Page 221

“Come os seus tacos. Ainda tenho um monte de coisas pra descarregar.” Soltando um suspiro de ustração, pendurei a bolsa de volta na cadeira e o encarei com as sobrancelhas erguidas. “Se você acha”, ele começou, “que por estar sóbrio e ter um emprego fixo eu virei um otário, pode tirar o cavalinho da chuva. Eu sabia que você estava trepando com o Cross desde o dia em que vocês voltaram.” Dei uma mordida no taco e lancei um olhar desconfiado para ele. “Eva, querida, você acha que se existisse outro homem em Nova York capaz de transar noites e noites inteiras como o Cross eu não saberia?” Eu engasguei, e quase fui obrigada a cuspir o que tinha na boca. “Ninguém tem a sorte de encontrar dois sujeitos como esse na sequência”, ele falou. “Nem mesmo você. O normal seria estar num período de seca, ou então dando uma ou outra trepada sem graça antes de a coisa esquentar de novo daquele jeito.” Joguei a embalagem do meu canudo em Cary, mas ele se esquivou facilmente, dando risada. Logo depois, Cary voltou a ficar sério. “Você acha que eu ia dizer alguma coisa porque você o aceitou de volta depois de levar um pé na bunda?” “Não é só isso, Cary. As coisas estão... complicadas demais. Estamos so endo muita pressão. Ainda mais com aquela jornalista perseguindo Gi​deon...” “Perseguindo como?” “Vigiando todos os passos dele. Eu não queria...” Expor você. Deixá-lo vulnerável. Abrir uma brecha para que fosse acusado como cúmplice . “Eu precisava esperar essa confusão toda passar”, eu concluí, sem dizer nem metade do que gostaria. Ele pensou um pouquinho antes de voltar a falar. “E agora você vai casar com ele.” “Vou.” Dei um gole na bebida para desmanchar o nó na garganta. “Mas você é o único além de nós dois que sabe disso.” “Finalmente um segredo que você pode compartilhar comigo.” Ele abriu um sorrisinho. “E mesmo assim quer que eu continue morando com você.” Eu me inclinei para a ente de novo, e segurei sua mão. “Eu sei que você pode fazer algo diferente, ir para outro lugar. Mas prefiro que não faça isso. Quero você do meu lado, mesmo eu sendo casada ou solteira.” Ele apertou minha mão com tanta força que senti meus ossos serem comprimidos uns contra os outros. “Eva...” “Antes que você diga alguma coisa”, eu me apressei em interrompê-lo. A conversa estava ficando bem séria. Não queria que ele respondesse antes de saber o que eu estava oferecendo. “A cobertura de Gideon tem um apartamento anexo de um quarto que ele não usa.” “Um apartamento de um quarto. Na Quinta Avenida.” “Pois é. Legal, não? E todo seu. Com entrada privativa, e vista pro Central Park. Mas ainda assim bem perto de mim. O melhor dos dois mundos.” Eu continuei, na esperança de convencê-lo de vez. “Podemos ficar no Upper West Side por

Profile for Cláudia Tressoldi

Crossfire 3 para sempre sua  

Crossfire 3 para sempre sua  

Advertisement