Issuu on Google+

AO PADRE JOÃO ALVARES (em março de 1610) Traslado de uma carta de dada de terras de sesmaria do padre João Alvares clérigo no termo da villa de São Paulo.

Gaspar Conqueiro capitão desta capitania de São Vicente logo-tente e procurador bastante do senhor Lopo de Sousa capitão e governador della por Sua Magestade faço saber a todas as justiças e pessoas que esta minha carta de dada de terras de sesmaria virem e ouvirem e o conhecimento della com direito pertencer que o padre João Alvares clerigo natural da villa de São Paulo me fez petição dizendo-me nella que elle .................. de conquistador / digo era filho e neto de conquistador desta capitania e que elle assistia e morava no Boigi Miri ................fazer sua milharadas..................................... ........................... ................................................. em quadra tanto de largo como ......... no dito Boigi miri da outra banda ........... Anhambi indo para a Paraiba depois de passar e começará a partir pelo caminho para o dito rio da Paraiba e fica esta ..... re o rio Anhambi a qual terra pedia por estar devoluta e que eu lh'a dar receberia mercê a vista por mim a dita petição puz nella o despacho seguinte / Dou ao supplicante o padre João Alvares em nome do senhor Lopo de Sousa a meia legua de terra que pede na parte que a pede assim e da maneira que elle a pede com as condições da sesmaria e Diogo de Onhate escrivão da fazenda e da ouvidoria lhe passe a carta. Santos vinte de março de seiscentos e dez annos / A qual terra lhe dou com todas as suas entradas e sahidas e mattos ..... que tiver para ele e seus herdeiros ascendentes e descendentes forra e livre de todo o tributo e fôro somente pagará dizimo a Deus Nosso Senhor dos fructos que nella colher e como sua a gosará e lavrará e fará nella suas milharadas roças e bemfeitorias como lhe bem parecer e nella não lhe será posto embargo nem impedimento algum e o hei por mettido de posse della e para sua guarda lhe mandei passar a presente por mim assignada e sellada com o sello das armas do dito senhor Lopo de Sousa a qual será registada nos livros do registo da fazenda de Sua Magestade conforme a seu regimento sob a pena delle. Dada nesta villa do porto de Santos aos vinte e tres dias do mez de março Diogo de Onhate escrivão da fazenda de Sua Magestade e da ouvidoria desta capitania de São Vicente a fez por meu mandado anno do Senhor de mil e seiscentos e dez annos. Pagou ..... / Gaspar Conqueiro, / A qual dita carta de dada eu dito Diogo de Onhate escrivão da fazenda de Sua Magestade ....... desta capitania de São Vicente trasladei na verdade da própria que tornei á parte e a concertei com João de Onhate ....... por minha ausencia onde ambos nos assignamos ...... porto de Santos aos vinte e sete ....... de mil e seiscentos e dez annos. Concertado por mim escrivão da fazenda de Sua Magestade Diogo de Onhate E commigo escrivão da fazenda de Sua Magestade João de Onhate (Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo. Sesmarias. v. I, 1921, p.90)


Sesmaria Padre João Alvares (1610)