Page 256

“Isso é o que todas elas dizem.” Ela abriu um sorriso de compaixão que me irritou profundamente. “Sei de pelo menos duas mulheres que entraram em depressão profunda por causa dele. E certamente não vão ser as últimas.” “Você não deveria dar ouvidos a esse tipo de fofoca”, eu rebati. Ela se afastou com aquele sorrisinho sereno e irritante no rosto, ajeitando os cabelos enquanto contornava as demais mesas até chegar à dela. Foi só quando ela chegou ao meio do salão que me lembrei de onde a conhecia. “Merda.” Fui correndo até Gideon. Ele se levantou quando cheguei à mesa. “Preciso falar com você agora”, me apressei em dizer antes de olhar para a mulher que ocupava o meu lugar na mesa. “Como sempre, é um prazer ver você, Deanna.” Ela ignorou a alfinetada. “Oi, Eva. Eu já estava indo...” Mas eu já tinha dado as costas para ela. Peguei Gideon pela mão e o puxei. “Vamos lá.” “Certo, só um minuto.” Ele disse alguma coisa para Deanna, que eu não ouvi, porque o estava puxando para longe. “Pelo amor de Deus, Eva. Por que essa pressa?” Fui até perto da parede e olhei ao redor, procurando a ruiva de verde. O normal seria que ele tivesse notado a presença de sua antiga amante — a não ser que ela estivesse deliberadamente tentando evitá-lo. Por outro lado, seus cabelos estavam bem diferentes, e eu não havia visto seu marido por perto, o que teria tornado mais fácil a tarefa de reconhecê-la. “Você sabia que Anne Lucas está aqui?” Ele apertou minha mão com força. “Não. Por quê?” “Vestido verde-esmeralda, cabelos ruivos bem compridos. Você não viu essa mulher no salão?” “Não.” “Ela estava dançando com Cary.” “Não prestei atenção.” Eu o encarei, começando a ficar irritada. “Meu Deus, Gideon. Acho difícil você não ter reparado nela.” “Me desculpa se eu só tenho olhos pra minha mulher”, ele disse, irônico. Foi a minha vez de apertar sua mão. “Desculpa. Eu só queria confirmar se era ela mesmo.” “Por quê? Ela foi falar com você?” “Foi, sim. Falou um monte de merda e depois saiu andando. Acho que Cary estava com ela. Sabe como é, dando uma rapidinha.” Gideon ficou bem sério. Ele vasculhou o salão com os olhos, varrendo-o cuidadosamente de um canto a outro. “Não estou vendo Anne. Nem ninguém como você descreveu.” “Anne não é terapeuta?” “Psiquiatra.” Fui invadida por um estranho pressentimento. “Podemos ir embora?”

Profile for Cláudia Tressoldi

Crossfire 3 para sempre sua  

Crossfire 3 para sempre sua  

Advertisement