Page 26

26

A SEMANA

15 a 21 de janeiro de 2009 - Edição # 349

www.jornalasemana.com Agência/Reuters

Jogar como centroavante não é novidade para Giovanni Giovanni fez sucesso no Santos, entre 1995 e 96, atuando como meia. Foi atuando desta maneira que chegou à seleção brasileira e ao Barcelona. No entanto, dada a dificuldade que o Peixe está enfrentando para contratar um camisa 9, o ídolo alvinegro pode ser aproveitado como centroavante. Essa era uma ideia do técnico Dorival Júnior e que foi incorporada pelo camisa 10. Mas engana-se quem pensa que atuar como centroavante é novidade para Giovanni. O craque lembra que desempenhou essa função durante seis temporadas atuando pelo OlympiakosGRE. - Joguei como atacante muito tempo na Grécia. Lá, eu era centroavante mesmo, pivô. Então, não teria nenhum problema em atuar dessa forma aqui - garante Giovanni. Por enquanto, porém, André, que é camisa 9 de ofício, inicia o Paulistão como titular, pois Giovanni ainda precisará de tempo para ficar em plena forma. Além de veterano, 37 anos, o jogador não joga profissionalmente desde o estadual do ano passado, quando defendeu o Mogi Mirim. - Vinha batendo bola no Pará, não é como profissional, mas pelo menos serviu para eu não perder o tempo de bola e a noção de posicionamento. Mas fisicamente estou abaixo. Preciso treinar bastante - reconhece.

Alonso minimiza problemas com Massa em 2007: ‘Temos um bom relacionamento’ Fernando Alonso, novo piloto da Ferrari, minimizou a rivalidade com Felipe Massa, seu novo companheiro de equipe, nascida em 2007. Os dois protagonizaram disputas duras na pista nos GPs da Espanha e Europa daquele ano, inclusive com toques nos carros. No entanto, o espanhol de 28 anos acha que o equilíbrio de poder na equipe italiana não será um problema em 2010. - Nós competimos em 2007, mas temos um bom relacionamento. Os problemas são passado. Nunca pedi para ser o piloto número 1 em nenhuma equipe, mas também não quero ser o número 2. Não estou dizendo que pretendo ter alguma preferência. Trabalho 110% com a equipe. Se o time não estiver comprometido da mesma forma, algo está errado - diz Alonso, em entrevista à rede de TV inglesa BBC. O espanhol teve problemas em 2007, na McLaren, quando acusou o time de favorecer Lewis Hamilton, então apenas um estreante na categoria. Após vários problemas, Alonso delatou a equipe inglesa um caso de espionagem contra a Ferrari. A disputa foi tão intensa que o espanhol e o inglês perderam o título para Kimi Raikkonen.

Diego diz que não pode fazer tudo sozinho

Diego sobre a queda de rendimento do Juventus: ‘Não posso fazer tudo sozinho’ Diego tem sido um dos jogadores do Juventus mais pressionados nesta temporada. Contratado para ser a estrela da equipe, ele iniciou bem a campanha, mas com o passar dos jogos e a queda de rendimento da equipe, viu seu futebol cair. Após responder perguntas e mais perguntas sobre o seu rendimento nas últimas semanas, o meia cansou das críticas e pediu que as pessoas entendam que o time precisa crescer novamente como um todo. A reação tem a ver com o seu desempenho na vitória sobre o Napoli, por 3 a 0, pela Copa da Itália. O brasileiro fez

um gol e sofreu o pênalti que resultou em outro. - Eu preciso que o time jogue sempre do mesmo jeito que jogamos contra o Napoli, porque não posso fazer tudo sozinho. Se o time jogar bem, tudo fica mais fácil, e tenho mais chances de municiar os atacantes - afirmou o jogador, em entrevista à emissora de televisão do Juventus. No próximo fim de semana, o Juventus terá um jogo importante pelo Campeonato Italiano. Vai enfrentar o Chievo fora de casa. O time de Turim tem 33 pontos ganhos, 12 a menos do que o líder Internazionale de Milão.

A SEMANA EDITIONS #349  

15 a 21 de janeiro de 2010

A SEMANA EDITIONS #349  

15 a 21 de janeiro de 2010