Page 48

Ele me deu um beijo de tirar o fôlego. “Foi o menino”, eu falei. Gideon estava fazendo círculos com os dedos em volta do meu umbigo. “Que horror.” Estávamos deitados no sofá, vendo meu programa preferido de investigação policial. Ele estava atrás de mim, com o queixo encostado no meu ombro e as pernas enroscadas às minhas. “É assim que essas coisas funcionam”, eu expliquei. “Eles querem te chocar e por aí vai.” “Acho que foi a vovó.” “Ai, meu Deus.” Eu virei a cabeça para encará-lo. “E isso você não acha um horror?” Ele sorriu e me deu um beijo no rosto. “Quer apostar?” “Eu não faço apostas.” “Ah, qual é.” Ele pôs a mão espalmada sobre a minha barriga para me manter na mesma posição enquanto se apoiava sobre o cotovelo para me olhar. “Não mesmo.” Eu senti o toque do pau dele contra a curvatura das minhas nádegas, todo o seu peso e sua extensão. Não estava totalmente ereto, mas nem por isso poderia ser ignorado. Curiosa, coloquei o braço entre nós e o agarrei com a mão. Ele endureceu imediatamente. Gideon ergueu uma sobrancelha. “Está querendo se aproveitar de mim, meu anjo?” Eu o apertei de levinho. “Na verdade, estou com tesão e meio entediada, me perguntando por que o meu vizinho ainda não tentou nada comigo.” “Vai ver ele não quer apressar as coisas, está com medo de ser considerado abusado demais.” Os olhos de Gideon brilhavam à luz do televisor. “É mesmo?” Ele es egou o nariz de levinho na minha têmpora. “Se ele tiver o mínimo de juízo, não vai querer fazer nada que possa desagradar você.” Ah... “Então talvez eu deva tomar a iniciativa”, sussurrei. “Mas será que ele não vai pensar que eu sou fácil demais?” “Ele estará muito ocupado pensando na sorte que tem.” “Bom, então...” Eu me virei para ficar de frente para ele. “Olá, vizinho.” Ele passou o dedo pelo contorno da minha sobrancelha. “Oi. A vista daqui é mesmo linda.” “E os apartamentos são todos muito bem equipados.” “Ah, é? Têm até toalhas?” Dei um empurrão em seu ombro. “Você quer dar uns amassos ou não?” “Dar uns amassos?” Ele jogou a cabeça para trás e caiu na gargalhada, com o peito vibrando contra o meu, produzindo um som profundo e luxurioso, que fez os dedos dos meus pés se contorcerem. Gideon raramente dava risada. Enfiei as mãos por baixo de seu suéter e acariciei sua pele macia. Meus lábios

Profile for Cláudia Tressoldi

Crossfire 3 para sempre sua  

Crossfire 3 para sempre sua