cadastro para auxiliar e torna mais rápido o cadastro; - Utilizar os recursos integrados ao formulário de cadastro.

SUB-SEÇÕES: - Como cadastrar registros no herbário? - Ferramentas de cadastro - Sistema de informações Geográficas - Banco de imagens


Acessando o formulário de cadastro: Para acessar o formulário de cadastro de dados do Herbário, inicialmente selecione o banco de dados Herbário, na tela principal, na divisão ‘Seleção de Banco’, apresentada na seção anterior. Logo após clique no ícone para cadastrar Registros no Herbário. Se você tiver autorização para cadastrar registro na base do herbário o formulário de cadastro será apresentado. Caso contrário, um aviso será exibido e você deverá entrar em contato com algum administrador do banco para e solicitar autorização para cadastrar registros.


Cadastrando dados O cadastro de dados é uma das funcionalidade mais importante deste software, uma vez que os dados fornecidos neste momento serão utilizados para fazer consultas, gerar gráficos, mapas e relatórios. Os erros cadastrados irá prejudicar todas essas funcionalidades. Estes erros podem ser corrigidos utilizando a atualização de dados, na seção seguinte, contudo é altamente recomendado verificar todas as informações antes de cadastrar. O cadastro de dados é dividido por blocos, para facilitar a inserção de informações, contudo, os dados podem ser fornecidos em qualquer ordem. Inicialmente forneça os dados referentes a identificação do registro. Ao digitar a primeira letra dos campos ‘Família’, ‘Gênero’, ‘Espécie’ e ‘Autor’ uma lista de opção será exibida. Escolha aquela que representa a informação desejada e passe para o campo seguinte. O campo autor tem uma exclamação (!) ao final da caixa de texto, indicando que ao pressionar a tecla <ALT> será exibida uma lista de opções. Essas opções do campo autor permite consultar o site ‘The International Plant Names Index (IPNI)’ e verificar se o ‘Autor’ da espécie está correto. Pode acessar o site pela página principal ou enviar uma consulta automática por gênero e/ou espécie ao site. O cadastro dos campos de ‘Infra-espécie’ é opcional. Para cadastrar essa informação marque a caixa de seleção ao lado do campo ‘Infra-espécie’ e selecione, através de um clique com o mouse ou da tecla <ALT>, a categoria (var. ou subsp.) da espécie.

O bloco seguinte refere-se as informações do local de coleta. Deve-se informar os dados de ‘País’, ‘Estado’ e ‘Cidade’ de coleta na ordem de maior para menor grandeza. Por padrão o país é selecionado como ‘Brasil’. Ao selecionar um país a lista de Estados/Províncias daquele lugar é carregado no bloco de seleção de ‘Estados’. Ao selecionar um ‘Estado’ a lista de ‘Cidades’ é carregada no respectivo campo. Por esta razão deve-se selecionar as informações nesta ordem. No campo ‘Local de coleta’ especifique o local onde o registro foi coletado dentro da cidade. Note que no final do campo ‘Local de coleta’ existe uma exclamação (!), indicando que ao pressionar a tecla <ALT> uma lista de locais já cadastrados será exibido.


Cadastrando dados As informações mais importantes do bloco de ‘Localização da coleta’ são a ‘Latitude’, ‘Longitude’ e a ‘Altitude’. Com elas é possível recuperar as outras informações, como estado e cidade, gerar mapas e auto-completar informações de ‘Solo’, ‘Bioma’, ‘Fitofisionomia’ e ‘Área Prioritária’. Algumas ressalvas devem ser feitas antes de coloca as coordenadas.

Os campos ‘Latitude’ e ‘Longitude’ são referenciados em relação ao Hemisfério Sul (abaixo da linha do Equador) e ao Hemisfério Ocidental (oeste do meridiano de Greenwich). Se o registros foi coletado no Hemisfério Norte (acima da linha do Equador) a ‘Latitude’ deve ter o sinal de menos (-). Para alterar o sinal do número, por padrão positivo, clique no símbolo (+), no final da caixa de texto do referido campo, ou tecle <ALT>. Se o registros coletado no Hemisfério Oriental (ao leste do meridiano de Greenwich) a ‘Longitude’ deve ter o sinal de menos (-). Para alterar o sinal do número, por padrão positivo, clique no símbolo (+), no final da caixa de texto do referido campo, ou tecle <ALT>. Quando inseridos os dados nos campos Latitude e Longitude não devem ser digitados os símbolos de graus (°), minutos (') ou segundos (“), pois o sistema faz isso automaticamente para o usuário. Caso o usuário insista em colocar algum desses símbolos, estará implantando um erro no repositório de dados. Para melhor orientação, considere o mapa-múndi ilustrado abaixo, com a respectiva combinação de sinais (Latitude | Longitude).


Cadastrando dados

Para ilustrar o que foi dito anteriormente acompanhe o exemplo da Praça da Republica, que fica na cidade de São Paulo. Primeiramente, olharemos o mapa abaixo e confirmaremos que a cidade de São Paulo está no Hemisfério Sul e no Hemisfério Ocidental. Sabendo as coordenadas de Praça da Republica, colocaremos essa coordenadas no software da seguinte forma:  

Latitude: 23° 32' 36.57" S Longitude: 46° 38' 33.62" W

Por outro lado a Torre Eiffel, na França, encontra-se nos Hemisférios Norte e Oriental (Consulte o mapa caso tenha alguma dúvida).  

Latitude: 48º 51' 29.28” N Longitude: 02° 17' 39.26” E

Ao digitar as coordenadas é possível ver a localização no Google Maps ™, clicando no botão com o símbolo do Google.


Cadastrando dados

O bloco seguinte refere-se as informações específicas da coleta, como o Coletor, número de coleta e data de coleta.

Comece informando o ‘Coletor’ do registro. O coletor deve ser seleciona na lista disponível. Para cadastrar um novo coletor clique no botão com ‘+’ verde no final do campo e digite o nome do coletor. Ao selecionar o ‘Coletor’ o próximo número de coleta disponível na base de dados será carregado no campo ‘Número de coleta’. Este número pode ser alterado, desde que não seja informado um número de coleta repetido.

Informe a data de coleta do registro no formato dia/mês/ano. A data pode ser colocada via teclado ou através do mouse, clicando-se na seta ▼. Um calendário indicará com um círculo vermelho a data atual da máquina na qual está instalado o programa, e por isso a informação poderá ser falsa. Neste bloco escolha a data em que foi coletado o registro - através das setas ◄ e ► para mudar o mês e o ano, e clicando no dia correspondente para fechar o bloco e armazenar a data. Se a data foi escolhida errada, a mesma poderá ser alterada, através do mesmo procedimento, quantas vezes for necessário. Pode-se economizar tempo clicando no ano e no mês para mudá-los mais facilmente, conforme ilustrado a seguir.


Cadastrando dados Informe, se houve, os ‘Outros coletores’ do registro. Note que este campo também tem a exclamação (!) no final da caixa de texto, indicando que quando a tecla <ALT> for pressionada, uma lista de opções com os nomes de coletores será exibida. Essa lista terá caixas de seleção. Marque os ‘Outros coletores’ da registro e eles serão adicionador automaticamente a caixa de texto.

Informe o ‘Determinador’ da espécie e a ‘Data de determinação’, utilizando os conceitos anteriores de coletor e data de coleta. Para adicionar um novo determinador clique no ‘+’ verde no fim do referido campo, com o procedimento análogo à adição de coletores. Se o registro não possuir um ‘Determinador’ selecione a primeira opção, ‘Espécie Indeterminada’. Perceba que o campo ‘Data de determinação’ agora está indisponível, já que não houve a terminação. Finalize este bloco informando as ‘Duplicatas’. O número de ‘Duplicatas’ do registro deve ser alterado através da setas ▼ e ▲, mantendo o valor ‘zero’ caso o exemplar seja único e acima disso caso não seja. Por exemplo, se tivermos três amostras de um mesmo exemplar coletado, deveremos clicar duas vezes na seta ▲ e alterar o número de duplicatas para dois. Lembre-se que o primeiro não conta como duplicata.

Continue informando os dados dos outros campos, utilizando os conceitos desenvolvidos anteriormente. Os campos ‘Áreas Prioritárias’, ‘Tipo de solo’, ‘Fitofisionomia’ e ‘Bioma’ podem ser preenchidos automaticamente ao teclar-se ‘Enter’ nos campos de ‘Latitude’ ou ‘Longitude’, após fornecer as coordenadas do local de coleta do registros. Os campos ‘Número nas Parcelas’ e ‘Número de Matrizes’ aceitam somente valores numéricos. Por padrão, os campos têm valor zero.


Cadastrando dados

No final do formulário de cadastro de dados existe uma área reservada para o Sistema de Informações Geográfica (SIG) do software Carolus. Este sistema é responsável por capturar as informações de ‘Solo’, ‘Fitofisionomia’, ‘Áreas prioritárias’ e ‘Biomas’ com base nas coordenadas fornecida e plotar o ponto de coleta (Ao teclar ‘Enter’ nos campos de ‘Latitude’ ou ‘Longitude’), validando a informação. Ao clicar com o botão direito sobre essa área uma lista de opções será exibida. Um resumo de cada uma desta funcionalidades será apresentado a seguir.

Resumo das funcionalidade: 

Zoom: Permite aumentar a escala de visualização do mapa. Para utilizar clique na opção e note que a seta do mouse transformou-se em uma lupa. Clique e segure com o botão esquerdo, arrastando a área de seleção para direita e para baixo do ponto desejado para obter o zoom. Para diminuir o zoom faça o movimento em sentido contrário (Esquerda e para cima).

Arrasto: Após aplicar o zoom o mapa ficará maior que a área reservada para ele. Para mover, ou “arrastar” o mapa na vertical ou horizontal, mantendo o zoom definido, clique em arrasta e movimente o mouse com o botão esquerdo pressionado para movimentar o mapa.


Resumo das funcionalidade: 

Normal: Nenhuma funcionalidade, apenas a seta padrão do mouse

Mostrar tudo: Encaixa o mapa na área disponível, retirando todo o zoom.

Exibir informações ao clique: Mostra todas as informações do ponto no mapa onde foi clicado.

Salvar mapa: Salva o mapa em formato de imagem.

Colorir mapa: Aplica cores ao mapa.

Descolorir: Retira as cores adicionada ao mapa.

Capturar dados para...: Utiliza o mapa em exibição e o campo de trabalho para atribuir a informação para algum dos campos selecionados.

Campo de Trabalho: Informa qual informação do mapa será utilizada para devolver de informações.


Cadastrando dados

Para modificar o mapa em exibição clique um dos mapas disponíveis no canto inferior esquerdo do formulário. Com um novo mapa, novos campos de trabalho são gerados.

A inserção e remoção de imagens para o registro é feito através do botões ‘Inserir Imagem’ e ‘Remover Imagem’. Cada registro pode ter quatro imagens. As imagens são listas do canto inferior esquerdo do formulário. Os nomes das imagens são temporários até o cadastro do registro. Após o cadastro a imagem receberá um nome definitivo, no formato “Ex_TOMBO_Ft_NUMERO_FOTO” .

Para finalizar o cadastro de dados clique em ‘Cadastrar Exemplar’. Deverá ser apresentada uma tela pedindo para confirmar os dados. Se esta tela não apareceu, algum campo faltou ser preenchido e o aviso para completar essa informação será exibido.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Atualizar Registros na base de dados do Herbário; - Adicionar Lembretes aos registros

SUB-SEÇÕES: - Como atualizar registros no herbário? - Como adicionar lembretes e importar consultas?


Acessando o formulário de cadastro: Para acessar o formulário de atualização de dados do Herbário, inicialmente selecione o banco de dados Herbário, na tela principal, na divisão ‘Seleção de Banco’, apresentada na seção anterior. Logo após clique no ícone para Atualizar Registros no Herbário. Se você tiver autorização para atualizar registro na base do herbário o formulário de atualização será apresentado. Caso contrário, um aviso será exibido e você deverá entrar em contato com algum administrador do banco e solicitar autorização para atualizar registros.


Como atualizar dados? A atualização de dados permite corrigir erros inseridos durante o cadastro, atualizar campos e enriquecer as informações fornecidas. Para atualizar um registro, informe o ‘Número de Tombo’ do registro desejado no campo ‘Exibir dados do Registro’ e tecle <ENTER> ou clica no botão ao lado OK. Se o registro não existir, um aviso será exibido e você deverá tentar um número menor. Após digitar um número válido, os dados do registro serão carregados em um formulário semelhante ao de cadastro. Siga os mesmo passos e as mesmas recomendações para atualizar as informações, clicando em ‘Alterar dados do exemplar’ para atualizar as informações e finalizar o processo. Se nenhum campo estiver incorreto, a mensagem de ‘Registro atualizado com sucesso!’ será exibida. As ferramentas disponíveis para o cadastro e o banco de imagens também estão disponíveis neste formulário com o mesmo funcionamento. Os campos ‘Coletor’ e ‘Número de coleta’ não podem ser modificados, exceto por administradores.

Como adicionar lembretes e importar consultas? É possível cadastrar lembretes para o registros, para visualizá-los durante a consulta. Para isso clique sobre o botão ‘Lembretes do registro’ e digite o lembrete, no campo de texto, clicando em ‘OK’ ao final. Após executar uma consulta e exportar a mesma (Consulte a seção se consultas para mais informações) é possível importar a consulta, clicando no botão ‘Importar Consulta’ e utilizar as setas para avança ou retroceder o número de tombo encontrado na consulta, mesmo eles não estando em seqüência. Use esta opção para atualizar vários registros que não estão em seqüência, sem ter digitar número por número.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Cadastrar usuários; - Atribuir níveis de acesso para os usuários cadastrados

SUB-SEÇÕES: - Como cadastrar usuários? - Como atribuir níveis de acesso aos usuários cadastrados?


Como cadastrar usuários? Para acessar o formulário de cadastro de usuários que das bases de dados do software clique no ícone para Cadastro de usuários. Se você tiver autorização para cadastrar usuários, o formulário de cadastro será apresentado. Caso contrário, um aviso será exibido e você deverá entrar em contato com algum administrador do banco e solicitar autorização para cadastrar usuários.


Como cadastrar usuários? Para cadastrar um usuário informe os dados dele, começando por nome e logradouro. Informe o ‘País’, ‘Estado’ e ‘Cidade’ em que o usuário reside atualmente, começando do mais abrangente para o menos abrangente.

Continue informando o ‘Telefone’ e ‘Data de Nascimento’. Informe a data no formato dia/mês/ano. A data pode ser colocada via teclado ou através do mouse, clicando-se na seta ▼. Um calendário indicará com um círculo vermelho a data atual da máquina na qual está instalado o programa, e por isso a informação poderá ser falsa. Neste bloco selecione a data de nascimento do usuário - através das setas ◄ e ► para mudar o mês e o ano, e clicando no dia correspondente para fechar o bloco e armazenar a data. Se a data foi escolhida errada, a mesma poderá ser alterada, através do mesmo procedimento, quantas vezes for necessário. Podese economizar tempo clicando no ano e no mês para mudá-los mais facilmente, conforme ilustrado a seguir.

O usuário deve ter mais de 18 anos para utilizar o sistema. Solicite ao usuário uma senha e repita no campo correspondente. Informe o ‘CPF’ (sujeito a validação) e o ‘E-Mail’ do usuário.


Como atribuir níveis de acesso aos usuários cadastrados? Antes de cadastrar o usuário é necessário definir o ‘Tipo de usuário’: ‘Administrador’ ou ‘Usuário privilegiado’. Além disso, deve-se definir o que os usuário poderão acessar. Usuário Administradores podem acessar qualquer funcionalidade do software, cadastrar outros usuários, excluir registros, fazer backups de sistema e modificar informações das bases de dados. Os administradores e os usuários poderão ter níveis de acesso diferenciados e limitados através das caixas de seleção de permissões. Use-a para proibir que todo administrador faça backups e que os usuários privilegiados tenham acesso a todas as bases de dados.

Para finalizar o cadastro, o usuário poderá ter uma foto, que será exibida ao fazer o Login no sistema. Clique nos botões ‘Adicionar imagem’ ou ‘Remover imagem’ para adicionar ou remover imagens respectivamente. Para finalizar o cadastro clique em ‘Cadastrar usuário’.

Para bloquear usuário siga para a próxima seção, ‘Atualizando dados e bloqueando Usuários’. O cadastro de usuário não permite dois usuários com o mesmo CPF.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Atualizar dados de usuários cadastrados; - Bloquear e modificar os níveis de acesso para os usuários cadastrados

SUB-SEÇÕES: - Como atualizar dados e bloquear os usuários?


Como atualizar dados e bloquear os usuários? Para acessar o formulário de atualização dados e bloqueio de usuários das bases de dados do software clique no ícone para Atualização de dados usuários. Se você tiver autorização para acessar essa funcionalidade, o formulário desejado será apresentado. Caso contrário, um aviso será exibido e você deverá entrar em contato com algum administrador do banco e solicitar autorização para atualizar dados de funcionários usuários.

Se um Usuário privilegiado tentar acessar essa funcionalidade, a tela a seguir será exibida. Esta tela permite a modificação da imagem de exibição, além de mostrar as informações de acesso do usuário.


Como atualizar dados e bloquear os usuários? Para atualizar os dados de qualquer usuário inicialmente escolha uma opção na caixa de seleção ‘Nome – CPF’. Após a escolha os dados do usuário selecionado serão carregados em um formulário semelhante ao de cadastro de usuários. Qualquer informação dos usuários pode ser modificada, exceto o CPF. Note que neste formulário aparece mais um campo, o ‘Status de acesso’. Este campo permite bloquear usuário na tela de Login.

Para finalizar a atualização de dados clique em ‘Alterar dados’.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Entender o que são e como funciona os dados auxiliares; - Cadastrar e deletar dados auxiliares;

SUB-SEÇÕES: - O que são dados auxiliares? - Como cadastrar e deletar dados auxiliares?


O que são dados auxiliares? Os dados auxiliares são utilizados durante o cadastro de registros na base de dados, independente do banco (Herbário, Rede de sementes, Xiloteca, Viveiro ou Coleção Viva). Estes dados são as listas de ‘Famílias’, ‘Gêneros’, ‘Espécies’, ‘Autores’, ‘Coletores’, ‘Determinadores’, ‘Doações’, ‘Expedições’, ‘Estados’ e‘Cidades’ mostradas durante o cadastro de dados. Para acessar essa funcionalidade clique ilustrado a seguir, em forma de pasta. Apenas administradores podem utilizar esta função.

Como cadastrar e deletar dados auxiliares? Para cadastrar ‘Coletores’, ‘Determinadores’, ‘Doações’ e ‘Expedições’ digite o valor do campo desejado e clique no botão ‘Adicionar’. Para remover qualquer valor, clique na informação desejada, na lista disponível, e por fim clique em ‘Remover’, confirmando a exclusão. Cidades e estados são cadastrados de forma semelhante, contudo deve-se clicar no ‘País’, no ‘Estado’, caso já tenha sido cadastrado, e só por fim informar o nome da ‘Cidade’. O cadastro de ‘Estados’ só é possível junto com uma ‘Cidade’, isto é, para cadastrar um estado, deve-se cadastrar a cidade dele, cadastrando ‘Cidade’ e ‘Estado’ ao mesmo tempo.


Como cadastrar e deletar dados auxiliares? Para cadastrar ‘Famílias’, ‘Gêneros’, ‘Espécies’ e ‘Autores’ mude para a aba ‘Base de espécies’, no canto superior esquerdo. Para exibir a lista de ‘Famílias’ disponíveis, escolha o grupo de Plantas desejado (‘Algas’, ‘Angiospermas’, etc.) e espere a lista ser carregada. Para exibir a lista de ‘Gêneros’ de uma ‘Família’, clique sobre a ‘Família’ desejada e espera a lista de ‘Gêneros’ ser carregada. Este mesmo procedimento deve ser repetido para ‘Espécies ’ e ‘Autores’. Após selecionar uma ‘Família’ é possível carrega toda a lista de ‘Espécies’ pertencentes àquela ‘Família’. Para isso clique no botão ‘Mostrar espécies’. Com a lista carregada é possível atualizar ou deletar as espécies selecionadas no bloco de exibição. Para cadastrar novas espécies, selecione o grupo ao qual pertence a espécie desejada, e forneça os dados da espécie nos campos no fundo do formulário. Ao final clique no botão ‘Adicionar’. A espécie adicionada deverá aparecer nas lista de todos os banco a partir desse momento.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Gerar etiquetas dos registro cadastrados; - Modificar partes da etiquetas e alterar o formato de exibição.

SUB-SEÇÕES: - Como gerar etiquetas?


Como gerar etiquetas? Após cadastrar um registros você provavelmente desejará gerar a etiqueta da coleta. Para acessar essa funcionalidade clique ilustrado a seguir, em forma de impressora. Caso não tenha permissão para utilizar essa funcionalidade consulte um administrador do sistema.

Após clicar no ícone o formulário de geração de etiquetas será exibido. Note que um rótulo em vermelho está indicando os passos para geração da etiqueta. O ‘Passo 1’ é preciso informar o registro que serão geradas as etiquetas; o ‘Passo 2’ é necessário carregar os dados; o ‘Passo 3’ gera-se as etiquetas.


Como gerar etiquetas? O passo 1 (Informar os registros desejados para geração das etiquetas) pode ser feito de quatro formas: (1) Informando os números individualmente no campo de texto ‘Número(s) de tombo’, teclando <ENTER> ou o botão ‘Adicionar’ ao fim da digitação (Por exemplo, 2 4 6 8 10 12); (2) Adicionando um intervalo de número desejados (Por exemplo, do 1 ao 100) no campos de texto ‘Número de tombo de’; (3) Informando o coletor e os números de coletas desejado; (4) Importando os números do formulário de consultas.

Os números de tombos podem ser adicionados um a um, ou vários de uma única vez, como ilustrados nas figuras a seguir. Este mesmo raciocínio serve para os números de coleta. Ao adicionar um número de tombo ele ficará armazenado na lista de registros, no lado esquerdo do formulário. Esta lista pode ser apagada, clicando-se no botão ‘Limpar lista de registros’, que apagará todos os números ou apenas alterada, selecionando-se o número do registro indesejado e clicando no botão ‘Apagar registro selecionado’.

O número de etiquetas é sempre gerado de acordo com o número de duplicatas. Algumas vezes é desejável gerar apenas uma etiqueta por registro, independente do número de duplicatas. Para isso marque a caixa de seleção ‘Não gerar duplicatas’. Etiquetas com muita informação serão cortadas. Para evitar isso marque a opção ‘Forçar impressão completa’. Esta opção não faz o melhor uso do papel A4 de impressão, pois imprime no máximo 2 etiquetas por folha.


Como gerar etiquetas? Após informar os números desejados para a geração de etiquetas, verifique se o Cabeçalho, textos após o cabeçalho (Projeto) e o Rodapé estão corretos, modificando os campos de texto caso não estejam. A utilização do texto de Projeto e Rodapé é opcional, podendo ser removido ou adicionado através das caixas de seleção no final do textos. O Passo 2 é executado automaticamente ao pressionar o botão ‘Exibir dados’. Após isto as informações do registro serão carregadas em uma grade de células e o botão ‘Gerar etiquetas’, que estava desabilitado, estará disponível. Finalize o Passo 3 clicando no botão ‘Gerar etiquetas’. A tela de impressão de etiquetas será exibido após isto.

Para corrigir pequenos erros clique duas vezes na célula com a informação incorreta e clique em ‘Gerar Etiquetas’ novamente para mostrar o dado modificado já na etiqueta. Entretanto, evite fazer isso, corrija o problema no banco e não na célula.


Como gerar etiquetas? Após clicar no botão ‘Gerar Etiquetas’ será exibido um formulário de impressão com as etiquetas desejadas. Este formulário possui um barra de ferramentas, cuja funcionalidade de cada ícone é apresentada quando o usuário descansa o mouse no desenho do ícone. Os principais botões e suas funções são:

Imprimir

Exportar

Pesquisar

Gerar PDF


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Executar consultas simples e avançadas; - Exportar pesquisas; - Agrupar dados; - Visualizar o histórico de alterações.

SUB-SEÇÕES: - Como executar consultas simples? - Como executar consultas avançadas?


Como executar consultas simples? Após cadastrar um registros ele se torna pesquisável por qualquer informação fornecida durante o cadastro. Para pesquisa clique nos ícones em forma de lupa, presente em qualquer base de dados. Caso não tenha permissão para utilizar essa funcionalidade consulte um administrador do sistema.

Após clicar no ícone o formulário de consultas será exibido. Este formulário pode ser dividido em cinco partes para torna-se mais didático.

Alcance da consulta Consultas Simples

Consultas Avançadas Ações

Formatação do resultado Consultas prontas e opções


- Como executar consultas simples? A forma mais simples de executar uma pesquisa é filtrando-a por número de tombo/registro. Este filtro pode ser executado por intervalo de tombo, ou seja entre um número e outro, ou por um número específico de tombo.

Para filtrar uma consulta por intervalo de tombo digite o inicio e o fim do intervalo, nas caixas de textos correspondentes, e clique no botão ‘Executar Pesquisa’. Verifique que o circulo de seleção ao lado do rótulo ‘Número de tombo entre’ está destacado dos demais. Após clicar no botão recomendado os resultados serão exibidos em forma de grande com células na parte inferior do formulário, juntamente com a quantidade de resultados, famílias, gêneros e espécies encontradas.

O mesmo raciocínio apresentado anteriormente serve para o tombo específico. Uma consulta realizada sem adição de restrições trará todos o registros cadastrado como resultado, o que pode levar muito tempo. O mecanismo apresentado aqui é muito simples e por isso é necessário apresentar formas mais avançadas de realizar consultas. Ao realizar uma consulta sempre verifique se o ‘Alcance da consulta’ não está restringindo os resultados de sua busca.


- Como executar consultas simples? Para executar pesquisas com mais restrições utilize o segundo bloco do formulário de consultas, responsável pelas buscas simples. Este bloco permite adicionar restrições de ‘Família’, ‘Gênero’, ‘Espécie’, ‘Estado’, ‘Cidade’ e ‘Coletor’. Para adicionar qualquer restrição, marque a caixa de seleção próxima ao rótulo do campo desejado e escolha o valor ao qual será restrito a consulta, na lista que será carregado. Para exibir uma lista com todos os registros da família ‘Fabaceae’, selecione a caixa de marcação ‘Família’ e escolha o valor ‘Fabaceae’ na lista disponível. Verifique que o alcance da pesquisa está marcado em ‘Todos os registros’. Por fim, clica-se no botão ‘Executar Pesquisa’.

Se desejarmos filtrar ainda mais a consulta, restringindo o estado de coleta para ‘Bahia’, marca-se a caixa de seleção ‘Estado (UF)’ e escolhe-se o valor ‘Bahia’. Deve-se manter a restrição do campo ‘Família’ e clicar novamente no botão ‘Executar Pesquisa’. Note a modificação do número de resultados.


- Como executar consultas simples? As restrições adicionadas no bloco de consultas simples são acumuladas, filtrando cada vez mais a consulta. Este acumulo funciona como um operador lógico ‘E’. Para o exemplo anterior, tem que “Se a família for ‘Fabaceae’ E o estado de coleta for ‘Bahia’, mostre o registro.”. A restrição de cidade só estará disponível após restringir a consulta em ‘Estados’. Ao restringir uma consulta a ‘Coletor’ é possível selecionar os ‘Números de Coleta do ‘Coletor’ selecionado, clicando-se botão com uma interrogação. Pressione <ESC> para esconder a caixa de seleção de ‘Números de coleta’.

- Como executar consultas avançadas? A consulta simples tem várias limitações, dentre elas:

A impossibilidade de utilizar os diversos campos de cadastro do registro;

Não permitir adicionar vários valores para um mesmo campo {Fabaceae, Poaceae, etc.};

Fazer buscas apenas do tipo “Campo = Valor”, desconsiderar o “diferente” e o “contendo”;

Utilizar apenas o operador “E”. O terceiro bloco do formulário de consulta tem por objetivo resolver os problemas identificados acima. Para utilizá-lo marque a caixa de seleção ao lado do rótulo ‘Campo para filtro’.


- Como executar consultas avançadas? As consultas avançadas são feitas por adição de restrições. A adição é realizada através de três passos simples: 1.

Selecionar o campo desejado para o filtro;

2.

Escolher o operador para o campo;

3.

Adicionar o valor desejado para o filtro.

No passo 1 é necessário informar qual o campo desejado para o filtro. Todos os campo informados durante o cadastro estão disponíveis. No passo 2 deve-se escolher o operador que irá atuar sobre o campo. No passo 3 deve-se informar o valor desejado para o filtro, respeitando as regras dos operados. Ao finalizar os três passos clique no botão ‘Adicionar Restrição’ e verifique que o valor foi adicionado na ‘Listas de restrições’. Use o botão ‘Remover Restrições’ para apagar todas as restrições adicionadas, ou o botão ‘Remover Seleção‘ para remover somente a restrição selecionada. Para executar pesquisas avançadas deve-se entender o funcionamento dos operadores, que serão explicados a seguir.


Igual a

Descrição

Operação

Permite consultar registros com a condição “Campo = Valor”. O valor digitado deve ser idêntico ao valor desejado. ‘Fabaceae’ é entendido diferente de ‘fabaceae’ por este operador.

Uso Correto

“Família = Cactaceae”, “Coletor= J.A. Siqueira-Filho”, “Bioma = Caatinga” são exemplos de consultas corretas.

Diferente de

Descrição

Operação

Permite consultar registros com a condição “Campo ≠ Valor”. O valor digitado deve ser idêntico ao valor indesejado. ‘Fabaceae’ é entendido diferente de ‘fabaceae’ por este operador.

Uso Correto

“Família ≠ Cactaceae”, “Coletor ≠ J.A. Siqueira-Filho”, “Bioma ≠ Caatinga” são exemplos de consultas corretas.

Listado em

Descrição

Operação

Permite consultar registros com a condição “Campo = {Valor 1, Valor 2, Valor 3, ...}”. Mostra todos os registros que possuem o campo selecionado igual ao conjunto de valores informado. O valor digitado deve ser idêntico ao valor indesejado. ‘Fabaceae’ é entendido diferente de ‘fabaceae’ por este operador.

Uso Correto

“Família = {Cactaceae, Poaceae, Bromeliaceae}”, “Coletor = {J.A. Siqueira-Filho, M.M. Coelho}”, “Bioma = {Caatinga, Cerrado}” são exemplos de consultas corretas.

Não Listado em

Descrição

Operação

Permite consultar registros com a condição “Campo ≠ {Valor 1, Valor 2, Valor 3, ...}”. Mostra todos os registros que não possuem o campo selecionado igual ao conjunto de valores informado. O valor digitado deve ser idêntico ao valor indesejado. ‘Fabaceae’ é entendido diferente de ‘fabaceae’ por este operador.

Uso Correto

“Família ≠ {Cactaceae, Poaceae, Bromeliaceae}”, “Coletor ≠ {J.A. Siqueira-Filho, M.M. Coelho}”, “Bioma ≠ {Caatinga, Cerrado}” são exemplos de consultas corretas.


Contendo

Descrição

Operação

Permite consultar registros com a condição “Campo ≈ Valor”. Este operador faz consultas por pedaços do valor do campo, sem a necessidade de informa o valor desejado completo e correto. Para consultar os registros da família ‘Fabaceae’ poderíamos simplesmente digita ‘fab’ ou ‘faba’. Note que os registros cuja Família tenha o conteúdo ‘fab’ serão incluídos na consulta, mesmo que não forem necessariamente da família Fabaceae. A família ‘Fabroniaceae’ é um exemplo disto. Para resolver este problema adicione mais um caractere, consultando por ‘faba’.

Uso Correto

“Família ≈ cacta”, “Coletor ≈ siqueira”, “Bioma = caatinga” são exemplos de consultas corretas.

Não Contendo

Descrição

Operação

Permite consultar registros com a condição “Campo ≠≈ Valor”. Este operador faz consultas que não contenham pedaços do valor do campo, sem a necessidade de informa o valor desejado completo e correto. Para consultar os registros que não sejam da família ‘Fabaceae’ poderíamos simplesmente digita ‘fab’ ou ‘faba’. Note que os registros cuja Família tenha o conteúdo ‘fab’ serão excluídos da consulta, mesmo que não forem necessariamente da família Fabaceae. A família ‘Fabroniaceae’ é um exemplo disto. Para resolver este problema adicione mais um caractere, consultando por ‘faba’.

Uso Correto

“Família ≠≈ cacta”, “Coletor ≠≈ j.a. siqueira”, “Bioma ≠≈ caatinga” são exemplos de consultas corretas.

Maior que

Descrição

Operação

Permite consultar registros com a condição “Campo > Valor”. Pode ser utilizado em campo com datas e valores numérico, como número de tombo.

Uso Correto

“Número de tombo > 5820”, “Número de coleta > 1500”, “Data de coleta > 12/08/2000” são exemplos de consultas corretas.


Menor que

Descrição

Operação

Permite consultar registros com a condição “Campo < Valor”. Pode ser utilizado em campo com datas e valores numérico, como número de tombo.

Uso Correto

“Número de tombo < 5820”, “Número de coleta < 1500”, “Data de coleta < 12/08/2000” são exemplos de consultas corretas.

Abre e fecha parênteses

Descrição

Operação

Permite fechar a consulta às condições importas com parênteses matemático. Imagine que você deseje consulta todos os registros do coletor J.A. Siqueira-Filho cujo número de coleta seja menor que 1500 e os registros do coletor Marcondes Oliveira cujo número de coleta seja maior que 4000. Sem o uso de parênteses essa consulta não é possível pois existe dois campos simultâneos (Coletor e Número de coleta) com dois valores distintos. A consulta neste caso traria todos os números do Coletor Marcondes Oliveira menor que 1500 e os números do Coletor J.A. Siqueira-Filho maior que 4000 junto com os registros desejados. Por isso é necessário o uso de parênteses, como segue: (Coletor=J.A. Siqueira-Filho E Numero de Coleta < 1500) OU (Coletor=Marcondes Oliveira E Numero de Coleta > 4000)

Uso Correto

Selecionar o operador parênteses e adicionar a restrição, sem colocar o campo para filtro.

Após adicionar a primeira restrição é possível informar como será ligado à próxima restrição, isto é, através do operador (E) ou (OU). O operador (E) obriga o registro a obedecer ambas as restrições, enquanto o operador (OR) a apenas um delas. O exemplo do uso de parênteses acima não traria resultados se fosse ligado somente por operador (E), uma vez que nenhum registro será coletado por J.A. Siqueira-Filho e Marcondes Oliveira simultaneamente. O operador (OU) pode ser utilizado para trazer resultados que obedeçam a uma das restrições. Para entender melhor o uso deste operador: Número de tombo = 500 OU Número de tombo 700 OU Número de 800 trará 3 resultados, enquanto Número de tombo = 500 E Número de tombo 700 E Número de 800 trará zero resultados.


- Como executar consultas avançadas? Para praticar os conceitos os conceitos abordados anteriormente considere as consultas a seguir.

Quais os registros do coletor J.A. Siqueira Filho, coletado nos estados da Bahia e Pernambuco, com número de tombo maior que 1500, contendo o termo Árvore nas observações.

Utilize o conhecimento adquirido nesta seção para executar consultas complexas e diminuir e tempo para realizar atividades no software. Diversas funcionalidades deste programa depende de como as consultas são executas.


- Como executar consultas avançadas? Agora que você já sabe executar consultas simples e avançadas você poderá formatar a saída, como exibir somente os campos que você realmente precise e organizar os resultados por uma informação que não seja o número de tombo ou número de registro. Por padrão todos os campos são exibidos na consulta. Localize o bloco ‘Exibir campos’ no lado direito no fundo do formulário e marque os campos que você deseja que apareçam na busca. Uma forma fácil de fazer esta ação é desmarcando os campos desejado e clicar no botão ‘Inverter seleção’. Para organizar a consulta por um campo que não seja o ‘Número de Tombo’, localize o bloco de escolhas para ordenação, abaixo dos campos que serão exibidos após a consulta, e selecione o campo pelo qual as consultas serão ordenadas. No final do formulário existe um uma caixa de seleção com consultas prontas. Ao selecionar a consulta ela será executada imediatamente.


- Como executar consultas avançadas? Para finalizar esta seção, os botões de ação no centro do formulário serão apresentados e explicados.

Exportar para Excel: Exporta a consulta realizada para o programa Microsoft Excel.

Histórico de alterações: Mostra quando e quem modificou o registro selecionado.

Dados por agrupação: Agrupa os dados encontrados por valores distintos.

Exportar Pesquisa: Exporta a consulta realizada para os diversos formulários do software, permitindo criar etiquetas, atualizar dados , gerar mapas e relatórios com os resultados das consultas.


- Como executar consultas avançadas? Após realizar uma consulta e clicar no botão ‘Exportar Pesquisa’ a consulta realizada estará disponível em outros formulários. Acompanhe o exemplo para a geração de etiquetas. (Visualize de cima para baixo)


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Fazer backup das bases dados; - Importar e exportado dados.

SUB-SEÇÕES: - Como fazer backups? - Como Exportar dados? - Como importar dados?


Como fazer backups? Todo sistema de banco de dados precisa de backup para se prevenir de falhas humanas, falhas de sistema e falha de equipamentos. Mecanismos de importação e exportação também são utilizados para recuperação de falhas. Esta seção tem por objetivo cobrir os principais aspectos de funcionamento dos sistemas de backup, importação e exportação de dados. Para acessar essa funcionalidade clique no ícone ilustrado abaixo. Caso não tenha permissão para utilizar essa funcionalidade consulte um administrador do sistema.

Para fazer backup de dados no Carolus basta seguir dois passos. 1.

Selecionar a(s) base(s) de dados desejada(s) para fazer o backup;

2.

Clicar no botão ‘Fazer Backup’.

Seguindo estes passo, o backup da base de dados do Herbário é realizado marcando a caixa de seleção ‘Herbário’ e clicando em Fazer Backup. Salve o arquivo .sql em um local fácil de encontrar e armazene em um mídia de backup. Este arquivo poderá ser importado se a base de dados apresentar algum problema. A próxima sub-seção trata sobre a importação de dados.


Como exportar dados? Através da exportação de dados você poderá fazer backup ou converter os dados em um formato mais facilmente entendido por seres humanos, como planilhas do Excel. Para exportar dados no Carolus basta seguir três passos.

1.

Selecionar a(s) base(s) de dados desejada(s) para fazer o backup;

2.

Escolher os formatos desejados para exportação;

3.

Clicar no botão ‘Exportar’.

Seguindo estes passo, a exportação das bases de dados do Viveiro, Rede de Sementes, e Coleção Viva para o Excel é realizado marcando as caixas de seleção ‘’viveiro’, ‘rede_sementes’, ‘vivasf’; Logo após marque a opção ‘Exporta para Excel’ e clique em ‘Exportar’. Salve o arquivo .xls em um local fácil de encontrar e armazene em um mídia de backup. 

Como importar dados? Através da importação de dados você poderá recuperar informações perdidas ou colocar online informações cadastradas off-line. Para importar dados no Carolus basta seguir dois passos.

1.

Abrir o arquivo com o conteúdo a ser importado;

2.

Clicar no botão ‘Importar para o banco de dados’.


Como importar dados? Existe 3 formas de importar dados: (1) Importar arquivos .xml cadastrados offline; (2) importar arquivos do Excel (.xls); (3) Importar arquivos .sql de backup. O usuário deve ter em mente que a única forma dos dados entrarem na base é no formato .sql e por este motivo ao importar um arquivo .xml ou um .xls eles são convertidos para .sql.

Para abrir um arquivo .xml clique no botão ‘Importar arquivo XML’ e espere os dados serem convertidos. Após isso clique no botão ‘Importar para o banco de dados’. Para abrir um arquivo .sql. Clique no botão ‘Importar dados em formato SQL’ e abra o arquivo desejado. Em seguida clique em ‘Importar para o banco de dados’. Para importar dados em formato do Excel primeiramente verifique se os dados estão em um formato padronizado. Este formato pode ser um tipo genérico, contendo o nome da base de dados como primeira célula, ou particular, apenas para a base do herbário, que pode ser obtido clicando-se no rótulo ‘Arquivo de importação’ no canto inferior esquerdo do formulário.

Ao importar dados em formato Excel tenha o cuidado de preencher todas as células e de manter a mesma formatação utilizada durante o cadastro de dados pelo formulário padrão.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Gerar estatísticas simples e avançadas; - Obter dados das base de das; - Formatar Gráficos.

SUB-SEÇÕES: - Como gerar estatísticas simples? - Como obter dados? - Como importar dados?


Como gerar estatísticas simples? Os gráficos são importantes pois tornam compreensíveis e analisáveis resultados numéricos que seriam difíceis de entender e comparar se estivessem avulsos ou em tabelas, por exemplo. Para acessar essa funcionalidade clique no ícone ilustrado abaixo. Caso não tenha permissão para utilizar essa funcionalidade consulte um administrador do sistema.

Para gerar estatísticas simples selecione um dos gráficos disponíveis na caixa de seleção com rótulo ‘Gerar gráfico’. Logo após clique no botão ‘Gerar gráfico’ e visualize o gráfico gerado. O gráfico foi organizado por ordem decrescente, contudo basta selecionar o rótulo ‘Dados em ordem Crescente’ para obter um gráfico ascendente. Gerar gráfico por este método é fácil e rápido, contudo existe uma quantidade limitada de estatísticas e muitas vezes não é possível obter dados da forma desejada.


- Como obter dados? O formulário apresentado anteriormente só permite modificar os elementos do gráfico e gerar estatísticas pré-moldadas. A melhor maneira de gerar gráficos, entretanto, é obtendo os dados diretamente da fonte. Para gerar qualquer gráfico basta seguir os quatro passos a seguir: 1. 2. 3. 4. 5.

Selecionar a origem dos dados; Obter dados do eixo X; Obter dados do eixo Y; Organizar resultados; Formatar os elementos do gráfico;


- Como obter dados? Para exemplificar o uso destes passos considere que você deseja obter o seguinte gráfico. Evolução do número de coletas da família Cactaceae no Herbário HVASF entre 2006 e 2010.

 

Inicialmente deve ficar claro o que devemos representar no gráfico: Eixo X: Ano de Coleta Eixo y: Quantidade de coletas

Aplicando os passos sugeridos anteriormente selecione a base de dados Herbário (Passo 1). Em seguida adicione o campo ‘Ano de coleta’ como informação do ‘Eixo X’, selecionando-o e clicando no botão com ‘+’ verde para finalizar (Passo 2). É possível adicionar tantos campos quanto se deseje, por exemplo, ‘Família’, ‘Gênero’, ‘Espécie’. Por padrão estes campos serão separados por um espaço ‘ ’. Para remover todos os campos clique no botão ‘Limpar Tudo’. Para remover somente um campo selecionado, clique em ‘Limpar Seleção’.

Após completar o passo 2 o gráfico já pode ser gerado, em qualquer estatística desejada. Para gerar o gráfico clique no botão ‘Executar Pesquisa’ e selecione a aba ‘Preview’ no bloco ao fim do formulário para visualizar o gráfico obtido até o momento.


- Como obter dados? Visualizando o gráfico obtido notamos que o Eixo X realmente contém a informação do ‘Ano de coleta’, mas o eixo Y está informando todos os registro em um dado ano e não somente a da família ‘Cactaceae’. Outro problema encontrado é o fato de anos anteriores a 2006 estarem na consulta. Estes dois problemas podem ser resolvidos adicionando restrições, em um procedimento idêntico ao realizado na consulta (Passo 3).

Adicione as restrições de família (Cactaceae), ano (2006-2010) e clique em executar pesquisa. Visualize o gráfico na aba ‘Preview’ o observe as melhoras.


- Como obter dados? Visualizando o gráfico obtido notamos que o Eixo X realmente contém a informação do ‘Ano de coleta’ no intervalo desejado e o Eixo Y está com a quantidade de coletas da família ‘Cactaceae’. Os resultados, entretanto, não estão ordenados por ano {2010,2009,2008,2006,2007}. Para corrigir mais este problema clique na aba ‘Organização da consulta’ e escolha ‘Organizar por’ ‘Eixo X’. Por padrão os resultados são organizados por ordem decrescente (Passo 4). Marcando-se o rótulo ‘Organizar os resultados por ordem crescente de valores’ tem-se a organização inversa. Clique no botão ‘Executar pesquisa’ para visualizar o novo gráfico.

Neste momento temos os dados pretendidos, restando apenas a formatação dos elementos do gráfico (Nomes, Legendas, Rótulos, etc.). Observe que no Passo 5 é possível limitar o número de resultados para um determinado valor e informar, se existirem mais de um gráfico, para qual gráfico será atribuído o resultado da consulta.


- Como obter dados? Outro passo opcional é obtido selecionando-se a aba ‘Campo quantidade’, que se refere a informação do eixo Y (Passo 6). Por padrão essa informação é o número de registros encontrados durante a consulta. Se desejarmos obter somente as espécies distintas coletadas, eliminando coletas de uma mesma espécie, adiciona-se o campo ‘Gênero’ e o campo ‘Espécie’ na lista ‘Eixo y - Quantidade’. Ao gerar o gráfico, clicando no botão ‘Executar consulta’, observe a diminuição no Eixo Y do gráfico, como era esperado. Ao fechar o formulário de obtenção de dados, os valores encontrados serão automaticamente carregados no formulário de origem. Antes de fechar você pode querer mudas o ‘Título’ e as ‘Legendas dos eixos X e Y’, utilizando as caixas de texto presentes neste formulário. O último passo para gerar um gráfico é formatar os resultados.


- Como formatar os elementos visuais do gráfico? Ao fechar o formulário de obtenção de dados observe que os valores foram transferidos para o formulário de origem e que o gráfico pode ser melhorado visualmente. Antes de formatar qualquer elemento convém reconhecer os elementos de um gráfico, apresentados a seguir.

Rótulos (Eixo Esquerdo)

Eixo Esquerdo Título (Eixo Esquerdo)

Série

Título

Eixo Inferior

Marca

Título (Eixo Inferior)

Legendas

Rótulos (Eixo Inferior)


- Como formatar os elementos visuais do gráfico? Clique no ícone destacado abaixo para exibir o formulário de formatação de gráficos.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Visualizar e Pesquisar imagens - Salvar as imagens encontradas - Salvar as imagens encontradas e fazer backup dos Bancos de Imagens

SUB-SEÇÕES: - Como consultar imagens? - Como salvar as imagens encontradas e fazer backups?


Como consultar imagens? Os bancos de imagens do software são integrados e consultáveis através do formulário apresentado no inicio dessa seção. Para acessar essa funcionalidade clique no ícone ilustrado abaixo. Caso não tenha permissão para utilizar essa funcionalidade consulte um administrador do sistema.

O primeiro passo para consultar no banco de imagens é selecionar a base de dados desejada. Por padrão a base do Herbário já vem selecionada.

Em seguida você deverá decidir que tipo de consulta precisará fazer: 1.

Consulta simples, envolvendo poucos registros;

2.

Listagem completa.

3.

Consulta avançada, envolvendo diversas restrições;

Para consulta registro pelo primeiro método apenas informe os números desejado, separados por vírgula, e clique no botão ‘Pesquisar Imagens’. Se nenhum número for digitado e nenhuma restrição à consulta for adicionada, todas as imagens serão carregadas, executando o método de consultas 2, que é útil para fazer backups. O último método é executado adicionando restrições, conforme explanado na seção de consultas. Se precisar de mais informações sobre pesquisa avança, retorne a seção específica.


Como salvar as imagens encontradas e fazer backups? Ao executar uma consulta que traz imagens como resultado, elas ficarão armazenadas no bloco ‘Imagens já cadastradas’. Ao clicar em qualquer uma delas, algumas informações referente a coleta serão carregas, juntamente com a foto e o autor da imagem. Para salvar as imagens encontradas clique no botão ‘Salvar imagens’. Para salvar uma imagem, em específico, clique sobre a imagem desejada e ela será aberta em outro formulário, o de visualização de imagens. No Formulário de visualização, utilize o botão em forma de disquete para salvar a imagem. Quando a opção ‘Esticar imagem na moldura’ está marcada, a imagem exibida será disposta de forma a ocupar toda a moldura, mesmo distorcendo a imagem. Para fazer o backup de um banco de imagens liste todas as fotos (Consulta sem restrições) e salve, utilizando os conhecimentos adquiridos nessa seção. As imagens, por padrão, ficam na pasta Carolus/Imagens, no diretórios de instalação.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Visualizar dados de usuários - Visualizar o histórico de acessos de um determinador usuário - Salvar as imagens encontradas e fazer backup dos Bancos de Imagens

SUB-SEÇÕES: - Como consultar dados de usuários?


Como consultar dados de usuários? Através do formulário de consultas de usuários é possível pesquisar informações de usuários e o visualizar o histórico de atividades e acessos. Para acessar essa funcionalidade clique no ícone ilustrado abaixo. Caso não tenha permissão para utilizar essa funcionalidade consulte um administrador do sistema.

Para consulta dados de usuário inicialmente informe quais dados você deseja, marcando ou desmarcando as caixas de seleção com o nome do campo. Em seguida é possível limitar um determinado campo, mesmo que ele não seja exibido na consulta. Marque a caixa de seleção corresponde ao campo desejado e escolha o valor para filtro. Caso deseje incluir na pesquisa apenas usuários administradores escolha o campo ‘Tipo de usuário’ e selecione a opção administrador. Os campos que não oferecem escolha múltiplas permitem consultar por partes da informações, como por exemplo, consultar os usuários que têm no campo endereço a palavra ‘condomínio’. Ao finalizar as restrições clique no botão ‘Clique aqui para pesquisar’ para visualizar a pesquisa.


Como consultar dados de usuários? Quandos os resultados estiverem carregados nas células da tabela de resultados é possível visualizar os dados do usuário em detalhes, clicando duas vezes na linha com os dados, visualizar o histórico de acessos, clicando no botão ‘Histórico de acesso’ ou exporta a consulta para Excel, clicando no último botão. Para exibir resultados mais rapidamente desmarque a opção ‘Exibir foto do usuário’. Para salvar a imagem do usuário clique sobre a foto desejada e salve-a no formulário que será exibido.

Clique Duplo

xxxxxxxxx


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Atualizar um conjunto de dados de uma única vez - Corrigi um grande volume de dados

SUB-SEÇÕES: - Como atualizar vários registros de uma única vez?


Como atualizar vários registros de uma única vez? Através do formulário de atualizações em massa é possível modificar um conjunto de registros de uma única vez, diminuindo consideravelmente o tempo da tarefa. Esta funcionalidade está disponível apenas no Menu ‘Administração’ e não é possível acessá-la através de ícones. Caso não tenha permissão para utilizar essa funcionalidade consulte um administrador do sistema.

Para utilizar este formulário siga os passos a seguir: 1.

Informar os números de tombo/Registro que você deseja atualizar;

2.

Selecionar a base de dados na qual as atualizações serão feitas;

3.

Digitar a informação a ser localizada e o valor pelo o qual ela será substituída;

4.

Verifique se a atualização está coerente com seu desejo;

5.

Atualize os dados.

Comece informando os números de tombo (Passo 1). Os números de tombos podem ser adicionados um a um, ou vários de uma única vez, como ilustrados nas figuras a seguir. Este mesmo raciocínio serve para os números de coleta. Ao adicionar um número de tombo ele ficará armazenado na lista de registros, no lado esquerdo do formulário. Esta lista pode ser apagada, clicando-se no botão ‘Limpar lista’, que apagará todos os números ou apenas alterada, selecionando-se o número do registro indesejado e clicando no botão ‘Limpar seleção’.


Como atualizar vários registros de uma única vez? Após digitar os números desejados escolha uma base de dados e selecione o campo que você deseja modificar (Passo 2).

No campo de texto ‘Localizar valor’ digite a informação que você deseja procurar e na caixa de texto ‘Substituir por’ digite o valor pelo qual será substituído a informação encontrada. Note que se a informação não for igual a ao valor digitado na primeira caixa de texto nada será modificado. Por exemplo, se desejarmos substituir a família ‘Bromeliaceae’ por ‘Cactaceae’, deve-se colocar os valores na caixas de texto, conforme a figura a seguir, e clicar em adicionar. Se uma família ‘Fabaceae’ for encontrada, por exemplo, ela continuará como ‘Fabaceae,’ contudo, se uma família ‘Bromeliaceae’ for encontrada ela será modificada por ‘Cactaceae’. Utilize os botões ‘Limpar lista’ para apagar todas as substituições e o ‘Limpar seleção’ para apagar apenas a substituição selecionada pelo mouse. Esta ferramenta pode ser utilizada para corrigir partes de palavras. Se tivermos o coletor J’.A. Siqira-Filho’ e desejarmos substituir por ‘J.A. Siqueira-Filho’ basta informar uma substituição de ‘Siqira’ por ‘Siqueira’.


Como atualizar vários registros de uma única vez? Ao terminar de digitar as substituições clique no botão ‘Exibir os dados selecionados’ e compare a tabela de correção (Passo 4). Usando o exemplo da correção da Família ‘Bromeliaceae’ para ‘Cactaceae’, para os registros com número de tombo do 13 ao 17, notamos que as família diferente de ‘Bromeliaceae’ não foram atualizadas. Para finalizar a atualização clique no botão ‘Atualizar’ (Passo 5). Todos os registros selecionados serão alterados para a informação contida na coluna ‘Família (Novo)’ da tabela de correções. A melhor forma de obter registros para atualização em massa é através de consultas e exportação, ilustrado abaixo.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Gerar guias de remessa do material retirado do Herbário - Atualizar as duplicatas dos registros enviados automaticamente

SUB-SEÇÕES: - Como gerar guias de remessa?


Como gerar guias de remessa? Ao enviar material para um especialista é necessário.gerar a Guia de Remessa. Esta funcionalidade está disponível apenas no Menu ‘Administração’ e não é possível acessá-la através de ícones. Caso não tenha permissão para utilizar essa funcionalidade consulte um administrador do sistema.

Antes de informar os registros desejados para geração da guia de Remessa é necessário fornecer as informações que acompanharão a Guia. Os campos devem ser todos preenchidos com a informação pedida pelos rótulos acima das caixas de texto, que deve ser auto-explicativos. O ‘Objetivo da remessa’ deve ser informado marcando-se as caixas de seleção com o texto que melhor representa o objetivo do envio de material. Utilize os botões ‘+’ e ‘-’ para adicionar ou remover textos nas caixas de seleção.


Como gerar guias de remessa? Após completar as informações da guia informe os registros que serão enviados. Os números de tombos podem ser adicionados um a um, ou vários de uma única vez, como ilustrados nas figuras a seguir. Este mesmo raciocínio serve para os números de coleta. Ao adicionar um número de tombo ele ficará armazenado na lista de registros, no lado esquerdo do formulário. Esta lista pode ser apagada, clicando-se no botão ‘Limpar lista’, que apagará todos os números ou apenas alterada, selecionando-se o número do registro indesejado e clicando no botão ‘Limpar seleção’.

Ao terminar de adicionar os números de tombo clique no botão ‘Exibir dados’. As informações restantes para a Guia de Remessa serão armazenadas na tabela ‘Lista de registros’. Para gerar a guia clique no botão ‘Gerar Guias de Remessas’. Você será questionado se deseja ou não salvar a guia. Quando estiver certo sobre as informações da guia clique em salvar. Após salvar uma guia ela poderá ser atualizada (no bloco ‘Remessas cadastradas’, com o botão atualizar), a próxima guia gerada já inicia com o número correto e os registros enviando na remessa entram para o histórico, sendo exibido a informação durante as consultas. O botão ‘Atualizar duplicatas na base de dados’ diminui o número de duplicadas em uma unidade para cada registro enviado, automaticamente.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Normalizar dados; - Eliminar grandes quantidades de erros facilmente

SUB-SEÇÕES: - O que é e como normalizar dados?


O que é e como normalizar dados? Normalizar dados significa submeter à normas ou regras, convertendo para uma forma normal. Normalizar dados é uma das ferramentas mais úteis na hora de atualizar grandes volumes de dados. Esta funcionalidade está disponível apenas no Menu ‘Administração’ e não é possível acessá-la através de ícones. Caso não tenha permissão para utilizar essa funcionalidade consulte um administrador do sistema.

Normalizar dados é uma formar de atualização em massa, contudo deve ficar claro as diferenças entre os dois métodos.

Atualização em massa

Normalizar dados

Deve-se informa quais os registros serão atualizados.

Encontra os registros a serem atualizados com base no valor a ser modificado.

Não permite desfazer ação.

Permite desfazer a ação executada.

Substitui campos por partes.

Substitui o campo inteiro.

Importa consultas.

Não importa consultas.

Para normalizar qualquer informação siga os passo abaixo: 1.

Selecione a base de dados;

2.

Selecione o campo que será normalizado;

3.

Selecione o valores que precisam ser convertido para uma única forma;

4.

Digite o novo valor a ser colocado nos valores selecionados no passo anterior;

5.

Compare os dados, verificando que você obteve os resultados desejados;

6.

Atualize os dados.


O que é e como normalizar dados? Os passos citados anteriormente serão utilizados para converter a grafia do autor (Benth.) H.E.Ireland, que nas figuras abaixo apresentam várias grafias diferentes. Os passos apresentados aqui podem ser repetidos para qualquer campo e qualquer base de dados. O passo 5 é apenas a verificação de que uma informação antiga (Os valores selecionados no passo 3) serão convertidos em uma nova informação (O valor digitado no passo 4). No passo 6 confirme a modificação.

Para desfazer qualquer modificação em massa, selecione uma opção na lista de atualizações para serem desfeitas e clique em desfazer. A atualização está organizada por campo, data e horas de modificação, além de quem atualizou os registros.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Trocar dados entre o Sistema de Informações Geográficas e os Bancos de dados - Exportar coordenadas e a mapas temáticos; - Registrar arquivos .shp que farão o auto-complemento de informações durante o cadastro.

SUB-SEÇÕES: - O que é e como funcionar o Carolus GIS? - Como exibir um arquivo .shp? - Como consultar e plotar pontos? - Como registrar um arquivo .shp?


O que é e como funcionar o Carolus GIS? Através deste formulário é possível trocar as informações presentes em arquivos vetoriais com o banco de dados, atualizando dados de solos, vegetação, biomas e áreas prioritárias de um grande volume de registros automaticamente e com grande precisão. Para acessar essa funcionalidade clique no ícone ilustrado abaixo. Caso não tenha permissão para utilizar essa funcionalidade consulte um administrador do sistema.

Através deste módulo as informações contidas nos arquivos .shp/.dbf são extraídas, normalizadas e enviado ao servidor de banco de dados, conforme o diagrama abaixo. Para extrair a informação os arquivos utilizado para cada .shp devem estar na pasta ‘Mapas’, dentro do diretório de instalação do programa.

Carolus GIS

Banco de dados


O que é e como funcionar o Carolus GIS? Ao clicar em qualquer item dentro do bloco ‘Shapes disponíveis’ ele será exibido no centro do formulário, juntamente com dois pequenos blocos no lado esquerdo, simbolizando o arquivo aberto e a extensão de zoom aplicada. A barra de ferramentas no canto superior do formulário permite aplicar zoom, extrair informações e exportar o mapa em visualização. A função básica de cada botão na barra é explicada a seguir. Abrir .shp

Mostrar o mapa inteiro

Salvar .shp

Mover mapa (Em zoom)

Zoom

Mostra dados do .shp

Mostra dados (ao clique)

Fechar Arquivo

Exporta mapa (Imagem)


O que é e como funcionar o Carolus GIS? Ao clicar em qualquer item dentro do bloco ‘Shapes disponíveis’ ele será exibido no centro do formulário, juntamente com dois pequenos blocos no lado esquerdo, simbolizando o arquivo aberto e a extensão de zoom aplicada. A barra de ferramentas no canto superior do formulário permite aplicar zoom, extrair informações e exportar o mapa em visualização. A função básica de cada botão na barra é explicada a seguir.

Ao modificar o campo do shape e o valor único o mapa é imediatamente modificado, como percebe-se nas imagens abaixo.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Saber configurar o aplicativo - Modificar os dados do servidor? - Trocar o tema do programa

SUB-SEÇÕES: - Como configurar diretórios, links e endereços de aplicativos? - Como mudar os dados de acesso ao servidor e o tema do software?


Como configurar diretórios, links e endereços de aplicativos? Os diretórios, aparências do software, links, endereços de aplicativos e do servidor de banco de dados podem ser configurados através desta opção. Para acessar essa funcionalidade clique no ícone ilustrado abaixo. Caso não tenha permissão para utilizar essa funcionalidade consulte um administrador do sistema.

Ao utilizar o programa você deve ter notado que várias referências a sites como Google Maps, IPNI, IBGE entre outros foram utilizados. Utilize o bloco ‘Links de páginas utilizadas pelo software’ para manter atualizado o endereço dos sites utilizados pelo software. Ao modificar qualquer endereço clique no botão ‘Atualizar’. De modo semelhantes os diretórios do programa podem ser modificados. Por padrão todos os diretórios estão na pasta de instalação do programa. Para modificar um diretório clique no botão ‘...’ para abrir uma janela de seleção de diretórios e clique no botão atualizar para modificar o diretório. Para retornar os diretórios padrões clique no botão ‘Padrão’. Neste bloco é possível configurar o tamanho dos formulários do software para uma determinada resolução que não seja 1024 x 768, padrão do software. Ao marca a opção redimensionar o programa tentará o melhor ajuste para outras resoluções. A tela inicial apresentada após a instalação também pode ser exibida a cada abertura do programa por meio deste formulário, marcando-se a opção ‘Exibir tela com animação inicial’.


Como mudar os dados de acesso ao servidor e o tema do software? Os dados de acesso ao servidor de banco de dados são configurado no bloco ‘Configurações de acesso ao SGBD’. Ao informar os dados clique em ‘Atualizar’ e tente fazer um acesso ao programa para verificar se os dados informados estão corretos. Todas as funcionalidade deste software depende deste endereços, portanto não os modifique, a menor que o servidor tenha sido alterado ou algum parâmetro de acesso foi modificado. O tema do software, isto é, a aparência da imagem de fundo, é modificada no bloco ‘Aparência do software’. Ao clicar em qualquer imagem disponível na lista o tema será automaticamente modificado para todos os formulários. Compare o formulário do banco de imagens sem o tema padrão. A resolução do monitor pode ser alterado para o melhor ajuste do programa (1024 x 768) também neste bloco. A exclusão de fotos sem vínculos com registros de dados no banco de imagens é realizada através do botão ‘Deletar imagens sem vínculo’.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Gerar relatórios resumidos - Gerar relatórios expandidos

SUB-SEÇÕES: - Como gerar relatórios


Como consultar dados de usuários? Os relatórios podem informar o histórico de todas as ações executadas no banco de dados (Cadastros, atualizações, acessos, etc.). Para acessar essa funcionalidade clique no ícone ilustrado abaixo. Caso não tenha permissão para utilizar essa funcionalidade consulte um administrador do sistema.

Para ter acesso aos relatórios basta informar o tipo de relatório, o intervalo do histórico desejado e, opcionalmente, se o relatório irá pesquisar no histórico de todos os usuários ou apenas um usuário. Um ‘Relatório resumido’ informa os números do histórico (50 acesso, por exemplo) e um relatório expandido informa quem acessou. Clique no rótulo do relatório desejado para selecioná-lo. Em seguida informe o período desejado para o relatório (Por exemplo, somente o último mês) e se você deseja saber o relatório geral ou de um usuários específico. Para saber de um usuário em particular marque a opção ‘Nome’ e selecione um usuário dentre os que aparecerem na lista. Para gerar o relatório clique em ‘Executar Pesquisa’.


APÓS LER ESTA SEÇÃO VOCÊ DEVERÁ: - Remover Carolus de seu sistema operacional

SUB-SEÇÕES:

- Como remover este software?


Como remover este programa? Para remover este software e todos os componentes e registros dele utilize o menu principal do seu sistema operacional e siga para Iniciar/Programas/Carolus/Desinstalar Carolus. Para fazer isso diretamente, utilize o arquivo ‘unins000.exe’ dentro do diretório do programa, que por padrão fica em C:/Arquivos de Programas/Carolus.

Após clicar em alguma das alternativas acima você será questionado se deseja ou não remover o programa. Clique em ‘Sim’ para proseguir.

Se você não estive utilizando nenhum componente do programa ele será removido e uma mensagem de remoção com sucesso será exibida. Se a pasta continuar em C:/Arquivos de Programas/Carolus é porque existiam arquivos de usuários na pasta e ela não pode ser removida, por motivos de segurança. Estes arquivos podem ser backups, novos arquivos .shp ou imagens. Caso eles não sejam importante para você, delete a pasta também.


Manual do Sistema Caroulus