Issuu on Google+

Informativo do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Urbanos de Passageiros da Região Metropolitana de Florianópolis – Junho / 2009 - N0 40

GREVE GERAL

TRANSPORTE VAI PARAR NO DIA 30 Irresponsabilidade dos patrões leva trabalhadores a nova greve. Prepare-se. Sintraturb

Os trabalhadores do transporte coletivo da Grande Florianópolis entrarão em greve na terça-feira, 30, a partir das 7h. A decisão foi tomada em três assembleias da categoria na semana passada. A greve tem o objetivo de levar as empresas a apresentarem uma proposta para as reivindicações dos trabalhadores. Desde o início das negociações, em abril, as empresas de ônibus não formalizaram nenhuma vez sua proposta. Os trabalhadores não exigem nada de mais (veja o quadro). Os patrões receberam 6% de reajuste nas tarifas em janeiro e até agora não repassaram nada

APOIO

As reivindicações do Sintraturb

O que os patrões oferecem

Aumento real de salários e tíquete alimentação são fundamentais para a valorização profissional. Além disso, o valor dos tíquetes alimentação deve ser UNIFICADO. É inaceitável que o pessoal de manutenção e limpeza receba valores menores que outras funções dentro das empresas.

Os patrões querem dividir em duas parcelas a reposição das perdas salariais para a inflação. Rejeitam a proposta de aumento real. Rejeitam unificar o valor dos tíquetes (mas essa proposta nunca foi formalizada; só foi divulgada pelos jornais).

Queremos manter a Participação nos Lucros que recebemos há mais de quinze anos. Mesmo tendo esse nome por força de lei, não se trata realmente de participação nos lucros, que ninguém sabe de quanto é. A categoria recebe um PRÊMIO ASSIDUIDADE, que sofre descontos em virtude de qualquer tipo de falta ao trabalho.

Os patrões querem retirar o prêmio assiduidade, alegando que as empresas não têm lucros. Como não têm lucros? Com essa tarifa? Com o busão sempre cheio?

O sindicato exige a manutenção de dois trabalhadores por ônibus. Trata-se de algo inegociável.

A garantia da manutenção das funções dos(as) cobradores(as) é fundamental. A prefeitura já assegurou a permanência de dois trabalhadores por ônibus, por decreto, e diz que vai manter a exigência na licitação. Mas os patrões, irresponsáveis, insistem em querer demitir 30% dos cobradores.

Manutenção das cláusulas sociais e sindicais, que regulam as relações entre trabalhadores e Sintraturb.

para a categoria. Em contrapartida, gastaram uma fortuna em propaganda mentirosa no rádio, na tv, dizendo que os trabalhadores ganham muito bem e que o transporte é excelente.

Há muitos anos, o acordo coletivo prevê direitos como a liberação de dirigentes para o Sintraturb e o repasse de descontos do conjunto dos trabalhadores para o sindicato. Os patrões querem fragilizar a organização da categoria, minando esses direitos, reconhecidos como legítimos pelo Ministério Público do Trabalho.

A categoria fez uma greve de 33 horas nos dias 19 e 20 de maio e duas paralisações de advertência, de duas horas cada, nos dias 5 e 17 de junho. Como agora, a população foi avisada da greve com cinco dias de antecedência. As paralisações foram protestos rápidos, parciais. Os trabalhadores tiveram o cuidado de possibilitar a saída dos carros das principais linhas e que operam mais cedo. Elas continuaram em funcionamento durante a paralisação temporária e parcial das garagens da Transol e da Insular, no dia 17. Ao contrário dos patrões, o Sintraturb respeita a população. Tudo isso faz parte da luta legítima da categoria por seus direito de ter emprego, salários decentes e condições dignas de trabalho. Neste momento os trabalhadores não têm outro instrumento de luta a não ser a greve para fazer os patrões apresentarem uma proposta aceitável.

Sintraturb conta com seu apoio O sindicato dos trabalhadores do transporte coletivo precisa do seu apoio em mais essa greve. Reclame com a prefeitura e as empresas. Faça seu sindicato, sua associação de moradores, sua comunidade pressionarem pela solução desse impasse, que não foi gerado pelos trabalhadores.

1


PREFEITURA GARANTE EMPREGO DOS COBRADORES Os patrões inventaram um falso impasse em torno da garantia de emprego dos cobradores. Alegando a crise, tentam diminuir as contratações de pessoal. Querem ganhar mais e gastar menos, gerando desemprego para toda a sociedade. Isso é ilegal e inaceitável, por várias razões. A primeira é que compete ao poder público municipal regrar o transporte e já existe determinação da prefeitura de que se mantenham dois trabalhadores por veículo. A prefeitura também se comprometeu a manter essa situação na licitação do transporte, cujo projeto já está na Câmara de Vereadores. É por isso que o Sintraturb não vai abrir mão de nenhum emprego. O TRT/ SC, que está julgando o dissídio da categoria, não poderá se posicionar a respeito disso. Ou seja, não existe impasse sobre essa questão.

Patrões não apresentam proposta A discussão entre os trabalhadores do transporte e os patrões começou há mais de três meses e até agora os empresários não apresentaram nenhuma proposta formal concreta. É falso dizer que a categoria rejeitou qualquer coisa porque NADA FOI PROPOSTO oficialmente até o momento. Os trabalhadores têm tido muita paciência, mas não aceitam mentiras. A verdade é que os empresários aumentaram as passagens em 6% em janeiro e NÃO REPASSARAM NADA aos trabalhadores. E ainda

Marizete na fila do latão

2

Sintraturb

Os cobradores não são meros recebedores de dinheiro. Eles têm muitas outras funções no interior dos veículos, como auxiliar os passageiros portadores de deficiências, fiscalizar as portas e avisar o motorista, acompanhar o fluxo de usuários, reduzindo os riscos para todos. Novas funções de interesse do passageiro podem ser acrescentadas a essa atividade. O problema é que as empresas não reconhecem a irresponsabilidade e incompetência que tiveram, juntamente com o poder público, quando projetaram e implantaram esse sistema falido de transportes. Agora querem jogar o custo disso em nossas costas. Como querem aumentar sua taxa de lucro, é mentira prometer menor tarifa com a saída de cobradores. Além disso, quem ganha com o desemprego?

querem mais um aumento de 15 centavos. Por que querem 15 centavos a mais? Pura ganância! Querem explorar os empregados e penalizar a população. Outra mentira que os empresários contam é que a categoria tem altos salários. Os cobradores ganham R$ 731,02 e os motoristas, R$ 1.218,35, isso sem os descontos. Você acha que é muito para quem tem a responsabilidade de conduzir a população no meio do trânsito caótico em jornadas cansativas?

A greve é um direito: apoie os trabalhadores Terça-feira os trabalhadores do transporte entrarão em greve a partir das 7h. O movimento não deseja prejudicar você, embora cause transtornos. Por isso estamos avisando com antecedência, como a lei exige. A greve é um direito e uma atitude extrema diante da teimosia dos patrões, que não apresentaram ne-

nhuma proposta e já ganharam aumento nas tarifas. Organize caronas solidárias com seus amigos, vizinhos e colegas. Combine esquemas de funcionamento e transporte no trabalho. Só não deixe de apoiar os trabalhadores em greve. Além de buscar seus direitos, eles lutam pela melhoria do transporte na cidade.

O Jornal do Ônibus é uma publicação gratuita, elaborada pelos trabalhadores do transporte coletivo público da Região Metropolitana de Florianópolis e distribuído a toda a população. Tiragem: 30 mil exemplares


Jornal do Onibus