Page 20

A reinvenção do livro

O historiador e estudioso dos livros Robert Darnton, autor da obra A questão dos livros – passado, presente e futuro, fala do papel das bibliotecas e da iniciativa do Google de digitalizar os livros: O Google tem feito um trabalho maravilhoso de digitalização do acervo dessas bibliotecas. Mas, como toda empresa privada, tem por objetivo dar lucro a seus acionistas. Os objetivos das bibliotecas são distintos — entre eles, oferecer conhecimento público. Esse conhecimento não pode ser detido por uma empresa só. O acordo sobre direitos autorais do Google configura uma situação de monopólio.

Em seu livro, Darnton também comenta sobre a falta de critérios da digitalização realizada pelo Google, que não tem bibliógrafos no seu quadro funcional: O Google emprega milhares de engenheiros, mas, até onde sei, não tem nenhum bibliógrafo em sua equipe. Seu descaso com qualquer preocupação bibliográfica visível é particularmente lamentável, tendo em vista que a maioria dos textos, como acabo de argumentar, foram instáveis por boa parte da história da imprensa.

O Google está criando um comunicador universal com o seu tradutor de línguas. Atualmente, traduz 52 línguas. E mais: no Google, estão sendo armazenadas as biografias das pessoas no mundo contemporâneo. O livro Google: o fim do mundo como o conhecemos, de Ken Auletta, merece ser lido.

20

"A Reinvenção do Livro"  

CAMPOS, Antônio. "A Reinvenção do Livro". Recife: Carpe Diem, 2012.

"A Reinvenção do Livro"  

CAMPOS, Antônio. "A Reinvenção do Livro". Recife: Carpe Diem, 2012.