Page 1


Nesta Edição p. 04 Dicas: Indicação de filmes

p. 05 Editorial

Social: Frases, dicas p. 06 Saúde e histórias maravilhosas.

p. 08 Espaço Silva: Depoimentos

Familiar: Desenvolvip. 09 Saúde mento Infantil

A vida de p. 16 Entrevista: Layr Malta

Gaivota: p. 11 Espaço Depoimentos

p. 18 Especial: Saúde Espiritual

Financeira: Fonte de p. 21 Saúde segurança, sucesso e felicidade

Física: Boa alimenp. 13 Saúde tação constante

Agenda Leader p. 23 Diversos: Training

p. 12 Em dia com os conceitos

p. 23 Clic Silva

2

SilvaNews

p. 03 Dicas: Indicações de livros


Dicas de Livros Google - A história do negócio de mídia e tecnologia de maior sucesso dos nossos tempos Assunto: Administração Editora: Rocco | Páginas: 352 Autor: David Vise e Mark Malseed Traz a biografia da empresa que revolucionou o acesso à informação e transformou-se em ferramenta indispensável para qualquer pesquisa na Internet. A história dos gênios do mundo virtual, o americano Larry Page e o russo Sergey Brin que se tornaram bilionários no mundo real, é contada pelos premiados jornalistas David Vise e Mark Malseed. No fim do livro, três apêndices trazem mais informações sobre o Google e dicas sobre como melhor utilizar a ferramenta de busca. Mais do que um parâmetro sobre a trajetória do Google, a narrativa é uma lição sobre empreendedorismo. Determinação, empenho, vontade de crescer, dedicação constante aos estudos e desejo de encontrar soluções para os problemas do mundo e não apenas para os próprios, são algumas das lições possíveis de extrair dessa leitura.

Nos bastidores da Disney

Os filmes de animação criados pela Walt Disney Company são renomados pelas histórias que divertem, inspiram e encantam. O sucesso da Disneyworld é incontestável. Anualmente, milhares de visitantes de diversos países visitam seus parques temáticos, e sempre saem satisfeitos com a organização e o atendimento. ‘Nos bastidores da Disney’ revela as estratégias que fazem da Disney uma das empresas mais poderosas e rentáveis do mundo - entre elas, identificar a concorrência e valorizar o trabalho em equipe. Uma leitura aconselhável para profissionais de todos os níveis em empresas que desejam crescer e conquistar uma fatia no mercado.

3

SilvaNews

Assunto: Comunicação/ Cinema Editora: Futura | Páginas: 184 Autor: Tom Connellan


Dicas de Filmes

Irmão Urso

Gênero: Animação | Origem / ano: Estados Unidos | 2003 | Duração: 85 min | Direção: Robert Walker, Aaron Blaise Ao ver o seu irmão mais velho ser morto por um urso, o índio Kenai jura vingar a sua morte, contrariando todos os ensinamentos que recebera sobre fraternidade. Parte então em busca do animal e, após derrotá-lo, como castigo é transformado pelos Grandes Espíritos Ancestrais em um urso. Para voltar ao normal, ele precisa chegar na “montanha onde as luzes tocam a terra” e encontrar-se com o espírito do irmão. No entanto, durante a jornada Kenai é seguido pelo outro irmão, que sem saber que ele fora transformado em animal, sai decidido a matá-lo.

O resgate do Soldado Ryan Gênero: Drama de Guerra | Origem/Ano: EUA/1998 | Duração: 169 min Direção: Steven Spielberg Ao desembarcar na Normandia, no dia 6 de Junho de 1944 (eternizado historicamente como o “Dia D”), o capitão John Miller (Tom Hanks) recebe a missão de resgatar com vida o soldado James Ryan (Matt Damon), caçula de quatro irmãos, dentre os quais três morreram em combate. Durante a missão, Miller e seus soldados têm de enfrentar os inimigos alemães e lidar com seus próprios medos e diferenças. É uma lição de como a flexibilidade para mudanças torna-se indispensável na busca para se alcançar o resultado desejado.

O Presente

4

SilvaNews

Gênero: Drama | Origem /Ano: EUA/ 2006 Duração: 114 min| Direção: Michael O. Sajbel Jason acabou de perder o avô bilionário que sempre odiou e estava certo de que não herdaria nada. Mas se enganou: “Red” Stevens (James Garner) deixou 12 tarefas para Jason, ao fim das quais ele será avaliado e, se merecer, terá direito ao que Red chama de “o maior de todos os presentes”. Cada uma dessas tarefas tem o objetivo de promover alguma mudança em Jason, mas nenhuma terá tanta força quanto o encontro casual com a pequena Emily (Abigail Breslin). É uma reflexão sobre a não-gratuidade das mudanças da vida, afinal, nada acontece por acaso.


Editotrial

“Conhece-te a ti mesmo” O autoconhecimento sempre foi um preceito defendido pelos mais antigos filósofos. Tanto tempo passado, a consciência de si mesmo continua a ser o principal e, segundo Tales de Mileto (624 – 556 a.C), mais difícil desafio do ser humano. Isso porque o conhecimento de si mesmo nos remete as nossas limitações que, de um modo geral, não queremos admitir ou enfrentar, mas que é absolutamente necessário para o desenvolvimento humano. Quando não nos conhecemos profundamente, não sabemos medir o tamanho de nossa capacidade de agir, mudar e transformar. Por isso que o sentimento de autoconfiança, e todas as conquistas que dele provém, está intimamente ligado ao autoconhecimento, pois quem não olha para dentro si, inconscientemente se acomoda pois sempre classifica como impossível a conquista daquilo que deseja. Só quando somos conscientes de nossos valores, crenças e, principalmente, de nossa herança social - que é aquilo que absorvemos de nossos maiores líderes, pai e mãe - é possível identificar as razões e modificar nossos comportamentos. O autoconhecimento além de permitir que respeitemos a nós mesmos é, também, o principal parâmetro de respeito e entendimento de nosso semelhante. Quando não sabemos exatamente o que somos ou o que sentimos, também não somos capazes de respeitar as diferenças. Por isso que primordial para o autoconhecimento é também conhecer os costumes da sociedade em que vivemos para encontrar as ferramentas necessárias para escolher onde e como se enquadrar e, sobretudo, respeitar aquilo que é diferente de você, pois isso também faz parte do autoconhecimento. Admitir que não sabemos tudo é um grandioso passo, porque nos permite abrir a mente a novos conhecimentos. Buscar compreender nosso semelhante com atitudes de empatia, por sua vez, nos dá a oportunidade de aprender com a experiência do outro. Santo Agostinho falava sobre o duplo conhecimento. Para ele, o conhecimento de Deus e o autoconhecimento eram inseparáveis e indispensáveis para penetrar nos mistérios divinos e da alma humana. Mais de mil e seiscentos anos depois, é também possível ver hoje essa relação entre a experiência espiritual e a forma com que cada um se relaciona com uma energia superior, tema que debatemos na reportagem especial sobre saúde espiritual nesta edição. O conceito de espiritualidade, assim como o autoconhecimento, é amplo e individual e exige a busca incessante por conhecimento e perguntas, muitas delas sem resposta, sobre nossa existência.

Revista: Leader Training | SilvaNews Leader Training – Assessoria, Consultoria, Treinamentos e Participações Ltda. Praça Dom Pedro II, 166 Centro – Indaiatuba/ SP CEP: 13.330-080 | Tel: (19) 3894- 4948 Site: www.trainingleader.com.br trainingleader@trainingleader.com.br Redação: Mariana Bottan mariana@midiaeducativa.com.br Projeto Gráfico: Rudy C. Mateus rudymateus@gmail.com Jornalista responsável: Julyana Troya Mtb: 47.272 julyana@midiaeducativa.com.br Coordenação Geral: Layr Malta layr@trainingleader.com.br Contato para Propaganda: Layr Malta layr@trainingleader.com.br Tel: (19) 3894-4948 / (19) 9292-6681 Contato para textos e sugestões: midiaeducativa@midiaeducativa.com.br

5

SilvaNews

A equipe Silva News espera ter podido contribuir a abrir os caminhos que ajudem, você leitor, a conhecer seu verdadeiro potencial e, a partir disso, descobrir formas para contornar suas limitações. Mas lembre-se que deixar para depois é o mais nocivo hábito e que, junto dele, reside a única limitação do ser humano: o tempo. O segundo que passa é um tempo que você nunca mais usará, por isso, como disse Benjamin Franklin, se “você ama a vida, não desperdice o tempo, porque é disso que ela é feita”.


As histórias do

mundo real

Conheça como foi possível que uma coletânea de histórias contribuísse para a saúde social de crianças e idosos carentes da zona leste de São Paulo

O autor conta como tudo começou

6

SilvaNews

“Não importa se o que estamos fazendo vai resolver todos os problemas do mundo. O que interessa é que estejamos fazendo sempre o nosso melhor. Isto é fazer a diferença.” Foi por meio da publicação de frases como esta, que o apaixonado por histórias e metáforas Orlando Nussi conseguiu fazer delas um instrumento de verdadeira ação e transformação social. Com o objetivo de arrecadar recursos para manter projetos sociais desenvolvidos em creches, casas de repouso e comunidades carentes da zona leste de São Paulo, o escritor e membro da Família Silva decidiu reunir as histórias e frases mais bonitas que conhecia e lançou a coleção “Frases, Dicas e Histórias Maravilhosas”, que hoje já está no oitavo volume. Orlando Nussi tem como projeto de vida a meta de lançar um volume inédito a cada ano. A coleção completa contém cerca de 300 histórias que, desde 2006, passaram a ser acompanhadas por um CD, com uma seleção narrada pelo autor. Para a continuidade deste trabalho, Orlando Nussi recebe o patrocínio de diversas empresas que, além de terem seu nome divulgado nos livros, recebem uma determinada quantidade de exemplares. O lançamento do volume 8 da coleção realizou-se ao final de 2009, na Casa do Cristo Redentor em Itaquera (SP). Quem quiser exercitar sua saúde social, conheça os projetos sociais que as “Frases, dicas e histórias maravilhosas” de Orlando Nussi ajudaram a construir no site www.historiasmaravilhosas.com.br.

“Sempre gostei de colecionar metáforas e, constantemente, encontrava uma história adequada para cada situação. Dada às dificuldades a cada ano que passava em arrecadar recursos para a compra dos brinquedos para o Natal, resolvi escrever um livro organizando as metáforas que já conhecia. No ano de 2001 lancei o primeiro livro e, como a produção foi totalmente financiada por mim, pensei em reter os recursos conforme entravam até recuperar o valor gasto. No entanto, devido as nossas grandes necessidades isso não foi possível, já que sempre que conseguia reunir um determinado valor, o grupo precisava dos recursos para outras coisas. Assim, no ano de 2002, não consegui lançar o livro que seria o volume 2 e o fiz somente em 2003, com a ajuda de alguns


amigos empresários. Em 2004 foi lançado o volume 3 com a ajuda de mais amigos e, anualmente, nosso apoio cultural vem aumentando. A partir deste mesmo ano, 2004, os demais volumes foram lançados com mais facilidade, o que possibilitou a publicação de um novo volume a cada ano e, inclusive, um CD, lançado em 2006, com a seleção de 20 histórias que fazem parte da coleção. Para se ter uma idéia, no ano de 2007, na ocasião do lançamento do volume 6, não foi possível atender a todas empresas interessadas no apoio cultural, pois o material já estava na gráfica enquanto a procura ainda continuava. O que me levou a escolher essa linha de histórias foi o meu contato com a PNL (Programação Neurolingüística), que foi por meio da qual eu descobri que a metáfora faz parte da comunicação coloquial das pessoas: “forte como touro”, “liso como quiabo”, “duro como aço”, etc. A metáfora está presente nas fábulas, parábolas e histórias infantis que mais nos marcaram (e ainda nos marcam). As mensagens da Bíblia e dos textos sagrados estão repletas de metáforas. Elas fazem parte das músicas e dos poemas que mais nos emocionam. O que faz uma piada ser engraçada é a metáfora nela embutida. Repare como é freqüente o uso deste recurso na propaganda e no marketing. O nome das empresas e dos produtos, seus símbolos, logomarcas e anúncios estão repletos de mensagens metafóricas. O uso da metáfora em psicoterapia, também, tem sido cada vez mais freqüente. Na verdade, o que fica gravado como aprendizado em nossa mente, não é o sentido literal da história, mas sim, o sentido figurado captado pelo nosso inconsciente. A metáfora induz a um processo natural de mudança. Ao contrário de uma ordem ou sugestão direta, ela permite à pessoa perceber, inconscientemente, alternativa para situação que possa não ter sido visualizada anteriormente. É importante esclarecer que os lucros obtidos com este trabalho são destinados a projetos sociais que já desenvolvemos com crianças em creches e comunidades carentes. Espero que essas “Frases, Dicas e Histórias Maravilhosas” façam diferença na sua vida, assim como fizeram na minha”. Sobre o autor: Orlando Nussi é diretor da empresa Vale Transportes e Serviços Ltda., Palestrante; Escritor; Trainer em PNL – Programação Neurolingüística; Membro da Coordenação do Grupo de Estudos de PNL em Campinas (SP); Integrante da equipe de apoio do Leader Training em São Paulo (Família Silva); Membro da Coordenação do Projeto Criança Feliz, Ovos de Páscoa e Cinema na Creche.


Espaço Silva SilvaNews

8

“Cheguei no LT acreditando

que por sorte, puro azar, buscando respostas a muitas perguntas que tampouco estavam claras. Nesses 3 dias maravilhosos não só encontrei respostas que nem sabia que precisava, como entendi que não estava lá por sorte ou azar, que na verdade era eu quem me dirigia. Porque uma das principais coisas que você descobre no treinamento é precisamente isso, que é você que tem o controle da sua vida, lhe goste mais ou menos, e uma vez que você assimila isso, a vida muda completamente. O LT também nos dá poderosas ferramentas para tomar esse controle. Os sentimentos não são fáceis de explicar com palavras, menos ainda para um gringo. Amigo leitor, se você está hesitando em fazer este curso é porque o LT é exatamente o que você precisa. Não hesite, faça!” Fernando Gonzalez Torres Araras - SP

“Procurei palavras que pudessem expressar de

forma mais real possível tudo que vivi nesses dias e, confesso, que são difíceis de encontrar... Mas posso resumir tudo que vivi da seguinte forma: Entrei na sexta feira achando que era feliz, cheio de expectativas, desconfianças, temores, estresse, menos conhecedor de mim mesmo... e sai no domingo um outro Noaldo: confiante, seguro, forte, cheio de saúde, com muita paz interior que se reflete no exterior, mais intimo de mim mesmo, realizado, verdadeiramente mais humano e muito, mais muito mais feliz ! É muito difícil dizer e relatar algo tão intrínseco e tão intangível, mas com certeza é bem mais fácil entender tudo isso pelas atitudes que fluem naturalmente de nós, tornando mais fácil observar em nós mesmos as reais mudanças. Abr4ços!”

José Noaldo Silva Natal - RN

“A felicidade não pára de transbordar! E o sorriso

permanece constante. Descobri que sorrir é o melhor vício que existe. Que maravilha relembrar esses três dias tão intensos. Obrigada a todos os treinadores e companheiros desse fim de semana, vocês são maravilhosos! Todos nós somos grandes vitoriosos. Estou morrendo de saudades de todos e espero reencontrá-los em breve. Que essa alegria e garra continuem presentes em todos os dias de nossas vidas! Muitos 444 pra todos vocês!”

Daniela Brava Pereira de Carvalho Santos - SP


Saúde Familiar

Desenvolvimento Infantil

dedicar a acompanhar e orientar o desenvolvimento de seus filhos da maneira como gostariam, o que gera, muitas vezes, dúvidas sobre quais as melhores formas de agir neste sentido. Nos primeiros anos de vida da criança, o estímulo adequado despertará suas potencialidades. Nesta fase, é essencial o acompanhamento dos pais que, além de bons educadores, devem ser bons estimuladores, contribuindo na formação de crianças inteligentes, calmas e amáveis. As crianças são seres em construção, maleáveis em suas capacidades e com inteligência que pode ser expandida pelo ambiente. Podemos dividir o desenvolvimento infantil em relação aos aspectos físico, neurológico e psicossocial. Ao nascermos, temos características físicas próprias bem diferentes das crianças maiores como, por exemplo, o tamanho da cabeça e do tórax, o formato da barriga, das pernas e pés, a postura, tônus musculares, entre outros.

Nesta fase logo após o nascimento há prevalência da emoção. É um período de simbiose afetiva, em que se

cria o vínculo dos pais com o bebê que, no futuro, a eles recorrerá em busca de proteção, cuidados e amor. Ao longo do primeiro ano de vida, ocorrem também mudanças físicas: o fechamento das fontanelas (moleiras) até os 18 meses, nascimento dos primeiros dentes entre cinco e nove meses em média, ganho de estatura e peso e alterações posturais. A partir disto inicia-se a fase de exploração vigorosa dos objetos em seu ambiente, como esvaziar latas de lixo, gavetas, prateleiras... Sem contar que correm para todos os lados! É a fase do estágio sensório-motor e projetivo, quando ocorrem mudanças na forma de interação com o mundo. Neste período é muito importante o cuidado com venenos, remédios, produtos químicos, materiais perfuro-cortantes (facas, tesouras, garfos, pregos, lâminas de barbear, clipes, etc.). A partir dos dois anos a criança reconhece sua capacidade de tomar iniciativas e fazer escolhas. As palavras começam a fluir facilmente. Estamos na fase do comportamento imitativo, brincadeiras solitárias que consistem na manipulação dos objetos e competições pela posse dos objetos. Maior controle dos esfíncteres com a saída das fraldas do dia. Nesta fase são muito importantes todas as atividades de contato e brincadeiras com outros bebês e crianças, isso para que sejam fortalecidos e desenvolvidos adequadamente os potenciais humanos. A repetição de diferentes exercícios que estimulem os sentidos, brincadeiras livres, exercício da curiosidade e a exploração da imaginação aumentam o controle emocional e proporcionam uma sensação de segurança e prazer, ampliando a habilidade mental que facilita a aprendizagem e desenvolve destrezas. O próximo estágio de desenvolvimento infantil, que compreende aproximadamente dos três aos seis anos de idade, é muito importante na formação da personalidade, pois é neste período que há a construção do EU. Por ser um estágio de personalismo, haverá mudanças nas relações com os outros, tornar-se-ão mais

9

SilvaNews

Hoje em dia, poucos pais e mães conseguem se


compreensíveis e adquirirão mais autonomia. Fisicamente os ganhos ponderais são estáveis e o crescimento varia de 4-8 cm/ano, parece que a criança emagreceu e é nesta fase que ela tende a comer menos e a selecionar os alimentos, trazendo grandes angústias aos pais e gerando erros alimentares grosseiros. Nesta fase os rabiscos vão se tornando desenhos e as palavras, frases. Uma criança de quatro a seis anos assume os hábitos de pensamento, sentimento e ação que representam sua percepção ou fantasia crescente do futuro. Tornam-se, assim, independentes. Dificuldades de interação entre pais e filhos, e de outras relações dentro e fora do lar, expressas em hostilidade e agressões, por exemplo, podem gerar ansiedade e angústia, alterando o comportamento, pensamento ou fantasias da criança. O resultado é a manifestação de pesadelos, medos e de comportamentos inapropriados, tais como sucção dos dedos, volta da perda da urina à noite, dificuldade com a fala ou aprendizado, excessos de fúria... A afirmação de Winnicott a respeito da brincadeira esconde-esconde -“é uma alegria se esconder e um desastre não ser encontrado”- contém a essência do desenvolvimento psicológico do pré-escolar. A brincadeira demonstra a luta da criança para ganhar independência e autonomia, mas enfatiza a necessidade de ser educada. O estreitamento na relação entre pais e filhos aumenta a qualidade das experiências vivenciadas e a aquisição de ferramentas importantes para o desenvolvimento infantil. Quanto mais conhecimento e interesse têm uma criança, mais desfrutará a aquisição de novos saberes. Devemos sempre fortalecer a auto-estima da criança, assim sempre as teremos confiantes e interessadas. Pais firmes e amorosos são capazes de estabelecer limites necessários à criança, são capazes de “perceber o seu filho” e ajudá-lo sem críticas, mas com conselhos de orientação e superação. Portanto, mais do que excesso de tempo, o mais importante é saber aproveitar ao máximo o tempo passado ao lado de seu filho, com brincadeiras conjuntas, muita conversa e explicações sobre as dúvidas da criança, sempre com muita verdade, suavidade e bom humor. Boa sorte aos aventureiros!

SilvaNews

Dra. Fabiana Petter Camillo é médica pediatra, especializada em saúde mental do adolescente e masterpracticioner em PNL.

10


Espaço

Gaivota

Marcelo Pepe Juiz de Fora/MG

“Participei e vivenciei o Leader Training em 2004, quando morava em Campinas - SP. Daquele tempo para cá, a vida não parou de me oferecer novos desafios e eu tenho aproveitado todos que surgem de uma maneira muito corajosa, graças ao desenvolvimento adquirido no LT e à posterior expansão das vivências no Gaivota, alcançando sucesso em minha vida dentro das várias saúdes (Física, Econômica/Profissional, Intelectual/Espiritual, Familiar e Social). Apesar de toda a complexidade e abrangência do LT, a resposta sobre o sucesso deste treinamento está dentro de cada participante, pois todo o potencial para alcançar suas metas e ser feliz já está dentro de cada um. Ainda mais forte e gratificante do que participar do Leader Training como treinando é ter a possibilidade de levar mais pessoas a fazer o treinamento e ver a felicidade com que concluem no domingo e o contínuo desenvolvimento que obtém na vida daquele fim de semana em diante. Só posso afirmar que isso paga todo o esforço, todo o trabalho duro que a equipe empreende no treinamento. Participar como representante do Leader Training em Juiz de Fora tem me reforçado o sentimento de gratidão e constatado a dedicação dos facilitadores a esta missão. A equipe do Leader Training tem uma experiência de 20 anos com este treinamento e nós podemos ver a seriedade com que cada um do time conduz as dinâmicas e os trabalhos do LT. Tenho muito orgulho de estar trabalhando de perto com a Família Silva!” Ainá Agata Tavares São Paulo/SP

“Olá Família Silva! Gostaria de dizer que foi muito bom reencontrar toda a equipe e, principalmente, levar mais uma pessoa muito querida para ser um “Silva lá de casa”. Revivi toda a emoção do início do treinamento, da escrita das cartinhas e, claro, de comprovar, a cada saída do LT, que “nossa missão é ser feliz” e fazer as pessoas felizes também, incentivando-as a descobrirem o que há de melhor nelas mesmas. A toda à equipe, seremos eternamente gratos a vocês pela dedicação com que desempenham suas tarefas. Um super 4 e muitos peixinhos.”


Em dia com os Branding

Branding é a palavra de ordem no ramo do marketing. Originada do termo inglês, brand, que literalmente significa marca, o branding está ligado à percepção dos consumidores em relação a um produto, serviço, experiência ou organização. Branding é a ação de trazer o consumidor para a sua marca (brand), por meio de um sistema de comunicação que faça com que ela seja importante e personifique uma solução prática para vida do cliente. Para a American Marketing Association, branding não é fazer com que um consumidor escolha uma marca ao invés da marca concorrente. É fazer com que um potencial consumidor identifique em uma marca a única solução para o que ele busca.

Benchmarking

No ramo de administração, o termo benchmarking refere-se ao processo de aprimoramento de uma determinada empresa com base no levantamento, análise comparativa e superação dos pontos fortes dos concorrentes ou empresas líderes de mercado. De acordo com o especialista, Washington Sorio, a empresa interessada em implantar benchmarking deve analisar os seguintes fatores: ramo, objetivo, amplitude, diferenças organizacionais e custos, antes da definição ou aplicação do melhor método, pois cada empresa individualmente tem as suas necessidades que devem ser avaliadas antecipadamente à aplicação do processo. Segundo ele, saber fazer e adaptar benchmarking no processo da organização pode nos permitir vislumbrar oportunidades e também ameaças competitivas, constituindo um atalho seguro para a excelência, com a utilização de todo um trabalho intelectual acumulado por outras organizações evitando os erros é armadilhas do caminho.

Endomarketing

conceitos

O prefixo “endo”, originário do grego, refere-se a qualquer posição ou ação no interior, ou seja, sugere a ideia de movimento para dentro. Por isso, o conceito de endomarketing, uma das mais novas áreas da administração, está ligado diretamente à comunicação com o público interno de uma empresa. Reúne um conjunto de noções do marketing tradicional e dos recursos humanos em ações institucionais dirigidas para colaboradores, fornecedores, acionistas, vendedores e etc. O endomarketing existe para atrair e reter o primeiro cliente, o cliente interno, para que, a partir dessa conquista, seja possível atingir os clientes externos. O princípio básico do endomarketing parte da ideia de que funcionários mais satisfeitos com as condições de trabalho e com os próprios produtos lançados irão multiplicar, para o público externo à empresa, a sensação de satisfação interna.


Alimentação saudável: como torná-la um hábito? “Segunda-feira começo sem falta o meu regime”. “Não tem problema exagerar só no final de semana”. Por quantas vezes não ouvimos explicações deste tipo, ou quantas vezes não repetimos frases como esta, quando o assunto é boa alimentação? A verdade é que, com tanta informação disponível, todos nós sabemos os tipos de alimentos que fazem mal à saúde e que comer em exagero é sempre o maior pecado. Então porque é tão comum essa inconstância nos hábitos alimentares? O que é preciso fazer para cultivar o tão sonhado (e necessário) hábito da boa alimentação? Assim como todo o tipo de meta que estabelecemos na vida, o grande desafio da alimentação saudável é conseguir manter firme aquele esforço inicial firmado na conhecida por todos: a promessa. De acordo com a nutricionista e mestre em clínica médica, Pérola Ribaldo, primeiramente é fundamental saber qual o perfil e as necessidades de cada indivíduo. Além disso, para que seja possível constituir um hábito, as mudanças alimentares precisam ser gradativas e, sobretudo, devem sempre respeitar o estilo de vida e as preferências de cada pessoa. “O principal objetivo do nutricionista é fazer

com que a alimentação saudável seja prazerosa, tanto em termos de sabor, quanto em relação à disponibilidade da pessoa em prepará-la e a ela se adaptar. Uma dieta que seja fácil e gostosa, certamente terá mais chance de ser seguida”, explica a nutricionista. Para quem não tem muita disciplina e autocontrole, ou mesmo para avaliar com segurança se está no caminho certo para alcançar o resultado desejado, o acompanhamento profissional é essencial. Assim, as “regras” da boa alimentação podem ser adaptadas de acordo com a condição física do indivíduo, de suas expectativas e dos objetivos desejados. De acordo com a especialista em clínica médica, Pérola Ribaldo, é dessa forma que se pode estabelecer o melhor caminho para se alcançar a meta desejada, de forma saudável, eficiente e real. “Só por meio desse acompanhamento é possível avaliar os resultados, para saber se seguimos o mesmo caminho ou se mudamos de estratégia a fim de chegar aonde o paciente deseja”. Para quem pretende buscar apoio profissional na hora de identificar o melhor método para se cultivar o hábito da alimentação saudável, Pérola Ribaldo orienta: “Neste processo, é essencial a transparência do profissional em esclarecer ao paciente aquilo que é e o que não é possível de se alcançar dentro de condições e prazos reais. Só assim evita-se o risco de não gerar falsas expectativas ou frustrações”.

Hábitos para uma boa alimentação

Para cultivar um bom hábito alimentar, lembre-se de:

Uma alimentação saudável tem por característica três princípios:

• Comer fracionadamente, não exagerando no volume de alimentos numa única refeição;

1- variedade, comer diferentes tipos de alimentos pertencentes aos diversos grupos;

• Comer devagar, facilitando a digestão e o bom funcionamento do organismo; • Tomar pelo menos 2 L de água todos os dias

3- equilíbrio, o consumo de alimentos variados, respeitando a quantidade de porções recomendadas para cada grupo.

• Comer cinco porções de vegetais, das mais variadas cores, por dia e restringir o consumo de alimentos industrializados; • Evitar líquidos durante as refeições;

SilvaNews

2- moderação, não exagerar nas quantidades de alimentos ingeridas;

13


A vida do líder Layr Malta em entrevista à Silva News

Mineiro nascido no pequeno município de Caratinga, numa fazenda da região Alto de São Silvestre, Layr Malta conta que sempre foi disciplinado aos estudos e desde criança dedicado ao trabalho. Graduou-se em ciências contábeis pela FIC ? Faculdades Integradas de Caratinga-MG ? e logo depois deu início a sua carreira de bancário, em que trabalharia durante 15 anos. Durante os anos de 1982 a 1987, foi presidente do Clube Filadélfia onde, antes mesmo de se dedicar a qualquer atividade profissional empreendedora, colocou em prática os ensinamentos que mais tarde seriam desenvolvidos em cursos como o Leader Training. Mesmo sob fortes críticas e reprovações, mas sempre com grande foco num objetivo principal, durante o tempo em que presidiu o Clube Filadélfia construiu uma SN | Conte-nos um pouco de sua história e suas origens mineiras. Tive uma infância, apesar de desprovida de recursos, muito feliz, guardo dela boas lembranças. Na minha família, sempre tivemos um convívio muito harmonioso, mesmo com todas as carências. Sempre me dediquei muito em meus estudos iniciais, que cursei no distrito de Entre Folhas, hoje constituído município, no Grupo Escolar José Augusto. Um lugar tão pequeno, onde deixei todos os meus colegas de infância e para onde hoje raramente vou. Lembro-me que, quando criança ainda, vendia nas ruas doces e frutas que pegava no pomar do meu avô. Nesse período, trabalhei também como engraxate. Eu, quando menino, andava muito à cavalo, com toda a tranqüilidade e sem nenhum receio, mas também caí do cavalo, literalmente, várias vezes. E lembro que meu pai, todas as vezes que testemunhava essas quedas, não corria para ver se eu havia me machucado ou não, só gritava: ?Levanta e monta de novo?. Depois, quando tinha de 10 para 11 anos, cursei parte do ginasial no Ginásio N. S. das Graças em Caratinga entre l955 e l958, quando me mudei para Governador Valadares, de lá distante 115 km. Foi um período de extremo sacrifício, principalmente para o meu pai, mas também de muitas mudanças para todos nós. Terminei o segundo grau e iniciei o estudo superior. Em 13 de abril de 1961 comecei minha carreira como bancário. Exercia o cargo de chefe de contabilidade do Banco Mercantil do Brasil, quando me demiti no dia 4 de agosto de 1976 e, depois disso, nunca mais trabalhei de empregado na minha vida e foi quando pude voltar a me dedicar aos estudos. SN |De onde vem a sua disciplina tão aguerrida?

SilvaNews

Nos anos 59 até 61, trabalhei como atendente em estabelecimentos comerciais na área de produtos alimentícios. Um dos meus patrões, o Domingos Costa Neto, mais conhecido como Duquinha, tinha um comportamento extremamente rigoroso quando à disciplina de postura e horário. Não era em seu estabelecimento permitido assentar em nenhum momento e

16

piscina e, ao deixar o posto entre os anos 1988 e 1989, ajudou a fazer do Filadélfia um clube de referência e expressão no leste de Minas. Já com a intenção de tornar-se um empreendedor, mudou-se para o interior de São Paulo. Participou do primeiro Leader Training realizado no Brasil, trazido por um grupo treinado em Los Angeles, em janeiro de 1990 na cidade de Colombo, Paraná. Em parceria, montou a primeira empresa a ministrar o Leader Training no Brasil e, desde então, já treinou mais de cem mil pessoas e se dedica a mostrar a quem deseja descobrir seu verdadeiro potencial como é possível conquistar seus objetivos e metas pessoais. Em entrevista, Layr Malta conta aos leitores um pouco mais sobre sua vida pessoal e profissional.

se chegasse atrasado um minuto que fosse, ele sorrindo dizia: ?volte amanhã mais cedo?. Era um ser humano sério, justo, que valorizava muito as pessoas disciplinadas quanto aos compromissos. SN | Quando e como começou seu trabalho como facilitador de treinamentos?

Layr Malta com o gerente da Caixa Federal Haroldo, Aécio Neves, na época gerente da Caixa Federal e Dr. Eloísio Chagas por volta de 1983 na sede da Associação Comercial de Governador Valadares.

No final dos anos 80, conheci os trabalhos de marketing de rede e achei interessante. Li por muitas vezes o ?Maior vendedor do mundo?, de Og Mandino, e me encantei com a arte de vender.


Fiquei convencido que a profissão de vendedor é uma arte de se relacionar com amor e, portanto, inserida em qualquer atividade que o ser humano escolher. Foi quando trabalhava como voluntário em serviços da igreja, promovendo relacionamento e valores de família, que passei a oferecer, como uma das atividades de ajuda, palestras de motivação num auditório em minha casa, organizado para até 30 participantes. SN | O que você sentiu após ter feito o primeiro LT?

de desafios e saia desta zona de conforto que nada agrega. Multiplique seus talentos, ou seja, aplique em sua vida aquilo que você sabe e com orgulho de ser o que você é. Alcançar um objetivo, aquilo que se deseja e sonha, é possível a todos nós, desde que nos conscientizemos de que no bojo de qualquer conquista haverá abundantemente suor e lágrimas. Suor de seu esforço, que não pode ser comedido, deve ser sempre o máximo possível. E lágrimas provenientes de dores psicológicas daqueles a quem você mais admira e ama.

O grande propósito do Leader Training sempre foi o de gerar um profundo auto-conhecimento. Sempre gostei muito de desafios e encontrei no LT uma confirmação daquilo que exercia antes nos movimentos de igreja, mas com a diferença de que a partir de então poderia abrir as portas a todos que quisessem se desenvolver e crescer em seus relacionamentos, independente de espiritualidade ou religião. SN | Layr, com tantas atividades profissionais, presente em diversos estados do país, como você organiza sua rotina para atender a todos e sempre num estado permanente de bom humor? Como organizar uma vida atribulada? Lembro de John Lennon que dizia ?vida é isso que acontece enquanto se prepara o futuro?. Nos treinamentos praticamos o ?viver o presente? que, embora não seja tão fácil, é o único possível. Acredito que minha vida, na maior parte do tempo, é de bom humor, mas é claro que também tenho meus momentos de dissabor. Para organizar sua vida é preciso uma postura simples de disciplina. Não importa o que esteja acontecendo, faça o que tiver que ser feito.

Layr Malta reunido com os filhos e a esposa

SN | E os momentos em família, como são? Sempre coloquei a família como o maior valor. É por isso que estamos sempre juntos no trabalho e, mesmo que não estejamos fisicamente juntos, estamos sempre integrados nos propósitos de nossas atividades. SN | Como é o Layr pai e avô? Acredito que não seja diferente de muitos outros pais. Acredito que não seja diferente de muitos outros pais. Preocupo-me com os filhos, mesmo tendo eles já idade madura e vidas próprias definidas. Sempre permiti liberdade de decisão a cada um deles, nunca impus meus desejos pessoais e não me lembro de ter dito uma única palavra que pudesse ferir a personalidade deles. Só quem é avô pode falar desse sentimento divino. É um presente de Deus passar esses momentos mágicos junto aos netos e afirmo que é um aprendizado de tratamento que, muitas vezes, negamos aos nossos filhos. Penso que é uma compensação de Deus.

Layr Malta no curso de Programação Neurolinguística na Universidade da Califórnia com os especialistas Robert Ditts e Judith Delozier.

SN | Layr, olhando sua vida, tem algo que se arrepende de ter feito? Não me arrependo de nada do que fiz até hoje. O arrependimento está justamente naquilo que não fiz. Não ter persistido nos estudos de música, por exemplo, é um deles. Ainda sonho em voltar a estudar música e a aprender dois outros idiomas. SN | O que você diria àqueles que hoje estão infundados numa vida sem ideal, vivenciando apenas a zona de conforto e querem dar a volta por cima, desfrutar uma vida plena e com qualidade? Amigo leitor, acredite: você não é uma coisa qualquer. Deus investiu em você e Ele tem orgulho de Sua obra. Aprenda a gostar

Layr Malta junto do presidente Carlos Alberto Thebit da Sociedade Recreativa Filadélfia, clube do qual também foi presidente.


Especial

Saúde Espiritual

Se ao longo da história sempre esteve restrita ao universo religioso e teológico, hoje é no mínimo curioso perceber como a noção de espiritualidade passou a fazer parte de boa parte das atividades da vida humana. Da ecologia à economia, o fato é que a espiritualidade tem se tornado uma exigência até onde, há não muito tempo atrás, só havia espaço para valores pragmáticos, como é o caso, por exemplo, dos ambientes de negócios. Mas, será que é possível entender o porquê dessa busca coletiva e da tamanha expansão do conceito de espiritualidade? E neste cenário, o quê valida a experiência espiritual buscada e, muitas vezes exigida, por tantas pessoas? No mundo corporativo, segundo afirma o especialista em treinamentos de auto-gestão Layr Malta, percebeu-se o potencial da espiritualidade como forma de aumentar o rendimento dos funcionários e, indiretamente, a lucratividade das empresas. “Os líderes empresariais já perceberam que o indivíduo espiritualizado, independente de sua religião, se transforma numa pessoa mais justa, mais honesta, mais confiante, falta menos, adoece com menos frequência. E com isso, todos ganham, inclusive a empresa, que aumenta a sua lucratividade”, explica. Para o conferencista e pastor da Igreja Presbiteriana do Planalto, Ricardo Barbosa de Souza, a espiritualidade tão apregoada hoje, aquela refletida nos diversos movimentos do espírito humano na busca por identidade e significado, tem uma relação direta com o protesto do homem contra o racionalismo alienante que dominou por, pelo menos, três séculos a sociedade ocidental. “Talvez nunca tenhamos vivido na história um período tão marcado pela busca do sagrado e por uma abertura espiritual como vivemos hoje. Isso não é outra coisa senão uma revolução do espírito humano protestando contra a repressão que viveu sob a bota do Iluminismo”, afirma Ricardo em seu artigo “Espiritualidade e espiritualidades”. A história mostra que a Era Moderna refletiu o progresso, o otimismo, a esperança na tecnologia e na ciência. O racionalismo científico era o único legítimo na busca pelas verdades e na determinação do significado da realidade humana. No entanto, esse tempo de lógicas certezas, após duas Guerras Mundiais e

outra série de conflitos étnicos e ideológicos que marcaram a segunda metade do século XX, deu lugar a uma era de desilusão e ceticismo. Foi a partir de então que o mundo pós-moderno gerou uma cultura mais aberta ao espiritual e que passa a acreditar que existe outra forma, mais profunda e completa, de responder aos anseios do espírito humano, que não aquela ditada puramente pela razão. O filósofo Marcelo Aymar Ortiz relaciona tal situação com a evidente insatisfação da sociedade diante das desigualdades acentuadas pelo sistema capitalista. No entanto, segundo afirma, a frustração seria mais profunda. “O consumismo que vivemos, sem dúvida, nos impulsiona à confusão entre o ‘ser’ feliz com os objetos de consumo e o ‘ter’ a justa medida de realização existencial, o que corresponderia à legítima espiritualidade de se querer viver bem. Por isso o vazio indissolúvel mais evidente é existencial, senão não haveria tantos inseguros e suicidas entre os abastados”, opina Marcelo Ortiz. Para o filósofo, a busca pela espiritualidade nos dias atuais tem o urgente desafio de tentar compreender porque a intolerância e a violência tanto têm aumentado. “É primordial entendermos a espiritualidade como uma forma de nos unir, nos religar pela paz e defesa da vida, mesmo que corramos o risco de nossas desigualdades”, afirma. “A Sagrada Família é o verdadeiro sentido da minha espiritualidade. É a imagem que, do meu ponto de vista, ilustra o início de tudo: um Pai que ensina, uma Mãe que acolhe e vence os obstáculos do dia-a-dia na União e na Compreensão. E é justamente nela que eu procuro me espelhar, já que me remete ao Deus vivo, a uma família que foi consagrada pela graça do Espírito Santo e que deve estar todos os dias presente em nossos pensamentos, atos, enfim, por toda a nossa vida”. Alessandra Xabregas Teixeira, Peneleira e Silva desde Janeiro de 2009


Espiritualidade: a busca de cada um Com o intuito de sair da loucura e correria do mundo pragmático do trabalho, o professor Carlos Perches encontrou nas Danças Circulares Sagradas a possibilidade de retorno à vida simples e da busca por um sentido àquilo que fazia. Participante há mais de dez anos desse tipo de dança, que alia o resgate das tradições culturais de diferentes povos à simbologia com os ciclos da natureza, para ele a prática representa uma autêntica busca pelo bem-estar físico e espiritual. “A roda é um espaço democrático, que possibilita uma convivência saudável com todos os tipos de pessoas e onde todos são iguais. Além disso, representa a possibilidade de fazer novas amizades, de desenvolver valores comunitários e de se re-conectar com a natureza”, relata. Apesar de trabalhar inúmeros valores coletivos e individuais, segundo a professora do grupo de Danças Circulares do Simpro e do Parque Ecológico de Campinas, Mairany Gabriel, o primeiro motivo para se procurar a Dança Circular Sagrada é a busca do próprio bem-estar. “Em meio a um contexto de tantas transformações e de esquecimento da essência do ser humano, eu percebo que as pessoas, cada vez mais, têm sentido a necessidade de retorno ao simples, de se re-conectar com a natureza”, conta Mairany, em contato com a dança desde 1992, quando passava por um momento difícil da vida. Assim como Mairany e Carlos nas Danças Circulares Sagradas, a professora da Oficina Zen de Campinas, “Espiritualidade não significa ter esta ou aquela religião, mas sim ter a consciência de que a vida humana está além das necessidades fisiológicas básicas para a sobrevivência. A espiritualidade não está diretamente ligada à concretização de nossos desejos, mas é parte integrante da força para realizá-los”. Layr Malta, coach e especialista em treinamentos de auto-gestão

Milena Dias, encontrou, dessa vez nos ensinamentos do yoga, uma nova filosofia de vida. Mais conhecida como Tia Mi, a professora que pratica (e vivencia, como costuma dizer) yoga há mais de 20 anos explica que essa é uma forma de união do ser com o que existe de mais divino dentro dele. “É por isso que digo que o yoga está intrinsecamente ligado à espiritualidade, pois reflete, justamente, a busca pela ligação com o divino que existe em nós”, explica Milena Dias. Se pode ser encarado como uma ferramenta de aproximação do homem com o que existe de divino em si, a professora explica que a prática do yoga, assim como a concepção de espiritualidade, transcende qualquer tipo de religião. “O yoga não se preocupa com nomes, mas com a essência. Sua prática deve ser encarada como parte da filosofia de vida que é, algo que busca o que há de melhor em nós, o que resulta, inevitavelmente, num mundo melhor”.

ESPIRITUALIDADE EM RODA Mayrani ao centro conduz o grupo de danças circulares no salão do Parque Ecológico de Campinas. Um grupo bastante variado de pessoas, ao redor de uma mandala ao centro, dança e canta unido pelas mãos e pelos passos seqüenciados de uma coreografia. Um momento de reflexão, ao mesmo tempo íntima e coletiva, precede o movimento alegre e cooperativo da dança em roda. É assim, repleto de simbologias, que se dão os encontros das Danças Circulares Sagradas, tipo de prática, trazida da Europa ao Brasil na década de 90, que alia o desenvolvimento do bemestar físico e espiritual ao resgate cultural das tradições de diversos povos ao redor do mundo. De acordo com Mairany Gabriel, especialista em arte-terapia e produtora cultural do grupo de Danças Circulares do Simpro e do Parque Ecológico de Campinas, a proposta das simples coreografias é despertar valores comunitários sob a forma de conhecimento das diferentes tradições culturais. Isso ocorre por meio do trabalho com a simbologia e com a percepção que cada integrante da roda assume diante dela. “É com essa coreografia repleta de símbolos, que vão desde o conceito original de dança em roda às letras das músicas conectadas aos passos, que se busca despertar nas pessoas que praticam a percepção de construção coletiva e de desenvolvimento da espiritualidade”, explica a professora do grupo. A simbologia do movimento, também relacionada aos ciclos da natureza, está ligada à percepção do sagrado antropológico (ou seja, aquele que é fruto da percepção espiritual do indivíduo e, portanto, diferente do sagrado teológico ligado a uma religião). De acordo com a professora, muitas vezes, a palavra sagrado acaba por relacionar, erroneamente, o objetivo da dança à prática de uma religião específica. “O ‘sagrado’ diz respeito ao poder de elevação do espírito humano. A Dança Circular se torna Sagrada a partir do momento em que os participantes entram em contato com sua essência”, explica Mairany Gabriel, em contato com as Danças Circulares desde 1992. Sempre alternando entre momentos de alegria e introspecção, a professora explica que a Dança Circular Sagrada auxilia o indivíduo a tomar consciência de seu corpo físico, acalmar o emocional, trabalhar a concentração e memória e, principalmente, entrar em contato com uma linguagem simbólica e transcendental. Mairany ressalta a importância dessa prática na educação e no ambiente de trabalho por despertar valores cooperativos em um grupo de pessoas que buscam, em conjunto, um resultado comum. “Eu costumo falar que essa prática é uma re-educação, em que é possível trabalhar a percepção individual dentro da coletividade e trabalhar valores que sejam de interesse de todos no grupo”.


“A vida espiritual não é um processo de ajuste aos valores sociais dominantes, mas um caminho que envolve crise e transformação, em que a tensão entre o mundo e a palavra de Deus estará sempre presente.” Ricardo Barbosa de Souza, pastor da Igreja Presbiteriana do Planalto

YOGA E ESPIRITUALIDADE

sempre encaradas como parte de uma filosofia de vida, permitem transcender os condicionamentos humanos ao aniquilá-los direto na fonte, ou seja, no íntimo obscuro do ser humano e não acessível facilmente, o inconsciente. Assim, penetrando na fonte do conflito interior, é possível descobrir o verdadeiro potencial do homem: o da sua espiritualidade. Para João Corsi, instrutor de SwáSthya Yôga, a espiritualidade é um patrimônio do ser humano e o Yoga de qualquer modalidade, desde que autêntico, é capaz de desenvolvê-la. “O Yoga é uma filosofia prática de vida que visa o autoconhecimento e a hiperconsciência. Por meio da técnica da respiração (pránáyáma) é possível atingir outros estados de consciência, em que temos a condição de mergulhar nas profundezas do nosso inconsciente e torná-lo consciente”, explica João Corsi. A meditação, ou dhyána, é outra técnica característica e essencial na prática do Yoga. O processo de meditação consiste em se desligar dos pensamentos a fim de permitir que a consciência se expresse através de um canal mais sutil, que está acima da mente. “Muita gente acha que meditar é reduzir a consciência, mas é justamente o contrário. É expandi-la, é adquirir mais lucidez”, relata o professor.

Consciência. Ainda que extrapole o limite imposto pelas palavras, é na concepção do viver consciente, a cada respiração, pensamento e ato, que reside a essência do Yoga. A compreensão do significado existencial, diz-se, só é possível de experimentar quando se está totalmente consciente. Filosofias são essenciais, mas o Yoga é antes de tudo uma práxis: é a vivência dos ensinamentos, que visam o domínio e a unidade do corpo, mente e espírito, que permite alcançar a liberdade interior. O yoga, cuja tradução literal significa união, entende que existe uma energia que é geradora de todas as coisas que existem e que, essa mesma força, é também parte constitutiva do ser humano. Assim, entende-se que tudo no universo é uno e que, a partir do momento em que o homem se afasta dessa força que está presente em tudo o que existe, surgem os sofrimentos. O caminho do Yoga começa “quando o homem consegue quebrar a prisão das suas misérias”. Assim, o Yoga é também a busca para a libertação dos condicionamentos que impedem o homem de desenvolver suas potencialidades e de transcender para a conquista da iluminação, da compreensão universal. A pensadora francesa Anaïs Nin dizia Milena Dias em meditação, numa posição que também simboliza humildade ‘não vemos as coisas como elas são, senão como somos nós mesmos’. Assim, entendese que no momento em que nos libertamos de ‘nós mesmos’ (consciência individual), a natureza da “A unidade da respiração, a consciência e os sentidos, realidade (consciência universal) se desvela como ela seguida pela aniquilação de todos os conceitos: isso é o de fato é. Yoga.” (Maitrí Upanishad) As técnicas do Yoga, que são inúmeras e devem ser


Saúde Financeira

A SAÚDE FINANCEIRA COMO FONTE DE SEGURANÇA, SUCESSO E FELICIDADE Conquistar as coisas é desejo inato de todo o ser humano desde os primórdios. Se assim não o fosse, não resultaríamos desta miscigenação de raças que começou com a chegada dos conquistadores portugueses em costas brasileiras. Alguns extremantes predadores, não se contentam com o muito e querem muito mais, chegando à máxima de ter 20% para si e 80% para mostrar aos outros. Por outro lado, temos os pobres de ambição e que, comodamente, se contentam com a zona de conforto, transferindo aos outros a culpa de serem desafortunados. Lembro de uma conversa com Milena, minha fiel escuderia, quando ela reclamava que nós dependíamos de convites de alguém para ter onde passar o final do ano ou alguns feriados. Quase que com dedo em riste afirmei: cuidado... pede que você consegue...é a lei da atração.

Dito e feito: Fomos até um Clube de Campo de uma cidade do Interior de São Paulo para vender um terreno, que havia comprado há mais de 20 anos, pensando em ser um bom investimento. Confesso que nunca fui vê-lo ou conferir se existia fisicamente. Surpresa ao chegar: o valor do terreno tinha tornado-se simbólico, pois o clube oferecia terrenos gratuitos a quem se comprometesse a construir num certo espaço de tempo. Para aproveitar a viagem, olhamos algumas casas à venda por pura curiosidade, pois não dispúnhamos de capital suficiente para adquirir nenhuma delas. Voltando para nossa casa, frustrados com o fato de não ter como se livrar do terreno e ainda mais por não ter como comprar uma da casas, iniciou-se o seguinte diálogo: - Queria tanto aquela casa entre as árvores...é a nossa cara - disparou Milena.. E eu retruquei: - Se você realmente quer, você consegue. Imagine-se já lá dentro, abrindo a porta e recebendo pessoas queridas, ouvindo o som da sua música preferida, o odor de um

incenso, o som do vento nas árvores..etc.. Chegando em casa, liguei para o corretor e fiz uma oferta indecorosa de menos da metade do valor original, e ainda colocando o terreno como parte do pagamento. Para nossa surpresa, em poucos minutos a resposta: o proprietário aceitara. A técnica de se imaginar na posse do bem, de viver a situação imaginada - como, por exemplo, dirigindo o carro que quer adquirir – é muito utilizada em PNL e tem um poder incrível sobre nosso cérebro. Ao contrário daquele que sonha com o carro que deseja tanto, mas sempre que o imagina, o vê na vitrine. Pode estar certo de que ele não sairá de lá ta cedo. Um detalhe que deixamos de mencionar na história acima e que merece destaque é o fato de que, sem reserva alguma, não teríamos como dar o lance (ainda que fosse menor que a metade do valor original). Ter reservas requer um exercício para a saúde financeira, como a aeróbica para a saúde física, ou o reconhecimento para a saúde familiar. E todo exercício para dar resultados, requer disciplina. Para quem quer adquirir este hábito, o Prof. Samuel Marques dá cinco dicas e eu acrescento uma sexta:


1

Conheça seus números, pois os ricos têm a companhia constante deles: renda, dividendos, patrimônio, cotações e grandes negócios são todos expressos em

números. Quem deseja ter uma boa saúde financeira precisa conhecer os seus próprios números. Inicie preenchendo o canhoto do talão de cheques e conferindo extratos bancários. Dessa forma, saberá pelo menos quanto está pagando de juros e taxas. Saiba tudo sobre os seus números e verá a diferença que isto vai fazer na sua vida.

2

Gaste menos do que ganha,

pois gastar menos do que recebe é o primeiro passo para alguma sobra. Quem tenta manter um estilo de vida acima dos seus ganhos acaba endividado e com sérios problemas. A melhor forma de controlar é medir e a melhor forma de medir é registrar, portanto, mãos à obra e preencha e complemente a lista a seguir: Quanto eu estou gastando por mês com: 1. Energia elétrica 2. Água 3. Telefone 4. Gás 5. Bebida (se beber regularmente) 6. Transporte (se usar coletivos) 7. Gasolina (se usar veículo próprio) 8. Cigarros (se fumar) 9. Alimentação (incluir os lanches eventuais) 10. Produtos de higiene pessoal (incluir perfumes, cosméticos, etc.) 11. Lazer (cinema, teatro, revistas, jornais, etc.) 12. Medicamentos (se usar com freqüência ) 13. Material escolar (canetas, borracha, papel, lápis, e tudo que for descartável) 14. Produtos de uso doméstico (detergentes, fósforos, esponjas de aço, etc.) 15. Pagamentos de auxiliares (empregada, babá, arrumadeira, caseiro,) 16. Impostos (predial, taxa de lixo, etc.) 17. Contas (aluguéis e prestações) 18. Mensalidades (Internet, cursos, associações, etc.) 19. Consertos e reparos (pintores, encanadores) 20. Outros gastos (Internet, Clubes, Academia, etc.) Antes de aprender a ganhar, você precisa aprender a economizar. Embora muita gente não esteja ganhando dinheiro suficiente para suprir as próprias necessidades, está gastando quase sempre um pouco mais do que deveria.

Evite a desculpa que já fez tudo que podia para economizar, ou de que é impossível economizar uns reais a mais. Espere só quando você fizer o balanço com estes 20 itens e descobrir que vem gastando mais energia elétrica que o normal, ou que vem exagerando em seus lanches diários, ou na bebida. Lembre-se que uma única lâmpada acesa durante o dia, desnecessariamente, acrescentará alguns reais na conta a pagar. Ou aquela torneira, que goteja noite e dia, aumenta seu consumo de água. Ficará espantado em descobrir que vem gastando muito dinheiro desnecessariamente e nem se dava conta disso! Copie nossas avós que, no tempo de hiper inflação, aplicavam suas parcas economias antes de sair comprando, ou seja, ajuntavam o $$ para poder comprar à vista, e com maior poder de barganha, ao invés de acreditarem no “10 x sem juros no cartão” (pois não existe nada de graça). Para os indisciplinados de carteirinha, uma dica valiosa: adquira um plano de previdência privada com desconto automático em contra corrente. Além de ajudar a poupar compulsoriamente, também te dará respaldo no futuro.

3

Elimine suas dívidas

Elimine mesmo, faça um plano para acabar completamente com as suas dívidas. A dica é: pare de fazer novas dívidas e comece a antecipar o pagamento das atuais. Em pouco tempo você liquidará todas;

4

Tenha dinheiro

Lembre-se que a diferença entre o rico e o pobre é o fato de possuir dinheiro. Se você não consegue segurar uma nota de cinqüenta reais na carteira, será muito difícil trilhar o caminho da riqueza. Acostume-se a ter dinheiro. Dinheiro guardado, rendendo. A dica é: faça o alvo de ter o montante que vá gerar uma renda equivalente a 10% do seu salário. Depois vá aumentando até chegar a 100%.


5

Valorize as pessoas

Lembre-se de que dinheiro chama dinheiro, mas não o chama para um cineminha. A regra é amar as pessoas e usar o dinheiro. O dinheiro não pode ser um fator de stress, mas sim um gerador de estabilidade nos relacionamentos.

Clic Silva

Valorizar as pessoas é: • Passar tempo com as pessoas: tempo é dinheiro; • Lembrar-se das datas importantes ao menos para falar ao telefone; • Viajar, dar presentes, investir em relacionamentos.

6

Pratique a caridade

Doe pelo menos 1% do que ganha para ajudar os menos afortunados. Nossos metamodelos devem ser pessoas bem sucedidas, mas não podemos ignorar aqueles que tiveram menos sorte do que nós. Escolha uma entidade digna e comprometa-se com uma doação mensal, mas lembre-se que o que a direita faz a esquerda não precisa ficar sabendo. Garanto que uma força superior te retribuirá pelo menos dez vezes mais. A prática destes seis passos levará você a um novo patamar de qualidade de vida, graças à recuperação e manutenção da sua Saúde Financeira. Além do mais, o stress da conta no vermelho, engolir sapo do chefe agressivo por medo de perder o emprego, tudo por não ter uma reserva, desaparecem e, em seu lugar, surge uma imensa felicidade e a sensação de segurança. Abraço fraterno e seja feliz. Cláudio Makarovsky Silva Gaivota e Trainer em PNL

Em julho deste ano, Layr Malta participou em São Paulo do curso de Personal Professional Coaching realizado pela Sociedade Brasileira de Coaching (SBC), facilitadora oficial da América do Sul pelo Behavioral Coaching Institute (BCI) e International Coaching Council (ICC), órgãos responsáveis pelo desenvolvimento e testes da metodologia de Coaching mais aceita no mundo. Na ocasião, Layr teve a oportunidade de conversar com o Presidente da SBC, Villela da Matta, e a vice-presidente da Sociedade Flora Victoria.

Agenda Leader Training

24 a 26 de setembro de 2010 Leader Training Cidade: Cabreúva - SP

19 a 21 de novembro de 2010 Gaivota Cidade: Itatiba - SP

22 a 24 de outubro de 2010 Leader Training Cidade: Natal - RN

Fevereiro de 2011 Practitioner (PNL) Cidade: Cabreúva - SP

28 a 30 de outubro de 2010 Gaivota Cidade: Natal - RN

Revista Silvanews - 6ªEdição  
Revista Silvanews - 6ªEdição  
Advertisement