Page 67

atenção estava concentrada em mim eram a cura para a minha depressão. “Esta conversinha é só pra tirar a minha calça de novo, não é?” “Você não está usando calça.” “Isso foi um não?” “Foi um sim, estou querendo tirar a sua saia.” Seus olhos se fecharam quando eu mordisquei seu dedão. “E entrar na sua bocetinha quentinha, apertadinha e molhadinha. Só penso em fazer isso o dia todo. Todos os dias. É isso o que eu quero agora, mas podemos esperar até você se sentir melhor.” “Você podia me dar um beijo pra fazer com que eu me sentisse melhor.” “Um beijo onde, exatamente?” “Em qualquer lugar. No meu corpo todo.” Eu sabia que podia me acostumar com ele todinho só para mim. Era o que eu queria, mas era um desejo impossível. Ele tinha compromisso com milhares de pessoas e projetos diferentes. Se eu havia aprendido alguma coisa com os muitos casamentos da minha mãe com homens de negócios bem-sucedidos, era que suas esposas eram como amantes, sempre em segundo plano, o compromisso maior de seus maridos era com o trabalho. Era por isso que Gideon tinha se tornado o melhor em seu ramo de negócios — ele se dedicava de corpo e alma àquilo. A mulher da sua vida teria que se contentar com o que sobrasse. Gideon prendeu os meus cabelos atrás da orelha. “É isso o que eu quero. Chegar em casa e encontrar você.” Eu sempre ficava surpresa quando tinha a sensação de que ele estava lendo meus pensamentos. “Não seria melhor me encontrar descalça na cozinha?” “Não teria nada contra, mas pelada na cama seria mais interessante.” “Eu sou uma ótima cozinheira, mas mesmo assim você só quer saber do meu corpo.” Ele sorriu. “Ele é a embalagem que contém tudo o que eu adoro.” “Se você me mostrar o seu, eu mostro o meu.” “Com prazer.” Ele acariciou suavemente o meu rosto com os dedos. “Mas primeiro precisamos garantir que você já superou a briga com a sua mãe.” “Eu vou superar.” “Eva.” Seu tom de voz indicava que ele não voltaria atrás. Eu suspirei. “Eu vou perdoar, como sempre. Não tenho escolha, na verdade, porque amo a minha mãe e sei que ela tem a melhor das intenções, apesar de ser completamente sem noção. Mas essa história do relógio...” “Continue.” Eu passei a mão no peito para tentar desfazer o aperto que sentia lá dentro. “Isso me marcou profundamente. E, por mais que a gente siga em ente, essa marca vai ficar para sempre no nosso relacionamento. É isso que mais me magoa.” Gideon ficou em silêncio por algum tempo. Com uma das mãos ele acariciava meu cabelo, enquanto com a outra agarrava possessivamente o meu quadril. Eu esperei que ele dissesse o que estava pensando.

Profile for Cláudia Tressoldi

Crossfire 3 para sempre sua  

Crossfire 3 para sempre sua  

Advertisement