Issuu on Google+

Contra o câncer de mama 1ªEdição

O QUE É câncer na mama?

Como identificar o câncer na mama

Sintomas de câncer na mama Fatores de risco para o câncer de mama Tipos de câncer de mama

tratamento para o câncer de mama


• O primeiro passo para identificar o câncer de mama é realizar o auto exame da mama mensalmente. • Veja como fazer o auto exame da mama. Se, durante a palpação da mama, a mulher ou o médico notar a presença de nódulos suspeitos na mama, deve-se realizar a mamografia e a biópsia. • Um outro exame capaz de identificar o câncer de mama é o VIAS (Ventana Image Analisys System). Esse exame consegue verificar se o tumor é malígno ou benígno sem a necessidade de realizar uma biópsia, mas são poucas as clínicas que o fazem no Brasil


• O câncer de mama é um tumor maligno que se desenvolve nas células do tecido mamário, as vezes dói, e pode atingir tanto homens quanto mulheres. Quando é diagnosticado e tratado precocemente têm 90% de chances de cura


• 1ª Mama mais dura que o normal; • 2ªPresença de um sulco na mama, como se fosse um afundamento de uma parte da mama; • 3ªPequenas feridas na pele; • 4ªVermelhidão ou ardor na mama; • 5ªSaída de um líquido desconhecido pelo mamilo; • 6ªUma espécie de "buraquinhos" na pele da mama; • 7ªAlguma protuberância na mama; • 8ªVeia facilmente observada e crescente; • 9ªfundamento do mamilo; • 10ªAssimetria entre as duas mamas, como por exemplo uma maior que a outra; • 11ªPele da mama mais grossa que o normal, com aspecto de casca de laranja; • 12ªNódulo ou pequeno caroço interno, palpável e dolorido.


• Existem vários tipos diferentes de câncer de mama, sendo alguns mais fatais do que outros. Os tipos mais comuns são: • Carcinoma ductal “in situ” (CDIS); • Carcinoma lobular “in situ” (CLIS); • Carcinoma ductal invasor (CDI), que são cerca de 80% dos cânceres da mama invasores (ou invasivos); • Carcinoma lobular invasor (CLI); • Carcinoma inflamatório da mama é um câncer agressivo, mas raro.


• O tratamento escolhido irá depender das necessidades de cada doente. O médico poderá optar por um ou pela combinação de dois ou mais tratamentos. A radioterapia e a quimioterapia são tradicionalmente utilizados. • Existe também um novo tipo de radioterapia, chamada de radioterapia com feixe de elétrons, que trata somente o nódulo poupando os tecidos à sua volta, trazendo menos efeitos colaterais.


• Ter mais de 60 anos; • Já ter tido um câncer de mama anteriormente; • Ter alguém na família com câncer de mama, como mãe, irmã ou filha; • Doença mamária benígna prévia; • Ter tido a primeira menstruação antes dos 12 anos; • Uso de anticoncepcionais orais por muito tempo; • Ter entrado na menopausa antes dos 55 anos; • Obesidade após menopausa; • Ter feito a terapia de reposição hormonal com estrogênio


câncer de mama